05/05/2010. Década de 60: a chamada Crise do Software

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "05/05/2010. Década de 60: a chamada Crise do Software"

Transcrição

1 Pressman, Roger S. Software Engineering: A Practiotioner s Approach. Editora: McGraw- Hill. Ano: Edição: 5 Introdução Sommerville, Ian. SW Engineering. Editora: Addison Wesley. Ano: Edição: 6 2 Disciplina gerencial e tecnológica lida com a produção e manutenção de produtos de software desenvolvidos dentro de estimativas de custo e tempo. Trata aspectos relacionados a Processos, Métodos, Técnicas, Ferramentas e Ambientes de suporte Desenvolver Software não é só programação! Obter software de qualidade Com produtividade no seu desenvolvimento, operação e manutenção Dentro de custos, prazos e níveis de qualidade controlados Com o melhor custo-benefício entre Qualidade e Produtividade 3 4 Década de 60: a chamada Crise do Software Desenvolvimento fora de controle Iniciou como um problema de Custo e Produtividade. Mais importante: era um problema de Qualidade Década de 70 Programação Estruturada Projeto Estruturado 5 6 1

2 Década de 80 Análise Estruturada (DFDs, Dicionário de Dados, Diagrama ER, de Estados, etc.) Ferramentas CASE Década de 90 Análise e Projeto OO. Modelagem de acordo com o mundo real. Características e Comportamento de Objetos. Processo Unificado Anos 2000 Metodologias Ágeis Novos paradigmas: SOA, Aspectos, Model-Driven Architecture, etc. 7 8 Software Programa de computador e documentação associada. Produtos de software podem ser desenvolvidos para um cliente particular ou podem ser desenvolvidos para um mercado geral. Processo Uma série conectada de ações, atividades, mudanças, etc., realizada de forma bem definida por atores com a intenção de satisfazer um propósito ou objetivo. Define quem está fazendo o quê, quando e como para atingir um certo objetivo Entrada Processo (atividades e sub-processos) Saída 9 10 Processo de Software Conjunto de atividades, métodos, práticas e transformações que guiam pessoas na construção de Software

3 São uma representação abstrata e simplificada do processo de desenvolvimento software, tipicamente mostrando as principais atividades e dados usados na produção e manutenção de software. Contêm: Esqueleto do processo Ordem de precedência das atividades Artefatos e produtos gerados Seqüenciais Cascata ou Clássico Modelos Evolucionários Programação Exploratória Prototipagem Descartável Específicos Métodos formais Iterativos Espiral Incremental Modelo Clássico, derivado de modelos existentes em outras engenharias Sua estrutura é composta por várias etapas que são executadas de forma sistemática e seqüencial Na prática, existe uma interação entre as etapas e cada etapa pode levar a modificações nas etapas anteriores Requisitos Análise Projeto lementação Testes Operação e Manutenção Requisitos Comunicação Análise - Iniciação do projeto - Levantamento de Requisitos Planejamento Projeto lementação - Estimativas - Cronograma - Monitoramento - Análise - Projeto Modelagem Construção Testes - Codificação - Teste lantação Operação e Manutenção - Entrega - Manutenção - Teste

4 Progresso do projeto (% codificado) 05/05/2010 É simples e fácil de aplicar, facilitando o planejamento Fixa pontos específicos para a entrega de artefatos Pressupõe que os requisitos ficarão estáveis 100% Início da integração Deadline original Porém, atrasa a redução de riscos! Tempo Planejamento Esboçar escopo e requisitos Fazer estimativas razoáveis sobre recursos, custos e prazos Análise e Especificação de Requisitos Refinar requisitos e escopo Entender o domínio do problema, com comportamento e funcionalidades esperados Projeto Incorporar requisitos tecnológicos aos requisitos essenciais do sistema Fazer o projeto da arquitetura do sistema e projeto detalhado do sistema lementação Traduzir o projeto em uma forma passível de execução pela máquina. Codificação Testes Realizar diversos níveis de teste, de forma a fazer a verificação do software. lantação, Operação e Manutenção Colocar o software em produção Treinar pessoas Manter o software Gerenciar os serviços Programação exploratória Idéia geral: Modificações sucessivas até que o sistema seja considerado adequado Desenvolvimento da primeira versão do sistema o mais rápido possível Após o desenvolvimento de cada uma das versões do sistema ele é mostrado aos usuários para comentários

5 Programação exploratória Adequado para o desenvolvimento de sistemas onde é difícil ou impossível se fazer uma especificação detalhada do sistema Principal diferença para os outros modelos é a ausência da noção de programa correto Prototipagem Como na programação exploratória, a primeira fase prevê o desenvolvimento de um programa para o usuário experimentar No entanto, o objetivo aqui é estabelecer os requisitos do sistema O software deve ser reimplementado na fase seguinte Prototipagem Prototipagem É útil para sistemas grandes e complicados Ou quando não existe um sistema anterior ou manual que ajude a especificar os requisitos Métodos Formais Idéia geral: Uma especificação formal (definição matemática, não ambígua) do software é desenvolvida e posteriormente transformada em um programa através de regras que preservam a corretude da especificação esp. 1 esp. 2 implement. Métodos Formais O próprio processo de desenvolvimento garante que o programa faz exatamente o que foi especificado É possível gerar programas corretos e completos por construção Têm sido aplicados apenas ao desenvolvimento de sistemas críticos (por questões de segurança!)

