PROCEDIMENTO. Ref. Pcd. 3-sGRHF. Bolsas de Investigação Científica da UA, financiadas pela UA ou por outras verbas desde que não provenientes da FCT

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROCEDIMENTO. Ref. Pcd. 3-sGRHF. Bolsas de Investigação Científica da UA, financiadas pela UA ou por outras verbas desde que não provenientes da FCT"

Transcrição

1 PROCEDIMENTO Ref. Pcd. 3-sGRHF Bolsas de Investigação Científica da UA, financiadas pela UA ou por outras verbas desde que não provenientes da FCT Data: 14 /07/2011 Elaboração Nome: Fátima Serafim e Helena Ribeiro Serviço/Unidade: SRHF- Área de Recursos Humanos Assinatura: Data: 14/07/2011 Aprovação Nome: Maria Pereira Serviço/Unidade: SRHF- Área de Recursos Humanos Assinatura: Data: 14/07/2011 Pcd.(3)-(sGRHF) ( ) 1/13

2 Instrução de Trabalho orientação sobre decisões e/ou esclarecimentos sobre o modo de executar determinados trabalhos. Procedimento descrição detalhada das acções a desencadear, seus responsáveis e documentação aplicável. 0. Índice 1. Objectivo Âmbito Definições, siglas e referências Procedimento Impressos / documentos aplicáveis Fluxograma (anexo) Objectivo Este procedimento tem como objectivo descrever as acções a desencadear na concessão, renovação e cancelamento de Bolsas de Investigação Científica da UA, financiadas pela UA ou por outras verbas desde que não provenientes da FCT. 2. Âmbito Regulamento de Bolsas de Investigação Científica da UA, Regulamento Nº 341/2011, publicado em Diário da República, 2ª série, Nº 98, de 20 de Maio. Apresenta-se uma caracterização resumida das Bolsas de Investigação Científica (ver pasta das minutas) com todos os tipos de bolsa previstos neste Regulamento, os respectivos destinatários, o objecto, duração prevista para a bolsa e a duração máxima por tipo de bolsa quando haja renovações. 3. Definições, siglas e referências Unid. Org. Unidade Orgânica arh Área de Recursos Humanos FCT Fundação para a Ciência e Tecnologia Resp. Responsável Doc. Documentos Regulamento de Bolsas de Investigação Científica da UA, publicado em Diário da República, 2ª série, Nº 98, de 20 de Maio; Caracterização resumida das Bolsas de Investigação Científica (ver pasta das minutas). Pcd.(3)-(sGRHF) ( ) 2/13

3 4. Procedimento Descrição das acções Responsável Documento / referência 5.1 CONSTITUIÇÃO DO JÚRI E DEFINIÇÃO DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO A Unidade Orgânica deverá garantir a constituição de um júri para proceder à selecção dos candidatos, sendo composto 3 a 7 membros, pertencentes às áreas científicas para que os concursos são abertos, podendo ser secretariado por pessoa designada para o efeito pelo Director ou Coordenador da respectiva unidade. Unidade Orgânica O júri deverá reunir em momento prévio ao início da recepção de candidaturas para definição dos critérios de avaliação e respectiva valoração. 5.2 PUBLICITAÇÃO DA BOLSA Elaboração do anúncio A Unidade Orgânica em que se insere o projecto de investigação/ outro, no âmbito do qual será concedida a bolsa, elabora o anúncio para a abertura de concurso Do anúncio terão de constar as seguintes informações: Tipo, fins, objecto e duração da bolsa; O modo de instrução, a data e local de apresentação das candidaturas Os destinatários; Os objectivos a atingir pelo bolseiro; As componentes financeiras da bolsa; A periodicidade e modo de pagamento da bolsa; Os critérios de avaliação das candidaturas e respectivas valorações; O júri responsável pela selecção; A data e forma de divulgação dos resultados; A regulamentação aplicável. Unidade Orgânica Minuta 1p/BICUA Minuta 1i/BICUA Publicitação do anúncio A Unidade Orgânica publicita o anúncio na página electrónica da Pcd.(3)-(sGRHF) ( ) 3/13

4 UA e, quando entenda necessário e adequado, noutros locais de estilo e nos meios de comunicação social. 5.3 CANDIDATURA À BOLSA Formalização da candidatura Os candidatos a bolseiro entregam a sua candidatura em formulário específico no local e prazos indicados no anúncio. Caso seja disponibilizado formulário electrónico de candidatura, os candidatos deverão utilizá-lo como meio preferencial de candidatura. A candidatura deve ser acompanhada dos documentos solicitados no anúncio, designadamente do certificado de habilitações de todos os graus obtidos, com média final, com as classificações obtidas em cada disciplina e com suplemento ao diploma (se aplicável), e do Curriculum vitae do bolseiro (devidamente datado e assinado), com indicação do endereço electrónico para o qual deverão ser realizadas as notificações do processo de selecção. Minuta 2p/BICUA Minuta 2i/BICUA Recepção das candidaturas A Unidade Orgânica recebe as candidaturas durante um período, em regra, não inferior a 10 dias úteis a partir da data de publicitação da bolsa e remete-as ao Júri. Unidade Orgânica 5.4 AVALIAÇÃO DAS CANDIDATURAS Análise das candidaturas O Júri realiza uma reunião para análise e selecção dos candidatos, tendo em atenção os requisitos e critérios definidos no anúncio, bem como a valoração de cada critério. Júri Elaboração da acta da reunião Da reunião para análise e selecção dos candidatos deverá ser elaborada uma acta. Da acta devem constar os seguintes elementos: Data, hora e local de realização da reunião; Objectivo da reunião; Elementos presentes na reunião; Número de candidaturas apresentadas; Pcd.(3)-(sGRHF) ( ) 4/13

5 Referência aos critérios de selecção e respectivas valorações; No caso de existir, lista de candidatos excluídos, com a respectiva fundamentação; Ordenação provisória dos candidatos; Indicação do(s) candidato(s) provisoriamente seleccionado(s); Indicação de início de prazo para audiência prévia sobre o sentido provável da decisão; Assinatura de todos os elementos presentes. Tendo em conta estes elementos apresenta-se uma minuta de acta. Esta minuta é meramente indicativa, podendo ser efectuadas as alterações adequadas a cada caso, desde que inclua os elementos indicados anteriormente. Deve fazer parte integrante da acta, em anexo, uma grelha de avaliação, demonstrando a aplicação de cada critério de avaliação e contendo fundamentação resumida sobre a apreciação dos candidatos. Minuta 3/BICUA Minuta 4/BICUA 5.5 DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS Notificação aos candidatos O Júri notifica os candidatos do sentido provável da decisão, no prazo de 60 dias úteis a contar do termo de apresentação das candidaturas. A notificação dos candidatos poderá ser realizada através de correio electrónico (desde que isso seja referido no edital) e deverá ser acompanhada da acta da reunião de decisão. No prazo de 10 dias úteis a contar da data de notificação, os candidatos poderão pronunciar-se sobre essa decisão, em sede de audiência prévia. A notificação do(s) candidato(s) seleccionado(s) deverá ser acompanhada de uma versão do contrato a celebrar Possibilidade de interpor recurso Os candidatos podem interpor recurso dos resultados finais para o Reitor, no prazo de 10 dias úteis a contar da respectiva notificação. Júri Minuta 5p/BICUA Minuta 5i/BICUA Minuta 6p/BICUA Minuta 6i/BICUA Minuta 7p/BICUA Minuta 7i/BICUA Pcd.(3)-(sGRHF) ( ) 5/13

