5 Montagem Circuítos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "5 Montagem Circuítos"

Transcrição

1 Montagem 5 Circuítos

2 Ambiente de trabalho: Para trabalhar com montagem eletrônica e reparação de equipamentos o técnico precisa de algumas ferramentas, são elas: 1 - Ferro de solda: O ferro de solda consiste em uma resistência elétrica que aquece uma ponta metálica por onde a solda será derretida e prenderá os componentes eletrônicos. Existem vários modelos de ferros de solda usados para diversas tarefas distintas. Ao usar um ferro de solda o profissional deve estar atendo principalmente a potência de calor gerada, um ferro muito quente pode danificar um componente eletrônico enquanto que uma temperatura menor poderá não efetuar uma soldagem corretamente, ocasionando falhas no circuito. Os ferros mais comuns usados em eletrônica ficam na faixa de 25 a 30 watts. 2 - Solda: A solda é uma substância condutora que altera seu estado físico conforme sua temperatura, em temperatura ambiente a solda é sólida, mas quando aquecida transforma-se em liquido pastosa. Sua principal função é fixar os componentes eletrônicos permitindo condutividade elétrica.

3 3 - Sugador de solda: O sugador é um equipamento cuja a função é retirar a solda através de sucção, permitindo a retirada do componente eletrônico da placa de circuito impresso onde o mesmo é fixado (soldado). 3 - Alicate de corte: O alicate de corte possui formato adequado para favorecer o corte das pontas dos componentes antes da soldagem no circuito. 4 - Alicate de bico: O alicate de bico permite dobrar e manusear as pontas dos conponentes eletrônicos, bem como os fios e demais condutores sem danifica-los. 5 - Multímetro: O multímetro é uma ferramenta usada para verificar os componentes eletrônicos e circuitos através de medições de tensão, resistência, etc. 6 - Jogo de chaves: Chaves de fenda e outros modelos são normalmente usados para abrir equipamentos, permitindo o acesso ao circuito.

4 Aplicando a Solda: Efetuar uma solda corretamente é fundamental para o bom funcionamento de um circuito, esta é uma tarefa que exige um pouco de prática e conhecimento. Verifique as regras abaixo: 1º) A escolha da potência e a ponta do ferro. A potência do ferro a ser utilizado deve levar em conta o tipo de material que vamos soldar, segue-se como via de regra utilizar-se ferro entre 10 e 25 Watts para componentes SMD de dois terminais. Potências entre 25Watts e 30Watts sã o mais utilizadas para componentes como transistores, resistores de média potência, capacitores, circuitos integrados e assim por diante. Potências entre 40 Watts e 80 Watts sã o mais indicadas para solda de grandes peças ou grandes áreas de dissipação de calor como fios e cabos de grandes diâmetros, a medida que aumenta a área que dissipa o calor quando fazemos a solda, maior será sua potência. A escolha da ponta para efetuar a soldagem é muito importante pois não adianta utilizarmos uma ponta muito fina com um ferro de potência muito alta. A ponta do ferro deve ser escolhida de acordo com a potência usada.

5 2º) A importância da limpeza. São diversas as substâncias que podem dificultar a soldagem, mas quando pegamos resistores, transistores e demais componentes eletrônicos, devemos fazer uma boa limpeza em seus terminais para podermos eliminar as oxidações e resíduos e a melhor forma de fazer isto é lixar os terminais para retirar a camada superficial de possiveis residuos. Em seguida, soldar. 3º) Estanhamento da ponta do ferro. Outro fator importante, é o preparo da ponta do ferro quando começamos a utilizá-lo, para que ele se torne um instrumento de uso agradável é necessário que estanhemos corretamente a ponta do ferro, para isso, faça o seguinte procedimento: Encoste um pedaço de estanho (solda) enquanto o ferro esta sendo aquecido e vá passando ao redor de sua ponta. Faça desta forma até que o ferro tenha calor suficiente para derreter o estanho, este é o ponto ideal. Procure ir derretendo o estanho em toda a sua extensão, não deixando gotejar, desta forma a ponta estará estanhada. Procure manter o ferro com a ponta sempre limpa para evitar que a sujeira acumulada provoque curto circuito através de rastro de solda na passagem de um ponto para outro ou grandes depósitos de fluxo que está dentro do estanho. Isso deve ser feito com uma esponja vegetal umedecida com água, na qual passamos a ponta do ferro para limpeza, antes de fazermos a solda.

6 Montando o circuito: A primeira coisa que precisamos para montar nosso circuito é verificar se estamos com todos os componentes que compõem nosso projeto. O segundo passo é desenhar o circuito. Para desenhar circuitos é importante conhecer a representação gráfica de cada componente eletrônico. Teremos uma aula especialmente sobre este assunto em breve. Depois de desenhar o circuito e adquirir todos os componentes relevantes para a montagem poderemos iniciar nosso projeto. Em uma montagem, também é importante a confecção da placa onde será fixado os componentes eletrônicos, no decorrer do treinamento iremos aprender a confeccionar nossas próprias placas impressas. Como o objetivo da aula de hoje é treinar a soldagem e o manuseio do ferro de solda, não iremos abordar a confecção da placa de circuito impresso. Por isso, iremos passar diretamente para a soldagem dos componentes, um no outro, sem o uso da placa impressa. Isso será feito interpretando o desenho e soldando os componentes. Inicialmente vamos montar um circuito bem simples para controlar a luminosidade de um LED. Neste caso vamos precisar de uma fonte de energia, fio condutor, resistor variável e LED.

7 Variação de luminosidade - Circuito 1 Em nosso primeiro circuito temos um resistor variável, uma pilha e um LED. Se você já possui o simulador Edson instalado, monte este circuito nele antes de monta-lo fisicamente. Como a energia da pilha circula obrigatóriamente pelo resistor variável, sempre que modificarmos a resistência, o LED irá receber maior ou menor tensão e com isso irá brilhar ou diminuir sua luz. Embora esta seja uma montagem muito simples, se você está montando pela primeira vez este circuito, não se preocupe se ele não funcionar. Mas não desista, peça ajuda pelo fórum. Inicie a montagem estanhando a ponta dos componentes para que a solda tenha uma boa Aderência. Depois, solde um componente no outro. Inicie pelo suporte para as pilhas e solde o resistor veriável e o LED conectando um no outro até obter o circuito semelhante ao desenho acima Depois de completada a montagem, coloque as pilhas no suporte e veja se o LED vai brilhar, movimente o resistor variável de uma extremidade a outra para observar em qual posição desliga o LED. Se o LED não funcionar, então retire as pilhas e verifique novamente o circuito. Se tudo der certo, passe para a montagem do circuito 2. Não avance para a próxima montagem sem primeiro obter sucesso nesta. Caso você queira treinar um pouco antes de iniciar as montagens, é aconselhável pegar o circuito de equipamentos condenados e retirar seus componentes para treinar o uso do ferro de solda. Retire e solde novamente os componentes para adquirir prática.