6 Motivação: requisitos de sistema sempre evoluem durante o projeto Deve-se dividir para conquistar Duas abordagens Desenvolvimento Incremental Desenvolvimento Espiral Desenvolvimento Incremental A idéia é de desenvolver e entregar o software em incrementos, com cada incremento entregando parte da funcionalidade requerida. Requisitos são definidos antes do desenvolvimento do incremento, sendo os mais críticos priorizados. Req A&P I/T Iteração 1 Req A&P I/T Iteração 2 Req A&P I/T Iteração 3 TEMPO Incremental: são adicionados pedaços completos Iterativo: esboços ou pedaços incompletos do produto são adicionados a cada iteração Desenvolvimento em Espiral O processo é representado como uma espiral em vez de uma seqüência de atividades. Cada volta na espiral representa uma fase no processo Acrescenta aspectos gerenciais Planejamento, tomada de decisão Análise de Riscos Porém, é complexo e requer experiência na avaliação de riscos! Desenvolvimento em Espiral [Pressman] Desenvolvimento em Espiral [Boehm]

7 Progresso do projeto (% codificado) 05/05/ % Ciclo de vida iterativo Ciclo de vida tradicional Tempo Início: década de 90 Reação contra métodos pesados, vistos como lentos e burocráticos Idéia central: tornar simples o que dificultava o desenvolvimento de software Geralmente aplicado em projetos onde os Requisitos e Prioridades são instáveis Hoje representa uma família de processos de desenvolvimento. Estamos evidenciando maneiras melhores de desenvolver software fazendo-o nós mesmos e ajudando outros a fazê-lo. Através desse trabalho, passamos a entender que: Indivíduos e interações são mais importantes que processos e ferramentas. Software funcionando é mais importante do que documentação completa e detalhada. Colaboração com o cliente é mais importante do que negociação de contratos. Adaptação a mudanças é mais importante do que seguir o plano inicial. Ou seja, mesmo tendo valor os itens à direita, valorizamos mais os itens à esquerda extreme Programming Scrum FDD Lean Software Development Cristal Family (...) Errado - Metodologia Ágil não é o caos!

8 Surgimento Em meados de 1990, Kent Beck, procurou formas mais simples e eficientes de desenvolver Software. Em Março de 1996, ele iniciou um projeto com novos conceitos que resultaram na metodologia XP - extreme Programming Trata-se de uma metodologia ágil para equipes pequenas e médias desenvolvendo software com requisitos vagos e em constante mudança Levar todas as boas práticas ao extremo Se testar é bom, vamos testar toda hora! Se projetar é bom, vamos fazer disso parte do trabalho diário de cada pessoa! Se integrar é bom, vamos integrar a maior quantidade de vezes possível! Se iterações curtas são boas, vamos deixar as iterações realmente curtas! Metáfora Procura facilitar a comunicação com o cliente, entendendo a realidade dele. Projeto simples O código está, a qualquer momento, na forma mais simples que passe todos os testes. Pequenas versões O software é entregue em pequenas versões para que o cliente possa obter o seu ganho o mais cedo possível e para minimizar riscos Refatoração Padrão de codificação A reconstrução baseia-se na remoção de redundância, eliminação de funcionalidades inúteis, e reconstrução de projetos obsoletos. Programação em Pares Todo código de produção é desenvolvido por duas pessoas trabalhando com o mesmo teclado, o mesmo mouse e o mesmo monitor. Propriedade coletiva do código A equipe como um todo é responsável por cada arquivo de código. Não é preciso pedir autorização para alterar qualquer arquivo. Todo código é desenvolvido segundo um padrão. 40 horas por semana Cada programador trabalha 40 horas por semana, no máximo Reuniões em pé Reuniões rápidas e diárias com a equipe, para discutir apenas o essencial Cliente sempre presente E com conhecimento sobre o negócio

9 Testes de Aceitação São definidos pelo usuário e são os critérios de aceitação do software. Desenvolvimento Orientado a Testes A criação de testes leva em conta não só o tempo ganho com a criação dos mesmos antes da codificação, mas conhecer previamente as possíveis falhas do seu sistema. Integração Contínua Os diversos módulos do software são integrados diversas vezes por dia e todos os testes unitários são executados. O código não passa até obter sucesso em 100% dos testes unitários. Comunicação Métodos para rapidamente construir e disseminar conhecimento Simplicidade XP encoraja que você comece, sempre, pela solução mais simples Feedback Do cliente, do sistema e da equipe Coragem Design simples, refatoração Respeito Respeito da Equipe, do Cliente, dos Usuários O nome é derivado de uma atividade que ocorre durante um jogo de Rugby Princípios: Pequenas equipes de trabalho são organizadas de modo a maximizar a comunicação, minimizar a supervisão e maximizar o compartilhamento de conhecimento tácito informal. O processo precisa ser adaptável tanto a modificações técnicas como de negócio. O processo produz frequentes incrementos de software. Atividades do processo requisitos análise projeto evolução entrega. Principais papéis ScrumMaster; Product Owner; Team Início: Jeff de Luca e Peter Coad em A FDD é focada na entrega regular de funcionalidades valiosas para o cliente Tem mais estrutura do que o XP, porém é mais enxuto do que o RUP é um meio termo. Seis Papéis Project Manager Chief Architect Development Manager Chief Programmers Class Owners (aka Developers) Domain Experts

10 Cinco processos Antes da década de 90 casa de ferreiro, espeto de pau Hoje em dia as ferramentas CASE ainda não são tão variadas nem fornecem tudo aquilo que os desenvolvedores queriam, mas são um aparato essencial para o engenheiro de software O que são? São ferramentas que auxiliam o engenheiro de SW em cada atividade associada ao desenvolvimento de SW Quem usa? Gerentes de projeto e engenheiros de SW Por que são importantes? Reduzem o esforço necessário para produzir artefatos e alcançar metas Aumentam a qualidade do software Quais são os passos? Ferramentas CASE são usadas em conjunto com o modelo de processo adotado. Se for escolhida uma ferramenta completa, pode passar por quase todos os passos do desenvolvimento de SW Como são usadas? Como complemento às boas práticas de Engenharia de Software. Ferramentas CASE não substituem uma metodologia de desenvolvimento de software sólida Um tolo com ferramentas, ainda é apenas um tolo

11 Horizontais São utilizados durante todo o processo de desenvolvimento de software Verticais São específicas para uma disciplina de software Por funções [Pressman] Processos de negócio, Planejamento de projeto, Análise de Riscos, Rastreamento de Requisitos, IDEs, Gerenciamento de BDs, Análise Estática, Análise Dinâmica,... Como não há um padrão para categorizar ferramentas CASE, a seguinte proposta foi feita: Front-end ou Upper CASE apóiam as etapas iniciais da criação dos sistemas: as fases de planejamento, análise e projeto da aplicação Back-end ou Lower CASE dão apoio à parte física, i.e, código, testes e manutenção I-CASE ou Integrated CASE cobrem todo o ciclo de vida, do início ao fim

