CARACTERÍSTICAS GERAIS DO ESTADO DE MINAS GERAIS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CARACTERÍSTICAS GERAIS DO ESTADO DE MINAS GERAIS"

Transcrição

1 SEMINÁRIO ESTRUTURA E PROCESSO DA NEGOCIAÇÃO COLETIVA CONJUNTURA DO SETOR RURAL E MERCADODETRABALHONOESTADO DE ESTADO CONTAG

2 CARACTERÍSTICAS C C S GERAIS

3 TABELA 1 CARACTERÍSTICAS GERAIS DO ESTADO DE MINAS GERAIS Área total (Km²) ,29 População em 2008 (em milhões de habitantes) 20,034 Grau de urbanização em 2008 (em %) 85,64 Densidade demográfica em 2009(*) (hab/km²) 34,16 Esperança de vida ao nascer em 2007 (em anos) 74,6 BR 72,7 anos Número de municípios i 853 PIB per capita em 2007 (R$) Taxa de fecundidade em 2007 (filhos por mulher) 1,84 Taxa de analfabetismo em 2009 (com 15 anos ou mais - em %) 8,6 BR R$ ,11 BR 1,95 BR 10% (*) Estimativa Fonte: IBGE Elaboração: DIEESE

4 Os 10 Municípios Mais Populosos Belo Horizonte Uberlândia Contagem Juiz de Fora Betim Montes Claros Ribeirão i das Neves Uberaba Governador Valadares Ipatinga Fonte: IBGE Estimativas da população para 1º de julho de Elaboração: Dieese

5 Contas Regionais do Brasil Série encadeada da variação acumulada do PIB (1), segundo Grandes Regiões e Unidades da Federação (2) Regiões/ Estados Brasil 100,00 114,21 126,31 139,39 156,5555 Sudeste 100,00 114,37 128,08 141,97 158,39 Minas Gerais 100,00 119,15 129,44 144,30 162,13 Espírito Santo 100,00 129,46 152,02 169, ,24 Rio de Janeiro 100,00 118,58 131,38 146,44 157,84 São Paulo 100,00 110,98 125,38 138,43 155,69 Nota: (1) Valores nominais. (2) De 2003 a 2007, a inflação foi de 23,01% (IPCA-IBGE) Fonte: IBGE Contas Regionais do Brasil Elaboração: Dieese

6 Contas Regionais do Brasil Participação das Grandes Regiões e Unidades da Federação no PIB Regiões / Estados Regiões/ Estados Sudeste 55,80 55,80 56,50 56,80 56,40 Minas Gerais 8,80 9,10 9,00 9,10 9,10 Espírito Santo 1,80 2,10 2,20 2,20 2,30 Rio de Janeiro 11, ,50 11,50 11,60 11,20 São Paulo 34,10 33,10 33,90 33,90 33,90 Nota: preços de mercado. Fonte: IBGE Contas Regionais do Brasil Elaboração: Dieese

7 Participação das atividades econômicas no Valor Adicionado Bruto a preço básico, Minas Gerais Atividades Econômicas Total Agricultura, silvicultura e exploração florestal 6,60 6,80 6,10 5,70 5,00 Pecuária e pesca 380 3, , , , ,00 Indústria extrativa 3,20 3,60 3,70 3,20 2,70 Indústria de transformação 18,10 20,10 18,90 18,50 18,60 Construção civil 4,70 5,30 4,80 5,10 5,40 Produção e distribuição de eletricidade e gás, água, esgoto e limpeza urbana 4,30 4,70 5,00 5,10 4,80 Comércio e serviços de manutenção e reparação 11,40 11,40 11,50 12,70 12,70 Serviços de alojamento e alimentação 120 1, , , , ,70 Transportes, armazenagem e correio 4,80 4,30 4,90 5,20 5,00 Serviços de informação 3,50 3,30 3,60 3,50 3,40 Intermediação financeira, seguros e previdência complementar e serviços relacionados 5,20 4,60 4,70 4,90 5,50 Serviços prestados às famílias e associativas 2,30 2,10 2,20 2,30 2,10 Serviços prestados às empresas 3,30 4,00 3,50 4,10 4,10 Atividades imobiliárias e aluguéis 9,60 8,60 8,90 8,40 8,60 Administração, saúde e educação públicas e seguridade social 13,70 12,50 13,40 13,40 13,60 Saúde e educação mercantis 3,10 2,90 2,70 2,60 2,50 Serviços domésticos 150 1, , , , ,40 Fonte: IBGE Contas Regionais do Brasil Elaboração: Dieese

8 Produção Agrícola no Estado de Minas Gerais Lavoura temporária Área colhida (Hectares) Quantidade produzida (Toneladas) Variação Variação Milho (em grão) ,2% ,4% Soja (em grão) ,0% ,5% Cana-de-açúcar ,8% ,5% Feijão (em grão) ,5%, ,8% Sorgo (em grão) ,9% ,9% Arroz (em casca) ,6% ,7% Mandioca ,1% ,8% Batata-inglesa ,4% ,1% Algodão herbáceo (em caroço) ,2% ,9% Trigo (em grão) ,4% ,4% Abacaxi (1) ,9% ,2% Tomate ,0% ,0% Mamona (baga) ,8% ,1% Amendoim (em casca) ,6% ,2% Melancia ,6% ,5% Nota: (1) A quantidade produzida de abacaxis é expressa em mil frutos. Fonte: Produção Agrícola Municipal - IBGE Elaboração: DIEESE

9 Produção Agrícola no estado de Minas Gerais Quantidade produzida (Toneladas) Valor da produção (2) Lavoura temporária (Mil Reais) Variação Variação Milho (em grão) ,4% ,4% Soja (em grão) ,5% ,6% Cana-de-açúcar ,5% ,6% Feijão (em grão) ,8% ,7% Sorgo (em grão) ,9% ,5% Arroz (em casca) ,7% ,3% Mandioca ,8% ,7% Batata-inglesa ,1% ,4% Algodão herbáceo (em caroço) ,9% ,6% Trigo (em grão) ,4% ,0% Abacaxi (1) ,2% ,9% Tomate ,0% ,1% Mamona (baga) ,1% ,0% Amendoim (em casca) ,2% ,6% Melancia ,5% ,4% Nota: (1) A quantidade produzida de abacaxis é expressa em mil frutos. (2) Valores nominais. De 2001 a 2008, a inflação foi de 61,72% (IPCA). Fonte: PAM IBGE Elaboração: DIEESE