8 Provador de continuidade - Circuito 2: Esta ferramenta é bastante simples, mas muito útil por não oferecer riscos ao componente a ser testado, devido sua baixa corrente de prova. A continuidade será indicada por um led (qualquer cor), acoplado a um transistor BC547, com uma alimentação que pode ficar entre três e seis volts. Como ferramenta portátil, poderá ser montado em uma caixa pequena com alimentação através de duas pilhas de 1,5 volts. Sempre que houver continuidade o led ira acender, ideal para testar a resistência de certos condutores e componentes eletrônicos. Circuito: Relação de materiais: 1 pç transistor BC547 ou equivalente tipo NPN de uso geral. 1 pç resistor de 10 K ohms com 1/8w(R2) 1 pç resistor de 330 ohms com 1/8w(R1) 1 pç ponta de prova na cor preta. 1 pç ponta de prova na cor vermelha. 1 pç suporte para duas ou quatro pilhas. 1 pç led comum de qualquer cor. 1 interruptor comum (opcional)(s1) O circuito citado acima, NÃO pode ser usado em equipamentos que possuam corrente, ele serve apenas para testar componentes isoladamente. A importância da montagem esta no primeiro contato com as técnicas de soldagem e no exercício para a prática de montagens.

9 Importante: 1 - Ao usar ferramentas evite o acesso de crianças. 2 - Muito cuidado com o uso do ferro de soldar. 3 - A solda quando derretida é tóxica, evite contato prolongado. 4 - Procure sempre soldar em local bem ventilado evitando a inalação. Próximas aulas: As aulas 1 a 9 são o primeiro contato com a eletrônica e concluem a primeira fase do aprendizado. Nas próximas aulas vamos nos aprofundar nos conceitos e aprender a desenvolver alguns circuitos através do uso de simuladores avançados e da prática na confecção de circuitos impressos. Para baixar as próximas aulas acesse:

TRABALHO EM COMPONENTES SMD

TRABALHO EM COMPONENTES SMD TRABALHO EM COMPONENTES SMD Os componentes SMD ("superficial monting device") ou componentes de montagem em superfície têm dominado os equipamentos eletrônicos nos últimos anos. Isto devido ao seu tamanho

Leia mais

A ARTE DE SOLDAR Para aprendermos a soldar corretamente pode demorar meses e até mesmo anos se depender apenas de nosso esforço, para facilitar o

A ARTE DE SOLDAR Para aprendermos a soldar corretamente pode demorar meses e até mesmo anos se depender apenas de nosso esforço, para facilitar o A ARTE DE SOLDAR Para aprendermos a soldar corretamente pode demorar meses e até mesmo anos se depender apenas de nosso esforço, para facilitar o aprendizado desta arte relacionamos abaixo alguns itens

Leia mais

Sinalizador para bicicletas Paloma Oliveira Mateus Knelsen

Sinalizador para bicicletas Paloma Oliveira Mateus Knelsen Sinalizador para bicicletas Paloma Oliveira Mateus Knelsen Como funciona O sinalizador para bicicletas é uma proposta de acessório que pode auxiliar na visibilidade do ciclista e dos seus movimentos no

Leia mais

SOLDAGEM. Figura 1 Lado da solda de uma PCI.

SOLDAGEM. Figura 1 Lado da solda de uma PCI. INSTITUTO FEDERAL SANTA CATARINA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CURSO DE ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES

Leia mais

1) Entendendo a eletricidade

1) Entendendo a eletricidade 1) Entendendo a eletricidade 1 2) Circuitos Modelix 2 3) Utilizando o Sistema Esquemático Modelix-G (Modelix-Grafix) 6 4) Fazendo montagens com os Circuitos Modelix 7 5) Exercícios para treinar 8 Objetivo:

Leia mais

1/ 11 PY2MG. Manual Montagem Maritaca. Parte 1 Recepção

1/ 11 PY2MG. Manual Montagem Maritaca. Parte 1 Recepção 1/ 11 PY2MG Manual Montagem Maritaca Parte 1 Recepção 2/ 11 PY2MG Siga as instruções passo a passo para ter sucesso na montagem. Não tenha pressa e ao colocar os componentes, seja cuidadoso. Faça uma montagem

Leia mais

Como utilizar um multímetro digital

Como utilizar um multímetro digital 1 Como utilizar um multímetro digital Um multímetro digital oferece a facilidade de mostrar diretamente em seu visor, que chamamos de display de cristal líquido, ou simplesmente display, o valor numérico

Leia mais

Introdução ao Projeto de Placas de Circuito Impresso

Introdução ao Projeto de Placas de Circuito Impresso Objetivo: Introdução ao Projeto de Placas de Circuito Impresso Prof. Stefano Apresentar algumas considerações iniciais para permitir ao estudante se familiarizar com a placa de circuito impresso (PCI),

Leia mais

Professor Ventura Ensina Tecnologia

Professor Ventura Ensina Tecnologia Professor Ventura Ensina Tecnologia Experimento PV001 Maquete com Instalação Elétrica Ensino Fundamental Direitos Reservados = Newton C. Braga 1 Maquete com Instalação Elétrica Você gostaria de aprender

Leia mais

Uma Fonte de Alimentação para a Bancada de Eletronica

Uma Fonte de Alimentação para a Bancada de Eletronica 1 Uma Fonte de Alimentação para a Bancada de Eletronica João Alexandre da Silveira autor do livro Experimentos com o Arduino Apresentação Uma bancada de Eletronica é um pequeno laboratório de montagens

Leia mais

3 Resistores Lei de ohms

3 Resistores Lei de ohms Resistores 3 Lei de ohms O resistor é um componente eletrônico usado para oferecer resistência a passagem dos elétrons em um circuito. Os resistores mais comuns são os resistores de carbono também chamados

Leia mais

BOLETIM DE GARANTIA. (N o 05 / 2013) LED do TIMER pisca frequência de 1Hz / segundo. LED do TIMER pisca freqüência de 1Hz / segundo.

