DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015"

Transcrição

1 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015

2 DADOS GERAIS DO ESTADO DO MATO GROSSO Total Part % Brasil Part % Região Área Total - km² ,63% 56,24% População - mil (1) ,61% 21,60% Densidade - pop/km² (1) 3, PIB - R$ milhões (1) ,84% 18,78% PIB per capita - R$ (1) Exportação - US$ milhões (2) 687,55 4,40% 53,35% Importação - US$ milhões (2) 159,06 0,70% 12,12% FONTES: IBGE Contas Regionais, SECEX ELABORAÇÃO: BRADESCO (1) 2012 (2) 2015

3 PIB

4 PIB POR ESTADO 2012 São Paulo Rio de Janeiro Minas Gerais Rio Grande do Sul Paraná Santa Catarina Distrito Federal Bahia Goiás Pernambuco Espírito Santo Pará Ceará Amazonas Maranhão do Sul Rio Grande do Norte Paraíba Alagoas Rondônia Sergipe Piauí Tocantins Amapá Acre Roraima Em milhões de R$ FONTE: IBGE Contas Regionais ELABORAÇÃO: BRADESCO

5 PARTICIPAÇÃO PERCENTUAL PIB POR UF POR (Fonte: ESTADO IBGE) NO PIB BRASILEIRO 2012 São Paulo Rio de Janeiro Minas Gerais Rio Grande do Sul Paraná Santa Catarina Distrito Federal Bahia Goiás Pernambuco Espírito Santo Pará Ceará Amazonas Maranhão do Sul Rio Grande do Norte Paraíba Alagoas Rondônia Sergipe Piauí Tocantins Amapá Acre Roraima 6,3% 5,8% 4,0% 3,9% 3,8% 2,8% 2,7% 2,4% 2,1% 2,1% 1,8% 1,5% 1,3% 1,2% 0,9% 0,9% 0,7% 0,7% 0,6% 0,6% 0,4% 0,2% 0,2% 0,2% 9,2% 11,5% 32,1% 0,0% 5,0% 10,0% 15,0% 20,0% 25,0% 30,0% 35,0% FONTE: IBGE Contas Regionais ELABORAÇÃO: BRADESCO

6 Crescimento real do PIB por UF - em % (Fonte: IBGE) VARIAÇÃO REAL DO PIB POR ESTADO EM % /2009 Tocantins Espírito Santo Rondônia do Sul Acre Paraíba Paraná Amazonas Roraima Minas Gerais Goiás Maranhão Pará Amapá Ceará São Paulo Pernambuco Brasil Alagoas Rio Grande do Sul Bahia Santa Catarina Sergipe Rio Grande do Norte Rio de Janeiro Distrito Federal Piauí 3,6 4,5 4,3 4,2 5,4 5,3 5,1 6,8 6,7 6,6 8,0 8,0 8,0 7,9 7,7 7,5 8,9 8,8 8,7 11,0 10,9 10,3 10,0 10,0 9,6 12,6 14,2 13, FONTE: IBGE ELABORAÇÃO BRADESCO

7 EVOLUÇÃO DO PIB BRASILEIRO E DO MATO GROSSO EEVOLUÇÃO DO PIB BRASILEIRO E DO MATO GROSSO (FONTE: IBGE) (ÍNDICE 1985 = 100) ÍNDICE 2002 = 100 Brasil Brasil 206, , ,61 144,37 147,21 133,75 134,75 126,55 126,53 126,09 120,40 120,12 120,77 114,13 100,00 103,72 106,91 110,08 100,00 101,24 147,43 155, FONTE: IBGE ELABORAÇÃO BRADESCO

8 VARIAÇÃO % INTERANUAL DO PIB BRASILEIRO E DO MATO GROSSO EVOLUÇÃO DO PIB BRASILEIRO E DO DISTRITO FEDERAL (FONTE: IBGE) (ÍNDICE 1985 = 100) Brasil 13,0% 11,0% Brasil 11,3% 9,0% 7,0% 5,0% 3,0% 5,0% 10,2% 4,9% 5,0% 3,2% 4,0% 6,1% 7,9% 5,2% 2,4% 3,6% 7,5% 1,0% 0,5% -1,0% -0,3% -3,0% -5,0% -7,0% -4,6% FONTE: IBGE ELABORAÇÃO BRADESCO

9 2002 Rio Grande do Norte EVOLUÇÃO DA PARTICIPAÇÃO DO ESTADO DO MATO GROSSO NO PIB BRASILEIRO Em % Ranking PIB 21º 17º 16º 15º 14º 15º 14º 14º 14º 15º 17º 17º Renda per capita 16º 16º 12º 11º 6º 8º 8º 7º 7º 8º 7º 9º 2,10 1,90 1,74 1,76 1,77 1,72 1,84 1,64 1,60 1,58 1,40 1,42 1,49 0,70 FONTE: IBGE Contas Regionais ELABORAÇÃO: BRADESCO

10 PARTICIPAÇÃO DAS ATIVIDADES ECONÔMICAS NO PIB DO MATO GROSSO E DO BRASIL Atividades MT Brasil Total 100,0% 100,0% Agropecuária 28,6% 5,3% Adm., saúde e educação púb. 14,0% 16,6% Comércio e reparação de bens 17,2% 12,7% Ind de transformação 8,3% 13,0% Outros serviços 9,0% 15,7% Atividades imobiliárias e aluguel 6,6% 8,2% Construção 4,6% 5,7% Transporte e armazenagem 4,3% 5,4% Intermediação financeira 3,3% 7,2% Eletricidade, gás e água 2,5% 3,1% Serviços de informação 1,3% 2,9% Ind extrativa mineral 0,4% 4,3% FONTE: IBGE Contas Regionais ELABORAÇÃO: BRADESCO

11 PARTICIPAÇÃO DAS ATIVIDADES ECONÔMICAS NO PIB DO MATO GROSSO PARTICIPAÇÃO DAS PRINCIPAIS ATIVIDADES NO PIB DO MATO GROSSO Agropecuária Comércio e reparação de bens 17,2% Adm., saúde e educação púb. 14,0% Outros serviços Ind de transformação 8,3% 9,0% Atividades imobiliárias e aluguel 6,6% Construção Transporte e armazenagem Intermediação financeira Eletricidade, gás e água Serviços de informação Ind extrativa mineral 4,6% 4,3% 3,3% 2,5% 1,3% 0,4% 0% 6% 12% 18% 24% FONTE: IBGE Contas Regionais ELABORAÇÃO: BRADESCO

12 VARIAÇÃO % DO PIB DO MATO GROSSO POR ATIVIDADE ECONÔMICA Atividades econômicas Var % 2012 Construção 4,0% Indústria de transformação -6,2% Comércio e serviços de manutenção e reparação 16,1% Indústria extrativa mineral 15,2% Intermediação financeira, seguros e previdência completamentar 9,1% Total 12,6% Outros serviços 13,1% Transportes, armazenagem e correio -6,3% Agricultura, silvicultura e exploração florestal 33,2% Administração, saúde e educação públicas 8,6% Atividades imobiliárias e aluguel 9,5% Produção e distribuição de Eletricidade e gás, água, esgoto e limpeza urbana -13,1% Serviços de informação -22,2% FONTE: IBGE ELABORAÇÃO BRADESCO

13 PIB PER CAPITA

14 PIB PER CAPITA POR ESTADO PIB PER CAPITA POR UF (Fonte: IBGE) Distrito Federal São Paulo Rio de Janeiro Espírito Santo Santa Catarina Rio Grande do Sul Paraná Brasil do Sul Minas Gerais Goiás Rondônia Amazonas Roraima Amapá Tocantins Sergipe Pernambuco Acre Rio Grande do Norte Bahia Pará Ceará Paraíba Alagoas Maranhão Piauí FONTE: IBGE Contas Regionais ELABORAÇÃO: BRADESCO em R$ per capita

15 EVOLUÇÃO DA RENDA PER CAPITA DO BRASIL E DO MATO GROSSO Em R$ correntes/ano R$ correntes / ano RENDA PER CAPITA DO BRASIL E DE MATO GROSSO Brasil 125,7% Relação MT / BR ,6% ,1% 112,8% ,8% ,4% ,4% ,3% 94,6% 130% 120% 110% 100% % FONTE: IBGE Contas Regionais ELABORAÇÃO: BRADESCO

16 POPULAÇÃO

17 POPULAÇÃO POR UF (Fonte: IBGE) POPULAÇÃO POR ESTADO em mil pessoas São Paulo Minas Gerais Rio de Janeiro Bahia Rio Grande do Sul Paraná Pernambuco Ceará Pará Maranhão Santa Catarina Goiás Paraíba Espírito Santo Amazonas Alagoas Piauí Rio Grande do Norte Distrito Federal do Sul Sergipe Rondônia Tocantins Acre Amapá Roraima Em habitantes FONTE: IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO

18 INDICADORES SOCIAIS

19 TAXA DE FECUNDIDADE COMPARAÇÃO ENTRE AS UNIDADES DA FEDERAÇÃO EM 2012 Acre Amapá Amazonas Roraima Maranhão Pará Alagoas Tocantins do Sul Paraíba Piauí Rondônia Sergipe Ceará Pernambuco Rio Grande do Norte Bahia Brasil Paraná Espírito Santo Goiás Minas Gerais São Paulo Rio de Janeiro Rio Grande do Sul Distrito Federal Santa Catarina 1,70 1,70 1,68 1,66 1,65 1,64 1,62 1,61 1,60 1,95 1,94 1,89 1,87 1,87 1,87 1,87 1,86 1,83 1,82 1,80 2,10 2,07 2,26 2,34 2,51 2,45 2,41 1,50 1,70 1,90 2,10 2,30 2,50 2,70 2,90 2,66 19 FONTE: PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO

20 ESPERANÇA DE VIDA COMPARAÇÃO ENTRE AS UNIDADES DA FEDERAÇÃO EM 2012 Santa Catarina Distrito Federal São Paulo Espírito Santo Rio Grande do Sul Minas Gerais Paraná Rio de Janeiro Rio Grande do Norte Brasil do Sul Goiás Ceará Amapá Acre Bahia Tocantins Pernambuco Paraíba Sergipe Pará Amazonas Rondônia Piauí Roraima Alagoas Maranhão 69,4 73,5 73,2 72,9 72,8 72,5 72,5 72,2 72,1 71,9 71,6 71,3 70,9 70,5 70,3 70,2 70,0 74,9 74,7 74,5 74,4 77,0 76,8 76,8 76,6 76,1 75,8 67,0 69,0 71,0 73,0 75,0 77,0 79,0 77,7 20 FONTE: PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO

21 % DA CLASSE E NA POPULAÇÃO DAS UFs EM 2013 FONTE: IBGE Classe E Maranhão Ceará Bahia Paraíba Pernambuco Sergipe Piauí Rio Grande do Norte Pará Acre Tocantins Amazonas Roraima Rondônia Amapá Brasil Espírito Santo Minas Gerais Rio de Janeiro Goiás do Sul Rio Grande do Sul Distrito Federal Paraná São Paulo Santa Catarina FONTE: PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO 20,7% 20,2% 17,9% 17,3% 16,9% 16,5% 15,4% 13,7% 13,4% 12,5% 10,9% 9,9% 9,5% 8,5% 8,4% 7,2% 6,3% 30,2% 30,1% 28,7% 28,3% 26,7% 25,5% 25,4% 24,5% 23,9% 33,9% 0% 5% 10% 15% 20% 25% 30% 35% 40%

