SECADORES CEREAIS JOSCIL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SECADORES CEREAIS JOSCIL"

Transcrição

1 SECADORES CEREAIS JOSCIL SÃO EQUIPAMENTOS TÉRMICO-MECÂNICOS, DESTINADOS A REDUZIR O TEOR DE UMIDADE DE PRODUTOS AGRICOLA, PERMITINDO A MANUTENÇÃO E QUALIDADE DURANTE O SEU ARMAZENAMETO. PARA CONDIÇÕES BRASILEIRAS, O TEOR DE UMIDADE IDEAL PARA ARMAZENAMENTO É DE 13%. SA

2 SECADOR DIFUSOR EM CONCRETO: DESLIZADO PLACAS

3 SECADOR METALICO

4

5 DESCRIÇÃO GERAL DO SECADOR OS SECADORES SÃO CONSTITUIDOS POR: - FUNIL DE CARGA; - TORRE DE SECAGEM; - DIFUSOR; - VENTILADORES; - MESA DE DESCARGA; - FUNIL DE DESCARGA; - DISPOSITIVO DE DESCARGA

6 FUNIL DE CARGA O FUNIL DE CARGA TEM A FUNÇÃO DE RECEBER E DISTRIBUIR O PRODUTO UNIFORMEMENTE NA CÂMARA DE SECAGEM. POSSUI GUARDA-CORPO, ESCADAS DE ACESSO, AMORTECEDOR CASCATA, BICO DE ENTRADA E CONTROLE DE NÍVEL. PODENDO SER METÁLICO OU EM CONCRETO.

7 TORRE DE SECAGEM A TORRE DE SECAGEM É RESPONSÁVEL POR CONTER OS GRÃOS DURANTE TODO O PROCESSO DE SECAGEM. É PROJETADA EM SISTEMA DE CAVALETE, COM DUTOS EM FORMA DE V INVERTIDO. OS GRÃOS ALIMENTADOS NA PARTE SUPERIOR, ESCOAM POR ENTRE OS DUTOS, RECEBENDO AR QUENTE PROVENIENTE DO GERADOR DE CALOR. O AR É CONDUZIDO ATRAVÉZ DA MASSA DE GRÃOS PELO EFEITO DE ASPIRAÇÃO DOS VENTILADORES, DISPOSTOS NO LADO OPOSTO AO GERADOR DE CALOR. A SECAGEM PODE SER EFETUADA COM COLUNA INTEIRA OU COM 1/3 DE RESFRIAMENTO, MEDIANTE USO DE REGISTROS DE AR. NA TORRE É INSTALADO O SISTEMA DE TERMOMETRIA, QUE MONITORA AS TEMPERATURAS DE SECAGEM. TORRE NO SECADOR METÁLICO TORRE NO SECADOR CONCRETO

8 DIFUSOR PODEM SER CONSTRUIDOS EM CONCRETO OU AÇO GALVANIZADO. SÃO RESPONSÁVEIS PELA DISTRIBUIÇÃO DO AR ATRAVÉZ DA CAMERA DE SECAGEM. POSSUINDO PORTAS DE ACESSO E JANELAS PARA CONTROLE DE TEMPERATURA E MISTURA DE AR. O DIFUSOR DE CONCRETO PODE SER DESLIZADO OU EM PLACAS. DESLIZADO PLACAS METÁLICO

9 MESA DE DESCARGA A MESA DE DESCARGA É PENUMÁTICA, CONTROLADA POR UM QUADRO DE COMANDO, COM OPÇÕES DE DESCARGA MANUAL E AUTOMÁTICA. -DESCARGA MANUAL: REALIZADA ATRAVÉS DOS RELÉS DE TEMPO (0,3 À 3S TEMPO ABERTO E 30 À 300S TEMPO FECHADO). -DESCARGA AUTOMÁTICA: REALIZADA ATRAVÉS DO TERMO MASTER. ACIONAMENTO PNEUMÁTICO QUADRO COMANDO

10 COLETOR AMOSTRA FUNIL DE DESCARGA O FUNIL DE DESCARGA TEM A FUNÇÃO DE RETER POR UM DETERMINADO TEMPO, O PRODUTO QUE PASSOU PELA CÂMARA DE SECAGEM. A REGULAGEM É FEITA PELO DISPOSITIVO ACOPLADO NA BASE DO FUNIL DE DESCARGA, E QUEM DETERMINA A VELOCIDADE DE DESCARGA DO FUNIL, É O FLUXO SEGUINTE, POIS A REGULAGEM É FEITA DE TAL FORMA QUE NÃO HAJA EMBUCHAMENTOS. A ABERTURA DA MESA SE DA PELO VOLUME DE PRODUTO DENTRO DO FUNIL DE DESCARGA, OU SEJA, A MESA NÃO PODERÁ ABRIR ENQUANTO TIVER PRODUTO EM SEU INTERIOR. DISPOSITIVO DE REGULAGEM JANELAS DE INSPEÇÕES COLETOR AMOSTRA

11 VISTA EM CORTE

12 OPÇÕES DE SECAGEM O SECADOR PODE OPERAR EM REGIME CONTÍNUO, INTERMITENTE, COLUNA INTEIRA OU EM LOTES: - CONTÍNUO: QUANDO OS GRÃOS SÃO SECOS EM UMA ÚNICA PASSAGEM PELA COLUNA DE SECAGEM. ONDE 2/3 SÃO DE AR QUENTE E 1/3 COM AR AMBIENTE. - INTERMITENTE: QUANDO TODA A MASSA DE GRÃOS FICA CIRCULANDO DIVERSAS VEZES ATÉ QUE SE ATINJA A UMIDADE FINAL PARA ARMAZENAGEM. -ESSE PROCESSO É MAIS USADO PARA SECAR ARROZ E SEMENTES. - COLUNA INTEIRA: AR AQUECIDO EM TODA TORRE, NÃO HÁ RESFRIAMENTO. APÓS A SECAGEM, RECOMENDA-SE UMA AERAÇÃO POR INSUFLAÇÃO DURANTE 12 HORAS NO SILO. - EM LOTES: MEDIANTE A INCLUSÃO DE REGISTROS ESPECIAIS, PARA OPERAR COM QUANTIDADE MENORES DO QUE A CAPACIDADE NOMINAL.(OPCIONAL)

13 CAPACIDADES NOMINAIS A CAPACIDADE NOMINAL FOI DEFINIDA ATRAVÉS DE ESTUDOS TEÓRICOS E PRÁTICOS COM RELAÇÃO A SOJA, CUJO PESO ESPECIFICO É DE 750kg/m³, COM UMIDADE DE ENTRADA 18% E SAÍDA DE 13% E TEMPERATURA DO AR DE SECAGEM NA ENTRADA DE 110 C. OUTRAS INFLUÊNCIAS PARA ESSES DADOS SÃO A UMIDADE RELATIVA DO AR DE 60% E UMA TEMPERATURA DO AR DE 20 C E QUANTIDADE DE IMPUREZA NA FAIXA DE 1%. NA PRÁTICA, A SECAGEM DE GRÃOS É UM TEMA COMPLEXO, NÃO HÁ VERDADES ABSOLUTAS E NA GRANDE MAIORIA DAS VEZES, A INSTALAÇÃO QUE SE DISPÕE É A POSSÍVEL E NÃO A IDEAL.

