AMOR SEM LIMITES: SOBRE A DEVASTAÇÃO NA RELAÇÃO MÃE E FILHA E NA PARCERIA AMOROSA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AMOR SEM LIMITES: SOBRE A DEVASTAÇÃO NA RELAÇÃO MÃE E FILHA E NA PARCERIA AMOROSA"

Transcrição

1 AMOR SEM LIMITES: SOBRE A DEVASTAÇÃO NA RELAÇÃO MÃE E FILHA E NA PARCERIA AMOROSA Fernanda Samico Küpper Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Psicanálise da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ); Professora assistente do curso de Psicologia na Universidade Severino Sombra em Vassouras RJ; Associada do Corpo Freudiano Escola de Psicanálise, seção Rio de Janeiro. Endereço: Rua Zenaide Teixeira Valente, 34, Santa Amália, Vassouras RJ Tel.: (24) E.mail: RESUMO: A questão da devastação é sempre atual na clínica com mulheres. Sabemos com Freud e Lacan que, no momento da incidência da castração pela descoberta de uma falta articulada ao significante, uma mulher reedita seu vínculo pré-edipiano com o Outro materno e apela por um significante que a represente como mulher. Este apelo se reatualiza durante toda a sua vida e torna nebulosa a distância a ser construída e mantida entre demanda e desejo, o que problematiza a assunção do desejo como separado do desejo do Outro materno. Lacan nomeia de devastação à persistência deste endereçamento de demanda infinita de amor. Para as mulheres, amor e devastação possuem estreito parentesco porque ambos estão sob o registro do sem limite e da falta de significante no Outro. Diante desse gozo, fora da lógica fálica e da falta de um significante que defina o que é uma mulher, a devastação se apresenta como resposta no relacionamento entre mãe e filha e nas parcerias amorosas, podendo ser pensada como uma patologia do amor.

2 AMOR SEM LIMITES: SOBRE A DEVASTAÇÃO NA RELAÇÃO MÃE E FILHA E NA PARCERIA AMOROSA 1 Fernanda Samico Küpper Desde os últimos tempos da teorização freudiana acerca do feminino, entende-se que a problemática do tornar-se mulher está em separar-se do Outro materno, o Outro da demanda, para aceder ao desejo. No momento da incidência da castração pela descoberta de uma falta articulada ao significante, uma mulher reedita seu vínculo préedipiano com o Outro materno e apela por um significante que a represente como mulher. Este apelo se reatualiza durante toda a sua vida e torna nebulosa a distância a ser construída e mantida entre demanda e desejo, o que problematiza a assunção do desejo como separado do desejo do Outro materno. A mulher recua da renúncia à demanda do Outro tanto pela expectativa de poder obter uma compensação para sua falta-a-ser enquanto sujeito, quanto obter uma identificação suficiente para sua condição feminina. Pommier (1991) explica que as mulheres lançam mão de identificações secundárias, devido à ausência de um traço identificatório que seja suficiente para encarnar o Outro sexo. Pela falta do traço, é impossível definir um modelo feminino além de uma mera apresentação de ornamentos, de máscaras e sinais que indicam uma imagem aparentemente específica de mulher, mas que por apontarem a critérios universais, não tem ancoramento no particular do traço unário. Recobrem a presença de um vazio e sob sua moldura nada é identificado como no caso da identificação do feminino à mãe. Ser a mãe, a que tem um filho, é colocar um significante para dizer da falta de sentido do sexo. É uma máscara na medida em que cobre a ferida narcísica, o ponto onde um sujeito se constitui como faltante. No entanto é uma máscara que, além de velar a falta-a-ter também remete a falta-a-ser, visto que a identificação ao significante mãe se presta a recobrir a falta de sentido do ser. (Caldas, 1995, p. 35) Na operação edipiana da menina, há um resto que não pode ser simbolizado e que perpetua o laço entre mãe e filha. Este resto, que é vazio de substância, marca na menina a crença que a identificação com sua mãe poderia assinalar uma possível feminilidade plena, ao mesmo tempo em que aponta para um gozo Outro que não o marcado pelo significante. O traço tenta circunscrever algo deste gozo e é uma tentativa

3 de dar um contorno ao que é da ordem do real. A metáfora paterna é precária para separar totalmente mãe e filha porque não alcança interferir nessa demanda que a menina direciona a sua mãe para que esta aponte aquilo que a designará enquanto mulher. É na captura da crença em uma similaridade entre mãe e filha que a menina pode se descobrir enredada numa situação de nunca conseguir se separar de sua mãe para se construir enquanto mulher. Pode ser localizado aqui o termo lacaniano devastação, premissa importante para o entendimento do dano que esse aprisionamento no laço com a mãe pode causar. Soler (2005) afirma que a devastação não se limita à reivindicação imaginária que uma filha faz à mãe, pois está além do registro fálico. Só é possível apreender a verdadeira natureza da devastação a partir do gozo Outro, uma vez que ela é conseqüência dele. Ante esse gozo, do qual nada pode ser dito, e da falta de um significante que defina o que é uma mulher, a devastação marcará presença tanto no relacionamento entre mãe e filha quanto nas parcerias amorosas, pois ambas possuem como ponto em comum a demanda infinita de amor. De qualquer forma a devastação implica em dificuldades do sujeito nas relações de troca, em colocar o corpo na troca amorosa, no relacionamento sexual e na maternidade. Uma mãe deverá se separar dos objetos de seu corpo em sua relação com a filha. Se essa transmissão não ocorre, a devastação será a conseqüência desse deslumbramento narcísico que busca mais o amor desenfreado do que o desejo. (Drummond, 2010, p. 9) Para uma mulher, amor e devastação possuem estreito parentesco porque ambos estão sob o registro do sem limite e da falta de significante no Outro. Diante desse gozo fora da lógica fálica e da falta de um significante que defina o que é uma mulher, a devastação se apresenta como uma modalidade no vínculo entre mãe e filha e, por isso, passível de atuar nas parcerias amorosas e em todos outros enlaces, inclusive no amor de transferência. Na clínica com mulheres, a questão da devastação é sempre atual. A palavra devastação é usada para traduzir o termo francês ravage, que os dicionários franceses significam como o ato de arrasar, fazer estragos. Em português o sentido se mantém e o dicionário Aurélio aponta o termo devastação como o ato de destruição vandálica, ruína causada por grande desgraça. Lacan escolhe esse significante pela primeira vez para definir o vínculo entre mãe e filha em seu escrito O Aturdito.