10 Produção Agrícola no Estado de Minas Gerais Lavoura permanente Área colhida (Hectares) Quantidade produzida (Toneladas) Variação Variação Café (em grão) ,4% ,9% Banana (cacho) ,6% ,8% 98% Laranja ,3% ,4% Manga ,3% ,5% Tangerina ,6% ,3% Borracha (látex coagulado) ,9% ,0% Limão ,4% ,7% Coco-da-baía ,6% ,4% Maracujá ,9% ,5% Abacate ,3% ,0% Mamão ,8% 88% ,8% Fonte: PAM - IBGE Elaboração: DIEESE

11 Produção Agrícola no Estado de Minas Gerais Lavoura permanente Quantidade produzida (Toneladas) Valor da produção (1) (Mil reais) Variação Variação Café (em grão) ,9% ,7% Banana (cacho) ,8% ,3% Laranja ,4% ,9% Manga ,5% ,9% Tangerina ,3% ,3% Borracha (látex coagulado) ,0% ,3% Limão ,7% ,5% 5% Coco-da-baía ,4% ,1% Maracujá ,5% ,6% Abacate ,0% ,1% Mamão ,8% ,2% Nota: (1) Valores nominais. De 2001 a 2008, a inflação foi de 61,72% (IPCA). Fonte: PAM - IBGE Elaboração: DIEESE

12 Tipo de rebanho Produção de Origem Animal Minas Gerais ( cabeças) Ano Variação Bovino % 9,1% Equino ,0% Suíno ,8% Caprino ,4% Ovino ,1% Galos, frangas, frangos e pintos ,6% Galinhas % 5,5% Codornas ,9% Coelhos ,8% Fonte: Pesquisa Pecuária Municipal - IBGE Elaboração: Dieese

13 Efetivo de rebanho em 2008 (em % do total) Suíno 4% Outros 1% Aves 77% Bovino 18% Fonte: PPM - IBGE Elaboração: Dieese

14 Produtos de Origem Animal Minas Gerais Valor da produção (1) (Mil Produção de origem animal Reais) Tipo de Produto Variação Variação (2) Leite (Mil litros) ,6% ,6% Ovos de galinha (Mil dúzias) Ovos de codorna (Mil dúzias) Mel de abelha (Quilogramas) ,4% ,4% ,9% ,1% ,0% ,8% Notas: (1) Valores nominais. (2) De 1998 a 2008, a inflação foi de 93,94% (IPCA-IBGE). Fonte: PPM - IBGE Elaboração: Dieese

15 Produção de Extração Vegetal no Estado de Minas Gerais Tipo de Quantidade produzida Valor da produção produto (1) Variação extrativo (2) Variação Carvão vegetal (Toneladas) ,7% ,5% Lenha (Metros cúbicos) Madeira em tora (Metros cúbicos) ,1% ,8% ,2% ,2% Notas: (1) Valores nominais. (2) De 1998 a 2008, a inflação foi de 93,94% (IPCA-IBGE). Fonte: Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura - IBGE Elaboração: DIEESE

16 Produção de Extração Vegetal no Estado de Minas Gerais Tipo de produto extrativo Carvão vegetal (Toneladas) Lenha (Metros cúbicos) Madeira em tora (Metros cúbicos) Lenha (Metros cúbicos) Madeira em tora (Metros cúbicos) Quantidade produzida Valor da Produção (1) (Mil Reais) Ano Ano Variação Variação ,7% ,5% ,1% ,8% ,2% ,2% ,9% ,7% ,8% ,4% Madeira em tora para papel e celulose (Metros cúbicos) Madeira em tora para outras finalidades (Metros cúbicos) ,2% ,8% ,2% ,3% Notas: (1) Valores nominais. (2) De 1998 a 2008, a inflação foi de 93,94% (IPCA-IBGE). Fonte: Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura - IBGE Elaboração: DIEESE

17 TRABALHO E RENDIMENTO

18 Saldo do emprego formal, por setor de atividade econômica 2008 e 2009 Minas Gerais Nota: (1) Inclui extrativa vegetal, caça e pesca Fonte: MTE Caged. Elaboração: Dieese

19 Saldo do emprego formal, por setor de atividade econômica Minas Gerais Setor de Atividade Indústria Total Extrativa mineral Indústria de transformação Serv. Ind. Util. Publ Construção civil Comércio Serviços Adm. pública Agropecuária (1) Ignorados Total Nota: (1) Inclui extrativa vegetal, caça e pesca Fonte: MTE - Caged Elaboração: DIEESE

20 Evolução do emprego, massa salarial e remuneração media real (1) Minas Gerais 180,0 160,0 140,0 120,0 100,0 80,0 60, Emprego Massa salarial Remuneração média Nota (1): Valor em 31/12. Não consta os vínculos ignorados para o cálculo da remuneração média. Valores a preços de jan/2010 do INPC/IBGE Fonte: MTE - RAIS

21 Os resultados RAIS: Basil Brasil Emprego total cresceu 61% no período Tamanho do mercado formal Na agricultura cresceu 40% 1998 = 24,5 milhões de empregos 2008 = 39,4 milhões de empregos Tamanho do mercado formal na agricultura 1998 = 1,012 milhão de empregos 2008 = 1,420 milhão de empregos

22

23 Emprego e remuneração média(1) nominal Brasil, Grande Regiões e Unidades da Federação (2008) Brasil, Grandes Regiões e Unidades da Federação Emprego Remuneração Média (R$) TOTAL Agricultura TOTAL Agricultura Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Nordeste Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Centro Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goías Distrito Federal Brasil Fonte: MTE. RAIS Elaboração: DIEESE Nota: (1) Para o cálculo da remuneração média excluem-se os vínculos ignorados e inativos em 31/12

24 Número de ocupados no setor de atividade Agricultura (com 10 anos ou mais) 2008 Posição na Ocupação Brasil Minas Gerais Empregado com carteira de trabalho assinada Outro empregado sem carteira de trabalho assinada Conta própria Outros Total Fonte: PNAD/2008 IBGE Nota:a a variável Outros é composta das posições: empregadores, Trabalhador na produção para o próprio consumo e o não remunerado. Em alguns estados, a amostra não permitia desagregação.

