PESP PESQUISA DE EMPREGO NO COMÉRCIO VAREJISTA DE SÃO PAULO FEVEREIRO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PESP PESQUISA DE EMPREGO NO COMÉRCIO VAREJISTA DE SÃO PAULO FEVEREIRO"

Transcrição

1 PESP PESQUISA DE EMPREGO NO COMÉRCIO VAREJISTA DE SÃO PAULO FEVEREIRO

2 Índice 1. Desempenho estadual 2. Desempenho por atividade 3. Desempenho por região 4. Melhores e piores regiões 5. Todas as regiões a. Capital b. Litoral c. Taubaté d. Sorocaba e. Campinas f. Ribeirão Preto g. Bauru h. São José do Rio Preto i. Araçatuba j. Presidente Prudente k. Marília l. ABCD m. Guarulhos n. Osasco o. Araraquara p. Jundiaí 6. Melhores e piores atividades 7. Conclusão 8. Metodologia resumida 9. Metodologia completa

3 1. Desempenho estadual Depois de perder mais de 20 mil postos de trabalho em janeiro, o número de empregos formais no comércio varejista do Estado de São Paulo voltou a cair em fevereiro. Foram eliminados empregos com carteira assinada. Este saldo negativo foi resultado de admissões e desligamentos. Com isso, o estoque ativo de trabalhadores do varejo paulista atingiu no mês, o patamar mais baixo desde julho de 2012, quando eram funcionários ativos no setor varejista paulista. Desde 2007, quando foi possível extrair dados de CNAE da Classe 2.0 dos órgão do Ministério do Trabalho, observa-se o pior desempenho para o mês de fevereiro. Somente em outras duas oportunidades foi registrado saldo negativo de emprego para o mês no Estado de São Paulo, em 2013 (-284 vagas) e em 2015 ( vagas). Gráfico 1: Saldo do emprego formal no varejo paulista nos meses de fevereiro 2007 a 2016 Considerando os resultados acumulados dos primeiros bimestres, desde 2007, também em 2016 registra-se o pior desempenho no mercado de trabalho formal do

4 varejo paulista. São vagas perdidas. Em verdade, desde janeiro de 2011 tal período é comtemplado com perda de postos de trabalho, culminando em seu ápice agora em Gráfico 2: Saldo do emprego formal no varejo paulista no primeiro bimestre: 2007 a 2016 Pela análise de doze meses, no saldo acumulado de março a fevereiro, são vínculos empregatícios perdidos no comércio varejista. Para este período, desde 2007, é a primeira vez que se registra um saldo negativo. Em 2015, por exemplo, havia um saldo positivo de vagas. Gráfico 2: Saldo do emprego formal no varejo paulista de março a fevereiro: 2007 a 2016

5 Com uma redução maior de vagas em fevereiro de 2016, em relação ao saldo do mesmo mês de 2015, a contraposição do estoque ativo atual de trabalhadores no varejo paulista em relação ao registrado em fevereiro do ano passado voltou a estar em sua maior queda histórica, -2,8%. Esta queda só havia sido registrada na contraposição anual dos estoques ativos de dezembro de As movimentações e evolução do número de trabalhadores ativos no varejo paulista podem ser melhor visualizadas no gráfico 3, abaixo.

6 PESP: Estoque e movimentação do emprego no varejo paulista - 13 meses Mês Variação Saldo Mensal Estoque de Admitidos Desligados T/T-12 (%) de Empregos Empregados fev/15 0, mar/15 0, abr/15 0, mai/15-0, jun/15-0, jul/15-0, ago/15-1, set/15-1, out/15-2, nov/15-2, dez/15-2, jan/16-2, fev/16-2, Gráfico 3: Variação interanual do estoque de empregados no varejo paulista Mais uma vez o comércio (atacado + varejo) foi o grande responsável pelo saldo negativo do mercado de trabalho em geral no Estado de São Paulo. Neste mês de fevereiro as vagas perdidas no setor representaram 68,2% do saldo negativo geral da economia paulista. No ano o mercado de trabalho paulista se reduziu em quase 50 mil vagas. Nos últimos doze meses o saldo acumulado ultrapassa 522 mil postos de trabalho perdidos.

7 PESP: Saldo de empregos no Estado de São Paulo por setores Setores fev/16 Acumulado 2016 Acumulado 12 meses Extrativa mineral Indústria de transformação Serviços Ind.de Utilidade Pública Construção Civil Comércio Servicos Administração Pública Agropecuária Total Desempenho por atividade Em fevereiro todas as nove atividades varejistas do Estado de São Paulo registraram perdas de emprego formal. Em números absolutos as maiores perdas são nas lojas de vestuário, tecidos e calçados ( vagas) e nos supermercados ( vagas). Em relação ao estoque ativo de trabalhadores de janeiro, as maiores reduções com os saldos negativos de fevereiro são das lojas de vestuário, tecido e calçados (-1,9%) e das lojas de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (-0,8%). No saldo acumulado em 2016, do seu primeiro bimestre, apenas as lojas de autopeças e acessórios registraram saldo timidamente positivo (+27 vagas). Por outro lado, novamente as lojas de vestuário, tecidos e calçados são aquelas que mais perderam vagas, são empregos eliminados em 2016, ou redução de 4,9% em relação ao estoque de trabalhadores ativos em dezembro de No acumulado de doze meses, com saldo acumulado de março/15 a fevereiro/16, duas atividades continuam com geração de vagas, mesmo que em clara desaceleração. São vagas nos supermercados paulistas e vagas nas farmácias e perfumarias. Em relação ao estoque de fevereiro de 2015, houve crescimento respectivo de 0,8% e 2,6%. Já em relação ao saldo negativo total, 29,4% da perda de mais de 60,5 mil vagas formais no varejo ocorreram nas lojas de vestuário, tecido e calçados.

8 Proporcionalmente ao estoque que findou o segundo mês do ano passado, há uma queda de 6,1% no mercado de trabalho do varejo de vestuário, tecidos. Porém a maior queda proporcional continua nas concessionárias de veículos, que viram seu número de funcionários recuar 8,8% em um ano. Atividades Estoque em fev/16 Saldo em fev/16 Saldo em 2016 Saldo em 12 meses Variação(%): fev_16/jan_16 Variação acumulada em 2016 (%) Variação(%): fev_16/fev_15 Autopeças e acessórios ,1 0,0-3,0 Concessionárias de veículos ,6-0,9-8,8 Farmácias e perfumarias ,1-0,3 2,6 Lojas de eletrodomésticos e eletrônicos e lojas de departamento ,8-1,7-7,1 Materiais de Construção ,3-0,2-4,4 Lojas de móveis e decoração ,7-1,3-6,5 Lojas de vestuário, tecido e calçados ,9-4,9-6,1 Supermercados ,5-1,5 0,8 Outras atividades ,5-1,2-3,2 Total do comércio varejista ,6-1,6-2,8 PESP: Estoque e movimentação do emprego no varejo paulista - Variações (%) Observando os dados por ocupações, as funções que mais perderam vagas continuam sendo os vendedores e demonstradores, com postos de trabalho neste mês de fevereiro (No ano já são ). O segundo posto com maior redução de vagas ocorre com os caixas dos estabelecimentos, que viram seu mercado reduzir em vagas. 9,7% das vagas perdidas neste segundo mês de 2016 eram ocupadas por diretores, gerentes e supervisores nas empresas. Esta continuidade de fechamentos demonstra mais uma vez o caráter profundo e difundido da atual crise do mercado de trabalho paulista. PESP: Ocupações do varejo com maiores perdas de vagas em fev/16 - Estado de São Paulo Ocupações Saldo de empregos em fev/16 Vendedores e Demonstradores Caixas, Bilheteiros e Afins Escriturarios Contabeis e de Financas Escriturarios em Geral, Agentes, Assistentes e Auxiliares Administrativos -884 Escriturarios de Controle de Materiais e de Apoio À Producao -704 Gerentes de Areas de Apoio -512 Trabalhadores Artesanais na Agroindustria, na Industria de Alimentos e do Fumo -428 Condutores de Veiculos e Operadores de Equipamentos de Elevacao e de Movimentacao de Cargas -380 Tecnicos de Nivel Medio em Operacoes Comerciais -284 Supervisores de Servicos Administrativos (Exceto de Atendimento ao Publico) -275

9 Em relação a rotatividade da mão de obra, em fevereiro houve aceleração para 4,3% no total do varejo. Os destaques no mês ficam nas lojas de vestuário e de supermercados, ambas com taxa de rotatividade em 4,7%. Gráfico 4: Taxa de rotatividade do varejo paulista em fev/16, por atividades Na taxa de doze meses, a rotatividade dos trabalhadores se reduziu novamente. Em janeiro era de 45,3% e agora passou a 45,1%. Ainda assim, as atividades com maior turnover foram as Lojas de vestuário, tecidos e calçados (59,8%) e os supermercados (48,9%).