6 5.6 ATRIBUIÇÃO DA BOLSA Declaração de aceitação da bolsa Os candidatos aceites devem, no prazo de 10 dias úteis a contar da notificação da concessão de bolsa, declarar, por escrito, a sua aceitação e comunicar a data do início efectivo da bolsa. Minuta 8p/BICUA Minuta 8i/BICUA Pedido de elaboração do contrato de bolsa A Unidade Orgânica deve efectuar o pedido para a elaboração do respectivo contrato de bolsa em formulário específico, dirigido à Direcção dos Serviços de Gestão de Recursos Humanos e Financeiros e enviá-lo à arh/núcleo do com antecedência mínima de 30 dias em relação à data de início da bolsa. Deste pedido devem constar os seguintes elementos, ou o compromisso de que serão entregues logo que estejam disponíveis, no caso de, por impossibilidade devida a ausência do bolseiro, fora do país, não poderem ser entregues até aquele prazo: Indicação do tipo de bolsa e respectivo valor mensal; (nota: nos casos em que há lugar ao pagamento de subsídio de viagem e/ou de instalação, o subsídio a pagar terá de ser mencionado no ofício de solicitação de elaboração de contrato de bolsa e nunca posteriormente; Data de início e duração do contrato; Identificação das verbas que irão suportar as despesas da bolsa (Projecto/ /Departamento/Protocolo/outro) e respectivo centro de custos; Identificação do bolseiro: fotocópia do Bilhete de Identidade/ Cartão de Cidadão, Passaporte, respectivo visto e de documento comprovativo de autorização de residência, consoante se aplique; Fotocópia do Cartão de contribuinte; Número de Identificação Bancária (documento comprovativo do banco); Uma fotografia tipo passe; Indicação do coordenador do bolseiro e nos casos em que este não seja o coordenador científico do projecto ou o orientador de pós-graduação, apresentação do Curriculum vitae resumido, de uma lista de publicações e referência da experiência anterior de orientação e/ou acompanhamento de Unidade Orgânica Minuta 9/BICUA Pcd.(3)-(sGRHF) ( ) 6/13

7 bolseiros; Curriculum vitae do bolseiro (devidamente datado e assinado); Indicação do endereço de ; Contacto telefónico (telemóvel / extensão interna) Cópia do Certificado de habilitações de todos os graus obtidos com média final, com as classificações obtidas em cada disciplina e com suplemento ao diploma (se aplicável); Cópia da acta da reunião de selecção do candidato. Cópia da publicitação da bolsa na página electrónica da UA; Plano de actividades para o período de bolsa em questão, assinado pelo coordenador e pelo bolseiro, com indicação de 3 ou 4 palavras-chave e de um título alusivos às actividades a desenvolver bem como do local ou locais onde estas serão realizadas; Quando se aplique, documento comprovativo da aceitação do candidato por parte da instituição estrangeira onde decorrerão os trabalhos, garantindo as condições necessárias ao seu bom desenvolvimento; Declaração, sob compromisso de honra, subscrita pelo Minuta 10p/BICUA bolseiro em como exercerá as suas funções de bolseiro em Minuta 10i/BICUA regime de dedicação exclusiva, nos termos estabelecidos no art.º 5º da Lei nº 40/2004 de 18 de Agosto e art. 5º do Regulamento de Bolsas de Investigação da Universidade de Aveiro, publicado em DR, 2ª Série, Nº 98, de 20 de Maio; Declaração de concordância do coordenador indicado para Minuta 11/BICUA acompanhamento da actividade do bolseiro; Declaração do responsável máximo da Unidade Orgânica autorizando o bolseiro a utilizar as infra-estruturas e os Minuta 12/BICUA equipamentos afectos às unidades onde é desenvolvida a investigação. (A falta de qualquer documento ou informação acima enunciada implica a suspensão do processo de elaboração do contrato até ao envio da mesma e responsabilizará directamente quem deve fornecer a informação, declinando os Serviços qualquer responsabilidade pelas consequências do não andamento atempado do processo de atribuição da bolsa e correspondente processamento) Elaboração do contrato da bolsa Pcd.(3)-(sGRHF) ( ) 7/13

8 O contrato a celebrar com o bolseiro é elaborado em duplicado pela arh/núcleo do, sendo numa primeira fase assinado pela Reitoria e posteriormente assinado pelo bolseiro. Um exemplar é entregue ao bolseiro e o outro fica na posse da UA arquivado no seu processo individual, na arh/núcleo do. São enviadas cópias ao coordenador, à Unidade Orgânica e à FCT Registo do bolseiro A Unidade Orgânica deverá proceder à activação de um pré-registo na aplicação de gestão de acessos de utilizador universal. Assim que conste na base de dados, o bolseiro poderá aceder aos diversos sistemas de informação durante 1 mês. A arh/núcleo do efectua o registo do bolseiro na sua base de dados, sendo o Estatuto do de Investigação Científica atribuído automaticamente com a celebração do contrato. Após este registo, o bolseiro ficará efectivamente registado como utilizador universal Relatório Final de Apreciação do Programa da Bolsa No caso de não haver lugar a renovação do contrato, o bolseiro deverá fazer chegar à arh/núcleo do, até 60 dias após o termo da bolsa, um Relatório Final de Apreciação do Programa da Bolsa, incluindo as comunicações e publicações que tenham ocorrido, o qual poderá ser apresentado nas línguas portuguesa e inglesa, de acordo com modelos próprios. Minuta 13p/BICUA Minuta 13i/BICUA Relatório Final de Avaliação da Actividade do Do mesmo modo, no caso de não haver lugar a renovação do contrato, após o termo da bolsa, o coordenador deverá fazer chegar à arh/núcleo do e à FCT um Relatório Final de Avaliação da Actividade do, o qual poderá ser apresentado nas línguas portuguesa e inglesa, de acordo com modelos próprios. Coordenador Minuta 14p/BICUA Minuta 14i/BICUA 5.7 RENOVAÇÃO DA BOLSA Pedido de renovação da bolsa Pcd.(3)-(sGRHF) ( ) 8/13

9 Unidade Minuta 15/BICUA A Unidade Orgânica deve efectuar o pedido para a renovação da Orgânica bolsa em formulário específico, dirigido à Direcção dos Serviços de Gestão de Recursos Humanos e Financeiros e enviá-lo à arh/núcleo do com um mínimo de 60 dias de antecedência em relação à data de termo do contrato. Do processo de pedido de renovação devem constar os seguintes elementos: Identificação do bolseiro; Período para a renovação do contrato; Identificação das verbas que irão suportar as despesas da bolsa (Projecto/Unidade de Investigação/Departamento/Protocolo/outro) e respectivo centro de custos; Comprovativos dos documentos referentes a informações apresentadas inicialmente que entretanto tenham sofrido alterações; Cópia do relatório de actividades referentes ao período anterior do contrato; Parecer do coordenador sobre a actividade do bolseiro; Plano de actividades para o período de bolsa em questão assinado pelo coordenador e pelo bolseiro, com indicação de 3 ou 4 palavras-chave e de um título alusivos às actividades a desenvolver bem como do local ou locais onde estas serão realizadas. Se o plano de trabalhos for a continuação do anterior deve ser apresentado o fundamento para o facto deste não ter sido concluído; Declaração do responsável máximo da Unidade Orgânica autorizando o bolseiro a utilizar as infra-estruturas e os Minuta 12/BICUA equipamentos afectos às unidades onde é desenvolvida a investigação; Quando se aplique, documento comprovativo da aceitação do candidato por parte da instituição estrangeira onde decorrerão os trabalhos, garantindo as condições necessárias ao seu bom desenvolvimento. A falta de qualquer documento ou informação acima enunciada implica a paragem do processo até ao envio da mesma e responsabilizará directamente quem deve fornecer a informação, declinando os Serviços qualquer responsabilidade pelas consequências do não andamento atempado do processo de atribuição da bolsa e correspondente processamento. Pcd.(3)-(sGRHF) ( ) 9/13

10 Concessão da renovação da bolsa A arh/núcleo do analisa se todos os requisitos para a renovação da bolsa estão preenchidos e, em caso afirmativo, diligencia para a concessão da referida renovação. A renovação da bolsa não requer assinatura de novo contrato, no entanto, requer a homologação da Reitoria. Uma vez homologada, a arh/núcleo do comunica a concessão da renovação da bolsa ao bolseiro, através do envio do ofício de autorização de renovação em suporte de papel. Em simultâneo, é dado conhecimento, por , ao coordenador, à Unidade Orgânica e posteriormente à FCT, enviando cópia do ofício de autorização por correio. Finalmente, a arh/núcleo do efectua o registo desta situação na sua base de dados Relatório Final de Apreciação do Programa da Bolsa No caso de não haver lugar a nova renovação do contrato, o bolseiro deverá fazer chegar à arh/núcleo do, até 60 dias após o termo da bolsa, um Relatório Final de Apreciação do Programa da Bolsa, o qual poderá ser apresentado nas línguas portuguesa e inglesa, de acordo com modelos próprios Relatório Final de Avaliação da Actividade do Do mesmo modo, no caso de não haver lugar a nova renovação do contrato, após o termo da bolsa, o coordenador deverá fazer chegar à arh/núcleo do e à FCT um Relatório Final de Avaliação da Actividade do, o qual poderá ser apresentado nas línguas portuguesa e inglesa, de acordo com modelos próprios. Coordenador Minuta 13p/BICUA Minuta 13i/BICUA Minuta 14p/BICUA Minuta14i/BICUA 5.8 CESSAÇÃO DA BOLSA Pedido de cessação da bolsa Caso o bolseiro pretenda a cessação da bolsa deve efectuar o seu pedido em formulário específico, dirigido à Direcção dos Serviços de Gestão de Recursos Humanos e Financeiros e enviá-lo à Minuta 16/BICUA Pcd.(3)-(sGRHF) ( ) 10/13

