As aventuras do Gato Caixeiro em Londrina

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "As aventuras do Gato Caixeiro em Londrina"

Transcrição

1

2 As aventuras Autores Leandro Henrique Magalhães Ana Cláudia Trevisan Colaboradores Maria J. M. Prado Magalhães Thainá Albertassi Ilustrações Sassá Projeto Gráfico Rei Santos Capa Rei Santos/Sassá Revisão de texto ccli projetos acadêmicos Impressão Gráfica e Editora Midiograf Março/2011 Tiragem 1000 cópias T739a Trevisan, Ana Cláudia Cerini As aventuras do gato caixeiro / Ana Cláudia Cerini Trevisan, Leandro Henrique Magalhães; ilustrador Gustavo Sandoval Dantas. - Londrina: EdUniFil, p. ISSN História de Londrina. 2. Rua Sergipe. 3. Educação patrimonial. 4. Literatura infantil I. Magalhães, Leandro Henrique. II. Dantas, Gustavo Sandoval. CDD Patrocínio Apoio

3

4 As aventuras oje estou saudoso... e vou contar para vocês uma história que aconteceu há muito tempo, falou o Gatão, contador de histórias, para os gatinhos Nino e Conxita. Os gatinhos se acomodaram para escutar a história. - Era uma vez, um gato que conhecia muitos lugares, muitas cidades. Ele vivia viajando, comercializando mercadorias de cidade em cidade, de país em país. Era chamado de caixeiro-viajante, ou gato-caixeiro. Certa vez, ele foi convidado por um grupo de ingleses a visitar uma nova cidade, no Brasil. E foi nessa viagem, lá no final da década de 1930, que sua vida mudou... 02

5

6 As aventuras O gato-caixeiro, que sempre viajava a cavalo, dessa vez viajou de trem. Conforme o trem se aproximava da Estação Ferroviária, o gato avistava as pessoas, as construções, e se encantava com o que via. E, nem bem o trem parou, o gato saltou na Estação. Subiu a rua tão apressado que não sentiu a fina chuva que caia, nem tampouco que suas botas estavam espalhando a terra. Sim, naquela época as ruas eram de terra, mas já com construções e lojas à sua volta. 04

7

8 As aventuras O gato, que estava com muita fome e muita sede, entrou no primeiro armazém que viu. Estava todo molhado... e para não sujar o chão, limpou a sola das botas no limpa-pés, uma barra de ferro que ficava na entrada dos locais, e servia para tirar o barro do calçado. Notou que, no chão, havia algo estranho... pó de serra? Para que seria aquilo? 06

9

10 As aventuras Assim que entrou, uma gatinha toda graciosa veio até ele e disse: - Você não sabe ler? O gato-caixeiro se assustou e olhou o letreiro... - Desculpe, eu não sei ler em japonês... Disseramme que aqui era a Pequena Londres... -Ou Pequena Tókio, disse a gata sorrindo. O letreiro diz Boa Sorte... Seja bem-vindo à cidade da diversidade... Seu nome era Mika, mas tinha vários apelidos, como Guida... Mas todos a chamavam mesmo de Felícia. - A cidade é chamada de Londrina, Pequena Londres, mas a Rua Sergipe é conhecida como Pequena Tókio... Herança dos meus conterrâneos, que para cá vieram e aqui estabeleceram suas casas e comércio, continuou Felícia. 08

11

12 As aventuras - Nossa! Eu não sabia que a Rua Sergipe era de terra, nem que era chamada de Pequena Tókio - disse Nino, curioso. O Gatão continuou: - É... Mas logo as ruas foram pavimentadas... - E o gato-caixeiro ficou na Rua Sergipe? - perguntou de novo o gato curioso. 10

13

14 As aventuras - Ele passeou pela cidade, conheceu a Avenida Paraná, onde hoje é o Calçadão, e que na época tinha poucas lojas e muitas casas... E acabou por se hospedar em um hotel, perto de uma praça que ficava perto da estação de trem... 12

15

16 As aventuras - E a gata feliz... Ops! Felícia? - quis saber a curiosa gatinha Conxita. - A gata Felícia? Não resistiu ao charme do gatocaixeiro, e acabaram se casando. Com faro para os negócios, abriram uma loja de tecidos, e prosperaram junto com a cidade... 14

17

18 As aventuras - Mas as ruas não eram de terra?- insistiu Nino, matreiro como era. - Eram... Mas a rua, e a cidade, cresceram... E a rua ficou movimentada, com carros passando e pessoas indo e vindo... - Legal... e eles demoraram para se casar? - perguntou a gatinha Conxita. - Que nada! Casaram-se logo, em 1941, o mesmo ano da inauguração do famoso Cadeião. Era lá que ficavam aqueles que não respeitavam as leis da cidade... 16

19

20 As aventuras - E eles viveram felizes para sempre? - perguntou a gatinha Conxita, prevendo um final feliz. - Sim, viveram... E viram muita coisa acontecer na Rua Sergipe... Comeram muita poeira até a chegada do asfalto... que demorou... O gato-caixeiro e outros comerciantes se uniram para pedir ao prefeito que asfaltasse a rua. Muito astutos, eles publicaram um anúncio no Jornal. Além do asfalto, viram novos prédios surgirem... Quase do nada... Próximos à praça onde moravam. 18

21

22 As aventuras 20 - Um dos prédios, muito bonito, era todo diferente: grande, cheio de curvas e formas... O gato-caixeiro achava que o prédio ia cair, e com medo, mudou-se... - Foram embora da Rua Sergipe, para sempre? - perguntou a gatinha Conxita, já preocupada. - Não... Mudaram para um prédio, chamado Edifício Tókio - acalmou o Gatão, contador da história. - Já sei, já sei, em homenagem à gata feliz... Quero dizer, Felícia... disse o esperto gatinho Nino. - Quem sabe... - E o prédio, caiu? - insistiu o gatinho Nino. -Que nada! Está lá, até hoje... Primeiro foi rodoviária... E hoje, é Museu de Arte. - E viveram felizes para sempre... - insistiu a gata Conxita. - Sim, no edifício Tókio, com seus filhotes que, assim como a cidade, também cresciam, até resolverem mudar para o lago...

