Prof: Otto Barreto REFORMA PROTESTANTE. Movimento de divisão da fé cristã

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Prof: Otto Barreto REFORMA PROTESTANTE. Movimento de divisão da fé cristã"

Transcrição

1 Prof: Otto Barreto REFORMA PROTESTANTE Movimento de divisão da fé cristã

2 1. Estrutura arcaica da Igreja: Símbolo do feudalismo; Contraste com a sociedade moderna. 2. Renascimento cultural: Transformação da mentalidade do homem europeu: Humanismo e Racionalismo; Criação da imprensa. 3. Imoralidade da Igreja: Venda de indulgências (perdão); Venda de simonias (relíquias sagradas); Venda de cargos eclesiásticos; Nicolaísmo (desrespeito ao celibato) Nepotismo (cargos cedidos para familiares)

3 4. Conflitos entre doutrinas: AGOSTINIANA: o homem já está pré-destinado à salvação ou à condenação (fatalismo) TOMISMO: o homem poderia conseguir a salvação durante a vida. 5. Oposição da sociedade: REI: criticava a infalibilidade papal; NOBREZA: interessada nas terras da Igreja; BURGUESIA: criticava a condenação à usura (lucro com juros) ideia tomista. POVO: revoltado com a imoralidade de Igreja. 6. Críticos da Igreja: Erasmo de Rotterdam Thomas Morus

4 7. Movimentos contra a Igreja: John Wyclif ( ): defesa dos interesses nacionais contra as demandas do papado críticas abertas à Igreja. Sugeriu confisco dos bens do clero e voto de pobreza. O Estado deveria tomar posse de todas as propriedades da Igreja e encarregar-se diretamente do sustento do clero. Críticas ao papado de Avignon - FRA ( ). Desenrolar da Guerra dos Cem Anos ( ). "Nosso papa é o Cristo "A verdadeira autoridade emana da Biblia, que contém o suficiente para governar o mundo"

5 8. Movimentos contra a Igreja: John Huss: Adotou as ideias de Wyclif na luta pela independência da Boêmia. pregava o Sacerdócio Universal dos Crentes, no qual qualquer pessoa pode comunicar-se com Deus sem a mediação sacramental e eclesial. Combate a remessa de dinheiro da Boêmia para o Clero. Antes de ser queimado, Hus disse as seguintes palavras ao carrasco: "Vocês hoje estão queimando um ganso, mas dentro de um século, encontrar-se-ão com um cisne.

6 LUTERANISMO

7 Inicia suas pregações na Universidade de Wittenberg; Em seus estudos sobre teologia inicia um desejo de promover uma mudança na mentalidade da igreja:

8

9 Lutero se revolta contra a venda de indulgências por João Tetzel (inquisidor da Polônia e Saxônia) em todo o Sacro Império:

10

11 Lutero prega abertamente contra as Indulgências:

12

13 Lutero fixa suas idéias na igreja do castelo de Wittenberg como protesto direto contra a venda de indulgências e contra o comportamento imoral do clero. 76- As indulgências não podem anular sequer o menos dos pecados veniais; 77 A afirmação de que nem mesmo São Pedro poderia conceder maiores graças é uma blasfêmia contra São Pedro; Essa licenciosa pregação de indulgências faz com que não seja fácil para nenhum homem defender a dignidade do papa contra calúnias ou perguntas dos leigos.

14

15 Lutero se encontra com o bispo de Roma, mas não nega seus dogmas; Lutero recebe bula papal excomungando-o; Queima a Bula:

16

17 1º momento: predestinação divina; 2º momento: salvação pela fé; As escrituras sagradas eram a fonte dos verdadeiros dogmas; Crítica ao celibato; Crítica à hierarquia religiosa; Interpretação livre da Bíblia; Cultos em idioma local; Submissão da Igreja ao Estado; Aboliu o culto às imagens; Manutenção de dois sacramentos: batismo e eucaristia.

18 Leão X exige que o imperador Carlos V do Sacro Império puna Lutero; O imperador convoca uma reunião com todos os príncipes do Sacro Império para julgá-lo; É condenado como herege, porém recebe apoio da nobreza alemã interessada nas terras da igreja; Se refugia na Saxônia no principado de Frederico, onde faz a primeira tradução da bíblia para o alemão.

19

20 Expansão das idéias reformistas; Carlos V tolera o Luteranismo nas regiões já convertidas; Proíbe no resto do país; A nobreza protesta a decisão origem do termo protestante

21 Lutero e Felipe Melanchton apresentam a Confissão de Augsburg0 : Fundamentos da doutrina luterana; Caros V tenta refutar o documento e inicia a guerra: Carlos V X Liga de Smalkade (católicos) (nobres luteranos) A Paz de Augsburgo (1555): Cada príncipe, sua religião.

22

23 Local: Alemanha; Origem: camponesa e pequenos artesãos; Seguidores mais radicais de Lutero: Líder: Thomas Munzer e Florian Geyer; Dogmas: governo de 1000 anos em Cristo; A desigualdade política e social não era apenas injusta como pecaminosa ; Objetivos: abolição da servidão e fim dos latifúndios; Queimam castelos e conventos; O movimento adquire caráter de lute de classes; Lutero condena o movimento; Repressão: exército da nobreza contém os revoltosos decapitando Munzer.

24

25

26 Protestante francês refugiado em Genebra; Em 1536 publica Instituição da religião cristã ; 1. Local, Suíça: Região com grande desenvolvimento social; Poder nas mãos da burguesia; A moral religiosa medieval atrapalhava o comércio.

27 1. Pregações de Ulrich Zwinglio (1519): Defendia o rompimento com Roma; Eclode a guerra civil entre os cantões (Estados) suíços; Morte de Zwinglio; A Paz de Kappel: cada cantão com sua religião. 2. Independência da Genebra: Burguesia derrota o Conde de Sabóia; Torna-se uma cidade-república independente; Calvino inicia sua pregação;

28 1. Bases Luteranas: Manutenção de dois sacramentos: batismo e eucaristia; Aboliu o culto aos santos e às imagens; Livre exame da Bíblia; Salvação pela fé; Igreja nacional. 2. Radicalização: Predestinação absoluta; Santifica o trabalho, a poupança e o lucro; Restabeleceu o dia de graças dos judeus (sábado); Obs: o Calvinismo se torna religião oficial em Genebra; 3. O consistório: Órgão calvinista que vigiava os costumes dos cidadãos.