25 REAJUSTE SALARIAL

26

27

28

29

30 Evolução do Salário Mínimo real INPC IBGE 1995 a ,0 180,0 (maio/95 = 100) 187,11 160,0 140,0 120,0 100,0 80,0 60,0 Fonte: DIEESE

31 Salário Mínimo Real ,65 98,02 50,15 45,68 36,80 22,64 28,30 Fonte: DIEESE OBS: Deflator ICV/DIEESE

32 PIB ( % de crescimento) ,1 5,19 5,6 6,26 4, ,4 2, ,11-0, * 2011* Fonte: Relatório de mercado do Banco Central: 26/12/2003; 30/12/2004; 30/12/2005; 29/12/2006; 28/12/2007; 26/12/2008; 31/12/2009 e 07/05/2010. *Previsão para 2010 e 2011.

33

CARACTERÍSTICAS GERAIS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

CARACTERÍSTICAS GERAIS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SEMINÁRIO ESTRUTURA E PROCESSO DA NEGOCIAÇÃO COLETIVA CONJUNTURA DO SETOR RURAL E MERCADODETRABALHONOESTADO DE ESTADO CONTAG CARACTERÍSTICAS GERAIS Rio Grande do Sul TABELA 1 CARACTERÍSTICAS GERAIS DO

Leia mais

Econômico Contabilidade Nacional

Econômico Contabilidade Nacional Tabela 3.7.1 - Produto Interno Bruto a preço de mercado corrente (milhões de R$), do e Estados da região Norte - 2008-2011 Acre Roraima 3.032.205 3.239.404 3.770.085 4.143.013 154.251 163.207 201.511 230.011

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015 DADOS GERAIS DO ESTADO DO MATO GROSSO Total Part % Brasil Part % Região Área Total - km² 903.386 10,63% 56,24% População

Leia mais

Panorama Econômico do Rio Grande do Sul Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Panorama Econômico do Rio Grande do Sul Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Panorama Econômico do Rio Grande do Sul 2008 Unidade de Estudos Econômicos COMPOSIÇÃO DO PIB PIB DO RIO GRANDE DO SUL 62% 9% 29% Estamos mais sujeitos a refletir crises agrícolas que a média da economia

Leia mais

Mercado de Trabalho Empregos formais. Estado de São Paulo Município: Capivari

Mercado de Trabalho Empregos formais. Estado de São Paulo Município: Capivari Mercado de Trabalho Empregos formais Estado de São Paulo Município: Capivari SÍNTESE Estado de São Paulo População estimada em 2014 44.035.304 População 2010 41.262.199 Área (km²) 248.222,36 Densidade

Leia mais

Ceará: Resultados do PIB Trimestral 3 0 Trimestre/2007

Ceará: Resultados do PIB Trimestral 3 0 Trimestre/2007 Ceará: Resultados do PIB Trimestral 2003-2007 eloisa@ipece.ce.gov.br rogerio.soares@ipece.ce.gov.br Fortaleza 2009 CEARÁ: COMPOSIÇÃO Ceará: DO Resultados PRODUTO INTERNO do PIB BRUTO Trimestral A PREÇOS

Leia mais

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 REGIÃO NORTE 5.951.408 87,35 861.892 12,65 6.813.300 RONDÔNIA 760.521 88,11 102.631 11,89 863.152 ACRE 298.081 85,86 49.094

Leia mais

Produção Brasileira de Melão por Estado 2007 Estados Área (ha) Volume (Ton) Valor (Mil R$) Rio Grande do Norte Ceará 6.

Produção Brasileira de Melão por Estado 2007 Estados Área (ha) Volume (Ton) Valor (Mil R$) Rio Grande do Norte Ceará 6. Produção Brasileira de Abacaxi por Estado 2007 Pará 15.462 701.948 125.596 Paraíba 11.600 625.527 150.054 Minas Gerais 7.593 596.668 127.597 Bahia 6.430 282.634 63.185 São Paulo 3.620 271.380 76.161 Rio

Leia mais

PIB 2012 Estado do Tocantins

PIB 2012 Estado do Tocantins PIB 2012 Estado do Tocantins Parceiros: GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SANDOVAL LÔBO CARDOSO Governador do Estado TOM LYRA Vice-governador do Estado JOAQUIM CARLOS PARENTE JUNIOR Secretário JOAQUÍN EDUARDO

Leia mais

FNPETI FÓRUM NACIONAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL. Cenário do Trabalho Infantil Dados PNAD 2014

FNPETI FÓRUM NACIONAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL. Cenário do Trabalho Infantil Dados PNAD 2014 Cenário do Trabalho Infantil Dados PNAD 2014 Fonte: IBGE/Pnad. Elaboração própria. Nota: a PNAD até o ano de 2003 não abrangia a área rural da região Norte (exceto o Tocantins). Nos anos de 1994, 2000

Leia mais

Acre Previsão por Coeficiente no Estado

Acre Previsão por Coeficiente no Estado Acre 0,6 121.073,55 262.729,59 0,8 161.431,39 350.306,12 1,0 201.789,24 437.882,66 1,2 242.147,09 525.459,19 1,4 - - 1,6 322.862,79 700.612,25 1,8 363.220,64 788.188,78 2,0 - - 2,2 - - 2,4 - - 2,6 524.652,03

Leia mais

75,4. 1,95 mulher, PNAD/08) Taxa de analfabetismo (15 anos ou mais em %) 4,4% População urbana 5.066.324

75,4. 1,95 mulher, PNAD/08) Taxa de analfabetismo (15 anos ou mais em %) 4,4% População urbana 5.066.324 SEMINÁRIO ESTRUTURA E PROCESSO DA NEGOCIAÇÃO COLETIVA CONJUNTURA DO SETOR RURAL E MERCADODETRABALHOEMSANTA DE EM CATARINA CONTAG CARACTERÍSTICAS C C S GERAIS CARACTERÍSTICA GERAIS DE SANTA CATARINA Área

Leia mais

Valor da Produção Agropecuária: a geografia da agricultura e da pecuária brasileira em

Valor da Produção Agropecuária: a geografia da agricultura e da pecuária brasileira em v. 9, n. 12, dezembro 2014 Valor da Produção Agropecuária: a geografia da agricultura e da pecuária brasileira em 2012 1 O objetivo deste trabalho é apresentar a distribuição geográfica da produção da

Leia mais

PIB PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DE RONDÔNIA 2014

PIB PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DE RONDÔNIA 2014 PIB PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DE RONDÔNIA 2014 A Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão SEPOG/RO, através da Gerência do Observatório em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia

Leia mais

NÍVEL DE EMPREGO FORMAL CELETISTA Outubro 2017 CADASTRO GERAL DE EMPREGADOS E DESEMPREGADOS CAGED

NÍVEL DE EMPREGO FORMAL CELETISTA Outubro 2017 CADASTRO GERAL DE EMPREGADOS E DESEMPREGADOS CAGED NÍVEL DE EMPREGO FORMAL CELETISTA Outubro 2017 CADASTRO GERAL DE EMPREGADOS E DESEMPREGADOS CAGED BRASIL SALDO DO EMPREGO FORMAL - SEM AJUSTES - PERÍODO DE OUTUBRO DE 2016 A OUTUBRO 2017 2 BRASIL SALDO

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO. PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Abril/2017

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO. PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Abril/2017 SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Abril/2017 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Rural 05. Habitantes no Campo

Leia mais

As estimativas preliminares da FEE para o ano de 2001 no Estado indicam

As estimativas preliminares da FEE para o ano de 2001 no Estado indicam . AS COI^ÍTAS REGIOXAIS A economia gaúcha em 2001: terceiro ano consecutivo de crescimento* Adalberto A. Mala Neto** As estimativas preliminares da FEE para o ano de 2001 no Estado indicam um crescimento

Leia mais

9, R$ , , R$ ,

9, R$ , , R$ , Rondônia 2005 R$ 601.575,17 2005 10.154 2004 1.027.983 2004 108.139 2004 10,52 2006 R$ 609.834,21 2006 10.757 2005 1.025.249 2005 101.539 2005 9,90 2007 R$ 1.229.490,00 2007 9.100 2006 1.047.004 2006 111.068

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO. PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Março/2016

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO. PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Março/2016 SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Março/2016 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Rural 05. Habitantes no Campo

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2017

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2017 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua 2012-2017 Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2017 Rio de Janeiro, 17 de novembro de 2017 Força de Trabalho no Brasil Pesquisa

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS no Estado do Rio de Janeiro em 2013 FEVEREIRO DE 2014 RESUMO O país criou 730.687 novos postos de trabalho em 2013, desempenho este 16% menor do que o apresentado em 2012. No

Leia mais

Rio de Janeiro, 18/05/2017. Mercado de Trabalho Brasileiro 1º trimestre de 2017

Rio de Janeiro, 18/05/2017. Mercado de Trabalho Brasileiro 1º trimestre de 2017 1 Rio de Janeiro, 18/05/2017 Mercado de Trabalho Brasileiro estre de 2017 O B J P R I N C I P A L Produzir informações contínuas PNAD Contínua Produzir informações anuais E T I sobre a inserção da população

Leia mais

Sergipe. Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Sergipe. Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Sergipe Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos PERFIL DA POPULAÇÃO SERGIPE Sergipe 2,29 milhões* 715,2 mil* População Domicílios 48,2% 51,8% Gênero 31,4 36,0 2017 2030 Idade

Leia mais

Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social

Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social 2º Semestre/2011 1 Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social Informações Trabalhistas e Previdenciárias de acordo

Leia mais

Piauí. Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Piauí. Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Piauí Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos PERFIL DA POPULAÇÃO PIAUÍ 3,22 milhão* População Piauí 961,43 mil* Domicílios Classe B 4% Classe C 41% Classe A 2% Classe D 21%

Leia mais

Contas Regionais do Brasil 2011

Contas Regionais do Brasil 2011 Diretoria de Pesquisas Contas Regionais do Brasil 2011 Coordenação de Contas Nacionais frederico.cunha@ibge.gov.br alessandra.poca@ibge.gov.br Rio, 22/11/2013 Contas Regionais do Brasil Projeto de Contas

Leia mais

O Comércio de Serviços do Brasil

O Comércio de Serviços do Brasil Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio e Serviços IV Seminário Estadual de Negócios Internacionais do Paraná O Comércio de Serviços do Brasil Curitiba, 17 de

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE DIADEMA

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE DIADEMA OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE DIADEMA Relatório Mensal: A Movimentação do Mercado de Trabalho Formal no Município de Diadema Março de 2008 Termo de Contrato Nº. 226/2007 MAIO de 2008 SUMÁRIO Apresentação

Leia mais

Contabilizando para o Cidadão Entendendo as Finanças Públicas

Contabilizando para o Cidadão Entendendo as Finanças Públicas - ano 2015 Pernambuco 5,20% Ceará 5,44% Maranhão 5,14% Pará 4,89% Paraná 4,43% Rio Grande do Sul 4,37% Santa Catarina 2,54% Rio Grande do Norte 2,48% Espírito Santo 2,14% Amazonas 2,06% Sergipe 1,87% Alagoas

Leia mais

outro, o aperto monetário e a redução da confiança dos empresários impediram avanços mais significativos da economia.

outro, o aperto monetário e a redução da confiança dos empresários impediram avanços mais significativos da economia. O Produto Interno Bruto goianoo alcançou em 2013 a cifra de R$ 151,010 bilhões. Este é o número oficial consolidado, calculado através de nova metodologia que o IBGE, em parceria com as instituições estaduais

Leia mais

Agosto Município de Rio Verde - Goiás

Agosto Município de Rio Verde - Goiás Agosto 2012 Município de Rio Verde - Goiás Prezados, A ASBAN está sistematizando dados sobre a atividade econômica e financeira na sua região de abrangência com o objetivo de subsidiar as demandas de informações

Leia mais

PIB BAIANO TOTALIZOU R$ 159,9 BILHÕES EM 2011

PIB BAIANO TOTALIZOU R$ 159,9 BILHÕES EM 2011 PIB BAIANO TOTALIZOU R$ 159,9 BILHÕES EM 2011 INTRODUÇÃO A SEI divulga, em parceria com o IBGE e demais institutos de pesquisas e estatísticas do país, os dados relativos ao PIB do ano de 2011. Mais uma

Leia mais

Federação das Indústrias do Estado de Sergipe

Federação das Indústrias do Estado de Sergipe Metodologia 1 Federação das Indústrias do Estado de Sergipe Gabinete de Defesa de Interesses Núcleo de Informações Econômicas Elaboração Técnica Fábio Rodrigues Moura Luís Paulo Dias Miranda Rodrigo Rocha

Leia mais

Características do candidato a Empreendedor Individual (MEI) no Brasil. SEBRAE-SP/Planejamento Abril de 2009

Características do candidato a Empreendedor Individual (MEI) no Brasil. SEBRAE-SP/Planejamento Abril de 2009 Características do candidato a Empreendedor Individual (MEI) no Brasil SEBRAE-SP/Planejamento Abril de 2009 1 Metodologia do trabalho Definição de candidato a MEI: Consideramos como proxy de candidato

