SISTEMA DE MONITORAMENTO E REGISTRO DE DADOS PARA APOIO À NAVEGAÇÃO DE UM VEÍCULO SOLAR. Guilherme Arnizaut

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMA DE MONITORAMENTO E REGISTRO DE DADOS PARA APOIO À NAVEGAÇÃO DE UM VEÍCULO SOLAR. Guilherme Arnizaut"

Transcrição

1 SISTEMA DE MONITORAMENTO E REGISTRO DE DADOS PARA APOIO À NAVEGAÇÃO DE UM VEÍCULO SOLAR Guilherme Arnizaut Projeto de Graduação apresentado ao Curso de Engenharia Elétrica da Escola Politécnica, Universidade Federal do Rio de Janeiro, como parte dos requisitos necessários à obtenção do título de Engenheiro Eletricista. Orientador: Luís Guilherme Barbosa Rolim, Dr.-Ing Rio de Janeiro Julho de 2014

2 SISTEMA DE MONITORAMENTO E REGISTRO DE DADOS PARA APOIO À NAVEGAÇÃO DE UM VEÍCULO SOLAR Guilherme Arnizaut PROJETO DE GRADUAÇÃO SUBMETIDO AO CORPO DOCENTE DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DA ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO COMO PARTE DOS REQUISITOS NECESSÁRIOS PARA A OBTENÇÃO DO GRAU DE ENGENHEIRO ELETRICISTA. Examinado por: Prof. Luís Guilherme Barbosa Rolim, Dr. -Ing (Orientador) Prof. Jorge Luiz do Nascimento, Dr.Eng. (Coorientador) Prof. Sergio Sami Hazan, Ph.D. Marcos Dantas Alves dos Santos, M.Sc. RIO DE JANEIRO, RJ - BRASIL JULHO DE 2014 ii

3 Arnizaut, Guilherme Sistema de Monitoramento e Registro de Dados Para Apoio à Navegação de um Veículo Solar / Guilherme Arnizaut. Rio de Janeiro: UFRJ / Escola Politécnica, XIV, 101 p.: il.: 29,7 cm Orientador: Luís Guilherme Barbosa Rolim Projeto de Graduação UFRJ / Escola Politécnica / Curso de Engenharia Elétrica, Referências Bibliográficas: p Barco Solar. 2. Captação de Dados. 3. Armazenamento de Dados. 4. Sensores. I. Rolim, Luís Guilherme Barbosa. II. Universidade Federal do Rio de Janeiro, Escola Politécnica, Curso de Engenharia Elétrica. III. Título iii

4 Agradecimentos Agradeço a Deus por estar comigo nessa jornada me dando saúde e confiança e me ajudando a superar os desafios. A toda minha família, presentes fisicamente ou não, que sempre esteve presente me dando toda a base moral e valores que hoje eu sigo e respeito. Em especial ao meu pai, Jefferson Arnizaut, e minha mãe, Márcia Ribeiro, que por todo o meu percurso forneceram todo suporte que alguém pode pedir para estar sempre seguindo em frente, a grande paciência que tiveram para eu chegar até aqui e a sempre confiança em minha capacidade que fez que eu mesmo acreditasse em mim. À minha namorada, Letícia Bandeira de Castro, por toda a força que me deu de para que eu pudesse seguir meus objetivos. A toda família de Fabio Fernandes Figueira, por receberem a mim e meus colegas em intermináveis noites de estudo. Aos meus amigos Fabio Fernandes Figueira, Marcos Póvoa e Pedro Altoé, sem os quais as noites viradas de estudos teriam sido mais chatas e menos produtivas. A todos os amigos que fiz durante minha passagem pela faculdade, que nossa amizade seja duradoura. A todos do LAFAE, em especial a Marcos Dantas, pelos conselhos e ajudas tanto nas experiências quanto nas preparações para as mesmas. Agradeço ao Professor Luís Guilherme Barbosa Rolim pela ajuda e conselhos no desenvolvimento deste projeto. iv

5 O Conflito Não é Entre o Bem e o Mal, mas entre o Conhecimento e a Ignorância (BUDA) v

6 Resumo do Projeto de Graduação apresentado à Escola Politécnica/ UFRJ como parte dos requisitos necessários para a obtenção do grau de Engenheiro Eletricista. Sistema de Monitoramento e Registro de Dados Para Apoio à Navegação de um Veículo Solar Guilherme Arnizaut Julho/2014 Orientador: Luís Guilherme Barbosa Rolim Curso: Engenharia Elétrica Este projeto visa desenvolver e descrever um sistema de monitoramento e registro de dados que busca auxiliar a navegação do barco movido a energia solar (barco solar) pertencente ao Laboratório de Fontes Alternativa de Energia (LAFAE). Esse sistema será capaz de captar e armazenar dados de sensores dispostos no barco, sendo que os sensores usados nesse trabalho foram um sensor de corrente Allegro ACS758, um sensor piranômetro Davis de Radiação Solar e ainda um divisor de tensão resistivo que representa um sensor de tensão. Os dados captados serão utilizados em uma posterior análise e desenvolvimento do barco focando-se nos sistemas de geração fotovoltaica, armazenamento de energia e propulsão. Palavras-chave: Barco Solar, Captação de Dados, Armazenamento de Dados, Sensores. vi

7 Abstract of Undergraduate Project presented to POLI/UFRJ as a partial fulfillment of the requirements for the degree of Engineer. Monitoring and Data Registration System for Support the Navigation of a Solar Vehicle Guilherme Arnizaut July/2014 Advisor: Luís Guilherme Barbosa Rolim Course: Electrical Engineering This project aims to develop and describe a system for monitoring and datalogging seeking to assist the navigation of the boat powered by the sun (solar boat) that belongs to the Laboratory of Alternative Energy Sources (LAFAE). This system will be able to capture and store data from sensors scattered throughout the boat, the sensors used were a current Allegro ACS758 sensor, a pyranometer Davis Solar Radiation sensor and a resistive voltage divider, which represents a voltage sensor. The data acquired will be used for further analysis and development of the boat by focusing on the photovoltaic generation system, energy storage system and propulsion system. Keywords: Solar Boat, Data Capture, Data Storage, Sensors. vii

8 Sumário Lista de Figuras... xi Lista de Tabelas... xiv Capítulo 1 Introdução Contexto Objetivo Metodologia Organização Capítulo 2 Composição do Sistema Introdução O Barco Solar Componentes do sistema Sensores Dispositivo de Concentração e Armazenamento de Dados Capítulo 3 Programação do Arduíno Introdução Arduíno UNO Arduíno IDE Programa Base de aquisição de Dados Teste preliminar do Programa Programa Completo de Aquisição de Dados viii

9 3.5.1 Teste Preliminar do Programa Programa de Aquisição de Dados do GPS Shield GPS ITEAD Studio Desenvolvimento do Programa Programa para Captação de dados dos Sensores e GPS Capítulo 4 Montagens, Testes, Validações e Calibrações Introdução Sensores Reais Sensor de Corrente ACS758ECB-200B Sensor Piranômetro Vantage Pro Placa de Interconexão Teste preliminar da Placa Ideia de Aplicação das Placas Curvas de Calibração Curva de Calibração do Sensor de Corrente Curva de Calibração do Piranômetro Capitulo 5 Resultados Principais Resultados Ampliações Capítulo 6 Conclusão Objetivos Alcançados Temas para Futuros Projetos ix

10 6.2.1 Dispositivo Móvel para Interface com o Usuário Referências Bibliográficas Anexo I Anexo II Anexo III Anexo IV x

11 Lista de Figuras Figura 1- Ônibus Híbrido a Hidrogênio Figura 2- Ford Modelo C-Max Energi Solar Figura 3-Formato do Casco do Barco Mangue Figura 4-Vista lateral do Catamarã Mangue Figura 5-Topologia e Circuito Equivalente de um Motor BLDC Figura 6-Imagem do Motor em Funcionamento e em Repouso Figura 7-Motor C Turnigy Figura 8-ESC do Motor Figura 9-Conjunto Motor, Rabeta e Hélice Figura 10-Bateria Modelo Freedom DF300 12V Figura 11-Esquema Atual de Propulsão e controle Figura 12- Sensor de Corrente Allegro Figura 13-Sensor de Tensão Figura 14-Diagrama de Correntes Figura 15 Diagrama dos Sensores se Conectando ao Dispositivo Concentrador de Dados Figura 16-Caixa Hermética da Hypersat Figura 17-Placa da família Arduíno Figura 18- Shields Acoplados no Arduíno Figura 19-- Arduíno UNO Figura 20-Tela inicial do Arduíno IDE com funcionalidades destacadas Figura 21- Fluxograma do programa Base Figura 22 Esquemático do teste do Programa xi

