relatório final do projecto.../pt/16/c/ /

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "relatório final do projecto.../pt/16/c/ /"

Transcrição

1 Relatório Final Estrutura 1. INTRODUÇÃO 1.1 Caracterização da Situação Antes da Intervenção 1.2 Objectivos da Intervenção 2. IDENTIFICAÇÃO DA DECISÃO 2.1 Elementos Básicos da Decisão Inicial 2.2 Alterações Introduzidas pelas Reprogramações 3. EXECUÇÃO FINANCEIRA E FÍSICA Execução anual da despesa elegível Pedidos de Pagamento e Ordens de Pagamento Execução por rubrica de despesa Custo Total do Projecto e Utilização de Empréstimos BEI e Outras Fontes Financiamento Execução por Componentes físicas Descrição dos Trabalhos realizados Indicadores de Resultado 4. RESULTADOS DA INTERVENÇÃO Cumprimento de Objectivos Indicadores de Impacte Evolução dos Pressupostos da Análise Financeira Postos de Trabalho Criados Entrada em Funcionamento das Infra-estruturas Condições de Operação e Manutenção das Infra-estruturas 5. CONDIÇÕES DE EXECUÇÃO 5.1 Análise e Justificação de Desvios Calendário Custos Configuração Problemas e medidas adoptadas 5.2 Medidas Minimizadoras de Impacte Ambiental 5.3 Cumprimento de Obrigações Específicas constantes da Decisão 1

2 6. PROCEDIMENTOS DE CONTRATAÇÃO PÚBLICA 7. MEDIDAS DE INFORMAÇÃO E PUBLICIDADE 8. ACÇÕES DE CONTROLO ANEXOS 2

3 Entidade Executora Relatório Final (nome da intervenção) 1 INTRODUÇÃO 1.1 Caracterização da situação antes da intervenção 1.2 Objectivos da intervenção 2 IDENTIFICAÇÃO DO PROJECTO 2.1 Elementos Básicos da Decisão Inicial A candidatura foi apresentada à Comissão Europeia em..., tendo-lhe sido atribuído o código.../pt/16/c/. / Foi aprovada pela Decisão... de..., a concessão de uma contribuição do Fundo de Coesão de., nos termos do plano financeiro que junto se anexa. A despesa máxima elegível é de. A taxa de Apoio comunitário concedida ao projecto foi fixada em..% Data de elegibilidade das despesas: de././. a./../. Os dados relativos à identificação da entidade executora, localização e descrição física da intervenção e respectivos objectivos constam do Anexo I à Decisão da CE que junto se anexa. 2.2 Alterações Introduzidas pelas Reprogramações Na sequência do pedido de alteração da Decisão inicial foi aprovada pela CE a Decisão modificativa... de..., que altera os pontos. do plano financeiro e do Anexo I conforme documentos em anexo. As alterações solicitadas decorreram dos seguintes factos.. 3

4 3 EXECUÇÃO FINANCEIRA E FISICA 3.1 Execução Anual da Despesa Elegível O quadro seguinte apresenta o registo anual da despesa elegível na DGDR, em comparação com os valores previstos nos planos financeiros da Decisão Inicial e da Decisão em Vigor: DT FC DT FC DT FC DT Df 1. Decisão Inicial 2. Decisão em Vigor 3. Registo DGDR 4. Taxa de Execução (4=3/2) DT Despesa Total; FC Despesa Fundo de Coesão Quadro 1 - Despesa Anual Ano n Ano n+1 Ano n+n Unid. Euro TOTAL 3.2 Pedidos de Pagamento e Ordens de Pagamento O (Designação do Executor) apresentou ao Gestor Sectorial no período compreendido entre././ e.././., despesas no montante de, tendo apenas sido consideradas elegíveis despesas no montante de... Esta despesa foi remetida à DGDR em X pedidos de pagamento e de acordo com o Quadro que se segue: Quadro 2 - Pedidos de Pagamento Unid. Euro Nº n Envio ao Sector Envio à DGDR Data Montante Data Montante Despesa Acumulada DGDR Observações "(1)" n+1 "(2)" n+2 n+n TOTAL (1) justificação de eventuais diferenças entre montante enviado ao sector e enviado à DGDR 4

5 A última factura considerada elegível foi paga em /./ Foi transferido para a conta do (Designação do Executor) pela Direcção-Geral do Tesouro, por indicação da Direcção Geral do Desenvolvimento Regional, um montante global de. repartido da seguinte forma: Quadro 3 - Ordens de Pagamento Unid. Euro Nº ORDEM DE PAGAMENTO DATA (*) VALOR TOTAL (*) data de autorização da OP citada no ofício de conhecimento da CFC 3.3 Execução por Rubrica de Despesa A despesa total registada nos pedidos de pagamento apresenta a seguinte distribuição por rubricas de despesa: Quadro 4 - Despesas por Rubrica Unid. Euro NATUREZA DA DESPESA DECISÃO INICIAL DECISÃO EM VIGOR EXECUTADO TAXA DE EXECUÇÃO "(1)" "(2)" "(3)" "(4)=(3)/(2)" Planeamento/ concepção Aquisição de Terrenos Preparação do Local Edifícios /C ons truções Equipamento Publicidade Im pos tos (IVA) Assistencia técnica (*) TOTAL (*) Sempre que possível, separar o valor da fiscalização 5

6 3.4 Custo Total do Projecto e Utilização de Empréstimos BEI e Outras Fontes de Financiamento Comunitárias 3.5 Execução por Componentes Físicas A despesa total registada nos pedidos de pagamento apresenta a seguinte distribuição por componentes: Quadro 5 - Despesa por Componentes COMPONENTES(*) Unid. Euro Custo Total TOTAL (*) Componentes definidas no Sistema de Informação (Quadro F dos pedidos de pagamento) 3.6 Descrição dos Trabalhos Realizados 3.7 Indicadores de resultado O Quadro seguinte apresenta os indicadores de resultado das componentes do projecto, reportados à data da sua conclusão: 6

7 Quadro 6 - Indicadores de Resultado COMPONENTES (*) UNIDADE PREVISTO NA DECISÃO EM VIGOR EXECUTADO TAXA DE EXECUÇÃO (1) (2) (3) = (2) / (1) (*) Componentes definidas no Sistema de Informação (Quadro C Ficha Acompanhamento) 4 RESULTADOS DA INTERVENÇÂO 4.1 Cumprimento e Objectivos Indicadores de Impacte 4.2 Evolução dos Pressupostos da Análise Financeira 4.3 Postos de Trabalho Criados Empregos Directos criados na fase de exploração (se disponível - informação relativamente aos níveis de qualificação e repartição entre Homens/ Mulheres). Postos de trabalho criados/ mantidos na fase de construção (se disponível) 4.4 Entrada em Funcionamento das Infra-estruturas 4.5 Condições de Operação e Manutenção das Infra-estruturas 7

8 5 CONDIÇÕES DE EXECUÇÃO 5.1 Análise e Justificação de Desvios Calendários O Quadro seguinte estabelece a comparação entre os calendários de execução previstos e concretizados de acordo com: as fases prévias identificadas na candidatura (estudos e projectos e contratação), a fase de construção e a de entrada em Operação: Quadro 7 - Calendário Rúbricas Estudos e Projectos Concursos Construção Entrada em Operação DATAS DE INÍCIO Decisão Concretização Inicial DATAS DE CONCLUSÃO Decisão Concretização Inicial Datas de início 1ª assinatura de contrato (estudos e projectos), 1ª publicação de anúncio (concursos) 1º auto de consignação (construção), início da prestação de serviço (operação) Datas de conclusão última recepção (estudos e projectos), última assinatura de contrato (concursos) último auto de recepção(construção), fim do contrato de concessão ou da vida útil da infraestrutura Custos Configuração Problemas e medidas adoptadas 8

