Efeito das concentrações de vitaminas e reguladores de crescimento no superbrotamento da cultivar BRS-verde

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Efeito das concentrações de vitaminas e reguladores de crescimento no superbrotamento da cultivar BRS-verde"

Transcrição

1 REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN Volume 8 - Número 2-2º Semestre 2008 Efeito das concentrações de vitaminas e reguladores de crescimento no superbrotamento da cultivar BRS-verde Nara Wanderley Pimentel 1, Lívia Wanderley Pimentel 2, Priscila Simone Ribeiro Aires 1 e Julita Maria Frota Chagas Carvalho 3 RESUMO A propagação in vitro oferece condições para obter plantas em menor espaço de tempo comparado ao melhoramento convencional. Uma das metodologias empregadas no processo de cultivo de tecidos e propagação in vitro é o superbrotamento, com o qual, a partir de um explante, possam ser obtidas várias plantas geneticamente idênticas à plântula matriz. O objetivo desse estudo foi avaliar o efeito dos complexos vitamínicos e das concentrações dos fitorreguladores 6-benzylaminopurina (BAP) e N6- furfurilaminopurina (KIN) no superbrotamento in vitro da cultivar de algodão BRS- Verde. Na desinfestação das sementes, fez-se uso de soluções de hipoclorito de sódio a 1% de cloro ativo mais 1mL de Tween 20. Na indução de múltiplos brotos analisou-se o explante gema cotiledonar em três complexos vitamínicos: MS; LS e Sais de MS acrescidos de vitaminas do meio B5, suplementados com combinações de BAP e KIN nas concentrações: 0,0; 2,5; 3,0; 3,5; 4,0 e 4,5 mg.l -1 com 10 frascos por tratamento, cada um contendo três explantes, em um delineamento inteiramente casualizado. As avaliações foram realizadas após 60 dias de cultivo, foi considerado o parâmetro NBE (número de brotos por explante). Observou-se que o meio MS apresentou um efeito diferencial e promissor, quando suplementado com 3,0 mg.l -1 de BAP e 3,0 mg.l -1 de KIN, alcançando média de 6,29 brotos por explante. Verificou-se que o meio MS suplementado com BAP e KIN, proporcionou boa capacidade organogênica na cultivar BRS-Verde, para o explante gema cotiledonar. Palavras chaves: algodão; micropropagação; citocininas Effect of the concentrations of vitamins and growth regulators in the multiple shots of cultivating BRS-Verde ABSTRACT The propagation in vitro offers conditions to obtain plants in smaller space of time compared to the conventional improvement. One of the employed methodologies in the process of cultivation of fabrics and propagation in vitro is the induction multiple shots, with which, starting from an explants, they can be obtained several plants genetically identical to the main seedling. The objective of that study was to evaluate the effect of the compounds vitamins and of the concentrations of the growth regulators 6-benzylaminopurine (BAP) and N6 - furfurilaminopurine (KIN) in the induction multiple shots in vitro of cultivating of BRS-verde cotton. In the desinfested of the seeds, it was made use of solutions of hypochlorite of sodium to 1% of active chlorine more 1mL of Tween 20. In the induction of multiple sprouts the explants was analyzed cotyledonary moans in three complex vitamins: MS; LS and salts of MS added of vitamins of half B5, 152

2 supplemented with combinations of BAP and KIN in the concentrations: 0,0; 2,5; 3,0; 3,5; 4,0 and 4,5 mg.l -1 with 10 flasks for treatment, each one containing three explants, in completely randomized design. The evaluations were accomplished after 60 days of cultivation, the parameter was considered NBE (number of sprouts for explants). It was observed that the MS way presented an effect differential and promising, when supplemented with 3,0 mg.l-1 of BAP and 3,0 mg.l-1 of KIN, reaching average of 6,29 sprouts for explants. It was verified that the way MS supplemented with BAP and KIN, provided good capacity organogenic in cultivating BRS-verde, for the explant cotyledonary moans. Keywords: cotton; micropropagation, cytokinins 1 INTRODUÇÃO O algodoeiro é uma das fibras vegetais mais cultivadas do mundo e um dos produtos de maior importância do grupo das fibras, pelo volume e valor de produção. Seu cultivo é também de grande importância social pelo número de empregos que gera direta ou indiretamente. O aproveitamento da planta é um dos mais completos, pois dos seus subprodutos são utilizados o óleo, o línter, a farinha de torta e a casca, todos extraídos da semente ou do caroço. A cultura do algodão apresenta problemas como um número elevado de pragas e doenças preocupando os pesquisadores que visam obter plantas com qualidade fitossanitária e elevado índice de produtividade. Ribeiro et al., (2002), ressalta que, do potencial de produtividade do algodão, apenas 15,9% têm sido atingido, e o aproveitamento desse potencial poderia ser elevado a 60%. Na biotecnologia vegetal, o domínio da cultura in vitro (ou cultivo de tecidos) de plantas teve importância crucial. A cultura in vitro de tecidos vegetais pode ser definida como um conjunto de técnicas para favorecer o crescimento de um grande número de células em um ambiente estéril e controlado. O maior impacto da cultura de tecidos está na área de multiplicação de plantas, conhecida como micropropagação ou propagação clonal, porque os indivíduos produzidos são geneticamente idênticos (RAVEN et al., 2001). A micropropagação proporciona meios para obtenção de plantas, em curto período de tempo, livres de doenças devido à descontaminação dos explantes e às condições estéreis empregadas. O sucesso de programas de transformação genética de plantas depende do potencial de regeneração da espécie em estudo o qual é influenciado pelo genótipo utilizado, tamanho dos explantes, composição do meio nutritivo, condições de cultivo e pelas concentrações de hormônios vegetais (FERREIRA et al., 1998). Portanto a necessidade de maximizar o número de plantas regeneradas de algodão, com a manutenção da fidelidade genética, contribuiu para uma ampla diversificação das condições do cultivo in vitro, tanto para desenvolver novas cultivares como para fornecer alternativas para programas de melhoramento genético.considerando-se a necessidade de realização de trabalhos básicos que auxiliem os programas de melhoramento genético da cultura do algodão, o presente trabalho tem por objetivo estudar o comportamento da cultivar BRS-Verde de algodão quando estimulado por complexos vitamínicos e concentrações de fitorreguladores no superbrotamento in vitro do explante gema cotiledonar. 2 MATERIAL E MÉTODOS As sementes foram desinfestadas em solução de hipoclorito, a 1% de cloro ativo mais uma gota de Tween 20 para cada 100 ml de solução durante 20 minutos em agitação, seguida de lavagem tripla em água deionizada esterilizada. Posteriormente foram inoculadasem tubos de ensaio contendo meio MS (MURASHIGUE e SKOOG, 1962), suplementado com 3% de sacarose e 0,55% de ágar, os tubos foram fechados com tampa 153

3 de prolipropileno e vedados com fitafilme. Após 25 dias de plantio os explantes foram separados e excisados e, em seguida, inoculados em frascos contendo sais do meio MS adicionados com os complexos vitamínicos dos meios: I MS; II LS (LINSMAIER e SKOOG, 1965), e/ou III B5 (GAMBORG et al., 1968); todos os frascos foram suplementados com combinações das citocininas BAP e KIN nas seguintes concentrações: 2,5mg.L -1 BAP + 2,5mg.L -1 KIN; 3,0mg.L -1 BAP + 3,0mg.L -1 KIN; 3,5mg.L -1 BAP + 3,5mg.L -1 KIN; 4,0mg.L -1 BAP + 4,0mg.L -1 KIN e 4,5mg.L -1 BAP + 4,5mg.L -1 KIN. Todos os meios foram suplementados com sacarose a 3% e phytagel a 0,55% e o ph ajustado para 5,8. Foi realizado um experimento controle onde não houve a adição de BAP e KIN. Em cada complexo vitamínico foi utilizado o tratamento controle correspondente a ausência de citocininas no meio de cultivo. Utilizaram-se 10 frascos por tratamento, contendo três explantes cada um. A cada 20 dias os explantes foram transferidos em condições estéreis para frascos contendo meios frescos, a fim de se evitar ocorrência de oxidação. A avaliação foi realizada após 60 dias de cultivo. O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado no arranjo fatorial 3x5 (3 complexos vitamínicos e 5 concentrações de fitorreguladores). A variável NBE (Numero de Brotos por Explante) foi submetida à análise de variância e análise de regressão linear pelo software Sisvar (FERREIRA, 2000), as médias foram comparadas pelo teste de Tukey, a 5% de probabilidade. 3 RESULTADOS E DISCUSSÃO De acordo com os resultados obtidos em relação à análise de variância para a característica NBE, Tabela 1, observou-se que houve significância para as características estudadas (vitaminas e fitorreguladores), bem como para a interação (vitaminas*fitorreguladores) indicando haver influencia tanto dos maios de cultivo quanto das concentrações de fitorreguladores na multiplicação dos brotos no explante gema cotiledonar da cultivar de algodão BRS- Verde. Indica também que não houve comportamento consistente das concentrações de reguladores de crescimento em todos os complexos vitamínicos, ou seja, existe concentrações ideais de fitorreguladores para cada complexo vitamínico. Tabela 1- Resumo da análise de variância e coeficiente de variação (CV) referente ao parâmetro número de brotos por explante (NBE). Fonte de Variação GL Quadrado médio NBE Vitaminas Fitorreguladores Vitaminas*fitorreguladores Resíduo CV% Na Tabela 2, são apresentados os resultados obtidos na indução de múltiplos brotos em cada complexo vitamínico, para a variável NBE na média de todas as concentrações de fitorreguladores. Pode-se observar que o tratamento com sais do meio MS acrescido de vitaminas do meio LS apresentou maior capacidade organogênica (Figura 1A) com uma média de 4,51 brotos/explante, aos 60 dias de cultivo, quando comparado com os demais tratamentos. Resultados semelhantes foram constatados por Lima (2004), que obteve melhores resultados de multiplicação in vitro de algodão (Gossypium hirsutum L.), utilizando o explante meristema apical e o meio MS, obtendo uma média de 7,4 brotos por explante. 154