BOLETIM DE GARANTIA. (N o 05 / 2013) LED do TIMER pisca frequência de 1Hz / segundo. LED do TIMER pisca freqüência de 1Hz / segundo. BOLETIM DE GARANTIA (N o 05 / 2013) Código de erro do Cassete e Piso-Teto No. TIPO DESCRIÇÃO Flash Blink Código Nota 1 Falha 2 Falha 3 Falha 4 Falha 5 Falha 6 Falha Placa acusa erro no sensor de temperatura

Leia mais

Modificação para melhor performance do controlador FRATESCHI eletrônico.

Modificação para melhor performance do controlador FRATESCHI eletrônico. MODificando o controlador FRATESCHI para um melhor rendimento Bom, o artigo aqui descrito visa fazer o controlador da FRATESCHI ficar mais macio para poder rodar composições em baixa velocidade e não reduzir

Leia mais

Atividade 1. Dispositivo que transforma alguma modalidade de energia em energia potencial elétrica.

Atividade 1. Dispositivo que transforma alguma modalidade de energia em energia potencial elétrica. Atividade 1 1) PROBLEMATIZAÇÃO: Se observarmos uma lanterna, um rádio ou alguns tipos de brinquedos, perceberemos que estes aparelhos só funcionam enquanto estão sendo alimentados por uma fonte de energia

Leia mais

A estação IRDA é um equipamento complexo que possibilita a remoção e recolocação dos componentes SMD e BGA, através de um canhão de infravermelho.

A estação IRDA é um equipamento complexo que possibilita a remoção e recolocação dos componentes SMD e BGA, através de um canhão de infravermelho. ESTAÇÃO IRDA- INFRA-VERMELHO YA XUN WELDER 220V 862D++ Generalidades : A estação IRDA é um equipamento complexo que possibilita a remoção e recolocação dos componentes SMD e BGA, através de um canhão de

Leia mais

eletroeletrônica II Na linha de produção de uma empresa há Blocos eletrônicos

eletroeletrônica II Na linha de produção de uma empresa há Blocos eletrônicos A UU L AL A Manutenção eletroeletrônica II Na linha de produção de uma empresa há uma máquina muito sofisticada. Certo dia essa máquina apresentou um defeito e parou. Imediatamente foi acionada a equipe

Leia mais

EXPERIÊNCIA 1 RESISTORES E ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES

EXPERIÊNCIA 1 RESISTORES E ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES EXPEIÊNCIA 1 ESISTOES E ASSOCIAÇÃO DE ESISTOES 1 INTODUÇÃO TEÓICA Os resistores são componentes básicos dos circuitos eletro-eletrônicos utilizados nos trechos dos circuitos onde se deseja oferecer uma

Leia mais

Pequeno livro sobre fontes de alimentação

Pequeno livro sobre fontes de alimentação 1 Pequeno livro sobre fontes de alimentação Antes de começarmos a falarmos de como funciona uma fonte de alimentação é preciso saber qual a sua função. Uma fonte de alimentação tem a função de transformar

Leia mais

Estabilizada de. PdP. Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 22/02/2006 Última versão: 18/12/2006

Estabilizada de. PdP. Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 22/02/2006 Última versão: 18/12/2006 TUTORIAL Fonte Estabilizada de 5 Volts Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 22/02/2006 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br

Leia mais

Eletrônica Básica. Eletrônica Básica. Educador Social: Alexandre Gomes. Rua Jorge Tasso Neto, 318 - Apipucos, Recife-PE Fone: (81) 3441 1428

Eletrônica Básica. Eletrônica Básica. Educador Social: Alexandre Gomes. Rua Jorge Tasso Neto, 318 - Apipucos, Recife-PE Fone: (81) 3441 1428 Eletrônica Básica Educador Social: Alexandre Gomes Multimetro Resistores Varistor Termistor Fusível Capacitores Diodos Transistores Fonte de Alimentação Eletrônica Básica: Guia Prático Multimetro É o aparelho

Leia mais

Projeto Fonte de Tensão Variável

Projeto Fonte de Tensão Variável Projeto Fonte de Tensão Variável Aluno: Fábio de Oliveira Ribeiro Turma: 2PE Turno da Noite Professor: Cristiano Amaral INTRODUÇÃO: O primeiro desafio que me deparei foi entender o esquemático do projeto

Leia mais

www.vectraclube.com.br autor Fernandospam

www.vectraclube.com.br autor Fernandospam Material confeccionado para: www.vectraclube.com.br autor Fernandospam Peço que nao modifique ou use indevidamente sem meu consentimento. l l l NÃO ME RESPONSABILIZO POR QUALQUER PERDA OU DANO NO SEU ALARME!!!

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE A CRIAÇÃO DE PLACA IHL (INTERFACE DE HARDWARE LIVRE) ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO 1º SEMESTRE

RELATÓRIO SOBRE A CRIAÇÃO DE PLACA IHL (INTERFACE DE HARDWARE LIVRE) ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO 1º SEMESTRE RELATÓRIO SOBRE A CRIAÇÃO DE PLACA IHL (INTERFACE DE HARDWARE LIVRE) ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO 1º SEMESTRE Albert Cruz Loyanne Lemos Matheus Carvalho Pricilla Brandão Salvador Dezembro - 2010 Albert Cruz,

Leia mais

AV. Herminio Gimenez RC - RUC: 80061756-8 COR: CIUDAD DEL ESTE-PY TEL: +595 983 613802 contato@options-sa.net - www.options-sa.net

AV. Herminio Gimenez RC - RUC: 80061756-8 COR: CIUDAD DEL ESTE-PY TEL: +595 983 613802 contato@options-sa.net - www.options-sa.net COR: -Instalação rápida e fácil, fixação com resina, ondulação de 2 a 4 mm para passagem dos cabos de energia. - Pode ser instalada em piscinas ou hidromassagens onde não tenha sido previsto sistema de

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DA ESTAÇÃO DE SOLDA SMD ANALÓGICA CONJUGADA FERRO + AR QUENTE MODELO DK2850

MANUAL DE INSTRUÇÕES DA ESTAÇÃO DE SOLDA SMD ANALÓGICA CONJUGADA FERRO + AR QUENTE MODELO DK2850 DEKEL MANUAL DE INSTRUÇÕES DA ESTAÇÃO DE SOLDA SMD ANALÓGICA CONJUGADA FERRO + AR QUENTE MODELO DK2850 Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do instrumento ÍNDICE

Leia mais

Manual de Instruções. Estação de Solda HK-936B

Manual de Instruções. Estação de Solda HK-936B Manual de Instruções Estação de Solda HK-936B Para sua segurança, leia este Manual de Instruções atenciosamente antes da operação deste equipamento. Mantenha-o sempre ao seu alcance para consultas futuras.

