Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download ""

Transcrição

1 NOÇÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL E ADMINISTRATIVO I. Constituição Federal II. Dos Direitos e Garantias Fundamentais III. Da Organização Político-Administrativa IV. Organização dos Poderes Poder Legislativo Poder Executivo Poder Judiciário Funções Essenciais à Justiça V. Agentes Públicos VI. Poderes Administrativos VII. Licitação VIII. Controle e Responsabilização da Administração

2 NOÇÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL E ADMINISTRATIVO (...) PODER JUDICIÁRIO E FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA O Poder Judiciário, organizado pela Constituição nos arts. 92 a 126, é aquele que tem como função precípua a jurisdicional, que se consubstancia na aplicação da lei (normal geral e abstrata) a um caso concreto, resultando na composição de um conflito de interesses. É possível afirmar, pois, que o Poder Judiciário tem como função principal impor a validade do ordenamento jurídico, de forma coativa, quando houver necessidade. Atualmente, vê-se crescer a importância do Judiciário no Estado de Direito. Isso porque a doutrina verificou que este poder não somente aplica a lei previamente elaborada pelo Legislativo, mas vai além, constituindo, na verdade, conforme Alexandre de Moraes, o verdadeiro guardião da Constituição, com a finalidade de preservar basicamente os princípios da legalidade e da igualdade. Nas palavras do constitucionalista referido:...é preciso um órgão independente e imparcial para zelar pela observância da Constituição e garantidor da ordem na estrutura governamental, mantendo em seus papéis tanto o Poder Federal como as autoridades dos Estados Federados, além de consagrar a regra de que a Constituição limita os poderes dos órgãos da soberania. A função jurisdicional e, por consequência, o próprio Poder Judiciário apresentam características peculiares. A primeira delas é que a jurisdição somente é prestada quando provocada, ou seja, o Poder Judiciário, na sua função precípua de julgar, fica inerte até que seja provocado pelo exercício do direito de ação. Outra característica é que a jurisdição deve ser prestada com total observâncias dos preceitos constitucionais que asseguram o devido processo legal (que garanta, entre outros aspectos, a igualdade, o contraditório, a ampla defesa, etc.). Por fim, vale destacar que a decisão judicial produz, via de regra, efeitos somente para aqueles que participaram da relação processual, não fazendo coisa julgada a terceiros. 2

3 1. GARANTIAS CONSTITUCIONAIS DO PODER JUDICIÁRIO A posição do Poder Judiciário, como guardião das liberdades e direitos individuais, somente pode ser preservada através de sua independência e imparcialidade. Essas garantias, indispensáveis ao correto funcionamento desse importante Poder do Estado, podem ser divididas em garantias institucionais, que protegem o Judiciário como um todo, e em garantias funcionais, as quais promovem a independência e a imparcialidade dos magistrados. Garantias Institucionais - no que se refere à independência do Poder e de seus órgãos, a principal garantia que a Constituição assegura é a de autogoverno, que se realiza através do exercício de atividades normativas e administrativas de auto-organização e autoregulamentação. As competências organizacionais do art. 96 representam a consolidação da garantia de autogoverno do Judiciário, permitindo que a sua organização interna seja determinada sem a interferência de outro Poder, órgão ou autoridade. Assim, compete aos tribunais: A garantia de autogoverno foi ampliada pela Constituição de 1988, passando a compreender, também, a autonomia financeira consistente na prerrogativa de elaboração da proposta orçamentária, nos termos do art. 99 do texto constitucional. 3

4 Garantias funcionais as garantias políticas do Poder Judiciário são complementadas por garantias próprias dos magistrados, as quais asseguram sua independência, inclusive perante outros órgãos, e sua imparcialidade. As garantias de independência são a vitaliciedade, a inamovibilidade e a irredutibilidade de vencimentos, de acordo com o art. 95 da CRFB/88: Art. 95 Os juízes gozam das seguintes garantias: O termo juízes está empregado em sentido amplo, abrangendo juízes de 1º grau (monocráticos), bem como os membros de Tribunais de 2º grau (desembargadores) e de Tribunais Superiores. I vitaliciedade, que, no primeiro grau, só será adquirida após dois anos de exercício, dependendo, a perda do cargo, nesse período, de deliberação do tribunal a que o juiz estiver vinculado, e, nos demais casos, de sentença judicial transitada em julgado; A vitaliciedade consiste em não poder o magistrado perder o cargo, senão por sentença judicial transitada em julgado. A vitaliciedade dos magistrados difere, pois, da estabilidade dos demais servidores públicos, visto que estes podem perder o cargo por sentença judicial ou por procedimento administrativo. No primeiro grau os juízes adquirem vitaliciedade após dois anos de efetivo exercício da magistratura, ou seja, após o estágio probatório. Durante esse período, poderão perder o cargo antes de adquirir a vitaliciedade inclusive por decisão administrativa do Tribunal a que o juiz estiver vinculado. Uma vez adquirida a vitaliciedade (após os dois anos do estágio probatório), a perda do cargo depende de sentença judicial. Nos Tribunais os juízes adquirem a vitaliciedade no ato da posse, mesmo que advindos da advocacia pelo quinto constitucional. II inamovibilidade, salvo por motivo de interesse público, na forma do art. 93, VIII; A garantia da inamovibilidade veda a remoção de um juiz de um lugar para outro, sem o seu consentimento. Abrange o grau, a sede, a comarca, a seção judiciária, o cargo, o tribunal e a câmara. Por isso, o magistrado não poderá sequer ser promovido contra a sua vontade, podendo dispensá-la. 4