23

24 As aventuras - Mas mudaram para dentro do lago?! - gritaram os dois gatinhos assustados. - Não dentro do lago... - acalmou o contador da história, rindo - Mas próximo à barragem de um grande lago que estava em construção em um ponto distante da cidade, que crescia... A gata Felícia reclamou um pouco, pois estava habituada à rua em que morava e não queria se mudar para um local longínquo, com poucas casas e pouco movimento. Mas mudaram-se, nos idos de 1959, ano do jubileu de prata da cidade... - E viveram felizes para sempre! - completou a esperta gatinha Conxita. - Isso mesmo Conxita, a família viveu bem e feliz por muitos e muitos anos... 22

25

26 As aventuras Eu acho que conheço esse lago... Não é o Igapó? - perguntou o gato Nino. - É esse mesmo... - Mas o lago não é longe da Rua Sergipe e existem muitas casas por lá - lembrou ainda Nino. - Hoje ele é perto. A cidade cresceu, temos carros, ônibus e casas em todos os lugares... As distâncias encurtaram. Mas antes, tudo parecia longe... - Ah! Agora entendi! Que legal a história do gatocaixeiro. Ele conheceu muitas coisas, viu Londrina crescer. Onde ele está agora? - perguntou Nino, curioso. 24

27

28 As aventuras - Vou contar-lhes um segredo - disse o contador da história - O gato caixeiro é meu avô. Ele me contou essa história quando eu ainda era bem pequeno... - Ah! Puxa vida, a história dele é muito legal... Até parece que ele construiu a história da cidade- diz Nino, todo empolgado. - É verdade... e é essa a mensagem de meu avô... Todos nós, que moramos nesta cidade, ajudamos a construir sua história- completou o Gatão, contador da história. - Mas espera aí um pouquinho! O gato-caixeiro e a gatinha Felícia viveram felizes para sempre ou não? - perguntou a gatinha Conxita, querendo um final feliz para a história Sim, viveram... Viveram muitos e muitos anos, felizes para sempre. - respondeu, rindo, o Gatão.

29

30 GLOSSÁRIO As aventuras 28 Astuto - Adjetivo originado do termo latino astutu. Refere-se ao que tem astúcia. Seus sinônimos são: astucioso; ardiloso; sagaz. No uso cotidiano da língua, o utilizamos para indicar a característica da pessoa que é esperta, inteligente. Conterrâneo - Adjetivo e substantivo masculino, originado do termo latino conterraneu. Refere-se ao que ou aquele que é da mesma terra. Seus sinônimos são: compatrício; compatriota. Graciosa - Adjetivo originado do termo latino gratiosu. Refere-se ao que tem graça. Seus sinônimos são: engraçado; elegante; amável; gentil. Esse termo também indica o nome comum às ervas do gênero gracíola, podendo, assim, também ser um substantivo feminino, relacionado à área da Botânica. Longínquo - Adjetivo originado do termo latino longinquu. Refere-se ao que vem de longe, distante da vista ou do ouvido. Seus sinônimos são: afastado; distante; remoto. Matreiro - Adjetivo originado do termo castelhano matrero. Refere-se a astuto. Pavimentada - Adjetivo originado do particípio do verbo pavimentar. Refere-se ao que é provido de pavimento, ou seja, revestido de asfalto ou concreto. Pavimento é um substantivo masculino, originado do termo latino pavimentu e indica: revestimento do chão com cimento, pedras, mosaicos, asfalto etc., para trânsito de pedestres ou de veículos. Também pode indicar os andares de um edifício (andar, piso). Prosperaram Conjugação do verbo prosperar, que se origina do termo latino prosperare. Refere-se a tornar-se próspero, desenvolver-se auspiciosamente, ter bom êxito, ter fortuna favorável, ser feliz, crescer, correr bem, mostrar-se propício, ser bom e favorável. Seus sinônimos são: fomentar; promover. Saudoso - Adjetivo originado da junção do termo saudade com o sufixo oso, que indica a ideia de posse, abundância, grande quantidade. Refere-se ao que sente ou dá mostras de saudades. Que inspira saudade.

31 SUGESTÕES PARA OS PROFESSORES As aventuras Caríssimos(as) Professores(as) Este livro é resultado de um projeto desenvolvido na cidade de Londrina, no ano de 2010, intitulado Educação Patrimonial VI: Memórias da Rua. Como parte deste projeto, foram realizadas oficinas com crianças de 3ª, 4ª e 5ª séries do Ensino Fundamental (ciclo de 08 anos), de três escolas da cidade: E.E. Carlos Dietz, Colégio Londrinense e Colégio Interativa. As oficinas propostas tinham por objetivo proporcionar aos participantes reflexões que os levassem a valorizar as ruas em geral, e a Rua Sergipe em particular, reconhecendo-a como Patrimônio Cultural. Além disso, pretendia-se que os alunos pudessem se identificar como sujeitos de ação e transformação dessa e de outras ruas, valorizando sua cidade e sua localidade. Buscamos, neste livro, apresentar aspectos da história de Londrina, especialmente da Rua Sergipe, levando os leitores a conhecerem um pouco de sua cidade e, consequentemente, de sua própria história, pois entendemos que, na medida em que compreendemos melhor a constituição de nossa cidade, passamos a valorizá-la e, ao relacioná-la com a nossa própria história, fortalecemos nossa identidade. Procuramos, aqui, retratar costumes, profissões, vestimentas e palavras que, com o passar dos anos, tornaram-se lembranças que correm o risco de serem legadas ao esquecimento. O livro foi pensado, ainda, como material didático e de apoio ao professor que atua nas Séries Iniciais do Ensino Fundamental, havendo a possibilidade de ampliação das discussões aqui indicadas. Nesse sentido, oferecemos sugestões, sendo algumas delas evidenciadas no livro e, outras, apontadas pelos participantes das oficinas em forma de dúvidas e questionamentos. Em um primeiro momento, pensamos nos conteúdos de História para o 3º ano do Ensino Fundamental. Todavia, sugerimos a realização de um trabalho interdisciplinar, focalizando as disciplinas de Português, Geografia, Artes e Ciências, bem como o tema transversal Pluralidade Cultural e Ética. 29

32 As aventuras 30 Dentre os conteúdos de História, sugerimos que, a partir da leitura, sejam apresentados os fatos anteriores à colonização da cidade, ou seja, a presença dos povos nativos, com predomínio dos índios kaingangs, a formação das fazendas e a criação da Companhia de Terras Norte do Paraná, em 1925, bem como sua primeira expedição, realizada em 21 de agosto de 1929 e chefiada por George Craig Smith (paulista descendente de ingleses), o que culminou no marco das terras onde seria criada a cidade de Londrina, inicialmente chamada de Patrimônio Três Bocas. Com isso, pretende-se estabelecer relações desse processo com a pluralidade cultural e a imigração, abordando, assim, conteúdos vinculados à diversidade de povos que aqui se estabeleceram. Pode-se, ainda, trabalhar os aspectos referentes às profissões que não existem mais ou são pouco reconhecidas na atualidade, como caixeiro-viajante e alfaiate, assim como tratar do vestuário e dos costumes da época, assinalando as diferenças com a atualidade, tal como o uso do pó de serra e da barra de ferro, utilizada para limpar os pés e evitar que se sujasse o ambiente de barro. Lembramos que grande parte das ruas da cidade era de terra e que, devido à terra vermelha, os moradores sofriam com a poeira em dias de seca, e com a lama, em dias de chuva. Sugerimos, ainda, que seja trabalhada a história individual de cada aluno, valorizando sua família e sua trajetória, buscando demonstrar sua relação com a constituição da cidade. O livro buscou valorizar a família, a relação pai/filho, netos/ avós, valorizando o sentimento de pertencimento familiar e citadino. A partir dos espaços apresentados, como o antigo Cadeião, a ferroviária e o Museu de Arte (antiga rodoviária), pode-se propor um passeio para seu reconhecimento e de suas respectivas histórias. O caso do Cadeião, por exemplo, pode ser utilizado como tema para um trabalho acerca do respeito, da ética, dos direitos humanos e dos deveres. Ainda no que se refere à Cidadania e à Ética, pode ser abordada a importância da mobilização, como no caso da reivindicação do asfalto por parte dos moradores da Rua Sergipe. Em relação ao Museu de Arte, é possível abordar conteúdos referentes à

