ESTUDO DA CORROSÃO DO AÇO INOXIDÁVEL AISI 304 EM COMBUSTÍVEIS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTUDO DA CORROSÃO DO AÇO INOXIDÁVEL AISI 304 EM COMBUSTÍVEIS"

Transcrição

1 ESTUDO DA CORROSÃO DO AÇO INOXIDÁVEL AISI 304 EM COMBUSTÍVEIS Larissa Aparecida Corrêa Matos 1, Larissa Oliveira Berbel 1, Claudia Schlindwein 1, Paulo Vitor Sochodolak 1d, Everson do Prado Banczek 1, Paulo Rogério Pinto Rodrigues 1 1 Departamento de Química, Universidade Estadual do Centro-Oeste, Rua Simeão Camargo Varela de Sá, nº 03, , Guarapuava, Paraná, Brasil. Laboratório do Grupo de Pesquisas em Eletroquímica GPEL RESUMO O biodiesel é um combustível renovável, utilizado em detrimento aos de origem fóssil. O biocombustível, por sua vez, é suscetível à contaminação por água, microorganismos e traços de metais, que podem comprometer a qualidade. A utilização do biodiesel deteriorado pode ocasionar a corrosão em equipamentos automotivos e estruturas metálicas, comprometendo a eficiência do processo. A avaliação da corrosão em meio orgânico, entretanto, é dificultada devido às condutividades necessárias para aplicação da metodologia convencional. Este trabalho propõe a utilização de uma técnica eletroquímica indireta, pela qual o metal é mantido em contato com o combustível por um determinado período de tempo para posterior determinação dos parâmetros corrosivos do aço inoxidável AISI 304. Os resultados indicaram que a metodologia proposta é eficaz e que o aço inoxidável torna-se mais suscetível aos processos corrosivos devido ao contato com biocombustíveis. Palavras-chave: oxidação, metais, biodiesel, diesel. INTRODUÇÃO O biodiesel é um combustível alternativo, renovável e biodegradável, utilizado em substituição aos de origem fóssil [1]. A utilização do biocombustível, atualmente na proporção de 5% em mistura com o diesel, possibilita a redução de impactos ambientais e a melhora da economia. Entretanto, o contato do biocombustível com as estruturas metálicas de sistemas automotivos e de armazenamento pode ocasionar a corrosão [2,3]. 4513

2 A produção do biocombustível inclui a reação de transesterificação de um óleo vegetal ou de uma gordura animal com um álcool de cadeia curta, via catálise. Após completa a reação, o biodiesel é formado e separado de seu subproduto, a glicerina. O combustível é então purificado para a retirada de impurezas que podem agravar o seu comportamento corrosivo[3]. A corrosão em sistemas combustíveis é determinada por diferentes técnicas. Entretanto, a maioria das metodologias adotadas atualmente avaliam o metal de forma qualitativa, em um curto período e não possibilitam conclusões a respeito do mecanismo de corrosão [4,5]. Para a aplicação de métodos tradicionais de determinação da corrosão, são necessárias altas condutividades, e o meio combustível é essencialmente orgânico, possuindo baixa dissociação de íons. Assim, para a avaliação da corrosão causada por combustíveis, nesse trabalho se propõe a utilização de uma metodologia indireta, por meio da imersão do substrato metálico em um combustível por determinado tempo e posterior avaliação dos parâmetros corrosivos pela imersão em um eletrólito forte, como cloreto de sódio [6]. Este trabalho apresenta o estudo da corrosão do aço inoxidável AISI 304 ocasionada por diesel e biodiesel, utilizando a técnica eletroquímica indireta. MATERIAIS E MÉTODOS Todos os ensaios foram realizados em triplicata. Como combustíveis, foram utilizados diesel, biodiesel B100, de óleo de soja, e biodiesel mixer, de uma mistura de óleos vegetais e gordura animal. Foram utilizadas amostras de aço inoxidável AISI 304, de área média (5,17±0,645) cm². As amostras metálicas foram lixadas com lixas de SiC de granulometria #320, #400, #600 e #1200, e posteriormente foram polidas com pasta de diamante de 9µ, 6µ, 3µ, 1µ e ¼ µ. Em seguida, as amostras foram levadas à imersão nos combustíveis, por 57 dias, em estufa, à (30±2)ºC para a realização dos ensaios eletroquímicos e de microscopia eletrônica de varredura (MEV). Microscopia eletrônica de varredura A morfologia da superfície metálica foi avaliada por MEV, em um microscópio eletrônico da HITACHI. Foi aplicada uma tensão de 15keV para a obtenção das 4514

3 imagens. Acoplado ao microscópio, um detector de energia dispersiva (EDS) possibilitou a determinação dos componentes químicos da amostra metálica. Ensaios de corrosão Para a determinação dos parâmetros eletroquímicos, foram realizados ensaios de corrosão em uma célula de três eletrodos acoplada a um potenciostato. As amostras anteriormente imersas nos combustíveis foram utilizadas como eletrodos de trabalho. O contra-eletrodo consistiu em um fio de platina de grande área, e o eletrodo de referência utilizado foi um eletrodo de Ag (s) /AgCl (s), uma vez que o eletrólito utilizado foi cloreto de sódio, NaCl, 0,5 mol L -1. As medidas eletroquímicas consistiram em potencial de circuito aberto (PCA), espectroscopia de impedância eletroquímica (EIE) e polarização potenciodinâmica anódica (PPA). RESULTADOS E DISCUSSÃO As imagens obtidas por MEV são apresentadas na Fig. 1. A imagem apresentada em 1(a) mostra a superfície do aço sem imersão, uniforme e sem oclusões. A amostra imersa em diesel (1(b)) apresenta evidências de ataque localizado, pites. Nas amostras imersas nos biocombustíveis, é possível observar, além da presença de pites, produtos de corrosão aderidos à superfície metálica, que favorecem a corrosão nas regiões em que este não se deposita. A composição elementar após a imersão nos combustíveis, obtida por EDS é apresentada na Tab. 1. Tabela 1. Resultados de EDS obtidos para as amostras imersas em combustíveis. Elemento Aço inox em diesel (Peso m/m) Aço inox em biodiesel (Peso m/m) Aço inox em biodiesel mixer (Peso m/m) Carbono 9,88 23,158 10,625 Silício 0,667 0,662 0,619 Cromo 16,092 14,187 17,112 Manganês 1,052 3,978 1,611 Ferro 63,372 50,125 61,871 Níquel 8,886 7,390 7,

4 (a) (b) (c) (d) Figura 1. Micrografias da superfície do aço (a) antes e após a imersão em (b) diesel (c) biodiesel B100 e (d) biodiesel mixer. Os resultados apresentados na Tab. 1 sugerem que a presença de grandes quantidades de carbono que o combustível pode ter se degradado, e os produtos podem ter se aderido à superfície do metal. Antes dos ensaios de EIE, o potencial observado foi o apresentado na Tab. 2. Tabela 2. Potenciais de circuito aberto para as amostras de aço inoxidável Sistema PCA (V vs. Ag (s) /AgCl (s) ) Aço inoxidável (-0,050±0,111) Aço inoxidável imerso em diesel (0,079±0,102) Aço inoxidável imerso em B100 (0,057±0,108) Aço inoxidável imerso em mixer (0,078±0,044) Os resultados apresentados na Tab. 2 indicam um deslocamento de potencial no sentido positivo, sugerindo que esses metais se tornaram mais nobres devido à formação de uma camada de óxido na superfície metálica. A resposta dos sistemas foi obtida por EIE e está representada na forma de diagramas de Nyquist e de ângulo de fase de Bode na Fig. 2. Os diagramas de Nyquist (Fig. 2(a)) mostram um sistema de elevada resistência para as amostras imersas e não imersas em combustíveis. As amostras imersas em combustíveis apresentaram menores valores de impedância, sugerindo que a imersão reduziu a resistência à corrosão do aço inoxidável. 4516

