Administração. Contabilidade

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Administração. Contabilidade"

Transcrição

1 Escolas Europeias Gabinete do Secretário-Geral Administração Contabilidade Ref.: 2006-D-94-pt-5 Original: EN Versão: PT Remodelação das disposições relativas ao reembolso das despesas de viagem das missões asseguradas pelos membros do Conselho Superior, dos Comités Preparatórios, da Instância de Recurso, por representantes das associações dos pais, bem como por outras pessoas convidadas pelas Escolas Europeias (examinadores do "Baccalauréat", peritos ) Aprovado pelo Conselho Superior na sua reunião de 23, 24 e 25 de Outubro de 2006 em Bruxelas Entra em vigor a partir de 1 de Janeiro de D-94-pt-5 1/6

2 DISPOSIÇÕES RELATIVAS AO REEMBOLSO DAS DESPESAS DE VIAGEM E DE ESTADIA, ASSIM COMO DAS DESPESAS RELATIVAS ÁS MISSÕES ASSEGURADAS PELOS MEMBROS DO CONSELHO SUPERIEUR E DOS SEUS COMITES PREPARATOIRES, PELOS JUIZES DA INSTÂNCIA DE RECURSO, PELOS REPRESENTANTES DAS ASSOCIAÇÕES DE PAIS BEM COMO POR OUTRAS PESSOAS CONVIDADAS PELO CONSELHO SUPERIEUR COMO PERITOS (EXAMINADORES DO BACCALAURÉAT, PERITOS PARA SEMINÁRIOS DE APERFEIÇOAMENTO, ETC.) Artigo 1º Os membros do Conselho Superior, os membros dos Comités Preparatórios, os Juízes da Instância de Recurso, os representantes das associações de pais bem como outras pessoas convidados, para reuniões ou outros acontecimentos organizados no âmbito do serviço, pelas Escolas Europeias ou pelo Conselho Superior ("titulares de uma ordem de missão") têm direito, em conformidade com as disposições seguintes, ao reembolso dos transportes e a um subsídio diário. Artigo 2º A missão é efectuada com base num convite escrito ou numa ordem de missão escrita, assinada pelo Secretário-Geral ou por uma pessoa por ele mandatada. A carta convite menciona em especial o motivo, o lugar e a duração prevista da reunião de serviço. Artigo 3º 1. O reembolso das despesas de viagem é determinado com base: no itinerário comum mais curto e mais barato em primeira classe de comboio entre o lugar de afectação e o lugar da missão mediante apresentação do bilhete de comboio; - no caso de viagem efectuada de noite, com uma duração mínima de seis horas, entre as 22 e as 7 horas, os suplementos de carruagem-cama em categoria dupla serão reembolsados mediante apresentação do bilhete; - as despesas de reserva dos lugares e de transporte das bagagens bem como os suplementos dos comboios rápidos serão reembolsadas mediante apresentação dos bilhetes. - Os bilhetes de comboio de alta velocidade (EUROSTAR, THALYS ou TGV) serão reembolsados desde que tenham sido efectivamente utilizados para a viagem. 2. As despesas causadas por uma viagem em barco serão reembolsadas mediante apresentação dos documentos comprovativos. As despesas de transporte de um automóvel pessoal por barco não serão reembolsadas. 3. No caso de utilização de um automóvel pessoal, o reembolso das despesas efectuar-se-á com base no custo de um bilhete de comboio de primeira classe, com excepção dos suplementos para carruagem-cama e de qualquer outro suplemento. Os preços do transporte em comboio de alta velocidade (TGV, THALYS ou EUROSTAR) não serão tidos em conta no reembolso das despesas no caso de utilização de um automóvel pessoal D-94-pt-5 2/6

3 Se duas ou mais pessoas, munidas de uma ordem de missão, com direito ao reembolso das despesas de viagem, se deslocam a bordo do mesmo veículo, só o proprietário do veículo beneficiará de um reembolso, que será contudo equivalente a 150% do preço de um bilhete de comboio de primeira classe. Incumbe ao beneficiário apresentar os certificados das despesas de viagem de comboio. As taxas de estacionamento, as portagens e outras taxas não serão reembolsadas. 4. As despesas de viagens em avião são reembolsáveis sempre que a distância entre o lugar da afectação e o lugar da missão for, de comboio, superior a 400 Km ou se o itinerário comportar uma travessia marítima. Mediante a apresentação do bilhete de avião, as despesas serão reembolsadas por um montante máximo correspondente ao preço de um bilhete de avião em classe turista (classe económica). O cartão de embarque (Boardingpass) será apresentado juntamente com o bilhete de avião. Em caso de reservas electrónicas, telefónicas ou de reservas efectuadas sem justificativo, a apresentação da factura ou do extracto do cartão de crédito substituirá a nota de despesas. 5. As despesas de deslocação em táxi não serão reembolsadas. 6. As despesas de utilização dos transportes públicos no lugar da afectação e no lugar da missão não serão reembolsadas. São incluídas no subsídio diário. Artigo 4º No caso de danos morais, corporais ou materiais sofridos pelo titular de uma ordem de missão durante a viagem ou durante a estadia no lugar da missão, o titular da ordem de missão não pode fazer valer nenhum direito contra as Escolas Europeias ou os seus órgãos, salvo se lhes for atribuída a responsabilidade. Os titulares de uma ordem de missão que utilizam o seu veículo para a sua deslocação são inteiramente responsáveis em caso de acidente. Artigo 5º Os titulares de uma ordem de missão têm direito ao reembolso das despesas de viagem e de estadia quando este reembolso estiver previsto na carta convite e desde que não seja atribuído um reembolso semelhante por outra organização ou outra pessoa. O reembolso fixo das despesas de viagem e de estadia cobre todas as despesas no lugar da missão, incluindo as despesas de alojamento, de alimentos e de transporte. O montante diário deste reembolso ascende a 149,65 EURO e é atribuído do seguinte modo: No caso de ausência do lugar de afectação Durante um período máximo de 6 horas: não há reembolso; Durante um período superior a 6 horas e até 12 horas, metade do subsídio diário; Durante um período superior a 12 horas e até 24 horas, 1 subsídio diário; Durante um período superior a 24 horas e até 36 horas, 1,5 subsídio diário; Durante um período superior a 36 horas e até 48 horas, 2 subsídios diários; Durante um período superior a 48 horas e até 60 horas, 2,5 subsídios diários, etc D-94-pt-5 3/6

