REVISTA DA EMBAIXADA DE ANGOLA N. 10

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REVISTA DA EMBAIXADA DE ANGOLA 2014 - N. 10"

Transcrição

1 1

2 2 REVISTA DA EMBAIXADA DE ANGOLA N. 10 Angola é um país africano de diferentes povos e culturas, com uma longa tradição de abertura ao Mundo. Angola é um factor de paz e liberdade, na defesa dos seus interesses estratégicos nacionais e nas relações entre Povos e Nações, baseadas na dignidade e no respeito da identidade de cada um. A tendência actual do crescimento da economia africana, insere Angola, como um dos países em África e no Mundo, que se afigura entre as 10 economias com o crescimento económico mais rápido, o que permite um maior engajamento do país na arena internacional. Angola foi membro não permanente do Conselho de Segurança, no período de A actual candidatura, é apresentada num momento em que o país vive um ambiente de Paz e Estabilidade, decorrente de um processo de reconciliação nacional, cuja experiência, se propõe partilhar. Como parceiro credível das Nações Unidas (ONU), tem contribuído para o orçamento regular da organização em tempo, fazendo simultaneamente contribuições voluntárias para as agências especializadas da ONU e órgãos subsidiários. O nosso compromisso com as Nações Unidas vem sendo reforçado com a contínua presença e participação tangível nos trabalhos da organização, contribuindo significativamente para o cumprimento dos propósitos consagrados na Carta. Assim, durante os últimos anos, Angola ocupou posições e desempen -hou tarefas a frente de inúmeros órgãos do Sistema das Nações Unidas, dos quais destacamos alguns: Vice-Presidente da Assembleia Geral, Conselho de Segurança, Presidente da Comissão de Consolidação da Paz, Conselho dos Direitos Humanos, UN-Women, ECOSOC, UNDP-UNFPA, Comissão sobre o Desenvolvimento da População, Comissão sobre o Desenvolvimento Sustentável, Comissão sobre Estatuto da Mulher, Comissão da ONU para o Desenvolvimento Social Director: Embaixador Miguel Neto Editor e revisor: António Nascimento Fotografia: CIAM e Francisco Bernardo Tradução: Marga Holness FICHA TÉCNICA - Weza Janeiro/Fevereiro n Desenho gráfico: Kassim Design Tiragem: 2000 exemplares Impressão: Criative Printer Execução gráfica: Sector de Imprensa da Embaixada Website: Endereço: 22 Dorset Street London W1U 6QY United Kingdom Tel: Fax:

3 3 Angola assume presidência da conferência dos grandes lagos O Chefe de Estado angolano, José Eduardo dos Santos, assumiu no passado dia 15 de Janeiro, em Luanda, a presidência rotativa de dois anos da Conferência Internacional para a Região dos Grandes Lagos (CIRGL), até então assegurada pelo seu homólogo do Uganda, Yoweri Museni. A passagem de testemunho ocorreu durante a cerimónia de abertura da 5ª Cimeira Ordinária da CIRGL na presença dos demais Chefes de Estado e de Governo ou seus representantes dos países-membros desta organização sub-regional. Para além de Angola e do Uganda, são também membros da CIRGL o Burundi, o Congo-Brazzaville, a República Centroafricana (RCA), a República Democrática do Congo (RDC), o Quénia, o Rwanda, o Sudão, o Sudão do Sul, a Tanzânia e a Zâmbia. José Eduardo dos Santos, Presidente da República de Angola Países membros da CIRGL Angola Burundi Congo Brazzaville República Democrática do Congo Kenia Sudão do Sul Ruanda Sudão Tanzania uganda Zâmbia República Centro Africana

4 4 REVISTA DA EMBAIXADA DE ANGOLA N. 10 Angola realiza Cimeira dos Chefes de Estado e de Governo da Região dos Grandes Lagos Angola acolheu de 10 a 15 de Janeiro do corrente ano, em Luanda, a Conferência Internacional da Região dos Grandes Lagos (CIRGL) que teve como ponto mais alto a Quinta Cimeira dos Chefes de Estados e de Governo. Yoweri Museveni, Presidente do Uganda

5 5 Chefes de Estado e de Governo da Região dos Grandes Lagos em Luanda, Angola A cimeira debateu as causas, formas de prevenção e de solução dos conflitos na região, na presença dos Presidentes do Uganda, Quénia, RDC, Rwanda e Angola. Dos 12 países que fazem parte da região, cinco Chefes de Estados participaram na cimeira que culminou com a Declaração de Luanda. A reunião foi marcada pela ausência da República Centro-Africana (RCA) que tem um novo Presidente, empenhado na preparação do governo. A conferência de Luanda começou com encontros de peritos que prepararam as reuniões ministeriais. Na sequência, os comités ministeriais produziram as recomendações apresentadas na quinta cimeira. A reunião surgiu num momento difícil para a região, pelo facto de se registarem conflitos armados no Sudão do Sul, República Centro-Africana e no leste da República Democrática do Congo. A Região dos Grandes Lagos é assim chamada por ter no seu espaço os maiores lagos do continente. É também conhecida por ser fértil em golpes de Estado, guerras e, consequente pobreza que afecta a maioria das suas populações. Nesta altura, há registos de crise humanitária na RCA e no Sudão do Sul, ao mesmo tempo que cresce vertiginosamente o número de refugiados. A conferência abriu com a reunião dos Chefes dos Serviços de Inteligência e Segurança. Nesse encontro ficou assente a necessidade de se adoptar o diálogo permanente como forma de solucionar os conflitos armados. Os chefes de Estado-Maior da Região estiveram igualmente reunidos e abordaram a questão dos conflitos na RDC, na RCA e no leste do Congo Democrático, onde surgem grupos armados, chamados de forças negativas, cujo foco de actuação é desestabilizar, matar, violar e pilhar

6 6 REVISTA DA EMBAIXADA DE ANGOLA N. 10 Diplomacia angolana focada no respeito das convenções internacionais A República de Angola está a intensificar, este ano, as suas relações externas com os Estados Unidos da América, Reino Unido, China, Japão, Índia, Rússia, França, Alemanha, Cuba e Brasil. Esta disposição foi feita pelo Ministro angolano das Relações Exteriores, Georges Rebelo Pinto Chicoti, na abertura da quinta Reunião Anual de Embaixadores Extraordinários e Plenipotenciários, para discutir a estratégia diplomática para aplicação do Plano de Desenvolvimento Nacional para o período de Segundo o Ministro, as questões estratégicas do Estado, do ponto de vista económico e financeiro, devem determinar a agenda diplomática de Angola, baseada no estabelecimento de parcerias estratégicas com vantagens recíprocas. O chefe da diplomacia angolana disse que as prioridades no relacionamento com país, vão para a China, Índia e Japão, países que concederam a Angola linhas de crédito para apoiar a reconstrução nacional e aumentar o volume de trocas comerciais. Diplomacia angolana virada na promoção da sua imagem no exterior O chefe da diplomacia angolana disse que as prioridades no relacionamento com país, vão para a China, Índia e Japão, países que concederam a Angola linhas de crédito para apoiar a reconstrução nacional e aumentar o volume de trocas comerciais. No continente americano, Angola dispõe de parceiros importantes e vai continuar a incrementar e diversificar a cooperação com o Brasil, Cuba, Argentina, Venezuela e outros. As relações com os Estados Unidos têm merecido uma atenção particular e estão a evoluir dentro de um acordo de parceria estratégica firmado em Washington, em Julho de O entendimento estabelece um mecanismo diplomático de diálogo permanente em questões como democracia e desenvolvimento, segurança, energia global, paz e estabilidade regional. Ao referir-se às relações com a Europa, elogiou a cooperação com a União Europeia, que considera boa, e particularizou o caso da Rússia. Garantiu também maior atenção à Espanha, França, Alemanha e o Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte. O Conselho Consultivo é o órgão de consulta do Ministro das Relações Exteriores, onde é traçado o mapa da sua actuação periódica interna e externamente, baliza objectivos e analisa processos em curso. Um dos importantes desafios que se coloca a diplomacia angolana é o de promover a imagem de Angola no exterior, pelo que deve-se continuar a desenvolver acções no âmbito das organizações internacionais e regionais em que o país tem presença Georges Chicoti, Ministro angolano das Relações Exteriores