4 [...] a elucubração freudiana do complexo de Édipo, que faz da mulher peixe na água, pela castração ser nela ponto de partida (Freud dixit), contrasta dolorosamente com a realidade da devastação que constitui, na mulher, em sua maioria, a relação com a mãe de quem, como mulher, ela realmente parece esperar mais substância que do pai o que não combina com ele ser segundo, nessa devastação. (Lacan, 1972/2003, p. 465) A posição que uma mulher ocupa na fantasia de um homem, Lacan nos ensina, é a de encarnação do objeto a. Por outro lado, uma mulher busca uma identificação na posição de amada. Essa busca pode desencadear uma demanda de amor sem fim, quando não barrada pelo Nome-do-Pai devido a fragilidade deste como tributário do vínculo pré-edipiano. Quando Lacan aponta que a aflição e a devastação são os parceiros da mulher, ele se refere com esses termos aos efeitos do gozo feminino sobre uma mulher, que a lançam em uma espiral de demanda de amor infinita. A ausência de um significante que diga o que é a mulher S( /A ) tem como efeito o acesso do ser feminino a um gozo infinito. A devastação feminina é, portanto, efeito da ausência do significante da mulher e pode, portanto, mantê-la refém, em um deslumbramento que chega a levá-la à despersonalização e à angústia, e cujo destino pode ser a destruição de laços libidinais. O reforço da demanda de ser amada conduz uma mulher do deslumbramento à devastação uma vez que A perda desse amor pode trazer a irrupção de uma desfalicização do corpo, uma errância, uma despersonalização ou ainda uma ameaça de auto-desaparecimento. Tais fenômenos decorrem da estrutura de cada sujeito e, certamente, de sua relação com a linguagem, o simbólico. (Drummond, 2010, p. 9) Nas ligações amorosas que levam a marca da devastação, a função fálica se sustenta parcialmente e o fracasso dos semblantes revela no corpo o real não marcado pelo significante fálico, com conseqüências funestas para uma mulher. Quando, nos enlaces edipianos de uma mulher, o falo é simbolizado, sua função pode servir de baliza para o excesso feminino, o que possibilita enlaces que trariam uma chance de identificação com o semblante fálico. Se o sujeito acata o discurso do Outro, o desejo pode vir em suplência à inexistência da relação sexual. Cada mulher, então, deve encontrar soluções particulares para alojar os excessos típicos da modalidade de

5 gozo feminino em seu ser. Podemos, a partir disso, falar com Brousse (2001) de feminilidades. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BROUSSE, M. H. Las femineidades: el Otro sexo entre metáfora y suplencia. Del Édipo a la sexuación. Buenos Aires: Paidós, Uma dificuldade na análise das mulheres: uma devastação na relação com a mãe Ornicar?: 1. De Jacques Lacan a Lewis Carrol. Rio de Janeiro: Zahar, 2004 CALDAS, H. /A mulher e suas máscaras. A mulher na Psicanálise e na Arte. Rio de Janeiro: Contra Capa, DRUMMOND, C. A Devastação. Acesso em 01/07/2010: 10 páginas. Disponível em: FREUD, S. Sexualidade Feminina (1931) Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas. Rio de Janeiro: Imago. Vol. XXI, Feminilidade (1933[1932]) Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas. Rio de Janeiro: Imago. Vol. XXII, LACAN, J. Diretrizes para um Congresso sobre a sexualidade feminina (1958) Escritos. Rio de Janeiro: Zahar, O Aturdito (1972) Outros Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar editor, O seminário, livro 20: mais, ainda. ( ) Rio de Janeiro: Jorge Zahar editor, O Seminário, livro 23: o sinthoma. ( ) Rio de Janeiro, Jorge Zahar editor, MILLER, J.-A. O Osso de uma análise. Salvador: Biblioteca Agente, POMMIER, G. A exceção feminina: os impasses do gozo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar editor, SOLER, C. O que Lacan dizia das mulheres. Rio de Janeiro: Ed. Jorge Zahar editor, QUINET, A. As formas do amor na partilha dos sexos in A mulher na Psicanálise e na Arte. Rio de Janeiro: Contra Capa, ZALCBERG, M. A relação mãe e filha. Rio de Janeiro: Ed. Campus-Elsevier, 2003.

6 1 Extraído da pesquisa de mestrado no Programa de Pós-Graduação em Psicanálise da UERJ sob orientação da Profª Drª Heloisa Caldas.

Um tipo particular de escolha de objeto nas mulheres

Um tipo particular de escolha de objeto nas mulheres Um tipo particular de escolha de objeto nas mulheres Gabriella Valle Dupim da Silva Doutoranda do Programa de Pós Graduação em Psicologia(PPGP/UFRJ)/Bolsista CNPq. Endereço: Rua Belizário Távora 211/104

Leia mais

Ô MÃE, ME EXPLICA, ME ENSINA, ME DIZ O QUE É FEMININA? nossos tempos não foge à regra. As mulheres, afetadas pela condição de não-todas,

Ô MÃE, ME EXPLICA, ME ENSINA, ME DIZ O QUE É FEMININA? nossos tempos não foge à regra. As mulheres, afetadas pela condição de não-todas, Ô MÃE, ME EXPLICA, ME ENSINA, ME DIZ O QUE É FEMININA? Fernanda Samico Küpper É notória a contribuição que as mulheres sempre deram à engrenagem da psicanálise enquanto campo teórico. Desde Anna O., passando

Leia mais

O falo, o amor ao pai, o silêncio. no real Gresiela Nunes da Rosa

O falo, o amor ao pai, o silêncio. no real Gresiela Nunes da Rosa Opção Lacaniana online nova série Ano 5 Número 15 novembro 2014 ISSN 2177-2673 e o amor no real Gresiela Nunes da Rosa Diante da constatação de que o menino ou o papai possui um órgão fálico um tanto quanto

Leia mais

AMOR ÓDIO DEVASTAÇÃO NA RELAÇÃO MÃE E FILHA

AMOR ÓDIO DEVASTAÇÃO NA RELAÇÃO MÃE E FILHA AMOR ÓDIO DEVASTAÇÃO NA RELAÇÃO MÃE E FILHA Flavia Bonfim* Desde Freud, a problemática mãe e filha já se inscreve na psicanálise. Na postulação freudiana, amor e ódio marcam a relação da menina para com

Leia mais

Do sintoma ao sinthoma: uma via para pensar a mãe, a mulher e a criança na clínica atual Laura Fangmann

Do sintoma ao sinthoma: uma via para pensar a mãe, a mulher e a criança na clínica atual Laura Fangmann Opção Lacaniana online nova série Ano 1 Número 2 Julho 2010 ISSN 2177-2673 : uma via para pensar a mãe, a mulher e a criança na clínica atual Laura Fangmann Introdução Nesse trabalho, proponho-me a falar

Leia mais

A dor no feminino: reflexões sobre a condição da mulher na contemporaneidade

A dor no feminino: reflexões sobre a condição da mulher na contemporaneidade A dor no feminino: reflexões sobre a condição da mulher na contemporaneidade Alcione Alves Hummel Monteiro 1 Vanusa Balieiro do Rego 2 Roseane Freitas Nicolau 3 Susette Matos da Silva 4 A arte dá ao artista

Leia mais

A devastação: uma singularidade feminina

A devastação: uma singularidade feminina Devastação ISSN 0101-4838 469 A devastação: uma singularidade feminina Malvine Zalcberg* RESUMO Lacan empregou o termo devastação em dois momentos de seu ensino para se referir: seja à relação da filha

Leia mais

Devastação, o que há de novo?