14 TABELA DE UMIDADE DE ENTRADA E SAIDA

15 CARACTERISTICAS TÉCNICAS - ALTA DURABILIDADE; - FÁCIL MANUTENÇÃO; - PORTAS DE INSPEÇÃO; - DESCARGA PNEMÁTICA; - FUNIL DE DESCARGA COM REGISTRO AUXILIAR; - CAPTAÇÃO DE PÓ (OPCIONAL); - ESCADAS PARA LIMPEZA; - PASSARELAS INTERNAS E EXTERNAS (OPCIONAL); - LINHA DE VIDA NA TORRE DE DUTO, PARA MONTAGEM E LIMPEZA; - TRANSPORTADOR DE DESCARGA DO SECADOR (OPCIONAL); - QUADRO DE COMANDO PARA CONTROLE DE DESCARGA, COM MEMÓRIA SERIAL EXTERNA E SOFTWARE PARA ANÁLISE DO SECADOR; - MÓDULO INDICADOR DE TEMPERATURA (03 PONTOS); - ALARME SONORO DE INCÊNDIO; - DESLIGAMENTO AUTOMÁTICO DOS VENTILADORES QUANDO A TEMPERATURA PRÉ DETERMINADA ATINGIR O LIMITE;

16 Site : F:

Secagem e Armazenagem de Grãos e Sementes Aula 06

Secagem e Armazenagem de Grãos e Sementes Aula 06 Secagem e Armazenagem de Grãos e Sementes Aula 06 Sistemas de Secagem e secadores: Sistemas de secagem; Operação e monitoramento da secagem; Classificação dos secadores; Sistemas de secagem Inexiste uma

Leia mais

22/1/2012. Disciplina: T. e P. de Grãos e Cereais Série: 2ª Turmas: L/N/M/O Curso: Técnico em Agroindústria. Professora: Roberta M. D.

22/1/2012. Disciplina: T. e P. de Grãos e Cereais Série: 2ª Turmas: L/N/M/O Curso: Técnico em Agroindústria. Professora: Roberta M. D. Disciplina: T. e P. de Grãos e Cereais Série: 2ª Turmas: L/N/M/O Curso: Técnico em Agroindústria Secagem, Armazenamento e Beneficiamento de Grãos Professora Roberta Magalhães Dias Cardozo Professora: Roberta

Leia mais

Avaliação de Perdas em Unidades Armazenadoras

Avaliação de Perdas em Unidades Armazenadoras Grãos 2009 - Simpósio e - 8º Expo Pós-Colheita de Grãos Avaliação de Perdas em Unidades Armazenadoras Luís César da Silva Dr. Engenharia Agrícola Universidade Federal do Espírito Santo - UFES 1 Novembro/

Leia mais

SECADOR PORTÁTIL PARA GRÃOS INTERNACIONAL DESEMPENHO SUPERIOR. RESULTADO INSUPERÁVEL.

SECADOR PORTÁTIL PARA GRÃOS INTERNACIONAL DESEMPENHO SUPERIOR. RESULTADO INSUPERÁVEL. SECADOR PORTÁTIL PARA GRÃOS INTERNACIONAL DESEMPENHO SUPERIOR. RESULTADO INSUPERÁVEL. SECADOR DE GRÃOS Com mais de 40 anos de experiência na fabricação de equipamentos agrícolas, a GSI conta com todos

Leia mais

ASPECTOS A CONSIDERAR DENTRO DE UMA UBS DE SEMENTES DE FORRAGEIRAS ENG. AGR. DR. EVALDO CERVIERI FILHO VETORSEEDS CONSULTORIA LTDA

ASPECTOS A CONSIDERAR DENTRO DE UMA UBS DE SEMENTES DE FORRAGEIRAS ENG. AGR. DR. EVALDO CERVIERI FILHO VETORSEEDS CONSULTORIA LTDA ASPECTOS A CONSIDERAR DENTRO DE UMA UBS DE SEMENTES DE FORRAGEIRAS ENG. AGR. DR. EVALDO CERVIERI FILHO VETORSEEDS CONSULTORIA LTDA SEMENTES DAS PRINCIPAIS CULTURAS NO BRASIL MILHO 11% ALGODÃO ARROZ 0,5%

Leia mais

PROCESS DRYER SECADORES. Descubra a superioridade e a rentabilidade do melhor secador. G016-M

PROCESS DRYER SECADORES. Descubra a superioridade e a rentabilidade do melhor secador. G016-M PROCESS DRYER Descubra a superioridade e a rentabilidade do melhor secador. SECADORES G016-M O secador que seca mais e melhor Grãos secos com mais qualidade agregam maior valor à sua produção. Este é o

Leia mais

Edição Controladores para Aquecimento

Edição Controladores para Aquecimento Edição 2016 Controladores para Aquecimento Controlador Lógico para Aquecimento Conjugado O Controlador Lógico para Aquecimento Conjugado (CLAC) foi desenvolvido para o controle de sistemas de aquecimento

Leia mais

PROJETO DE PLANTA DE PELETIZAÇÃO DE BIOMASSA

PROJETO DE PLANTA DE PELETIZAÇÃO DE BIOMASSA PROJETO DE PLANTA DE PELETIZAÇÃO DE BIOMASSA MISSÃO FORNECER SOLUÇÕES MECATRÔNICAS DE BAIXO IMPACTO AMBIENTAL E VALOR SUPERIOR PERCEBIDO PARA MOVIMENTAÇÃO SEGURA DE PRODUTOS E PROCESSAMENTO DE MATERIAIS,

Leia mais

A EMPRESA A JOSCIL EQUIPAMENTOS atua nos segmentos do Agronegócio, Armazenagem e Movimentação de Cereais, (Silos, Secadores, Elevadores, Tombadores,

A EMPRESA A JOSCIL EQUIPAMENTOS atua nos segmentos do Agronegócio, Armazenagem e Movimentação de Cereais, (Silos, Secadores, Elevadores, Tombadores, A EMPRESA A JOSCIL EQUIPAMENTOS atua nos segmentos do Agronegócio, Armazenagem e Movimentação de Cereais, (Silos, Secadores, Elevadores, Tombadores, Maquinas de Limpeza, Coletores, Redlers, etc...,) e