10 Gráfico 5: Taxa de rotatividade do varejo paulista de mar/15 a fev/16, por atividades Cabe ressaltar que a mão de obra empregada no setor supermercadista continua superando os 30% do total do estoque de trabalhadores do varejo paulista. Em segundo lugar em participação estão as lojas de vestuário, tecido e calçados, com quase 13% da mão de obra do setor. PESP: Estoque e participação das atividades no varejo paulista Atividades Estoque em fev/16 Participação (%) Autopeças e acessórios ,21 Concessionárias de veículos ,73 Farmácias e perfumarias ,81 Lojas de eletrodomésticos e eletrônicos e Lojas de dpto ,12 Materiais de Construção ,87 Lojas de móveis e decoração ,54 Lojas de vestuário, tecido e calçados ,97 Supermercados ,34 Outras atividades ,41 Total do comércio varejista ,00

11 3. Desempenho por região Em fevereiro apenas na região de Presidente Prudente houve geração de empregos formais no comércio varejista. As 82 vagas criadas fizeram o estoque de trabalhadores do setor aumentar 0,2% em relação a janeiro. A DRT que mais perdeu vagas foi a capital paulista. O varejo paulistano se reduziu em vagas. Porém, proporcionalmente a maior redução em relação ao janeiro foi na região de Osasco, com -1,3%. PESP: Estoque e movimentação do emprego no varejo paulista em fev_2016 DRTs Estoque de emprego Variação(%): Saldo em fev_16 em fev_16 fev_16/jan_16 Capital ,4 Litoral ,1 Taubaté ,0 Sorocaba ,7 Campinas ,5 Ribeirão Preto ,4 Bauru ,8 São José do Rio Preto ,9 Araçatuba ,4 Presidente Prudente ,2 Marília ,7 ABCD ,9 Guarulhos ,6 Osasco ,3 Araraquara ,6 Jundiaí ,6 Total do Estado de SP ,6 Neste primeiro bimestre nenhuma região paulista registrou criação de vagas. Pela magnitude do mercado de trabalho paulistano é natural que a maior redução de vagas esteja na capital paulista, com vagas em Tal desempenho é seguindo pela

12 região de Osasco, com empregos perdidos no ano. Em relação ao estoque de trabalhadores ativos em dezembro de 2015, a região de Osasco possui a maior redução do mercado de trabalho: -3,4%. As regiões com quedas mais próximas a de Osasco são da região do Litoral e do ABCD, ambas com queda de 2,1% na empregabilidade do setor. PESP: Estoque e movimentação do emprego no varejo paulista em 2016¹ DRTs Estoque de emprego Variação acumulada Saldo em 2016 em fev_16 em 2016 (%) Capital ,3 Litoral ,1 Taubaté ,0 Sorocaba ,6 Campinas ,3 Ribeirão Preto ,8 Bauru ,5 São José do Rio Preto ,4 Araçatuba ,9 Presidente Prudente ,2 Marília ,1 ABCD ,1 Guarulhos ,8 Osasco ,4 Araraquara ,8 Jundiaí ,9 TOTAL ,6 Já a contraposição do estoque de trabalhadores ativos no varejo paulista em fevereiro de 2016 em relação aos ativos em fevereiro de 2015, há uma queda de 2,8% ou empregos com carteira assinada. Em números absolutos de vagas perdidas os piores desempenhos regionais estão na capital ( vagas) e Campinas ( vagas). Em proporção ao estoque de trabalhadores de fevereiro de 2015 as regiões com maior redução proporcional são Osasco (-4.2%) e Bauru (-4,0%).

13 PESP: Estoque e movimentação do emprego no varejo paulista em 12 meses DRTs Estoque de emprego Variação acumulada em Saldo em 12 meses em fev_16 12 meses (%) Capital ,5 Litoral ,7 Taubaté ,8 Sorocaba ,8 Campinas ,5 Ribeirão Preto ,3 Bauru ,0 São José do Rio Preto ,6 Araçatuba ,7 Presidente Prudente ,6 Marília ,2 ABCD ,8 Guarulhos ,3 Osasco ,2 Araraquara ,2 Jundiaí ,1 TOTAL ,8 Novamente, cabe ressaltar que a Capital (31,18%), região de Campinas (9,54%) e região de Ribeirão Preto (6,79%) continuam sendo aquelas com maior número de comerciários no varejo em relação ao estoque estadual.

14 4. Melhores e piores regiões A região em que o comércio varejista sofreu maior queda relativa do mercado de trabalho nos últimos doze meses foi a de Osasco. Houve um recuo de 4,2% no total de trabalhadores ativos. São postos de trabalho a menos. Proporcionalmente, a atividade com maior redução na região foi a de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos, com -18,2%. Também foi a atividade com maior redução absoluta de vagas, postos de trabalho. Na região, destacaram-se negativamente os municípios de Barueri e Itapevi, que fecharam respectivamente vagas e vagas. PESP: Estoque e participação das DRTs no varejo paulista DRT Estoque em 2016 Participação (%) Capital ,18 Litoral ,97 Taubaté ,85 Sorocaba ,39 Campinas ,54 Ribeirão Preto ,79 Bauru ,57 São José do Rio Preto ,83 Araçatuba ,69 Presidente Prudente ,87 Marília ,30 ABCD ,31 Guarulhos ,98 Osasco ,56 Araraquara ,22 Jundiaí ,95 TOTAL ,00

15 PESP: Estoque e movimentação do emprego no varejo paulista em fev/16 - Osasco Atividades Estoque em 2016 Saldo em 12 meses Variação(%): Variação acumulada em Variação acumulada em 12 fev_16/jan_ (%) meses (%) Autopeças e acessórios ,2 0,1-5,9 Concessionárias de veículos ,5-3,2-8,1 Farmácias e perfumarias ,0-0,9 6,5 Lojas de eletrodomésticos e eletrônicos e Lojas de dpto ,3-2,6-18,2 Materiais de Construção ,4-0,3-1,3 Lojas de móveis e decoração ,5-2,2-8,4 Lojas de vestuário, tecido e calçados ,5-3,8-7,4 Supermercados ,2-1,6 1,3 Outras atividades¹ ,2-9,4-7,0 Total do comércio varejista ,3-3,4-4,2 O segundo pior desempenho regional foi o da região de Bauru, onde o número de trabalhadores do varejo se reduziu em 4% nos últimos doze meses. Dentre as atividades do varejo aquela com o pior desempenho relativo foi a de concessionárias de veículos com queda de 8,0% e em número de vagas a maior perda absoluta ocorreu nas lojas de vestuário, tecidos e calçados que fechou 732 postos de trabalho. PESP: Estoque e movimentação do emprego no varejo paulista em fev/16 - Bauru Atividades Estoque em 2016 Saldo em 12 meses Variação(%): Variação acumulada em Variação acumulada em 12 fev_16/jan_ (%) meses (%) Autopeças e acessórios ,1-0,2-2,5 Concessionárias de veículos ,4 0,2-8,0 Farmácias e perfumarias ,2 0,0 1,3 Lojas de eletrodomésticos e eletrônicos e Lojas de dpto ,9-1,6-7,7 Materiais de Construção ,8-1,0-5,4 Lojas de móveis e decoração ,1-1,7-6,0 Lojas de vestuário, tecido e calçados ,4-5,3-7,6 Supermercados ,8-1,6-2,4 Outras atividades¹ ,6-0,4-3,4 Total do comércio varejista ,8-1,5-4,0 Por outro lado, as regiões com melhor desempenho na contraposição do estoque ativo de trabalhadores de fevereiro de 2016 em relação ao registrado no mesmo mês de 2015 são aquelas com os menores saldos negativos. As quedas menos acentuadas continuam nas regiões de São José do Rio Preto (-0,6%) e Guarulhos (-1,3%). Na primeira, há uma perda de 496 postos de trabalho. A atividade com maior fechamentos de vagas é a de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (-459 vagas), porém a geração de emprego nos Supermercados ( vagas) amenizaram o desempenho negativo geral do varejo da região.

