Conheça os Seus Direitos de Passageiro

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Conheça os Seus Direitos de Passageiro"

Transcrição

1 Conheça os Seus Direitos de Passageiro

2 Índice Via Aérea... 2 Pessoas com deficiências e pessoas com mobilidade reduzida... 2 Embarque recusado... 2 Cancelamento... 2 Atrasos consideráveis... 2 Bagagem... 3 Identidade da companhia aérea... 3 Pacotes de férias... 3 Transparência de preços... 4 Mais informações sobre a legislação referente a passageiros aéreos... 4 Via-Férrea... 4 Direitos fundamentais:... 5 Outros direitos inerentes a todos os serviços internacionais de transporte ferroviário:... 6 Serviços nacionais... 8 Transporte marítimo e por via navegável interior... 9 Em situações de cancelamento ou de atraso na partida superior a 90 minutos Em situações de atraso na chegada ou de cancelamento de viagens Protecção das pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida Direito à informação Tratamento de reclamações Transporte em autocarro... 10

3 Via Aérea Pessoas com deficiências e pessoas com mobilidade reduzida Ao abrigo da legislação comunitária as pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida estão protegidas contra a discriminação durante a reserva e embarque. Também têm direito a receber assistência nos aeroportos (na partida, chegada e deslocação) e a bordo dos aviões. De forma a facilitar o provimento da assistência, recomenda-se que envie previamente notificação das suas necessidades. Saiba mais: Embarque recusado Quando for recusado o embarque aos passageiros num voo, as companhias aéreas são obrigadas a procurar primeiro voluntários que cedam as suas reservas a troco de benefícios. Além disso, a transportadora aérea tem também de oferecer aos voluntários a opção entre o reembolso total e o reencaminhamento. Poderá ter direito a uma indemnização entre 125 e 600 dependendo da distância do voo e da duração dos atrasos antes de ser reencaminhado. Sempre que os voluntários optem pelo reencaminhamento, a companhia aérea também tem de proporcionar assistência se necessário, por exemplo refeições, acesso a um telefone, estadia de uma ou mais noites se necessário e transporte entre o aeroporto e o local do alojamento. Cancelamento O passageiro tem direito a uma indemnização idêntica àquela que é oferecida quando lhe é recusado o embarque, a menos que tenha sido informado do cancelamento pelo menos 14 dias antes do voo, que tenha sido reencaminhado para um horário próximo do previsto ou se a companhia aérea conseguir provar que o cancelamento foi causado por circunstâncias extraordinárias. Além disso, a companhia aérea tem de oferecer a opção entre: reembolso do bilhete no prazo de sete dias; reencaminhamento para o destino final com condições semelhantes; e, se necessário, assistência (chamada telefónica, bebidas, comida, alojamento, transporte para o alojamento). Atrasos consideráveis Tem direito a receber assistência por parte da companhia aérea (chamada telefónica, bebidas, refeição, alojamento, transporte para o local de alojamento) se o atraso for de:

4 duas horas ou mais para voos de km ou menos; três horas ou mais para voos mais longos dentro da União Europeia ou para voos entre e km; quatro horas ou mais para voos superiores a km fora da União Europeia. Se o atraso for superior a cinco horas e optar por não seguir viagem, também tem direito a receber o reembolso do bilhete e a ser transportado de volta ao local de partida original. Se chegar ao destino final com um atraso de três horas ou mais, pode ter direito a uma indemnização idêntica àquela que é oferecida quando o voo é cancelado, a menos que a companhia aérea consiga provar que o atraso tenha sido causado por circunstâncias extraordinárias. Adicionalmente, as companhias podem ser responsabilizadas por prejuízos resultantes dos atrasos. Bagagem Se a bagagem for perdida, danificada ou chegar com atraso, poderá ter direito a uma indemnização limitada até cerca de No entanto, as companhias aéreas não serão consideradas responsáveis se tiverem tomado todas as medidas razoáveis para evitar prejuízos ou se lhes tiver sido impossível tomar tais medidas. Pela bagagem danificada, tem de apresentar uma queixa perante a companhia aérea no prazo de sete dias após a recepção da bagagem. Pela recepção atrasada da bagagem, este período tem um máximo de 21 dias. Identidade da companhia aérea Tem de ser notificado, com antecedência, sobre qual a companhia aérea que opera o voo. As companhias que não são consideradas seguras estão proibidas de voar no espaço aéreo da União Europeia. Poderá encontrar a lista em: Pacotes de férias Os organizadores e retalhistas de pacotes de férias são obrigados a fornecer informações precisas e completas sobre os pacotes de férias reservados. São obrigados a honrar os

5 termos contratuais e a proteger os passageiros em caso de insolvência. Os operadores de pacotes turísticos têm de fornecer informações exactas sobre as férias reservadas, estar em conformidade com as obrigações contratuais e proteger os passageiros em caso de insolvência do organizador. Transparência de preços De acordo com a legislação da UE, quando adquirir passagens aéreas para voos com partida em aeroportos da UE, as condições que se aplicam as condições que se aplicam devem ser explicadas. O preço final a ser pago deve estar sempre indicado e deve incluir o custo da passagem aérea aplicável, bem como os impostos, taxas, sobretaxas e encargos aplicáveis que são inevitáveis e previsíveis no momento da publicação. Também devem ser especificados os valores relativos ao custo da passagem, impostos, taxas aeroportuárias e, por fim, outras taxas, sobretaxas e encargos. O preço de suplementos opcionais deve ser comunicado de forma clara, transparente e não ambígua, no início do processo de reserva e a aceitação destes suplementos deve ser efectuada numa base de "optar por participar". Mais informações sobre a legislação referente a passageiros aéreos Consulte (em inglês): Via-Férrea Todos os dias, milhões de pessoas andam de comboio em toda a Europa. É importante para a União Europeia garantir que essas pessoas possam viajar em segurança e com conforto. A legislação europeia (consulte em inglês: ) que entrou em vigor em Dezembro de 2009 procura oferecer aos passageiros ferroviários uma protecção mais eficaz, tendo como resultado serviços de passageiros ferroviários mais fidedignos e de qualidade superior. Os direitos dos passageiros ferroviários aplicam-se a todos os serviços internacionais de transporte ferroviário na UE. Entre estes direitos encontram-se:

6 Seis direitos básicos inerentes a todos os serviços de transporte ferroviário na União Europeia, Outros direitos inerentes a todos os serviços internacionais de transporte ferroviário. Direitos fundamentais: Comprar o bilhete sem preocupações Pode optar por adquirir o seu bilhete, por exemplo, em estações com pessoal, em bilheteiras ou máquinas de venda ou ainda, na maior parte dos casos, através da Internet. No entanto, caso nenhuma destas possibilidades esteja disponível é possível que também possa optar por comprar o bilhete no comboio. Viajar em segurança As companhias ferroviárias, os gestores de infra-estruturas e os chefes de estação têm a obrigação legal de tomar as medidas adequadas para garantir a sua segurança pessoal nas estações e a bordo dos comboios. Igualdade de serviço para passageiros com mobilidade reduzida Se tiver uma deficiência ou mobilidade reduzida, tem direito a viajar com a mesma facilidade dos outros cidadãos. As companhias ferroviárias e os chefes de estação têm de garantir acesso não discriminatório e as reservas e bilhetes não deverão implicar quaisquer custos adicionais. Informações sobre acessibilidade para passageiros com mobilidade reduzida Mediante a sua solicitação, as companhias ferroviárias, vendedores de bilhetes e operadores turísticos deverão informá-lo relativamente à acessibilidade dos serviços de transporte ferroviário, condições de acesso dos vagões de passageiros e instalações a bordo. Indemnização em caso de lesões corporais ou morte e responsabilidade pela bagagem Desde que a causa de morte ou lesões corporais não esteja fora do controlo da empresa de transporte ferroviário, o passageiro e os seus familiares têm direito a indemnização por perda ou danos resultantes de morte ou lesões corporais. A empresa de transporte ferroviário também é responsável em caso de: perda e danos na bagagem de mão em caso de morte ou lesões corporais;