11 arh/núcleo do, acompanhado de declaração de concordância do coordenador do bolseiro Cessação da bolsa e comunicação à F.C.T. A arh/núcleo do verifica, junto da área de Recursos Financeiros, os eventuais ajustes a efectuar decorrentes da cessação, nomeadamente no que respeita a pagamentos ao bolseiro. Posteriormente, submete o pedido a homologação da Reitoria. Obtida a homologação, a arh/núcleo do comunica a cessação da bolsa ao bolseiro, ao coordenador, à Unidade Orgânica e à FCT, através do envio do ofício de autorização da cessação. Por último, a arh/núcleo do efectua o registo de fim de contrato do bolseiro na sua base de dados. Caso, de seguida, não haja outra bolsa ou relação jurídico funcional, cessará também o seu perfil de utilizador universal Cancelamento do Estatuto de de Investigação Científica O Estatuto de de Investigação Científica é cancelado automaticamente com a cessação da bolsa Relatório Final de Apreciação do Programa da Bolsa O bolseiro deverá fazer chegar à arh/núcleo do, até 60 dias após o termo da bolsa, um Relatório Final de Apreciação do Programa da Bolsa, o qual poderá ser apresentado nas línguas portuguesa e inglesa, de acordo com modelos próprios. Minuta 13p/BICUA Minuta 13i/BICUA Relatório Final de Avaliação da Actividade do Após o termo da bolsa, o coordenador deverá fazer chegar à arh/núcleo do e à FCT um Relatório Final de Avaliação da Actividade do, o qual poderá ser apresentado nas línguas portuguesa e inglesa, de acordo com modelos próprios. Coordenador Minuta 14p/BICUA Minuta 14i/BICUA 5. Impressos / documentos aplicáveis Pcd.(3)-(sGRHF) ( ) 11/13

12 5.1 Caracterização resumida das Bolsas de Investigação Científica 5.2 Minutas: Minuta 1p/BICUA - Anúncio para abertura de concurso (língua portuguesa) Minuta 1i/BICUA - Anúncio para abertura de concurso (língua inglesa) Minuta 2p/BICUA - Formulário de candidatura (língua portuguesa) Minuta 2i/BICUA - Formulário de candidatura (língua inglesa) Minuta 3/BICUA - Acta da reunião do júri de avaliação de candidaturas Minuta 4/BICUA Anexo da acta da reunião Grelha de Avaliação Minuta 5p/BICUA - Notificação da decisão provisória (língua portuguesa) Minuta 5i/BICUA - Notificação da decisão provisória (língua inglesa) Minuta 6p/BICUA Notificação do candidato seleccionado (língua portuguesa) Minuta 6i/BICUA - Notificação do candidato seleccionado (língua inglesa) Minuta 7p/BICUA Modelo de contrato a celebrar com o bolseiro (língua portuguesa) Minuta 7i/BICUA Modelo de contrato a celebrar com o bolseiro (língua inglesa) Minuta 8p/BICUA - Declaração de aceitação de bolsa (língua portuguesa) Minuta 8i/BICUA - Declaração de aceitação de bolsa (língua inglesa) Minuta 9/BICUA - Formulário de pedido de elaboração de contrato de bolsa Minuta 10p/BICUA - Declaração de regime de exclusividade (do bolseiro) Minuta 10i/BICUA - Declaração de regime de exclusividade (do bolseiro) Minuta 11/BICUA - Declaração de concordância (do coordenador) Minuta 12/BICUA Autorização da utilização pelo bolseiro de infra-estruturas e equipamentos da unidade Minuta 13p/BICUA - Relatório final de apreciação do programa da bolsa (língua portuguesa) Minuta 13i/BICUA - Relatório final de apreciação do programa da bolsa (língua inglesa) Minuta 14p/BICUA - Relatório final de avaliação da actividade de bolseiro (língua portuguesa) Minuta 14i/BICUA - Relatório final de avaliação da actividade de bolseiro (língua inglesa) Minuta 15/BICUA - Formulário de pedido de renovação da bolsa Minuta 16/BICUA - Formulário de pedido de cessação da bolsa Pcd.(3)-(sGRHF) ( ) 12/13

13 6. Fluxograma Fluxograma Descrição das acções Resp. Doc Constituição do júri e definição dos critérios de Unid. Org. avaliação (1) Elaboração do anúncio Publicitação do anúncio Unid. Org. Minutas: 1p/BICUA (2) Const. do júri e definição dos critérios de aval. Publicitação das bolsas Formalização da candidatura Recepção das candidaturas Análise das candidaturas Elaboração da acta da reunião Envio de cópia da acta à FCT (quando aplicável) Unid. Org. Júri 1i/BICUA Minutas: 2p/BICUA 2i/BICUA Minutas: 3/BICUA 4/BICUA (7) Renovação da bolsa (3) (4) (5) (6) (8) Candidatura à bolsa Avaliação das candidaturas Divulgação dos resultados Atribuição das bolsas Cessação da bolsa Notificação aos candidatos Possibilidade de interpor recurso Declaração de aceitação da bolsa Pedido de elaboração do contrato de bolsa Elaboração do contrato da bolsa Registo do bolseiro Relatório final de apreciação do programa da bolsa Relatório final de avaliação da actividade do bolseiro Pedido de renovação da bolsa Concessão da renovação da bolsa Relatório final de apreciação do programa da bolsa Relatório final de avaliação da actividade do bolseiro Júri Unid. Org. Coordenador Unid. Org. Coordenador Minutas: 5p/BICUA 5i/BICUA 6p/BICUA 6i/BICUA 7p/BICUA 7i/BICUA Minutas: 8p/BICUA 8i/BICUA 9/BICUA 10p/BICUA 10i/BICUA 11/BICUA 12/BICUA 13p/BICUA 13i/BICUA 14p/BICUA 14i/BICUA Minutas: 13p/BICUA 13i/BICUA 14p/BICUA 14i/BICUA 15/BICUA Pedido de cessação da bolsa Cessação da bolsa e comunicação à FCT Cancelamento do estatuto de bolseiro de investigação científica Relatório final de apreciação do programa da bolsa Relatório final de avaliação da actividade do bolseiro Coordenador Minutas: 13p/BICUA 13i/BICUA 14p/BICUA 14i/BICUA 16/BICUA Pcd.(3)-(sGRHF) ( ) 13/13

MANUAL DE PROCEDIMENTOS BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO \ UNIVERSIDADE DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO MANUAL DE PROCEDIMENTOS BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO VICE-REITORIA PARA A INVESTIGAÇÃO E COOPERAÇÃO (VRIC) 2011 1. Índice 1. Índice...página 2 2. Objetivo...página

Leia mais

Bolsa de Gestão de Ciência e Tecnologia (BGCT) (M/F) AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO

Bolsa de Gestão de Ciência e Tecnologia (BGCT) (M/F) AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Bolsa de Gestão de Ciência e Tecnologia (BGCT) (M/F) AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO O Centro Ciência Viva de Constância torna pública a abertura de concurso para a atribuição de uma Bolsa de Gestão de Ciência

Leia mais

Bolsa de Gestão de Ciência e Tecnologia (BGCT) (M/F) AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO

Bolsa de Gestão de Ciência e Tecnologia (BGCT) (M/F) AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Bolsa de Gestão de Ciência e Tecnologia (BGCT) (M/F) AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO O Exploratório - Centro Ciência Viva de Coimbra torna pública a abertura de concurso para a atribuição de uma Bolsa de

Leia mais

Bolsa de Gestão de Ciência e Tecnologia (BGCT) (M/F) AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO

Bolsa de Gestão de Ciência e Tecnologia (BGCT) (M/F) AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Bolsa de Gestão de Ciência e Tecnologia (BGCT) (M/F) AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO O Instituto de Investigação Interdisciplinar da Universidade de Coimbra torna pública a abertura de concurso para a atribuição

Leia mais

S. R. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA DIREÇÃO-GERAL DO ENSINO SUPERIOR

S. R. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA DIREÇÃO-GERAL DO ENSINO SUPERIOR Regulamento de Formação Avançada e Qualificação de Recursos Humanos da Direção-Geral do Ensino Superior (Aprovado por despacho, de 15 de junho de 2012, do Presidente do Conselho Diretivo da Fundação para

Leia mais

INSTITUTO PORTUGUÊS DO MAR E DA ATMOSFERA, I.P.