12 Figura 23 Representação do Teste Figura 24 Esquemático do teste do programa Figura 25- Representação do Teste Figura 26 Diagrama de Layout do GPS Shield Figura 27 ITEAD GPS Shield e Antena Figura 28 Fluxograma GPS Figura 29 Fluxograma do programa completo Figura 30 Esquemático do ACS Figura 31 Diagrama de Pinagem Figura 32 ACS758 PFF Figura 33 Corpo interno do Piranômetro Figura 34 Corpo Externo do Piranômetro Figura 35 Esquemático do Piranômetro Figura 36 Primeira Placa Produzida Figura 37 Problema de Sustentação Apresentado pela Placa Figura 38 Vista Superior da Placa de Interconexão Final Figura 39 Placa Empilhada com o Problema de Sustentação Resolvido Figura 40 Piranômetro e Fonte conectados à Placa Figura 41 Todas as Conexões Feitas para o Teste Figura 42 Curva de Calibração do Sensor de Corrente Figura 43 Experimento para Levantamento da Curva de Calibração Figura 44 Comparação entre as Curvas Figura 45 Comparação entre os Dados do Arduíno e do Piranômetro Figura 46 Experimento para Levantamento da Curva de Calibração do Piranômetro xii

13 Figura 47-Arquivo.txt de corrente Figura 48-Arquivo.txt de radiação Figura 49-Arquivo.txt do GPS Figura 50-Arduíno MEGA Figura 51- Tablet Aakash, UbiSlate 7Cz Figura 52-Interface Piloto Figura 53- Interface Técnico xiii

14 Lista de Tabelas Tabela 1-Especificações do Motor Tabela 2- Dados do Painel pelo Padrão STC W/m² Tabela 3-Legenda Figura Tabela 4- Correntes Máximas Dos Sistemas Tabela 5 Legenda da Figura Tabela 6 HDOP e sua Classificação Tabela 7- Dados do sensor de corrente ACS758ECB-200B Tabela 8 Características do Piranômetro Tabela 9 Valores para Calibração Tabela 10 Valores para Calibração do sensor Piranômetro xiv

15 Capítulo 1 Introdução 1.1 Contexto Nos últimos anos foi possível verificar um aumento do número de competições realizadas entre universidades envolvendo veículos tripulados produzidos por alunos. Em relação à UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), pode-se destacar o Desafio Solar Brasil, que utiliza barcos solares 1 e a Fórmula SAE 2, uma competição entre carros. Em função deste aumento, a dificuldade e a competitividade entre os participantes está cada vez mais acirrada, aumentando a importância de se analisar o desempenho dos referidos veículos de forma qualitativa e quantitativa no intuito de aprimorar sua performance. Todas essas competições têm como objetivo estimular os estudantes a aprofundar seus conhecimentos sobre as tecnologias atuais nos diversos segmentos de que participam, bem como desenvolver novas tecnologias nestas áreas. Em especial, a área da navegação solar visa estimular o desenvolvimento de tecnologias que utilizam fontes alternativas de energia (como é o caso da geração solar fotovoltaica) para o transporte. O que se pode observar no cenário mundial é uma tendência à substituição das fontes convencionais de energia (como o petróleo) por novas fontes menos poluentes e que sejam renováveis. No ambiente da UFRJ, mais particularmente na Ilha do Fundão, onde se encontra o Centro de Tecnologia, pode-se destacar o desenvolvimento do ônibus 1 A principal competição da qual participa o barco solar do fundão é o Desafio Solar Brasil cujo o objetivo é estimular o desenvolvimento e divulgar a aplicação de fontes de energia alternativas em embarcações de serviço, recreio e transporte de passageiros. Mais informações podem ser encontradas no site do Desafio: 2 É um desafio lançado aos estudantes de engenharia que tem como objetivo desenvolver e propiciar a difusão e intercâmbio de conhecimentos de Engenharia formula náutica. Mais informações podem ser encontradas no site da competição

16 híbrido movido a hidrogênio 3 que pode ser visto na Figura 1. Este veículo foi desenvolvido com tecnologia 100% nacional e busca uma solução real para o problema da poluição gerada pelos atuais meios de transporte público urbano. Figura 1- Ônibus Híbrido a Hidrogênio Fonte: Coppe-reforca-transporte-da-Cidade-Universitaria.html Saindo do ambiente da UFRJ e analisando as tecnologias de veículos movidos com a energia solar, tem-se como exemplo um carro conceito desenvolvido pela Ford em conjunto com a Georgia Institute of Tecnology, apresentado no International Consumer Eletronics Show que ocorreu em Las Vegas, Estados Unidos, no começo de Este carro híbrido é chamado de C-Max Energi Solar 4 e pode ser observado na Figura 2. É um carro elétrico que, ao invés de alimentar suas baterias a partir de uma 3 Para saber mais sobre esse ônibus, visitar a página: 4 Para mais informações sobre esse novo conceito acessar a página: https://media.ford.com/content/fordmedia/fna/us/en/news/2014/01/02/let-the-sun-in--ford-c-maxsolar-energi-concept-goes-off-the-gri.html

17 tomada, utiliza uma lente especial chamada de Fresnel que concentra a luz nas células solares, aumentando em até 8 vezes o seu impacto. Utilizando esse modelo, a Ford estima que é possível reduzir em até 4 toneladas as emissões de gases de efeito estufa anuais em comparação a um modelo tradicional. Figura 2- Ford Modelo C-Max Energi Solar Fonte:https://media.ford.com/content/fordmedia/fna/us/en/news/2014/01/02/let-thesun-in--ford-c-max-solar-energi-concept-goes-off-the-gri.html Observando o que foi descrito, é possível confirmar a tendência mundial em desenvolver novas fontes de energia que preservem o planeta. Voltando às competições acima citadas que têm ajudado a desenvolver essa, dentre outras tecnologias, será tratado neste projeto o barco solar do LAFAE 5 5 Para mais informações sobre o Barco Solar, ver seção 2.2 deste projeto

18 (Laboratório de Fontes Alternativas de Energia), na UFRJ, que é utilizado no Desafio Solar Brasil. Os pesquisadores envolvidos com esse barco têm percebido que durante as competições e testes, quem controla o barco solar a partir do cockpit possui pouca informação sobre o andamento do mesmo (velocidade, direção de deslocamento), a condição de carga de suas baterias, a geração fotovoltaica instantânea e consumo, dentre outras indicações. A falta de dados faz com que o piloto conduza o veículo às cegas, já que a qualquer momento, uma falta de radiação solar adequada e um consumo excessivo do sistema de armazenamento (banco de baterias) podem fazer com que o barco fique impossibilitado de prosseguir, permanecendo à deriva e comprometendo todo o planejamento da equipe ou até mesmo a segurança do piloto e da embarcação. Outro problema relacionado à falta de informações técnicas durante e após uma competição ou manutenção e preparação do barco é que, sem elas, fica difícil observar se tudo está conforme a normalidade, seguindo as expectativas. Dados como energia consumida pelo motor, energia gerada pelo sistema de geração, nível de carga do sistema de armazenamento e radiação solar incidente, entre outros, podem servir de base para um estudo mais detalhado das condições e comportamento do barco tanto durante a corrida como durante sua preparação. Esses dados podem gerar gráficos comparativos importantes que mostrem o comportamento de diversos componentes em diferentes situações, tais como: Se o motor está funcionando corretamente e não consumindo mais do que o esperado; - 4 -

19 Se o sistema de geração está aproveitando com boa eficiência a radiação incidente, sem desperdiçar energia em excesso e ainda se as baterias conseguem manter o seu nível de carga corretamente; Se o piloto não está andando muito rápido e, por consequência, consumindo energia demais em momentos de baixa insolação (isso se dá, pois o consumo de energia varia de acordo com o cubo da velocidade, seguindo a fórmula Pins=v³, onde Pins é a potência instantânea consumida e v é a velocidade). Esses problemas se apresentam devido à falta, na estrutura do barco, de um sistema de auxílio à navegação mais completo, que possa ser usado para ajudar na tomada de decisões por parte do piloto e da equipe em terra tanto durante como posteriormente à corrida. Esse projeto tem como meta resolver parte dos problemas apresentados, auxiliando o desenvolvimento do barco solar como um todo. Como comentado anteriormente, o foco deste projeto é o desenvolvimento de um sistema de monitoramento e registro de dados de sensores para utilização no barco solar. Este sistema de monitoramento tem a finalidade de registrar os dados dos sensores em um cartão micro-sd que poderá ser analisado pela equipe após as corridas, facilitando, assim, a detecção de problemas ou auxiliando na melhoria do desempenho do barco. O intuito é que, através da implementação desse sistema de monitoramento e registro de dados, seja possível coletar uma infinidade de dados relacionados aos sistemas de geração e propulsão do barco que ajudarão na análise do seu desempenho, como, por exemplo, o possível desperdício de energia de algum componente ou a sobrecarga de algum dispositivo

20 Esses dados são de extrema importância para uma equipe de competição e desenvolvimento de tecnologias, já que, sem os mesmos, fica difícil analisar quais sistemas do barco podem ou devem ser melhorados. Os dados permitem uma verificação quantitativa e comparativa, possibilitando uma análise antes de determinada modificação e depois da mesma. 1.2 Objetivo O objetivo deste trabalho é propor um sistema de monitoramento e registro de dados para apoio da navegação do veículo capaz de armazenar dados provenientes de sensores distribuídos pelo barco e fazer um pré-processamento dos mesmos. Esse sistema será então testado em bancada e será realizada a validação de alguns de seus componentes Nesse projeto será desenvolvido o sistema de armazenamento, sua programação e componentes, seus testes e validações. É ainda objetivo desse trabalho o desenvolvimento de uma placa de interconexão de sensores que ligará os mesmos ao sistema de armazenamento. A parte da captação e armazenamento de dados foi desenvolvida utilizando-se a plataforma microcontroladora conhecida como Arduíno, sendo nesta desenvolvidos os programas necessários. 1.3 Metodologia Este trabalho foi desenvolvido conforme as etapas abaixo: 1. Preparação do projeto descritivo do sistema de captação e telemetria de dados