33 As aventuras disciplina de Artes, especialmente no que se refere ao Modernismo, com destaque para os arquitetos João Batista Vilanova Artigas e Carlos Cascaldi, que projetaram o prédio da antiga rodoviária, tombado pela Coordenadoria do Patrimônio Cultural da Secretaria de Estado da Cultura do Paraná, sendo este o primeiro prédio de arquitetura moderna tombado no interior do país. As distâncias e sua relativização no decorrer do tempo também constituem um tema apresentado no livro: o Lago Igapó, que hoje está perto do Centro, ficava longe na época de sua construção. O mesmo pode ser dito do Bosque Municipal Marechal Cândido Rondon, hoje integrado à Rua Sergipe no que chamamos de Centro Histórico, mas que poderia ser considerado distante nos primeiros anos da cidade. Ainda em relação ao Lago Igapó, é possível abordar as inovações da engenharia adotadas na construção de sua barragem, que se deu a partir do represamento do Ribeirão Cambezinho. Podese, ainda, aproveitar para abordar a questão dos rios e fundos de vale da cidade, sua importância para o meio ambiente, sua manutenção, as dificuldades em mantê-los limpos, dentre outros aspectos. Na linha da Ciência e Tecnologia, além das possibilidades apontadas pela construção da barragem, é possível abordar a pavimentação das ruas, sua constituição, bem como os tipos de via (rua/avenida/via expressa/rodovia/vicinal). Há, ainda, a evolução das técnicas construtivas, desde as casas de madeira, passando pelas construções em alvenaria e, posteriormente, concreto armado, vidros, aço etc., sendo possível, em Londrina, observar edificações realizadas a partir de todas essas técnicas. Por fim, é possível, ainda, tratar dos Meios de Transporte, o tempo de deslocamento (quanto tempo demora uma viagem a cavalo, de ônibus, de trem, de avião? É possível utilizar apenas um meio de transporte para viajarmos para todos os lugares?), as estações de embarque/ desembarque, suas modificações e efeitos na vida cotidiana. Ainda podemos observar nas ruas da cidade carroceiros transportando móveis, entulhos e materiais de construção, integrando o trânsito juntamente com carros, caminhões, motos, bicicletas e carrinhos que coletam material reciclável. 31

34 As aventuras 32 No que se refere à Língua Portuguesa, além da leitura e compreensão da história, os alunos poderão procurar as palavras desconhecidas no dicionário, comparando com o glossário apresentado no final do livro. Pode-se solicitar, ainda, que busquem os antônimos das referidas palavras. Também podem ser sugeridas pesquisas com os familiares para identificarem outros termos da Língua Portuguesa que não são mais utilizados ou mesmo a mudança na grafia motivando uma reflexão sobre o fato de que a linguagem é algo em constante transformação, e que se modifica com o tempo para acompanhar as mudanças da sociedade, dos costumes e até mesmo dos meios de comunicação. Para tanto, é possível, por exemplo, comparar a linguagem utilizada no anúncio de jornal que os comerciantes da história fizeram com a linguagem hoje utilizada nos bate-papos da internet; como Londrina é uma cidade formada pela chegada de diferentes povos, é possível, também, abordar questões ligadas à influência da língua desses povos na constituição das palavras e dos sotaques, como, por exemplo, a utilização de diferentes palavras para designar o mesmo objeto, as diferentes maneiras de se pronunciar o r etc. No que diz respeito à Literatura, a compreensão da história do gato, assim como a narração da própria história familiar de cada aluno, pode ser explorada pelo professor de língua portuguesa como uma forma de trabalhar os elementos que constituem uma narrativa, como enredo, personagens, narrador, tempo e espaço. É possível, ainda, transformar o texto narrativo em texto dramático, adaptando a história do gato para uma peça teatral. Por fim, resta-nos dizer que não tivemos a pretensão de organizar um roteiro para a leitura deste livro, tampouco para o desenvolvimento das aulas. O objetivo é sugerir algumas questões que nos motivaram na escrita e organização do livro. Esperamos que tenham, ao ler, a mesma satisfação que tivemos ao realizar as oficinas com as crianças e ao confeccionar este livro.

35 Conselho Editorial Damares Tomasin Biazin (Presidente) Luis Marcelo Martins Luciana Grange Ivan Prado Junior João Antonio Cyrino Zequi Henrique Afonso Pipolo Suhaila Mahmoud Smaili Santos Ilvili Andrea Werner Maira Salomao Fortes Marta Regina Furlan de Oliveira Denise Hernandes Tinoco Sergio Akio Tanaka José Martins Trigueiro Neto Coordenador do Conselho Editorial Leandro Henrique Magalhaes

36 As aventuras Esta publicação é destinada a alunos do Ensino Fundamental e faz parte das ações do Projeto Educação Patrimonial VI - Memórias da Rua, desenvolvido em De maneira lúdica, o personagem principal - o Gato Caixeiro, traz à luz a História de Londrina através da implementação da Rua Sergipe, demonstrando que nossas vivências e repertório estão entrelaçados com o desenvolvimento da cidade, resgatando e valorizando a memória coletiva e o patrimônio londrinense junto às nossas crianças. Estas reflexões surgiram a partir de oficinas realizadas no Museu de Arte de Londrina, ministradas a alunos de três escolas da rede pública e particular do município. Patrocínio Apoio

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008 Humberto Cordeiro Carvalho admitido pela companhia em 1 de julho de 1981. Eu nasci em 25 de maio de 55 em Campos do Goytacazes. FORMAÇÃO Segundo grau Escola

Leia mais

Sei... Entra, Fredo, vem tomar um copo de suco, comer um biscoito. E você também, Dinho, que está parado aí atrás do muro!

