NCE/12/00966 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NCE/12/00966 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos"

Transcrição

1 NCE/12/00966 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos NCE/12/00966 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos Decisão de Apresentação de Pronúncia ao Relatório da Comissão de Avaliação Externa 1. Tendo recebido o Relatório de Avaliação/Acreditação elaborado pela Comissão de Avaliação Externa relativamente ao novo ciclo de estudos Ensino da Música 2. conferente do grau de Mestre 3. a ser leccionado na(s) Unidade(s) Orgânica(s) (faculdade, escola, instituto, etc.) Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo Escola Superior De Educação Do Porto 4. a(s) Instituição(ões) de Ensino Superior / Entidade(s) Instituidora(s) Instituto Politécnico Do Porto 5. decide: Apresentar pronúncia 6. Pronúncia (Português): Ver documento anexo 7. Pronúncia (Português e Inglês, PDF, máx. 150kB): (impresso na página seguinte) pág. 1 de 1

2 Anexos

3 PRONÚNCIA SOBRE PROPOSTA DE DECISÃO DA COMISSÃO DE AVALIAÇÃO EXTERNA DA A3ES AO MESTRADO EM ENSINO DA MÚSICA Porto, julho

4 Tendo em atenção as condições elencadas na proposta e as recomendações da Comissão de Avaliação Externa (CAE), referente ao processo de acreditação do curso de 2º ciclo (mestrado) em ensino da música da ESMAE/ESE, cumpre-nos esclarecer/informar o seguinte: Condições de acesso e ingresso [2.1.1] Para ingressar no mestrado em ensino da música, em qualquer um dos seus ramos de estudos, é necessário satisfazer, cumulativamente, as condições previstas no artigo 1 e artigo 2: ARTIGO 1º a) ser titular de uma licenciatura ou grau equivalente legal, ou b) ser titular de um grau académico estrangeiro, conferido na sequência de um 1 ciclo de estudos organizado de acordo com os princípios do Processo de Bolonha, por um Estado aderente a este processo, ou c) ser titular de um grau académico superior estrangeiro, que seja reconhecido como satisfazendo os objetivos do grau de licenciado, pelo Conselho Técnico-científico da ESE e/ou da ESMAE, ou d) ser detentor de um currículo escolar, científico ou profissional, que seja reconhecido por um júri, nomeado pelo Conselho Técnico-científico da ESE e/ou da ESMAE para o efeito, como atestando capacidade para realização deste ciclo de estudos. Nota: poderão ser aceites, condicionadas à obtenção do grau de licenciado no ano letivo em curso, candidaturas de estudantes finalistas que concluam os exames da época especial e por esta via concluam o curso. 2

5 ARTIGO 2º a) Podem candidatar-se ao ingresso neste ciclo de estudos, os candidatos que tenham obtido no âmbito da licenciatura 120 créditos em Prática Instrumental e Vocal, em Formação Musical e em Ciências Musicais e nenhuma com menos de 25 créditos, conforme estipulado no Artigo 4º, da Portaria n 1189/2010, de 17 de Novembro. b) Nos termos do disposto no Artigo 6º, ponto 3, do Decreto-Lei n 220/2009, de 8 de Setembro, podem, também, candidatar-se ao ingresso neste ciclo de estudos, os candidatos que tenham obtido no âmbito da licenciatura, pelo menos, 75% dos créditos fixados na alínea a). c) Ainda nos termos do disposto no Artigo 6º, ponto 4, do Decreto-Lei n 220/2009, de 8 de Setembro, sempre que se verifique a situação prevista na alínea b), a inscrição nas unidades curriculares das componentes de didáticas específicas e de iniciação a prática profissional, incluindo prática de ensino supervisionada, fica condicionada à obtenção dos créditos em falta. De acordo com os pontos 1 e 2 do Artigo 10 do Decreto-Lei n 43/2007 de 22 de Fevereiro, é condição geral de ingresso neste ciclo de estudos o domínio oral e escrito da língua portuguesa. Compete ao órgão legal e estatutariamente designado a avaliação dessa condição através da metodologia que considere mais adequada. Os conteúdos programáticos de cada unidade curricular [3.3.1] De forma a corrigir as eventuais omissões, repetições ou incongruências, identificadas pela CAE nos diferentes itens (objetivos, conteúdos, metodologias, avaliação e bibliografia) dos 3

6 programas apresentados, o Instituto Politécnico do Porto (ESMAE e ESE) já solicitou aos responsáveis das diferentes unidades curriculares uma revisão atenta e bibliograficamente atualizada dos mesmos. O trabalho de revisão deverá estar completo até ao final do corrente mês de julho. O corpo docente cumpre os requisitos legais [4.1] Sobre a unidade curricular Músicas do Mundo, conforme recomendação da CAE, propomos a contração do docente Jorge Castro Ribeiro, com formação especializada no domínio da etnomusicologia (ver currículo anexo I). Propomos, ainda, a alteração da designação da unidade curricular para Músicas do Mundo na Educação (ver programa anexo II), a qual visa reforçar a área científica predominante do ciclo de estudos (ciências da educação). Sobre a unidade curricular Reportório, pedimos a reapreciação deste ponto porque, em nosso entendimento, o docente em causa tem formação adequada para este domínio. Após reapreciação da candidatura apresentada, consideramos mais adequado a contratação de um docente especialista no domínio da direcção, a professora Barbara Francke (ver currículo anexo III) para coadjuvar na implementação da unidade curricular Direcção e Classes de Conjunto, para a qual pedimos a apreciação da CAE. A unidade curricular será lecionada pelos dois docentes designados. Existem publicações científicas do pessoal docente [6.2] As instituições educativas envolvidas na criação deste 2º ciclo de estudos (ESMAE e ESE) estão fortemente empenhadas na formação avançada dos seus docentes e no desenvolvimento profícuo dos seus centros de investigação residentes (CIPEM, INED e UNIMAE). O número de 4

7 docentes em processo de doutoramento e os projetos financiados nos seus centros de investigação são um bom exemplo desta dinâmica institucional. Esta situação permite-nos prever, a médio prazo, um significativo aumento da produção do trabalho científico e artístico. Um outro aspeto, que nos merece uma especial atenção, e que nos permite, com segurança, prever um incremento de publicações e atividades artísticas reconhecidas é a possibilidade de associação dos mestrandos aos docentes do ciclo de estudos, para a produção de artigos académicos, de trabalhos artísticos, de participação e representação em reuniões académicas de carácter científico e artístico a desenvolver ao longo do mestrado. A cooperação com as diferentes escolas de ensino vocacional, profissional e artístico de música é, também, um elemento potenciador do desenvolvimento de trabalhos de investigação e artísticos. O projeto do CIPEM, em curso Orquestra Geração financiado pela FCT, prevê a publicação de vários artigos em revistas nacionais e internacionais. Existe, ainda, a manifesta intenção das duas escolas, ESMAE e ESE, em desenvolverem uma publicação de carácter regular, dedicada às especialidades deste mestrado. A oferta destas atividades corresponde às necessidades do mercado [7.1] A ESMAE e a ESE são instituições de ensino superior politécnico vocacionadas para o ensino, a investigação e a prestação de serviços à comunidade nos domínios da música, teatro, fotografia, cinema, audiovisual, multimédia e educação. Na sua missão inclui-se a formação de profissionais altamente qualificados, a realização de atividades de pesquisa e de investigação ou a experimentação e produção artísticas. São ainda princípios orientadores da instituição promover a aprendizagem através de experiências 5

