Escola Estadual José Serafim Ribeiro. Millena de Souza Martins

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Escola Estadual José Serafim Ribeiro. Millena de Souza Martins"

Transcrição

1 Escola Estadual José Serafim Ribeiro Millena de Souza Martins Campos de concentração e seus efeitos na Segunda Guerra Mundial Jaraguari-Ms Junho/2015

2 Escola Estadual José Serafim Ribeiro Millena de Souza Martins Campos de concentração e seus efeitos na Segunda Guerra Mundial Trabalho da disciplina de história para fins avaliativos do 2º bimestre, sob a orientação do professor Odil Brandão. Jaraguari-Ms Junho/2015

3 Sumário Introdução O sistema dos campos de concentração A revolta do Gueto de Varsóvia O símbolo do genocídio Câmaras de gás e fornos crematórios Experimento de médicos nazistas em cobaias humanos Conclusão Referências bibliográficas... 11

4 Introdução Neste trabalho serão apresentados os sistemas dos campos de concentração, nos quais as principais fontes letais de execução dos prisioneiros foram: câmaras de gás e fornos crematórios. Em seguida um breve relato sobre a revolta do Gueto de Varsóvia que teve a sua população totalmente evacuada e transferida para o campo de Treblinka. Além disso, irá demonstrar fatos sobre experimentos feitos em cobaias vivos, e um grande exemplo da eficácia dos campos de Auschwitz, que esteve em funcionamento durante a Segunda Guerra Mundial.

5 O sistema dos campos de concentração O campo de Dachau, construído em 1933 próximo de Munique, foi o primeiro campo de concentração de muitos, para onde eram deportados opositores políticos e elementos antissociais, sem qualquer intervenção das autoridades judiciárias. Depois da eclosão da guerra a polícia de Estado (Gestapo), a polícia criminal do Reich (Kripo), os órgãos de segurança dos partidos Nazista (SD) aos quais vai se juntar a policia militar, retiram milhares de pessoas do território da Polônia e da Rússia para os campos de concentração. Nestes ambientes não importavam se eram homens, mulheres ou crianças, todos trabalhavam forçadamente em condições que equivalem uma condenação á morte. Ao campo de Dachau seguem-se os de Sachsenhausen, Buchenwald, Flossenbürg, Mauthausen e o exclusivo feminino de Ravensbruck. Além de alguns campos de extermínio como: Chelmno, Belzec, Sobibor, Treblinka e Maidanek. As categorias dos detidos eram separadas por cores (vermelho para políticos, rosa para homossexuais, verde para prisioneiros comuns, lilás para testemunhas de Jeová, preto para os antissociais e amarelo para os judeus). A população dos campos sofre um incremento com a chegada de prisioneiros de guerra e de núcleos do leste. Em 1942 os campos passam a ser governados pelos SS, que tinham como função reorganizar o trabalho forçado. Próximo aos campos havia varias fabricas cuja produção era voltada a usos bélicos. O extermínio dos judeus após a conferencia de Wannsee passou a acontecer em segredo. Até que então passaram a transferência de todos os suspeitos para os campos de concentração, começam então a criar os campos de extermínio, onde as câmaras de gás e os fornos de crematório eram as principais formas de matar os prisioneiros (judeus e não-judeus) que não eram capazes de trabalhar.

6 Calculam-se que cerca de 6 milhões de judeus foram mortos nos campos de concentração nazistas, também juntos a esses judeus podem ser acrescentados 3,5 milhões de russos, 240 mil ciganos e 70 mil doentes mentais, objeto de eutanásia. A revolta do Gueto de Varsóvia Em 1942 a Wehrmacht começa mandar a população do gueto para os campos de extermínio, no mesmo ano cerca de 300 mil judeus estavam em um vagão ferroviário rumo ao campo de concentração de Treblinka, onde irão ser mortos na câmara de gás. A caminho os prisioneiros tentaram fugir com a ajuda de uma organização armada liderada por Mordechai, mas logo são detidos. Os soldados do SS invadem o gueto e evacuam toda a cidade. Devido alguns judeus armados resistir levou semanas para acabar a evacuação da cidade e muitos morreram, mas ao final o gueto de Varsóvia foi conquistado pelos alemães. O símbolo do genocídio Em 1940 entra em funcionamento na Silésia (Sul da Polônia) o mais extenso e eficiente campo de extermínio, que se tornou o próprio símbolo do genocídio: Auschwitz-Birkenau. Ele se transforma em pouco tempo em uma extensão do moderno sistema de produção industrial. No qual são empregados milhões de seres humanos como matéria- prima cujo fim é a morte por privações ou nas câmaras de gás. Nele coexistem os trabalhos forçados e o extermínio em massa planejada. É a única alternativa que aguarda os internados que chegam dos vagões de carga. O complexo do campo de concentração de Auschwitz- Brikenau é composto de três campos diversos. O primeiro é o principal (Auschwitz), onde foram instalados uma câmara de gás e um forno crematório para a matança de prisioneiros russos e doentes terminais.

