TIPO DE DOCUMENTO INSTRUÇÃO NORMATIVA LOCALIZADOR. Controlar a concessão de férias dos servidores e empregados públicos da Administração Direta

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TIPO DE DOCUMENTO INSTRUÇÃO NORMATIVA LOCALIZADOR. Controlar a concessão de férias dos servidores e empregados públicos da Administração Direta"

Transcrição

1

2 2/6 MACRO Em nenhuma hipótese, sob qualquer pretexto, o servidor poderá deixar de gozar férias anuais, obrigatórias, no exercício a que corresponderem, exceto se o prazo previsto no item for concluído entre os meses de julho a dezembro de cada exercício, quando então poderá gozar suas férias anuais respectivas no exercício subsequente Em caráter excepcional e por necessidade de serviço, o gozo das férias poderá ser parcelado em dois períodos, sendo que um deles não poderá ser inferior a 10 (dez) dias corridos Por opção do servidor, poderá ser concedido adiantamento de 85% (oitenta e cinco por cento) de sua remuneração líquida normal recebida no mês anterior ao gozo das férias Uma vez programada e registrada no sistema informatizado não serão permitidas alterações na Escala Anual de Férias, exceto nos casos previstos no item desta Instrução. 4.2 Das férias dos empregados públicos As férias são concedidas após cada período de 12 meses de vigência do contrato de trabalho (cumprimento do período aquisitivo), devendo ser observadas as faltas ocorridas durante o período de aquisição: I - 30 (trinta) dias corridos, quando não houver faltado ao serviço mais de 5 (cinco) vezes; II - 24 (vinte e quatro) dias corridos, quando houver tido de 6 (seis) a 14 (quatorze) faltas; lil - 18 (dezoito) dias corridos, quando houver tido de 15 (quinze) a 23 (vinte e três) faltas; IV - 12 (doze) dias corridos, quando houver tido de 24 (vinte e quatro) a 32 (trinta e duas) faltas As férias anuais serão concedidas durante os 12 (doze) meses subsequentes ao período aquisitivo Em caráter excepcional e por necessidade de serviço, o gozo das férias poderá ser parcelado em dois períodos, sendo que um deles não poderá ser inferior a 10 (dez) dias corridos Não terá direito a férias empregado público que durante o período aquisitivo, permanecer por mais de 06 meses de licença médica, mesmo que descontínua ou permanecer em gozo de licença, com percepção de salários, por mais de 30 dias, iniciando-se a contagem de novo período aquisitivo quando do retorno ao serviço O empregado público afastado sem ônus terá interrompido seu período aquisitivo para efeito de férias, que será reiniciado a partir da data de retorno ao serviço Por opção do empregado público, poderão ser concedidos o adiantamento de 85% (oitenta e cinco por cento) da remuneração líquida normal recebida no mês anterior ao gozo das férias e o recebimento de abono pecuniário A Programação de Férias do empregado público, constante na "Escala Anual de Férias", poderá ser alterada ou excluída, em virtude de faltas, afastamentos ou licenças ocorridas no período aquisitivo.

3 3/6 MACRO Aos maiores de 50 (cinquenta) anos de idade, as férias serão concedidas de uma só vez. 4.3 Os períodos serão desfrutados dentro do mesmo exercício para os servidores estatutários e antes da aquisição do próximo período, para os empregados públicos. 4.4 Não serão parceladas férias de servidores estatutários de exercícios anteriores, bem como as férias em atraso dos empregados públicos. 4.3 Servidores que operam Raio X ou substâncias radioativas São concedidos 20 dias consecutivos de férias, por semestre de atividade profissional não acumuláveis e obrigatórias A contagem do período aquisitivo semestral para a concessão das férias terá início na data em que o servidor iniciar em atividade na qual opere Raio X ou substância radioativa e cessará quando dela se afastar. 4.4 Servidores da área da Educação Terão férias concedidas coletivamente no mês de janeiro de cada exercício: Os servidores ocupantes do cargo e do emprego públicos de Professor Municipal em exercício de regência de classe, coordenação pedagógica ou coordenação de projetos nas unidades escolares da Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte Os servidores ocupantes do cargo público de Professor para a Educação Infantil em exercício das atribuições de seus cargos públicos efetivos em unidades escolares da Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte, especificamente o desenvolvimento de atividades pedagógicas com as crianças sob sua responsabilidade ou no exercício da coordenação pedagógica ou coordenação de projetos Os servidores ocupantes dos cargos públicos de Pedagogo e Técnico Superior de Educação em exercício de Supervisão Pedagógica, Orientação Educacional ou coordenação de projetos, nas unidades escolares da Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte Os servidores ocupantes do cargo e do emprego públicos de Professor Municipal, Professor para a Educação Infantil, Pedagogo e Técnico Superior de Educação em exercício de Supervisão Pedagógica ou Orientação Educacional, que estejam em readaptação funcional e em exercício nas unidades escolares da Rede Municipal de Educação Terão suas férias regulamentares concedidas mediante escala planejada pela chefia imediata, de acordo com a conveniência e a necessidade do serviço, os ocupantes de cargo público em comissão ou de função gratificada vinculados à Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte, e os demais servidores, que não se enquadrarem nos itens a em exercício das atribuições de seus cargos e empregos públicos nas unidades escolares da Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte, na Secretaria Municipal de Educação e nas Gerências Regionais de Educação.