Leia mais

Título: MANUAL TÉCNICO DO CARTÃO PWAC III. Página: Página 1 de 6

Título: MANUAL TÉCNICO DO CARTÃO PWAC III. Página: Página 1 de 6 Página 1 de 6 1) Introdução: O cartão PWAC III é uma interface entre catracas, torniquetes ou baias ópticas e quaisquer sistemas de validadores, ou similares, convenientemente configurados para transmitir

Leia mais

PNEUMÁTICA PNEUMÁTICA COMPARAÇÃO DESVANTAGENS VANTAGENS: Preparação; Compressibilidade; Potência; Escape de ar; Custo;

PNEUMÁTICA PNEUMÁTICA COMPARAÇÃO DESVANTAGENS VANTAGENS: Preparação; Compressibilidade; Potência; Escape de ar; Custo; PNEUMÁTICA PNEUMÁTICA É um sistema que torna possível a utilização do ar para geração de energia mecânica. SENAI CETEMP Mecânica Boa força Ótimas velocidades Ótima precisão Hidráulica Ótima força Baixas

Leia mais

NPT 027 ARMAZENAMENTO EM SILOS

NPT 027 ARMAZENAMENTO EM SILOS Janeiro 2012 Vigência: 08 Janeiro 2012 NPT 027 Armazenamento em silos CORPO DE BOMBEIROS BM/7 Versão: 02 Norma de Procedimento Técnico 9 páginas SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências normativas

Leia mais

SILOS ARMAZENAGEM ARMAZENADORES G002-M

SILOS ARMAZENAGEM ARMAZENADORES G002-M SILOS ARMAZENAGEM ARMAZENADORES G002-M TEM UM LÍDER MUNDIAL AO SEU LADO. Você pode contar com a tecnologia e a confiabilidade da GSI. Os melhores equipamentos para transporte, secagem e armazenagem de

Leia mais

Catálogo

Catálogo Catálogo 15 by 01.15 HT Caldeira Tradicional para queima de carvão e madeira, com controlo automático e ventilador de insuflação. A HT é uma de aquecimento central moderna, desenhada para queimar carvão

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DE SILO VERTICAL EM SANTA HELENA DE GOIÁS

DIMENSIONAMENTO DE SILO VERTICAL EM SANTA HELENA DE GOIÁS DIMENSIONAMENTO DE SILO VERTICAL EM SANTA HELENA DE GOIÁS Kássia de Paula Barbosa¹; Patrícia de Moura Alves 2 ; Ana Paula Pereira de Paula 3 ¹Discente do curso de Engenharia Agrícola da UEG-UNU Santa Helena,

Leia mais

Eng. Agrônomo pela FCAV-Unesp Daniel Ap. Furlan

Eng. Agrônomo pela FCAV-Unesp Daniel Ap. Furlan Eng. Agrônomo pela FCAV-Unesp Daniel Ap. Furlan Colheita Ultima etapa da cultura no campo; Momento de ver os resultados de todo investimento realizado; Uma das fases mais críticas da produção; Perdas 80

Leia mais

Fonte Full Range Vac/Vdc 24 Vdc/ 3A

Fonte Full Range Vac/Vdc 24 Vdc/ 3A Descrição do Produto A fonte de alimentação é uma solução para aplicações de uso geral no que se refere a alimentação de controladores programáveis, sensores e comando de quadro elétricos. Tem duas saídas

Leia mais

VENTILADORES. Aspectos gerais. Detalhes construtivos. Ventiladores

VENTILADORES. Aspectos gerais. Detalhes construtivos. Ventiladores VENTILADORES Aspectos gerais As unidades de ventilação modelo BBS, com ventiladores centrífugos de pás curvadas para frente, e BBL, com ventiladores centrífugos de pás curvadas para trás, são fruto de

Leia mais

Sistemas Customizados. Euro Vertical. Perfis de alumínio Pintura a pó Economia de energia Sistema totalmente automático

Sistemas Customizados. Euro Vertical. Perfis de alumínio Pintura a pó Economia de energia Sistema totalmente automático Sistemas Customizados Euro Vertical Perfis de alumínio Pintura a pó Economia de energia Sistema totalmente automático Euro Vertical Ciclo tecnológico Pré tratamento inicial por cascata Em um túnel perfis

Leia mais

BENEFICIAMENTO E CLASSIFICAÇÃO

BENEFICIAMENTO E CLASSIFICAÇÃO Beneficiamento e Classificação BENEFICIAMENTO E CLASSIFICAÇÃO O beneficiamento do café é uma operação pós-colheita usada para transformar, pela eliminação da casca e separação dos grãos, o fruto seco (natural

Leia mais

Ventiladores industriais. espirovent VENTILADORES INDUSTRIAIS DUTOS E VENTILADORES INDUSTRIAIS

Ventiladores industriais. espirovent VENTILADORES INDUSTRIAIS DUTOS E VENTILADORES INDUSTRIAIS Ventiladores industriais espirovent uma MARCA do grupo DUTOS E Descricao e Nomenclatura Ventiladores industiais INDUSTRIAL espirovent Perspectiva Geral Os ventiladores das series ELSI/ELDI, respectivamente

Leia mais

Sistema de alimentação para lâmpadas UV UV - CON

Sistema de alimentação para lâmpadas UV UV - CON Sistema de alimentação para lâmpadas UV UV - CON Manual de instalação Versão: 7 Página 1 Índice 1 Apresentação 2 Instruções de Instalação 2.1 Ligações 2.2 Ajustes 2.3 Resfriamento 2.4 Reator 3 Informações

Leia mais

-www.megacal.com.br. Fone : (11) 4419-4419 -4419-3348-4419-1161 Megacal Equipamentos Térmicos Ltda

-www.megacal.com.br. Fone : (11) 4419-4419 -4419-3348-4419-1161 Megacal Equipamentos Térmicos Ltda A Megacal é uma empresa voltada para a fabricação de produtos para controle térmico industrial, onde se destacam as Unidades de controle de temperatura, para água gelada em circuito fechado e aberto, e

Leia mais

TM-182 REFRIGERAÇÃO E CLIMATIZAÇÃO

TM-182 REFRIGERAÇÃO E CLIMATIZAÇÃO Universidade Federal do Paraná Setor de Tecnologia Departamento de Engenharia Mecânica TM-182 REFRIGERAÇÃO E CLIMATIZAÇÃO Prof. Dr. Rudmar Serafim Matos A distribuição de ar aos diversos ambientes a serem

Leia mais

Qualidade e robustez aparente. Desde 1956 Movimentando Qualidade.