INSTITUTO PORTUGUÊS DO MAR E DA ATMOSFERA, I.P. INSTITUTO PORTUGUÊS DO MAR E DA ATMOSFERA, I.P. REGULAMENTO DE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO CIENTIFICA Artigo 1º Âmbito O presente Regulamento, aplica-se às bolsas atribuídas pelo Instituto Português do Mar

Leia mais

REGULAMENTO DAS BOLSAS CENTRO CIENTÍFICO E CULTURAL DE MACAU. CAPITULO I Disposições Gerais. Artigo 1º Âmbito

REGULAMENTO DAS BOLSAS CENTRO CIENTÍFICO E CULTURAL DE MACAU. CAPITULO I Disposições Gerais. Artigo 1º Âmbito REGULAMENTO DAS BOLSAS CENTRO CIENTÍFICO E CULTURAL DE MACAU CAPITULO I Disposições Gerais Artigo 1º Âmbito O presente Regulamento, aprovado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia ao abrigo da Lei

Leia mais

FUNDAÇÃO CONVENTO DA ORADA - ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA. Regulamento de Bolsas de Investigação Científica. Capítulo I Disposições gerais

FUNDAÇÃO CONVENTO DA ORADA - ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA. Regulamento de Bolsas de Investigação Científica. Capítulo I Disposições gerais FUNDAÇÃO CONVENTO DA ORADA - ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA Regulamento de Bolsas de Investigação Científica Capítulo I Disposições gerais Artigo 1º Âmbito O presente Regulamento, segue o modelo aprovado pela

Leia mais

PROGRAMA DE CRIAÇÃO DE TALENTOS PARA ANGOLA BOLSA ESCOM Bolsa de Estudo para Cursos Superiores

PROGRAMA DE CRIAÇÃO DE TALENTOS PARA ANGOLA BOLSA ESCOM Bolsa de Estudo para Cursos Superiores PROGRAMA DE CRIAÇÃO DE TALENTOS PARA ANGOLA BOLSA ESCOM Bolsa de Estudo para Cursos Superiores A pretende impulsionar as actividades de Responsabilidade Social em Angola, contribuindo para o seu desenvolvimento.

Leia mais

LAMTec-ID, Laboratório de Ambiente Marinho e Tecnologia. REGULAMENTO DE BOLSAS LAMTec-ID (ATRIBUÍDAS NO ÂMBITO DE PROJECTOS DO LAMTec-ID)

LAMTec-ID, Laboratório de Ambiente Marinho e Tecnologia. REGULAMENTO DE BOLSAS LAMTec-ID (ATRIBUÍDAS NO ÂMBITO DE PROJECTOS DO LAMTec-ID) LAMTec-ID, Laboratório de Ambiente Marinho e Tecnologia REGULAMENTO DE BOLSAS LAMTec-ID (ATRIBUÍDAS NO ÂMBITO DE PROJECTOS DO LAMTec-ID) CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1º (Âmbito) 1. O presente Regulamento,

Leia mais

BOLSA DE INVESTIGAÇÃO CENTRO HOSPITALAR DO PORTO 1 Bolsa (BI.01/2014)

BOLSA DE INVESTIGAÇÃO CENTRO HOSPITALAR DO PORTO 1 Bolsa (BI.01/2014) BOLSA DE INVESTIGAÇÃO CENTRO HOSPITALAR DO PORTO 1 Bolsa (BI.01/2014) Anúncio Encontra-se aberto concurso para a atribuição de uma Bolsa de Investigação, no âmbito das actividades de Ensino, Formação e

Leia mais

REGULAMENTO DAS BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO PARA PÓS-GRADUAÇÃO E ESPECIALIZAÇÃO DESTINADAS A ESTUDANTES AFRICANOS DE LÍNGUA PORTUGUESA E DE TIMOR LESTE

REGULAMENTO DAS BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO PARA PÓS-GRADUAÇÃO E ESPECIALIZAÇÃO DESTINADAS A ESTUDANTES AFRICANOS DE LÍNGUA PORTUGUESA E DE TIMOR LESTE REGULAMENTO DAS BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO PARA PÓS-GRADUAÇÃO E ESPECIALIZAÇÃO DESTINADAS A ESTUDANTES AFRICANOS DE LÍNGUA PORTUGUESA E DE TIMOR LESTE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artº. 1º. 1. Com o fim principal

Leia mais

Regulamento de Bolsas de Investigação Científica da Fundação BIAL

Regulamento de Bolsas de Investigação Científica da Fundação BIAL Regulamento de Bolsas de Investigação Científica da Fundação BIAL PREÂMBULO Tendo como objetivo incentivar a investigação centrada sobre o Homem, tanto sob os aspetos físicos como sob o ponto de vista

Leia mais

REGULAMENTO DAS BOLSAS DE ESTUDO FUNDAÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL ARAGÃO PINTO E INSTITUTO SUPERIOR DE GESTÃO

REGULAMENTO DAS BOLSAS DE ESTUDO FUNDAÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL ARAGÃO PINTO E INSTITUTO SUPERIOR DE GESTÃO REGULAMENTO DAS BOLSAS DE ESTUDO FUNDAÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL ARAGÃO PINTO E INSTITUTO SUPERIOR DE GESTÃO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º Objecto O presente Regulamento de Bolsas de Estudo

Leia mais

Regulamento de Bolsas de Investigação Científica

Regulamento de Bolsas de Investigação Científica Regulamento de Bolsas de Investigação Científica REGULAMENTO DE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º Âmbito O presente Regulamento, aprovado pela Fundação para a Ciência

Leia mais

REGULAMENTO DE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA

REGULAMENTO DE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA REGULAMENTO DE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1º Âmbito O presente Regulamento, aprovado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia ao abrigo da Lei nº 40/2004,

Leia mais

Fundação Cidade Lisboa

Fundação Cidade Lisboa Fundação Cidade Lisboa COLÉGIO UNIVERSITÁRIO DA COOPERAÇÃO - NUNO KRUS ABECASIS REGULAMENTO DE BOLSAS 2015/2016 I - DISPOSIÇÕES GERAIS 1 - O Colégio Universitário da Cooperação Nuno Krus Abecasis da Fundação

Leia mais

Regulamento de Bolsas. do Instituto Politécnico de Lisboa e Unidades Orgânicas

Regulamento de Bolsas. do Instituto Politécnico de Lisboa e Unidades Orgânicas Regulamento de Bolsas do Instituto Politécnico de Lisboa e Unidades Orgânicas CAPITULO I DISPOSIÇÕES GENÉRICAS Artigo primeiro Âmbito 1. O presente Regulamento, aprovado pela Fundação para a Ciência e

Leia mais

Regulamento de Bolsas do CCMar

Regulamento de Bolsas do CCMar Regulamento de Bolsas do CCMar CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1º Âmbito O presente Regulamento, aprovado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia ao abrigo do Decreto-Lei nº 123/99, de 20 de Abril,

Leia mais

REGULAMENTO DAS BOLSAS RICARDO JORGE CAPITULO I. Disposições Gerais

REGULAMENTO DAS BOLSAS RICARDO JORGE CAPITULO I. Disposições Gerais REGULAMENTO DAS BOLSAS RICARDO JORGE CAPITULO I Disposições Gerais Artigo 1º Âmbito O presente Regulamento, aprovado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia ao abrigo da Lei n.º 40/2004, de 18 de Agosto,

Leia mais

DESPACHO ISEP/P/12/2010

DESPACHO ISEP/P/12/2010 DESPACHO ISEP/P/12/2010 Considerando: 1. A necessidade de regulamentar a tramitação do processo de financiamento, pelo Instituto Superior de Engenharia do Porto, de bolsas para a prossecução nas Unidades

Leia mais

TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS SECÇÃO ÚNICA Disposições Gerais

TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS SECÇÃO ÚNICA Disposições Gerais REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DO TÍTULO DE ESPECIALISTA NA ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM S. FRANCISCO DAS MISERICÓRDIAS TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS SECÇÃO ÚNICA Disposições Gerais Artigo 1.º (Objecto e âmbito)