7 7 Miguel Gaspar Fernandes Neto, Embaixador no Reino Unido e na República da Irlanda Brito Sozinho, Embaixador na Suécia Florêncio de Almeida, Embaixador na Itália Josefina Pitra Diakite, Embaixadora na África do Sul Ana Maria Carreira, Embaixadora no Ghana Balbina da Silva, Embaixadora na Zâmbia Arcanjo do Nascimento, Embaixador na Etiópia e na União Africana Agostinho Tavares, Embaixador no Canada Hendrick Vaal Neto, Embaixador no Zimbabwe Domingos Culolo, Embaixador na Polónia João Manuel Bernardo, Embaixador no Vietnam Alberto Correia Neto, Embaixador na Alemanha Ismael Martins, Embaixador nas Nações Unidas Alberto do Carmo Bento Ribeiro, Embaixador nos EUA Nelson Cosme, Embaixador no Brasil João Garcia Bires, Embaixador na China Herminio Escórcio, Embaixador na Argélia Miguel Costa, Embaixador na França José Marcos Barrica, Embaixador em Portugal Victor Manuel Rita da Fonseca Lima, Embaixador na Espanha Toko Diakenga Serão, Embaixador na Servia, Bulgária, Montenegro e Macedónia Josefa Coelho da Cruz, Embaixadora em Cabo-Verde Isaías Jaime Vilinga, Embaixador em Moçambique José Alves Primo, Embaixador na Turquia

8 8 Angola continua a receber apoio para sua candidatura no Conselho de Segurança da ONU O Secretário de Estado das Relações Exteriores, Manuel Domingos Augusto, disse em Londres, Reino Unido, que a República de Angola continua a receber apoios consideráveis para a sua candidatura a membro não-permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas. O governante angolano aproveitou a presença dos diferentes líderes mundiais presentes na primeira Conferência Internacional sobre o Comércio Ilegal de Animal Selvagem, para enaltecer, de forma geral, todas as políticas do Governo de Angola, enfatizando a candidatura de Angola no Conselho de Segurança das Nações Unidas para o mandato rotativo no período Manuel Augusto disse que a campanha de Angola está no bom caminho e que o país está a recolher simpatia e apoio, devido ao seu empenho e coerência de posições políticas e pela fidelidade aos princípios e objectivos da Carta das Nações Unidas. Nos encontros bilaterais que manteve em Londres com as delegações da Austrália, Japão, Vietnam e com o Subsecretário do Ministério dos Negócios Estrangeiros e da Commonwealth do Reino Unido, Mark Simmonds, Manuel Augusto disse que Angola tem experiência de trabalho e colaboração com o Conselho de Segurança das Nações Unidas na procura de soluções negociadas e sustentáveis para a resolução de conflitos. A candidatura de Angola está a mobilizar toda a sua máquina diplomática para alcançar o tão almejado objectivo. O Ministério angolano das Relações Exteriores está empenhado em procurar convencer a comunidade internacional sobre a transição democrática que o país tem vindo a registar, fruto da paz e da reconciliação nacional PHOTO: Yann

9 9 Ban-ki-Moon, Secretário-geral da ONU Manuel Augusto, Secretário de Estado angolano das Relações Exteriores O país está a recolher simpatia e apoio, devido ao seu empenho e coerência de posições políticas e pela fidelidade aos princípios e objectivos da Carta das Nações Unidas

10 10 Autoridades angolanas realçam importância do combate ao comércio de espécies selvagens O governo angolano manifestou, em Londres, a sua inteira preocupação quanto ao reforço progressivo da rede de pessoas e de dinheiro associados ao comércio de espécies selvagens e outras formas de actividade criminosa organizada. Príncipe Charles, filho mais velho da Rainha Elizabeth-II William Huge, Ministro britânico dos Negócios Estrangeiros e da Commonwealth

11 11 Este posicionamento foi manifestado pelo Secretário de Estado do Ministério das Relações Exteriores, Manuel Augusto, que encabeçou a delegação angolana na primeira Conferência Internacional sobre o Comércio Ilegal de Animal Selvagem. Manuel Augusto disse que Angola está ciente de que os grupos de crime organizado, que desenvolvem actividades de contrabando e comércio ilegal de carne de caça, se revelam actrativo devido à reduzida capacidade de aplicação e execução da legislação, às grandes margens de lucro e às sanções pouco pesadas. As estatísticas da Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies de Fauna e Flora Selvagens Ameaçadas de Extinção (CITES), indicam que o número de elefantes africanos abatidos por caçadores furtivos duplicou em dez anos e chegou a uma cifra de 22 mil no ano de Outra situação preocupante evocada pelo governante angolano é a dos rinocerontes, animal sacrificado a cada onze horas. Segundo Manuel Augusto, o tráfico de animais selvagens tornou-se uma empresa que factura 10 mil milhões de dólares por ano, alimentada por uma crescente demanda na Ásia pelos produtos de marfim. O Príncipe Charles, filho mais velho da Rainha Elizabeth-II, afirmou que este tipo de actividade está a transformar-se numa ameaça tão perigosa para a sobrevivência das espécies mais preciosas do planeta e para a estabilidade económica e política de muitas regiões do mundo. Os presidentes do Botswana, Ian Khama, do Chade, Idriss Deby, do Gabão, Ali Bongo Ondimba e da Tanzânia, Jakaya Mrisho Kikwete, enfatizaram os grupos criminosos organizados que roubam e massacram elefantes, rinocerontes e tigres, assim como outras espécies, numa escala sem precedentes, levando muitas delas à beira da extinção. Os delegados ficaram a saber que em África, a caça de elefantes jamais foi tão grave. Em apenas 10 anos, 62% deles foram exterminados, para a recuperação do marfim. O material é bastante valorizado na Ásia, onde se concentra o comércio ilegal, apesar da moratória internacional em vigor desde 1989 Ian Khama, Presidente do Botswana Idriss Deby, Presidente do Chade Ali Bongo Ondimba, Presidente do Gabão Jakaya Kikwete, Presidente da Tanzânia Manuel Augusto, Secretário de Estado angolano das Relações Exteriores Miguel Gaspar F. Neto, Embaixador de Angola no Reino Unido e na República da Irlanda

12 12 REVISTA DA EMBAIXADA DE ANGOLA N. 10 Angola na Cimeira da União Europeia e África em Bruxelas A República de Angola foi convidada a participar na quarta Cimeira da União Europeia da África, que se realizará no próximo mês de Abril, em Bruxelas, Bélgica. O anúncio foi feito em Luanda, pelo director para a África Austral, Oriental e Oceano Índico da União Europeia, Koen Vervaek, no final de um encontro com o Presidente da Assembleia Nacional de Angola, Fernando da Piedade Dias dos Santos. De acordo com o responsável da União Europeia, Angola deve participar na cimeira entre os dois continentes devido ao seu crescimento e desenvolvimento na balança económica de África. O evento vai se debruçar, dentre outros temas, questões relacionadas com a segurança e o reforço da cooperação económica. A primeira Cimeira União Europeia e África, realizou-se, no Cairo, Egipto, em 2000, altura em que as duas partes manifestaram empenho em criar condições que dessem nova dimensão às relações entre os dois continentes. A segunda, em 2007, em Lisboa, Portugal, permitiu equilibrar as relações entre África e Europa e avançar com doações para um sistema de parceria económica, de forma a enfrentar novos desafios e oportunidades geradas pela globalização da economia Fernando da Piedade Dias dos Santos, Presidente do Parlamento de Angola Koen Vervaek, Director p/áfrica Austral, Oriental e Oceâno Indico da União Europeia Angola deve participar na Cimeira entre os dois continents devido ao seu crescimento e desenvolvimento na balança económica de África