21 2. Estudo da plataforma Arduíno, com o objetivo de aprender a programação e compreender seu funcionamento. Realização de curso de treinamento e revisão bibliográfica. 3. Programação de um sistema de aquisição de dados de sensor em Arduíno, com testes práticos para validações. 4. Programação de um sistema de aquisição de informações de um GPS em Arduíno, com testes práticos para validação. 5. Desenvolvimento e Construção de uma placa de interconexão entre sensores e a placa Arduíno. 6. Teste da placa de interconexão e melhorias. 7. Aquisição dos dados dos sensores ligados a essa placa (sensor piranômetro e sensor de corrente). 8. Levantamento da curva de calibração do piranômetro e sensor de corrente. 1.4 Organização Este projeto está estruturado e organizado em um total de 5 capítulos além deste capítulo introdutório. No Capítulo 2, a concepção teórica do sistema de captação e armazenamento de dados, já considerando uma futura ampliação que realize telemetria, é apresentada. É ainda apresentada de maneira sucinta o conceito de Arduíno e seus Sensor Shields. Na seção de telemetria são apresentadas ideias de interfaces e seus componentes. O Capítulo 3 foca o desenvolvimento dos programas usados no sistema de armazenamento e registro de dados. Especificam-se os programas desenvolvidos e suas principais linhas de código assim como os testes realizados utilizando-se esses programas e seus resultados

22 No Capítulo 4 são descritos os sensores que foram utilizados nos testes apresentando suas características e a sua possibilidade de utilização no barco real. É discutida então a criação da placa de interconexão entre os sensores e o Arduíno, explicando sua montagem e vantagens. Apresenta-se ainda o processo de levantamento das curvas de calibração dos sensores presentes nessa placa mostrando seus resultados e suas validações. O Capítulo 5 apresenta de forma sucinta os resultados dos registros de dados, mostrando como os mesmos se encontram armazenados no cartão SD. Neste mesmo capítulo é discutida uma ampliação para o sistema. O trabalho é então concluído no Capítulo 6 onde serão apresentadas as considerações finais e ainda os temas para futuros trabalhos

23 Capítulo 2 Composição do Sistema 2.1 Introdução Com o intuito de resolver alguns dos problemas apresentados no capítulo um, é proposto então um sistema de monitoramento e registro de dados para apoio à navegação do veículo solar a ser instalado no barco solar do LAFAE, capaz de captar e armazenar os dados de uma série de sensores instalados no veículo. Este sistema irá permitir uma análise dos dados armazenados posteriormente a uma corrida. Este capítulo será iniciado com a descrição do barco solar do LAFAE com seus principais componentes e sistemas de geração e propulsão especificando as suas partes constituintes. Na continuação do capítulo serão descritos os principais componentes que irão compor o sistema de monitoramento e registro de dados a ser desenvolvido neste projeto, apresentando suas principais funções e onde estarão dispostos no barco. 2.2 O Barco Solar O barco solar é um veículo aquático cuja única fonte de propulsão é a energia fornecida pelo Sol que é captada a partir de painéis solares instalados na proa do barco. Esses painéis captam os fótons provenientes do Sol e os transformam em energia elétrica através do silício presente nos painéis, utilizando o efeito fotovoltaico 6. O barco em si é formado por um casco feito de fibra de vidro no formato de um catamarã possuindo um comprimento aproximado de 6,0 metros e uma largura aproximada de 1,80 metros. O LAFAE construiu dois barcos, respectivamente 6 Efeito fotovoltaico é a criação de tensão elétrica ou de uma corrente elétrica correspondente em um material exposto a luz. [10] - 9 -

24 denominados Mangue e Cajaíba, possuindo o mesmo formato e dimensões que são padronizados pelas regras da competição. Na Figura 3 pode-se observar o formato do casco. Figura 3-Formato do Casco do Barco Mangue [1] A Figura 4 é referente ao barco Cajaíba, porém como já foi dito possui o mesmo formato do barco Mangue [1]. Figura 4-Vista lateral do Catamarã Mangue[1] Atualmente o barco possui um sistema de propulsão formado por um motor do fabricante Turnigy, modelo C , que pode ser visto na Figura 7, que é um motor DC sem escovas (BLDC) e com rotor externo em torno do eixo e bobinas

25 Os motores BLDC são definidos como motores rotatórios auto sincronizáveis controlados por comutadores eletrônicos, onde o rotor é, normalmente, composto por imãs permanentes com sensores de posição do rotor e o circuito de comutação relacionado pode ser independente ou integrado ao motor (como pode ser observado na Figura 5) [15], sendo os motores BLDC desenvolvidos com base nos motores DC sem escovas [15]. Para se saber a posição angular do rotor, usa-se principalmente sensores de efeito Hall que determinam se é o polo norte ou o sul do imã que está passando por esse sensor. Com o sinal do sensor Hall, o inversor desliga ou liga as bobinas de modo apropriado para gerar o torque necessário. Como o controlador de velocidade tem que ligar as bobinas de modo a gerar o torque que é pedido, é necessário que um inversor envie uma corrente de sentido correto para o motor (a forma dessa corrente é normalmente trapezoidal ou quadrada). Com isso é necessário um inversor que seja capaz de enviar uma corrente de sentido positivo em um momento e de sentido negativo caso seja necessário. Nesse caso, quando se diz inversor, não é objetivo dizer que o mesmo produz uma corrente AC senoidal (motores BLDC acionados por correntes senoidais são chamados de Motores Síncronos de Imãs Permanentes ou PMSM em inglês [15]). Figura 5-Topologia e Circuito Equivalente de um Motor BLDC [15]

26 Na Figura 6 pode-se observar um motor Turnigy durante sua operação (primeira imagem do conjunto) e em repouso (segunda imagem do conjunto), mostrando sua carcaça girante. Figura 6-Imagem do Motor em Funcionamento e em Repouso Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=f_xthzpwakc Figura 7-Motor C Turnigy [1]

27 A Tabela 1 apresenta algumas informações obtidas no site do fabricante. Tabela 1-Especificações do Motor Modelo C Potência Máxima 7000W Resistência 17ohm Corrente em Repouso 3,5 A ESC 150 A Máxima Tensão de Entrada 48V Eixo 12mm Intervalo de Tensão 20-48v Corrente sem Carga 3,3 A Equivalência 60-80cc Motor a Gasolina Voltas Seis (6) Kv (constante) 180 rpm/v Peso 1812g Outro dispositivo que compõe o sistema de propulsão é o ESC (Eletronic Speed Controller) que pode ser visto na Figura 8. O mesmo é um circuito de potência que funciona como um acionador do motor BLDC. Ele funciona como um inversor sendo que seu microprocessador tem firmware 7 para controlar a comutação com ou sem sensores de posição além de outras funções. Atualmente é usado o Phoenix Castle ICE HV 120 dedicado a aeromodelos [1]. É especificado para baterias de LiPo (LithiumPolimer) [1] com tensão 12S, onde S representa células conectadas em série. Informações no site do fabricante garantem correntes máximas de 120A e tensões máximas de 50V. 7 Firmware é o conjunto de instruções operacionais programadas diretamente no hardware do equipamento eletrônico. É armazenado permanentemente em um circuito integrado de memória de hardware, como uma ROM, PROM, EEPROM no momento da fabricação do componente. Fonte:

28 Figura 8-ESC do Motor [1] Ainda na parte de propulsão, a mesma é formada por uma rabeta, cuja função é de transferir o torque mecânico do motor para o hélice, conforme pode ser visto na Figura 9. O torque é transferido do motor ao hélice através de engrenagens cônicas a 90. Figura 9-Conjunto Motor, Rabeta e Hélice [1] Na Figura 9 é possível observar o conjunto Motor (indicado pela seta 1), Transmissão (indicado pela seta 2) e Hélice (indicado pela seta 3)

29 O catamarã possui ainda um sistema de armazenamento formado por um banco de baterias composto por três baterias em série, modelo Freedom DF300 12V e 26Ah (o tipo de bateria pode ser visto na Figura 10), totalizando 936Wh de energia [1] (Normalmente a capacidade de armazenamento de baterias é descrita em Ah, porém como as regras da competição estipulam uma capacidade nominal máxima de armazenamento de 1KWh, será deixado a informação no projeto em Wh). Figura 10-Bateria Modelo Freedom DF300 12V Fonte: Outra parte que compõe o barco é o sistema de geração caracterizado por um conjunto de painéis solares. Na Etapa de Búzios, que foi uma das etapas do Desafio Solar Brasil realizada em 2013, o barco trabalhou com painéis da Kyocera modelo KD240GH- 2PB cujos dados podem ser vistos na Tabela 2. O conjunto possui quatro painéis arranjados em dois ramos em paralelo, cada qual com dois painéis em Série (2S2P), fornecendo uma potência máxima de 960W, com máximos de 59,6V e 16,1A [1]. Vale aqui ressaltar que os painéis solares são fornecidos pela organização do evento 8. 8 Mais informações sobre as regras da competição podem ser encontradas em