29 Calvinistas: Suíça, Holanda e Dinamarca; Puritanos: Inglaterra; Huguenotes: França Presbiterianos: Escócia. Obs: ao defender valores burgueses, o Calvinismo se espalha rapidamente em regiões de comércio forte.

30 ANGLICANISMO

31

32 1. Boa relação do rei com a Igreja: Doava dinheiro e terras; Henrique VIII condena os ensinamentos de Lutero; É nomeado defensor da fé. 2. Ruptura com a Igreja; 3. Henrique VIII pede anulação de seu casamento com Catarina de Aragão (Espanha): Burguesia e nobreza inglesas desejavam promover concorrência comercial e colonial com a Espanha; Catarina não gerou herdeiro homem; Henrique VIII possuía um amante, Ana Bolena. Sentia-se amaldiçoado por ter casado com viúva do irmão.

33

34 1. O papa Clemente VII nega a anulação: Catarina era tia de Carlos V que lutava contra Lutero no Sacro Império Romano Germânico; A Espanha era o principal país católico e sustentava o papado. 2. O Ato de supremacia (1531): Henrique VIII rompe relações com a Igreja; O parlamento o declara protetor da Igreja inglesa ; Nasce a Igreja Anglicana. 3. O papa excomunga o rei: Henrique VIII confisca os bens da Igreja e vende para a burguesia e nobreza. 4. Dogmas do Anglicanismo: Neste momento não se difere do Catolicismo, exceto pela submissão ao Estado.

35

36

37 1. Eduardo VII ( ): Aproximação do Anglicanismo ao Calvinismo. 2. Mary Tudor ( ): Católica fervorosa; Obriga o parlamento o retorno ao Catolicismo; Casa-se com Felipe II (príncipe espanhol e católico fanático); Manda queimar 300 hereges protestantes (apelidada de Mary Blood); Aprisiona sua irmã Elizabeth na torre de Londres. 3. Elizabeth Tudor ( ): 2º ato de supremacia; Consolida o Anglicanismo como religião oficial; Nova doutrina anglicana: dois sacramentos (batismo e eucaristia) e salvação pela fé.

38 Igreja: Sacramentos Salvação Comunhão Hierarquia Eclesiástica Imagens Leitura da bíblia; Cultos. Países onde predomina Católica 7 Fé e boas ações; Intervençã o da Igreja. Luterana 2 Fé e boas ações; Transubstancia ção. Consubstanciaç ão. Presente. Bem definida. Papa é o líder Não Presente. Pastor é orientador. Presentes. Desestimu lada; Sofisticado s. Inexistent es. Estimulad a; Simples. Espanha; Portugal; Itália; França. Alemanha. Anabatista 2 Fé; Consubstanciaç ão. Calvinista 2 Predestina ção absoluta. Consubstanciaç ão. Não presente. Não presente. Inexistent es. Inexistent es. Estimulad a; Simples. Estimulad a; Simples. Alemanha. Suíça; Holanda Anglicana 2 Fé e predestina ção. Consubstanciaç ão. Presente. Rei é o chefe da igreja Inexistent es. Estimulad a; Sofisticada. Inglaterra.

Reforma Religiosa. Setor Aula 9 Reforma Religiosa. Aula. Prof. Edu. 1 Origens. 2 Luteranismo. 3 Calvinismo.

Reforma Religiosa. Setor Aula 9 Reforma Religiosa. Aula. Prof. Edu. 1 Origens. 2 Luteranismo. 3 Calvinismo. Aula 9 Reforma Religiosa 1 Origens 2 Luteranismo Setor 1606 3 Calvinismo 4 Anglicanismo 5 A Reforma Católica Aula 9 Reforma Religiosa 1.1 As críticas à Igreja na Baixa Idade Média Práticas Venda dos cargos

Leia mais

Condições Gerais. Políticas: Crise do Feudalismo Crescimento da Burguesia Rei não aceita interferência da Igreja Supranacionalismo Papal

Condições Gerais. Políticas: Crise do Feudalismo Crescimento da Burguesia Rei não aceita interferência da Igreja Supranacionalismo Papal Condições Gerais Políticas: Crise do Feudalismo Crescimento da Burguesia Rei não aceita interferência da Igreja Supranacionalismo Papal Econômicas: Nobreza interessada nas Terras da Igreja Burguesia contra

Leia mais

REFORMAS RELIGIOSAS SÉC XVI.

REFORMAS RELIGIOSAS SÉC XVI. REFORMAS RELIGIOSAS SÉC XVI INTRODUÇÃO CONTEXTO: Transição feudo-capitalista. Crise do poder clerical na Europa Ocidental. Crise do pensamento teocêntrico europeu. DEFINIÇÃO Quebra do monopólio católico

Leia mais

REFORMA E CONTRARREFORMA

REFORMA E CONTRARREFORMA REFORMA E CONTRARREFORMA CONHECER E COMPREENDER A REFORMA PROTESTANTE Porque houve uma Reforma religiosa na Europa? Venda de indulgências Luxo da Igreja Corrupção Falta de vocação de membros do Clero Afastamento

Leia mais

IDADE MODERNA A REFORMA PROTESTANTE

IDADE MODERNA A REFORMA PROTESTANTE Definição: movimento religioso que aconteceu a partir do século XVI; e que rompeu com a autoridade da Igreja Católica, dando origem a novas religiões cristãs; O movimento reformista teve mais força na

Leia mais

RENASCIMENTO CULTURAL

RENASCIMENTO CULTURAL RENASCIMENTO CULTURAL O termo renascimento, ou renascença, faz referência a um movimento intelectual e artístico ocorrido na Europa, entre os séculos XV e XVI, durante a transição da Idade Média para a

Leia mais

IDADE MODERNA A REFORMA PROTESTANTE

IDADE MODERNA A REFORMA PROTESTANTE REFORMA PROTESTANTE REFORMA PROTESTANTE OTESTANT IDADE MODERNA Definição: movimento religioso que rompeu com a autoridade da Igreja Católica, dando origem a novas religiões cristãs; Quando: a partir do