22 % DAS CLASSES A, B e C NA POPULAÇÃO DAS UFs EM 2013 FONTE: IBGE Santa Catarina São Paulo Distrito Federal Paraná Rio Grande do Sul do Sul Rio de Janeiro Goiás Minas Gerais Espírito Santo Brasil Amapá Rondônia Amazonas Roraima Tocantins Acre Rio Grande do Norte Pará Piauí Pernambuco Sergipe Paraíba Bahia Ceará Maranhão Alagoas FONTE: PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO 53,3% 56,6%60,1% 49,5% 53,3% 53,3% 47,3% 49,3% 49,4% 47,3% 46,6% 44,8% 43,1% 83,4% 74,5% 77,0% 78,1% 81,6% 81,8% 73,7% 68,8% 70,7% 72,8% 73,6% 62,7% 66,7% 67,0% 62,5% 15% 20% 25% 30% 35% 40% 45% 50% 55% 60% 65% 70% 75% 80% 85% 90%

23 PARTICIPAÇÃO DAS CLASSES SOCIAIS NO MATO GROSSO EM Classes sociais no Estado do Mato 2004 E 2013 Grosso em 2004 Classe B 3,9% Classe A 3,9% Classe E 27,7% Classes sociais no estado do em 2004 Classe C 44,1% Classe D 20,4% Classe A Classe B 5,7% 6,7% Classe E 13,7% Classe D 15,1% Classes sociais no estado do em 2013 Classe C 58,8% FONTE: PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO

24 % DA POPULAÇÃO ABAIXO DA LINHA DE POBREZA - COMPARAÇÃO Maranhão Alagoas Acre Ceará Amazonas Bahia Piauí Pará Pernambuco Paraíba Sergipe Amapá Rio Grande do Norte Tocantins Roraima Rondônia Brasil Rio de Janeiro Rio Grande do Sul Espírito Santo São Paulo Distrito Federal Paraná Goiás Minas Gerais do Sul Santa Catarina 8,4% 8,2% 7,5% 7,3% 7,3% 6,9% 6,6% 6,4% 5,8% 4,4% FONTE: IPEADATA, PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO 10,5% 15,9% 15,1% 24,1% 23,9% 23,6% 22,3% 20,9% 30,2% 28,3% 28,0% 27,9% 27,6% 27,6% 27,4% 26,9% 36,6% 34,7% 4,0% 9,0% 14,0% 19,0% 24,0% 29,0% 34,0% 39,0%

25 * % DA POPULAÇÃO ABAIXO DA LINHA DE POBREZA - MATO GROSSO 41,0% 38,0% 38,7% 35,0% 32,3% 32,0% 29,0% 26,0% 32,6% 28,9% 27,2% 26,6% 24,3% 27,2% 23,0% 24,2% 21,0% 20,0% 17,0% 20,6% 16,4% 14,0% 12,4% 11,0% 12,4% 8,0% 7,6% 7,3% 5,0% FONTE: IPEADATA, PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO

26 % MAIS POBRE DA POPULAÇÃO COM RENDA TOTAL IGUAL À DO 1% MAIS RICO COMPARAÇÃO Sergipe Maranhão Bahia Rio Grande do Norte Amazonas Roraima Alagoas Piauí Distrito Federal Ceará Brasil Acre Tocantins Paraíba Pernambuco Rio de Janeiro do Sul Pará Espírito Santo Minas Gerais Goiás São Paulo Amapá Rondônia Rio Grande do Sul Paraná Santa Catarina FONTE: IPEADATA, PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO 8,0% 17,9% 17,1% 17,1% 17,1% 17,1% 17,1% 17,0% 15,5% 15,5% 15,4% 15,4% 15,4% 15,4% 13,9% 13,9% 13,2% 13,2% 12,5% 12,5% 11,8% 11,1% 11,1% 10,5% 20,5% 24,3% 28,3% 28,3% 5,0% 10,0% 15,0% 20,0% 25,0% 30,0%

27 * * * * % MAIS POBRE DA POPULAÇÃO COM RENDA TOTAL IGUAL À DO 1% MAIS RICO - MATO GROSSO 40% 37,4% 35% 30,5% 30% 25% 25,3% 21,4% 24,3% 20% 20,5% 20,5% 18,7% 20,5% 15% 14,7% 18,7% 17,9% 13,9% 13,9% 13,9% 15,4% 10% 11,1% FONTE: IPEADATA, PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO

28 DESIGUALDADE (ÍNDICE DE GINI) COMPARAÇÃO 2013 Distrito Federal Distrito Federal Sergipe Maranhão Bahia Amazonas Rio Grande do Norte Rio de Janeiro Roraima Brasil Paraíba Alagoas Acre Amapá Tocantins Piauí Ceará Pernambuco Pará do Sul Espírito Santo São Paulo Minas Gerais Goiás Rio Grande do Sul Rondônia Paraná Santa Catarina 0,435 FONTE: IPEADATA, PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO 0,543 0,541 0,532 0,531 0,527 0,525 0,525 0,525 0,522 0,519 0,515 0,514 0,505 0,502 0,502 0,497 0,494 0,494 0,489 0,484 0,478 0,476 0,469 0,560 0,560 0,558 0,420 0,470 0,520 0,570 0,620 0,670 0,578 0,624

29 * DESIGUALDADE (ÍNDICE DE GINI) MATO GROSSO 0,61 0,610 0,59 0,579 0,574 0,571 0,57 0,562 0,576 0,55 0,53 0,51 0,517 0,555 0,544 0,528 0,530 0,523 0,516 0,544 0,504 0,523 0,505 0,49 0,47 0,479 FONTE: IPEADATA, PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO

30 DESENVOLVIMENTO IDH Distrito Federal São Paulo Santa Catarina Rio de Janeiro Paraná Rio Grande do Sul Espírito Santo Goiás Minas Gerais do Sul Brasil Amapá Roraima Tocantins Rondônia Rio Grande do Norte Ceará Amazonas Pernambuco Sergipe Acre Bahia Paraíba Piauí Pará Maranhão Alagoas FONTE: PNUD ELABORAÇÃO: BRADESCO 0,783 0,774 0,761 0,749 0,746 0,740 0,735 0,731 0,729 0,727 0,725 0,708 0,707 0,699 0,690 0,684 0,682 0,674 0,673 0,665 0,663 0,660 0,658 0,646 0,646 0,639 0,631 0,824 0,6 0,65 0,7 0,75 0,8 0,85 0,9

31 * 2007* DESENVOLVIMENTO IDH MATO GROSSO 0,82 0,804 0,808 0,80 0,784 0,793 0,796 0,78 0,768 0,782 0,76 0,766 0,74 0,72 0,727 0,740 0,70 0,699 0,707 0,68 FONTE: PNUD, *BACEN ELABORAÇÃO: BRADESCO

32 EMPREGO E SALÁRIO MÉDIO

33 NÚMERO DE EMPREGADOS POR ESTADO MIL EMPREGADOS EMPREGO TOTAL POR ESTADO 2013 FONTE: IBGE São Paulo Minas Gerais Rio de Janeiro Bahia Rio Grande do Sul Paraná Ceará Pernambuco Santa Catarina Pará Goiás Maranhão Espírito Santo Paraíba Amazonas Piauí Rio Grande do Norte Distrito Federal do Sul Alagoas Sergipe Rondônia Tocantins Acre Amapá Roraima FONTE: IBGE - PNAD ELABORAÇÃO BRADESCO

34 PARTICIPAÇÃO DO NÚMERO DE EMPREGADOS POR ESTADO EMPREGO TOTAL POR ESTADO 2013 FONTE: IBGE São Paulo Minas Gerais Rio de Janeiro Bahia Rio Grande do Sul Paraná Ceará Pernambuco Santa Catarina Pará Goiás Maranhão Espírito Santo Paraíba Amazonas Piauí Rio Grande do Norte Distrito Federal do Sul Alagoas Sergipe Rondônia Tocantins Acre Amapá Roraima 4,10% 3,95% 3,70% 3,64% 3,36% 3,15% 1,94% 1,72% 1,68% 1,59% 1,56% 1,53% 1,44% 1,39% 1,32% 1,01% 0,87% 0,74% 0,32% 0,30% 0,22% 7,75% 7,12% 6,20% 6,01% 10,91% 0,0% 7,0% 14,0% 21,0% 22,47% FONTE: IBGE - PNAD ELABORAÇÃO BRADESCO

35 PARTICIPAÇÃO DO EMPREGO POR OCUPAÇÃO NA ATIVIDADE Part EM c/ carteira % Part s/carteria PARTICIPAÇÃO Part outros DO EMPREGO COM E SEM CARTEIRA ASSINADA PRINCIPAL NOS ESTADOS 2013 FONTE: IBGE DF SP RJ SC PR MS RS MG ES GO Brasil MT AP RO PE AL RN RR SE AM AC TO PB BA CE PA PI MA Part c/ carteira Part s/ carteira 65,0% 63,1% 58,4% 57,9% 56,1% 52,5% 50,3% 49,7% 51,1% 50,1% 49,4% 50,2% 43,2% 43,0% 42,6% 43,7% 39,9% 40,2% 37,2% 41,2% 37,9% 34,6% 35,9% 34,1% 32,5% 26,1% 29,6% 25,5% 27,0% 23,2% 23,5% 24,2% Part outros 25,0% 17,4% 24,1% 23,0% 25,0% 24,8% 26,0% 19,8% 24,8% 24,5% 26,8% 25,5% 15,7% 15,0% 17,1% 12,4% 15,6% 21,3% 15,0% 19,2% 18,2% 21,9% 19,2% 21,8% 29,7% 28,3% 26,2% 34,8% 31,1% 30,7% 28,0% 31,3% 27,9% 31,8% 39,6% 33,3% 33,3% 35,1% 35,0% 36,8% 39,0% 37,3% 40,8% 37,3% 40,3% 41,3% 44,9% 49,8% 52,3% 19,3% 22,0% 24,5% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90% 100% FONTE: IBGE - PNAD ELABORAÇÃO BRADESCO

36 Fonte: Secex Elaboração: Bradesco PARTICIPAÇÃO DO EMPREGO POR OCUPAÇÃO NA ATIVIDADE PRINCIPAL NO MATO GROSSO E NO BRASIL 2013 Outros 27,9% MATO GROSSO Com Carteira Assinada 50,2% EMPREGO POR POSIÇÃO NA OCUPAÇÃO - Brasil Expectativade intensidade do impacto de uma piora do cenário econômico atual Fonte: Secex Elaboração: Brad Sem Carteira Assinada 21,8% Outros 31,3% Com Carteira Assinada 49,4% BRASIL Sem Carteira Assinada 19,2% FONTE: IBGE - PNAD ELABORAÇÃO BRADESCO