9 5.2 Medidas Minimizadoras de Impacte Ambiental - Medidas adoptadas (Em articulação com recomendações do AIA quando aplicável) - Custos Associados às medidas adoptadas O quadro seguinte discrimina os custos associados às medidas adoptadas: Quadro 8 - Custo de Medidas Minimizadores de Impacte Ambiental Unid. Mil Euros Descrição das Medidas Custo Total % Inv. Total - Outras medidas (Medidas relacionadas com regulamentos de descargas, resolução de processos de contencioso, etc..) 5.3 Cumprimento de Obrigações específicas constantes das Decisões de Aprovação 6 PROCEDIMENTOS DE CONTRATAÇÃO PÚBLICA Foram levados a efeito X concursos públicos internacionais, tendo sido realizadas adjudicações no montante global de... (excluindo IVA), conforme consta do Quadro Resumo dos Procedimentos de Contratação Pública em anexo. Os autos de recepção provisória constam do Anexo... O último auto de recepção provisória, que assinala a conclusão física do projecto, foi assinado em./../ A declaração de que os projectos foram executados de acordo com as decisões da Comissão Europeia, tendo atingido os objectivos propostos, constam do Anexo 9

10 acções de publicidade relatório final do projecto.../pt/16/c/ / 7 MEDIDAS DE INFORMAÇÃO E PUBLICIDADE Tendo em conta as disposições comunitárias sobre publicidade aos apoios da União Europeia - Fundo de Coesão, foram efectuadas as seguintes acções de publicidade ao projecto: Quadro 9 - Acções de publicidade Unid. Euro Tipo de Publicidade e Descrição sucinta Data de Inicio Duração da Acção (meses) Custo da Acção Cofin. (S/N) Públicoalvo Popul. Abrang. 8 ACÇÕES DE CONTROLO 10

11 Código/ Designação de Projecto: Quadro 10 - FC II Relatório Final Quadro Resumo da Contratação Pública Despesa Tipo / Designação do Contrato Nº Empresa Componentes Montante Adjudicado Tipo de Publicação Data de Contratos Proced. Excepc. Montante Revisões de Data da PP Adjudicatária abrangidas Total Imputável ao projecto Declarada p/ procedimento JOCE/DR Contrato Adicionais dispos. Total Preços Recepção pelo contrato adjudicado Nº Montante co-financ. Data/ Ref.ª % Ac legais pago Provisória (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) (8) (9) (10) (11) (12) (13) (14) (15) (16) Obras Contrato Inicial Adicional nº 1 Adicional nº 2 Fornecimentos Sub-Total (a) 0,00 0,00 0,00 Estudos e Assistência Técnica Sub-Total (b) 0,00 0,00 0,00 Sub-Total (c) 0,00 0,00 0,00 TOTAL (a)+(b)+(c) 0,00 0,00 0,00 Nº Despesas Não Sujeitas a Contratação PP Fornecedor Componente Documento Imputável ao projecto de Despesa Nº Montante Despesa Declarada p/ co-financ. (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) (8) Sub-Total (d) 0,00 0,00 TOTAL (a)+(b)+(c)+(d) 0,00 0,00 Notas: (2) Indicar o nº do pedido de pagamento (Lista de despesa) em que cada contrato foi comunicado; (4) Por cada contrato devem ser indicadas as componentes físicas executadas; (6), (7) e (8) Quando o quadro se refere a um grupo de projectos devem ser discriminados os montantes imputáveis a cada projecto; (12) Para todos os contratos adicionais deverá ser indicada a percentagem acumulada desses contratos relativamente ao contrato inicial; (13) Para todos os procedimentos excepcionais devem ser especificados os artigos dos diplomas legais que dão cobertura ao procedimento; (14) e (15) - na coluna (14) o montante total pago inclui as revisões de preço, cujo valor é autonomizado na coluna (15); (8) O Total (a)+(b)+(c)+(d) desta coluna deve coincidir com a despesa acumulada contabilizada no pedido de saldo. 11

12 Quadro 11 - Cronograma de execução por componentes COMPONENTES Calendário aprovado na decisão da CE (a) Componente 1 Previsão inicial componente (c) Executado (d) Ano n Ano n+1 Ano n+2 Ano n+n 1º 2º 3º 4º 1º 2º 3º 4º 1º 2º 3º 4º 1º 2º 3º 4º Componente 2 Previsão inicial componente (c) Executado (d) Notas: Ano n - Ano de início da data de elegibilidade Barra de Estudos e Projectos Barra de Execução dos Trabalhos Entrada em Operação (1º trimestre) (a) entre a data de início da despesa elegível e a última data de despesa elegível. (b) conclusão física (data último auto de recepção da última componente). (c) e (d) desde o primeiro até ao último contrato necessários para a conclusão da componente. A barra de fases prévias termina com o início dos trabalhos mesmo que haja sobreposição das duas fases. No casos dos grupos de projectos em que não seja possível identificar as componentes poderá fazer-se uma apresentação por subsistema ou por projecto. 12

13 ANEXOS Plano financeiro e Anexo I da Decisão inicial Plano financeiro e Anexo I da Decisão em vigor (se diferente) Declaração de Certificação dos Trabalhos com a Decisão Declaração sobre Equipamentos Móveis Financiados, referenciando os Equipamentos Mapas de Localização de Componentes Fotografias de Obra Cópia dos Autos de Recepção Provisória (versão final sem deficiências; versão final com deficiências c/ indicação da natureza das deficiências e resolução prevista e Autos de Recepção Definitiva (caso existam) Declarações das Autoridades Ambientais (quando aplicável) Comprovativos de Publicidade (Placas de Obra, Placas Permanentes, etc) Outros Elementos e declarações (Ver pág.. 97 e 98 do Manual de Procedimentos) 13

14 14

circular ifdr Orientações para o preenchimento do formulário de declaração de despesa SÍNTESE ÍNDICE

circular ifdr Orientações para o preenchimento do formulário de declaração de despesa SÍNTESE ÍNDICE N.º 07/2009 Versão n.º 01.0 Data de aprovação: 2009/11/04 Orientações para o preenchimento do formulário de declaração de despesa Elaborada por: Unidade de Coordenação da Gestão Operacional SÍNTESE A presente

Leia mais

COMISSÃO EUROPEIA Gabinete de Cooperação EuropeAid. América Latina Gestão financeira e contratual

COMISSÃO EUROPEIA Gabinete de Cooperação EuropeAid. América Latina Gestão financeira e contratual 1 Introdução ao sistema financeiro (custos elegíveis ) Custos directos elegíveis por natureza Custos não elegíveis Período de elegibilidade Repartição das despesas financeiras em conformidade com oanexo

Leia mais

RELATÓRIO DE EXECUÇÃO FINANCEIRA

RELATÓRIO DE EXECUÇÃO FINANCEIRA PROGRAMA EUROSTARS RELATÓRIO DE EXECUÇÃO FINANCEIRA INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO ACOMPANHAMENTO FINANCEIRO COMPONENTES DO RELATÓRIO A verificação da execução financeira dos projectos EUROSTARS é suportada