4 Se a distância entre o lugar da afectação e o lugar da missão for superior a 50 Km, mas inferior a 100 Km, as despesas de viagem e de estadia serão reembolsadas unicamente se o titular da ordem de missão não estiver em condições de regressar ao seu domicílio e se as despesas de hotel tiverem sido ocasionadas de maneira justificada. Em todos os outros casos, um montante fixo das despesas é concedido por um montante equivalente a 25,00 EURO por dia de reunião. Artigo 6º As despesas de estadia são igualmente reembolsadas nos casos seguintes: a) se a pessoa designada no artigo 1º não estiver em condições de deixar o lugar da reunião devido a circunstâncias excepcionais b) se não estiver em condições de regressar ao seu lugar de afectação pelo facto de haver um lapso de tempo demasiado curto a separar duas reuniões; c) se for aplicada uma tarifa especial para a viagem, condicionada por uma estadia de um número determinado de dias no lugar da missão. O montante total deste reembolso não pode, no que diz respeito às alíneas b) e c), ultrapassar o montante do bilhete de comboio mencionado no artigo 3º. Relativamente à alínea c), o montante total cobre a tarifa especial e os subsídios diários suplementares Artigo 7º A ordem de pagamento será anexada como documento comprovativo do pedido de reembolso. Será assinada pelo titular da ordem de missão e atestará que não recebeu e que não tem direito, para a mesma viagem ou a mesma estadia, a nenhum reembolso semelhante por parte de outra organização ou pessoa. Além disso, com a sua assinatura, o titular da ordem de missão confirma que todos os dados pessoais mencionados no seu pedido de reembolso são exactos, em especial as referências bancárias. O pedido será ainda assinado pelo secretário da reunião, que confirmará a duração da estadia (número de dias) e as despesas do titular da ordem de missão. Artigo 8º A administração responsável pode, em qualquer momento, controlar os dados mencionados nos pedidos de reembolso com as pessoas que assinaram os pedidos. Os montantes indevidamente pagos serão restituídos. Artigo 9º 2006-D-94-pt-5 4/6

5 As despesas de viagem são reembolsadas em Euros. Se as despesas forem mencionadas noutra divisa, a conversão em Euros efectuar-se-á com base na taxa de câmbio para as transacções orçamentais aplicável no primeiro dia da reunião. O reembolso efectuar-se-á através de transferência bancária. Artigo 10º O presente regulamento substitui o regulamento de 28 e 29 de Janeiro de 1992 relativo ao reembolso das despesas de viagem e estadia dos membros do Conselho Superior, dos membros do Comité Administrativo e Financeiro e dos peritos convidados pelas Escolas Europeias. O presente regulamento entra em vigor em 1 de Janeiro de D-94-pt-5 5/6

6 ANEXO 1 ANEXO EXPLICATIVO RELATIVO À APLICAÇÃO DO ARTIGO 2º DO REGULAMENTO AOS INSPECTORES Este anexo tem como objectivo esclarecer a maneira como o artigo 2º do Regulamento é aplicável ao reembolso das despesas de deslocação e de estadia efectuadas pelos inspectores. No caso dos inspectores são necessárias medidas particulares e explicações relativas a este artigo pelas razões seguintes: i. Os inspectores programam as suas visitas das Escolas, em concertação com a direcção das mesmas, em função do horário dos professores, e não devem consultar previamente o Gabinete do Secretário-Geral, mesmo se é o Gabinete Central que é finalmente responsável pelo reembolso das despesas efectuadas. ii. O número de visitas dos inspectores algumas das quais são organizadas com um pré-aviso particularmente curto pode ser muito importante. iii. Para garantir a qualidade pedagógica do ensino leccionado nas Escolas Europeias, os inspectores devem, em última análise, poder decidir livremente quando e com que ritmo devem inspeccionar as Escolas. Regras de aplicação: As visitas de Inspecção ao Gabinete do Secretário-Geral (reuniões dos Conselhos e dos grupos de trabalho mandatados pelo Conselho Superior ou por um dos seus Comités Preparatórios, serão efectuadas, como se estipula no artigo 2º, mediante um convite escrito ou uma ordem de missão escrita emitida pelo Secretário-Geral ou por uma pessoa por ele devidamente autorizada. Os Inspectores têm competência para efectuar inspecções nas Escolas por sua própria iniciativa. Estas visitas serão assinaladas ao Gabinete Central, pelo menos, com duas semanas de antecedência. Não é necessário nenhum convite escrito do Secretário- Geral para efectuar estas inspecções. Para as visitas de inspecção das Escolas, o presente anexo equivale ao convite previsto no artigo 2º. Se, por uma razão que considerar válida, o Inspector não puder informar a Escola, com duas semanas de antecedência, de que prevê efectuar uma inspecção, o Inspector deverá informar o Gabinete Central o mais depressa possível. Os Inspectores são convidados, em conformidade com o artigo 3º do Regulamento e desde que isso seja compatível com o objectivo da sua inspecção, a reservar os bilhetes de avião mais vantajosos. Com excepção das deslocações acima evocadas, ou seja justificadas por uma inspecção e um mandato oficial, não será, normalmente, autorizado nenhum reembolso de despesas. Convém contudo precisar que o termo "inspecções" não deve ser interpretado exclusivamente como uma inspecção dos professores na turma, mas pode igualmente designar reuniões com os pais ou com os professores/direcção para debater temáticas relevantes D-94-pt-5 6/6

REGRAS DE EXECUÇÃO DA DECISÃO N.º 32/2011 RELATIVA AO REEMBOLSO DAS DESPESAS DE VIAGEM DOS DELEGADOS DOS MEMBROS DO CONSELHO

REGRAS DE EXECUÇÃO DA DECISÃO N.º 32/2011 RELATIVA AO REEMBOLSO DAS DESPESAS DE VIAGEM DOS DELEGADOS DOS MEMBROS DO CONSELHO REGRAS DE EXECUÇÃO DA DECISÃO N.º 32/2011 RELATIVA AO REEMBOLSO DAS DESPESAS DE VIAGEM DOS DELEGADOS DOS MEMBROS DO CONSELHO Bruxelas, 1 de Março de 2011 SN 1704/11 1. INTRODUÇÃO O presente documento descreve

Leia mais

COMISSÃO EUROPEIA Gabinete de Cooperação EuropeAid. América Latina Gestão financeira e contratual

COMISSÃO EUROPEIA Gabinete de Cooperação EuropeAid. América Latina Gestão financeira e contratual 1 Introdução ao sistema financeiro (custos elegíveis ) Custos directos elegíveis por natureza Custos não elegíveis Período de elegibilidade Repartição das despesas financeiras em conformidade com oanexo

Leia mais

5º - Regra sobre a gestão de deslocações, Nacionais e Internacionais

5º - Regra sobre a gestão de deslocações, Nacionais e Internacionais 5º - Regra sobre a gestão de deslocações, Nacionais e Internacionais Como se pode constatar na regra 3, a filosofia de imputação de despesas com deslocações e subsistência, está directamente relacionada

Leia mais

Ministério Federal do Trabalho e dos Assuntos Sociais

Ministério Federal do Trabalho e dos Assuntos Sociais Ministério Federal do Trabalho e dos Assuntos Sociais Directiva para o programa especial da Federação Alemã para o Fomento da mobilidade profissional de jovens interessados em formação e jovens profissionais

Leia mais

C 213/20 Jornal Oficial da União Europeia 6.8.2010

C 213/20 Jornal Oficial da União Europeia 6.8.2010 C 213/20 Jornal Oficial da União Europeia 6.8.2010 COMISSÃO ADMINISTRATIVA PARA A COORDENAÇÃO DOS SISTEMAS DE SEGURANÇA SOCIAL Estatutos da Comissão Administrativa para a Coordenação dos Sistemas de Segurança

Leia mais

Síntese dos direitos dos passageiros do transporte em autocarro 1

Síntese dos direitos dos passageiros do transporte em autocarro 1 Síntese dos direitos dos passageiros do transporte em autocarro 1 O Regulamento (UE) n.º 181/2011 (a seguir designado por «Regulamento») é aplicável a partir de 1 de março de 2013. Estabelece um conjunto