37 FONTE: IBGE SALÁRIO MÉDIO POR ESTADO 2013 SALÁRIO MÉDIO POR UF EM R$ Distrito Federal Rio de Janeiro São Paulo Amapá Santa Catarina Rio Grande do Sul Paraná do Sul Roraima Brasil Amazonas Rondônia Tocantins Espírito Santo Goiás Acre Minas Gerais Rio Grande do Norte Sergipe Pará Bahia Paraíba Pernambuco Maranhão Piauí Alagoas Ceará Em R$ FONTE: IBGE - PNAD ELABORAÇÃO BRADESCO

38 SALÁRIO MÉDIO DOS EMPREGADOS COM CARTEIRA ASSINADA POR ESTADO SALÁRIO 2013 MÉDIO DOS EMPREGADOS COM CARTEIRA ASSINADA POR UF FONTE: IBGE EM R$ Rio de Janeiro São Paulo Amapá Santa Catarina Rio Grande do Sul Paraná do Sul Roraima Brasil Amazonas Rondônia Tocantins Espírito Santo Goiás Acre Minas Gerais Rio Grande do Norte Sergipe Pará Bahia Paraíba Pernambuco Maranhão Piauí Alagoas Ceará Em R$ FONTE: IBGE - PNAD ELABORAÇÃO BRADESCO

39 SALÁRIO MÉDIO DOS EMPREGADOS SEM CARTEIRA ASSINADA POR ESTADO SALÁRIO 2013 MÉDIO DOS EMPREGADOS SEM CARTEIRA ASSINADA POR UF FONTE: IBGE EM R$ Rio de Janeiro São Paulo Amapá Santa Catarina Rio Grande do Sul Paraná do Sul Roraima Brasil Amazonas Rondônia Tocantins Espírito Santo Goiás Acre Minas Gerais Rio Grande do Norte Sergipe Pará Bahia Paraíba Pernambuco Maranhão Piauí Alagoas Ceará Em R$ FONTE: IBGE - PNAD ELABORAÇÃO BRADESCO

40 EMPREGO E SALÁRIO MÉDIO DOS EMPREGADOS COM E SEM CARTEIRA ASSINADA NO MATO GROSSO E NO BRASIL 2013 Estatísticas MT Brasil Emprego (mil pessoas) Rendimento médio (R$) 1.638, ,00 FONTE: IBGE - PNAD ELABORAÇÃO BRADESCO

41 EMPREGO E SALÁRIO MÉDIO DOS EMPREGADOS COM CARTEIRA ASSINADA

42 FONTE: RAIS EMPREGO FORMAL POR ESTADO EMPREGADOS NÚMERO DE EMPREGADOS COM CARTEIRA ASSINADA 2014 São Paulo Minas Gerais Rio de Janeiro Paraná Rio Grande do Sul Bahia Santa Catarina Pernambuco Ceará Goiás Distrito Federal Pará Espírito Santo Maranhão Paraíba do Sul Amazonas Rio Grande do Norte Alagoas Piauí Sergipe Rondônia Tocantins Acre Amapá Roraima FONTE: MTE RAIS e Caged ELABORAÇÃO BRADESCO

43 PARTICIPAÇÃO DO EMPREGO COM CARTEIRA ASSINADA NO MATO GROSSO E NO BRASIL POR SETOR 2014 Atividades Econômicas MT Brasil Comércio varejista 20,4% 16,3% Administração pública 18,5% 18,9% Agropecuária 13,0% 3,0% Alimentos e bebidas 6,6% 3,9% Serviços de alojamento 6,5% 8,7% Adm imóveis, valores mobiliários 5,9% 11,1% Construção civil 5,9% 5,7% Transporte e comunicações 5,0% 5,6% Comércio atacadista 3,8% 3,3% Ensino 3,0% 3,9% Serv Médicos, odontológicos 2,5% 3,9% Madeira e mobiliário 1,9% 1,0% Instituição financeira 1,3% 1,7% Atividades Econômicas MT Brasil Química 1,1% 1,9% Minerais não metálicos 0,9% 0,9% SIUP 0,8% 0,9% Metalúrgica 0,6% 1,6% Borracha, fumo, couros 0,5% 0,7% Têxtil e vestuário 0,5% 2,0% Extrativa mineral 0,5% 0,5% Mecânica 0,4% 1,3% Papel, papelão e editorial e gráfico 0,3% 0,8% Material de transporte 0,1% 1,2% Material elétrico e de comunicação 0,1% 0,6% Calçados 0,0% 0,6% Total 100,0% 100,0% FONTE: MTE RAIS e Caged ELABORAÇÃO BRADESCO

44 PARTICIPAÇÃO DO EMPREGO COM CARTEIRA ASSINADA NO MATO GROSSO POR SETOR EMPREGO FORMAL POR SETOR ECONÔMICO NO MATO GROSSO Comércio varejista Administração pública Agropecuária Alimentos e bebidas Serviços de alojamento Adm imóveis, valores mobiliários Construção civil Transporte e comunicações Comércio atacadista Ensino Serv Médicos, odontológicos Madeira e mobiliário Instituição financeira Química Minerais não metálicos SIUP Metalúrgica Borracha, fumo, couros Têxtil e vestuário Extrativa mineral Mecânica Papel, papelão e editorial e gráfico Material de transporte Material elétrico e de comunicação Calçados FONTE: MTE RAIS e Caged ELABORAÇÃO BRADESCO 6,6% 6,5% 5,9% 5,9% 5,0% 3,8% 3,0% 2,5% 1,9% 1,3% 1,1% 0,9% 0,8% 0,6% 0,5% 0,5% 0,5% 0,4% 0,3% 0,1% 0,1% 0,0% 13,0% 18,5% 20,4% 0,0% 5,0% 10,0% 15,0% 20,0% 25,0%

45 set/05 dez/05 mar/06 jun/06 set/06 dez/06 mar/07 jun/07 set/07 dez/07 mar/08 jun/08 set/08 dez/08 mar/09 jun/09 set/09 dez/09 mar/10 jun/10 set/10 dez/10 mar/11 jun/11 set/11 dez/11 mar/12 jun/12 set/12 dez/12 mar/13 jun/13 set/13 dez/13 mar/14 jun/14 set/14 dez/14 mar/15 jun/15 set/15 EVOLUÇÃO DO EMPREGO COM CARTEIRA ASSINADA NO MATO GROSSO E NO BRASIL - ACUMULADO 12 MESES ÍNDICE ACUM JAN/2002=100 FONTE: MTE (CAGED E RAIS) EVOLUÇÃO DO EMPREGO FORMAL NO MATO GROSSO E NO BRASIL - ACUMULADO 12 MESES Brasil 142,6 144,9 147, , ,8 129,9 132,7 133, ,0 120,0 119,5 123, ,6 100 FONTE: MTE RAIS e Caged ELABORAÇÃO BRADESCO

46 set/03 dez/03 mar/04 jun/04 set/04 dez/04 mar/05 jun/05 set/05 dez/05 mar/06 jun/06 set/06 dez/06 mar/07 jun/07 set/07 dez/07 mar/08 jun/08 set/08 dez/08 mar/09 jun/09 set/09 dez/09 mar/10 jun/10 set/10 dez/10 mar/11 jun/11 set/11 dez/11 mar/12 jun/12 set/12 dez/12 mar/13 jun/13 set/13 dez/13 mar/14 jun/14 set/14 dez/14 mar/15 jun/15 set/15 CRESCIMENTO DO EMPREGO COM CARTEIRA ASSINADA NO MATO GROSSO VARIAÇÃO EMPREGO FORMAL NO MATO GROSSO E NO BRASIL - ACUMULADO 12 MESES FONTE: MTE (CAGED E RAIS) E NO BRASIL - ACUMULADO 12 MESES EM % 10% Brasil 7% 5,1% 5,1% 5,2% 4% 3,1% 3,6% 1% 1,9% 1,1% 1,6% 1,7% 1,2% 0,0% -0,2% -2% -2,1% -1,3% -5% FONTE: MTE RAIS e Caged ELABORAÇÃO BRADESCO

47 set/09 nov/09 jan/10 mar/10 mai/10 jul/10 set/10 nov/10 jan/11 mar/11 mai/11 jul/11 set/11 nov/11 jan/12 mar/12 mai/12 jul/12 set/12 nov/12 jan/13 mar/13 mai/13 jul/13 set/13 nov/13 jan/14 mar/14 mai/14 jul/14 set/14 nov/14 jan/15 mar/15 mai/15 jul/15 set/15 EVOLUÇÃO DO SALÁRIO MÉDIO REAL DOS EMPREGADOS COM CARTEIRA ASSINADA NO MATO GROSSO E NO BRASIL ACUMULADO 12 MESES ÍNDICE ACUM JAN/2002=100 EVOLUÇÃO DO EMPREGO FORMAL NO MATO GROSSO E NO BRASIL - ACUMULADO 12 MESES FONTE: MTE (CAGED E RAIS) Brasil 1.312, , , , , , , , , , , , , , FONTE: MTE RAIS e Caged ELABORAÇÃO BRADESCO

48 set/09 dez/09 mar/10 jun/10 set/10 dez/10 mar/11 jun/11 set/11 dez/11 mar/12 jun/12 set/12 dez/12 mar/13 jun/13 set/13 dez/13 mar/14 jun/14 set/14 dez/14 mar/15 jun/15 set/15 EM % CRESCIMENTO DO SALÁRIO MÉDIO REAL DOS EMPREGADOS COM CARTEIRA ASSINADA NO MATO GROSSO E NO BRASIL ACUMULADO 12 MESES VARIAÇÃO DO EMPREGO FORMAL EM MATO GROSSO E NO BRASIL - ACUMULADO 12 MESES FONTE: MTE (CAGED E RAIS) 8,0% Brasil 5,5% 3,8% 4,3% 5,3% 4,0% 4,9% 4,9% 3,7% 4,6% 3,0% 2,6% 2,6% 2,8% 1,9% 2,9% 2,5% 0,6% -0,1% -2,0% FONTE: MTE RAIS e Caged ELABORAÇÃO BRADESCO

49 SALÁRIO MÉDIO DOS EMPREGADOS COM CARTEIRA ASSINADA NO MATO GROSSO E NO BRASIL POR SETOR EM R$ 2014 Atividades Econômicas MT Brasil Instituição financeira Administração pública Ensino SIUP Extrativa mineral Química Comércio atacadista Transporte e comunicações Borracha, fumo, couros Agropecuária Construção civil Mecânica Atividades Econômicas MT Brasil Alimentos e bebidas Adm imóveis, valores mobiliários Serv Médicos, odontológicos Metalúrgica Minerais não metálicos Madeira e mobiliário Comércio varejista Papel, papelão e editorial e gráfico Têxtil e vestuário Serviços de alojamento Calçados Total Material elétrico e de comunicação Material de transporte FONTE: MTE RAIS e Caged ELABORAÇÃO BRADESCO