8 formativas diversificadas e promover a formação académica, sempre que possível, em contexto de investigação aplicada, em ambiente de simulação ou em situações reais do mercado de trabalho. A implementação deste Mestrado em Ensino da Música, com as suas diferentes especializações, tem em vista, por um lado, colmatar as exigências da realidade do mercado educativo vocacional, profissional e artístico creditação de uma habilitação profissional ao nível de mestrado - e, por outro, promover uma formação de professores com nível artístico, académico e profissional de elevada qualidade. A realização deste mestrado em ensino da música, permite: primeiro, concretizar de forma bastante significativa, uma rentabilização eficiente na utilização dos recursos já existentes nas duas escolas do I.P.P. formadores, recursos materiais, tradição na formação -; segundo, um desenvolvimento significativo da capacidade de investigação e de produção científica no domínio do ensino vocacional, profissional e artístico; e, terceiro, uma possibilidade de fidelização de um grande número de recém-licenciados das escolas envolvidas e a oferta de uma formação de nível elevado a licenciados de outras instituições. Existem locais de estágio e/ ou formação em serviço [11.1] (ver quadro anexo IV) 6

9 ANEXO I Ficha curricular do docente Dados Pessoais Nome Instituição de Ensino Superior Unidade Orgânica Categoria Grau Área científica deste grau académico Ano em que foi obtido este grau académico Instituição que conferiu este grau académico Regime de tempo na instituição que submete a proposta Jorge Manuel de Mansilha Castro Ribeiro Universidade de Aveiro Departamento de Comunicação e Arte Professor Auxiliar Doutoramento Música Etnomusicologia 2012 Universidade de Aveiro Integral com dedicação exclusiva Outros graus académicos ou títulos Ano Grau ou título Área Instituição Classif Licenciatura Ciências Musicais Universidade Nova de Lisboa 15 Para ciclos de estudos de ensino universitário, referenciar até 5 artigos em revistas internacionais, livros ou capítulos de livros, com revisão por pares relevantes na área do ciclo de estudos. Para ciclos de estudos de ensino politécnico, referenciar até 5 artigos em revistas internacionais com revisão por pares, livros ou capítulos de livros, actividades de desenvolvimento tecnológico, prestação de serviços ou formação avançada, relevantes na área do ciclo de estudos. Para estudos artísticos, referenciar até 5 actividades relacionadas com a área do ciclo de estudos Ramón Pelinski. Con los sentidos y la mente bien alertas. El Oído Pensante, Norteamérica, 1, Fev Disponivel em: <http://ppct.caicyt.gov.ar/index.php/oidopensante/article/view/2207/1987> Entre o pudor e o rubor: práticas performativas, tensões sociais e histórias do batuque no contexto atlântico lusófono in Helena Marinho; Jorge Correia e Susana Sardo (eds.) Actas do Congresso Performa 11. Aveiro: INET-MD / Universidade de Aveiro Migração, sodade e conciliação: a prática do batuque cabo-verdiano em Portugal in Maria de São José Côrte-Real (Ed.) Migrações nº 7: Música e Migração. Out Lisboa: ACIDI Vários artigos em Salwa Castelo Branco (Dir.) Enciclopédia da Música em Portugal no Séc. XX. Lisboa: Círculo de Leitores / Temas e Debates Com Susana Sardo. Portugal. Musique d'entre Douro e Vouga / Portugal. Music from Entre 7

10 Douro e Vouga. CD + Livro. Paris: OCORA / Radio France / HARMONIA MUNDI O sol é do corpo, a lua do espírito: práticas e repertórios musicais em articulação com os modos de vida contemporânea na região de Entre Douro e Vouga in Helena Marinho; Jorge Correia e Susana Sardo (eds.) Actas do Congresso Performa 09. Aveiro: INET-MD / Universidade de Aveiro Quando eu nasci o batuque já existia: A poscolonialidade revisitada em duas décadas de batuque cabo-verdiano em Lisboa in Rubén Gómez Muns y Rubén López Cano (eds.) Música, ciudades, redes: creación musical e interacción social. Actas del X Congreso de la SIBE. Sociedad de Etnomusicología; V Congreso IASPM-España; II Congreso de músicas populares del mundo hispano y lusófono. Salamanca: SIBE-Obra Social Caja Duero Com Eunice Viana, Helena Lourosa, Luís Figueiredo, Nuno Dias, Pedro Almeida, Sérgio Calisto e Susana Sardo (gravações e notas): Velhas Palavras Novas Leituras: Poesia Popular e Melodias da Região de Entre Douro e Vouga. Colecção de 5 CD + 5 DVD + Livro. Promovido pela Associação de Municípios de Entre Douro e Vouga / Tradisom. -Poesia Popular e Melodias da Região de Entre Douro e Vouga: Arouca. 1 CD com livro + 1 DVD. S. João da Madeira: Associação de Municipíos das Terras de Santa Maria. -Poesia Popular e Melodias da Região de Entre Douro e Vouga: Oliveira de Azeméis. 1 CD com livro + 1 DVD. S. João da Madeira: Associação de Municipíos das Terras de Santa Maria. -Poesia Popular e Melodias da Região de Entre Douro e Vouga: S. João da Madeira. 1 CD com livro + 1 DVD. S. João da Madeira: Associação de Municipíos das Terras de Santa Maria. -Poesia Popular e Melodias da Região de Entre Douro e Vouga: Santa Maria da Feira. 1 CD com livro + 1 DVD. S. João da Madeira: Associação de Municipíos das Terras de Santa Maria. -Poesia Popular e Melodias da Região de Entre Douro e Vouga: Vale de Cambra. 1 CD com livro + 1 DVD. S. João da Madeira: Associação de Municipíos das Terras de Santa Maria. Experiência Profissional Relevante 2012-presente Professor Auxiliar, Universidade de Aveiro Coordenador Científico com Susana Sardo e Rosário Pestana, investigador do projecto Folclore e Folclorização: Música e Dança no Montijo. INET-MD, Aveiro Assistente convidado do Departamento de Comunicação e Arte, Universidade de Aveiro Investigador do projecto A música no meio : a performance coral no contexto do orfeonismo ( ). Coordenação Científica: Henrique Gomes de Araújo. CITAR, Universidade Católica, Porto Investigador do projecto A Sociedade Orpheon Portuense: Tradição e Inovação. Coordenação Científica: Rosário Pestana. INET-MD, Aveiro Docente dos Cursos Superiores de Direcção e Canto Teatral do Conservatório Superior de Música de Gaia Investigador do projecto Mensageiros do Jazz: A Importância dos divulgadores no percurso do Jazz em Portugal no século XX. Coordenação Científica: Susana Sardo. INET-MD, Aveiro Investigador do projecto MIMAR: Memória e Identidades do Mar: Investigação do Património Expressivo de Ílhavo. Coordenação Científica: Susana Sardo. INET-MD, Aveiro e CETAC media, Aveiro Coordenador Científico com Susana Sardo do Projecto de Investigação e Edição Velhas Palavras Novas Leituras: Poesia Popular e Melodias da Região de Entre Douro e Vouga 8