5 Excepciona-se a regra da inamovibilidade em caso de interesse público, hipótese que depende de dois terços do Tribunal a que estiver vinculado o magistrado, assegurada a ampla defesa (art. 93, VIII). III irredutibilidade de subsídio, ressalvado o disposto nos arts. 37, X e XI, 39 4º, 150, II, 153, III, e 153, 2º, I. Os subsídios dos juízes são irredutíveis, o que não impede a incidência de tributos e do teto constitucional de remuneração. Impede-se a redução como forma de evitar uma possível forma de pressão, garantindo-se aos magistrados o livre exercício de suas atribuições. Tais garantias não podem ser confundidas com privilégios dos magistrados, já que constituem meio de assegurar o livre desempenho da magistratura, revelando a autonomia e a independência do Poder Judiciário. Ao contrário de privilégios, são na verdade prerrogativas imprescindíveis ao exercício da democracia, à perpetuidade da separação e poderes e ao respeito aos direitos fundamentais. Além das garantias de independência, a Constituição Federal previu uma série de impedimentos aos juízes, no intuito de assegurar a imparcialidade. As garantias de imparcialidade são essenciais ao exercício da jurisdição, e estão dispostas no parágrafo único do art. 95: Art. 95, parágrafo único da CF/88 Aos juízes é vedado: I exercer, ainda que em disponibilidade, outro cargo ou função, salvo uma de magistério; II receber, a qualquer título ou pretexto, custas ou participação em processo; III dedicar-se à atividade político-partidária; IV receber, a qualquer título ou pretexto, auxílios ou contribuições de pessoas físicas, entidades públicas ou privadas, ressalvadas a s exceções previstas em lei; (Acrescentado pela EC nº 45/2004) V exercer a advocacia no juízo ou tribunal do qual se afastou, antes de decorridos três anos do afastamento do cargo por aposentadoria ou exoneração (Acrescentado pela EC nº 45/2004). Como afirma Alexandre de Moraes, o texto constitucional, ao proibir o exercício de atividade político-partidária aos magistrados, pretende assegurar a necessária isenção de ânimos ao Poder Judiciário para decidir as relevantes questões envolvendo os negócios políticos do Estado, evitando favorecimentos ou perseguições em razão de coloração partidária. 5

Art. 92 ÓRGÃOS: Tribunais Superiores Tribunais de 2º grau (2ª instância) 1º grau (1ª instância) facebook.com/prof.rodrigomenezes Justiça Estadual / DFT Justiça Federal O STF, o CNJ e os Trib. Sup. têm

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO IV DA ORGANIZAÇÃO DOS PODERES CAPÍTULO IV DAS FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA Seção I Do Ministério Público Art. 127. O Ministério Público é instituição

Leia mais

GARANTIAS E VEDAÇÕES CONFERIDAS AOS MEMBROS DO PODER JUDICIÁRIO APÓS A EMENDA CONSTITUCIONAL 45 / 2004

GARANTIAS E VEDAÇÕES CONFERIDAS AOS MEMBROS DO PODER JUDICIÁRIO APÓS A EMENDA CONSTITUCIONAL 45 / 2004 GARANTIAS E VEDAÇÕES CONFERIDAS AOS MEMBROS DO PODER JUDICIÁRIO APÓS A EMENDA CONSTITUCIONAL 45 / 2004 Décio Guimarães Júnior Acadêmico do 5º período do Curso de Direito do Centro Universitário Newton

Leia mais

EC 7/77 (Congresso fechado) falta de um perfil nacional previsão de uma lei complementar regras gerais preparação da LC 40/81

EC 7/77 (Congresso fechado) falta de um perfil nacional previsão de uma lei complementar regras gerais preparação da LC 40/81 Escola Superior do Ministério Público SP O Promotor de Justiça como agente político Hugo Nigro Mazzilli Antecedentes históricos Origem ligada à defesa do rei e à acusação penal Fins do Séc. XIII instituição

Leia mais

Cargo: Efetivo (de carreira ou isolado) adquire estabilidade Em comissão livre exoneração Vitalício adquire vitaliciedade

Cargo: Efetivo (de carreira ou isolado) adquire estabilidade Em comissão livre exoneração Vitalício adquire vitaliciedade CAMPUS Capítulo 5 Administração Pública e Servidores Públicos Disposições Constitucionais 189 Servidor público em sentido estrito (regime estatutário) Cargo efetivo Cargo em comissão Adm. Direta, autárquica

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO ARTIGOS 127 A 130 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL

MINISTÉRIO PÚBLICO ARTIGOS 127 A 130 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL MINISTÉRIO PÚBLICO ARTIGOS 127 A 130 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL Órgão constitucional autônomo, incumbido de promover a ação penal e fiscalizar a execução da lei perante a jurisdição penal e exercer, ante

Leia mais

Manual de Direito Administrativo I Gustavo Mello Knoplock

Manual de Direito Administrativo I Gustavo Mello Knoplock Série Provas e Concursos Manual de Direito Administrativo I Gustavo Mello Knoplock ELSEVIER 5.6. Resumo AGENTES PÚBLICOS (segundo Hely Lopes Meirelles): 1. Agentes políticos Aqueles no alto escalão dos

Leia mais

Princípios da Administração Pública

Princípios da Administração Pública Princípios da Administração Pública PRINCÍPIO DA LEGALIDADE Conceito: Ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei (art. 5º, II da CF). O Princípio da legalidade

Leia mais

Organização dos Poderes do Estado

Organização dos Poderes do Estado Organização dos Poderes do Estado DO PODER JUDICIÁRIO TEMAS BÁSICOS FUNÇÕES TÍPICAS E ATÍPICAS Típica: julgar ( jus dicere ). Atípicas: administrar e normatizar (função regimental; SV; Resoluções do TSE;

Leia mais

NOÇÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL

NOÇÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL NOÇÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL 1 Constituição. 1.1 Conceito, classificações, princípios fundamentais. 2 Direitos e garantias fundamentais. 2.1 Direitos e deveres individuais e coletivos, Direitos sociais,

Leia mais

LEGISLAÇÃO APLICADA AO MPU. Ministério Público na CF/88. MPU LC 75/93 art. 1º. Princípios na LC 75/93. Princípios institucionais do MP

LEGISLAÇÃO APLICADA AO MPU. Ministério Público na CF/88. MPU LC 75/93 art. 1º. Princípios na LC 75/93. Princípios institucionais do MP Conteúdo programático LEGISLAÇÃO APLICADA AO MPU Profª Breezy Vizeu MP na CF/88; Lei complementar 75/93; Lei n.º 8.112/1990 (Regime Jurídico); Lei nº 11.415/2006 (carreiras dos servidores públicos do MPU);