50 SALÁRIO MÉDIO DOS EMPREGADOS COM CARTEIRA ASSINADA NO MATO GROSSO POR SETOR ECONÔMICO 2014 Instituição financeira Administração pública Ensino SIUP Extrativa mineral Química Comércio atacadista Total Transporte e comunicações Borracha, fumo, couros Agropecuária Construção civil Mecânica Material elétrico e de comunicação Material de transporte Alimentos e bebidas Adm imóveis, valores mobiliários Serv Médicos, odontológicos Metalúrgica Minerais não metálicos Madeira e mobiliário Comércio varejista Papel, papelão e editorial e gráfico Têxtil e vestuário Serviços de alojamento Calçados Em R$ FONTE: MTE Caged ELABORAÇÃO BRADESCO

51 VARIAÇÃO DO EMPREGO COM CARTEIRA ASSINADA E SALÁRIO MÉDIO REAL NO MATO GROSSO E NO BRASIL ÚLTIMOS 12 MESES (SETEMBRO/15) Estatísticas MT Brasil Emprego -0,2% -1,3% Salário Real -0,1% 0,6% Massa Real -0,3% -0,6% FONTE: MTE RAIS e Caged ELABORAÇÃO BRADESCO

52 ATIVIDADE ECONÔMICA

53 VALOR DA TRANSFORMAÇÃO INDUSTRIAL POR ESTADO FONTE: IBGE VALOR DA TRANSFORMAÇÃO INDUSTRIAL POR ESTADO R$ MILHÕES São Paulo Rio de Janeiro Minas Gerais Rio Grande do Sul Paraná Santa Catarina Bahia Amazonas Espírito Santo Pará Goiás Pernambuco Ceará do Sul Rio Grande do Norte Maranhão Paraíba Alagoas Sergipe Distrito Federal Rondônia Piauí Tocantins Amapá Acre Roraima Em milhões de R$ FONTE: IBGE - PIA ELABORAÇÃO: BRADESCO

54 PARTICIPAÇÃO DO VALOR DA TRANSFORMAÇÃO INDUSTRIAL FONTE: IBGE PARTICIPAÇÃO DO VALOR DA TRANSFORMAÇÃO INDUSTRIAL POR ESTADO POR ESTADO EM % São Paulo Rio de Janeiro Minas Gerais Rio Grande do Sul Paraná Santa Catarina Bahia Amazonas Espírito Santo Pará Goiás Pernambuco Ceará do Sul Rio Grande do Norte Maranhão Paraíba Alagoas Sergipe Distrito Federal Rondônia Piauí Tocantins Amapá Acre Roraima 7,05% 6,98% 4,88% 4,05% 3,08% 2,87% 2,68% 2,60% 1,73% 1,29% 1,21% 1,02% 0,69% 0,48% 0,43% 0,40% 0,36% 0,23% 0,22% 0,14% 0,09% 0,08% 0,03% 0,01% 11,25% 11,16% 34,99% 0,0% 5,0% 10,0% 15,0% 20,0% 25,0% 30,0% 35,0% 40,0% FONTE: IBGE -PIA ELABORAÇÃO: BRADESCO

55 RECEITA BRUTA DE REVENDA DO COMÉRCIO VAREJISTA POR ESTADO R$ MILHÕES RECEITA BRUTA DO COMÉRCIO ESTADO 2013 FONTE: IBGE Em milhões de R$ São Paulo Minas Gerais Rio de Janeiro Rio Grande do Sul Paraná Santa Catarina Bahia Pernambuco Goiás Ceará Distrito Federal Espírito Santo Maranhão do Sul Paraíba Rio Grande do Norte Pará Alagoas Piauí Amazonas Sergipe Rondônia Tocantins Amapá Acre Roraima FONTE: IBGE - PAC ELABORAÇÃO: BRADESCO

56 PARTICIPAÇÃO NA RECEITA BRUTA DO COMÉRCIO VAREJISTA PARTICIPAÇÃO NA RECEITA BRUTA DO COMÉRCIO VAREJISTA POR ESTADO POR ESTADO 2013 FONTE: IBGE EM % São Paulo Rio de Janeiro Minas Gerais Rio Grande do Sul Paraná Santa Catarina Bahia Pernambuco Goiás Ceará Espírito Santo Distrito Federal Maranhão do Sul Rio Grande do Norte Paraíba Pará Piauí Alagoas Amazonas Sergipe Rondônia Tocantins Amapá Acre Roraima 4,68% 4,39% 3,57% 3,46% 2,76% 2,24% 2,09% 2,07% 1,47% 1,46% 1,29% 1,23% 1,18% 1,01% 0,98% 0,89% 0,76% 0,32% 0,22% 0,21% 0,20% 0,14% 9,73% 9,72% 7,84% 7,16% 28,95% 0,00% 5,00% 10,00% 15,00% 20,00% 25,00% 30,00% 35,00% FONTE: IBGE - PAC ELABORAÇÃO: BRADESCO

57 ago/07 out/07 dez/07 fev/08 abr/08 jun/08 ago/08 out/08 dez/08 fev/09 abr/09 jun/09 ago/09 out/09 dez/09 fev/10 abr/10 jun/10 ago/10 out/10 dez/10 fev/11 abr/11 jun/11 ago/11 out/11 dez/11 fev/12 abr/12 jun/12 ago/12 out/12 dez/12 fev/13 abr/13 jun/13 ago/13 out/13 dez/13 fev/14 abr/14 jun/14 ago/14 out/14 dez/14 fev/15 abr/15 jun/15 ago/15 Índice Acum Jan/2002 = EVOLUÇÃO DO VOLUME DE VENDAS NO COMÉRCIO VAREJISTA NO MATO GROSSO E NO BRASIL ACUMULADO DE 12 MESES Índice 2011 = Volume de Vendas no Comércio Varejista Regional Acumulado de 12 meses Brasil 97,0 93,8 101,8 107,2 114,8 113,4 110, ,9 81,5 78,8 84, , FONTE: IBGE - PMC ELABORAÇÃO: BRADESCO

58 ago/07 out/07 dez/07 fev/08 abr/08 jun/08 ago/08 out/08 dez/08 fev/09 abr/09 jun/09 ago/09 out/09 dez/09 fev/10 abr/10 jun/10 ago/10 out/10 dez/10 fev/11 abr/11 jun/11 ago/11 out/11 dez/11 fev/12 abr/12 jun/12 ago/12 out/12 dez/12 fev/13 abr/13 jun/13 ago/13 out/13 dez/13 fev/14 abr/14 jun/14 ago/14 out/14 dez/14 fev/15 abr/15 jun/15 ago/15 CRESCIMENTO EM % Variação do DO Volume VOLUME de Vendas no DE Comércio VENDAS Varejista NO Regional COMÉRCIO Acumulado de 12 VAREJISTA meses - NO MATO GROSSO E NO BRASIL ACUMULADO DE 12 MESES 20% 18,0% Brasil 15% 13,8% 13,2% 10% 5% 8,0% 7,1% 9,5% 8,6% 6,6% 2,6% 3,2% 0% -5% -1,5% -3,7% FONTE: IBGE - PMC ELABORAÇÃO: BRADESCO

59 VARIAÇÃO Volume DO de VOLUME vendas no varejo DE VENDAS - variação acumulada DO COMÉRCIO nos últimos VAREJISTA doze meses, até POR ESTADO ACUMULADO DE maio 12 MESES de Fonte: ATÉ IBGE AGO/15 Roraima Acre Sergipe Rondônia do Sul Tocantins Santa Catarina Rio de Janeiro Paraná Rio Grande do Norte Amapá Minas Gerais Pará Piauí Ceará Brasil Maranhão São Paulo Rio Grande do Sul Pernambuco Espírito Santo Bahia Amazonas Alagoas Paraíba Distrito Federal Goiás -6,2% 0,0% -0,1% -0,3% -0,4% -0,7% -0,8% -1,5% -2,0% -2,1% -3,0% -3,1% -3,2% -3,3% -3,7% -3,9% -3,9% -4,2% -4,2% 2,7% 2,2% 1,5% 1,0% 0,3% 0,0% 0,0% 6,0% 14,1% -8,00% -6,00% -4,00% -2,00% 0,00% 2,00% 4,00% 6,00% 8,00% 10,00% 12,00% 14,00% 16,00% FONTE: IBGE - PMC ELABORAÇÃO BRADESCO

60 AGRÍCOLA

61 PRODUÇÃO AGRÍCOLA POR ESTADO E PARTICIPAÇÃO NA PRODUÇÃO NACIONAL SAFRA 2015 Estados Produção (Toneladas) Produção (%) Amapá ,02% Roraima ,05% Distrito Federal ,12% Amazonas ,14% Acre ,15% Rondônia ,17% Ceará ,41% Rio Grande do Norte ,44% Sergipe ,52% Rio de Janeiro ,52% Piauí ,55% Espírito Santo ,58% Tocantins ,61% Estados Produção (Toneladas) Produção (%) Paraíba ,77% Pará ,89% Maranhão ,93% Santa Catarina ,02% Pernambuco ,70% Bahia ,23% Alagoas ,32% Rio Grande do Sul ,92% do Sul ,38% ,93% Goiás ,63% Minas Gerais ,37% Paraná ,96% São Paulo ,66% 61 FONTE E PROJEÇÃO: IBGE ELABORAÇÃO BRADESCO * Projeção

62 PRODUÇÃO AGRICOLA POR ESTADO SAFRA 2015 E: IBGE PRODUÇÃO DOS ESTADOS Em milhões São Paulo Paraná Minas Gerais Goiás do Sul Rio Grande do Sul Alagoas Bahia Pernambuco Santa Catarina Maranhão Pará Paraíba Tocantins Espírito Santo Piauí Rio de Janeiro Sergipe Rio Grande do Norte Ceará Rondônia Acre Amazonas Distrito Federal Roraima Amapá 94,13 88,56 81,56 65,43 60,23 37,06 31,39 21,06 16,08 9,61 8,78 8,45 7,32 5,80 5,48 5,16 4,92 4,92 4,13 3,84 1,62 1,38 1,34 1,17 0,43 0,19 374,65 EM MILHÕES DE TONELADAS FONTE E PROJEÇÃO: IBGE ELABORAÇÃO BRADESCO * Projeção

63 PARTICIPAÇÃO % DA PRODUÇÃO AGRICOLA POR ESTADO NO TOTAL PRODUZIDO SAFRA PARTICIPAÇÃO 2015 DOS ESTADOS NA PRODUÇÃO NACIONAL FONTE: IBGE Em % São Paulo Paraná Minas Gerais Goiás do Sul Rio Grande do Sul Alagoas Bahia Pernambuco Santa Catarina Maranhão Pará Paraíba Tocantins Espírito Santo Piauí Rio de Janeiro Sergipe Rio Grande do Norte Ceará Rondônia Acre Amazonas Distrito Federal Roraima Amapá 9,96% 9,37% 8,63% 6,93% 6,38% 3,92% 3,32% 2,23% 1,70% 1,02% 0,93% 0,89% 0,77% 0,61% 0,58% 0,55% 0,52% 0,52% 0,44% 0,41% 0,17% 0,15% 0,14% 0,12% 0,05% 0,02% 39,66% 0,00% 5,00% 10,00% 15,00% 20,00% 25,00% 30,00% 35,00% 40,00% 45,00% 63 FONTE E PROJEÇÃO: IBGE ELABORAÇÃO BRADESCO * Projeção

