A CLÍNICA DO EXCESSO; OU A CLÍNICA DO AMOR EM JACQUES LACAN

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A CLÍNICA DO EXCESSO; OU A CLÍNICA DO AMOR EM JACQUES LACAN"

Transcrição

1 Edital de inscrição Psicanálise 2008 Estão abertas as inscrições para o Corpo de Formação em Psicanálise, do IPLA Instituto da Psicanálise Lacaniana, 2008 INSTITUTO DA PSICANÁLISE LACANIANA CORPO DE FORMAÇÃO EM PSICANÁLISE 2008 A CLÍNICA DO EXCESSO; OU A CLÍNICA DO AMOR EM JACQUES LACAN APRESENTAÇÃO Para 2008, o Corpo de Formação em Psicanálise do Instituto de Psicanálise Lacaniana IPLA planejou um trabalho concomitante com o momento do lançamento mundial do Seminário XVIII de Jacques Lacan: D un discours qui ne serait pas du semblant. Ao longo de todo ano, o amor (este excesso perturbador que atormenta e revigora) será tomado como o fio condutor de seus trabalhos que visam à transmissão de uma clínica psicanalítica pensada para funcionar aqui e agora, ou seja, sempre contemporânea. As atividades planejadas para o Corpo de Formação pressupõem que, socialmente, estamos tentando inventar modos para lidar com um paradoxo. Por um lado, nascemos em uma época na qual é possível a cada um se responsabilizar por passar sua diferença no mundo. Por outro, somos constantemente convocados a nos esconder por meio de semblantes 1

2 padronizados, homogêneos. Dado seu caráter de excesso, o amor, esta coisa imprevisível e indisciplinada nos impede de nos limitarmos à segunda opção. Assim, indaga-se: como se encontrar amorosamente com o outro sem abrir mão de sua diferença? Na impossibilidade de inventar uma saída para o impasse pressuposto nesta questão, o sujeito contemporâneo sofre. Convidamos a todos os interessados para se juntar a nós, em um percurso de trabalho que tem como vocação a construção de respostas múltiplas para esta questão geradora. Para nós, a Clínica do excesso, ou a Clínica do amor em Jacques Lacan é o ponto de partida. COMO TRABALHAMOS? O Corpo de Formação em Psicanálise segue uma metodologia estrutural na formação do analista, coerente com o ensino de Jacques Lacan. O tema geral do ano é subdividido em quatro módulos, cada qual regido por uma pergunta geradora. Todos os módulos são compostos de duas exposições, durante as quais a totalidade dos membros do Corpo de Formação é reunida. Em 2008, todas as exposições serão dedicadas ao estudo de segmentos do seminário Seminário XVIII de Jacques Lacan: D un discours qui ne serait pas du semblant. As duas aulas expositivas que dão início a cada um dos módulos são seguidas por seis reuniões de pequenos grupos, formados por meio de sorteio. Os pequenos grupos definem seu próprio percurso de pesquisa, durante o qual são acompanhados por um tutor e um sombra. É pressuposto o estudo individual dos textos indicados no final deste programa, bem como a pesquisa dos demais textos que venham a se mostrar adequados ao percurso definido por cada um dos grupos durante os quatro módulos. Ao final de cada módulo, um trabalho do grupo, no qual as principais elaborações coletivas ficam registradas, é apresentado. No início de dezembro, os resultados anuais dos trabalhos do Instituto da Psicanálise 2

3 Lacaniana e do Projeto Análise são discutidos em um fim de semana de Conversação Clínica. Coordenadores dos trabalhos no Corpo de Formação: Coordenação Geral: Jorge Forbes Coordenação: Ariel Bogochvol Tutores: Ariel Bogochvol Claudia Riolfi Elza Macedo Elizabeth Almeida Sombras : Alain Mouzat Dorothee Rudiger Leny M Mrech Liége Lise Maria Helena B. Bogochvol PROGRAMA MÓDULO I: Por que o nosso corpo é o que temos de mais estranho? Estudo das aulas proferidas por Lacan em 13/01/71, 20/01/71 e 10/02/71, a saber: Instruction au titre de ce séminaire; L'Homme et la Fémme; e Contre les linguistes. TEMAS A SEREM TRABALHADOS PELOS PEQUENOS GRUPOS: 1) O corpo humano, esse estranho 2) A sexualidade como fundamento do estranho 3) Diga-me quem é tua esposa e eu te direi quem és 4) O corpo nas estruturas clínicas 3

4 5) Os grupos de sofredores e demais modalidades de proteção frente ao estranho do corpo MÓDULO II: Como favorecer parcerias sem necessidade de padronização de comportamentos? Estudo das aulas proferidas por Lacan em 17/02/71, 10/03/71 e 17/03/71, a saber: L'écrit et la vérité ; L'écrit et la parole e D'une fonction à ne pas écrire. TEMAS A SEREM TRABALHADOS PELOS PEQUENOS GRUPOS: 1) Uma clínica sem padrões, mas não sem princípios 2) Manejos para colocar em xeque as expressões padronizadas de sofrimento 3) O desejo do analista: sustentação do ato analítico em todo e qualquer lugar 4) A substituição do interpretar pela ressoar 5) O excesso e entusiasmo como marcas da clínica e da política do real MÓDULO III: Como pode o analista se posicionar diante das instituições e do real da clínica? Estudo das aulas proferidas por Lacan em 12/05/71 e 19/05/71, a saber: Leçon sur lituraterre e L'homme et la femme et la logique. TEMAS A SEREM 1) A letra e seu efeito femininizante TRABALHADOS PELOS 2) Psicoses extraordinárias e ordinárias PEQUENOS GRUPOS: 3) Elementos de biologia lacaniana 4) O fazer da medicina, da ciência e da psicanálise 5) O analista cidadão MÓDULO IV: Como a clínica psicanalítica pode levar alguém a se responsabilizar pela difícil tarefa de estar dentro da própria pele? Estudo das aulas proferidas por Lacan em 09/06/71 e 16/06/71, a saber: Un homme et une femme et la psychanalyse e Du mythe que Freud a forgé. 4

