Rio de Janeiro, 22/11/2016. Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2016

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Rio de Janeiro, 22/11/2016. Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2016"

Transcrição

1 1 Rio de Janeiro, 22/11/2016 Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2016

2

3 O B J P R I N C I P A L Produzir informações contínuas PNAD Contínua Produzir informações anuais E T I sobre a inserção da população no mercado de trabalho e suas diversas características. sobre outras formas de trabalho, trabalho infantil, migração, habitação, fecundidade, nupcialidade etc. V O Permitir assim, o estudo do desenvolvimento socioeconômico

4 PNAD Contínua setores municípios Abrangência de Coleta das Informações

5 Tamanho da Amostra da PNAD Contínua por Trimestre Brasil = 211 mil domicílios Cerca de 2000 entrevistadores trabalham na pesquisa mensalmente

6 Recomendações Internacionais Os indicadores aqui apresentados foram desenvolvidos utilizando os novos conceitos, definições e nomenclaturas de acordo com as recomendações da Organização Internacional do Trabalho - OIT, adotadas na última Conferência Internacional dos Estatísticos do Trabalho - 19ª CIET, realizada em Genebra, em outubro de 2013.

7 Rotação da Amostra da PNAD Contínua Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Um Domicílio, uma vez selecionado para amostra da pesquisa, é visitado uma única vez no trimestre, por 5 trimestres consecutivos, 7

8 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua Plano de Divulgação Trimestral (disponibilização a partir de maio de 2015) I) Taxas: 1) Taxa de participação na força de trabalho 2) Nível de ocupação 3) Nível de desocupação 4) Taxa de desocupação Nível geográfico de divulgação: Brasil, Grandes Regiões, Unidades da Federação. I) Populações: 1) População em idade de trabalhar Sexo Faixas de idade Nível de instrução 2) População na força de trabalho Sexo Faixas de idade Nível de instrução 3) População ocupada Sexo Faixas de idade Nível de instrução Posição na ocupação Grupamento de Atividade Grupos ocupacionais 4) População desocupada Sexo Faixas de idade Nível de instrução 5) População fora da força de trabalho Sexo Faixas de idade Nível de instrução II) Rendimento Rendimento Real: 1) Rendimento médio real habitualmente recebido em todos os trabalhos Sexo Faixas de idade Nível de instrução 2) Rendimento médio real habitualmente recebido no trabalho principal Sexo Faixas de idade Nível de instrução Posição na ocupação do trabalho principal Grupamento de atividade Grupos ocupacionais 3) Rendimento médio real efetivamente recebido em todos os trabalhos Sexo Faixas de idade Nível de instrução 4) Rendimento médio real efetivamente recebido no trabalho principal Sexo Faixas de idade Nível de instrução Posição na ocupação do trabalho principal Grupamento de atividade Grupos ocupacionais Rendimento Nominal: 5) Rendimento médio nominal habitualmente recebido em todos os trabalhos Sexo Faixas de idade Nível de instrução 6) Rendimento médio nominal habitualmente recebido no trabalho principal Sexo Faixas de idade Nível de instrução Posição na ocupação do trabalho principal Grupamento de atividade Grupamento de ocupação

9 1) Rendimento médio nominal efetivamente recebido em todos os trabalhos Sexo Faixas de idade Nível de instrução 2) Rendimento médio nominal efetivamente recebido no trabalho principal Sexo Faixas de idade Nível de instrução Posição na ocupação do trabalho principal Grupamento de atividade Grupamento de ocupação Massa de Rendimento: 3) Massa de Rendimento da população ocupada efetivamente recebido em todos os trabalhos 4) Massa de Rendimento da população ocupada habitualmente recebido em todos os trabalhos 5) Massa de Rendimento dos empregados efetivamente recebido em todos os trabalhos 6) Massa de Rendimento dos empregados habitualmente recebido em todos os trabalhos

10 Para Brasil Períodos de Divulgação Por UF, RM e Capitais Trimestres Convencionais 4 Divulgações por ano Trimestres Móveis - Divulgação Mensal

11 Material disponibilizado na Internet I) Divulgação Trimestral Trimestres Convencionais SIDRA Material Completo Planilha para cada uma das UFs Planilha para cada uma das RMs das Capitais Planilha para cada um dos municípios das capitais Planilha consolidando todas as UFs Texto para Brasil e Grandes Regiões II) Divulgação Mensal Trimestres Móveis Planilha para Brasil (Trimestres Móveis) III) Microdados (do 1º trimestre de 2012 ao 3º trimestre de 2016) IV) e esta apresentação

12 Resultados

13

14 A taxa de desocupação subiu significativamente frente ao 2º trimestre de 2016 em 7 Unidades da Federação

15 A taxa de desocupação subiu significativamente frente ao 3º trimestre de 2015 em 22 Unidades da Federação do País

16 Brasil Populações

17 Brasil Posição na ocupação do trabalho principal

18 Brasil Grupamentos de atividade

19 Brasil

20 Taxa de desocupação

21 Taxa de desocupação das pessoas de 14 anos ou mais de idade, na semana de referência (em %) - Brasil Taxa de desocupação cresceu 0,5 pp em relação ao 2º trimestre de 2016 e foi 2,9 pp superior frente ao 3º trimestre de 2015.

22 Taxa de desocupação das pessoas de 14 anos ou mais de idade, na semana de referência (em %) Brasil e Grandes Regiões Este gráfico mostra que, entre as Grandes Regiões, ao longo da série da pesquisa, a Nordeste sempre apresentou a taxa de desocupação mais alta e Centro-Oeste e Sul as mais baixas. Outro destaque é a Sudeste ter ultrapassado a Norte.

23 Taxa de desocupação das pessoas de 14 anos ou mais de idade, na semana de referência, por sexo, segundo as Grandes Regiões

24 Taxa de desocupação 15,9% (BA), foi a taxa mais alta da série histórica da PNAD Contínua, iniciada no 1º trimestre de No 3º trim. de 2016, em 19 UFs e em 4 das 5 Grandes Regiões foi alcançado o valor máximo da série.

25 Taxa de desocupação das pessoas de 14 anos ou mais de idade, na semana de referência (em %) Brasil, Grandes Regiões e UFs

26 Taxa de desocupação das pessoas de 14 anos ou mais de idade, na semana de referência (em %), do 3º trim. de 2015 e 2016 Em relação ao 3 º trimestre de 2015 a Região Sul apresentou taxas de desocupação mais baixas e a Nordeste registrou o maior deslocamento da taxa de desocupação.

27 Taxa de desocupação das pessoas de 14 anos ou mais de idade, na semana de referência (em %), por sexo Tx. Desocupação = PD PFT

28 Taxa de desocupação das pessoas de 14 anos ou mais de idade, na semana de referência, por grupos de idade (em %) As taxas de desocupação mais elevadas se referem à população jovem.