4 4/6 MACRO Aplica-se o disposto no item aos servidores mencionados no item a que estiverem em gozo das licenças previstas no art. 140 e dos afastamentos previstos no art. 169, ambos da Lei nº 7.169, de 30 de agosto de 1996, quando a licença ou o afastamento for coincidente com o período das férias coletivas, ficando ressalvado que, nessas hipóteses, o período de fruição das férias regulamentares deverá encerrar até o dia 31 de dezembro de cada exercício Para os servidores e empregados públicos referidos no item a 4.4.4, o gozo integral do período de férias coletivas poderá ser complementado no mês de julho do mesmo exercício, conforme dispuser ato do Titular da Secretaria Municipal de Educação. 4.5 Da Programação e Concessão de Férias As unidades administrativas deverão informar, no relatório "Programação de Férias", modelo anexo, o período de férias para o exercício subsequente de todos os servidores lotados na unidade Não será permitido que entrem em gozo de férias, em um só mês, mais de um terço de servidores de uma unidade Será emitido relatório de "Acertos na Programação", para verificação do disposto no item acima, onde constarão as unidades que apresentem o problema, para retificação dos dados informados na "Programação de Férias" Após conferência e lançamento no sistema informatizado, os períodos de férias dos servidores serão consolidados no relatório "Escala Anual de Férias", modelo anexo, que será disponibilizado para as respectivas unidades para acompanhamento e controle Os parcelamentos de férias serão autorizados na "Programação de Férias", observado o caráter de excepcionalidade e necessidade de serviço, que deverá ser devidamente assinada pelos Gerentes de 1º nível ou equivalentes das unidades administrativas Os períodos de férias, uma vez programados e confirmados não poderão sofrer alterações, exceto em casos de licença médica, desde que iniciada antes gozo e devidamente atestada pelo órgão competente, convocação administrativa ou judicial, necessidade de serviço As alterações de períodos de férias programados, previstas no item anterior, exceto por motivo de licença médica, deverão ser encaminhadas às unidades de controle de pessoal, através do formulário Requerimento de Alteração de Programação de Férias, modelo anexo, observando cronograma de processamento da folha, para possibilitar o cancelamento da geração automática na folha de pagamento, das parcelas remuneratórias de férias No mês anterior ao início do gozo das férias, será emitida "Concessão de Férias" para o servidor, modelo anexo, que a receberá em sua unidade de lotação Não serão permitidas alterações nas Concessões de Férias, uma vez emitidas Os períodos de férias interrompidos somente poderão ser gozados dentro do mesmo exercício.

5 5/6 MACRO 5. Pagamento 5.1 O pagamento do terço constitucional de férias e antecipação de férias será efetuado integralmente na época do gozo do primeiro período. 5.2 O pagamento do terço de férias aos servidores de que trata o item 4.3 desta Instrução será devido uma única vez por exercício, embora o gozo das férias seja concedido por semestre de atividade profissional. 5.3 As parcelas remuneratórias condicionais devidas pela média, conforme especificado em Lei, serão pagas, proporcionalmente, nos períodos de gozo. 6. Competências 6.1 Compete à Secretaria Municipal Adjunta de Recursos Humanos: Executar as atividades de registro e de pagamento de pessoal e zelar pela obediência à legislação pertinente. 6.2 Compete à Gerência de Pagamento de Pessoal: Planejar, orientar e coordenar a execução dos fluxos e das rotinas de pagamento de pessoal, no âmbito da Administração Direta. Supervisionar a orientação, a coordenação, o acompanhamento e a execução de atividades de concessão de direitos relativos ao pagamento de agentes públicos. Elaborar e divulgar anualmente cronograma para a confecção da Escala Anual de Férias. 6.3 Compete às Gerências de Recursos Humanos Regionais e às unidades responsáveis pelo controle de pessoal das demais Secretarias: Emitir, controlar e distribuir às unidades administrativas os relatórios para programação, acertos, escala e concessão de férias, prestando orientação e observando as datas previstas em cronograma. Efetuar os lançamentos dos períodos de férias no sistema informatizado. Analisar e autorizar os requerimentos de alteração dos períodos de férias, observando as orientações contidas nesta Instrução. 6.4 Compete às Gerências de 1º Nível ou correlatas: Autorizar os períodos de férias e os parcelamentos dos servidores das unidades administrativas subordinadas hierarquicamente. 6.5 Compete às unidades administrativas: Informar em relatórios próprios a Programação de Férias dos servidores da unidade. Acompanhar e controlar o cumprimento da Escala Anual de Férias.

6

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP Instrução n.º 2579 Dispõe sobre concessão de férias aos funcionários do Crea-SP e revoga a Instrução n.º 2554/2012. O Presidente em exercício do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado de

Leia mais

NORMA DE CESSÃO DE EMPREGADOS - NOR 318

NORMA DE CESSÃO DE EMPREGADOS - NOR 318 MANUAL DE GESTÃO DE PESSOAS COD. 300 ASSUNTO: CESSÃO DE EMPREGADOS COD: NOR 318 APROVAÇÃO: Resolução Nº 14/2010, de 08/10/2010 NORMA DE CESSÃO DE EMPREGADOS - NOR 318 1/6 SUMÁRIO 1. FINALIDADE... 02 2.

Leia mais

Presidência. Secretaria do Tribunal RESOLUÇÃO N. 40 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2012.

Presidência. Secretaria do Tribunal RESOLUÇÃO N. 40 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2012. pág. 1 Presidência Secretaria do Tribunal RESOLUÇÃO N. 40 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2012. Dispõe sobre a concessão, parcelamento, adiantamento, indenização e pagamento de férias aos servidores do. O PRESIDENTE

Leia mais

9. O servidor integrante das carreiras de magistério superior ou magistério do ensino básico, técnico e tecnológico, quando afastado para o exercício

9. O servidor integrante das carreiras de magistério superior ou magistério do ensino básico, técnico e tecnológico, quando afastado para o exercício FÉRIAS DEFINIÇÃO Período de descanso remunerado com duração prevista em lei. REQUISITOS BÁSICOS Servidor efetivo: Possuir 12 (doze) meses de efetivo exercício para o primeiro período aquisitivo de férias.

Leia mais

ATO REGULAMENTAR GP Nº 11/2009 de 16 de novembro de 2009

ATO REGULAMENTAR GP Nº 11/2009 de 16 de novembro de 2009 ATO REGULAMENTAR GP Nº 11/2009 de 16 de novembro de 2009 Dispõe sobre a concessão e pagamento de férias e de adiantamento da gratificação natalina no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região.

Leia mais

Lei Complementar Municipal Nº , de 28 de maio de 2014.

Lei Complementar Municipal Nº , de 28 de maio de 2014. Lei Complementar Municipal Nº. 1.463, de 28 de maio de 2014. Da nova redação a artigos que menciona e dá outras providências. O Povo do Município de Águas Formosas, Estado de Minas Gerais, por seus representantes

Leia mais

Serviço de Gestão do Trabalho. Administração de Pessoal

Serviço de Gestão do Trabalho. Administração de Pessoal Serviço de Gestão do Trabalho Administração de Pessoal Manual do Servidor DIREH/RJ (Diretoria de Recursos Humanos) http://www.direh.fiocruz.br/manual/novo_manual/ Página do SGT na Intranet http://www.cpqrr.fiocruz.br/intranet/

Leia mais

Haver completado 5 anos de efetivo exercício até a publicação da Medida Provisória no 1.522/96, de 15/10/96.