13 13 CURTAS Georges Chicoti, Ministro angolano das Relações Exteriores Angola e Reino Unido pretendem supressão de vistos Angola e o Reino Unido devem, num curto espaço de tempo, rubricar dois acordos, sendo um para a supressão de vistos nos passaportes diplomáticos e outro para a facilitação na concessão de vistos nos passaportes de empresários dos dois países. Segundo o Ministro angolano das Relações Exteriores, Georges Rebelo Pinto Chicoti, a proposta de assinaturas dos acordos partiu da parte britânica, tendo sido bem acolhida por Angola. O Ministro esclareceu que um eventual acordo seria reciprocamente benéfico, porquanto existirem actualmente uma grande comunidade de cidadãos britânicos que trabalham em Angola, de igual modo angolanos que viajam e têm muitos interesses no Reino Unido. Augusto da Silva Tomas, Ministro angolano dos Transportes Angola e Universidade Marítima Mundial assinam acordo acordo no domínio marítimo Angola e a Universidade Marítima Mundial assinaram recentemente em Londres, um acordo, que define as bases para o estabelecimento da cooperação entre os dois países no domínio dos assuntos marítimos, com particular incidência para frota marítima, gestão, segurança, tecnologias de navegação, ambiente, náutica, poluição, protecção e risco. O acordo foi assinado pelo Ministro angolano dos Transportes, Augusto da Silva Tomás, e por Bjorn Kjerfve, da Universidade Marítima Mundial (UMM), a margem da trigésima oitava Assembleia Geral da Organização Marítima Internacional (OMI), realizada na capital britânica. O acordo prevê o intercâmbio das relações bilaterais entre si, com particular destaque para a formação de quadros. O documento reza que o Ministério dos Transportes de Angola poderá enviar, anualmente, bolseiros angolanos para a formação em pós-graduação, especialização, mestrados, doutoramentos e investigação nesse país da europa. É parte do processo do Fórum Social Mundial, iniciado em 2001, e passou a constituir-se no mais amplo espaço para a articulação de iniciativas.

14 14 REVISTA DA EMBAIXADA DE ANGOLA N. 10 Emissão do Bilhete de Identidade angolano gratuito até 2016 O Ministério angolano da Justiça e dos Direitos Humanos prolongou o prazo do processo de Registo de Nascimento e emissão de Bilhetes de Identidade para todos os cidadãos nacionais. É um processo gratuito que se estenderá até o dia 31 de Dezembro do ano de 2016, em todo ao país, resultado de um Decreto Presidencial, que visa garantir o acesso aos serviços de registo e identificação a todos os angolanos. Segundo o Ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, Rui Mangueira, os cidadãos nacionais não terão necessidade de pagar pelo registo de nascimento e de identificação civil, mas alertou aos funcionários dos Serviços de Registo Civil e de Identificação a prestarem a máxima atenção às manobras de cidadãos estrangeiros que podem aproveitar-se do processo para obterem a nacionalidade angolana. A isenção de pagamentos não abrange pessoas que queiram renovar ou obter segundas vias de documentos como Cédulas, Certidões ou Bilhetes de Identidade. Emissão do Bilhete de Identidade angolano gratuito até o ano 2016 Rui Mangueira, Ministro angolano da Justiça e dos Direitos Humanos

15 15 Angola no Fórum Mundial da Educação Uma delegação do Ministério angolano do Ensino Superior, chefiada pelo seu titular, Adão do Nascimento, participou, recentemente, em Londres, no Fórum Mundial da Educação. O fórum discutiu, dentre outros assuntos, as novas pedagogias de aprendizagem, educação avançada para os líderes emergentes, e o sistema educativo no Reino Unido. O Fórum Mundial da Educação é um espaço aberto para o debate democrático de ideias, formulação de propostas e intercâmbio de experiências. É parte do processo do Fórum Social Mundial, iniciado em 2001, e passou a constituir-se no mais amplo espaço para a articulação de iniciativas. Em Londres, Adão do Nascimento aproveitou a ocasião para se encontrar com a comunidade estudantil universitária angolana, onde apresentou o Plano Nacional de Formação de Quadros. O Fórum Mundial da Educação é um espaço aberto para o debate democrático de ideias, formulação de propostas e intercâmbio de experiências. Adão do Nascimento, Ministro angolano do Ensino Superior Universidade de Westminster, Londres, Reino Unido

16 16 REVISTA DA EMBAIXADA DE ANGOLA N. 10 Novo aeroporto internacional O Plano Nacional de Desenvolvimento 2012/2017 tem como política no sector de transportes aéreos assegurar a conclusão da construção do novo aeroporto internacional de Luanda e concluir o Programa de Refundação da Transportadora Aérea Angola (TAAG). O novo aeroporto internacional está a ser erguido nas imediações do quilómetro 38, comuna de Bom Jesus, município de Icolo e Bengo, a 40 quilómetros do centro de Luanda, numa área de hectares e terá duas pistas duplas com capacidade de aterragem do maior avião comercial do mundo, o Airbus A380. O novo aeroporto internacional possui duas pistas, uma das quais já concluída, nomeadamente do norte, que tem 3 mil e 800 metros de cumprimento e 60 de largura, enquanto a pista do ponto sul com 4 mil metros de cumprimento, contém 75 metros de largura. As obras do novo empreendimento possuem uma zona de voo, dois terminais, três controles de tráfego aéreo e quatro instalações de apoio complementares. De acordo com representante geral da CIF em Angola, prevê-se um tráfego anual de passageiro de 1,5 milhões de pessoas no novo aeroporto internacional de Luanda. A ENANA, empresa adstrita ao Ministério dos Transportes de Angola tem vindo a levar a cabo desde 2009 um programa de reabilitação de aeroportos em todo o território nacional. Criar condições efectivas de concorrência no sector e aumentar a capacidade de mobilidade nos transportes aéreos constam do Plano Nacional de Desenvolvimento

17 17 de Luanda na fase de conclusão Presidente José Eduardo dos Santos numa das suas visitas de campo

18 18 REVISTA DA EMBAIXADA DE ANGOLA N. 10 Estudantes angolanos destacam-se nas escolas britânicas O sistema de educação britânico contempla um instrumento pedagógico para estimular o seu corpo discente. No final de todos os anos lectivos, os mais variados estabelecimentos de ensino realizam cerimónias para destacar os que mais se evidenciaram durante o ano em termos académicos, assuidade, comportamento e pontualidade. Este ano, esta filosofia não fugiu a regra. Vários estudantes angolanos e/ou descendentes de pais angolanos integraram os Quadros de Valor e de Excelência de vários institutos e colégios de ensino. Estudantes angolanos integram os Quadros de Valor e de Excelência no ensino britânico Segundo a estatística, os nossos compatriotas constam do mapa dos que mais se destacam nessas cerimónias, pelos resultados alcançados, comportamento, humildade e dedicação. A atribuição destes prémios têm como objectivo incentivar a responsabilidade dos alunos na sua própria formação e premiar o seu empenho na procura da excelência. A Embaixada de Angola no Reino Unido tem destacado a importância da atribuição destes prémios, como forma de incentivar a excelência e reconhecer os alunos que se notabilizam nos domínios cognitivo, cultural, pessoal e social. Para o Adido de Imprensa e Cultura da Missão Diplomática angolana, António Nascimento, é importante o incentivo do trabalho e desempenho dos discentes, reconhecidos a título individual, numa assumida cultura de valorização da excelência, enquanto instrumento preponderante para o desenvolvimento cultural e social dos alunos. A cerimónia dos Quadros de Valor e Excelência é um momento marcante na vida dos alunos. Trata-se de uma história de esforço, dedicação, trabalho, estudo diário, sistemático e empenhado Estudantes angolanos com bom comportamento, assuidade, pontualidade e humildade nas escolas britânicas

19 19 Angola no Mundial de Basquetebol Senior Masculina em Espanha A Selecção Nacional Sénior Masculina de Basquetebol de Angola vai disputar o Campeonato do Mundo no grupo D, de acordo com o sorteio realizado recentemente em Barcelona, Espanha. Completam o grupo dos angolanos a Lituânia, a Eslovénia, a Coreia Sul, o México e a Austrália. O Mundial vai decorrer de 30 de Agosto a 14 de Setembro deste ano em várias cidades do Reino da Espanha. Entretanto, a Federação Angolana de Basquetebol pretende organizar no país um torneio quadrangular, enquadrado na preparação da Selecção Nacional Sénior Masculina de Basquetebol para o Mundial da modalidade Eis a constituição dos grupos: Grupo A (Granada): Espanha, Egipto, Irão, França, Sérvia e Brasil. Grupo B (Sevilha): Argentina, Senegal, Filipinas, Croácia, Porto Rico e Grécia. Grupo C (Bilbau): Estados Unidos, Finlândia, Nova Zelândia, Ucrânia, República Dominicana e Turquia. Grupo D (Las Palmas): Lituânia, Angola, Coreia do Sul, México, Eslovénia e Austrália.