7 perda e danos em bagagem registada. Protecção contra companhias de transporte ferroviário que não cumprem as respectivas obrigações e responsabilidades As companhias de transporte ferroviário têm de estar devidamente cobertas por um seguro de responsabilidade ao abrigo da legislação aplicável aos direitos dos passageiros da EU referente aos respectivos passageiros e bagagem. Deste modo, fica protegido contra qualquer incumprimento por parte das empresas de transporte ferroviário no âmbito das respectivas obrigações e responsabilidades. Outros direitos inerentes a todos os serviços internacionais de transporte ferroviário: Informações sobre os seus direitos As companhias ferroviárias e chefes de estação têm de informá-lo acerca dos seus direitos. As companhias ferroviárias também irão mantê-lo informado acerca das respectivas promoções e bilhetes, bem como de quaisquer atrasos e outras interrupções que possam ocorrer nos respectivos serviços internacionais de transporte ferroviário. Assistência para pessoas com mobilidade reduzida As empresas de transporte ferroviário e os chefes de estação deverão prestar-lhe assistência no embarque em comboios internacionais. Deverá informar a empresa ferroviária acerca da sua viagem, no mínimo, com 48 horas de antecedência acerca da sua viagem, utilizando os meios de comunicação (por exemplo, número de telefone, sitioweb ) indicados por essa empresa. Normalmente ser-lhe-á igualmente prestada assistência nas estações de transbordo e na sua estação de destino. Reembolso e reencaminhamento Em caso de um atraso com previsão superior a 60 minutos à chegada ao destino final estabelecido no contrato de transporte, poderá optar entre: o reembolso do custo total do bilhete relativamente à parte ou partes da viagem não efectuadas e à parte da viagem já efectuada, caso a viagem já não se justifique em relação ao seu plano de viagem inicial e pretenda abdicar do mesmo e regressar de imediato; o prosseguimento da viagem ou o reencaminhamento para o destino final, em condições de transporte equivalentes, na primeira oportunidade; ou

8 o prosseguimento da viagem ou o reencaminhamento para o destino final, em condições de transporte equivalentes, numa data posterior da sua conveniência. Indemnização pelo preço do bilhete em caso de atraso/cancelamento durante uma viagem internacional Se, quando viajar a bordo de um serviço internacional de transporte ferroviário, o comboio chegar, no mínimo, com uma hora de atraso ao destino final estabelecido no contrato do transporte, tem direito a indemnização, desde que a causa do atraso esteja dentro do controlo da empresa ferroviária, conforme descrito em seguida: de 60 minutos a 119 minutos de atraso: 25% do custo do bilhete pago pelo comboio atrasado; a partir de 120 minutos de atraso: 50% do custo do bilhete pago pelo comboio atrasado. O pagamento deverá ser efectuado no prazo de um mês após submetida a queixa em vales ou em dinheiro (a pedido). Geralmente, a indemnização apenas será paga se o respectivo valor for, no mínimo, equivalente a 4. Aplicam-se regras de indemnização especiais no caso de passes, como, por exemplo, InterRail, Eurail, etc., e de títulos de transporte sazonal. Assistência em caso de atraso/cancelamento Em caso de atraso ou cancelamento, o passageiro tem de ser informado da situação, bem como das horas previstas de partida e de chegada, logo que essas informações estejam disponíveis. Em caso de qualquer atraso superior a 60 minutos, serão oferecidas gratuitamente: refeições ou bebidas, se puderem ser fornecidas em termos razoáveis; caso seja necessário, alojamento em hotel ou outro tipo de alojamento e transporte entre a estação e o local do alojamento e vice versa; se o comboio ficar bloqueado na linha, transporte do comboio para a estação ferroviária ou para o destino final do serviço, se e onde, na prática, houver condições para tal.

9 Se o serviço de transporte ferroviário não puder continuar, as empresas de transporte ferroviário têm de organizar, assim que possível, serviços de transporte alternativos para os passageiros. Adiantamentos em caso de morte ou lesões corporais Em caso de morte ou lesões corporais de um passageiro num acidente de comboio, a companhia ferroviária, que estava a prestar o serviço terá de proceder aos adiantamentos que permitam suprir os custos das necessidades imediatas do passageiro afectado ou dos respectivos dependentes no prazo de 15 dias a contar do estabelecimento da identidade da pessoa singular com direito à indemnização. O pagamento deverá corresponder, no mínimo, a em caso de morte do passageiro. Direito de apresentar queixa Geralmente, a apresentação da queixa deverá ser efectuada na bilheteira que emitiu o título de transporte ou num departamento centralizado de apoio ao cliente da empresa de transporte ferroviário que vendeu o bilhete. Também pode submeter a queixa junto de qualquer outra empresa de transporte ferroviário envolvida no transporte. No entanto, aplicam-se regras especiais em caso de danos corporais. Poderá ainda apresentar uma queixa junto da autoridade competente responsável pelo cumprimento do regulamento dos direitos dos passageiros ou de outra entidade independente responsável pela gestão de queixas no seu país. (em ec.europa.eu/passenger-rights) Mais informações sobre a legislação referente a passageiros ferroviários, consulte, em português: Serviços nacionais Para mais informações sobre os seus direitos relacionados com serviços urbanos, suburbanos, regionais e de longa-distância a nível nacional, contacte a(s) sua(s) empresa(s) de transporte ferroviário, o vendedor de bilhetes ou a Entidade Nacional Reguladora do seu país: Portugal

10 Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres Tel Mais informações sobre os direitos dos passageiros ferroviários (consulte e excepções a nível nacional (consulte Transporte marítimo e por via navegável interior O Regulamento (UE) n.º 1177/2010, relativo aos direitos dos passageiros do transporte marítimo e por vias navegáveis interiores, foi publicado em 17 de Dezembro de É aplicável a partir de 18 de Dezembro de 2012, data antes da qual não vigoram os direitos que consagra. O Regulamento é aplicável aos passageiros que viajam: utilizando serviços de transporte de passageiros, sempre que o porto de embarque esteja situado no território de um Estado-Membro; utilizando serviços de transporte de passageiros, sempre que o porto de embarque esteja situado fora do território de um Estado-Membro e o porto de desembarque esteja situado no território de um Estado-Membro, desde que o serviço seja explorado por um transportador da União; em cruzeiros, sempre que o porto de embarque esteja situado no território de um Estado-Membro. Todavia, o Regulamento não é aplicável aos passageiros transportados em navios certificados para transportar, no máximo, 12 passageiros, em navios com uma tripulação responsável pela operação do navio não superior a três pessoas, ou quando a distância total percorrida pelo serviço de passageiros for inferior a 500 metros por trajecto, em excursões e visitas turísticas que não sejam cruzeiros e em navios sem propulsão mecânica. Os novos direitos incluem, nomeadamente:

11 Em situações de cancelamento ou de atraso na partida superior a 90 minutos garantia de reembolso ou reencaminhamento; assistência adequada (refeições ligeiras, refeições, bebidas e, se necessário, alojamento até três noites, com uma cobertura financeira até 80 euros por noite); Em situações de atraso na chegada ou de cancelamento de viagens compensação, num montante compreendido entre 25% e 50% do preço do bilhete; Protecção das pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida tratamento não discriminatório e assistência específica gratuita aos passageiros com deficiência ou com mobilidade reduzida, tanto nos terminais portuários como a bordo dos navios, bem como indemnização pela perda ou deterioração do equipamento de mobilidade; Direito à informação regras mínimas relativas à informação a prestar aos passageiros antes da viagem e durante esta, bem como à informação geral sobre os direitos dos passageiros a prestar nos terminais portuários e a bordo dos navios; Tratamento de reclamações criação, pelas transportadoras e pelos operadores de terminais, de um mecanismo de tratamento de reclamações à disposição dos passageiros; estabelecimento de organismos nacionais independentes incumbidos de velar pelo respeito do regulamento, eventualmente com a aplicação de sanções. Mais informações e legislação: Transporte em autocarro O Regulamento (UE) n.º 181/2011 foi publicado em 28 de Fevereiro de 2011 e as suas disposições são aplicáveis a partir de 1 de Março de 2013.