16 PESP: Estoque e movimentação do emprego no varejo paulista em fev/16 - São José do Rio Preto Atividades Estoque em 2016 Saldo em 12 meses Variação(%): Variação acumulada em Variação acumulada em 12 fev_16/jan_ (%) meses (%) Autopeças e acessórios ,2 0,5-1,4 Concessionárias de veículos ,4-0,3-6,9 Farmácias e perfumarias ,1 0,4 3,4 Lojas de eletrodomésticos e eletrônicos e Lojas de dpto ,1-1,5-7,0 Materiais de Construção ,8-0,4-3,6 Lojas de móveis e decoração ,6-0,9-5,6 Lojas de vestuário, tecido e calçados ,6-3,6-4,0 Supermercados ,0-2,0 4,5 Outras atividades¹ ,9-1,3-0,6 Total do comércio varejista ,9-1,4-0,6 Já na região de Guarulhos, o segundo melhor resultado regional se deve redução de - 1,3% do estoque ativo de trabalhadores. No período de doze meses houve um saldo negativo de empregos formais na região. O desempenho só não foi pior, pois três atividades continuam com mais contratações que desligamentos nos últimos doze meses: Supermercados (+729 vagas), Farmácias e perfumarias (+302 vagas) e Lojas de Eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (+186 vagas). Em geral, as localidades que apresentaram queda menos aguda do número de empregos são aquelas em que a atividade supermercadista ainda não foi impactada severamente pela crise, como na região de São José do Rio Preto e Guarulhos. PESP: Estoque e movimentação do emprego no varejo paulista em fev/16 - Guarulhos Atividades Estoque em 2016 Saldo em 12 meses Variação(%): Variação acumulada em Variação acumulada em 12 fev_16/jan_ (%) meses (%) Autopeças e acessórios ,5-0,2-2,4 Concessionárias de veículos ,3-0,9-6,4 Farmácias e perfumarias ,4 1,0 4,1 Lojas de eletrodomésticos e eletrônicos e Lojas de dpto ,7-2,3 2,2 Materiais de Construção ,7-0,7-5,2 Lojas de móveis e decoração ,1-2,5-5,1 Lojas de vestuário, tecido e calçados ,8-6,7-4,5 Supermercados ,6-1,6 2,2 Outras atividades¹ ,3-0,7-4,1 Total do comércio varejista ,6-1,8-1,3 Observando o desempenho de cada um dos 645 municípios paulistas, nenhuma cidade abriu mais de 100 vagas em fevereiro. Por outro lado, São Paulo e Osasco foram os municípios com maior redução de postos de trabalho neste segundo mês de 2016.

17 PESP: Maiores e menores saldos no varejo paulista em fev/2016 Municípios Saldo Municípios Saldo 1 São Paulo Tupi Paulista 79 2 Osasco Santa Barbara D Oeste 61 3 Itapevi Sertãozinho 39 4 Campinas Pedreira 30 5 Jundiaí Presidente Prudente 29 6 Guarulhos Adamantina 27 7 São José do Rio Preto Itajobi 27 8 Santo André Barrinha 24 9 São Bernardo do Campo Santa Isabel Sorocaba Guariba 20 Os piores desempenhos no saldo de doze meses são, em sua maioria, dos municípios de médio e grande porte populacional do Estado de São Paulo. PESP: Maiores e menores saldos no varejo paulista em 12 meses Municípios Saldo Municípios Saldo 1 São Paulo Itaquaquecetuba Campinas Aparecida Ribeirão Preto Carapicuiba Sp-Jundiai Tupi Paulista Guarulhos São João da Boa Vista Itapevi Santa Isabel São José dos Campos Itajobi Bauru São Pedro Barueri Cerquilho Piracicaba Ubatuba Melhores e piores atividades Observando a movimentação do mercado de trabalho por atividades varejistas no mês de fevereiro, os piores desempenhos ficaram com as lojas de vestuário, tecido e calçados (-1,9%) e lojas de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamento (- 0,8%). Respectivamente perderam vagas e vagas. Por outro lado, os

18 melhores desempenhos estão residualmente nas lojas de autopeças e acessórios (- 0,1%) e farmácias e perfumarias (-0,1%). PESP: Movimentação do emprego no varejo paulista em fev/16 - Piores e melhores setores Piores desempenhos Melhores desempenhos DRTs Lojas de Vestuário, Tecido e Calçados Lojas de Eletrodomésticos e Eletrônicos Autopeças e Acessórios Pela análise das atividades no acumulado dos últimos doze meses ainda mantem-se a dicotomia entre atividades que comercializam bens não essenciais versus atividades que vendem bens essenciais. Enquanto supermercados e farmácias foram as únicas atividades que geraram emprego, crescimentos respectivos de 0,8% e 2,6%, o oposto ocorre às mercadorias de consumo pontual, de caráter não essencial e que necessitam de crédito, como automóveis e equipamentos eletroeletrônicos. Nestas atividades, as quedas nos estoques ativos foram de 8,8% e 7,1%, respectivamente. Farmácias e Perfumarias Capital Litoral Taubaté Sorocaba Campinas Ribeirão Preto Bauru São José do Rio Preto Araçatuba Presidente Prudente Marília ABCD Guarulhos Osasco Araraquara Jundiaí TOTAL

19 PESP: Movimentação do emprego no varejo paulista em 12 meses - Piores e melhores setores Melhores desempenhos DRTs Piores desempenhos Lojas de Concessionárias Eletrodomésticos e Eletrônicos Farmácias e Perfumarias Supermercados Capital Litoral Taubaté Sorocaba Campinas Ribeirão Preto Bauru São José do Rio Preto Araçatuba Presidente Prudente Marília ABCD Guarulhos Osasco Araraquara Jundiaí TOTAL Conclusão Mesmo que haja um saldo negativo menor no varejo paulista em fevereiro deste ano em relação ao mês de janeiro, o que preocupa é que este saldo é o dobro do registrado em fevereiro de O ritmo acelerado de fechamento de postos de trabalho observado nesses dois primeiros meses de 2016 assusta já que no ano passado mais de 60 mil empregos formais foram eliminados no varejo paulista. Um questionamento muito comum ao se analisar dados de geração ou perda de vagas no varejo no início do ano é se saldos negativos se devem pela dispensa dos trabalhadores contratados temporariamente para o Natal e fim do ano. No caso deste ano a resposta é não. Os poucos mais de 13 mil postos de trabalho criado no varejo paulista em novembro de 2015, foram praticamente dizimados pelo desempenho de dezembro ( vagas). Os empregos formais perdidos em 2016 significam

20 nada além da continuidade e aprofundamento da crise no mercado de trabalho. A retração é contínua e acelerada. O nível de emprego é diretamente atrelado ao desempenho atual de vendas dos estabelecimentos comerciais e às suas expectativas quanto ao nível futuro desta mesma variável. Atualmente o varejo paulista amarga uma queda significativa na receita de vendas. Em 2015 por exemplo, já descontando inflação, o faturamento bruto do comércio varejista paulista recuou mais de 6% na comparação interanual. Em 2016, com inflação e juros altos e desemprego avançando, não há perspectiva para retomada do consumo e, consequentemente, de vendas. Muito ao contrário, novas quedas são esperadas, portanto o empresário se vê obrigado, por esta demanda arrefecida e arrefecendo, à reduzir custos, e entre eles a mão de obra. Não veremos em curto tempo uma alteração deste cenário. Os dados de março devem ser ainda mais negativos. 7. Metodologia resumida A pesquisa analisa o nível de emprego do comércio varejista paulista, em dezesseis regiões e nove ramos de atividade, por meio de dados primários do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho (Caged). A FecomercioSP acompanha tais informações desde junho de Metodologia completa A metodologia acompanha a da PCCV (Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista). O objetivo é que haja este extremo alinhamento metodológico para que se possa de forma verídica analisar o desempenho do emprego junto as variações na receita de vendas. Os dados de emprego serão provenientes do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho e Emprego, das informações sobre movimentação declaradas pelas empresas varejistas paulistas.