Qualidade e robustez aparente. Desde 1956 Movimentando Qualidade. Qualidade e robustez aparente. Desde 1956 Movimentando Qualidade. Fundada em 1956, a ZELOSO acompanhou o aumento da industrialização do país, com equipamentos hidráulicos para movimentação e força, desenvolvendo

Leia mais

PLANTAS PARA PRÉ-MISTURADOS - COLAS - COLANTES EM PÓ

PLANTAS PARA PRÉ-MISTURADOS - COLAS - COLANTES EM PÓ PLANTAS PARA PRÉ-MISTURADOS - COLAS - COLANTES EM PÓ A Manfredini & Schianchi projeta e fornece plantas completas chaves na mão de moagem, estocagem, dosagem, mistura e acondicionamento para a produção

Leia mais

Secagem, Armazenamento e Beneficiamento

Secagem, Armazenamento e Beneficiamento Secagem, Armazenamento e Beneficiamento Eduardo da Costa Eifert A qualidade dos grãos de arroz é influenciada pelo método de secagem, pelo beneficiamento, pelas condições de armazenamento, como também

Leia mais

SECADOR INDIVIDUAL SI

SECADOR INDIVIDUAL SI MANUAL DE SECADOR INDIVIDUAL SI SECADOR ALIMENTADOR - SA SA / SI - 1000 Litros 1 DESCRIÇÃO 2 INSTALAÇÃO 3 OPERAÇÃO 4 - MANUTENÇÃO 1- DESCRIÇÃO O processo consiste na secagem contínua de matéria-prima através

Leia mais

Fonte Bivolt 24 Vdc / 5 A

Fonte Bivolt 24 Vdc / 5 A Descrição do Produto A fonte de alimentação é uma solução para aplicações de uso geral no que se refere a alimentação de controladores programáveis, sensores e comando de quadro elétricos. Tem uma saída

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Sementes

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Sementes UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Sementes Dissertação Monitoramento da Secagem de Milho em Secador Intermitente

Leia mais

Elementos de. sinais. Elementos de. Trabalho. Elementos de. Comando. Elementos de. Controle

Elementos de. sinais. Elementos de. Trabalho. Elementos de. Comando. Elementos de. Controle Cadeia de comando Sensores, botoeiras, fim de curso de came ou rolete, barreiras pneumáticas ou fotoelétricas, pedais Motores, cilindros, atuadores Elementos de sinais Elementos de Trabalho Válvulas, contatores

Leia mais

SECADOR INDIVIDUAL SI

SECADOR INDIVIDUAL SI MANUAL DE SECADOR INDIVIDUAL SI / 1500-2000 Litros 1 DESCRIÇÃO 2 INSTALAÇÃO 3 OPERAÇÃO 4 - MANUTENÇÃO 1- DESCRIÇÃO O processo consiste na secagem contínua de matéria-prima através de fluxo de ar ambiente

Leia mais

CAIXAS.pdf 1 02/09/11 14:58 C M Y CM MY CY CMY K Caixas

CAIXAS.pdf 1 02/09/11 14:58 C M Y CM MY CY CMY K Caixas A TROPICAL, com o intuito de melhor atender às necessidades do mercado, oferece a opção de Caixa de Volume Variável de formato circular. Os controladores de fluxo modelo VAV de construção robusta, podem

Leia mais

Relé de Proteção Térmica EP4 - SLIM ANSI 23/ 26/49. Catalogo. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/6

Relé de Proteção Térmica EP4 - SLIM ANSI 23/ 26/49. Catalogo. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/6 Catalogo ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/6 Relé de Proteção Térmica EP4 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 PRINCIPAIS CARACTERISTICAS... 3 DADOS TÉCNICOS... 4 ENSAIOS DE TIPO ATENDIDOS... 4 DIMENSÕES...

Leia mais

1. conhecimento. O processo de secagem é necessário como pré-tratamento de outros processos. Bloco desidratado (teor de água: 80%)

1. conhecimento. O processo de secagem é necessário como pré-tratamento de outros processos. Bloco desidratado (teor de água: 80%) 1. conhecimento O processo de secagem é necessário como pré-tratamento de outros processos Lodos concentrados (teor de água> 95%) Desidratação física Bloco desidratado (teor de água: 80%) Processo de secagem

Leia mais

SECAGEM E PSICROMETRIA OPERAÇÕES UNITÁRIAS 2. Profa. Roberta S. Leone

SECAGEM E PSICROMETRIA OPERAÇÕES UNITÁRIAS 2. Profa. Roberta S. Leone SECAGEM E PSICROMETRIA OPERAÇÕES UNITÁRIAS 2 Profa. Roberta S. Leone SECAGEM Definição: Secagem é a remoção de pequenas quantidades de líquido, geralmente água, de um sólido. O objetivo é reduzir o teor

Leia mais

Alexandre P. Rosa EQUIPAMENTOS

Alexandre P. Rosa EQUIPAMENTOS EQUIPAMENTOS COMEDOUROS 4 Manuais 44Tubular Alexandre P. Rosa 44Automático 444Pratos Alexandre P. Rosa 444Para macho Alexandre P. Rosa 444Calha 4444Para macho Alexandre P. Rosa 4Pendular BEBEDOUROS Alexandre

Leia mais

ZAMPRONIO CLASSIFICADORES DE SEMENTES

ZAMPRONIO CLASSIFICADORES DE SEMENTES ZAMPRONIO CLASSIFICADORES DE SEMENTES Funcionalidades: Separa os produtos pelas suas respectivas densidades (relagao peso x volume) através de urna carnada de ar proporcionada por ventiladores na parte

Leia mais

NORMA REGULAMENTADORA N.º

NORMA REGULAMENTADORA N.º SUMÁRIO SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE NORMA REGULAMENTADORA N.º 10 2. Formação profissional 2.1 Qualificação 2.2 Habilitação 2.3 Capacitação 2.4 Autorização 3. Medidas de controle

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 29/2011

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 29/2011 Instrução Técnica nº 29/2011 - Comercialização, distribuição e utilização de gás natural 689 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros

Leia mais

Utiliza fonte de alimentação full-range de 90 a 240VAC, bateria de no-break interna com autonomia de até 10 horas para o microterminal NetLine.