Leia mais

Circuitos Lógicos. Aulas Práticas

Circuitos Lógicos. Aulas Práticas Circuitos Lógicos Aulas Práticas A Protoboard A Protoboard A Protoboard é um equipamento que permite interconectar dispositivos eletrônicos tais como resistores, diodos, transistores, circuitos integrados

Leia mais

ELETRICIDADE: CIRCUITOS ELÉTRICOS Experimento 1 Parte II: Medidas de corrente elétrica, tensão e resistência em circuitos de corrente

ELETRICIDADE: CIRCUITOS ELÉTRICOS Experimento 1 Parte II: Medidas de corrente elétrica, tensão e resistência em circuitos de corrente OBJETIVOS 9 contínua NOME ESCOLA EQUIPE SÉRIE PERÍODO DATA Familiarizar-se com o multímetro, realizando medidas de corrente, tensão e resistência. INTRODUÇÃO Corrente elétrica FÍSICA ELETRICIDADE: CIRCUITOS

Leia mais

Conceitos Fundamentais de Eletrônica

Conceitos Fundamentais de Eletrônica Conceitos Fundamentais de Eletrônica A eletrônica está fundamentada sobre os conceitos de tensão, corrente e resistência. Podemos entender como tensão a energia potencial armazenada em uma pilha ou bateria

Leia mais

CNC3AX V2010. Placa controladora de motor de passo via porta paralela para 3 eixos

CNC3AX V2010. Placa controladora de motor de passo via porta paralela para 3 eixos CNC3AX V2010 Placa controladora de motor de passo via porta paralela para 3 eixos FOUGA Laurent 2001-12-12 Vendas : www.shopcnc.com.br Suporte : www.guiacnc.com.br A placa CNC3AX permite controlar 3 motores

Leia mais

VU/ BARGRAPH ELZ0110/0111A/0111B Manual de montagem versão 1.0

VU/ BARGRAPH ELZ0110/0111A/0111B Manual de montagem versão 1.0 VU/ BARGRAPH ELZ0110/0111A/0111B Manual de montagem versão 1.0 O projeto VU/Bargraph foi desenvolvido para que iniciantes na área, possam aprender um pouco de eletrônica e se divertir com o kit. O kit

Leia mais

Prof. Jener Toscano Lins e Silva

Prof. Jener Toscano Lins e Silva Prof. Jener Toscano Lins e Silva *É de fundamental importância a completa leitura do manual e a obediência às instruções, para evitar possíveis danos ao multímetro, ao equipamento sob teste ou choque elétrico

Leia mais

RESISTORES ELÉTRICOS

RESISTORES ELÉTRICOS RESISTORES ELÉTRICOS São dispositivos utilizados para limitar a passagem da corrente elétrica nos circuitos São feitos com material condutor de alta resistividade elétrica Transformam a energia elétrica

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL SUL-RIO-GRANDENSE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL RICARDO GARCIA JESKE

INSTITUTO FEDERAL SUL-RIO-GRANDENSE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL RICARDO GARCIA JESKE INSTITUTO FEDERAL SUL-RIO-GRANDENSE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL RICARDO GARCIA JESKE RELATÓRIO: CONFECÇÃO DE CIRCUITO ELETRÔNICO PARA CONTROLE DE POTÊNCIA USANDO O CI TCA785 Pelotas

Leia mais

Capítulo 1: Eletricidade. Corrente continua: (CC ou, em inglês, DC - direct current), também chamada de

Capítulo 1: Eletricidade. Corrente continua: (CC ou, em inglês, DC - direct current), também chamada de Capítulo 1: Eletricidade É um fenômeno físico originado por cargas elétricas estáticas ou em movimento e por sua interação. Quando uma carga encontra-se em repouso, produz força sobre outras situadas em

Leia mais

LEI DE OHM LEI DE OHM. Se quisermos calcular o valor da resistência, basta dividir a tensão pela corrente.

LEI DE OHM LEI DE OHM. Se quisermos calcular o valor da resistência, basta dividir a tensão pela corrente. 1 LEI DE OHM A LEI DE OHM é baseada em três grandezas, já vistas anteriormente: a Tensão, a corrente e a resistência. Com o auxílio dessa lei, pode-se calcular o valor de uma dessas grandezas, desde que

Leia mais

ACENDENDO AS LUZES. Capitulo 2 - Aula 1 Livro: Arduino básico Tutor: Wivissom Fayvre

ACENDENDO AS LUZES. Capitulo 2 - Aula 1 Livro: Arduino básico Tutor: Wivissom Fayvre ACENDENDO AS LUZES Capitulo 2 - Aula 1 Livro: Arduino básico Tutor: Wivissom Fayvre Projeto 1 LED piscante Neste capitulo, todos os projetos utilizam luzes LED s de diversas formas. Em relação ao hardware,

Leia mais

Retrabalhando o Componente SMD

Retrabalhando o Componente SMD Os aparelhos celulares utilizam a técnica de montagem por superfície ou SMT (Surface Mounting Technology) com emprego de componentes ultra-miniaturizados para a montagem em superfície chamados SMD (Surface

Leia mais

Multímetro, um grande amigo do operador de som

Multímetro, um grande amigo do operador de som Multímetro, um grande amigo do operador de som Autor: Fernando Antônio Bersan Pinheiro O multímetro, ou multitester, é um equipamento utilizado para medições de componentes elétricos, mas muitos dos seus