11 Colecção de 5 CD + 5 DVD + Livro. Trabalho de campo, arquivo e laboratório entre Abril de 2004 e Dezembro de Promovido pela Associação de Municípios de Entre Douro e Vouga / Tradisom. Trabalho de campo: Portugal, Terras de Santa Maria: Santa Maria da Feira, S. João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca Docente do Curso Superior de Música da Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo do Porto do Instituto Politécnico do Porto. Unidades curriculares a leccionar no ciclo de estudos proposto Unidade Curricular Tipo Nº total de horas de contacto Músicas do Mundo na 30 Educação 9

12 ANEXO II 3.3. Unidades Curriculares Unidade Curricular: Músicas do Mundo na Educação Docente responsável Jorge Manuel de Mansilha Castro Ribeiro Outros docentes que lecionam a unidade curricular Objetivos de aprendizagem da unidade 1. Reconhecer a existência de diferentes culturas e processos musicais representativas de uma diversidade cultural planetária; 2. Reflectir criticamente sobre as noções de música ; músicas do mundo e world music ; 3. Identificar características musicais de diferentes culturas nos seus aspectos teóricos e práticos; 4. Analisar diversos contextos em que a música é produzida; 5. Desenvolver um conhecimento crítico sobre as principais questões deste domínio quando aplicadas à educação Conteúdos programáticos 1. Música na sociedade contemporânea, globalização e identidade 2. Etnomusicologia - definições, direcções e problemas 3. A noção de música em diversas culturas 4. Músicas do Mundo e World Music 5. Elementos estruturantes para a análise musical 6. Algumas culturas musicais em África, na Ásia, na Europa e nas Américas 7. Música, migrações e história 8. Colonialismo, poscolonialismo e globalização 9. Música e educação Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular O ponto 1 pretende diagnosticar os conhecimentos formais e informais dos alunos e proporlhes reflexões sobre o primeiro objectivo. Os pontos 2, 3 e 4 dos conteúdos são fundamentais para alcançar os propósitos estabelecidos no segundo objetivo ; o pontos 5 propõe-se fornecer elementos para o desenvolvimento das competências previstas no objectivo 3; o pontos 6 relaciona-se com o objectivo 4 e os três pontos finais 7, 8 e 9 estabelecem as bases de reflexão crítica para o quinto objectivo. Independentemente desta relação, todos os pontos estabelecidos nos conteúdos contribuem, de forma parcial ou na sua totalidade, para a concretização plena dos cinco objectivos definidos. 10

13 Metodologias de ensino Será utilizado o método expositivo, com recurso a materiais audio-visuais, e será privilegiada a participação dos alunos, através da apresentação e discussão, previamente preparadas pelos alunos, de temas, textos audições e/ou filmes. A avaliação será essencialmente contínua e formativa. Os conteúdos abordados nas aulas serão avaliados através da participação nas aulas e da realização de trabalhos em pequeno grupo ou individualmente, com apresentação e discussão em grande grupo e com entrega de produtos escritos (3 a 5 páginas). Para os alunos que se encontrem ao abrigo do regime aplicável ao trabalhador-estudante, mediante contacto prévio com o docente, poder-se-á definir os restantes procedimentos de avaliação. Do exame final constarão todos os conteúdos abordados nas aulas Demonstração da coerência das Metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular As metodologias utilizadas ao privilegiarem, nomeadamente o recurso ao debate, à análise e à reflexão, tanto individual como em grupo, pretendem favorecer de forma eficaz o desenvolvimento dos processos de auto-análise, da sistematização dos conteúdos e da capacidade de reformular autonomamente estratégias de pensamento e de ação. No âmbito desta UC, a utilização da plataforma e-learning entende-se como transversal a todos os objetivos Bibliografia principal Blacking, John (1976) How Musical is Man? London: Faber. Blacking, John 1987) A Commonsense View of all Music, Reflections on Percy Grainger s contribution to ethnomusicology and music education,cambridge, New York, Cambridge University Press. Bholman, Philip (2002) World Music: A Very Short Introduction. ( Very Short Introductions ) 65. London: Oxford University Press. Born, Geogina e Hesmondhalgh, David (eds) (2000) Western Music and Its Others. Berkeley, LA, London: University of California Press. Broughton, Simon, Ellingham, Mark e Lusk, Jon (2009).The Rough Guide to World Music. Londres: Rough Guides, ltd. Castelo-Branco, Salwa El-Shawan (1997) (coord) Portugal e o Mundo: O Encontro de Culturas na Música. Lisboa: Dom Quixote. Castelo-Branco, Salwa El-Shawan e Branco, Jorge Freitas (org.) (2003). Vozes do Povo. A Folclorização em Portugal. Oeiras: Celta editora. Clayton, Martin; Herbert, Trevor; Middleton, Richard (eds) (2003) The Cultural Study of Music: A critical Introduction. NY and London: Routledge. Cook, Nicholas and Everist, Mark (eds) (1999) Rethinking Music. Oxford: Oxford University Press. Erlmann, Veit (1999) Music, Modernity and the Global Imagination: South Africa and the West. 11

14 New York: Oxford University Press. Finnegan, Ruth (2007) The Hidden Musicians: Music-Making in an English Town (Music Culture). Wesleyan Publishers. Melo, Alexandre (2002). Globalização Cultural. Lisboa: Quimera. Merriam, Alan P. (1964) The Anthropology of Music. Evanston: Northwestern University Press. Negus, Keith (1996) Popular Music in Theory: An Introduction(Music/Culture). Wesleyan. Nettl, Bruno (2005) The Study of Ethnomusicology: Thirty-one Issues and Concepts. Urbana and Chicago: University of Illinois Press. Peter and Patrick Williams (1997) An Introduction to Post-Colonial Theory. London: Prentice Hall. Radano, Ronald e Bohlman, Philip (eds) (2000) Music and the Racial Imagination. Chicago, London: University of Chicago Press. Schippers, Huib (2010). Facing the Music. Shaping music education from a global perspective. Oxford: Oxford University Press. Stobart, Henry (2008) The New (Ethno)musicologies (Europea : Ethnomusicologies and Modernities). The Scarecrow Press, Inc. Stokes, Martin (ed) (1994, 1997) Ethnicity, Identity and Music: The Musical Construction of Place. Oxford, New York: Berg. (Introdução) Stone, Ruth (2007)Theory for Ethnomusicology. Prentice Hall. Taylor, Charles (1994)Multiculturalism. Princeton: Princeton University Press. Titton, Jeff Todd (ed.) (2009) Worlds of Music: An Introduction to the Music of the World's Peoples. Belmont: Schirmer. Garland Encyclopedia of World Music (1997/2001). Londres: Routledge. 12