4 Tabela 2- Valores médios da variável número de brotos/ explante, em relação aos complexos vitamínicos. Tratamentos Médias(NBE) 1 Sais do meio MS + Vitaminas do meio B5 3,54c Sais do meio MS + Vitaminas do meio MS 4,14b Sais do meio MS + Vitaminas do meio LS 4,51a 1. Médias seguidas das mesmas letras não diferem estatisticamente entre si pelo teste de Tukey a 5 % de probabilidade. Figura 1A e B. Indução da organogênese em algodão. A) Multibrotação obtida no tratamento inoculado com sais do meio MS acrescidos de vitaminas do meio LS. B) Multibrotação obtida no tratamento suplementado com 3,0 mg.l -1 BAP + 3,0 mg.l -1 KIN Na Tabela 3, verifica-se que as maiores médias de brotos foram obtidas no tratamento em que se utilizou 3,0 mg.l -1 BAP + 3,0 mg.l -1 KIN, alcançando uma média de 5,21 brotos/explante (Figura 1B). Observa-se que houve tendência de redução no número de brotos por explante com o aumento das concentrações de fitorreguladores. Provavelmente, estes níveis exógenos de BAP e/ou KIN (ambos apresentavam sempre a mesma proporção), interagindo com o nível endógeno da citocinina, causaram efeito fitotóxico, suprimindo as brotações. Esses resultados foram semelhantes aos obtidos por Sousa et al. (2004), estudando a indução de múltiplos brotos na cultivar de algodão CNPA , onde elevadas concentrações de BAP promoveram redução no percentual de explantes com brotações, sendo que para o referido autor, a concentração ótima dos fitorreguladores foi de 1,5 mg.l -1 de BAP e 1,5 mg.l -1 de KIN, que é inferior à obtida neste trabalho (3,0 mg.l -1 ). Isto se deve, provavelmente, ao potencial morfogenético inerente a cada variedade. Tabela 3- Valores médios da variável número de brotos/explante em relação às concentrações de fitorreguladores. Concentrações de Fitorreguladores Médias (NBE) 2,5 mg.l -1 BAP + 2,5 mg.l -1 KIN 4,78b 3,0 mg.l -1 BAP + 3,0 mg.l -1 KIN 5,21a 3,5 mg.l -1 BAP +3,5 mg.l -1 KIN 4,27c 4,0 mg.l -1 BAP + 4,0 mg.l -1 KIN 3,21d 4,5 mg.l -1 BAP + 4,5 mg.l -1 KIN 2,83e 1. Médias seguidas das mesmas letras não diferem estatisticamente entre si pelo teste de Tukey a 5 % de probabilidade. Observou-se também que os meios sem adição das citocininas BAP e KIN, não induziram a formação de multibrotações, pois o parâmetro NBE foi considerado apenas acima de dois brotos por explante para o superbrotamento. O desdobramento da interação para os diferentes complexos vitamínicos em cada concentração de fitorreguladores, evidenciado 155

5 pelo teste de Tukey, Tabela 4, demonstra que em concentrações mais baixas (2,5e 3,0 mg.l - 1 de BAP e KIN) o meio MS destacou-se. Em contra partida, para concentrações mais elevadas (3,5; 4,0; e 4,5 mg.l -1 de BAP e KIN), o meio com sais de MS acrescido de vitamina s do meio LS destacou-se. Observase também, que no meio com sais de MS acrescido de vitaminas do meio B5 não proporcionou resultados superiores aos demais. Tabela 4- Resultado das comparações múltiplas para o desdobramento dos complexos vitamínicos em cada concentração de fitorregulador. Concentrações de Vitaminas/Médias(NBE) 1 Fitorreguladores Sais de MS+ Meio MS Sais de MS + Vit. B5 Vit. LS 2,5 mg.l -1 BAP + 2,5 mg.l -1 KIN 4,69b 6,07a 3,89c 3,0 mg.l -1 BAP + 3,0 mg.l -1 KIN 4,20b 6,29a 4,86b 3,5 mg.l -1 BAP +3,5 mg.l -1 KIN 3,50b 3,73b 5,59a 4,0 mg.l -1 BAP + 4,0 mg.l -1 KIN 2,76b 2,66b 4,20a 4,5 mg.l -1 BAP + 4,5 mg.l -1 KIN 2,56b 1,93b 3,99a 1. Médias seguidas das mesmas letras na linha não diferem estatisticamente entre si pelo teste de Tukey a 5 % de probabilidade. Amaral (2005), estudando alguns fatores que influenciam a organogênese, bem como a regeneração in vitro de alfavaca (Ocimum selloi Benth), visando fornecer subsídios à transformação genética, analisou o efeito de concentrações de sais no cultivo in vitro de segmentos caulinares nodais desta espécie, constatou que a concentração de 100% de sais de MS combinada com a concentração de 2% de glucose foi mais promissora, em razão de se ter obtido brotos mais longos e com raízes grandes, resultando em maior peso do material vegetal. Segundo Alves et al., (2004), o processo de organogênese é complexo, com atuação de múltiplos fatores externos e internos, envolvendo interação entre fonte de explante meio de cultura e fatores do ambiente. 4 CONCLUSÕES Com base nos resultados obtidos, o tratamento que proporcionou uma melhor capacidade organogênica foi o meio com sais de MS acrescido de vitaminas do meio LS. O meio MS, suplementado com 3,0mg.L -1 de BAP e 3,0mg.L -1 de KIN apresenta efeito diferencial e promissor no superbrotamento in vitro do explante gema cotiledonar. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ALVES, E. C. S. de C.; XAVIER, A.; OTONI, W. C. Organogênese de explante foliar de clones de eucalyptus grandis e e. urophylla. Pesquisa Agropecuaria Brasileira, Brasília, v. 39, n. 5, p , AMARAL, C. L. F., Morfogênese in vitro e transformação genética de alfavaca (Ocimum selloi Benth). São Paulo, Disponível em: Acesso em : 20 de nov. de FERREIRA, M. E.; CALDAS, L. S.; PEREIRA, E. A. Aplicações da cultura de tecidos no melhoramento genético de plantas. In: TORRES, A. C.; CALDAS, L. S.; BUSO, J. A. Cultura de tecidos e transformação genética de plantas. Brasília: Embrapa-SPI / Embrapa-CNPH,1998. v.1., p FERREIRA, D. F. Análises estatísticas por meio do Sisvar para Windows versão 4.0. In: 45 O REUNIÃO ANUAL DA REGIÃO BRASILEIRA DA SOCIEDADE INTERNACIONAL DE BIOMETRIA. Junho 2000, São Carlos: UFSCas, p

6 GAMBORG, O.L.; MILLER, R.A.; OJIMA, K. Nutrient requirements of suspension cultures of soybean root cells. Experimental Cell Research, v.50, p , LIMA, L.H.G. de M. Indução de múltiplos brotos in vitro, a partir de ápice caulinar de algodão (Gossypium hirsutum), da cultivar CNPA ITA-90 II f.Monografia (Trabalho de Graduação em em Ciências Biológicas) Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande, LINSMAIER, E.M.; SKOOG, F. Organic growth factor requirements of tobacco tissue cultures. Physiology Plant., v.18, p , MURASHIGE, T.; SKOOG, F. A. A. Rivesed medium for rapid growth and bioassays with tobacco tissue culture. Physiologia Plantarum, v. 15, p ,1962. RAVEN, P. H.; EVERT, R. F.; EICHOHORN, S. E. Biologia Vegetal. 6 ed. Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan, p. RIBEIRO, U. P.; PINHO, E. E. R. V.; GUIMARÃES, R. M.; VIANA, L. S. Determinação do potencial osmótico e do período de embebição utilizados no condicionamento fisiológico de sementes de algodão. Ciênc. Agrotec, Lavras, v.26, n.5, p , SOUSA, E.B. de M.; LIMA, L.H.G.M.; CARVALHO, J.M.F.; SANTOS, J.W.; VIDAL, M.S. Indução in vitro de superbrotamento a partir de meristema apical de algodão (Gossypium hirsutum L.) CNPA In: CONGRESSO NACIONAL DE BOTÂNICA, 55; ENCONTRO REGIONAL DE BOTÂNICOS DE MG, BA E ES, , Viçosa, Anais...Campina Grande: Embrapa Algodão, p [1]Mestrandas em Eng. Agrícola pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). [2]Mestre em Eng. Agrícola pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). [3]Pesquisadora da Embrapa Algodão. 157

INDUÇÃO DE MULTIBROTAÇÕES IN VITRO, A PARTIR DE GEMAS COTILEDONARES DE ALGODÃO (Gossypium hirsutum L.) DA CULTIVAR CNPA

INDUÇÃO DE MULTIBROTAÇÕES IN VITRO, A PARTIR DE GEMAS COTILEDONARES DE ALGODÃO (Gossypium hirsutum L.) DA CULTIVAR CNPA INDUÇÃO DE MULTIBROTAÇÕES IN VITRO, A PARTIR DE GEMAS COTILEDONARES DE ALGODÃO (Gossypium hirsutum L.) DA CULTIVAR CNPA 98-1034 Adriana Carneiro Tavares (UEPB / adrianaestevam@yahoo.com.br), Morganna Pollynne

Leia mais

EFEITO DA BENZILAMINOPURINA (BAP) NA MICROPROPAGAÇÃO DA VARIEDADE CURIMENZINHA (BGM 611) DE MANDIOCA (Manihot esculenta Crantz)

EFEITO DA BENZILAMINOPURINA (BAP) NA MICROPROPAGAÇÃO DA VARIEDADE CURIMENZINHA (BGM 611) DE MANDIOCA (Manihot esculenta Crantz) EFEITO DA BENZILAMINOPURINA (BAP) NA MICROPROPAGAÇÃO DA VARIEDADE CURIMENZINHA (BGM 611) DE MANDIOCA (Manihot esculenta Crantz) Mariane de Jesus da Silva de Carvalho 1, Antônio da Silva Souza 2, Karen

Leia mais

Indução e crescimento de calos em explantes foliares de hortelã-docampo

Indução e crescimento de calos em explantes foliares de hortelã-docampo Indução e crescimento de calos em explantes foliares de hortelã-docampo Priscila P. Botrel ; Juliana F. Sales,2 ; José E. B. P. Pinto ; Fabiano G. Silva,3 ; Vivian E. Nascimento ; Suzan K. V. Bertolucci.