Engenharia de Software Processo de Desenvolvimento de Software

Engenharia de Software Processo de Desenvolvimento de Software Engenharia de Software Processo de Desenvolvimento de Software Prof. Elias Ferreira Elaborador por: Prof. Edison A. M. Morais Objetivo (1/1) Conceituar PROCESSO E CICLO DE VIDA, identificar e conceituar

Leia mais

14/11/2014. Engenharia de Software. Modelos de software. Modelo Clássico - Cascata

14/11/2014. Engenharia de Software. Modelos de software. Modelo Clássico - Cascata 4//204 Engenharia de Software Luiz A. Nascimento Modelos de software Cascata (especificação/desenvolvimento/ validação e evolução) Na teoria:desenvolvimento linear Na prática: São necessárias várias iterações

Leia mais

PROCESSOS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PROF. MSC. EMILIANO MONTEIRO

PROCESSOS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PROF. MSC. EMILIANO MONTEIRO PROCESSOS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PROF. MSC. EMILIANO MONTEIRO CONTEÚDO Conceitos básicos Caracterização de um processo Estágios básicos Linha do tempo Cascata Espiral Prototipação Modelo-V Orientado

Leia mais

Engenharia de Software I - Aula 04

Engenharia de Software I - Aula 04 Engenharia de Software I - Aula 04 Prof. Denis Carvalho Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais Campus São João Evangelista Conteúdo 1 Introdução 2 Paradigmas 3 Referências

Leia mais

Processos de Software

Processos de Software Riscos Processos de Software Gidevaldo Novais (gidevaldo.vic@ftc.br) Muitos problemas no desenvolvimento de software provêm de riscos Seriam problemas potenciais que poderão ocorrer em um futuro próximo

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC DCC Departamento de Ciência da Computação Joinville-SC

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC DCC Departamento de Ciência da Computação Joinville-SC CURSO: Tecnologia em Sistemas de Informação DISCIPLINA: SOFT Engenharia de Software DATA: AULA NÚMERO: 01 PROFESSOR: Murakami Sumário 1 APRESENTAÇÃO...1 2 DESENVOLVIMENTO...1 2.1 Software...1 2.2 Engenharia

Leia mais

Processos de software Leitura: Cap3 Sommerville / Cap1: Pressman - Ariadne

Processos de software Leitura: Cap3 Sommerville / Cap1: Pressman - Ariadne Processos de software Leitura: Cap3 Sommerville / Cap1: Pressman - Ariadne Auxiliadora Freire Fonte: Engenharia de Software 6º Edição / Ian Sommerville 2000 Slide 1 Processos de software Atividades para

Leia mais

Engenharia de Software II

Engenharia de Software II Engenharia de Software II Aula 4 http://www.ic.uff.br/~bianca/engsoft2/ Aula 4-03/05/2006 1 Modelos Prescritivos de Processo Modelo em cascata Modelos incrementais Modelo incremental Modelo RAD Modelos

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software

Processo de Desenvolvimento de Software Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo Programático desta aula Fases do Processo. Ciclo de vida do processo. Processo Unificado Orientado por Casos de Uso, surgiu para realizar o

Leia mais

ENGENHARIA DE SOFTWARE. Aula 03 Processos de Software

ENGENHARIA DE SOFTWARE. Aula 03 Processos de Software ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Processos de Software AGENDA Modelos de processo de software Atividades do processo Lidando com mudanças Rational Unified Process (RUP) 14/03/2017 IFPR QUEDAS DO IGUAÇU -

Leia mais

Engenharia de Software. Processos. Desenvolvimento de Software Tradicionais 2014/2. Prof. Luís Fernando Garcia

Engenharia de Software. Processos. Desenvolvimento de Software Tradicionais 2014/2. Prof. Luís Fernando Garcia Engenharia de Software Processos Desenvolvimento de Software Tradicionais 2014/2 Prof. Luís Fernando Garcia LUIS@GARCIA.PRO.BR Processos Um conjunto estruturado de atividades necessárias para o desenvolvimento

Leia mais

CARGA HORÁRIA Engenharia de Software Código: horas PRÉ-REQUISITOS: Paradigmas de Programação

CARGA HORÁRIA Engenharia de Software Código: horas PRÉ-REQUISITOS: Paradigmas de Programação UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO DISCIPLINA CARGA HORÁRIA Engenharia de Software Código: 5605.3

Leia mais

Unidade II MODELAGEM DE PROCESSOS. Profa. Gislaine Stachissini

Unidade II MODELAGEM DE PROCESSOS. Profa. Gislaine Stachissini Unidade II MODELAGEM DE PROCESSOS Profa. Gislaine Stachissini Modelagem de sistemas A fase do desenvolvimento do sistema exige: esforço; dedicação; envolvimento; um único objetivo. Estilo de desenvolvimento

Leia mais

Requisitos de Sistemas

Requisitos de Sistemas Requisitos de Sistemas Unidade I - Engenharia de Requisitos Definição de Requisitos (Continuação) Processos de Engenharia de Requisitos (Cont.) - Análise - Registro - Validação - Gerência 1 Processo de

Leia mais

Desenvolvimento Ágil de Software. Prof. Edjandir Corrêa Costa

Desenvolvimento Ágil de Software. Prof. Edjandir Corrêa Costa Desenvolvimento Ágil de Software Prof. Edjandir Corrêa Costa edjandir.costa@ifsc.edu.br Métodos Ágeis História Na início da década de 90 havia uma visão de que a melhor maneira para se criar software era

Leia mais

Prof. Dr. Thiago Jabur Bittar

Prof. Dr. Thiago Jabur Bittar Prof. Dr. Thiago Jabur Bittar Uma representação abstrata e simplificada do processo de desenvolvimento software, tipicamente mostrando as principais atividades e dados usados na produção e manutenção de

Leia mais

Engenharia de Software Simulado para a 1ª Avaliação Bimestral Professor: Danilo Giacobo - RESPOSTAS

Engenharia de Software Simulado para a 1ª Avaliação Bimestral Professor: Danilo Giacobo - RESPOSTAS Engenharia de Software Simulado para a 1ª Avaliação Bimestral Professor: Danilo Giacobo - RESPOSTAS 1. Com relação à engenharia de software, julgue os itens seguintes. Engenharia de software não está relacionada

Leia mais

Scrum o quê? Gerindo projetos de forma eficiente (e sem perder os cabelos)

Scrum o quê? Gerindo projetos de forma eficiente (e sem perder os cabelos) INSTITUTO FEDERAL DE SERGIPE Campus Tobias Barreto Scrum o quê? Gerindo projetos de forma eficiente (e sem perder os cabelos) Prof. Me. Christiano Lima Santos Que tal começarmos pelo começo? Dã! É Claro!