5 TEMAS A SEREM TRABALHADOS PELOS PEQUENOS GRUPOS: 1) Desautorizar o sofrimento: mutações do sujeito e do gozo 3) Uma clínica feita por muitos 3) A histérica versus a mulher 4) Estilo e singularidade 5) A análise como lugar da reinvenção: da clínica da memória à clínica do futuro. LEITURAS SUGERIDAS (lista inicial) AGAMBEN, Giorgio. Estado de Exceção. São Paulo: Boitempo Editorial, FORBES, Jorge. Você quer o que deseja? São Paulo: Editora Best Seller, FORBES, Jorge. Os caminhos lógicos da psicanálise: O nome próprio. In: Atas das V Jornadas de Trabalhos do Campo Freudiano. Belo Horizonte, FORBES, Jorge. Curtos-circuitos do gozo. In: O Risco Publicação da Associação Mineira de Psiquiatria, no. 8, agosto 1999, p. 3. FORBES, Jorge. Da palavra ao gesto do analista, Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, FORBES, Jorge. Emprestando conseqüência. In: Opção Lacaniana, n. 29, 2000, p FORBES, Jorge. Provocações Psicanalíticas - As possibilidades da psicanálise. In: Anais da Escola Brasileira de Psicanálise. XVI Jornadas Clínicas sinthoma, corpo e laço social. Rio de Janeiro, 2005, v. 16. FORBES, Jorge. Diogo ou de quando a doença é surpresa. In: Anais do VII Congresso da Escola Brasileira de Psicanálise. A variedade clínica dos objetos a. Salvador, 2007, p FORBES, Jorge. O poder dos fracos. Programa Saia Justa. GNT. Gravação de 4 de julho de FORBES, Jorge. O ridículo do amor. Disponível no link: FORBES, Jorge. Erotismo Guideline. Disponível no link: FREUD, Sigmund (1912). Recomendações aos médicos que exercem a psicanálise. In: Edição Standard Brasileira das Obras Completas. Rio de Janeiro: Imago Editora. Vol. XII,

6 JONAS, Hans. O princípio responsabilidade. Ensaio de uma ética para a civilização tecnológica. Rio de Janeiro: Contraponto: Ed. PUC - Rio, Pp LACAN, Jacques (1936). Para-além do princípio de realidade. In: Escritos, Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1998, p LACAN, Jacques (1947). De nossos antecedentes. In: Escritos, Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1998, p LACAN, Jacques (1947). A psiquiatria inglesa e a guerra. In: Outros Escritos, Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2003, p LACAN, Jacques (1959/60). A demanda de felicidade e a promessa analítica. In: O Seminário, livro 7 - A Ética da Psicanálise, Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1988, aula XXII, p LACAN, Jacques (1960/61). O Seminário. Livro 8 - A Transferência. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, LACAN, Jacques (1962/63). O Seminário. Livro 10 - A Angústia, Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, LACAN, Jacques (1964). Do Trieb de Freud e do desejo do psicanalista. In: Escritos, Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1998, p LACAN, Jacques. (1971). Le Séminaire. Livre XVIII. D'un discours qui ne serait pas du semblant. Paris : Seuil, LACAN, Jacques (1966). O lugar da psicanálise na medicina. In: Opção Lacaniana, n. 32, 2001, p LACAN, Jacques (1973). Televisão. In: Outros Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2003, p LACAN, Jacques (1975/1976). O Seminário. Livro 23 O Sintoma, Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, LAURENT, Eric. El psicoanálisis es una práctica Entrevista por Anália Hounie, Diário Perfil, La Brújula, n. 67, 15 dezembro MILLER, Jacques-Alain. Lacan clínico. In: Matemas II. Buenos Aires: Ediciones Manantial, 1990, p MILLER, Jacques-Alain. Elementos de Biologia Lacaniana. Belo Horizonte: EBP- MG, MILLER, Jacques-Alain. A sessão analítica. In: Curso Les Us du Laps. Aulas de 25 de outubro de 2000 e 12 de janeiro de MILLER, Jacques-Alain y otros. La psicosis ordinária La Convención de Antibes, Buenos Aires: Paidós,

7 Inscrição: agendar duas entrevistas (11) , , com Marisa. Apresentar curriculum vitae e carta de intenção. Vagas limitadas Taxa: R$ 70,00 Instituto da Psicanálise Lacaniana Rua Augusta 2366 casa 2 São Paulo SP 7

A CLÍNICA DA EXCEÇÃO OU A CLÍNICA DO AMOR EM JACQUES LACAN

A CLÍNICA DA EXCEÇÃO OU A CLÍNICA DO AMOR EM JACQUES LACAN Edital de inscrição Psicanálise 2008 Estão abertas as inscrições para o Corpo de Formação em Psicanálise 2008, do Instituto da Psicanálise Lacaniana IPLA INSTITUTO DA PSICANÁLISE LACANIANA CORPO DE FORMAÇÃO

Leia mais

FREUD E LACAN NA CLÍNICA DE 2009

FREUD E LACAN NA CLÍNICA DE 2009 FREUD E LACAN NA CLÍNICA DE 2009 APRESENTAÇÃO O Corpo de Formação em Psicanálise do Instituto da Psicanálise Lacaniana- IPLA trabalhará neste ano de 2009 a atualidade clínica dos quatro conceitos fundamentais

Leia mais

PSICOSE. Organização: Carmen Silvia Cervelatti, Kátia Ribeiro, Luciana Rabelo, Eliane Costa Dias e Niraldo dos Santos.

PSICOSE. Organização: Carmen Silvia Cervelatti, Kátia Ribeiro, Luciana Rabelo, Eliane Costa Dias e Niraldo dos Santos. 3 a Reunião da Seção Epistêmica da CLIPP PSICOSE Articulada com o tema do Curso de Psicanálise, a 3ª Reunião Epistêmica contou com uma Bibliografia básica e atualizada de publicação (textos, artigos e

Leia mais

COMO O INSTITUTO DA PSICANÁLISE LACANIANA IPLA - ENFRENTA OS EMBRULHOS DO REAL 1

COMO O INSTITUTO DA PSICANÁLISE LACANIANA IPLA - ENFRENTA OS EMBRULHOS DO REAL 1 COMO O INSTITUTO DA PSICANÁLISE LACANIANA IPLA - ENFRENTA OS EMBRULHOS DO REAL 1 Elza Macedo 2 O Instituto da Psicanálise Lacaniana IPLA pauta-se pela pesquisa da segunda clínica de Lacan. Globalização,

Leia mais

Repetição, com Estilo 1.

Repetição, com Estilo 1. O artista é aquele que saiu da trincheira e não cedeu quanto à sua marca diferencial. (Jorge Forbes) Repetição, com Estilo 1. Repetição e o Artista Raymond Queneau, escritor francês, contemporâneo de Lacan,

Leia mais

Curso de Extensão: LEITURAS DIRIGIDAS DA OBRA DE JACQUES LACAN/2014

Curso de Extensão: LEITURAS DIRIGIDAS DA OBRA DE JACQUES LACAN/2014 Curso de Extensão: LEITURAS DIRIGIDAS DA OBRA DE JACQUES LACAN/2014 Prof. Dr. Mario Eduardo Costa Pereira PROGRAMA - Io. SEMESTRE Março/2014 14/03/2014 CONFERÊNCIA INAUGURAL : Contextualização do seminário

Leia mais

O QUE SE TOCA NO TRATAMENTO PSICANALÍTICO Ednei Soares As atualizações da prática psicanalítica a fazem encarar o desafio de responder a dispositivos

O QUE SE TOCA NO TRATAMENTO PSICANALÍTICO Ednei Soares As atualizações da prática psicanalítica a fazem encarar o desafio de responder a dispositivos O QUE SE TOCA NO TRATAMENTO PSICANALÍTICO Ednei Soares As atualizações da prática psicanalítica a fazem encarar o desafio de responder a dispositivos diferentes daquele no qual ela foi originalmente pensada,