Leia mais

INFLUÊNCIA DO MEIO DE CULTURA E DE UM FERTILIZANTE SOLÚVEL NA MICROPROPAGAÇÃO DA MANDIOCA (Manihot esculenta Crantz)

INFLUÊNCIA DO MEIO DE CULTURA E DE UM FERTILIZANTE SOLÚVEL NA MICROPROPAGAÇÃO DA MANDIOCA (Manihot esculenta Crantz) INFLUÊNCIA DO MEIO DE CULTURA E DE UM FERTILIZANTE SOLÚVEL NA MICROPROPAGAÇÃO DA MANDIOCA (Manihot esculenta Crantz) Mariane de Jesus da Silva de Carvalho 1, Antônio da Silva Souza 2, Mariana Conceição

Leia mais

ESTABELECIMENTO IN VITRO

ESTABELECIMENTO IN VITRO ESTABELECIMENTO IN VITRO DE CANA-DE-AÇÚCAR. Paulo Sérgio Gomes da Rocha 1 ; Antonio Sergio do Amaral 1 ; Amito José Teixeira 1, Mayara Luana Coser Zonin 2 ; Sergio Delmar dos Anjos 3. INTRODUÇÃO O estabelecimento

Leia mais

ESTABELECIMENTO DE CÉLULAS EMBRIOGÊNICAS PARA REGENERAÇÃO DO ALGODOEIRO *

ESTABELECIMENTO DE CÉLULAS EMBRIOGÊNICAS PARA REGENERAÇÃO DO ALGODOEIRO * ESTABELECIMENTO DE CÉLULAS EMBRIOGÊNICAS PARA REGENERAÇÃO DO ALGODOEIRO * Julita Maria Frota Chagas Carvalho (Embrapa Algodão / julita@cnpa.embrapa.br ), Maria Jaislanny Lacerda e Medeiros (Universidade

Leia mais

20º Seminário de Iniciação Científica e 4º Seminário de Pós-graduação da Embrapa Amazônia Oriental ANAIS. 21 a 23 de setembro

20º Seminário de Iniciação Científica e 4º Seminário de Pós-graduação da Embrapa Amazônia Oriental ANAIS. 21 a 23 de setembro 20º Seminário de Iniciação Científica e 4º Seminário de Pós-graduação ANAIS 21 a 23 de setembro 2016 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Amazônia Oriental Ministério da Agricultura, Pecuária

Leia mais

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010 AVALIAÇÃO DE DIFERENTES TEMPOS DE IMERSÃO E S DA SOLUÇÃO DE HIPOCLORITO DE SÓDIO NA ASSEPSIA DE EXPLANTES FOLIARES DE ATROVERAN Ocimum selloi Benth. LUCILA ELIZABETH FRAGOSO MONFORT 1 ; CAROLINA MARIANE

Leia mais

Franca, Mariana Almeida Micropropagação de cana-de-açúcar cultivar RB Mariana Almeida Franca. Curitiba: f. il.

Franca, Mariana Almeida Micropropagação de cana-de-açúcar cultivar RB Mariana Almeida Franca. Curitiba: f. il. F814 Franca, Mariana Almeida Micropropagação de cana-de-açúcar cultivar RB966928. Mariana Almeida Franca. Curitiba: 2016. 64 f. il. Orientador: João Carlos Bespalhok Filho Dissertação (Mestrado) Universidade

Leia mais

INDUÇÃO DE RAÍZES EM ESTACAS DO ALGODOEIRO ARBÓREO EM CONDIÇÕES EX VITRO

INDUÇÃO DE RAÍZES EM ESTACAS DO ALGODOEIRO ARBÓREO EM CONDIÇÕES EX VITRO INDUÇÃO DE RAÍZES EM ESTACAS DO ALGODOEIRO ARBÓREO EM CONDIÇÕES EX VITRO Julita Maria Frota Chagas Carvalho (Embrapa Algodão / julita@cnpa.embrapa.br), Francisco Pereira de Andrade (Embrapa Algodão), Cristiane

Leia mais

Analista da Embrapa Mandioca e Fruticultura, Caixa Postal 007, , Cruz das Almas, BA. 2

Analista da Embrapa Mandioca e Fruticultura, Caixa Postal 007, , Cruz das Almas, BA.   2 ANÁLISE COMPORTAMENTAL DE UM ACESSO DE MANDIOCA (Manihot esculenta Crantz) EM RELAÇÃO A DOIS TIPOS DE MEIO DE CULTURA E DOSES DE UM FERTILIZANTE SOLÚVEL COMERCIAL Karen Cristina Fialho dos Santos 1, Antônio

Leia mais

MICROPROPAGAÇÃO E ACLIMATAÇÃO DE PLÂNTULAS DE MORANGUEIRO. Palavras chaves: Micropropagação. Isolamento de meristema. Explante. Mudas sadias.

MICROPROPAGAÇÃO E ACLIMATAÇÃO DE PLÂNTULAS DE MORANGUEIRO. Palavras chaves: Micropropagação. Isolamento de meristema. Explante. Mudas sadias. MICROPROPAGAÇÃO E ACLIMATAÇÃO DE PLÂNTULAS DE MORANGUEIRO Tamires Oviedo 1, Fabiana Raquel Mühl 2, Neuri Antonio Feldmann 3, Anderson Rhoden 3 Palavras chaves: Micropropagação. Isolamento de meristema.

Leia mais

Desenvolvimento in vitro de Ocimum selloi

Desenvolvimento in vitro de Ocimum selloi Desenvolvimento in vitro de Ocimum selloi em diferentes variações do meio de cultivo MS Lucila Elizabeth Fragoso Monfort 1 ; Ivan Caldeira Almeida Alvarenga 1 ; Carolina Mariane Moreira 1 ; José Eduardo

Leia mais

Causas de GL IVE TMG PGER IVE TMG PGER

Causas de GL IVE TMG PGER IVE TMG PGER Efeito Alelopático do Óleo Essencial de Citronela (Cymbopogon winterianus) Sobre a Germinação de Sementes de Picão-Preto e de Milho em Diferentes Épocas de Aplicação. MARIA LITA PADINHA CORREA 1, ANA PAULA

Leia mais

Estabelecimento in vitro de aroeira da praia (Schinus terebinthifolius Raddi) em diferentes concentrações de 6-benzilaminopurina (BAP)

Estabelecimento in vitro de aroeira da praia (Schinus terebinthifolius Raddi) em diferentes concentrações de 6-benzilaminopurina (BAP) 300 Estabelecimento in vitro de aroeira da praia (Schinus terebinthifolius Raddi) em diferentes concentrações de 6-benzilaminopurina (BAP) PAIVA, A.M.S. * ; ALOUFA, M.A.I. Universidade Federal do Rio Grande

Leia mais

EFEITO DE REGULADOR DE CRESCIMENTO SOBRE A GERMINAÇÃO E DESENVOLVIMENTO INICIAL DO ALGODOEIRO

EFEITO DE REGULADOR DE CRESCIMENTO SOBRE A GERMINAÇÃO E DESENVOLVIMENTO INICIAL DO ALGODOEIRO EFEITO DE REGULADOR DE CRESCIMENTO SOBRE A GERMINAÇÃO E DESENVOLVIMENTO INICIAL DO ALGODOEIRO Celma Lidiane Diogo de Lima 1, Virgínea de Araújo Farias 1, Liv Soares Severino 2, Napoleão Esberard de Macêdo

Leia mais

Indução de brotação in vitro em curauá: sistema de cultivo e concentrações de BAP

Indução de brotação in vitro em curauá: sistema de cultivo e concentrações de BAP Indução de brotação in vitro em curauá: sistema de cultivo e concentrações de BAP Carolina Mariane Moreira 1 ; Helena Botelho de Andrade 1 ; Lucila Elizabeth F. Monfort 1 ; José Eduardo Brasil Pereira

Leia mais

QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MAMONA ACONDICIONADAS EM DIFERENTES EMBALAGENS E ARMAZENADAS SOB CONDIÇÕES CLIMÁTICAS DE CAMPINA GRANDE-PB

QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MAMONA ACONDICIONADAS EM DIFERENTES EMBALAGENS E ARMAZENADAS SOB CONDIÇÕES CLIMÁTICAS DE CAMPINA GRANDE-PB QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MAMONA ACONDICIONADAS EM DIFERENTES EMBALAGENS E ARMAZENADAS SOB CONDIÇÕES CLIMÁTICAS DE CAMPINA GRANDE-PB Sandra Maria de Figueiredo 1, Fernanda Fernandes de Melo

Leia mais

Anais do Seminário de Bolsistas de Pós-Graduação da Embrapa Amazônia Ocidental

Anais do Seminário de Bolsistas de Pós-Graduação da Embrapa Amazônia Ocidental Anais do Seminário de Bolsistas de Pós-Graduação da Embrapa Amazônia Ocidental Anais do Seminário de Bolsistas de Pós-Graduação da Embrapa Amazônia Ocidental Propagação Vegetativa de Piper hispidum Sw.