29 Taxa de desocupação, na semana de referência, das pessoas de 14 anos ou mais de idade, por grupos de idade - Brasil Valor corrigido após a divulgação. Foi informado à CCS (Diana) no dia 25 /08/2016.

30 Taxa de desocupação, na semana de referência, das pessoas de 14 anos ou mais de idade, por nível de instrução - Brasil

31 Taxa de desocupação, na semana de referência, das pessoas de 14 anos ou mais de idade, por Grande Região

32 Distribuição das pessoas de 14 anos ou mais de idade, desocupadas na semana de referência, por grupos de idade, segundo as Grandes Regiões - 3º trimestre de 2016

33

34 Nível da ocupação (Proporção de pessoas ocupadas na população de 14 anos ou mais de idade)

35 Nível da ocupação, na semana de referência, das pessoas de 14 anos ou mais de idade, de 2012 a Brasil

36

37 Nível da ocupação, na semana de referência, das pessoas de 14 anos ou mais de idade, por grupo de idade Brasil (em %)

38 Nível da ocupação, na semana de referência, das pessoas de 14 anos ou mais de idade, por nível de instrução Brasil (em %)

39 Nível da ocupação, na semana de referência, das pessoas de 14 anos ou mais de idade, por UF e Grandes Regiões - 3º trimestre 2016

40 Nível da ocupação, na semana de referência, das pessoas de 14 anos ou mais de idade, por UF, Grande Região e Brasil (em %) 54,0% (Brasil) e 41,8% (AL) foram os menores níveis de ocupação da série histórica, iniciada no 1º trimestre de Tal fato foi observado em 20 UFs e nas 5 Grandes Regiões.

41 Nível da ocupação, na semana de referência, das pessoas de 14 anos ou mais de idade, por UF, Grande Região e Brasil (em %) 3º Trimestre O nível da ocupação caiu em 26 das 27 Unidades da Federação na comparação com o 3º Trimestre de (DF e RO)

42 Nível da ocupação, na semana de referência, das pessoas de 14 anos ou mais de idade, por UF, Grande Região e Brasil (em %) O nível da ocupação caiu em 24 das 27 Unidades da Federação na comparação com o 2º Trimestre de Não houve redução apenas DF, SC e MG.

43 Nível da ocupação das pessoas de 14 anos ou mais de idade, ocupadas na semana de referência, por sexo, segundo as Grande Região - 3º trimestre de 2016

44 Distribuição de pessoas de 14 anos ou mais de idade, ocupadas na semana de referência, por grupo de idade, segundo as Grande Região - 3º trimestre de 2016

45 Distribuição de pessoas de 14 anos ou mais de idade, ocupadas na semana de referência, por nível de instrução, segundo as Grandes Regiões

46 Posição na ocupação e categoria do emprego

47 Distribuição de pessoas de 14 anos ou mais de idade, ocupadas na semana de referência, por posição na ocupação do trabalho Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral

48 Distribuição de pessoas de 14 anos ou mais de idade, ocupadas na semana de referência, por posição na ocupação no trabalho principal, segundo as Grandes Regiões

49 Distribuição de pessoas de 14 anos ou mais de idade, ocupadas na semana de referência, por posição na ocupação do trabalho principal Redução da participação dos trabalhadores nas diversas categorias de emprego na população ocupada em várias UFs.

50

51

52

53

54 Distribuição das pessoas de 14 anos ou mais de idade, ocupadas na semana de referência, por setor e categoria do emprego no trabalho principal, segundo Grande Região

55 Distribuição das pessoas de 14 anos ou mais de idade, ocupadas na semana de referência, por categoria do emprego no trabalho principal - Brasil Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua. (1) Exclusive trabalhador doméstico.

56 Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Nordeste Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal 63,4 60,8 73,0 69,4 67,0 64,9 69,2 66,3 72,6 62,7 57,1 55,0 71,6 69,3 62,1 62,1 63,5 61,2 55,5 51,2 52,0 53,3 59,7 58,5 60,2 56,0 70,7 68,3 68,0 67,8 69,4 68,1 73,1 66,6 64,4 61,0 82,7 82,7 75,6 76,9 80,5 77,0 86,2 84,2 84,6 84,9 84,9 84,4 83,7 82,0 89,4 89,3 83,1 83,7 79,0 76,8 74,6 75,8 78,8 77,5 78,2 74,1 85,4 83,5 Proporção de pessoas de 14 anos ou mais de idade com carteira de trabalho assinada, na população de empregados no setor privado, exclusive os trabalhadores domésticos, segundo as UFs e Grandes Regiões 3º Tri º Tri ) A participação dos empregados com carteira de trabalho assinada no setor privado nos estados das regiões Norte e Nordeste era inferior as das demais Regiões.

57 Grupamentos de atividade

58 1 2 3 CONSTRUÇÃO SERVIÇOS DOMÉSTICOS ATIVIDADES MAL DEFINIDAS Classificação Nacional de Atividades Econômicas Domiciliar 2.0 (agrupamentos para efeito de divulgação da PNAD Contínua) AGRICULTURA, PECUÁRIA, PRODUÇÃO FLORESTAL, PESCA E AQUICULTURA INDÚSTRIA GERAL COMÉRCIO, REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS TRANSPORTE, ARMAZENAGEM E CORREIO ALOJAMENTO E ALIMENTAÇÃO INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E ATIVIDADES FINANCEIRAS, IMOBILIÁRIAS, PROFISSIONAIS E ADMINISTRATIVAS ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, DEFESA, SEGURIDADE SOCIAL, EDUCAÇÃO, SAÚDE HUMANA E OUTROS SERVIÇOS INDÚSTRIAS EXTRATIVAS INDÚSTRIAS DE TRANSFORMAÇÃO ELETRICIDADE E GÁS ÁGUA, ESGOTO, ATIVIDADES DE GESTÃO DE RESÍDUOS E DESCONTAMINAÇÃO CONSTRUÇÃO E INCORPORAÇÃO DE EDIFÍCIOS OBRAS DE INFRA-ESTRUTURA SERVIÇOS ESPECIALIZADOS PARA CONSTRUÇÃO COMÉRCIO EM GERAL (incluindo o comércio de veículos automotores e motocicletas) e (excluindo o serviço de alimentação, tais como: bares restaurante e lanchonete etc) REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS TRANSPORTE TERRESTRE TRANSPORTE AQUAVIÁRIO TRANSPORTE AÉREO ARMAZENAMENTO E ATIVIDADES AUXILIARES DOS TRANSPORTES CORREIO E OUTRAS ATIVIDADES DE ENTREGA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS ATIVIDADES IMOBILIÁRIAS ATIVIDADES PROFISSIONAIS, CIENTÍFICAS E TÉCNICAS ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E SERVIÇOS COMPLEMENTARES ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, DEFESA E SEGURIDADE SOCIAL EDUCAÇÃO (pública e privada) SAÚDE HUMANA (pública e privada) E SERVIÇOS SOCIAIS ARTES, CULTURA, ESPORTE E RECREAÇÃO ATIVIDADES DE ORGANIZAÇÕES ASSOCIATIVAS REPARAÇÃO E MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE INFORMATICA E COMUNICAÇÃO E DE OBJETOS PESSOAIS E DOMÉSTICOS OUTRAS ATIVIDADES DE SERVIÇOS PESSOAIS ORGANISMOS INTERNACIONAIS E OUTRAS INSTITUIÇÕES EXTRATERRITORIAIS