Utiliza fonte de alimentação full-range de 90 a 240VAC, bateria de no-break interna com autonomia de até 10 horas para o microterminal NetLine. 1 As cancelas da linha Fast, formam uma linha completa de cancelas automáticas projetadas especialmente para cada situação, possibilitando alto desempenho de acesso em todos os setores: estacionamentos,

Leia mais

www.ktk.pt Geral@ktk.pt Localizada na região do Vale do Cávado, a KTK dedicase à produção e inovação de máquinas e equipamentos industriais. Com sede própria, a KTK - Máquinas e Equipamentos Industriais,

Leia mais

Figura 7 Desenho esquemático de um trocador de calor de placas

Figura 7 Desenho esquemático de um trocador de calor de placas 72 Entende-se por operações unitárias na indústria de alimentos, os procedimentos que imprime algum tipo de transformação da matéria prima em processamento. Estes procedimentos podem implicar no emprego

Leia mais

Especificação Técnica do Alimentador de Fluxantes para Máquinas de Lingotamento Contínuo de Placas

Especificação Técnica do Alimentador de Fluxantes para Máquinas de Lingotamento Contínuo de Placas Especificação Técnica do Alimentador de Fluxantes para Máquinas de Lingotamento Contínuo de Placas 1.0. Especificação Técnica: 1.1. Descrição Funcional O alimentador de fluxantes, que é montado em um carro

Leia mais

A importância da ABNT NBR e a QUALIDADE DO AR INTERIOR

A importância da ABNT NBR e a QUALIDADE DO AR INTERIOR A importância da ABNT NBR 16401-1 e a QUALIDADE DO AR INTERIOR Validade: a partir de 04 / set / 2.008 NBR 16401-1 Projetos e Instalações NBR 16401-2 Parâmetros de Conforto Térmico NBR 16401-3 Qualidade

Leia mais

TERMOREGULADOR. Esta linha de equipamentos necessitam de uma fonte fria para modular a temperatura. 2

TERMOREGULADOR. Esta linha de equipamentos necessitam de uma fonte fria para modular a temperatura. 2 TERMOREGULADOR Sua variação de controle poder chegar até 0,5ºC, esta precisão se da pelo controle de PID gerido pelo controlador GEFRAN instalado estrategicamente em seu painel frontal e fácil acesso ao

Leia mais

O Sistema de Gestão encontra-se certificado pela Norma NP EN ISO 9001:2008 (Certificado ISO 9001:2008 VENTIL)

O Sistema de Gestão encontra-se certificado pela Norma NP EN ISO 9001:2008 (Certificado ISO 9001:2008 VENTIL) FUNDADA EM 1971, CONTA COM UMA ELEVADA EXPERIÊNCIA DOS SEUS RECURSOS HUMANOS, DESENVOLVENDO SOLUÇÕES TÉCNICAS PRINCIPALMENTE PARA OS SECTORES DE: - MADEIRA E MOBILIÁRIO - CORTIÇA - CERÂMICA - METALOMECÂNICA

Leia mais

BALANÇA DE FLUXO PARA CARREGAMENTO DE VEÍCULOS MODELO CVJ-750 BICA ALIMENTADORA MODELO: BA-500 MANUAL DE INSTALAÇÃO E INFRA-ESTRUTURA

BALANÇA DE FLUXO PARA CARREGAMENTO DE VEÍCULOS MODELO CVJ-750 BICA ALIMENTADORA MODELO: BA-500 MANUAL DE INSTALAÇÃO E INFRA-ESTRUTURA BALANÇA DE FLUXO PARA CARREGAMENTO DE VEÍCULOS MODELO CVJ-750 & BICA ALIMENTADORA MODELO: BA-500 MANUAL DE INSTALAÇÃO E INFRA-ESTRUTURA BALANÇAS JUNDIAÍ INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA Rua José Rabelo Portela,

Leia mais

Lista de problemas número 1. Exercícios de Refrigeração e Psicrometria A) REFRIGERAÇÃO

Lista de problemas número 1. Exercícios de Refrigeração e Psicrometria A) REFRIGERAÇÃO Lista de problemas número 1 Exercícios de Refrigeração e Psicrometria A) REFRIGERAÇÃO 1) Determinar as propriedades do R-134 nas seguintes condições: a) t = - 40 o C x = 1 b) p = 1 MPa t = 80 0 C c) p

Leia mais

LINHA DE RESINAGEM AUTOMÁTICA COMPLETA

LINHA DE RESINAGEM AUTOMÁTICA COMPLETA LINHA DE RESINAGEM AUTOMÁTICA COMPLETA OPCIONAIS: MESA DE VÁCUO ROBÔ CARREGADOR AUTOMÁTICO MESA PAGINADORA 2013 LINHA DE RESINAGEM AUTOMÁTICA COMPLETA A LINHA DE RESINAGEM AUTOMÁTICA COMPLETA foi concebida

Leia mais

1 - hot acoplado.pdf 1 14/09/11 04:05 C M Y CM MY CY CMY K Acoplados Sistemas

1 - hot acoplado.pdf 1 14/09/11 04:05 C M Y CM MY CY CMY K Acoplados Sistemas Sistemas Acoplados Sistema de Aquecimento HOT ACOPLADO O HOT ACOPLADO é um equipamento destinado a produção de água quente para uso sanitário até 50.C garantindo conforto e aquecimento durante o ano todo

Leia mais

Intervalo Café 10:00-10:30 3 CONTINUAÇÃO ITEM ANTERIOR Idem anterior :30-12:30 Intervalo para Almoço 12:30-14:00

Intervalo Café 10:00-10:30 3 CONTINUAÇÃO ITEM ANTERIOR Idem anterior :30-12:30 Intervalo para Almoço 12:30-14:00 CURSO INTENSIVO E PRÁTICO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE FABRICAS DE RAÇÕES: Estabelecimento das Premissas técnicas, de qualidade e de produtividade; calculos (diagramação técnica); fluxogramas; layouts

Leia mais

Manual de Instruções Quarteadores Multicanais

Manual de Instruções Quarteadores Multicanais Manual de Instruções Quarteadores Multicanais Versão: 1.00.000 Data: 15/10/2015 Índice Introdução...................................................... Aplicação.....................................................

Leia mais

Apresentação Técnica. Secadores por refrigeração a ar COOL. People. Footer Passion. Performance.

Apresentação Técnica. Secadores por refrigeração a ar COOL. People. Footer Passion. Performance. Apresentação Técnica Secadores por refrigeração a ar COOL People. Passion. Performance. 1. Agenda Visal geral da linha de produtos Aplicações Principais benefícios Características Técnicas Fluxograma Cuidamos

Leia mais

reciclagem a frio KMA 220

reciclagem a frio KMA 220 Technische Especificação Daten Técnica Kaltfräse Usina misturadora W 200 móvel de reciclagem a frio KMA 220 Especificação Técnica Usina misturadora móvel de reciclagem a frio KMA 220 Capacidade da usina

Leia mais

VENEZIANAS VENEZIANAS CONSIDERAÇÕES TÉCNICAS

VENEZIANAS VENEZIANAS CONSIDERAÇÕES TÉCNICAS VENEZIANAS As Venezianas TroCalor são dispositivos de distribuição de ar destinadas a tomada ou retorno de ar proveniente de áreas externas ou de outros ambientes, podendo ser instaladas em portas, divisórias

Leia mais

Guia Prático de Instalação Completo Forro NexaLux. Revisão: 2

Guia Prático de Instalação Completo Forro NexaLux. Revisão: 2 Guia Prático de Instalação Completo Forro NexaLux Revisão: 2 Guia Prático de Instalação Nexacustic Cuidados Iniciais Cuidados iniciais: Os produtos Nexacustic foram desenvolvidos para aplicação em ambientes

Leia mais

Soluções em armazenagem.