20 20 REVISTA DA EMBAIXADA DE ANGOLA N. 10

21 21

OFFICE OF THE SPECIAL ENVOY OF THE SECRETARY-GENERAL FOR THE GREAT LAKES REGION

OFFICE OF THE SPECIAL ENVOY OF THE SECRETARY-GENERAL FOR THE GREAT LAKES REGION OFFICE OF THE SPECIAL ENVOY OF THE SECRETARY-GENERAL FOR THE GREAT LAKES REGION Comunicado da Conferência de Consulta Regional sobre as Oportunidades de Investimento no Sector Privado da Região dos Grandes

Leia mais

COMUNICADO. 3. Participaram na Cimeira Conjunta os seguintes Chefes de Estado e de Governo ou seus representantes:

COMUNICADO. 3. Participaram na Cimeira Conjunta os seguintes Chefes de Estado e de Governo ou seus representantes: CIMEIRA CONJUNTA DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO DA COMUNIDADE DE DESENVOLVIMENTO DA ÁFRICA AUSTRAL (SADC) E DA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE A REGIÃO DOS GRANDES LAGOS (CIRGL), PRETÓRIA, ÁFRICA DO

Leia mais

I REUNIÃO DE MINISTROS DA ENERGIA DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA. Cascais, 23 de junho de 2015. Declaração de Cascais

I REUNIÃO DE MINISTROS DA ENERGIA DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA. Cascais, 23 de junho de 2015. Declaração de Cascais I REUNIÃO DE MINISTROS DA ENERGIA DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA Cascais, 23 de junho de 2015 Declaração de Cascais Os Ministros responsáveis pela Energia da Comunidade dos Países de Língua

Leia mais

COMUNICADO FINAL. XXIXª Comissão Bilateral Permanente Washington 5 de Maio de 2011

COMUNICADO FINAL. XXIXª Comissão Bilateral Permanente Washington 5 de Maio de 2011 COMUNICADO FINAL XXIXª Comissão Bilateral Permanente Washington 5 de Maio de 2011 Na 29ª reunião da Comissão Bilateral Permanente Portugal-EUA, que se realizou em Washington, a 5 de Maio de 2011, Portugal

Leia mais

MNE DGAE. Tratado de Lisboa. A Europa rumo ao século XXI

MNE DGAE. Tratado de Lisboa. A Europa rumo ao século XXI Tratado de Lisboa A Europa rumo ao século XXI O Tratado de Lisboa Índice 1. Contextualização 1.1. Porquê um novo Tratado? 1.2. Como surgiu o Tratado de Lisboa? 2. O que mudará com o Tratado de Lisboa?

Leia mais

NOTA CONCEPTUAL Rev.5

NOTA CONCEPTUAL Rev.5 AFRICAN UNION UNION AFRICAINE UNIÃO AFRICANA Addis Ababa, ETHIOPIA P. O. Box 3243 Telephone : 517 700 Fax : 517844 website: www. africa-union.org SEGUNDO FÓRUM PAN-AFRICANO SOBRE A POSIÇÃO COMUM AFRICANA

Leia mais

Es t i m a t i v a s

Es t i m a t i v a s Brasileiros no Mundo Es t i m a t i v a s Ministério das Relações Exteriores - MRE Subsecretaria Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior - SGEB Departamento Consular e de Brasileiros no Exterior

Leia mais

Náutica. Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima. Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012

Náutica. Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima. Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012 Náutica Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012 Aicep Portugal Global é uma agência pública de natureza empresarial, cuja missão é: Atrair investimento estrangeiro para

Leia mais

Excelência Senhor presidente da COP 19 Excelências distintos chefes de delegações aqui presentes Minhas senhoras e meus senhores (1)

Excelência Senhor presidente da COP 19 Excelências distintos chefes de delegações aqui presentes Minhas senhoras e meus senhores (1) Excelência Senhor presidente da COP 19 Excelências distintos chefes de delegações aqui presentes Minhas senhoras e meus senhores (1) Permitam que em nome do Governo de Angola e de Sua Excelência Presidente

Leia mais

DECLARAÇÃO DE LUANDA

DECLARAÇÃO DE LUANDA AFRICAN UNION UNION AFRICAINE UNIÃO AFRICANA P. O. Box 3243, Addis Ababa, ETHIOPIA Tel.: (251-11) 5525849 Fax: (251-11) 5525855 Website: www.africa-union.org SEGUNDA SESSÃO DA CONFERÊNCIA DOS MINISTROS

Leia mais

DECLARAÇÃO EMPRESARIAL DE LUANDA

DECLARAÇÃO EMPRESARIAL DE LUANDA DECLARAÇÃO EMPRESARIAL DE LUANDA Por iniciativa da Confederação Empresarial da CPLP e das associações empresariais dos PALOP, realizou-se em Luanda, República de Angola, a 17 de Julho de 2014, o Fórum

Leia mais

ESTATUTO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA

ESTATUTO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA ESTATUTO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA Nós, representantes democraticamente eleitos dos Parlamentos de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné- Bissau, Moçambique, Portugal,

Leia mais

Declaração de Libreville sobre a Saúde e o Ambiente em África

Declaração de Libreville sobre a Saúde e o Ambiente em África Declaração de Libreville sobre a Saúde e o Ambiente em África Libreville, 29 de Agosto de 2008 REPUBLIQUE GABONAISE Organização Mundial da Saúde Escritório Regional Africano Declaração de Libreville sobre

Leia mais

RELATÓRIO DO RESUMO DA ALMA 1º TRIMESTRE DE 2015

RELATÓRIO DO RESUMO DA ALMA 1º TRIMESTRE DE 2015 RELATÓRIO DO RESUMO DA ALMA 1º TRIMESTRE DE 2015 Introdução A África alcançou um ponto de viragem crítico na sua luta contra a malária este ano à medida que objectivos, estratégias e planos globais e regionais

Leia mais

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas Porto, 28 de Janeiro de 2014 Índice 1. Enquadramento 2. A aicep Portugal Global 3. Produtos e serviços AICEP Enquadramento Enquadramento

Leia mais

SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR. Viana do Castelo, 11de Fevereiro

SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR. Viana do Castelo, 11de Fevereiro SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR Viana do Castelo, 11de Fevereiro www.cosec.pt COSEC Companhia de Seguro de Créditos, S.A. 2014 Índice Sobre a COSEC Seguro de Créditos Soluções à medida em resumo

Leia mais

Alentejo no horizonte 2020 Desafios e Oportunidades

Alentejo no horizonte 2020 Desafios e Oportunidades Alentejo no horizonte 2020 Desafios e Oportunidades Vendas Novas - 02 de julho de 2013 aicep Portugal Global é uma agência pública de natureza empresarial, cuja missão é: Atrair investimento estrangeiro

Leia mais

PAZ, FRAGILIDADE E SEGURANÇA A AGENDA PÓS-2015 E OS DESAFIOS À CPLP

PAZ, FRAGILIDADE E SEGURANÇA A AGENDA PÓS-2015 E OS DESAFIOS À CPLP PAZ, FRAGILIDADE E SEGURANÇA A AGENDA PÓS-2015 E OS DESAFIOS À CPLP 7 Maio 10 Horas NÚCLEO DE ESTUDANTES DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS ORGANIZAÇÃO: COM A PARTICIPAÇÃO: Paz, Fragilidade e Segurança A A G E

Leia mais

As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial

As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial ONU A ONU (Organização das Nações Unidas) foi fundada no dia 24 de outubro de 1945, em São Francisco, Estados Unidos. O encontro

Leia mais

Parceria para Governo Aberto Open Government Partnership (OGP)

Parceria para Governo Aberto Open Government Partnership (OGP) Parceria para Governo Aberto Open Government Partnership (OGP) 1ª Conferência Anual de Alto-Nível da Parceria para Governo Aberto - OGP Roberta Solis Ribeiro Assessoria Internacional - CGU Conselho da