Leia mais

Global Environment Facility GESTÃO INTEGRADA E SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS TRANSFRONTEIRIÇOS NA BACIA AMAZÔNICA CONSIDERANDO

Global Environment Facility GESTÃO INTEGRADA E SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS TRANSFRONTEIRIÇOS NA BACIA AMAZÔNICA CONSIDERANDO Amazon Cooperation Treaty Organization Global Environment Facility United Nations Environment Programme GESTÃO INTEGRADA E SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS TRANSFRONTEIRIÇOS NA BACIA AMAZÔNICA CONSIDERANDO

Leia mais

Agosto Município de Anápolis - Goiás

Agosto Município de Anápolis - Goiás Agosto 2012 Município de Anápolis - Goiás Prezados, A ASBAN está sistematizando dados sobre a atividade econômica e financeira na sua região de abrangência com o objetivo de subsidiar as demandas de informações

Leia mais

Alagoas. Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Alagoas. Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Alagoas Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos PERFIL DA POPULAÇÃO ALAGOAS ALAGOAS 3,38 1,06 milhões* milhão* População Domicílios 47,8% 52,2% Gênero 30,7 35,7 2017 2030 Idade

Leia mais

Indicadores selecionados do RS*

Indicadores selecionados do RS* 67 Indicadores selecionados do RS* Tabela 1 Taxas de crescimento da produção, da área colhida e da produtividade dos principais produtos da lavoura no Rio Grande do Sul /06 PRODUTOS / 2006/ (1) Produção

Leia mais

CENSO BRASILEIRO DE SHOPPING CENTERS 2015/2016 CENSO BRASILEIRO DE SHOPPING CENTERS 2015/2016

CENSO BRASILEIRO DE SHOPPING CENTERS 2015/2016 CENSO BRASILEIRO DE SHOPPING CENTERS 2015/2016 CENSO BRASILEIRO DE SHOPPING CENTERS 2015/2016 V2 1 1. SETOR 2 UNIVERSO DISTRIBUIÇÃO MACRO REGIÕES SHOPPINGS EM OPERAÇÃO - UNIDADES 26 NORTE 80 NORDESTE 50 CENTRO OESTE 292 SUDESTE 520 +3,5% 538 SHOPPINGS

Leia mais

Rio de Janeiro, 22/11/2016. Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2016

Rio de Janeiro, 22/11/2016. Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2016 1 Rio de Janeiro, 22/11/2016 Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2016 O B J P R I N C I P A L Produzir informações contínuas PNAD Contínua Produzir informações anuais E T I sobre a inserção

Leia mais

1 Lavouras. Cereais, leguminosas e oleaginosas. Área e Produção - Brasil 1980 a 2008

1 Lavouras. Cereais, leguminosas e oleaginosas. Área e Produção - Brasil 1980 a 2008 1 Lavouras 1.1 Produção de cereais, leguminosas e oleaginosas A quinta estimativa da safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas 1, indica uma produção da ordem de 144,3 milhões de toneladas,

Leia mais

COMPILAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS

COMPILAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS COMPILAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS PNAD Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio última atualização da pesquisa: 2011 1 2 CARACTERÍSTICAS DOS DOMICÍLIOS 3 ACESSO A SERVIÇOS PÚBLICOS EVOLUÇÃO DO PERCENTUAL

Leia mais

PIB do Agronegócio do Estado de São Paulo

PIB do Agronegócio do Estado de São Paulo PIB do Agronegócio do Estado de São Paulo PIB do Agronegócio do Estado de São Paulo Motivações Dimensionar o Produto Interno Bruto do Agronegócio do Estado de São Paulo, desde a renda gerada na produção

Leia mais

Metodologia. Modelos de Séries Temporais Específicos para previsão

Metodologia. Modelos de Séries Temporais Específicos para previsão Metodologia CONAB IBGE MAPA EMBRAPA FAPRI (Food and Agricultural Policy Research Institute ) USDA (United States Department of Agriculture) Modelos de Séries Temporais Específicos para previsão Foram usados

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE DIADEMA

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE DIADEMA OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE DIADEMA Relatório Mensal: A Movimentação do Mercado de Trabalho Formal no Município de Diadema Maio de 2008 Termo de Contrato Nº. 226/2007 JUNHO de 2008 SUMÁRIO Apresentação

Leia mais

Rondônia. Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Rondônia. Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Rondônia Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos PERFIL DA POPULAÇÃO RONDÔNIA Rondônia 1,81 milhão* 601,9 mil* População Domicílios Classe B 4% Classe A 3% Classe E 26% RO R$

Leia mais

VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO - junho/2017 CAFÉ TOTAL (valores em Reais*)

VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO - junho/2017 CAFÉ TOTAL (valores em Reais*) CAPA - 13/07/2017 VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO - junho/2017 CAFÉ TOTAL REGIÃO-UF's / ANO 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 REGIÃO NORTE 940.028.686 778.153.936 1.235.490.401 550.568.691 569.079.592

Leia mais

Pesquisa de Emprego em Tecnologia da Informação JULHO DE 2017

Pesquisa de Emprego em Tecnologia da Informação JULHO DE 2017 Pesquisa de Emprego em Tecnologia da Informação JULHO DE 2017 DEFINIÇÕES A Pesquisa de Emprego em Serviços é desenvolvida pela CNS/FESESP/SEPROSP com base em dados do sistema RAIS-CAGED do Ministério do

Leia mais

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Índice 1 - Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso 1.1 Agronegócio Soja 1.2 Agronegócio Milho 1.3 Agronegócio Algodão 1.4 Agronegócio Boi 2 Competitividade 2.1 Logística

Leia mais

VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO - julho/2017 CAFÉ TOTAL (valores em Reais*)

VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO - julho/2017 CAFÉ TOTAL (valores em Reais*) CAPA - 16/08/2017 VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO - julho/2017 CAFÉ TOTAL (valores em Reais*) REGIÃO-UF's / ANO 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 REGIÃO NORTE 937.253.216 775.856.407 1.231.842.568

Leia mais

XXII Seminário. Econômica

XXII Seminário. Econômica XXII Seminário Internacional de Política Econômica Antônio Márcio Buainain e Patrícia Almeida Instituto de Economia da Unicamp Viçosa, 28 de Outubro de 2010 Objetivo central Analisar o funcionamento do