Leia mais

IDADE MODERNA A REFORMA! PROTESTANTE REFORMA PROTESTANTE

IDADE MODERNA A REFORMA! PROTESTANTE REFORMA PROTESTANTE REFORMA PROTESTANTE O Que foi?: movimento religioso que questiona a autoridade da Igreja Católica, dando origem a novas religiões cristãs;! Quando aconteceu?: a partir do século XVI;! Onde aconteceu?:

Leia mais

Econômicas Religiosas Morais Políticas

Econômicas Religiosas Morais Políticas Prof. Thiago Causas da Reforma Econômicas Interesse da nobreza feudal nas terras da Igreja Descontentamento da Burguesia com tributos eclesiásticos Igreja condenava o lucro e a usura Religiosas Novas interpretações

Leia mais

HISTÓRIA 1 ANO PROF. AMAURY PIO PROF. EDUARDO GOMES ENSINO MÉDIO

HISTÓRIA 1 ANO PROF. AMAURY PIO PROF. EDUARDO GOMES ENSINO MÉDIO HISTÓRIA 1 ANO PROF. AMAURY PIO PROF. EDUARDO GOMES ENSINO MÉDIO CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade III Conceitos sobre Era Medieval e Feudalismo 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 12.2 Conteúdo As Reformas Religiosas

Leia mais

Reforma Religiosa. Século XVI

Reforma Religiosa. Século XVI Reforma Religiosa Século XVI Motivos A Igreja representava e defendia o estamento feudal (alto e baixo clero) Pode-se considerar que, na época, a Igreja era semelhante a uma multinacional com sede em Roma

Leia mais

REFORMA PROTESTANTE. 1- CONTEXTO HISTÓRICO: 1.1- Início do século XVI no Norte da Europa.

REFORMA PROTESTANTE. 1- CONTEXTO HISTÓRICO: 1.1- Início do século XVI no Norte da Europa. REFORMA PROTESTANTE 1- CONTEXTO HISTÓRICO: 1.1- Início do século XVI no Norte da Europa. 1.2- Processo final de formação das monarquias nacionais absolutistas. 1.3- Grandes navegações: transformações econômicas,

Leia mais

História 1 Aula 17 Prof. Thiago

História 1 Aula 17 Prof. Thiago História 1 Aula 17 Prof. Thiago Causas da Reforma Econômicas Interesse da nobreza feudal nas terras da Igreja Descontentamento da Burguesia com tributos eclesiásticos Igreja condenava o lucro e a usura

Leia mais

06. REFORMAS RELIGIOSAS

06. REFORMAS RELIGIOSAS 06. REFORMAS RELIGIOSAS O clero e a Igreja Católica Igreja Católica instituição mais poderosa na Baixa Idade Média (séc. XI ao XV) única autoridade espiritual líder religioso único maior poder do que os

Leia mais

REFORMA PROTESTANTE E REFORMA CATÓLICA VISÃO PANORÂMICA

REFORMA PROTESTANTE E REFORMA CATÓLICA VISÃO PANORÂMICA REFORMA PROTESTANTE E REFORMA CATÓLICA VISÃO PANORÂMICA Martinho Lutero ( 1483-1546 ) 1505 Entra para ordem dos Agostinianos 1507 Ordenado Sacerdote 1513 Professor na Universidade de Wittenberg Constante

Leia mais

REFORMA E CONTRA-REFORMA

REFORMA E CONTRA-REFORMA REFORMA E CONTRA-REFORMA As reformas religiosas no século XVI Crises religiosas anteriores ao século XVI Séculos XII-XIII: Heresia dos Cátaros (França). Século XIV: John Wycliff contesta a autoridade do

Leia mais

História REFORMA RELIGIOSA

História REFORMA RELIGIOSA REFORMA RELIGIOSA Os movimentos religiosos que culminaram na grande reforma religiosa do século XVI tiveram início desde a Idade Média, através dos teólogos John Wycliffee Jan Huss. Esses movimentos foram

Leia mais

Fatores religiosos: Corrupção do clero religioso : Venda de relíquias sagradas; venda de indulgencias; lotes celestiais; Ignorância do clero a maior

Fatores religiosos: Corrupção do clero religioso : Venda de relíquias sagradas; venda de indulgencias; lotes celestiais; Ignorância do clero a maior Fatores religiosos: Corrupção do clero religioso : Venda de relíquias sagradas; venda de indulgencias; lotes celestiais; Ignorância do clero a maior parte dos sacerdotes desconhecia a própria doutrina

Leia mais

!" #$! %&% '( CAUSAS: ! "# $ % & ' $ (% & ) * + *, -$. / ++.) */ 0.) 0 0 0*

! #$! %&% '( CAUSAS: ! # $ % & ' $ (% & ) * + *, -$. / ++.) */ 0.) 0 0 0* º º !" #$! %&% '( CAUSAS:! "# $ % & ' $ (% & ) * + *, -$. / ++.) */ 0.) 0 0 0* -/ - !"#$%&'(#)*' $%+&,)* $-./0*1+2 23)4 15 $$ '6 & ) * + *, -$. / ++.) */ Séc. XIV e XV John Wyclif (Inglaterra) Jan Hus

Leia mais

REFORMA RELIGIOSA. Henrique VIII. MoMartinho Lutero. Papa Leão X (Giovanni di Lorenzo de Medici) Calvino. Prof.: Mercedes D. L.

REFORMA RELIGIOSA. Henrique VIII. MoMartinho Lutero. Papa Leão X (Giovanni di Lorenzo de Medici) Calvino. Prof.: Mercedes D. L. REFORMA RELIGIOSA MoMartinho Lutero Henrique VIII Papa Leão X (Giovanni di Lorenzo de Medici) Calvino Prof.: Mercedes D. L. Greco Semelhanças: são cristãs (mesmo Deus e mesmo livro sagrado, a Bíblia).

Leia mais

Renascimento. Professor Eustáquio

Renascimento. Professor Eustáquio Renascimento Professor Eustáquio Renascimento Movimento cultural Provocado pelas mudanças do ocidente a partir do século XI Crescimento da população Avanço técnico Aumento da produtividade agrícola Aumento

Leia mais

Reformas Religiosas Monique Bilk

Reformas Religiosas Monique Bilk Reformas Religiosas Monique Bilk Contexto Início da Idade Moderna O Renascimento estimula a crítica e o livre-pensar A burguesia tem projetos que esbarram nos obstáculos que a Igreja coloca... (doutrina

Leia mais

Leitura de 2 Reis e 11. Depois dessa descoberta: - Josias renova a aliança com o Senhor ; - Purificação do templo 23.4.