64 PRODUÇÃO E PARTICIPAÇÃO DOS PRODUTOS AGRÍCOLAS NO MATO GROSSO E NO BRASIL SAFRA 2015 Produtos - safra 2015 Brasil Volume Part % Volume Part % Soja (Toneladas) ,8% ,1% Cana-de-açúcar (Toneladas) ,8% ,8% Milho (2ª Safra) (Toneladas) ,6% ,7% Algodão herbáceo (Toneladas) ,5% ,4% Arroz (Toneladas) ,8% ,3% Milho (1ª Safra) (Toneladas) ,6% ,3% Sorgo (Toneladas) ,5% ,2% Mandioca (Toneladas) ,5% ,5% Feijão (2ª Safra) (Toneladas) ,3% ,1% Girassol (Toneladas) ,2% ,0% Banana (Toneladas) ,1% ,8% Feijão (3ª Safra) (Toneladas) ,1% ,0% Abacaxi (Mil frutos) ,1% ,2% 64 FONTE E PROJEÇÃO: IBGE ELABORAÇÃO BRADESCO * Projeção

65 PARTICIPAÇÃO % DOS PRODUTOS AGRÍCOLAS NO TOTAL PRODUZIDO PELO MATO GROSSO SAFRA 2015 FONTE: IBGE PARTICIPAÇÃO DOS PRODUTOS AGRICOLAS - MATO GROSSO EM% Soja (Toneladas) 41,8% Cana-de-açúcar (Toneladas) Milho (2ª Safra) (Toneladas) 24,6% 26,8% Algodão herbáceo (Toneladas) Arroz (Toneladas) Milho (1ª Safra) (Toneladas) Sorgo (Toneladas) Mandioca (Toneladas) Feijão (2ª Safra) (Toneladas) Girassol (Toneladas) Banana (Toneladas) Feijão (3ª Safra) (Toneladas) Abacaxi (Mil frutos) 3,5% 0,8% 0,6% 0,5% 0,5% 0,3% 0,2% 0,1% 0,1% 0,1% 0,0% 10,0% 20,0% 30,0% 40,0% 50,0% 65 FONTE E PROJEÇÃO: IBGE ELABORAÇÃO BRADESCO * Projeção

66 DISTRIBUIÇÃO REGIONAL VAR. % DA ÁREA DA DE GRÃOS PRODUÇÃO SAFRA 2012/2013 DE GRÃOS 2013/14 Fonte: Conab Elaboração: Bradesco MT PR RS GO MS MG BA SC SP MA TO PI PA RO DF SE CE PE RR AC ES AL PB AM RN RJ AP 3,97% 3,40% 3,19% 2,22% 1,74% 1,44% 0,73% 0,63% 0,58% 0,58% 0,30% 0,10% 0,07% 0,06% 0,04% 0,03% 0,03% 0,02% 0,02% 0,01% 0,00% FONTE: CONAB ELABORAÇÃO: BRADESCO 9,46% 7,48% 6,03% 14,82% 18,37% 24,67% 0,0% 5,0% 10,0% 15,0% 20,0% 25,0% 30,0%

67 1990/ / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /15* em mil toneladas PRODUÇÃO DE GRÃOS (ARROZ, FEIJÃO, MILHO, TRIGO, SOJA E ALGODÃO) Mil toneladas Produção Nacional de Grãos (Arroz, Feijão, Milho, Trigo, Soja, Algodão) Fonte e projeção: Conab Elaboração: Bradesco FONTE: CONAB ELABORAÇÃO BRADESCO

68 BALANÇA COMERCIAL

69 PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES DOS ESTADOS SOBRE PIB PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES DOS ESTADOS NO PIB ESTADUAL FONTES: IBGE, SECEX PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES NO PIB POR ESTADO EM % Pará Espírito Santo Santa Catarina Minas Gerais Rio Grande do Sul Paraná do Maranhão Brasil Bahia Alagoas Goiás Tocantins Amapá Amazonas São Paulo Rio de Janeiro Rio Grande do Ceará Paraíba Pernambuco Rondônia Piauí Sergipe Roraima Distrito Federal Acre 3,6% 2,7% 2,5% 1,7% 1,3% 1,1% 0,8% 0,5% 0,4% 0,3% 0,1% 12,2% 11,2% 10,7% 9,4% 9,3% 8,6% 8,5% 8,0% 7,5% 7,4% 6,8% 6,2% 6,1% 16,1% 19,8% 26,2% 0% 5% 10% 15% 20% 25% 30% 30,7% FONTES: SECEX E IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO

70 EXPORTAÇÕES DOS ESTADOS FONTE: SECEX Em milhares de US$ EXPORTAÇÕES POR ESTADO EM US$ MILHÕES São Paulo Minas Gerais Rio Grande do Sul Rio de Janeiro Paraná Espírito Santo Pará Santa Catarina Bahia Goiás do Maranhão Piauí Rondônia Tocantins Ceará Pernambuco Amazonas Alagoas Distrito Federal Rio Grande do Amapá Paraíba Sergipe Acre Roraima FONTE: SECEX LABORAÇÃO: BRADESCO

71 PARTICIPAÇÃO PERCENTUAL DAS EXPORTAÇÕES DOS ESTADOS NO TOTAL EXPORTADO PELO BRASIL PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES POR ESTADO São Paulo Minas Gerais Rio Grande do Sul Rio de Janeiro Paraná Espírito Santo Pará Santa Catarina Bahia Goiás do Sul Maranhão Piauí Rondônia Tocantins Ceará Pernambuco Amazonas Alagoas Distrito Federal Rio Grande do Norte Amapá Paraíba Sergipe Acre Roraima 9,39% 8,78% 8,02% 6,84% 5,48% 5,39% 4,11% 4,11% 3,02% 2,49% 1,68% 0,57% 0,55% 0,53% 0,52% 0,41% 0,40% 0,25% 0,15% 0,15% 0,13% 0,07% 0,05% 0,01% 0,00% 11,55% 23,31% 0,0% 5,0% 10,0% 15,0% 20,0% 25,0% 30,0% FONTE: SECEX ELABORAÇÃO: BRADESCO

72 set/05 dez/05 mar/06 jun/06 set/06 dez/06 mar/07 jun/07 set/07 dez/07 mar/08 jun/08 set/08 dez/08 mar/09 jun/09 set/09 dez/09 mar/10 jun/10 set/10 dez/10 mar/11 jun/11 set/11 dez/11 mar/12 jun/12 set/12 dez/12 mar/13 jun/13 set/13 dez/13 mar/14 jun/14 set/14 dez/14 mar/15 jun/15 set/15 EVOLUÇÃO DAS EXPORTAÇÕES NO ESTADO NO MATO GROSSO E NO BRASIL ACUMULADO EVOLUÇÃO DAS 12 EXPORTAÇÕES MESES BRASILEIRAS E DO ESTADO DO MATO GROSSO ÍNDICE ACUM JAN/2001 = Brasil 434,2 442,4 223, , , , ,1 831,2 841,5 817,9 530,7 471,8 434,6 275,7 359,3 366,5 280,4 435,7 355,7 FONTE: SECEX ELABORAÇÃO: BRADESCO

73 set/05 dez/05 mar/06 jun/06 set/06 dez/06 mar/07 jun/07 set/07 dez/07 mar/08 jun/08 set/08 dez/08 mar/09 jun/09 set/09 dez/09 mar/10 jun/10 set/10 dez/10 mar/11 jun/11 set/11 dez/11 mar/12 jun/12 set/12 dez/12 mar/13 jun/13 set/13 dez/13 mar/14 jun/14 set/14 dez/14 mar/15 jun/15 set/15 CRESCIMENTO DAS EXPORTAÇÕES NO ESTADO NO MATO GROSSO E VARIAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS E DO ESTADO DO MATO GROSSO - ACUMULADO NO BRASIL ACUMULADO MESES EM % FONTE: SECEX 60% 50% Brasil 58,6% 52,3% 46,5% 40% 41,4% 32,0% 30% 27,0% 20% 10% 22,6% 19,2% 9,8% 15,2% 15,5% 22,3% 0% 6,0% -10% -5,7% -6,1% -7,7% -17,7% -20% -19,4% -23,2% -30% FONTE: SECEX ELABORAÇÃO: BRADESCO

74 VARIAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES POR ESTADO ACUMULADO 12 MESES (SET/15) VARIAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES POR ESTADO Piauí Acre Maranhão Rio Grande do Norte Sergipe Alagoas Tocantins Espírito Santo Distrito Federal Rondônia São Paulo do Sul Santa Catarina Paraná Bahia Goiás Brasil Rio Grande do Sul Amazonas Paraíba Minas Gerais Rio de Janeiro Pará Ceará Amapá Pernambuco Roraima -0,7% -6,7% -7,7% -10,3% -11,2% -12,0% -12,2% -12,4% -12,7% -14,7% -16,9% -17,7% -19,4% -21,6% -22,5% -22,6% -25,6% -28,0% -29,2% -35,6% -45,0% -59,9% -61,3% 24,5% 16,0% 6,4% 108,2% 241,7% -90% -40% 10% 60% 110% 160% 210% 260% FONTE: SECEX ELABORAÇÃO BRADESCO

75 PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES DOS ESTADOS SOBRE PIB PARTICIPAÇÃO DAS IMPORTAÇÕES DOS ESTADOS NO PIB ESTADUAL FONTES: IBGE, SECEX PARTICIPAÇÃO DAS IMPORTAÇÕES NO PIB ESTADUAL EM % Amazonas Rio Grande do Sul do Sul Maranhão Paraná Espírito Santo Pernambuco Santa Catarina Bahia São Paulo Brasil Goiás Rio de Janeiro Ceará Minas Gerais Pará Sergipe Amapá Tocantins Rondônia Paraíba Piauí Distrito Federal Rio Grande do Norte Alagoas Roraima Acre FONTES: MDIC E IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO 11,3% 10,7% 10,5% 10,1% 9,3% 9,0% 8,7% 7,2% 6,0% 5,6% 4,6% 3,7% 3,7% 3,3% 2,8% 2,0% 1,8% 1,8% 1,6% 1,4% 1,3% 1,2% 0,2% 0,2% 16,1% 15,1% 20,1% 33,8% 0% 5% 10% 15% 20% 25% 30% 35% 40%

76 IMPORTAÇÕES DOS ESTADOS FONTE: SECEX IMPORTAÇÕES POR ESTADO EM US$ MILHÕES São Paulo Rio de Janeiro Santa Catarina Paraná Rio Grande do Sul Amazonas Minas Gerais Bahia Espírito Santo Pernambuco Maranhão do Goiás Ceará Distrito Federal 880 Pará 761 Rondônia 500 Alagoas 446 Paraíba 397 Rio Grande do 216 Sergipe 161 Tocantins 112 Piauí 98 Amapá 41 Roraima 9 Acre Em milhares de US$ FONTE: SECEX LABORAÇÃO: BRADESCO