Haver completado 5 anos de efetivo exercício até a publicação da Medida Provisória no 1.522/96, de 15/10/96. Licença Prêmio por Assuidade Licença concedida pelo prazo de até 3 meses, com a remuneração do cargo efetivo, a título de prêmio por assiduidade, após cada período de 5 anos ininterruptos de exercício,

Leia mais

PORTARIA R N.º 080/2009, de 18 de maio de Processo: /

PORTARIA R N.º 080/2009, de 18 de maio de Processo: / PORTARIA R N.º 080/2009, de 18 de maio de 2009 : 23000.091441/2009-33 O Reitor Pro Tempore do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Sudeste de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

ADICIONAL POR IRRADIAÇÃO IONIZANTE

ADICIONAL POR IRRADIAÇÃO IONIZANTE ADICIONAL POR IRRADIAÇÃO IONIZANTE DEFINIÇÃO DOCUMENTAÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL PERGUNTAS FREQUENTES DEFINIÇÃO Vantagem pecuniária concedida ao servidor que

Leia mais

DECRETO Nº , DE 9 DE SETEMBRO DE 2016.

DECRETO Nº , DE 9 DE SETEMBRO DE 2016. DECRETO Nº 19.496, DE 9 DE SETEMBRO DE 2016. Altera o inc. IX do art. 10, o art. 12, os 1º, 3º, 4º e 5º no art. 13 e inclui o 2º ao art. 1º e renomeia o parágrafo único, o art. 1- A, os 8º e 9º ao art.

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL PORTARIA Nº. 479, DE 13 DE MAIO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL PORTARIA Nº. 479, DE 13 DE MAIO DE 2015 O REITOR do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense, no uso das atribuições legais que lhe conferem a Lei 11.892 de 29/12/2008, publicada no D.O.U. de 30/12/2008; a Portaria MEC

Leia mais

REGRAS BÁSICAS - PLANO DE BENEFÍCIOS FAF CNPB Nº

REGRAS BÁSICAS - PLANO DE BENEFÍCIOS FAF CNPB Nº 1 - BENEFÍCIOS OFERECIDOS O Plano de Benefícios FAF oferece os seguintes benefícios aos seus participantes, ou aos dependentes de participantes falecidos: I - quanto aos participantes: - suplementação

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE SERVIÇO SCAP N.º 003/2014 SERVIDORES VINCULADOS AO RGPS INCLUSÃO DO RETORNO AO TRABALHO NO SISAP (RETIFICADA EM 13/03/2014)

ORIENTAÇÃO DE SERVIÇO SCAP N.º 003/2014 SERVIDORES VINCULADOS AO RGPS INCLUSÃO DO RETORNO AO TRABALHO NO SISAP (RETIFICADA EM 13/03/2014) ORIENTAÇÃO DE SERVIÇO SCAP N.º 003/2014 SERVIDORES VINCULADOS AO RGPS INCLUSÃO DO RETORNO AO TRABALHO NO SISAP (RETIFICADA EM 13/03/2014) A SCAP, no uso das atribuições conferidas pelo art. 34 do Decreto

Leia mais

COMUNICADO DA SEÇÃO TÉCNICA DE DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS

COMUNICADO DA SEÇÃO TÉCNICA DE DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS COMUNICADO DA SEÇÃO TÉCNICA DE DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS Prezado (a) Senhor (a), Tupã, 27 de setembro de 2016. Encaminhamos a Vossa Senhoria, instruções para o preenchimento da

Leia mais

AUXÍLIO-DOENÇA MANUAL DE PROCEDIMENTOS. Decreto /02

AUXÍLIO-DOENÇA MANUAL DE PROCEDIMENTOS. Decreto /02 1 AUXÍLIO-DOENÇA MANUAL DE PROCEDIMENTOS Decreto 41.711/02 2 APRESENTAÇÃO: Este Manual tem por objetivo principal a orientação, às Unidades de Recursos Humanos das Secretarias e Supervisões de Gestão de

Leia mais

EDITAL DO 7º CONCURSO DE REMOÇÃO DE SERVIDORES DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS

EDITAL DO 7º CONCURSO DE REMOÇÃO DE SERVIDORES DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS EDITAL DO 7º CONCURSO DE REMOÇÃO DE SERVIDORES DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS O Procurador-Geral de Justiça do Estado de Goiás, nos termos do artigo 15, VII da Lei Complementar Estadual n. 25,

Leia mais

Tron Informática

Tron Informática 13º Salário Gratificação Natalina 1 Veja uma vídeo-aula sobre este assunto em: http://www.trontv.com.br/t/index.php/videos/gestao-contabil/fp/76-como-calcular calcular-o-13-salario.html A Gratificação

Leia mais

NORMA DE DE CONCESSÃO DE LICENÇAS - NOR 305

NORMA DE DE CONCESSÃO DE LICENÇAS - NOR 305 MANUAL DE GESTÃO DE PESSOAS COD. 300 ASSUNTO: CONCESSÃO DE LICENÇAS A EMPREGADO APROVAÇÃO: Resolução DIREX 024, de 04/02/2013 VIGÊNCIA: 08/02/2013 NORMA DE DE CONCESSÃO DE LICENÇAS - NOR 305 1/9 ÍNDICE

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA

CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA NORMA PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I - Das Disposições Preliminares Art. 1 - A presente norma tem como objetivo regulamentar a realização de Trabalho

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE UTINGA C.N.P.J / Rua 15 de Novembro, 08 Centro, CEP Utinga - BA

PREFEITURA MUNICIPAL DE UTINGA C.N.P.J / Rua 15 de Novembro, 08 Centro, CEP Utinga - BA 2 LEI Nº 356, DE 28 DE OUTUBRO DE 2014. DISPÕE SOBRE A CONCESSÃO DOS ADICIONAIS DE INSALUBRIDADE E PERICULOSIDADE PARA OS SERVIDORES PÚBLICOS DA PREFEITURA MUNICIPAL DE UTINGA O Prefeito Municipal de UTINGA-BAHIA,

Leia mais

DECRETO N.º 3464, DE 30 DE NOVEMBRO DE (alterado pelo DECRETO Nº 3487, DE 20 DE JANEIRO DE 2016)

DECRETO N.º 3464, DE 30 DE NOVEMBRO DE (alterado pelo DECRETO Nº 3487, DE 20 DE JANEIRO DE 2016) DECRETO N.º 3464, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2015. (alterado pelo DECRETO Nº 3487, DE 20 DE JANEIRO DE 2016) "DISPÕE SOBRE A CONCESSÃO DE ADICIONAL DE PERICULOSIDADE AO SERVIDOR PÚBLICO DETENTOR DE CARGO EFETIVO

Leia mais

CAPÍTULO I DO DIREITO E DOS REQUISITOS PARA A CONCESSÃO

CAPÍTULO I DO DIREITO E DOS REQUISITOS PARA A CONCESSÃO DECRETO nº 373, de 14 de agosto de 2014. Dispõe sobre a regulamentação de afastamento para gozo de férias-prêmio e de conversão das férias-prêmio em espécie para servidor detentor de cargo de provimento

Leia mais

Processo de Férias. GPE Gestão de Pessoal

Processo de Férias. GPE Gestão de Pessoal GPE Gestão de Pessoal Sumário 1 Introdução... 3 1.1 Objetivos do Treinamento... 3 2 Fluxo do Ambiente... 3 3 Conceito de Férias... 4 4 Conceito de Abono... 5 5 Incidências - Férias... 5 6 Cálculo de Requisitos...