Leia mais

ENCARGOS SOCIAIS SOBRE A MÃO DE OBRA HORISTA % GRUPO A

ENCARGOS SOCIAIS SOBRE A MÃO DE OBRA HORISTA % GRUPO A ACRE B1 Repouso Semanal Remunerado 18,06 0,00 18,06 0,00 B2 Feriados 4,77 0,00 4,77 0,00 B3 Auxílio - Enfermidade 0,91 0,69 0,91 0,69 B4 13º Salário 10,97 8,33 10,97 8,33 B7 Dias de Chuvas 1,68 0,00 1,68

Leia mais

Nível de Emprego Formal Celetista

Nível de Emprego Formal Celetista Nível de Emprego Formal Celetista Cadastro Geral de Empregados e Desempregados CAGED Abril de 2014 1 Geração de Empregos Formais Celetistas Total de Admissões em abril de 2014... 1.862.515 Total de Desligamentos

Leia mais

Exercícios Complementares de Ciências Humanas Geografia Ensino Fundamental. Regiões Brasileiras

Exercícios Complementares de Ciências Humanas Geografia Ensino Fundamental. Regiões Brasileiras de Geografia Exercícios Complementares Regiões Brasileiras 1. O mapa mostra a divisão do Brasil entre as cinco regiões do IBGE. Identifique-as e, na sequência, relacione as características listadas a seguir

Leia mais

Tabela de produtos esquema de rebate 7 (Janeiro 2013) COD PRODUTO CONSIDERAR RELATORIO

Tabela de produtos esquema de rebate 7 (Janeiro 2013) COD PRODUTO CONSIDERAR RELATORIO Tabela de produtos esquema de rebate 7 (Janeiro 2013) COD PRODUTO CONSIDERAR RELATORIO 90001 AVICULTURA INTEGRADA 0.10 1 90002 SUINOCULTURA INTEGRADA 0.10 1 3500 ALHO 0.30 2 11500 CEBOLA 0.30 2 21219 QUEIJOS

Leia mais

Balanço da Geração de Emprego, Negociações Coletivas, PLR e 13º Salário dos Trabalhadores em Taubaté e Região

Balanço da Geração de Emprego, Negociações Coletivas, PLR e 13º Salário dos Trabalhadores em Taubaté e Região Balanço da Geração de Emprego, Negociações Coletivas, PLR e 13º Salário dos Trabalhadores em Taubaté e Região DIEESE - Subseção Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região Fonte: CAGED Lei nº4.923/65

Leia mais

Valor da Produção Agropecuária do Estado de São Paulo em 2013: estimativa preliminar

Valor da Produção Agropecuária do Estado de São Paulo em 2013: estimativa preliminar Análises e Indicadores do Agronegócio ISSN 1980-0711 Valor da Produção Agropecuária do Estado de São Paulo em 2013: estimativa preliminar O objetivo deste artigo é apresentar a estimativa preliminar do

Leia mais

Contas Regionais do Brasil 2012

Contas Regionais do Brasil 2012 Diretoria de Pesquisas Contas Regionais do Brasil 2012 Coordenação de Contas Nacionais frederico.cunha@ibge.gov.br alessandra.poca@ibge.gov.br Rio de Janeiro, 14/11/2014 Contas Regionais do Brasil Projeto

Leia mais

salariômetro mercado de trabalho e negociações coletivas Principais destaques

salariômetro mercado de trabalho e negociações coletivas Principais destaques Fonte: MTE. Elaboração: Fipe. salariômetro mercado de trabalho e negociações coletivas Boletim de setembro/2017 Principais destaques Reforma Trabalhista e inflação baixa travam negociações Quantidade de

Leia mais

Dezembro/ BRASIL. Análise do emprego. Brasil Dezembro/2013

Dezembro/ BRASIL. Análise do emprego. Brasil Dezembro/2013 Dezembro/2013 - BRASIL Análise do emprego Brasil Dezembro/2013 2013. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação,

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS no Estado do Rio de Janeiro JANEIRO DE 214 BRASIL O saldo líquido de empregos formais no primeiro mês de 214 foi de 29.595 empregos em todo o país, segundo o Cadastro Geral

Leia mais

Nível de Emprego Formal Celetista

Nível de Emprego Formal Celetista Nível de Emprego Formal Celetista Cadastro Geral de Empregados e Desempregados CAGED FEVEREIRO de 2014 1 Geração de Empregos Formais Celetistas Total de Admissões em fevereiro de 2014... 1.989.181 Total

Leia mais

Piores trechos por Unidade Federativa por número de acidentes

Piores trechos por Unidade Federativa por número de acidentes Piores trechos por Unidade Federativa por número de acidentes - 2015 Data: 18/05/2016 FILTROS: Veículos: Todos Valores: Absolutos Estado: Todos BR: Todas Piores trechos por Estado número de acidentes -

Leia mais

Maio/ BRASIL. Análise do emprego. Brasil Maio/2014

Maio/ BRASIL. Análise do emprego. Brasil Maio/2014 Maio/2014 - BRASIL Análise do emprego Brasil Maio/2014 2014. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no

Leia mais

CONTAS REGIONAIS. Governo do Estado do Amapá. Secretaria de Estado do Planejamento Coordenadoria de Pesquisas, Estratégias Socioeconômicas e Fiscais

CONTAS REGIONAIS. Governo do Estado do Amapá. Secretaria de Estado do Planejamento Coordenadoria de Pesquisas, Estratégias Socioeconômicas e Fiscais Governo do Estado do Amapá Diretoria de Pesquisas Coordenação de Contas Nacionais - CONAC Secretaria de Estado do Planejamento Coordenadoria de Pesquisas, Estratégias Socioeconômicas e Fiscais CONTAS REGIONAIS

Leia mais

GERAÇÃO DE VAGAS ATINGIU MAIS DA METADE DOS SUBSETORES NO 1º TRIMESTRE

GERAÇÃO DE VAGAS ATINGIU MAIS DA METADE DOS SUBSETORES NO 1º TRIMESTRE GERAÇÃO DE VAGAS ATINGIU MAIS DA METADE DOS SUBSETORES NO 1º TRIMESTRE Apesar do saldo agregado negativo nos três primeiros meses do ano, 13 dos 25 subsetores de atividade geraram postos formais de trabalho.