Leia mais

Convenção nº 146. Convenção sobre Férias Anuais Pagas dos Marítimos

Convenção nº 146. Convenção sobre Férias Anuais Pagas dos Marítimos Convenção nº 146 Convenção sobre Férias Anuais Pagas dos Marítimos A Conferência Geral da Organização Internacional do Trabalho: Convocada para Genebra pelo conselho administração da Repartição Internacional

Leia mais

Regulamento relativo à manutenção e inspecção de ascensores, monta-cargas, escadas mecânicas e tapetes rolantes da Câmara Municipal da Trofa

Regulamento relativo à manutenção e inspecção de ascensores, monta-cargas, escadas mecânicas e tapetes rolantes da Câmara Municipal da Trofa Regulamento relativo à manutenção e inspecção de ascensores, monta-cargas, escadas mecânicas e tapetes rolantes da Câmara Municipal da Trofa Aprovado em reunião de Câmara de 12 de Setembro de 2003 e em

Leia mais

ADIANTAMENTO E REEMBOLSO DE DESPESAS

ADIANTAMENTO E REEMBOLSO DE DESPESAS ADIANTAMENTO E REEMBOLSO DE DESPESAS NÚMERO CIR.FIN.MAT.0001 Elaborada em: 08/08/2011 Atualizada em: - Quant. Páginas DEPARTAMENTO DE ORIGEM Departamento Finanças 5 1 Objetivo Este documento tem como objetivo

Leia mais

BOLSA INTERNACIONAL DE ENTRADA MARIE CURIE

BOLSA INTERNACIONAL DE ENTRADA MARIE CURIE ANEXO III DISPOSIÇÕES ESPECÍFICAS BOLSA INTERNACIONAL DE ENTRADA MARIE CURIE III. 1 - Definições FASE DE ENTRADA Para além das previstas no artigo II.1, aplicam-se à presente convenção de subvenção as

Leia mais

A CÂMARA MUNICIPAL DE CASTRO, ESTADO DO PARANÁ decretou e eu PREFEITO MUNICIPAL sanciono a presente LEI: SEÇÃO I.

A CÂMARA MUNICIPAL DE CASTRO, ESTADO DO PARANÁ decretou e eu PREFEITO MUNICIPAL sanciono a presente LEI: SEÇÃO I. LEI Nº 2927/2014 Estabelece o Regime de Diárias e Adiantamentos do Poder Legislativo, normas para o pagamento de despesas e revoga a Lei nº. 2.887/2014. A CÂMARA MUNICIPAL DE CASTRO, ESTADO DO PARANÁ decretou

Leia mais

POLÍTICA INSTITUCIONAL DE VIAGENS

POLÍTICA INSTITUCIONAL DE VIAGENS POLÍTICA INSTITUCIONAL DE VIAGENS 1 INTRODUÇÃO A ANEC Associação Nacional de Educação Católica do Brasil, através de sua estrutura organizacional e de seus colaboradores, tem avançado muito no cumprimento

Leia mais

AJUDAS DE CUSTO E SUBSÍDIOS DE REFEIÇÃO E VIAGEM (2013)

AJUDAS DE CUSTO E SUBSÍDIOS DE REFEIÇÃO E VIAGEM (2013) AJUDAS DE CUSTO E SUBSÍDIOS DE REFEIÇÃO E VIAGEM (2013) Com a entrada em vigor da Lei do Orçamento do Estado para 2013 (n.º 66 -B/2012, de 31 de Dezembro de 2012), procedeu -se à actualização da remuneração

Leia mais

UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE REGULAMENTO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM REGIME PÓS-LABORAL

UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE REGULAMENTO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM REGIME PÓS-LABORAL UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE REGULAMENTO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM REGIME PÓS-LABORAL Preâmbulo A necessidade de expandir a informação superior dos profissionais integrados no mercado trabalho constitui

Leia mais

L 306/2 Jornal Oficial da União Europeia 23.11.2010

L 306/2 Jornal Oficial da União Europeia 23.11.2010 L 306/2 Jornal Oficial da União Europeia 23.11.2010 Projecto DECISÃO N. o / DO CONSELHO DE ASSOCIAÇÃO instituído pelo Acordo Euro-Mediterrânico que cria uma associação entre as Comunidades Europeias e

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS ORGANIZAÇÃO

CONDIÇÕES GERAIS ORGANIZAÇÃO CONDIÇÕES GERAIS O presente programa/ catálogo é o documento informativo no qual se inserem as presentes condições gerais, dele fazendo parte integrante e que constituem, na ausência de documento autónomo

Leia mais

Regulamento Interno sobre Deslocações em Serviço. 25 de outubro de 2012. (Republicado, com as alterações aprovadas em 11 de novembro de 2013)

Regulamento Interno sobre Deslocações em Serviço. 25 de outubro de 2012. (Republicado, com as alterações aprovadas em 11 de novembro de 2013) Regulamento Interno sobre Deslocações em Serviço 25 de outubro de 2012 (Republicado, com as alterações aprovadas em 11 de novembro de 2013) ÍNDICE ÍNDICE... 2 CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES GERAIS... 3 Artigo

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIRECÇÃO NACIONAL DAS ALFÂNDEGAS GABINETE DE ESTUDOS TÉCNICO-ADUANEIROS

REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIRECÇÃO NACIONAL DAS ALFÂNDEGAS GABINETE DE ESTUDOS TÉCNICO-ADUANEIROS REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIRECÇÃO NACIONAL DAS ALFÂNDEGAS GABINETE DE ESTUDOS TÉCNICO-ADUANEIROS ASSUNTO: MEDIDAS PARA ADMINISTRAÇÃO DE REEMBOLSO DO IVA SOBRE MATERIAIS E SERVIÇOS COMPRADOS

Leia mais

INSTRUTIVO N.08/99. de 21 de Maio

INSTRUTIVO N.08/99. de 21 de Maio ASSUNTO: POLITICA CAMBIAL Operações de mercadorias INSTRUTIVO N.08/99 de 21 de Maio Com vista a estabelecer os procedimentos operacionais decorrentes das operações de mercadorias, em conformidade com o

Leia mais

P A R L A M E N T O E U R O P E U

P A R L A M E N T O E U R O P E U P A R L A M E N T O E U R O P E U REGRAS INTERNAS RELATIVAS AOS ESTÁGIOS E VISITAS DE ESTUDO NO SECRETARIADO-GERAL DO PARLAMENTO EUROPEU PARTE I: ESTÁGIOS Capítulo 1 Disposições gerais Artigo 1º Os diferentes

Leia mais

O presente documento é vinculativo para a agência, operador e cliente, salvo alguma das presentes condições:

O presente documento é vinculativo para a agência, operador e cliente, salvo alguma das presentes condições: Condições gerais de venda de todos os programas e que constituem, na ausência de documento autónomo, o contrato de viagem, reserva de alojamento e/ou atividade. O presente documento é vinculativo para

Leia mais

Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições

Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições 1997R2027 PT 30.05.2002 001.001 1 Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições B M1 REGULAMENTO (CE) N. o 2027/97 DO CONSELHO de 9 de Outubro de 1997 relativo à

Leia mais

Reitoria PROGRAMA DE BOLSAS DE MOBILIDADE PARA ESTUDANTES. Regulamento. Artigo 1º (Disposições Gerais)