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE SERVIÇOS LEGISLATIVOS LEI COMPLEMENTAR Nº 79, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2000 D.O

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE SERVIÇOS LEGISLATIVOS LEI COMPLEMENTAR Nº 79, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2000 D.O Autor: Poder Executivo LEI COMPLEMENTAR Nº 79, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2000 D.O. 13.12.00. Dispõe sobre o subsídio dos integrantes do Grupo TAF - Tributação, Arrecadação e Fiscalização. O GOVERNADOR DO ESTADO

Leia mais

RESOLUÇÃO 963/2013/CONSELHO SUPERIOR/IFSP- Orientação Normativa e Anexos

RESOLUÇÃO 963/2013/CONSELHO SUPERIOR/IFSP- Orientação Normativa e Anexos FLEXIBILIZAÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO DOS SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP) Resolução N 963/2013 - Conselho Superior ORIENTAÇÃO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL SECRETARIA ESPECIAL DE GESTÃO DE PESSOAS - SEGEP

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL SECRETARIA ESPECIAL DE GESTÃO DE PESSOAS - SEGEP MANUAL OPERACIONAL DO USUÁRIO FÉRIAS WEB SOLICITAÇÃO DE FÉRIAS PELO SERVIDOR detalhamento no SIAPEnet 1. Acesse o sítio: www.siapenet.gov.br; 2. Clique na opção Servidor: 3. No lado direito da tela, digite

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 (Do Sr. Alan Rick) Cria a Subseção XIII, da Seção V, do Capítulo II, do Título III, da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, altera os arts. 18, 25, 29, 39, 40 e 124 da Lei nº

Leia mais

RESOLUÇÃO RES-PGJ Nº 003/04. (DOPE Ministério Público )

RESOLUÇÃO RES-PGJ Nº 003/04. (DOPE Ministério Público ) RESOLUÇÃO RES-PGJ Nº 003/04. (DOPE Ministério Público 30.01.2004) EMENTA: Regulamenta os requisitos para atribuição da Gratificação de Produtividade; os requisitos para atribuição da Gratificação pela

Leia mais

REGULAMENTO DE PESSOAL DO CREA-RS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DE PESSOAL DO CREA-RS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DE PESSOAL DO CREA-RS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 - Fica estabelecido o Plano de Cargos, Salários e regulamentação de pessoal do CREA-RS, definindo direitos e os deveres, fundado nos princípios

Leia mais

AO SERVIDOR DOCENTE OU TÉCNICO-ADMINISTRATIVO SOB O REGIME AUTÁRQUICO OU EFETIVO

AO SERVIDOR DOCENTE OU TÉCNICO-ADMINISTRATIVO SOB O REGIME AUTÁRQUICO OU EFETIVO INSTRUÇÃO 02-2009 - CRH/PRAD DE 11 DE FEVEREIRO DE 2009, ALTERADA PELA INSTRUÇÃO Nº 01/2010-CRH/PRAD, DE 28 /01/2010. LICENÇA-PRÊMIO Lei 1048/2008 AO SERVIDOR DOCENTE OU TÉCNICO-ADMINISTRATIVO SOB O REGIME

Leia mais

Jornada de Trabalho. Esta Politica seguirá as regras constantes no Acordo de Banco de Horas celebrado entre a LBH e os Sindicatos dos colaboradores.

Jornada de Trabalho. Esta Politica seguirá as regras constantes no Acordo de Banco de Horas celebrado entre a LBH e os Sindicatos dos colaboradores. Assunto: Política de Jornada de Trabalho Página: 1 / 5 Descrição: Política de Jornada de Trabalho. A DIRETORIA da LBH BRASIL, no uso de suas atribuições legais, e tendo em vista a elaboração do presente

Leia mais

ARTIGO 65 DA LEI Nº , DE 11 DE JUNHO DE Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial ARTIGO 65

ARTIGO 65 DA LEI Nº , DE 11 DE JUNHO DE Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial ARTIGO 65 ARTIGO 65 LEI Nº 12.249, DE 11 DE JUNHO DE 2010 Art. 65. Poderão ser pagos ou parcelados, em até 180 (cento e oitenta) meses, nas condições desta Lei, os débitos administrados pelas autarquias e fundações

Leia mais

EDITAL N.º 83/2016-CRCA/UNIFESSPA, DE 10 DE OUTUBRO DE 2016 EDITAL DE SELEÇÃO PARA ESTAGIÁRIO/BOLSISTA

EDITAL N.º 83/2016-CRCA/UNIFESSPA, DE 10 DE OUTUBRO DE 2016 EDITAL DE SELEÇÃO PARA ESTAGIÁRIO/BOLSISTA EDITAL N.º 83/2016-CRCA/UNIFESSPA, DE 10 DE OUTUBRO DE 2016 EDITAL DE SELEÇÃO PARA ESTAGIÁRIO/BOLSISTA 1. CONVOCAÇÃO 1.1 O Centro de Registro e Controle Acadêmico- CRCA da Universidade Federal do Sul e

Leia mais

CADERNO INFORMATIVO. 11ª CSM / 2015 (2ª Seção Pessoal e Expediente)

CADERNO INFORMATIVO. 11ª CSM / 2015 (2ª Seção Pessoal e Expediente) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO CML - 4ª RM 11ª CIRCUNSCRIÇÃO DE SERVIÇO MILITAR (JRS de Belo Horizonte / 1908) CADERNO INFORMATIVO 11ª CSM / 2015 (2ª Seção Pessoal e Expediente) VOLUME II ( atualizado

Leia mais

PORTARIA E/SUBG/CRH n.º 02, DE 20 DE OUTUBRO DE 2010.