Leia mais

VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL, S.R. DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL Despacho n.º 751/2009 de 9 de Julho de 2009

VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL, S.R. DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL Despacho n.º 751/2009 de 9 de Julho de 2009 VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL, S.R. DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL Despacho n.º 751/2009 de 9 de Julho de 2009 O Decreto Regulamentar n.º 84-A/2007, de 10 de Dezembro, estabeleceu o enquadramento

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 05.REV1/POFC/2009

ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 05.REV1/POFC/2009 ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 05.REV1/POFC/2009 PROCEDIMENTOS DE ENCERRAMENTO DE PROJECTOS 1. ENQUADRAMENTO No âmbito do acompanhamento dos projectos apoiados pelo POFC, importa estabelecer o conjunto de procedimentos

Leia mais

Normas de Execução Financeira

Normas de Execução Financeira PROJECTOS DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO 1. Âmbito do financiamento POCI e POS_C Normas de Execução Financeira 1.1. As verbas atribuídas destinam-se a financiar as despesas do

Leia mais

GUIA PARA O PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO PROMOÇÃO DA SAÚDE PREVENÇÃO E TRATAMENTO DA DOENÇA REDUÇÃO DE DANOS E REINSERÇÃO

GUIA PARA O PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO PROMOÇÃO DA SAÚDE PREVENÇÃO E TRATAMENTO DA DOENÇA REDUÇÃO DE DANOS E REINSERÇÃO Para efectuar o projecto a que se propõe elaborar deve ler o Regulamento de Programa de Apoio Financeiro ao abrigo da Portaria n.º 1418/2007, de 30 de Outubro, bem como o aviso de abertura do concurso.

Leia mais

EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA. Convite Público à Apresentação de Candidatura no Domínio da Assistência Técnica aos Órgãos de Gestão

EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA. Convite Público à Apresentação de Candidatura no Domínio da Assistência Técnica aos Órgãos de Gestão EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA Convite Público à Apresentação de Candidatura no EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA Convite Público à Apresentação de Candidatura no Domínio da Assistência

Leia mais

A presente norma tem por objecto a definição dos procedimentos a adoptar no que respeita à análise dos pedidos de pagamento (PP).

A presente norma tem por objecto a definição dos procedimentos a adoptar no que respeita à análise dos pedidos de pagamento (PP). 1. OBJECTO A presente norma tem por objecto a definição dos procedimentos a adoptar no que respeita à análise dos pedidos de pagamento (PP). 2. ENQUADRAMENTO JURÍDICO Decreto-Lei n.º 37-A/2008, de 5 de

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 3/2009

ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 3/2009 ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 3/2009 PROJECTOS GERADORES DE RECEITAS 1 Enquadramento A presente Orientação de Gestão aplica-se aos Projectos Geradores de Receitas, considerando a definição e os princípios gerais

Leia mais

Identificação da Candidatura Identificação do Beneficiário

Identificação da Candidatura Identificação do Beneficiário 1/5 CHECK LIST DE VERIFICAÇÃO DE PROCEDIMENTOS DE CONTRATAÇÃO PÚBLICA A PREENCHER PELO BENEFICIÁRIO PARA CADA ADJUDICAÇÃO (Adjudicações efectuadas antes da entrada em vigor do Decreto-Lei n,º18/2008, de

Leia mais

Instrumento Europeu para Democracia e Direitos Humanos

Instrumento Europeu para Democracia e Direitos Humanos Entidade Contratante: Delegação da União Europeia em Moçambique Instrumento Europeu para Democracia e Direitos Humanos Orientações destinadas aos requerentes de subvenções CORRIGENDUM Concurso restrito

Leia mais

PROGRAMA MODELAR MANUAL DE APOIO AO PROCESSO DE CANDIDATURA

PROGRAMA MODELAR MANUAL DE APOIO AO PROCESSO DE CANDIDATURA PROGRAMA MODELAR MANUAL DE APOIO AO PROCESSO DE CANDIDATURA Junho de 2009 1 MANUAL DE APOIO AO PROCESSO DE CANDIDATURA AO PROGRAMA MODELAR O Programa MODELAR tem como objectivo a atribuição de apoio financeiro

Leia mais

VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL, S.R. DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL Despacho n.º 492/2009 de 28 de Abril de 2009

VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL, S.R. DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL Despacho n.º 492/2009 de 28 de Abril de 2009 VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL, S.R. DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL Despacho n.º 492/2009 de 28 de Abril de 2009 O Decreto Regulamentar n.º 84-A/2007, de 10 de Dezembro, estabeleceu o enquadramento

Leia mais

PROCONVERGENCIA SIPOP MANUAL DO UTILIZADOR PROGRAMA OPERACIONAL DOS AÇORES PARA A CONVERGÊNCIA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

PROCONVERGENCIA SIPOP MANUAL DO UTILIZADOR PROGRAMA OPERACIONAL DOS AÇORES PARA A CONVERGÊNCIA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES PROCONVERGENCIA PROGRAMA OPERACIONAL DOS AÇORES PARA A CONVERGÊNCIA MANUAL DO UTILIZADOR FEDER Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional Versão: 1.0 Data: 08-04-2008 FICHA TÉCNICA

Leia mais

Sistemas de Apoio a Áreas de Acolhimento Empresarial e Logística (SAAAEL) Aviso para apresentação de Candidaturas em Contínuo Balcão Permanente

Sistemas de Apoio a Áreas de Acolhimento Empresarial e Logística (SAAAEL) Aviso para apresentação de Candidaturas em Contínuo Balcão Permanente Eixo Prioritário I Competitividade, Inovação e Conhecimento Sistemas de Apoio a Áreas de Acolhimento Empresarial e Logística (SAAAEL) Aviso para apresentação de Candidaturas em Contínuo Balcão Permanente

Leia mais

Conceitos. SERVIÇOS CENTRAIS Av. da Liberdade 194, 1269-051 Lisboa Tel.: 21 317 92 00 Fax: 21 317 92 16/7. Página 1

Conceitos. SERVIÇOS CENTRAIS Av. da Liberdade 194, 1269-051 Lisboa Tel.: 21 317 92 00 Fax: 21 317 92 16/7. Página 1 Conceitos Página 1 Ficha1. Plano de Actividades O que é o Plano de Actividades? O Plano de Actividades integra o processo de planeamento e constitui uma peça fundamental, a partir da qual, se define para

Leia mais

EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA

EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA Convite Público à Apresentação de Candidatura no Domínio da Assistência Técnica aos Organismos Intermédios Eixo Prioritário VI - Assistência Técnica Convite para

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE A GESTÃO DE PROJECTOS

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE A GESTÃO DE PROJECTOS Nº FICHA Nº PERGUNTA RESPOSTA 1 2 2 2 O que significa exactamente a obrigação que tem o Beneficiário Principal de organizar e manter a contabilidade da globalidade do projecto, bem como de compilar a documentação

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 1/2010

ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 1/2010 ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 1/2010 APROVADA POR DELIBERAÇÃO DA COMISSÃO DIRECTIVA DE 19-03-2010 Altera o nº 4 da Orientação de Gestão nº 7/2008 e cria o ANEXO III a preencher pelos Beneficiários para registo

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL DA CULTURA

PROGRAMA OPERACIONAL DA CULTURA PROGRAMA OPERACIONAL DA CULTURA Relatório de 2000 1. Introdução e enquadramento. 1.1 Apresentação e síntese do documento O relatório de 2000 do Programa Operacional da Cultura, constitui o 1º relatório