12 O Regulamento é aplicável, na íntegra, aos serviços de longo curso (ou seja, mais de 250 km), mas só algumas das suas disposições são aplicáveis a todos os serviços, incluindo os de menor distância. Os novos direitos aplicáveis aos serviços de longo curso (ou seja, mais de 250 km) abrangem, nomeadamente: assistência adequada (refeições ligeiras, refeições e bebidas, bem como, se necessário, até duas noites de alojamento em hotel, num valor máximo de 80 euros por noite, excepto em caso de condições meteorológicas extremas ou de grande catástrofe natural) em situações de cancelamento ou de atraso superior a 90 minutos de viagens de mais de três horas; garantia de reembolso ou reencaminhamento em caso de sobrelotação ou de cancelamento ou ainda de atraso superior a 120 minutos em relação à hora prevista de partida; indemnização correspondente a 50% do preço do bilhete em caso de atraso superior a 120 minutos em relação à hora prevista de partida, de cancelamento da viagem ou se a transportadora não oferecer ao passageiro a possibilidade de reencaminhamento ou reembolso; Informação em caso de cancelamento ou de atraso na partida; protecção dos passageiros em caso de morte, lesões, perdas ou danos provocados por acidente rodoviário, em especial no que respeita às necessidades práticas imediatas (nomeadamente duas noites de alojamento em hotel, num valor máximo de 80 euros por noite); assistência específica, a título gratuito, a passageiros com deficiência e com mobilidade reduzida nos terminais e a bordo dos veículos e, se necessário, transporte gratuito dos acompanhantes. Os seguintes direitos serão igualmente aplicáveis a todos os serviços (independentemente de serem ou não de longo curso): não discriminação dos passageiros, no que respeita às tarifas e às condições contratuais, com base directa ou indirectamente na nacionalidade; tratamento não discriminatório das pessoas com deficiência e com mobilidade reduzida, bem como indemnização pela perda ou deterioração do equipamento de mobilidade, em caso de acidente;

13 regras mínimas relativas à informação a prestar aos passageiros antes da viagem e durante esta, bem como à informação geral sobre os direitos dos passageiros nos terminais e em linha; sempre que possível, as informações devem ser prestadas, mediante pedido, em formatos acessíveis, no interesse das pessoas com mobilidade reduzida; disponibilização aos passageiros de mecanismos de tratamento de reclamações pelas transportadoras; existência em todos os Estados-Membros de organismos nacionais independentes responsáveis pelo controlo da aplicação do regulamento e, se for caso disso, pela aplicação de sanções. Mais informações e legislação:

Síntese dos direitos dos passageiros do transporte em autocarro 1

Síntese dos direitos dos passageiros do transporte em autocarro 1 Síntese dos direitos dos passageiros do transporte em autocarro 1 O Regulamento (UE) n.º 181/2011 (a seguir designado por «Regulamento») é aplicável a partir de 1 de março de 2013. Estabelece um conjunto

Leia mais

De entre vários direitos que o diploma contém destacamos os seguintes:

De entre vários direitos que o diploma contém destacamos os seguintes: NATAL. UMA ÉPOCA FESTIVA ONDE AS FRONTEIRAS NÃO TÊM LUGAR... Uma vez que se aproxima mais um Natal, é importante não descurar e conhecer os seus direitos. Esta quadra, ainda que nos acompanhe por poucos

Leia mais

Síntese das disposições respeitantes aos direitos dos passageiros no transporte marítimo e fluvial 1

Síntese das disposições respeitantes aos direitos dos passageiros no transporte marítimo e fluvial 1 Síntese das disposições respeitantes aos direitos dos passageiros no transporte marítimo e fluvial 1 O Regulamento (UE) n.º 1177/2010, relativo aos direitos dos passageiros do transporte marítimo e por

Leia mais

Conheça os seus direitos em caso de: Recusa de embarque Cancelamento de voo Atrasos prolongados Colocação em classe inferior Viagens organizadas

Conheça os seus direitos em caso de: Recusa de embarque Cancelamento de voo Atrasos prolongados Colocação em classe inferior Viagens organizadas OS DIREITOS DOS PASSAGEIROS DE TRANSPORTE AÉREO AS NOVAS REGRAS Dia 17 de Fevereiro entra em vigor o Regulamento (CE) n.º 261/2004, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 11 de Fevereiro de 2004, que

Leia mais

OS DIREITOS DOS PASSAGEIROS DE TRANSPORTE AÉREO

OS DIREITOS DOS PASSAGEIROS DE TRANSPORTE AÉREO OS DIREITOS DOS PASSAGEIROS DE TRANSPORTE AÉREO Dia 17 de Fevereiro entrou em vigor o Regulamento (CE) n.º 261/2004, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 11 de Fevereiro de 2004, que estabelece regras

Leia mais

DIREITOS DOS PASSAGEIROS DOS TRANSPORTES AÉREOS FORMULÁRIO DE RECLAMAÇÃO UE

DIREITOS DOS PASSAGEIROS DOS TRANSPORTES AÉREOS FORMULÁRIO DE RECLAMAÇÃO UE DIREITOS DOS PASSAGEIROS DOS TRANSPORTES AÉREOS FORMULÁRIO DE RECLAMAÇÃO UE ESTE FORMULÁRIO PODE SER UTILIZADO PARA APRESENTAR UMA RECLAMAÇÃO JUNTO DE UMA TRANSPORTADORA AÉREA E/OU DE UM ORGANISMO NACIONAL

Leia mais

Assunto: Condições de contrato de transporte aéreo

Assunto: Condições de contrato de transporte aéreo CIRCULAR Nº 062 / 2009 (SF) RF/MS/RC Lisboa, 14 de Agosto de 2009 Assunto: Condições de contrato de transporte aéreo Caro Associado, Tendo em consideração os deveres legais de informação para a venda de

Leia mais

Jornal Oficial da União Europeia. (Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade)

Jornal Oficial da União Europeia. (Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade) 17.2.2004 L 46/1 I (Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade) REGULAMENTO (CE) N. o 261/2004 DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 11 de Fevereiro de 2004 que estabelece regras comuns

Leia mais

(Actos legislativos) REGULAMENTOS

(Actos legislativos) REGULAMENTOS 17.12.2010 PT Jornal Oficial da União Europeia L 334/1 I (Actos legislativos) REGULAMENTOS REGULAMENTO (UE) N. o 1177/2010 DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 24 de Novembro de 2010 relativo aos direitos

Leia mais

Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições

Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições 2004R0261 PT 17.02.2005 000.002 1 Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições B REGULAMENTO (CE) N. o 261/2004 DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 11 de Fevereiro

Leia mais

Moving in Europe. Para uma mobilidade mais sustentável e protegida

Moving in Europe. Para uma mobilidade mais sustentável e protegida Moving in Europe Para uma mobilidade mais sustentável e protegida Este guia é uma das actividades promovidas pelo projecto europeu Mobilidade, um paradigma da cidadania europeia, que envolve cidadãos de