5 Os diagramas de ângulo de fase de Bode, apresentados na Fig. 2 (b) mostram a presença de duas constantes de tempo: uma na região de 100 Hz, correspondente às reações da camada de óxido formada na superfície da liga, e outra na região de 0,1 Hz, correspondente às reações de corrosão do metal. Os resultados de PPA são apresentados na Fig. 3. (a) (b) Figura 2. EIE obtidos em NaCl 0,5 mol L -1. (a) Diagrama de Nyquist; (b) diagrama de ângulo de fase de Bode. Figura 3. Resultados de PPA para o aço inoxidável, obtidos em NaCl 0,5 mol L -1. O aço inoxidável apresentou um comportamento tipicamente passivo, com elevação na densidade de corrente em potenciais da ordem de 0,4 V. As amostras imersas em combustíveis tiveram um deslocamento da curva para potenciais mais positivos. Isso sugere que é necessário aplicar um menor potencial para que as amostras formem produtos de corrosão. Conclusões - A metodologia sugerida para a realização dos ensaios é eficaz para a determinação da corrosão em meio combustível para o aço inoxidável. - O aço inoxidável é suscetível à corrosão por pites quando em contato com combustíveis. 4517

6 Agradecimentos À CAPES, ao CNPq e à usina BsBios. Referências bibliográficas 1. Almeida, E.S.; Portela, F.M.; Sousa, R.M.F.; Daniel, D.; Terrones, M.G.H.; Richter, E.M.; Muñoz, R. a. a. Behaviour of the antioxidant tert-butylhydroquinone on the storage stability and corrosive character of biodiesel. Fuel, v. 90, n. 11, p , Kaul, S.; Saxena, R.C.; Kumar, A.; Negi, M.S.; Bhatnagar, a. K.; Goyal, H.B.; Gupta, a. K. Corrosion behavior of biodiesel from seed oils of Indian origin on diesel engine parts. Fuel Processing Technology, v. 88, n. 3, p , Haseeb, a. S.M. a.; Masjuki, H.H.; Ann, L.J.; Fazal, M. a. Corrosion characteristics of copper and leaded bronze in palm biodiesel. Fuel Processing Technology, v. 91, n. 3, p , Ambrozin, A.R.P.; Kuri, E.; Monteiro, M.R. Corrosão metálica associada ao uso de combustíveis minerais e biocombustíveis. Química Nova, v. 32, n. 7, p , Tan, Y. Experimental methods designed for measuring corrosion in highly resistive and inhomogeneous media. Corrosion Science, v. 53, n. 4, p , Banczek, E.P., Matos, L.A.C.., Rodrigues, P.R.P., Gallina, A.L., Pereira, J.A., & Maia, G.A.R. [2013]. Processo de determinação da corrosão de metais por combustíveis e/ou biocombustíveis. CORROSION STUDY OF STAINLESS STEEL AISI 304 IN FUELS ABSTRACT Biodiesel is a renewable fuel, used in detriment of fossil fuel. The biofuel is susceptible of contamination by water, microorganisms and metal s traces, that can cause lack of quality. The deteriorated biodiesel utilization can cause corrosion in automotive equipment and metallic structures, compromising the efficiency. The rating of corrosion in organic media is difficulted by the conductivities necessary for the application of conventional methods. This paper proposes the utilization of an indirect electrochemical technique, by which the metal is maintained in contact with the fuel for a period for posterior determination of the stainless steel AISI 304 corrosion parameters. The results indicates that the proposed methodology is efficient and that the metal became more susceptible to corrosive processes due the contact with biodiesel. Keywords: oxidation, metals, biodiesel, diesel. 4518

CORROSÃO EM MEIO DE DIESEL DO AÇO CARBONO REVESTIDO COM COBRE. Danielle Cristina Silva (Universidade Estadual do Centro-Oeste - Brasil)

CORROSÃO EM MEIO DE DIESEL DO AÇO CARBONO REVESTIDO COM COBRE. Danielle Cristina Silva (Universidade Estadual do Centro-Oeste - Brasil) CORROSÃO EM MEIO DE DIESEL DO AÇO CARBONO REVESTIDO COM COBRE Danielle Cristina Silva (Universidade Estadual do Centro-Oeste - Brasil) Julian Johann (Universidade Estadual do Centro-Oeste - Brasil) Maico

Leia mais

Revestimento de zircônio obtido pelo método sol-gel para a proteção contra a corrosão do alumínio AA 3003

Revestimento de zircônio obtido pelo método sol-gel para a proteção contra a corrosão do alumínio AA 3003 Revestimento de zircônio obtido pelo método sol-gel para a proteção contra a corrosão do alumínio AA 3003 Larissa Oliveira Berbel 1, Jucimara Kulek de Andrade 1, Isolda Costa 2, Maico Taras da Cunha 1,

Leia mais

4. RESULTADOS EXPERIMENTAIS. Após a preparação metalográfica das amostras, foi realizado o ataque Behara

4. RESULTADOS EXPERIMENTAIS. Após a preparação metalográfica das amostras, foi realizado o ataque Behara 4. RESULTADOS EXPERIMENTAIS 4.1. Caracterização microestrutural 4.1.1. Microscopia óptica Após a preparação metalográfica das amostras, foi realizado o ataque Behara modificado (conforme item 3.3), para

Leia mais

Caracterização e desempenho de ligas de zinco/níquel e estanho/zinco

Caracterização e desempenho de ligas de zinco/níquel e estanho/zinco Band28 1/1/04 5:33 AM Page 1 Artigos Técnicos Caracterização e desempenho de ligas de zinco/níquel e estanho/zinco Este estudo visa a melhoria dos processos de resistência à corrosão, avaliando o desempenho

Leia mais

PMT CORROSÃO E PROTEÇÃO DOS MATERIAIS

PMT CORROSÃO E PROTEÇÃO DOS MATERIAIS Corrosão em Fresta Abertura estreita junções: gaxetas, parafusos depósitos; produtos aderidos Materiais passivos Al; Ti Exemplo: liga 825 (44Ni-22Cr- 3Mo-2Cu) - água do mar 6 meses Trocador de calor com

Leia mais

Estudo preliminar da deposição voltamétrica de estanho sobre aço em meio ácido

Estudo preliminar da deposição voltamétrica de estanho sobre aço em meio ácido Estudo preliminar da deposição voltamétrica de estanho sobre aço em meio ácido Marcos Aurélio Nunes da Silva Filho, Ana Lídia Tomaz de Melo, Denis Valony Martins Paiva, Laudelyna Rayanne Freitas de Oliveira,

Leia mais

Encontro e Exposição Brasileira de tratamento de superficie III INTERFINISH Latino Americano

Encontro e Exposição Brasileira de tratamento de superficie III INTERFINISH Latino Americano Revestimento de alumínio obtido pelo método sol-gel para a proteção contra a corrosão de superfícies metálicas Jucimara Kulek de Andrade 1, Larissa Oliveira Berbel 1, Maico Taras da Cunha 1, Marilei Fátima