30 Tabela 2- Dados do Painel pelo Padrão STC W/m² Potência Máxima 240W Tensão no MPP 29,8V Corrente no MPP 8,06A Tensão de Circuito Aberto 36,9V Corrente de Curto Circuito 8,59A Eficiência 14% Comprimento 1,67m Largura 0,99m Peso 21Kg Outra parte que compõe o sistema de geração é o equipamento (conhecido como MPPT) que realiza o controle de carga das baterias e o rastreamento do ponto de máxima potência dos painéis. O MPPT analisa uma família de curvas I x V do painel e busca nessa curva o ponto de máxima potência, esse equipamento busca regular a tensão e corrente de operação dos painéis fotovoltaicos de modo a obter o máximo produto I x V [14]. O equipamento utilizado é o Xantrex XM-MPPT60-150, que além de realizar o MPPT, faz a conversão DC-DC, tipo Buck apenas (no caso do barco solar a tensão de saída dos painéis é maior que a tensão do banco de baterias, por isso é necessário apenas um conversor abaixador de tensão), para a tensão das baterias. [1] Por fim, o esquema elétrico do barco pode ser visto na Figura 11, sendo a Tabela 3 a legenda dessa Figura

31 Tabela 3-Legenda Figura 11 [1] Sigla Funcionalidade PV Painel Fotovoltaico MPPT Maximum Power Point Tracker D1 Disjuntor F1 Fusível Vs Banco de Baterias ESC Electronic Speed Controller S1 Chave On/Off S2 Chave de Iluminação S3 Chave da Bomba de Porão Bombordo S4 Chave de Bomba de Porão Boreste DMS1 Contatora DMS2 Chave Corta Corrente DMS3 Relé da Contatora DMS1 FA1,2,3,4 Fonte Auxiliar BPb,BPe Bombas de Porão Controle Placa de Controle LA Luz Auxiliar LBb Luz Bombordo LBe Luz Boreste M Motor Figura 11-Esquema Atual de Propulsão e controle [1]

32 2.3 Componentes do sistema O sistema será composto basicamente de duas partes. Os sensores ligados às partes mais importantes do barco (motor, painéis solares e banco de baterias) e um dispositivo de concentração e armazenamento de dados Sensores Os sensores são a primeira parte do sistema a ser descrito. São eles que permitirão captar os dados para que depois possam ser processados. O objetivo é utilizar sensores de corrente e tensão ligados aos painéis solares, sensor de tensão ligado ao banco de baterias e sensores de corrente ligados ao motor. Para os painéis, como sua geração é em corrente contínua, devemos utilizar um sensor de corrente DC a ser ligado em série com o circuito das placas solares. A corrente ao passar por ele, faz com que o sensor produza um sinal de tensão correspondente ao nível de corrente por ele captado. Um típico sensor de corrente da AllegroMycrosystems pode ser observado na Figura 12, sendo que esse sensor está explicado mais a fundo no subcapítulo deste trabalho. Esse sensor estará então conectado ao dispositivo concentrador de dados por meio de uma placa projetada para fazer a interconexão. O objetivo de se utilizar uma placa para a interconexão é de se garantir uma boa estabilidade mecânica para os terminais da fiação proveniente dos sensores, de modo a evitar ao máximo qualquer falha por mau contato. Figura 12- Sensor de Corrente Allegro

Na primeira aula, conhecemos um pouco sobre o projeto Arduino, sua família de placas, os Shields e diversos exemplos de aplicações.

Na primeira aula, conhecemos um pouco sobre o projeto Arduino, sua família de placas, os Shields e diversos exemplos de aplicações. Na primeira aula, conhecemos um pouco sobre o projeto Arduino, sua família de placas, os Shields e diversos exemplos de aplicações. A partir de agora, iremos conhecer o hardware do Arduino e suas caracteristicas

Leia mais

Alarme Automotivo com mensagem para móvel utilizando Arduino

Alarme Automotivo com mensagem para móvel utilizando Arduino Alarme Automotivo com mensagem para móvel utilizando Arduino Maycon Cirilo dos Santos¹, Wyllian Fressatti¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil mayconsi2012@gmail.com, wyllian@unipar.br

Leia mais

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas IW10 Rev.: 02 Especificações Técnicas Sumário 1. INTRODUÇÃO... 1 2. COMPOSIÇÃO DO IW10... 2 2.1 Placa Principal... 2 2.2 Módulos de Sensores... 5 3. APLICAÇÕES... 6 3.1 Monitoramento Local... 7 3.2 Monitoramento

Leia mais

Características técnicas Baseado no ATMega da empresa AVR, fabricante de micro-controladores em plena ascensão e concorrente do PIC Pode usar ATMega

Características técnicas Baseado no ATMega da empresa AVR, fabricante de micro-controladores em plena ascensão e concorrente do PIC Pode usar ATMega ARDUINO O que é Arduino Arduino foi criado na Itália por Máximo Banzi com o objetivo de fomentar a computação física, cujo conceito é aumentar as formas de interação física entre nós e os computadores.

Leia mais

R O B Ó T I C A. Sensor Smart. Ultrassom. Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 1.0 REVISÃO 1211.13. www.robouno.com.br

R O B Ó T I C A. Sensor Smart. Ultrassom. Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 1.0 REVISÃO 1211.13. www.robouno.com.br R O B Ó T I C A Sensor Smart Ultrassom Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 1.0 REVISÃO 1211.13 Sensor Smart Ultrassom 1. Introdução Os sensores de ultrassom ou ultrassônicos são sensores que detectam

Leia mais

TUTORIAL Arduino Nano

TUTORIAL Arduino Nano Conceito: O é uma plataforma de prototipagem eletrônica de hardware livre e de placa única, projetada com um microcontrolador Atmel AVR com circuitos de entrada/saída embutido que podem ser facilmente

Leia mais

Técnicas para interação de computador de bordo com dispositivo móvel usando tecnologia bluetooth

Técnicas para interação de computador de bordo com dispositivo móvel usando tecnologia bluetooth Técnicas para interação de computador de bordo com dispositivo móvel usando tecnologia bluetooth João Paulo Santos¹, Wyllian Fressaty¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil Jpsantos1511@gmail.com,

Leia mais

1 Componentes da Rede Gestun

1 Componentes da Rede Gestun PROCEDIMENTO PARA DETECÇÃO DE FALHAS EM REDES DATA: 23/06/14. Controle de Alterações DATA 23/06/14 MOTIVO Versão Inicial RESPONSÁVEL Márcio Correia 1 Componentes da Rede Gestun -Módulo de comunicação:

Leia mais

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...8

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...8 1 ÍNDICE Apresentação...3 Vantagens...3 Instalação...4 Informações Técnicas...5 Especificações Técnicas......8 2 APRESENTAÇÃO: O SS100 é um rastreador desenvolvido com os mais rígidos padrões de qualidade

Leia mais

ARDUINO UNO Guia do Usuário

ARDUINO UNO Guia do Usuário ARDUINO UNO Guia do Usuário Heco Mecatrônica Ltda. e-mail: vendas@hecomecatronica.com.br Visite nosso site: www.hecomecatronica.com.br Loja Virtual: shop.hecomecatronica.com.br Guia do Usuário - Página

Leia mais

APLICAÇÃO PARA ANÁLISE GRÁFICA DE EXERCÍCIO FÍSICO A PARTIR DA PLATAFORMA ARDUINO

APLICAÇÃO PARA ANÁLISE GRÁFICA DE EXERCÍCIO FÍSICO A PARTIR DA PLATAFORMA ARDUINO APLICAÇÃO PARA ANÁLISE GRÁFICA DE EXERCÍCIO FÍSICO A PARTIR DA PLATAFORMA ARDUINO Alessandro A. M de Oliveira 1 ; Alexandre de Oliveira Zamberlan 1 ; Péricles Pinheiro Feltrin 2 ; Rafael Ogayar Gomes 3

Leia mais

Fonte de alimentação AT, ATX e ATX12V

Fonte de alimentação AT, ATX e ATX12V Fonte de alimentação AT, ATX e ATX12V Introdução As fontes de alimentação são as responsáveis por distribuir energia elétrica a todos os componentes do computador. Por isso, uma fonte de qualidade é essencial

Leia mais

Minicurso de Arduino

Minicurso de Arduino Minicurso de Arduino Gabriel Vasiljević Wanderson Ricardo August 28, 2015 Gabriel Vasiljević Wanderson Ricardo Minicurso de Arduino August 28, 2015 1 / 45 Roteiro do curso O que é o Arduino (especificações,

Leia mais

Controlador de Bombas modelo ABS PC 242 Monitoramento e Controle de Bombas e Estações de Bombeamento

Controlador de Bombas modelo ABS PC 242 Monitoramento e Controle de Bombas e Estações de Bombeamento Controlador de Bombas modelo ABS PC 242 Monitoramento e Controle de Bombas e Estações de Bombeamento Um Único Dispositivo para Monitoramento e Controle Há várias formas de melhorar a eficiência e a confiabilidade

Leia mais

Easy Lab. Manual do usuário Revisão 1.2 01/11/14. www.dma.ind.br. DMA Electronics 1

Easy Lab. Manual do usuário Revisão 1.2 01/11/14. www.dma.ind.br. DMA Electronics 1 Easy Lab Manual do usuário Revisão 1.2 01/11/14 www.dma.ind.br DMA Electronics 1 A DMA ELECTRONICS projeta e fabrica sistemas para aquisição e registro de dados com conexão a um computador do tipo PC.