Soluções em armazenagem. Soluções em armazenagem. Há mais de 50 anos, a Theodosio Randon é referência em agilidade e fidelização de clientes, investindo em tecnologias que garantem alto padrão de qualidade nas mais diversas soluções

Leia mais

0,5 kg/m² 11,2 12,0 12,8 14,0 15,2 16,4 0,6 kg/m² 12,9 13,7 14,5 15,7 16,9 17,7. tolerâncias dimensionais ( de acordo com EN 14509) desvios (mm)

0,5 kg/m² 11,2 12,0 12,8 14,0 15,2 16,4 0,6 kg/m² 12,9 13,7 14,5 15,7 16,9 17,7. tolerâncias dimensionais ( de acordo com EN 14509) desvios (mm) * esp. peso. espessura nominal 80 100 120 150 180 200 0,5 kg/m² 11,2 12,0 12,8 14,0 15,2 16,4 0,6 kg/m² 12,9 13,7 14,5 15,7 16,9 17,7 tolerâncias dimensionais ( de acordo com EN 14509) desvios (mm) comprimento

Leia mais

Sistemas de Ar Condicionado Residenciais

Sistemas de Ar Condicionado Residenciais Eng. Dr. Fulvio Vittorino - IPT 1 Sistemas de Ar Condicionado Residenciais Eng. Dr. Fúlvio Vittorino IPT - Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo Objetivo Processos e equipamentos mecânicos

Leia mais

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR Carpintaria Versão_CPN. TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO JUSTIFICATIVA (discussões)

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR Carpintaria Versão_CPN. TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO JUSTIFICATIVA (discussões) PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR 18 18.7. Carpintaria Versão_CPN TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO JUSTIFICATIVA (discussões) 18.7.1. As operações em máquinas e equipamentos necessários à realização da atividade de

Leia mais

Extrusora Mono Rosca (tipo Cascata) para filmes, fios e tecidos plásticos com troca de telas hidráulico.

Extrusora Mono Rosca (tipo Cascata) para filmes, fios e tecidos plásticos com troca de telas hidráulico. Extrusora Mono Rosca (tipo Cascata) para filmes, fios e tecidos plásticos com troca de telas hidráulico. LDA - SJP Moagem; Alimentação para funil através de venturi; Funil com alimentação forçada; Cilindro

Leia mais

Construção. Pintura Intumescente a base de agua, para uso interno em estruturas de aço. Descrição do Produto. Dados do Produto. Forma.

Construção. Pintura Intumescente a base de agua, para uso interno em estruturas de aço. Descrição do Produto. Dados do Produto. Forma. Ficha do Produto Edição 25/03/2014 Identificação 02 06 04 00 003 0 000029 Sika Unitherm Steel W30 Pintura Intumescente a base de agua, para uso interno em estruturas de aço Descrição do Produto Sika Unitherm

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL DE INSTRUÇÕES TRANSFORMADOR A SECO ÍNDICE DESCRIÇÃO PÁGINA 1 Instruções para a instalação.................................... 02 2 Instruções para a manutenção..................................

Leia mais

Moinho Triturador ± Linha LDF. Silo Secador de Plásticos. Alimentador Automático a Vácuo. Succionador a Vácuo. Misturador para Plásticos Coloridos

Moinho Triturador ± Linha LDF. Silo Secador de Plásticos. Alimentador Automático a Vácuo. Succionador a Vácuo. Misturador para Plásticos Coloridos Índice 3. Moinho Triturador ± Linha LDF 4. Moinhos Granuladores 7. 5.. Silo Secador de Plásticos Alimentador Automático a Vácuo Succionador a Vácuo 8. Misturador para Plásticos Coloridos 9. Silo Secador

Leia mais

A WIRTGEN GROUP COMPANY LINHA DE TANQUES. ciberoficial

A WIRTGEN GROUP COMPANY LINHA DE TANQUES.  ciberoficial A WIRTGEN GROUP COMPANY LINHA DE TANQUES www.ciber.com.br ciberoficial 02 03 A Ciber conta com uma diferenciada linha de tanques de armazenamento de CAP e combustível. Também conta com tanques de armazenamento

Leia mais

LIOFILIZAÇÃO FREEZPHERE

LIOFILIZAÇÃO FREEZPHERE LIOFILIZAÇÃO Extratos e Concentrados Naturais FREEZPHERE Método Tradicional Alto custo de energia, devido á aproximadamente de 40% do produto se reprocessado como excelência. Altos custos de manutenção,

Leia mais

SENSOR STK 461 SENSOR STK SAMTEK

SENSOR STK 461 SENSOR STK SAMTEK SENSOR STK 461 www.samtek.com.br Agradecemos a sua preferência por nossos produtos. Nossos produtos possuem vários certificados nacionais e internacionais sendo projetados de modo a oferecer a máxima segurança

Leia mais

Manual de Instruções do Atuador Elétrico Linha SD

Manual de Instruções do Atuador Elétrico Linha SD Manual de Instruções do Atuador Elétrico Linha SD TMS-300-SD 1 ÍNDICE 1. LISTA DE COMPONENTES 2. MONTAGEM 3. CONEXÕES ELÉTRICAS 4. AJUSTE DE ATUADORES ¼ VOLTA E REDUTORES COM FIM DE CURSO MECÂNICO 5. AJUSTE

Leia mais

Mecânica dos Fluidos. Aula 5 Manômetros e Manometria. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Mecânica dos Fluidos. Aula 5 Manômetros e Manometria. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Aula 5 Manômetros e Manometria Tópicos Abordados Nesta Aula Manômetros. Manometria. Definição de Manômetro O manômetro é o instrumento utilizado na mecânica dos fluidos para se efetuar a medição da pressão,

Leia mais

Disciplina: Projeto de Ferramentais I

Disciplina: Projeto de Ferramentais I Aula 04: Processos de Fundição em Moldes Metálicos por Gravidade (Coquilhas) 01: Introdução - Características do processo - Etapas envolvidas. - Fatores econômicos e tecnológicos - Ligas empregadas 02:

Leia mais

Cabine de JATEAMENTO

Cabine de JATEAMENTO Cabine de JATEAMENTO CMV CONSTRUÇÕES MECÂNICAS LTDA. Matriz: Av. das Indústrias, 940 - Distrito Industrial. CEP: 94930-230 - Cachoeirinha - RS - Brasil. Nossas cabines de jateamento operam com qualquer

Leia mais

MÁQUINAS E ACESSÓRIOS. desde 1960

MÁQUINAS E ACESSÓRIOS. desde 1960 MÁQUINAS E ACESSÓRIOS desde 1960 MÁQUINAS E ACESSÓRIOS APRESENTAÇÃO Com raízes em Itapira, interior do estado de São Paulo, a 160 km da capital. Pioneira na industria de misturadores verticais, de capital

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO PARA MESA DE PASSADORIA THEOBOARD 03 CONFORME NORMAS DA NR-12

MANUAL DE INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO PARA MESA DE PASSADORIA THEOBOARD 03 CONFORME NORMAS DA NR-12 MANUAL DE INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO PARA MESA DE PASSADORIA THEOBOARD 03 CONFORME NORMAS DA NR-12 SINAIS DE ATENÇÃO! Atenção! Alta Voltagem 230/240V Atenção! Superfície quente! Vapor quente ou líquido. Atenção!

Leia mais

Estudo de Viabilidade Produção de Briquetes

Estudo de Viabilidade Produção de Briquetes FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E ECONOMIA Estudo de Viabilidade Produção de Briquetes Autores: Antonio Sergio Pontarolli Berenice Los Cirlene Waceliko Daniel Sviercowski Ediclea

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 37. Subestação elétrica

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 37. Subestação elétrica ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 37 Subestação elétrica SUMÁRIO ANEXO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências normativas

Leia mais

Recuperação do abrasivo: O abrasivo durante o jateamento, deposita-se no

Recuperação do abrasivo: O abrasivo durante o jateamento, deposita-se no GABINETE DE JATEAMENTO Princípios de funcionamento: A máquina de jato é pressurizada através da vávula pedal (comando), forçando o abrasivo a misturar-se com o ar comprimido, expelindo-o pelo bico de jato

Leia mais

CAIXAS.pdf 1 02/09/11 14:58 C M Y CM MY CY CMY K Caixas

CAIXAS.pdf 1 02/09/11 14:58 C M Y CM MY CY CMY K Caixas A TROPICAL, com o intuito de melhor atender às necessidades do mercado, oferece a opção de Caixa de Volume Variável de formato circular. Os controladores de fluxo modelo VAV de construção robusta, podem

Leia mais

CONVENCIONAL >ANTI-INCÊNDIO SISTEMA C400 ANTI-INCÊNDIO

CONVENCIONAL >ANTI-INCÊNDIO SISTEMA C400 ANTI-INCÊNDIO ANTI-INCÊNDIO >ANTI-INCÊNDIO CONVENCIONAL SISTEMA C400 ANTI-INCÊNDIO EFICAZ E MODULAR O anti-incêndio Elkron protege a sua empresa e cresce com você A gama de produtos antiincêndio con vencional da Elkron

Leia mais

DESOBSTRUIDOR DE SILOS, TREMONHAS, CICLONES, DUTOS, CAÇAMBAS DE CAMINHÕES...

DESOBSTRUIDOR DE SILOS, TREMONHAS, CICLONES, DUTOS, CAÇAMBAS DE CAMINHÕES... INDÚSTRIA E COMERCIO LTDA. 25 ANOS DESOBSTRUIDOR DE SILOS, TREMONHAS, CICLONES, DUTOS, CAÇAMBAS DE CAMINHÕES... VANTAGENS EM RELAÇÃO AOS MÉTODOS TRADICIONAIS Produção contínua Redução de custos operacionais

Leia mais

CANTEIRO DE OBRA 1. ESPECIFICAÇOES TECNICAS DOS SERVIÇOS

CANTEIRO DE OBRA 1. ESPECIFICAÇOES TECNICAS DOS SERVIÇOS CANTEIRO DE OBRA 1. ESPECIFICAÇOES TECNICAS DOS SERVIÇOS 1.1- FUNDAÇÕES Blocos em concreto simples 0.45mx0,40mx0,24m 1.4- COBERTURA Em telhas recicladas de tetra pack e alumínio. Uma cobertura ecologicamente

Leia mais

Qualidade em Instalações de Aquecimento Solar. Boas práticas.

Qualidade em Instalações de Aquecimento Solar. Boas práticas. Qualidade em Instalações de Aquecimento Solar Boas práticas O sistema de aquecimento solar e seus componentes O que é sistema de aquecimento solar (SAS) A ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas)

Leia mais

Tipo 1: espaços internos livres e área de estar na varanda. Tipo 2: mesa de jantar para 8, escritório e área de estar na varanda.

Tipo 1: espaços internos livres e área de estar na varanda. Tipo 2: mesa de jantar para 8, escritório e área de estar na varanda. IKAROS A idéia proposta pelo grupo alemão é de que este seja um espaço de vivência flexível, tornando possível que o usuário o configure conforme sua necessidade. O espaço foi pensado para ser amplo e

Leia mais

HFC-227ea. Benefícios. Agente Extintor. HFC-227ea Nome Químico: Heptafluoropropane Conhecido comercialmente como: FM-200 / FE-227

HFC-227ea. Benefícios. Agente Extintor. HFC-227ea Nome Químico: Heptafluoropropane Conhecido comercialmente como: FM-200 / FE-227 O MELHOR AGENTE DE SUPRESSÃO DE CHAMAS INCÊNDIO ATINGE CENTRAL DE OPERADORA TELEFÔNICA E COMPROMETE O SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO E TELEFONIA MÓVEL. Notícia Portal Uol Agente Extintor HFC-227ea Benefícios Um

Leia mais

A QUALIDADE DO ALGODÃO NÃO ACONTECE POR ACASO

A QUALIDADE DO ALGODÃO NÃO ACONTECE POR ACASO Uberlândia - 13 a 16 de agosto de 2007 A QUALIDADE NÃO ACONTECE POR ACASO Luiz Carlos Rodrigues Presidente da Busa CONGRESSO A BUSA HOJE Mais de 50 anos de história; Visão de futuro, dedicação e pioneirismo;

Leia mais

Manual técnico Caixas de bornes KL

Manual técnico Caixas de bornes KL Manual técnico Caixas de bornes KL 1 4 6 5 3 7 2 A caixa pequena com aprovações recebidas mundialmente, disponível para pronta entrega em diversos tamanhos padrão. O sistema de acessórios práticos torna