Reitoria PROGRAMA DE BOLSAS DE MOBILIDADE PARA ESTUDANTES. Regulamento. Artigo 1º (Disposições Gerais) Reitoria PROGRAMA DE BOLSAS DE MOBILIDADE PARA ESTUDANTES Regulamento Artigo 1º (Disposições Gerais) O Programa de Bolsas de Mobilidade para Estudantes da Universidade de Lisboa tem por objectivo proporcionar

Leia mais

Guião: Pagamento de Despesas de Transporte e Ajudas de Custo

Guião: Pagamento de Despesas de Transporte e Ajudas de Custo 2013/ 2014 Sindicato Democrático dos Professores do Sul Villas da Cartuxa Apartado 131 7002-502 Évora Telef. 266 749 660 Fax 266 749668 www.sdpsul.com E-mail: evora@sdpsul.com Guião: Pagamento de Despesas

Leia mais

REGULAMENTO PARA DESLOCAÇÕES AO SERVIÇO DA EMPRESA 1 REGULAMENTO PARA DESLOCAÇÕES AO SERVIÇO DA EMPRESA

REGULAMENTO PARA DESLOCAÇÕES AO SERVIÇO DA EMPRESA 1 REGULAMENTO PARA DESLOCAÇÕES AO SERVIÇO DA EMPRESA Pág.: 1 / 7 ÍNDICE 1 REGULAMENTO PARA DESLOCAÇÕES AO A QUEM INTERESSA ESTE DOCUMENTO Para acção Para informação Colaboradores Elaborado: Director da DAP Aprovado: Administração Entra em vigor a: Pág.:

Leia mais

REGULAMENTO DAS BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO PARA PÓS-GRADUAÇÃO E ESPECIALIZAÇÃO DESTINADAS A ESTUDANTES AFRICANOS DE LÍNGUA PORTUGUESA E DE TIMOR LESTE

REGULAMENTO DAS BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO PARA PÓS-GRADUAÇÃO E ESPECIALIZAÇÃO DESTINADAS A ESTUDANTES AFRICANOS DE LÍNGUA PORTUGUESA E DE TIMOR LESTE REGULAMENTO DAS BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO PARA PÓS-GRADUAÇÃO E ESPECIALIZAÇÃO DESTINADAS A ESTUDANTES AFRICANOS DE LÍNGUA PORTUGUESA E DE TIMOR LESTE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artº. 1º. 1. Com o fim principal

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 545, DE 22 DE JANEIRO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 545, DE 22 DE JANEIRO DE 2015 Publicada no Diário da Justiça Eletrônico, nº 17, em 27/1/2015. RESOLUÇÃO Nº 545, DE 22 DE JANEIRO DE 2015 Dispõe sobre a concessão de diárias e passagens no âmbito do Supremo Tribunal Federal. O PRESIDENTE

Leia mais

COORDENADAS. DURAÇÃO: 6 noites NR. PARTICIPANTES: 20 a 30 TIPOLOGIA DE QUARTO: DBLS/SGLS DATA: 17 a 24 Outubro 2010

COORDENADAS. DURAÇÃO: 6 noites NR. PARTICIPANTES: 20 a 30 TIPOLOGIA DE QUARTO: DBLS/SGLS DATA: 17 a 24 Outubro 2010 COORDENADAS DURAÇÃO: 6 noites NR. PARTICIPANTES: 20 a 30 TIPOLOGIA DE QUARTO: DBLS/SGLS DATA: 17 a 24 Outubro 2010 País de beleza natural, em plena reconstrução, com gente afável e alegre PROGRAMA PRELIMINAR

Leia mais

Guia para Peritos. (versão 09/05/14)

Guia para Peritos. (versão 09/05/14) Guia para Peritos (versão 09/05/14) Objectivo do guia O Guia para Peritos disponibiliza informação sobre o programa SOCIEUX e sobre a função dos peritos no âmbito das Acções de assistência técnica do SOCIEUX,

Leia mais

Perguntas e respostas sobre a bolsa de mérito para estudos pós-graduados. Ano académico de 2015/2016

Perguntas e respostas sobre a bolsa de mérito para estudos pós-graduados. Ano académico de 2015/2016 Perguntas e respostas sobre a bolsa de mérito para estudos pós-graduados Ano académico de 2015/2016 1. Pergunta: Quais os documentos que devo de ler antes de apresentar o pedido? Devem ser lidos, pormenorizadamente,

Leia mais

OS DIREITOS DOS PASSAGEIROS DE TRANSPORTE AÉREO

OS DIREITOS DOS PASSAGEIROS DE TRANSPORTE AÉREO OS DIREITOS DOS PASSAGEIROS DE TRANSPORTE AÉREO Dia 17 de Fevereiro entrou em vigor o Regulamento (CE) n.º 261/2004, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 11 de Fevereiro de 2004, que estabelece regras

Leia mais

REGULAMENTO DO CONTROLO DE QUALIDADE DA ORDEM DOS REVISORES OFICIAIS DE CONTAS. (Artigo 68.º do Decreto-Lei n.º 487/99, de 16 de Novembro)

REGULAMENTO DO CONTROLO DE QUALIDADE DA ORDEM DOS REVISORES OFICIAIS DE CONTAS. (Artigo 68.º do Decreto-Lei n.º 487/99, de 16 de Novembro) REGULAMENTO DO CONTROLO DE QUALIDADE DA ORDEM DOS REVISORES OFICIAIS DE CONTAS (Artigo 68.º do Decreto-Lei n.º 487/99, de 16 de Novembro) CAPÍTULO I Objectivos e caracterização do controlo de qualidade

Leia mais

LEI Nº 1326/2014 De 10 de dezembro de 2014

LEI Nº 1326/2014 De 10 de dezembro de 2014 LEI Nº 1326/2014 De 10 de dezembro de 2014 Dispõe sobre concessão de diária aos Vereadores e servidores que menciona e dá outras providências. A Câmara Municipal de Piranguinho aprovou e eu, Prefeito Municipal,

Leia mais

B. Norma de Reembolso de Despesas do Governador de Distrito

B. Norma de Reembolso de Despesas do Governador de Distrito Anexo B B. Norma de Reembolso de Despesas do Governador de Distrito Os governadores de distrito podem requisitar reembolso das atividades a seguir. Todas as viagens devem ser feitas da forma mais econômica

Leia mais

BOLSAS MARIE CURIE DE ACOLHIMENTO PARA FORMAÇÃO DE INVESTIGADORES EM INÍCIO DE CARREIRA

BOLSAS MARIE CURIE DE ACOLHIMENTO PARA FORMAÇÃO DE INVESTIGADORES EM INÍCIO DE CARREIRA ANEXO III DISPOSIÇÕES ESPECÍFICAS BOLSAS MARIE CURIE DE ACOLHIMENTO PARA FORMAÇÃO DE INVESTIGADORES EM INÍCIO DE CARREIRA [VERSÃO MONOCONTRATANTE] III.1 - Definições Além das previstas no artigo II.1,

Leia mais

Jornal Oficial da União Europeia. (Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade)

Jornal Oficial da União Europeia. (Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade) 17.2.2004 L 46/1 I (Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade) REGULAMENTO (CE) N. o 261/2004 DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 11 de Fevereiro de 2004 que estabelece regras comuns