Leia mais

ESTUDO DA OCORRÊNCIA DA CORROSÃO EM AÇOS INOXIDÁVEIS AISI 316L E 444 UTILIZADOS NA INDÚSTRIA PETROQUÍMICA

ESTUDO DA OCORRÊNCIA DA CORROSÃO EM AÇOS INOXIDÁVEIS AISI 316L E 444 UTILIZADOS NA INDÚSTRIA PETROQUÍMICA ESTUDO DA OCORRÊNCIA DA CORROSÃO EM AÇOS INOXIDÁVEIS AISI 316L E 444 UTILIZADOS NA INDÚSTRIA PETROQUÍMICA Júlio César Nogueira Dias 1, Regina Célia Barbosa de Oliveira 2, Adriana Nunes Correia 2 e Hamilton

Leia mais

Aperfeiçoamento do processo de tratamento de superfície do aço carbono

Aperfeiçoamento do processo de tratamento de superfície do aço carbono Aperfeiçoamento do processo de tratamento de superfície do aço carbono Aline Viomar 1, Bianca Vanjura, Marcelo Grassi, Marilei de Fátima Oliveira, Paulo Rogério Pinto Rodrigues Resumo: O aço carbono é

Leia mais

Aplicação de Aços Inoxidáveis na Geração de Hidrogênio como Combustível

Aplicação de Aços Inoxidáveis na Geração de Hidrogênio como Combustível Artigo Aplicação de Aços Inoxidáveis na Geração de Hidrogênio como Combustível Gallina, A. L.; Dias B. V.; Rodrigues, P. R. P.* Rev. Virtual Quim., 2014, 6 (2), 224-234. Data de publicação na Web: 8 de

Leia mais

1 Introdução Princípios Básicos da Corrosão Eletroquímica... 5

1 Introdução Princípios Básicos da Corrosão Eletroquímica... 5 Sumário 1 Introdução................................ 1 2 Princípios Básicos da Corrosão Eletroquímica........ 5 2.1 POTENCIAIS ELETROQUÍMICOS............................ 5 2.2 PILHAS DE CORROSÃO...................................17

Leia mais

REVESTIMENTO DUPLEX NA PROTEÇÃO DO ALUMÍNIO 2024 CONTRA A CORROSÃO. Rua Pedro Vicente, 625, , Canindé, São Paulo, SP

REVESTIMENTO DUPLEX NA PROTEÇÃO DO ALUMÍNIO 2024 CONTRA A CORROSÃO. Rua Pedro Vicente, 625, , Canindé, São Paulo, SP REVESTIMENTO DUPLEX NA PROTEÇÃO DO ALUMÍNIO 2024 CONTRA A CORROSÃO K. M. Bezerra 1* ; A. S. Liu 1 ; F. E. P. dos Santos 2 ; L. Y. Cho 2 Rua Pedro Vicente, 625, 01109-010, Canindé, São Paulo, SP *karinemirb@gmail.com

Leia mais

CQ049 FQ Eletroquímica.

CQ049 FQ Eletroquímica. CQ049 FQ Eletroquímica prof. Dr. Marcio Vidotti LEAP Laboratório de Eletroquímica e Polímeros mvidotti@ufpr.br www.quimica.ufpr.br/mvidotti A Eletroquímica pode ser dividida em duas áreas: Iônica: Está

Leia mais

ESTUDO DA CORROSÃO DE LIGAS FERROSAS EM DIESEL E BIODIESEL

ESTUDO DA CORROSÃO DE LIGAS FERROSAS EM DIESEL E BIODIESEL UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO-PR ESTUDO DA CORROSÃO DE LIGAS FERROSAS EM DIESEL E BIODIESEL DISSERTAÇÃO DE MESTRADO LARISSA APARECIDA CORRÊA MATOS GUARAPUAVA-PR 2013 LARISSA APARECIDA

Leia mais

CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA AUTOR(ES): CHRISTIANE RAYSSA MIGUEL

CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA AUTOR(ES): CHRISTIANE RAYSSA MIGUEL TÍTULO: QUANTIFICAÇÃO DE AMOSTRAS DE MONOÉSTERES ETÍLICOS POR ESPECTROMETRIA NO INFRAVERMELHO: UMA AVALIAÇÃO EXPERIMENTAL APLICADA ÀS MISTURAS COMERCIAIS DE PETRODIESEL E BIODIESEL. CATEGORIA: EM ANDAMENTO

Leia mais

Efeitos do Enxofre Corrosivo Sobre as Propriedades Dielétricas do Papel Isolante. Edson Ueti Francisco de Assis Filho Márcio Antônio Sens

Efeitos do Enxofre Corrosivo Sobre as Propriedades Dielétricas do Papel Isolante. Edson Ueti Francisco de Assis Filho Márcio Antônio Sens XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil Efeitos do Enxofre Corrosivo Sobre as Propriedades Dielétricas do Papel Isolante

Leia mais

Palavras-chaves: Aço AISI 316L, tubulação, hipoclorito de sódio, NaClO e corrosão.

Palavras-chaves: Aço AISI 316L, tubulação, hipoclorito de sódio, NaClO e corrosão. Análise da Influência de Corrosão do Aço Inoxidável 316L por Hipoclorito de Sódio no Processo de Assepsia Externa de Tubulações Cervejeiras Douglas William dos Santos Silva* Renato Perrenchelle** Resumo.

Leia mais

CORROSÃO DO AÇO MÉDIO CARBONO DE REVESTIMENTO DE POÇOS DE PETRÓLEO EM MEIO SALINO E CO 2 SUPERCRÍTICO

CORROSÃO DO AÇO MÉDIO CARBONO DE REVESTIMENTO DE POÇOS DE PETRÓLEO EM MEIO SALINO E CO 2 SUPERCRÍTICO CORROSÃO DO AÇO MÉDIO CARBONO DE REVESTIMENTO DE POÇOS DE PETRÓLEO EM MEIO SALINO E CO 2 SUPERCRÍTICO L. G. Tavaniello; N. F. Lopes * ; A. L. Barros; J. B. Marcolino; M. K. Moraes; E. M. da Costa Av. Ipiranga,

Leia mais

Materiais / Materiais I

Materiais / Materiais I Materiais / Materiais I Guia para o Trabalho Laboratorial n.º 4 CORROSÃO GALVÂNICA E PROTECÇÃO 1. Introdução A corrosão de um material corresponde à sua destruição ou deterioração por ataque químico em

Leia mais

DISCIPLINA DE QUÍMICA

DISCIPLINA DE QUÍMICA DISCIPLINA DE QUÍMICA OBJETIVOS: 1ª série Traduzir linguagens químicas em linguagens discursivas e linguagem discursiva em outras linguagens usadas em Química tais como gráficos, tabelas e relações matemáticas,

Leia mais

TÍTULO: ESTUDO E AVALIAÇÃO DA SUSCETIBILIDADE À CORROSÃO DE AÇOS INOXIDÁVEIS AUSTENÍTICOS EM AMBIENTE INDUSTRIAL

TÍTULO: ESTUDO E AVALIAÇÃO DA SUSCETIBILIDADE À CORROSÃO DE AÇOS INOXIDÁVEIS AUSTENÍTICOS EM AMBIENTE INDUSTRIAL TÍTULO: ESTUDO E AVALIAÇÃO DA SUSCETIBILIDADE À CORROSÃO DE AÇOS INOXIDÁVEIS AUSTENÍTICOS EM AMBIENTE INDUSTRIAL CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: QUÍMICA INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE

Leia mais

ANÁLISE EXPERIMENTAL DO FOSFOGESSO COMO AGREGADO MIÚDO NA COMPOSIÇÃO DO CONCRETO

ANÁLISE EXPERIMENTAL DO FOSFOGESSO COMO AGREGADO MIÚDO NA COMPOSIÇÃO DO CONCRETO ANÁLISE EXPERIMENTAL DO FOSFOGESSO COMO AGREGADO MIÚDO NA COMPOSIÇÃO DO CONCRETO Tarcísio Pereira Lima Aluno de Engenharia Civil na Universidade de Ribeirão Preto UNAERP Universidade de Ribeirão Preto

Leia mais

CORROSÃO PELO CO 2 EM MEIOS AQUOSOS DE AÇO CARBONO, AÇO BAIXA LIGA COM 1% DE Cr, AÇO INOXIDÁVEL 13%Cr E AÇO INOXIDÁVEL 13%Cr-5%Ni-2%Mo

CORROSÃO PELO CO 2 EM MEIOS AQUOSOS DE AÇO CARBONO, AÇO BAIXA LIGA COM 1% DE Cr, AÇO INOXIDÁVEL 13%Cr E AÇO INOXIDÁVEL 13%Cr-5%Ni-2%Mo CORROSÃO PELO CO 2 EM MEIOS AQUOSOS DE AÇO CARBONO, AÇO BAIXA LIGA COM 1% DE Cr, AÇO INOXIDÁVEL 13%Cr E AÇO INOXIDÁVEL 13%Cr-5%Ni-2%Mo Carlos J. B. M. Joia CENPES/TMEC Rogaciano M. Moreira, César V. Franco

Leia mais

t RESOLUÇÃO COMECE DO BÁSICO

t RESOLUÇÃO COMECE DO BÁSICO t RESOLUÇÃO COMECE DO BÁSICO - o processo I sugere a evaporação (transformação física) dos componentes do medicamento. - a decomposição das substâncias (transformação química) que constituem o princípio

Leia mais

CORROSÃO DE AÇO CARBONO PARA DUTOS EM ÁGUAS NATURAIS

CORROSÃO DE AÇO CARBONO PARA DUTOS EM ÁGUAS NATURAIS CORROSÃO DE AÇO CARBONO PARA DUTOS EM ÁGUAS NATURAIS S. R. PETERS 1, L. R. M. LIMA 1, S. N. SILVA 2 e L. M. RODRIGUES 1 1 Universidade Federal do Pampa, Campus Bagé, Engenharia Química 2 Universidade Federal

Leia mais

Efeito de Metais na Estabilidade do Biodiesel de Soja.

Efeito de Metais na Estabilidade do Biodiesel de Soja. Efeito de Metais na Estabilidade do Biodiesel de Soja Silmara Furtado da Silva 1, Claudia Cristina Dias 1 e Maria Letícia Murta Valle 1 1 Universidade Federal do Rio de Janeiro/ Escola de Química Email:

Leia mais

Palavras-chave: etanol, aço-carbono, corrosividade, impedância eletroquímica

Palavras-chave: etanol, aço-carbono, corrosividade, impedância eletroquímica 398 Copyright 2010, ABRACO Trabalho apresentado durante o INTERCORR 2010, em Fortaleza/CE no mês de maio de 2010. As informações e opiniões contidas neste trabalho são de exclusiva responsabilidade do(s)

Leia mais

ESTUDO DO REVESTIMENTO DE CONVERSÃO À BASE DE ZIRCÔNIO COMO REVESTIMENTO DE CONVERSÃO EM AÇO GALVANIZADO

ESTUDO DO REVESTIMENTO DE CONVERSÃO À BASE DE ZIRCÔNIO COMO REVESTIMENTO DE CONVERSÃO EM AÇO GALVANIZADO ESTUDO DO REVESTIMENTO DE CONVERSÃO À BASE DE ZIRCÔNIO COMO REVESTIMENTO DE CONVERSÃO EM AÇO GALVANIZADO G. Zaro; J. Z. Ferreira ¹LACOR UFRGS, Mestrando ; ²LACOR- UFRGS, Doutora gustavo.zaro@gmail.com

Leia mais

Biodiesel obtenção e aplicação

Biodiesel obtenção e aplicação UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENG. AGRÍCOLA Biodiesel obtenção e aplicação João Valdenor Pereira Filho; Orientador:

Leia mais

Influência do Controle da Qualidade da Água na Ocorrência de Falhas em Palhetas de Turbinas a Vapor: Estudo de Caso

Influência do Controle da Qualidade da Água na Ocorrência de Falhas em Palhetas de Turbinas a Vapor: Estudo de Caso Influência do Controle da Qualidade da Água na Ocorrência de Falhas em Palhetas de Turbinas a Vapor: Estudo de Caso D. S. Pacheco, UFSC; C. V. Franco, UFSC; M. M. Medeiros, UFSC; L. A. de M. Torres, TRACTEBEL

Leia mais

Células de Hidrogênio

Células de Hidrogênio Células de Hidrogênio Dr. Julio Cesar Martins da Silva quimijulio@gmail.com Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares IPEN/CNEN-SP Centro de Células a Combustível e Hidrogênio - CCCH Av. Prof. Lineu

Leia mais

PROVA K. Questão 81. Resolução

PROVA K. Questão 81. Resolução RES_17_10_ALICE 29/09/10 14:01 Página 32 - Questão 81 Considere o fluxograma abaixo, relativo à separação dos componentes de uma mistura constituída de biodiesel e de frutose totalmente dissolvida em água.

Leia mais

Oxidação do aço inoxidável ferrítico AISI 409 em altas temperaturas em atmosfera de ar sintético

Oxidação do aço inoxidável ferrítico AISI 409 em altas temperaturas em atmosfera de ar sintético doi: 1.1753/rbav.v3i1.97 Oxidação do aço inoxidável ferrítico AISI 9 em altas temperaturas em atmosfera de ar sintético High temperature oxidation of ferritic stainless steel AISI 9 in atmosphere synthetic

Leia mais

QUÍMICA ORGÂNICA II. Funções Orgânicas

QUÍMICA ORGÂNICA II. Funções Orgânicas QUÍMICA ORGÂNICA II Funções Orgânicas EMENTA 1. Identificar os tipos de reações orgânicas de acordo com o produto obtido. 2. Selecionar procedimentos para identificação de composto orgânico. 3. Identificar

Leia mais

PHYWELD 625. The World Specialist in Nickel Based Alloy Wire

PHYWELD 625. The World Specialist in Nickel Based Alloy Wire PHYWELD 625 Baixo Carbono - Baixo Ferro - Elementos de liga Níquel-Cromo-Molibdênio-Nióbio PHYWELD 625 offers > Destacada resistência à corrosão em diversos meios. > Resistência à corrosões localizadas

Leia mais

Eletroquímica: Pilha e Eletrólise

Eletroquímica: Pilha e Eletrólise Eletroquímica: Pilha e Eletrólise Enem 15 semanas 1. O trabalho produzido por uma pilha é proporcional à diferença de potencial (ddp) nela desenvolvida quando se une uma meia-pilha onde a reação eletrolítica

Leia mais

Generalidades. Metal. Elemento químico, sólido, com estrutura cristalina e com as seguintes propriedades de interesse para a Engenharia

Generalidades. Metal. Elemento químico, sólido, com estrutura cristalina e com as seguintes propriedades de interesse para a Engenharia Materiais Metálicos Generalidades Metal Elemento químico, sólido, com estrutura cristalina e com as seguintes propriedades de interesse para a Engenharia Alta dureza Grande resistência mecânica Elevada