15 ANEXO III Dados Pessoais Nome Instituição de Ensino Superior Unidade Orgânica Categoria Grau Área científica deste grau académico Ano em que foi obtido este grau académico Instituição que conferiu este grau académico Regime de tempo na instituição que submete a proposta Barbara Francke Instituto Politécnico do Porto Escola Superior de Música e das Artes do Espetáculo Assistente Equiparada Licenciatura Direcção (coro e orquestra) 1994 Staatliche Hochschule für Musik Karlsruhe Tempo integral com exclusividade Outros graus académicos ou títulos Ano Grau ou título Área Instituição Classif Professor especialista Direcção Musical IPP - ESMAE Direcção de concertos com diferentes formações (coro, orquestra, ópera): - J. Brahms, Ein deutsches Requiem - I. Stravinsky, Sinfonia dos salmos - L.Berio, Magnificat - J.Haydn, Missa in Tempore Belli - Stravinsky,ópera: Le Rossingnol - Charpentier, Messe de Minuit de Noel - J.S. Bach, Paixão segundo S.João, Oratória de Natal - Arvo Pärt, Te Deum - J.Françaix, ópera: Paris a nous Deux Realização de concertos com um Coro de Jazz aquijazz a cappella e acompanhado por trio de jazz. Participação em vários festivais internacionais com um coro de jazz. Em 2006 recebeu um prémio no International Aarhus Vocal Festival. Gravação de um CD ao vivo, em 2007, e de um segundo CD com o quarteto vocal Jogo de Damas, em Experiência Profissional Relevante 1996 Professora de Direcção Coral na Kirchenmusikalischen Ausbildungsstätte [Centro de Formação de Músicos de Igreja] de Schlüchtern 1998 a Professora na Academia de Música de Espinho e na Escola Superior de Educação 13

16 Jean Piaget de Viseu 2000 a Docente na ESMAE, das unidades curriculares de Coro, Direcção e Música de Câmara 2000 a Docente das unidades curriculares de Direcção Coral e de Coro na Universidade Católica do Porto Orientação da disciplina de Didáctica Específica da Classe de Conjunto na profissionalização. Unidades curriculares a leccionar no ciclo de estudos proposto Unidade Curricular Tipo Nº total de horas de contacto Direcção e Classes de Conjunto PL 30 Outras unidades curriculares a leccionar em ciclo de estudos em funcionamento Unidade Curricular Ciclo de estudos Nº total de horas de contacto Coro Licenciatura 8 Música de Câmara Licenciatura 3 Direcção Licenciatura 2 14

17 ANEXO IV MESTRADO EM ENSINO DA MÚSICA RAMOS TOTAL DE VAGAS (previsão de distribuição) Conservatório de Música do Porto (nº de alunos) Professor orientador ESE/ ESMAE Professor cooperante do C.M.P. Academia de Música de Vilar do Paraíso (nº de alunos) Professor orientador ESE/ ESMAE Professor cooperante da A.M.V.P. Escola de Música Óscar da Silva (nº de alunos) Professor orientador ESE/ ESMAE Professor cooperante da E.M.Ó.S. Escola de Música da Póvoa do Varzim (nº de alunos) Professor orientador ESE/ ESMAE Professor cooperante da E.M.P.V. INSTRUMENTO 20 6 Sofia Lourenço Nuno Pinto Eduardo Resende Francisco Ferreira 8 Constantin Sandu Florian Pertzborn Pedro Ludgero Augusto Pacheco 3 Manuel Campos Rui Rodrigues 3 Abel Pereira César Maciel CANTO 2 2 António Salgado Palmira Troufa JAZZ 8 8 António Aguiar Carlos Azevedo Paulo Carvalho Paulo Gomes FORMAÇÃO MUSICAL 15 4 Graça Mota Fernando Valente 4 Francisco Monteiro Cláudia Borges 3 Jorge Costa Fátima Carreira 4 Rui Bessa Abel Carriço total NOTA: quadro demonstrativo de uma possível distribuição dos candidtos pelos diferentes locais de estágio, em função dos professores cooperantes existentes e mantendo a relação professor cooperante/ aluno, de acordo com a recomendação de melhoria.

NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Instituto Politécnico De Lisboa

Leia mais

PEDIDO DE ACREDITAÇÃO PRÉVIA DE NOVO CICLO DE ESTUDOS (PAPNCE) (Ensino Universitário e Politécnico) Guião de apresentação

PEDIDO DE ACREDITAÇÃO PRÉVIA DE NOVO CICLO DE ESTUDOS (PAPNCE) (Ensino Universitário e Politécnico) Guião de apresentação PEDIDO DE ACREDITAÇÃO PRÉVIA DE NOVO CICLO DE ESTUDOS (PAPNCE) (Ensino Universitário e Politécnico) Guião de apresentação Versão de Setembro de 2013 APRESENTAÇÃO DO PEDIDO A1. Instituição de ensino superior

Leia mais

PEDIDO DE ACREDITAÇÃO PRÉVIA DE NOVO CICLO DE ESTUDOS (PAPNCE) (Ensino Universitário e Politécnico) Guião de apresentação

PEDIDO DE ACREDITAÇÃO PRÉVIA DE NOVO CICLO DE ESTUDOS (PAPNCE) (Ensino Universitário e Politécnico) Guião de apresentação PEDIDO DE ACREDITAÇÃO PRÉVIA DE NOVO CICLO DE ESTUDOS (PAPNCE) (Ensino Universitário e Politécnico) Guião de apresentação Versão de Abril de 2014 APRESENTAÇÃO DO PEDIDO A1. Instituição de ensino superior

Leia mais

NCE/10/00411 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/00411 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/00411 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Iade Instituto De Artes Visuais,

Leia mais

PEDIDO DE ACREDITAÇÃO PRÉVIA DE NOVO CICLO DE ESTUDOS (PAPNCE) (Ensino Universitário e Politécnico) Guião de apresentação

PEDIDO DE ACREDITAÇÃO PRÉVIA DE NOVO CICLO DE ESTUDOS (PAPNCE) (Ensino Universitário e Politécnico) Guião de apresentação PEDIDO DE ACREDITAÇÃO PRÉVIA DE NOVO CICLO DE ESTUDOS (PAPNCE) (Ensino Universitário e Politécnico) Guião de apresentação Versão de 31 de Agosto de 2011 APRESENTAÇÃO DO PEDIDO A1. Instituição de ensino

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

NCE/11/01851 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/11/01851 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/11/01851 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Fedrave - Fundação Para O Estudo E

Leia mais

NCE/13/00371 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos

NCE/13/00371 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos NCE/13/00371 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos NCE/13/00371 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos Decisão de Apresentação de Pronúncia ao Relatório da

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DOS MESTRADOS EM ENSINO - FORMAÇÃO DE PROFESSORES

REGULAMENTO INTERNO DOS MESTRADOS EM ENSINO - FORMAÇÃO DE PROFESSORES REGULAMENTO INTERNO DOS MESTRADOS EM ENSINO - FORMAÇÃO DE PROFESSORES Artigo 1º Âmbito O Regulamento interno dos mestrados em ensino formação inicial de professores aplica-se aos seguintes ciclos de estudo

Leia mais

PEDIDO ESPECIAL DE RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE CICLO DE ESTUDOS NÃO-ALINHADO (PERA) Guião de apresentação do pedido

PEDIDO ESPECIAL DE RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE CICLO DE ESTUDOS NÃO-ALINHADO (PERA) Guião de apresentação do pedido PEDIDO ESPECIAL DE RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE CICLO DE ESTUDOS NÃO-ALINHADO (PERA) (Ensino Universitário e Politécnico) Guião de apresentação do pedido Versão 1.0 março de 2015 0. Âmbito do guião e síntese

Leia mais

Um mar de oportunidades. Mestrado em Gestão Portuária. Mensagem do Presidente da ENIDH Escola Superior Náutica Infante D. Henrique.