Leia mais

MODELOS DE PROCESSOS (PARTE 2)

MODELOS DE PROCESSOS (PARTE 2) MODELOS DE PROCESSOS (PARTE 2) Introdução a Computação e Engenharia de Software Profa. Cynthia Pinheiro Recordando nossas Datas Provas (novas datas): 3ª Prova (1ª chamada): 03/07 2ª Prova (2ª chamada):

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UFPR BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UFPR BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CI 221 DISCIPLINA: Engenharia de Software AULA NÚMERO: 2 DATA: / / PROFESSOR: Andrey APRESENTAÇÃO Nesta aula serão apresentados e discutidos os conceitos de Processo de desenvolvimento de software e ciclo

Leia mais

Aula 1: Apresentação. Revisão para Prova 1. Aula 2: Motivação. O que é software? Eng. de Software em Camadas. O que é Engenharia de Software?

Aula 1: Apresentação. Revisão para Prova 1. Aula 2: Motivação. O que é software? Eng. de Software em Camadas. O que é Engenharia de Software? Engenharia de Software Aula 15 Aula 1: Apresentação Revisão para Prova 1 Livro Datas Monitoria Eduardo Figueiredo http://www.dcc.ufmg.br/~figueiredo dcc603@gmail.com 22 Abril 2013 Avaliação Agenda do Curso

Leia mais

Modelos de Software. Tema 2. Processo de Software. Modelos Profa. Susana M. Iglesias

Modelos de Software. Tema 2. Processo de Software. Modelos Profa. Susana M. Iglesias Modelos de Software Tema 2. Processo de Software. Modelos Profa. Susana M. Iglesias Processo de software Processo de software: Ferramentas Métodos Processo Foco: A qualidade Um conjunto de atividades realizadas

Leia mais

Engenharia de Software. Herbert Rausch Fernandes

Engenharia de Software. Herbert Rausch Fernandes Engenharia de Software Herbert Rausch Fernandes Scrum Não é uma metodologia que fará você desenvolver produtos melhores; Não te dá as respostas e não é uma bala de prata; Scrum é simplesmente um framework;

Leia mais

Disciplina - Requisitos. Grupo Yuni Luiz Eduardo Káthia

Disciplina - Requisitos. Grupo Yuni Luiz Eduardo Káthia Disciplina - Requisitos Grupo Yuni Luiz Eduardo Káthia RUP(Rational Unified Process) 1. Introdução. 2. Introdução a disciplinas no RUP. 3. Requisitos. 4. Gerenciamento de Requisitos. 5. Relação com outras

Leia mais

Conteúdo. Disciplina: INF Engenharia de Software. Monalessa Perini Barcellos

Conteúdo. Disciplina: INF Engenharia de Software. Monalessa Perini Barcellos Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Disciplina: INF 09289 Prof.: (monalessa@inf.ufes.br) Conteúdo 1. Introdução 3. Especificação e Análise de Requisitos

Leia mais

PLANO DE ENSINO. ANO LETIVO/SEMESTRE: 2016/2 PROFESSOR: Leandro da Silva Camargo

PLANO DE ENSINO. ANO LETIVO/SEMESTRE: 2016/2 PROFESSOR: Leandro da Silva Camargo PLANO DE ENSINO ANO LETIVO/SEMESTRE: 2016/2 PROFESSOR: Leandro da Silva Camargo I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia 2. Campus: IFSUL Bagé 3. Endereço: Av. Leonel

Leia mais

Analista de Sistemas S. J. Rio Preto

Analista de Sistemas S. J. Rio Preto Modelo em Cascata ou Clássico O modelo de ciclo de vida em cascata foi o primeiro modelo a ser conhecido em engenharia de software e está na base de muitos ciclos de vida utilizados hoje em dia. Este consiste

Leia mais

Aula 2 Processo de Software

Aula 2 Processo de Software Aula 2 Processo de Software Processo de software O que é processo de software? Deve incluir 4 partes fundamentais Não existe um processo ideal Certo ou errado? O tipo de software influencia no tipo de

Leia mais

Princípios da Engenharia de Software aula 03

Princípios da Engenharia de Software aula 03 Princípios da Engenharia de Software aula 03 Prof.: José Honorato Ferreira Nunes Material cedido por: Prof.: Franklin M. Correia Na aula anterior... Modelos de processos de software: Evolucionário Tipos

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Prof. M.Sc. Ronaldo C. de Oliveira ronaldooliveira@facom.ufu.br FACOM - 2011 UML Linguagem Unificada de Modelagem Projeto de Software Introdução O que é projeto em software? O termo projeto é um tanto

Leia mais

Processos de Software by Pearson Education Ian Sommerville 2006 Engenharia de Software, 8ª. edição. Capítulo 4 Slide 1

Processos de Software by Pearson Education Ian Sommerville 2006 Engenharia de Software, 8ª. edição. Capítulo 4 Slide 1 Processos de Software Ian Sommerville 2006 Engenharia de Software, 8ª. edição. Capítulo 4 Slide 1 Objetivos Apresentar modelos de processos de software Descrever três modelos genéricos de processo e quando

Leia mais

Prof. Luiz A. Nascimento

Prof. Luiz A. Nascimento Prof. Luiz A. Nascimento Qual a importância da Engenharia de Software? O desenvolvimento de um software envolve processos muitos complexos. A engenharia de software estabelece um modelo para se construir

Leia mais

Modelo de Desenvolvimento Concorrente

Modelo de Desenvolvimento Concorrente Trabalho de Engenharia de Software Modelo de Desenvolvimento Concorrente Universidade Federal do Paraná Professora: Letícia M. Peres Juliana Campos Franchi GRR20093224 Leonardo Ternes Santos GRR20093550