Sei... Entra, Fredo, vem tomar um copo de suco, comer um biscoito. E você também, Dinho, que está parado aí atrás do muro! Capítulo 3 N o meio do caminho tinha uma casa. A casa da Laila, uma menina danada de esperta. Se bem que, de vez em quando, Fredo e Dinho achavam que ela era bastante metida. Essas coisas que acontecem

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

Patrocínio Institucional Parceria Apoio

Patrocínio Institucional Parceria Apoio Patrocínio Institucional Parceria Apoio InfoReggae - Edição 80 Memória Oral 24 de abril de 2015 O Grupo AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através da cultura e da arte,

Leia mais

DIRETORIA DE ENSINO/GERÊNCIA DE FORMAÇÃO CONTINUADA

DIRETORIA DE ENSINO/GERÊNCIA DE FORMAÇÃO CONTINUADA DIRETORIA DE ENSINO/GERÊNCIA DE FORMAÇÃO CONTINUADA Autores: Ana Cláudia Cerini Trevisan Leandro Henrique Magalhães Ilustrações: Sassá MATERIAL INTERDISCIPLINAR ELABORADO PELAS ASSESSORAS DA EQUIPE DE

Leia mais

Para gostar de pensar

Para gostar de pensar Rosângela Trajano Para gostar de pensar Volume III - 3º ano Para gostar de pensar (Filosofia para crianças) Volume III 3º ano Para gostar de pensar Filosofia para crianças Volume III 3º ano Projeto editorial

Leia mais

ano Literatura, Leitura e Reflexão Se m e s t re A r ua de José Ricardo Moreira

ano Literatura, Leitura e Reflexão Se m e s t re A r ua de José Ricardo Moreira 2- Literatura, Leitura e Reflexão 2- ano o Se m e s t re A r ua de s o n s o d o t José Ricardo Moreira PEI_LLR_2ano_2S_H1.indb 1 12/06/2012 18:18:06 Capítulo 1 A sua rua tem calçada? A minha tem! A sua

Leia mais

Agrupamento de Escolas Pioneiras da Aviação Portuguesa EB1/JI Vasco Martins Rebolo

Agrupamento de Escolas Pioneiras da Aviação Portuguesa EB1/JI Vasco Martins Rebolo Era uma vez a família Rebolo, muito simpática e feliz que vivia na Amadora. Essa família era constituída por quatro pessoas, os pais Miguel e Natália e os seus dois filhos Diana e Nuno. Estávamos nas férias

Leia mais

A.C. Ilustrações jordana germano

A.C. Ilustrações jordana germano A.C. Ilustrações jordana germano 2013, O autor 2013, Instituto Elo Projeto gráfico, capa, ilustração e diagramação: Jordana Germano C736 Quero-porque-quero!! Autor: Alexandre Compart. Belo Horizonte: Instituto

Leia mais

MANUAL DOS PAIS UM PROJETO DESTINADO ÀS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

MANUAL DOS PAIS UM PROJETO DESTINADO ÀS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 UM PROJETO DESTINADO ÀS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL É hora de promover a segurança e a harmonia no trânsito. E os pais podem dar o exemplo. No Brasil, o índice

Leia mais

Anexo 2.1 - Entrevista G1.1

Anexo 2.1 - Entrevista G1.1 Entrevista G1.1 Entrevistado: E1.1 Idade: Sexo: País de origem: Tempo de permanência 51 anos Masculino Cabo-verde 40 anos em Portugal: Escolaridade: Imigrações prévias : São Tomé (aos 11 anos) Língua materna:

Leia mais

PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS

PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - PORTUGUÊS - 8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================== BRINCADEIRA Começou

Leia mais

Carnaval 2014. A Sociedade Rosas de Ouro orgulhosamente apresenta o enredo: Inesquecível

Carnaval 2014. A Sociedade Rosas de Ouro orgulhosamente apresenta o enredo: Inesquecível Carnaval 2014 A Sociedade Rosas de Ouro orgulhosamente apresenta o enredo: Inesquecível Nesta noite vamos fazer uma viagem! Vamos voltar a um tempo que nos fez e ainda nos faz feliz, porque afinal como

Leia mais

coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - u s a r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - u s a r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - Sou so profes r a, Posso m a s n ão parar d aguento m e ai ensinar s? d a r a u la s Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A

Leia mais

Chantilly, 17 de outubro de 2020.

Chantilly, 17 de outubro de 2020. Chantilly, 17 de outubro de 2020. Capítulo 1. Há algo de errado acontecendo nos arredores dessa pequena cidade francesa. Avilly foi completamente afetada. É estranho descrever a situação, pois não encontro

Leia mais

Professor BÓRIS em O DIREITO DE SER CRIANÇA

Professor BÓRIS em O DIREITO DE SER CRIANÇA Professor BÓRIS em O DIREITO DE SER CRIANÇA AUTORA Luciana de Almeida COORDENAÇÃO EDITORIAL Sílnia N. Martins Prado REVISÃO DE TEXTO Katia Rossini PROJETO GRÁFICO E DIAGRAMAÇÃO Linea Creativa ILUSTRAÇÕES

Leia mais

Projeto. Pedagógico QUEM MEXEU NA MINHA FLORESTA?

Projeto. Pedagógico QUEM MEXEU NA MINHA FLORESTA? Projeto Pedagógico QUEM MEXEU NA MINHA FLORESTA? 1 Projeto Pedagógico Por Beatriz Tavares de Souza* Apresentação O livro tem como tema o meio ambiente em que mostra o homem e a destruição da natureza,

Leia mais

A PREENCHER PELO ALUNO

A PREENCHER PELO ALUNO Prova Final do 1.º e do 2.º Ciclos do Ensino Básico PLNM (A2) Prova 43 63/2.ª Fase/2015 Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho A PREENCHER PELO ALUNO Nome completo Documento de identificação Assinatura

Leia mais

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES:

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES: Atividades gerais: Verbos irregulares no - ver na página 33 as conjugações dos verbos e completar os quadros com os verbos - fazer o exercício 1 Entrega via e-mail: quarta-feira 8 de julho Verbos irregulares

Leia mais

A DIVERSIDADE NA ESCOLA

A DIVERSIDADE NA ESCOLA Tema: A ESCOLA APRENDENDO COM AS DIFERENÇAS. A DIVERSIDADE NA ESCOLA Quando entrei numa escola, na 1ª série, aos 6 anos, tinha uma alegria verdadeira com a visão perfeita, não sabia ler nem escrever, mas

Leia mais

NOÇÕES DE VELOCIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Palavras Chave: Conhecimentos físicos. Noções iniciais de velocidade. Matemática na Educação Infantil.