Um mar de oportunidades. Mestrado em Gestão Portuária. Mensagem do Presidente da ENIDH Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Um mar de oportunidades Mestrado em Gestão Portuária Mensagem do Presidente da ENIDH Escola Superior Náutica Infante D. Henrique A ENIDH é a Escola Superior pública portuguesa que assegura a formação de

Leia mais

NCE/14/00981 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/14/00981 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/14/00981 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade Do Porto A.1.a.

Leia mais

NCE/10/00116 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/00116 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/00116 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Do Minho A.1.a. Descrição

Leia mais

REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO E MARKETING

REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO E MARKETING REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO E MARKETING REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO E MARKETING O presente regulamento foi homologado pelo Presidente da ESEV, a 18

Leia mais

NCE/10/01121 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/01121 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/01121 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universitas, Crl A.1.a. Descrição

Leia mais

Mestrado em Contabilidade, Fiscalidade e Finanças Empresariais. Edição 2009/2010. Cidade da Praia, Cabo Verde

Mestrado em Contabilidade, Fiscalidade e Finanças Empresariais. Edição 2009/2010. Cidade da Praia, Cabo Verde Mestrado em Contabilidade, Fiscalidade e Finanças Empresariais Edição 2009/2010 Cidade da Praia, Cabo Verde A ponte para o futuro Mestrado em Contabilidade, Fiscalidade e Finanças Empresariais Edição 2009/2010

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação Especialização: História da Educação (Regime a Distância) Edição Instituto de Educação da Universidade de

Leia mais

REGULAMENTO DOS DIPLOMAS DE ESPECIALIZAÇÃO

REGULAMENTO DOS DIPLOMAS DE ESPECIALIZAÇÃO REGULAMENTO DOS DIPLOMAS DE ESPECIALIZAÇÃO Aprovado em reunião da Comissão Coordenadora do Conselho Científico em 22/11/2006 Aprovado em reunião de Plenário do Conselho Directivo em 13/12/2006 PREÂMBULO

Leia mais

NCE/14/00711 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/14/00711 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/14/00711 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Cofac - Cooperativa De Formação E

Leia mais

Instituto Politécnico de Lisboa Escola Superior de Música de Lisboa MESTRADO EM ENSINO DA MÚSICA REGULAMENTO SECÇÃO I DA ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DO CURSO

Instituto Politécnico de Lisboa Escola Superior de Música de Lisboa MESTRADO EM ENSINO DA MÚSICA REGULAMENTO SECÇÃO I DA ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DO CURSO Instituto Politécnico de Lisboa Escola Superior de Música de Lisboa MESTRADO EM ENSINO DA MÚSICA REGULAMENTO SECÇÃO I DA ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DO CURSO Artigo 1º Objecto 1 O presente regulamento aplica-se

Leia mais

Regulamento do 2º ciclo de estudos da Universidade da Madeira

Regulamento do 2º ciclo de estudos da Universidade da Madeira Regulamento do 2º ciclo de estudos da Universidade da Madeira Artigo 1.º Enquadramento jurídico O presente Regulamento visa desenvolver e complementar o regime jurídico instituído pelo Decreto-Lei n.º

Leia mais

CRITÉRIOS DE QUALIFICAÇÃO DE PESSOAL DOCENTE PARA A ACREDITAÇÃO DE CICLOS DE ESTUDOS

CRITÉRIOS DE QUALIFICAÇÃO DE PESSOAL DOCENTE PARA A ACREDITAÇÃO DE CICLOS DE ESTUDOS CRITÉRIOS DE QUALIFICAÇÃO DE PESSOAL DOCENTE PARA A ACREDITAÇÃO DE CICLOS DE ESTUDOS Versão 1.1 Setembro 2013 1. Critérios (mínimos) de referência quanto à qualificação do corpo docente para a acreditação

Leia mais

MARKETING RELACIONAL. Como Transformar a Fidelização de Clientes numa Vantagem Competitiva? Regime b-learning. mestrado 2012 > 2013

MARKETING RELACIONAL. Como Transformar a Fidelização de Clientes numa Vantagem Competitiva? Regime b-learning. mestrado 2012 > 2013 2012 > 2013 mestrado MARKETING RELACIONAL Regime b-learning escola superior de tecnologia e gestão instituto politécnico de leiria Como Transformar a Fidelização de Clientes numa Vantagem Competitiva?

Leia mais

NCE/11/01396 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/11/01396 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/11/01396 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: E.I.A. - Ensino, Investigação

Leia mais

Instituto Superior da Maia ISMAI CET. Realização de Eventos Multimédia

Instituto Superior da Maia ISMAI CET. Realização de Eventos Multimédia Instituto Superior da Maia ISMAI CET Realização de Eventos Multimédia CoordenadorA Professora Doutora Célia Sousa Vieira cvieira@ismai.pt fundamentos e Objectivos A área de formação deste CET reside nos

Leia mais

NCE/14/01786 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/14/01786 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/14/01786 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade De Évora A.1.a. Outra(s)

Leia mais

CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade

Leia mais

NCE/10/01386 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/01386 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/01386 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Instituto Politécnico De Castelo Branco

Leia mais

Mestrado em Conservação e Restauro com área de especialização em Conservação e Restauro ou Ciências da Conservação

Mestrado em Conservação e Restauro com área de especialização em Conservação e Restauro ou Ciências da Conservação Mestrado em Conservação e Restauro 1 Mestrado em Conservação e Restauro com área de especialização em Conservação e Restauro ou Ciências da Conservação Artigo 1º Criação A Universidade Nova de Lisboa (UNL),

Leia mais

CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Centro

Leia mais

Escola Superior de Educação João de Deus

Escola Superior de Educação João de Deus Regulamento do 2.º Ciclo de Estudos Conducente ao Grau de Mestre em Educação Especial: Domínio Cognitivo e Motor Artigo 1.º Objectivos Os objectivos dos cursos de Mestrado (2.º ciclo), da Escola Superior

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Sociologia

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Sociologia UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Sociologia REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM SOCIOLOGIA: EXCLUSÕES E POLÍTICAS SOCIAIS Artigo 1º Objecto O Regulamento do