Leia mais

Gerência de Configuração: Terminologia. Leonardo Gresta Paulino Murta

Gerência de Configuração: Terminologia. Leonardo Gresta Paulino Murta Gerência de Configuração: Terminologia Leonardo Gresta Paulino Murta leomurta@ic.uff.br Item de configuração Agregação de hardware e/ou software que será passível de gerência de configuração e tratado

Leia mais

Processo. Processo unificado. Principais Características do UP. Principais Características do UP RUP. Unified Process (Processo Unificado)

Processo. Processo unificado. Principais Características do UP. Principais Características do UP RUP. Unified Process (Processo Unificado) Processo UP Unified Process (Processo Unificado) Conjunto de passos que tem como objetivo atingir uma meta Processo de software na ES, processo que visa a produzir o software - de modo eficiente e previsível

Leia mais

SIGEPRO - Mini Curso sobre Métodos Ágeis de Gestão de Projetos

SIGEPRO - Mini Curso sobre Métodos Ágeis de Gestão de Projetos SIGEPRO - Mini Curso sobre Métodos Ágeis de Gestão de Projetos Jonas Analista de Negócios e Gerente de Projetos Fone:5184298411 Jonas.dc.cardoso@gmail.com 1 PROJETO Esforço temporário* para criar um produto,

Leia mais

Fábricas de Software. Processos de Software. Fábricas de Software. Fábricas de Software 17/08/2010. Jorge Dias

Fábricas de Software. Processos de Software. Fábricas de Software. Fábricas de Software 17/08/2010. Jorge Dias Fábricas de Software Processos de Software Jorge Dias Um processo estruturado, controladoe melhoradode forma contínua, considerando abordagens de engenharia industrial, orientado para o atendimento a múltiplas

Leia mais

Ainda que muitos modelos sejam semelhantes entre os modelos de ciclo de vida, existem alguns aspectos que os diferenciam:

Ainda que muitos modelos sejam semelhantes entre os modelos de ciclo de vida, existem alguns aspectos que os diferenciam: Prof. Edson dos Santos Cordeiro 1 Tópico: Objetivo: Introdução a Ciclo de Vida do Software Conhecer os principais conceitos relacionados a ciclo de vida do software. Bibliog. Base: McCONNEL, Steve. Rapid

Leia mais

Desenvolvimento dirigido por Funcionalidades(FDD), Desenvolvimento de Software Enxuto(LSD) e Processo Unificado Agil (AUP)

Desenvolvimento dirigido por Funcionalidades(FDD), Desenvolvimento de Software Enxuto(LSD) e Processo Unificado Agil (AUP) Desenvolvimento dirigido por Funcionalidades(FDD), Desenvolvimento de Software Enxuto(LSD) e Processo Unificado Agil (AUP) José Cláudio Moretti Junior - GRR20093177 Será apresentado os conceitos de desenvolvimento

Leia mais

Comparação entre Metodologias Rational Unified Process (RUP) e extreme Programming(XP)

Comparação entre Metodologias Rational Unified Process (RUP) e extreme Programming(XP) Comparação entre Metodologias Rational Unified Process (RUP) e extreme Programming(XP) Fundamentos de Engenharia de Software PPGIA Carlos G. Vasco, Marcelo H. Vithoft, Paulo R. Estante Design and programming

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ - UFPR BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ - UFPR BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CI 221 DISCIPLINA: Engenharia de Software AULA NÚMERO: 3 DATA: / / PROFESSOR: Andrey APRESENTAÇÃO O objetivo desta aula é apresentar e discutir conceitos básicos como processo, projeto, produto, por que

Leia mais

O Processo Unificado (PU) SSC 121 Engenharia de Software I Profa. Dra. Elisa Yumi Nakagawa 2 o semestre de 2012

O Processo Unificado (PU) SSC 121 Engenharia de Software I Profa. Dra. Elisa Yumi Nakagawa 2 o semestre de 2012 O Processo Unificado (PU) SSC 121 Engenharia de Software I Profa. Dra. Elisa Yumi Nakagawa 2 o semestre de 2012 Modelos de Processo de Software Desenvolver software é geralmente uma tarefa complexa e sujeita

Leia mais

Engenharia de Software I - Aula 03

Engenharia de Software I - Aula 03 Engenharia de Software I - Aula 03 Material baseado no livro e Slides de (PRESSMAN, 2011) Prof. Denis Carvalho Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais Campus São João Evangelista

Leia mais

Luiz Fernando Maurício de Souza Sidemar Fidelis Cezario. FDD Desenvolvimento dirigido a funcionalidades

Luiz Fernando Maurício de Souza Sidemar Fidelis Cezario. FDD Desenvolvimento dirigido a funcionalidades Luiz Fernando Maurício de Souza Sidemar Fidelis Cezario FDD Desenvolvimento dirigido a funcionalidades 2 Agenda FDD; Melhores práticas do FDD; Principais papéis; Processos. FDD Metodologia interativa e

Leia mais

Modelos de Processo de Software

Modelos de Processo de Software Modelos de Processo de Software Seiji Isotani, Rafaela V. Rocha sisotani@icmc.usp.br rafaela.vilela@gmail.com PAE: Armando M. Toda armando.toda@gmail.com (material produzido e atualizado pelos professores

Leia mais

Paradigmas de Software

Paradigmas de Software Paradigmas de Software Objetivos Introdução aos paradigmas de software. Descrição de modelos genéricos e sua aplicabilidade. Descrição dos processos de requisitos, desenvolvimento, teste e evolução. Modelo

Leia mais

INE 5423 Banco de Dados I

INE 5423 Banco de Dados I UFSC-CTC-INE Curso de Ciências da Computação INE 5423 Banco de Dados I 2011/1 http://www.inf.ufsc.br/~ronaldo/ine5423 Programa da Disciplina Objetivo Conteúdo Avaliação Bibliografia Cronograma (Previsto)

Leia mais

SCRUM na prática com TANGRAN

SCRUM na prática com TANGRAN SCRUM na prática com TANGRAN Prof. Msc. Bruno Andrade da Silva ALTAMIRA/PA 04 de novembro de 2016 Reflexão A ciência, como um todo, não é nada mais do que um refinamento do pensar Albert Einstein SCRUM