Leia mais

NOVA CONTABILIDADE DAS AUTARQUIAS LOCAIS

NOVA CONTABILIDADE DAS AUTARQUIAS LOCAIS NOVA CONTABILIDADE DAS AUTARQUIAS LOCAIS Decreto-Lei 54-A/99, de 22 de Fevereiro Lei 162/99, de 14 de Setembro Decreto-Lei 315/2000, de 2 de Dezembro Decreto-Lei 84-A/2002, de 5 de Abril Subgrupo de Apoio

Leia mais

APOIO AO BENEFICIÁRIO - FEDER - MAIS CENTRO GUIA DE PREENCHIMENTO DE REGISTO DE PEDIDOS DE ALTERAÇÃO A PROJECTO APROVADO

APOIO AO BENEFICIÁRIO - FEDER - MAIS CENTRO GUIA DE PREENCHIMENTO DE REGISTO DE PEDIDOS DE ALTERAÇÃO A PROJECTO APROVADO APOIO AO BENEFICIÁRIO - FEDER - MAIS CENTRO GUIA DE PREENCHIMENTO DE REGISTO DE PEDIDOS DE ALTERAÇÃO A PROJECTO APROVADO Introdução Esta informação foi concebida como apoio ao processo de submissão dos

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Despacho Sob proposta do Gestor do Programa Operacional Sociedade do Conhecimento e nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 29º do Decreto-Lei n.º 54-A/2000, de

Leia mais

Entrada em vigor em 9/08/2012 na redação dada pela deliberação CMC POVT de 8/08/2012

Entrada em vigor em 9/08/2012 na redação dada pela deliberação CMC POVT de 8/08/2012 Regulamento Específico Prevenção e Gestão de Riscos Programa Operacional Valorização do Território Deliberações CMC POVT: 15/10/2007, 19/02/2008, 26/08/2009, 25/03/2011, 6/02/2012, 20/03/2012 e 8/08/2012

Leia mais

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Eixo Prioritário IV Protecção e Valorização Ambiental ACÇÕES DE VALORIZAÇÃO E QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS ÁGUAS INTERIORES Aviso nº : CENTRO-VQA-2009-14-PIN-07

Leia mais

Saúde Aviso de Abertura de Concurso para Apresentação de Candidaturas S/1/2007

Saúde Aviso de Abertura de Concurso para Apresentação de Candidaturas S/1/2007 Saúde Aviso de Abertura de Concurso para Apresentação de Candidaturas S/1/2007 Saúde Aviso de Abertura de Concurso para Apresentação de Candidaturas S/1/2007 Nos termos do Regulamento Específico Saúde

Leia mais

PARCERIAS E PONTES MARIE CURIE ENTRE EMPRESAS E UNIVERSIDADES

PARCERIAS E PONTES MARIE CURIE ENTRE EMPRESAS E UNIVERSIDADES ANEXO III DISPOSIÇÕES ESPECÍFICAS PARCERIAS E PONTES MARIE CURIE ENTRE EMPRESAS E UNIVERSIDADES [MULTI-BENEFICIÁRIOS] III.1 Definições Para além das previstas no artigo II.1, aplicam-se à presente convenção

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL. Despacho n.º

MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL. Despacho n.º Despacho n.º Os regulamentos específicos do Programa Operacional Potencial Humano (POPH) são aprovados pela respectiva Comissão Ministerial de Coordenação, nos termos do n.º 5 do artigo 30.º do Decreto-Lei

Leia mais

Manual de Apoio à Apresentação de Candidaturas ao PRODESA, vertente do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional

Manual de Apoio à Apresentação de Candidaturas ao PRODESA, vertente do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Secretário Regional da Presidência para as Finanças e Planeamento Direcção Regional de Estudos e Planeamento Manual de Apoio à Apresentação de Candidaturas ao PRODESA, vertente

Leia mais

PROCEDIMENTO. Ref. Pcd. 3-sGRHF. Bolsas de Investigação Científica da UA, financiadas pela UA ou por outras verbas desde que não provenientes da FCT

PROCEDIMENTO. Ref. Pcd. 3-sGRHF. Bolsas de Investigação Científica da UA, financiadas pela UA ou por outras verbas desde que não provenientes da FCT PROCEDIMENTO Ref. Pcd. 3-sGRHF Bolsas de Investigação Científica da UA, financiadas pela UA ou por outras verbas desde que não provenientes da FCT Data: 14 /07/2011 Elaboração Nome: Fátima Serafim e Helena

Leia mais

COMISSÃO. 1. Introdução

COMISSÃO. 1. Introdução COMISSÃO Convite à apresentação de candidaturas para a constituição de uma lista de peritos encarregados de avaliar as propostas recebidas no âmbito do programa eten, projectos de interesse comum no domínio

Leia mais

PORTUGAL 2020. Quadro Comunitário de Apoio 2014-2020

PORTUGAL 2020. Quadro Comunitário de Apoio 2014-2020 Quadro Comunitário de Apoio 2014-2020 ÌNDICE Principais orientações e dotação orçamental Programas Operacionais e dotação orçamental específica Órgãos de Governação (Decreto-Lei n.º 137/2014 de 12 de setembro)

Leia mais

Documento de apoio à submissão de pedidos de apoio 2010

Documento de apoio à submissão de pedidos de apoio 2010 DOCUMENTO DE APOIO À SUBMISSÃO DE PEDIDOS DE PAGAMENTO Dezembro 2010 ÍNDICE DOCUMENTO DE APOIO À SUBMISSÃO DE PEDIDOS DE PAGAMENTO 1 APRESENTAÇÃO DOS PEDIDOS DE PAGAMENTO 3 ANÁLISE DOS PEDIDOS DE PAGAMENTO

Leia mais

PORTUGAL 2020. Quadro Comunitário de Apoio 2014-2020

PORTUGAL 2020. Quadro Comunitário de Apoio 2014-2020 PORTUGAL 2020 Quadro Comunitário de Apoio 2014-2020 ÍNDICE PORTUGAL 2020 A. Principais orientações e dotação orçamental B. Programas Operacionais e dotação orçamental específica C. Regras gerais de aplicação

Leia mais

Folha de Apoio ao preenchimento dos documentos que constituem o Pedido de Pagamento

Folha de Apoio ao preenchimento dos documentos que constituem o Pedido de Pagamento Folha de Apoio ao preenchimento dos documentos que constituem o Pedido de Pagamento Apoio ao preenchimento do Relatório Final de Operação (RFO) Para ajudar no preenchimento do Relatório Final de Operação

Leia mais

PARCERIA E PONTES MARIE CURIE ENTRE EMPRESAS E UNIVERSIDADES

PARCERIA E PONTES MARIE CURIE ENTRE EMPRESAS E UNIVERSIDADES ANEXO III DISPOSIÇÕES ESPECÍFICAS PARCERIA E PONTES MARIE CURIE ENTRE EMPRESAS E UNIVERSIDADES [MULTI-BENEFICIÁRIOS] III. 1 - Definições Para além das previstas no artigo II.1, aplicam-se à presente convenção

Leia mais

Diário da República, 1.ª série N.º 145 29 de Julho de 2008 5106-(19)