Leia mais

1º Experimento 1ª Parte: Resistores e Código de Cores

1º Experimento 1ª Parte: Resistores e Código de Cores 1º Experimento 1ª Parte: Resistores e Código de Cores 1. Objetivos Ler o valor nominal de cada resistor por meio do código de cores; Determinar a máxima potência dissipada pelo resistor por meio de suas

Leia mais

SUPORTE TÉCNICO DE COMPUTADORES

SUPORTE TÉCNICO DE COMPUTADORES SUPORTE TÉCNICO DE COMPUTADORES PROF. FABRICIO ALESSI STEINMACHER MONTAGEM E DESMONTAGEM DE SEU COMPUTADOR Primeiramente devemos saber que um computador possui diversos componentes que exige cuidado, como

Leia mais

Associação de Geradores

Associação de Geradores Associação de Geradores 1. (Epcar (Afa) 2012) Um estudante dispõe de 40 pilhas, sendo que cada uma delas possui fem igual a 1,5 V e resistência interna de 0,25. Elas serão associadas e, posteriormente,

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO MANUAL DE INSTALAÇÃO Revisão 03 INSTALAÇÃO DO DISCO SOLAR Parabéns por adquirir um dos mais tecnológicos meios de aquecimento de água existentes no mercado. O Disco Solar é por sua natureza uma tecnologia

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA GERÊNCIA EDUCACIONAL DE ELETRÔNICA Fundamentos de Eletricidade

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA GERÊNCIA EDUCACIONAL DE ELETRÔNICA Fundamentos de Eletricidade CENTO FEDEAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATAINA GEÊNCIA EDUCACIONAL DE ELETÔNICA Fundamentos de Eletricidade AULA 01 MATIZ DECONTATOS, CÓDIGO DE COES DE ESISTOES E FONTES DE ALIMENTAÇÃO 1 INTODUÇÃO

Leia mais

Laboratório de robótica

Laboratório de robótica Alarme de Presença Em vários projetos desenvolvidos, o uso de sensores é muito interessante. Através de sensores, podemos fazer a leitura de determinadas características do ambiente, tais como a presença

Leia mais

Unidade 14. Circuitos elétricos

Unidade 14. Circuitos elétricos Unidade 14 Circuitos elétricos Pra início de conversa... Nesta aula, você vai conhecer um circuito elétrico e seus componentes, conhecer a lei de Ohm e saber como utilizá-la para os cálculos de correntes,

Leia mais

PORTEIROS ELETRÔNICOS COLETIVOS

PORTEIROS ELETRÔNICOS COLETIVOS 9.0 - INTRODUÇÃO AOS PORTEIROS ELETRÔNICOS Os Porteiros Eletrônicos Coletivos THEVEAR são sistemas constituídos de quatro componentes básicos. 9.1 - PRIMEIRO COMPONENTE: A PLACA DE RUA É um painel instalado,

Leia mais

Manual Montagem VFO Ararinha PY2MG Versão Mutirão Rev. 2

Manual Montagem VFO Ararinha PY2MG Versão Mutirão Rev. 2 Manual Montagem VFO Ararinha PY2MG Versão Mutirão Rev. 2 1 Para a montagem do transceptor para SSB Ararinha 4b, você precisará de um multímetro, uma pequena lupa, uma ponta de prova para RF, soldador de

Leia mais

MANUAL DE MONTAGEM. Revisão 10 MONTAGEM DO DISCO SOLAR PARA AQUECIMENTO DE ÁGUA

MANUAL DE MONTAGEM. Revisão 10 MONTAGEM DO DISCO SOLAR PARA AQUECIMENTO DE ÁGUA MANUAL DE MONTAGEM Revisão 10 MONTAGEM DO DISCO SOLAR PARA AQUECIMENTO DE ÁGUA Parabéns por adquirir um dos mais tecnológicos meios de aquecimento de água existentes no mercado. O Disco Solar é por sua

Leia mais

Conceitos básicos de Componentes SMD. Eng. Décio Rennó de Mendonça Faria

Conceitos básicos de Componentes SMD. Eng. Décio Rennó de Mendonça Faria Conceitos básicos de Componentes SMD Eng. Décio Rennó de Mendonça Faria Maio de 2014 Componentes em SMD Atualmente, nos equipamentos eletrônicos modernos, a utilização de resistores e capacitores convencionais

Leia mais

QUALIFICAÇÃO TÉCNICA EM HARDWARE

QUALIFICAÇÃO TÉCNICA EM HARDWARE OPORTUNIDADE Estamos diante de um fato: o computador está presente em estabelecimentos dos mais diversos ramos e em muitos lares brasileiros. Sem dúvida este dado revela uma grande oportunidade no mercado

Leia mais

Modificação do LED POWER Logic@sat L4000

Modificação do LED POWER Logic@sat L4000 Modificação do LED POWER Logic@sat L4000 Caro amigo, proprietário de um receptor Logic@sat L4000, alguma vez você já se questionou sobre o funcionamento do LED POWER do receptor? Além de ser vermelho,

Leia mais

3 a fase Prova Experimental

3 a fase Prova Experimental 3 a fase Prova Experimental Prova para alunos do 1º ano LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO: 01) Esta prova destina-se exclusivamente a alunos do 1º ano do ensino médio. 02) O Caderno de Resoluções possui

Leia mais

Texto Teórico 02: RESISTORES

Texto Teórico 02: RESISTORES INSTITUTO FEDERL SNT CTRIN MINISTÉRIO D EDUCÇÃO SECRETRI DE EDUCÇÃO PROFISSIONL E TECNOLÓGIC INSTITUTO FEDERL DE EDUCÇÃO, CIÊNCI E TECNOLOGI DE SNT CTRIN CURSO DE ENGENHRI DE TELECOMUNICÇÕES Texto Teórico

Leia mais

Lista 2 - FCC UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE FÍSICA

Lista 2 - FCC UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE FÍSICA UNIESIDADE DO ESTADO DE SANTA CATAINA CENTO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DEPATAMENTO DE FÍSICA Lista - FCC 1. Um eletrômetro é um instrumento usado para medir carga estática: uma carga desconhecida é colocada

Leia mais

Fig. 2.2 - Painel do multímetro com a função ohmímetro em destaque.