Devastação, o que há de novo? Opção Lacaniana online nova série Ano 7 Número 21 novembro 2016 ISSN 2177-2673 Maria Luiza Rangel A devastação (ravage) aparece tardiamente em Lacan. No escrito O Aturdito 1 de 1973, ela é articulada à

Leia mais

O amor e a mulher. Segundo Lacan o papel do amor é precioso: Daniela Goulart Pestana

O amor e a mulher. Segundo Lacan o papel do amor é precioso: Daniela Goulart Pestana O amor e a mulher O que une os seres é o amor, o que os separa é a Sexualidade. Somente o Homem e A Mulher que podem unir-se acima de toda sexualidade são fortes. Antonin Artaud, 1937. Daniela Goulart

Leia mais

Referências Bibliográficas

Referências Bibliográficas 98 Referências Bibliográficas ALBERTI, S. Esse Sujeito Adolescente. Rio de Janeiro: Rios Ambiciosos, 1999. APOLINÁRIO, C. Acting out e passagem ao ato: entre o ato e a enunciação. In: Revista Marraio.

Leia mais

As Implicações do Co Leito entre Pais e Filhos para a Resolução do Complexo de Édipo. Sandra Freiberger

As Implicações do Co Leito entre Pais e Filhos para a Resolução do Complexo de Édipo. Sandra Freiberger As Implicações do Co Leito entre Pais e Filhos para a Resolução do Complexo de Édipo Sandra Freiberger Porto Alegre, 2017 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PSICOLOGIA CURSO: INTERVENÇÃO

Leia mais

O AMOR NA PSICOSE. fórmulas da sexuação, entre o homem e a mulher. Já na articulação amor / suplência 3 o sujeito

O AMOR NA PSICOSE. fórmulas da sexuação, entre o homem e a mulher. Já na articulação amor / suplência 3 o sujeito O AMOR NA PSICOSE Nancy Greca de Oliveira Carneiro 1 A doutrina da foraclusão generalizada faz ver que há para o sujeito, e não apenas para o psicótico, um objeto indizível, o que estende a foraclusão

Leia mais

ISSO NÃO ME FALA MAIS NADA! 1 (Sobre a posição do analista na direção da cura)

ISSO NÃO ME FALA MAIS NADA! 1 (Sobre a posição do analista na direção da cura) ISSO NÃO ME FALA MAIS NADA! 1 (Sobre a posição do analista na direção da cura) Arlete Mourão Essa frase do título corresponde à expressão utilizada por um ex-analisando na época do final de sua análise.

Leia mais

Os desdobramentos do gozo feminino na vida amorosa

Os desdobramentos do gozo feminino na vida amorosa Os desdobramentos do gozo feminino na vida amorosa The developments of the feminine enjoyment in the love life Breno Ferreira Pena Resumo Trabalhar a partir do ensino de Lacan com os possíveis desdobramentos

Leia mais

Potlatch amoroso : outra versão para o masoquismo feminino Graciela Bessa

Potlatch amoroso : outra versão para o masoquismo feminino Graciela Bessa Opção Lacaniana online nova série Ano 2 Número 6 novembro 2011 ISSN 2177-2673 Potlatch amoroso : outra versão para o masoquismo feminino Graciela Bessa Só nos círculos psicanalíticos se debate com calma

Leia mais

Amor atravessado pela pulsão de morte

Amor atravessado pela pulsão de morte Opção Lacaniana online nova série Ano 3 Número 8 julho 2012 ISSN 2177-2673 1 Cleudes Maria Slongo A demanda de amor desempenha um papel incomparável ao papel do homem na vida de uma mulher. Apesar da satisfação

Leia mais

A INCOMPREENSÃO DA MATEMÁTICA É UM SINTOMA?

A INCOMPREENSÃO DA MATEMÁTICA É UM SINTOMA? A INCOMPREENSÃO DA MATEMÁTICA É UM SINTOMA? ROSELI MARIA RODELLA DE OLIVEIRA rrodella@gmail.com A proposta deste trabalho é explicar o sintoma de incompreensão da matemática. Ela está inspirada em uma

Leia mais

O AMOR, O FEMININO E A ESCRITA. Valdelice Nascimento de França Ribeiro Maria Aimée Laupman Ferraz Ana Maria Medeiros da Costa O AMOR EM FREUD

O AMOR, O FEMININO E A ESCRITA. Valdelice Nascimento de França Ribeiro Maria Aimée Laupman Ferraz Ana Maria Medeiros da Costa O AMOR EM FREUD O AMOR, O FEMININO E A ESCRITA Valdelice Nascimento de França Ribeiro Maria Aimée Laupman Ferraz Ana Maria Medeiros da Costa O AMOR EM FREUD Recorreremos ao texto freudiano: Sobre o narcisismo: uma introdução

Leia mais

6 Referências bibliográficas

6 Referências bibliográficas 6 Referências bibliográficas ABREU, T. Perversão generalizada. In: Agente: Revista digital de psicanálise da EBP-Bahia, n. 03. Salvador: EBP-Bahia, 2007. Disponível em: .