Leia mais

O lugar da terapêutica na psicanálise: Freud e Lacan *

O lugar da terapêutica na psicanálise: Freud e Lacan * O lugar da terapêutica na psicanálise: Freud e Lacan * The place of therapeutical in psychoanalysis: Freud and Lacan El lugar del terapéutico en psicoanálisis: Freud y Lacan Ednei Soares ** A psicanálise

Leia mais

A OPERAÇÃO DO DISCURSO ANALÍTICO

A OPERAÇÃO DO DISCURSO ANALÍTICO A OPERAÇÃO DO DISCURSO ANALÍTICO Este trabalho é um recorte do projeto de iniciação científica (PIBIC) Estruturas Clínicas e Discurso: a neurose, no qual trabalhamos o texto do Seminário XVII: O Avesso

Leia mais

APLICAÇÕES DA PSICANÁLISE NO TRATAMENTO DA VIOLÊNCIA COTIDIANA

APLICAÇÕES DA PSICANÁLISE NO TRATAMENTO DA VIOLÊNCIA COTIDIANA CTCH Centro de Teologia e Ciências Humanas Departamento de Psicologia APLICAÇÕES DA PSICANÁLISE NO TRATAMENTO DA VIOLÊNCIA COTIDIANA Aluna: Mariana Ribeiro Marques 1 Orientador: Marcus André Vieira 1 Aluna

Leia mais

Latusa digital ano 2 N 13 abril de 2005

Latusa digital ano 2 N 13 abril de 2005 Latusa digital ano 2 N 13 abril de 2005 A clínica do sintoma em Freud e em Lacan Ângela Batista * O sintoma é um conceito que nos remete à clínica, assim como ao nascimento da psicanálise. Freud o investiga

Leia mais

A política do sintoma na clínica da saúde mental: aplicações para o semblante-analista Paula Borsoi

A política do sintoma na clínica da saúde mental: aplicações para o semblante-analista Paula Borsoi Opção Lacaniana online nova série Ano 2 Número 5 Julho 2011 ISSN 2177-2673 na clínica da saúde mental: aplicações para o semblante-analista Paula Borsoi 1. A política e a clínica A saúde mental é definida

Leia mais

Almanaque on-line entrevista Uma questão para a AMP-América

Almanaque on-line entrevista Uma questão para a AMP-América Almanaque on-line entrevista Uma questão para a AMP-América Entrevistada: Elisa Alvarenga Diretora Geral do IPSM-MG e Presidente da FAPOL (Federação Americana de Psicanálise de Orientação Lacaniana). E-mail:

Leia mais

Carga horária total: 04 Prática: 04 Teórico Prática: Semestre Letivo 1º/2012 Ementa

Carga horária total: 04 Prática: 04 Teórico Prática: Semestre Letivo 1º/2012 Ementa Unidade Universitária Centro de Ciências Biológicas e da Saúde - 040 Curso Psicologia Disciplina Psicopatologia Psicodinâmica Professor(es) e DRTs Fernando Genaro Junior 114071-3 Sandra Fernandes de Amorim

Leia mais

Do sintoma ao sinthoma: uma via para pensar a mãe, a mulher e a criança na clínica atual Laura Fangmann

Do sintoma ao sinthoma: uma via para pensar a mãe, a mulher e a criança na clínica atual Laura Fangmann Opção Lacaniana online nova série Ano 1 Número 2 Julho 2010 ISSN 2177-2673 : uma via para pensar a mãe, a mulher e a criança na clínica atual Laura Fangmann Introdução Nesse trabalho, proponho-me a falar

Leia mais

O falo, o amor ao pai, o silêncio. no real Gresiela Nunes da Rosa

O falo, o amor ao pai, o silêncio. no real Gresiela Nunes da Rosa Opção Lacaniana online nova série Ano 5 Número 15 novembro 2014 ISSN 2177-2673 e o amor no real Gresiela Nunes da Rosa Diante da constatação de que o menino ou o papai possui um órgão fálico um tanto quanto

Leia mais

Toxicomanias: contra-senso ao laço social e ao amor?

Toxicomanias: contra-senso ao laço social e ao amor? Toxicomanias: contra-senso ao laço social e ao amor? Rita de Cássia dos Santos Canabarro 1 Eros e Ananke são, segundo Freud (1930/1987), os pais da civilização. De um lado, o amor foi responsável por reunir

Leia mais

AMOR SEM LIMITES: SOBRE A DEVASTAÇÃO NA RELAÇÃO MÃE E FILHA E NA PARCERIA AMOROSA

AMOR SEM LIMITES: SOBRE A DEVASTAÇÃO NA RELAÇÃO MÃE E FILHA E NA PARCERIA AMOROSA AMOR SEM LIMITES: SOBRE A DEVASTAÇÃO NA RELAÇÃO MÃE E FILHA E NA PARCERIA AMOROSA Fernanda Samico Küpper Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Psicanálise da Universidade Estadual do Rio de Janeiro

Leia mais

6 - Referências Bibliográficas

6 - Referências Bibliográficas 6 - Referências Bibliográficas AUSTER, Paul. (1982) A Invenção da Solidão. São Paulo: Companhia das Letras, 1999. BERGÈS, Jean e BALBO, Gabriel. (1997) A Criança e a Psicanálise. Porto Alegre: Artes Médicas,

Leia mais

A devastação: uma singularidade feminina

A devastação: uma singularidade feminina Devastação ISSN 0101-4838 469 A devastação: uma singularidade feminina Malvine Zalcberg* RESUMO Lacan empregou o termo devastação em dois momentos de seu ensino para se referir: seja à relação da filha

Leia mais

O MANEJO DA TRANSFERÊNCIA NA PSICOSE: O SECRETÁRIO DO ALIENADO E SUAS IMPLICAÇÕES

O MANEJO DA TRANSFERÊNCIA NA PSICOSE: O SECRETÁRIO DO ALIENADO E SUAS IMPLICAÇÕES O MANEJO DA TRANSFERÊNCIA NA PSICOSE: O SECRETÁRIO DO ALIENADO E SUAS IMPLICAÇÕES Roberto Lopes Mendonça O tratamento da psicose: impasses iniciais No trabalho clínico com a psicose, torna-se cada vez

Leia mais

APO TAME TOS SOBRE A A GÚSTIA EM LACA 1

APO TAME TOS SOBRE A A GÚSTIA EM LACA 1 APO TAME TOS SOBRE A A GÚSTIA EM LACA 1 Elza Macedo Instituto da Psicanálise Lacaniana IPLA São Paulo, 2008 A angústia é um afeto Lacan (2005) dedica o Seminário de 1962-1963 à angústia. Toma a experiência

Leia mais

VIII CONGRESSO da EBP ESCOLA BRASILEIRA DE PSICANÁLISE. Florianópolis, 3 e 4 de abril de 2009 O ANALISTA E OS SEMBLANTES NÃO TENHO A MENOR IDÉIA