PORTARIA E/SUBG/CRH n.º 02, DE 20 DE OUTUBRO DE 2010. PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Secretaria Municipal de Educação Subsecretaria de Gestão Coordenadoria de Recursos Humanos PORTARIA E/SUBG/CRH n.º 02, DE 20 DE OUTUBRO DE 2010. Estabelece normas

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE AMAMBAI GABINETE DO PREFEITO

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE AMAMBAI GABINETE DO PREFEITO DECRETO Nº 079/014 DE 1.º DE ABRIL DE 2014. Dispõe sobre a AVERBAÇÃO AUTOMÁTICA de tempo de contribuição vinculado ao Regime Geral de Previdência Social RGPS por servidor público do Município de Amambai

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal

Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal DEFINIÇÃO LICENÇA PARA TRATAR DE INTERESSES PARTICULARES Cód.: LIP Nº: 76 Versão: 8 Data: 26/02/2015 Licença sem remuneração concedida ao servidor, a critério da Administração, para o trato de assuntos

Leia mais

RESOLUÇÃO TSE /2008* 1

RESOLUÇÃO TSE /2008* 1 RESOLUÇÃO TSE 22.901/2008* 1 * 1 Resolução alterada pelas Resoluções TSE 23.386/2012, 23.477/2016 e 23.497/2016. PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 18.456 CLASSE 19ª BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL. Relator: Ministro

Leia mais

PORTARIA GABDPGF DPGU Nº 69, DE 25 DE JANEIRO DE CAPÍTULO II DO DIREITO E DA CONCESSÃO

PORTARIA GABDPGF DPGU Nº 69, DE 25 DE JANEIRO DE CAPÍTULO II DO DIREITO E DA CONCESSÃO PORTARIA GABDPGF DPGU Nº 69, DE 25 DE JANEIRO DE 2016. Dispõe sobre as férias dos servidores da Defensoria Pública da União. O DEFENSOR PÚBLICO-GERAL FEDERAL em exercício, usando das atribuições que lhe

Leia mais

MUNICÍPIO DE JUAZEIRO ESTADO DA BAHIA LEI Nº 2.131/2010

MUNICÍPIO DE JUAZEIRO ESTADO DA BAHIA LEI Nº 2.131/2010 Página 1 de 6 LEI Nº 2.131/2010 Estrutura a Gratificação de Produtividade Fiscal atribuída aos titulares dos cargos de Fiscal de Obras, Fiscal de Posturas, Fiscal Sanitário e Fiscal de Transporte do Município

Leia mais

RESOLUÇÃO 22/ (vinte) horas semanais de trabalho; 40 (quarenta) horas semanais de trabalho;

RESOLUÇÃO 22/ (vinte) horas semanais de trabalho; 40 (quarenta) horas semanais de trabalho; Regulamenta o Regime de Trabalho na UESB, 20(vinte) 40 (quarenta) horas e de Tempo Integral com Dedicação Exclusiva. O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão CONSEPE, no uso de suas atribuições,

Leia mais

Resolução Nº /2010, DE DE DE 2010.

Resolução Nº /2010, DE DE DE 2010. Resolução Nº /2010, DE DE DE 2010. Regulamenta os processos de efetivação, renovação, trancamento, cancelamento da matrícula e reingresso, para alunos dos cursos técnicos de nível médio e cursos superiores,

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO - 2000 Entre as partes, de um lado: SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS FABRICANTES DE PEÇAS E PRÉ-FABRICADOS EM CONCRETO DO ESTADO DE SÃO PAULO e de outro lado: SINDICATO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CARMO DA CACHOEIRA ESTADO DE MINAS GERAIS GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CARMO DA CACHOEIRA ESTADO DE MINAS GERAIS GABINETE DO PREFEITO 1 Projeto de Lei n.º 68, de 03 de março de 2010. Dispõe sobre concessão de diárias dos servidores do poder executivo, membros dos conselhos municipais e tutelar, membros do Controle interno, prefeito e

Leia mais

4.1 - A admissão de colaborador condiciona-se a exames de seleção técnica e médica; mediante apresentação dos documentos exigidos, em prazo fixado.

4.1 - A admissão de colaborador condiciona-se a exames de seleção técnica e médica; mediante apresentação dos documentos exigidos, em prazo fixado. POLÍTICAS DE RH DA PEQUENA CASA DA CRIANÇA 1. FINALIDADE: Estabelecer políticas e procedimentos de trabalho concernentes a Pequena, como parte integrante ao contrato individual de trabalho. A obrigatoriedade

Leia mais

Manual do Aposentado e Pensionista

Manual do Aposentado e Pensionista Manual do Aposentado e Pensionista 1 SUMÁRIO Qual é o significado de Aposentado e Pensionista?...3 Quando é realizado o pagamento do Benefício?...3 Quais as formas de recebimento dos Benefícios?...3 Quando

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço

Confira a autenticidade no endereço ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS001091/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 22/06/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR028646/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.010561/2015-67 DATA DO

Leia mais

Diário Oficial do dia Página da Secretaria de Educação

Diário Oficial do dia Página da Secretaria de Educação Diário Oficial do dia 27-11-2015 Página da Secretaria de Educação INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04/2015 Orienta procedimentos para a elaboração do Calendário Escolar das Escolas da Rede Estadual de Ensino do

Leia mais

GRATIFICAÇÃO DE RAIOS X OU SUBSTÂNCIAS

GRATIFICAÇÃO DE RAIOS X OU SUBSTÂNCIAS GRATIFICAÇÃO DE RAIOS X OU SUBSTÂNCIAS RADIOATIVAS DEFINIÇÃO DOCUMENTAÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL PERGUNTAS FREQUENTES DEFINIÇÃO Vantagem pecuniária de caráter

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Gestão Pública Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais de Pessoal Coordenação-Geral de Elaboração, Orientação e Consolidação das Normas

Leia mais

CARTILHA APH. A Comissão, nomeada em portaria pelo Superintendente, é composta pelos seguintes membros:

CARTILHA APH. A Comissão, nomeada em portaria pelo Superintendente, é composta pelos seguintes membros: CARTILHA APH Manual de orientações do servidor público federal para a realização do Adicional de Plantão Hospitalar no HC-UFTM/Filial Ebserh Composição da Comissão de Gestão da Carga Horária dos Profissionais

Leia mais

DE RECURSOS HUMANOS MARCOS CANDIDO ANALISTA ADMINISTRATIVO

DE RECURSOS HUMANOS MARCOS CANDIDO ANALISTA ADMINISTRATIVO CENTRO DE RECURSOS HUMANOS MARCOS CANDIDO ANALISTA ADMINISTRATIVO APOSENTADORIA BOAS VINDAS... MSG APOSENTADORIA Objetivo do treinamento Fortalecer o conhecimento das formas mais empregadas de aposentadoria