Leia mais

Miranda da Silva, Aline A devastação e o feminino Psychê, vol. XII, núm. 22, enero-junio, 2008, pp Universidade São Marcos São Paulo, Brasil

Miranda da Silva, Aline A devastação e o feminino Psychê, vol. XII, núm. 22, enero-junio, 2008, pp Universidade São Marcos São Paulo, Brasil Psychê ISSN: 1415-1138 clinica@psycheweb.com.br Universidade São Marcos Brasil Miranda da Silva, Aline A devastação e o feminino Psychê, vol. XII, núm. 22, enero-junio, 2008, pp. 27-34 Universidade São

Leia mais

O MANEJO DA TRANSFERÊNCIA NA PSICOSE: O SECRETÁRIO DO ALIENADO E SUAS IMPLICAÇÕES

O MANEJO DA TRANSFERÊNCIA NA PSICOSE: O SECRETÁRIO DO ALIENADO E SUAS IMPLICAÇÕES O MANEJO DA TRANSFERÊNCIA NA PSICOSE: O SECRETÁRIO DO ALIENADO E SUAS IMPLICAÇÕES Roberto Lopes Mendonça O tratamento da psicose: impasses iniciais No trabalho clínico com a psicose, torna-se cada vez

Leia mais

Amor e precipitação: um retorno à história de Sidonie C., a paciente homossexual de Freud

Amor e precipitação: um retorno à história de Sidonie C., a paciente homossexual de Freud Amor e precipitação: um retorno à história de Sidonie C., a paciente homossexual de Freud Alexandre Rambo de Moura Nosso trabalho se desdobra das questões que emergem a partir do livro Desejos Secretos,

Leia mais

Um rastro no mundo: as voltas da demanda 1

Um rastro no mundo: as voltas da demanda 1 Um rastro no mundo: as voltas da demanda 1 Maria Lia Avelar da Fonte 2 1 Trabalho apresentado no Simpósio de Intersecção Psicanalítica do Brasil. Brasília, 2006. Trabalho Publicado no livro As identificações

Leia mais

Famílias sintomáticas

Famílias sintomáticas Opção Lacaniana online nova série Ano 4 Número 10 março 2013 ISSN 2177-2673 1 Fabian Fajnwaks O desejo de formar família encontrou uma espécie de interpretação na resposta recente de nossos governantes:

Leia mais

Latusa digital N 10 ano 1 outubro de 2004

Latusa digital N 10 ano 1 outubro de 2004 Latusa digital N 10 ano 1 outubro de 2004 Política do medo versus política lacaniana Mirta Zbrun* Há três sentidos possíveis para entender a política lacaniana 1. Em primeiro lugar, o sentido da política

Leia mais

A constituição do sujeito e a análise

A constituição do sujeito e a análise Berenice R. Fontes C. de Morais A constituição do sujeito e a análise Este trabalho parte de um texto de Colette Soler em que ela escreve sobre o sujeito desejante: [...] o sujeito que começa uma análise

Leia mais

Devastação: um nome para dor de amor Gabriella Dupim e Vera Lopes Besset

Devastação: um nome para dor de amor Gabriella Dupim e Vera Lopes Besset Opção Lacaniana online nova série Ano 2 Número 6 novembro 2011 ISSN 2177-2673 Gabriella Dupim e Vera Lopes Besset No início da experiência analítica, foi o amor, diz Lacan 1 parafraseando a fórmula no

Leia mais

Desdobramentos: A mulher para além da mãe

Desdobramentos: A mulher para além da mãe Desdobramentos: A mulher para além da mãe Uma mulher que ama como mulher só pode se tornar mais profundamente mulher. Nietzsche Daniela Goulart Pestana Afirmar verdadeiramente eu sou homem ou eu sou mulher,

Leia mais

O gozo, o sentido e o signo de amor

O gozo, o sentido e o signo de amor O gozo, o sentido e o signo de amor Palavras-chave: signo, significante, sentido, gozo Simone Oliveira Souto O blá-blá-blá Na análise, não se faz mais do que falar. O analisante fala e, embora o que ele

Leia mais

Latusa digital ano 2 N 13 abril de 2005

Latusa digital ano 2 N 13 abril de 2005 Latusa digital ano 2 N 13 abril de 2005 A clínica do sintoma em Freud e em Lacan Ângela Batista * O sintoma é um conceito que nos remete à clínica, assim como ao nascimento da psicanálise. Freud o investiga

Leia mais

Considerações finais

Considerações finais Considerações finais Para chegarmos ao cerne de nosso tema, fizemos um percurso específico por alguns conceitos da psicanálise por acreditar que se não o fizéssemos, não atingiríamos o entendimento necessário

Leia mais

Toxicomanias: contra-senso ao laço social e ao amor?

Toxicomanias: contra-senso ao laço social e ao amor? Toxicomanias: contra-senso ao laço social e ao amor? Rita de Cássia dos Santos Canabarro 1 Eros e Ananke são, segundo Freud (1930/1987), os pais da civilização. De um lado, o amor foi responsável por reunir

Leia mais

NOME DO PAI E REAL. Jacques Laberge 1

NOME DO PAI E REAL. Jacques Laberge 1 NOME DO PAI E REAL Jacques Laberge 1 Na época em que estava proferindo seu Seminário As formações do inconsciente, Lacan retomou pontos de seu Seminário III, As psicoses em De uma questão preliminar a

Leia mais

A prova da devastação Daniela Goulart Pestana

A prova da devastação Daniela Goulart Pestana A prova da devastação Daniela Goulart Pestana A comunicação que segue procura pensar algumas especificidades constitucionais do feminino a partir do aforismo lacaniano: Não há relação sexual. Para dizer

Leia mais

Relato de Experiência Profissional

Relato de Experiência Profissional Relato de Experiência Profissional Amor Ódio: devastação na relação mãe e filha H Flavia Gaze Bonfim HH Associação Fluminense de Reabilitação, Niterói, RJ, Brasil Resumo Na postulação freudiana, amor

Leia mais

O estatuto do corpo no transexualismo

O estatuto do corpo no transexualismo O estatuto do corpo no transexualismo Doris Rinaldi 1 Lacan, no Seminário sobre Joyce, assinala a estranheza que marca a relação do homem com o próprio corpo, relação essa que é da ordem do ter e não do

Leia mais

Começaremos dando ênfase a uma citação de Lacan no Seminário IV, A relação de objeto:

Começaremos dando ênfase a uma citação de Lacan no Seminário IV, A relação de objeto: A CARÊNCIA DO PAI Sandra Leticia Berta. 1 Resumo: Este trabalho aborda o tema da função paterna focado no conceito de carência do pai tal como foi trabalhados por Lacan nos seus Seminários A relação de

Leia mais

Opção Lacaniana online nova série Ano 3 Número 8 julho 2012 ISSN 2177-2673. Há um(a) só. Analícea Calmon

Opção Lacaniana online nova série Ano 3 Número 8 julho 2012 ISSN 2177-2673. Há um(a) só. Analícea Calmon Opção Lacaniana online nova série Ano 3 Número 8 julho 2012 ISSN 2177-2673 Analícea Calmon Seguindo os passos da construção teórico-clínica de Freud e de Lacan, vamos nos deparar com alguns momentos de

Leia mais

O amor de transferência ou o que se pode escrever de uma análise

O amor de transferência ou o que se pode escrever de uma análise O amor de transferência ou o que se pode escrever de uma análise Palavras-chave: Amor de transferência; Escrita; Literatura; Relação Sexual. Márcia de Souza Mezêncio O amor é transferência " Amor será

Leia mais

Sofrimento e dor no autismo: quem sente?