77 PARTICIPAÇÃO PERCENTUAL DAS IMPORTAÇÕES DOS ESTADOS NO TOTAL IMPORTADO PELO BRASIL PARTICIPAÇÃO DAS IMPORTAÇÕES POR ESTADO São Paulo Rio de Janeiro Santa Catarina Paraná Rio Grande do Sul Amazonas Minas Gerais Bahia Espírito Santo Pernambuco Maranhão do Sul Goiás Ceará Distrito Federal Pará Rondônia Alagoas Paraíba Rio Grande do Norte Sergipe Tocantins Piauí Amapá Roraima Acre 9,46% 7,52% 7,34% 5,75% 5,54% 5,02% 4,82% 3,05% 3,05% 2,28% 2,05% 1,97% 1,67% 0,80% 0,66% 0,57% 0,37% 0,33% 0,30% 0,16% 0,12% 0,08% 0,07% 0,03% 0,01% 0,00% 36,87% 0,0% 5,0% 10,0% 15,0% 20,0% 25,0% 30,0% 35,0% 40,0% FONTE: SECEX ELABORAÇÃO: BRADESCO

78 set/05 dez/05 mar/06 jun/06 set/06 dez/06 mar/07 jun/07 set/07 dez/07 mar/08 jun/08 set/08 dez/08 mar/09 jun/09 set/09 dez/09 mar/10 jun/10 set/10 dez/10 mar/11 jun/11 set/11 dez/11 mar/12 jun/12 set/12 dez/12 mar/13 jun/13 set/13 dez/13 mar/14 jun/14 set/14 dez/14 mar/15 jun/15 set/15 EVOLUÇÃO DAS IMPORTAÇÕES NO ESTADO DO MATO GROSSO E NO EVOLUÇÃO DAS IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS E DO ESTADO DO MATO GROSSO BRASIL ACUMULADO 12 MESES ÍNDICE ACUM JAN/2001 = 100 FONTE: IBGE ÍNDICE ACUM JAN/2001= Brasil , , , , , , , ,6 884,8 873,4 905, ,8 413,4 410,9 306,5 338,4 154,4 325,5 215,9 227,4 10 FONTE: SECEX ELABORAÇÃO: BRADESCO

79 set/05 dez/05 mar/06 jun/06 set/06 dez/06 mar/07 jun/07 set/07 dez/07 mar/08 jun/08 set/08 dez/08 mar/09 jun/09 set/09 dez/09 mar/10 jun/10 set/10 dez/10 mar/11 jun/11 set/11 dez/11 mar/12 jun/12 set/12 dez/12 mar/13 jun/13 set/13 dez/13 mar/14 jun/14 set/14 dez/14 mar/15 jun/15 set/15 CRESCIMENTO DAS IMPORTAÇÕES NO ESTADO DO MATO GROSSO E NO BRASIL ACUMULADO 12 MESES EM % VARIAÇÃO DAS IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS E DO ESTADO DO MATO GROSSO - ACUMULADO FONTE: SECEX 12 MESES 110% Brasil 97,2% 101,7% 90% 83,1% 70% 50% 30% 10% 29,4% 20,3% 29,2% 50,8% 20,7% 42,3% 12,7% 56,4% 37,7% -10% -1,8% -5,6% -1,9% -13,1% -14,1% -19,5% -26,3% -17,3% -30% -26,6% -40,4% -50% FONTE: SECEX ELABORAÇÃO: BRADESCO

80 VARIAÇÃO DAS IMPORTAÇÕES POR ESTADO ACUMULADO 12 MESES (SET/15) Roraima Rio G. do Norte Alagoas Acre Rondônia Pará Bahia Santa Catarina Distrito Federal Minas Gerais Ceará Rio de Janeiro Goiás Brasil Sergipe São Paulo Paraíba Pernambuco Paraná Espírito Santo Maranhão Amazonas Rio Grande do Sul do Sul Tocantins Piauí Amapá -2,9% -11,7% -12,9% -13,1% -13,7% -15,5% -16,5% -17,1% -19,5% -19,9% -20,9% -21,3% -21,4% -23,0% -24,4% -25,0% -25,2% -26,4% -27,8% -39,8% -50,5% -51,3% 9,9% 3,7% 2,1% 0,4% 21,8% 35,4% -80% -60% -40% -20% 0% 20% 40% 60% 80% FONTE: SECEX ELABORAÇÃO BRADESCO

81 VARIAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES NO MATO GROSSO ACUMULADO 12 MESES (SET/15) Estatísticas MT Brasil Exportações -19,4% -17,7% Importações -13,1% -19,5% FONTE: SECEX ELABORAÇÃO BRADESCO

82 Depec-Bradesco O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas publicações e projeções. Todos os dados ou opiniões dos informativos aqui presentes são rigorosamente apurados e elaborados por profissionais plenamente qualificados, mas não devem ser tomados, em nenhuma hipótese, como base, balizamento, guia ou norma para qualquer documento, avaliações, julgamentos ou tomadas de decisões, sejam de natureza formal ou informal. Desse modo, ressaltamos que todas as consequências ou responsabilidades pelo uso de quaisquer dados ou análises desta publicação são assumidas exclusivamente pelo usuário, eximindo o BRADESCO de todas as ações decorrentes do uso deste material. Lembramos ainda que o acesso a essas informações implica a total aceitação deste termo de responsabilidade e uso.

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015 DADOS GERAIS DO ESTADO DA RORAIMA Total Part % Brasil Part % Região Área Total - km² 224.118 2,64% 5,82% População - mil (1)

Leia mais

Alagoas. Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Alagoas. Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Alagoas Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos PERFIL DA POPULAÇÃO ALAGOAS ALAGOAS 3,38 1,06 milhões* milhão* População Domicílios 47,8% 52,2% Gênero 30,7 35,7 2017 2030 Idade

Leia mais

DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos DISTRITO FEDERAL JULHO DE 2017

DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos DISTRITO FEDERAL JULHO DE 2017 DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos DISTRITO FEDERAL JULHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MOTOCICLETAS DEZEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MOTOCICLETAS DEZEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MOTOCICLETAS DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por

Leia mais

INDÚSTRIA DE ALIMENTOS NOVEMBRO DE 2016

INDÚSTRIA DE ALIMENTOS NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE ALIMENTOS NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2016

COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

Econômico Contabilidade Nacional

Econômico Contabilidade Nacional Tabela 3.7.1 - Produto Interno Bruto a preço de mercado corrente (milhões de R$), do e Estados da região Norte - 2008-2011 Acre Roraima 3.032.205 3.239.404 3.770.085 4.143.013 154.251 163.207 201.511 230.011

Leia mais

Emprego industrial 25 de Fevereiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA. Indústria Janeiro/2014

Emprego industrial 25 de Fevereiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA. Indústria Janeiro/2014 EMPREGO INDUSTRIAL Janeiro de 2014 Emprego industrial 25 de Fevereiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO A INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO APRESENTOU O MELHOR DESEMPENHO

Leia mais

Rio de Janeiro, 18/05/2017. Mercado de Trabalho Brasileiro 1º trimestre de 2017

Rio de Janeiro, 18/05/2017. Mercado de Trabalho Brasileiro 1º trimestre de 2017 1 Rio de Janeiro, 18/05/2017 Mercado de Trabalho Brasileiro estre de 2017 O B J P R I N C I P A L Produzir informações contínuas PNAD Contínua Produzir informações anuais E T I sobre a inserção da população

Leia mais

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014)

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) 8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) Elaboração: Contraf-CUT, CNTV e Federação dos Vigilantes do Paraná Fonte: Notícias da imprensa, SSP e sindicatos Apoio: Sindicato dos Vigilantes de Curitiba

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL Dezembro de 2013

EMPREGO INDUSTRIAL Dezembro de 2013 EMPREGO INDUSTRIAL Dezembro de 2013 Emprego industrial 28 de Janeiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO - no acumulado do ano, foi

Leia mais

CARACTERÍSTICAS GERAIS DO ESTADO DE MINAS GERAIS

CARACTERÍSTICAS GERAIS DO ESTADO DE MINAS GERAIS SEMINÁRIO ESTRUTURA E PROCESSO DA NEGOCIAÇÃO COLETIVA CONJUNTURA DO SETOR RURAL E MERCADODETRABALHONOESTADO DE ESTADO CONTAG CARACTERÍSTICAS C C S GERAIS TABELA 1 CARACTERÍSTICAS GERAIS DO ESTADO DE MINAS

Leia mais

Contas Regionais do Brasil 2011

Contas Regionais do Brasil 2011 Diretoria de Pesquisas Contas Regionais do Brasil 2011 Coordenação de Contas Nacionais frederico.cunha@ibge.gov.br alessandra.poca@ibge.gov.br Rio, 22/11/2013 Contas Regionais do Brasil Projeto de Contas

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL SUMÁRIO EXECUTIVO EMPREGO MAIO DE 2013 A INDÚSTRIA FOI O SETOR QUE MAIS CONTRATOU EM MAIO E NO ACUMULADO DO ANO.

EMPREGO INDUSTRIAL SUMÁRIO EXECUTIVO EMPREGO MAIO DE 2013 A INDÚSTRIA FOI O SETOR QUE MAIS CONTRATOU EM MAIO E NO ACUMULADO DO ANO. EMPREGO INDUSTRIAL MAIO DE 2013 SUMÁRIO EXECUTIVO A INDÚSTRIA FOI O SETOR QUE MAIS CONTRATOU EM MAIO E NO ACUMULADO DO ANO. FORAM GERADAS 31.531 VAGAS ENTE JANEIRO E MAIO, correspondendo a um acréscimo

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

Contas Regionais do Brasil 2012

Contas Regionais do Brasil 2012 Diretoria de Pesquisas Contas Regionais do Brasil 2012 Coordenação de Contas Nacionais frederico.cunha@ibge.gov.br alessandra.poca@ibge.gov.br Rio de Janeiro, 14/11/2014 Contas Regionais do Brasil Projeto

Leia mais

Ceará: Resultados do PIB Trimestral 3 0 Trimestre/2007

Ceará: Resultados do PIB Trimestral 3 0 Trimestre/2007 Ceará: Resultados do PIB Trimestral 2003-2007 eloisa@ipece.ce.gov.br rogerio.soares@ipece.ce.gov.br Fortaleza 2009 CEARÁ: COMPOSIÇÃO Ceará: DO Resultados PRODUTO INTERNO do PIB BRUTO Trimestral A PREÇOS

Leia mais

O Comércio de Serviços do Brasil

O Comércio de Serviços do Brasil Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio e Serviços IV Seminário Estadual de Negócios Internacionais do Paraná O Comércio de Serviços do Brasil Curitiba, 17 de

Leia mais

TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS

TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações

Leia mais

Mercado de Trabalho Empregos formais. Estado de São Paulo Município: Capivari

Mercado de Trabalho Empregos formais. Estado de São Paulo Município: Capivari Mercado de Trabalho Empregos formais Estado de São Paulo Município: Capivari SÍNTESE Estado de São Paulo População estimada em 2014 44.035.304 População 2010 41.262.199 Área (km²) 248.222,36 Densidade