VIII CONGRESSO da EBP ESCOLA BRASILEIRA DE PSICANÁLISE. Florianópolis, 3 e 4 de abril de 2009 O ANALISTA E OS SEMBLANTES NÃO TENHO A MENOR IDÉIA VIII CONGRESSO da EBP ESCOLA BRASILEIRA DE PSICANÁLISE Florianópolis, 3 e 4 de abril de 2009 O ANALISTA E OS SEMBLANTES NÃO TENHO A MENOR IDÉIA Jorge Forbes NÃO TENHO A MENOR IDÉIA. Sob esse título vou

Leia mais

A psicose ordinária e os inclassificáveis das categorias lacanianas

A psicose ordinária e os inclassificáveis das categorias lacanianas Opção Lacaniana online nova série Ano 1 Número 1 Março 2010 ISSN 2177-2673 A psicose ordinária e os inclassificáveis das categorias lacanianas Angélica Cantarella Tironi O termo psicose ordinária é uma

Leia mais

ANALISTAS E ANALISANDOS PRECISAM SE ACEITAR: REFLEXÕES SOBRE AS ENTREVISTAS PRELIMINARES

ANALISTAS E ANALISANDOS PRECISAM SE ACEITAR: REFLEXÕES SOBRE AS ENTREVISTAS PRELIMINARES ANALISTAS E ANALISANDOS PRECISAM SE ACEITAR: REFLEXÕES SOBRE AS ENTREVISTAS PRELIMINARES 2014 Matheus Henrique de Souza Silva Psicólogo pela Faculdade Pitágoras de Ipatinga-MG. Especializando em Clínica

Leia mais

Famílias sintomáticas

Famílias sintomáticas Opção Lacaniana online nova série Ano 4 Número 10 março 2013 ISSN 2177-2673 1 Fabian Fajnwaks O desejo de formar família encontrou uma espécie de interpretação na resposta recente de nossos governantes:

Leia mais

O AMOR NOSSO DE CADA DIA * Palavras chave: Amor; felicidade; sintoma; semblante

O AMOR NOSSO DE CADA DIA * Palavras chave: Amor; felicidade; sintoma; semblante O AMOR NOSSO DE CADA DIA * Palavras chave: Amor; felicidade; sintoma; semblante Heloisa Caldas ** Minha contribuição para este número de Latusa visa pensar o amor como um semblante que propicia um tratamento

Leia mais

Do Pagamento em Psicanálise 1

Do Pagamento em Psicanálise 1 Do Pagamento em Psicanálise 1 Elza Macedo A Clínica de Psicanálise do Centro do Genoma Humano, dirigida por Jorge Forbes, envolve uma parceria entre o Centro de Estudos do Genoma Humano USP, o Projeto

Leia mais

Coordenador do Núcleo de Psicanálise e Medicina

Coordenador do Núcleo de Psicanálise e Medicina O corpo e os objetos (a) na clínica dos transtornos alimentares Lázaro Elias Rosa Coordenador do Núcleo de Psicanálise e Medicina Com este título, nomeamos o conjunto de nossos trabalhos, bem como o rumo

Leia mais

CLINICA DA ANSIEDADE: Um projeto terapêutico

CLINICA DA ANSIEDADE: Um projeto terapêutico CLINICA DA ANSIEDADE: Um projeto terapêutico De nossos antecedentes Existem instituições onde a psicanálise aplicada da orientação lacaniana tem lugar há muitos anos, como é o caso do Courtil e L Antenne

Leia mais

Revista da ATO escola de psicanálise Belo Horizonte Inibição, sintoma, angústia: função de nominação Ano II n.1 pp ISSN:

Revista da ATO escola de psicanálise Belo Horizonte Inibição, sintoma, angústia: função de nominação Ano II n.1 pp ISSN: Revista da ATO escola de psicanálise Belo Horizonte Inibição, sintoma, angústia: função de nominação Ano II n.1 pp. 1-124 2016 Revista da Ato Escola de psicanálise Belo Horizonte Angústia Ano I n. 0 pp.

Leia mais

QUADRO DE ENSINO APPOA

QUADRO DE ENSINO APPOA QUADRO DE ENSINO 2008 - APPOA Associação Psicanalítica de Porto Alegre APPOA www.appoa.com.br QUADRO DE ENSINO 2008 EIXO DE TRABALHO DO ANO ENCONTROS DE ESTUDO DO SEMINÁRIO A ANGÚSTIA DE JACQUES LACAN

Leia mais

Diretor da pesquisa: Jorge Forbes Relator: Francisco Rodrigues Alves

Diretor da pesquisa: Jorge Forbes Relator: Francisco Rodrigues Alves DO LEGADO DE LACAN A Arte do Diagnóstico na Segunda Clínica Diretor da pesquisa: Jorge Forbes Relator: Francisco Rodrigues Alves APRESENTAçãO Jacques Lacan inaugurou um modo inédito de psicanalisar quando

Leia mais

Nome da disciplina: Formação de grupos sociais diálogos entre sociologia e psicanálise Créditos (T-P-I): (2-0-2) Carga horária: 24 horas

Nome da disciplina: Formação de grupos sociais diálogos entre sociologia e psicanálise Créditos (T-P-I): (2-0-2) Carga horária: 24 horas Caracterização da disciplina Código da disciplina: BC- 0011 Nome da disciplina: Formação de grupos sociais diálogos entre sociologia e psicanálise Créditos (T-P-I): (2-0-2) Carga horária: 24 horas Aula

Leia mais

Almanaque on-line entrevista Patrício Alvarez, Diretor do VI ENAPOL.

Almanaque on-line entrevista Patrício Alvarez, Diretor do VI ENAPOL. Almanaque on-line entrevista Patrício Alvarez, Diretor do VI ENAPOL. A insensatez do sintoma: os corpos e as normas será o tema de trabalho da Seção Clínica do Instituto, neste semestre. Sua escolha se

Leia mais

O valor d osbjet. Sérgio de Campos 1

O valor d osbjet. Sérgio de Campos 1 O valor d osbjet Sérgio de Campos 1 sergiodecampos@uol.com.br Resumo: No mercado dos sintomas e da fantasia, o objeto ganha um valor de semblante. Qual é o valor de gozo que o sujeito tem para com seu

Leia mais

Sujeito e falasser. Maria Angela Maia 1

Sujeito e falasser. Maria Angela Maia 1 Sujeito e falasser Maria Angela Maia 1 mangelamaia@terra.com.br Resumo: Este artigo parte de uma articulação entre passagens do texto Joyce, o Sintoma e do Seminário 23. O intuito é relacionar os termos

Leia mais

SIGMUND FREUD. SPR promove curso de introdução ao pensamento psicanalítico

SIGMUND FREUD. SPR promove curso de introdução ao pensamento psicanalítico O Espaço Sigmund Freud tem o objetivo de introduzir o conhecimento sobre as bases teóricas do pensamento psicanalítico, aos estudantes e profissionais de diversas áreas de interesse. Estão abertas as inscrições