Fig. 2.2 - Painel do multímetro com a função ohmímetro em destaque. 2 MULTÍMETRO 2.1 - Objetivos Aprender a manusear o multímetro na realização de medidas de tensões e correntes elétricas, contínuas e alternadas, bem como medir resistências elétricas. 2.2 - Introdução

Leia mais

>>>VENDA_EXPRESSA >>>VENDA_EXPRESSA >>>VENDA_EXPRESSA

>>>VENDA_EXPRESSA >>>VENDA_EXPRESSA >>>VENDA_EXPRESSA >>>VENDA_EXPRESSA >>>VENDA_EXPRESSA >>>VENDA_EXPRESSA 1 APOSTILAS Venda >>>Expressa MULTÍMETRO >>>VENDA_EXPRESSA >>>VENDA_EXPRESSA >>>VENDA_EXPRESSA 2 MULTÍMETRO O multitester ou multímetro é o aparelho

Leia mais

Dicas de segurança: permaneça com o multímetro desconectado do circuito quando fizer uso da chave seletora!

Dicas de segurança: permaneça com o multímetro desconectado do circuito quando fizer uso da chave seletora! Orientações Como usar o multímetro: Para as medidas da corrente elétrica, tensão e resistência nos circuitos elétricos pode ser utilizado um multímetro digital de baixo custo, como mostra a figura 7. Observe

Leia mais

EVAPORADOR ELIMINADOR DE GOTEJAMENTO

EVAPORADOR ELIMINADOR DE GOTEJAMENTO EVAPORADOR ELIMINADOR DE GOTEJAMENTO Aparelho Bivolt 110v 220v ATENÇÃO: INSTALAR EXTERNAMENTE * Capacidade total em 220v. Em 110v, redução de 50% a 60% na capacidade de evaporação. *Não testar com água

Leia mais

Potenciometer [Potenciômetro] - Ligado ao eixo de saída do servo, monitora a posição do mesmo.

Potenciometer [Potenciômetro] - Ligado ao eixo de saída do servo, monitora a posição do mesmo. Servomotores Este pequeno tutorial tem como finalidade auxiliar no entendimento de um dos componentes básico utilizados na construção de robôs móveis. www.sumoderobos.org Compilado por André Santos Agosto

Leia mais

MANUAL CARREGADOR DE BATERIAS 12V 5A/7A 110/220V

MANUAL CARREGADOR DE BATERIAS 12V 5A/7A 110/220V 1 MANUAL CARREGADOR DE BATERIAS 12V 5A/7A 110/220V Cuidado Perigo A utilização imprópria do equipamento assim como a não observância das normas de segurança, pode agravar em ferimentos graves. Leia o manual

Leia mais

Aprenda a montar seu computador

Aprenda a montar seu computador Aprenda a montar seu computador 1. Colocação da Placa Mãe no Gabinete Vamos pegar a placa-mãe sem nenhum periférico adicional (cooler e processador): na figura abaixo temos uma placa-mãe com o cooler Volcano

Leia mais

PdP. Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 22/05/2006 Última versão: 18/12/2006

PdP. Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 22/05/2006 Última versão: 18/12/2006 TUTORIAL Montagem da Barra de LEDs Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 22/05/2006 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br

Leia mais

www.modelix.com.br Página 01

www.modelix.com.br Página 01 OBJETIVO Este guia tem como objetivo a capacitação ao uso dos componentes mais específicos e o entendimento de seus modos de funcionamento. A Modelix está disponibilizando este guia junto a uma vasta gama

Leia mais

Carga de teste para fontes chaveadas ou lineares

Carga de teste para fontes chaveadas ou lineares PY2 NFE - Ron Carga de teste para fontes chaveadas ou lineares Um dos problemas que nos defrontamos quando montamos ou modificamos uma fonte é o teste da mesma. Apenas a leitura da tensão de saída com

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DA ESTAÇÃO DE SOLDA SMD MODELO DK-960D

MANUAL DE INSTRUÇÕES DA ESTAÇÃO DE SOLDA SMD MODELO DK-960D DEKEL MANUAL DE INSTRUÇÕES DA ESTAÇÃO DE SOLDA SMD MODELO DK-960D Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do instrumento ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 1 2. REGRAS DE SEGURANÇA...

Leia mais

cesse: Downloads Manuais Tira-dúvidas

cesse: Downloads Manuais Tira-dúvidas para leigos cesse: Downloads gratuitos Manuais Tira-dúvidas E muito mais! O site Shammaluz está mais bonito e mais completo. Lá você encontra informações específicas para cada tipo de negócio que quer

Leia mais

ESCOLA MUNICIPAL PROFESSOR ANTONIO DA GRAÇA MACHADO PROJETO INTERDISCIPLINAR MOSTRA CULTURAL E CIENTÍFICA

ESCOLA MUNICIPAL PROFESSOR ANTONIO DA GRAÇA MACHADO PROJETO INTERDISCIPLINAR MOSTRA CULTURAL E CIENTÍFICA ESCOLA MUNICIPAL PROFESSOR ANTONIO DA GRAÇA MACHADO PROJETO INTERDISCIPLINAR MOSTRA CULTURAL E CIENTÍFICA 2010 PROFESSORAS: Eliuza Rocha Marlene Damasceno TÍTULO: Energia em Nossa Vida 1 TURMAS ENVOLVIDAS:

Leia mais

Laboratório de Circuitos Elétricos

Laboratório de Circuitos Elétricos Laboratório de Circuitos Elétricos 3ª série Mesa Laboratório de Física Prof. Reinaldo / Monaliza Data / / Objetivos Observar o funcionamento dos circuitos elétricos em série e em paralelo, fazendo medidas

Leia mais

Receptores elétricos

Receptores elétricos Receptores elétricos 1 Fig.20.1 20.1. A Fig. 20.1 mostra um receptor elétrico ligado a dois pontos A e B de um circuito entre os quais existe uma d.d.p. de 12 V. A corrente que o percorre é de 2,0 A. A

Leia mais

Editado por : DISAN Agradecimentos: Fernando Hamilton Cordova / Corsa Clube

Editado por : DISAN Agradecimentos: Fernando Hamilton Cordova / Corsa Clube Editado por : DISAN Agradecimentos: Fernando Hamilton Cordova / Corsa Clube A FIAT lançou em seus carros um equipamento chamado por eles de ECONOMETRO, ECONOMETRO (HALLMETER), espécie de medidor de consumo