NOÇÕES DE VELOCIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Palavras Chave: Conhecimentos físicos. Noções iniciais de velocidade. Matemática na Educação Infantil. NOÇÕES DE VELOCIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL Jéssica da Costa Ricordi 1 Janaína Felício Stratmam 2 Vanessa Grebogi 3 Neila Tonin Agranionih 4 Resumo: O trabalho tem como objetivo relatar uma sequência didática

Leia mais

"A felicidade consiste em preparar o futuro, pensando no presente e esquecendo o passado se foi triste"

A felicidade consiste em preparar o futuro, pensando no presente e esquecendo o passado se foi triste "A felicidade consiste em preparar o futuro, pensando no presente e esquecendo o passado se foi triste" John Ruskin "O Instituto WCF-Brasil trabalha para promover e defender os direitos das crianças e

Leia mais

Autor (a): Januária Alves

Autor (a): Januária Alves Nome do livro: Crescer não é perigoso Editora: Gaivota Autor (a): Januária Alves Ilustrações: Nireuda Maria Joana COMEÇO DO LIVRO Sempre no fim da tarde ela ouvia no volume máximo uma musica, pois queria

Leia mais

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Meu nome é Alexandre da Silva França. Eu nasci em 17 do sete de 1958, no Rio de Janeiro. FORMAÇÃO Eu sou tecnólogo em processamento de dados. PRIMEIRO DIA

Leia mais

Meu pássaro de papel

Meu pássaro de papel ALUNO (A): ANO: 3º TURMA: (A) (C) PROFESSOR (A): VALOR DA AVALIAÇÃO: 40 pontos DATA: CENTRO EDUCACIONAL SAGRADA FAMÍLIA 22 / 08 / 2013 TRIMESTRE: 2º NOTA: COMPONENTE CURRICULAR: LÍNGUA PORTUGUESA ENSINO

Leia mais

Informativo Mensal ANIVERSÁRIO DO COLÉGIO INOVATI

Informativo Mensal ANIVERSÁRIO DO COLÉGIO INOVATI Informativo Mensal Março 2015 ANIVERSÁRIO DO COLÉGIO INOVATI No dia 13 de março comemoramos o 26º aniversário do Colégio Inovati com nossos alunos, professores e funcionários. Num ambiente alegre e festivo

Leia mais

Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar

Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar CATEGORIAS OBJECTIVOS ESPECÍFICOS S. C. Sim, porque vou para a beira de um amigo, o Y. P5/E1/UR1 Vou jogar à bola, vou aprender coisas. E,

Leia mais

_Márcio Moreno, 28 Sou um rapaz comum da geração do raprockandrollpsicodeliahardcoreragga. marciomoreno.com

_Márcio Moreno, 28 Sou um rapaz comum da geração do raprockandrollpsicodeliahardcoreragga. marciomoreno.com 23 24 25 _Márcio Moreno, 28 Sou um rapaz comum da geração do raprockandrollpsicodeliahardcoreragga. marciomoreno.com 26 27 Joe Navalha, 2013 28 TEXTO POR CAIO BASTOS Restam duas opções, ao se deparar com

Leia mais

CENTRO HISTÓRICO EMBRAER. Entrevista: Eustáquio Pereira de Oliveira. São José dos Campos SP. Abril de 2011

CENTRO HISTÓRICO EMBRAER. Entrevista: Eustáquio Pereira de Oliveira. São José dos Campos SP. Abril de 2011 CENTRO HISTÓRICO EMBRAER Entrevista: Eustáquio Pereira de Oliveira São José dos Campos SP Abril de 2011 Apresentação e Formação Acadêmica Meu nome é Eustáquio, estou com sessenta anos, nasci em Minas Gerais,

Leia mais

Lúmini Art Centro de Pesquisa, Cultura e Ação Social. O Projeto Social Luminando

Lúmini Art Centro de Pesquisa, Cultura e Ação Social. O Projeto Social Luminando Lúmini Art Centro de Pesquisa, Cultura e Ação Social O Projeto Social Luminando O LUMINANDO O Luminando surgiu como uma ferramenta de combate à exclusão social de crianças e adolescentes de comunidades

Leia mais

PARA CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL

PARA CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL Panorama Social Viviani Bovo - Brasil 1 RELATÓRIO FINAL PARA CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL PANORAMA SOCIAL Viviani Bovo Campinas - Brasil Panorama Social Viviani Bovo - Brasil 2 Relatório para Certificação

Leia mais

PEÇA TEATRAL TÍTULO: RETRATO DOS FILHOS DAS FAMILIAS QUE ACOMPANHAM E DAS QUE NÃO ACOMPANHAM A VIDA ESCOLAR

PEÇA TEATRAL TÍTULO: RETRATO DOS FILHOS DAS FAMILIAS QUE ACOMPANHAM E DAS QUE NÃO ACOMPANHAM A VIDA ESCOLAR 1 MOBILIZAÇÃO SOCIAL PELA EDUCAÇÃO COMITÊ LOCAL DE ICATU Travessa Professor Francisco Castro, Nº 32 - Centro Icatu-MA / Fone (98) 3362-1188 / 88732737 E-mail: lucinhavidal2009@hotmail.com.br PEÇA TEATRAL

Leia mais

Crianças e Meios Digitais Móveis TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS

Crianças e Meios Digitais Móveis TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS Crianças e Meios Digitais Móveis Lisboa, 29 de novembro de 2014 TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS Educação para o uso crítico da mídia 1. Contexto

Leia mais

Unidade II Cultura: a pluralidade na expressão humana Aula 13.1 Conteúdo: Outras formas de narrar: o conto

Unidade II Cultura: a pluralidade na expressão humana Aula 13.1 Conteúdo: Outras formas de narrar: o conto 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade II Cultura: a pluralidade na expressão humana Aula 13.1 Conteúdo: Outras formas de narrar: o conto 3 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO

Leia mais

coleção Conversas #22 - maio 2015 - Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #22 - maio 2015 - Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. coleção Conversas #22 - maio 2015 - assistente social. agora? Sou E Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da Editora AfroReggae nasceu com o desejo

Leia mais

Índice Geral. Índice de Autores

Índice Geral. Índice de Autores Victor Fernandes 1 Índice Geral A perua-galinha 3 A vida de um porco chamado Ricky 4 Um burro chamado Burro 5 O atrevido 6 O Burro que abandonou a família por causa de uma rã 7 A burra Alfazema 8 Índice

Leia mais

EXPLORANDO A OBRA (ALUNOS SENTADOS EM CÍRCULO)

EXPLORANDO A OBRA (ALUNOS SENTADOS EM CÍRCULO) Explorando a obra EXPLORANDO A OBRA (ALUNOS SENTADOS EM CÍRCULO) INTRODUÇÃO Antes da leitura Peça para que seus alunos observem a capa por alguns instantes e faça perguntas: Qual é o título desse livro?

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 29 Discurso na cerimónia de premiação

Leia mais

EDUCAÇÃO E PROGRESSO: A EVOLUÇÃO DO ESPAÇO FÍSICO DA ESCOLA ESTADUAL ELOY PEREIRA NAS COMEMORAÇÕES DO SEU JUBILEU

EDUCAÇÃO E PROGRESSO: A EVOLUÇÃO DO ESPAÇO FÍSICO DA ESCOLA ESTADUAL ELOY PEREIRA NAS COMEMORAÇÕES DO SEU JUBILEU 1 EDUCAÇÃO E PROGRESSO: A EVOLUÇÃO DO ESPAÇO FÍSICO DA ESCOLA ESTADUAL ELOY PEREIRA NAS COMEMORAÇÕES DO SEU JUBILEU Resumo Rodrigo Rafael Pinheiro da Fonseca Universidade Estadual de Montes Claros digasmg@gmail.com

Leia mais

Peça de Teatro Sinopse Argumento

Peça de Teatro Sinopse Argumento 1 Peça de Teatro Sinopse Duas crianças da comunidade...(comunidade local onde será encenada a peça) se encontram, conversam à respeito de limpar a rua e ser útil de alguma forma para o meio em que habitam.