Leia mais

OS DIFERENTES MANEJOS DA TRANSFERÊNCIA

OS DIFERENTES MANEJOS DA TRANSFERÊNCIA OS DIFERENTES MANEJOS DA TRANSFERÊNCIA Célia Gillio; Denise Leite; Elsa Góis; Elzira Uyeno; Felipe Marchiori; Patrícia Furlan;Renato Chiavassa. Tutora: Claudia Riolfi. Sombra: Maria Helena Barbosa Introdução

Leia mais

A TRANSFERÊNCIA. Débora Spinelli Edmar Peixoto Emari Andrade Lisiane Fachinetto Suelen Igreja

A TRANSFERÊNCIA. Débora Spinelli Edmar Peixoto Emari Andrade Lisiane Fachinetto Suelen Igreja A TRANSFERÊNCIA Débora Spinelli Edmar Peixoto Emari Andrade Lisiane Fachinetto Suelen Igreja Roteiro: Tratar do conceito de transferência, como elaborado por Freud e Lacan. Apresentar o estado da arte

Leia mais

Devastação: um nome para dor de amor Gabriella Dupim e Vera Lopes Besset

Devastação: um nome para dor de amor Gabriella Dupim e Vera Lopes Besset Opção Lacaniana online nova série Ano 2 Número 6 novembro 2011 ISSN 2177-2673 Gabriella Dupim e Vera Lopes Besset No início da experiência analítica, foi o amor, diz Lacan 1 parafraseando a fórmula no

Leia mais

O amor: esse encontro faltoso

O amor: esse encontro faltoso O amor: esse encontro faltoso Profa. Ms. Célia Ferreira Carta Winter 1 Sumário: 1.Contextualização.2 O amor em Freud e Lacan 3. O amor e a Linguagem. 4. Considerações Finais 1.Contextualização: O tema

Leia mais

O gozo, o sentido e o signo de amor

O gozo, o sentido e o signo de amor O gozo, o sentido e o signo de amor Palavras-chave: signo, significante, sentido, gozo Simone Oliveira Souto O blá-blá-blá Na análise, não se faz mais do que falar. O analisante fala e, embora o que ele

Leia mais

DESEJO DE ANALISTA. Ana Lúcia Bastos Falcão 1. O x da questão

DESEJO DE ANALISTA. Ana Lúcia Bastos Falcão 1. O x da questão DESEJO DE ANALISTA Ana Lúcia Bastos Falcão 1 O x da questão O desejo do analista sempre acompanhado de uma questão é o próprio x da questão. Tratando-se de escolha de profissão, carreira... O importante

Leia mais

Revista da Ato Escola de psicanálise Belo Horizonte Angústia Ano I n. 0 pp ISSN:

Revista da Ato Escola de psicanálise Belo Horizonte Angústia Ano I n. 0 pp ISSN: Revista da Ato Escola de psicanálise Belo Horizonte Angústia Ano I n. 0 pp. 1-203 2015 ISSN: 23594063 Revista da Ato Escola de psicanálise Angústia - Ano I n. 0, 2015 Copyright 2015 by Ato Escola de psicanálise

Leia mais

Latusa Digital ano 1 N 7 julho de 2004

Latusa Digital ano 1 N 7 julho de 2004 Latusa Digital ano 1 N 7 julho de 2004 Debates sobre a regulamentação Vera Lopes Besset * Em 1969, uma estudante do Departamento de Psicanálise da Universidade de Paris VIII pergunta a Lacan: Por que os

Leia mais

Palavras-chave: Sintoma, fantasia, Nome-do-Pai, sinthoma, parceiro_sinthoma.

Palavras-chave: Sintoma, fantasia, Nome-do-Pai, sinthoma, parceiro_sinthoma. Título: Da solução do sintoma ao sinthoma como solução Autor: Leandro Marques Santos Formado no Curso de Psicanálise pelo Instituto de Psicanálise e Saúde Mental de Minas Gerais, Psicanalista, Pós-graduado

Leia mais

Amor atravessado pela pulsão de morte

Amor atravessado pela pulsão de morte Opção Lacaniana online nova série Ano 3 Número 8 julho 2012 ISSN 2177-2673 1 Cleudes Maria Slongo A demanda de amor desempenha um papel incomparável ao papel do homem na vida de uma mulher. Apesar da satisfação

Leia mais

Latusa digital ano 3 N 22 maio de 2006

Latusa digital ano 3 N 22 maio de 2006 Latusa digital ano 3 N 22 maio de 2006 A ex-sistência do real, a diferença sexual e a dissimetria dos gozos * Tania Coelho dos Santos Márcia Zucchi ** A ascensão do mais de gozar ao lugar dominante na

Leia mais

PROCESSO DE SELEÇÃO DE VAGAS PARA DOCENTES PARA O 2º SEMESTRE DE 2016 DA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE

PROCESSO DE SELEÇÃO DE VAGAS PARA DOCENTES PARA O 2º SEMESTRE DE 2016 DA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE EDITAL N º 02/2016 PROCESSO DE SELEÇÃO DE VAGAS PARA DOCENTES PARA O 2º SEMESTRE DE 2016 DA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE DA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS. De ordem do

Leia mais

Paradoxos da saúde mental

Paradoxos da saúde mental Opção Lacaniana online nova série Ano 2 Número 4 Março 2011 ISSN 2177-2673 1 Ondina Maria Rodrigues Machado Preâmbulo O espírito subversivo da psicanálise, presente desde seu nascedouro, resulta em pegar

Leia mais

O AMOR, O FEMININO E A ESCRITA. Valdelice Nascimento de França Ribeiro Maria Aimée Laupman Ferraz Ana Maria Medeiros da Costa O AMOR EM FREUD

O AMOR, O FEMININO E A ESCRITA. Valdelice Nascimento de França Ribeiro Maria Aimée Laupman Ferraz Ana Maria Medeiros da Costa O AMOR EM FREUD O AMOR, O FEMININO E A ESCRITA Valdelice Nascimento de França Ribeiro Maria Aimée Laupman Ferraz Ana Maria Medeiros da Costa O AMOR EM FREUD Recorreremos ao texto freudiano: Sobre o narcisismo: uma introdução

Leia mais

O trauma da poesia inconsciente

O trauma da poesia inconsciente O trauma da poesia inconsciente Marlise Eugenie D Icarahy Psicanalista, doutoranda do Programa de pós-graduação em Psicanálise da UERJ e psicóloga da Prefeitura do Rio de Janeiro. O complexo de Édipo,

Leia mais

GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISA EM NUTRIÇÃO E DIETÉTICA ESTATUTO GEPNuDi

GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISA EM NUTRIÇÃO E DIETÉTICA ESTATUTO GEPNuDi GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISA EM NUTRIÇÃO E DIETÉTICA ESTATUTO GEPNuDi CAPÍTULO I DA FINALIDADE E CONSTITUIÇÃO Art. 1º - Ora em diante, o denominado GEPNuDi Grupo de Estudos e Pesquisa em Nutrição e Dietética