Leia mais

directamente o estabelecimento e o funcionamento do mercado interno; Considerando que é pois necessário criar um certificado complementar de

directamente o estabelecimento e o funcionamento do mercado interno; Considerando que é pois necessário criar um certificado complementar de Regulamento (CEE) nº 1768/92 do Conselho, de 18 de Junho de 1992, relativo à criação de um certificado complementar de protecção para os medicamentos Jornal Oficial nº L 182 de 02/07/1992 p. 0001-0005

Leia mais

A SOLUÇÃO CONTRA OS IMPREVISTOS

A SOLUÇÃO CONTRA OS IMPREVISTOS peugeot.pt A SOLUÇÃO CONTRA OS IMPREVISTOS AVARIA & ACIDENTE 8 ANOS DE ASSISTÊNCIA EM VIAGEM GRATUITA 800 206 366 24h/DIA 7DIAS/semana ServiÇO Peugeot, Olhamos pelo seu Peugeot como ninguém ANEXO1 CONDIÇÕES

Leia mais

REGULAMENTO DELEGADO (UE) N.º /.. DA COMISSÃO. de 4.3.2014

REGULAMENTO DELEGADO (UE) N.º /.. DA COMISSÃO. de 4.3.2014 COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 4.3.2014 C(2014) 1229 final REGULAMENTO DELEGADO (UE) N.º /.. DA COMISSÃO de 4.3.2014 que completa o Regulamento (UE) n.º 1299/2013 do Parlamento Europeu e do Conselho no que

Leia mais

PARCERIAS E PONTES MARIE CURIE ENTRE EMPRESAS E UNIVERSIDADES

PARCERIAS E PONTES MARIE CURIE ENTRE EMPRESAS E UNIVERSIDADES ANEXO III DISPOSIÇÕES ESPECÍFICAS PARCERIAS E PONTES MARIE CURIE ENTRE EMPRESAS E UNIVERSIDADES [MULTI-BENEFICIÁRIOS] III.1 Definições Para além das previstas no artigo II.1, aplicam-se à presente convenção

Leia mais

TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS SECÇÃO ÚNICA Disposições Gerais

TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS SECÇÃO ÚNICA Disposições Gerais REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DO TÍTULO DE ESPECIALISTA NA ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM S. FRANCISCO DAS MISERICÓRDIAS TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS SECÇÃO ÚNICA Disposições Gerais Artigo 1.º (Objecto e âmbito)

Leia mais

GABINETE DO SECRETÁRIO PARA OS ASSUNTOS SOCIAIS E CULTURA. 05-00-00-00-00 Outras despesas correntes 3,268,000.00. Total das despesas

GABINETE DO SECRETÁRIO PARA OS ASSUNTOS SOCIAIS E CULTURA. 05-00-00-00-00 Outras despesas correntes 3,268,000.00. Total das despesas 420 23 2010 6 7 Unidade: MOP Classificação funcional Classificação económica Designação Montante 02-03-07-00-00 Publicidade e propaganda 8-01-0 02-03-07-00-01 Encargos com anúncios 02-03-08-00-00 Trabalhos

Leia mais

C 326/266 Jornal Oficial da União Europeia 26.10.2012. PROTOCOLO (N. o 7) RELATIVO AOS PRIVILÉGIOS E IMUNIDADES DA UNIÃO EUROPEIA CAPÍTULO I

C 326/266 Jornal Oficial da União Europeia 26.10.2012. PROTOCOLO (N. o 7) RELATIVO AOS PRIVILÉGIOS E IMUNIDADES DA UNIÃO EUROPEIA CAPÍTULO I C 326/266 Jornal Oficial da União Europeia 26.10.2012 PROTOCOLO (N. o 7) RELATIVO AOS PRIVILÉGIOS E IMUNIDADES DA UNIÃO EUROPEIA AS ALTAS PARTES CONTRATANTES, CONSIDERANDO que, nos termos do artigo 343.

Leia mais

Proposta de adesão ao Programa de Comparticipação nos Cuidados de Saúde 2012

Proposta de adesão ao Programa de Comparticipação nos Cuidados de Saúde 2012 澳 門 衛 特 別 生 行 政 局 區 政 府 Governo da Região Administrativa de Macau Serviços de Saúde Proposta de adesão ao Programa de Comparticipação nos Cuidados de Saúde 2012 (1.ª Parte) Unidades Privadas de Saúde que

Leia mais

Índice. 3Pagamento da reserva e pagamento do valor restante... 5

Índice. 3Pagamento da reserva e pagamento do valor restante... 5 Índice 1Sobre o Apartamento... 3 1.1Durante a pesquisa, como posso conhecer a localização e serviços próximos do apartamento?... 3 1.2Qual a morada exacta do apartamento?... 3 1.3Que equipamentos e acessórios

Leia mais

REGULAMENTO DO CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO

REGULAMENTO DO CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO REGULAMENTO DO CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO REGULAMENTO DO CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO Preâmbulo O Concelho de Portel, à semelhança da generalidade dos Concelhos do interior do país, tem uma parte significativa

Leia mais

23. Convenção sobre o Reconhecimento e Execução de Decisões relativas a Obrigações Alimentares

23. Convenção sobre o Reconhecimento e Execução de Decisões relativas a Obrigações Alimentares 23. Convenção sobre o Reconhecimento e Execução de Decisões relativas a Obrigações Alimentares Os Estados signatários da presente Convenção, Desejando estabelecer disposições comuns para regulamentar o

Leia mais

Conheça os Seus Direitos de Passageiro

Conheça os Seus Direitos de Passageiro Conheça os Seus Direitos de Passageiro Índice Via Aérea... 2 Pessoas com deficiências e pessoas com mobilidade reduzida... 2 Embarque recusado... 2 Cancelamento... 2 Atrasos consideráveis... 2 Bagagem...

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 2/UA1/2010

NOTA TÉCNICA Nº 2/UA1/2010 NOTA TÉCNICA Nº 2/UA1/2010 A presente Nota tem por objectivo auxiliar as entidades beneficiárias, conforme âmbito e condições estabelecidas no Aviso de Abertura nº 20/2010, na elaboração das candidaturas

Leia mais

RESOLUÇÃO CFN N 521/2013

RESOLUÇÃO CFN N 521/2013 Página 1 de 5 RESOLUÇÃO CFN N 521/2013 Dispõe sobre a concessão de diárias, ajudas de custo e outros subsídios no âmbito dos Conselhos Federal e Regionais de Nutricionistas e dá outras providências. O

Leia mais

S. R. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA DIREÇÃO-GERAL DO ENSINO SUPERIOR

S. R. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA DIREÇÃO-GERAL DO ENSINO SUPERIOR Regulamento de Formação Avançada e Qualificação de Recursos Humanos da Direção-Geral do Ensino Superior (Aprovado por despacho, de 15 de junho de 2012, do Presidente do Conselho Diretivo da Fundação para

Leia mais

Resolução da Assembleia da República n.º 56/94 Convenção n.º 171 da Organização Internacional do Trabalho, relativa ao trabalho nocturno

Resolução da Assembleia da República n.º 56/94 Convenção n.º 171 da Organização Internacional do Trabalho, relativa ao trabalho nocturno Resolução da Assembleia da República n.º 56/94 Convenção n.º 171 da Organização Internacional do Trabalho, relativa ao trabalho nocturno Aprova, para ratificação, a Convenção n.º 171 da Organização Internacional