21 São analisados mensalmente 38 CNAEs (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) da classe 2.0, distribuídos em 9 atividades: - Autopeças e acessórios - Concessionárias de veículos - Farmácias e perfumarias - Eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos - Materiais de construção - Lojas de móveis e decoração - Lojas de vestuário, tecidos e calçados - Supermercados - Outras atividades Será aplicado dezesseis regiões delimitadas por DRTs (Delegacias Regionais Tributárias): Capital, Litoral, Taubaté, Sorocaba, Campinas, Ribeirão Preto, Bauru, São José do Rio Preto, Araçatuba, Presidente Prudente, Marília, ABCD, Guarulhos, Osasco, Araraquara e Jundiaí. Como há vários sindicatos em cada uma das DRTs, a PEVP acrescentará um benefício aos sindicatos da casa interessados. Mesmo que não seja analisada e divulgada a evolução do emprego, por nove atividades varejistas, mensalmente a cada um dos 645 municípios paulistas, os dados coletados são de âmbito municipal, ou seja, quando a FecomercioSP for instada por alguma entidade filiada ou órgão de imprensa, terá à sua disposição dados de emprego de forma individualizada. O objetivo é possuir informações em pirâmide, estadual, regional e municipal.

PESP PESQUISA DE EMPREGO NO COMÉRCIO VAREJISTA DE SÃO PAULO JANEIRO

PESP PESQUISA DE EMPREGO NO COMÉRCIO VAREJISTA DE SÃO PAULO JANEIRO PESP PESQUISA DE EMPREGO NO COMÉRCIO VAREJISTA DE SÃO PAULO JANEIRO Índice 1. Desempenho estadual 2. Desempenho por atividade 3. Desempenho por região 4. Melhores e piores regiões 5. Todas as regiões a.

Leia mais

ÍNDICE. 1. Desempenho Estadual Desempenho por Atividade Desempenho por Região Melhores e Piores Regiões...

ÍNDICE. 1. Desempenho Estadual Desempenho por Atividade Desempenho por Região Melhores e Piores Regiões... OUTUBRO DE 2016 ÍNDICE 1. Desempenho Estadual... 3 2. Desempenho por Atividade... 7 3. Desempenho por Região... 10 3.1. Melhores e Piores Regiões... 13 4. Conclusão... 15 5. Nota Metodológica... 16 1.

Leia mais

ÍNDICE. 1. Desempenho Estadual Desempenho por Atividade Desempenho por Região Melhores e Piores Regiões...

ÍNDICE. 1. Desempenho Estadual Desempenho por Atividade Desempenho por Região Melhores e Piores Regiões... SETEMBRO DE 2016 ÍNDICE 1. Desempenho Estadual... 3 2. Desempenho por Atividade... 7 3. Desempenho por Região... 9 3.1. Melhores e Piores Regiões... 10 4. Conclusão... 13 5. Nota Metodológica... 14 1.

Leia mais

PESP PESQUISA DE EMPREGO NO COMÉRCIO VAREJISTA DE SÃO PAULO

PESP PESQUISA DE EMPREGO NO COMÉRCIO VAREJISTA DE SÃO PAULO PESP PESQUISA DE EMPREGO NO COMÉRCIO VAREJISTA DE SÃO PAULO JULHO DE 2016 ÍNDICE 1. Desempenho Estadual... 3 2. Desempenho por Atividade... 7 3. Desempenho por Região... 9 3.1. Melhores e Piores Regiões...

Leia mais

ÍNDICE 1. ANÁLISE DAS VENDAS EM DEZEMBRO NO ESTADO DE SÃO PAULO ANÁLISE DAS VENDAS NA CAPITAL PAULISTA... 8

ÍNDICE 1. ANÁLISE DAS VENDAS EM DEZEMBRO NO ESTADO DE SÃO PAULO ANÁLISE DAS VENDAS NA CAPITAL PAULISTA... 8 DEZEMBRO DE 2016 ÍNDICE 1. ANÁLISE DAS VENDAS EM DEZEMBRO NO ESTADO DE SÃO PAULO... 3 2. ANÁLISE DAS VENDAS NA CAPITAL PAULISTA... 8 3. REGIÕES DO ESTADO EM DESTAQUE (Exceto Capital)... 11 3.1. REGIÕES

Leia mais

Desempenho das Vendas e o Impacto na geração de emprego na RMSP

Desempenho das Vendas e o Impacto na geração de emprego na RMSP Desempenho das Vendas e o Impacto na geração de emprego na RMSP Varejo Estado de SP- 1 Semestre Em junho, o comércio varejista do estado de São Paulo registrou expressiva queda de 7,2% em comparação ao

Leia mais

ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE SÃO PAULO

ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE SÃO PAULO INDICADORES DO VAREJO Boletim no. 37 (IEGV) FATURAMENTO E VOLUME DE VENDAS DO VAREJO NO ESTADO DE SÃO PAULO MAIO DE 2017 VAREJO RESTRITO Capital Capital * Estado de SP Estado de SP * Maio 2017/ Abril 2016-2,5%

Leia mais

Pesquisa Mensal de Atividade em Serviços. Junho de 2015

Pesquisa Mensal de Atividade em Serviços. Junho de 2015 Pesquisa Mensal de Atividade em Serviços Junho de 2015 Definições A Pesquisa de Emprego em Serviços é desenvolvida pela CNS/FESESP com base em dados do sistema RAIS- CAGED do Ministério do Trabalho e Emprego

Leia mais

Nível de Emprego Regional - CIESP

Nível de Emprego Regional - CIESP Diretorias Regionais do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo CIESP Indústria de Transformação Setembro de 2005 Nota metodológica: Pesquisa mensal, realizada pelo CIESP/Sede entre suas Diretorias

Leia mais

ÍNDICE 1. ANÁLISE DAS VENDAS EM JUNHO NO ESTADO DE SÃO PAULO ANÁLISE DAS VENDAS NA CAPITAL PAULISTA... 9

ÍNDICE 1. ANÁLISE DAS VENDAS EM JUNHO NO ESTADO DE SÃO PAULO ANÁLISE DAS VENDAS NA CAPITAL PAULISTA... 9 JUNHO DE 2016 ÍNDICE 1. ANÁLISE DAS VENDAS EM JUNHO NO ESTADO DE SÃO PAULO... 3 2. ANÁLISE DAS VENDAS NA CAPITAL PAULISTA... 9 3. REGIÕES DO ESTADO EM DESTAQUE (Exceto Capital)... 12 3.1. REGIÕES COM RESULTADOS

Leia mais

PARÂMETROS ECONÔMICOS NAS NEGOCIAÇÕES COLETIVAS M A R Ç O /

PARÂMETROS ECONÔMICOS NAS NEGOCIAÇÕES COLETIVAS M A R Ç O / PARÂMETROS ECONÔMICOS NAS NEGOCIAÇÕES COLETIVAS M A R Ç O / 2 0 1 5 N EGOCIAÇ ÃO C O L E T I VA : "... u m pro c e s s o dinâmico de busca do ponto d e e q u i l í b r i o e ntre i nte r e s s e s d i

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego em Serviços. Março de 2014

Pesquisa Mensal de Emprego em Serviços. Março de 2014 Pesquisa Mensal de Emprego em Serviços Março de 2014 Definições A Pesquisa de Emprego em Serviços é desenvolvida pela CNS/FESESP com base em dados do sistema RAIS- CAGED do Ministério do Trabalho e Emprego

Leia mais

PESP PESQUISA DE EMPREGO NO COMÉRCIO VAREJISTA DE SÃO PAULO MARÇO

PESP PESQUISA DE EMPREGO NO COMÉRCIO VAREJISTA DE SÃO PAULO MARÇO PESP PESQUISA DE EMPREGO NO COMÉRCIO VAREJISTA DE SÃO PAULO MARÇO Índice 1. Desempenho estadual 2. Desempenho por atividade 3. Desempenho por região 4. Melhores e piores regiões 5. Todas as regiões 6.