59 Agricultura, pecuár ia, produção florestal, pesca e aquicultura Indústria geral Indústria de transformação Construção Comércio, reparaç ão de veículos automotores e motocicletas Transporte, armaz enagem e correio Alojamento e alimentação Informação, comu nicação e atividades financeiras, imobili árias, profissionai Administração pública, defesa, se guridade social, educação, s aúde humana e Outro serviço Serviço doméstico Percentual das pessoas de 14 anos ou mais de idade, ocupadas na semana de referência, por grupamentos de atividade no trabalho principal - Brasil ,119,0 17,5 16,8 10,310,0 14,0 12,9 12,5 11,5 11,5 10,7 7,9 7,9 4,6 5,0 5,2 4,7 4,6 4,8 6,5 6,9

60 Distribuição das pessoas de 14 anos ou mais de idade, ocupadas na semana de referência, por grupamentos de atividade no trabalho principal - Brasil

61

62 Distribuição das pessoas de 14 anos ou mais de idade, ocupadas na semana de referência, por grupamentos de atividade no trabalho principal, segundo as Grande Regiões

63 População total, na semana de referência, das pessoas de 14 anos ou mais de idade, na força e fora da força de trabalho - Brasil

64 Brasil Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste Brasil Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste Brasil Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste Brasil Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste Brasil Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste 9,1 8,5 11,1 12,9 12,3 11,5 10,5 13,5 17,5 17,8 16,8 15,7 17,5 17, ,1 14,5 18,8 22,5 22,2 22,4 22,2 23,4 23,3 22,9 30,7 32,4 35,6 40,4 41,9 Percentual da população fora da força de trabalho, na semana de referência, das pessoas de 14 anos ou mais de idade, por grupos de idade, segundo as Grandes Regiões - 3º trimestre de 2016 % a 17 anos 18 a 24 anos 25 a 39 anos 40 a 59 anos 60 anos ou mais

65 Rendimento médio real de trabalho

66 Rendimento médio real habitual de todos os trabalhos - Brasil - R$ Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral Nota: Em valores de agosto de O Rendimento de todos os trabalhos aumentou em relação ao 2º trimestre (0,9%) e apresentou queda na comparação com 3º trimestre de 2015 (-1,3%).

67 Rendimento médio real habitual do trabalho principal - R$ Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral Nota: Em valores de agosto de 2016.

68 Rendimento médio real de trabalho por posição na ocupação e categoria do emprego

69 Rendimento médio real do trabalho principal, habitualmente recebido, dos empregados no setor privado (R$) - Brasil Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral Nota: Em valores de agosto de 2016.

70 Rendimento real do trabalho principal, habitualmente recebido, dos trabalhadores domésticos (R$) - Brasil Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral Nota: Em valores de agosto de 2016.

71 Rendimento médio real do trabalho principal, habitualmente recebido, no setor público (R$) - Brasil Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral Nota: Em valores de agosto de 2016.

72 Rendimento médio real do trabalho principal, habitualmente recebido, dos empregadores e trabalhadores por conta própria (R$) - Brasil Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral Nota: Em valores de agosto de 2016.

73 Rendimento médio real de trabalho por grupamentos de atividade

74 Rendimento médio real do trabalho principal, habitualmente recebido, por grupamento de atividade (R$) - Brasil Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral Nota: Em valores de agosto de 2016.

75 Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral Nota: Em valores de agosto de 2016.

76 Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral Nota: Em valores de agosto de 2016.

77 Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral Nota: Em valores de agosto de 2016.

78 R$ Rendimento médio real, habitualmente recebido, do trabalho principal, pelas pessoas de 14 anos ou mais de idade ocupadas na Comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas - Brasil º T 2º T 3º T 4º T 1º T 2º T 3º T 4º T 1º T 2º T 3º T 4º T 1º T 2º T 3º T 4º T 1º T 2º T 3º T Comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas Total Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral Nota: Em valores de agosto de 2016.

79 Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral Nota: Em valores de agosto de 2016.

80 Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral Nota: Em valores de agosto de 2016.

81 Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral Nota: Em valores de agosto de 2016.

82 Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral Nota: Em valores de agosto de 2016.

83 Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral Nota: Em valores de agosto de 2016.

84 Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral Nota: Em valores de agosto de 2016.

85 Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral Nota: Em valores de agosto de 2016.

86 Massa de rendimento médio real de trabalho por posição na ocupação

87 Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral Nota: Em valores de agosto de 2016.

88 Regiões metropolitanas das capitais e capitais das UF

89 Regiões Metropolitanas e RIDE Região Metropolitana de Manaus (AM) Região Metropolitana de Belém (PA) Região Metropolitana de Macapá (AP) Região Metropolitana de Grande São Luís (MA) Região Administrativa Integrada de Desenvolvimento da Grande Teresina (PI) Região Metropolitana de Fortaleza (CE) Região Metropolitana de Natal (RN) Região Metropolitana de João Pessoa (PB) Região Metropolitana de Recife (PE) Região Metropolitana de Maceió (AL) Região Metropolitana de Aracaju (SE) Região Metropolitana de Salvador (BA) Região Metropolitana de Belo Horizonte (MG) Região Metropolitana de Grande Vitória (ES) Região Metropolitana de Rio de Janeiro (RJ) Região Metropolitana de São Paulo (SP) Região Metropolitana de Curitiba (PR) Região Metropolitana de Florianópolis (SC) Região Metropolitana de Porto Alegre (RS) Região Metropolitana de Vale do Rio Cuiabá (MT) Região Metropolitana de Goiânia (GO)

90 Taxa de desocupação sobe frente ao 3º trimestre de 2015 em quase todas as RMs. Exceção para a RIDE da Grande Teresina.