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE PREPARAÇÃO PARA REVISORES OFICIAIS DE CONTAS

REGULAMENTO DO CURSO DE PREPARAÇÃO PARA REVISORES OFICIAIS DE CONTAS REGULAMENTO DO CURSO DE PREPARAÇÃO PARA REVISORES OFICIAIS DE CONTAS PREÂMBULO Na sequência da transposição para o ordenamento jurídico nacional da Directiva n.º 2006/43/CE, do Parlamento Europeu e do

Leia mais

FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN

FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN REGULAMENTO DE BOLSAS DE PÓS-GRADUAÇÃO E ESPECIALIZAÇÃO PARA ESTUDANTES AFRICANOS DE LÍNGUA OFICIAL PORTUGUESA E DE TIMOR-LESTE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artº 1º 1. Com o objetivo de estimular a Investigação

Leia mais

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1.º. Âmbito e objeto. Artigo 2.º. Candidatos

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1.º. Âmbito e objeto. Artigo 2.º. Candidatos REGULAMENTO DO PROGRAMA COMUNICAÇÃO E GESTÃO DE CIÊNCIA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Âmbito e objeto 1. O presente regulamento define as normas e os procedimentos de concurso para contratação

Leia mais

Escola Secundária com 3º Ciclo da Baixa da Banheira (403234)

Escola Secundária com 3º Ciclo da Baixa da Banheira (403234) CONSELHO GERAL TRANSITÓRIO REGULAMENTO DO PROCEDIMENTO CONCURSAL PARA A ELEIÇÃO DO DIRECTOR DA ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO Artigo 1.º Objecto O presente Regulamento define as regras a observar no procedimento

Leia mais

REGULAMENTO DE BOLSAS DO INESC PORTO

REGULAMENTO DE BOLSAS DO INESC PORTO REGULAMENTO DE BOLSAS DO INESC PORTO I - DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO 1º (Finalidade da atribuição das bolsas) 1. O INESC Porto - Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores do Porto, com o objectivo

Leia mais

ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO

ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade internacional para estágio dos estudantes de Licenciatura

Leia mais

GABINETE DO SECRETÁRIO PARA OS ASSUNTOS SOCIAIS E CULTURA. 05-00-00-00-00 Outras despesas correntes 3,268,000.00. Total das despesas

GABINETE DO SECRETÁRIO PARA OS ASSUNTOS SOCIAIS E CULTURA. 05-00-00-00-00 Outras despesas correntes 3,268,000.00. Total das despesas 420 23 2010 6 7 Unidade: MOP Classificação funcional Classificação económica Designação Montante 02-03-07-00-00 Publicidade e propaganda 8-01-0 02-03-07-00-01 Encargos com anúncios 02-03-08-00-00 Trabalhos

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO DE BOLSAS SANTANDER TOTTA/ UNIVERSIDADE DE COIMBRA 2015

REGULAMENTO DO CONCURSO DE BOLSAS SANTANDER TOTTA/ UNIVERSIDADE DE COIMBRA 2015 REGULAMENTO DO CONCURSO DE BOLSAS SANTANDER TOTTA/ UNIVERSIDADE DE COIMBRA 2015 Este concurso visa reforçar a cooperação existente entre a Universidade de Coimbra (UC) e as instituições suas parceiras,

Leia mais

ACTA DA REUNIÃO DO JÚRI PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSA DE INVESTIGAÇÃO NO ÂMBITO DO PROJECTO PICO II, CONFORME O ANÚNCIO 20.001_BI_2015 APRESENTADO EM ANEXO

ACTA DA REUNIÃO DO JÚRI PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSA DE INVESTIGAÇÃO NO ÂMBITO DO PROJECTO PICO II, CONFORME O ANÚNCIO 20.001_BI_2015 APRESENTADO EM ANEXO ACTA DA REUNIÃO DO JÚRI PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSA DE INVESTIGAÇÃO NO ÂMBITO DO PROJECTO PICO II, CONFORME O ANÚNCIO 20.001_BI_2015 APRESENTADO EM ANEXO DATA: 17 de Agosto de 2015 LOCAL: WavEC /Offshore

Leia mais

E R A S M U S Guia do Estudante ERASMUS. Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Guia do Estudante

E R A S M U S Guia do Estudante ERASMUS. Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Guia do Estudante ERASMUS Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa Guia do Estudante Normas Gerais A mobilidade de estudantes, uma das acções mais frequentes do Programa, inclui duas vertentes de actividade: realização

Leia mais

Bolsa de Inovação da Secção Regional de Lisboa DA ORDEM DOS FARMACÊUTICOS REGRAS DE ATRIBUIÇÃO

Bolsa de Inovação da Secção Regional de Lisboa DA ORDEM DOS FARMACÊUTICOS REGRAS DE ATRIBUIÇÃO A Direcção da Secção Regional de Lisboa da Ordem dos Farmacêuticos, reunida em sessão de 18 de Julho de 2012, deliberou instituir uma Bolsa, destinada a apoiar projectos de investigação e projectos profissionais

Leia mais

Reitoria PROGRAMA DE BOLSAS DE MOBILIDADE PARA ESTUDANTES. Regulamento. Artigo 1º (Disposições Gerais)

Reitoria PROGRAMA DE BOLSAS DE MOBILIDADE PARA ESTUDANTES. Regulamento. Artigo 1º (Disposições Gerais) Reitoria PROGRAMA DE BOLSAS DE MOBILIDADE PARA ESTUDANTES Regulamento Artigo 1º (Disposições Gerais) O Programa de Bolsas de Mobilidade para Estudantes da Universidade de Lisboa tem por objectivo proporcionar

Leia mais

Perguntas e respostas - FAQ sobre a bolsa de mérito para estudos pós-graduados

Perguntas e respostas - FAQ sobre a bolsa de mérito para estudos pós-graduados Perguntas e respostas - FAQ sobre a bolsa de mérito para estudos pós-graduados 1. Pergunta: Quais são os dados que devem ser lidos antes de apresentar o pedido? Resposta: Devem ser lidos pormenorizadamente

Leia mais

REGULAMENTO BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO PARA ESTRANGEIROS

REGULAMENTO BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO PARA ESTRANGEIROS I. DISPOSIÇÕES GERAIS Artº 1º 1. Com o fim de estimular a difusão da cultura portuguesa em países estrangeiros, a Fundação Calouste Gulbenkian, através do Serviço de Bolsas Gulbenkian, concede bolsas de

Leia mais

申 請 人 須 於 研 究 生 資 助 發 放 技 術 委 員 會 的 網 上 系 統 填 寫 申 請 表, 然 後 列 印 並 簽 署, 連 同 有 關 申 請 文 件 一 併 遞 交

申 請 人 須 於 研 究 生 資 助 發 放 技 術 委 員 會 的 網 上 系 統 填 寫 申 請 表, 然 後 列 印 並 簽 署, 連 同 有 關 申 請 文 件 一 併 遞 交 申 請 人 須 於 研 究 生 資 助 發 放 技 術 委 員 會 的 網 上 系 統 填 寫 申 請 表, 然 後 列 印 並 簽 署, 連 同 有 關 申 請 文 件 一 併 遞 交 Os candidatos a bolsas de mérito para estudos pós-graduados devem preencher on-line o boletim de candidatura.

Leia mais

Regulamento do Gabinete Erasmus da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa

Regulamento do Gabinete Erasmus da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa Regulamento do Gabinete Erasmus da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objecto) O presente regulamento estabelece a orgânica do Gabinete Erasmus, bem

Leia mais

Regras gerais. Entidades Utilizadoras de produto de software de prescrição electrónica de medicamentos no Sistema de Saúde

Regras gerais. Entidades Utilizadoras de produto de software de prescrição electrónica de medicamentos no Sistema de Saúde Entidades Utilizadoras de produto de software de prescrição electrónica de medicamentos no Sistema de Saúde Unidade Operacional de Normalização e Certificação de Sistemas e Tecnologias da Informação Os

Leia mais

Regulamento de bolsas da. Associação Fraunhofer Portugal Research

Regulamento de bolsas da. Associação Fraunhofer Portugal Research Regulamento de bolsas da Associação Fraunhofer Portugal Research I - DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO 1º (Finalidade da atribuição das bolsas) 1. A Associação Fraunhofer Portugal Research, com o objectivo de

Leia mais

CIRCULAR INFORMATIVA

CIRCULAR INFORMATIVA CIRCULAR INFORMATIVA Nº. 46 Data: 2011/11/04 Para conhecimento de: Pessoal docente, discente e não docente ASSUNTO: Regulamento para Atribuição de Bolsa de Doutoramento ESTeSL/IPL Caixa Geral de Depósitos

Leia mais

REGULAMENTO DE RECRUTAMENTO DE PESSOAL

REGULAMENTO DE RECRUTAMENTO DE PESSOAL REGULAMENTO DE RECRUTAMENTO DE PESSOAL Artigo 1. o (Recrutamento e selecção) 1. O recrutamento de pessoal consiste no conjunto de acções destinadas a pôr à disposição da AMCM os meios humanos necessários

Leia mais

GABINETE DO SECRETÁRIO PARA OS ASSUNTOS SOCIAIS E CULTURA 第 309 /2005 號 行 政 長 官 批 示 社 會 文 化 司 司 長 辦 公 室 第 114 /2005 號 社 會 文 化 司 司 長 批 示.