Leia mais

T.R.S.A. Rodrigues, E.M. da Costa, J.B. Marcolino, M.K. de Moraes RESUMO

T.R.S.A. Rodrigues, E.M. da Costa, J.B. Marcolino, M.K. de Moraes RESUMO CORROSÃO DE AÇO CARBONO POR CO 2 : INFLUÊNCIA DA PRESSÃO NA TAXA DE CORROSÃO T.R.S.A. Rodrigues, E.M. da Costa, J.B. Marcolino, M.K. de Moraes Faculdade de Engenharia e Centro de Excelência em Pesquisa

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE CAMADAS ANTI- CORROSIVAS PARA A PROTEÇÃO DE AÇO CARBONO

DESENVOLVIMENTO DE CAMADAS ANTI- CORROSIVAS PARA A PROTEÇÃO DE AÇO CARBONO UNIVERSIDADE TIRADENTES UNIT PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PROCESSOS - PEP DESENVOLVIMENTO DE CAMADAS ANTI- CORROSIVAS PARA A PROTEÇÃO DE AÇO CARBONO Autor: João Bosco Ribeiro Carvalho Orientadores:

Leia mais

a - coeficiente de temperatura da resistência, W/W(ºC)

a - coeficiente de temperatura da resistência, W/W(ºC) As termoresistências, ou termómetros de resistência, são sensores de alta precisão e excelente repetibilidade de leitura. O seu funcionamento baseia-se na variação da resistência eléctrica de modo proporcional

Leia mais

UTILIZAÇÃO DA SEMENTE DO MELÃO COMO CATALISADOR NA REAÇÃO DE ESTERIFICAÇÃO DO ÁCIDO OLÉICO

UTILIZAÇÃO DA SEMENTE DO MELÃO COMO CATALISADOR NA REAÇÃO DE ESTERIFICAÇÃO DO ÁCIDO OLÉICO UTILIZAÇÃO DA SEMENTE DO MELÃO COMO CATALISADOR NA REAÇÃO DE ESTERIFICAÇÃO DO ÁCIDO OLÉICO A. L. FREIRE 1, B. J. P. COSTA 1, Z. M. SANTOS 2, A. D. T. PINHEIRO 2 e I. L. LUCENA 2 1 Universidade Federal

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA TÉCNICA ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL REPÚBLICA

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA TÉCNICA ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL REPÚBLICA GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA TÉCNICA ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL REPÚBLICA Aulas de Apoio Química 3ª Série Eletroquímica II 1.

Leia mais

Aula 01 Propriedades Gerais dos Materiais

Aula 01 Propriedades Gerais dos Materiais Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Engenharia Elétrica Materiais Elétricos - Teoria Aula 01 Propriedades Gerais dos Materiais Clóvis Antônio Petry, professor. Florianópolis, setembro

Leia mais

Aço Inoxidável Ferrítico com 11% de Cromo para Construção Soldada. Columbus Stainless. Nome X2CrNil2. Elementos C Mn Si Cr Ni N P S

Aço Inoxidável Ferrítico com 11% de Cromo para Construção Soldada. Columbus Stainless. Nome X2CrNil2. Elementos C Mn Si Cr Ni N P S Aço Inoxidável Ferrítico com 11% de Cromo para Construção Soldada ArcelorMittal Inox Brasil S.A. Ugine S.A. Columbus Stainless P410D F12N 3CR12 * equivalência aproximada Designação Européia NF EN 10088-2

Leia mais

01 O chumbo participa da composição de diversas ligas metálicas. No bronze arquitetônico, por

01 O chumbo participa da composição de diversas ligas metálicas. No bronze arquitetônico, por 01 O chumbo participa da composição de diversas ligas metálicas. No bronze arquitetônico, por exemplo, o teor de chumbo corresponde a 4,14% em massa da liga. Seu isótopo radioativo 210 Pb decai pela emissão

Leia mais

SOLDAGEM TIG. Prof. Dr. Hugo Z. Sandim. Marcus Vinicius da Silva Salgado Natália Maia Sesma William Santos Magalhães

SOLDAGEM TIG. Prof. Dr. Hugo Z. Sandim. Marcus Vinicius da Silva Salgado Natália Maia Sesma William Santos Magalhães SOLDAGEM TIG Prof. Dr. Hugo Z. Sandim Marcus Vinicius da Silva Salgado Natália Maia Sesma William Santos Magalhães Soldagem TIG Processo de soldagem TIG Fonte: www.infosolda.com.br e Welding Metallurgy

Leia mais

Química - Grupo A - Gabarito. 1 a QUESTÃO: (2,0 pontos) Avaliador Revisor

Química - Grupo A - Gabarito. 1 a QUESTÃO: (2,0 pontos) Avaliador Revisor 1 a QUESTÃ: (2,0 pontos) Avaliador Revisor cloro pode ser produzido pela eletrólise ígnea do cloreto de zinco (ZnCl2) à temperatura de 17 o C e sob pressão de 1.0 atm. Sabendo-se que uma corrente de 5A

Leia mais

Universidade Estadual de Campinas Faculdade de Engenharia Civil Departamento de Estruturas. Aços para concreto armado

Universidade Estadual de Campinas Faculdade de Engenharia Civil Departamento de Estruturas. Aços para concreto armado Universidade Estadual de Campinas Faculdade de Engenharia Civil Departamento de Estruturas Aços para concreto armado Notas de aula da disciplina AU414 - Estruturas IV Concreto armado Prof. Msc. Luiz Carlos

Leia mais

ANÁLISE DE FALHA EM VIRABREQUIM DE MOTOR V8

ANÁLISE DE FALHA EM VIRABREQUIM DE MOTOR V8 Jornadas SAM - CONAMET - AAS 2001, Septiembre de 2001 773-778 ANÁLISE DE FALHA EM VIRABREQUIM DE MOTOR V8 T. Renck a, R.A.Hoppe b, S.Pecantet b, S.Griza c e T.R.Strohaecker d a UFRGS, Graduando em Engenharia

Leia mais

CORROSÃO E ELETRODEPOSIÇÃO

CORROSÃO E ELETRODEPOSIÇÃO CORROSÃO E ELETRODEPOSIÇÃO Princípios de Eletroquímica Prof. Dr. Artur de Jesus Motheo Departamento de FísicoF sico-química Instituto de Química de são Carlos Universidade de São Paulo 1 Princípios de

Leia mais

Ao PRESIDENTE DO CONSELHO DE GRADUAÇÃO E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL (COGEP) Prof. Maurício Alves Mendes

Ao PRESIDENTE DO CONSELHO DE GRADUAÇÃO E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL (COGEP) Prof. Maurício Alves Mendes Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Campo Mourão Diretoria de Graduação e Educação Profissional Memorando n o 134/2014 - DIRGRAD Campo Mourão, 29 de agosto de 2014

Leia mais

AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA DE BORRACHA NATURAL E EPDM EM BIODIESEL PURO E EM MISTURA COM ÓLEO DE SOJA

AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA DE BORRACHA NATURAL E EPDM EM BIODIESEL PURO E EM MISTURA COM ÓLEO DE SOJA AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA DE BORRACHA NATURAL E EPDM EM BIODIESEL PURO E EM MISTURA COM ÓLEO DE SOJA Marcos R. Monteiro 1 *, Alessandra R. P. Ambrozin 1, Fábio Finocchio 1, Gabriela R. dos Santos 1, Gabriel

Leia mais

01) O elemento X reage com o elemento Z, conforme o processo: Nesse processo: Z 3 + X Z 1 + X 2. b) X ganha elétrons de Z. d) X e Z perdem elétrons.