91 Obrigado! Tel

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2017

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2017 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua 2012-2017 Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2017 Rio de Janeiro, 17 de novembro de 2017 Força de Trabalho no Brasil Pesquisa

Leia mais

Rio de Janeiro, 18/05/2017. Mercado de Trabalho Brasileiro 1º trimestre de 2017

Rio de Janeiro, 18/05/2017. Mercado de Trabalho Brasileiro 1º trimestre de 2017 1 Rio de Janeiro, 18/05/2017 Mercado de Trabalho Brasileiro estre de 2017 O B J P R I N C I P A L Produzir informações contínuas PNAD Contínua Produzir informações anuais E T I sobre a inserção da população

Leia mais

Estatísticas do Cadastro Central de Empresas Gerência do Cadastro Central de Empresas

Estatísticas do Cadastro Central de Empresas Gerência do Cadastro Central de Empresas Estatísticas do Cadastro Central de Empresas 2011 Gerência do Cadastro Central de Empresas Data 24/05/2013 Cadastro Central de Empresas - CEMPRE COMPOSIÇÃO Empresas e outras organizações e suas unidades

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua Indicadores mensais produzidos com informações do trimestre móvel terminado em setembro de 2017 Rio de Janeiro, 31 de outubro de 2017

Leia mais

Estatísticas sobre Analfabetismo no Brasil

Estatísticas sobre Analfabetismo no Brasil Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Estatísticas sobre Analfabetismo no Brasil Audiência pública Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego

Pesquisa Mensal de Emprego Pesquisa Mensal de Emprego Retrospectiva 2003-2011 9 anos 1 1, 26/01/2012 1 Produz indicadores mensais sobre a força de trabalho que permitem avaliar as flutuações e a tendência, a médio e a longo prazos,

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 399.473,26 422.403,60 501.033,08 371.050,32 437.918,87 2.131.879,13 Valor

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015 DADOS GERAIS DO ESTADO DO MATO GROSSO Total Part % Brasil Part % Região Área Total - km² 903.386 10,63% 56,24% População

Leia mais

Mercado de Trabalho Brasileiro Retrospectiva 2012 a 2016 Brasil. Rio de Janeiro, 31/01/2017

Mercado de Trabalho Brasileiro Retrospectiva 2012 a 2016 Brasil. Rio de Janeiro, 31/01/2017 Mercado de Trabalho Brasileiro Retrospectiva 2012 a 2016 Brasil 1 Rio de Janeiro, 31/01/2017 Observação: Os indicadores para retrospectiva foram construídos através da média aritmética dos quatro trimestres

Leia mais

ANUÁRIO DO TRABALHO. e 2 O O 7

ANUÁRIO DO TRABALHO. e 2 O O 7 ANUÁRIO DO TRABALHO namicro e Pequena Empresa 2 O O 7 SEBRAE - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Presidente do Conselho Deliberativo Nacional Adelmir Santana Diretor-Presidente Paulo

Leia mais

- Valor - Fob ( Us$/Mil ) - Preço Médio ( Us$/Ton ) OUTROS

- Valor - Fob ( Us$/Mil ) - Preço Médio ( Us$/Ton ) OUTROS BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2018 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ TOTAL ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 618.931,34 618.931,34 Valor Fob ( Us$/Mil ) 115.218,56 115.218,56 Preço

Leia mais

taxa Indicadores IBGE Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Fevereiro de 2016 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE

taxa Indicadores IBGE Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Fevereiro de 2016 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE taxa Indicadores IBGE Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Fevereiro de 2016 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidente da República Dilma Rousseff Ministro do Planejamento,

Leia mais

RESULTADO DO LIRAa JANEIRO FEVEREIRO/15

RESULTADO DO LIRAa JANEIRO FEVEREIRO/15 RESULTADO DO LIRAa JANEIRO FEVEREIRO/15 1º LIRAa 2015 - Situação dos municípios brasileiros Participação voluntária de 1.844 municípios Pesquisa realizada entre janeiro/fevereiro de 2015; Identifica focos

Leia mais

MATERIAL SUPLEMENTAR. Tabela 1. Total de mamógrafos existentes e em uso no SUS, de acordo com tipo, em Salvador, Bahia e Brasil no ano de 2015.

MATERIAL SUPLEMENTAR. Tabela 1. Total de mamógrafos existentes e em uso no SUS, de acordo com tipo, em Salvador, Bahia e Brasil no ano de 2015. MATERIAL SUPLEMENTAR Tabela 1. Total de mamógrafos existentes e em uso no SUS, de acordo com tipo, em Salvador, Bahia e Brasil no ano de 2015. EQUIPAMENTOS DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM - Brasil Equipamento

Leia mais

ANEXO I QUADRO DE VAGAS E LOCALIDADES

ANEXO I QUADRO DE VAGAS E LOCALIDADES ANEXO I QUADRO DE VAGAS E LOCALIDADES Referência: Vagas Provimento imediato de vagas e formação de Cadastro de Reserva. Vagas PD Vagas Reservadas para os candidatos Portadores de Deficiência. 1. Diretoria

Leia mais

Sobre o IPECE Informe

Sobre o IPECE Informe Nº 115 Julho 2017 Dinâmica dos Empregos Formais Cearenses: Uma Análise Comparativa com o Brasil, Grandes Regiões, Estados e Capitais da Federação entre os anos de 2010 e 2015. GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ

Leia mais

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 REGIÃO NORTE 5.951.408 87,35 861.892 12,65 6.813.300 RONDÔNIA 760.521 88,11 102.631 11,89 863.152 ACRE 298.081 85,86 49.094

Leia mais

COMPILAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS

COMPILAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS COMPILAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS PNAD Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio última atualização da pesquisa: 2011 1 2 CARACTERÍSTICAS DOS DOMICÍLIOS 3 ACESSO A SERVIÇOS PÚBLICOS EVOLUÇÃO DO PERCENTUAL

Leia mais

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014)

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) 8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) Elaboração: Contraf-CUT, CNTV e Federação dos Vigilantes do Paraná Fonte: Notícias da imprensa, SSP e sindicatos Apoio: Sindicato dos Vigilantes de Curitiba

Leia mais

O Retorno da Educaçã. ção no Mercado de Trabalho

O Retorno da Educaçã. ção no Mercado de Trabalho O Retorno da Educaçã ção no Mercado de Trabalho Coordenador: Marcelo Cortes Neri Centro de Políticas Sociais do IBRE/FGV e da EPGE/FGV mcneri@fgv.br 1 Ranking - Município do Rio de Janeiro* Salário 1..Direito

Leia mais

FNPETI FÓRUM NACIONAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL. Cenário do Trabalho Infantil Dados PNAD 2014

FNPETI FÓRUM NACIONAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL. Cenário do Trabalho Infantil Dados PNAD 2014 Cenário do Trabalho Infantil Dados PNAD 2014 Fonte: IBGE/Pnad. Elaboração própria. Nota: a PNAD até o ano de 2003 não abrangia a área rural da região Norte (exceto o Tocantins). Nos anos de 1994, 2000

Leia mais

Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A Divulgação dos resultados parciais do programa em 2013.

Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A Divulgação dos resultados parciais do programa em 2013. Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A Divulgação dos resultados parciais do programa em 2013. O Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A tem por objetivo a prevenção e controle da hipovitaminose

Leia mais

ANEXO I QUADRO DE VAGAS E LOCALIDADES

ANEXO I QUADRO DE VAGAS E LOCALIDADES Referência: Vagas Provimento imediato de vagas e formação de Cadastro de Reserva. Vagas PD Vagas Reservadas para os candidatos Portadores de Deficiência. 1.Diretoria Regional Brasília e Administração Central

Leia mais

Econômico Contabilidade Nacional

Econômico Contabilidade Nacional Tabela 3.7.1 - Produto Interno Bruto a preço de mercado corrente (milhões de R$), do e Estados da região Norte - 2008-2011 Acre Roraima 3.032.205 3.239.404 3.770.085 4.143.013 154.251 163.207 201.511 230.011

Leia mais

Piores trechos por Unidade Federativa por número de acidentes

Piores trechos por Unidade Federativa por número de acidentes Piores trechos por Unidade Federativa por número de acidentes - 2015 Data: 18/05/2016 FILTROS: Veículos: Todos Valores: Absolutos Estado: Todos BR: Todas Piores trechos por Estado número de acidentes -

Leia mais

Candidatos por Vaga Processo Seletivo Simplificado / 2008: IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - ANALISTA CENSITÁRIO

Candidatos por Vaga Processo Seletivo Simplificado / 2008: IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - ANALISTA CENSITÁRIO Candidatos por Vaga Processo Seletivo Simplificado / 2008: IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - ANALISTA CENSITÁRIO UF MUNICÍPIO CARGO AC RIO BRANCO Análise de Sistemas / Suporte à

Leia mais

4ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos 2012

4ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos 2012 4ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos 2012 Fonte: Notícias da imprensa, SSP e sindicatos Apoio: Sindicato dos Vigilantes de Curitiba e Região Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região Fetec-CUT(PR)

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL CAMPEONATO BRASILEIRO DA SÉRIE D TABELA BÁSICA / EDIÇÃO 2016 PRIMEIRA FASE REF ROD DATA - DIA HORA GR JOGO ESTÁDIO CIDADE 1ª 12/06 - Dom A1 Rondônia RO x Amazonas AM A1 Acre AC x Amapá AP A2 Tocantins

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Junho de 2016

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Junho de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Junho de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Junho de 2016 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

Contas Regionais do Brasil 2012

Contas Regionais do Brasil 2012 Diretoria de Pesquisas Contas Regionais do Brasil 2012 Coordenação de Contas Nacionais frederico.cunha@ibge.gov.br alessandra.poca@ibge.gov.br Rio de Janeiro, 14/11/2014 Contas Regionais do Brasil Projeto

Leia mais

Acre Previsão por Coeficiente no Estado

Acre Previsão por Coeficiente no Estado Acre 0,6 121.073,55 262.729,59 0,8 161.431,39 350.306,12 1,0 201.789,24 437.882,66 1,2 242.147,09 525.459,19 1,4 - - 1,6 322.862,79 700.612,25 1,8 363.220,64 788.188,78 2,0 - - 2,2 - - 2,4 - - 2,6 524.652,03

Leia mais

Taxa de desemprego em relativa estabilidade

Taxa de desemprego em relativa estabilidade PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA REGIÃO DO ABC 1 PED ABC JUNHO 2 DE 2016 DIVULGAÇÃO N o 62 Taxa de desemprego em relativa estabilidade Aumenta o nível de ocupação nos Serviços e se reduz na Indústria

Leia mais

MERCADO DE TRABALHO METROPOLITANO 1

MERCADO DE TRABALHO METROPOLITANO 1 MERCADO DE TRABALHO METROPOLITANO 1 (nova série com a RM Fortaleza) SETEMBRo 2 DE 2012 RELATIVA ESTABILIDADE DA TAXA DE DESEMPREGO Divulgação N o 68 As informações captadas pela Pesquisa de Emprego e Desemprego

Leia mais

Taxa de desemprego diminui pelo segundo mês consecutivo

Taxa de desemprego diminui pelo segundo mês consecutivo PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA REGIÃO DO ABC 1 PED ABC outubro 2 DE 2015 DIVULGAÇÃO N o 54 Taxa de desemprego diminui pelo segundo mês consecutivo Nível de ocupação aumenta no Comércio e Reparação

Leia mais

TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015

TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015 ! TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015! Jogos Escolares da Juventude 2015 12 a 14 anos Boletim Oficial de Resultados 04/09/2015 CENTRO DE FORMAÇÃO OLÍMPICA - QUADRA 1 TÊNIS DE MESA - EQUIPE - Feminino 1 09:00

Leia mais

Educação Superior Enade e IGC dos Estados e DF

Educação Superior Enade e IGC dos Estados e DF Educação Superior Enade e IGC dos Estados e DF Enade 2015 O Conceito Enade é um indicador de qualidade que avalia o desempenho dos estudantes a partir dos resultados obtidos anualmente para os cursos que

Leia mais

33ª Novembro de 2010

33ª Novembro de 2010 33ª Novembro de 2010 EXPEDIENTE DA FUNDAÇÃO SOCIAL DO TRABALHO DE CAMPO GRANDE PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE Nelson Trad Filho Prefeito Municipal Maria Antonieta Amorim Trad Secretária Munic. de

Leia mais

Piores trechos por Unidade Federativa por número de mortos

Piores trechos por Unidade Federativa por número de mortos Piores trechos por Unidade Federativa por número de mortos - 2016 Data: 24/05/2017 FILTROS: Veículos: Todos Valores: Absolutos Estado: Todos BR: Todas Piores trechos por Estado número de mortos 2016 Estado

Leia mais

Indicadores IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua 3º trimestre de Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE

Indicadores IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua 3º trimestre de Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE taxa Indicadores IBGE Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestre de 2016 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidente da República Michel Miguel Elias Temer Lulia

Leia mais

taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Fevereiro 2016 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE

taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Fevereiro 2016 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Fevereiro 2016 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidenta da República Dilma Rousseff Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão

Leia mais

POSIÇÃO ATUALIZADA ATÉ 25/06/2012 Classif Último Candidato Convocado procedimentos préadmissionais

POSIÇÃO ATUALIZADA ATÉ 25/06/2012 Classif Último Candidato Convocado procedimentos préadmissionais CONCURSO PÚBLICO 2010 TBN RJ e SP de de RJ Campos dos Goytacazes Técnico Bancário 106 2 105 2 RJ Centro Técnico Bancário 592 4 592 4 RJ Niteroi Técnico Bancário 130 3 130 3 RJ Nova Iguaçu Técnico Bancário