Leia mais

Panorama Econômico do Rio Grande do Sul Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Panorama Econômico do Rio Grande do Sul Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Panorama Econômico do Rio Grande do Sul 2008 Unidade de Estudos Econômicos COMPOSIÇÃO DO PIB PIB DO RIO GRANDE DO SUL 62% 9% 29% Estamos mais sujeitos a refletir crises agrícolas que a média da economia

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 399.473,26 422.403,60 501.033,08 371.050,32 437.918,87 2.131.879,13 Valor

Leia mais

Acre Previsão por Coeficiente no Estado

Acre Previsão por Coeficiente no Estado Acre 0,6 121.073,55 262.729,59 0,8 161.431,39 350.306,12 1,0 201.789,24 437.882,66 1,2 242.147,09 525.459,19 1,4 - - 1,6 322.862,79 700.612,25 1,8 363.220,64 788.188,78 2,0 - - 2,2 - - 2,4 - - 2,6 524.652,03

Leia mais

PIB 2012 Estado do Tocantins

PIB 2012 Estado do Tocantins PIB 2012 Estado do Tocantins Parceiros: GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SANDOVAL LÔBO CARDOSO Governador do Estado TOM LYRA Vice-governador do Estado JOAQUIM CARLOS PARENTE JUNIOR Secretário JOAQUÍN EDUARDO

Leia mais

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Janeiro de 2008 Apresentado por Fernando Chacon Diretor de Marketing de Cartões do Banco Itaú 1 Mercado de Cartões Faturamento anual: R$ bilhões

Leia mais

COMPILAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS

COMPILAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS COMPILAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS PNAD Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio última atualização da pesquisa: 2011 1 2 CARACTERÍSTICAS DOS DOMICÍLIOS 3 ACESSO A SERVIÇOS PÚBLICOS EVOLUÇÃO DO PERCENTUAL

Leia mais

O setor de Serviços foi o maior gerador de empregos formais no mês de julho (1.372 postos), seguido da Construção Civil (564 postos).

O setor de Serviços foi o maior gerador de empregos formais no mês de julho (1.372 postos), seguido da Construção Civil (564 postos). EMPREGO INDUSTRIAL JULHO DE 2013 SUMÁRIO EXECUTIVO A INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO CATARINENSE APRESENTOU DIMINUIÇÃO DO EMPREGO EM JULHO. O número de demissões foi maior que o de admissões resultando em um

Leia mais

Na atividade de têxtil e confecção ocorreu o maior volume de contratações (1.069 postos).

Na atividade de têxtil e confecção ocorreu o maior volume de contratações (1.069 postos). JAN/2016 Sumário Executivo No mês de janeiro de 2016, o saldo de empregos em Santa Catarina aumentou em relação a dezembro (7.211 postos e variação de 0,4%). A indústria de transformação também teve desempenho

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CAMINHÕES JANEIRO DE 2017

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CAMINHÕES JANEIRO DE 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CAMINHÕES JANEIRO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 REGIÃO NORTE 5.951.408 87,35 861.892 12,65 6.813.300 RONDÔNIA 760.521 88,11 102.631 11,89 863.152 ACRE 298.081 85,86 49.094

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL CAMPEONATO BRASILEIRO DA SÉRIE D TABELA BÁSICA / EDIÇÃO 2016 PRIMEIRA FASE REF ROD DATA - DIA HORA GR JOGO ESTÁDIO CIDADE 1ª 12/06 - Dom A1 Rondônia RO x Amazonas AM A1 Acre AC x Amapá AP A2 Tocantins

Leia mais

TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015

TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015 ! TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015! Jogos Escolares da Juventude 2015 12 a 14 anos Boletim Oficial de Resultados 04/09/2015 CENTRO DE FORMAÇÃO OLÍMPICA - QUADRA 1 TÊNIS DE MESA - EQUIPE - Feminino 1 09:00

Leia mais

MERCADO BRASILEIRO DE SUPLEMENTOS MINERIAS 2014

MERCADO BRASILEIRO DE SUPLEMENTOS MINERIAS 2014 MERCADO BRASILEIRO DE SUPLEMENTOS MINERIAS 2014 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDUSTRIAS DE SUPLEMENTOS MINERAIS RUA AUGUSTA, 2676 13 ANDAR SALA 132 CEP 01412-100 SÃO PAULO SP Telefone: (011) 3061-9077 e-mail:

Leia mais

Estado de São Paulo tem a maior quantidade de POS a cada mil habitantes; Maranhão, a menor

Estado de São Paulo tem a maior quantidade de POS a cada mil habitantes; Maranhão, a menor INFORMATIVO PARA A IMPRENSA ML&A Comunicações Fernanda Elen fernanda@mla.com.br (11) 3811-2820 ramal 833 Cresce a aceitação de cartões em 2015, aponta a Boanerges & Cia. Estado de São Paulo tem a maior

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL Maio de 2014

EMPREGO INDUSTRIAL Maio de 2014 EMPREGO INDUSTRIAL Maio de 2014 EMPREGO INDUSTRIAL FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO O mercado de trabalho catarinense não cresceu em maio. A INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO

Leia mais

Educação Superior Enade e IGC dos Estados e DF

Educação Superior Enade e IGC dos Estados e DF Educação Superior Enade e IGC dos Estados e DF Enade 2015 O Conceito Enade é um indicador de qualidade que avalia o desempenho dos estudantes a partir dos resultados obtidos anualmente para os cursos que

Leia mais

CARNE AVÍCOLA NOVEMBRO DE 2016

CARNE AVÍCOLA NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE AVÍCOLA NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

A economia do Rio de Janeiro Estado e Capital

A economia do Rio de Janeiro Estado e Capital A economia do Rio de Janeiro Estado e Capital William Figueiredo Divisão de Estudo Econômicos do Rio de Janeiro (DIERJ) Gerência de Estudos Econômicos (GEE) Rio de Janeiro, 27 de junho de 2017 Estado do

Leia mais

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Maio/2017 2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos direitos

Leia mais

Emprego Industrial Julho de 2015

Emprego Industrial Julho de 2015 Emprego Industrial Julho de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de julho de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina reduziu em relação ao estoque de junho (-14.770 postos e variação de -0,7%). A indústria

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SHOPPING CENTER NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SHOPPING CENTER NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SHOPPING CENTER NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Maio/15) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

9, R$ , , R$ ,

9, R$ , , R$ , Rondônia 2005 R$ 601.575,17 2005 10.154 2004 1.027.983 2004 108.139 2004 10,52 2006 R$ 609.834,21 2006 10.757 2005 1.025.249 2005 101.539 2005 9,90 2007 R$ 1.229.490,00 2007 9.100 2006 1.047.004 2006 111.068

Leia mais

Emprego Industrial Junho de 2015

Emprego Industrial Junho de 2015 Emprego Industrial Junho de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de junho de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina reduziu em relação ao estoque de maio (-7.922 postos e variação de -0,4%). A indústria

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos BENS DE CAPITAL NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos BENS DE CAPITAL NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos BENS DE CAPITAL NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

Emprego com carteira no RN tem primeiro saldo positivo depois de nove meses

Emprego com carteira no RN tem primeiro saldo positivo depois de nove meses Emprego com carteira no RN tem primeiro saldo positivo depois de nove meses Depois de nove meses com saldo negativo, o mercado de trabalho formal do Rio Grande do Norte criou 453 vagas com carteira assinada

Leia mais

TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2014

TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2014 SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL COINT - Coordenação-Geral de Análise e Informações das Transferências Financeiras Intergovernamentais TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2014

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Março/15) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

VAREJO. Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

VAREJO. Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos VAREJO Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos DESEMPENHO DO VAREJO O comércio varejista já está apresentando retomada neste ano. Acomodação do mercado de trabalho aliada à

Leia mais

RESULTADOS DAS PESQUISAS PIM-PF E PMC DO IBGE 1

RESULTADOS DAS PESQUISAS PIM-PF E PMC DO IBGE 1 RESULTADOS DAS PESQUISAS PIM-PF E PMC DO IBGE 1 Produção Industrial Mensal Produção Física: Março de 2012 Os indicadores da Pesquisa Industrial Mensal Produção Física PIM-PF, referentes ao mês de março

Leia mais

Na comparação com o mesmo mês, foi o menor saldo de empregos da indústria de transformação para fevereiro desde 2010.

Na comparação com o mesmo mês, foi o menor saldo de empregos da indústria de transformação para fevereiro desde 2010. Sumário Executivo FEV/2016 No mês de fevereiro de 2016, o saldo de empregos em Santa Catarina aumentou em relação a janeiro (4.793 postos e variação de 0,2%). A indústria de transformação também teve desempenho

Leia mais

Emprego Industrial Julho de 2014

Emprego Industrial Julho de 2014 Emprego Industrial Julho de 2014 SUMÁRIO EXECUTIVO No acumulado do ano (jan-jul), a indústria de transformação foi a atividade econômica que mais gerou empregos em Santa Catarina (25.147), de um total

Leia mais

Emprego Industrial Fevereiro de 2015

Emprego Industrial Fevereiro de 2015 Emprego Industrial Fevereiro de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de fevereiro de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina cresceu em relação ao estoque de janeiro (12.108 postos e variação de 0,6%). A

Leia mais

AGOSTO DE Fabiana D Atri Economista Sênior do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos - DEPEC

AGOSTO DE Fabiana D Atri Economista Sênior do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos - DEPEC AGOSTO DE 2011 Fabiana D Atri Economista Sênior do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos - DEPEC TAXA DE CRESCIMENTO DO PIB DO MUNDO (SOMA DOS PIBs OBTIDA PELA PARIDADE DO PODER DE COMPRA) 1980-2012

Leia mais

Emprego Industrial Janeiro de 2015

Emprego Industrial Janeiro de 2015 Emprego Industrial Janeiro de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de janeiro de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina cresceu em relação a dezembro (14.637 postos e variação de 0,7%). A indústria de transformação

Leia mais

Maio/ BRASIL. Análise do emprego. Brasil Maio/2014

Maio/ BRASIL. Análise do emprego. Brasil Maio/2014 Maio/2014 - BRASIL Análise do emprego Brasil Maio/2014 2014. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL Junho de 2014

EMPREGO INDUSTRIAL Junho de 2014 EMPREGO INDUSTRIAL Junho de 2014 Emprego industrial FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO A INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO CATARINENSE fechou 1.344 postos de trabalho em junho,

Leia mais

Emprego Industrial Setembro de 2015

Emprego Industrial Setembro de 2015 Emprego Industrial Setembro de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de setembro de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina reduziu em relação ao estoque de agosto (-4.425 postos e variação de -0,2%). A indústria

Leia mais

GERAÇÃO DE VAGAS ATINGIU MAIS DA METADE DOS SUBSETORES NO 1º TRIMESTRE

GERAÇÃO DE VAGAS ATINGIU MAIS DA METADE DOS SUBSETORES NO 1º TRIMESTRE GERAÇÃO DE VAGAS ATINGIU MAIS DA METADE DOS SUBSETORES NO 1º TRIMESTRE Apesar do saldo agregado negativo nos três primeiros meses do ano, 13 dos 25 subsetores de atividade geraram postos formais de trabalho.