Leia mais

ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE SÃO PAULO

ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE SÃO PAULO INDICADORES DO VAREJO Boletim no. 34 (IEGV) FATURAMENTO E VOLUME DE VENDAS DO VAREJO NO ESTADO DE SÃO PAULO FEVEREIRO DE 2017 VAREJO RESTRITO Capital Capital * Estado de SP Estado de SP * Fevereiro 2017/

Leia mais

VAREJO FECHOU 108,7 MIL LOJAS EM 2016

VAREJO FECHOU 108,7 MIL LOJAS EM 2016 VAREJO FECHOU 108,7 MIL LOJAS EM 2016 Apesar do ritmo menos intenso no segundo semestre, fragilidade das condições de consumo não evitou fechamento recorde de estabelecimentos comerciais com vínculo empregatício

Leia mais

Em junho foram criados empregos formais em Santa Catarina

Em junho foram criados empregos formais em Santa Catarina Informativo Caged nº 07/2009 16/07/2009 Em junho foram criados 1.121 empregos formais em Santa Catarina No 1º semestre foram abertas 11,7 mil vagas e foi o pior resultado para o acumulado no primeiro semestre

Leia mais

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO ESTADO DA BAHIA

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO ESTADO DA BAHIA FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO ESTADO DA BAHIA Junho de 2015 1. PCCV - PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO VAREJISTA BAHIA 1.1 RESULTADOS: 1.1.1 GERAL DO ESTADO DA BAHIA Região: Estado da Bahia Mês: junho de 2015

Leia mais

EMPREGO E SALÁRIO DO COMERCIO VAREJISTA DE MACEIÓ (AL) - AGOSTO

EMPREGO E SALÁRIO DO COMERCIO VAREJISTA DE MACEIÓ (AL) - AGOSTO EMPREGO E SALÁRIO DO COMERCIO VAREJISTA DE MACEIÓ (AL) - AGOSTO 2010 - Elaboração: Francisco Estevam Martins de Oliveira, Estatístico AD HOC Revisão Técnica: José Varela Donato SUMÁRIO 1. RESULTADOS SINTÉTICOS

Leia mais

Boletim Mensal de Emprego Formal do Estado de São Paulo Fevereiro de 2016

Boletim Mensal de Emprego Formal do Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 2016 Boletim Mensal de Emprego Formal do Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Balanço do trabalho formal para o Mês de Fevereiro de 2016 Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho do Estado de São Paulo.

Leia mais

Pesquisa Mensal de Atividade em Serviços. Junho de 2014

Pesquisa Mensal de Atividade em Serviços. Junho de 2014 Pesquisa Mensal de Atividade em Serviços Junho de 2014 Definições A Pesquisa de Emprego em Serviços é desenvolvida pela CNS/FESESP com base em dados do sistema RAIS- CAGED do Ministério do Trabalho e Emprego

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL SUMÁRIO EXECUTIVO EMPREGO FEVEREIRO DE Eego industrial FEVEREIRO DE 2013

EMPREGO INDUSTRIAL SUMÁRIO EXECUTIVO EMPREGO FEVEREIRO DE Eego industrial FEVEREIRO DE 2013 EMPREGO INDUSTRIAL FEVEREIRO DE 2013 FEVEREIRO DE 2013 Eego industrial SUMÁRIO EXECUTIVO O número de assalariados com carteira assinada da indústria de transformação catarinense cresceu 1,50% em fevereiro

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL ABRIL DE 2013

EMPREGO INDUSTRIAL ABRIL DE 2013 EMPREGO INDUSTRIAL ABRIL DE 2013 SUMÁRIO EXECUTIVO INDÚSTRIA FOI O SETOR QUE MAIS CONTRATOU EM ABRIL. O número de assalariados com carteira assinada da indústria de transformação catarinense cresceu 0,7%

Leia mais

BOLETIM AC-VAREJO RA 08

BOLETIM AC-VAREJO RA 08 BOLETIM AC-VAREJO RA 08 O Instituto de Economia Gastão Vidigal (IEGV) da ACSP passará a divulgar mensalmente índices de faturamento (receita nominal) e de volume de vendas (receita real, deflacionada pelo

Leia mais

Santa Catarina gera novos empregos formais em setembro

Santa Catarina gera novos empregos formais em setembro 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 SINE/SC - SISTEMA NACIONAL DE EMPREGO Informativo Caged nº 10/2011 18/10/2011 Santa Catarina gera 10.297 novos empregos formais

Leia mais

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO PONTA GROSSA

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO PONTA GROSSA FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO ANÁLISE CONJUNTURAL DO MÊS DE JANEIRO DE 2013 PONTA GROSSA Este relatório, referente ao mês de JANEIRO de 2013, da Pesquisa Conjuntural

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego em Serviços. Abril de 2013

Pesquisa Mensal de Emprego em Serviços. Abril de 2013 Pesquisa Mensal de Emprego em Serviços Abril de 2013 Definições A Pesquisa de Emprego em Serviços é desenvolvida pela CNS/FESESP com base em dados do sistema RAISCAGED do Ministério do Trabalho e Emprego

Leia mais

Brasil e SP fecharam postos de trabalho em todos os setores da economia

Brasil e SP fecharam postos de trabalho em todos os setores da economia Brasil e SP fecharam postos de trabalho em todos os setores da economia Os dados de março de 2016 do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) reafirmam a desaceleração do mercado de trabalho.

Leia mais

ÍNDICE BRASILEIROS ENFRENTAM SEGUNDO ANO DE CRISE EMPREGO FORMAL... 03

ÍNDICE BRASILEIROS ENFRENTAM SEGUNDO ANO DE CRISE EMPREGO FORMAL... 03 CONSTRUÇÃO CIVIL EM ANÁLISE Nº 11 NOVEMBRO 2016 1 ÍNDICE BRASILEIROS ENFRENTAM SEGUNDO ANO DE CRISE... 02 1 EMPREGO FORMAL... 03 1.1 SALDO MENSAL DE EMPREGO NA CONSTRUÇÃO CIVIL DO ESTADO DO PARÁ... 04

Leia mais

ÍNDICE A ECONOMIA BRASILEIRA VOLTOU A CRESCER? EMPREGO FORMAL... 03

ÍNDICE A ECONOMIA BRASILEIRA VOLTOU A CRESCER? EMPREGO FORMAL... 03 CONSTRUÇÃO CIVIL EM ANÁLISE Nº 02 FEVEREIRO 2017 1 ÍNDICE A ECONOMIA BRASILEIRA VOLTOU A CRESCER?... 02 1 EMPREGO FORMAL... 03 1.1 SALDO MENSAL DE EMPREGO NA CONSTRUÇÃO CIVIL DO ESTADO DO PARÁ... 04 1.2

Leia mais

Osasco dr_osasco 22 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE OSASCO. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

Osasco dr_osasco 22 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE OSASCO. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação Osasco dr_osasco 22 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE OSASCO Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A Diretoria Regional do CIESP de Osasco representa sete municípios

Leia mais

ACOMPANHAMENTO E ANÁLISE MENSAL DO MERCADO DE TRABALHO NAS PRINCIPAIS CIDADES DA REGIÃO METROPOLITANA DE LONDRINA REFERÊNCIA DEZEMBRO 2016