GABINETE DO SECRETÁRIO PARA OS ASSUNTOS SOCIAIS E CULTURA 第 309 /2005 號 行 政 長 官 批 示 社 會 文 化 司 司 長 辦 公 室 第 114 /2005 號 社 會 文 化 司 司 長 批 示. 956 澳 門 特 別 行 政 區 公 報 第 一 組 第 40 期 2005 年 10 月 3 日 獨 一 條 許 可 透 過 三 月 二 十 二 日 第 89/99/M 號 訓 令 而 獲 授 許 可 於 澳 門 設 立 分 支 公 司 以 經 營 一 般 保 險 業 務 的 Companhia de Seguros Fidelidade S.A., 中 文 名 稱 為 忠 誠 保 險 公 司,

Leia mais

Licenciatura em Biologia

Licenciatura em Biologia Licenciatura em Biologia Regulamento de Estágio Profissionalizante Para dar cumprimento ao estipulado no Despacho n.º 22 420/2001 da Reitoria da Universidade de Aveiro, publicado no Diário da República

Leia mais

da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO

da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO Escola do Porto da Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL PARA BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE)*

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL PARA BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE)* FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL PARA BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE)* Bolsa / / Reservado aos Serviços A preencher pelo candidato Nome completo: Domínio científico principal (indicar apenas

Leia mais

REGULAMENTO DO PRÉMIO ULISBOA UNIVERSIDADE DE LISBOA

REGULAMENTO DO PRÉMIO ULISBOA UNIVERSIDADE DE LISBOA REGULAMENTO DO PRÉMIO ULISBOA UNIVERSIDADE DE LISBOA (Instituído com o apoio da Caixa Geral de Depósitos) 1. FINALIDADE O Prémio Universidade de Lisboa, adiante também designado por Prémio, tem por objectivo

Leia mais

REGULAMENTO DO PROCESSO ESPECIAL DE ACREDITAÇÃO/RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE ENTIDADES CANDIDATAS À AVALIAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DOS MANUAIS ESCOLARES

REGULAMENTO DO PROCESSO ESPECIAL DE ACREDITAÇÃO/RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE ENTIDADES CANDIDATAS À AVALIAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DOS MANUAIS ESCOLARES REGULAMENTO DO PROCESSO ESPECIAL DE ACREDITAÇÃO/RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE ENTIDADES CANDIDATAS À AVALIAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DOS MANUAIS ESCOLARES CAPÍTULO I Âmbito de aplicação Artigo 1.º Objeto e âmbito

Leia mais

Programa Gulbenkian Inovar em Saúde

Programa Gulbenkian Inovar em Saúde REGULAMENTO DO CONCURSO Concurso para financiamento de projetos em Literacia em Saúde 2013 Artigo 1º Objeto O presente Regulamento estabelece as normas de acesso ao concurso para financiamento de projetos

Leia mais

Regulamento do. Programa de Estágios Curriculares. no Ministério dos Negócios Estrangeiros

Regulamento do. Programa de Estágios Curriculares. no Ministério dos Negócios Estrangeiros Regulamento do Programa de Estágios Curriculares no Ministério dos Negócios Estrangeiros Preâmbulo Na sequência do acordo tripartido celebrado entre o Governo e os parceiros sociais em junho de 2008 e

Leia mais

Artigo 3º Bolsas de Investigação para Frequência de Estágios

Artigo 3º Bolsas de Investigação para Frequência de Estágios PROGRAMA OPERACIONAL DE VALORIZAÇÃO DO POTENCIAL HUMANO E COESÃO SOCIAL DA RAM EIXO I EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO FORMAÇÃO AVANÇADA DE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO DE FORMAÇÃO AVANÇADA E QUALIFICAÇÃO DE RECURSOS

Leia mais

ORDEM DOS BIÓLOGOS REGULAMENTO. Atribuição de Títulos de Especialista em Ambiente. Introdução

ORDEM DOS BIÓLOGOS REGULAMENTO. Atribuição de Títulos de Especialista em Ambiente. Introdução ORDEM DOS BIÓLOGOS REGULAMENTO da Atribuição de Títulos de Especialista em Ambiente Introdução A pressão que tem vindo a ser exercida no ambiente como resultado de diversas acções humanas e a necessidade

Leia mais

VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL, S.R. DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL Despacho n.º 751/2009 de 9 de Julho de 2009

VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL, S.R. DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL Despacho n.º 751/2009 de 9 de Julho de 2009 VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL, S.R. DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL Despacho n.º 751/2009 de 9 de Julho de 2009 O Decreto Regulamentar n.º 84-A/2007, de 10 de Dezembro, estabeleceu o enquadramento

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL PARA BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE)*

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL PARA BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE)* FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL PARA BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE)* Bolsa / / Reservado aos Serviços A preencher pelo candidato Nome completo: Domínio científico principal (indicar apenas

Leia mais

AVISO DE ABERTURA DE CANDIDATURAS A APOIO FINANCEIRO. Tendo em conta os princípios constantes do Programa do XVII Governo Constitucional

AVISO DE ABERTURA DE CANDIDATURAS A APOIO FINANCEIRO. Tendo em conta os princípios constantes do Programa do XVII Governo Constitucional AVISO DE ABERTURA DE CANDIDATURAS A APOIO FINANCEIRO Tendo em conta os princípios constantes do Programa do XVII Governo Constitucional em matéria de política de saúde, foi definido, pelo Decreto Lei n.º

Leia mais

REGULAMENTO DE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO DO CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA

REGULAMENTO DE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO DO CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA REGULAMENTO DE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO DO CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO 1 ÂMBITO 1. O presente Regulamento, submetido à aprovação da Fundação

Leia mais

Regulamento PAPSummer 2015

Regulamento PAPSummer 2015 Regulamento PAPSummer 2015 Artigo 1º Objectivos do programa, montante e designação das bolsas 1. O programa PAPSummer pretende dar a oportunidade a estudantes portugueses (Estudante) de desenvolver um

Leia mais

S. R. MINISTÉRIOS DAS ACTIVIDADES ECONÓMICAS E DO TRABALHO E DA CIÊNCIA, INOVAÇÃO E ENSINO SUPERIOR

S. R. MINISTÉRIOS DAS ACTIVIDADES ECONÓMICAS E DO TRABALHO E DA CIÊNCIA, INOVAÇÃO E ENSINO SUPERIOR DESPACHO CONJUNTO Nº Considerando a Decisão da Comissão nº C (2004) 5706, de 24 de Dezembro de 2004, que altera a Decisão C (2000) 1785, de 28 de Julho de 2000, que aprovou o Programa Operacional Ciência,

Leia mais

REGULAMENTO DOS DIPLOMAS DE ESPECIALIZAÇÃO

REGULAMENTO DOS DIPLOMAS DE ESPECIALIZAÇÃO REGULAMENTO DOS DIPLOMAS DE ESPECIALIZAÇÃO Aprovado em reunião da Comissão Coordenadora do Conselho Científico em 22/11/2006 Aprovado em reunião de Plenário do Conselho Directivo em 13/12/2006 PREÂMBULO

Leia mais

Anúncio para atribuição de Bolsa de Cientista Convidado no âmbito do Projecto QREN RAD4LIFE

Anúncio para atribuição de Bolsa de Cientista Convidado no âmbito do Projecto QREN RAD4LIFE Anúncio para atribuição de Bolsa de Cientista Convidado no âmbito do Projecto QREN RAD4LIFE O LIP Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas oferece uma bolsa no âmbito do Projecto

Leia mais

MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES AVISO

MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES AVISO MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES AVISO 1. Nos termos do nº 2 do artigo 21º da Lei nº 2/2004, de 15 de Janeiro, com a redacção dada pela Lei nº 51/2005, de 30 de Agosto, e pela