Leia mais

O AMOR NA PSICOSE. fórmulas da sexuação, entre o homem e a mulher. Já na articulação amor / suplência 3 o sujeito

O AMOR NA PSICOSE. fórmulas da sexuação, entre o homem e a mulher. Já na articulação amor / suplência 3 o sujeito O AMOR NA PSICOSE Nancy Greca de Oliveira Carneiro 1 A doutrina da foraclusão generalizada faz ver que há para o sujeito, e não apenas para o psicótico, um objeto indizível, o que estende a foraclusão

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA Curso de Graduação em Psicologia Versão Curricular 2009/1 Disciplina: Tópicos Especiais em Psicanálise:

Leia mais

O MANEJO DA ANGÚSTIA NA CLÍNICA PSICANALÍTICA. algo árduo, doloroso, angustiante? Isto se torna paradoxal se considerarmos que as

O MANEJO DA ANGÚSTIA NA CLÍNICA PSICANALÍTICA. algo árduo, doloroso, angustiante? Isto se torna paradoxal se considerarmos que as O MANEJO DA ANGÚSTIA NA CLÍNICA PSICANALÍTICA Sentir o que o sujeito pode suportar de angústia os põe [os analistas] à prova a todo instante. (J. Lacan) Quantos de nós já ouvimos falar ou mesmo já dissemos

Leia mais

SEMINÁRIO AS LÁGRIMAS DE EROS UTOPIA, ARTE E PSICANÁLISE - 12 E 13 DE DEZEMBRO DE

SEMINÁRIO AS LÁGRIMAS DE EROS UTOPIA, ARTE E PSICANÁLISE - 12 E 13 DE DEZEMBRO DE SEMINÁRIO AS LÁGRIMAS DE EROS UTOPIA, ARTE E PSICANÁLISE - 12 E 13 DE DEZEMBRO DE 2014 - INSTITUTO DE PSICOLOGIA Av. Ramiro Barcelos, 2600 - sala 201 APRESENTAÇÃO O ponto de partida deste seminário é a

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Reconhecimento da dimensão ética nos fenômenos sociais e psicológicos, assim como nas produções e ações humanas.

PLANO DE ENSINO. Reconhecimento da dimensão ética nos fenômenos sociais e psicológicos, assim como nas produções e ações humanas. PLANO DE ENSINO CURSO: PSICOLOGIA SÉRIE: 9º SEMESTRE UNIDADE DE ENSINO: Ética e Cidadania CARGA HORÁRIA SEMANAL: 2 Horas/aula CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 44 horas I - EMENTA Reconhecimento da dimensão ética

Leia mais

Formação do analista e universidade: dissimetrias 1

Formação do analista e universidade: dissimetrias 1 Opção Lacaniana online nova série Ano 7 Número 21 novembro 2016 ISSN 2177-2673 algumas dissimetrias 1 Marcia Mello de Lima Este artigo foi motivado pela pergunta corrente entre aqueles que ensinam e estudam

Leia mais

Potlatch amoroso : outra versão para o masoquismo feminino Graciela Bessa

Potlatch amoroso : outra versão para o masoquismo feminino Graciela Bessa Opção Lacaniana online nova série Ano 2 Número 6 novembro 2011 ISSN 2177-2673 Potlatch amoroso : outra versão para o masoquismo feminino Graciela Bessa Só nos círculos psicanalíticos se debate com calma

Leia mais

CORPO FREUDIANO ESCOLA DE PSICANÁLISE SEÇÃO RIO DE JANEIRO PROGRAMAÇÃO 2012.2. INÍCIO: 07 de agosto FORMAÇÃO BÁSICA

CORPO FREUDIANO ESCOLA DE PSICANÁLISE SEÇÃO RIO DE JANEIRO PROGRAMAÇÃO 2012.2. INÍCIO: 07 de agosto FORMAÇÃO BÁSICA CORPO FREUDIANO ESCOLA DE PSICANÁLISE SEÇÃO RIO DE JANEIRO PROGRAMAÇÃO 2012.2 INÍCIO: 07 de agosto FORMAÇÃO BÁSICA MÓDULO: REAL, SIMBÓLICO E IMAGINÁRIO Quintas-feiras, horário: 9:30 às 11:30h, semanal

Leia mais

Latusa digital ano 2 N 19 outubro de 2005

Latusa digital ano 2 N 19 outubro de 2005 Latusa digital ano 2 N 19 outubro de 2005 Sinthoma e fantasia fundamental no caso do homem dos ratos * Cleide Maschietto Doris Rangel Diogo ** O Homem dos ratos 1 é um caso de neurose muito comentado,

Leia mais

Latusa digital ano 0 N 2 setembro de 2003

Latusa digital ano 0 N 2 setembro de 2003 Latusa digital ano 0 N 2 setembro de 2003 O forçamento da psicanálise * Ruth Helena Pinto Cohen ** A ciência moderna tende a excluir a poética de seu campo e a psicanálise, a despeito de ter nascido a

Leia mais

CHILDREN ADRIFT: REFLECTIONS ON THE CONSTRUCTION, REVIEW OF CASES AND TRANSMISSION OF PSYCHOANALYSIS

CHILDREN ADRIFT: REFLECTIONS ON THE CONSTRUCTION, REVIEW OF CASES AND TRANSMISSION OF PSYCHOANALYSIS Título: Crianças à deriva: reflexões sobre a construção, o comentário de casos e a transmissão da psicanálise Autora: Jeannine Narciso - Psicanalista, responsável pelo Núcleo de Psicanálise e Saúde Mental

Leia mais

Latusa digital ano 0 N 3 outubro de 2003

Latusa digital ano 0 N 3 outubro de 2003 Latusa digital ano 0 N 3 outubro de 2003 Perguntas e respostas Sara Perola Fux * Sabemos que toda pergunta já contém em si mesma a resposta. Então, se deduz que a resposta antecede à pergunta é esta a

Leia mais

O objeto na saúde mental: a utilidade pública da psicanálise ou o uso possível do psicanalista *

O objeto na saúde mental: a utilidade pública da psicanálise ou o uso possível do psicanalista * Latusa digital ano 5 N 33 junho de 2008 O objeto na saúde mental: a utilidade pública da psicanálise ou o uso possível do psicanalista * Paula Borsoi ** A política O que podemos aprender com as experiências

Leia mais

O amor e a mulher. Segundo Lacan o papel do amor é precioso: Daniela Goulart Pestana

O amor e a mulher. Segundo Lacan o papel do amor é precioso: Daniela Goulart Pestana O amor e a mulher O que une os seres é o amor, o que os separa é a Sexualidade. Somente o Homem e A Mulher que podem unir-se acima de toda sexualidade são fortes. Antonin Artaud, 1937. Daniela Goulart