Sofrimento e dor no autismo: quem sente? Sofrimento e dor no autismo: quem sente? BORGES, Bianca Stoppa Universidade Veiga de Almeida-RJ biasborges@globo.com Resumo Este trabalho pretende discutir a relação do autista com seu corpo, frente à

Leia mais

Amar uma questão feminina de ser

Amar uma questão feminina de ser Amar uma questão feminina de ser Flavia Braunstein Markman Desde Freud, sabemos que estamos diante de um conceito psicanalítico bastante complexo, de difícil delineamento e de significados pouco precisos.

Leia mais

Amar demais: um destino inevitável na sexuação feminina?

Amar demais: um destino inevitável na sexuação feminina? 1 Amar demais: um destino inevitável na sexuação feminina? Este trabalho faz parte da mesa redonda intitulada Sexuação: amor, desejo e gozo na clínica psicanalítica, coordenada por Tania Coelho dos Santos,

Leia mais

3) Interrogações sobre a Ética da Psicanálise na Clínica com Pacientes Psicóticos.

3) Interrogações sobre a Ética da Psicanálise na Clínica com Pacientes Psicóticos. 3) Interrogações sobre a Ética da Psicanálise na Clínica com Pacientes Psicóticos. Yzabelle dos Anjos Almeida (IP-UERJ), Rita Maria Manso de Barros (IP-UERJ) Resumo: Este trabalho pretende tratar da ética

Leia mais

O OBJETO A E SUA CONSTRUÇÃO

O OBJETO A E SUA CONSTRUÇÃO O OBJETO A E SUA CONSTRUÇÃO 2016 Marcell Felipe Psicólogo clínico graduado pelo Centro Universitário Newont Paiva (MG). Pós graduado em Clínica Psicanalítica pela Pontifícia Católica de Minas Gerais (Brasil).

Leia mais

Escritores Criativos E Devaneio (1908), vol. IX. Fantasias Histéricas E Sua Relação Com A Bissexualidade (1908), vol. IX. Moral Sexual Civilizada E

Escritores Criativos E Devaneio (1908), vol. IX. Fantasias Histéricas E Sua Relação Com A Bissexualidade (1908), vol. IX. Moral Sexual Civilizada E 6 Bibliografia ANDRÉ, S., A Impostura Perversa, Rio de Janeiro, Jorge Zahar Ed., 1995. BROUSSE, M. H., A Fórmula do Fantasma? $ a, in Lacan, organizado por: Gérard Miller, Rio de Janeiro, Jorge Zahar Ed.,

Leia mais

PSICANÁLISE Dissolução do complexo de Édipo

PSICANÁLISE Dissolução do complexo de Édipo PSICANÁLISE Dissolução do complexo de Édipo COMPLEXO DE ÉDIPO O fundador da psicanálise, Sigmund Freud, instituiu o Complexo de Édipo como uma fase universal na infância do sujeito em que há uma triangulação

Leia mais

Curso de Extensão: LEITURAS DIRIGIDAS DA OBRA DE JACQUES LACAN/2014

Curso de Extensão: LEITURAS DIRIGIDAS DA OBRA DE JACQUES LACAN/2014 Curso de Extensão: LEITURAS DIRIGIDAS DA OBRA DE JACQUES LACAN/2014 Prof. Dr. Mario Eduardo Costa Pereira PROGRAMA - Io. SEMESTRE Março/2014 14/03/2014 CONFERÊNCIA INAUGURAL : Contextualização do seminário

Leia mais

Latusa digital ano 3 N 22 maio de 2006

Latusa digital ano 3 N 22 maio de 2006 Latusa digital ano 3 N 22 maio de 2006 A ex-sistência do real, a diferença sexual e a dissimetria dos gozos * Tania Coelho dos Santos Márcia Zucchi ** A ascensão do mais de gozar ao lugar dominante na

Leia mais

Latusa digital N 12 ano 2 março de 2005

Latusa digital N 12 ano 2 março de 2005 Latusa digital N 12 ano 2 março de 2005 Sinthoma e identificação Lenita Bentes Ondina Machado * Abordaremos alguns aspectos do tema de nossa oficina, que dá título ao texto, através de dois pequenos escritos.

Leia mais

Como a análise pode permitir o encontro com o amor pleno

Como a análise pode permitir o encontro com o amor pleno Centro de Estudos Psicanalíticos - CEP Como a análise pode permitir o encontro com o amor pleno Laura Maria do Val Lanari Ciclo II, terça-feira à noite O presente trabalho tem por objetivo relatar as primeiras

Leia mais

1 Algumas Considerações sobre a Problemática do Falo em Freud e Lacan

1 Algumas Considerações sobre a Problemática do Falo em Freud e Lacan 1 Algumas Considerações sobre a Problemática do Falo em Freud e Lacan 1.1 O conceito de falo O termo falo aparece na teoria psicanalítica primeiramente em Freud e é retomado posteriormente por Lacan. Trata-se

Leia mais

MULHERES MASTECTOMIZADAS: UM OLHAR PSICANALÍTICO. Sara Guimarães Nunes 1

MULHERES MASTECTOMIZADAS: UM OLHAR PSICANALÍTICO. Sara Guimarães Nunes 1 MULHERES MASTECTOMIZADAS: UM OLHAR PSICANALÍTICO Sara Guimarães Nunes 1 1. Aluna Especial do Mestrado em Psicologia 2016.1, da Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Tipo de Apresentação: Comunicação

Leia mais

Incurável. Celso Rennó Lima

Incurável. Celso Rennó Lima 1 Incurável Celso Rennó Lima Em seu primeiro encontro com o Outro, consequência da incidência de um significante, o sujeito tem de lidar com um incurável, que não se subjetiva, que não permite que desejo

Leia mais

Título: Histeria e manifestações na música contemporânea. Este trabalho tem um interesse particular no aspecto da histeria que a

Título: Histeria e manifestações na música contemporânea. Este trabalho tem um interesse particular no aspecto da histeria que a 2 o Semestre 2014 Ciclo III Quinta-feira - Noite Aluno: Raphael Piedade de Próspero Título: Histeria e manifestações na música contemporânea Este trabalho tem um interesse particular no aspecto da histeria