Leia mais

Artigo 1.º (Âmbito) Artigo 2.º (Empresas e Pró-Empresas) Artigo 3.º (Serviços Base) Artigo 4.º (Serviços Extra)

Artigo 1.º (Âmbito) Artigo 2.º (Empresas e Pró-Empresas) Artigo 3.º (Serviços Base) Artigo 4.º (Serviços Extra) REGULAMENTO O conceito de CENTRO DE EMPRESAS consiste na disponibilização de espaços destinados a empresas e pró-empresas, visando a promoção, desenvolvimento e consolidação das mesmas, com a finalidade

Leia mais

RELATÓRIO DE EXECUÇÃO FINANCEIRA

RELATÓRIO DE EXECUÇÃO FINANCEIRA PROGRAMA EUROSTARS RELATÓRIO DE EXECUÇÃO FINANCEIRA INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO ACOMPANHAMENTO FINANCEIRO COMPONENTES DO RELATÓRIO A verificação da execução financeira dos projectos EUROSTARS é suportada

Leia mais

AVISO DE ABERTURA DE CANDIDATURAS A APOIO FINANCEIRO

AVISO DE ABERTURA DE CANDIDATURAS A APOIO FINANCEIRO AVISO DE ABERTURA DE CANDIDATURAS A APOIO FINANCEIRO Tendo em conta os princípios constantes do Programa do XVII Governo Constitucional em matéria de política de saúde, foi definido, pelo Decreto Lei n.º

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DOM AFONSO III. Regulamento do Mestrado em Marketing Comunicação Multimédia. Artigo 1º

INSTITUTO SUPERIOR DOM AFONSO III. Regulamento do Mestrado em Marketing Comunicação Multimédia. Artigo 1º INSTITUTO SUPERIOR DOM AFONSO III Regulamento do Mestrado em Marketing Comunicação Multimédia Artigo 1º O Instituto Superior Dom Afonso III (INUAF), concede o grau de Mestre na especialidade de Marketing,

Leia mais

Regulamento Candidaturas Maiores de 23 Anos Página 1 de 6

Regulamento Candidaturas Maiores de 23 Anos Página 1 de 6 Regulamento Candidaturas Maiores de 23 Anos Página 1 de 6 REGULAMENTO DAS PROVAS DE ADMISSÃO AO INSTITUTO SUPERIOR DE PAÇOS DE BRANDÃO ISPAB PARA CANDIDATOS MAIORES DE 23 ANOS NÃO TITULARES DE HABILITAÇÃO

Leia mais

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Bolsa de Gestão em Ciência e Tecnologia (BGCT) (M/F)

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Bolsa de Gestão em Ciência e Tecnologia (BGCT) (M/F) AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Bolsa de Gestão em Ciência e Tecnologia (BGCT) (M/F) 1. A Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P. (FCT) abre concurso para a atribuição de uma (1) Bolsa de Gestão de

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS PARA LOGÓTIPO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE VISEU

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS PARA LOGÓTIPO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE VISEU REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS PARA LOGÓTIPO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE VISEU 1. Promotor O Instituto Politécnico de Viseu (IPV) leva a efeito o concurso de ideias para apresentação de propostas de renovação

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE CANDIDATURA E INFORMAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE SELECÇÃO

INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE CANDIDATURA E INFORMAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE SELECÇÃO 4.ª EDIÇÃO DO PEPAL INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE CANDIDATURA E INFORMAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE SELECÇÃO 1 Índice 1. DESTINATÁRIOS DO PEPAL...3 2. CANDIDATURAS DOS ESTAGIÁRIOS...4 2.1.

Leia mais

REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO, MUDANÇA DE CURSO E TRANSFERÊNCIA NOS CURSOS DA UNIVERSIDADE DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO. Artigo 1.

REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO, MUDANÇA DE CURSO E TRANSFERÊNCIA NOS CURSOS DA UNIVERSIDADE DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO. Artigo 1. REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO, MUDANÇA DE CURSO E TRANSFERÊNCIA NOS CURSOS DA UNIVERSIDADE DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO Artigo 1.º Objeto O presente regulamento disciplina os regimes de reingresso,

Leia mais

Regulamento para atribuição do Título de Especialista no Instituto Superior de Ciências Educativas

Regulamento para atribuição do Título de Especialista no Instituto Superior de Ciências Educativas Regulamento para atribuição do Título de Especialista no Instituto Superior de Ciências Educativas No âmbito do ensino politécnico é conferido o título de especialista, o qual comprova a qualidade e a

Leia mais

BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO

BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO Última atualização 15.04.2015 1 Tipos de bolsas 1.1 Quais os tipos de bolsas e montantes definidos no Regulamento das Bolsas? As bolsas distinguem-se de

Leia mais

REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU

REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU N.º 41 12-10-2009 BOLETIM OFICIAL DA REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU I SÉRIE 1535 澳 門 特 別 行 政 區 REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU 50/2009 Ordem Executiva n.º 50/2009 Usando da faculdade conferida

Leia mais

Regulamento das Provas Especiais de Acesso e Ingresso no Ensino Superior para Maiores de 23 Anos

Regulamento das Provas Especiais de Acesso e Ingresso no Ensino Superior para Maiores de 23 Anos Regulamento das Provas Especiais de Acesso e Ingresso no Ensino Superior para Maiores de 23 Anos O Decreto-Lei nº64/2006, de 21 de Março, regulamenta as provas especialmente adequadas destinadas a avaliar

Leia mais

U CAN Bolsas de Estudo Universitárias Regulamento. Preâmbulo

U CAN Bolsas de Estudo Universitárias Regulamento. Preâmbulo U CAN Bolsas de Estudo Universitárias Regulamento Preâmbulo O Programa Escolhas, tutelado pela Presidência do Conselho de Ministros e integrado no Alto Comissariado para as Migrações, I.P., tem como um

Leia mais

ESPAÇOS COMERCIAIS NO MERCADO DO BAIRRO DO CONDADO

ESPAÇOS COMERCIAIS NO MERCADO DO BAIRRO DO CONDADO JUNTA DE FREGUESIA DE MARVILA CONCURSO PÚBLICO N / 2 ESPAÇOS COMERCIAIS NO MERCADO DO BAIRRO DO CONDADO Avisam-se todos os interessados que entre os dias de março e de abril de 2 se encontra aberto Concurso

Leia mais

Regulamento de Apoio Financeiro à Edição de Obras de Novos Autores Portugueses. Despacho Normativo n.º 9-C/2003 de 3 de Fevereiro de 2003

Regulamento de Apoio Financeiro à Edição de Obras de Novos Autores Portugueses. Despacho Normativo n.º 9-C/2003 de 3 de Fevereiro de 2003 Regulamento de Apoio Financeiro à Edição de Obras de Novos Autores Portugueses Despacho Normativo n.º 9-C/2003 de 3 de Fevereiro de 2003 Na prossecução das suas atribuições cabe ao Instituto Português

Leia mais

REGULAMENTO DO CONTROLO DE QUALIDADE DA ORDEM DOS REVISORES OFICIAIS DE CONTAS. (Artigo 68.º do Decreto-Lei n.º 487/99, de 16 de Novembro)

REGULAMENTO DO CONTROLO DE QUALIDADE DA ORDEM DOS REVISORES OFICIAIS DE CONTAS. (Artigo 68.º do Decreto-Lei n.º 487/99, de 16 de Novembro) REGULAMENTO DO CONTROLO DE QUALIDADE DA ORDEM DOS REVISORES OFICIAIS DE CONTAS (Artigo 68.º do Decreto-Lei n.º 487/99, de 16 de Novembro) CAPÍTULO I Objectivos e caracterização do controlo de qualidade

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Despacho Sob proposta do Gestor do Programa Operacional Sociedade do Conhecimento e nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 29º do Decreto-Lei n.º 54-A/2000, de

Leia mais

BOLSAS DE ESTUDO DE ESPECIALIZAÇÃO E VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL NO ESTRANGEIRO REGULAMENTO

BOLSAS DE ESTUDO DE ESPECIALIZAÇÃO E VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL NO ESTRANGEIRO REGULAMENTO BOLSAS DE ESTUDO DE ESPECIALIZAÇÃO E VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL NO ESTRANGEIRO REGULAMENTO I. DISPOSIÇÕES GERAIS Artº 1º 1) Com o fim de estimular a especialização e a valorização profissional nos diversos