Leitura de 2 Reis e 11. Depois dessa descoberta: - Josias renova a aliança com o Senhor ; - Purificação do templo 23.4. 1 2 3 Leitura de 2 Reis 22.1-8 e 11 Depois dessa descoberta: - Josias renova a aliança com o Senhor 23.1-3; - Purificação do templo 23.4.14; - Derrubada de altar de deuses estranhos 23.15-20; - Celebração

Leia mais

O que foi o Renascimento Cultural?

O que foi o Renascimento Cultural? O que foi o Renascimento Cultural? O Renascimento Cultural representou o marco da transição da cultura medieval para a cultura moderna. Configurou-se como um movimento intelectual, artístico, filosófico,

Leia mais

REFORMA RELIGIOSA (Europa século XVI)

REFORMA RELIGIOSA (Europa século XVI) REFORMA RELIGIOSA (Europa século XVI) Durante muito tempo, acreditou-se que a Reforma havia ocorrido por causa dos abusos que naquele momento se produziam no interior da Igreja. (...) Atualmente se considera

Leia mais

ABSOLUTISMO INGLÊS.

ABSOLUTISMO INGLÊS. ABSOLUTISMO INGLÊS 1. INTRODUÇÃO: Guerra dos Cem Anos (1337-1453) Guerra das Duas Rosas (1455-1485) Enfraquecimento da Nobreza. Fortalecimento da Dinastia Tudor. Rei Tudor: apoio da Burguesia + controle

Leia mais

Aula 24 Reforma e contrarreforma

Aula 24 Reforma e contrarreforma FB MED, M3, 3 ANO e ANUAL. Aula 24 Reforma e contrarreforma DeOlhoNoEnem H3 - Associar as manifestações culturais do presente aos seus processos históricos.(análise das diversas práticas protestantes)

Leia mais

REFORMA E CONTRARREFORMA. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista de Montes Claros

REFORMA E CONTRARREFORMA. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista de Montes Claros REFORMA E CONTRARREFORMA Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista de Montes Claros INTRODUÇÃO A Reforma Religiosa e o Renascimento ocorreram na mesma época e expressam a grande renovação de ideias

Leia mais

REFORMA E CONTRARREFORMA Profª. Esp. Schirley Pimentel

REFORMA E CONTRARREFORMA Profª. Esp. Schirley Pimentel REFORMA E CONTRARREFORMA Profª. Esp. Schirley Pimentel O mundo entre a cruz e a espada, entre o sagrado e o profano, entre o bem e o mal, entre o ser e o ter. O Cristianismo, dividido em 3 grandes ramos

Leia mais

Queriam uma religião mais simples, mais próxima dos ensinamentos de Jesus.

Queriam uma religião mais simples, mais próxima dos ensinamentos de Jesus. Como estudamos anteriormente, no final de Idade Média e início da Idade Moderna, muitas pessoas estavam insatisfeitas com os abusos da Igreja. Queriam uma religião mais simples, mais próxima dos ensinamentos

Leia mais

REFORMA RELIGIOSA (Europa século XVI)

REFORMA RELIGIOSA (Europa século XVI) REFORMA RELIGIOSA (Europa século XVI) Crise da Igreja Os membros da alta hierarquia do clero viviam luxuosamente, totalmente alheios ao povo. Venda de: cargos da Igreja; dispensas (isenções de algumas

Leia mais

PERÍODO Início da Idade Moderna Século XVI ONDE COMEÇOU? ALEMANHA QUAIS AS CONSEQUÊNCIAS? a ruptura ( rompimento) e a divisão da Igreja

PERÍODO Início da Idade Moderna Século XVI ONDE COMEÇOU? ALEMANHA QUAIS AS CONSEQUÊNCIAS? a ruptura ( rompimento) e a divisão da Igreja A REFORMA RELIGIOSA A REFORMA, FOI UM MOVIMENTO RELIGIOSO EM OPOSIÇÃO À IGREJA CATÓLICA PERÍODO Início da Idade Moderna Século XVI ONDE COMEÇOU? ALEMANHA QUAIS AS CONSEQUÊNCIAS? a ruptura ( rompimento)

Leia mais

Ao longo da Idade Média, o cristianismo afirmou-se como a principal religião europeia e conseguiu manter uma certa unidade ao longo de muitos

Ao longo da Idade Média, o cristianismo afirmou-se como a principal religião europeia e conseguiu manter uma certa unidade ao longo de muitos Ao longo da Idade Média, o cristianismo afirmou-se como a principal religião europeia e conseguiu manter uma certa unidade ao longo de muitos séculos. Essa unidade tinha como base alguns princípios inquestionáveis

Leia mais

REFORMA PROTESTANTE E CONTRARREFORMA CATÓLICA. Professor: Eduardo C. Ferreira

REFORMA PROTESTANTE E CONTRARREFORMA CATÓLICA. Professor: Eduardo C. Ferreira REFORMA PROTESTANTE E CONTRARREFORMA CATÓLICA Professor: Eduardo C. Ferreira REFORMA PROTESTANTE MOVIMENTO DE CONTESTAÇÃO AOS DOGMAS DA IGREJA CATÓLICA, APÓS SÉCULOS DE FORTE PODER INFLUÊNCIA NA EUROPA.