Leia mais

Cursos de Dança no Brasil. Dulce Aquino

Cursos de Dança no Brasil. Dulce Aquino Cursos de Dança no Brasil Dulce Aquino Cursos de Dança no Brasil Instituições Federais Instituições Estaduais 3 cursos 9 cursos Total 3 Total de Cursos de Dança nas IES - 3 3 11 Norte - 3 Nordeste - 11

Leia mais

TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2014

TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2014 SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL COINT - Coordenação-Geral de Análise e Informações das Transferências Financeiras Intergovernamentais TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2014

Leia mais

Panorama Econômico do Rio Grande do Sul Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Panorama Econômico do Rio Grande do Sul Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Panorama Econômico do Rio Grande do Sul 2008 Unidade de Estudos Econômicos COMPOSIÇÃO DO PIB PIB DO RIO GRANDE DO SUL 62% 9% 29% Estamos mais sujeitos a refletir crises agrícolas que a média da economia

Leia mais

14-17 anos 5-13 anos. Faixa etária (anos) Ocupação Outras Ignorada

14-17 anos 5-13 anos. Faixa etária (anos) Ocupação Outras Ignorada Ocupação (N) Acidente de trabalho em crianças e adolescentes com diagnóstico de lesão de traumatismo do punho e da mão (CID, S6-S69), segundo ocupação. Brasil, 27 a 26* 4-7 anos - anos Trabalhador polivalente

Leia mais

Indicadores IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua 2º trimestre de Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE

Indicadores IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua 2º trimestre de Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE taxa Indicadores IBGE Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua 2º trimestre de 2016 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Vice-Presidente da República no Exercício do Cargo

Leia mais

Vigilância em Saúde do Trabalhador Agenda Estratégica e a Renast

Vigilância em Saúde do Trabalhador Agenda Estratégica e a Renast Vigilância em Saúde do Trabalhador Agenda Estratégica e a Renast Coordenação Geral de Saúde do Trabalhador Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Secretaria de Vigilância

Leia mais

Dados Básicos sobre Recursos Humanos. ObservaRH - NESP/CEAM/UnB

Dados Básicos sobre Recursos Humanos. ObservaRH - NESP/CEAM/UnB Dados Básicos sobre Recursos Humanos ObservaRH - NESP/CEAM/UnB Brasília/DF 2007 Apresentação O conjunto de dados básicos sobre recursos humanos integra as expectativas das delegações que participaram da

Leia mais

APOIO PARA O RELEASE ESTIMATIVAS DA POPULAÇÃO DOS MUNICÍPIOS E UNIDADES DA FEDERAÇÃO BRASILEIROS COM DATA DE REFERENCIA EM 1º DE JULHO DE 2015

APOIO PARA O RELEASE ESTIMATIVAS DA POPULAÇÃO DOS MUNICÍPIOS E UNIDADES DA FEDERAÇÃO BRASILEIROS COM DATA DE REFERENCIA EM 1º DE JULHO DE 2015 APOIO PARA O RELEASE ESTIMATIVAS DA POPULAÇÃO DOS MUNICÍPIOS E UNIDADES DA FEDERAÇÃO BRASILEIROS COM DATA DE REFERENCIA EM 1º DE JULHO DE 2015 A divulgação anual das estimativas da população residente

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Abril de 2016

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Abril de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Abril de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Abril de 2016 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

A Falta de Médicos no Brasil e no Rio

A Falta de Médicos no Brasil e no Rio A Falta de Médicos no Brasil e no Rio Marcelo Cortes Neri Centro de Políticas Sociais do IBRE/FGV e da EPGE/FGV mcneri@fgv.br Ranking - Município do Rio de Janeiro* Salário 1..Direito - Mestrado ou Doutorado

Leia mais

O Comércio de Serviços do Brasil

O Comércio de Serviços do Brasil Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio e Serviços IV Seminário Estadual de Negócios Internacionais do Paraná O Comércio de Serviços do Brasil Curitiba, 17 de

Leia mais

Contas Regionais do Brasil 2011

Contas Regionais do Brasil 2011 Diretoria de Pesquisas Contas Regionais do Brasil 2011 Coordenação de Contas Nacionais frederico.cunha@ibge.gov.br alessandra.poca@ibge.gov.br Rio, 22/11/2013 Contas Regionais do Brasil Projeto de Contas

Leia mais

MERCADO BRASILEIRO DE SUPLEMENTOS MINERIAS 2014

MERCADO BRASILEIRO DE SUPLEMENTOS MINERIAS 2014 MERCADO BRASILEIRO DE SUPLEMENTOS MINERIAS 2014 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDUSTRIAS DE SUPLEMENTOS MINERAIS RUA AUGUSTA, 2676 13 ANDAR SALA 132 CEP 01412-100 SÃO PAULO SP Telefone: (011) 3061-9077 e-mail:

Leia mais

Estimativas e Análises do PIB Regiões, Estados e Municípios. Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 02 Setembro/2012.

Estimativas e Análises do PIB Regiões, Estados e Municípios. Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 02 Setembro/2012. O Atual Potencial Econômico do Brasil Estimativas e Análises do PIB 2011 - Regiões, Estados e Municípios Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 02 Setembro/2012 Edição 2009 www.goncalvesassociados.com

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Maio/15) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

BAHIA. Previdenciária. ria PNAD BRASÍLIA, MAIO DE 2011

BAHIA. Previdenciária. ria PNAD BRASÍLIA, MAIO DE 2011 BAHIA Proteção Previdenciária ria - Perfil dos socialmente desprotegidos segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2009 - BRASÍLIA, MAIO DE 2011 1 1. Indicadores de Cobertura Social Cobertura

Leia mais

SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO TAÍS ARRUTI LYRIO LISBOA AUDITORA FISCAL DO TRABALHO RESPONSÁVEL NACIONAL PELO PROJETO DE INSERÇÃO DE APRENDIZES

SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO TAÍS ARRUTI LYRIO LISBOA AUDITORA FISCAL DO TRABALHO RESPONSÁVEL NACIONAL PELO PROJETO DE INSERÇÃO DE APRENDIZES SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO TAÍS ARRUTI LYRIO LISBOA AUDITORA FISCAL DO TRABALHO RESPONSÁVEL NACIONAL PELO PROJETO DE INSERÇÃO DE APRENDIZES APRENDIZAGEM: CARACTERIZAÇÃO, LIMITES E POSSIBILIDADES

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 (POR PAÍS) PAÍSES ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 269.719,83 387.213,30 406.882,12 310.956,48 318.530,07 375.612,10 2.068.913,89 Valor Fob ( Us$/Mil ) 72.142,83 99.905,76 104.619,97