Leia mais

11/3/2009. Software. Sistemas de Informação. Software. Software. A Construção de um programa de computador. A Construção de um programa de computador

11/3/2009. Software. Sistemas de Informação. Software. Software. A Construção de um programa de computador. A Construção de um programa de computador Sistemas de Informação Prof. Anderson D. Moura Um programa de computador é composto por uma seqüência de instruções, que é interpretada e executada por um processador ou por uma máquina virtual. Em um

Leia mais

Projeto de controle e Automação de Antena

Projeto de controle e Automação de Antena Projeto de controle e Automação de Antena Wallyson Ferreira Resumo expandido de Iniciação Tecnológica PUC-Campinas RA: 13015375 Lattes: K4894092P0 wallysonbueno@gmail.com Omar C. Branquinho Sistemas de

Leia mais

5 Sistema Experimental

5 Sistema Experimental 5 Sistema Experimental Este capitulo apresenta o sistema experimental utilizado e é composto das seguintes seções: - 5.1 Robô ER1: Descreve o robô utilizado. É dividida nas seguintes subseções: - 5.1.1

Leia mais

Manual de Instalação. Windows XP. Desenvolvedores: Patrick Duarte, Rodrigo dos Santos. Setembro de 2014.

Manual de Instalação. Windows XP. Desenvolvedores: Patrick Duarte, Rodrigo dos Santos. Setembro de 2014. Manual de Instalação Windows XP Desenvolvedores: Patrick Duarte, Rodrigo dos Santos. Setembro de 2014. 1 SUMÁRIO OBJETIVO DO MANUAL:...03 REQUISITOS MÍNIMOS:...03 PROCESSO DE INSTALAÇÃO:...04 3.1 Documentos

Leia mais

Monitor de Rede Elétrica Som Maior Pro. Manual do Usuário Versão 3.9f

Monitor de Rede Elétrica Som Maior Pro. Manual do Usuário Versão 3.9f Monitor de Rede Elétrica Som Maior Pro Manual do Usuário Versão 3.9f 2 ÍNDICE PÁG. 1 APRESENTAÇÃO...03 2 DESCRIÇÃO DO EQUIPAMENTO...04 2.1 ROTINA INICIAL DE AVALIAÇÃO DA REDE ELÉTRICA...04 2.2 TROCA DE

Leia mais

PowerSpy Sistema de Monitoramento de Painéis de Distribuição

PowerSpy Sistema de Monitoramento de Painéis de Distribuição PowerSpy Sistema de Monitoramento de Painéis de Distribuição Uma solução completa para a medição e monitoramento de um vasto conjunto de grandezas elétricas, com indicações de valores individuais para

Leia mais

5 Mecanismo de seleção de componentes

5 Mecanismo de seleção de componentes Mecanismo de seleção de componentes 50 5 Mecanismo de seleção de componentes O Kaluana Original, apresentado em detalhes no capítulo 3 deste trabalho, é um middleware que facilita a construção de aplicações

Leia mais

Eletrônicos PAE. Componente Curricular: Práticas de Acionamentos. 5.ª Prática Inversor de Frequência Vetorial da WEG CFW-08

Eletrônicos PAE. Componente Curricular: Práticas de Acionamentos. 5.ª Prática Inversor de Frequência Vetorial da WEG CFW-08 1 Componente Curricular: Práticas de Acionamentos Eletrônicos PAE 5.ª Prática Inversor de Frequência Vetorial da WEG CFW-08 OBJETIVO: 1) Efetuar a programação por meio de comandos de parametrização para

Leia mais

Fontes CC. Principais características. www.supplier.ind.br

Fontes CC. Principais características. www.supplier.ind.br A SUPPLIER Indústria e Comércio de Eletroeletrônicos Ltda é uma empresa constituída com o objetivo de atuar no setor das Indústrias Eletroeletrônicas, principalmente na fabricação de fontes de alimentação

Leia mais

1- Scilab e a placa Lab_Uino. 2- Instalação do ToolBox

1- Scilab e a placa Lab_Uino. 2- Instalação do ToolBox 1- Scilab e a placa Lab_Uino A placa Lab_Uino, é uma plataforma aberta para aprendizagem de sistemas microprocessados. Com a utilização de um firmware especifico a placa Lab_Uino é reconhecido pelo sistema

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO ENTRE AS PLATAFORMAS ARDUINO E PIC

ESTUDO COMPARATIVO ENTRE AS PLATAFORMAS ARDUINO E PIC ESTUDO COMPARATIVO ENTRE AS PLATAFORMAS ARDUINO E PIC Tiago Menezes Xavier de Souza¹, Igor dos Passos Granado¹, Wyllian Fressatti¹ ¹Universidade Paranaense (UNIPAR) Paranavaí- PR- Brasil tiago_x666@hotmail.com,

Leia mais

CIRCUITO PARA MEDIÇÃO DE CORRENTES ELEVADAS

CIRCUITO PARA MEDIÇÃO DE CORRENTES ELEVADAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DISCIPLINA: INSTRUMENTAÇÃO ELETRÔNICA PROFESSOR: LUCIANO FONTES CAVALCANTI CIRCUITO PARA MEDIÇÃO DE

Leia mais

XIX Congresso Nacional de Estudantes de Engenharia Mecânica - 13 a 17/08/2012 São Carlos-SP Artigo CREEM2012 SENSOR DE TEMPERATURA WIRELESS

XIX Congresso Nacional de Estudantes de Engenharia Mecânica - 13 a 17/08/2012 São Carlos-SP Artigo CREEM2012 SENSOR DE TEMPERATURA WIRELESS XIX Congresso Nacional de Estudantes de Engenharia Mecânica - 13 a 17/08/2012 São Carlos-SP Artigo CREEM2012 SENSOR DE TEMPERATURA WIRELESS Antonio Carlos Lemos Júnior, Ednaldo Lopes Rosa e Leandro Aureliano

Leia mais

Hera Indústria de Equipamentos Eletrônicos LTDA. Manual de Instalação e Operação. Discadora por Celular HERA HR2048.

Hera Indústria de Equipamentos Eletrônicos LTDA. Manual de Instalação e Operação. Discadora por Celular HERA HR2048. Discadora por Celular HERA HR2048 Manual do Usuário Índice: Paginas: 1. Introdução 03 1.1 Visão Geral 03 2. Características 04 3. Funcionamento 04, 05 e 06 3.1 Mensagens 06 e 07 4. Instalação da Discadora

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO ST240

MANUAL DE INSTALAÇÃO ST240 MANUAL DE INSTALAÇÃO ST240 SUMÁRIO Descrição do Rastreador ST-240... 03 Descrição das entradas e saídas... 03 Led indicador GPS - Vermelho... 04 Led indicador GPRS - Azul... 04 Dicas de instalação... 05

Leia mais

Controle de Acesso. Automático de Veículos. saiba mais. automação

Controle de Acesso. Automático de Veículos. saiba mais. automação Controle de Acesso Automático de Veículos Este trabalho tem como objetivo desenvolver uma solução tecnológica que permita o controle dos portões automáticos remotamente através da internet. Aplicando-se

Leia mais

Principais funções de movimento em analisadores médicos.