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA COMISSÃO DE ASSUNTOS EUROPEUS

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA COMISSÃO DE ASSUNTOS EUROPEUS Parecer COM(2013)130 Proposta de Regulamento do Parlamento Europeu e do Conselho que altera o Regulamento (CE) n.º 261/2004 que estabelece regras comuns para a indemnização e a assistência aos passageiros

Leia mais

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 11 de Dezembro de 2009 (15.12) (OR. en) 17412/09 Dossier interinstitucional: 2008/0237 (COD)

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 11 de Dezembro de 2009 (15.12) (OR. en) 17412/09 Dossier interinstitucional: 2008/0237 (COD) CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 11 de Dezembro de 2009 (15.12) (OR. en) 17412/09 Dossier interinstitucional: 2008/0237 (COD) TRANS 498 CODEC 1442 RELATÓRIO de: COREPER para: Conselho n.º prop. Com:

Leia mais

Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições

Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições 1997R2027 PT 30.05.2002 001.001 1 Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições B M1 REGULAMENTO (CE) N. o 2027/97 DO CONSELHO de 9 de Outubro de 1997 relativo à

Leia mais

Bulgária. Sempre que brilha o sol

Bulgária. Sempre que brilha o sol Bulgária Sempre que brilha o sol 2007 Viaje ainda mais seguro... por apenas Quem viaja conhece as situações inesperadas, os imprevistos, os pequenos acidentes, a perda da carteira e documentos,

Leia mais

Condições Gerais Norwegian Cruise Line

Condições Gerais Norwegian Cruise Line Condições Gerais Norwegian Cruise Line 1. CONFIRMAÇÃO DA VIAGEM A confirmação da viagem da NCL (Bahamas) Ltd., negociando como Norwegian Cruise Line (a seguir Norwegian), é a aceitação do seu pedido de

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS INTRODUÇÃO

CONDIÇÕES GERAIS INTRODUÇÃO CONDIÇÕES GERAIS INTRODUÇÃO As presentes condições gerais fazem parte integrante do programa / catálogo / documento informativo em que se inserem, constituindo, na ausência de documento autónomo, o contrato

Leia mais

REGRAS DE EXECUÇÃO DA DECISÃO N.º 32/2011 RELATIVA AO REEMBOLSO DAS DESPESAS DE VIAGEM DOS DELEGADOS DOS MEMBROS DO CONSELHO

REGRAS DE EXECUÇÃO DA DECISÃO N.º 32/2011 RELATIVA AO REEMBOLSO DAS DESPESAS DE VIAGEM DOS DELEGADOS DOS MEMBROS DO CONSELHO REGRAS DE EXECUÇÃO DA DECISÃO N.º 32/2011 RELATIVA AO REEMBOLSO DAS DESPESAS DE VIAGEM DOS DELEGADOS DOS MEMBROS DO CONSELHO Bruxelas, 1 de Março de 2011 SN 1704/11 1. INTRODUÇÃO O presente documento descreve

Leia mais

Autor: Deputado Paulo Campos. passageiros e respetiva bagagem [COM(2013)1301. Comissão de Economia e Obras Públicas

Autor: Deputado Paulo Campos. passageiros e respetiva bagagem [COM(2013)1301. Comissão de Economia e Obras Públicas 1 1 1 1 1 1 1 1111111 1 1 1 Í 1 1 1 1 1 74ssJEMBLF:IA [)A EPÚBL1CA Parecer da Comissão de Economia e Obras Públicas Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO que altera o Regulamento

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS ORGANIZAÇÃO

CONDIÇÕES GERAIS ORGANIZAÇÃO CONDIÇÕES GERAIS O presente programa/ catálogo é o documento informativo no qual se inserem as presentes condições gerais, dele fazendo parte integrante e que constituem, na ausência de documento autónomo

Leia mais

Plano de Serviço de Apoio ao Cliente

Plano de Serviço de Apoio ao Cliente O da TAP Portugal visa abordar os elementos-chave em matéria de serviço constantes das novas regras estabelecidas pelo Departamento de Transporte (DOT) dos Estados Unidos, que afetam com maior impacto

Leia mais

Agência de Viagens e Turismo, Lda. RNAVT 3748 www.travelja.net

Agência de Viagens e Turismo, Lda. RNAVT 3748 www.travelja.net Traveljá-Agência de Viagens e Turismo, Lda. TOURING CULTURAL CONDIÇÕES GERAIS O ato de inscrição para participação em qualquer dos roteiros publicados pela Traveljá -Agência de Viagens e Turismo, Lda.,

Leia mais

Regime de Responsabilidade Civil dos Transportadores e Operadores Aéreos Regulamentos Administrativos No 11/2004 e No 19/2011

Regime de Responsabilidade Civil dos Transportadores e Operadores Aéreos Regulamentos Administrativos No 11/2004 e No 19/2011 Regime de Responsabilidade Civil dos Transportadores e Operadores Aéreos Regulamentos Administrativos No 11/2004 e No 19/2011 Perguntas e Respostas 1. A que se referem as expressões transportador aéreo

Leia mais

DIRECTIVA DO CONSELHO de 13 de Junho de 1990 relativa às viagens organizadas, férias organizadas e circuitos organizados (90/314/CEE)

DIRECTIVA DO CONSELHO de 13 de Junho de 1990 relativa às viagens organizadas, férias organizadas e circuitos organizados (90/314/CEE) DIRECTIVA DO CONSELHO de 13 de Junho de 1990 relativa às viagens organizadas, férias organizadas e circuitos organizados (90/314/CEE) O CONSELHO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS, Tendo em conta o Tratado que

Leia mais

GUIA PARA PESSOAS COM MOBILIDADE REDUZIDA QUE NÃO VIAJAM FREQUENTEMENTE OU QUE VIAJAM DE AVIÃO PELA PRIMEIRA VEZ.

GUIA PARA PESSOAS COM MOBILIDADE REDUZIDA QUE NÃO VIAJAM FREQUENTEMENTE OU QUE VIAJAM DE AVIÃO PELA PRIMEIRA VEZ. GUIA PARA PESSOAS COM MOBILIDADE REDUZIDA QUE NÃO VIAJAM FREQUENTEMENTE OU QUE VIAJAM DE AVIÃO PELA PRIMEIRA VEZ. Como pessoa com mobilidade reduzida (PMR) deve ter a oportunidade de desfrutar de uma viagem

Leia mais

COMPROMISSO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS AOS PASSAGEIROS DAS TRANSPORTADORAS AÉREAS COMERCIAIS

COMPROMISSO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS AOS PASSAGEIROS DAS TRANSPORTADORAS AÉREAS COMERCIAIS COMPROMISSO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS AOS PASSAGEIROS DAS TRANSPORTADORAS AÉREAS COMERCIAIS As transportadoras europeias elaboraram o Compromisso sobre Prestação de Serviços aos Passageiros das Transportadoras

Leia mais

O presente documento é vinculativo para a agência, operador e cliente, salvo alguma das presentes condições:

O presente documento é vinculativo para a agência, operador e cliente, salvo alguma das presentes condições: Condições gerais de venda de todos os programas e que constituem, na ausência de documento autónomo, o contrato de viagem, reserva de alojamento e/ou atividade. O presente documento é vinculativo para

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO Página 1 de 5 CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO 1. CONTRATADA: L C DA SILVA AGÊNCIA DE VIAGENS ME Web Viagens, CNPJ/MF 11.692.987/0001-79, Av. Ipiranga, 104, 9 andar, Consolação, CEP 01046-010, São Paulo/SP,

Leia mais

Confirmação da reserva. Reserva Confirmada. Estado da sua reserva. Números de localizador para a reserva são: Voo: EKMXR15.