Leia mais

Palestra: A CPLP E A EDUCAÇÃO. (Escola Stuart Carvalhais - 7 de Março de 2007)

Palestra: A CPLP E A EDUCAÇÃO. (Escola Stuart Carvalhais - 7 de Março de 2007) Palestra: A CPLP E A EDUCAÇÃO (Escola Stuart Carvalhais - 7 de Março de 2007) Excelentíssimos membros do Conselho Directivo, excelentíssimos professores, caríssimos alunos, É com enorme satisfação que

Leia mais

O PÓS-GUERRA E A CRIAÇÃO DA 1ª COMUNIDADE

O PÓS-GUERRA E A CRIAÇÃO DA 1ª COMUNIDADE O PÓS-GUERRA E A CRIAÇÃO DA 1ª COMUNIDADE Durante muito tempo os países da Europa andaram em guerra. A segunda Guerra Mundial destruiu grande parte do Continente Europeu. Para evitar futuras guerras, seria

Leia mais

Nota de trabalho. Estado actual das negociações comerciais multilaterais sobre os produtos agrícolas REPRESENTAÇÃO COMERCIAL

Nota de trabalho. Estado actual das negociações comerciais multilaterais sobre os produtos agrícolas REPRESENTAÇÃO COMERCIAL MISSÃO PERMANENTE DA REPÚBLICA DE ANGOLA JUNTO DA ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS REPRESENTAÇÃO COMERCIAL GENEBRA - SUÍÇA Estado actual das negociações comerciais multilaterais sobre os produtos agrícolas

Leia mais

NewVision Enquadramento do projecto de Qualificação e Internacionalização de PME

NewVision Enquadramento do projecto de Qualificação e Internacionalização de PME NewVision Enquadramento do projecto de Qualificação e Internacionalização de PME 15.06.2010 Institucional \ Breve Introdução A NEWVISION é uma empresa Portuguesa de base tecnológica, que tem como objectivo

Leia mais

Nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 200.º da Constituição, o Governo decreta o seguinte: Artigo único

Nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 200.º da Constituição, o Governo decreta o seguinte: Artigo único Decreto n.º 18/97 Acordo de Cooperação no Domínio do Turismo entre o Governo da República Portuguesa e o Governo dos Estados Unidos Mexicanos, assinado na Cidade do México em 6 de Novembro de 1996 Nos

Leia mais

A formação da União Europeia

A formação da União Europeia A formação da União Europeia A EUROPA DOS 28 Como tudo começou? 1926: 1º congresso da União Pan- Europeia em Viena (Áustria) 24 países aprovaram um manifesto para uma organização federativa na Europa O

Leia mais

A Participação do Conselho Superior da Magistratura em Organizações Internacionais

A Participação do Conselho Superior da Magistratura em Organizações Internacionais A Participação do Conselho Superior da Magistratura em Organizações Internacionais O Conselho Superior da Magistratura é membro de duas organizações internacionais que promovem a cooperação e concertação

Leia mais

DECLARAÇÃO DE LISBOA

DECLARAÇÃO DE LISBOA DECLARAÇÃO DE LISBOA A 2 de junho de 2014, em Lisboa, Portugal, por iniciativa da Confederação Empresarial da CPLP (CE-CPLP), em parceria com a CPLP, o Millennium BCP e a SOFID Sociedade para o Financiamento

Leia mais

TRATADO DE LISBOA EM POUCAS

TRATADO DE LISBOA EM POUCAS EM POUCAS PALAVRAS OS PRIMEIROS PASSOS DATA/LOCAL DE ASSINATURA E ENTRADA EM VIGOR PRINCIPAIS MENSAGENS QUIZ 10 PERGUNTAS E RESPOSTAS OS PRIMEIROS PASSOS No século XX depois das Guerras No século XX, depois

Leia mais

CRONOLOGIA DA INTEGRAÇÃO EUROPEIA

CRONOLOGIA DA INTEGRAÇÃO EUROPEIA CRONOLOGIA DA INTEGRAÇÃO EUROPEIA 1950 9 de Maio Robert Schuman, Ministro dos Negócios Estrangeiros francês, profere um importante discurso em que avança propostas inspiradas nas ideias de Jean Monnet.

Leia mais

III ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA CPLP (AP CPLP) PARLAMENTO NACIONAL DE TIMOR-LESTE. Díli, Timor-leste. 20 a 23 de Setembro de 2011

III ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA CPLP (AP CPLP) PARLAMENTO NACIONAL DE TIMOR-LESTE. Díli, Timor-leste. 20 a 23 de Setembro de 2011 III ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA CPLP (AP CPLP) PARLAMENTO NACIONAL DE TIMOR-LESTE Díli, Timor-leste 20 a 23 de Setembro de 2011 1 Enquadramento Teve lugar, em Díli (República Democrática de Timor - Leste),

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2012

Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Volume 39 Ano base 2011 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2010-2011

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural Licença para Criar: Imigrantes nas Artes em Portugal Magda Nico, Natália Gomes, Rita Rosado e Sara Duarte Maio de 2007, Estudos OI 23 Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural (ACIDI)

Leia mais

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA)

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA) Domínio de tópicos atuais e relevantes de diversas áreas, tais como política, economia, sociedade, educação, tecnologia, energia, ecologia, relações internacionais, desenvolvimento sustentável e segurança

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2015

Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Volume 42 Ano base 2014 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2013-2014

Leia mais

(Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO

(Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO 7.6.2008 C 141/27 V (Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO Convite à apresentação de propostas de 2008 Programa Cultura (2007-2013) Execução das seguintes acções do programa: projectos plurianuais

Leia mais

A POSIÇÃO DE PORTUGAL NA EUROPA E NO MUNDO

A POSIÇÃO DE PORTUGAL NA EUROPA E NO MUNDO A POSIÇÃO DE PORTUGAL NA EUROPA E NO MUNDO Portugal situa-se no extremo sudoeste da Europa e é constituído por: Portugal Continental ou Peninsular (Faixa Ocidental da Península Ibérica) Parte do território

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2013

Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Volume 40 Ano base 2012 Guia de leitura Guia de leitura O Guia de Leitura tem o propósito de orientar

Leia mais

Contratos Públicos UE nos Países de Língua Portuguesa

Contratos Públicos UE nos Países de Língua Portuguesa Contratos Públicos UE nos Países de Língua Portuguesa Índice 1. Países de Língua Portuguesa/Comunidade de Países de Língua Portuguesa 1.1 Potencialidades da Espaço Lusófono 1.2 Comunidades Económicas Regionais

Leia mais

Plataforma de Cooperação da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) na Área Ambiental

Plataforma de Cooperação da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) na Área Ambiental Plataforma de Cooperação da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) na Área Ambiental I. Contexto Criada em 1996, a reúne atualmente oito Estados Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique,

Leia mais

1. Sobre a teoria geral do direito internacional, é correto afirmar que:

1. Sobre a teoria geral do direito internacional, é correto afirmar que: P á g i n a 1 PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO INTERNACIONAL 1. Sobre a teoria geral do direito internacional, é correto afirmar que: A) O Direito Internacional Público tem como um de seus pilares

Leia mais

Vodafone Negócios. Red é todas as coisas boas para o seu negócio. Sem preocupações, sem limites.