Leia mais

CONSTITUIÇÂO DA REPÚBLICA PORTUGUESA. (texto integral) Tribunais SECÇÃO V CAPÍTULO I. Princípios gerais. Artigo 202. (Função jurisdicional)

CONSTITUIÇÂO DA REPÚBLICA PORTUGUESA. (texto integral) Tribunais SECÇÃO V CAPÍTULO I. Princípios gerais. Artigo 202. (Função jurisdicional) CONSTITUIÇÂO DA REPÚBLICA PORTUGUESA (texto integral) Tribunais SECÇÃO V CAPÍTULO I Princípios gerais Artigo 202. (Função jurisdicional) 1. Os tribunais são os órgãos de soberania com competência para

Leia mais

PLANO DE ENSINO OBJETIVOS GERAIS:

PLANO DE ENSINO OBJETIVOS GERAIS: PLANO DE ENSINO FACULDADE: Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais CURSO: Direito Período: 3 DEPARTAMENTO: Ano: 2016 DISCIPLINA: Teoria Geral do Processo CARGA HORÁRIA: 80 horas PRÉ-REQUISITO: não há.

Leia mais

Sumário. Nota do autor para a terceira edição... 31

Sumário. Nota do autor para a terceira edição... 31 Nota do autor para a terceira edição... 31 APRESENTAÇÃO... 33 ABREVIATURAS E SIGLAS... 35 Capítulo I Introdução ao direito eleitoral... 37 1. Introdução ao Direito Eleitoral... 37 1.1. Conceito de Direito

Leia mais

O ESTADO E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA

O ESTADO E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA O ESTADO E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA ESTADO Conjunto de regras, pessoas e organizações que se separam da sociedade para organizá-la. - Só passa a existir quando o comando da comunidade

Leia mais

LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO Módulo Especial

LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO Módulo Especial LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO Módulo Especial CONCURSO: Ministério Público da União CARGO: Técnico e Analista do MPU PROFESSOR: Rodolpho Bacchi Este curso é protegido por direitos

Leia mais

DOCUMENTO PROVISÓRIO. Conselho Nacional de Justiça Anteprojeto de Emenda de Constitucional

DOCUMENTO PROVISÓRIO. Conselho Nacional de Justiça Anteprojeto de Emenda de Constitucional ANEXO II* DOCUMENTO PROVISÓRIO Conselho Nacional de Justiça Anteprojeto de Emenda de Constitucional "Introduz modificações na estrutura do Poder Judiciário" As Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado

Leia mais

NOÇÕES BÁSICAS SOBRE OS PRINCÍPIOS REGENTES DA ATIVIDADE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Everaldo Rocha Bezerra Costa Procuradoria Federal junto à UFG

NOÇÕES BÁSICAS SOBRE OS PRINCÍPIOS REGENTES DA ATIVIDADE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Everaldo Rocha Bezerra Costa Procuradoria Federal junto à UFG NOÇÕES BÁSICAS SOBRE OS PRINCÍPIOS REGENTES DA ATIVIDADE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Everaldo Rocha Bezerra Costa Procuradoria Federal junto à UFG I INTRODUÇÃO II PRINCÍPIOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA A administração

Leia mais

PROVA ESCRITA PRELIMINAR PARA CLASSE INICIAL DA CARREIRA DO MINISTÉRIO PÚBLICO - RJ (PROMOTOR DE JUSTIÇA SUBSTITUTO)

PROVA ESCRITA PRELIMINAR PARA CLASSE INICIAL DA CARREIRA DO MINISTÉRIO PÚBLICO - RJ (PROMOTOR DE JUSTIÇA SUBSTITUTO) PROVA ESCRITA PRELIMINAR PARA CLASSE INICIAL DA CARREIRA DO MINISTÉRIO PÚBLICO - RJ (PROMOTOR DE JUSTIÇA SUBSTITUTO) PRINCÍPIOS INSTITUCIONAIS DO MINISTÉRIO PÚBLICO 89. Considerando os princípios institucionais

Leia mais

Da Advocacia Pública arts , e Seção III Da Advocacia e da Defensoria Pública arts

Da Advocacia Pública arts , e Seção III Da Advocacia e da Defensoria Pública arts ADVOCACIA CF/1988 - Título IV - Da Organização dos Poderes; Capítulo IV - Das Funções Essenciais à Justiça; Seção II Da Advocacia Pública arts. 131-132, e Seção III Da Advocacia e da Defensoria Pública

Leia mais

COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO

COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO Organização Judiciária Programa I Introdução 1 Conceito e âmbito da organização judiciária: 1.1. Considerações preliminares 1.2. Conceito 1.3. Âmbito 2 Noções fundamentais

Leia mais

Sistemas de Controle das empresas estatais

Sistemas de Controle das empresas estatais Sistemas de Controle das empresas estatais Alexandre Luis Bragança Penteado Gerente Setorial do Jurídico Corporativo de Órgãos Externos da Petróleo Brasileiro S.A. - PETROBRAS Sistemas de controle do Estado

Leia mais

Direito Processual Civil

Direito Processual Civil Direito Processual Civil Dos Poderes, dos Deveres e da Responsabilidade do Juiz Professor Giuliano Tamagno www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Processual Civil DO JUIZ E DOS AUXILIARES DA JUSTIÇA CAPÍTULO

Leia mais

Prof. Dr. Vander Ferreira de Andrade

Prof. Dr. Vander Ferreira de Andrade Prof. Dr. Vander Ferreira de Andrade Organização Estatal Vedação aos entes federativos: I - estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Reorganiza as atribuições gerais e as classes dos cargos da Carreira Policial Federal, fixa a remuneração e dá outras providências.

Leia mais

42) Quanto aos elementos ou requisitos de validade dos atos administrativos não podemos afirmar:

42) Quanto aos elementos ou requisitos de validade dos atos administrativos não podemos afirmar: Finalmente, hoje, terminaremos os comentários ao simulado da 2ª Feira do Concurso. 41) Analise as situações abaixo e assinale a alternativa correta: I Ronaldo é Auditor Fiscal da Receita Federal aposentado

Leia mais

princípios Os princípios sensíveis Os princípios estabelecidos

princípios Os princípios sensíveis Os princípios estabelecidos Olá pessoal, tudo bem? Comentei a prova do TCE-SC, especialidade Direito, prova difícil que exigiu do concurseiro muita compreensão de texto, doutrina pesada e também jurisprudência... Segue as questões.