Diário da República, 1.ª série N.º 145 29 de Julho de 2008 5106-(19) Diário da República, 1.ª série N.º 145 29 de Julho de 2008 5106-(19) Portaria n.º 701-E/2008 de 29 de Julho O Código dos Contratos Públicos consagra a obrigação das entidades adjudicantes de contratos

Leia mais

Orientação de Gestão nº 9 (2009) PROJECTOS GERADORES DE RECEITAS

Orientação de Gestão nº 9 (2009) PROJECTOS GERADORES DE RECEITAS Orientação de Gestão nº 9 (2009) Ao abrigo do disposto na alínea a) do n.º 1 do Artigo 46.º do D.L. n.º 312/2007, alterado e republicado pelo D.L. n.º 74/2008, de 22 de Abril, e tendo em vista o disposto

Leia mais

O candidato exerce uma actividade no domínio do desporto? 4

O candidato exerce uma actividade no domínio do desporto? 4 . FORMULÁRIO DE CANDIDATURA DE 2010 ACÇÃO PREPARATÓRIA NO DOMÍNIO DO DESPORTO CONVITE À APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS EAC/22/2010 (CONCURSO ABERTO) Execução da rubrica orçamental 15.05.11 para 2010 Domínios

Leia mais

COMISSÃO MINISTERIAL DE COORDENAÇÃO DO PROGRAMA OPERACIONAL POTENCIAL HUMANO

COMISSÃO MINISTERIAL DE COORDENAÇÃO DO PROGRAMA OPERACIONAL POTENCIAL HUMANO Despacho Considerando que os regulamentos específicos do Programa Operacional Potencial Humano (POPH) são aprovados pela respectiva Comissão Ministerial de Coordenação, nos termos do n.º 5 do artigo 30º

Leia mais

Projecto-piloto sobre a integração da vigilância marítima no Mediterrâneo e nos seus acessos atlânticos

Projecto-piloto sobre a integração da vigilância marítima no Mediterrâneo e nos seus acessos atlânticos FORMULÁRIO DE PEDIDO DE SUBVENÇÃO Projecto-piloto sobre a integração da vigilância marítima no Mediterrâneo e nos seus acessos atlânticos O formulário de candidatura e os modelos aqui apresentados, bem

Leia mais

GUIÃO DE PREENCHIMENTO MÓDULO CONTRATOS

GUIÃO DE PREENCHIMENTO MÓDULO CONTRATOS GUIÃO DE PREENCHIMENTO MÓDULO CONTRATOS Índice 1 Introdução... 4 1.1 Enquadramento... 5 1.2 Organização do Guião... 5 2 Instruções de Utilização Balcão 2020... 6 2.1 Acesso à aplicação Módulos Contratos...

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Diário da República, 1.ª série N.º 144 28 de Julho de 2009 4829

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Diário da República, 1.ª série N.º 144 28 de Julho de 2009 4829 Diário da República, 1.ª série N.º 144 28 de Julho de 2009 4829 Limites às elegibilidades 13 O investimento constante do n.º 4 é elegível quando o seu uso for indispensável à execução da operação, sendo

Leia mais

Serviço de Educação e Bolsas

Serviço de Educação e Bolsas Serviço de Educação e Bolsas CONCURSO DE APOIO A BIBLIOTECAS ESCOLARES/CENTROS DE RECURSOS 2005 REGULAMENTO A Fundação Calouste Gulbenkian tem vindo a apoiar projectos de criação, actualização e dinamização

Leia mais

JESSICA / BPI. Seminário de Reabilitação Urbana. Braga, 25 Nov 2011

JESSICA / BPI. Seminário de Reabilitação Urbana. Braga, 25 Nov 2011 JESSICA / BPI Seminário de Reabilitação Urbana Braga, 25 Nov 2011 ÍNDICE 1. J.E.S.S.I.C.A.? 2. JESSICA no BPI 3. Requisitos dos Projectos Urbanos 4. Elegibilidade da Despesa 5. Outras informações 1 1.

Leia mais

NORMA DE PAGAMENTOS. Componente FEDER

NORMA DE PAGAMENTOS. Componente FEDER NORMA DE PAGAMENTOS Componente A PRESENTE NORMA DE PAGAMENTOS APLICA-SE AOS PEDIDOS DE PAGAMENTOS A FORMALIZAR (APÓS 18-01-2013) E AINDA AOS QUE SE ENCONTRAM EM ANÁLISE NO IDE- RAM, NO ÂMBITO DO SISTEMAS

Leia mais

APOIO AO BENEFICIÁRIO - FEDER - - MAIS CENTRO - GUIA DE SUBMISSÃO ELECTRÓNICA DOS PEDIDOS DE PAGAMENTO

APOIO AO BENEFICIÁRIO - FEDER - - MAIS CENTRO - GUIA DE SUBMISSÃO ELECTRÓNICA DOS PEDIDOS DE PAGAMENTO APOIO AO BENEFICIÁRIO - FEDER - - MAIS CENTRO - GUIA DE SUBMISSÃO ELECTRÓNICA DOS PEDIDOS DE PAGAMENTO GUIA DE PREENCHIMENTO: - SUBMISSÃO ELECTRÓNICA DOS PEDIDOS DE PAGAMENTO - SUBMISSÃO DE CHECK-LIST

Leia mais

COMISSÃO MINISTERIAL DE COORDENAÇÃO DO PROGRAMA OPERACIONAL POTENCIAL HUMANO

COMISSÃO MINISTERIAL DE COORDENAÇÃO DO PROGRAMA OPERACIONAL POTENCIAL HUMANO Despacho Considerando que os regulamentos específicos do Programa Operacional Potencial Humano (POPH) são aprovados pela respectiva Comissão Ministerial de Coordenação, nos termos do n.º 5 do artigo 30º

Leia mais

Orientação de Gestão 3.Rev.2 (2013) Procedimentos de Verificações de Gestão Sistema de Incentivos do ON.2

Orientação de Gestão 3.Rev.2 (2013) Procedimentos de Verificações de Gestão Sistema de Incentivos do ON.2 Orientação de Gestão 3.Rev.2 (2013) Procedimentos de Verificações de Gestão Sistema de Incentivos do ON.2 1. ENQUADRAMENTO 1.1. De acordo com a alínea b) do artigo 60.º do Regulamento (CE) n.º 1083/2006,

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA Convite à apresentação n. MARKT/2003/[ref. no.]/b: Avaliação em geral e avaliação do impacto no domínio do Mercado FORMULÁRIO DE CANDIDATURA Exmos. Senhores, Em anexo encontra-se a proposta de [nome do

Leia mais

BOLSA INTERNACIONAL DE ENTRADA MARIE CURIE

BOLSA INTERNACIONAL DE ENTRADA MARIE CURIE ANEXO III DISPOSIÇÕES ESPECÍFICAS BOLSA INTERNACIONAL DE ENTRADA MARIE CURIE III. 1 - Definições FASE DE ENTRADA Para além das previstas no artigo II.1, aplicam-se à presente convenção de subvenção as

Leia mais

Assunto: Proposta de fornecimento do Programa dbgep

Assunto: Proposta de fornecimento do Programa dbgep Julho de 2009 Assunto: Proposta de fornecimento do Programa dbgep A aplicação dbgep é constituída pelos seguintes módulos: Aplicação Função Situação comercial dbgep C Contabilidade em comercialização dbgep

Leia mais

CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1º. Objecto

CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1º. Objecto CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º Objecto O presente regulamento estabelece as condições de acesso das operações a apoiar no âmbito da Prevenção e Gestão de Riscos Naturais e Tecnológicos, para:

Leia mais

E-Alicante: Serviços de peritos financeiros relacionados com a gestão da tesouraria 2012/S 153-254863. Anúncio de concurso.