Leia mais

TOLERÂNCIA DE CULTIVARES DE MAMONEIRA À TOXICIDADE DE ALUMÍNIO EM SOLUÇÃO NUTRITIVA.

TOLERÂNCIA DE CULTIVARES DE MAMONEIRA À TOXICIDADE DE ALUMÍNIO EM SOLUÇÃO NUTRITIVA. TOLERÂNCIA DE CULTIVARES DE MAMONEIRA À TOXICIDADE DE ALUMÍNIO EM SOLUÇÃO NUTRITIVA Adriana Rodrigues Passos 1, Simone Alves Silva 1, Fernando Irajá Félix de Carvalho 2, Irineu Hartwig 2, Maraísa Crestani

Leia mais

Germinação in vitro de Sementes de Mandacaruzinho

Germinação in vitro de Sementes de Mandacaruzinho 303 Germinação in vitro de Sementes de Mandacaruzinho Germinação in vitro de Sementes de Mandacaruzinho In vitro germination of seeds of mandacaruzinho Amanda Pricilla Batista Santos 1 ; Luma dos Passos

Leia mais

EFEITO DA TORTA DE MAMONA SOBRE O CRESCIMENTO DA MAMONEIRA BRS 149 NORDESTINA.

EFEITO DA TORTA DE MAMONA SOBRE O CRESCIMENTO DA MAMONEIRA BRS 149 NORDESTINA. EFEITO DA TORTA DE MAMONA SOBRE O CRESCIMENTO DA MAMONEIRA BRS 149 NORDESTINA Joab Josemar Vitor Ribeiro do Nascimento 1, Maria José Vieira Tavares 2, Liv Soares Severino 3, Valdinei Sofiatti 3 1UFCG,

Leia mais

Efeito da citocinina 6-bencilaminopurina na micropropagação in vitro da mamona utilizando o genótipo BRS nordestina

Efeito da citocinina 6-bencilaminopurina na micropropagação in vitro da mamona utilizando o genótipo BRS nordestina REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 Volume 8 - Número 2-2º Semestre 2008 Efeito da citocinina 6-bencilaminopurina na micropropagação in vitro da mamona utilizando o genótipo BRS nordestina

Leia mais

Palavras-chave: Babosa, cultura de tecidos, propagação in vitro.

Palavras-chave: Babosa, cultura de tecidos, propagação in vitro. Julho a Setembro de 2016 302 Desenvolvimento de protocolos para micropropagação de Aloe vera L. Guilherme Borghetti Calixto 1 Resumo: A babosa (Aloe vera L.) é uma planta com inúmeras aplicações dentro

Leia mais

EFICIÊNCIA DE INSETICIDAS, EM TRATAMENTO DE SEMENTES, NO CONTROLE DO PULGÃO Aphis gossypii (HOMOPTERA: APHIDIDAE) NA CULTURA DO ALGODOEIRO

EFICIÊNCIA DE INSETICIDAS, EM TRATAMENTO DE SEMENTES, NO CONTROLE DO PULGÃO Aphis gossypii (HOMOPTERA: APHIDIDAE) NA CULTURA DO ALGODOEIRO EFICIÊNCIA DE INSETICIDAS, EM TRATAMENTO DE SEMENTES, NO CONTROLE DO PULGÃO Aphis gossypii (HOMOPTERA: APHIDIDAE) NA CULTURA DO ALGODOEIRO Crébio José Ávila (Embrapa Agropecuária Oeste / crebio@cpao.embrapa.br),

Leia mais

Anais do Congresso de Pesquisa, Ensino e Extensão- CONPEEX (2010)

Anais do Congresso de Pesquisa, Ensino e Extensão- CONPEEX (2010) Anais do Congresso de Pesquisa, Ensino e Extensão- CONPEEX (2010) 5771-5775 AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS DE ARROZ IRRIGADO NO USO DE NITROGÊNIO CARVALHO, Glaucilene Duarte 1 ; DE CAMPOS, Alfredo Borges 2 & FAGERIA,

Leia mais

Resumos do IX Congresso Brasileiro de Agroecologia Belém/PA a

Resumos do IX Congresso Brasileiro de Agroecologia Belém/PA a Resumos do IX Congresso Brasileiro de Agroecologia Belém/PA 28.09 a 01.10.2015 Acúmulo de massa fresca e seca de plântulas de tomate em função dos diferentes tipos de substratos utilizados Fresh and dry

Leia mais

INFLUÊNCIA DA DESINFESTAÇÃO E MEIO DE CULTURA NA GERMINAÇÃO E DESENVOLVIMENTO IN VITRO DE Prosopis affinis Sprenger 1

INFLUÊNCIA DA DESINFESTAÇÃO E MEIO DE CULTURA NA GERMINAÇÃO E DESENVOLVIMENTO IN VITRO DE Prosopis affinis Sprenger 1 INFLUÊNCIA DA DESINFESTAÇÃO E MEIO DE CULTURA NA GERMINAÇÃO E DESENVOLVIMENTO IN VITRO DE Prosopis affinis Sprenger 1 ROCHA, Bruna Nery 2 ; LÖBLER, Lisiane 2 ; MARTINS, Carlos Roberto 3 1 Trabalho de Pesquisa

Leia mais

REGENERAÇÃO IN VITRO DE Oncidium leucochilum BATEM. EX LINDL. (ORCHIDACEAE).

REGENERAÇÃO IN VITRO DE Oncidium leucochilum BATEM. EX LINDL. (ORCHIDACEAE). REGENERAÇÃO IN VITRO DE Oncidium leucochilum BATEM. EX LINDL. (ORCHIDACEAE). ALESSANDRO IGLIKOSKI BERNARDI 1, RODRIGO CAETANO DA SILVA 1, ANDRÉ LUÍS LOPES DA SILVA 2, AUREA PORTES FERRIANI 3. 1- Acadêmico

Leia mais

QUALIDADE DA FIBRA EM FUNÇÃO DE DIFERENTES FORMAS DE PLANTIO DA SEMENTE DE ALGODÃO LINTADA, DESLINTADA E DESLINTADA E TRATADA *

QUALIDADE DA FIBRA EM FUNÇÃO DE DIFERENTES FORMAS DE PLANTIO DA SEMENTE DE ALGODÃO LINTADA, DESLINTADA E DESLINTADA E TRATADA * QUALIDADE DA FIBRA EM FUNÇÃO DE DIFERENTES FORMAS DE PLANTIO DA SEMENTE DE ALGODÃO LINTADA, DESLINTADA E DESLINTADA E TRATADA * Tarcísio Marcos de Souza Gondim 1, Odilon Reny Ribeiro Ferreira da Silva

Leia mais

COMBINAÇÃO DE CASCA E TORTA DE MAMONA COMO ADUBO ORGÂNICO PARA A MAMONEIRA

COMBINAÇÃO DE CASCA E TORTA DE MAMONA COMO ADUBO ORGÂNICO PARA A MAMONEIRA COMBINAÇÃO DE CASCA E TORTA DE MAMONA COMO ADUBO ORGÂNICO PARA A MAMONEIRA Rosiane de Lourdes Silva de Lima 1, Liv Soares Severino 2, Ligia Rodrigues Sampaio 3 Maria Aline de Oliveira Freire 4, Valdinei

Leia mais

POPULAÇÃO DE PLANTIO DE ALGODÃO PARA O OESTE BAIANO

POPULAÇÃO DE PLANTIO DE ALGODÃO PARA O OESTE BAIANO POPULAÇÃO DE PLANTIO DE ALGODÃO PARA O OESTE BAIANO Liv Soares Severino 1 ; João Luís da Silva Filho 1 ; João Batista dos Santos 2 ; Arnaldo Rocha de Alencar 1. (1)Embrapa Algodão: e-mail liv@cnpa.embrapa.br

Leia mais

TEMPO DE COZIMENTO DE RAÍZES DE GENÓTIPOS DE MANDIOCA DE MESA (Manihot esculenta Crantz) SOB SISTEMA IRRIGADO E DE SEQUEIRO)

TEMPO DE COZIMENTO DE RAÍZES DE GENÓTIPOS DE MANDIOCA DE MESA (Manihot esculenta Crantz) SOB SISTEMA IRRIGADO E DE SEQUEIRO) TEMPO DE COZIMENTO DE RAÍZES DE GENÓTIPOS DE MANDIOCA DE MESA (Manihot esculenta Crantz) SOB SISTEMA IRRIGADO E DE SEQUEIRO) Rosangela Nascimento da Silva Ribeiro 1 ; Maurício Antônio Coelho Filho 2 ;

Leia mais

EFEITO DO TEMPO DE DESINFESTAÇÃO E ÉPOCAS DO ANO NO ESTABELECIMENTO IN VITRO DE EXPLANTES FOLIARES DE PINHÃO-MANSO

EFEITO DO TEMPO DE DESINFESTAÇÃO E ÉPOCAS DO ANO NO ESTABELECIMENTO IN VITRO DE EXPLANTES FOLIARES DE PINHÃO-MANSO EFEITO DO TEMPO DE DESINFESTAÇÃO E ÉPOCAS DO ANO NO ESTABELECIMENTO IN VITRO DE EXPLANTES FOLIARES DE PINHÃO-MANSO Eduardo Regiani Libert ; Enes Furlani Junior (2) ; Aline Namie Suzuki (3) ; Luiz De Souza