Leia mais

Fontes do Direitos: Constituição, lei, costumes, jurisprudência, doutrina e contrato. A Constituição Federal e os tópicos da Economia

Fontes do Direitos: Constituição, lei, costumes, jurisprudência, doutrina e contrato. A Constituição Federal e os tópicos da Economia Fontes do Direitos: Constituição, lei, costumes, jurisprudência, doutrina e contrato. A Constituição Federal e os tópicos da Economia No Brasil, vigora o princípio da Supremacia da Constituição, segundo

Leia mais

Professora Susanna Schwantes

Professora Susanna Schwantes 1) São Órgãos do Poder Judiciário do Rio Grande do Sul: (a) Tribunal de Alçada e Tribunal de Justiça. (b) Pretores e Conselho da Magistratura. (c) Tribunal do Júri e Juizes de Paz. (d) Juizes de Direito

Leia mais

Aula 01. A estrutura administrativa do Estado Brasileiro vem sendo dividida em três setores, formadores do chamado Estado Gerencial Brasileiro.

Aula 01. A estrutura administrativa do Estado Brasileiro vem sendo dividida em três setores, formadores do chamado Estado Gerencial Brasileiro. Turma e Ano: Magistratura Estadual Direito Administrativo (2015) Matéria / Aula: Estado Gerencial Brasileiro; 1º, 2º e 3º Setores; 1º setor Estrutura e Regime de Pessoal 01 Professor: Luiz Oliveira Castro

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Procuradoria da República em Cáceres Mato Grosso RECOMENDAÇÃO N. 12/2014

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Procuradoria da República em Cáceres Mato Grosso RECOMENDAÇÃO N. 12/2014 IC n. 1.20.001.000104/2011-27 RECOMENDAÇÃO N. 12/2014 O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, nos autos dos Inquérito Civil nº 1.20.001.000104/2011-27, pelo Procurador da República signatário, no cumprimento de

Leia mais

ARTIGO: O controle incidental e o controle abstrato de normas

ARTIGO: O controle incidental e o controle abstrato de normas ARTIGO: O controle incidental e o controle abstrato de normas Luís Fernando de Souza Pastana 1 RESUMO: Nosso ordenamento jurídico estabelece a supremacia da Constituição Federal e, para que esta supremacia

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO E ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

DIREITO ADMINISTRATIVO E ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DIREITO ADMINISTRATIVO E ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Autonomia e controle no setor público Controlar é qualquer ação tomada pela administração pública com o objetivo de atingir metas preestabelecidas. A administração

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação ORGANIZAÇÃO BÁSICA DAS DISCIPLINAS CURRICULARES

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação ORGANIZAÇÃO BÁSICA DAS DISCIPLINAS CURRICULARES 2007/1 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação ORGANIZAÇÃO BÁSICA DAS DISCIPLINAS CURRICULARES Disciplina: DIREITO PROCESSUAL PENAL I Curso: DIREITO Código CR PER Co-Requisito Pré-Requisito

Leia mais

Nota, xi Nota à 9a edição, xiii

Nota, xi Nota à 9a edição, xiii Nota, xi Nota à 9a edição, xiii 1 Direito Administrativo, 1 1.1 Introdução ao estudo do Direito Administrativo, 1 1.2 Ramo do direito público, 3 1.3 Conceito de Administração Pública e de Direito Administrativo,

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO N, DE 2012

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO N, DE 2012 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO N, DE 2012 Altera dispositivos da Constituição Federal para assegurar a participação da Ordem dos Advogados do Brasil em todas as fases dos concursos públicos de prova

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO ESTADO DA BAHIA Processo N

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO ESTADO DA BAHIA Processo N PROCESSO Nº. 0013653-73.2015.4.01.3300 CLASSE: MANDADO DE SEGURANÇA INDIVIDUAL IMPETRANTE: ADRIANO RIOS DE LACERDA, ANTONIO PESSOA CARDOSO, PABLICIO MONTEIRO CARDOSO, PABLO MONTEIRO CARDOSO, PESSOA CARDOSO

Leia mais

NOTA TÉCNICA ADPF n. 001/2015 Proposição Ementa Explicação da Ementa Autoria Relator Art. 1º

NOTA TÉCNICA ADPF n. 001/2015 Proposição Ementa Explicação da Ementa Autoria Relator Art. 1º NOTA TÉCNICA ADPF n. 001/2015 Ref. Proc. nº 5236/13 Proposição: PEC 412/2009 Ementa: Altera o 1º do art. 144 da Constituição Federal, dispondo sobre a organização da Polícia Federal. Explicação da Ementa:

Leia mais

02/11/2016 ÓRGÃO E ENTIDADE, DESCONCENTRAÇÃO E DESCENTRALIZAÇÃO ÓRGÃO E ENTIDADE, DESCONCENTRAÇÃO E DESCENTRALIZAÇÃO

02/11/2016 ÓRGÃO E ENTIDADE, DESCONCENTRAÇÃO E DESCENTRALIZAÇÃO ÓRGÃO E ENTIDADE, DESCONCENTRAÇÃO E DESCENTRALIZAÇÃO ÓRGÃO E ENTIDADE, DESCONCENTRAÇÃO E DESCENTRALIZAÇÃO ÓRGÃO E ENTIDADE, DESCONCENTRAÇÃO E DESCENTRALIZAÇÃO Lei 9.784/99: Art. 1º, 2º. Para os fins desta Lei, consideram-se: I - órgão - a unidade de atuação

Leia mais

DARIO CÉSAR BARBOSA

DARIO CÉSAR BARBOSA DARIO CÉSAR BARBOSA dariobarbosa@bol.com.br RESPONSABILIDADE NA GESTÃO FISCAL? O ADMINISTRADOR PÚBLICO QUE ATUA DE ACORDO COM O MODELO DE RESPONSABILIDADE NA GESTÃO FISCAL É AQUELE QUE SE EMPENHA NA PRESERVAÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO. Adalberto Martins 1 discorrendo sobre o Ministério Público, afirma sua origem no mundo e no Brasil, ao dizer:

MINISTÉRIO PÚBLICO. Adalberto Martins 1 discorrendo sobre o Ministério Público, afirma sua origem no mundo e no Brasil, ao dizer: MINISTÉRIO PÚBLICO O Ministério Público do Trabalho é parte integrante do Ministério Público da União, com funções diferenciadas por ter a incumbência de tratar das questões relacionadas com o direito

Leia mais

Pré - Requisito: CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

Pré - Requisito: CONTEÚDO PROGRAMÁTICO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BRASÍLIA - UniCEUB FACULDADE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS E SOCIAIS Curso: DIREITO Créditos: 05 Carga Horária: 075 Disciplina: TEORIA GERAL DO PROCESSO Professora: Débora Soares Guimarães

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE O ARTIGO 194 DO ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE.