Leia mais

Boletim de preços de produtos agropecuários e florestais do Estado do Acre

Boletim de preços de produtos agropecuários e florestais do Estado do Acre 1. Apresentação A produção de borracha natural em 2010 atendeu a 30% da demanda nacional e as projeções de consumo para 2030 são de 1 milhão de toneladas por ano, segundo dados da Divisão de Florestas

Leia mais

AGRONEGÓCIO RIO DE JANEIRO. Coordenação Cepea: Ph.D Geraldo Barros Dr. Arlei Luiz Fachinello Dra. Adriana Ferreira Silva

AGRONEGÓCIO RIO DE JANEIRO. Coordenação Cepea: Ph.D Geraldo Barros Dr. Arlei Luiz Fachinello Dra. Adriana Ferreira Silva AGRONEGÓCIO RIO DE JANEIRO Coordenação Cepea: Ph.D Geraldo Barros Dr. Arlei Luiz Fachinello Dra. Adriana Ferreira Silva PIB AGRONEGÓCIO RJ em 28 R$ 12,2 BILHÕES 6. 4.5 5.616 4.589 3. 1.5 1.688-261 Insumos

Leia mais

Abordagem de mercado dos títulos de crédito do agronegócio

Abordagem de mercado dos títulos de crédito do agronegócio Abordagem de mercado dos títulos de crédito do agronegócio Ivan Wedekin Seminário FEBRABAN sobre Agronegócios 2016 18.10.2016 Crédito e desenvolvimento do agronegócio Brasil: indicadores do crédito na

Leia mais

Boletim de preços de produtos agropecuários e florestais do Estado do Acre

Boletim de preços de produtos agropecuários e florestais do Estado do Acre Laranja: Acre importa cerca de 400 toneladas por ano. Mercado local consome mais laranja do que o Estado produz. Esta edição do boletim de preços traz uma análise sobre a produção de laranja no Acre. Os

Leia mais

Índices gerais base: ago. 94 = * - Col Col Col Col Dez. 438, , , ,591

Índices gerais base: ago. 94 = * - Col Col Col Col Dez. 438, , , ,591 Índices gerais base: ago. 94 = 100 Índice Geral de Preços Índice de Preços ao Produtor Amplo 2 Oferta Global Disponibilidade Interna Oferta Global Disponibilidade Interna 1 161392* - Col. 1 161384 - Col.

Leia mais

PIB do Agronegócio do Estado de São Paulo

PIB do Agronegócio do Estado de São Paulo PIB do Agronegócio do Estado de São Paulo Base: agosto/15 Relatório 2016 PIB do Agronegócio do Estado de São Paulo Motivações Dimensionar o Produto Interno Bruto do Agronegócio do Estado de São Paulo,

Leia mais

Produto Interno Bruto (PIB) Espírito Santo 2013

Produto Interno Bruto (PIB) Espírito Santo 2013 GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE ESTADO DE ECONOMIA E PLANEJAMENTO SEP INSTITUTO JONES DOS SANTOS NEVES IJSN Vitória, novembro 2015 Sumário Executivo O do Espírito Santo apresentou estabilidade

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DO RIO GRANDE DO NORTE. Relatório Mensal: Movimentação do emprego formal em setembro de 2010 no Rio Grande do Norte

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DO RIO GRANDE DO NORTE. Relatório Mensal: Movimentação do emprego formal em setembro de 2010 no Rio Grande do Norte OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DO RIO GRANDE DO NORTE Relatório Mensal: Movimentação do emprego formal em setembro de 2010 no Rio Grande do Norte Contrato de Prestação de Serviços Nº. 011/2010 - SETHAS/DIEESE

Leia mais

PRODUTO INTERNO BRUTO

PRODUTO INTERNO BRUTO Ano I Edição I Novembro/2015 PRODUTO INTERNO BRUTO 2013 Contas Regionais Cuiabá-MT 2015 SI - Secretaria Adj. de Informações Socioeconômicas, Geog. e de Indicadores SEGE Superintendência de Estudos Socioeconômicos

Leia mais

Síntese de indicadores. nº 1 setembro 2012 CAGED

Síntese de indicadores. nº 1 setembro 2012 CAGED Síntese de indicadores nº 1 setembro 2012 CAGED Síntese de indicadores CAGED Apresentação A partir deste mês, os Observatórios do Trabalho do DIEESE passam a divulgar a Síntese de Indicadores, com resultados

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015 DADOS GERAIS DO ESTADO DA RORAIMA Total Part % Brasil Part % Região Área Total - km² 224.118 2,64% 5,82% População - mil (1)

Leia mais

GRÁFICO 1 Saldo do Emprego Bancário Brasil janeiro/2015 a junho/2016

GRÁFICO 1 Saldo do Emprego Bancário Brasil janeiro/2015 a junho/2016 Saldo de Empregos no Setor Bancário Janeiro a junho de 2016 Analise do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho e Emprego No primeiro semestre de 2016 foram fechados 6.785

Leia mais

DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos DISTRITO FEDERAL JULHO DE 2017

DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos DISTRITO FEDERAL JULHO DE 2017 DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos DISTRITO FEDERAL JULHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

Distrito Federal. Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Distrito Federal. Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Distrito Federal Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos PERFIL DA POPULAÇÃO DISTRITO FEDERAL Distrito Federal 3,04 1,03 milhões* milhão* População Domicílios Classe B 7% Classes

Leia mais

Emprego industrial 25 de Fevereiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA. Indústria Janeiro/2014

Emprego industrial 25 de Fevereiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA. Indústria Janeiro/2014 EMPREGO INDUSTRIAL Janeiro de 2014 Emprego industrial 25 de Fevereiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO A INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO APRESENTOU O MELHOR DESEMPENHO

Leia mais

Na média de 2015, a economia brasileira fechou mais de 525,3 mil postos de trabalho em relação aos dez primeiros meses de O setor de serviços,

Na média de 2015, a economia brasileira fechou mais de 525,3 mil postos de trabalho em relação aos dez primeiros meses de O setor de serviços, Novembro de 2015 1 Na média de 2015, a economia brasileira fechou mais de 525,3 mil postos de trabalho em relação aos dez primeiros meses de 2014. O setor de serviços, contudo, continuou abrindo vagas.