Leia mais

CURSOS DE COMPLEMENTO DE FORMAÇÃO EM ENSINO DE INGLÊS PARA O 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO NA FCSH/UNL (PARA OS GRUPOS DE DOCÊNCIA 110, 220 E 330)

CURSOS DE COMPLEMENTO DE FORMAÇÃO EM ENSINO DE INGLÊS PARA O 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO NA FCSH/UNL (PARA OS GRUPOS DE DOCÊNCIA 110, 220 E 330) CURSOS DE COMPLEMENTO DE FORMAÇÃO EM ENSINO DE INGLÊS PARA O 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO NA FCSH/UNL (PARA OS GRUPOS DE DOCÊNCIA 110, 220 E 330) Artigo 1º Apresentação 1. No âmbito do Decreto Lei n.º 176/2014,

Leia mais

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Da Beira Interior A.1.a. Identificação

Leia mais

Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira

Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira Relatório Resumo Junho de 2012 Índice 1. Objectivo... 3 2. Enquadramento... 3 3. Trabalho realizado... 3 4. Dados síntese da Licenciatura

Leia mais

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Do Minho A.1.a. Identificação

Leia mais

NCE/12/00991 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/12/00991 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/12/00991 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade De Aveiro A.1.a. Outra(s)

Leia mais

Escola Superior de Educação João de Deus

Escola Superior de Educação João de Deus Regulamento do 2.º Ciclo de Estudos Conducente ao Grau de Mestre em Educação pela Arte Artigo 1.º Objectivos Os objectivos dos cursos de mestrado (2.º ciclo), da Escola Superior de Educação João de Deus

Leia mais

Produção Multimédia Interactiva

Produção Multimédia Interactiva Produção Multimédia Interactiva Candidaturas 2012/13 secretaria@ipa.univ.pt http://pmi.ipa.univ.pt www.ipa.univ.pt IPA Instituto Superior Autónomo de Estudos Politécnicos No IPA prosseguimos os seguintes

Leia mais

Guião para a autoavaliação. Ciclo de estudos em funcionamento. (Ensino Universitário e Politécnico)

Guião para a autoavaliação. Ciclo de estudos em funcionamento. (Ensino Universitário e Politécnico) Guião para a autoavaliação Ciclo de estudos em funcionamento (Ensino Universitário e Politécnico) Guião ACEF 2014/2015 PT (Revisão aprovada em 26.03.2014) Caracterização do pedido A1. Instituição de ensino

Leia mais

NCE/11/00621 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos

NCE/11/00621 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos NCE/11/00621 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos NCE/11/00621 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos Decisão de Apresentação de Pronúncia ao Relatório da

Leia mais

NCE/12/00706 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/12/00706 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/12/00706 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Ensilis - Educação E Formação Sa A.1.a.

Leia mais

PROPOSTA DE REGULAMENTO DE MESTRADO DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA

PROPOSTA DE REGULAMENTO DE MESTRADO DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA PROPOSTA DE REGULAMENTO DE MESTRADO DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA De acordo com o art. 14 da Lei de Bases do Sistema Educativo e ao abrigo do Capítulo III do Decreto-Lei 74/2006, e para aprovação pelo Conselho

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE PORTALEGRE ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO REGULAMENTO DO DEPARTAMENTO. Tecnologia e Design

INSTITUTO POLITÉCNICO DE PORTALEGRE ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO REGULAMENTO DO DEPARTAMENTO. Tecnologia e Design INSTITUTO POLITÉCNICO DE PORTALEGRE ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO REGULAMENTO DO DEPARTAMENTO Tecnologia e Design CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1.º (Definição) O Departamento de Tecnologia

Leia mais

REGULAMENTO ESPECIFICO DO CURSO DE MESTRADO EM DESPORTO 2009 REGULAMENTO

REGULAMENTO ESPECIFICO DO CURSO DE MESTRADO EM DESPORTO 2009 REGULAMENTO Instituto Politécnico de Santarém Escola Superior de Desporto de Rio Maior MESTRADO EM DESPORTO REGULAMENTO Artigo 1º Natureza e âmbito de aplicação 1. O curso pretende atingir os objectivos apresentados

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM JOGO E MOTRICIDADE NA INFÂNCIA. (Edição 2012-2014)

EDITAL MESTRADO EM JOGO E MOTRICIDADE NA INFÂNCIA. (Edição 2012-2014) 1/10 EDITAL MESTRADO EM JOGO E MOTRICIDADE NA INFÂNCIA (Edição 2012-2014) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de março, com as alterações que lhes

Leia mais

Parecer. Conselheiro/Relator: Maria da Conceição Castro Ramos

Parecer. Conselheiro/Relator: Maria da Conceição Castro Ramos Parecer Projeto de Decreto-Lei que procede à revisão do regime jurídico da habilitação profissional para a docência dos educadores e professores dos ensinos básico e secundário Conselheiro/Relator: Maria

Leia mais

Cardiopneumologia Descrição

Cardiopneumologia Descrição Mestrado Cardiopneumologia Descrição A Cardiopneumologia é a Ciência que estuda a função (fisiologia) e estrutura (anatomia) dos sistemas cardíaco, vascular e respiratório. O Mestrado em Cardiopneumologia

Leia mais

Normas Regulamentares do Mestrado em Educação Pré-Escolar e em Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico

Normas Regulamentares do Mestrado em Educação Pré-Escolar e em Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico Normas Regulamentares do Mestrado em Educação Pré-Escolar e em Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico Artigo 1.º Da admissão ao ciclo de estudos 1. À matrícula no mestrado em Educação Pré-Escolar e em Ensino

Leia mais

CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM

CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Pedro Jorge Richheimer Marta de Sequeira Marília Oliveira Inácio Henriques 1 P á g i n a 1. Enquadramento da Candidatura

Leia mais

SUPLEMENTO I SÉRIE ÍNDICE. Ministério da Educação e Ciência. Quarta-feira, 26 de setembro de 2012 Número 187

SUPLEMENTO I SÉRIE ÍNDICE. Ministério da Educação e Ciência. Quarta-feira, 26 de setembro de 2012 Número 187 I SÉRIE Quarta-feira, 26 de setembro de 2012 Número 187 ÍNDICE SUPLEMENTO Ministério da Educação e Ciência Portaria n.º 292-A/2012: Cria uma experiência-piloto de oferta formativa de cursos vocacionais

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM INFORMÁTICA APLICADA. (Edição 2015-2017)

EDITAL MESTRADO EM INFORMÁTICA APLICADA. (Edição 2015-2017) EDITAL MESTRADO EM INFORMÁTICA APLICADA (Edição 2015-2017) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de Março, com as alterações que lhes foram introduzidas

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA INOV-ART NOS TERMOS DA PORTARIA N.º 1103/2008 DE 2 DE OUTUBRO

REGULAMENTO DO PROGRAMA INOV-ART NOS TERMOS DA PORTARIA N.º 1103/2008 DE 2 DE OUTUBRO REGULAMENTO DO PROGRAMA INOV-ART NOS TERMOS DA PORTARIA N.º 1103/2008 DE 2 DE OUTUBRO CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1.º- Âmbito de aplicação O presente Regulamento aplica -se à medida INOV-Art -