REFLEXÕES SOBRE O ARTIGO 194 DO ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE. REFLEXÕES SOBRE O ARTIGO 194 DO ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE. Jefferson Barbin Torelli * E.C.A. Art. 194. O procedimento para imposição de penalidade administrativa por infração ás normas de proteção

Leia mais

PROJETO DE EMENDA A LEI ORGÂNICA Nº 13/2011

PROJETO DE EMENDA A LEI ORGÂNICA Nº 13/2011 PROJETO DE EMENDA A LEI ORGÂNICA Nº 13/2011 Acrescenta o art. 109-A ao Capítulo II do Título IV da Lei Orgânica do Município. A Câmara Municipal de São Paulo PROMULGA: Art. 1º Fica acrescido o art. 109

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL I

DIREITO CONSTITUCIONAL I DIREITO CONSTITUCIONAL I De acordo com Uadi Bulos, a Constituicao de 1988 qualificou a organizacao do Estado brasileiro como politico-administrativa. A ORGANIZACAO ESPACIAL E TERRITORIAL DO PODER DO ESTADO,

Leia mais

Noções de Direito Constitucional - Conhecendo a Constituição Federal de Parte 1 -

Noções de Direito Constitucional - Conhecendo a Constituição Federal de Parte 1 - INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO Noções de Direito Constitucional - Conhecendo a Constituição Federal de 1988 - Parte 1 - Objetivo: - Conhecer a Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 (CRFB/88);

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 634/2010

RESOLUÇÃO Nº 634/2010 Publicação: 19/05/2010 DJE: 18/05/2010 RESOLUÇÃO Nº 634/2010 Regulamenta a concessão do Adicional de Desempenho, ADE, aos servidores efetivos dos Quadros de Pessoal da Secretaria do Tribunal de Justiça

Leia mais

QUESTÕES DE CONCURSOS PÚBLICOS 2016 CONTABILIDADE PÚBLICA. Desejo-lhe sucesso e sorte na conquista de seus sonhos e o pleno alcance de suas metas.

QUESTÕES DE CONCURSOS PÚBLICOS 2016 CONTABILIDADE PÚBLICA. Desejo-lhe sucesso e sorte na conquista de seus sonhos e o pleno alcance de suas metas. QUESTÕES DE CONCURSOS PÚBLICOS 2016 CONTABILIDADE PÚBLICA Prezado estudante, concursando! Desejo-lhe sucesso e sorte na conquista de seus sonhos e o pleno alcance de suas metas. Nunca desista de conquistar

Leia mais

TJ-AM Legislação do AM Bloco de Questões II Emilly Albuquerque

TJ-AM Legislação do AM Bloco de Questões II Emilly Albuquerque TJ-AM Legislação do AM Bloco de Questões II Emilly Albuquerque 2013 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. QUESTÕES DE LEGISLAÇÃO TJ AM 01. Acerca das disposições referentes

Leia mais

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO... 13

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO... 13 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO... 13 CAPÍTULO I A PROCURADORIA-GERAL DA FAZENDA NACIONAL... 15 1. Breve reconstrução histórica... 15 1.1. Do Procurador dos Feitos da Coroa, da Fazenda e do Fisco ao Procurador

Leia mais

Direito Constitucional TJ/RJ Prof. Carlos Andrade

Direito Constitucional TJ/RJ Prof. Carlos Andrade Direito Constitucional TJ/RJ Prof. Carlos Andrade 19. Segundo a Constituição Federal, os tratados e convenções internacionais sobre direitos humanos que forem aprovados, em cada Casa do Congresso Nacional,

Leia mais

CAPÍTULO 1 DIREITO MARÍTIMO E PROCESSO CIVIL UM DIÁLOGO NECESSÁRIO

CAPÍTULO 1 DIREITO MARÍTIMO E PROCESSO CIVIL UM DIÁLOGO NECESSÁRIO PREFÁCIO CAPÍTULO 1 DIREITO MARÍTIMO E PROCESSO CIVIL UM DIÁLOGO NECESSÁRIO É clássica a afirmação de que o Estado, no exercício do seu poder soberano, exerce três funções: legislativa, administrativa

Leia mais

Direitos Trabalhistas Justiça do Trabalho e Recursos Humanos

Direitos Trabalhistas Justiça do Trabalho e Recursos Humanos Direitos Trabalhistas Justiça do Trabalho e Recursos Humanos Palestrante: Estabilidade gestante Estabilidade Acidentária Jornada 12 x 36 Períodos de Intervalo Insalubridade Prof. Cristiano Magalhães 1

Leia mais

Conselho da Justiça Federal

Conselho da Justiça Federal RESOLUÇÃO N. 147, DE 15 DE ABRIL DE 2011. Institui o Código de Conduta do Conselho e da Justiça Federal de primeiro e segundo graus. O PRESIDENTE DO CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL, usando de suas atribuições

Leia mais

O papel fundamental do CARF na realização da. Direito & DESENVOLVIMENTO Para melhorar o Brasil... PENSANDO O BRASIL...