Leia mais

RESOLUÇÃO CFM Nº 2.118/2015

RESOLUÇÃO CFM Nº 2.118/2015 RESOLUÇÃO CFM Nº 2.118/2015 (Publicada no D.O.U. de 3 de março 2015, Seção I, p. 135) Normatiza os procedimentos para pagamento de diária nacional e internacional, auxílio de representação e verba indenizatória

Leia mais

Conheça os seus direitos em caso de: Recusa de embarque Cancelamento de voo Atrasos prolongados Colocação em classe inferior Viagens organizadas

Conheça os seus direitos em caso de: Recusa de embarque Cancelamento de voo Atrasos prolongados Colocação em classe inferior Viagens organizadas OS DIREITOS DOS PASSAGEIROS DE TRANSPORTE AÉREO AS NOVAS REGRAS Dia 17 de Fevereiro entra em vigor o Regulamento (CE) n.º 261/2004, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 11 de Fevereiro de 2004, que

Leia mais

Guia para a elaboração dos relatórios sobre o projeto (Relatório descritivo e Relatório financeiro)

Guia para a elaboração dos relatórios sobre o projeto (Relatório descritivo e Relatório financeiro) Guia para a elaboração dos relatórios sobre o projeto (Relatório descritivo e Relatório financeiro) A elaboração de relatórios deve servir, em primeiro lugar, ao próprio projeto: como retrospecção das

Leia mais

ARTIGO 29.º - Grupo de Protecção de Dados Pessoais

ARTIGO 29.º - Grupo de Protecção de Dados Pessoais ARTIGO 29.º - Grupo de Protecção de Dados Pessoais 12054/02/PT WP 69 Parecer 1/2003 sobre o armazenamento dos dados de tráfego para efeitos de facturação Adoptado em 29 de Janeiro de 2003 O Grupo de Trabalho

Leia mais

PROPOSTA ÉPOCA DESPORTIVA 2012 / 2013

PROPOSTA ÉPOCA DESPORTIVA 2012 / 2013 PROPOSTA ÉPOCA DESPORTIVA 2012 / 2013 Proponente: Federação Portuguesa de Rugby Pág. 1 SEGURO DESPORTIVO DE ACIDENTES PESSOAIS ( Decreto-Lei Nº. 10/2009 ) FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE RUGBY ÉPOCA DESPORTIVA

Leia mais

Câmara Municipal de Cuba

Câmara Municipal de Cuba Câmara Municipal de Cuba Regulamento Municipal de Atribuição de Bolsas de Estudo para Cursos do Ensino Superior CAPITULO 1 Artigo 1 Âmbito 1. O presente Regulamento tem como lei habilitante a Lei n 169/99,

Leia mais

AJUDAS DE CUSTO E DE TRANSPORTE PARA 2013

AJUDAS DE CUSTO E DE TRANSPORTE PARA 2013 PLMJ AJUDAS DE CUSTO E DE TRANSPORTE PARA 2013 As ajudas de custo e de transporte atribuídas aos colaboradores das empresas que se desloquem ao seu serviço, até ao limite dos quantitativos estabelecidos

Leia mais

PARCERIA E PONTES MARIE CURIE ENTRE EMPRESAS E UNIVERSIDADES

PARCERIA E PONTES MARIE CURIE ENTRE EMPRESAS E UNIVERSIDADES ANEXO III DISPOSIÇÕES ESPECÍFICAS PARCERIA E PONTES MARIE CURIE ENTRE EMPRESAS E UNIVERSIDADES [MULTI-BENEFICIÁRIOS] III. 1 - Definições Para além das previstas no artigo II.1, aplicam-se à presente convenção

Leia mais

7. PROTOCOLO RELATIVO AOS PRIVILÉGIOS E IMUNIDADES DA UNIÃO EUROPEIA

7. PROTOCOLO RELATIVO AOS PRIVILÉGIOS E IMUNIDADES DA UNIÃO EUROPEIA 16.12.2004 PT Jornal Oficial da União Europeia C 310/261 7. PROTOCOLO RELATIVO AOS PRIVILÉGIOS E IMUNIDADES DA UNIÃO EUROPEIA AS ALTAS PARTES CONTRATANTES, CONSIDERANDO QUE, ao abrigo do artigo III 434.

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO DA COMUNIDADE DO ACES ALENTEJO CENTRAL 2

REGULAMENTO DO CONSELHO DA COMUNIDADE DO ACES ALENTEJO CENTRAL 2 REGULAMENTO DO CONSELHO DA COMUNIDADE DO ACES ALENTEJO CENTRAL 2 O Decreto-Lei n.º 28/2008 publicado em Diário da República, 1ª série, Nº 38, de 22 de Fevereiro de 2008, que criou os agrupamentos de Centros

Leia mais

Regulamento da Creditação

Regulamento da Creditação Regulamento da Creditação Por decisão do Director, ouvido o Conselho Técnico-Científico, é aprovado o presente Regulamento da Creditação, que visa disciplinar o processo de creditação, nos termos definidos

Leia mais

Art. 3º. A concessão de diárias fica condicionada a existência de disponibilidade orçamentária e financeira.

Art. 3º. A concessão de diárias fica condicionada a existência de disponibilidade orçamentária e financeira. LEI Nº 3466/2014, DE 08 DE ABRIL DE 2014. DISPÕE SOBRE AS VIAGENS OFICIAIS E A CONCESSÃO DE DIÁRIAS AOS VEREADORES E SERVIDORES DO PODER LEGISLATIVO MUNICIPAL E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA ATRIBUIÇÃO DE UMA LICENÇA DE TÁXI PARA A FREGUESIA DE REGO DA MURTA, COM ESTACIONAMENTO FIXO EM VENDA DOS OLIVAIS

CONCURSO PÚBLICO PARA ATRIBUIÇÃO DE UMA LICENÇA DE TÁXI PARA A FREGUESIA DE REGO DA MURTA, COM ESTACIONAMENTO FIXO EM VENDA DOS OLIVAIS CONCURSO PÚBLICO PARA ATRIBUIÇÃO DE UMA LICENÇA DE TÁXI PARA A FREGUESIA DE REGO DA MURTA, COM ESTACIONAMENTO FIXO EM VENDA DOS OLIVAIS PROGRAMA DE CONCURSO Artigo 1.º OBJECTO E VALIDADE DO CONCURSO 1.

Leia mais

ARTIGO 1.º. i) Uma lista de classes, acompanhada, caso seja necessário, de notas explicativas;

ARTIGO 1.º. i) Uma lista de classes, acompanhada, caso seja necessário, de notas explicativas; Decreto n.º 138/81 Acordo de Nice Relativo à Classificação Internacional dos Produtos e Serviços aos Quais se Aplicam as Marcas de Fábrica ou de Comércio Decreto n.º 138/81 de 5 de Novembro O Governo decreta,

Leia mais

REGULAMENTO DE BENEFÍCIOS do Montepio Geral Associação Mutualista Título II DISPOSIÇÕES PARTICULARES - MODALIDADES INDIVIDUAIS

REGULAMENTO DE BENEFÍCIOS do Montepio Geral Associação Mutualista Título II DISPOSIÇÕES PARTICULARES - MODALIDADES INDIVIDUAIS Artigo 1.º (Definições e Interpretação) 1. Nesta Secção, os termos e expressões iniciados por maiúsculas têm o significado que lhes é atribuído no Título VI (Glossário) do Regulamento. 2. Em caso de conflito

Leia mais

Destinatários do financiamento 1. Instituições do ensino superior privadas de Macau, de fins não lucrativos, que já foram oficialmente reconhecidas.