Leia mais

História Reformas Religiosas e as Visões dos Conquistadores Março, 02 O VELHO E O NOVO MUNDO SOB A CRUZ E A ESPADA REFORMA RELIGIOSA E CONTRARREFORMA

História Reformas Religiosas e as Visões dos Conquistadores Março, 02 O VELHO E O NOVO MUNDO SOB A CRUZ E A ESPADA REFORMA RELIGIOSA E CONTRARREFORMA História Reformas Religiosas e as Visões dos Conquistadores Março, 02 REFORMA RELIGIOSA E CONTRARREFORMA O VELHO E O NOVO MUNDO SOB A CRUZ E A ESPADA A REFORMA PROTESTANTE CENÁRIO INICIAL A Igreja Católica

Leia mais

A Reforma Protestante

A Reforma Protestante A Reforma Protestante 1517 A Reforma do Século XVI Quatro manifestações principais: luteranismo, calvinismo, anabatismo e anglicanismo. Causas Papa Leão X A situação da Igreja Católica medieval. A insatisfação

Leia mais

Sugestões de avaliação. História 7 o ano Unidade 4

Sugestões de avaliação. História 7 o ano Unidade 4 Sugestões de avaliação História 7 o ano Unidade 4 5 Nome: Data: Unidade 4 1. Complete as sentenças. a) O foi um movimento cultural que surgiu entre as elites das ricas cidades, no século XIV, e se estendeu,

Leia mais

REFORMAS: UMA NOVA FÉ. O Naufrágio da Igreja. Gravura de 1497 do livro Prenostication, de João Lichtenberger Áudio: Aleluia de O Messias, de Haendel

REFORMAS: UMA NOVA FÉ. O Naufrágio da Igreja. Gravura de 1497 do livro Prenostication, de João Lichtenberger Áudio: Aleluia de O Messias, de Haendel REFORMAS: UMA NOVA FÉ O Naufrágio da Igreja. Gravura de 1497 do livro Prenostication, de João Lichtenberger Áudio: Aleluia de O Messias, de Haendel No fim da Idade Média, a Europa convivia com um constante

Leia mais

CONFISSÃO DE FÉ DE WESTMINSTER ABERTURA HISTÓRIA E RELEVÂNCIA 08/02/2017

CONFISSÃO DE FÉ DE WESTMINSTER ABERTURA HISTÓRIA E RELEVÂNCIA 08/02/2017 CONFISSÃO DE FÉ DE WESTMINSTER ABERTURA HISTÓRIA E RELEVÂNCIA 08/02/2017 Mausoléu nacional - 17 reis estão enterrados ali - + 3.000 túmulos de figuras britânicas: - Isaac Newton - Lawrence Olivier -

Leia mais

ABSOLUTISMO REGIME AUTORITÁRIO

ABSOLUTISMO REGIME AUTORITÁRIO O ABSOLUTISMO ABSOLUTISMO REGIME AUTORITÁRIO Regime político em que o poder está concentrado nas mãos do Rei. Rei: chefe militar, economia, chefe administrativo, controle da Igreja, poder político -> Poder

Leia mais

Sumário detalhado 1. A Reforma: uma introdução O cristianismo no final da Idade Média O humanismo e a Reforma...54

Sumário detalhado 1. A Reforma: uma introdução O cristianismo no final da Idade Média O humanismo e a Reforma...54 Sumário Sumário detalhado...4 Prefácio à quarta edição... 11 Como usar este livro... 14 1. A Reforma: uma introdução... 17 2. O cristianismo no final da Idade Média... 41 3. O humanismo e a Reforma...

Leia mais

História, 8.º ano Prof. Carlos Pinheiro

História, 8.º ano Prof. Carlos Pinheiro História, 8.º ano Prof. Carlos Pinheiro A crise religiosa na Europa nos séculos XIV e XV A venda de cargos religiosos. s compradores adquiriam títulos eclesiásticos como o de bispo. A falta de preparação

Leia mais

As reformas religiosas do século XVI

As reformas religiosas do século XVI As reformas religiosas do século XVI Crise na Igreja: a contestação e a ruptura Prof. Nilson Urias Crises religiosas na Europa No início do século XVI, a Igreja vivia uma época de profunda crise. Século

Leia mais

Reforma Religiosa. Contra-Reforma. Crise da Igreja no séc. XVI. Crise da Igreja no séc. XVI. O Movimento Reformista - Início 30/01/2015

Reforma Religiosa. Contra-Reforma. Crise da Igreja no séc. XVI. Crise da Igreja no séc. XVI. O Movimento Reformista - Início 30/01/2015 Crise da Igreja no séc. XVI Reforma Religiosa e Contra-Reforma Muitos Humanistas criticaram a Igreja de então devido ao comportamento dos seus membros: Os Papas estavam mais interessados no luxo e no seu

Leia mais

IDADE MODERNA O ABSOLUTISMO. Absolutismo ANA CRISTINA.

IDADE MODERNA O ABSOLUTISMO. Absolutismo ANA CRISTINA. Absolutismo DEFINIÇÃO: Regime político em que os reis possuem o poder absoluto sobre suas nações (concentração de poderes nas mãos dos reis. Transição entre o feudalismo e o capitalismo. Nova adequação

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia Colégio Santa Dorotéia Área de Ciências Humanas Disciplina: Ano: 7º - Ensino Fundamental Professoras: Letícia e Júlia Atividades para Estudos Autônomos Data: 7 / 8 / 2017 Nome: Nº Turma: Esta atividade

Leia mais

ABSOLUTISMO REGIME AUTORITÁRIO

ABSOLUTISMO REGIME AUTORITÁRIO O Absolutismo ABSOLUTISMO REGIME AUTORITÁRIO Regime político em que o poder está concentrado nas mãos do Rei. Rei: chefe militar, economia, chefe administrativo, controle da Igreja, poder político -> Poder

Leia mais

Reforma Religiosa. Reforma Religiosa. Reforma Religiosa. Reforma Religiosa 05/09/2012

Reforma Religiosa. Reforma Religiosa. Reforma Religiosa. Reforma Religiosa 05/09/2012 Rompimento da Unidade da Igreja Católica devido ao surgimento de novas religiões. ORIGEM Martinho Lutero, em 1517, rompeu com o Papa Leão X por causa da venda das indulgências. Publicou as 95 Teses em

Leia mais

O QUE FOI A REFORMA?

O QUE FOI A REFORMA? REFORMA PROTESTANTE No início do século XVI, a mudança na mentalidade das sociedades européias repercutiu também no campo religioso. A Igreja, tão onipotente na Europa medieval, foi duramente criticada.