01) O elemento X reage com o elemento Z, conforme o processo: Nesse processo: Z 3 + X Z 1 + X 2. b) X ganha elétrons de Z. d) X e Z perdem elétrons. SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE/ANO: TURMA(S): 2º anos

Leia mais

Catálise e Inibição de Reação Eletroquímica

Catálise e Inibição de Reação Eletroquímica Catálise e Inibição de Reação Eletroquímica - Se o material do eletrodo não se transforma em produto; - em principio, é apenas para transferir elétrons; - mas, podendo também participar adsorvendo reagentes

Leia mais

Revista Eletrônica Engenharia de Interesse Social VOL. 1, NUM. 1, 2016 reis-005, p. 1-9

Revista Eletrônica Engenharia de Interesse Social VOL. 1, NUM. 1, 2016 reis-005, p. 1-9 Revista Eletrônica Engenharia de Interesse Social VOL. 1, NUM. 1, 2016 reis-005, p. 1-9 www.faenge.uemg.br Estudo do efeito corrosivo dos aços inox AISI 304 e microligado Hardox 600 em meios salino e ácido

Leia mais

- CAPÍTULO 2 MATERIAIS CONDUTORES

- CAPÍTULO 2 MATERIAIS CONDUTORES MATERIAIS ELÉTRICOS Prof. Rodrigo Rimoldi - CAPÍTULO 2 MATERIAIS CONDUTORES (Aula 5) Introdução Materiais condutores definição: toda matéria que permite o estabelecimento de um fluxo de elétrons em seu

Leia mais

Título: Benzotriazol como inibidor de corrosão para aço carbono para construção civil.

Título: Benzotriazol como inibidor de corrosão para aço carbono para construção civil. PRODUÇÃO TECNICO CIENTÍFICA DO IPEN DEVOLVER NO BALCÃO DE EMPRÉSTIMO IBRACON - 41. Congresso Brasileiro do Concreto Tema: Durabilidade das Estruturas de Concreto Marcos Crivelaro, IPEN-USP, Eng Civil,

Leia mais

Química. Eletroquímica

Química. Eletroquímica CIC Colégio Imaculada Conceição Química Eletroquímica Msc. Camila Soares Furtado Couto Eletrólise Inverso da Pilha; Reação de oxi-redução que é provocada pela corrente elétrica; Não espontânea!!!! Eletrólise

Leia mais

Experiência 2. DETERMINAÇÃO DO PONTO DE FUSÃO DE SUBSTÂNCIAS

Experiência 2. DETERMINAÇÃO DO PONTO DE FUSÃO DE SUBSTÂNCIAS Experiência 2. DETERMINAÇÃO DO PONTO DE FUSÃO DE SUBSTÂNCIAS 1. Objetivos Ao final desta atividade experimental espera-se que o aluno seja capaz de: - Identificar compostos e determinar suas purezas usando

Leia mais

CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA E CIÊNCIA DOS MATERIAIS, 14., 2000, São Pedro - SP. Anais 33401

CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA E CIÊNCIA DOS MATERIAIS, 14., 2000, São Pedro - SP. Anais 33401 Avaliação do efeito do teor de cloreto na corrosão de uma liga Al-Si-Cu hipereutética em meios alcoólicos por espectroscopia de impedância eletroquímica e ruído eletroquímico. S. M. Traldi (1), W. F. Oliveira

Leia mais

Resolução da Questão 1 Item I Texto definitivo

Resolução da Questão 1 Item I Texto definitivo Questão Em determinado dia do ano, às x horas, sendo 0 x

Leia mais

QUÍMICA GERAL. Aula 01 07/02/2013. Elementos, Substâncias e Misturas. Elementos, Substâncias e Misturas. Introdução. Elementos, Substâncias e Misturas

QUÍMICA GERAL. Aula 01 07/02/2013. Elementos, Substâncias e Misturas. Elementos, Substâncias e Misturas. Introdução. Elementos, Substâncias e Misturas QUÍMICA GERAL Aula 01 Elementos, Substâncias e 1 Introdução A matéria é formada por moléculas, que por sua vez são formadas por partículas minúsculas chamadas de átomos. Matéria Átomos Elementos Tabela

Leia mais

Carga total transportada por um mol de elétrons, denominada constante de Faraday (F)

Carga total transportada por um mol de elétrons, denominada constante de Faraday (F) AULA 6 FÍSICO-QUÍMICA ESTEQUIOMETRIA DAS REAÇÕES ELETROQUÍMICAS E CÉLULAS A COMBUSTÍVEL DATA: 16/10/2015 1) ESTEQUIOMETRIA DAS REAÇÕES ELETROQUÍMICAS PROF. ANA É possível prever a massa de substância formada

Leia mais

4 PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL

4 PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL 4 PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL Inicialmente foram realizadas algumas determinações para avaliar o efeito da concentração de KCl na mobilidade eletroforética das partículas de hidróxido de cromo para a determinação

Leia mais

Assunto: Eletroquímica Folha 4.1 Prof.: João Roberto Mazzei

Assunto: Eletroquímica Folha 4.1 Prof.: João Roberto Mazzei 01. (UEL 2009) A clássica célula galvânica ou pilha de Daniel é representada por: Zn (s) / Zn +2 (aq) / / Cu +2 (aq) / Cu (s) No laboratório de uma escola, o professor e seus alunos fizeram duas alterações

Leia mais

METODOLOGIA DE ANÁLISE DE FALHAS EM COMPONENTES ELETRÔNICOS

METODOLOGIA DE ANÁLISE DE FALHAS EM COMPONENTES ELETRÔNICOS METODOLOGIA DE ANÁLISE DE FALHAS EM COMPONENTES ELETRÔNICOS Autores:Tatiana Regina da Fonseca 1 ; Jonilson da Silva Adachi 1 Filiação: Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE, São José dos Campos-SP,

Leia mais

Curvas de Magnetização e Histerese Perdas Magnéticas Materiais Magnéticos

Curvas de Magnetização e Histerese Perdas Magnéticas Materiais Magnéticos Centro Federal de Educação Tecnológica de Santa Catarina Departamento de Eletrônica Retificadores Curvas de Magnetização e Histerese Perdas Magnéticas Materiais Magnéticos Clóvis Antônio Petry, professor.

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE TÉCNICA ELETROQUÍMICA NA CARACTERIZAÇÃO DO BIODIESEL

UTILIZAÇÃO DE TÉCNICA ELETROQUÍMICA NA CARACTERIZAÇÃO DO BIODIESEL UTILIZAÇÃO DE TÉCNICA ELETROQUÍMICA NA CARACTERIZAÇÃO DO BIODIESEL 1 Gabriela Cavalcante Marques, 2 Camilla Andrade Oliveira, 3 Paulo Júnior Ribeiro da Silva, 4 José Carlos Cardoso Filho. 1 Mestranda do

Leia mais

Na natureza, esses vidros são encontráveis em forma de silicatos ou em compostos de silício e oxigênio, mas não são vistos na forma

Na natureza, esses vidros são encontráveis em forma de silicatos ou em compostos de silício e oxigênio, mas não são vistos na forma VIDROS METÁLICOS Tarciso Antônio Grandi Depto de Física UFSC Florianópolis SC Introdução Quando um metal líquido é resfriado abaixo da sua temperatura de fusão, inicia-se um processo de nucleação dos átomos,

Leia mais

Processos de Soldagem. Valter V de Oliveira

Processos de Soldagem. Valter V de Oliveira Processos de Soldagem Valter V de Oliveira Introdução Processos de junção são empregados para unir dois ou mais componentes, de forma que estes passem a apresentar um movimento de corpo rígido. O termo