Principais funções de movimento em analisadores médicos. Movimento em analisadores médicos Menor, mais rápido, mais forte. Como os motores em miniatura estão ajudando os equipamentos de diagnóstico a avançar. Os diagnósticos médicos fazem parte da vida cotidiana

Leia mais

Autor. O que você vai encontrar no manual

Autor. O que você vai encontrar no manual O que você vai encontrar no manual 1. Conceitos Fundamentais 2. Como identificar o recurso solar local 3. Como fazer o levantamento do consumo 4. Como escolher o módulo fotovoltaico 5. Produção de energia

Leia mais

Comunicação via interface SNMP

Comunicação via interface SNMP Comunicação via interface SNMP 1 - FUNCIONAMENTO: Os No-breaks PROTEC possuem 3 interfaces de comunicação: Interface RS232, interface USB e interface SNMP. Todas elas permitem o controle e o monitoramento

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE VEÍCULO MECATRÔNICO COMANDADO REMOTAMENTE

CONSTRUÇÃO DE VEÍCULO MECATRÔNICO COMANDADO REMOTAMENTE CONSTRUÇÃO DE VEÍCULO MECATRÔNICO COMANDADO REMOTAMENTE Roland Yuri Schreiber 1 ; Tiago Andrade Camacho 2 ; Tiago Boechel 3 ; Vinicio Alexandre Bogo Nagel 4 INTRODUÇÃO Nos últimos anos, a área de Sistemas

Leia mais

Montagem e Manutenção. Luís Guilherme A. Pontes

Montagem e Manutenção. Luís Guilherme A. Pontes Montagem e Manutenção Luís Guilherme A. Pontes Introdução Qual é a importância da Montagem e Manutenção de Computadores? Sistema Binário Sistema Binário Existem duas maneiras de se trabalhar e armazenar

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA EEL5105 Circuitos e Técnicas Digitais Prof. Eduardo L. O. Batista

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA EEL5105 Circuitos e Técnicas Digitais Prof. Eduardo L. O. Batista UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA EEL5105 Circuitos e Técnicas Digitais Prof. Eduardo L. O. Batista EXPERIMENTO 1 INTRODUÇÃO AO LABORATÓRIO A. Introdução O Quartus II é um software utilizado para

Leia mais

INFORMATIVO DE PRODUTO

INFORMATIVO DE PRODUTO Temporizador Automático / Relógio Programador de Horário Para Acionamento Automático de Sirenes e Outros Equipamentos Código: AFKITPROG 2 O REGISTRADOR ELETRÔNICO DE PONTO REP O Relógio Acionador Automático

Leia mais

TÍTULO: OSCILOSCÓPIO - TEORIA

TÍTULO: OSCILOSCÓPIO - TEORIA TÍTULO: OSCILOSCÓPIO - TEORIA Uma das grandes dificuldades que os técnicos enfrentam na reparação de circuitos eletrônicos é esta: os fenômenos que ocorrem nos componentes eletrônicos são abstratos; ou

Leia mais

3. Cite o nome e características do ponto mais alto e do ponto mais baixo de uma onda?

3. Cite o nome e características do ponto mais alto e do ponto mais baixo de uma onda? Exercícios: 1. Sobre:Ondas Responda: a. O que é a Natureza de Ondas? b. O que origina as Ondas Mecânicas? c. As Ondas Mecânicas se propagam no vácuo? Explique a sua resposta. d. Quais são os elementos

Leia mais

Palavras-chave: turbina eólica, gerador eólico, energia sustentável.

Palavras-chave: turbina eólica, gerador eólico, energia sustentável. Implementação do modelo de uma turbina eólica baseado no controle de torque do motor cc utilizando ambiente matlab/simulink via arduino Vítor Trannin Vinholi Moreira (UTFPR) E-mail: vitor_tvm@hotmail.com

Leia mais

Controle de acesso FINGER

Controle de acesso FINGER Controle de acesso FINGER MANUAL DE INSTRUÇÕES Sobre esse Guia Esse guia fornece somente instruções de instalação. Para obter informações sobre instruções de uso, favor ler o Manual do usuário.. ÍNDICE

Leia mais

1. Ementa 2. Objetivos Gerais: 3. Objetivos Específicos 4. Estruturação do conteúdo da disciplina e sistemática as ser desenvolvida:

1. Ementa 2. Objetivos Gerais: 3. Objetivos Específicos 4. Estruturação do conteúdo da disciplina e sistemática as ser desenvolvida: 1. Ementa Gerenciamento e desenvolvimento de um projeto que acompanhe as etapas do ciclo de vida do software e ou hardware, com ênfase em: documentação, determinação dos requisitos, projeto lógico, projeto

Leia mais

Atenção! Não está autorizada a reprodução deste material. Direitos reservados a Multilaser.

Atenção! Não está autorizada a reprodução deste material. Direitos reservados a Multilaser. 1 INTRODUÇÃO O Multisync é um programa de recuperação de sistema e atualização de dispositivos, utilizado quando aparelho apresenta lentidão, não liga, travado na inicialização, atualização de mapas, entro

Leia mais

Rastreador RST-VT RST. Manual do Usuário. Versão 1.3 RST-VT

Rastreador RST-VT RST. Manual do Usuário. Versão 1.3 RST-VT Rastreador RST Manual do Usuário Versão 1.3 Rastreador Emissão: Revisão 1.4 Data: 12/03/2012 Número de Páginas 24 Histórico de Revisões DATA VERSÃO DESCRIÇÃO AUTORES 06/10/2011 1.3 05/10/2011 1.2 19/09/2011

Leia mais

O USO DE UM SENSOR DE LUZ LINEAR COMO RECURSO DIDÁTICO PARA DEMONSTRAR PRINCÍPIOS DE DIFRAÇÃO E ESPECTROSCOPIA

O USO DE UM SENSOR DE LUZ LINEAR COMO RECURSO DIDÁTICO PARA DEMONSTRAR PRINCÍPIOS DE DIFRAÇÃO E ESPECTROSCOPIA Quim. Nova, Vol. 38, No. 3, S1-S6, 2015 O USO DE UM SENSOR DE LUZ LINEAR COMO RECURSO DIDÁTICO PARA DEMONSTRAR PRINCÍPIOS DE DIFRAÇÃO E ESPECTROSCOPIA Fernando Arruda Mendes de Oliveira a,b, Eduardo Ribeiro

Leia mais

Características... 3. Identificando a placa... 3. Esquema de ligação... 3. Parâmetros programados no painel de alarme... 4

Características... 3. Identificando a placa... 3. Esquema de ligação... 3. Parâmetros programados no painel de alarme... 4 P18640 - Rev. 0 Índice Características... 3 Identificando a placa... 3 Esquema de ligação... 3 Parâmetros programados no painel de alarme... 4 Instalação do software programador... 4 Instalação do cabo

Leia mais

Attack 1.35. Software de controle e Monitoração de amplificadores

Attack 1.35. Software de controle e Monitoração de amplificadores Attack 1.35 Software de controle e Monitoração de amplificadores 1 Índice 1 Hardware necessário:... 3 1.1 Requisitos do computador:... 3 1.2 Cabos e conectores:... 3 1.3 Adaptadores RS-232 USB:... 4 1.4

Leia mais

Placa Acessório Modem Impacta

Placa Acessório Modem Impacta manual do usuário Placa Acessório Modem Impacta Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. A Placa Modem é um acessório que poderá ser utilizado em todas as centrais

Leia mais

Calculadora de economia de energia do cliente Dell. Descrição geral do consumo de energia em sistemas de computador:

Calculadora de economia de energia do cliente Dell. Descrição geral do consumo de energia em sistemas de computador: Calculadora de economia de energia do cliente Dell Finalidade: A Calculadora de economia de energia do cliente Dell pretende oferecer uma ferramenta que permita aos clientes estimar o consumo de energia

Leia mais

LANGUARD WEB INTERFACE INTERNET / INTRANET HTTP / SMTP / SNMP INTERFACE RS-232 / RJ-45 / USB DESCRIÇÃO TÉCNICA BÁSICA - DTB

LANGUARD WEB INTERFACE INTERNET / INTRANET HTTP / SMTP / SNMP INTERFACE RS-232 / RJ-45 / USB DESCRIÇÃO TÉCNICA BÁSICA - DTB LANGUARD WEB INTERFACE INTERNET / INTRANET HTTP / SMTP / SNMP INTERFACE RS-232 / RJ-45 / USB PARA UTILIZAÇÃO COM SISTEMAS NO BREAKS MONOFÁSICOS GUARDIAN LINHAS ENERGIZA E SEICA DESCRIÇÃO TÉCNICA BÁSICA

Leia mais

PROTÓTIPO DE ATENDIMENTO DOMICILIAR AUTOMATIZADO: HOME CARE DE BAIXO CUSTO

PROTÓTIPO DE ATENDIMENTO DOMICILIAR AUTOMATIZADO: HOME CARE DE BAIXO CUSTO PROTÓTIPO DE ATENDIMENTO DOMICILIAR AUTOMATIZADO: HOME CARE DE BAIXO CUSTO Wilker Luiz Machado Barros¹, Wyllian Fressatti¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil wilkermachado1@hotmail.com,

Leia mais

Medidor da temperatura local

Medidor da temperatura local Objectivo: Medidor da temperatura local (Web Server) Disponibilizar numa página da internet a leitura da temperatura local, de forma automática e on-line. O sistema consiste num microprocessador devidamente

Leia mais

Relés de Proteção Térmica Simotemp

Relés de Proteção Térmica Simotemp Relés de Proteção Térmica Simotemp Confiabilidade e precisão para controle e proteção de transformadores Answers for energy. A temperatura é o principal fator de envelhecimento do transformador Os relés

Leia mais

Z13 Color Jetprinter Z23 Color Jetprinter Z33 Color Jetprinter

Z13 Color Jetprinter Z23 Color Jetprinter Z33 Color Jetprinter Z13 Color Jetprinter Z23 Color Jetprinter Z33 Color Jetprinter Da instalação até a impressão Da instalação até a impressão para Windows 98, Windows Me, Windows 2000, Mac OS 8.6 à 9.1 e Mac OS X Abril 2001

Leia mais

FAPERJ & PIUES/PUC-Rio FÍSICA E MATEMÁTICA DO ENSINO MÉDIO APLICADAS A SISTEMAS DE ENGENHARIA

FAPERJ & PIUES/PUC-Rio FÍSICA E MATEMÁTICA DO ENSINO MÉDIO APLICADAS A SISTEMAS DE ENGENHARIA FAPERJ & PIUES/PUC-Rio FÍSICA E MATEMÁTICA DO ENSINO MÉDIO APLICADAS A SISTEMAS DE ENGENHARIA 1) INTRODUÇÃO Rio de Janeiro, 05 de Maio de 2015. A equipe desenvolvedora deste projeto conta com: - Prof.