O papel fundamental do CARF na realização da. Direito & DESENVOLVIMENTO Para melhorar o Brasil... PENSANDO O BRASIL... O papel fundamental do CARF na realização da Justiça Tributária: Eurico.santi@FGV.BR Direito & DESENVOLVIMENTO Para melhorar o Brasil... PENSANDO O BRASIL... PAPEL DO CARF & JUSTIÇA TRIBUTÁRIA Que é justiça

Leia mais

Hugo Nigro Mazzilli. Hugo Nigro Mazzilli AD V OG AD O OAB - SP n O controle externo do Ministério Público

Hugo Nigro Mazzilli. Hugo Nigro Mazzilli AD V OG AD O OAB - SP n O controle externo do Ministério Público O controle externo do Ministério Público Hugo Nigro Mazzilli Advogado Procurador de Justiça aposentado Professor do Complexo Jurídico Damásio de Jesus Professor da Escola Superior do Ministério Público

Leia mais

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Sujeitos Processuais. Gustavo Badaró aula de

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Sujeitos Processuais. Gustavo Badaró aula de Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Sujeitos Processuais Gustavo Badaró aula de 11.10.2016 1. Noções Gerais 2. Juiz PLANO DA AULA Peritos, interpretes e auxiliares da justiça 3. Ministério

Leia mais

RESOLUÇÃO MPC-MG Nº 001, DE 11 DE MAIO DE 2011

RESOLUÇÃO MPC-MG Nº 001, DE 11 DE MAIO DE 2011 RESOLUÇÃO MPC-MG Nº 001, DE 11 DE MAIO DE 2011 Revogada pela RMPC 2/11 O Procurador-Geral do Ministério Público de Contas, com fundamento direto nos artigos 32 e 119 da Lei Complementar nº 102, de 17 de

Leia mais

CONTROLE DE CONTEÚDO CONCURSOS LEGISLATIVOS ÁREA ADMINISTRATIVA

CONTROLE DE CONTEÚDO CONCURSOS LEGISLATIVOS ÁREA ADMINISTRATIVA 1 Domínio da Ortografia Oficial. Emprego das Letras. Emprego da Acentuação Gráfica. 2 Estrutura, Formação e Representação das Palavras. 3 Emprego das Classes de Palavras. 4 Relações de coordenação e de

Leia mais

RESOLUÇÃO TJ/ OE/ RJ nº 35/2013

RESOLUÇÃO TJ/ OE/ RJ nº 35/2013 RESOLUÇÃO TJ/ OE/ RJ nº 35/2013 Disciplina, no âmbito do Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro, o quantitativo de Juízes Leigos, suas atribuições e remuneração. O ÓRGÃO ESPECIAL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA PORTUGUESA 7.ª revisão 2005 (excertos) Princípios fundamentais. ARTIGO 10.º (Sufrágio universal e partidos políticos)

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA PORTUGUESA 7.ª revisão 2005 (excertos) Princípios fundamentais. ARTIGO 10.º (Sufrágio universal e partidos políticos) CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA PORTUGUESA 7.ª revisão 2005 (excertos) Princípios fundamentais ARTIGO 10.º (Sufrágio universal e partidos políticos) 1. O povo exerce o poder político através do sufrágio universal,

Leia mais

SUMÁRIO LIVRO I IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. Parte 1 Direito Material Rafael Carvalho Rezende Oliveira

SUMÁRIO LIVRO I IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. Parte 1 Direito Material Rafael Carvalho Rezende Oliveira SUMÁRIO LIVRO I IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA Parte 1 Direito Material Rafael Carvalho Rezende Oliveira 1. INTRODUÇÃO 1.1. A importância do combate à corrupção 1.2. Conceito de improbidade administrativa

Leia mais

EIXO FUNDAMENTAL CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC LINHAS DE PESQUISA

EIXO FUNDAMENTAL CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC LINHAS DE PESQUISA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC LINHAS DE PESQUISA Direito Constitucional e Teoria Geral do Estado * O Poder Constituinte * Processo Legislativo

Leia mais

LEGISLAÇÃO APLICADA AO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO PROF. GIL SANTOS

LEGISLAÇÃO APLICADA AO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO PROF. GIL SANTOS AULA 1 EXERCÍCIOS DEFINIÇÃO MINISTÉRIO PÚBLICO 1)Ao tratar das funções essenciais à justiça, estabelece a Constituição Federal, com relação ao Ministério Público, que: A) incumbe-lhe a defesa da ordem

Leia mais

Simples Nacional e a Tributação pelo Lucro Presumido. Prof. Dr. Paulo Caliendo Professor PUCRS

Simples Nacional e a Tributação pelo Lucro Presumido. Prof. Dr. Paulo Caliendo Professor PUCRS + Simples Nacional e a Tributação pelo Lucro Presumido Prof. Dr. Paulo Caliendo Professor PUCRS + Quaestione Disputatae O Simples Nacional é preferível ao Lucro Presumido? Questão óbvia: a resposta deveria

Leia mais

O SISTEMA FEDERATIVO E A INTERVENÇÃO FEDERAL

O SISTEMA FEDERATIVO E A INTERVENÇÃO FEDERAL O SISTEMA FEDERATIVO E A INTERVENÇÃO FEDERAL GUSTAVO GUSMÃO O SISTEMA FEDERATIVO E A INTERVENÇÃO FEDERAL INTRODUÇÃO: O Brasil é uma República Federativa, isto é, uma Federação composta de Estados- membros

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRITO FEDERAL

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRITO FEDERAL DECISÃO /2015 20ª VARA FEDERAL PROCESSO nº 28278-06.2015.4.01.3400 AUTOR : UNIÃO DOS ADVOGADOS PÚBLICOS FEDERAIS DO BRASIL RÉ : UNIÃO FEDERAL DECISÃO A UNIÃO DOS ADVOGADOS PÚBLICOS DO BRASIL ajuizou a

Leia mais

Professora Susanna Scwantess

Professora Susanna Scwantess 1) São Órgãos do Poder Judiciário do Rio Grande do Sul: (a) Tribunal de Alçada e Tribunal de Justiça. (b) Pretores e Conselho da Magistratura. (c) Tribunal do Júri e Juizes de Paz. (d) Juizes de Direito

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR N 9.230/1991 (Estadual)

LEI COMPLEMENTAR N 9.230/1991 (Estadual) LEI COMPLEMENTAR N 9.230/1991 (Estadual) Cria a Defensoria Pública do Estado do Rio Grande do Sul, na forma do art. 121 da Constituição Estadual, e dispõe sobre sua competência, estrutura e funcionamento,