Leia mais

2. Processos em Engenharia de Software

2. Processos em Engenharia de Software Renato Cardoso Mesquita Departamento de Eng. Elétrica da UFMG renato@cpdee.ufmg.br Engenharia de Software 2. Processos em Engenharia de Software.......... 2.1. Visão Geral Conceito de processo conjunto

Leia mais

SIMPLe: uma abordagem simples

SIMPLe: uma abordagem simples SIMPLe: uma abordagem simples orientada a problemas para o desenvolvimento de software Rafael Sabbagh Parte I!! Problemas e Soluções Aceitar Feature Request gera desperdício! Feature Request! Converse

Leia mais

Requisitos de Sistemas

Requisitos de Sistemas Requisitos de Sistemas Unidade I - Engenharia de Requisitos Definição de Requisitos Tipos de Requisitos Processos de Engenharia de Requisitos - Levantamento ou elicitação 1 Processo de software Engenharia

Leia mais

ENGENHARIA DE SOFTWARE

ENGENHARIA DE SOFTWARE EMENTA ENGENHARIA DE SOFTWARE DISCIPLINA: Estrutura e Fluxo de Informação EMENTA: A disciplina Estrutura e Fluxo de Informação se propõe a capacitar o aluno sobre os fundamentos da Gestão da Informação

Leia mais

Modelos de Processo de Software. Profª Jocelma Rios

Modelos de Processo de Software. Profª Jocelma Rios Modelos de Processo de Software Profª Jocelma Rios Jun/2013 O que pretendemos: Apresentar os conceitos básicos de processos de software Descrever os principais modelos de processos de software, elucidando

Leia mais

CICLO DE VIDA DO SOFTWARE. Nas empresas também é difícil adotar apenas um ciclo de vida, na maioria das vezes possui mais de um.

CICLO DE VIDA DO SOFTWARE. Nas empresas também é difícil adotar apenas um ciclo de vida, na maioria das vezes possui mais de um. Aula 02 CICLO DE VIDA DO SOFTWARE O ciclo de vida de um software é uma estrutura contendo todos os processos e tarefas envolvendo o desenvolvimento e finalização, ou seja, as etapas de operação e manutenção

Leia mais

RUP RATIONAL UNIFIED PROCESS

RUP RATIONAL UNIFIED PROCESS O que é RUP? É um metodologia para gerenciar projetos de desenvolvimento de software que usa a UML como ferramenta para especificação de sistemas. Ele é um modelo de processo híbrido Mistura elementos

Leia mais

Desenvolvimento ágil de software

Desenvolvimento ágil de software Desenvolvimento ágil de software Prof. Cristiane Aparecida Lana slide 1 Bibliografia utilizada: Mais opções visite meu site, clique aqui para acessá-lo. slide 2 2011 Pearson 2011 Pearson Prentice Prentice

Leia mais

PROCESSO DE SOFTWARE

PROCESSO DE SOFTWARE PROCESSO DE SOFTWARE Allan Senna Costa dos Santos Discente do Curso Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Faculdades Integradas de Três Lagoas (AEMS) Jhonatan Ricardo Ferraris da Silva Discente

Leia mais

Engenharia de Software e Gerência de Projetos Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Engenharia de Software e Gerência de Projetos Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Engenharia de Software e Gerência de Projetos Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Engenharia de Software e Gerência de Projetos Apresentação

Leia mais

Processos de software

Processos de software Processos de software 1 Processos de software Conjunto coerente de atividades para especificação, projeto, implementação e teste de sistemas de software. 2 Objetivos Introduzir modelos de processos de

Leia mais

Introdução à Análise e Projeto de Sistemas

Introdução à Análise e Projeto de Sistemas Introdução à I. O Que vamos fazer na Disciplina? Saber uma linguagem de programação orientada a objeto (OO) não é suficiente para criar sistemas OO Tem que saber Análise e Projeto OO (APOO) Isto é, Análise

Leia mais

ENGENHARIA DE SOFTWARE

ENGENHARIA DE SOFTWARE ENGENHARIA DE SOFTWARE Professor Virgílio Fries Muller E-mail: vfmnet@gmail.com Site: www.vfm.com.br Aplicações do software BÁSICO coleção de programas escritos para dar apoio a outros programas DE TEMPO

Leia mais

Leitura: Cap : Sommerville; cap20: Pressman

Leitura: Cap : Sommerville; cap20: Pressman Leitura: Cap26-27 - 28: Sommerville; cap20: Pressman Auxiliadora Freire Fonte: Engenharia de Software 6º Edição / Ian Sommerville 2000 Slide 1/47 Manutenção de software É modificar um programa depois que

Leia mais

Rational Unified Process (RUP)

Rational Unified Process (RUP) Rational Unified Process (RUP) A Rational é bem conhecida pelo seu investimento em orientação em objetos. A empresa foi à criadora da Unified Modeling Language (UML), assim como de várias ferramentas que

Leia mais

Processos Ágeis de Desenvolvimento de Software

Processos Ágeis de Desenvolvimento de Software Processos Ágeis de Desenvolvimento de Software -Focono XP - Rodrigo Rebouças de Almeida rodrigor@rodrigor.com Processo Conjunto de atividades ordenadas, restrições e recursos que produzem um resultado

Leia mais

Processo Unificado (PU) Unified Process

Processo Unificado (PU) Unified Process Processo Unificado (PU) Unified Process 10 de junho de 2011 Adonai Canêz One comment Introdução O Processo Unificado (PU) surgiu para realizar o desenvolvimento de software visando a construção de sistemas

Leia mais

Paradigmas da Engenharia de Software AULA PROF. ABRAHAO LOPES

Paradigmas da Engenharia de Software AULA PROF. ABRAHAO LOPES Paradigmas da Engenharia de Software AULA 03-04 PROF. ABRAHAO LOPES Introdução O processo de software é visto por uma sequência de atividades que produzem uma variedade de documentos, resultando em um

Leia mais

Ciclo de Vida de Sistemas de Informação

Ciclo de Vida de Sistemas de Informação Ciclo de Vida de Sistemas de Informação PROCESSO DE DESEN. DE SIs Todo desenvolvimetno de SI pode ser caracterizado como um ciclo de solução de problema. Definição do Problema Situação atual Desenvolvimento