Leia mais

Estórias de Iracema. Maria Helena Magalhães. Ilustrações de Veridiana Magalhães

Estórias de Iracema. Maria Helena Magalhães. Ilustrações de Veridiana Magalhães Estórias de Iracema Maria Helena Magalhães Ilustrações de Veridiana Magalhães 2 No dia em que Iracema e Lipe voltaram para visitar a Gê, estava o maior rebuliço no hospital. As duas crianças ficaram logo

Leia mais

A BONITEZA DO OLHAR INFANTIL NA PERSPECTIVA EMANCIPADORA: Ensinar e aprender em diálogo com os saberes das crianças

A BONITEZA DO OLHAR INFANTIL NA PERSPECTIVA EMANCIPADORA: Ensinar e aprender em diálogo com os saberes das crianças A BONITEZA DO OLHAR INFANTIL NA PERSPECTIVA EMANCIPADORA: Ensinar e aprender em diálogo com os saberes das crianças PADILHA, Aparecida Arrais PMSP cidarrais@yahoo.com.br Resumo: Este artigo apresenta uma

Leia mais

AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE

AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE Mesmo não acreditando na Educação Criativa, o professor pode fazer uma experiência para ver o resultado. É o caso da professora deste relato. Glorinha Aguiar glorinhaaguiar@uol.com.br

Leia mais

coleção Conversas #14 - outubro 2014 - e r r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #14 - outubro 2014 - e r r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. não Eu Não r que o f existe coleção Conversas #14 - outubro 2014 - a z fu e r tu r uma fa o para c ul m d im ad? e. Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 68 Discurso na cerimónia de lançamento

Leia mais

PRÁTICAS METODOLÓGICAS PARA ENSINO E APRENDIZAGEM DA CARTOGRAFIA NO ENSINO FUNDAMENTAL

PRÁTICAS METODOLÓGICAS PARA ENSINO E APRENDIZAGEM DA CARTOGRAFIA NO ENSINO FUNDAMENTAL PRÁTICAS METODOLÓGICAS PARA ENSINO E APRENDIZAGEM DA CARTOGRAFIA NO ENSINO FUNDAMENTAL José Euriques de Vasconcelos Neto (UFCG); Dennis Cláudio Ferreira (UFCG) Resumo O atual sistema educacional tem buscado

Leia mais

12/02/2010. Presidência da República Secretaria de Imprensa Discurso do Presidente da República

12/02/2010. Presidência da República Secretaria de Imprensa Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de inauguração da Escola Municipal Jornalista Jaime Câmara e alusiva à visita às unidades habitacionais do PAC - Pró-Moradia no Jardim do Cerrado e Jardim Mundo

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 25 Discurso na cerimónia de entrega

Leia mais

Era uma vez um príncipe que morava num castelo bem bonito e adorava

Era uma vez um príncipe que morava num castelo bem bonito e adorava O Príncipe das Histórias Era uma vez um príncipe que morava num castelo bem bonito e adorava histórias. Ele gostava de histórias de todos os tipos. Ele lia todos os livros, as revistas, os jornais, os

Leia mais

Atividade: Leitura e interpretação de texto. Português- 8º ano professora: Silvia Zanutto

Atividade: Leitura e interpretação de texto. Português- 8º ano professora: Silvia Zanutto Atividade: Leitura e interpretação de texto Português- 8º ano professora: Silvia Zanutto Orientações: 1- Leia o texto atentamente. Busque o significado das palavras desconhecidas no dicionário. Escreva

Leia mais

05/12/2006. Discurso do Presidente da República

05/12/2006. Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, no encerramento da 20ª Reunião Ordinária do Pleno Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social Palácio do Planalto, 05 de dezembro de 2006 Eu acho que não cabe discurso aqui,

Leia mais

Palavras do autor. Escrever para jovens é uma grande alegria e, por que não dizer, uma gostosa aventura.

Palavras do autor. Escrever para jovens é uma grande alegria e, por que não dizer, uma gostosa aventura. Palavras do autor Escrever para jovens é uma grande alegria e, por que não dizer, uma gostosa aventura. Durante três anos, tornei-me um leitor voraz de histórias juvenis da literatura nacional, mergulhei

Leia mais

Programa de Pós Graduação em Educação da FCT/UNESP, Presidente Prudente, SP. depenna05@yahoo.com.br

Programa de Pós Graduação em Educação da FCT/UNESP, Presidente Prudente, SP. depenna05@yahoo.com.br Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 18 a 22 de outubro, 2010 799 INTERVENÇÃO EM ARTE COM O AUXÍLIO DO SOFTWARE PHOTOSHOP Denise Penna Quintanilha Programa de Pós Graduação em

Leia mais

INTRODUÇÃO. Fui o organizador desse livro, que contém 9 capítulos além de uma introdução que foi escrita por mim.

INTRODUÇÃO. Fui o organizador desse livro, que contém 9 capítulos além de uma introdução que foi escrita por mim. INTRODUÇÃO LIVRO: ECONOMIA E SOCIEDADE DIEGO FIGUEIREDO DIAS Olá, meu caro acadêmico! Bem- vindo ao livro de Economia e Sociedade. Esse livro foi organizado especialmente para você e é por isso que eu

Leia mais

Histórico do livro Menino brinca de boneca?

Histórico do livro Menino brinca de boneca? Histórico do livro Menino brinca de boneca? Menino brinca de boneca? foi lançado em 1990, com grande aceitação de público e crítica, e vem sendo referência de trabalho para profissionais, universidades,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 37 Discurso na cerimónia de retomada

Leia mais

JONAS RIBEIRO. ilustrações de Suppa

JONAS RIBEIRO. ilustrações de Suppa JONAS RIBEIRO ilustrações de Suppa Suplemento do professor Elaborado por Camila Tardelli da Silva Deu a louca no guarda-roupa Supl_prof_ Deu a louca no guarda roupa.indd 1 02/12/2015 12:19 Deu a louca

Leia mais

Leya Leituras Projeto de Leitura

Leya Leituras Projeto de Leitura Leya Leituras Projeto de Leitura Nome do livro: JAPĨĨ E JAKÃMĨ Uma história de amizade Autor: Yaguarê Yamã Nacionalidade do autor: Brasileira Currículo do autor: Escritor, professor e artista plástico

Leia mais

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri Copenhague-Dinamarca, 01 de outubro de 2009 Bem, primeiro dizer a vocês da alegria de poder estar

Leia mais

10 coisas que cachorros ensinam sobre o que de fato importa

10 coisas que cachorros ensinam sobre o que de fato importa 10 coisas que cachorros ensinam sobre o que de fato importa Cães são uma fonte constante de amor e diversão, mas, além disso, nos ensinam algumas das maiores lições de nossas vidas Debbie Gisonni, do Cachorro:

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

Iracema estava na brinquedoteca

Iracema estava na brinquedoteca Estórias de Iracema Maria Helena Magalhães Ilustrações de Veridiana Magalhães Iracema estava na brinquedoteca com toda a turma quando recebeu a notícia de que seu sonho se realizaria. Era felicidade que

Leia mais

Fantasmas da noite. Uma peça de Hayaldo Copque

Fantasmas da noite. Uma peça de Hayaldo Copque Fantasmas da noite Uma peça de Hayaldo Copque Peça encenada dentro de um automóvel na Praça Roosevelt, em São Paulo-SP, nos dias 11 e 12 de novembro de 2011, no projeto AutoPeças, das Satyrianas. Direção:

Leia mais

Ao longo deste 2 semestre, a turma dos 1 anos vivenciaram novas experiências e aprendizados que contemplaram suas primeiras conquistas do semestre

Ao longo deste 2 semestre, a turma dos 1 anos vivenciaram novas experiências e aprendizados que contemplaram suas primeiras conquistas do semestre Ao longo deste 2 semestre, a turma dos 1 anos vivenciaram novas experiências e aprendizados que contemplaram suas primeiras conquistas do semestre anterior, dentro de contextos que buscavam enfatizar o

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 49 Discurso no encontro com grupo

Leia mais

Projetos e Referencial Curricular Nacional par a a Educação Infantil

Projetos e Referencial Curricular Nacional par a a Educação Infantil Projetos e Referencial Curricular Nacional par a a Educação Infantil Maévi Anabel Nono UNESP Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas Departamento de Educação São José do Rio Preto A descoberta

Leia mais

FUGA de Beatriz Berbert

FUGA de Beatriz Berbert FUGA de Beatriz Berbert Copyright Beatriz Berbert Todos os direitos reservados juventudecabofrio@gmail.com Os 13 Filmes 1 FUGA FADE IN: CENA 1 PISCINA DO CONDOMÍNIO ENTARDECER Menina caminha sobre a borda

Leia mais

Ler em família: viagens partilhadas (com a escola?)

Ler em família: viagens partilhadas (com a escola?) Ler em família: viagens partilhadas (com a escola?) Ação nº41/2012 Formadora: Madalena Moniz Faria Lobo San-Bento Formanda: Rosemary Amaral Cabral de Frias Introdução Para se contar histórias a crianças,

Leia mais

A Corte Chegou Cândida Vilares e Vera Vilhena PROJETO DE LEITURA. Ficha Autoras: Romance histórico. As autoras A vivência como professoras

A Corte Chegou Cândida Vilares e Vera Vilhena PROJETO DE LEITURA. Ficha Autoras: Romance histórico. As autoras A vivência como professoras A Corte Chegou Cândida Vilares e Vera Vilhena PROJETO DE LEITURA 1 As autoras A vivência como professoras foi a base de trabalho das autoras. Na sala de aula, puderam conviver com a realidade de leitura

Leia mais

Desenvolvimento sustentável: o que é e como alcançar? 1. Marina Silva 2

Desenvolvimento sustentável: o que é e como alcançar? 1. Marina Silva 2 Desenvolvimento sustentável: o que é e como alcançar? 1 Boa tarde a todos e a todas! Marina Silva 2 Quero dizer que é motivo de muita satisfação participar de eventos como esse porque estamos aqui para

Leia mais

2ª SEMANA NACIONAL DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA MARÇO

2ª SEMANA NACIONAL DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA MARÇO Design & Saúde Financeira para maiores de 50 anos Vera Damazio Laboratório Design Memória Emoção :) labmemo (: O que Design tem a ver com Saúde Financeira para maiores de 50 anos? E o que faz um Laboratório

Leia mais

Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães. Conhecendo a Cidade

Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães. Conhecendo a Cidade 1 Guia do Professor Episódio Conhecendo a Cidade Programa Vozes da Cidade Apresentação Como já vimos nos trabalhos desenvolvidos para o episódio 1, os trabalhos para o episódio 2 também trazem várias questões

Leia mais

SAMUEL, O MENINO SERVO DE DEUS

SAMUEL, O MENINO SERVO DE DEUS Bíblia para crianças apresenta SAMUEL, O MENINO SERVO DE DEUS Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Janie Forest Adaptado por: Lyn Doerksen O texto bíblico desta história é extraído ou adaptado da Bíblia

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADE

RELATÓRIO DE ATIVIDADE RELATÓRIO DE ATIVIDADE A IMPORTÂNCIA DE CADA ALIMENTO Coordenador da atividade: Thaís Canto Cury Integrantes da equipe: Manha: Bianca Domingues, Fernando Peixoto e Juliana Ravelli Tarde: Thaís Cury, Thalita

Leia mais

Os encontros de Jesus. sede de Deus

Os encontros de Jesus. sede de Deus Os encontros de Jesus 1 Jo 4 sede de Deus 5 Ele chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, que ficava perto das terras que Jacó tinha dado ao seu filho José. 6 Ali ficava o poço de Jacó. Era mais ou

Leia mais

Superando Seus Limites

Superando Seus Limites Superando Seus Limites Como Explorar seu Potencial para ter mais Resultados Minicurso Parte VI A fonte do sucesso ou fracasso: Valores e Crenças (continuação) Página 2 de 16 PARTE 5.2 Crenças e regras!

Leia mais

Informativo G3 Abril 2011 O início do brincar no teatro

Informativo G3 Abril 2011 O início do brincar no teatro Informativo G3 Abril 2011 O início do brincar no teatro Professora Elisa Brincar, explorar, conhecer o corpo e ouvir histórias de montão são as palavras que traduzem o trabalho feito com o G3. Nesse semestre,

Leia mais

1. Você conhecia a história do bairro de Pinheiros? sim não 4 19

1. Você conhecia a história do bairro de Pinheiros? sim não 4 19 1. Você conhecia a história do bairro de Pinheiros? sim não 4 19 Você conhecia a história do bairro de Pinheiros? sim 17% não 83% 2. O que achou da transformação do Largo de Pinheiros? Diferente, muito

Leia mais

O PATINHO QUE NÃO QUERIA APRENDER A VOAR

O PATINHO QUE NÃO QUERIA APRENDER A VOAR Numa bela manhã, nasceram seis lindos patinhos que encheram de encanto seus pais. Eram amarelinhos e fofinhos. Um dos patinhos recebeu o nome de Taco. Mamãe e papai estavam muito felizes com seus filhotes.