ACOMPANHAMENTO E ANÁLISE MENSAL DO MERCADO DE TRABALHO NAS PRINCIPAIS CIDADES DA REGIÃO METROPOLITANA DE LONDRINA REFERÊNCIA DEZEMBRO 2016 Londrina, 20 de janeiro de 2017. NOTA À IMPRENSA ACOMPANHAMENTO E ANÁLISE MENSAL DO MERCADO DE TRABALHO NAS PRINCIPAIS CIDADES DA REGIÃO METROPOLITANA DE LONDRINA REFERÊNCIA DEZEMBRO 2016 Este acompanhamento

Leia mais

Informativo Mensal de Emprego CAGED. nº 10, outubro de 2012

Informativo Mensal de Emprego CAGED. nº 10, outubro de 2012 SECRETARIA DE ESTADO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL, TRABALHO E HABITAÇÃO SST DIRETORIA DE TRABALHO E EMPREGO SETOR DE INFORMAÇÃO E ANÁLISE DO MERCADO DE TRABALHO Informativo Mensal de Emprego CAGED nº 10, outubro

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS - ABRIL/2015

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS - ABRIL/2015 Saldo (Admissão - Desligamentos) Saldo (Admissão - Desligamentos) GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS - ABRIL/215 1. Geração de Empregos no Brasil - Mercado de Trabalho volta a Demitir O Ministério do Trabalho

Leia mais

Trabalho. Mercado BOLETIM. Ribeirão Preto/SP. Prof. Dr. Sergio Naruhiko Sakurai Gabriel Tamancoldi Couto e Jenifer Barbosa

Trabalho. Mercado BOLETIM. Ribeirão Preto/SP. Prof. Dr. Sergio Naruhiko Sakurai Gabriel Tamancoldi Couto e Jenifer Barbosa Ano III Mai/ Criação líquida empregos é positiva em março, mas mercado trabalho segue frágil Os dados março do Cadastro Geral Empregados e Desempregados (CAGED) mostram um mercado trabalho ainda com sinais

Leia mais

RARP e municípios analisados destroem vagas em Junho de 2017

RARP e municípios analisados destroem vagas em Junho de 2017 Agropecuária é o único setor que contrata no Brasil, estado de São Paulo e RARP Os dados de Junho de 2017 do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) indicam criação líquida de vagas em âmbito

Leia mais

Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP

Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP P E S Q U I S A Centro das Indústrias do Estado de São Paulo CIESP Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP Resultados do mês de Fevereiro de 2016 FIESP/CIESP - Pesquisa NIVEL DE EMPREGO

Leia mais

Balanço do Emprego Formal no Espírito Santo Dados de Julho de 2008

Balanço do Emprego Formal no Espírito Santo Dados de Julho de 2008 Balanço do Emprego Formal no Espírito Santo Dados de Julho de 2008 OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DA REGIÃO METROPOLITANA DO ESPÍRITO SANTO Contrato de Prestação de Serviços N. 28/2008 SETADES / DIEESE VITÓRIA,

Leia mais

Mercado de trabalho enfrentou cenário difícil durante todo o ano de 2015

Mercado de trabalho enfrentou cenário difícil durante todo o ano de 2015 Mercado de trabalho enfrentou cenário difícil durante todo o ano de 2015 Neste edição especial do boletim Mercado de trabalho do CEPER-FUNDACE, serão comparados dados do Cadastro Geral de Empregados e

Leia mais

BOLETIM AC-VAREJO RA 11, RA 16 & RA 19

BOLETIM AC-VAREJO RA 11, RA 16 & RA 19 BOLETIM AC-VAREJO RA 11, RA 16 & RA 19 O Instituto de Economia Gastão Vidigal (IEGV) da ACSP passará a divulgar mensalmente índices de faturamento (receita nominal) e de volume de vendas (receita real,

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL RA Central 1 o trimestre de 2015 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado de São

Leia mais

Setembro Divulgado em 15 de outubro de 2015.

Setembro Divulgado em 15 de outubro de 2015. Setembro - 2015 Divulgado em 15 de outubro de 2015. ICVA APONTA RETRAÇÃO DE 3,4% PARA O VAREJO EM SETEMBRO Indicador considera a receita de vendas do varejo deflacionada pelo IPCA em comparação com setembro

Leia mais

1. PCCV - PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO VAREJISTA BAHIA 1.1 RESULTADOS:

1. PCCV - PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO VAREJISTA BAHIA 1.1 RESULTADOS: 1. PCCV - PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO VAREJISTA BAHIA 1.1 RESULTADOS: 1.1.1 GERAL DO ESTADO DA BAHIA Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista - Estado da Bahia Relatório mensal de faturamento real

Leia mais

Guarulhos dr_guarulhos 13 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE GUARULHOS. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

Guarulhos dr_guarulhos 13 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE GUARULHOS. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação Guarulhos dr_guarulhos 13 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE GUARULHOS Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A Diretoria Regional do CIESP de Guarulhos representa

Leia mais

Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP

Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP P E S Q U I S A Centro das Indústrias do Estado de São Paulo CIESP Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP Resultados do mês de Junho de 2013 FIESP/CIESP - Pesquisa NIVEL DE EMPREGO

Leia mais

Comércio cria postos de trabalho no estado de SP, RARP e município de RP

Comércio cria postos de trabalho no estado de SP, RARP e município de RP Serviços foi o setor com o pior desempenho em Julho de 2016 Os dados de Julho de 2016 do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) continuam indicando baixo desempenho do mercado de trabalho.

Leia mais

Setor de Serviços tem o melhor desempenho na RARP

Setor de Serviços tem o melhor desempenho na RARP Brasil e estado de São Paulo criam vagas pelo quarto mês consecutivo em Julho de 2017 Os dados de Julho de 2017 do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) indicam destruição líquida de vagas

Leia mais

Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP

Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP P E S Q U I S A Centro das Indústrias do Estado de São Paulo CIESP Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP Resultados do mês de Agosto de 2014 FIESP/CIESP - Pesquisa NIVEL DE EMPREGO

Leia mais

Pesquisa Mensal de Comércio - PMC

Pesquisa Mensal de Comércio - PMC Pesquisa Mensal de Comércio - PMC Resultado de julho de 2017 12/09/2017 Diretoria de Pesquisas Coordenação de Serviços e Comércio Pesquisa Mensal do Comércio Objetivo Produzir indicadores que permitam

Leia mais

Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP

Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP P E S Q U I S A Centro das Indústrias do Estado de São Paulo CIESP Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP Resultados do mês de Setembro de 2013 FIESP/CIESP - Pesquisa NIVEL DE EMPREGO

Leia mais

São Bernardr_sao_bernardo 30 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SÃO BERNARDO DO CAMPO. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

São Bernardr_sao_bernardo 30 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SÃO BERNARDO DO CAMPO. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação São Bernardr_sao_bernardo 30 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SÃO BERNARDO DO CAMPO Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A Diretoria Regional do CIESP de

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL São José do Rio Preto 4 o trimestre de 2014 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado

Leia mais

São Caetandr_sao_caetano 31 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SÃO CAETANO DO SUL. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

São Caetandr_sao_caetano 31 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SÃO CAETANO DO SUL. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação São Caetandr_sao_caetano 31 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SÃO CAETANO DO SUL Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A Diretoria Regional do CIESP de São

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL RA Central 2 o trimestre de 2014 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado de São

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL Novembro de 2013

EMPREGO INDUSTRIAL Novembro de 2013 EMPREGO INDUSTRIAL Novembro de 2013 Emprego industrial 02 de Janeiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO A INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO APRESENTOU O SEGUNDO MELHOR

Leia mais

agosto / 2009 Informática tem destaque significativo em agosto

agosto / 2009 Informática tem destaque significativo em agosto agosto / 2009 Informática tem destaque significativo em agosto As vendas do comércio varejista de Joinville no ano de 2009 estão 2,10% superiores às vendas do mesmo período do ano passado. De fato, os

Leia mais

Emprego industrial 25 de Fevereiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA. Indústria Janeiro/2014

Emprego industrial 25 de Fevereiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA. Indústria Janeiro/2014 EMPREGO INDUSTRIAL Janeiro de 2014 Emprego industrial 25 de Fevereiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO A INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO APRESENTOU O MELHOR DESEMPENHO