Leia mais

Emprego Industrial Outubro de 2014

Emprego Industrial Outubro de 2014 Emprego Industrial Outubro de 2014 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de outubro de 2014, o saldo de empregos em Santa Catarina voltou a crescer (4.973 postos e variação de 0,2% em relação ao estoque de setembro).

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

FNPETI FÓRUM NACIONAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL. Cenário do Trabalho Infantil Dados PNAD 2014

FNPETI FÓRUM NACIONAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL. Cenário do Trabalho Infantil Dados PNAD 2014 Cenário do Trabalho Infantil Dados PNAD 2014 Fonte: IBGE/Pnad. Elaboração própria. Nota: a PNAD até o ano de 2003 não abrangia a área rural da região Norte (exceto o Tocantins). Nos anos de 1994, 2000

Leia mais

Emprego Industrial Dezembro de 2014

Emprego Industrial Dezembro de 2014 Emprego Industrial Dezembro de 2014 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de dezembro de 2014, o saldo de empregos em Santa Catarina recuou em relação ao estoque de novembro (-36.691 postos e variação de -1,8%). A

Leia mais

TELEFONIA FIXA E MÓVEL

TELEFONIA FIXA E MÓVEL DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TELEFONIA FIXA E MÓVEL NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

Emprego Industrial Setembro de 2014

Emprego Industrial Setembro de 2014 Emprego Industrial Setembro de 2014 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de setembro de 2014, o saldo do emprego voltou a crescer em Santa Catarina (7.033 postos e variação de 0,3% em relação ao estoque de agosto).

Leia mais

Emprego Industrial Agosto de 2014

Emprego Industrial Agosto de 2014 Emprego Industrial Agosto de 2014 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de agosto de 2014, o saldo de emprego em Santa Catarina voltou a crescer (6.599 postos e variação de 0,3% em relação ao estoque de julho). A indústria

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ÔNIBUS DEZEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ÔNIBUS DEZEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ÔNIBUS DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO : DESAFIOS E OPORTUNIDADES

CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO : DESAFIOS E OPORTUNIDADES CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO 2014-2015: DESAFIOS E OPORTUNIDADES ABRIL, 2014 Fabiana D Atri Economista Sênior do Departamento de Pesquisas 1 e Estudos Econômicos - DEPEC 17/04/11 17/05/11 17/06/11

Leia mais

O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO ESTADO DO CEARÁ E O COMPORTAMENTO DO MERCADO DE TRABALHO

O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO ESTADO DO CEARÁ E O COMPORTAMENTO DO MERCADO DE TRABALHO O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO ESTADO DO CEARÁ E O COMPORTAMENTO DO MERCADO DE TRABALHO Evidências Recentes e Reflexões março/2014 Fortaleza - Ceará Aspectos Gerais da Economia Cearense -0,33 1,15 0,04

Leia mais

Vigilância em Saúde do Trabalhador Agenda Estratégica e a Renast

Vigilância em Saúde do Trabalhador Agenda Estratégica e a Renast Vigilância em Saúde do Trabalhador Agenda Estratégica e a Renast Coordenação Geral de Saúde do Trabalhador Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Secretaria de Vigilância

Leia mais

LSPA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Dezembro de Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil

LSPA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Dezembro de Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil Diretoria de Pesquisas Coordenação de Agropecuária Gerência de Agricultura LSPA Dezembro de 2013 Levantamento Sistemático da Produção Agrícola Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas

Leia mais

Emprego Industrial Dezembro de 2015

Emprego Industrial Dezembro de 2015 Emprego Industrial Dezembro de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de embro de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina reduziu em relação ao estoque de novembro (-34.971 postos e variação de -1,7%). A indústria

Leia mais

2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Outubro/2015 2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos

Leia mais

CONJUNTURA DO MERCADO DE MANDIOCA E DERIVADOS NO BRASIL

CONJUNTURA DO MERCADO DE MANDIOCA E DERIVADOS NO BRASIL CONJUNTURA DO MERCADO DE MANDIOCA E DERIVADOS NO BRASIL 1 SEMESTRE/2011 Fábio Isaías Felipe Pesquisador do Cepea/ESALQ/USP E-mail: fifelipe@esalq.usp.br Fone: 55 19 3429-8847 Fax: 55 19 3429-8829 http://www.cepea.esalq.usp.br

Leia mais

Rio de Janeiro, 22/11/2016. Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2016

Rio de Janeiro, 22/11/2016. Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2016 1 Rio de Janeiro, 22/11/2016 Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2016 O B J P R I N C I P A L Produzir informações contínuas PNAD Contínua Produzir informações anuais E T I sobre a inserção

Leia mais

Comércio em Números. Brasil. meses.

Comércio em Números. Brasil. meses. Belo Horizonte MG Dezembro de 2015 O é um acompanhamento sistemático das estatísticas econômicas. Trata-se de um estudo que busca acompanhar o comportamento das variáveis de desempenho do consumo e das

Leia mais

Geração de Empregos Celetistas no Ceará - 1º Semestre de 2014

Geração de Empregos Celetistas no Ceará - 1º Semestre de 2014 Enfoque Econômico é uma publicação do IPECE que tem por objetivo fornecer informações de forma imediata sobre políticas econômicas, estudos e pesquisas de interesse da população cearense. Por esse instrumento

Leia mais

Comércio em Números. Brasil. meses.

Comércio em Números. Brasil. meses. Belo Horizonte MG Novembro de 2016 O é um acompanhamento sistemático das estatísticas econômicas. Trata-se de um estudo que busca acompanhar o comportamento das variáveis de desempenho do consumo e das

Leia mais

Estatísticas sobre Analfabetismo no Brasil

Estatísticas sobre Analfabetismo no Brasil Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Estatísticas sobre Analfabetismo no Brasil Audiência pública Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Junho/2016 2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos direitos

Leia mais

14-17 anos 5-13 anos. Faixa etária (anos) Ocupação Outras Ignorada

14-17 anos 5-13 anos. Faixa etária (anos) Ocupação Outras Ignorada Ocupação (N) Acidente de trabalho em crianças e adolescentes com diagnóstico de lesão de traumatismo do punho e da mão (CID, S6-S69), segundo ocupação. Brasil, 27 a 26* 4-7 anos - anos Trabalhador polivalente

Leia mais

O Retorno da Educaçã. ção no Mercado de Trabalho

O Retorno da Educaçã. ção no Mercado de Trabalho O Retorno da Educaçã ção no Mercado de Trabalho Coordenador: Marcelo Cortes Neri Centro de Políticas Sociais do IBRE/FGV e da EPGE/FGV mcneri@fgv.br 1 Ranking - Município do Rio de Janeiro* Salário 1..Direito

Leia mais

Desempenho da Indústria Catarinense

Desempenho da Indústria Catarinense FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA Desempenho da Indústria Catarinense Florianópolis, 21 de Agosto de 2015 SANTA CATARINA e BRASIL Desempenho econômico em 2015 INDICADOR SANTA CATARINA

Leia mais

Emprego Industrial Outubro de 2015

Emprego Industrial Outubro de 2015 Emprego Industrial Outubro de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de ubro de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina reduziu em relação ao estoque de setembro (-4.475 postos e variação de -0,2%). A indústria

Leia mais

Dados Básicos sobre Recursos Humanos. ObservaRH - NESP/CEAM/UnB

Dados Básicos sobre Recursos Humanos. ObservaRH - NESP/CEAM/UnB Dados Básicos sobre Recursos Humanos ObservaRH - NESP/CEAM/UnB Brasília/DF 2007 Apresentação O conjunto de dados básicos sobre recursos humanos integra as expectativas das delegações que participaram da

Leia mais

PIB PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DE RONDÔNIA 2014

PIB PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DE RONDÔNIA 2014 PIB PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DE RONDÔNIA 2014 A Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão SEPOG/RO, através da Gerência do Observatório em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia

Leia mais

TRATORES E MÁQUINAS AGRÍCOLAS

TRATORES E MÁQUINAS AGRÍCOLAS DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRATORES E MÁQUINAS AGRÍCOLAS NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações

Leia mais

Janeiro/ BRASIL. Análise do emprego. Brasil Janeiro/2014

Janeiro/ BRASIL. Análise do emprego. Brasil Janeiro/2014 Janeiro/2014 - BRASIL Análise do emprego Brasil Janeiro/2014 2014. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação,

Leia mais

2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Abril/2015 2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos direitos

Leia mais

2014. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2014. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Junho/2014 2014. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos direitos

Leia mais

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Julho/2016 2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos direitos

Leia mais

2005 CDMA Latin America Regional Conference

2005 CDMA Latin America Regional Conference Agencia Nacional de Telecomunicações 2005 CDMA Latin America Regional Conference JARBAS JOSÉ VALENTE Superintendente de Serviços Privados Conteúdo Situação Atual do SMP Previsão da Evolução do SMP Espectro

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

PIB DO BRASIL (VARIAÇÃO ANUAL) FONTE: IBGE ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO

PIB DO BRASIL (VARIAÇÃO ANUAL) FONTE: IBGE ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO 1 PIB DO BRASIL (VARIAÇÃO ANUAL) 1984-2014 2 2 FONTE: IBGE ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO DESAFIOS DA ECONOMIA BRASILEIRA: DEMOGRAFIA, MERCADO DE TRABALHO E AMBIENTE EXTERNO 3 3 O BAIXO DESEMPREGO NO

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DO RIO GRANDE DO NORTE

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DO RIO GRANDE DO NORTE OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DO RIO GRANDE DO NORTE Relatório Mensal: Movimentação do emprego formal em agosto de 2010 no Rio Grande do Norte Contrato de Prestação de Serviços Nº. 011/2010 - SETHAS/DIEESE

Leia mais

A Falta de Médicos no Brasil e no Rio

A Falta de Médicos no Brasil e no Rio A Falta de Médicos no Brasil e no Rio Marcelo Cortes Neri Centro de Políticas Sociais do IBRE/FGV e da EPGE/FGV mcneri@fgv.br Ranking - Município do Rio de Janeiro* Salário 1..Direito - Mestrado ou Doutorado

Leia mais

Nível de Emprego Formal Celetista

Nível de Emprego Formal Celetista Nível de Emprego Formal Celetista Cadastro Geral de Empregados e Desempregados CAGED Abril de 2014 1 Geração de Empregos Formais Celetistas Total de Admissões em abril de 2014... 1.862.515 Total de Desligamentos

Leia mais

PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL ANEXO V GASTOS TURÍSTICOS TABELAS

PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL ANEXO V GASTOS TURÍSTICOS TABELAS PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL ANEXO V GASTOS TURÍSTICOS TABELAS JOÃO PESSOA-PB, JUNHO 2004 TABELA Nº01 GASTO MÉDIO INDIVIDUAL DIÁRIO em R$ 1.00,

Leia mais

CENÁRIO MACROECONÔMICO

CENÁRIO MACROECONÔMICO CENÁRIO MACROECONÔMICO SEGUE PAUTADO PELAS MUDANÇAS NO CENÁRIO GLOBAL, AFETANDO DIRETAMENTE O CÂMBIO, E PELO CRESCIMENTO MAIS MODERADO DA ECONOMIA DOMÉSTICA Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Leia mais