Confirmação da reserva. Reserva Confirmada. Estado da sua reserva. Números de localizador para a reserva são: Voo: EKMXR15. Facebook share Cristiano Fonseca De: no-reply@edreams.com Enviado: quinta-feira, 25 de Outubro de 2012 20:52 Para: Assunto: Confirmaçâo reserva Easyjet: EKMXR15 Confirmação da reserva Estado da sua reserva

Leia mais

Conheça os seus direitos antes de partir: os seus direitos são o nosso objectivo

Conheça os seus direitos antes de partir: os seus direitos são o nosso objectivo Conheça os seus direitos antes de partir: os seus direitos são o nosso objectivo Espera-se que cinco milhões de fãs viagem para assistir ao Euro 2008 este Verão. Sabemos que para alguns deles poderão surgir

Leia mais

Regulamento Interno sobre Deslocações em Serviço. 25 de outubro de 2012. (Republicado, com as alterações aprovadas em 11 de novembro de 2013)

Regulamento Interno sobre Deslocações em Serviço. 25 de outubro de 2012. (Republicado, com as alterações aprovadas em 11 de novembro de 2013) Regulamento Interno sobre Deslocações em Serviço 25 de outubro de 2012 (Republicado, com as alterações aprovadas em 11 de novembro de 2013) ÍNDICE ÍNDICE... 2 CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES GERAIS... 3 Artigo

Leia mais

ASSINATURA DE 18 MESES DO PÚBLICO DIGITAL - OFERTA DE VOO À EUROPA

ASSINATURA DE 18 MESES DO PÚBLICO DIGITAL - OFERTA DE VOO À EUROPA ASSINATURA DE 18 MESES DO PÚBLICO DIGITAL - OFERTA DE VOO À EUROPA O Público efectuou uma parceria com a TLC Marketing, a entidade responsável pela gestão da oferta de voos ao abrigo da campanha de assinaturas

Leia mais

31992R0684. Página Web 1 de 9

31992R0684. Página Web 1 de 9 Página Web 1 de 9 Avis juridique important 31992R0684 Regulamento (CEE) nº 684/92 do Conselho, de 16 de Março de 1992, que estabelece regras comuns para os transportes internacionais de passageiros em

Leia mais

INFORMATIVO : TRANSPORTE AÉREO

INFORMATIVO : TRANSPORTE AÉREO INFORMATIVO : TRANSPORTE AÉREO DIREITO À INFORMAÇÃO: INFORMAÇÃO CLARA E PRECISA: CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR Art. 6º São direitos básicos do consumidor: III - a informação adequada e clara sobre os

Leia mais

Manual de Procedimentos. AIG Mission. Mission

Manual de Procedimentos. AIG Mission. Mission Manual de Procedimentos AIG 1 Apólice Procedimentos em caso de Sinistro (Todo o mundo) Sempre que se torne necessário activar as garantias da apólice e, especialmente, em caso de emergência, as Pessoas

Leia mais

Administração. Contabilidade

Administração. Contabilidade Escolas Europeias Gabinete do Secretário-Geral Administração Contabilidade Ref.: 2006-D-94-pt-5 Original: EN Versão: PT Remodelação das disposições relativas ao reembolso das despesas de viagem das missões

Leia mais

PARCERIA E PONTES MARIE CURIE ENTRE EMPRESAS E UNIVERSIDADES

PARCERIA E PONTES MARIE CURIE ENTRE EMPRESAS E UNIVERSIDADES ANEXO III DISPOSIÇÕES ESPECÍFICAS PARCERIA E PONTES MARIE CURIE ENTRE EMPRESAS E UNIVERSIDADES [MULTI-BENEFICIÁRIOS] III. 1 - Definições Para além das previstas no artigo II.1, aplicam-se à presente convenção

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL RESOLUÇÃO Nº 141, DE 9 DE MARÇO DE 2010.

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL RESOLUÇÃO Nº 141, DE 9 DE MARÇO DE 2010. AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL RESOLUÇÃO Nº 141, DE 9 DE MARÇO DE 2010. Dispõe sobre as Condições Gerais de Transporte aplicáveis aos atrasos e cancelamentos de voos e às hipóteses de preterição de

Leia mais

CENTRO EUROPEU DO CONSUMIDOR - PORTUGAL EUROPEAN CONSUMER CENTRE

CENTRO EUROPEU DO CONSUMIDOR - PORTUGAL EUROPEAN CONSUMER CENTRE ECC-Net: Travel App Uma nova aplicação para telemóveis destinada aos consumidores europeus que se deslocam ao estrangeiro. Um projeto conjunto da Rede de Centros Europeus do Consumidor Nome da app: ECC-Net:

Leia mais

PARCERIAS E PONTES MARIE CURIE ENTRE EMPRESAS E UNIVERSIDADES

PARCERIAS E PONTES MARIE CURIE ENTRE EMPRESAS E UNIVERSIDADES ANEXO III DISPOSIÇÕES ESPECÍFICAS PARCERIAS E PONTES MARIE CURIE ENTRE EMPRESAS E UNIVERSIDADES [MULTI-BENEFICIÁRIOS] III.1 Definições Para além das previstas no artigo II.1, aplicam-se à presente convenção

Leia mais

ASSUNTO: LEI N.º 144/2015 DE 8 DE SETEMBRO

ASSUNTO: LEI N.º 144/2015 DE 8 DE SETEMBRO CIRCULAR Nº 036/2016 (SF) RF/RC Lisboa, 09 de Março de 2016 ASSUNTO: LEI N.º 144/2015 DE 8 DE SETEMBRO Informação aos clientes quanto à existência de entidades de resolução alternativa de litígios de consumo

Leia mais

Proposta de preços Data: sexta-feira, 7 de Outubro de 2011

Proposta de preços Data: sexta-feira, 7 de Outubro de 2011 Exmo(a) Senhor(a), Proposta de preços Data: sexta-feira, 7 de Outubro de 2011 No seguimento do seu pedido, vimos por este meio propôr: BRASIL Refª / Cliente: Destino(s): Pipa Alojamento(s): Hotel Pipa

Leia mais

PROGRAMA ALOJAMENTOS UNIVERSITÁRIOS

PROGRAMA ALOJAMENTOS UNIVERSITÁRIOS PROGRAMA ALOJAMENTOS UNIVERSITÁRIOS Qualidade Comodidade Segurança PORTUGAL RENDISPHERA Alojamentos Universitários Estas Preparado?? Prepara a tua estadia universitária em Portugal.. Viagem + Alojamento

Leia mais

Notificação de Participação

Notificação de Participação Notificação de Participação Referência de Notificação de Participação: (somente para uso interno) Seus dados Pessoais: Nome: Tipo de reclamação: Data: Morada: Contacto Número: Email : Informação Importante:

Leia mais

PROGRAMA PEREGRINAÇÃO A ROMA

PROGRAMA PEREGRINAÇÃO A ROMA PROGRAMA PEREGRINAÇÃO A ROMA 13 a 17 de Fevereiro 2010 5 dias É um prazer receber-vos em Roma! A nossa viagem decorrerá de 13 a 17 de Fevereiro de 2010. Itinerário: 1º DIA Sábado (13 de Fevereiro de 2010)

Leia mais

Contrato de Aquisição de Programas de Viagens.