Leia mais

Agropecuária é o setor que mais contratou em maio de 2016, favorecida pela sazonalidade. RARP cria postos de trabalho em maio de 2016

Agropecuária é o setor que mais contratou em maio de 2016, favorecida pela sazonalidade. RARP cria postos de trabalho em maio de 2016 Agropecuária é o setor que mais contratou em maio de 2016, favorecida pela sazonalidade Os dados de maio de 2016 do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) indicaram resultados pouco otimistas

Leia mais

INTENÇÃO DE INVESTIR DOS COMERCIANTES CRESCE COM PERSPECTIVA DE AUMENTO NO VOLUME DE VENDAS NO NATAL

INTENÇÃO DE INVESTIR DOS COMERCIANTES CRESCE COM PERSPECTIVA DE AUMENTO NO VOLUME DE VENDAS NO NATAL INTENÇÃO DE INVESTIR DOS COMERCIANTES CRESCE COM PERSPECTIVA DE AUMENTO NO VOLUME DE VENDAS NO NATAL O de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) registrou aumento (+0,3%) na passagem de setembro para

Leia mais

EMPREGO DO COMÉRCIO VAREJISTA AMPLIADO DO ESTADO DO CEARÁ (CE) - DEZEMBRO Elaboração: Francisco Estevam Martins de Oliveira, Estatístico

EMPREGO DO COMÉRCIO VAREJISTA AMPLIADO DO ESTADO DO CEARÁ (CE) - DEZEMBRO Elaboração: Francisco Estevam Martins de Oliveira, Estatístico EMPREGO DO COMÉRCIO VAREJISTA AMPLIADO DO ESTADO DO CEARÁ (CE) - DEZEMBRO 2016 - Elaboração: Francisco Estevam Martins de Oliveira, Estatístico SUMÁRIO 1. RESULTADOS SINTÉTICOS DA PESQUISA... 3 Ilustração

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL RA Central 4 o trimestre de 2015 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado de São

Leia mais

Balanço do Emprego Formal no Espírito Santo Dados de Setembro de 2008

Balanço do Emprego Formal no Espírito Santo Dados de Setembro de 2008 Balanço do Emprego Formal no Espírito Santo Dados de Setembro de 2008 OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DA REGIÃO METROPOLITANA DO ESPÍRITO SANTO Contrato de Prestação de Serviços N. 28/2008 SETADES / DIEESE VITÓRIA,

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL Dezembro de 2013

EMPREGO INDUSTRIAL Dezembro de 2013 EMPREGO INDUSTRIAL Dezembro de 2013 Emprego industrial 28 de Janeiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO - no acumulado do ano, foi

Leia mais

Setor de Serviços cria postos de trabalho em Fevereiro de 2016

Setor de Serviços cria postos de trabalho em Fevereiro de 2016 Brasil e estado de São Paulo contratam após 22 meses consecutivos de demissões Os dados de Fevereiro de 2017 do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) sinalizam um cenário mais otimista para

Leia mais

Mogi das Cdr_mogi_das_cruzes 21 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE MOGI DAS CRUZES. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

Mogi das Cdr_mogi_das_cruzes 21 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE MOGI DAS CRUZES. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação Mogi das Cdr_mogi_das_cruzes 21 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE MOGI DAS CRUZES Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 16 de dezembro de 2016 A Diretoria Regional do CIESP de Mogi

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL Estado de São Paulo 1 o trimestre de 2015 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado

Leia mais

Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP

Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP P E S Q U I S A Centro das Indústrias do Estado de São Paulo CIESP Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP Resultados do mês de Junho de 2011 FIESP/CIESP - Pesquisa NIVEL DE EMPREGO

Leia mais

Santos dr_santos 29 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SANTOS. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

Santos dr_santos 29 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SANTOS. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação Santos dr_santos 29 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SANTOS Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A Diretoria Regional do CIESP de Santos representa seis municípios

Leia mais

Rio Claro dr_rio_claro 26 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE RIO CLARO. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

Rio Claro dr_rio_claro 26 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE RIO CLARO. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação Rio Claro dr_rio_claro 26 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE RIO CLARO Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A Diretoria Regional do CIESP de Rio Claro representa

Leia mais

Indústria e Comércio comprometem o desempenho da RARP em setembro de 2015

Indústria e Comércio comprometem o desempenho da RARP em setembro de 2015 Brasil, RARP e município de Ribeirão Preto fecham vagas em todos os setores Os dados do mês de setembro de 2015 do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) reforçam o cenário de pouco otimismo,

Leia mais

Serviços tem o melhor desempenho entre os setores em agosto de 2017

Serviços tem o melhor desempenho entre os setores em agosto de 2017 Serviços tem o melhor desempenho entre os setores em agosto de 2017 Os dados de agosto do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) indicam criação líquida de vagas em âmbito nacional e no estado

Leia mais

DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE COTIA. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação. Última atualização em 01 de novembro de 2017

DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE COTIA. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação. Última atualização em 01 de novembro de 2017 Cotia dr_cotia 9 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE COTIA Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A Diretoria Regional do CIESP de Cotia representa seis municípios

Leia mais

São José dodr_sao_jose_dos_campos 35 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

São José dodr_sao_jose_dos_campos 35 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação São José dodr_sao_jose_dos_campos 35 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A Diretoria Regional do CIESP

Leia mais

Região Administrativa de Ribeirão Preto cria vagas em Janeiro de 2017

Região Administrativa de Ribeirão Preto cria vagas em Janeiro de 2017 Brasil e estado de São Paulo persistem com demissões líquidas no início de 2017 Os dados de Janeiro de 2017 do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) indicam destruição de vagas pelo vigésimo

Leia mais

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO MARINGÁ

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO MARINGÁ FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO ANÁLISE CONJUNTURAL DO MÊS DE MARÇO DE 2013 MARINGÁ Este relatório, referente ao mês de MARÇO de 2013, da Pesquisa Conjuntural do Comércio

Leia mais

SANTA CATARINA REGISTRA O SEGUNDO MENOR SALDO DE EMPREGOS PARA O MÊS DE JUNHO DESDE 2002

SANTA CATARINA REGISTRA O SEGUNDO MENOR SALDO DE EMPREGOS PARA O MÊS DE JUNHO DESDE 2002 Informação e Análise do Mercado de Trabalho Informativo Mensal de Emprego CAGED nº 07/2012 1 23/07/2012 SANTA CATARINA REGISTRA O SEGUNDO MENOR SALDO DE EMPREGOS PARA O MÊS DE JUNHO DESDE 2002 Os dados

Leia mais

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Diretoria Adjunta de Análise e Disseminação de Informações Gerência de Indicadores Econômicos Em fevereiro de 2016, no acumulado de 12 meses,

Leia mais

DEPECON Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

DEPECON Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos PAPER DEPECON Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP Resultados do mês de Janeiro de 2017 NIVEL DE EMPREGO REGIONAL DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO

Leia mais

VAREJO PERDE 68 MIL ESTABELECIMENTOS NO PRIMEIRO SEMESTRE

VAREJO PERDE 68 MIL ESTABELECIMENTOS NO PRIMEIRO SEMESTRE VAREJO PERDE 68 MIL ESTABELECIMENTOS NO PRIMEIRO SEMESTRE Apesar do fechamento menor nos seis últimos meses, a crise no setor vitimou 168 mil estabelecimentos comerciais em um ano e meio. Entre aberturas

Leia mais

São Paulo dr_sao_paulo 36 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SÃO PAULO. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

São Paulo dr_sao_paulo 36 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SÃO PAULO. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação São Paulo dr_sao_paulo 36 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SÃO PAULO Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A região de São Paulo corresponde às diretorias

Leia mais

País fecha 1,5 mi de empregos

País fecha 1,5 mi de empregos Boletim 909/2016 Ano VIII 22/01/2016 País fecha 1,5 mi de empregos - O Brasil encerrou em 2015 um total de 1,542 milhão de postos de trabalho com carteira assinada. O dado é o pior da série histórica iniciada