Leia mais

O sintoma da criança: produção. desejo e de gozo 1

O sintoma da criança: produção. desejo e de gozo 1 Opção Lacaniana online nova série Ano 7 Número 20 julho 2016 ISSN 2177-2673 compósita de desejo e de gozo 1 Júlio Eduardo de Castro & Marina Gabriela Silveira Na Nota sobre a criança 2 Lacan formula, por

Leia mais

Feminilidade e Angústia 1

Feminilidade e Angústia 1 Feminilidade e Angústia 1 Claudinéia da Cruz Bento 2 Freud, desde o início de seus trabalhos, declarou sua dificuldade em abordar o tema da feminilidade. Após um longo percurso de todo o desenvolvimento

Leia mais

Quando dar à castração outra articulação que não a anedótica? 1

Quando dar à castração outra articulação que não a anedótica? 1 Quando dar à castração outra articulação que não a anedótica? 1 Maria Isabel Fernandez Este título extraí do seminário...ou pior, livro 19, de Jacques Lacan, especificamente do capítulo III, intitulado

Leia mais

Referências bibliográficas

Referências bibliográficas Referências bibliográficas BEZERRIL, C. (relatora). Imagens da letra. Opção Lacaniana Revista Brasileira Internacional de Psicanálise, n. 41, 2004. COTTET, S. La belle inertie. Note sur la depression en

Leia mais

Amor fetichista - amor louco: consequências na criança Gabriela Dargenton

Amor fetichista - amor louco: consequências na criança Gabriela Dargenton Opção Lacaniana online nova série Ano 1 Número 2 Julho 2010 ISSN 2177-2673 - amor louco: consequências na criança Gabriela Dargenton Motivos do tema O trabalho que estávamos realizando para essa intervenção

Leia mais

O amor: esse encontro faltoso

O amor: esse encontro faltoso O amor: esse encontro faltoso Profa. Ms. Célia Ferreira Carta Winter 1 Sumário: 1.Contextualização.2 O amor em Freud e Lacan 3. O amor e a Linguagem. 4. Considerações Finais 1.Contextualização: O tema

Leia mais

Título. O Amor entre a histeria e a Obsessão. Autor: Waieser Matos de Oliveira Bastos 1. Palavras Chave: Amor, histeria, obsessão SUMÁRIO

Título. O Amor entre a histeria e a Obsessão. Autor: Waieser Matos de Oliveira Bastos 1. Palavras Chave: Amor, histeria, obsessão SUMÁRIO 1 Título O Amor entre a histeria e a Obsessão Autor: Waieser Matos de Oliveira Bastos 1 Palavras Chave: Amor, histeria, obsessão SUMÁRIO Esse artigo pretende discutir os impasses apresentados a partir

Leia mais

O Fenômeno Psicossomático (FPS) não é o signo do amor 1

O Fenômeno Psicossomático (FPS) não é o signo do amor 1 O Fenômeno Psicossomático (FPS) não é o signo do amor 1 Joseane Garcia de S. Moraes 2 Na abertura do seminário 20, mais ainda, cujo título em francês é encore, que faz homofonia com en corps, em corpo,

Leia mais

Trabalho Livre: A privação da maternidade / paternidade nas novas gerações

Trabalho Livre: A privação da maternidade / paternidade nas novas gerações 1 Trabalho Livre: A privação da maternidade / paternidade nas novas gerações Goldstein, Mirta Hoje é comum ouvir a recusa de muitos jovens para lidar com a paternidade / maternidade, evitar a procriação

Leia mais

A FALHA DA FUNÇÃO PATERNA E O SINTOMA. Desde 1957, Lacan ( /1995, p. 383) havia apontado que a interrogação o que é o

A FALHA DA FUNÇÃO PATERNA E O SINTOMA. Desde 1957, Lacan ( /1995, p. 383) havia apontado que a interrogação o que é o A FALHA DA FUNÇÃO PATERNA E O SINTOMA Lauro da Silva Barbosa 1 Sonia Alberti 2 QUE É UM PAI? Desde 1957, Lacan (1956-57/1995, p. 383) havia apontado que a interrogação o que é o pai? está formulada no

Leia mais

Componente Curricular: Psicoterapia I Psicanálise Professor(a): Dalmir Lopes Período: 8º TURNO: Noturno Ano:

Componente Curricular: Psicoterapia I Psicanálise Professor(a): Dalmir Lopes Período: 8º TURNO: Noturno Ano: CRÉDITOS Componente Curricular: Psicoterapia I Psicanálise Professor(a): Dalmir Lopes Período: 8º TURNO: Noturno Ano: 2015.2 TOTAL DE AULAS(h/a) CARGA HORÁRIA ATIVIDADES EM ESPAÇOS DIVERSIFICADOS CARGA

Leia mais

Componente Curricular: Psicoterapia I Psicanálise Professor(a): Dalmir Peira Lopes Período: 8º TURNO: Matutino Ano:

Componente Curricular: Psicoterapia I Psicanálise Professor(a): Dalmir Peira Lopes Período: 8º TURNO: Matutino Ano: CRÉDITOS Componente Curricular: Psicoterapia I Psicanálise Professor(a): Dalmir Peira Lopes Período: 8º TURNO: Matutino Ano: 2015.2 TOTAL DE AULAS(h/a) CARGA HORÁRIA ATIVIDADES EM ESPAÇOS DIVERSIFICADOS

Leia mais

A Outra: o delírio da histérica

A Outra: o delírio da histérica Opção Lacaniana online nova série Ano 2 Número 6 novembro 2011 ISSN 2177-2673 1 Ana Martha Maia e Maria Fátima Pinheiro Desde Freud, podemos dizer que a fantasia e o delírio são construções ficcionais

Leia mais

6 Referências bibliográficas

6 Referências bibliográficas 78 6 Referências bibliográficas ALMEIDA PRADO, M. C. Uma Introdução aos Qüiproquós Conjugais. In: FÉRES CARNEIRO T. (org.). Relação Amorosa, Casamento, Separação e Terapia de Casal. Rio de Janeiro: Associação

Leia mais

O lugar do desejo feminino frente à violência

O lugar do desejo feminino frente à violência O lugar do desejo feminino frente à violência O lugar do desejo feminino frente à violência Tharso Peixoto Santos e Souza Resumo A problemática da violência doméstica contra a mulher se apresenta de modo