7 O segundo é o Birkenau (Auschwitz II, a dois quilômetros do campo principal), onde se pratica o extermínio em massa dos judeus e dos ciganos, subdividido em dois bunkers, nos quais funcionou até janeiro de 1945 uma dezena de câmaras de gás de cerca de 240 m² cada uma, onde os internados são asfixiados com o Zyklon B, vendido como pesticida. Birkenau dispõe, além disso, de quatro fornos crematórios. A seis quilômetros dele está o complexo industrial (Auschwitz III) da IG Farben ( na localidade de Monowitz), onde a mão de obra escrava produz o metanol e borracha sintética. O comandante do campo de Rudolf Hess coordena a seleção dos judeus deportados para o local de todos os cantos da Europa (Polônia, Holanda, Grécia, Alemanha, Itália, Noruega, Lugoslávia, Hungria, Bélgica, além dos guetos dos territórios ocupados pela Wehrmacht) e a organização do trabalho e dos procedimentos de extermínio executados pelas SS. Os presos aptos para o trabalho vivem em condições amedrontadoras em barracos, acometidos de doenças infecciosas, em condições higiênicas espantosas e com rações alimentares de fome. Em 1943, Birkenau atinge sua ocupação máxima: internados. Descoberto em janeiro de 1945 pelo Exército Vermelho em seu avanço sobre a Alemanha, o campo de extermínio de Auschwitz-Birkenau deu a morte a cerca de dois milhões de pessoas. Os mais recentes estudos sobre o funcionamento dessa organização para o extermínio em massa liberam definitivamente o campo das tentativas revisionistas de redimensionar ou até mesmo de negar a existência dessa gigantesca máquina de morte, com a qual o regime nazista procurou exterminar um povo inteiro por motivos raciais. Auschwitz fica como uma admoestação para a memória de todas as consciências do mundo civil. As câmaras de Auschwitz comportavam 800 pessoas se houvesse lotação, quem sobrava era executado a tiros na hora. Quando o veneno começava a fazer

8 efeito, as pessoas se distanciavam das saídas de gás e se amontoavam nas portas. Crianças e idosos eram esmagados por causa do pânico geral. Câmaras de gás e fornos crematórios Nos campos de concentração nazistas, oficiais alemães trancavam prisioneiros em salas que eram infestadas de pesticida. As câmaras não foram o primeiro procedimento de extermínio em massa usado pela Alemanha. Até 1941, oficiais da SS (a polícia militar de Hitler) acabavam com pequenos grupos de prisioneiros em caminhões de transporte, trancando-os em caçambas seladas que recebiam monóxido de carbono do escapamento. A técnica foi adaptada a salas trancadas e logo a fumaça de caminhão foi modificada por pesticida, mais barato e eficiente. A primeira aplicação em humanos aconteceu em agosto de As vítimas foram um grupo de prisioneiros russos. Para não serem denunciados de crime de guerra, os alemães deixaram de enterrar os corpos em valas comuns e passaram a queimá-los. O extermínio nas câmaras de gás era instantâneo, competente e não deixava vestígios. O gás venenoso, baseado em cianeto de hidrogênio, interferia na respiração celular, deixando as vítimas carentes de oxigênio. A consequência era morte por sufocamento após crises convulsivas, sangramento e perda das funções fisiológicas. A morte era lenta e dolorosa. Em média, da inalação ao óbito, o processo durava cerca de 20 minutos. Os sonderkommando limpavam as câmaras e verificavam a arcada dentária, em busca de dentes de ouro e artefatos de valor, bem como: joias escondidas na boca das vítimas. Em seguida, queimavam os corpos em fornos gigantes para eliminar qualquer vestígio do processo de extermínio. As câmaras, geralmente edificadas no subsolo, eram interligadas para facilitar o fluxo e a retirada dos corpos. Os sonderkommando (prisioneiros encarregados de auxiliar no processo de extermínio) ficavam acampados no mesmo piso das câmaras e isolados dos demais trabalhadores.

9 Na Segunda Guerra Mundial os fornos dos campos de extermínio tinham fins de cremação, ou seja, de pedaços dos cadáveres de prisioneiros. Na qual era a única forma de evitar a pestes e epidemias nos campos e igualmente dar um fim rápido aos corpos. Experimentos de médicos nazistas em cobaias humanos Os experimentos humanos nazistas foram uma série de controversas experiências científicas realizadas em uma grande quantidade de cobaias humanas que estavam detidos nos campos de concentração do regime nazista durante a Segunda Guerra Mundial. Os presos foram coagidos a participar: não sendo voluntários de boa vontade. Normalmente, as experiências resultaram em morte, desfiguração ou incapacidade permanente. Em Auschwitz e outros campos, os detidos eram submetidos a diversas experiências que supostamente ajudariam na guerra, desenvolvendo novas armas, ajudando na recuperação dos militares que haviam sido feridos. Experimentos envolvendo crianças e particularmente gêmeos, tinham como principal responsável o médico Josef Mengele, que realizou experiências em mais de 1500 gêmeos, dos quais apenas cerca de 200 sobreviveram aos experimentos.