Leia mais

PROCESSO DE SELEÇÃO DE DOCENTES - Nº 02/

PROCESSO DE SELEÇÃO DE DOCENTES - Nº 02/ PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CENTRO DE EXCELÊNCIA PARA O ENSINO PROCESSO DE SELEÇÃO DE DOCENTES - Nº 02/2012-01 De ordem do Magnífico Reitor, faço saber aos interessados que, nos termos do Título VI, Capítulo

Leia mais

Entretantos, 2014 LACAN COMENTÁRIO DO TEXTO: A DIREÇÃO DO TRATAMENTO E OS PRINCÍPIOS DO SEU

Entretantos, 2014 LACAN COMENTÁRIO DO TEXTO: A DIREÇÃO DO TRATAMENTO E OS PRINCÍPIOS DO SEU Entretantos, 2014 Grupo: DE LEITURA: CASOS CLÍNICOS DE FREUD ACOMPANHADOS DE COMENTÁRIOS DE LACAN Integrantes: Ana Maria Leal, Célia Cristina Marcos Klouri, Claudia Justi Monti Schonberger, Cristina Petry,

Leia mais

RESENHA: Por Claudio Oliveira

RESENHA: Por Claudio Oliveira RESENHA RESENHA: THAMER, E. Lacan e a Sofística: sobre o estatuto sofístico da psicanálise. 2008. Tese (Doutorado) Universidade de Paris Sorbonne (Ecole doctorale Concepts et langage ), Paris, 2008. Por

Leia mais

De onde vêem os analistas? Marcus André Vieira

De onde vêem os analistas? Marcus André Vieira De onde vêem os analistas? Marcus André Vieira Referência: Clique aqui para ampliar Vieira, M. A. De onde vêem os analistas? In: Zbrun, Mirta. A formação do analista, Rio de Janeiro, KBR, 2014, pp. 21-24.

Leia mais

Incurável. Celso Rennó Lima

Incurável. Celso Rennó Lima 1 Incurável Celso Rennó Lima Em seu primeiro encontro com o Outro, consequência da incidência de um significante, o sujeito tem de lidar com um incurável, que não se subjetiva, que não permite que desejo

Leia mais

Os impasses na vida amorosa e as novas configurações da tendência masculina à depreciação

Os impasses na vida amorosa e as novas configurações da tendência masculina à depreciação Os impasses na vida amorosa e as novas configurações da tendência masculina à depreciação Maria José Gontijo Salum Em suas Contribuições à Psicologia do Amor, Freud destacou alguns elementos que permitem

Leia mais

O desenho e sua interpretação: quem sabe ler?

O desenho e sua interpretação: quem sabe ler? O desenho e sua interpretação: quem sabe ler? Sonia Campos Magalhães Em seu artigo Uma dificuldade da psicanálise de criança, Colette Soler 1 lança uma questão aos psicanalistas que se ocupam desta prática,

Leia mais

Latusa digital ano 2 N 19 outubro de 2005

Latusa digital ano 2 N 19 outubro de 2005 Latusa digital ano 2 N 19 outubro de 2005 Ato e angústia * Vera Lopes Besset** Interroguei-os muitas vezes sobre o que convém que seja o desejo do analista para que o trabalho seja possível ali onde nós

Leia mais

QUANDO O ATO DISSOLVE A ANGUSTIA Maria Luiza Mota Miranda

QUANDO O ATO DISSOLVE A ANGUSTIA Maria Luiza Mota Miranda QUANDO O ATO DISSOLVE A ANGUSTIA Maria Luiza Mota Miranda As primeiras considerações de Freud sobre a droga situavam-na como um substituto do impulso sexual, sendo a masturbação o grande hábito, o vício

Leia mais

PRINCÍPIOS DIRETIVOS PARA UMA ESCOLA ORIENTADA PELO ENSINO DE SIGMUND FREUD E JACQUES LACAN. Atualizado após a Assembleia Geral de Julho 2014

PRINCÍPIOS DIRETIVOS PARA UMA ESCOLA ORIENTADA PELO ENSINO DE SIGMUND FREUD E JACQUES LACAN. Atualizado após a Assembleia Geral de Julho 2014 PRINCÍPIOS DIRETIVOS PARA UMA ESCOLA ORIENTADA PELO ENSINO DE SIGMUND FREUD E JACQUES LACAN Atualizado após a Assembleia Geral de Julho 2014 I - A IF e sua Escola A IF, Federação das Associações dos Fóruns

Leia mais

A sua revista eletrônica CONTEMPORANEIDADE E PSICANÁLISE 1

A sua revista eletrônica CONTEMPORANEIDADE E PSICANÁLISE 1 A sua revista eletrônica CONTEMPORANEIDADE E PSICANÁLISE 1 Patrícia Guedes 2 Comemorar 150 anos de Freud nos remete ao exercício de revisão da nossa prática clínica. O legado deixado por ele norteia a

Leia mais

SIGNOS DE PERCEPÇÃO, RESTOS INDIZÍVEIS E MEMÓRIA: A FANTASIA E A ELABORAÇÃO NA EXPERIÊNCIA CLÍNICA

SIGNOS DE PERCEPÇÃO, RESTOS INDIZÍVEIS E MEMÓRIA: A FANTASIA E A ELABORAÇÃO NA EXPERIÊNCIA CLÍNICA SIGNOS DE PERCEPÇÃO, RESTOS INDIZÍVEIS E MEMÓRIA: A FANTASIA E A ELABORAÇÃO NA EXPERIÊNCIA CLÍNICA Francisco Ramos de Farias 1 Acerca da noção de fantasia A fantasia, os signos de percepção e a memória

Leia mais

Obras de J.-D. Nasio publicadas por esta editora:

Obras de J.-D. Nasio publicadas por esta editora: A dor física Obras de J.-D. Nasio publicadas por esta editora: A alucinação E outros estudos lacanianos Cinco lições sobre a teoria de Jacques Lacan Como trabalha um psicanalista? A criança do espelho

Leia mais

EX-SISTO, LOGO SÔO. O modo como soa o título do presente trabalho já nos faz suspeitar de que se trata de

EX-SISTO, LOGO SÔO. O modo como soa o título do presente trabalho já nos faz suspeitar de que se trata de EX-SISTO, LOGO SÔO Eriton Araújo O modo como soa o título do presente trabalho já nos faz suspeitar de que se trata de um aforismo. Mas, para que mais um aforismo para o sujeito da psicanálise? Se considerarmos

Leia mais

Um Quarto de Volta. Maria Cristina Vecino de Vidal. Discursos

Um Quarto de Volta. Maria Cristina Vecino de Vidal. Discursos Um Quarto de Volta Maria Cristina Vecino de Vidal Este escrito versará em torno da estrutura dos quatro discursos e seu funcionamento na clínica psicanalítica. As questões se centrarão na problemática

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA VERSÃO CURRICULAR 2009/1 DISCIPLINA: Psicanálise I CÓDIGO: PSI

Leia mais

O amor de transferência ou o que se pode escrever de uma análise

O amor de transferência ou o que se pode escrever de uma análise O amor de transferência ou o que se pode escrever de uma análise Palavras-chave: Amor de transferência; Escrita; Literatura; Relação Sexual. Márcia de Souza Mezêncio O amor é transferência " Amor será

Leia mais

Mulher: figura impossível (ou No litoral )

Mulher: figura impossível (ou No litoral ) Mulher: figura impossível (ou No litoral ) Marcus André Vieira Referência: Vieira, M. A. Mulher: figura impossível (ou No litoral ). Opção Lacaniana, n. 65, São Paulo, EBP, p. 69-72, 2013. 1. Clique aqui

Leia mais

Devastação, o que há de novo?