Vodafone Negócios. Red é todas as coisas boas para o seu negócio. Sem preocupações, sem limites. Vodafone Negócios Red é todas as coisas boas para o seu negócio Sem preocupações, sem limites. Vodafone Red Pro Chamadas e SMS para todas as redes Número fixo no telemóvel com funcionalidades One Net

Leia mais

ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE

ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE Adoptada pelos Ministros da Saúde e Ministros do Ambiente na Segunda Conferência Interministerial sobre Saúde e

Leia mais

REU IÃO I FORMAL DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVER O DE 7 DE OVEMBRO VERSÃO APROVADA

REU IÃO I FORMAL DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVER O DE 7 DE OVEMBRO VERSÃO APROVADA Bruxelas, 7 de ovembro de 2008 REU IÃO I FORMAL DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVER O DE 7 DE OVEMBRO VERSÃO APROVADA 1. A unidade dos Chefes de Estado e de Governo da União Europeia para coordenar as respostas

Leia mais

Discurso de Sua Exceléncia o Presidente de Po rtugal. Jorge Sampaio. Assembleia Geral das Nações Unidas

Discurso de Sua Exceléncia o Presidente de Po rtugal. Jorge Sampaio. Assembleia Geral das Nações Unidas MISSAO PERMANENTE DE PORTUGAL JUNTO DAS NaфEs UNIDAS EM NOVA IORQUE Discurso de Sua Exceléncia o Presidente de Po rtugal Jorge Sampaio Reunião de Alto Nîvel da Assembleia Geral das Nações Unidas Nova Iorque

Leia mais

COMITÊ INTERAMERICANO CONTRA O TERRORISMO (CICTE)

COMITÊ INTERAMERICANO CONTRA O TERRORISMO (CICTE) COMITÊ INTERAMERICANO CONTRA O TERRORISMO (CICTE) DÉCIMO PERÍODO ORDINÁRIO DE SESSÕES OEA/Ser.L/X.2.10 17 a 19 de março de 2010 CICTE/DEC.1/10 Washington, D.C. 19 março 2010 Original: inglês DECLARAÇÃO

Leia mais

Sua Excelência, Doutor Abrahão Gourgel, Ministro da Economia,

Sua Excelência, Doutor Abrahão Gourgel, Ministro da Economia, ANGOLA NO CONTEXTO DA INTEGRAÇAO ECONÓMICA REGIONAL 29 de Setembro, 2015 Intervenção do Doutor Paolo Balladelli, Representante Residente do PNUD em Angola Sua Excelência, Doutor Abrahão Gourgel, Ministro

Leia mais

Comércio (Países Centrais e Periféricos)

Comércio (Países Centrais e Periféricos) Comércio (Países Centrais e Periféricos) Considera-se a atividade comercial, uma atividade de alto grau de importância para o desenvolver de uma nação, isso se dá pela desigualdade entre o nível de desenvolvimento

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA. Cimeira Mundial Sobre a Sociedade da Informação

REPÚBLICA DE ANGOLA. Cimeira Mundial Sobre a Sociedade da Informação REPÚBLICA DE ANGOLA Cimeira Mundial Sobre a Sociedade da Informação Intervenção de Sua Excelência Licínio Tavares Ribeiro, Ministro dos Correios e Telecomunicações ANGOLA (Genebra, 12 de Dezembro de 2003)

Leia mais

13ª REUNIÃO DOS CHEFES DE ESTADO-MAIOR-GENERAL DAS FORÇAS ARMADAS DOS PAÍSES MEMBROS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA (CPLP)

13ª REUNIÃO DOS CHEFES DE ESTADO-MAIOR-GENERAL DAS FORÇAS ARMADAS DOS PAÍSES MEMBROS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA (CPLP) 13ª REUNIÃO DOS CHEFES DE ESTADO-MAIOR-GENERAL DAS FORÇAS ARMADAS DOS PAÍSES MEMBROS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA (CPLP) DECLARAÇÃO FINAL (MAPUTO, 20 e 21 de Abril de 2011) Em conformidade

Leia mais

Redes de apoio às empresas portuguesas no estrangeiro

Redes de apoio às empresas portuguesas no estrangeiro SERVIÇOS DE INTELIGÊNCIA ECONÓMICA Documento de Inteligência Económica TEMA: Redes de apoio às empresas portuguesas no estrangeiro 1. Importância para as empresas em processo de internacionalização A ação

Leia mais

Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau)

Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau) Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau) Plano de Acção para a Cooperação Económica e Comercial (2007-2009) 2ª Conferência Ministerial, 2006

Leia mais

Necessidade de visto para. Não

Necessidade de visto para. Não País Necessidade de visto para Turismo Negócios Afeganistão África do Sul Albânia, Alemanha Andorra Angola Antígua e Barbuda Arábia Saudita Argélia. Argentina Ingresso permitido com Cédula de Identidade

Leia mais

Apesar de se tratar de uma modalidade amadora, entendemos que a gestão federativa deve pautar-se por elevados padrões de rigor e profissionalismo.

Apesar de se tratar de uma modalidade amadora, entendemos que a gestão federativa deve pautar-se por elevados padrões de rigor e profissionalismo. ! A candidatura dos signatários apresenta-se com um espírito renovador e inovador das políticas e dos processos da gestão federativa do Bridge Português. Apesar de se tratar de uma modalidade amadora,

Leia mais

Soluções de seguro de créditos no apoio à exportação. COSEC - Estamos onde estiver o seu negócio. www.cosec.pt

Soluções de seguro de créditos no apoio à exportação. COSEC - Estamos onde estiver o seu negócio. www.cosec.pt Soluções de seguro de créditos no apoio à exportação. COSEC - Estamos onde estiver o seu negócio. www.cosec.pt COSEC Companhia de Seguro de Créditos 2012 1 2 Sobre a COSEC O que é o Seguro de Créditos

Leia mais

ACORDO DE COOPERAÇÃO ENTRE OS ESTADOS MEMBROS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA SOBRE O COMBATE AO HIV/SIDA

ACORDO DE COOPERAÇÃO ENTRE OS ESTADOS MEMBROS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA SOBRE O COMBATE AO HIV/SIDA Decreto n.º 36/2003 Acordo de Cooperação entre os Estados Membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa sobre o Combate ao HIV/SIDA, assinado em Brasília em 30 de Julho de 2002 Considerando a declaração

Leia mais

Intervenção do Secretário Executivo da. Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) Embaixador Murade Murargy

Intervenção do Secretário Executivo da. Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) Embaixador Murade Murargy Conferência 1º Fórum União de Exportadores CPLP CPLP: Comunidade de povos abrangente auto-sustentável Lisboa, 26 e 27 de junho de 2015 Sessão de Encerramento 27 de junho de 2015 Intervenção do Secretário

Leia mais

MINISTÉRIO DOS NEGóCIOS ESTRANGEIROS DIRECÇÃO GERAL DOS ASSUNTOS MULTILATERAIS Direcção de Serviços das Organizações Económicas Internacionais

MINISTÉRIO DOS NEGóCIOS ESTRANGEIROS DIRECÇÃO GERAL DOS ASSUNTOS MULTILATERAIS Direcção de Serviços das Organizações Económicas Internacionais MINISTÉRIO DOS NEGóCIOS ESTRANGEIROS DIRECÇÃO GERAL DOS ASSUNTOS MULTILATERAIS Direcção de Serviços das Organizações Económicas Internacionais Intervenção de SEXA o Secretário de Estado Adjunto do Ministro

Leia mais

BRICS Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul

BRICS Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul MECANISMOS INTER-REGIONAIS BRICS Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul O que faz o BRICS? Desde a sua criação, o BRICS tem expandido suas atividades em duas principais vertentes: (i) a coordenação

Leia mais

Estimados colegas representantes dos países membros do Fórum das Federações, Embaixadores e delegados

Estimados colegas representantes dos países membros do Fórum das Federações, Embaixadores e delegados PRESIDENCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Assunto: DISCURSO DO EXMO. SUBCHEFE DE ASSUNTOS FEDERATIVOS DA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS DA

Leia mais

Boletim Informativo Instituto Superior de Ciências e Tecnologias Alberto Chipande Nº 05, 15 de ABRIL de 2015 www.isctac.org

Boletim Informativo Instituto Superior de Ciências e Tecnologias Alberto Chipande Nº 05, 15 de ABRIL de 2015 www.isctac.org Boletim Informativo Instituto Superior de Ciências e Tecnologias Alberto Chipande Nº 05, 15 de ABRIL de 2015 www.isctac.org Distribuição Gratuita e Electrónica LEIA NESTA EDIÇÃO Aula de Sapiência de 2015:

Leia mais

Rio de Janeiro, 5 de Dezembro de 2003

Rio de Janeiro, 5 de Dezembro de 2003 Intervenção de Sua Excelência a Ministra da Ciência e do Ensino Superior, na II Reunião Ministerial da Ciência e Tecnologia da CPLP Comunidade dos Países de Língua Portuguesa Rio de Janeiro, 5 de Dezembro