Destinatários do financiamento 1. Instituições do ensino superior privadas de Macau, de fins não lucrativos, que já foram oficialmente reconhecidas. 澳 門 特 別 行 政 區 政 府 高 等 教 育 輔 助 辦 公 室 Governo da Região Administrativa Especial de Macau Gabinete de Apoio ao Ensino Superior Financiamento para as instituições do ensino superior de Macau Instruções para

Leia mais

BOLSAS MARIE CURIE DE ACOLHIMENTO PARA A TRANSFERÊNCIA DE CONHECIMENTOS

BOLSAS MARIE CURIE DE ACOLHIMENTO PARA A TRANSFERÊNCIA DE CONHECIMENTOS ANEXO III DISPOSIÇÕES ESPECÍFICAS BOLSAS MARIE CURIE DE ACOLHIMENTO PARA A TRANSFERÊNCIA DE CONHECIMENTOS REGIME DE DESENVOLVIMENTO [MONOCONTRATANTE] III.1 - Definições Além das previstas no artigo II.1,

Leia mais

Acordo Quadro para Transacções Financeiras. Anexo de Produto para Empréstimos de Valores Mobiliários Edição de Janeiro de 2001

Acordo Quadro para Transacções Financeiras. Anexo de Produto para Empréstimos de Valores Mobiliários Edição de Janeiro de 2001 Acordo Quadro para Transacções Financeiras Anexo de Produto para Empréstimos de Valores Mobiliários Edição de Janeiro de 2001 Este Anexo complementa as Condições Gerais que fazem parte de qualquer Acordo

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 05.REV1/POFC/2009

ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 05.REV1/POFC/2009 ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 05.REV1/POFC/2009 PROCEDIMENTOS DE ENCERRAMENTO DE PROJECTOS 1. ENQUADRAMENTO No âmbito do acompanhamento dos projectos apoiados pelo POFC, importa estabelecer o conjunto de procedimentos

Leia mais

Regulamento de Bolsas do CCMar

Regulamento de Bolsas do CCMar Regulamento de Bolsas do CCMar CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1º Âmbito O presente Regulamento, aprovado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia ao abrigo do Decreto-Lei nº 123/99, de 20 de Abril,

Leia mais

Regulamento de Transportes Escolares. Preâmbulo

Regulamento de Transportes Escolares. Preâmbulo Regulamento de Transportes Escolares Preâmbulo O presente regulamento tem por objectivo definir e clarificar procedimentos no âmbito dos Transportes Escolares, nomeadamente, no que concerne aos apoios

Leia mais

Norma para pagamento de diária a serviço e solicitação de passagem aérea

Norma para pagamento de diária a serviço e solicitação de passagem aérea Norma para pagamento de diária a serviço e solicitação de passagem aérea Objetivo: A presente norma tem por objetivo formalizar e agilizar os pedidos de diária e passagem a serviço da entidade bem como

Leia mais

Despacho n.º 28777/2008, de 10 de Novembro Série II n.º 218

Despacho n.º 28777/2008, de 10 de Novembro Série II n.º 218 Despacho n.º 28777/2008, de 10 de Novembro Série II n.º 218 Regulamento de horário de trabalho aplicável aos trabalhadores da DGCI que prestam serviço no Edifício Satélite 1 - Em conformidade com o disposto

Leia mais

JORNAL OFICIAL Segunda-feira, 30 de Agosto de 2010

JORNAL OFICIAL Segunda-feira, 30 de Agosto de 2010 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Segunda-feira, 30 de Agosto de 2010 I Série Sumário SECRETARIAREGIONAL DO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS Portaria n.º 61/2010 Aprova o Regulamento de Aplicação

Leia mais

Deslocações em Serviço e Ajudas de Custo

Deslocações em Serviço e Ajudas de Custo Agrupamento de Escolas José Maria dos Santos Deslocações em Serviço e Ajudas de Custo Regulamento I Disposições Gerais 1. Os funcionários docentes e não docentes podem deslocar-se em serviço, durante o

Leia mais

DIREITOS DOS PASSAGEIROS DOS TRANSPORTES AÉREOS FORMULÁRIO DE RECLAMAÇÃO UE

DIREITOS DOS PASSAGEIROS DOS TRANSPORTES AÉREOS FORMULÁRIO DE RECLAMAÇÃO UE DIREITOS DOS PASSAGEIROS DOS TRANSPORTES AÉREOS FORMULÁRIO DE RECLAMAÇÃO UE ESTE FORMULÁRIO PODE SER UTILIZADO PARA APRESENTAR UMA RECLAMAÇÃO JUNTO DE UMA TRANSPORTADORA AÉREA E/OU DE UM ORGANISMO NACIONAL

Leia mais

REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU

REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU N.º 41 12-10-2009 BOLETIM OFICIAL DA REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU I SÉRIE 1535 澳 門 特 別 行 政 區 REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU 50/2009 Ordem Executiva n.º 50/2009 Usando da faculdade conferida

Leia mais

PROJETO DE REGULAMENTO DE AJUDAS DE CUSTO E DE TRANSPORTE

PROJETO DE REGULAMENTO DE AJUDAS DE CUSTO E DE TRANSPORTE PROJETO DE REGULAMENTO DE AJUDAS DE CUSTO E DE TRANSPORTE Enquadramento Legal O regime jurídico do abono de ajudas de custo e transporte em território nacional encontra-se fixado no Decreto-Lei n.º106/98,

Leia mais

Ministério dos Petróleos

Ministério dos Petróleos Ministério dos Petróleos Decreto Executivo nº 197/08 de 16 de Setembro Considerando a necessidade do estabelecimento de disposições relativas ao estatuto das entidades inspectoras das redes e ramais de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 152/2011

RESOLUÇÃO Nº 152/2011 RESOLUÇÃO Nº 152/2011 Dispõe sobre a concessão de diárias a Magistrados e servidores no âmbito do Poder Judiciário do Estado do Acre e dá outras providências. legais e, O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO

Leia mais

Resolução da Assembleia da República n.º 31/94 Acordo sobre Transportes Rodoviários Internacionais entre a República Portuguesa e o Reino da Noruega

Resolução da Assembleia da República n.º 31/94 Acordo sobre Transportes Rodoviários Internacionais entre a República Portuguesa e o Reino da Noruega Resolução da Assembleia da República n.º 31/94 Acordo sobre Transportes Rodoviários Internacionais entre a República Portuguesa e o Reino da Noruega Aprova, para ratificação, o Acordo sobre Transportes

Leia mais

ACORDO CP/EMPRESAS COM A ORDEM DOS MÉDICOS DENTISTAS

ACORDO CP/EMPRESAS COM A ORDEM DOS MÉDICOS DENTISTAS ACORDO CP/EMPRESAS COM A ORDEM DOS MÉDICOS DENTISTAS A CP LONGO CURSO celebrou protocolo com a ORDEM DOS MÉDICOS DENTISTAS para venda de bilhetes em regime de tarifário especial, proporcionando aos seus