Contrato de Aquisição de Programas de Viagens. O passageiro Sr.(a) está adquirindo neste momento o pacote turístico da OK OPERADORA DE TURISMO, denominado, com saída prevista para / /, através da agência, de acordo com roteiro anexo que fica fazendo

Leia mais

b) Ocorram alterações posteriormente, mediante prévio acordo escrito entre as partes contratantes.

b) Ocorram alterações posteriormente, mediante prévio acordo escrito entre as partes contratantes. As presentes Condições Gerais são parte integrante do documento informativo denominado programa/catálogo. O programa/oferta é a descrição da viagem, o qual, em conjunto com o programa/catálogo, constitui

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS SCUBA TRIP

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS SCUBA TRIP CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS SCUBA TRIP Passageiros: 1 2 3 4 5 6 Dados do Pacote Comprado: Destino com saída em / / e retorno em / /, através da Agência de Viagens, de acordo com a reserva previamente

Leia mais

Termos e Condições Viagem a Londres

Termos e Condições Viagem a Londres Termos e Condições Viagem a Londres 1. A presente oferta é válida para residentes em Portugal, maiores de 18 anos. Não pode ser usada conjuntamente com qualquer outra oferta promocional da marca ou de

Leia mais

Regulamento (CEE) nº 2299/89 do Conselho, de 24 de Julho de 1989, relativo a um código de conduta para os sistemas informatizados de reserva

Regulamento (CEE) nº 2299/89 do Conselho, de 24 de Julho de 1989, relativo a um código de conduta para os sistemas informatizados de reserva Regulamento (CEE) nº 2299/89 do Conselho, de 24 de Julho de 1989, relativo a um código de conduta para os sistemas informatizados de reserva Jornal Oficial nº L 220 de 29/07/1989 p. 0001-0007 Edição especial

Leia mais

PRINCIPAIS DÚVIDAS EM RELAÇÃO AOS DIREITOS E DEVERES DO PASSAGEIRO:

PRINCIPAIS DÚVIDAS EM RELAÇÃO AOS DIREITOS E DEVERES DO PASSAGEIRO: PRINCIPAIS DÚVIDAS EM RELAÇÃO AOS DIREITOS E DEVERES DO PASSAGEIRO: 1. O que é preterição de embarque? A preterição de embarque (embarque não realizado por motivo de segurança operacional, substituição

Leia mais

Vendas pela Internet, televisão, telefone, fax ou catálogos

Vendas pela Internet, televisão, telefone, fax ou catálogos Vendas pela Internet, televisão, telefone, fax ou catálogos Para assegurar os direitos dos consumidores relativos à informação dos produtos e identidade do vendedor, as empresas têm de cumprir regras sobre

Leia mais

Mission Individual Travel. Plano Protecção Viagens

Mission Individual Travel. Plano Protecção Viagens Mission Individual Travel Plano Protecção Viagens Bring on tomorrow Para onde quer que a sua visão o leve, estaremos sempre consigo 2 Todas as viagens, em Portugal ou no estrangeiro, implicam uma tomada

Leia mais

Acessibilidade. Dicas ANAC

Acessibilidade. Dicas ANAC Acessibilidade Dicas ANAC Acessibilidade Assistência especial Passageiros que podem solicitar assistência especial: Gestantes; Idosos a partir de 60 anos; Lactantes; Pessoas com criança de colo; Pessoas

Leia mais

CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO DE SERVIÇOS DE TURISMO

CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO DE SERVIÇOS DE TURISMO CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO DE SERVIÇOS DE TURISMO (este contrato deve ser impresso e preenchido de próprio punho e enviado para o endereço de contato em até 5 dias úteis após a confirmação da compra do

Leia mais

BOLSAS MARIE CURIE DE ACOLHIMENTO PARA FORMAÇÃO DE INVESTIGADORES EM INÍCIO DE CARREIRA

BOLSAS MARIE CURIE DE ACOLHIMENTO PARA FORMAÇÃO DE INVESTIGADORES EM INÍCIO DE CARREIRA ANEXO III DISPOSIÇÕES ESPECÍFICAS BOLSAS MARIE CURIE DE ACOLHIMENTO PARA FORMAÇÃO DE INVESTIGADORES EM INÍCIO DE CARREIRA [VERSÃO MONOCONTRATANTE] III.1 - Definições Além das previstas no artigo II.1,

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES. Rubrica:

TERMOS E CONDIÇÕES. Rubrica: PARTES Nestes termos e condições, passageiro ou participante referem-se à pessoa que está comprando ou viajando em cruzeiro, e aos viajantes individuais como parte das reservas destas pessoas. Ama ou companhia

Leia mais

Viena CAMPEONATO EUROPEU 2013. Elaborado a 17-09-2013

Viena CAMPEONATO EUROPEU 2013. Elaborado a 17-09-2013 Viena CAMPEONATO EUROPEU 2013 Elaborado a 17-09-2013 PROGRAMA PACOTE 4 NOITES Sexta-feira 04 Outubro Comparência120 minutos antes da partida. Assistência nas formalidades de embarque pelos representantes

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES INFORMAÇÕES GERAIS

TERMOS E CONDIÇÕES INFORMAÇÕES GERAIS PARTES Nestes termos e condições, passageiro ou participante refere-se à pessoa que está comprando ou viajando em cruzeiro, e aos viajantes individuais como parte das reservas destas pessoas. Ama ou companhia

Leia mais

Jornal Oficial das Comunidades Europeias. (Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade)

Jornal Oficial das Comunidades Europeias. (Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade) 13. 2. 1999 PT Jornal Oficial das Comunidades Europeias L 40/1 I (Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade) REGULAMENTO (CE) Nº 323/1999 DO CONSELHO de 8 de Fevereiro de 1999 que altera

Leia mais

Fórum de Alto Nível da CEDEAO sobre Política e Investimento no sector da Energia Sustentável. Informações de Logística

Fórum de Alto Nível da CEDEAO sobre Política e Investimento no sector da Energia Sustentável. Informações de Logística Fórum de Alto Nível da CEDEAO sobre Política e Investimento no sector da Energia Sustentável Data: 14 a 18 de Setembro de 2015 Local: Heden Golf Hotel e Instalações do Banco Africano de Desenvolvimento,

Leia mais

COORDENADAS. DURAÇÃO: 6 noites NR. PARTICIPANTES: 20 a 30 TIPOLOGIA DE QUARTO: DBLS/SGLS DATA: 17 a 24 Outubro 2010

COORDENADAS. DURAÇÃO: 6 noites NR. PARTICIPANTES: 20 a 30 TIPOLOGIA DE QUARTO: DBLS/SGLS DATA: 17 a 24 Outubro 2010 COORDENADAS DURAÇÃO: 6 noites NR. PARTICIPANTES: 20 a 30 TIPOLOGIA DE QUARTO: DBLS/SGLS DATA: 17 a 24 Outubro 2010 País de beleza natural, em plena reconstrução, com gente afável e alegre PROGRAMA PRELIMINAR

Leia mais

CONDICÕES ESPECÍFICAS DISNEY CRUISE LINE ANEXO

CONDICÕES ESPECÍFICAS DISNEY CRUISE LINE ANEXO CONDICÕES ESPECÍFICAS DISNEY CRUISE LINE ANEXO 1-Passagem e contrato A passagem/bilhete e do contrato do Cruzeiro Disney Cruise (disponível em www.disneycruise.com/cruisecontract). Os formulários necessários

Leia mais

VENDAS Á DISTÂNCIA. Decreto-Lei n.º 7/2004 de 07 01: Comércio Electrónico. Decreto-Lei n.º 24/2014 de 14-02: Vendas à Distância

VENDAS Á DISTÂNCIA. Decreto-Lei n.º 7/2004 de 07 01: Comércio Electrónico. Decreto-Lei n.º 24/2014 de 14-02: Vendas à Distância VENDAS Á DISTÂNCIA Enquadramento Legal Decreto-Lei n.º 7/2004 de 07 01: Comércio Electrónico Decreto-Lei n.º 24/2014 de 14-02: Vendas à Distância No que respeita à forma da contratação electrónica, estipula

Leia mais

Política de Viagens e Procedimentos

Política de Viagens e Procedimentos Política de Viagens e Procedimentos A Maxgen desenvolveu uma política de viagens e procedimentos para permitir que cada funcionário possa fazer uma contribuição substancial para a rentabilidade do seu