Leia mais

Estatísticas do Registro Civil Data 17 / 12 / 2012

Estatísticas do Registro Civil Data 17 / 12 / 2012 Estatísticas do Registro Civil 2011 Data 17 / 12 / 2012 Em 2011, o total de registros foi 2,0% maior que em 2010, indicando a melhoria da cobertura do registro civil de nascimento no País. Houve acréscimo

Leia mais

SISTEMA PÚBLICO DE EMPREGO, TRABALHO E RENDA. Intermediação de mão-de-obra

SISTEMA PÚBLICO DE EMPREGO, TRABALHO E RENDA. Intermediação de mão-de-obra SISTEMA PÚBLICO DE EMPREGO, TRABALHO E RENDA 2 0 0 8 Intermediação de mão-de-obra DIEESE Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos Anuário Sistema Público de Emprego, Trabalho

Leia mais

Variação em volume. Maior resultado: Mato Grosso do Sul -0,3% -2,5. % correspondendo a. 40% do PIB. per capita. Brasil ,33 Distrito Federal

Variação em volume. Maior resultado: Mato Grosso do Sul -0,3% -2,5. % correspondendo a. 40% do PIB. per capita. Brasil ,33 Distrito Federal Contas Nacionais n. 57 ISSN 1415-9813 SCR Sistema de Contas Regionais: Brasil IBGE, 2017 O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, as

Leia mais

Valor da Produção Agropecuária do Estado de São Paulo, Resultado Final de 2014

Valor da Produção Agropecuária do Estado de São Paulo, Resultado Final de 2014 v. 10, n. 6, junho 2015 Valor da Produção Agropecuária do Estado de São Paulo, Resultado Final de 2014 A estimativa do Valor da Produção Agropecuária (VPA) do Estado de São Paulo, em 2014, contabilizou

Leia mais

TRABALHO ASSALARIADO NA AGRICULTURA NORDESTINA NO PERÍODO

TRABALHO ASSALARIADO NA AGRICULTURA NORDESTINA NO PERÍODO TRABALHO ASSALARIADO NA AGRICULTURA NORDESTINA NO PERÍODO 2001-08 No período 2001-08, o total de pessoas ocupadas na agricultura nordestina apresentou um quadro de relativa estabilidade. No entanto, houve

Leia mais

Metalúrgicos da CUT injetarão R$ 2,1 bilhões na economia com o pagamento do 13º salário de 2012

Metalúrgicos da CUT injetarão R$ 2,1 bilhões na economia com o pagamento do 13º salário de 2012 1 São Bernardo do Campo, 05de novembro de 2012 Metalúrgicos da CUT injetarão R$ 2,1 bilhões na economia com o pagamento do 13º salário de 2012 O pagamento do 13º salário de 2012 aos metalúrgicos representados

Leia mais

IMPACTOS ECONÔMICOS DO EL NIÑO 97/98 NA PRODUÇÃO AGRÍCOLA BRASILEIRA

IMPACTOS ECONÔMICOS DO EL NIÑO 97/98 NA PRODUÇÃO AGRÍCOLA BRASILEIRA IMPACTOS ECONÔMICOS DO EL NIÑO 97/98 NA PRODUÇÃO AGRÍCOLA BRASILEIRA Edson Baptista Teracines Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais Avenida dos Astronautas, 1758 Jardim da Granja - S. José dos Campos

Leia mais

Resultados- Junho OUTUBRO 2011

Resultados- Junho OUTUBRO 2011 Resultados- Junho 2011 - OUTUBRO 2011 Crescimento do volume e receita nominal das vendas; evolução da massa de rendimentos dos ocupados; volume de crédito e inadimplência; dados sobre emprego formal, como

Leia mais

COMÉRCIO VAREJISTA JUNHO DE 2017

COMÉRCIO VAREJISTA JUNHO DE 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA JUNHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

A FUNCIONALIDADE DA AGROPECUÁRIA BRASILEIRA (1975 A 2020)

A FUNCIONALIDADE DA AGROPECUÁRIA BRASILEIRA (1975 A 2020) A FUNCIONALIDADE DA AGROPECUÁRIA BRASILEIRA (1975 A 2020) The functionality of Brazilian agriculture (1975 to 2020) Vinicius Guidotti 1, Felipe Cerignoni 1, Gerd Sparovek 2, Luís Fernando Guedes Pinto

Leia mais

PIB do Agronegócio do Estado de São Paulo Estimativa com base em informações até outubro/16. Base: agosto/15

PIB do Agronegócio do Estado de São Paulo Estimativa com base em informações até outubro/16. Base: agosto/15 PIB do Agronegócio do Estado de São Paulo Estimativa com base em informações até outubro/16 Base: agosto/15 PIB do Agronegócio do Estado de São Paulo Motivações Dimensionar o Produto Interno Bruto do Agronegócio

Leia mais

O MERCADO DE TRABALHO FORMAL RURAL

O MERCADO DE TRABALHO FORMAL RURAL 1 Subseção CONTAG O MERCADO DE TRABALHO FORMAL RURAL Agosto/2009 Introdução Este informativo tem como finalidade suprir o Movimento Sindical dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais MSTTR (CONTAG, FETAGs

Leia mais

Boletim de preços de produtos agropecuários e florestais do Estado do Acre

Boletim de preços de produtos agropecuários e florestais do Estado do Acre Preço de farinha de mandioca aumenta 240% Nesta edição, o Boletim de Preços destaca o aumento do preço médio pago pela saca de farinha de mandioca no Vale do Juruá, AC, que variou 240% entre junho/2012

Leia mais

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Dezembro/2016 e acumulado de 2016 2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui

Leia mais

Brasil Em Números. Maio 2014

Brasil Em Números. Maio 2014 Brasil Em Números Maio 2014 Dados gerais Nome oficial - República Federativa do Brasil Capital: Brasília, localizada no Distrito Federal, Centro-Oeste do país e inaugurada oficialmente em 1960 Idioma:

Leia mais

Piores trechos por Unidade Federativa por número de mortos

Piores trechos por Unidade Federativa por número de mortos Piores trechos por Unidade Federativa por número de mortos - 2016 Data: 24/05/2017 FILTROS: Veículos: Todos Valores: Absolutos Estado: Todos BR: Todas Piores trechos por Estado número de mortos 2016 Estado

Leia mais

Emprego com carteira no RN tem primeiro saldo positivo depois de nove meses

Emprego com carteira no RN tem primeiro saldo positivo depois de nove meses Emprego com carteira no RN tem primeiro saldo positivo depois de nove meses Depois de nove meses com saldo negativo, o mercado de trabalho formal do Rio Grande do Norte criou 453 vagas com carteira assinada

Leia mais

PRODUTO INTERNO BRUTO DE ALAGOAS (PIB) PARA O ANO DE 2014

PRODUTO INTERNO BRUTO DE ALAGOAS (PIB) PARA O ANO DE 2014 PRODUTO INTERNO BRUTO DE ALAGOAS (PIB) PARA O ANO DE 2014 Superintendência de Produção da Informação e do Conhecimento (SINC) Gerência de Estatística e Indicadores Em 2014, a economia mundial cresceu apenas

Leia mais