Leia mais

Faço saber a todos os habitantes deste Estado que a Assembleia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber a todos os habitantes deste Estado que a Assembleia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 16.861, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2015 Disciplina a admissão de pessoal por prazo determinado no âmbito do Magistério Público Estadual, para atender à necessidade temporária de excepcional interesse

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO. ATO Nº 384/ 2011 Rio de Janeiro, 12 de maio de CAPÍTULO I. Das Disposições Preliminares

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO. ATO Nº 384/ 2011 Rio de Janeiro, 12 de maio de CAPÍTULO I. Das Disposições Preliminares TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO ATO Nº 384/ 2011 Rio de Janeiro, 12 de maio de 2011. O Presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICIPIO DE PORTO VELHO

PREFEITURA DO MUNICIPIO DE PORTO VELHO DECRETO Nº 11.887, DE 03 DE DEZEMBRO DE 2010. Dispõe sobre o Estágio Remunerado de estudantes matriculados em Instituições Públicas ou Privadas de Ensino Superior e Médio Profissionalizante e dá outras

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO Atualizado em 13/11/2014 A Avaliação de Desempenho é um importante instrumento de gestão que permite traçar um diagnóstico das necessidades da carreira do servidor, definir estratégias

Leia mais

Gabinete da Presidência ATO NORMATIVO Nº 18, DE 11 DE MAIO DE 2015

Gabinete da Presidência ATO NORMATIVO Nº 18, DE 11 DE MAIO DE 2015 ATO NORMATIVO Nº 18, DE 11 DE MAIO DE 2015 Dispõe sobre a regulamentação da prestação de serviço extraordinário por servidores do Poder Judiciário do Estado de Alagoas e adota providências correlatas.

Leia mais

PORTARIA Nº 524, DE 15 DE AGOSTO DE 2002

PORTARIA Nº 524, DE 15 DE AGOSTO DE 2002 PORTARIA Nº 524, DE 15 DE AGOSTO DE 2002 Dispõe sobre a regulamentação da Gratificação de Desempenho de Atividade do Ciclo de Gestão - GCG. O SECRETÁRIO EXECUTIVO DO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO

Leia mais

RESOLUÇÃO 020/2016 CEPE/UNESPAR

RESOLUÇÃO 020/2016 CEPE/UNESPAR Aprova o Regulamento do Regime de Trabalho de Tempo Integral e Dedicação Exclusiva TIDE aos docentes da Universidade Estadual do Paraná - UNESPAR. Considerando a necessidade de regulamentação do regime

Leia mais

DECRETO 6.003, DE 28 DE DEZEMBRO DE

DECRETO 6.003, DE 28 DE DEZEMBRO DE DECRETO 6.003, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006 Regulamenta a arrecadação, a fiscalização e a cobrança da contribuição social do salário-educação, a que se referem o art. 212, 5º, da Constituição, e as Leis 9.424,

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 519

LEI COMPLEMENTAR Nº 519 LEI COMPLEMENTAR Nº 519 Dispõe sobre a modalidade de remuneração por subsídio para os servidores dos cargos de padrão 01 a 15 do Quadro Permanente do Serviço Civil do Poder Executivo, para os servidores

Leia mais

DECRETO n de 8 de agosto de REGULAMENTA OS ARTS. 110 E 111 DA LEI N. 94, DE 14 DE MARÇO DE 1979 QUE TRATAM DA LICENÇA ESPECIAL.

DECRETO n de 8 de agosto de REGULAMENTA OS ARTS. 110 E 111 DA LEI N. 94, DE 14 DE MARÇO DE 1979 QUE TRATAM DA LICENÇA ESPECIAL. DECRETO n. 6.019 - de 8 de agosto de 1986 - REGULAMENTA OS ARTS. 110 E 111 DA LEI N. 94, DE 14 DE MARÇO DE 1979 QUE TRATAM DA LICENÇA ESPECIAL. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso das suas atribuições

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA DPG Nº 04/2015

INSTRUÇÃO NORMATIVA DPG Nº 04/2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA DPG Nº 04/2015 A DEFENSORA-PÚBLICA GERAL, no uso de suas atribuições legais conferidas pelo artigo 18, XII, da Lei Complementar Estadual nº. 136, de 19 de maio de 2011, tendo em vista

Leia mais

ATO REGULAMENTAR CONJUNTO Nº 01/2008-GPGJ/CGMP.

ATO REGULAMENTAR CONJUNTO Nº 01/2008-GPGJ/CGMP. 1 1 ATO REGULAMENTAR CONJUNTO Nº 01/2008-GPGJ/CGMP. Dispõe sobre as regras e procedimentos a serem adotados pelos órgãos da Procuradoria-Geral de Justiça para a concessão, a suspensão, a interrupção e

Leia mais

PORTARIA nº 17/ FACULDADES PONTA GROSSA DE 20 DE NOVEMBRO DE 2014.

PORTARIA nº 17/ FACULDADES PONTA GROSSA DE 20 DE NOVEMBRO DE 2014. PORTARIA nº 17/2014 - FACULDADES PONTA GROSSA DE 20 DE NOVEMBRO DE 2014. A Diretora Geral das Faculdades Ponta Grossa, Dra. Julia Streski, no uso de suas atribuições legais, RESOLVE Regulamentar a campanha

Leia mais

Projeto de Lei do Senado nº, de 2010 (do Senador Renan Calheiros)

Projeto de Lei do Senado nº, de 2010 (do Senador Renan Calheiros) Projeto de Lei do Senado nº, de 2010 (do Senador Renan Calheiros) Altera a Lei nº 11.340, de 07 de agosto de 2006, a Consolidação das Leis do Trabalho aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSU Nº. 41/2013 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013

RESOLUÇÃO CONSU Nº. 41/2013 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013 RESOLUÇÃO CONSU Nº. 41/2013 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013 A Presidente do Conselho Superior Universitário da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas, no uso de suas atribuições regimentais, considerando

Leia mais

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL Nº 6, DE 20 DE JANEIRO DE 2016 PROCESSO SELETIVO - PRIMEIRO SEMESTRE DE 2016 FUNDO DE FINANCIAMENTO ESTUDANTIL - FIES O SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO

Leia mais

Orientações aos SGP`s para o acompanhamento da frequência dos empregados da Unidade

Orientações aos SGP`s para o acompanhamento da frequência dos empregados da Unidade Orientações aos SGP`s para o acompanhamento da frequência dos empregados da Unidade Tendo em vista a implantação do controle alternativo de frequência com registro eletrônico, desde novembro de 2015, bem