Leia mais

Entenda as idéias do movimento que está revolucionando a indústria de desenvolvimento de software mundial. Alisson Vale

Entenda as idéias do movimento que está revolucionando a indústria de desenvolvimento de software mundial. Alisson Vale Entenda as idéias do movimento que está revolucionando a indústria de desenvolvimento de software mundial Alisson Vale Revoluções Científicas 1900 William Tomson (Lord Kelvin) Não há nada novo na física

Leia mais

METODOLOGIAS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE: UMA ANÁLISE NO DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS NA WEB

METODOLOGIAS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE: UMA ANÁLISE NO DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS NA WEB METODOLOGIAS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE: UMA ANÁLISE NO DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS NA WEB Fernando Gonçalves de Oliveira, João Manuel Pimentel Seabra Resumo: No artigo apresentado foi comentado sobre

Leia mais

Projeto e Desenvolvimento de SAD (2)

Projeto e Desenvolvimento de SAD (2) Universidade do Contestado Campus Concórdia Curso de Sistemas de Informação Prof.: Maico Petry Projeto e Desenvolvimento de SAD (2) DISCIPLINA: Sistemas de Apoio a Decisão Metodologias de projeto e desenvolvimento:

Leia mais

Processos de Engenharia de Requisitos

Processos de Engenharia de Requisitos Processos de Engenharia de Requisitos Engenharia de Software (SCE-5764) 1º Sem. 2012- Prof. Paulo C. Masiero Introdução Objetivo: criar e manter um documento de requisitos. Quatro subprocessos: Avaliação

Leia mais

Engenharia Software I Aula 02

Engenharia Software I Aula 02 Engenharia Software I Aula 02 UNIDADE 1 Engenharia Requisitos Professor Fábio Codo Definição Profº Fábio Codo Contatos: Telefone: (011) 97375-6809 Email: fabio.codo@gmail.com Perfil Profissional: http://www.linkedin.com/in/fabiocodo

Leia mais

Processo Unificado. Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior

Processo Unificado. Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior Processo Unificado Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior Referências: Medeiros, E. Desenvolvendo Software com UML 2.0: Definitivo, Makron Books,

Leia mais

XP EXTREME PROGRAMMING. AGO106 - Gestão

XP EXTREME PROGRAMMING. AGO106 - Gestão XP EXTREME PROGRAMMING AGO106 - Gestão de Processos de Desenvolvimento de Software DESENVOLVIMENTO TRADICIONAL Sequencial: Análise, Design, Implementação, Teste, Implantação e Manutenção Características:

Leia mais

Ciclo de vida: fases x atividades

Ciclo de vida: fases x atividades Ciclo de vida Fase de definição Análise e Especificação Estudo de Viabilidade Estimativas Planejamento Fase de desenvolvimento Design Implementação e integração Verificação e Validação Fase de operação

Leia mais

PROJETO DE PROGRAMAS. Projeto de Programas PPR0001

PROJETO DE PROGRAMAS. Projeto de Programas PPR0001 PROJETO DE PROGRAMAS Projeto de Programas PPR0001 Desenvolvimento de Software 2 3 Desenvolvimento de Software Análise de Requisitos Distinguir e dividir o sistema em componentes: Analisar os componentes

Leia mais

Engenharia de Software II

Engenharia de Software II Engenharia de Software II Aula 7 http://www.ic.uff.br/~bianca/engsoft2/ Aula 7-12/05/2006 1 Ementa Processos de desenvolvimento de software Estratégias e técnicas de teste de software (Caps. 13 e 14 do

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO. Semestre letivo. 1. Identificação Código

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO. Semestre letivo. 1. Identificação Código MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO Ano Semestre letivo 2016 2 1. Identificação Código 1.1 Disciplina: Engenharia da Informação 1640066 1.2

Leia mais

! Introdução. " Motivação para Processos de Software. ! Processo Unificado (USDP) " Definições " RUP x USDP " Características do Processo Unificado

! Introdução.  Motivação para Processos de Software. ! Processo Unificado (USDP)  Definições  RUP x USDP  Características do Processo Unificado Agenda Rodrigo Reis Cleidson de Souza! Introdução " Motivação para Processos de Software! (USDP) " Definições " RUP x USDP " Características do! Descrição detalhada do! Processos Derivados! Templates simplificados!

Leia mais

Modelagem da Interação do Usuário no Desenvolvimento Ágil

Modelagem da Interação do Usuário no Desenvolvimento Ágil Modelagem da Interação do Usuário no Desenvolvimento Ágil Cecília E. Giuffra 1, Patrícia Vilain 1 1 Departamento de Informática e Estatística Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Florianópolis

Leia mais

MODELAGEM DE UM NOVO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE COM BASE EM METODOLOGIAS ÁGEIS.

MODELAGEM DE UM NOVO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE COM BASE EM METODOLOGIAS ÁGEIS. MODELAGEM DE UM NOVO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE COM BASE EM METODOLOGIAS ÁGEIS. WESLEY NOVAES FIOREZE COSTA 1 RESUMO A maioria das micro e pequenas empresas (MPEs 2 ) não utilizam processos

Leia mais

Processos de Desenvolvimento de Software

Processos de Desenvolvimento de Software Processos de Desenvolvimento de Software Raul Vidal, João Pascoal Faria, Ademar Aguiar, Gil Gonçalves FEUP/LEIC/LGP 2003-04 Processos de Desenvolvimento Software 1 Controlo de Projectos Quatro variáveis

Leia mais

Abordagens para Análise de Negócio

Abordagens para Análise de Negócio Terceiro Módulo: Parte 2 Abordagens para Análise de AN V 3.0 [54] Rildo F Santos (@rildosan) rildo.santos@etecnologia.com.br www.etecnologia.com.br http://etecnologia.ning.com 1 Abordagens para Análise

Leia mais

Gerência de Projetos e Qualidade de Software. Prof. Walter Gima

Gerência de Projetos e Qualidade de Software. Prof. Walter Gima Gerência de Projetos e Qualidade de Software Prof. Walter Gima 1 Plano de Ensino e Aprendizagem 2 3 Objetivos CONTEÚDO Se preparar para o inicio de um projeto Acompanhamento projeto Controles Métricas