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DA ESTAÇÃO DE RETRABALHO SMD - MODELO TS-870D rev.01

MANUAL DE INSTRUÇÕES DA ESTAÇÃO DE RETRABALHO SMD - MODELO TS-870D rev.01 MANUAL DE INSTRUÇÕES DA ESTAÇÃO DE RETRABALHO SMD - MODELO TS-870D rev.01 Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do instrumento ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...1 2. ESPECIFICAÇÕES...1

Leia mais

TUTORIAL FONTE LINEAR

TUTORIAL FONTE LINEAR TUTORIAL FONTE LINEAR Agradecemos a oportunidade de aprendizagem prática: Agradecimentos Programa de Educação Tutorial (PET) do MEC/SESu pelo suporte para o desenvolvimento deste tutorial. Francisco José

Leia mais

Aula 5 Componentes e Equipamentos Eletrônicos

Aula 5 Componentes e Equipamentos Eletrônicos Aula 5 Componentes e Equipamentos Eletrônicos Introdução Componentes Eletrônicos Equipamentos Eletrônicos Utilizados no Laboratório Tarefas INTRODUÇÃO O nível de evolução tecnológica evidenciado nos dias

Leia mais

MONTAGEM E CONFIGURAÇÃO DE UMA PISTA/PISO DE LEDS

MONTAGEM E CONFIGURAÇÃO DE UMA PISTA/PISO DE LEDS MONTAGEM E CONFIGURAÇÃO DE UMA PISTA/PISO DE LEDS CONDIÇÕES GERAIS Utilize o texto e vídeo abaixo como referencia se você deseja montar uma pista de LEDs, LEMBRANDO QUE É APENAS UMA SUGESTÃO, VOCÊ PODE

Leia mais

Manual de Usuário da Impressora Sethi3D AiP A3

Manual de Usuário da Impressora Sethi3D AiP A3 Manual de Usuário da Impressora Sethi3D AiP A3 Versão 1.00 Sumário Geral... 3 Características da Impressora:... 3 Características técnicas:... 3 Suporte do rolo de filamento... 4 Colocando o filamento

Leia mais

GRADE CURRICULAR. www.cursosenap.com.br

GRADE CURRICULAR. www.cursosenap.com.br INTRODUÇÃO AO HARDWARE DO COMPUTADOR O QUE É UM HARDWARE? O QUE É UM SOFTWARE? O QUE É UM PROGRAMA? O QUE É UM APLICATIVO? CONHECENDO O HARDWARE DO COMPUTADOR VISÃO GERAL DAS PEÇAS FONTE DE ALIMENTAÇÃO

Leia mais

INFORMATIVO DE PRODUTO

INFORMATIVO DE PRODUTO Central de Iluminação de Emergência 12 V(cc), 20 A, com Capacidade de 240 W. Código AFB240 A central de iluminação de emergência é alimentada pela rede elétrica predial (110 ou 220 volts) e também possui

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DA ESTAÇÃO DE RETRABALHO SMD - MODELO DK850. revisão fevereiro de 2007

MANUAL DE INSTRUÇÕES DA ESTAÇÃO DE RETRABALHO SMD - MODELO DK850. revisão fevereiro de 2007 DEKEL MANUAL DE INSTRUÇÕES DA ESTAÇÃO DE RETRABALHO SMD - MODELO DK850 revisão fevereiro de 2007 Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do instrumento ÍNDICE INTRODUÇÃO...

Leia mais

Manual Montagem WAVmeter

Manual Montagem WAVmeter Página 1 de 9 Manual Montagem WAVmeter Rev. 0 Página 2 de 9 Antes de iniciar a montagem, leia o manual até o final, pois muitas perguntas serão respondidas no seu devido lugar. A placa que está recebendo,

Leia mais

Relatório Final F-609 Estudo da 1ª e 2ª Lei de Ohm com riscos de grafite em papel.

Relatório Final F-609 Estudo da 1ª e 2ª Lei de Ohm com riscos de grafite em papel. Relatório Final F-609 Estudo da 1ª e 2ª Lei de Ohm com riscos de grafite em papel. Aluno: Claudecir Ricardo Biazoli, RA: 038074. Orientador: Fernando Iikawa Sumário: 1- Introdução 3 2- Importâncias didática

Leia mais

Instruções de Uso e Segurança

Instruções de Uso e Segurança Instruções de Uso e Segurança Alicates Nunca utilize os alicates como martelo para não criar folga. Não martele os isolamentos, pois eles se danificarão; Utilizar alicates para apertar ou desapertar porcas

Leia mais

O uso dos diodos nos alternadores implicam numa série de cuidados, tais como:

O uso dos diodos nos alternadores implicam numa série de cuidados, tais como: Resumo - Alternador O uso dos diodos nos alternadores implicam numa série de cuidados, tais como: Não ligar a bateria com polaridade invertida; Não ligar o alternador sem carga ou retirar a carga com alternador

Leia mais

MISTURADOR SUBMERSO RÁPIDO MSR

MISTURADOR SUBMERSO RÁPIDO MSR Indústria e Comércio de Bombas D Água Beto Ltda Manual de Instruções MISTURADOR SUBMERSO RÁPIDO MSR Parabéns! Nossos produtos são desenvolvidos com a mais alta tecnologia Bombas Beto. Este manual traz

Leia mais

KA-039 Equipamento de Limpeza e Teste de Injetores com teste de motor de passo, atuadores bosch 2, 3 e 4 fios e atuador zetec

KA-039 Equipamento de Limpeza e Teste de Injetores com teste de motor de passo, atuadores bosch 2, 3 e 4 fios e atuador zetec KA-039 Equipamento de Limpeza e Teste de Injetores com teste de motor de passo, atuadores bosch 2, 3 e 4 fios e atuador zetec 1 Kitest Equipamentos Automotivos Ltda. KA-039 Máquina de limpeza e teste de

Leia mais

CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA ANÁLISE DE CIRCUITOS 1 MÓDULO

CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA ANÁLISE DE CIRCUITOS 1 MÓDULO CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA ANÁLISE DE CIRCUITOS 1 MÓDULO 2009 SUMÁRIO 1 Resistores... 3 1.1 Para que servem os resistores?... 3 1.2 Simbologia... 3 1.3 Tipos... 5 1.4 Construção... 6 1.5 Potência nos

Leia mais

Testador de cabos de rede

Testador de cabos de rede Testador de cabos de rede Elias Bernabé Turchiello Técnico responsável Este manual se destina unicamente a orientar o montador interessado neste projeto, portanto não se encontram neste manual: detalhes

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES WWW.ELGIN.COM.BR UMIDIFICADOR DE AR FGUA-03AZ-0 SAC: 0800 7035446 GDE. SÃO PAULO (11) 3383-5555

MANUAL DE INSTRUÇÕES WWW.ELGIN.COM.BR UMIDIFICADOR DE AR FGUA-03AZ-0 SAC: 0800 7035446 GDE. SÃO PAULO (11) 3383-5555 WWW.ELGIN.COM.BR MANUAL DE INSTRUÇÕES UMIDIFICADOR DE AR FGUA-03AZ-0 Atenção: antes de usar o produto leia cuidadosamente as instruções deste manual. SAC: 0800 7035446 GDE. SÃO PAULO (11) 3383-5555 VANTAGENS

Leia mais

Bobina de Tesla. O Principio de funcionamento da bobina de tesla, é bem simples, sendo fácil de qualquer um montar. Abaixo vai um esquema básico:

Bobina de Tesla. O Principio de funcionamento da bobina de tesla, é bem simples, sendo fácil de qualquer um montar. Abaixo vai um esquema básico: Bobina de Tesla AVISO: cuidado com a alta tensão, a saída da bobina de tesla, pode não matar, mas causa queimaduras de até 3º grau, certifique-se sempre de que o raio esteja indo primeiro para um condutor

Leia mais

Esteira Contadora EQUIPE

Esteira Contadora EQUIPE Esteira Contadora EQUIPE André Medeiros Coimbra - dehmc@pop.com.br Breno Xavier Cerci - brecerci@hotmail.com Diogo Rodrigues de Jesus - diogorjs@ig.com.br Samuel Alessandro Camargo - samuel.camargo@pucpr.pr

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES Usuário Versão 1.1 BEBEDOUROS TROPICAL. Bebedouros Tropical www.bebedourostropical.com.br. Produtos com Certificação Inmetro

MANUAL DE INSTRUÇÕES Usuário Versão 1.1 BEBEDOUROS TROPICAL. Bebedouros Tropical www.bebedourostropical.com.br. Produtos com Certificação Inmetro MANUAL DE INSTRUÇÕES Usuário Versão 1.1 Bebedouros Tropical www.bebedourostropical.com.br BEBEDOUROS TROPICAL LEIA E SIGA TODAS AS REGRAS DE SEGURANÇA E INSTRUÇÕES OPERACIONAIS ANTES DE USAR. sac@bebedourostropical.com.br

Leia mais

www.powersystemsaudio.com.br

www.powersystemsaudio.com.br Prezado Cliente, Parabéns pela aquisição de um dos mais conceituados amplificadores automotivos do mercado brasileiro. Os produtos Power Systems são fabricados com as melhores marcas de componentes do

Leia mais

ML-6622 CHURRASQUEIRA ELÉTRICA

ML-6622 CHURRASQUEIRA ELÉTRICA ML-6622 CHURRASQUEIRA ELÉTRICA INTRODUÇÃO A Churrasqueira Elétrica ML-6622 NKS Milano é um produto de alta tecnologia e qualidade. Para melhor entender todas as funções deste aparelho, e utilizá-lo com

Leia mais

Amplificadores, Falantes, Caixas Acústicas e uma tal de Impedância Parte 1

Amplificadores, Falantes, Caixas Acústicas e uma tal de Impedância Parte 1 Amplificadores, Falantes, Caixas Acústicas e uma tal de Impedância Parte 1 Autor: Fernando Antônio Bersan Pinheiro Um dos trabalhos do operador de som é tirar o máximo proveito do seu sistema de sonorização,

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES. Multímetro Digital MM013

MANUAL DE INSTRUÇÕES. Multímetro Digital MM013 MANUAL DE INSTRUÇÕES Multímetro Digital MM013 Obrigado por adquirir um produto ALLECO O GRUPO ALLECO garante a você um produto confiável, produzido com a mais alta tecnologia por uma empresa moderna e

Leia mais

Manual RGB Converter MVS v1.0

Manual RGB Converter MVS v1.0 Descrição A finalidade do RGB Converter é converter o sinal de vídeo de placas ARCADE do padrão JAMMA antigos (RGB + Video Sync), em especial placas NEO GEO MVS da SNK, para Vídeo Componente, possibilitando

Leia mais

U = R.I. Prof.: Geraldo Barbosa Filho AULA 06 CORRENTE ELÉTRICA E RESISTORES 1- CORRENTE ELÉTRICA

U = R.I. Prof.: Geraldo Barbosa Filho AULA 06 CORRENTE ELÉTRICA E RESISTORES 1- CORRENTE ELÉTRICA AULA 06 CORRENTE ELÉTRICA E RESISTORES 1- CORRENTE ELÉTRICA Movimento ordenado dos portadores de carga elétrica. 2- INTENSIDADE DE CORRENTE É a razão entre a quantidade de carga elétrica que atravessa

Leia mais

Linear VHF com 4CX250 Fonte de Alta Tensão

Linear VHF com 4CX250 Fonte de Alta Tensão Linear VHF com 4CX250 Fonte de Alta Tensão Dando início a descrição do linear para VHF utilizando a válvula 4CX250, vou começar pela fonte de Alta tensão. O circuito estpa descrito na Figura 1. Esta fonte

Leia mais

Apostila de manutenção em controle remoto

Apostila de manutenção em controle remoto Apostila de manutenção em controle remoto Noções básicas sobre o controle remoto Partes de um controle remoto. Problemas mais comum em controles remoto. Procedimentos p/ manutenção em controles remoto.

Leia mais

Adaptação de. PdP. Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 13/01/2006 Última versão: 18/12/2006

Adaptação de. PdP. Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 13/01/2006 Última versão: 18/12/2006 TUTORIAL Adaptação de Servo-motores Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 13/01/2006 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br

Leia mais