Leia mais

Tecnologias para produção de mudas de pequenas frutas e frutas nativas. Márcia Wulff Schuch Prof Titular Fruticultura FAEM/UFPel P PP

Tecnologias para produção de mudas de pequenas frutas e frutas nativas. Márcia Wulff Schuch Prof Titular Fruticultura FAEM/UFPel P PP Tecnologias para produção de mudas de pequenas frutas e frutas nativas Márcia Wulff Schuch Prof Titular Fruticultura FAEM/UFPel P PP Introdução o Pequenas frutas e Frutas nativas Alto potencial econômico

Leia mais

MULTIPLICAÇÃO DE BROTOS IN VITRO EM TRÊS CULTIVARES DE BANANEIRA

MULTIPLICAÇÃO DE BROTOS IN VITRO EM TRÊS CULTIVARES DE BANANEIRA MULTIPLICAÇÃO DE BROTOS IN VITRO EM TRÊS CULTIVARES DE BANANEIRA Hellen Cristina da Paixão MOURA 1 ; Oriel Filgueira de LEMOS 2 ; Meiciane Ferreira CAMPELO 3 Resumo Apesar de ser considerada uma das plantas

Leia mais

EFEITO DE DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE BAP E ANA NA PROPAGAÇÃO IN VITRO DA FIGUEIRA (Ficus carica L.) 1

EFEITO DE DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE BAP E ANA NA PROPAGAÇÃO IN VITRO DA FIGUEIRA (Ficus carica L.) 1 EFEITO DE DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE BAP E ANA NA PROPAGAÇÃO IN VITRO DA FIGUEIRA (Ficus carica L.) 1 GRAZIELLA RIBEIRO BRUM ADRIANO BORTOLOTTI DA SILVA MOACIR PASQUAL 3 RESUMO Objetivou-se com este trabalho

Leia mais

CULTURA NO CULTIVO IN VITRO DE ABACAXIZEIRO E BANANEIRA

CULTURA NO CULTIVO IN VITRO DE ABACAXIZEIRO E BANANEIRA EFEITO DE AGENTES Efeito de agentes GELEIFICANTES geleificantes alternativos ALTERNATIVOS no meio de cultura... NO MEIO DE CULTURA NO CULTIVO IN VITRO DE ABACAXIZEIRO E BANANEIRA 4 Effect of alternative

Leia mais

TÍTULO: AVALIAÇÃO DE MUDAS DE COFFEA ARABICA PRODUZIDAS EM DIFERENTES RECIPIENTES

TÍTULO: AVALIAÇÃO DE MUDAS DE COFFEA ARABICA PRODUZIDAS EM DIFERENTES RECIPIENTES TÍTULO: AVALIAÇÃO DE MUDAS DE COFFEA ARABICA PRODUZIDAS EM DIFERENTES RECIPIENTES CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: CIÊNCIAS AGRÁRIAS INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DO PLANALTO

Leia mais

SULFATO DE ADENINA NA MULTIPLICAÇÃO IN VITRO DE MAMOEIRO TAINUNG 01 ADENINE SULFATE ON IN VITRO MULTIPLICATION OF PAPAYA TREE TAINUNG 01

SULFATO DE ADENINA NA MULTIPLICAÇÃO IN VITRO DE MAMOEIRO TAINUNG 01 ADENINE SULFATE ON IN VITRO MULTIPLICATION OF PAPAYA TREE TAINUNG 01 SULFATO DE ADENINA NA MULTIPLICAÇÃO IN VITRO DE MAMOEIRO TAINUNG 01 ADENINE SULFATE ON IN VITRO MULTIPLICATION OF PAPAYA TREE TAINUNG 01 Omar SCHMILDT 1 Edilson Romais SCHMILDT 2 José Augusto Teixeira

Leia mais

AGRONOMIC TRAITS OF BRS 201 HERBACEOUS COTTON IN DIFFERENT PLANT ARRANGEMENTS, WITH AND WITHOUT PLANT GROWTH REGULATOR

AGRONOMIC TRAITS OF BRS 201 HERBACEOUS COTTON IN DIFFERENT PLANT ARRANGEMENTS, WITH AND WITHOUT PLANT GROWTH REGULATOR CARACTERÍSTICAS AGRONÔMICAS DA CULTIVAR DE ALGODÃO HERBÁCEO BRS 201 EM DIFERENTES ARRANJOS DE PLANTAS, COM E SEM REGULADOR DE CRESCIMENTO, NO AGRESTE DE ALAGOAS (*) Dacio Rocha Brito (Funesa / daciobrito@hotmail.com),

Leia mais

Germinação e Multiplicação de Cravo Utilizando Bap e Cin in Vitro. Germination and Multiplication of Carnation Using Bap and Kin in Vitro

Germinação e Multiplicação de Cravo Utilizando Bap e Cin in Vitro. Germination and Multiplication of Carnation Using Bap and Kin in Vitro Scientific Electronic Archives (7): 81-88, 2014. Germinação e Multiplicação de Cravo Utilizando Bap e Cin in Vitro Germination and Multiplication of Carnation Using Bap and Kin in Vitro D. P. Restelatto

Leia mais

). Segmentos nodais foram cultivados em meio nutritivo MS reduzido à metade da concentração de sais ( 1 / 2

). Segmentos nodais foram cultivados em meio nutritivo MS reduzido à metade da concentração de sais ( 1 / 2 Alongamento in ALONGAMENTO vitro de genótipos de in Eucalyptus vitro DE GENÓTIPOS DE Eucalyptus dunnii MAIDEN 545 Marcio Carlos Navroski 1 *, Lia Rejane Silveira Reiniger 2, Mariane de Oliveira Pereira,

Leia mais

LINHAGENS FINAIS DE ALGODÃO DE FIBRAS MÉDIAS E LONGAS NO CERRADO DA BAHIA, SAFRA

LINHAGENS FINAIS DE ALGODÃO DE FIBRAS MÉDIAS E LONGAS NO CERRADO DA BAHIA, SAFRA Página 1417 LINHAGENS FINAIS DE ALGODÃO DE FIBRAS MÉDIAS E LONGAS NO CERRADO DA BAHIA, SAFRA 200910. 1 Murilo Barros Pedrosa 1 ; Nelson Dias Suassuna 2, Camilo de Lelis Morello 2 ; Eleusio Curvelo Freire

Leia mais

MICROPROPAGAÇÃO DE PORTA-ENXERTO DE VIDEIRA PAULSEN 1103 IN VITRO, COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE CITOCININA.

MICROPROPAGAÇÃO DE PORTA-ENXERTO DE VIDEIRA PAULSEN 1103 IN VITRO, COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE CITOCININA. MICROPROPAGAÇÃO DE PORTA-ENXERTO DE VIDEIRA PAULSEN 1103 IN VITRO, COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE CITOCININA. MICROPROPAGATION OF STOCK FOR GRAFTING OF GRAPEVINE PAULSEN 1103 "IN VITRO", WITH DIFFERENT

Leia mais

ADIÇÃO DE TORTA DE ALGODÃO A COMPOSIÇÃO DE DIFERENTES SUBSTRATOS PARA A PRODUÇÃO DE MAMONEIRA

ADIÇÃO DE TORTA DE ALGODÃO A COMPOSIÇÃO DE DIFERENTES SUBSTRATOS PARA A PRODUÇÃO DE MAMONEIRA ADIÇÃO DE TORTA DE ALGODÃO A COMPOSIÇÃO DE DIFERENTES SUBSTRATOS PARA A PRODUÇÃO DE MAMONEIRA Rosiane de Lourdes Silva de Lima 1 Liv Soares Severino 2 Robson César de Albuquerque 3 Maria Isabel de Lima

Leia mais

Germinação in vitro de embriões zigóticos e aclimatação de plântulas de mangaba oriundas da cultura de embrião (Hancornia speciosa Gomes)

Germinação in vitro de embriões zigóticos e aclimatação de plântulas de mangaba oriundas da cultura de embrião (Hancornia speciosa Gomes) SCIENTIA PLENA VOL. 7, NUM. 11 2011 www.scientiaplena.org.br Germinação in vitro de embriões zigóticos e aclimatação de plântulas de mangaba oriundas da cultura de embrião (Hancornia speciosa Gomes) K.

Leia mais

Citocininas na multiplicação in vitro de hortelã-pimenta (Mentha x Piperita L.)

Citocininas na multiplicação in vitro de hortelã-pimenta (Mentha x Piperita L.) 533 Citocininas na multiplicação in vitro de hortelã-pimenta (Mentha x Piperita L.) ASMAR, S. A.* 1 ; RESENDE, R. F. 1 ; ARARUNA, E. C. 1 ; MORAIS, T. P. 1 ; LUZ, J. M. Q. 1 1 Universidade Federal de Uberlândia

Leia mais

QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MAMONA (Ricinus communis L.) CULTIVAR NORDESTINA, SOB DIFERENTES CONDIÇÕES DE ARMAZENAMENTO.

QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MAMONA (Ricinus communis L.) CULTIVAR NORDESTINA, SOB DIFERENTES CONDIÇÕES DE ARMAZENAMENTO. QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MAMONA (Ricinus communis L.) CULTIVAR NORDESTINA, SOB DIFERENTES CONDIÇÕES DE ARMAZENAMENTO. Andréa dos Santos Oliveira, Renata Silva-Mann, Michelle da Fonseca Santos,

Leia mais

CULTIVARES DE ALGODOEIRO AVALIADAS EM DIFERENTES LOCAIS NO CERRADO DA BAHIA, SAFRA 2007/08 1. INTRODUÇÃO

CULTIVARES DE ALGODOEIRO AVALIADAS EM DIFERENTES LOCAIS NO CERRADO DA BAHIA, SAFRA 2007/08 1. INTRODUÇÃO Página 1481 CULTIVARES DE ALGODOEIRO AVALIADAS EM DIFERENTES LOCAIS NO CERRADO DA BAHIA, SAFRA 2007/08 1. Murilo Barros Pedrosa (Fundação Bahia / algodao@fundacaoba.com.br), Camilo de Lelis Morello (Embrapa

Leia mais

Cultivo in vitro de Salvia hispanica L.

Cultivo in vitro de Salvia hispanica L. Artigo original DOI: 105902/2236117015566 Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental Santa Maria, v. 19, n.2, mai-ago. 2015, p. 1555-1560 Revista do Centro de Ciências Naturais e Exatas

Leia mais

Efeitos do BAP e do AIA na indução e no crescimento in vitro de brotos de dez clones de palma forrageira 1

Efeitos do BAP e do AIA na indução e no crescimento in vitro de brotos de dez clones de palma forrageira 1 Efeitos do BAP e do AIA na indução e no crescimento in vitro de brotos de dez clones de palma forrageira 1 Effects of BAP and IAA on in vitro shoot initiation and growth of ten clones of palm grass Hamilton

Leia mais

EFEITO DOS NÍVEIS DE SALINIDADE DA ÁGUA DE IRRIGAÇÃO NA PRODUÇÃO DO FEIJOEIRO COMUM*

EFEITO DOS NÍVEIS DE SALINIDADE DA ÁGUA DE IRRIGAÇÃO NA PRODUÇÃO DO FEIJOEIRO COMUM* EFEITO DOS NÍVEIS DE SALINIDADE DA ÁGUA DE IRRIGAÇÃO NA PRODUÇÃO DO FEIJOEIRO COMUM* SILVEIRA, A.L. 1 ; SANTANA, M.J. ; BARRETO, A.C. ; VIEIRA, T.A. 3 * Projeto com apoio da FAPEMIG. 1 Estudante Agronomia

Leia mais

INFLUÊNCIA DO ESTÁDIO DE MATURAÇÃO DA SEMENTE E DA PROFUNDIDADE DE SEMEADURA III: FITOMASSA DA MAMONEIRA

INFLUÊNCIA DO ESTÁDIO DE MATURAÇÃO DA SEMENTE E DA PROFUNDIDADE DE SEMEADURA III: FITOMASSA DA MAMONEIRA INFLUÊNCIA DO ESTÁDIO DE MATURAÇÃO DA SEMENTE E DA PROFUNDIDADE DE SEMEADURA III: FITOMASSA DA MAMONEIRA Amanda Micheline Amador de Lucena 1, Liv Soares Severino 2, Valdinei Sofiatti 2, Maria Aline de

Leia mais

Produção de mudas de hortelã (Mentha arvensis L.) em função de tipos e idade de estacas

Produção de mudas de hortelã (Mentha arvensis L.) em função de tipos e idade de estacas Produção de mudas de hortelã (Mentha arvensis L.) em função de tipos e idade de estacas Magda Araújo Brito 1 ; Valéria Gomes Momenté²; Ildon Rodrigues do Nascimento 3 1 Aluna do Curso de Engenharia de

Leia mais

Micropropagação de violeta africana (1)

Micropropagação de violeta africana (1) GIULIO CESARE STANCATO, FERNANDA CRISTINA SIMÕES NÉRI E ARMANDO REIS TAVARES 165 NOTA Micropropagação de violeta africana (1) GIULIO CESARE STANCATO (2), FERNANDA CRISTINA SIMÕES NÉRI (2) e ARMANDO REIS

Leia mais

EFEITO DO RESÍDUO EXAURIDO DO CULTIVO DE COGUMELOS SOBRE A GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE Eucalyptus dunnii

EFEITO DO RESÍDUO EXAURIDO DO CULTIVO DE COGUMELOS SOBRE A GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE Eucalyptus dunnii EFEITO DO RESÍDUO EXAURIDO DO CULTIVO DE COGUMELOS SOBRE A GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE Eucalyptus dunnii Claudia M. B. F. Maia * O cultivo do cogumelo Agaricus sp. gera um resíduo em avançado estado de compostagem

Leia mais

Protocolo de Micropropagação de Cana-de-açúcar

Protocolo de Micropropagação de Cana-de-açúcar ISSN 1516-8832 Protocolo de Micropropagação de Cana-de-açúcar 128 Introdução A cana-de-açúcar (Saccharum officinarum L.) tem grande importância econômica na agricultura no Brasil e, mais recentemente,

Leia mais

BIOMETRIC EVALUATION OF SUGARCANE IRRIGATED IN CONDITIONS SEMI ARID ON APPLICATION GROWTH REGULATOR.

BIOMETRIC EVALUATION OF SUGARCANE IRRIGATED IN CONDITIONS SEMI ARID ON APPLICATION GROWTH REGULATOR. BIOESTIIMULANTE E O CULTIVO DA CANA DE AÇÚCAR EM CONDIÇÕES SEMIÁRIDAS. E.S.C. BARROS 1, J.A.B. DA SILVA 2, W. L. SIMÕES 3, I. LOPES 4, F.M.F DO NASCIMENTO 4, I.E.A SANTOS 4, F.M.T NERY 4 RESUMO: O presente

Leia mais

EFEITO DO TIPO DE SUBSTRATO NA GERMINAÇÃO E VIGOR DE SEMENTES DE AMENDOIM (Arachis hypogaea L.)

EFEITO DO TIPO DE SUBSTRATO NA GERMINAÇÃO E VIGOR DE SEMENTES DE AMENDOIM (Arachis hypogaea L.) EFEITO DO TIPO DE SUBSTRATO NA GERMINAÇÃO E VIGOR DE SEMENTES DE AMENDOIM (Arachis hypogaea L.) Reynaldo de Mello Torres Docente da Faculdade de Agronomia e Engenharia Florestal de Garça SP. Dagoberto

Leia mais

16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE

16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE 16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE EM RELAÇÃO AO FORMULADO PADRÃO O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho do fertilizante Farture (00-12-12) em diferentes dosagens em relação ao

Leia mais

PRODUTIVIDADE E COMPONENTES DE PRODUÇÃO DE ALGODOEIRO EM FUNÇÃO DO CULTIVAR EM CHAPADÃO DO SUL - MS 1. Priscila Maria Silva Francisco

PRODUTIVIDADE E COMPONENTES DE PRODUÇÃO DE ALGODOEIRO EM FUNÇÃO DO CULTIVAR EM CHAPADÃO DO SUL - MS 1. Priscila Maria Silva Francisco Página 1075 PRODUTIVIDADE E COMPONENTES DE PRODUÇÃO DE ALGODOEIRO EM FUNÇÃO DO CULTIVAR EM CHAPADÃO DO SUL - MS 1 Jefferson Luis Anselmo 1 ; Denis Santiago da Costa; Thiago Zago Leonel; Fábio da Silva

Leia mais

AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS PARA PRODUÇÃO DE SOJA VERDE OU TIPO HORTALIÇA

AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS PARA PRODUÇÃO DE SOJA VERDE OU TIPO HORTALIÇA AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS PARA PRODUÇÃO DE SOJA VERDE OU TIPO HORTALIÇA Rafael Santos Finholdt (1), Roberto Kazuhiko Zito (2), Maria Eugenia Lisei de Sá (3) (1) Bolsista PIBIC FAPEMIG/EPAMIG, rafaelfinholdt@yahoo.com.br;

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE MUDAS DE FLORESTAIS USANDO COMPOSTO ORGÂNICO

DESENVOLVIMENTO DE MUDAS DE FLORESTAIS USANDO COMPOSTO ORGÂNICO DESENVOLVIMENTO DE MUDAS DE FLORESTAIS USANDO COMPOSTO ORGÂNICO Suayra Marta Gomes de Almeida 1, Maria Tereza Cristina do Nascimento 1, Rodolpho Gomes Martins 1, Joelma Sales dos Santos 1 1 Universidade

Leia mais

Óleos essenciais de Alecrim pimenta e Capim citronela na germinação de sementes de beterraba (Early Wonder)

Óleos essenciais de Alecrim pimenta e Capim citronela na germinação de sementes de beterraba (Early Wonder) Óleos essenciais de Alecrim pimenta e Capim citronela na germinação de sementes de beterraba (Early Wonder) Iarajane Bezerra do Nascimento¹; Renato Innecco; Cláudia Araújo Marco; Neyla Diógenes Mendonça

Leia mais

TÍTULO: EFEITOS DA PROFUNDIDADE DE PLANTIO NA GERMINAÇÃO E PRODUÇÃO DE MASSA DO CAPIM BRAQUIARÃO ADUBADO NO PLANTIO

TÍTULO: EFEITOS DA PROFUNDIDADE DE PLANTIO NA GERMINAÇÃO E PRODUÇÃO DE MASSA DO CAPIM BRAQUIARÃO ADUBADO NO PLANTIO Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: EFEITOS DA PROFUNDIDADE DE PLANTIO NA GERMINAÇÃO E PRODUÇÃO DE MASSA DO CAPIM BRAQUIARÃO ADUBADO

Leia mais

Crescimento vegetativo e incidência de cercosporiose em cafeeiros sob diferentes sistemas de manejo