Leia mais

O SUPEREU NA DEMANDA DE AMOR INSACIÁVEL DAS MULHERES

O SUPEREU NA DEMANDA DE AMOR INSACIÁVEL DAS MULHERES O SUPEREU NA DEMANDA DE AMOR INSACIÁVEL DAS MULHERES Daniela de Oliveira Martins Mendes Daibert Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Psicanálise da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ);

Leia mais

Latusa digital N 12 ano 2 março de Sinthoma e fantasia fundamental. Stella Jimenez *

Latusa digital N 12 ano 2 março de Sinthoma e fantasia fundamental. Stella Jimenez * Latusa digital N 12 ano 2 março de 2005 Sinthoma e fantasia fundamental Stella Jimenez * A palavra sinthoma aparece na obra de Lacan relacionada às psicoses, quando ele toma James Joyce como seu exemplo

Leia mais

ISSO NÃO ME FALA MAIS NADA! (SOBRE A POSIÇÃO DO ANALISTA NA DIREÇÃO DA CURA) 1

ISSO NÃO ME FALA MAIS NADA! (SOBRE A POSIÇÃO DO ANALISTA NA DIREÇÃO DA CURA) 1 ISSO NÃO ME FALA MAIS NADA! (SOBRE A POSIÇÃO DO ANALISTA NA DIREÇÃO DA CURA) 1 Arlete Mourão 2 Essa frase do título corresponde à expressão utilizada por um ex-analisando na época do final de sua análise.

Leia mais

Os impasses na vida amorosa e as novas configurações da tendência masculina à depreciação

Os impasses na vida amorosa e as novas configurações da tendência masculina à depreciação Os impasses na vida amorosa e as novas configurações da tendência masculina à depreciação Maria José Gontijo Salum Em suas Contribuições à Psicologia do Amor, Freud destacou alguns elementos que permitem

Leia mais

7 Referências Bibliográficas

7 Referências Bibliográficas 81 7 Referências Bibliográficas ARRIVÉ, M. Linguagem e psicanálise: lingüística e inconsciente. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 1999. BAUMAN, Z. Vida líquida. (2009). Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2009.

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA MYRELLA DE FARIAS MADUREIRO SOUSA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA MYRELLA DE FARIAS MADUREIRO SOUSA UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA MYRELLA DE FARIAS MADUREIRO SOUSA SEPARAÇÃO AMOROSA E DEVASTAÇÃO FEMININA CAMPINA GRANDE PB 2016

Leia mais

Um cair de amor ou a separação impossível

Um cair de amor ou a separação impossível Um cair de amor ou a separação impossível Ana Paula Carvalho da Costa Apresentação Neste texto abordaremos o tema do amor e seus transtornos a partir de um atendimento realizado em acompanhamento terapêutico.

Leia mais

A falta de substância na relação mãe e filha Anorexia and the lack of substance in the mother-daughter relationship

A falta de substância na relação mãe e filha Anorexia and the lack of substance in the mother-daughter relationship A falta de substância na relação mãe e filha Anorexia and the lack of substance in the mother-daughter relationship Débora Dias Muller Regina Castelo Resumo Este artigo é um estudo do transtorno anoréxico,

Leia mais

COMENTÁRIOS SOBRE A DIREÇÃO DA CURA 1. Muito foi dito, durante esta semana, sobre a ética e a direção da cura, textos

COMENTÁRIOS SOBRE A DIREÇÃO DA CURA 1. Muito foi dito, durante esta semana, sobre a ética e a direção da cura, textos COMENTÁRIOS SOBRE A DIREÇÃO DA CURA 1 Alejandro Luis Viviani 2 Muito foi dito, durante esta semana, sobre a ética e a direção da cura, textos importantes na obra de Lacan; falar deles implica fazer uma

Leia mais

A FUNÇÃO DO DESEJO NA APRENDIZAGEM. Freud nos ensina no texto Três ensaios sobre a sexualidade (1905/2006) que a

A FUNÇÃO DO DESEJO NA APRENDIZAGEM. Freud nos ensina no texto Três ensaios sobre a sexualidade (1905/2006) que a A FUNÇÃO DO DESEJO NA APRENDIZAGEM Mônica Regina Nogueira da Silva Vulej Freud nos ensina no texto Três ensaios sobre a sexualidade (1905/2006) que a pulsão do saber está ligada à necessidade de investigação

Leia mais

PERÍODO EDIPIANO. Salomé Vieira Santos. Psicologia Dinâmica do Desenvolvimento

PERÍODO EDIPIANO. Salomé Vieira Santos. Psicologia Dinâmica do Desenvolvimento PERÍODO EDIPIANO Salomé Vieira Santos Psicologia Dinâmica do Desenvolvimento Março de 2017 Fases do Desenvolvimento Psicossexual Ao longo do desenvolvimento (bb-adolescente) ocorrem mudanças marcantes:

Leia mais

O GOZO A MAIS DO FEMININO E A FALHA EPISTEMOSSOMÁTICA INTRODUÇÃO

O GOZO A MAIS DO FEMININO E A FALHA EPISTEMOSSOMÁTICA INTRODUÇÃO 1 O GOZO A MAIS DO FEMININO E A FALHA EPISTEMOSSOMÁTICA Vivian Anijar Fragoso Rei 1 Roseane Freitas Nicolau 2 Jamile Luz Morais 3 Ana Carla Silva Pereira 4 INTRODUÇÃO Este trabalho é fruto de reflexões

Leia mais

6 Referências bibliográficas

6 Referências bibliográficas 6 Referências bibliográficas ANDRÉ, S. A impostura perversa. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1995. ASSOUN, P-L. Le fétichisme. 1. ed. Paris: Presses Universitaires de France, 1994. AUSTIN, J. L. How to

Leia mais

Quando a Criança Adoece: os Impactos para Família de um Prognóstico Reservado *

Quando a Criança Adoece: os Impactos para Família de um Prognóstico Reservado * ARTIGOS Quando a Criança Adoece: os Impactos para Família de um Prognóstico Reservado * Taís Devens Donati ** O adoecimento gera crises e desestruturação para o paciente e para sua família que é o primeiro

Leia mais

A CLÍNICA DO EXCESSO; OU A CLÍNICA DO AMOR EM JACQUES LACAN

A CLÍNICA DO EXCESSO; OU A CLÍNICA DO AMOR EM JACQUES LACAN Edital de inscrição Psicanálise 2008 Estão abertas as inscrições para o Corpo de Formação em Psicanálise, do IPLA Instituto da Psicanálise Lacaniana, 2008 INSTITUTO DA PSICANÁLISE LACANIANA CORPO DE FORMAÇÃO