Leia mais

Resultados de Maio 2017

Resultados de Maio 2017 Diretoria de Pesquisas Coordenação de Serviços e Comércio - COSEC Pesquisa Mensal de Comércio - PMC Resultados de o 2017 Data 12/07/2017 Objetivo Pesquisa Mensal do Comércio Produzir indicadores que permitam

Leia mais

Informativo Mensal de Emprego CAGED. nº 12, dezembro de 2012

Informativo Mensal de Emprego CAGED. nº 12, dezembro de 2012 SECRETARIA DE ESTADO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL, TRABALHO E HABITAÇÃO SST DIRETORIA DE TRABALHO E EMPREGO SETOR DE INFORMAÇÃO E ANÁLISE DO MERCADO DE TRABALHO Informativo Mensal de Emprego CAGED nº 12, dezembro

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL Registro 3 o trimestre de 2015 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado de São Paulo,

Leia mais

Campinas dr_campinas 8 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE CAMPINAS. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

Campinas dr_campinas 8 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE CAMPINAS. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação Campinas dr_campinas 8 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE CAMPINAS Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A Diretoria Regional do CIESP de Campinas representa

Leia mais

A Construção Civil destrói postos de trabalho em Setembro de 2016

A Construção Civil destrói postos de trabalho em Setembro de 2016 A Construção Civil destrói postos de trabalho em Setembro de 2016 Os dados de Setembro de 2016 do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) indicam destruição de vagas nas regiões analisadas,

Leia mais

DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE JAÚ. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação. Última atualização em 01 de novembro de 2017

DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE JAÚ. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação. Última atualização em 01 de novembro de 2017 Jaú dr_jau 16 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE JAÚ Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A Diretoria Regional do CIESP de Jaú representa 11 municípios paulistas:

Leia mais

GRÁFICO 1: Evolução do Emprego com Carteira Assinada, saldo líquido em dezembro Santa Catarina,

GRÁFICO 1: Evolução do Emprego com Carteira Assinada, saldo líquido em dezembro Santa Catarina, Informativo Caged nº 01/2012 24/01/2012 SANTA CATARINA CONTABILIZA A GERAÇÃO DE 82.406 EMPREGOS FORMAIS EM 2011 Apesar do nível do emprego formal apresentar crescimento no ano passado, o mês de dezembro

Leia mais

VAREJO AMPLIADO TEM RETRAÇÃO DE 1,9% EM MARÇO, APONTA ICVA

VAREJO AMPLIADO TEM RETRAÇÃO DE 1,9% EM MARÇO, APONTA ICVA CIELO S.A. CNPJ/MF 01.027.058/0001-91 Comunicado ao Mercado VAREJO AMPLIADO TEM RETRAÇÃO DE 1,9% EM MARÇO, APONTA ICVA Mês de março apresentou a menor queda de vendas desde julho de 2015 Crescimento da

Leia mais

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO MARINGÁ

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO MARINGÁ FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO ANÁLISE CONJUNTURAL DO MÊS DE ABRIL DE 2013 MARINGÁ Este relatório, referente ao mês de ABRIL de 2013, da Pesquisa Conjuntural do Comércio

Leia mais

Na média de 2015, a economia brasileira fechou mais de 525,3 mil postos de trabalho em relação aos dez primeiros meses de O setor de serviços,

Na média de 2015, a economia brasileira fechou mais de 525,3 mil postos de trabalho em relação aos dez primeiros meses de O setor de serviços, Novembro de 2015 1 Na média de 2015, a economia brasileira fechou mais de 525,3 mil postos de trabalho em relação aos dez primeiros meses de 2014. O setor de serviços, contudo, continuou abrindo vagas.

Leia mais

Araraquaradr_araraquara 4 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE ARARAQUARA. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

Araraquaradr_araraquara 4 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE ARARAQUARA. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação Araraquaradr_araraquara 4 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE ARARAQUARA Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A Diretoria Regional do CIESP de Araraquara representa

Leia mais

ÍNDICE É NA CRISE QUE SE CRESCE EMPREGO FORMAL... 03

ÍNDICE É NA CRISE QUE SE CRESCE EMPREGO FORMAL... 03 CONSTRUÇÃO CIVIL EM ANÁLISE Nº 08 AGOSTO 2016 1 ÍNDICE É NA CRISE QUE SE CRESCE... 02 1 EMPREGO FORMAL... 03 1.1 SALDO MENSAL DE EMPREGO NA CONSTRUÇÃO CIVIL DO ESTADO DO PARÁ... 04 1.2 SALDO ANUAL DE EMPREGO

Leia mais

Comércio paranaense reage em julho

Comércio paranaense reage em julho PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO Nº 148 ANO 13 AGOSTO - mês base JULHO 2013 CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA, LONDRINA, MARINGÁ, REGIÃO OESTE, FOZ DO IGUAÇU, PONTA GROSSA, REGIÃO SUDOESTE, PARANAGUÁ E REGIÃO

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL Ribeirão Preto 4 o trimestre de 2015 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado de

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL SUMÁRIO EXECUTIVO EMPREGO MAIO DE 2013 A INDÚSTRIA FOI O SETOR QUE MAIS CONTRATOU EM MAIO E NO ACUMULADO DO ANO.

EMPREGO INDUSTRIAL SUMÁRIO EXECUTIVO EMPREGO MAIO DE 2013 A INDÚSTRIA FOI O SETOR QUE MAIS CONTRATOU EM MAIO E NO ACUMULADO DO ANO. EMPREGO INDUSTRIAL MAIO DE 2013 SUMÁRIO EXECUTIVO A INDÚSTRIA FOI O SETOR QUE MAIS CONTRATOU EM MAIO E NO ACUMULADO DO ANO. FORAM GERADAS 31.531 VAGAS ENTE JANEIRO E MAIO, correspondendo a um acréscimo

Leia mais

Vale do Ribdr_vale_do_ribeira 40 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE VALE DO RIBEIRA. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

Vale do Ribdr_vale_do_ribeira 40 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE VALE DO RIBEIRA. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação Vale do Ribdr_vale_do_ribeira 40 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE VALE DO RIBEIRA Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A Diretoria Regional do CIESP de Vale

Leia mais

ÍNDICE SONDAGEM INDUSTRIAL EMPREGO FORMAL... 03

ÍNDICE SONDAGEM INDUSTRIAL EMPREGO FORMAL... 03 CONSTRUÇÃO CIVIL EM ANÁLISE Nº 03 MARÇO 2016 1 ÍNDICE SONDAGEM INDUSTRIAL... 02 1 EMPREGO FORMAL... 03 1.1 SALDO MENSAL DE EMPREGO NA CONSTRUÇÃO CIVIL DO ESTADO DO PARÁ... 04 1.2 SALDO ANUAL DE EMPREGO

Leia mais

Receita nominal. Setembro/Agosto 0,5 0,1 1,5 1,2 Média móvel trimestral 1,0 0,1 1,1 0,5 Setembro 2015 / Setembro 2014

Receita nominal. Setembro/Agosto 0,5 0,1 1,5 1,2 Média móvel trimestral 1,0 0,1 1,1 0,5 Setembro 2015 / Setembro 2014 Vendas no varejo variam 0,5% em setembro Período Volume de vendas Varejo Receita nominal Varejo Ampliado Volume de vendas Receita nominal Setembro/Agosto 0,5 0,1 1,5 1,2 Média móvel trimestral 1,0 0,1

Leia mais

Agosto/ ª edição

Agosto/ ª edição Agosto/2017-53ª edição Agosto/2017-53ª Edição 1 ANÁLISE SETORIAL 1.1 Análise das atividades do segmento 1.2 Inflação do segmento A Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), do IBGE, revela a evolução recente

Leia mais

PIB BRASILEIRO (variação anual, %)

PIB BRASILEIRO (variação anual, %) PIB PIB BRASILEIRO (variação anual, %) 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 7.5 7.0 5.0 3.0 1.0 4.4 1.4 3.1 1.1 5.8 3.2 4.0 6.1 5.1 4.0 1.9 3.0

Leia mais