Crescimento vegetativo e incidência de cercosporiose em cafeeiros sob diferentes sistemas de manejo Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 7., 2010, Belo Horizonte Crescimento vegetativo e incidência de cercosporiose em cafeeiros sob diferentes sistemas de manejo Guilherme Conceição Gonçalves

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE MUDAS DE TOMATE EM SUBSTRATO CONTENDO TORTA DE MAMONA

DESENVOLVIMENTO DE MUDAS DE TOMATE EM SUBSTRATO CONTENDO TORTA DE MAMONA DESENVOLVIMENTO DE MUDAS DE TOMATE EM SUBSTRATO CONTENDO TORTA DE MAMONA Rafael Garcia Gouzalez 1 Luiz Antônio Augusto Gomes 2 Antônio Carlos Fraga 3 Pedro Castro Neto 4 RESUMO Com o objetivo de avaliar

Leia mais

ENRAIZAMENTO DE ESTACAS SEMI-LENHOSAS DE CEREJEIRA-DO-RIO- GRANDE (EUGENIA INVOLUCRATA DC.) TRATADAS COM ANTIOXIDANTE, FLOROGLUCINOL E AIB

ENRAIZAMENTO DE ESTACAS SEMI-LENHOSAS DE CEREJEIRA-DO-RIO- GRANDE (EUGENIA INVOLUCRATA DC.) TRATADAS COM ANTIOXIDANTE, FLOROGLUCINOL E AIB ENRAIZAMENTO DE ESTACAS SEMI-LENHOSAS DE CEREJEIRA-DO-RIO- GRANDE (EUGENIA INVOLUCRATA DC.) TRATADAS COM ANTIOXIDANTE, FLOROGLUCINOL E AIB Rafaelle da Silva Soares 1 ; Leonardo Cury da Silva 2 ; Paulo

Leia mais

MICROPROPAGAÇÃO DA AROEIRA (Myracrodruon urundeuva Fr. All) 1. MICROPROPAGATION OF Myracrodruon urundeuva Fr. All

MICROPROPAGAÇÃO DA AROEIRA (Myracrodruon urundeuva Fr. All) 1. MICROPROPAGATION OF Myracrodruon urundeuva Fr. All MICROPROPAGAÇÃO DA AROEIRA (Myracrodruon urundeuva Fr. All) 1 MIGUEL WANDERLEY DE ANDRADE 2 JOSÉ MAGNO QUEIROZ LUZ 3 ARY SANTANA LACERDA 3 PEDRO RENATO A. DE MELO 4 RESUMO - A aroeira (Myracrodruon urundeuva

Leia mais

COMPORTAMENTO DE GENÓTIPOS DE MAMONA SUBMETIDOS A DIFERENTES TEMPERATURAS NOTURNAS: CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO*

COMPORTAMENTO DE GENÓTIPOS DE MAMONA SUBMETIDOS A DIFERENTES TEMPERATURAS NOTURNAS: CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO* COMPORTAMENTO DE GENÓTIPOS DE MAMONA SUBMETIDOS A DIFERENTES TEMPERATURAS NOTURNAS: CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO* Lígia Rodrigues Sampaio 1, Robson César Albuquerque 2, Liv Soares Severino 3. 1 Universidade

Leia mais

MICROPROPAGAÇÃO DE VIOLETA-AFRICANA: ESTABELECIMENTO E INICIAÇÃO DE CULTURAS COM A UTILIZAÇÃO DE BENZILAMINOPURINA E ÁCIDO INDOLACÉTICO

MICROPROPAGAÇÃO DE VIOLETA-AFRICANA: ESTABELECIMENTO E INICIAÇÃO DE CULTURAS COM A UTILIZAÇÃO DE BENZILAMINOPURINA E ÁCIDO INDOLACÉTICO MICROPROPAGAÇÃO DE VIOLETA-AFRICANA: ESTABELECIMENTO E INICIAÇÃO DE CULTURAS COM A UTILIZAÇÃO DE BENZILAMINOPURINA E ÁCIDO INDOLACÉTICO Micropropagation of African-Violet: establishment and initiation

Leia mais

Protocolo para micropropagação de marmeleiro BA29 em meio semissólido

Protocolo para micropropagação de marmeleiro BA29 em meio semissólido DOI: 10.5965/223811711532016266 Protocolo para micropropagação de marmeleiro BA29 em meio semissólido Protocol for micropropagation of quince BA29 in semisolid media Fernanda Grimaldi *, Aline Meneguzzi,

Leia mais

Potencial Forrageiro de Cultivares de Sorgo Sacarino em Diferentes Arranjos de Plantas e Localidades de Minas Gerais

Potencial Forrageiro de Cultivares de Sorgo Sacarino em Diferentes Arranjos de Plantas e Localidades de Minas Gerais Potencial Forrageiro de Cultivares de Sorgo Sacarino em Diferentes Arranjos de Plantas e Localidades de Minas Gerais Carlos J.B. Albuquerque; Rafael A.C. Parrela; Flávio D. Tardin; Renata da S. Brant;

Leia mais

Avaliação da regeneração in vitro de explantes de caupi e soja 1

Avaliação da regeneração in vitro de explantes de caupi e soja 1 Revista Ciência Agronômica, v.37, n.2, p.153-159, 2006 Centro de Ciências Agrárias - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE www.ccarevista.ufc.br ISSN 0045-6888 Avaliação da regeneração in vitro

Leia mais

AVALIAÇÃO DO USO DO PÓ DE ROCHA NO DESEMPENHO DE DUAS VARIEDADES DE MANDIOCA DE MESA

AVALIAÇÃO DO USO DO PÓ DE ROCHA NO DESEMPENHO DE DUAS VARIEDADES DE MANDIOCA DE MESA AVALIAÇÃO DO USO DO PÓ DE ROCHA NO DESEMPENHO DE DUAS VARIEDADES DE MANDIOCA DE MESA Fernanda Pereira de Souza 1 Eder de Souza Martins 2 Luise Lottici Krahl 3 Eduardo Alano Vieira 4 Josefino de Freitas

Leia mais

Resultados de Pesquisa dos Ensaios de Melhoramento de Soja Safra 2008/09

Resultados de Pesquisa dos Ensaios de Melhoramento de Soja Safra 2008/09 Resultados de Pesquisa dos Ensaios de Melhoramento de Soja Safra 2008/09 Alberto Francisco Boldt; Engenheiro agrônomo, pesquisador do Instituto Mato-Grossense do Algodão IMAmt; Caixa Postal: 149, CEP 78.850-000;

Leia mais

Desinfestação de alecrim-pimenta utilizando hipoclorito de sódio.

Desinfestação de alecrim-pimenta utilizando hipoclorito de sódio. Desinfestação de alecrim-pimenta utilizando hipoclorito de sódio. Verônica F. Amancio 1 ; Aline B. de Mendonça 1 *; Maria de F. Arrigoni-Blank 1 ; Arie F. Blank 1 ; Ana da S. Ledo 2 ; Renato Innecco 3.

Leia mais

Comportamento de genótipos de cebola no Submédio do vale São Francisco.

Comportamento de genótipos de cebola no Submédio do vale São Francisco. Comportamento de genótipos de cebola no Submédio do vale São Francisco. Jean de Oliveira Souza¹; Leilson Costa Grangeiro¹; Gilmara Mabel Santos 2 ; Nivaldo Duarte Costa 2 ; Carlos Antonio Fernandes Santos

Leia mais

2 Acadêmico do curso de Agronomia do IFC Campus Rio do Sul; 3

2 Acadêmico do curso de Agronomia do IFC Campus Rio do Sul; 3 Micropropagação e enxertia in vitro de nogueira-pecã (Carya illinoinensis (Wangenh) K. Koch) na produção de mudas com reduzido período de juvenilidade para abastecimento do Grupo de Produtores de Nogueira-Pecã

Leia mais

COMPORTAMENTO DE LINHAGENS DE MAMONA (Ricinus communis L.), EM BAIXA ALTITUDE NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE 1

COMPORTAMENTO DE LINHAGENS DE MAMONA (Ricinus communis L.), EM BAIXA ALTITUDE NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE 1 Página 1650 COMPORTAMENTO DE LINHAGENS DE MAMONA (Ricinus communis L.), EM BAIXA ALTITUDE NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE 1 Marcelo Abdon Lira 1 ; Máira Milani 2 ; Hélio Wilson Lemos de Carvalho 3 ; João

Leia mais

PROPAGAÇÃO VEGETATIVA DE ABACATEIRO (Persea sp.), POR ESTAQUIA(1)

PROPAGAÇÃO VEGETATIVA DE ABACATEIRO (Persea sp.), POR ESTAQUIA(1) PROPAGAÇÃO VEGETATIVA DE ABACATEIRO (Persea sp.), POR ESTAQUIA(1) Samar Velho da Silveira(2) Paulo Vítor Dutra de Souza(3) Otto Carlos KoIler(4) (1) Estudo financiado pela FINEP. (2) Eng. Agr., aluno do

Leia mais

KINETIN AND NAA IN VITRO MULTIPLICATION OF PAPAYA TREE TAINUNG 01

KINETIN AND NAA IN VITRO MULTIPLICATION OF PAPAYA TREE TAINUNG 01 CINETINA E ANA NA MULTIPLICAÇÃO IN VITRO DE MAMOEIRO TAINUNG 01 KINETIN AND NAA IN VITRO MULTIPLICATION OF PAPAYA TREE TAINUNG 01 Omar SCHMILDT 1 Edilson Romais SCHMILDT 2 José Augusto Teixeira do AMARAL