Leia mais

Características do candidato a Empreendedor Individual (MEI) no Brasil. SEBRAE-SP/Planejamento Abril de 2009

Características do candidato a Empreendedor Individual (MEI) no Brasil. SEBRAE-SP/Planejamento Abril de 2009 Características do candidato a Empreendedor Individual (MEI) no Brasil SEBRAE-SP/Planejamento Abril de 2009 1 Metodologia do trabalho Definição de candidato a MEI: Consideramos como proxy de candidato

Leia mais

O Desempenho do IPTU em 2010

O Desempenho do IPTU em 2010 O Desempenho do IPTU em 2010 A receita global de IPTU no exercício de 2010 teve um aumento real de 17,2% em relação ao ano de 2009, conforme se verifica abaixo: Exercício Receita Total (R$ Mil) Crescimento

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Março/15) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

Dados sobre o Programa de Educação Tutorial PET atualizados em abril de Fonte: SESu/MEC Apresentação: Diretoria da CENAPET

Dados sobre o Programa de Educação Tutorial PET atualizados em abril de Fonte: SESu/MEC Apresentação: Diretoria da CENAPET Dados sobre o Programa de Educação Tutorial PET atualizados em abril de 05 Fonte: SESu/MEC Apresentação: Diretoria da CENAPET Informações Gerais Número de Grupos: 84 Número de IES: Categoria Administrativa

Leia mais

9, R$ , , R$ ,

9, R$ , , R$ , Rondônia 2005 R$ 601.575,17 2005 10.154 2004 1.027.983 2004 108.139 2004 10,52 2006 R$ 609.834,21 2006 10.757 2005 1.025.249 2005 101.539 2005 9,90 2007 R$ 1.229.490,00 2007 9.100 2006 1.047.004 2006 111.068

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE EMPREGO

PESQUISA MENSAL DE EMPREGO ESTIMATIVAS PARA O MÊS DE AGOSTO DE REGIÃO METROPOLITANA DE RECIFE Taxas de atividade e desocupação estáveis Em agosto de havia 3.081 mil pessoas em idade ativa na Região Metropolitana de Recife. Deste

Leia mais

DESEMPREGO CRESCE PELO SEGUNDO MÊS CONSECUTIVO

DESEMPREGO CRESCE PELO SEGUNDO MÊS CONSECUTIVO PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA 1 FEVEREIRO DE 2013 Ano 6 Divulgação Nº 2 DESEMPREGO CRESCE PELO SEGUNDO MÊS CONSECUTIVO As informações disponibilizadas pela Pesquisa

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Abril de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Março de 2015 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

Comércio em Números. Brasil. meses.

Comércio em Números. Brasil. meses. Belo Horizonte MG Dezembro de 2015 O é um acompanhamento sistemático das estatísticas econômicas. Trata-se de um estudo que busca acompanhar o comportamento das variáveis de desempenho do consumo e das

Leia mais

Na média de 2015, a economia brasileira fechou mais de 525,3 mil postos de trabalho em relação aos dez primeiros meses de O setor de serviços,

Na média de 2015, a economia brasileira fechou mais de 525,3 mil postos de trabalho em relação aos dez primeiros meses de O setor de serviços, Novembro de 2015 1 Na média de 2015, a economia brasileira fechou mais de 525,3 mil postos de trabalho em relação aos dez primeiros meses de 2014. O setor de serviços, contudo, continuou abrindo vagas.

Leia mais

MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA EM 2014

MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA EM 2014 PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA 2014 Ano 7 Número especial MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA EM 2014 Os resultados aqui apresentados referem-se

Leia mais

Comércio em Números. Brasil. meses.

Comércio em Números. Brasil. meses. Belo Horizonte MG Novembro de 2016 O é um acompanhamento sistemático das estatísticas econômicas. Trata-se de um estudo que busca acompanhar o comportamento das variáveis de desempenho do consumo e das

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE DIADEMA

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE DIADEMA OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE DIADEMA Relatório Mensal: A Movimentação do Mercado de Trabalho Formal no Município de Diadema Março de 2008 Termo de Contrato Nº. 226/2007 MAIO de 2008 SUMÁRIO Apresentação

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. Fevereiro/2013 (dados até Janeiro)

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. Fevereiro/2013 (dados até Janeiro) ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Fevereiro/2013 (dados até Janeiro) Características da pesquisa Objetivo: - medir o impacto da conjuntura econômica nos Pequenos Negócios e suas

Leia mais

RESULTADOS DAS PESQUISAS PIM-PF E PMC DO IBGE 1

RESULTADOS DAS PESQUISAS PIM-PF E PMC DO IBGE 1 RESULTADOS DAS PESQUISAS PIM-PF E PMC DO IBGE 1 Produção Industrial Mensal Produção Física: Março de 2012 Os indicadores da Pesquisa Industrial Mensal Produção Física PIM-PF, referentes ao mês de março

Leia mais

Ceará: Resultados do PIB Trimestral 3 0 Trimestre/2007

Ceará: Resultados do PIB Trimestral 3 0 Trimestre/2007 Ceará: Resultados do PIB Trimestral 2003-2007 eloisa@ipece.ce.gov.br rogerio.soares@ipece.ce.gov.br Fortaleza 2009 CEARÁ: COMPOSIÇÃO Ceará: DO Resultados PRODUTO INTERNO do PIB BRUTO Trimestral A PREÇOS

Leia mais

Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Outubro 2010

Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Outubro 2010 Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Outubro 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro de Estado do Planejamento, Orçamento

Leia mais

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Janeiro de 2008 Apresentado por Fernando Chacon Diretor de Marketing de Cartões do Banco Itaú 1 Mercado de Cartões Faturamento anual: R$ bilhões

Leia mais

Características Em 2013, foram visitados 149 mil domicílios e entrevistadas 363 mil pessoas.