Devastação, o que há de novo? Opção Lacaniana online nova série Ano 7 Número 21 novembro 2016 ISSN 2177-2673 Maria Luiza Rangel A devastação (ravage) aparece tardiamente em Lacan. No escrito O Aturdito 1 de 1973, ela é articulada à

Leia mais

I.1. A Globalização: Invenção, Conseqüência, Responsabilidade.

I.1. A Globalização: Invenção, Conseqüência, Responsabilidade. IPLA INVENÇÃO 2006 I.1. A Globalização: Invenção, Conseqüência, Responsabilidade. Em 13 de novembro de 2006 Jorge Forbes apresentou, no IPLA, o texto Corpo de Formação em Psicanálise 2007. Nele encontram

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ÉTICA E FILOSOFIA POLÍTICA I 2º semestre de 2002 Disciplina Obrigatória Destinada: Alunos de Filosofia e outros departamentos Código: FLF0388 Pré-requisito: FLF0113 e FLF0114 Prof. Milton Meira do Nascimento

Leia mais

Feminilidade e Violência

Feminilidade e Violência Feminilidade e Violência Emilse Terezinha Naves O tema sobre a violência e a feminilidade apresenta-se, nas mais diversas áreas do conhecimento, como um tema de grande interesse, quando encontramos uma

Leia mais

Regulamento do Curso Pós-Graduado de Especialização em Endodontia

Regulamento do Curso Pós-Graduado de Especialização em Endodontia Regulamento do Curso Pós-Graduado de Especialização em Endodontia Artigo 1.º Âmbito de aplicação O presente regulamento aplica-se ao Curso Pós-Graduado de Especialização em Endodontia, curso não conferente

Leia mais

DISCIPLINAS Doutorado OFERECIDAS EM Pesquisa e Clínica em Psicanálise

DISCIPLINAS Doutorado OFERECIDAS EM Pesquisa e Clínica em Psicanálise UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE EDUCAÇÃO E HUMANIDADES INSTITUTO DE PSICOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICANÁLISE DISCIPLINAS Doutorado OFERECIDAS EM 2013.2 Pesquisa e Clínica

Leia mais

Ô MÃE, ME EXPLICA, ME ENSINA, ME DIZ O QUE É FEMININA? nossos tempos não foge à regra. As mulheres, afetadas pela condição de não-todas,

Ô MÃE, ME EXPLICA, ME ENSINA, ME DIZ O QUE É FEMININA? nossos tempos não foge à regra. As mulheres, afetadas pela condição de não-todas, Ô MÃE, ME EXPLICA, ME ENSINA, ME DIZ O QUE É FEMININA? Fernanda Samico Küpper É notória a contribuição que as mulheres sempre deram à engrenagem da psicanálise enquanto campo teórico. Desde Anna O., passando

Leia mais

CURSO FUNDAMENTOS DA EXPERIÊNCIA PSICANALÍTICA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL - ATUALIZAÇÃO NA MODALIDADE PRESENCIAL

CURSO FUNDAMENTOS DA EXPERIÊNCIA PSICANALÍTICA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL - ATUALIZAÇÃO NA MODALIDADE PRESENCIAL CURSO FUNDAMENTOS DA EXPERIÊNCIA PSICANALÍTICA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL - ATUALIZAÇÃO NA MODALIDADE PRESENCIAL Oferta ENSP Regular - Anual Coordenação: Clarice Padilla Gatto Serviço de Gestão Acadêmica:

Leia mais

O real no tratamento analítico. Maria do Carmo Dias Batista Antonia Claudete A. L. Prado

O real no tratamento analítico. Maria do Carmo Dias Batista Antonia Claudete A. L. Prado O real no tratamento analítico Maria do Carmo Dias Batista Antonia Claudete A. L. Prado Aula de 23 de novembro de 2009 Como conceber o gozo? Gozo: popularmente, é traduzido por: posse, usufruto, prazer,

Leia mais

O SINTOMA NA CLÍNICA PSICANALÍTICA: ADVERSÁRIO OU ALIADO? seguintes perguntas: qual a função do sintoma no psiquismo?

O SINTOMA NA CLÍNICA PSICANALÍTICA: ADVERSÁRIO OU ALIADO? seguintes perguntas: qual a função do sintoma no psiquismo? O SINTOMA NA CLÍNICA PSICANALÍTICA: ADVERSÁRIO OU ALIADO? Flávia Lana Garcia de Oliveira As questões que pretendo desenvolver neste trabalho são suscitadas pelas seguintes perguntas: qual a função do sintoma

Leia mais

Opção Lacaniana online nova série Ano 5 Número 14 julho 2014 ISSN FPS e sinthome. Paola Salinas

Opção Lacaniana online nova série Ano 5 Número 14 julho 2014 ISSN FPS e sinthome. Paola Salinas Opção Lacaniana online nova série Ano 5 Número 14 julho 2014 ISSN 2177-2673 1 Paola Salinas Este texto visa clarear algumas indagações a respeito do fenômeno psicossomático a partir da noção de sinthome

Leia mais

Fundamentação teórica da Clínica de Psicologia da Unijuí

Fundamentação teórica da Clínica de Psicologia da Unijuí DEBATE Fundamentação teórica da Clínica de Psicologia da Unijuí A Clínica surge do próprio projeto do curso de Psicologia. Este curso tem como base teórica fundamental as teorias psicanalítica e psicológica.

Leia mais

SAMCDA: o discurso cientificista da terapia cognitivo-comportamental 1

SAMCDA: o discurso cientificista da terapia cognitivo-comportamental 1 SAMCDA: o discurso cientificista da terapia cognitivo-comportamental 1 Christiano Mendes de Lima 2 Resumo: Neste texto, pretende-se situar a terapia cognitivo-comportamental (TCC) como uma das formações

Leia mais

PROJETO AIMEE: A CLÍNICA DA PSICOSE E SEU EFEITO NO SOCIAL

PROJETO AIMEE: A CLÍNICA DA PSICOSE E SEU EFEITO NO SOCIAL PROJETO AIMEE: A CLÍNICA DA PSICOSE E SEU EFEITO NO SOCIAL Autoras: 1 BARRETO, Ellen Kelly Marinho; 2 FERNANDES, Regileide de Lucena; 3 LAVIERI, Maria Beatriz Ferreira; 4 MIGUEL, Isabelle Maria Duarte

Leia mais