Leia mais

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO PARLAMENTO EUROPEU 2009-2014 Documento de sessão 17.10.2013 B7-0000/2013 PROPOSTA DE RESOLUÇÃO apresentada na sequência da pergunta com pedido de resposta oral B7-0000/2013 nos termos do artigo 115.º,

Leia mais

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão do Desenvolvimento PROJECTO DE PARECER. destinado à Comissão dos Assuntos Externos

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão do Desenvolvimento PROJECTO DE PARECER. destinado à Comissão dos Assuntos Externos PARLAMENTO EUROPEU 2004 ««««««««««««Comissão do Desenvolvimento 2009 PROVISÓRIO 2004/2168(INI) 22.2.2005 PROJECTO DE PARECER da Comissão do Desenvolvimento destinado à Comissão dos Assuntos Externos sobre

Leia mais

Diálogo 5 + 5. Quinta Conferência Ministerial. sobre a "Migração no Mediterrâneo Ocidental" Algeciras, 12 e 13 de Dezembro de 2006

Diálogo 5 + 5. Quinta Conferência Ministerial. sobre a Migração no Mediterrâneo Ocidental Algeciras, 12 e 13 de Dezembro de 2006 Diálogo 5 + 5 Quinta Conferência Ministerial sobre a "Migração no Mediterrâneo Ocidental" Algeciras, 12 e 13 de Dezembro de 2006 Conclusões da Presidência Nos dias 12 e 13 de Dezembro de 2006 teve lugar

Leia mais

República de Moçambique Presidência da República DISCURSO PARA BANQUETE DE ESTADO

República de Moçambique Presidência da República DISCURSO PARA BANQUETE DE ESTADO República de Moçambique Presidência da República DISCURSO PARA BANQUETE DE ESTADO Discurso de Sua Excelência Filipe Jacinto Nyusi, Presidente da República de Moçambique, por ocasião do Banquete de Estado

Leia mais

Mercados. informação regulamentar. Portugal Acordos Bilaterais Celebrados

Mercados. informação regulamentar. Portugal Acordos Bilaterais Celebrados Mercados informação regulamentar Portugal Acordos Bilaterais Celebrados Janeiro 2013 Índice 5 NOTA DE PRÉVIA 6 ENQUADRAMENTO GERAL A 7 ÁFRICA DO SUL 7 ALBÂNIA 7 ALEMANHA 8 ANDORRA 8 ANGOLA 9 ANGUILLA 10

Leia mais

ERRATA: Na página 5, onde se lê relevar nenhuma das tentações, leiase reavivar nenhuma das tentações.

ERRATA: Na página 5, onde se lê relevar nenhuma das tentações, leiase reavivar nenhuma das tentações. ERRATA: Na página 5, onde se lê relevar nenhuma das tentações, leiase reavivar nenhuma das tentações. Declaração à imprensa da Presidenta da República, Dilma Rousseff, após a VI Reunião de Cúpula Brasil-União

Leia mais

Começar Global e Internacionalização

Começar Global e Internacionalização Começar Global e Internacionalização Artur Alves Pereira Assessor do Conselho de Administração, AICEP Portugal Global Fevereiro 06, 2014 1 A aicep Portugal Global Missão. A aicep Portugal Global é uma

Leia mais

DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA MINISTRO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO-PROFISSIONAL

DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA MINISTRO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO-PROFISSIONAL República de Moçambique Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico-Profissional (MCTESTP) DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA MINISTRO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO-PROFISSIONAL

Leia mais

Breve síntese sobre os mecanismos financeiros de apoio à internacionalização e cooperação

Breve síntese sobre os mecanismos financeiros de apoio à internacionalização e cooperação Breve síntese sobre os mecanismos financeiros de apoio à internacionalização e cooperação 1 Incentivos financeiros à internacionalização Em 2010 os incentivos financeiros à internacionalização, não considerando

Leia mais

REDE DE INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EM SAÚDE DA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA EM IST, VIH E SIDA (RIDES IST - SIDA CPLP)

REDE DE INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EM SAÚDE DA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA EM IST, VIH E SIDA (RIDES IST - SIDA CPLP) REDE DE INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EM SAÚDE DA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA EM IST, VIH E SIDA (RIDES IST - SIDA CPLP) 1 REDE DE INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EM SAÚDE DA COMUNIDADE DE

Leia mais

CPLP VII REUNIÃO DE MINISTROS DA EDUCAÇÃO DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA. Luanda, 30 de Março de 2012 DECLARAÇÃO FINAL

CPLP VII REUNIÃO DE MINISTROS DA EDUCAÇÃO DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA. Luanda, 30 de Março de 2012 DECLARAÇÃO FINAL CPLP VII REUNIÃO DE MINISTROS DA EDUCAÇÃO DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA Luanda, 30 de Março de 2012 DECLARAÇÃO FINAL Os Ministros da Educação, ou os seus representantes, de Angola, Brasil,

Leia mais

Gestores mundiais mais confiantes na recuperação económica

Gestores mundiais mais confiantes na recuperação económica 27 de Janeiro, 2010 13ª edição Anual do CEO Survey da PricewaterhouseCoopers em Davos Gestores mundiais mais confiantes na recuperação económica Cerca de 40% dos CEOs prevê aumentar o número de colaboradores

Leia mais

Cimeira do Fórum Índia África

Cimeira do Fórum Índia África REPÚBLICA DA GUINÉ-BISSAU Presidência da República Cimeira do Fórum Índia África Intervenção de Sua Excelência Senhor José Mário Vaz Presidente da República Nova Delhi, 29 de Outubro de 2015 Excelência,

Leia mais

Ação Cultural Externa Relatório Anual 2011 - Indicadores DSPDCE - 2012

Ação Cultural Externa Relatório Anual 2011 - Indicadores DSPDCE - 2012 Ação Cultural Externa Relatório Anual 0 Indicadores DSPDCE 0 .Iniciativas apoiadas pelo IC a) Número (total): 0 b) Montante global:.0,0,* Áreas Geográficas África América Ásia Europa Médio Oriente e Magrebe

Leia mais

Reforma institucional do Secretariado da SADC

Reforma institucional do Secretariado da SADC Reforma institucional do Secretariado da SADC Ganhamos este prémio e queremos mostrar que podemos ainda mais construirmos sobre este sucesso para alcançarmos maiores benefícios para a região da SADC e

Leia mais

ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE

ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE Projecto IMCHE/2/CP2 1 ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE

Leia mais

Plano de Actividades do CEA para 2006

Plano de Actividades do CEA para 2006 Plano de Actividades do CEA para 2006 A Direcção do CEA propõe-se preparar as condições para atingir diferentes objectivos e procurar apoios para a sua realização. 1. Objectivos Prioritários 1.1 Redesenhar

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA

REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA INTERVENÇÃO DE SUA EXCIA, MINISTRA DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, PROFª. DOUTORA, MARIA CÂNDIDA PEREIRA, DURANTE A SESSÃO DE ABERTURA DO WORKSHOP SOBRE

Leia mais

GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016

GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016 GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016 Esclarecimentos de dúvidas/informações adicionais: Carolina Peralta/Isabel Silva Gabinete de Relações Internacionais - GRI Rua de Santa Marta, 47, 1º Piso sala 112-1169-023

Leia mais

PÚBLICO ALVO: Promotores de viagens; agentes de viagens; consultores de viagens; operadores de emissivo e receptivo; atendentes.