Leia mais

Biodiesel: Panorama e perspectivas. 23 de Abril 2014 Cuiabá - MT

Biodiesel: Panorama e perspectivas. 23 de Abril 2014 Cuiabá - MT Biodiesel: Panorama e perspectivas 23 de Abril 2014 Cuiabá - MT 1 Sumário Tecnologias de produção; A biomassa na matriz energética; Capacidade agrícola brasileira; Histórico do PNPB; Mercado; Novo marco

Leia mais

Aço Inoxidável Ferrítico ACE P444A

Aço Inoxidável Ferrítico ACE P444A ArcelorMittal Inox Brasil Inoxidável Ferrítico ACE P444A transformando o amanhã 2 3 ACE P444A Tabela I Composição Química C Mn P S Si Cr Ni Outros 0,025 1,00 0,040 0,030 1,00 17,5-19,5 1,00 0,2+4(C+N)

Leia mais

Consumo de oxigénio em Bivalves Oxygen consumption in bivalves

Consumo de oxigénio em Bivalves Oxygen consumption in bivalves Consumo de oxigénio em Bivalves Oxygen consumption in bivalves Germana Sofia Macedo germanaseam@hotmail.com Cristiana Afonso cristiana_a_14@live.com.pt Sandra Marina Marrão marinamarrao@hotmail.com Claudia

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica de Santa Catarina Departamento de Eletrônica Retificadores. Prof. Clóvis Antônio Petry.

Centro Federal de Educação Tecnológica de Santa Catarina Departamento de Eletrônica Retificadores. Prof. Clóvis Antônio Petry. Centro Federal de Educação Tecnológica de Santa Catarina Departamento de Eletrônica Retificadores Força Magnetizante, Histerese e Perdas Magnéticas Prof. Clóvis Antônio Petry. Florianópolis, setembro de

Leia mais

CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 9º ANO

CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 9º ANO PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 9º ANO 2010 QUESTÃO 1 Ao realizarem um trabalho via

Leia mais

Eletrólise Eletrólise de soluções aquosas

Eletrólise Eletrólise de soluções aquosas Eletrólise de soluções aquosas As reações não espontâneas necessitam de uma corrente externa para fazer com que a reação ocorra. As reações de eletrólise são não espontâneas. Nas células voltaicas e eletrolíticas:

Leia mais

REVESTIMENTOS DE LIGA NiCrMo-4 APLICADOS EM TUBO DE AÇO CARBONO. PARTE 2: COMPOSIÇÃO QUÍMICA E RESISTÊNCIA À CORROSÃO

REVESTIMENTOS DE LIGA NiCrMo-4 APLICADOS EM TUBO DE AÇO CARBONO. PARTE 2: COMPOSIÇÃO QUÍMICA E RESISTÊNCIA À CORROSÃO REVESTIMENTOS DE LIGA NiCrMo-4 APLICADOS EM TUBO DE AÇO CARBONO. PARTE 2: COMPOSIÇÃO QUÍMICA E RESISTÊNCIA À CORROSÃO Marcos Mesquita da Silva 1 ; Clarice Oliveira da Rocha 2 ; Renato Alexandre Costa de

Leia mais

Ciência e Tecnologia de Materiais ENG1015

Ciência e Tecnologia de Materiais ENG1015 1 Ciência e Tecnologia de Materiais ENG1015 http://www.dema.puc-rio.br/moodle DEMa - Depto. de Engenharia de Materiais última atualização em 10/02/2014 por sidnei@puc-rio.br Estrutura do Curso 2 Introdução:

Leia mais

Preparação de uma pilha baseada na oxidação em meio ácido. Química 12º Ano

Preparação de uma pilha baseada na oxidação em meio ácido. Química 12º Ano Preparação de uma pilha baseada na oxidação em meio ácido Química 12º Ano Unidade 1 Metais e ligas metálicas Actividades de Projecto Laboratorial Outubro 2005 Jorge R. Frade, Ana Teresa Paiva Dep. Eng.

Leia mais

AVALIAÇÃO DE ARGAMASSAS COMPOSTAS PELO CIMENTO PORTLAND CP IV-32 E PELA ADIÇÃO MINERAL DE METACAULIM PARA ELABORAÇÃO DE CONCRETO AUTO-ADENSÁVEL

AVALIAÇÃO DE ARGAMASSAS COMPOSTAS PELO CIMENTO PORTLAND CP IV-32 E PELA ADIÇÃO MINERAL DE METACAULIM PARA ELABORAÇÃO DE CONCRETO AUTO-ADENSÁVEL AVALIAÇÃO DE ARGAMASSAS COMPOSTAS PELO CIMENTO PORTLAND CP IV-32 E PELA ADIÇÃO MINERAL DE METACAULIM PARA ELABORAÇÃO DE CONCRETO AUTO-ADENSÁVEL Autores: ANDERSON RENATO VOBORNIK WOLENSKI - Universidade

Leia mais

Preparação de Amostras para MET em Ciência dos Materiais

Preparação de Amostras para MET em Ciência dos Materiais Preparação de Amostras para MET em Ciência dos Materiais I Escola de Microscopia Eletrônica de Transmissão do CBPF/LABNANO Junho/2008 Ana Luiza Rocha Sumário 1. Condições de uma amostra adequada para MET

Leia mais

ALTERNATIVAS PARA REDUÇÃO DE RESÍDUOS QUÍMICOS E EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL NO LABORATÓRIO DE ANÁLISE DE SEMENTES

ALTERNATIVAS PARA REDUÇÃO DE RESÍDUOS QUÍMICOS E EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL NO LABORATÓRIO DE ANÁLISE DE SEMENTES ALTERNATIVAS PARA REDUÇÃO DE RESÍDUOS QUÍMICOS E EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL NO LABORATÓRIO DE ANÁLISE DE SEMENTES Simone Aparecida de OLIVEIRA* Marco Eustáquio de SÁ Faculdade de Engenharia, UNESP - Câmpus

Leia mais

ESTUDO DAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DOS AÇ OS INOXIDÁVEIS 304 E 434

ESTUDO DAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DOS AÇ OS INOXIDÁVEIS 304 E 434 ESTUDO DAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DOS AÇ OS INOXIDÁVEIS 304 E 434 J. A. A. Guedes Júnior, H. S. Silva e Ana V. C. Sobral Programa de Pós Graduação em Engenharia e Ciência de Materiais Universidade Federal

Leia mais

A FERROGRAFIA como técnica de manutenção preditiva Estudo de casos

A FERROGRAFIA como técnica de manutenção preditiva Estudo de casos A FERROGRAFIA como técnica de manutenção preditiva Estudo de casos Eng. Tarcísio D Aquino Baroni Eng. Guilherme Faria Gomes www.huno.com.br/tribolab O que é a FERROGRAFIA? A Ferrografia consiste na determinação

Leia mais

Quadro 1 - Fatores para conversão de unidades antigas em unidades do Sistema Internacional de Unidades.