Leia mais

História_A. Trabalho Realizado por: Patrícia Santo 10ºHLH Nº19

História_A. Trabalho Realizado por: Patrícia Santo 10ºHLH Nº19 História_A Trabalho Realizado por: Patrícia Santo 10ºHLH Nº19 O tema fucal deste trabalho é a Reforma protestante, onde irei abordar os seguintes subtópicos: Os motivos que levaram ao surgimento desta

Leia mais

As Reformas Religiosas na Europa Moderna

As Reformas Religiosas na Europa Moderna As Reformas Religiosas na Europa Moderna Mudanças na Baixa Idade Média A partir de meados do século XI, transformações na sociedade europeia levaram a uma crise dos valores medievais. Renascimento: surgido

Leia mais

A Formação das monarquias nacionais

A Formação das monarquias nacionais A Formação das monarquias nacionais Identidade Nacional: Identidade Nacional ( nação): são todas as características que unem uma população língua, origem, religião, alimentação e costumes. Desta maneira,

Leia mais

AS ORIGENS DO PENSAMENTO MODERNO E A IDÉIA DE MODERNIDADE

AS ORIGENS DO PENSAMENTO MODERNO E A IDÉIA DE MODERNIDADE AS ORIGENS DO PENSAMENTO MODERNO E A IDÉIA DE MODERNIDADE Prof. Sandro Luiz Bazzanella AS ORIGENS DO PENSAMENTO MODERNO E A IDÉIA DE MODERNIDADE Modernidade Relacionado ao novo. Àquiloquerompecomatradição.

Leia mais

8. (Fuvest 2009) A Reforma religiosa do século XVI provocou na Europa mudanças históricas significativas em várias esferas.

8. (Fuvest 2009) A Reforma religiosa do século XVI provocou na Europa mudanças históricas significativas em várias esferas. 1. (Fuvest 88) Na Europa do século XVI a religião foi usada como instrumento de fortalecimento do poder político, tanto nos Estados católicos quanto nos protestantes. Explique esse processo nos casos da

Leia mais

SE LIGA NESSA HISTÓRIA

SE LIGA NESSA HISTÓRIA SE LIGA NESSA HISTÓRIA Prof. Walter www.seliganessahistoria.com.br IDADE MODERNA EXERCÍCIO (EMM001) Valorização Cultural Que obra de arte é o homem: tão nobre no raciocínio, tão vário na capacidade; em

Leia mais

Absolutismo TEORIA DO DIREITO DIVINO JACQUES BOSSUET JEAN BODIN

Absolutismo TEORIA DO DIREITO DIVINO JACQUES BOSSUET JEAN BODIN Prof. Thiago Absolutismo QUANDO: aproximadamente entre os séculos XV e XVIII. ONDE: sobretudo na FRA, ING, POR e ESP. TEÓRICOS ABSOLUTISTAS: JEAN BODIN (A República). JACQUES BOSSUET (Política Segundo

Leia mais

A IGREJA MEDIEVAL. História 1 Aula 13 Prof. Thiago

A IGREJA MEDIEVAL. História 1 Aula 13 Prof. Thiago A IGREJA MEDIEVAL História 1 Aula 13 Prof. Thiago A IGREJA MEDIEVAL Instituição centralizada, poderosa, hierárquica, supranacional e autoritária Única instituição coesa com o fim do Império Romano Controle

Leia mais

A Reforma Protestante

A Reforma Protestante A Reforma Protestante 1517 A Reforma do Século XVI Movimento restaurador. Primariamente religiosa; dimensões políticas, econômicas e sociais. Origem das igrejas históricas do protestantismo. Quatro manifestações

Leia mais

Razões políticas na Reforma

Razões políticas na Reforma A REFORMA PROTESTANTE: DIVISÕES, CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS Razões políticas na Reforma A Reforma protestante foi iniciada por Martinho Lutero, embora tenha sido motivada primeiramente por razões religiosas,também

Leia mais

A T I V I D A D E. 1 de 5

A T I V I D A D E. 1 de 5 SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR SARGENTO NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE/ANO: 1º TURMA(S):

Leia mais

2º bimestre 1ª série 12 - Era Medieval Formação e consolidação da Igreja Caps. 3.2, 3.3 e 7. Roberson de Oliveira Roberson de Oliveira

2º bimestre 1ª série 12 - Era Medieval Formação e consolidação da Igreja Caps. 3.2, 3.3 e 7. Roberson de Oliveira Roberson de Oliveira 2º bimestre 1ª série 12 - Era Medieval Formação e consolidação da Igreja Caps. 3.2, 3.3 e 7 Roberson de Oliveira Roberson de Oliveira 1 Igreja na Era Medieval Importância: 1. Único poder universal. 2.

Leia mais

AULA A Reforma Religiosa

AULA A Reforma Religiosa AULA 21 24 A Reforma Religiosa Você já reparou quantas e diferentes Igrejas e religiões existem hoje? O que a História tem a nos contar sobre os movimentos religiosos durante o período que estamos estudando

Leia mais

Roteiro de Estudos para o 3º Bimestre 1 os anos Roberson ago/10. Nome: Nº: Turma:

Roteiro de Estudos para o 3º Bimestre 1 os anos Roberson ago/10. Nome: Nº: Turma: História Roteiro de Estudos para o 3º Bimestre 1 os anos Roberson ago/10 Nome: Nº: Turma: 1. Conteúdos a serem abordados no 3º bimestre: História Geral 1. Unificação e expansão islâmica (Cap. 15). 2. Reinos

Leia mais

OS ATAQUES CONTRA A IGREJA

OS ATAQUES CONTRA A IGREJA OS ATAQUES CONTRA A IGREJA A quebra da unidade cristã No inicio dos tempos modernos, a Igreja foi o alvo favorito das críticas sociais. Despejavam-se ataques contra o comportamento imoral dos sacerdotes,

Leia mais

12.2 A história da Reforma Protestante e a Contra-Reforma Católica [O que segue abaixo foi retirado do livro didático Caminhos das Civilizações Da

12.2 A história da Reforma Protestante e a Contra-Reforma Católica [O que segue abaixo foi retirado do livro didático Caminhos das Civilizações Da 12.2 A história da Reforma Protestante e a Contra-Reforma Católica [O que segue abaixo foi retirado do livro didático Caminhos das Civilizações Da Pré- História aos dias atuais de José Geraldo Vinci de

Leia mais

LISTA DE REVISÃO 1º SEMESTRE REFORMAR RELIGIOSAS

LISTA DE REVISÃO 1º SEMESTRE REFORMAR RELIGIOSAS 1. (Unicamp 2013) Observe a imagem abaixo: 4. (Ueg 2012) A Reforma Protestante marcou o grande cisma do cristianismo no Ocidente. Acerca desse acontecimento, a) cite duas diferenças teológicas entre o