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br A impossibilidade da análise sobre a isenção do imposto de transmissão causa mortis pelo juiz nos autos do inventário Rodrigo Borges Valadão* Compõe-se o Estado de Poderes, segmentos

Leia mais

Processo do Trabalho I

Processo do Trabalho I Processo do Trabalho I»Aula 5 Jurisdição e Competência Parte 1 Introdução Jurisdição Competência Em razão da Matéria Competência Funcional Jurisdição e competência da Justiça a do Trabalho I Introdução

Leia mais

PEC 369/2005 Poder Executivo

PEC 369/2005 Poder Executivo PEC 369/2005 Poder Executivo Dá nova redação aos arts. 8o, 11, 37 e 114 da Constituição. Art. 1o Os arts. 8o, 11, 37 e 114 da Constituição passam a vigorar com a seguinte redação: Art. 8o É assegurada

Leia mais

LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL VEDAÇÕES EM ÚLTIMO ANO DE MANDATO

LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL VEDAÇÕES EM ÚLTIMO ANO DE MANDATO LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL VEDAÇÕES EM ÚLTIMO ANO DE MANDATO 1 ART. 42 - VEDAÇÕES de 1º de maio a 31 de dezembro: Contrair obrigação de despesa, nos últimos 8 meses, que não possa ser cumprida (paga)

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SANTA CATARINA/SC

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SANTA CATARINA/SC EXCELENTÍSSIMO SENHOR PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SANTA CATARINA/SC A ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DO MINISTÉRIO PÚBLICO (ACMP), inscrita no CNPJ n. 82510330/0001-91, sediada na Avenida Othon Gama

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL I. Princípios Constitucionais e Infraconstitucionais do Processo Civil. Jurisdição... 002 II. Ação... 013 III. Competência... 015 IV. Processo... 021 V. Sujeitos do Processo...

Leia mais

Esses, em síntese, os fatos de interesse.

Esses, em síntese, os fatos de interesse. Nº 600414/2016 ASJCIV/SAJ/PGR Relator: Ministro Marco Aurélio Autora: União Réu: Consulado Geral da França no Rio de Janeiro CONSTITUCIONAL E INTERNACIONAL. AÇÃO CÍVEL ORIGINÁRIA. EXECUÇÃO FISCAL CONTRA

Leia mais

Tripartição dos Poderes do Estado (Separação das funções Estatais)

Tripartição dos Poderes do Estado (Separação das funções Estatais) Tripartição dos Poderes do Estado (Separação das funções Estatais) Prof. Rodrigo Lagares Mestre em Políticas Públicas e Processo TRIPARTIÇÃO DO PODER PODER ESTATAL UNO INDIVISÍVEL A tripartição das funções

Leia mais

PROVA DE NOÇÕES DE DIREITO Cód. 01. INSTRUÇÃO: As questões 31 a 39 referem-se ao texto da Constituição da República de 1988.

PROVA DE NOÇÕES DE DIREITO Cód. 01. INSTRUÇÃO: As questões 31 a 39 referem-se ao texto da Constituição da República de 1988. 14 PROVA DE NOÇÕES DE DIREITO Cód. 01 INSTRUÇÃO: As questões 31 a 39 referem-se ao texto da Constituição da República de 1988. QUESTÃO 31 A República Federativa do Brasil rege-se, nas suas relações internacionais,

Leia mais

Órgão: Justiça Comum Unidade: Justiça Comum

Órgão: Justiça Comum Unidade: Justiça Comum Unidade: 05101 - Justiça Comum 0000 Operações Especiais 6.482.000 Operações Especiais 6.482.000 0000 0703 Despesas de Exercícios Anteriores 28 846 6.401.000 0000 0703 0287 Despesas de Exercícios Anteriores

Leia mais

MPE - RJ. https://www.pontodosconcursos.com.br Prof. Karina Jaques

MPE - RJ. https://www.pontodosconcursos.com.br Prof. Karina Jaques https://www.pontodosconcursos.com.br Prof. Karina Jaques CONTEÚDO PROGRAMÁTICO O Ministério Público na Constituição Federal de 1988: princípios, garantias, vedações, estrutura e funções institucionais;

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 4.840, DE 2016 (Do Sr. Alberto Fraga)

PROJETO DE LEI N.º 4.840, DE 2016 (Do Sr. Alberto Fraga) *C0059067A* C0059067A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 4.840, DE 2016 (Do Sr. Alberto Fraga) Estabelece normas de atuação dos advogados das instituições de ensino superior que mantenham atendimento

Leia mais

ÓRGÃO ESPECIAL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA

ÓRGÃO ESPECIAL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA ÓRGÃO ESPECIAL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Representante: Exmo. Senhor Prefeito do Município de Barra do Piraí Representado: Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal do Município de Barra do Piraí Relator:

Leia mais

Impedimento do magistrado de exercer comércio e direção de sociedade empresária

Impedimento do magistrado de exercer comércio e direção de sociedade empresária Conselho Nacional de Justiça Impedimento do magistrado de exercer comércio e direção de sociedade empresária Requerente: Requerido: Relator: Leopoldo Pereira dos Santos Servidor Federal MT Conselho Nacional

Leia mais

DECRETO N.º DE 15 DE MAIO DE O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas disposições legais, e

DECRETO N.º DE 15 DE MAIO DE O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas disposições legais, e DECRETO N.º 35610 DE 15 DE MAIO DE 2012 Institui o regime FICHA LIMPA como requisito para o ingresso em cargo ou emprego público no âmbito da Administração Pública Direta e Indireta do Município do Rio

Leia mais

2º O advogado dativo será nomeado para prestar assistência até o final do processo, salvo nos casos fundamentadamente justificados pelo juiz.