PÚBLICO ALVO: Promotores de viagens; agentes de viagens; consultores de viagens; operadores de emissivo e receptivo; atendentes. 3. Geografia Turística 3.1 Geografia Turística: Brasil de Ponta a Ponta Proporcionar ao participante melhor compreensão geográfica do país; Apresentar as principais especificidades existentes nos continentes

Leia mais

NÚMERO: 003/2010 DATA: 29/09/2010 ASSUNTO: PALAVRAS CHAVE: PARA: CONTACTOS:

NÚMERO: 003/2010 DATA: 29/09/2010 ASSUNTO: PALAVRAS CHAVE: PARA: CONTACTOS: NÚMERO: 003/2010 DATA: 29/09/2010 ASSUNTO: PALAVRAS CHAVE: PARA: CONTACTOS: Acesso a cuidados de saúde programados na União Europeia, Espaço Económico Europeu e Suiça. Procedimentos para a emissão do Documento

Leia mais

SIMULAÇÃO NACIONAL DOS ORGANIZADORES DE MODELOS DAS NAÇÕES UNIDAS MODELOS DE DOCUMENTOS

SIMULAÇÃO NACIONAL DOS ORGANIZADORES DE MODELOS DAS NAÇÕES UNIDAS MODELOS DE DOCUMENTOS SIMULAÇÃO NACIONAL DOS ORGANIZADORES DE MODELOS DAS NAÇÕES UNIDAS MODELOS DE DOCUMENTOS Fortaleza/CE, 2015 Senhores Delegados, As simulações de organizações internacionais são, em sua essência, exercícios

Leia mais

ANGOLA, PAÍS DO FUTURO

ANGOLA, PAÍS DO FUTURO ANGOLA, PAÍS DO FUTURO VENHA DESCOBRIR AS SUAS OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS Lisboa, 14 de Abril de 2009 Porto, 16 de Abril de 2009 Com o apoio técnico e jurídico de : SEMINÁRIO E MESAS REDONDAS Angola, 14,5

Leia mais

V Reunião de Ministros do Turismo da CPLP

V Reunião de Ministros do Turismo da CPLP V Reunião de Ministros do Turismo da CPLP Intervenção do Secretário Executivo da CPLP Senhor Presidente, Senhores Ministros, Senhor Secretário de Estado do Turismo, Senhores Embaixadores Senhores Representantes

Leia mais

Tributação Internacional Junho 2014

Tributação Internacional Junho 2014 www.pwc.pt/tax Tributação Internacional Junho 2014 Perante a aldeia global em que vivemos, atuar apenas no mercado doméstico não é suficiente. De facto, a internacionalização é um requisito obrigatório

Leia mais

Addis Ababa, ETHIOPIA P. O. Box 3243 Telephone 517 Fax: 517844

Addis Ababa, ETHIOPIA P. O. Box 3243 Telephone 517 Fax: 517844 SA11715 AFRICAN UNION UNION AFRICAINE UNIÃO AFRICANA Addis Ababa, ETHIOPIA P. O. Box 3243 Telephone 517 Fax: 517844 MECANISMO REVISTO DE ACOMPANHAMENTO DA IMPLEMENTAÇÃO, MONITORIZAÇÃO E AVALIAÇÃO DO PLANO

Leia mais

LISTA DE REPRESENTAÇÕES SOI 2012 AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA AIEA PAÍSES MEMBROS

LISTA DE REPRESENTAÇÕES SOI 2012 AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA AIEA PAÍSES MEMBROS 1 LISTA DE REPRESENTAÇÕES SOI 2012 AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA AIEA ÁFRICA DO SUL ARÁBIA SAUDITA BRASIL CANADÁ COREIA DO SUL EGITO EQUADOR HOLANDA ITÁLIA JORDÂNIA NÍGER SUÉCIA ALEMANHA ARGENTINA

Leia mais

Uma Rede de apoio à competitividade das empresas. 30 de abril de 2014, ISCTE-IUL, Lisboa

Uma Rede de apoio à competitividade das empresas. 30 de abril de 2014, ISCTE-IUL, Lisboa Uma Rede de apoio à competitividade das empresas 30 de abril de 2014, ISCTE-IUL, Lisboa Quem somos Quem somos? Onde estamos? Criada pela Comissão Europeia no âmbito do Programa Quadro para a Competitividade

Leia mais

MATERIAL COMPLEMENTAR PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE SERES HUMANOS

MATERIAL COMPLEMENTAR PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE SERES HUMANOS MATERIAL COMPLEMENTAR PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE SERES HUMANOS 1. PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE PESSOAS 2. CLASSIFICAÇÃO DOS PAÍSES SEGUNDO AS ROTAS DE TRÁFICO 3. PAÍSES COM MAIOR NÚMERO DE ROTAS

Leia mais

2.1. Objectivo Geral: Ministrar uma formação especializada sobre matérias de segurança, numa óptica multidisciplinar, mas integrada.

2.1. Objectivo Geral: Ministrar uma formação especializada sobre matérias de segurança, numa óptica multidisciplinar, mas integrada. PROGRAMA DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO E SEGURANÇA 1. Apresentação A Fundação Direito e Justiça e o Instituto Superior de Ciências Jurídicas e Sociais, em parceria, com a Faculdade de Direito da

Leia mais

POSIÇÃO DA UGT Audição sobre o Futuro da Europa

POSIÇÃO DA UGT Audição sobre o Futuro da Europa POSIÇÃO DA UGT Audição sobre o Futuro da Europa A UGT saúda o debate em curso na Comissão dos Assuntos Europeus sobre o Futuro da Europa e, particularmente, sobre o futuro do Tratado Constitucional. O

Leia mais

Oficiais de Ligação do Ministério da Administração Interna e Oficiais de Ligação de Imigração

Oficiais de Ligação do Ministério da Administração Interna e Oficiais de Ligação de Imigração Oficiais de Ligação do Ministério da Administração Interna e Oficiais de Ligação de Imigração Oficiais de Ligação do Ministério da Administração Interna A existência de Oficiais de Ligação do Ministério

Leia mais

Desses países, Portugal, Angola e Filipinas estabeleceram consulados-gerais na RAEM.

Desses países, Portugal, Angola e Filipinas estabeleceram consulados-gerais na RAEM. Relações Externas Como entidade não soberana, a Região Administrativa Especial de Macau (RAEM) mantém contactos e relações estreitas com os países e regiões de todo o mundo. Desde sempre mantém relações

Leia mais

Seminário FMI e Sindicatos Aprofundando nosso diálogo e afinando nossas políticas

Seminário FMI e Sindicatos Aprofundando nosso diálogo e afinando nossas políticas Seminário FMI e Sindicatos Aprofundando nosso diálogo e afinando nossas políticas Victor Lledó Representante Residente do FMI Hotel Avenida, Maputo, 17 de Novembro de 2010 Estrutura da apresentação O papel

Leia mais

Inteligência Competitiva Uma Solução Estratégica. Jaime Quesado

Inteligência Competitiva Uma Solução Estratégica. Jaime Quesado VII Encontro da PASC Plataforma Activa da Sociedade Civil 2 de Março de 2011 Sala do Senado da Reitoria da UNL Inteligência Competitiva Uma Solução Estratégica Jaime Quesado Patrocinadores Globais Inteligência

Leia mais

ESTATUTOS REVISTOS DO INSTITUTO INTERNACIONAL DA LÍNGUA PORTUGUESA. Artigo 1.º Objecto

ESTATUTOS REVISTOS DO INSTITUTO INTERNACIONAL DA LÍNGUA PORTUGUESA. Artigo 1.º Objecto Decreto n.º 19/99 Estatutos Revistos do Instituto Internacional da Língua Portuguesa, adoptados na Praia, Cabo Verde, aos 17 de Julho de 1998, pelos Governos da República de Angola, da República Federativa

Leia mais

Protocolo Bilateral entre o Governo da República Portuguesa e o Governo da República de Angola sobre Facilitação de Vistos. Artigo 1.

Protocolo Bilateral entre o Governo da República Portuguesa e o Governo da República de Angola sobre Facilitação de Vistos. Artigo 1. Protocolo Bilateral entre o Governo da República Portuguesa e o Governo da República de Angola sobre Facilitação de Vistos Artigo 1.º (Objecto) O presente Protocolo tem por objecto a criação de um mecanismo

Leia mais

Data: GEOGRAFIA TUTORIAL 5B. Aluno (a): Equipe de Geografia IMAGENS BASE. Fonte: IBGE, 2009.

Data: GEOGRAFIA TUTORIAL 5B. Aluno (a): Equipe de Geografia IMAGENS BASE. Fonte: IBGE, 2009. Aluno (a): Série: 3ª Turma: TUTORIAL 5B Ensino Médio Equipe de Geografia Data: GEOGRAFIA IMAGENS BASE Fonte: IBGE, 2009. Colégio A. LIESSIN Scholem Aleichem - 1 - NANDA/MAIO/2014-488 TEXTO BASE Os blocos

Leia mais