E-Alicante: Serviços de peritos financeiros relacionados com a gestão da tesouraria 2012/S 153-254863. Anúncio de concurso. 1/6 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:254863-2012:text:pt:html E-Alicante: Serviços de peritos financeiros relacionados com a gestão da tesouraria 2012/S 153-254863

Leia mais

Energia 2ª ALTERAÇÃO AO AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO. Aviso - ALG-48-2011-01. Eixo Prioritário 3 Valorização Territorial e Desenvolvimento Urbano

Energia 2ª ALTERAÇÃO AO AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO. Aviso - ALG-48-2011-01. Eixo Prioritário 3 Valorização Territorial e Desenvolvimento Urbano 2ª ALTERAÇÃO AO AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Eixo Prioritário 3 Valorização Territorial e Desenvolvimento Urbano Energia Aviso - ALG-48-2011-01 Página 1 de 2 A Autoridade de Gestão do POAlgarve 21, comunica

Leia mais

DOCUMENTO DE APOIO À APRESENTAÇÃO DE PEDIDOS DE PAGAMENTO E DE ADIANTAMENTO

DOCUMENTO DE APOIO À APRESENTAÇÃO DE PEDIDOS DE PAGAMENTO E DE ADIANTAMENTO DOCUMENTODEAPOIOÀ APRESENTAÇÃODEPEDIDOSDE PAGAMENTOEDEADIANTAMENTO INTRODUÇÃO O presente documento tem como objectivo apoiar os beneficiários na apresentação de pedidosdepagamentoedeadiantamento. CONCEITOS

Leia mais

Programa Gulbenkian Inovar em Saúde

Programa Gulbenkian Inovar em Saúde REGULAMENTO DO CONCURSO Concurso para financiamento de projetos em Literacia em Saúde 2013 Artigo 1º Objeto O presente Regulamento estabelece as normas de acesso ao concurso para financiamento de projetos

Leia mais

Fundo Modernização Comércio

Fundo Modernização Comércio 1 Fundo Modernização Comércio IAPMEI Portaria 236/2013 2 Índice 1. Objectivos e Prioridades 2. Condições de Acesso a. Promotor b. Projecto c. Aviso de Abertura 3. Modalidades de Projectos a Apoiar 4. Elegibilidade

Leia mais

CO-FINANCIADAS PELOS FUNDOS ESTRUTURAIS E PELO FUNDO DE COESÃO EM CASO DE INCUMPRIMENTO DAS REGRAS EM MATÉRIA DE CONTRATOS PÚBLICOS

CO-FINANCIADAS PELOS FUNDOS ESTRUTURAIS E PELO FUNDO DE COESÃO EM CASO DE INCUMPRIMENTO DAS REGRAS EM MATÉRIA DE CONTRATOS PÚBLICOS Versão final de 29/11/2007 COCOF 07/0037/03-PT COMISSÃO EUROPEIA ORIENTAÇÕES PARA A DETERMINAÇÃO DAS CORRECÇÕES FINANCEIRAS A APLICAR ÀS DESPESAS CO-FINANCIADAS PELOS FUNDOS ESTRUTURAIS E PELO FUNDO DE

Leia mais

Linha PME Investe V. Millennium bcp. Maio 2010

Linha PME Investe V. Millennium bcp. Maio 2010 Linha PME Investe V Millennium bcp Maio 2010 Protocolo celebrado entre o Millennium bcp, a PME Investimentos, o IAPMEI, as Sociedades de Garantia Mútua (Norgarante, Garval, Lisgarante e Agrogarante). Disponibiliza

Leia mais

Iniciativa Formação para Empresários Programa de Candidatura

Iniciativa Formação para Empresários Programa de Candidatura Iniciativa Formação para Empresários Programa de Candidatura No âmbito do Contrato de Delegação de Competências do POPH na CCP 1. Enquadramento da Iniciativa A Iniciativa Formação para Empresários tem

Leia mais

8.1 - Datas associadas à execução física 8.2 - Datas associadas à execução financeira INVESTIMENTO TOTAL 0,00

8.1 - Datas associadas à execução física 8.2 - Datas associadas à execução financeira INVESTIMENTO TOTAL 0,00 5 - LOCALIZAÇÃO DO PROJECTO Ilha Concelho i) % Concelho % Concelho % i) Sempre que o Projecto abranja mais do que um Concelho, indicar qual o respectivo benefício (%). 6 - CARACTERIZAÇÃO DO PROJECTO (Descrição

Leia mais

FINANCIAMENTO DE UNIDADES DE I&D (2015-2020)

FINANCIAMENTO DE UNIDADES DE I&D (2015-2020) FINANCIAMENTO DE UNIDADES DE I&D (2015-2020) FAQ SOBRE A ELEGIBILIDADE DE DESPESAS Aquisição de instrumentos e equipamento científico e técnico, enquadráveis em Despesa Direta "Aquisição de instrumentos

Leia mais

INSTITUCIONAL. Eixo Prioritário 5 GOVERNAÇÃO E CAPACITAÇÃO. Operações no Domínio da Administração em Rede

INSTITUCIONAL. Eixo Prioritário 5 GOVERNAÇÃO E CAPACITAÇÃO. Operações no Domínio da Administração em Rede Eixo Prioritário 5 GOVERNAÇÃO E CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL Operações no Domínio da Administração em Rede Aviso para apresentação de candidaturas - Eixo Prioritário V Governação e Capacitação Institucional

Leia mais

Regulamento Específico Prevenção e Gestão de Riscos Naturais e Tecnológicos Acções Materiais

Regulamento Específico Prevenção e Gestão de Riscos Naturais e Tecnológicos Acções Materiais Regulamento Específico Prevenção e Gestão de Riscos Naturais e Tecnológicos Acções Materiais Programa Operacional Valorização do Território Deliberações CMC POR: 26/03/2008, 17/04/2009, 14/08/2009, 20/04/2010,

Leia mais

INFORMAÇÃO PARA ACESSO À LINHA DE CRÉDITO INVESTE QREN

INFORMAÇÃO PARA ACESSO À LINHA DE CRÉDITO INVESTE QREN INFORMAÇÃO PARA ACESSO À LINHA DE CRÉDITO INVESTE QREN A. BENEFICIÁRIOS Entidades beneficiárias dos Sistemas de Incentivos do QREN (SI QREN) e entidades beneficiárias do Sistema de Apoio a Ações Coletivas

Leia mais

RELATÓRIO INTERCALAR (nº 3, do artigo 23º, da Decisão 2004/904/CE)

RELATÓRIO INTERCALAR (nº 3, do artigo 23º, da Decisão 2004/904/CE) (nº 3, do artigo 23º, da Decisão 2004/904/CE) Comissão Europeia Direcção-Geral da Justiça, da Liberdade e da Segurança Unidade B/4 Fundo Europeu para os Refugiados B-1049 Bruxelas Estado-Membro: PORTUGAL

Leia mais

Programa EDP SOLIDÁRIA

Programa EDP SOLIDÁRIA Programa EDP SOLIDÁRIA REGULAMENTO I. Do Programa EDP SOLIDÁRIA 1. A Fundação EDP, no âmbito das suas actividades nas áreas da solidariedade e inovação social, promove uma iniciativa anual o Programa EDP

Leia mais

ACÇÃO 5.3 - FORMAÇÃO AVANÇADA DE DOCENTES DO ENSINO SUPERIOR REGULAMENTO DE ACESSO CAPÍTULO I ÂMBITO DE APLICAÇÃO. Artigo 1.