2º O advogado dativo será nomeado para prestar assistência até o final do processo, salvo nos casos fundamentadamente justificados pelo juiz. LEI N. 3.165, DE 2 DE SETEMBRO DE 2016 Estabelece critérios para a nomeação, remuneração e pagamento de advogados dativos nos processos que não puderem ser assistidos pela Defensoria Pública do Estado

Leia mais

Base territorial, Itajaí, Navegantes, CARTILHA DA GREVE

Base territorial, Itajaí, Navegantes, CARTILHA DA GREVE CARTILHA DA GREVE INTRODUÇÃO A greve é um direito inalienável dos trabalhadores, públicos ou privados. O seu exercício envolve uma série de condições e implicações, que devem ser consideradas pelo movimento

Leia mais

Senador Paulo Paim PT/RS

Senador Paulo Paim PT/RS Senador Paulo Paim PT/RS paulopaim@senador.gov.br Municipais. Registro sobre a PEC 17/2012 Procuradores Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Senadores. Quero compartilhar com os Senhores e as Senhoras

Leia mais

AULA 1: ORGANIZAÇÃO DOS PODERES

AULA 1: ORGANIZAÇÃO DOS PODERES AULA 1: ORGANIZAÇÃO DOS PODERES EMENTÁRIO DE TEMAS: São Poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo, o Executivo e o Judiciário (Art. 2º, da CRFB/88) Organização dos Poderes: separação

Leia mais

CONTROLE DE CONTEÚDO - ASSEMBLEIA LEGISLATIVA SÃO PAULO - TÉCNICO LEGISLATIVO DIREITO

CONTROLE DE CONTEÚDO - ASSEMBLEIA LEGISLATIVA SÃO PAULO - TÉCNICO LEGISLATIVO DIREITO CONTROLE DE CONTEÚDO - ASSEMBLEIA LEGISLATIVA SÃO PAULO - TÉCNICO LEGISLATIVO DIREITO LÍNGUA PORTUGUESA 1 Leitura e análise de textos. Estruturação do texto e dos parágrafos. Significação contextual de

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO. ATO Nº 384/ 2011 Rio de Janeiro, 12 de maio de CAPÍTULO I. Das Disposições Preliminares

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO. ATO Nº 384/ 2011 Rio de Janeiro, 12 de maio de CAPÍTULO I. Das Disposições Preliminares TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO ATO Nº 384/ 2011 Rio de Janeiro, 12 de maio de 2011. O Presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO

DIREITO ADMINISTRATIVO DIREITO ADMINISTRATIVO 01. Assinale a alternativa incorreta acerca dos princípios constitucionais da Administracao Publica a) A Administração e imprescindível justificar seus atos. b) Ao administrador

Leia mais

2.7. Resumo Elementos do Estado: povo, território e governo soberano.

2.7. Resumo Elementos do Estado: povo, território e governo soberano. 63 QUESTÃO COMENTADA AFRF 2003 Esaf Não há previsão legal para a celebração de contrato de gestão entre a pessoa jurídica de direito público política e a seguinte espécie: a) órgão público; b) organização

Leia mais

COMENTÁRIOS PROVA TRE/RS PROFª MARTHA MESSERSCHMIDT CÓDIGO DE ÉTICA DOS SERVIDORES DO TRE/RS RESOLUÇÃO Nº 246/2014

COMENTÁRIOS PROVA TRE/RS PROFª MARTHA MESSERSCHMIDT CÓDIGO DE ÉTICA DOS SERVIDORES DO TRE/RS RESOLUÇÃO Nº 246/2014 COMENTÁRIOS PROVA TRE/RS PROFª MARTHA MESSERSCHMIDT CÓDIGO DE ÉTICA DOS SERVIDORES DO TRE/RS RESOLUÇÃO Nº 246/2014 - QUESTÃO 07 GABARITO = D Segundo o inciso I, Art. 7º, da Resolução nº 246/2014 é vedado

Leia mais

Casos e Working Papers A legitimidade do Judiciário

Casos e Working Papers A legitimidade do Judiciário * Este artigo é uma crítica a legitimidade do judiciário federal frente ao debate que vem sendo realizado nos últimos sobre o tema. Proponho a legitimação deste poder pela vontade popular e não pela nomeação

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RECOMENDAÇÃO DE CARÁTER GERAL CN-CNMP N 01, DE 03 DE NOVEMBRO 2016. Dispõe sobre a liberdade de expressão, a vedação da atividade político-partidária, o uso das redes sociais e do e-mail institucional

Leia mais

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores FELIPE FERREIRA (Presidente sem voto), RENATO SARTORELLI E VIANNA COTRIM.

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores FELIPE FERREIRA (Presidente sem voto), RENATO SARTORELLI E VIANNA COTRIM. 1 Registro: 2016.0000888926 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Agravo de Instrumento nº 2223275-04.2016.8.26.0000, da Comarca de Santa Bárbara D Oeste, em que é agravante ELZA DOMINGOS

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 519

LEI COMPLEMENTAR Nº 519 LEI COMPLEMENTAR Nº 519 Dispõe sobre a modalidade de remuneração por subsídio para os servidores dos cargos de padrão 01 a 15 do Quadro Permanente do Serviço Civil do Poder Executivo, para os servidores

Leia mais

CONTROLE JUDICIAL DOS ATOS NORMATIVOS DAS AGÊNCIAS REGULADORAS. Marcos Juruena Villela Souto

CONTROLE JUDICIAL DOS ATOS NORMATIVOS DAS AGÊNCIAS REGULADORAS. Marcos Juruena Villela Souto CONTROLE JUDICIAL DOS ATOS NORMATIVOS DAS AGÊNCIAS REGULADORAS Marcos Juruena Villela Souto REGULAÇÃO A regulação é uma atividade administrativa de intervenção do Estado no domínio econômico, mediante

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS RESOLUÇÃO N.º 08/2014

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS RESOLUÇÃO N.º 08/2014 APROVA o texto de Anteprojeto de Lei dispondo sobre a modificação do Fundo Especial do Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas FUNETJ, objeto da Lei n.º 2.620, de 04 de dezembro de 2000. O, à vista do

Leia mais

Conceito: conjunto de regras e princípios que visam reger os agentes, os órgãos e as atividades

Conceito: conjunto de regras e princípios que visam reger os agentes, os órgãos e as atividades DIREITO ADMINISTRATIVO: Conceito: conjunto de regras e princípios que visam reger os agentes, os órgãos e as atividades administrativas, tendentes a realizar os fins desejados pelo Estado. Fontes: 1ª Lei;

Leia mais