Leia mais

Reformas Religiosas: Reforma e Contra-Reforma

Reformas Religiosas: Reforma e Contra-Reforma Ano Lectivo 2010/2011 HISTÓRIA Agrupamento de Escolas de Fronteira Escola Básica Integrada Frei Manuel Cardoso 8º Ano Apresentação nº 10 Renascimento e Reforma Reformas Religiosas: Reforma e Contra-Reforma

Leia mais

Antecedentes da Reforma

Antecedentes da Reforma Antecedentes da Reforma Desde o renascimento do Sacro Império Romano por Otão I em 962, os Papas e os Imperadores envolveram-se numa contínua luta pela supremacia. Este conflito resultou geralmente em

Leia mais

Sugestão de Atividades História 7º ano Unidade 4

Sugestão de Atividades História 7º ano Unidade 4 1. Ao mudar o modelo econômico muda-se também a visão de mundo, valores, costumes etc. Estudamos isso no movimento renascentista que nasceu entre as elites de ricas cidades italianas, no século XIV, e

Leia mais

. a d iza r to u a ia p ó C II

. a d iza r to u a ia p ó C II II Sugestões de avaliação História 7 o ano Unidade 4 5 Unidade 4 Nome: Data: 1. Leia o trecho a seguir e faça o que se pede. Renascimento foi um movimento cultural que nasceu entre as elites de ricas cidades

Leia mais

ATIVIDADE. A reforma protestante e a contrarreforma em perspectiva

ATIVIDADE. A reforma protestante e a contrarreforma em perspectiva ATIVIDADE A reforma protestante e a contrarreforma em perspectiva Material do professor Faixa etária: 8º e 9º Anos, Ensino Médio A presente atividade visa pensar a Reforma Religiosa e os processos históricos

Leia mais

Clique para editar o título mestre

Clique para editar o título mestre Clique para editar o título mestre Jan Hus (1369-1415) Pensador e reformador religioso que criticou as doutrinas católicas, influenciando posteriormente os reformadores protestantes do século XVI. Foi

Leia mais

IDADE MODERNA O ABSOLUTISMO

IDADE MODERNA O ABSOLUTISMO ABSOLUTISMO Prof. Tácius Fernandes DEFINIÇÃO: Regime político em que os reis possuem o poder absoluto sobre suas nações (concentração de poderes nas mãos dos reis. Transição entre o feudalismo e o capitalismo.

Leia mais

Revolução Inglesa Movimento revolucionário inglês que derrubou as práticas do Antigo Regime

Revolução Inglesa Movimento revolucionário inglês que derrubou as práticas do Antigo Regime Revolução Inglesa Movimento revolucionário inglês que derrubou as práticas do Antigo Regime Prof: Otto BARRETO Os ingleses foram os primeiros a aprender a dominar o Leviatã, e a fazer dele seu servo em

Leia mais

Grandes Santos de Deus.

Grandes Santos de Deus. Grandes Santos de Deus. Grupo de da IBRVN 2010 2010 John Wyckliff (1320 31 /12/1384) A estrela Matutina da Reforma. Valoroso campeão da Verdade! Foi professor da Universidade de Oxford, teólogo e reformador

Leia mais

A IGREJA MEDIEVAL. Profª. Maria Auxiliadora

A IGREJA MEDIEVAL. Profª. Maria Auxiliadora A IGREJA MEDIEVAL Profª. Maria Auxiliadora Organização Interna da Igreja Católica Clero Secular (Alto Clero) Papa, bispos, padres (ocupavam-se das coisas terrenas bens materiais) Clero Regular (Baixo Clero)

Leia mais

Martinho Lutero O Profeta da Reforma

Martinho Lutero O Profeta da Reforma Martinho Lutero O Profeta da Reforma Martinho Lutero O Profeta da Reforma Bibliografia Bibliografia Bibliografia De como a gente se torna o que a gente é... Nasceu no dia 10/11/1483 em Eisleben, Alemanha

Leia mais

ANTES DE RESPONDERES, LÊ COM ATENÇÃO TODA A PERGUNTA E RESPONDE CUIDADOSAMENTE. Grupo I

ANTES DE RESPONDERES, LÊ COM ATENÇÃO TODA A PERGUNTA E RESPONDE CUIDADOSAMENTE. Grupo I História Ficha Formativa Nome: Data: / / ANTES DE RESPONDERES, LÊ COM ATENÇÃO TODA A PERGUNTA E RESPONDE CUIDADOSAMENTE Grupo I 1. - Menciona as características presentes na arquitetura renascentista.

Leia mais

Formação das monarquias nacionais: França e Inglaterra

Formação das monarquias nacionais: França e Inglaterra Bimestre 2 Formação das monarquias nacionais: França e Inglaterra 1 A formação das monarquias europeias Aulas 28 e 29 2 A trajetória da monarquia francesa 3 A Guerra dos Cem Anos 4 A trajetória da monarquia

Leia mais

Um pouco da história da Igreja Presbiteriana do Brasil, por Rev. Alderi Souza de Matos

Um pouco da história da Igreja Presbiteriana do Brasil, por Rev. Alderi Souza de Matos Um pouco da história da Igreja Presbiteriana do Brasil, por Rev. Alderi Souza de Matos A Igreja Presbiteriana: Quanto à sua teologia, as igrejas presbiterianas são herdeiras do pensamento do reformador

Leia mais

OBJETIVOS. FEB EADE Livro I - Módulo II Roteiro 25 A reforma protestante

OBJETIVOS. FEB EADE Livro I - Módulo II Roteiro 25 A reforma protestante OBJETIVOS Elaborar uma linha histórica que retrate os marcos significativos da Reforma Protestante. Citar dados biográficos dos principais reformadores. Explicar a importância da Reforma Protestante no

Leia mais

As Reformas Religiosas

As Reformas Religiosas Martinho Lutero As Reformas Religiosas INTRODUÇÃO Este trabalho destina se a explicar o que foi a Reforma da Igreja, relatar os principais fatos sobre essas Reformas, seus principais colaboradores e quando

Leia mais

História. Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo

História. Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo Índice Clique sobre tema desejado: A origem dos Estados Nacionais Contexto Histórico: crise feudal (séc. XIV-XVI) Idade Média Idade Moderna transição Sociedade

Leia mais

A TEOLOGIA DOS REFORMADORES PROTESTANTES TILLICH, Paul. História do Pensamento Cristão. Tradução de Jaci Maraschin, São Paulo: ASTE, P.