Leia mais

Manual do Usuário Android Neocontrol

Manual do Usuário Android Neocontrol Manual do Usuário Android Neocontrol Sumário 1.Licença e Direitos Autorais...3 2.Sobre o produto...4 3. Instalando, Atualizando e executando o Android Neocontrol em seu aparelho...5 3.1. Instalando o aplicativo...5

Leia mais

PAINEL ELETRÔNICO DE MENSAGENS MANUAL DE OPERAÇÃO E INSTALAÇÃO CARROS URBANOS E G7 MARCOPOLO

PAINEL ELETRÔNICO DE MENSAGENS MANUAL DE OPERAÇÃO E INSTALAÇÃO CARROS URBANOS E G7 MARCOPOLO PAINEL ELETRÔNICO DE MENSAGENS MANUAL DE OPERAÇÃO E INSTALAÇÃO CARROS URBANOS E G7 MARCOPOLO INTRODUÇÃO INFORMAÇÃO GERAL 1 O Painel Eletrônico LOHR foi desenvolvido para ser instalado no interior de veículos

Leia mais

Placas Adaptadoras e montagem de Redes

Placas Adaptadoras e montagem de Redes Placas Adaptadoras e montagem de Redes Objetivos da aula: 1 - Descrever a função da placa adaptadora de rede em uma rede. 2 - Descrever as opções de configuração para placas adaptadoras de rede. 3 - Listar

Leia mais

CONHECIMENTOS TÉCNICOS DE AERONAVES

CONHECIMENTOS TÉCNICOS DE AERONAVES CONHECIMENTOS TÉCNICOS DE AERONAVES MÓDULO 2 Aula 4 Professor: Ricardo Rizzo MAGNETISMO É uma propriedade muito conhecida dos imãs, de atrair o ferro. Um imã possui dois pólos magnéticos denominados norte

Leia mais

Teste de interruptores CBT-8000. www.amperis.com. 27003 Agricultura,34 +T [+34] 982 20 99 20 F [+34] 982 20 99 11 info@amperis.com www.amperis.

Teste de interruptores CBT-8000. www.amperis.com. 27003 Agricultura,34 +T [+34] 982 20 99 20 F [+34] 982 20 99 11 info@amperis.com www.amperis. Teste de interruptores CBT-8000 www.amperis.com O CBT-8000 é um analisador de disjuntor de EHV de baixo custo, autônomo e acionado por micro-processador da quinta geração da Amperis. Este analisador de

Leia mais

Manual de funcionamento Esteira transportadora

Manual de funcionamento Esteira transportadora Manual de funcionamento Esteira transportadora Sumário 1. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 2 2. ITENS DO SISTEMA... 3 2.1. PLACA DE COMANDO... 3 2.1.1. Sinalizador... 3 2.1.2. Botão pulsador... 3 2.1.3. Chave comutadora...

Leia mais

Manual da Placa de Interface e Acionamento. SnowFlakes 4S

Manual da Placa de Interface e Acionamento. SnowFlakes 4S Manual da Placa de Interface e Acionamento SnowFlakes 4S Introdução O SnowFlakes é uma placa eletrônica Open Source desenvolvida com o controlador programável Tibbo AKTEM-203, vendido no e-commerce do

Leia mais

RECONHECIMENTO DE VOZ UTILIZANDO ARDUINO

RECONHECIMENTO DE VOZ UTILIZANDO ARDUINO RECONHECIMENTO DE VOZ UTILIZANDO ARDUINO Jessica Garcia Luz, Wyllian Fressatti Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí - PR - Brasil jessica.garcia.luz@gmail.com wyllian@unipar.br Resumo. Este artigo

Leia mais

Instruções para Implementadores

Instruções para Implementadores Volvo Truck Corporation Curitiba, Brazil Instruções para Implementadores Data Grupo Edição Pág. 8.2011 95 01 1( 6 ) Eletricidade Instalação de sistemas de rastreamento/monitoramento não instalados/desenvolvidos

Leia mais

CAPÍTULO 5. INTERFACES PARA PERIFÉRICOS DE ARMAZENAMENTO INTERFACES DIVERSAS: FIREWIRE, SPI e I 2 C INTERFACES COM O MUNDO ANALÓGICO

CAPÍTULO 5. INTERFACES PARA PERIFÉRICOS DE ARMAZENAMENTO INTERFACES DIVERSAS: FIREWIRE, SPI e I 2 C INTERFACES COM O MUNDO ANALÓGICO 28 CAPÍTULO 5 INTERFACES PARA PERIFÉRICOS DE ARMAZENAMENTO INTERFACES DIVERSAS: FIREWIRE, SPI e I 2 C INTERFACES COM O MUNDO ANALÓGICO Interfaces para periféricos de armazenamento: Periféricos de armazenamento,

Leia mais

EPUSP PCS 2021/2308/2355 Laboratório Digital GERADOR DE SINAIS

EPUSP PCS 2021/2308/2355 Laboratório Digital GERADOR DE SINAIS GERADOR DE SINAIS E.T.M./2007 (adaptação) E.T.M./2011 (revisão) RESUMO Esta experiência tem como objetivo a familiarização com o problema da conversão de sinais digitalizados em sinais analógicos, o conversor

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE CIRCUITOS CONVERSORES DIGITAL-ANALÓGICOS PARA CONTROLE DE POLARIZAÇÃO

DESENVOLVIMENTO DE CIRCUITOS CONVERSORES DIGITAL-ANALÓGICOS PARA CONTROLE DE POLARIZAÇÃO DESENVOLVIMENTO DE CIRCUITOS CONVERSORES DIGITAL-ANALÓGICOS PARA CONTROLE DE POLARIZAÇÃO Aluno: Joaquim Masset Lacombe Dias Garcia Aluna: Ana Sofia Viotti Daker Aranha Orientador: Guilherme Penello Temporão

Leia mais

Lição 5. Instrução Programada

Lição 5. Instrução Programada Instrução Programada Lição 5 Na lição anterior, estudamos a medida da intensidade de urna corrente e verificamos que existem materiais que se comportam de modo diferente em relação à eletricidade: os condutores

Leia mais

Manual do aplicativo Conexão ao telefone

Manual do aplicativo Conexão ao telefone Manual do aplicativo Conexão ao telefone Copyright 2003 Palm, Inc. Todos os direitos reservados. O logotipo da Palm e HotSync são marcas registradas da Palm, Inc. O logotipo da HotSync e Palm são marcas

Leia mais

CAPÍTULO 6 COMUNICAÇÃO SERIAL

CAPÍTULO 6 COMUNICAÇÃO SERIAL CAPÍTULO 6 COMUNICAÇÃO SERIAL DEIXADO INTENCIONALMENTE EM BRANCO ÌNDICE 1 COMUNICAÇÃO SERIAL... 5 1.1 - Enviar um arquivo do Proteo... 6 1.2 - Receber um arquivo No Proteo... 9 1.3 - Verificando resultados

Leia mais

CONTROLE AUTOMÁTICO DO TEMPO DE UM BANHO EM FUNÇÃO DO FLUXO DA AGUA VISANDO A SUSTENTÁBILIDADE

CONTROLE AUTOMÁTICO DO TEMPO DE UM BANHO EM FUNÇÃO DO FLUXO DA AGUA VISANDO A SUSTENTÁBILIDADE CONTROLE AUTOMÁTICO DO TEMPO DE UM BANHO EM FUNÇÃO DO FLUXO DA AGUA VISANDO A SUSTENTÁBILIDADE Marcus Valério Rocha Garcia mvrgarcia70@gmail.com Luiz Flavio Parquet luizflavio0710@gmail.com Matheus Dantas

Leia mais

Manual. Controle de motores via Bluetooth. William Trevine

Manual. Controle de motores via Bluetooth. William Trevine A Manual Controle de motores via Bluetooth 1 William Trevine Sumário 1 Introdução... 4 2 Características... 5 3 Instalação... 6 3.1 Alimentação... 7 3.2 Motores... 8 3.3 Liga e desliga... 9 3.4 Saídas

Leia mais

RECEPTOR GPS ME1513 ARM7 LPC2138. 1 ME Componentes e Equipamentos Eletrônicos Ltda

RECEPTOR GPS ME1513 ARM7 LPC2138. 1 ME Componentes e Equipamentos Eletrônicos Ltda RECEPTOR GPS ME1513 ARM7 LPC2138 1 ME Componentes e Equipamentos Eletrônicos Ltda Prefácio Obrigado por escolher o Receptor GPS ME-1513. Este manual mostra o esquema eletrônico, da conexão do microcontrolador