Leia mais

Resolução 02/2010 Colégio de Dirigentes

Resolução 02/2010 Colégio de Dirigentes Resolução 02/2010 Colégio de Dirigentes Dispõe sobre a jornada de trabalho dos servidores do IF-SC Florianópolis, 16 de dezembro de 2010 A PRESIDENTE DO COLÉGIO DE DIRIGENTES, no uso de suas atribuições

Leia mais

BANCO CENTRAL DO BRASIL

BANCO CENTRAL DO BRASIL LEI Nº 8.911 DE 11 DE JULHO DE 1994 Dispõe sobre a remuneração dos cargos em comissão, define critérios de incorporação de vantagens de que trata a Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990, no âmbito do

Leia mais

DECRETO Nº , DE 1º DE JUNHO DE 2009 Regulamenta a evolução funcional dos integrantes das carreiras do Quadro de Apoio à Educação, do Quadro dos

DECRETO Nº , DE 1º DE JUNHO DE 2009 Regulamenta a evolução funcional dos integrantes das carreiras do Quadro de Apoio à Educação, do Quadro dos DECRETO Nº 5.48, DE 1º DE JUNHO DE 29 Regulamenta a evolução funcional dos integrantes das carreiras do Quadro de Apoio à Educação, do Quadro dos Profissionais. GILBERTO KASSAB, Prefeito do Município de

Leia mais

DECRETO Nº DE 01 DE AGOSTO DE 2005 APROVA O REGULAMENTO DA ACADEMIA DE BOMBEIRO MILITAR D.PEDRO II

DECRETO Nº DE 01 DE AGOSTO DE 2005 APROVA O REGULAMENTO DA ACADEMIA DE BOMBEIRO MILITAR D.PEDRO II 1 DECRETO Nº 38.066 DE 01 DE AGOSTO DE 2005 APROVA O REGULAMENTO DA ACADEMIA DE BOMBEIRO MILITAR D.PEDRO II A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições constitucionais e legais,

Leia mais

PROGRAMA VIVÊNCIA PROFISSIONAL : REGULAMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL / ESTÁGIO. Escola SENAI Anchieta

PROGRAMA VIVÊNCIA PROFISSIONAL : REGULAMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL / ESTÁGIO. Escola SENAI Anchieta PROGRAMA VIVÊNCIA PROFISSIONAL : REGULAMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL / ESTÁGIO Escola SENAI Anchieta Sumário Página 01 Prática Profissional / Estágio 03 02 Da carga horária da Prática Profissional / Estágio

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE GABINETE DO REITOR P O R T A R I A N

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE GABINETE DO REITOR P O R T A R I A N SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE GABINETE DO REITOR P O R T A R I A N regulamenta a adoção da flexibilização da jornada de trabalho dos servidores técnico-administrativos

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM FÍSICA

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM FÍSICA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM FÍSICA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente Regulamento disciplina o processo de elaboração, apresentação e avaliação do

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CONSELHO DIRETOR

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CONSELHO DIRETOR FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CONSELHO DIRETOR Resolução n.º 01, de 14 de fevereiro de 2008 A Presidente do Conselho Diretor da Fundação Universidade Federal do Acre, em exercício, no uso das atribuições

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE SERVIÇO SCAP N.º 013/2012 SALÁRIO FAMÍLIA DO TRABALHADOR SEGURADO DO REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RGPS

ORIENTAÇÃO DE SERVIÇO SCAP N.º 013/2012 SALÁRIO FAMÍLIA DO TRABALHADOR SEGURADO DO REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RGPS ORIENTAÇÃO DE SERVIÇO SCAP N.º 013/2012 SALÁRIO FAMÍLIA DO TRABALHADOR SEGURADO DO REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RGPS A SCAP, no uso das atribuições conferidas pelo art. 34 do Decreto n.º 45.794,

Leia mais

RESOLUÇÃO SEE Nº DE 03 DE OUTUBRO DE 2014 que estabelece critérios para inscrição e classificação para designação 2015.

RESOLUÇÃO SEE Nº DE 03 DE OUTUBRO DE 2014 que estabelece critérios para inscrição e classificação para designação 2015. RESOLUÇÃO SEE Nº 2.686 DE 03 DE OUTUBRO DE 2014 que estabelece critérios para inscrição e classificação para designação 2015. Estabelece critérios e define procedimentos para inscrição e classificação

Leia mais

RESOLUÇÃO TGT Nº 06/2015

RESOLUÇÃO TGT Nº 06/2015 ANO XLV N. 098 14/07/2015 SEÇÃO IV PÁG. 076 RESOLUÇÃO TGT Nº 06/2015 Niterói, 24 de junho de 2015 O Colegiado do Curso de Graduação em Engenharia de Telecomunicações, em reunião ordinária de 24/06/2015,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DE TRÂNSITO CAPÍTULO II

REGULAMENTO INTERNO DE TRÂNSITO CAPÍTULO II REGULAMENTO INTERNO DE TRÂNSITO CAPÍTULO I Disposições Gerais Introdução O presente regulamento tem como objetivo, regulamentar o trânsito de veículos de qualquer natureza, máquinas e ciclistas, na área

Leia mais

ABONO SALARIAL DO PIS/PASEP - EXERCÍCIO 2011/ Cronograma. Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 04/07/2011.

ABONO SALARIAL DO PIS/PASEP - EXERCÍCIO 2011/ Cronograma. Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 04/07/2011. ABONO SALARIAL DO PIS/PASEP - EXERCÍCIO 2011/2012 - Cronograma Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 04/07/2011. Sumário: 1 - Introdução 2 - Conceito 3 - Beneficiário 4 - Requerimento 4.1

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSORES SUBSTITUTOS E/OU TEMPORÁRIOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSORES SUBSTITUTOS E/OU TEMPORÁRIOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSORES SUBSTITUTOS E/OU TEMPORÁRIOS CAMPUS MATÃO 2016 1 OBJETIVOS 2 DEFINIÇÃO 3 CONTRATAÇÃO 4 DIREITOS E BENEFÍCIOS 5 RESCISÃO DO CONTRATO 6 LEGISLAÇAO

Leia mais

SUMÁRIO SUMÁRIO... 1 I DA FINALIDADE.. 2 II DA CONCEITUAÇÃO. 2 III DOS TRABALHOS EM PROGRAMAS E PROJETOS... 2

SUMÁRIO SUMÁRIO... 1 I DA FINALIDADE.. 2 II DA CONCEITUAÇÃO. 2 III DOS TRABALHOS EM PROGRAMAS E PROJETOS... 2 SUMÁRIO PÁG. SUMÁRIO... 1 I DA FINALIDADE.. 2 II DA CONCEITUAÇÃO. 2 III DOS TRABALHOS EM PROGRAMAS E PROJETOS... 2 IV - DOS REQUISITOS E DAS ATRIBUIÇÕES... 3 V DA TABELA DE... 3 VI DA DESIGNAÇÃO E CONTRATAÇÃO.