Leia mais

Defesa do Consumidor na União Europeia

Defesa do Consumidor na União Europeia PUBLICADO NA EDIÇÃO IMPRESSA SEGUNDA-FEIRA, 27 DE MAIO DE 2013 POR JM Defesa do Consumidor na União Europeia O direito comunitário também protege os consumidores em caso de encomendas por via postal, pela

Leia mais

BOLSAS MARIE CURIE DE ACOLHIMENTO PARA A TRANSFERÊNCIA DE CONHECIMENTOS

BOLSAS MARIE CURIE DE ACOLHIMENTO PARA A TRANSFERÊNCIA DE CONHECIMENTOS ANEXO III DISPOSIÇÕES ESPECÍFICAS BOLSAS MARIE CURIE DE ACOLHIMENTO PARA A TRANSFERÊNCIA DE CONHECIMENTOS REGIME DE DESENVOLVIMENTO [MONOCONTRATANTE] III.1 - Definições Além das previstas no artigo II.1,

Leia mais

CONDIÇÕES DE VENDA. 1. Prazo de entrega O prazo de entrega é o referido na confirmação da encomenda, salvo acordo em contrário.

CONDIÇÕES DE VENDA. 1. Prazo de entrega O prazo de entrega é o referido na confirmação da encomenda, salvo acordo em contrário. CONDIÇÕES DE VENDA A venda de produtos da Portucel Soporcel Fine Paper S.A. ( vendedor ) é regulada pelas condições abaixo descritas, em conformidade com as práticas em vigor na indústria e comércio de

Leia mais

2.2 A operadora elabora, organiza e executa o roteiro da viagem contratada.

2.2 A operadora elabora, organiza e executa o roteiro da viagem contratada. CONDIÇÕES GERAIS PARA AQUISIÇÃO DE PROGRAMAS DE VIAGENS NACIONAIS E INTERNACIONAIS A aquisição de pacotes e programas de viagens nacionais e internacionais adquiridas da ARA TRAVEL TURISMO E VIAGENS LTDA.

Leia mais

CONTRATO DE VIAGEM. Passageiros:

CONTRATO DE VIAGEM. Passageiros: CONTRATO DE VIAGEM O (a) Sr. (a)..., portador do CPF... RG / RNE..., residente a...,..., na cidade..., estado... país..., esta (ão) adquirindo neste momento um produto da COTTA TOUR Representações, Agência

Leia mais

CONTRATO DE AGENCIAMENTO PARA FORMAÇÃO DE PACOTE DE VIAGENS PARA O FESTIVAL DEFQON1 CHILE - 2015 CONTRATO DFC 002/15

CONTRATO DE AGENCIAMENTO PARA FORMAÇÃO DE PACOTE DE VIAGENS PARA O FESTIVAL DEFQON1 CHILE - 2015 CONTRATO DFC 002/15 CONTRATO DE AGENCIAMENTO PARA FORMAÇÃO DE PACOTE DE VIAGENS PARA O FESTIVAL DEFQON1 CHILE - 2015 CONTRATO DFC 002/15 ESPAÇO DJ BRASIL MARKETING ARTÍSTICO LTDA., pessoa jurídica de direito privado, inscrita

Leia mais

Guia para Peritos. (versão 09/05/14)

Guia para Peritos. (versão 09/05/14) Guia para Peritos (versão 09/05/14) Objectivo do guia O Guia para Peritos disponibiliza informação sobre o programa SOCIEUX e sobre a função dos peritos no âmbito das Acções de assistência técnica do SOCIEUX,

Leia mais

Guião: Pagamento de Despesas de Transporte e Ajudas de Custo

Guião: Pagamento de Despesas de Transporte e Ajudas de Custo 2013/ 2014 Sindicato Democrático dos Professores do Sul Villas da Cartuxa Apartado 131 7002-502 Évora Telef. 266 749 660 Fax 266 749668 www.sdpsul.com E-mail: evora@sdpsul.com Guião: Pagamento de Despesas

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES. Rubrica: Seven Seas Explorer Viagem Inaugural 20 de julho de 2016

TERMOS E CONDIÇÕES. Rubrica: Seven Seas Explorer Viagem Inaugural 20 de julho de 2016 TERMOS E CONDIÇÕES PEDIMOS QUE LEIA COM ATENÇÃO ESTAS IMPORTANTES INFORMAÇÕES, POIS, ESTES SÃO OS TERMOS E CONDIÇÕES DO CONTRATO LEGAL ENTRE VOCÊ, NA CONDIÇÃO DE NOSSO HÓSPEDE, E A SEVEN SEAS CRUISES S.

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES. 1.1. Crianças até 12 anos: Sempre que acompanhadas por um adulto - usufruirão do serviço gratuitamente.

TERMOS E CONDIÇÕES. 1.1. Crianças até 12 anos: Sempre que acompanhadas por um adulto - usufruirão do serviço gratuitamente. TERMOS E CONDIÇÕES Processo de Venda Todos os pedidos deste serviço são efectuados online. Os pedidos de assistência deverão ser efetuados com um mínimo de 72h de antecedência e máximo de 60 dias. Terá

Leia mais

A ESTAÇÃO DE INTERCÂMBIO formulou o presente Contrato à luz do Código de Defesa do Consumidor e da Deliberação Normativa da EMBRATUR nº. 161/85.

A ESTAÇÃO DE INTERCÂMBIO formulou o presente Contrato à luz do Código de Defesa do Consumidor e da Deliberação Normativa da EMBRATUR nº. 161/85. CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE PROGRAMAÇÃO DE VIAGEM ORGANIZADA PELA ESTAÇÃO DE INTERCÂMBIO E TURISMO LTDA-ME, LOCALIZADA À AVENIDA BRIGADEIRO FARIA LIMA 1478/315, JARDIM PAULISTANO, SÃO PAULO, SP 01451-001,

Leia mais

Termos e Condições. Rubrica:

Termos e Condições. Rubrica: Termos e Condições Consulte um Agente de Viagens Agências de Viagens oferecem um serviço valioso ao planejarem sua viagem a bordo dos Cruzeiros da Oceania. Recomendamos que você trabalhe com seu profissional

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE TURISMO

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE TURISMO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE TURISMO 1. CONDIÇÕES GERAIS A TOURINN OPERADORA E AGÊNCIA DE VIAGENS E TURISMO LTDA ME formulou este contrato à luz do Código de Defesa do Consumidor, da Deliberação

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS LUXOTOUR

CONDIÇÕES GERAIS LUXOTOUR CONDIÇÕES GERAIS LUXOTOUR As presentes Condições Gerais será sujeita às disposições do Real Decreto 1/2007, de 16 de Novembro, que aprova o texto revisto da Lei Geral para a Defesa dos Consumidores e Usuários

Leia mais

Defesa do Consumidor alerta para casos práticos II

Defesa do Consumidor alerta para casos práticos II Defesa do Consumidor alerta para casos práticos II PUBLICADO NA EDIÇÃO IMPRESSA TERÇA-FEIRA, 29 DE ABRIL DE 2013 POR JM As companhias aéreas não serão consideradas responsáveis se tiverem tomado todas

Leia mais

JapãoemLondres. Viagem de 03 a 07 de Agostode 2011

JapãoemLondres. Viagem de 03 a 07 de Agostode 2011 JapãoemLondres Viagem de 03 a 07 de Agostode 2011 UM PROGRAMA, INÚMEROS PORMENORES [propostas de valor, que marcam a singularidade] 2 A suaviagem JAPÃO EM LONDRES Objectivo da Viagem Perante o interesse