ACÇÃO 5.3 - FORMAÇÃO AVANÇADA DE DOCENTES DO ENSINO SUPERIOR REGULAMENTO DE ACESSO CAPÍTULO I ÂMBITO DE APLICAÇÃO. Artigo 1. Regulamento publicado no Diário da República, 2.ª série, n.º 297, de 26-12-2001, anexo ao Despacho conjunto n.º 1117/2001) ACÇÃO 5.3 - FORMAÇÃO AVANÇADA DE DOCENTES DO ENSINO SUPERIOR REGULAMENTO DE ACESSO

Leia mais

ACÇÃO 1.1.2 INVESTIMENTOS DE PEQUENA DIMENSÃO GUIA DE PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO

ACÇÃO 1.1.2 INVESTIMENTOS DE PEQUENA DIMENSÃO GUIA DE PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO ACÇÃO 1.1.2 INVESTIMENTOS DE PEQUENA DIMENSÃO GUIA DE PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO INSTRUÇÕES PARA UMA CORRECTA UTILIZAÇÃO DO FORMULÁRIO Funcionamento genérico Os formulários estão disponíveis apenas nos

Leia mais

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL DE LISBOA Deliberações CMC POR: 9/10/2007, 15/07/2008, 30/01/2012 e 8/08/2012 SAÚDE (LISBOA) ENTRADA EM VIGOR DA ÚLTIMA ALTERAÇÃO EM 9/08/2012 NA REDAÇÃO DADA PELA DELIBERAÇÃO

Leia mais

Anúncio de concurso. Fornecimentos

Anúncio de concurso. Fornecimentos 1/6 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:268964-2014:text:pt:html Itália-Ispra: Aluguer de curta e longa duração de viaturas e transporte de viaturas com o objetivo

Leia mais

DESEMBOLSOS FFEM Lista de pontos a verificar pelos beneficiários dos financiamentos FFEM

DESEMBOLSOS FFEM Lista de pontos a verificar pelos beneficiários dos financiamentos FFEM DESEMBOLSOS FFEM Lista de pontos a verificar pelos beneficiários dos financiamentos FFEM Antes de submeter qualquer pedido de pagamento ao Secretariado do FFEM, recomenda-se a verificação dos pontos listados

Leia mais

INFORMAÇÃO PARA ACESSO À LINHA DE CRÉDITO INVESTE QREN

INFORMAÇÃO PARA ACESSO À LINHA DE CRÉDITO INVESTE QREN INFORMAÇÃO PARA ACESSO À LINHA DE CRÉDITO INVESTE QREN A. BENEFICIÁRIOS Entidades beneficiárias dos Sistemas de Incentivos do QREN (SI QREN) e do Sistema de Apoio a Ações Coletivas (SIAC) que: 1. Tenham

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES PROCONVERGENCIA PROGRAMA OPERACIONAL DOS AÇORES PARA A CONVERGÊNCIA

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES PROCONVERGENCIA PROGRAMA OPERACIONAL DOS AÇORES PARA A CONVERGÊNCIA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES PROCONVERGENCIA PROGRAMA OPERACIONAL DOS AÇORES PARA A CONVERGÊNCIA ORIENTAÇÃO N.º 5/2008 - PROJECTOS GERADORES DE RECEITAS FEDER Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional Janeiro

Leia mais

JORNAL OFICIAL I SÉRIE NÚMERO 97 SEXTA-FEIRA, 16 DE NOVEMBRO DE 2007 ÍNDICE:

JORNAL OFICIAL I SÉRIE NÚMERO 97 SEXTA-FEIRA, 16 DE NOVEMBRO DE 2007 ÍNDICE: PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução n.º 120/2007: I SÉRIE NÚMERO 97 SEXTA-FEIRA, 16 DE NOVEMBRO DE 2007 ÍNDICE: Conselho do Governo resolve que a autoridade de Gestão do PRO-EMPREGO é a Direcção Regional

Leia mais

MECANISMO DE APOIO À ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE COOPERAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO

MECANISMO DE APOIO À ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE COOPERAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO MECANISMO DE APOIO À ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE COOPERAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO Na sequência dos trabalhos desenvolvidos pelo Fórum para a Cooperação, implementado em 2008, e reconhecendo o papel que

Leia mais

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º Âmbito de aplicação do regulamento O presente regulamento estabelece as condições de acesso e as regras gerais de atribuição de co-financiamento comunitário do Fundo

Leia mais

Eixo Prioritário 2 Protecção e Qualificação Ambiental. Acções de Valorização e Qualificação Ambiental. Aviso - ALG-31-2010-02

Eixo Prioritário 2 Protecção e Qualificação Ambiental. Acções de Valorização e Qualificação Ambiental. Aviso - ALG-31-2010-02 Eixo Prioritário 2 Protecção e Qualificação Ambiental Acções de Valorização e Qualificação Ambiental Aviso - ALG-31-2010-02 AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS ACÇÕES DE VALORIZAÇÃO E QUALIFICAÇÃO

Leia mais

Formação de funcionários administrativos dos centros do IST

Formação de funcionários administrativos dos centros do IST Formação de funcionários administrativos dos centros do IST Iria Fernandes Lisboa, 26 de Fevereiro de 2014 Anfiteatro PA3 Ajuste Direto Simplificado (Art.os 128º e 129º): Âmbito: Aquisição ou locação de

Leia mais

BOLSAS MARIE CURIE DE ACOLHIMENTO PARA FORMAÇÃO DE INVESTIGADORES EM INÍCIO DE CARREIRA

BOLSAS MARIE CURIE DE ACOLHIMENTO PARA FORMAÇÃO DE INVESTIGADORES EM INÍCIO DE CARREIRA ANEXO III DISPOSIÇÕES ESPECÍFICAS BOLSAS MARIE CURIE DE ACOLHIMENTO PARA FORMAÇÃO DE INVESTIGADORES EM INÍCIO DE CARREIRA [VERSÃO MONOCONTRATANTE] III.1 - Definições Além das previstas no artigo II.1,

Leia mais

o o CONSELHO DE MINISTROS I SÉRIE N O 30 «B. O.» DA REPÚBLICA DE CABO VERDE 13 DE AGOSTO DE 2007 539

o o CONSELHO DE MINISTROS I SÉRIE N O 30 «B. O.» DA REPÚBLICA DE CABO VERDE 13 DE AGOSTO DE 2007 539 I SÉRIE N O 30 «B. O.» DA REPÚBLICA DE CABO VERDE 13 DE AGOSTO DE 2007 539 Essa especial autonomia financeira atribuída, através da consignação daquelas receitas, constitui, indubitavelmente, um instrumento

Leia mais

Sistema de Incentivos

Sistema de Incentivos Sistema de Incentivos Qualificação e Internacionalização de PME amrconsult 13 de Maio de 2010 1 Agenda 1 Enquadramento 2 Condições de elegibilidade 3 Despesas elegíveis 4 Incentivo 2 1 Enquadramento 3