Leia mais

Perguntas e respostas sobre a bolsa de mérito para estudos pós-graduados. Ano académico de 2015/2016

Perguntas e respostas sobre a bolsa de mérito para estudos pós-graduados. Ano académico de 2015/2016 Perguntas e respostas sobre a bolsa de mérito para estudos pós-graduados Ano académico de 2015/2016 1. Pergunta: Quais os documentos que devo de ler antes de apresentar o pedido? Devem ser lidos, pormenorizadamente,

Leia mais

instituições de comprovada valia social, o qual visa concretizar, especificando, o compromisso a que está vinculada.

instituições de comprovada valia social, o qual visa concretizar, especificando, o compromisso a que está vinculada. DECISÃO relativa ao programa para a atribuição de subsídio à aquisição de equipamentos de recepção das emissões de TDT por parte de cidadãos com necessidades especiais, grupos populacionais mais desfavorecidos

Leia mais

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR UMIC - Agência para a Sociedade do Conhecimento, I.P. AVISO

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR UMIC - Agência para a Sociedade do Conhecimento, I.P. AVISO MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR UMIC - Agência para a Sociedade do Conhecimento, I.P. AVISO Procedimento concursal comum, para constituição de relação jurídica de emprego público por

Leia mais

Aviso de Abertura do Concurso para Atribuição de Bolsas Individuais de Doutoramento, de Doutoramento em Empresas e de Pós- Doutoramento 2015

Aviso de Abertura do Concurso para Atribuição de Bolsas Individuais de Doutoramento, de Doutoramento em Empresas e de Pós- Doutoramento 2015 Aviso de Abertura do Concurso para Atribuição de Bolsas Individuais de Doutoramento, de Doutoramento em Empresas e de Pós- Doutoramento 2015 Nos termos do Regulamento de Bolsas de Investigação da Fundação

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 1/2010

ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 1/2010 ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 1/2010 APROVADA POR DELIBERAÇÃO DA COMISSÃO DIRECTIVA DE 19-03-2010 Altera o nº 4 da Orientação de Gestão nº 7/2008 e cria o ANEXO III a preencher pelos Beneficiários para registo

Leia mais

ANÚNCIO DE CONCURSO - INSPECÇÃO-GERAL DE FINANÇAS

ANÚNCIO DE CONCURSO - INSPECÇÃO-GERAL DE FINANÇAS ANÚNCIO DE CONCURSO - INSPECÇÃO-GERAL DE FINANÇAS A Direcção Geral da Administração Pública e a Inspecção-Geral de Finanças (IGF), através da Direcção Geral do Planeamento, Orçamento e Gestão do Ministério

Leia mais

BOLSA DE INVESTIGAÇÃO CENTRO HOSPITALAR DO PORTO. 1 Bolsa Ref. BI.06/2015/ND/CHP

BOLSA DE INVESTIGAÇÃO CENTRO HOSPITALAR DO PORTO. 1 Bolsa Ref. BI.06/2015/ND/CHP Autorizado por deliberação do Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Porto, de 03-06-2015 Anúncio BOLSA DE INVESTIGAÇÃO CENTRO HOSPITALAR DO PORTO 1 Bolsa Ref. BI.06/2015/ND/CHP O Centro Hospitalar

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA DIRECÃO GERAL DOS ESTABELECIMENTOS ESCOLARES AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE FERNANDO PESSOA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA DIRECÃO GERAL DOS ESTABELECIMENTOS ESCOLARES AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE FERNANDO PESSOA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA DIRECÃO GERAL DOS ESTABELECIMENTOS ESCOLARES AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE FERNANDO PESSOA Procedimento concursal comum de recrutamento para quatro postos de trabalho para

Leia mais

Normas Regulamentares do Mestrado em Ciências da Educação, área de especialização em Supervisão Pedagógica

Normas Regulamentares do Mestrado em Ciências da Educação, área de especialização em Supervisão Pedagógica Normas Regulamentares do Mestrado em Ciências da Educação, área de especialização em Supervisão Pedagógica Artigo 1.º Da admissão ao ciclo de estudos 1. À matrícula no mestrado em Ciências da Educação

Leia mais

ORDEM DOS FARMACÊUTICOS REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO. Artigo 1º Âmbito

ORDEM DOS FARMACÊUTICOS REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO. Artigo 1º Âmbito ORDEM DOS FARMACÊUTICOS REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO Artigo 1º Âmbito A Ordem dos Farmacêuticos (OF) tem vindo a estabelecer diversas parcerias, com o objectivo de facilitar o acesso à

Leia mais

CETAC.MEDIA. Centro de Estudos. das Tecnologias e Ciências da Comunicação. Regulamento

CETAC.MEDIA. Centro de Estudos. das Tecnologias e Ciências da Comunicação. Regulamento Centro de Estudos das Tecnologias e Ciências da Comunicação Regulamento Julho de 2008 CAPÍTULO I Natureza, Missão, Atribuições e Constituição Artigo 1º Natureza O Centro de Estudos das Tecnologias e Ciências

Leia mais

GUIA PRÁTICO APADRINHAMENTO CIVIL CRIANÇAS E JOVENS

GUIA PRÁTICO APADRINHAMENTO CIVIL CRIANÇAS E JOVENS Manual de GUIA PRÁTICO APADRINHAMENTO CIVIL CRIANÇAS E JOVENS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/7 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Apadrinhamento Civil Crianças

Leia mais

REGULAMENTO DA FORMAÇÃO AVANÇADA E QUALIFICAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS

REGULAMENTO DA FORMAÇÃO AVANÇADA E QUALIFICAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO DA FORMAÇÃO AVANÇADA E QUALIFICAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS A formação avançada e a qualificação de recursos humanos é uma prioridade da política científica e tecnológica nacional, reiterada no

Leia mais

Instituto Politécnico de Portalegre Escola Superior de Saúde de Portalegre

Instituto Politécnico de Portalegre Escola Superior de Saúde de Portalegre Instituto Politécnico de Portalegre Escola Superior de Saúde de Portalegre Edital Cursos de Mestrado em Enfermagem (Despachos n.º 23087/2009, n.º 23089/2009, n.º 23088/2009 20 de Outubro de 2009). 1 Por

Leia mais

Prémio de Jornalismo Hospital Veterinário Montenegro. Regulamento

Prémio de Jornalismo Hospital Veterinário Montenegro. Regulamento Prémio de Jornalismo Hospital Veterinário Montenegro Regulamento 2ª Edição, Novembro de 2011 Prémio de Jornalismo Hospital Veterinário Montenegro 2ª Edição Novembro de 2011 Regulamento Artigo 1º Objectivo

Leia mais

MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES AVISO

MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES AVISO MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES AVISO Concurso externo de Ingresso para preenchimento de um posto de trabalho na categoria de Técnico de Informática do Grau 1, Nível 1, da carreira

Leia mais

REGULAMENTO DAS BOLSAS PRAXIS XXI CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES GENÉRICAS. Artigo 1º Âmbito

REGULAMENTO DAS BOLSAS PRAXIS XXI CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES GENÉRICAS. Artigo 1º Âmbito REGULAMENTO DAS BOLSAS PRAXIS XXI CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES GENÉRICAS Artigo 1º Âmbito O presente regulamento aplica-se às acções de formação previstas na Medida 4 da Intervenção Operacional para a Ciência

Leia mais

Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo

Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo N.º 02R/CG/SASR/2012 Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo I. Âmbito de aplicação As bolsas de estudo do Instituto Politécnico de Macau (adiante designado abreviamente por IPM), tem como objectivo

Leia mais

REGULAMENTO Programa ISPA ACTIVO - Bolsas de Mérito Social

REGULAMENTO Programa ISPA ACTIVO - Bolsas de Mérito Social REGULAMENTO Programa ISPA ACTIVO - Bolsas de Mérito Social Elaborado por: Aprovado por: Versão Direção ISPA CRL 1.0 (Prof. Doutor Emanuel Gonçalves) Revisto e confirmado por: Data de Aprovação Inicial

Leia mais

Programa de Formação de Talentos de Macau Programa de Apoio Financeiro para Frequência do Programa Líderes Mundiais da Universidade de Cambridge

Programa de Formação de Talentos de Macau Programa de Apoio Financeiro para Frequência do Programa Líderes Mundiais da Universidade de Cambridge Programa de Formação de Talentos de Macau Programa de Apoio Financeiro para Frequência do Programa Líderes Mundiais da Universidade de Cambridge Regulamento 1. Objectivo do Programa: Com o apoio financeiro

Leia mais