Quadro 1 - Fatores para conversão de unidades antigas em unidades do Sistema Internacional de Unidades. Informação sobre interpretação de Análise de Solo, segundo o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Solos e Recursos Ambientais, Instituto Agronômico de Campinas. Quadro 1 - Fatores para conversão de

Leia mais

ESTUDO ELETROQUÍMICO DA TETRASULFOFTALOCIANINA DE COBRE(II) COMO INIBIDOR DE CORROSÃO PARA OS AÇOS ABNT 1010 E ASTM A606-2 EM MEIO DE HCl 16%

ESTUDO ELETROQUÍMICO DA TETRASULFOFTALOCIANINA DE COBRE(II) COMO INIBIDOR DE CORROSÃO PARA OS AÇOS ABNT 1010 E ASTM A606-2 EM MEIO DE HCl 16% ESTUDO ELETROQUÍMICO DA TETRASULFOFTALOCIANINA DE COBRE(II) COMO INIBIDOR DE CORROSÃO PARA OS AÇOS ABNT 1010 E ASTM A606-2 EM MEIO DE HCl 16% Isabel C. Guedes Escola Politécnica da USP, Depto. Engenharia

Leia mais

Engº Giuseppe Sarpa Field Specialist

Engº Giuseppe Sarpa Field Specialist Engº Giuseppe Sarpa Field Specialist 21 de Setembro 2015 Influências do Biodiesel na Vida do Lubrificante e do Motor Canada Óleo de peixe Sebo Europe Canola Norway Óleo de peixe Asia Pinhão Manso Óleo

Leia mais

CAPÍTULO 5. Materiais e Métodos 97. Errar é humano. Botar a culpa nos outros, também. Millôr Fernandes (76 anos), humorista brasileiro

CAPÍTULO 5. Materiais e Métodos 97. Errar é humano. Botar a culpa nos outros, também. Millôr Fernandes (76 anos), humorista brasileiro Materiais e Métodos 97 CAPÍTULO 5 Errar é humano. Botar a culpa nos outros, também. Millôr Fernandes (76 anos), humorista brasileiro Toda a empresa precisa ter gente que erra, que não tem medo de errar

Leia mais

Química - Grupo J - Gabarito

Química - Grupo J - Gabarito 1 a QUESTÃ: (2,0 pontos) Avaliador Revisor Considerando que a [Cr 4= ] em uma solução aquosa é 0.025 M, responda: a) haverá precipitação de cromato de prata se 1.0 x 10-6 M de Ag + é adicionado à solução

Leia mais

CORRELAÇÃO ENTRE CARACTERÍSTICAS DA BIOMASSA PARA GERAÇÃO DE VAPOR EM UMA CALDEIRA

CORRELAÇÃO ENTRE CARACTERÍSTICAS DA BIOMASSA PARA GERAÇÃO DE VAPOR EM UMA CALDEIRA CORRELAÇÃO ENTRE CARACTERÍSTICAS DA BIOMASSA PARA GERAÇÃO DE VAPOR EM UMA CALDEIRA Rosa, Marcos da Costa Discente Eng. Florestal FAIT/ACEG OLIVEIRA JUNIOR, Ezer Dias Docente FAIT/ACEG RESUMO O presente

Leia mais

ESTUDO DA RESISTÊNCIA À COROSÃO DO AÇO INOXIDÁVEL LEAN DUPLEX UNS 32304 SOLDADO POR ATRITO COM PINO NÃO CONSUMÍVEL

ESTUDO DA RESISTÊNCIA À COROSÃO DO AÇO INOXIDÁVEL LEAN DUPLEX UNS 32304 SOLDADO POR ATRITO COM PINO NÃO CONSUMÍVEL ESTUDO DA RESISTÊNCIA À COROSÃO DO AÇO INOXIDÁVEL LEAN DUPLEX UNS 32304 SOLDADO POR ATRITO COM PINO NÃO CONSUMÍVEL Victor Hugo Ayusso 1, Maysa Terada 1, Víctor Ferrinho Pereira 2, Célia Regina Tomachuk

Leia mais

Biodiesel: Combustível alinhado ao modelo de desenvolvimento global sustentável

Biodiesel: Combustível alinhado ao modelo de desenvolvimento global sustentável Versão 02/03/16 Biodiesel: Combustível alinhado ao modelo de desenvolvimento global sustentável Donizete Tokarski Diretor Superintendente Audiência Pública da Comissão Especial da Câmara dos Deputados

Leia mais

Application and characterization of zirconium layer of corrosion protection of the stainless steel AISI 304

Application and characterization of zirconium layer of corrosion protection of the stainless steel AISI 304 Aplicação e caracterização de camada de zircônio para a proteção contra corrosão do aço inoxidável AISI 304 Application and characterization of zirconium layer of corrosion protection of the stainless

Leia mais

EVOLUÇÃO DIFERENCIAL APLICADA AO AJUSTE DE CIRCUITOS EQUIVALENTES EM MAPAS DE IMPEDÂNCIA ELETROQUÍMICA

EVOLUÇÃO DIFERENCIAL APLICADA AO AJUSTE DE CIRCUITOS EQUIVALENTES EM MAPAS DE IMPEDÂNCIA ELETROQUÍMICA EVOLUÇÃO DIFERENCIAL APLICADA AO AJUSTE DE CIRCUITOS EQUIVALENTES EM MAPAS DE IMPEDÂNCIA ELETROQUÍMICA Marco André Abud Kappel maakappel@gmail.com Roberto Pinheiro Domingos roberto.pinheiro@iprj.uerj.br

Leia mais

Bioquímica PROFESSOR GILDÃO

Bioquímica PROFESSOR GILDÃO Gildão e WBio Bioquímica PROFESSOR GILDÃO Dica 1: Ácidos graxos 1) Saturado: gordura; IUPAC: C10 : 0 2) Insaturado: óleo; IUPAC: C18 : 3-9,12,15 Ômega: ω 3 Ponto de Fusão: gordura > óleo Questão 01 Os

Leia mais

Catalisador: O que é e para que serve.

Catalisador: O que é e para que serve. Catalisador: O que é e para que serve. O que significa a palavra catalisador? Por definição, catalisador catalítico é toda a substância que propicia a reação química de outras substâncias sem mesmo participar

Leia mais

Unidade Curricular: Física Aplicada

Unidade Curricular: Física Aplicada FFUP Física Aplicada 203/204 Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas Unidade Curricular: Física Aplicada Aulas Laboratoriais Trabalho laboratorial nº. 7 Estudo das propriedades elétricas de soluções:

Leia mais

EFEITO DO FLUXO DE ELETRÓLITO SOBRE A RESISTÊNCIA À CORROSÃO DE UM AÇO INOXIDÁVEL AUSTENÍTICO AISI 304L

EFEITO DO FLUXO DE ELETRÓLITO SOBRE A RESISTÊNCIA À CORROSÃO DE UM AÇO INOXIDÁVEL AUSTENÍTICO AISI 304L doi: 10.4322/tmm.00504002 EFEITO DO FLUXO DE ELETRÓLITO SOBRE A RESISTÊNCIA À CORROSÃO DE UM AÇO INOXIDÁVEL AUSTENÍTICO AISI 304L Diana López 1 Neusa Alonso Falleiros 2 André Paulo Tschiptschin 3 Resumo

Leia mais

15. Trabalho Experimental - Proteção Catódica

15. Trabalho Experimental - Proteção Catódica 15. Trabalho Experimental - Proteção Catódica 15.1 - Introdução A proteção catódica é um método de controle de corrosão que consiste em transformar a estrutura à proteger no cátodo de um célula eletroquímica

Leia mais

pro-t Ficha técnica Aplicações recomendadas Materiais Suportes Características

pro-t Ficha técnica Aplicações recomendadas Materiais Suportes Características Ficha técnica pro-t Perfil de transição entre pavimentos. Lâmina de metal em forma de T que se insere na junta de separação de dois pavimentos diferentes, permitindo cobrir ligeiras diferenças de altura.

Leia mais