Leia mais

Daruma NFCe Conheça todos os passos para testar a NFCe Daruma

Daruma NFCe Conheça todos os passos para testar a NFCe Daruma Pré-requisitos Mini Impressora Daruma versão 02.50.02 ou superior. Cadastro no servidor de Testes Daruma NFCe Conheça todos os passos para testar a NFCe Daruma Adquirir Mini Impressora a preço subsidiado

Leia mais

R O B Ó T I C A. Sensor Smart. Seguidor de Linha. Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 2.0 REVISÃO 1211.19. www.robouno.com.br

R O B Ó T I C A. Sensor Smart. Seguidor de Linha. Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 2.0 REVISÃO 1211.19. www.robouno.com.br R O B Ó T I C A Sensor Smart Seguidor de Linha Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 2.0 REVISÃO 1211.19 Sensor Smart Seguidor de Linha 1. Introdução Os sensores seguidores de linha são sensores que detectam

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR. Centro de Ciências Exatas e Tecnologia - CCET. Engenharia de Computação

Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR. Centro de Ciências Exatas e Tecnologia - CCET. Engenharia de Computação Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR Centro de Ciências Exatas e Tecnologia - CCET Engenharia de Computação Jean Carlo Ferreira Tambosi Raul Silva Donato Victor Henrique Alves Ribeiro Gerador

Leia mais

Atualização, backup e recuperação de software

Atualização, backup e recuperação de software Atualização, backup e recuperação de software Guia do Usuário Copyright 2006 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Microsoft e Windows são marcas registradas da Microsoft Corporation nos EUA. As informações

Leia mais

Manual Técnico Arduino Supervisório MODBUS & Conversor RS485

Manual Técnico Arduino Supervisório MODBUS & Conversor RS485 Manual Técnico Arduino Supervisório MODBUS & Conversor RS485 2015 Todos os direitos reservados Página 1 de 27 Sumário Manual Técnico...1 Introdução...3 Arduino Supervisório MODBUS...3 Conversor RS485...3

Leia mais

AULA4: PROCESSADORES. Figura 1 Processadores Intel e AMD.

AULA4: PROCESSADORES. Figura 1 Processadores Intel e AMD. AULA4: PROCESSADORES 1. OBJETIVO Figura 1 Processadores Intel e AMD. Conhecer as funcionalidades dos processadores nos computadores trabalhando suas principais características e aplicações. 2. INTRODUÇÃO

Leia mais

Marcraft Green STEM GT1500

Marcraft Green STEM GT1500 PAINÉIS DE TREINAMENTO EM ENERGIAS RENOVÁVEIS 3 EM 1 CÉLULAS A COMBUSTÍVEL ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA ENERGIA EÓLICA Programa de 90 Horas de Treinamento Literatura técnica sobre energias renováveis e instruções

Leia mais

Operador de Computador. Informática Básica

Operador de Computador. Informática Básica Operador de Computador Informática Básica Instalação de Software e Periféricos Podemos ter diversos tipos de software que nos auxiliam no desenvolvimento das nossas tarefas diárias, seja ela em casa, no

Leia mais

Manual do Data Logger Perceptec DL12 One Way. Descartável

Manual do Data Logger Perceptec DL12 One Way. Descartável Manual do Data Logger Perceptec DL12 One Way Descartável Conteúdo: 1 - Apresentação 2 - Características 3 - Instalação do sistema 4 - Funcionamento 5 - Especificações 6 - Certificado de Garantia 7 - Certificado

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO Renz Multimedidor MGG-92 ÍNDICE 1.0 INTRODUÇÃO 3 1.1 Aplicação 2.0 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 2.1 Mecânicas 2.2 Elétricas 2.3 Grandezas Elétricas medidas e/ou calculadas 3.0

Leia mais

Automação de Bancada Pneumática

Automação de Bancada Pneumática Instituto Federal Sul-rio-grandense Campus Pelotas - Curso de Engenharia Elétrica Automação de Bancada Pneumática Disciplina: Projeto Integrador III Professor: Renato Allemand Equipe: Vinicius Obadowski,

Leia mais

1. CAPÍTULO COMPUTADORES

1. CAPÍTULO COMPUTADORES 1. CAPÍTULO COMPUTADORES 1.1. Computadores Denomina-se computador uma máquina capaz de executar variados tipos de tratamento automático de informações ou processamento de dados. Os primeiros eram capazes

Leia mais

Comparativo entre câmeras analógicas e Câmeras IP.

Comparativo entre câmeras analógicas e Câmeras IP. Comparativo entre câmeras analógicas e Câmeras IP. VANTAGENS DAS SOLUÇÕES DE VIGILÂNCIA DIGITAL IP É verdade que o custo de aquisição das câmeras digitais IP, é maior que o custo de aquisição das câmeras

Leia mais

RECEPTOR DE SINAIS DE SATÉLITE GPS ELO588 MANUAL DE INSTALAÇÃO

RECEPTOR DE SINAIS DE SATÉLITE GPS ELO588 MANUAL DE INSTALAÇÃO RECEPTOR DE SINAIS DE SATÉLITE GPS ELO588 MANUAL DE INSTALAÇÃO Dezembro de 2011 ELO Sistemas Eletrônicos S.A. 100406082 Revisão 0.0 Índice ÍNDICE... I INTRODUÇÃO 1... 1 CONTEÚDO DESTE MANUAL... 1 ONDE

Leia mais

Módulo de captura de imagens do sistema Scisoccer

Módulo de captura de imagens do sistema Scisoccer 1 Módulo de captura de imagens do sistema Scisoccer Rafael Antonio Barro [1] Jailton Farias de Carvalho [2] Resumo: Este artigo descreve como funciona o módulo de captura de imagens do software Sci-soccer,

Leia mais

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...9

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...9 1 ÍNDICE Apresentação...3 Vantagens...3 Instalação...4 Informações Técnicas...5 Especificações Técnicas...9 2 APRESENTAÇÃO: O SS100 Moto é um rastreador exclusivo para Motos desenvolvido com os mais rígidos

Leia mais

www.comatreleco.com.br R:Benjamim Constant, 56 Tel:(11) 2311-5682 contato@comatreleco.com.br

www.comatreleco.com.br R:Benjamim Constant, 56 Tel:(11) 2311-5682 contato@comatreleco.com.br Monitoramento de motores monofásico/trifásico MRU, MRI, MRM 1 Características Tensão de Alimentação UC12-48V ou UC110-240V Contato Reversível Entradas de medição separadas galvanicamente da alimentação

Leia mais

CURSO OPERACIONAL TOPOLOGIA SISTEMA SIGMA 485-E

CURSO OPERACIONAL TOPOLOGIA SISTEMA SIGMA 485-E SIGMA Sistema Integrado de Combate a Incêndio CURSO OPERACIONAL TOPOLOGIA SISTEMA SIGMA 485-E CABO BLINDADO (SHIELD) 4 VIAS 2X2,50 MM + 2X0,75 MM IHM Possibilidade de até 95 loops. LOOP LOOP LOOP CABO

Leia mais

1. Instalei o DutotecCAD normalmente no meu computador mas o ícone de inicialização do DutotecCAD não aparece.

1. Instalei o DutotecCAD normalmente no meu computador mas o ícone de inicialização do DutotecCAD não aparece. 1. Instalei o DutotecCAD normalmente no meu computador mas o ícone de inicialização do DutotecCAD não aparece. Para acessar o programa através do comando na barra de prompt, basta digitar dutoteccad e

Leia mais

V O C Ê N O C O N T R O L E.

V O C Ê N O C O N T R O L E. VOCÊ NO CONTROLE. VOCÊ NO CONTROLE. O que é o Frota Fácil? A Iveco sempre coloca o desejo de seus clientes à frente quando oferece ao mercado novas soluções em transportes. Pensando nisso, foi desenvolvido

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE OBTENÇÃO DE DADOS PARA CALIBRAÇÃO DE CENTRAIS INERCIAIS

DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE OBTENÇÃO DE DADOS PARA CALIBRAÇÃO DE CENTRAIS INERCIAIS DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE OBTENÇÃO DE DADOS PARA CALIBRAÇÃO DE CENTRAIS INERCIAIS Aluno: Pedro Schuback Chataignier Orientador: Mauro Speranza Neto Introdução O projeto, iniciado em 2013, visa desenvolver

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA CCET CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO Henrique Soares Hinke José Eduardo da Silva Rodrigues Matheus Augusto de Queiroz

Leia mais

INFORMATIVO DE PRODUTO

INFORMATIVO DE PRODUTO Central de Iluminação de Emergência 12 V(cc), 20 A, com Capacidade de 240 W. Código AFB240 A central de iluminação de emergência é alimentada pela rede elétrica predial (110 ou 220 volts) e também possui

Leia mais

P á g i n a 2. Avisos Importantes

P á g i n a 2. Avisos Importantes P á g i n a 1 P á g i n a 2 Avisos Importantes Todas as instruções contidas neste manual devem ser seguidas, caso contrário o produto perderá a garantia. Faça primeiro as conexões dos cabos de alimentação

Leia mais

Regulador Digital de Tensão DIGUREG

Regulador Digital de Tensão DIGUREG Regulador Digital de Tensão DIGUREG Totalmente digital. Software para parametrização e diagnósticos extremamente amigável. Operação simples e confiável. Ideal para máquinas de pequena a média potência.

Leia mais