Leia mais

O NOVO ENQUADRAMENTO JURIDICO DAS EMPRESAS DE ANIMAÇÃO TURÍSTICA

O NOVO ENQUADRAMENTO JURIDICO DAS EMPRESAS DE ANIMAÇÃO TURÍSTICA O NOVO ENQUADRAMENTO JURIDICO DAS EMPRESAS DE ANIMAÇÃO TURÍSTICA 10 de Fevereiro de 2010 Elsa Correia Gavinho 1 Novo enquadramento jurídico das EAT 2 1 - As razões para a mudança 2 - As principais alterações

Leia mais

Atraso e Cancelamento de Voo e Preterição de Embarque Dicas ANAC

Atraso e Cancelamento de Voo e Preterição de Embarque Dicas ANAC Atraso e Cancelamento de Voo e Preterição de Embarque Dicas ANAC 1 Atraso e Cancelamento de Voo e Preterição de Embarque Nos casos de atraso e cancelamento de voo e preterição de embarque (embarque não

Leia mais

VIAGEM IBIZA SPRING BREAK 2013

VIAGEM IBIZA SPRING BREAK 2013 VIAGEM IBIZA SPRING BREAK 2013 INFORMAÇÃO GERAL VIAGEM CONDIÇÕES GERAIS E ESPECÍFICAS DE RESERVA ORGANIZAÇÃO Organização e Coordenação Técnica: > Megaviagens (Movimento Viagens - Viagens e Turismo Unipessoal,

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE ACESSO À "INTERNET" Minuta

CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET Minuta I CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE ACESSO À "INTERNET" Minuta O PRESENTE CONTRATO FOI APROVADO PELO INSTITUTO DAS COMUNICAÇÕES DE PORTUGAL, NOS TERMOS E PARA OS EFEITOS DO ARTIGO 9/2 DO DECRETO

Leia mais

BOLSA INTERNACIONAL DE ENTRADA MARIE CURIE

BOLSA INTERNACIONAL DE ENTRADA MARIE CURIE ANEXO III DISPOSIÇÕES ESPECÍFICAS BOLSA INTERNACIONAL DE ENTRADA MARIE CURIE III. 1 - Definições FASE DE ENTRADA Para além das previstas no artigo II.1, aplicam-se à presente convenção de subvenção as

Leia mais

www.proconrj.gov.br milhas.indd 1 26/05/2014 10:59:40

www.proconrj.gov.br milhas.indd 1 26/05/2014 10:59:40 www.proconrj.gov.br milhas.indd 1 26/05/2014 10:59:40 1 - Quem é Consumidor? Consumidor é toda pessoa física ou jurídica que adquire ou utiliza produto ou serviço como destinatário final (Art. 2º do Código

Leia mais

CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE PROGRAMA DE VIAGEM INTERNACIONAL EM GRUPO

CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE PROGRAMA DE VIAGEM INTERNACIONAL EM GRUPO CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE PROGRAMA DE VIAGEM INTERNACIONAL EM GRUPO O(s) Sr(s). estão adquirindo neste momento um produto da HR TURISMO denominado, através da agência com início dia / / com preço total

Leia mais

CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE PROGRAMA DE VIAGEM INTERNACIONAL EM GRUPO

CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE PROGRAMA DE VIAGEM INTERNACIONAL EM GRUPO CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE PROGRAMA DE VIAGEM INTERNACIONAL EM GRUPO O(s) Sr(s). estão adquirindo neste momento um produto da HR TURISMO denominado, com início dia / / O preço do tour acima mencionado não

Leia mais

26.8.2011 Jornal Oficial da União Europeia L 220/9

26.8.2011 Jornal Oficial da União Europeia L 220/9 26.8.2011 Jornal Oficial da União Europeia L 220/9 REGULAMENTO DE EXECUÇÃO (UE) N. o 859/2011 DA COMISSÃO de 25 de Agosto de 2011 que altera o Regulamento (UE) n. o 185/2010 que estabelece as medidas de

Leia mais

CLÁUSULA PARTICULAR ANEXA À APÓLICE Nº 02990002

CLÁUSULA PARTICULAR ANEXA À APÓLICE Nº 02990002 CLÁUSULA PARTICULAR ANEXA À APÓLICE Nº 02990002 1. DEFINIÇÕES a) PESSOA SEGURA: Entende-se por Pessoa Segura para efeito destas garantias o Titular de um Cartão UNIBANCO GOLD EXCLUSIVE, BUSINESS GOLD,

Leia mais

Usados de Confiança. Garantidamente. Serviço Mobilidade. Das Welt Auto. 24 horas

Usados de Confiança. Garantidamente. Serviço Mobilidade. Das Welt Auto. 24 horas Usados de Confiança. Garantidamente. Serviço Mobilidade Das Welt Auto 24 horas Serviço Mobilidade Das Welt Auto 24 horas * Nos termos da lei nº 67/98, de 26.10, a base de dados com todos os clientes desta

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO: MACAU

REGULAMENTO DO CONCURSO: MACAU REGULAMENTO DO CONCURSO: MACAU 1.- Entidade organizadora. - A entidade organizadora deste concurso é a empresa Vacaciones edreams, S.L. Sociedad Unipersonal (a partir desde momento designada como edreams),

Leia mais

Vueling Missed Flight Cover Perguntas Frequentes

Vueling Missed Flight Cover Perguntas Frequentes Vueling Missed Flight Cover Perguntas Frequentes As seguintes informações servem apenas para fins informativos e não devem ser interpretadas como conselhos. 1. Quem pode comprar a Missed Flight Cover?

Leia mais

GUIA RESUMIDO DE SEGUROS E ASSISTÊNCIAS DE VIAGENS.

GUIA RESUMIDO DE SEGUROS E ASSISTÊNCIAS DE VIAGENS. SETEMBRO 2013 GUIA RESUMIDO DE SEGUROS E ASSISTÊNCIAS DE VIAGENS. *As informações contidas neste guia são válidas exclusivamente para cartões MasterCard Black e Visa Infinite. SERVIÇO DE CONCIERGE Você

Leia mais

Norma para pagamento de diária a serviço e solicitação de passagem aérea

Norma para pagamento de diária a serviço e solicitação de passagem aérea Norma para pagamento de diária a serviço e solicitação de passagem aérea Objetivo: A presente norma tem por objetivo formalizar e agilizar os pedidos de diária e passagem a serviço da entidade bem como

Leia mais

VIAJE LEGAL. www.viajelegal.turismo.gov.br

VIAJE LEGAL. www.viajelegal.turismo.gov.br Aqui você encontra dicas para viajar sem problemas. Afinal, uma viagem legal é aquela que traz boas recordações. Palavra do Ministro Prezado leitor, O turismo é uma atividade que envolve expectativas e

Leia mais

GUIA RESUMIDO DE SEGUROS E ASSISTÊNCIAS DE VIAGENS.

GUIA RESUMIDO DE SEGUROS E ASSISTÊNCIAS DE VIAGENS. SETEMBRO 2013 GUIA RESUMIDO DE SEGUROS E ASSISTÊNCIAS DE VIAGENS. *As informações contidas neste guia são válidas exclusivamente para cartões MasterCard Platinum e Visa Platinum. SERVIÇO DE CONCIERGE Você

Leia mais

VIAGEM REBEL VILLAGE SPRING BREAK 2016-5 NOITES

VIAGEM REBEL VILLAGE SPRING BREAK 2016-5 NOITES VIAGEM REBEL VILLAGE SPRING BREAK 2016-5 NOITES INFORMAÇÃO GERAL VIAGEM CONDIÇÕES GERAIS E ESPECÍFICAS DE RESERVA ORGANIZAÇÃO Organização e Coordenação Técnica: > Megaviagens (Movimento Viagens - Viagens

Leia mais