Características Em 2013, foram visitados 149 mil domicílios e entrevistadas 363 mil pessoas. Rio de Janeiro, 18/09/2014 1 Abrangência nacional Temas investigados: Características Características gerais dos moradores Educação Migração Trabalho e rendimento Trabalho infantil Fecundidade Características

Leia mais

SETEMBRO DE LIGEIRO RECUO DA TAXA DE DESEMPREGO

SETEMBRO DE LIGEIRO RECUO DA TAXA DE DESEMPREGO MERCADO DE TRABALHO METROPOLITANO 1 SETEMBRO DE 2013 2 LIGEIRO RECUO DA TAXA DE DESEMPREGO As informações captadas pela Pesquisa de Emprego e Desemprego revelam ligeira redução da taxa de desemprego e

Leia mais

Nível de Emprego Formal Celetista

Nível de Emprego Formal Celetista Nível de Emprego Formal Celetista Cadastro Geral de Empregados e Desempregados CAGED FEVEREIRO de 2014 1 Geração de Empregos Formais Celetistas Total de Admissões em fevereiro de 2014... 1.989.181 Total

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS no Estado do Rio de Janeiro em 2013 FEVEREIRO DE 2014 RESUMO O país criou 730.687 novos postos de trabalho em 2013, desempenho este 16% menor do que o apresentado em 2012. No

Leia mais

MAPA DA INCLUSÃO DIGITAL

MAPA DA INCLUSÃO DIGITAL MAPA DA INCLUSÃO DIGITAL Coordenação: Marcelo Cortes Neri cps@fgv.br Equipe do CPS: Luisa Carvalhaes Coutinho de Melo Samanta dos Reis Sacramento Renato Wanderley Gomes Pedro Lipkin Thiago Cavalcante Lucas

Leia mais

Empoderando vidas. Fortalecendo nações.

Empoderando vidas. Fortalecendo nações. Empoderando vidas. Fortalecendo nações. INTRODUÇÃO O Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil é baseado exclusivamente nos Censos Demográficos, realizados de 10 em 10 anos, pelo Instituto Brasileiro de

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS MUNICÍPIOS DA MICRORREGIÃO DO VALE DO PARANAÍBA ASSESSORIA EM GESTÃO PÚBLICA FPM. (Fundo de Participação dos Municípios)

ASSOCIAÇÃO DOS MUNICÍPIOS DA MICRORREGIÃO DO VALE DO PARANAÍBA ASSESSORIA EM GESTÃO PÚBLICA FPM. (Fundo de Participação dos Municípios) FPM (Fundo de Participação dos Municípios) - Projeções para 2014 - Decisão Normativa - TCU Nº 133, de 27 de novembro de 2013 1 DECISÃO NORMATIVA - TCU Nº 133, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2013 Aprova, para o exercício

Leia mais

DESEMPREGO EM ALTA NA RMF

DESEMPREGO EM ALTA NA RMF PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA 1 AGOSTO DE 2014 Ano 7 Divulgação Nº 08 DESEMPREGO EM ALTA NA RMF As informações captadas pela Pesquisa de Emprego e Desemprego na

Leia mais

PIB PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DE RONDÔNIA 2014

PIB PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DE RONDÔNIA 2014 PIB PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DE RONDÔNIA 2014 A Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão SEPOG/RO, através da Gerência do Observatório em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia

Leia mais

PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL ANEXO V GASTOS TURÍSTICOS TABELAS

PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL ANEXO V GASTOS TURÍSTICOS TABELAS PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL ANEXO V GASTOS TURÍSTICOS TABELAS JOÃO PESSOA-PB, JUNHO 2004 TABELA Nº01 GASTO MÉDIO INDIVIDUAL DIÁRIO em R$ 1.00,

Leia mais

PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO

PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO PED Março DE 2016 PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO DIVULGAÇÃO N o 376 Taxa de desemprego aumenta pelo segundo mês consecutivo Nível de ocupação diminui na Indústria de

Leia mais

Mercado de Trabalho Empregos formais. Estado de São Paulo Município: Capivari

Mercado de Trabalho Empregos formais. Estado de São Paulo Município: Capivari Mercado de Trabalho Empregos formais Estado de São Paulo Município: Capivari SÍNTESE Estado de São Paulo População estimada em 2014 44.035.304 População 2010 41.262.199 Área (km²) 248.222,36 Densidade

Leia mais

Síntese de indicadores. nº 1 setembro 2012 CAGED

Síntese de indicadores. nº 1 setembro 2012 CAGED Síntese de indicadores nº 1 setembro 2012 CAGED Síntese de indicadores CAGED Apresentação A partir deste mês, os Observatórios do Trabalho do DIEESE passam a divulgar a Síntese de Indicadores, com resultados

Leia mais

Dados Demográficos: Grandes Regiões, Estados e Municípios. Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 04 - Maio/2013.

Dados Demográficos: Grandes Regiões, Estados e Municípios. Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 04 - Maio/2013. Estudo de Perfil do Consumidor Potencial Brasil - Dados Demográficos: Grandes Regiões, Estados e Municípios Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 04 - Maio/ Edição 2009 www.goncalvesassociados.com

Leia mais

PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO

PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO PED fevereiro DE 2016 PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO DIVULGAÇÃO N o 375 Taxa de desemprego aumenta, após quatro meses em relativa estabilidade Nível de ocupação diminui

Leia mais

Indicadores IBGE. Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI. Janeiro de 2017

Indicadores IBGE. Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI. Janeiro de 2017 Indicadores IBGE Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI Janeiro de 2017 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidente da República Michel Miguel

Leia mais

DESEMPREGO CRESCE PELO SEGUNDO MÊS CONSECUTIVO

DESEMPREGO CRESCE PELO SEGUNDO MÊS CONSECUTIVO PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA 1 FEVEREIRO DE 2014 Ano 7 Divulgação Nº 02 DESEMPREGO CRESCE PELO SEGUNDO MÊS CONSECUTIVO As informações disponibilizadas pela Pesquisa

Leia mais

Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A Divulgação dos resultados parciais do programa em 2013.

Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A Divulgação dos resultados parciais do programa em 2013. Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A Divulgação dos resultados parciais do programa em 2013. O Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A tem por objetivo a prevenção e controle da hipovitaminose

Leia mais

Indicadores IBGE. Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI. Agosto de 2016

Indicadores IBGE. Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI. Agosto de 2016 Indicadores IBGE Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI Agosto de 2016 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidente da República Michel Miguel

Leia mais

Pressão sobre os salários continua em queda, apesar da taxa de desemprego estável

Pressão sobre os salários continua em queda, apesar da taxa de desemprego estável Pressão sobre os salários continua em queda, apesar da taxa de desemprego estável Estimativa da Fipe e da Catho para a taxa de desemprego do décimo mês do ano é de 5,0%, 0,1 ponto percentual maior do que

Leia mais

COMÉRCIO VAREJISTA JUNHO DE 2017

COMÉRCIO VAREJISTA JUNHO DE 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA JUNHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

Indicadores IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua 1º trimestre de Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE

Indicadores IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua 1º trimestre de Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE taxa Indicadores IBGE Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua 1º trimestre de 2016 Instituto eiro de Geografia e Estatística - IBGE Vice-Presidente da República no Exercício do Cargo de Presidente

Leia mais

/ SE B R AE

/  SE B R AE SE B R AE Introdução Objetivo: Apresentar o perfil comparativo das mulheres que possuem um negócio (empreendedoras), com os homens que possuem um negócio (empreendedores), no Brasil. Metodologia: Uso de

Leia mais