Leia mais

NORMAS BRASILEIRAS PARA AR CONDICIONADO E REFRIGERAÇÃO

NORMAS BRASILEIRAS PARA AR CONDICIONADO E REFRIGERAÇÃO NORMAS BRASILEIRAS PARA AR CONDICIONADO E REFRIGERAÇÃO ESTAS NORMAS SÃO PRODUZIDAS E REVISADAS POR (ABNT) ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, ATRAVÉS DO COMITÊ BRASILEIRO Nº55 (CB 55) COM SEDE NA

Leia mais

TEQ Sistemas de Instrumentação e Controle de Processos Lista de Exercícios nº 3 RESPOSTAS

TEQ Sistemas de Instrumentação e Controle de Processos Lista de Exercícios nº 3 RESPOSTAS Questões TEQ00141- Sistemas de Instrumentação e Controle de Processos Lista de Exercícios nº 3 RESPOSTAS 1- Especifique a ação segura de falha (se é falha-abre ou falha-fecha) apropriada para as válvulas

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES, FUNCIONAMENTO E CERTIFICADO DE GARANTIA

MANUAL DE INSTRUÇÕES, FUNCIONAMENTO E CERTIFICADO DE GARANTIA MANUAL DE INSTRUÇÕES, FUNCIONAMENTO E CERTIFICADO DE GARANTIA FORNO A GÁS 500 PROMAQ Progin-1, Progin-2, Progin-3, Progin-4 FORNOS ELÉTRICOS 500 1 AMIGO CLIENTE Você está adquirindo um equipamento de alta

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES, FUNCIONAMENTO E CERTIFICADO DE GARANTIA

MANUAL DE INSTRUÇÕES, FUNCIONAMENTO E CERTIFICADO DE GARANTIA MANUAL DE INSTRUÇÕES, FUNCIONAMENTO E CERTIFICADO DE GARANTIA FORNO A GÁS 300 PROMAQ Progs-1, Progs-2,Progs-3, Progs- 4, Progd-1, Progd-2, Progd-3, Progd-4, Progt-1, Progt-2, Progt-3, Progt-4 FORNOS ELÉTRICOS

Leia mais

IMAGENS DE EQUIPAMENTOS

IMAGENS DE EQUIPAMENTOS www.ortobras.com.br ÍNDICE 1 2 3 4 5 INTRODUÇÃO IMAGENS DE EQUIPAMENTOS DETALHAMENTO DO MODELO SEM CASA DE MÁQUINAS TABELA DE ESPECIFICAÇÕES ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 02 03 04 05 06 www.ortobras.com.br INTRODUÇÃO

Leia mais

MÁQUINAS PARA PROCESSAMENTO DE CEREAIS

MÁQUINAS PARA PROCESSAMENTO DE CEREAIS MÁQUINAS PARA PROCESSAMENTO DE CEREAIS Prof. Walter Fr. Molina Jr ESALQ/USP www.ler.esalq.usp.br/molina.htm OBJETIVO Esclarecer e orientar sobre a necessidade de beneficiamento de grãos após a colheita

Leia mais

CATÁLOGO CAIXA VENTILAÇÃO - SCV. Caixa de ventilação Seimmei Modelo SCV

CATÁLOGO CAIXA VENTILAÇÃO - SCV. Caixa de ventilação Seimmei Modelo SCV Caixa de ventilação Seimmei Modelo SCV 1 ÍNDICE CARACTERÍSTICAS GERAIS... 3 DESENHO E POSIÇÃO DESCARGA... 4 TABELA COTAS E CODIGO PARA PEDIDO... 5 ESPAÇO RECOMENDADO PARA INSTALAÇÃO E PAÍNEIS... 6 LIGAÇÃO

Leia mais

LINHA JATÃO 3 PONTOS. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14)

LINHA JATÃO 3 PONTOS. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14) Rua Dr. Luiz Miranda, 1650-17580-000 - Pompeia - SP - Tel. (14) 3405 2100 - Fax. (14) 3452 1916 - E-mail: vendas@jacto.com.br PROTEJA O MEIO AMBIENTE. AO INUTILIZAR ESTE FOLHETO, NÃO JOGUE EM VIAS PÚBLICAS.

Leia mais

DGA21 SISTEMA FIXO COM SUPERVISÓRIO PARA DETECÇÃO DE GASES NOCIVOS E AMÔNIA IP 65. Manual

DGA21 SISTEMA FIXO COM SUPERVISÓRIO PARA DETECÇÃO DE GASES NOCIVOS E AMÔNIA IP 65. Manual DGA21 SISTEMA FIXO COM SUPERVISÓRIO PARA DETECÇÃO DE GASES NOCIVOS E AMÔNIA IP 65 Manual Apresentação DGA21 Sistema Fixo com Supervisório para Detecção de Gases Nocivos e Amônia foi desenvolvido para atender

Leia mais

Pode ser: Centralizada Semi-centralizada Descentralizada

Pode ser: Centralizada Semi-centralizada Descentralizada Unidade de apoio a todos os serviços assistenciais e de diagnóstico que necessitem de artigos odonto-médico-hospitalares para a prestação da assistência a seus clientes; Pode ser: Centralizada Semi-centralizada

Leia mais

Medidor PowerLogic ION 7650 Especificações técnicas

Medidor PowerLogic ION 7650 Especificações técnicas Medidor PowerLogic ION 7650 Especificações técnicas Montagem de sobrepor em painéis DIN 186 x 186 mm Vista Frontal Vista Lateral Painel frontal Amplo display LCD ¼ VGA (320 x 240 pixeis, 87 x 112 mm) de

Leia mais

Condições de montagem

Condições de montagem Condições de montagem para o SUNNY CENTRAL 350 Conteúdo Este documento descreve as dimensões e as distâncias mínimas a respeitar, os volumes de entrada e de evacuação de ar necessários para um funcionamento

Leia mais

PEA LABORATÓRIO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS I DISPOSITIVOS DE COMANDO (COM_EA) RELATÓRIO

PEA LABORATÓRIO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS I DISPOSITIVOS DE COMANDO (COM_EA) RELATÓRIO PEA 2401 - LABORATÓRIO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS I DISPOSITIVOS DE COMANDO (COM_EA) RELATÓRIO NOTA Grupo:......... Professor:...Data:... Objetivo:......... 1 - ROTEIRO 1.1 - Análise das características

Leia mais

ELEVADORES MECAN PARA MATERIAIS OU PASSAGEIROS

ELEVADORES MECAN PARA MATERIAIS OU PASSAGEIROS ELEVADOR UM SISTEMA MECAN DE ELEVADOR E CABINA FECHADA OU SEMIFECHADA PARA O TRANSPORTE DE PASSAGEIROS OU MATERIAIS EM CANTEIRO DE OBRAS EQUIPADO COM FREIO DE SEGURANÇA AUTOMÁTICO E MANUAL TIPO CUNHA ELEVADORES

Leia mais