Leia mais

FREUD E LACAN NA CLÍNICA DE 2009

FREUD E LACAN NA CLÍNICA DE 2009 FREUD E LACAN NA CLÍNICA DE 2009 APRESENTAÇÃO O Corpo de Formação em Psicanálise do Instituto da Psicanálise Lacaniana- IPLA trabalhará neste ano de 2009 a atualidade clínica dos quatro conceitos fundamentais

Leia mais

Mãe não tem limite, é tempo sem hora : sobre o luto na relação mãe e filha

Mãe não tem limite, é tempo sem hora : sobre o luto na relação mãe e filha Mãe não tem limite, é tempo sem hora : sobre o luto na relação mãe e filha Ericka Dominguez Melquíades,Flávia Lana Garcia de Oliveira, Rafaela Ferreira de Souza Gomes Introdução O presente trabalho surgiu

Leia mais

Charcot Final Sec.XIX 2

Charcot Final Sec.XIX 2 HISTERIA A CLÍNICA DAS NEUROSES Prof. Ms Valéria Codato 1 Charcot Final Sec.XIX 2 HISTERIA 1ª TÓPICA Freud se desfaz de uma concepção inata (Charcot), adotando a idéia de uma neurose adquirida; Etiologia:

Leia mais

THE DREAM OF BEING THE MOST BEAUTIFUL ABSTRACT:

THE DREAM OF BEING THE MOST BEAUTIFUL ABSTRACT: Título: O sonho de ser a mais bela Autora: Silvia Elena Tendlarz Psicanalista, Membro da EOL Escuela de la Orientación Lacaniana e da AMP Associação Mundial de Psicanálise. E-mail: stendlarz@fibertel.com.ar.

Leia mais

O ATO INFRACIONAL ADOLESCENTE UM APELO AO PAI

O ATO INFRACIONAL ADOLESCENTE UM APELO AO PAI O ATO INFRACIONAL ADOLESCENTE UM APELO AO PAI Christiane da Mota Zeitoune Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Teoria Psicanalítica da UFRJ Mestre em Psicologia Clinica PUC/RJ Psicóloga do Departamento

Leia mais

Vingança pornô, versão atualizada. degradação da vida amorosa? 1 Patricia Badari

Vingança pornô, versão atualizada. degradação da vida amorosa? 1 Patricia Badari Opção Lacaniana online nova série Ano 6 Número 18 novembro 2015 ISSN 2177-2673 "Vingança Pornô", versão atualizada da degradação da vida amorosa? 1 Patricia Badari Uma mulher tem que ter qualquer coisa

Leia mais

CDD: CDU:

CDD: CDU: da autora, 2011 Ágalma, 2011 Projeto gráfico da capa e primeiras páginas Homem de Melo & Troia Design 2ª Edição: maio de 2014 Editor Marcus do Rio Teixeira Direção desta coleção Daniele de Brito Wanderley

Leia mais

Violência Simbólica: possíveis lugares subjetivos para uma criança diante da escolha materna

Violência Simbólica: possíveis lugares subjetivos para uma criança diante da escolha materna Violência Simbólica: possíveis lugares subjetivos para uma criança diante da escolha materna Henrique Figueiredo Carneiro Liliany Loureiro Pontes INTRODUÇÃO Esse trabalho apresenta algumas considerações,

Leia mais

Estrutura, devastação e erotomania. um estudo preliminar 1.

Estrutura, devastação e erotomania. um estudo preliminar 1. Opção Lacaniana online nova série Ano 3 Número 7 março 2012 ISSN 2177-2673 : um estudo preliminar 1. Jussara Jovita Souza da Rosa Os impasses do feminino se refletem também na clínica com mulheres, no

Leia mais

FREUD E OS ENIGMAS DA DIFERENÇA SEXUAL

FREUD E OS ENIGMAS DA DIFERENÇA SEXUAL FREUD E OS ENIGMAS DA DIFERENÇA SEXUAL Carlos Alexandre de Oliveira Antonio Enquanto estudiosos da sexualidade, devemos à psicanálise uma série de esclarecimentos sobre a vida sexual humana. A ambigüidade

Leia mais

Palavras-chave: Sintoma, fantasia, Nome-do-Pai, sinthoma, parceiro_sinthoma.

Palavras-chave: Sintoma, fantasia, Nome-do-Pai, sinthoma, parceiro_sinthoma. Título: Da solução do sintoma ao sinthoma como solução Autor: Leandro Marques Santos Formado no Curso de Psicanálise pelo Instituto de Psicanálise e Saúde Mental de Minas Gerais, Psicanalista, Pós-graduado

Leia mais

Amor no feminino. Ciça Vallerio. Homens e mulheres têm suas particularidades na maneira de lidar com esse sentimento tão desejado

Amor no feminino. Ciça Vallerio. Homens e mulheres têm suas particularidades na maneira de lidar com esse sentimento tão desejado Amor no feminino Homens e mulheres têm suas particularidades na maneira de lidar com esse sentimento tão desejado Ciça Vallerio Há 20 anos, a psicanalista carioca Malvine Zalcberg dedica-se com afinco

Leia mais

A ameaça da alta: considerações sobre o amor na psicose 1

A ameaça da alta: considerações sobre o amor na psicose 1 1 A ameaça da alta: considerações sobre o amor na psicose 1 Sâmea Carolina Ferreira Quebra 2 O presente trabalho discute o amor na psicose que para Lacan 3 é considerado um amor morto e suas implicações

Leia mais

Instituto de Psicanálise e Saúde Mental de Minas Gerais - Almanaque On-line n o 5

Instituto de Psicanálise e Saúde Mental de Minas Gerais - Almanaque On-line n o 5 Considerações sobre a passagem ao ato, o acting-out e o crime Maria José Gontijo Salum Resumo: Estudo dos atos encontrados na clínica com infratores. Para isso, os conceitos lacanianos de passagem ao ato

Leia mais

4 Os conceitos de objeto a e não-todo: respostas lacanianas ao impasse freudiano

4 Os conceitos de objeto a e não-todo: respostas lacanianas ao impasse freudiano 4 Os conceitos de objeto a e não-todo: respostas lacanianas ao impasse freudiano O Édipo freudiano responde à seguinte pergunta: como pode um homem amar sexualmente uma mulher?. Sabemos que Freud tentou

Leia mais

De Freud a Lacan: um passo de saber sobre as mulheres!

De Freud a Lacan: um passo de saber sobre as mulheres! Opção Lacaniana online nova série Ano 3 Número 8 julho 2012 ISSN 2177-2673 De Freud a Lacan: um passo de saber sobre as mulheres! Zelma Abdala Galesi A sexualidade feminina em Freud Freud sempre esteve

Leia mais