Leia mais

Engenharia de Software I: Introdução. Graduação em Informática 2009 Profa. Itana Gimenes

Engenharia de Software I: Introdução. Graduação em Informática 2009 Profa. Itana Gimenes Engenharia de Software I: Introdução Graduação em Informática 2009 Profa. Itana Gimenes Programa 1. O processo de engenharia de software 2. Engenharia de requisitos 3. Modelagem de sistemas 4. Conceitos

Leia mais

INF014 Análise e Projeto de Sistemas Processos Unificado -RUP

INF014 Análise e Projeto de Sistemas Processos Unificado -RUP INF014 Análise e Projeto de Sistemas Processos Unificado -RUP Maurício Pitangueira antoniomauricio@ifba.edu.br Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia Departamento de Tecnologia Eletro-Eletrônica

Leia mais

Processos de software RUP

Processos de software RUP Processos de software RUP Revisão Conceitos Básicos - Processo Um conjunto de tarefas ordenadas constitui um processo, uma séria de etapas que envolvem atividades, restrições e recursos para alcançar a

Leia mais

[...] Mas no Sol, e na Luz, falte a firmeza, Na formosura não se dê constância, E na alegria sinta-se tristeza.

[...] Mas no Sol, e na Luz, falte a firmeza, Na formosura não se dê constância, E na alegria sinta-se tristeza. [...] Mas no Sol, e na Luz, falte a firmeza, Na formosura não se dê constância, E na alegria sinta-se tristeza. Começa o mundo enfim pela ignorância, E tem qualquer dos bens por natureza A firmeza somente

Leia mais

PROVAS DISCURSIVAS P 3 (questões) e P 4 (parecer) RASCUNHO QUESTÃO 1

PROVAS DISCURSIVAS P 3 (questões) e P 4 (parecer) RASCUNHO QUESTÃO 1 PROVAS DISCURSIVAS P (questões) e P (parecer) Nestas provas, faça o que se pede, usando, caso deseje, os espaços para rascunho indicados no presente caderno. Em seguida, transcreva os textos para o CADERNO

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Universidade São Judas Tadeu Prof. André Luiz Ribeiro Prof. Jorge Luis Pirolla Introdução à Computação Engenharia de Software Tópicos O que é Engenharia de Software? Engenharia de Software em camadas Processo

Leia mais

2. Modelos de Desenvolvimento de Software

2. Modelos de Desenvolvimento de Software 2. Modelos de Desenvolvimento de Software Patrícia Macedo Joaquim Filipe João Ascenso Engenharia de Software 2005/06 EST, Setúbal Ciclo de Vida do Software Um sistema de software é desenvolvido gradualmente

Leia mais

Engenharia de Software. Projeto de Software. Projeto: definição. Profa. Dra. Lúcia V. L. Filgueiras Profa. Dra. Selma Shin Shimizu Melnikoff

Engenharia de Software. Projeto de Software. Projeto: definição. Profa. Dra. Lúcia V. L. Filgueiras Profa. Dra. Selma Shin Shimizu Melnikoff Engenharia de Software Profa. Dra. Lúcia V. L. Filgueiras Profa. Dra. Selma Shin Shimizu Melnikoff Projeto de Software Fundamentos de projeto de software Projeto estruturado Índice do documento de projeto

Leia mais

Metodologia Científica e de Projetos de Engenharia em Sistemas Eletrônicos

Metodologia Científica e de Projetos de Engenharia em Sistemas Eletrônicos Metodologia Científica e de Projetos de Engenharia em Sistemas Eletrônicos PSI-2591 Projeto de Formatura I S. T. Kofuji; M. K. Zuffo; R. Straube 2a Aula: 28/02/2014 Projeto de Formatura I Objetivos: Articular

Leia mais

Qualidade de Software II Testes e Documentação

Qualidade de Software II Testes e Documentação Qualidade de Software II Testes e Documentação Garantir a qualidade de uma aplicação é sempre um desafio, pois há muitas etapas envolvidas na sua construção, desde o levantamento dos requisitos, passando

Leia mais

O Fluxo de Requisitos

O Fluxo de Requisitos O Fluxo de 1 Finalidade do fluxo de requisitos A finalidade deste fluxo é: Chegar a um acordo com o cliente e o usuário sobre o que o sistema deve fazer. Oferecer ao desenvolvedor um melhor entendimento

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Processos de software Material Teórico Responsável pelo Conteúdo: Profa. Dra. Ana Paula do Carmo Marcheti Ferraz Revisão Textual: Profa. Ms. Luciene Oliveira da Costa Santos Processos

Leia mais

Ciência da Computação. Análise e Projeto Orientado a Objetos UML. Anderson Belgamo

Ciência da Computação. Análise e Projeto Orientado a Objetos UML. Anderson Belgamo Ciência da Computação Análise e Projeto Orientado a Objetos UML Anderson Belgamo 1 Evolução do Software O rápido crescimento da capacidade computacional das máquinas resultou na demanda por sistemas de

Leia mais

INTRODUÇÃO A ANÁLISE DE SISTEMAS

INTRODUÇÃO A ANÁLISE DE SISTEMAS INTRODUÇÃO A ANÁLISE DE SISTEMAS 1 PROGRAMAR É DIVERTIDO! DESENVOLVER SOFTWARE COM QUALIDADE É DIFÍCIL! CRAIG LARMAN 2 Ambientes de Desenvolvimento de Software Empresas que têm o software como atividade

Leia mais

MODELAGEM DE SISTEMAS Unidade 1 Conceitos Básicos de Modelagem. Luiz Leão

MODELAGEM DE SISTEMAS Unidade 1 Conceitos Básicos de Modelagem. Luiz Leão Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo Programático A Importância da Modelagem Princípios de Modelagem Atividades de Análise e Projeto Análise e Projeto Orientados a Objeto Procura

Leia mais

MODELO CSD DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Paracelso de Oliveira Caldas 1

MODELO CSD DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Paracelso de Oliveira Caldas 1 MODELO CSD DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Paracelso de Oliveira Caldas 1 RESUMO Este artigo aborda a criação de um modelo de processo de desenvolvimento de software chamado: Conhecimento Software Disponível

Leia mais