Leia mais

PORTARIA Nº 214, DE 01 DE JULHO DE 2015.

PORTARIA Nº 214, DE 01 DE JULHO DE 2015. PORTARIA Nº 214, DE 01 DE JULHO DE 2015. Dispõe sobre a concessão de diárias de viagem e reembolso ao servidor público municipal e dá outras providenciais. O Diretor-Executivo do Instituto de Previdência

Leia mais

DECRETO Nº 313, DE 05 DE NOVEMBRO DE 2015

DECRETO Nº 313, DE 05 DE NOVEMBRO DE 2015 DECRETO Nº 313, DE 05 DE NOVEMBRO DE 2015 M A TO G R O S S O. E STA D O D E T R ANS F O R M A Ç Ã O. Institui o Sistema de Gestão de Assiduidade - GASS da Administração Pública Direta, Autárquica e Fundacional

Leia mais

REVOGADA pela Resolução n , de 23 de novembro de R E S O L U Ç Ã O :

REVOGADA pela Resolução n , de 23 de novembro de R E S O L U Ç Ã O : SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO N. 1.274, DE 24 DE AGOSTO DE 2009 REVOGADA pela Resolução n. 1.277, de 23 de novembro de 2009. Regulamenta

Leia mais

MINUTA REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS UNESP CAMPUS DE MARÍLIA

MINUTA REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS UNESP CAMPUS DE MARÍLIA MINUTA REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS UNESP CAMPUS DE MARÍLIA Capítulo I Do conceito e Objetivos Art. 1º - O Estágio Supervisionado do curso de

Leia mais

REGIMENTO DO SEMINÁRIO EPTNM de 2016 do CEFET-MG

REGIMENTO DO SEMINÁRIO EPTNM de 2016 do CEFET-MG SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS REGIMENTO DO SEMINÁRIO EPTNM de 2016 do CEFET-MG Art. 1º - O objetivo do Seminário é propor diretrizes

Leia mais

A hora noturna não atende aos padrões temporais convencionados. A hora noturna não corresponde a 60 minutos, mas sim a 52 minutos e 30 segundos.

A hora noturna não atende aos padrões temporais convencionados. A hora noturna não corresponde a 60 minutos, mas sim a 52 minutos e 30 segundos. 1 Aula 04 1 Duração do trabalho 1.1 Repouso O legislador ordinário, buscando, dentre outros objetivos, preservar a saúde do empregado, previu regras atinentes ao repouso durante a jornada, bem como entre

Leia mais

Artigo 1º - O inciso II do artigo 6º e o caput do artigo 50, ambos da Lei Municipal 1468/2011, passam a vigorar com as seguintes alterações:

Artigo 1º - O inciso II do artigo 6º e o caput do artigo 50, ambos da Lei Municipal 1468/2011, passam a vigorar com as seguintes alterações: , de Corumbataí, Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal de Corumbataí aprovou e ele sanciona e promulga a seguinte: L E I Nº 1. 4 7 5 de 24 de novembro

Leia mais

DECRETO Nº DE 26 DE JANEIRO DE 2017 (DOERJ 27/01/2017)

DECRETO Nº DE 26 DE JANEIRO DE 2017 (DOERJ 27/01/2017) DECRETO Nº 45.895 DE 26 DE JANEIRO DE 2017 (DOERJ 27/01/2017) REGULAMENTA DISPOSITIVOS DA LEI ESTADUAL Nº 5.628, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2009, ALTERADA PELA LEI ESTADUAL Nº 7.506, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2016,

Leia mais

MUDANÇAS NAS REGRAS DO SEGURO-DESEMPREGO, ABONO SALARIAL ANUAL, AUXILIO-DOENÇA E PENSÃO POR MORTE

MUDANÇAS NAS REGRAS DO SEGURO-DESEMPREGO, ABONO SALARIAL ANUAL, AUXILIO-DOENÇA E PENSÃO POR MORTE MUDANÇAS NAS REGRAS DO SEGURO-DESEMPREGO, ABONO SALARIAL ANUAL, AUXILIO-DOENÇA E PENSÃO POR MORTE Em 30/12/2014, por meio das Medidas Provisórias 664 e 665, publicadas no Diário Oficial da União, as normas

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 44/2016

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 44/2016 Página 1 de 5 AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Boletim de Serviço Eletrônico em EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 44/2016 O GERENTE DE ADMINISTRAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS, SUBSTITUTO, DA AGÊNCIA NACIONAL

Leia mais

ESTÁGIO PROFISSIONAL EM TREINAMENTO ESPORTIVO A

ESTÁGIO PROFISSIONAL EM TREINAMENTO ESPORTIVO A ESTÁGIO PROFISSIONAL EM TREINAMENTO ESPORTIVO A É ofertado no 7º semestre, compreende uma carga horária de 120 horas, totalizando 8 créditos, conforme as normas específicas para a realização do referido

Leia mais

Prefeitura Municipal de Conceição da Feira-BA

Prefeitura Municipal de Conceição da Feira-BA ANO. 2014 DO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DA FEIRA - BAHIA 1 A Prefeitura Municipal de Conceição da Feira, Estado Da Bahia Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. PORTARIAS NºS 138/139/140/141/142/143/144/2014

Leia mais

Planejar, coordenar e orientar as atividades relacionadas às áreas: Financeira

Planejar, coordenar e orientar as atividades relacionadas às áreas: Financeira Diretoria Administrativo-Financeira Planejar, coordenar e orientar as atividades relacionadas às áreas: Administrativa Gestão de pessoas Financeira Planejar, coordenar e orientar as atividades relacionadas

Leia mais

REQUERIMENTO DE LICENÇA PARA CAPACITAÇÃO-RLC Processo nº (artigo 87 da lei 8.112/90-NS nº 570 de 22/05/2006)

REQUERIMENTO DE LICENÇA PARA CAPACITAÇÃO-RLC Processo nº (artigo 87 da lei 8.112/90-NS nº 570 de 22/05/2006) REQUERIMENTO DE LICENÇA PARA CAPACITAÇÃO-RLC Processo nº (artigo 87 da lei 8.112/90-NS nº 570 de 22/05/2006) Nome: Cargo: Lotação: Setor de Exercício: Função de confiança: ( ) CD ( ) FG Qual: Endereço:

Leia mais