A TEOLOGIA DOS REFORMADORES PROTESTANTES TILLICH, Paul. História do Pensamento Cristão. Tradução de Jaci Maraschin, São Paulo: ASTE, P. A TEOLOGIA DOS REFORMADORES PROTESTANTES TILLICH, Paul. História do Pensamento Cristão. Tradução de Jaci Maraschin, São Paulo: ASTE, 1988. P. 209-250 Martinho Lutero O autor se propõe falar de Lutero como

Leia mais

Programa de Retomada de Conteúdo 3 Bimestre

Programa de Retomada de Conteúdo 3 Bimestre Colégio Amorim Santa Teresa Fone: 2909-1422 Diretoria de Ensino Região Centro Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio. Rua Lagoa Panema, 466 Vila Guilherme Profº NOTA Programa de Retomada

Leia mais

O ESTADO MODERNO SÃO AS GRANDES NAÇÕES EUROPÉIAS ( países da Europa hoje )

O ESTADO MODERNO SÃO AS GRANDES NAÇÕES EUROPÉIAS ( países da Europa hoje ) FRANÇA O ESTADO MODERNO SÃO AS GRANDES NAÇÕES EUROPÉIAS ( países da Europa hoje ) Durante toda a Idade Média os países europeus de hoje, não existiam. Eles começaram a se formar no final da Idade Média

Leia mais

Os Legados da Reforma Protestante. Introdução 1/9

Os Legados da Reforma Protestante. Introdução 1/9 Os Legados da Reforma Protestante Introdução 1/9 Criado por Pedro Siena Neto em 03/2015 O legado da reforma sobre o indivíduo o trabalho a comunidade a intervenção divina a educação a economia o poder

Leia mais

Aula 6 A Expansão Ultramarina Européia

Aula 6 A Expansão Ultramarina Européia Aula 6 A Expansão Ultramarina Européia A Crise Européia dos Séculos XIV e XV - fatores - econômicos - monopólio do comércio Veneza / falta de metais - políticos - Guerra dos Cem Anos - naturais - peste

Leia mais

Reforma Protestante e Contrarreforma

Reforma Protestante e Contrarreforma Reforma Protestante e Contrarreforma Causas As pessoas que não corcondavam com o comportamento do alto e baixo clero e com a maneira que a Igreja era conduzida. Corrupção do clero religioso: para ganhar

Leia mais

A REFORMA PROTESTANTE E A REAÇÃO CATÓLICA

A REFORMA PROTESTANTE E A REAÇÃO CATÓLICA A REFORMA PROTESTANTE E A REAÇÃO CATÓLICA Dawson Campos de Lima Durante a Idade Média, a Igreja Católica foi objeto de diversos movimentos que se propunham a reformar suas estruturas, corrigindo abusos

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade.

REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade. REVOLUÇÃO FRANCESA REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. 1789 Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade. Influência: Iluminista. DIVISÃO SOCIAL 1º

Leia mais

FUVEST E UNICAMP REFORMAS RELIGIOSAS

FUVEST E UNICAMP REFORMAS RELIGIOSAS 1. (Unicamp 92) Segundo Calvino, o homem já nasce predestinado à salvação ou condenação eternas, e um dos sinais da salvação é a riqueza acumulada através do trabalho. Estabeleça a relação entre a expansão

Leia mais

Absolutismo. Setor Aula Absolutismo. Aula. Prof. Edu. 1 Origens. 2 Características. 3 Absolutismo Francês

Absolutismo. Setor Aula Absolutismo. Aula. Prof. Edu. 1 Origens. 2 Características. 3 Absolutismo Francês Aula 10 Absolutismo 1 Origens Setor 1606 2 Características 3 Absolutismo Francês 4 Absolutismo Inglês Aula 10 10 Absolutismo 1.1 A O fortalecimento do rei Formação de exércitos profissionais e permanentes.

Leia mais

INSTITUTO GEREMARIO DANTAS COMPONENTE CURRICULAR: HISTÓRIA EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO PARCIAL

INSTITUTO GEREMARIO DANTAS COMPONENTE CURRICULAR: HISTÓRIA EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO PARCIAL INSTITUTO GEREMARIO DANTAS Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Fone: (21) 21087900 Rio de Janeiro RJ www.igd.com.br Aluno(a): 3º Ano: C31 Nº Professor: Roberto Nascimento COMPONENTE CURRICULAR:

Leia mais

500 anos da Reforma Luterana

500 anos da Reforma Luterana 500 anos da Reforma Luterana Reforma ontem e hoje: Relevância social e eclesial Walter Altmann Professor Pesquisador Associado Faculdades EST Instituto Humanitas - IHU, UNISINOS, São Leopoldo, RS 17/08/2017

Leia mais

Advento da Idade Moderna. Prof. Cristóvão penha

Advento da Idade Moderna. Prof. Cristóvão penha Advento da Idade Moderna Prof. Cristóvão penha As Grandes Navegações Causas do pioneirismo português 1. Formação das monarquias nacionais ibéricas (Estados Modernos) precocemente; 2. Revolução de Avis

Leia mais

HISTÓRIA DA IGREJA. Prof. GUILHERME WOOD. APOSTILA NO SITE:

HISTÓRIA DA IGREJA. Prof. GUILHERME WOOD. APOSTILA NO SITE: HISTÓRIA DA IGREJA Prof. GUILHERME WOOD APOSTILA NO SITE: http://www.ibcu.org.br/apostilas/historiaigreja.pdf Primitiva Imperial Medieval Escolastic Reforma Moderna Contemporânea Linha do Tempo: História

Leia mais

O CAMINHO PARA A REFORMA A VIDA DE LUTERO A TEOLOGIA DE LUTERO

O CAMINHO PARA A REFORMA A VIDA DE LUTERO A TEOLOGIA DE LUTERO A REFORMA O CAMINHO PARA A REFORMA A VIDA DE LUTERO A TEOLOGIA DE LUTERO TENTATIVAS DE REFORMA Nunca faltaram tentativas de reformar toda a igreja. Mas na maioria das vezes acabaram sem grandes sucessos.

Leia mais

O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA

O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA O sistema feudal entra em crise com o advento das cidades e a expansão do comércio, somados a outros fatores. 1) Necessidade de moedas, crescimento das cidades

Leia mais