Leia mais

Ciência Rural ISSN: Universidade Federal de Santa Maria Brasil

Ciência Rural ISSN: Universidade Federal de Santa Maria Brasil Ciência Rural ISSN: 0103-8478 cienciarural@mail.ufsm.br Universidade Federal de Santa Maria Brasil Ribas Ferreira, Alessandra; Denis, Francine; Quoirin, Marguerite; Ayub, Ricardo Antonio Misturas vitamínicas

Leia mais

Efeito de hipoclorito de sódio na desinfestação de meristemas de bastão-do-imperador

Efeito de hipoclorito de sódio na desinfestação de meristemas de bastão-do-imperador Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 10., 2013, Belo Horizonte Efeito de hipoclorito de sódio na desinfestação de meristemas de bastão-do-imperador Sueli Lourdes Ferreira Tarôco (1), Erivelton

Leia mais

MICROPROPAGAÇÃO DE VIOLETA-AFRICANA LUCAS, M. A. K. et al. (Saintpaulia ionantha Wendl.): EFEITO DA BENZILAMINOPURINA NA MULTIPLICAÇÃO

MICROPROPAGAÇÃO DE VIOLETA-AFRICANA LUCAS, M. A. K. et al. (Saintpaulia ionantha Wendl.): EFEITO DA BENZILAMINOPURINA NA MULTIPLICAÇÃO MICROPROPAGAÇÃO DE VIOLETA-AFRICANA LUCAS, M. A. K. et al. (Saintpaulia ionantha Wendl.): EFEITO DA BENZILAMINOPURINA NA MULTIPLICAÇÃO 1380 Micropropagation of African-Violet (Saintpaulia ionantha Wendl.):

Leia mais

BIOCARVÃO COMO COMPLEMENTO NO SUBSTRATO PARA A PRODUÇÃO DE MUDAS DE TOMATE CEREJA

BIOCARVÃO COMO COMPLEMENTO NO SUBSTRATO PARA A PRODUÇÃO DE MUDAS DE TOMATE CEREJA BIOCARVÃO COMO COMPLEMENTO NO SUBSTRATO PARA A PRODUÇÃO DE MUDAS DE TOMATE CEREJA Lucas Gomes de Souza 1, Francisco Lopes Evangelista 2, Gabriel José Lima da Silveira 3, Susana Churka Blum 4 Resumo: O

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Influência de Diferentes Épocas de Corte e Densidade de Plantas no Desempenho Agronômico de Duas Cultivares de Sorgo

Leia mais

GERMINAÇÃO E INDUÇÃO DA CALOGÊNESE IN VITRO DE COPAÍBA. - UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA Viçosa - MG CEP: )

GERMINAÇÃO E INDUÇÃO DA CALOGÊNESE IN VITRO DE COPAÍBA. - UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA Viçosa - MG CEP: ) GERMINAÇÃO E INDUÇÃO DA CALOGÊNESE IN VITRO DE COPAÍBA Rafael Fonsêca Zanotti 1*, Fernanda Raquel Sartor 1, Kátia Ferreira Pôssa 2, Anderson Martins Pilon 1, Claudio Hiroshi Fukushima 1 1 Av. Oraida Mendes

Leia mais

6-BENZILAMINOPURINA E ÁCIDO INDOLBUTÍRICO NA MULTIPLICAÇÃO IN VITRO DA AMOREIRA PRETA (Rubus idaeus L.), cv. TUPY

6-BENZILAMINOPURINA E ÁCIDO INDOLBUTÍRICO NA MULTIPLICAÇÃO IN VITRO DA AMOREIRA PRETA (Rubus idaeus L.), cv. TUPY Ciência Rural, Santa Maria, v.32, n.5, p.765-770, 2002 ISSN 0103-8478 765 6-BENZILAMINOPURINA E ÁCIDO INDOLBUTÍRICO NA MULTIPLICAÇÃO IN VITRO DA AMOREIRA PRETA (Rubus idaeus L.), cv. TUPY 6-BENZYLAMINO

Leia mais

Concentrações de BAP sobre a proliferação in vitro de brotos de Lippia alba [(Mill.)N.E.Brown]

Concentrações de BAP sobre a proliferação in vitro de brotos de Lippia alba [(Mill.)N.E.Brown] 149 Concentrações de BAP sobre a proliferação in vitro de brotos de Lippia alba [(Mill.)N.E.Brown] ASMAR, S.A.*; RESENDE, R.F.; ARARUNA, E.C.; MORAIS, T.P.; LUZ, J.M.Q. Universidade Federal de Uberlândia

Leia mais

Comparação de Diferentes Sistemas de Cultivo in vitro na Multiplicação e Alongamento de Eucalyptus Saligna Smith

Comparação de Diferentes Sistemas de Cultivo in vitro na Multiplicação e Alongamento de Eucalyptus Saligna Smith Comparação de Diferentes Sistemas de Cultivo in vitro na Multiplicação e Alongamento de Eucalyptus Saligna Smith Caroline Ribeiro Tunes 1 e Gessiel Newton Scheidt 2 1 Aluno do Curso de Biotecnologia; Campus

Leia mais

AVALIAÇÃO PRODUTIVA DE LINHAGENS DE FEIJÃO-VAGEM EM CULTURA TUTORADA EM IPAMERI. Bolsista PBIC/UEG, graduanda do curso de Agronomia, UnU Ipameri-UEG.

AVALIAÇÃO PRODUTIVA DE LINHAGENS DE FEIJÃO-VAGEM EM CULTURA TUTORADA EM IPAMERI. Bolsista PBIC/UEG, graduanda do curso de Agronomia, UnU Ipameri-UEG. AVALIAÇÃO PRODUTIVA DE LINHAGENS DE FEIJÃO-VAGEM EM CULTURA TUTORADA EM IPAMERI FERNANDA DE CÁSSIA SILVA 1, NEI PEIXOTO 2, MARIA MARTA ANTÔNIA DA SILVA 3, DIANA CRISTINA DA SILVA 3. 1 Bolsista PBIC/UEG,

Leia mais

PONTOS PARA A PROVA DIDÁTICA

PONTOS PARA A PROVA DIDÁTICA Página 1 de 6 DISCIPLINAS: Estatística Pontos das Disciplinas: 1. CONCEITOS BASICOS, ORGANIZAÇÃO E APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS, DISTRIBUIÇÃO DE FREQUÊNCIA. 2. MEDIDAS DE POSIÇÃO 3. MEDIDAS DE DISPERSÃO

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DO CULTIVO DE ALGODÃO (Gossypium hirsutum) IN VITRO

PADRONIZAÇÃO DO CULTIVO DE ALGODÃO (Gossypium hirsutum) IN VITRO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA 4ª Semana do Servidor e 5ª Semana Acadêmica 2008 UFU 30 anos PADRONIZAÇÃO DO CULTIVO DE ALGODÃO (Gossypium hirsutum) IN VITRO Rafael Rogério Pereira da Silva (1), Universidade

Leia mais

DESINFESTAÇÃO E ESTABELECIMENTO in vitro DE EXPLANTES DE BANANEIRA GRANDE NAINE EM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE HIPOCLORITO DE SÓDIO 1

DESINFESTAÇÃO E ESTABELECIMENTO in vitro DE EXPLANTES DE BANANEIRA GRANDE NAINE EM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE HIPOCLORITO DE SÓDIO 1 222 DESINFESTAÇÃO E ESTABELECIMENTO in vitro DE EXPLANTES DE BANANEIRA GRANDE NAINE EM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE HIPOCLORITO DE SÓDIO 1 GUSTAVO ALVES PEREIRA 2, LUIZ DE SOUZA CORREA 3, APARECIDA CONCEIÇÃO

Leia mais

Avaliação de Híbridos de Milho do Programa de Melhoramento Genético do DBI/UFLA

Avaliação de Híbridos de Milho do Programa de Melhoramento Genético do DBI/UFLA XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Avaliação de Híbridos de Milho do Programa de Melhoramento Genético do DBI/UFLA Renato Barbosa Camargos 1, Amanda

Leia mais

Nitrato de amônio e nitrato de potássio no desenvolvimento in vitro de embriões somáticos de pupunheiras - NOTA -

Nitrato de amônio e nitrato de potássio no desenvolvimento in vitro de embriões somáticos de pupunheiras - NOTA - Ciência Rural Nitrato Santa de amônio Maria e v40 nitrato n7 de p1655-1659 potássio no jul desenvolvimento 2010 in vitro de embriões somáticos de pupunheiras ISSN 0103-8478 1655 Nitrato de amônio e nitrato

Leia mais

PROPAGAÇÃO DO MANGOSTÃO ATRAVÉS DO CULTIVO IN VITRO. Acadêmico PVIC/UEG do Curso de Agronomia, UnU Ipameri - UEG.

PROPAGAÇÃO DO MANGOSTÃO ATRAVÉS DO CULTIVO IN VITRO. Acadêmico PVIC/UEG do Curso de Agronomia, UnU Ipameri - UEG. PROPAGAÇÃO DO MANGOSTÃO ATRAVÉS DO CULTIVO IN VITRO Valter de Oliveira Neves Júnior1; Zélio de Lima Vieira 1; Leandro Martins Prudente1; Rafael Benetti1; Sebastião Pedro da Silva Neto 2 1 Acadêmico PVIC/UEG

Leia mais

Desenvolvimento de mudas de cupuaçuzeiro (Theobroma grandiflorum) submetidas a diferentes tipos de substrato

Desenvolvimento de mudas de cupuaçuzeiro (Theobroma grandiflorum) submetidas a diferentes tipos de substrato Desenvolvimento de mudas de cupuaçuzeiro (Theobroma grandiflorum) submetidas a diferentes tipos de substrato Ricardo de Sousa Nascimento 1, Dalton Mazzutti 2, Juliana Pereira da Silva 2, Janailson Pereira

Leia mais