Leia mais

PME Investe VI. Linha de Crédito Micro e Pequenas Empresas

PME Investe VI. Linha de Crédito Micro e Pequenas Empresas PME Investe VI Linha de Crédito Micro e Pequenas Empresas Objectivos Esta Linha de Crédito visa facilitar o acesso ao crédito por parte das micro e pequenas empresas de todos os sectores de actividade,

Leia mais

Garantia de Bagagem. indemnização pelos danos causados na bagagem, ou, recebendo, do valor indemnizado;

Garantia de Bagagem. indemnização pelos danos causados na bagagem, ou, recebendo, do valor indemnizado; Garantia de Bagagem Caro (a) Segurado (a), Lamentamos o incidente ocorrido durante a sua viagem, mas ficamos satisfeitos por poder-lhe oferecer a possibilidade de aceder on-line aos formulários de participação

Leia mais

Financiamento e Apoio às Micro e Pequenas Empresas

Financiamento e Apoio às Micro e Pequenas Empresas Financiamento e Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Concelho da Nazaré no âmbito do Programa FINICIA Anexo I ao protocolo financeiro e de cooperação Normas e Condições de Acesso Artigo 1º. (Objectivo)

Leia mais

Processo de Solicitação de Viagem GENS S.A. Manual do Colaborador

Processo de Solicitação de Viagem GENS S.A. Manual do Colaborador Processo de Solicitação de Viagem GENS S.A. Manual do Colaborador 1 Apresentação Apresentamos o Processo de Viagens GENS Manual do Colaborador. Este Manual é parte integrante do Processo de Viagens GENS.

Leia mais

India Lac Investment Conclave

India Lac Investment Conclave Edição nº 1 India Lac Investment Conclave 06 Dias / 03 Noites Saída: 13 de Outubro de 2014. Visitando: Delhi Roteiro Aéreo e Terrestre Extensão Pré Lac Conclave: Agra, Jaipur DIFERENTES VISÕES, DIFERENTES

Leia mais

REGULAMENTO HORÁRIO DE TRABALHO (Aprovado na reunião do Executivo Municipal de 10/12/2007)

REGULAMENTO HORÁRIO DE TRABALHO (Aprovado na reunião do Executivo Municipal de 10/12/2007) REGULAMENTO HORÁRIO DE TRABALHO (Aprovado na reunião do Executivo Municipal de 10/12/2007) CAPÍTULO I NORMAS GERAIS Artigo 1.º Legislação Habilitante Lei nº 23/2004, de 22 de Junho; Decreto-Lei nº 100/99.

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNDO DE GREVE E SOLIDARIEDADE

REGULAMENTO DO FUNDO DE GREVE E SOLIDARIEDADE REGULAMENTO DO FUNDO DE GREVE E SOLIDARIEDADE DIRECÇÃO DEZEMBRO DE 2009 REGULAMENTO DO FUNDO DE GREVE E SOLIDARIEDADE SECÇÃO I CONSTITUIÇÃO, UTILIZAÇÃO, GESTÃO E DESTINO DO FUNDO Artigo 1. Constituição

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DESPACHO N.º 5/2010 O Regulamento Tarifário do Sector do Gás Natural (RT), com a última redacção que lhe foi dada pelo Despacho n.º 4 878/2010, publicado no

Leia mais

PROJECTO DE REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DO CARTÃO MUNICIPAL DO DEFICIENTE

PROJECTO DE REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DO CARTÃO MUNICIPAL DO DEFICIENTE PROJECTO DE REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DO CARTÃO MUNICIPAL DO DEFICIENTE NOTA JUSTIFICATIVA Art.º 1.º DEFINIÇÃO No âmbito das actividades de interesse municipal, compete às câmaras municipais prestar apoio

Leia mais

RELATÓRIO DE EXECUÇÃO FINANCEIRA

RELATÓRIO DE EXECUÇÃO FINANCEIRA PROGRAMA EUROSTARS RELATÓRIO DE EXECUÇÃO FINANCEIRA INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO ACOMPANHAMENTO FINANCEIRO COMPONENTES DO RELATÓRIO A verificação da execução financeira dos projectos EUROSTARS é suportada

Leia mais

MINUTA DE REGULAMENTO RELATIVO ÀS MEDIDAS DE APOIO À CULTURA DO MILHO ASSOCIAÇÃO DE BENEFICIÁRIOS DO MIRA MEDIDAS DE APOIO À CULTURA DO MILHO

MINUTA DE REGULAMENTO RELATIVO ÀS MEDIDAS DE APOIO À CULTURA DO MILHO ASSOCIAÇÃO DE BENEFICIÁRIOS DO MIRA MEDIDAS DE APOIO À CULTURA DO MILHO ASSOCIAÇÃO DE BENEFICIÁRIOS DO MIRA MEDIDAS DE APOIO À CULTURA DO MILHO PROPOSTA DE REGULAMENTO OUTUBRO DE 2014 INTRODUÇÃO O presente regulamento visa estabelecer as regras de acesso ao FUNDO DE APOIO

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS INTRODUÇÃO

CONDIÇÕES GERAIS INTRODUÇÃO CONDIÇÕES GERAIS INTRODUÇÃO As presentes condições gerais fazem parte integrante do programa / catálogo / documento informativo em que se inserem, constituindo, na ausência de documento autónomo, o contrato

Leia mais

ACORDO SOBRE PRIVILÉGIOS E IMUNIDADES CELEBRADO ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA PORTUGUESA E A ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL PARA AS MIGRAÇÕES.

ACORDO SOBRE PRIVILÉGIOS E IMUNIDADES CELEBRADO ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA PORTUGUESA E A ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL PARA AS MIGRAÇÕES. Resolução da Assembleia da República n.º 30/98 Acordo sobre Privilégios e Imunidades Celebrado entre o Governo da República Portuguesa e a Organização Internacional para as Migrações, assinado em Lisboa

Leia mais

ANET Associação Nacional dos Engenheiros Técnicos Associação de direito público Secção Regional Centro

ANET Associação Nacional dos Engenheiros Técnicos Associação de direito público Secção Regional Centro PROTOCOLO CP/EMPRESAS ANET SECÇÃO REGIONAL CENTRO Caro Colega, A ANET ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS, SECÇÃO REGIONAL DO CENTRO celebrou protocolo com a CP LONGO CURSO para venda de bilhetes

Leia mais

26.8.2011 Jornal Oficial da União Europeia L 220/9

26.8.2011 Jornal Oficial da União Europeia L 220/9 26.8.2011 Jornal Oficial da União Europeia L 220/9 REGULAMENTO DE EXECUÇÃO (UE) N. o 859/2011 DA COMISSÃO de 25 de Agosto de 2011 que altera o Regulamento (UE) n. o 185/2010 que estabelece as medidas de

Leia mais

Condições Gerais Norwegian Cruise Line

Condições Gerais Norwegian Cruise Line Condições Gerais Norwegian Cruise Line 1. CONFIRMAÇÃO DA VIAGEM A confirmação da viagem da NCL (Bahamas) Ltd., negociando como Norwegian Cruise Line (a seguir Norwegian), é a aceitação do seu pedido de

Leia mais