Leia mais

NCE/14/00251 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos

NCE/14/00251 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos NCE/14/00251 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos NCE/14/00251 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos Decisão de Apresentação de Pronúncia ao Relatório da

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE MESTRADO DA ESTBarreiro/IPS

REGULAMENTO DOS CURSOS DE MESTRADO DA ESTBarreiro/IPS REGULAMENTO DOS CURSOS DE MESTRADO DA ESTBarreiro/IPS Artigo 1.º Duração e estrutura do ciclo de estudos conducente ao grau de Mestre 1. O ciclo de estudos conducente ao grau de Mestre, ministrado na ESTBarreiro/IPS,

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação Especialização: Administração Educacional Edição Instituto de Educação da Universidade de Lisboa julho de

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO N. o 203 3-9-1998 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B 4595 mento. Pelo Ministro Adjunto, Fausto de Sousa Correia, Secretário de Estado da Administração Pública e da Modernização Administrativa. A Ministra da

Leia mais

NCE/13/00751 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/13/00751 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/13/00751 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Instituto Politécnico De Castelo

Leia mais

REGULAMENTO CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS DO INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO E DA ADMINISTRAÇÃO (ISCIA) Disposições Gerais

REGULAMENTO CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS DO INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO E DA ADMINISTRAÇÃO (ISCIA) Disposições Gerais REGULAMENTO CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS DO INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO E DA ADMINISTRAÇÃO (ISCIA) Disposições Gerais O presente regulamento visa aplicar o regime estabelecido

Leia mais

NCE/11/01386 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/11/01386 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/11/01386 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Maiêutica Cooperativa De Ensino Superior,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. N. o 184 11-8-1998 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. N. o 184 11-8-1998 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 184 11-8-1998 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A 3907 seguem as atribuições e competências que lhes são conferidas pelos respectivos estatutos, aprovados, respectivamente, pelos Decretos-Leis n. os 74/95,

Leia mais

Curso de Especialização em Sociologia Mobilidades e Identidades

Curso de Especialização em Sociologia Mobilidades e Identidades Curso de Especialização em Sociologia Mobilidades e Identidades Objectivos O Curso de Especialização em Sociologia Mobilidades e Identidades pretende fornecer aos futuros profissionais da área da Sociologia

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular. Fernando Galrito, Stephan Jürgens, Filipe Pais

Ficha de Unidade Curricular. Fernando Galrito, Stephan Jürgens, Filipe Pais Ficha de Unidade Curricular Fernando Galrito, Stephan Jürgens, Filipe Pais Unidade Curricular Designação PROJECTO INTERDISCIPLINAR ARTÍSTICO Área Científica CV Ciclo de Estudos SOM E IMAGEM Carácter: Obrigatória

Leia mais

EDITAL. MESTRADO EM COMÉRCIO ELECTRÓNICO (3ª Edição 2012/2014)

EDITAL. MESTRADO EM COMÉRCIO ELECTRÓNICO (3ª Edição 2012/2014) EDITAL MESTRADO EM COMÉRCIO ELECTRÓNICO (3ª Edição 2012/2014) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/200, de 24 de Março, com as alterações que lhes foram introduzidas

Leia mais

Vou entrar no Ensino Secundário. E agora? Que via escolher?

Vou entrar no Ensino Secundário. E agora? Que via escolher? Vou entrar no Ensino Secundário. E agora? Que via escolher? A publicação da Lei n.º 85/2009, de 27 de Agosto, estabelece o regime de escolaridade obrigatória para as crianças e jovens em idade escolar,

Leia mais

Diário da República, 2.ª série N.º 49 11 de Março de 2010 11201

Diário da República, 2.ª série N.º 49 11 de Março de 2010 11201 Diário da República, 2.ª série N.º 49 11 de Março de 2010 11201 vem obedecer às orientações para este efeito emitidas por despacho do Director da FCSH. 2 A tese de doutoramento deverá ter um mínimo de

Leia mais

NCE/12/01121 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/12/01121 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/12/01121 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade Do Algarve A.1.a.

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de e Economia REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM ECONOMIA Artigo 1.º Criação A Universidade da Beira Interior, através do Departamento

Leia mais

Gestão Empresarial. Comércio e Serviços

Gestão Empresarial. Comércio e Serviços Curso de Gestão Empresarial para Comércio e Serviços PROMOÇÃO: COLABORAÇÃO DE: EXECUÇÃO: APRESENTAÇÃO: > A aposta na qualificação dos nossos recursos humanos constitui uma prioridade absoluta para a Confederação

Leia mais

REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS

REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Ciências Sociais e Humanas REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS Artigo 1º Natureza O presente regulamento

Leia mais

NCE/10/00531 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/00531 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/00531 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Cofac - Cooperativa De Formação E

Leia mais

I - Disposições gerais. Artigo 1.º Âmbito da cooperação

I - Disposições gerais. Artigo 1.º Âmbito da cooperação Decreto n.º 25/2002 Acordo de Cooperação na Área da Educação e Cultura entre a República Portuguesa e a Região Administrativa Especial de Macau da República Popular da China, assinado em Lisboa, em 29

Leia mais

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional*

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* 1. Natureza do mestrado profissional A pós-graduação brasileira é constituída, atualmente, por dois eixos claramente distintos: o eixo acadêmico, representado

Leia mais

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Regulamento dos cursos do ciclo de estudos conducente ao grau de licenciado O presente regulamento estabelece as normas que complementam as que decorrem do regime

Leia mais

NCE/14/01501 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/14/01501 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/14/01501 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade Católica Portuguesa A.1.a.

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DO JAZZ II Ano Lectivo 2015/2016

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DO JAZZ II Ano Lectivo 2015/2016 Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DO JAZZ II Ano Lectivo 2015/2016 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Jazz e Música Moderna 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE

ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Fundação Minerva - Cultura - Ensino E Investigação

Leia mais

Objectivos Proporcionar experiências musicais ricas e diversificadas e simultaneamente alargar possibilidades de comunicação entre Pais e bebés.