Leia mais

CIRCULAR. Assunto: ORIENTAÇÃO DE GESTÃO DIRIGIDA A PROJECTOS APOIADOS NO ÂMBITO DO SISTEMA DE INCENTIVOS QREN

CIRCULAR. Assunto: ORIENTAÇÃO DE GESTÃO DIRIGIDA A PROJECTOS APOIADOS NO ÂMBITO DO SISTEMA DE INCENTIVOS QREN CIRCULAR N/REFª: 37/11 DATA: 07 Abril 2011 Assunto: ORIENTAÇÃO DE GESTÃO DIRIGIDA A PROJECTOS APOIADOS NO ÂMBITO DO SISTEMA DE INCENTIVOS QREN Exmos. Senhores, Vimos informar que se encontra disponível

Leia mais

COMISSÃO MINISTERIAL DE COORDENAÇÃO DO PROGRAMA OPERACIONAL POTENCIAL HUMANO

COMISSÃO MINISTERIAL DE COORDENAÇÃO DO PROGRAMA OPERACIONAL POTENCIAL HUMANO Despacho Considerando que os regulamentos específicos do Programa Operacional Potencial Humano (POPH) são aprovados pela respectiva Comissão Ministerial de Coordenação, nos termos do n.º 5 do artigo 30º

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL DE COOPERAÇÃO TERRITORIAL ESPAÇO SUDOESTE EUROPEU ACORDO DE CONCESSÃO DE AJUDA FEDER. Entre: O Governo de Cantábria

PROGRAMA OPERACIONAL DE COOPERAÇÃO TERRITORIAL ESPAÇO SUDOESTE EUROPEU ACORDO DE CONCESSÃO DE AJUDA FEDER. Entre: O Governo de Cantábria PROGRAMA OPERACIONAL DE COOPERAÇÃO TERRITORIAL ESPAÇO SUDOESTE EUROPEU ACORDO DE CONCESSÃO DE AJUDA FEDER Entre: O Governo de Cantábria E Projecto ,

Leia mais

L-Luxemburgo: PE-ITEC-DIT-ITIM-2012/03-CLAVIS Software de gestão de documentos 2013/S 015-020052. Anúncio de concurso.

L-Luxemburgo: PE-ITEC-DIT-ITIM-2012/03-CLAVIS Software de gestão de documentos 2013/S 015-020052. Anúncio de concurso. 1/5 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:20052-2013:text:pt:html L-Luxemburgo: PE-ITEC-DIT-ITIM-2012/03-CLAVIS Software de gestão de documentos 2013/S 015-020052

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 2/UA1/2010

NOTA TÉCNICA Nº 2/UA1/2010 NOTA TÉCNICA Nº 2/UA1/2010 A presente Nota tem por objectivo auxiliar as entidades beneficiárias, conforme âmbito e condições estabelecidas no Aviso de Abertura nº 20/2010, na elaboração das candidaturas

Leia mais

Guia para a declaração de despesas no Programa SUDOE

Guia para a declaração de despesas no Programa SUDOE Guia para a declaração de despesas no Programa SUDOE CAPÍTULO 1: INTRODUÇÃO... 2 CAPÍTULO 2: ACESSO AO MÓDULO DE GESTÃO DE DESPESAS PAGAS... 3 CAPÍTULO 3: GESTÃO DAS DESPESAS PAGAS... 4 3.1 Incorporação

Leia mais

instituições de comprovada valia social, o qual visa concretizar, especificando, o compromisso a que está vinculada.

instituições de comprovada valia social, o qual visa concretizar, especificando, o compromisso a que está vinculada. DECISÃO relativa ao programa para a atribuição de subsídio à aquisição de equipamentos de recepção das emissões de TDT por parte de cidadãos com necessidades especiais, grupos populacionais mais desfavorecidos

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS FINANCIADO PELO GOVERNO ITALIANO (MAE/DGCS) PROGRAMA AID 8420

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS FINANCIADO PELO GOVERNO ITALIANO (MAE/DGCS) PROGRAMA AID 8420 AID 8420 Divulgação destinada exclusivamente à Entidade Contratante e ao autor do documento tendo em vista proteger dados pessoais e a vida privada, bem como a confidencialidade de informações comerciais

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DA CGD PARA A COMISSÃO DE ACOMPANHAMENTO LINHA DE CRÉDITO CGD/BEI E SUBVENÇÃO GLOBAL (APOIO AO QCA II)

RELATÓRIO FINAL DA CGD PARA A COMISSÃO DE ACOMPANHAMENTO LINHA DE CRÉDITO CGD/BEI E SUBVENÇÃO GLOBAL (APOIO AO QCA II) RELATÓRIO FINAL DA CGD PARA A COMISSÃO DE ACOMPANHAMENTO LINHA DE CRÉDITO CGD/BEI E SUBVENÇÃO GLOBAL (APOIO AO QCA II) ÍNDICE A. LINHA DE CRÉDITO CGD/BEI Pag. 1. ENQUADRAMENTO LEGAL 1 2. UTILIZAÇÃO DA

Leia mais

COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 25.04.2001 SG (2001) D/ 288171 Assunto: Auxílio estatal N 563/2000 Portugal Sistema de incentivos para o desenvolvimento regional dos Açores (SIDER). Excelência: I. Por carta

Leia mais

DE INVESTIGAÇÃO EXPLORATÓRIA NO ÂMBITO DO PROGRAMA INVESTIGADOR FCT. Normas de execução financeira

DE INVESTIGAÇÃO EXPLORATÓRIA NO ÂMBITO DO PROGRAMA INVESTIGADOR FCT. Normas de execução financeira FINANCIAMENTO DE PROJETOS DE INVESTIGAÇÃO EXPLORATÓRIA NO ÂMBITO DO PROGRAMA INVESTIGADOR FCT Normas de execução financeira Financiamento de Projetos de Investigação Exploratória no âmbito do Programa

Leia mais

Para que a justificação seja admissível do ponto de vista legal, terá que se enquadrar nas seguintes disposições legais:

Para que a justificação seja admissível do ponto de vista legal, terá que se enquadrar nas seguintes disposições legais: ORIENTAÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DA CHECK LIST SOBRE CONTRATAÇÃO PÚBLICA (POR REFERÊNCIA AOS PONTOS CONTROVERTIDOS DAS TABELAS DESSAS LISTAS) 3. LEGISLAÇÃO APLICÁVEL 1. Integram-se nos sectores especiais

Leia mais

Apoios às s Empresas do Sector do Turismo. Portugal

Apoios às s Empresas do Sector do Turismo. Portugal Apoios às s Empresas do Sector do Turismo ÍNDICE 2 Linha de apoio à qualificação da oferta Linha de apoio à tesouraria Carência de capital Linhas PME CRESCIMENTO 2013 MECANISMOS DE APOIO AO SECTOR DO TURISMO

Leia mais

Anúncio de concurso. Serviços

Anúncio de concurso. Serviços 1/6 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:367014-2013:text:pt:html Espanha-Alicante: Prestação de serviços de apoio domiciliário a favor do pessoal estatutário

Leia mais

Manual de Operacionalização

Manual de Operacionalização Manual de Operacionalização Programa de Criação de Espaços Públicos de Acesso à Internet em Bibliotecas Públicas Municipais, Ludotecas, Museus Municipais e Arquivos Municipais Agosto de 2004 Iniciativa:

Leia mais

Anúncio de concurso. Serviços

Anúncio de concurso. Serviços 1/5 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:198110-2014:text:pt:html Bélgica-Bruxelas: Concurso n.o 06A50/2014/M032 Contrato-quadro de serviços para controlo periódico

Leia mais