Leia mais

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES Introdução ao tema A importância da mitologia grega para a civilização ocidental é tão grande que, mesmo depois de séculos, ela continua presente no nosso imaginário. Muitas

Leia mais

Para início de conversa 9. Família, a Cia. Ltda. 13. Urca, onde moro; Rio, onde vivo 35. Cardápio de lembranças 53

Para início de conversa 9. Família, a Cia. Ltda. 13. Urca, onde moro; Rio, onde vivo 35. Cardápio de lembranças 53 Rio de Janeiro Sumário Para início de conversa 9 Família, a Cia. Ltda. 13 Urca, onde moro; Rio, onde vivo 35 Cardápio de lembranças 53 O que o homem não vê, a mulher sente 75 Relacionamentos: as Cias.

Leia mais

A Turma da Tabuada 3

A Turma da Tabuada 3 A Turma da Tabuada 3 Resumo Aprender brincando e brincando para aprender melhor. É dessa forma que a turma da tabuada nos levará a mais uma grande aventura pelo mundo do espaço e das formas. Na primeira

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na visita ao Assentamento Lulão

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na visita ao Assentamento Lulão , Luiz Inácio Lula da Silva, na visita ao Assentamento Lulão Santa Cruz de Cabrália-BA, 28 de setembro de 2005 Meu caro governador Paulo Souto, governador do estado da Bahia, Meu querido companheiro Miguel

Leia mais

Todos a favor da agilidade

Todos a favor da agilidade Todos a favor da agilidade Você sabia que agora os inventários, partilhas, separações e divórcios podem ser feitos no cartório? Pois é! Agora os cidadãos tiveram suas vidas facilitadas! Esses atos podem

Leia mais

Conheça também! As demais disciplinas desta coleção nas páginas 4, 8, 32, 36, 72 e 90.

Conheça também! As demais disciplinas desta coleção nas páginas 4, 8, 32, 36, 72 e 90. porta aberta Nova edição Geografia 2º ao 5º ano O estudo das categorias lugar, paisagem e espaço tem prioridade nesta obra. 25383COL05 Conheça também! As demais disciplinas desta coleção nas páginas 4,

Leia mais

EDUCAÇÃO ALGÉBRICA, DIÁLOGOS E APRENDIZAGEM: UM RELATO DO TRABALHO COM UMA PROPOSTA DIDÁTICA 1

EDUCAÇÃO ALGÉBRICA, DIÁLOGOS E APRENDIZAGEM: UM RELATO DO TRABALHO COM UMA PROPOSTA DIDÁTICA 1 EDUCAÇÃO ALGÉBRICA, DIÁLOGOS E APRENDIZAGEM: UM RELATO DO TRABALHO COM UMA PROPOSTA DIDÁTICA 1 Claudemir Monteiro Lima Secretária de Educação do Estado de São Paulo claudemirmonteiro@terra.com.br João

Leia mais

INT. BIBLIOTECA (1960) - DIANTE DO BALCãO DA BIBLIOTECáRIA

INT. BIBLIOTECA (1960) - DIANTE DO BALCãO DA BIBLIOTECáRIA INT. BIBLIOTECA (1960) - DIANTE DO BALCãO DA BIBLIOTECáRIA Carolina e, acompanhados de, estão na biblioteca, no mesmo lugar em que o segundo episódio se encerrou.os jovens estão atrás do balcão da biblioteca,

Leia mais

Prova bimestral 5 o ano 3 o Bimestre

Prova bimestral 5 o ano 3 o Bimestre Prova bimestral 5 o ano 3 o Bimestre língua portuguesa Escola: Nome: Data: / / Turma: 1. Leia o trecho da letra da música a seguir. migrante Tantos sonhos são desfeitos Uma mãe que afaga o peito Seu filho

Leia mais

Unidade I Tecnologia: Corpo, movimento e linguagem na era da informação.

Unidade I Tecnologia: Corpo, movimento e linguagem na era da informação. Unidade I Tecnologia: Corpo, movimento e linguagem na era da informação. 1.1 Conteúdos: Apresentação do Plano Didático Pedagógico; Classificação das orações coordenadas sindéticas e inferência. 1.1 Habilidade:

Leia mais

Lanches ser hoje uma referência gastronômica em Londrina.

Lanches ser hoje uma referência gastronômica em Londrina. EntreVISTA Fotos: Divulgação/Shutterstock O grande empreendedor encara os desafios Entre esperar o livro pronto e escrevê-lo, o comerciante Arnaldo Tsuruda preferiu seguir pela segunda opção. A história

Leia mais

QUADRO V DÚVIDAS. Rodada do ICMS 2012

QUADRO V DÚVIDAS. Rodada do ICMS 2012 QUADRO V DÚVIDAS 1. Pergunta - Estou escrevendo para esclarecer algumas dúvidas a respeito das comprovações que deverão ser encaminhadas relativas ao Projeto Educar para o próximo exercício do ICMS Patrimônio

Leia mais

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak Entrevista com Ezequiel Quem é você? Meu nome é Ezequiel, sou natural do Rio de Janeiro, tenho 38 anos, fui

Leia mais

Bartolomeu Campos Queirós. Agradecemos aos parceiros que investem em nosso projeto. I SBN 85-7694 - 111-2

Bartolomeu Campos Queirós. Agradecemos aos parceiros que investem em nosso projeto. I SBN 85-7694 - 111-2 Ficava intrigado como num livro tão pequeno cabia tanta história. O mundo ficava maior e minha vontade era não morrer nunca para conhecer o mundo inteiro e saber muito da vida como a professora sabia.

Leia mais

O Convite. Roteiro de Glausirée Dettman de Araujo e. Gisele Christine Cassini Silva

O Convite. Roteiro de Glausirée Dettman de Araujo e. Gisele Christine Cassini Silva O Convite Roteiro de Glausirée Dettman de Araujo e Gisele Christine Cassini Silva FADE OUT PARA: Int./Loja de sapatos/dia Uma loja de sapatos ampla, com vitrines bem elaboradas., UMA SENHORA DE MEIA IDADE,

Leia mais

POVOS INDÍGENAS NO BRASIL. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José Montes Claros - MG

POVOS INDÍGENAS NO BRASIL. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José Montes Claros - MG POVOS INDÍGENAS NO BRASIL Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José Montes Claros - MG Conhecendo os povos indígenas Para conhecer melhor os povos indígenas, é importante estudar sua língua.

Leia mais

Veículo: Site Estilo Gestão RH Data: 03/09/2008

Veículo: Site Estilo Gestão RH Data: 03/09/2008 Veículo: Site Estilo Gestão RH Data: 03/09/2008 Seção: Entrevista Pág.: www.catho.com.br SABIN: A MELHOR EMPRESA DO BRASIL PARA MULHERES Viviane Macedo Uma empresa feita sob medida para mulheres. Assim

Leia mais

Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental

Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental Resumo Este projeto propõe a discussão da Década de Ações para a Segurança no Trânsito e a relação dessa com o cotidiano dos alunos, considerando como a prática

Leia mais

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA DESENGANO FADE IN: CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA Celular modelo jovial e colorido, escovas, batons e objetos para prender os cabelos sobre móvel de madeira. A GAROTA tem 19 anos, magra, não

Leia mais