Objectivos Proporcionar experiências musicais ricas e diversificadas e simultaneamente alargar possibilidades de comunicação entre Pais e bebés. O estudo do desenvolvimento musical da criança é um campo de trabalho privilegiado pela CMT, tendo em conta o perfil curricular de alguns dos seus elementos, com ligações ao meio universitário. Um pouco

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular GESTÃO E ORGANIZAÇÃO DO DESPORTO Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular GESTÃO E ORGANIZAÇÃO DO DESPORTO Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular GESTÃO E ORGANIZAÇÃO DO DESPORTO Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Motricidade Humana 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade

Leia mais

NCE/15/00099 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/15/00099 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/15/00099 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Instituto Politécnico De Setúbal

Leia mais

ACEF/1112/03902 Relatório final da CAE

ACEF/1112/03902 Relatório final da CAE ACEF/1112/03902 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Da Beira Interior A.1.a. Identificação

Leia mais

Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança)

Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança) Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança) 1 - Apresentação Grau Académico: Mestre Duração do curso: : 2 anos lectivos/ 4 semestres Número de créditos, segundo o Sistema

Leia mais

Deliberação n.º 762/2003

Deliberação n.º 762/2003 Deliberação n.º 762/2003 de 27 de Maio Deliberação n.º 763/2003. - Por deliberação da Secção Permanente do Senado, em reunião de 5 de Fevereiro de 2003, foi aprovada a criação do curso de Mestrado em Ciências

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DOM AFONSO III. Regulamento do Mestrado em Marketing Comunicação Multimédia. Artigo 1º

INSTITUTO SUPERIOR DOM AFONSO III. Regulamento do Mestrado em Marketing Comunicação Multimédia. Artigo 1º INSTITUTO SUPERIOR DOM AFONSO III Regulamento do Mestrado em Marketing Comunicação Multimédia Artigo 1º O Instituto Superior Dom Afonso III (INUAF), concede o grau de Mestre na especialidade de Marketing,

Leia mais

NCE/09/01302 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/09/01302 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/09/01302 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas 1 a 7 1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade De Aveiro 1.a. Descrição

Leia mais

TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS SECÇÃO ÚNICA Disposições Gerais

TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS SECÇÃO ÚNICA Disposições Gerais REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DO TÍTULO DE ESPECIALISTA NA ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM S. FRANCISCO DAS MISERICÓRDIAS TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS SECÇÃO ÚNICA Disposições Gerais Artigo 1.º (Objecto e âmbito)

Leia mais

REGULAMENTO DE CANDIDATURA AOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS

REGULAMENTO DE CANDIDATURA AOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS PREÂMBULO Nos termos do artigo 11.º do Decreto -Lei n.º 43/2014 de 18 de março, é aprovado o Regulamento das Condições de Ingresso nos Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTSP) do Instituto Politécnico

Leia mais

ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE

ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade De Lisboa A.1.a. Outras Instituições

Leia mais

Mestrado Construção Civil. Edital 3ª Edição 2011-2012

Mestrado Construção Civil. Edital 3ª Edição 2011-2012 Mestrado Construção Civil Edital 3ª Edição 2011-2012 Barreiro, Maio de 2011 ENQUADRAMENTO O curso de Mestrado em Construção Civil da Escola Superior de Tecnologia do Barreiro do Instituto Politécnico de

Leia mais

REGULAMENTO DO CENTRO DE ATIVIDADES E RECURSOS CAR

REGULAMENTO DO CENTRO DE ATIVIDADES E RECURSOS CAR REGULAMENTO DO CENTRO DE ATIVIDADES E RECURSOS CAR INDÍCE A) Noção... 2 B) Objetivos... 2 C) Destinatários... 2 D) Serviços do Centro de Atividades e Recursos (C.A.R.)... 2 E) Atividades... 3 F) Condições

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PLANIFICAÇÃO ESTRATÉGICA DOS MEDIA Ano Lectivo 2010/2011

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PLANIFICAÇÃO ESTRATÉGICA DOS MEDIA Ano Lectivo 2010/2011 Programa da Unidade Curricular PLANIFICAÇÃO ESTRATÉGICA DOS MEDIA Ano Lectivo 2010/2011 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Marketing e Publicidade 3. Ciclo de Estudos

Leia mais

CURRICULUM VITAE. José Carlos Salgueiro Vasconcelos e Sá. Lisboa, Fevereiro de 2015

CURRICULUM VITAE. José Carlos Salgueiro Vasconcelos e Sá. Lisboa, Fevereiro de 2015 CURRICULUM VITAE DE José Carlos Salgueiro Vasconcelos e Sá Lisboa, Fevereiro de 2015 I - DADOS PESSOAIS NOME - José Carlos Salgueiro de Vasconcelos e Sá MORADA - Rua Prof. Henrique Vilhena 11, 1 - D 1600

Leia mais

Normas Regulamentares dos Mestrados Versão: 03 Data: 13/03/2013

Normas Regulamentares dos Mestrados Versão: 03 Data: 13/03/2013 Normas Regulamentares dos Mestrados Versão: 03 Data: 13/03/2013 RG PR12 04 Elaborado: Verificado: Aprovado: Conselho Técnico Científico do IPB GPGQ Conselho Técnico Científico do IPB Pág. 1 de 16 Instituto

Leia mais

REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM PUBLICIDADE E RELAÇÕES PÚBLICAS

REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM PUBLICIDADE E RELAÇÕES PÚBLICAS REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM PUBLICIDADE E RELAÇÕES PÚBLICAS REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM PUBLICIDADE E RELAÇÕES PÚBLICAS O presente regulamento foi homologado pelo Presidente

Leia mais

3 - A avaliação do desempenho docente, a que se refere a alínea c) do número anterior, rege-se por Regulamento específico.

3 - A avaliação do desempenho docente, a que se refere a alínea c) do número anterior, rege-se por Regulamento específico. REGULAMENTO INTERNO DA CARREIRA DOCENTE DA ESG/ ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º Objeto 1 - O presente Regulamento define o conjunto de critérios a observar na Escola Superior

Leia mais

Universidade Nova de Lisboa ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA

Universidade Nova de Lisboa ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA REGULAMENTO O Regulamento do Curso de Especialização em Medicina do Trabalho (CEMT) visa enquadrar, do ponto de vista normativo, o desenvolvimento das actividades inerentes ao funcionamento do curso, tendo

Leia mais

EngIQ. em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química. Uma colaboração:

EngIQ. em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química. Uma colaboração: EngIQ Programa de Doutoramento em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química Uma colaboração: Associação das Indústrias da Petroquímica, Química e Refinação (AIPQR) Universidade de Aveiro Universidade

Leia mais

Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado

Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado Edital 4ª Edição 2012-2013 Barreiro, Julho de 2012 Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado 1 ENQUADRAMENTO A Pós-Graduação em Conservação

Leia mais

REGULAMENTO DE APLICAÇÃO DO SISTEMA DE CRÉDITOS CURRICULARES (ECTS)

REGULAMENTO DE APLICAÇÃO DO SISTEMA DE CRÉDITOS CURRICULARES (ECTS) REGULAMENTO DE APLICAÇÃO DO SISTEMA DE CRÉDITOS CURRICULARES (ECTS) (Ratificado pelo Conselho Científico em 20 de Abril de 2006) CAPÍTULO I Objecto, âmbito e conceitos Artigo 1.º Objecto Em conformidade

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE POLITÉCNICOS DO NORTE (APNOR) CONCURSO DE ACESSO E DE REINGRESSO NOS CURSOS DE MESTRADO. Edição de 2014/2015 EDITAL

ASSOCIAÇÃO DE POLITÉCNICOS DO NORTE (APNOR) CONCURSO DE ACESSO E DE REINGRESSO NOS CURSOS DE MESTRADO. Edição de 2014/2015 EDITAL EDITAL João Alberto Sobrinho Teixeira, Presidente do Instituto Politécnico de Bragança; João Baptista da Costa Carvalho, Presidente do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave; Maria do Rosário Gambôa

Leia mais