10 Conclusão Desta forma concluo que, o primeiro campo de concentração foi o de Dachau, que tinha como propósito isolar e punir os membros indesejáveis da sociedade. Logo após, vários campos surgiram em diversas regiões, sendo alguns deles de extermínio. Assim, conforme os locais eram conquistados a população em geral era transferida para o campo de concentração, independente do sexo ou idade. Alguns modelos destes fatos esteve relatado na invasão do Gueto de Varsóvia. Um dos grandes destaques dos campos de concentração e de extermínio foi o campo de Auschwitz, que sem dúvidas consistia em ser o pior de todos. Ele possuía três polos, o Auschwitz I que administrava e realizava experimentos, o Auschwitz II que era encarregado de eliminar os prisioneiros, e por último o Auschwitz III que apresentava trabalho forçado. Nos campos de extermínio a maioria usava a técnica das câmaras de gás para matar os indivíduos incapazes de trabalhar. Nelas eram expostas o gás Zyklon B, que quando inalado pelas pessoas ali presentes dentro da sala impossibilitava a respiração e causava a morte instantânea. Em seguida queimavam os cadáveres para evitar sérios problemas. Em outros casos, médicos nazistas usavam cobaias humanos vivos, para fazer experimentos em seu corpo e analisar reações, com o propósito de solucionar doenças.

11 Referências bibliográficas FIORANI, Flavio. História ilustrada da II Guerra Mundial: O Ataque a Pearl Harbor, a Europa sob o Nazismo, a Guerra do Pacífico. São Paulo: Larousse, PEDRO, Antonio. A Segunda Guerra Mundial.4.ed.Editora atual, 1987.

66 Perguntas e Respostas Sobre o Holocausto

66 Perguntas e Respostas Sobre o Holocausto 66 Perguntas e Respostas Sobre o Holocausto 1. Que provas existem de que os nazis mataram seis milhões de judeus? Nenhuma. Tudo o que temos é o testemunho pós-guerra, na sua maioria de sobreviventes individuais.

Leia mais

DA SEDUÇÃO À BARBÁRIE HITLER ALEMANHA NAZISTA HOLOCAUSTO

DA SEDUÇÃO À BARBÁRIE HITLER ALEMANHA NAZISTA HOLOCAUSTO DA SEDUÇÃO À BARBÁRIE HITLER ALEMANHA NAZISTA HOLOCAUSTO O CONVENCIMENTO O TERCEIRO REICH NASCEU EM UM DOS PAÍSES MAIS EVOLUÍDOS DO MUNDO (ALEMANHA) E, A POPULAÇÃO ALEMÃ AJUDOU O PARTIDO DE ADOLF HITLER

Leia mais

TEMA 6 O AVANÇO DOS ALIADOS. Os combates decisivos entre as tropas do Eixo e as forças aliadas foram travados em território soviético.

TEMA 6 O AVANÇO DOS ALIADOS. Os combates decisivos entre as tropas do Eixo e as forças aliadas foram travados em território soviético. TEMA 6 O AVANÇO DOS ALIADOS Os combates decisivos entre as tropas do Eixo e as forças aliadas foram travados em território soviético. A operação Barbarossa A operação Barbarossa era a invasão da União

Leia mais

Extermínio nazista de pessoas com Deficiência Mental

Extermínio nazista de pessoas com Deficiência Mental Extermínio nazista de pessoas com Deficiência Mental Carta do chefe da instituição para doentes mentais em Stetten para Reich ministro da justiça Dr Frank, 6 de setembro de 1940 Julgamentos de criminosos

Leia mais

Disputa pela hegemonia mundial entre Estados Unidos e URSS após a II Guerra Mundial. É uma intensa guerra econômica, diplomática e tecnológica pela conquista de zonas de influência. Ela divide o mundo

Leia mais

CRONOLOGIA DO III REICH. Profa. Dra. Izabela Maria Furtado Kestler

CRONOLOGIA DO III REICH. Profa. Dra. Izabela Maria Furtado Kestler 1 CRONOLOGIA DO III REICH Profa. Dra. Izabela Maria Furtado Kestler 1933 30.1: Hitler é indicado para assumir o cargo de Chanceler (Primeiro-Ministro) pelo presidente General von Hindenburg 1.2: O Parlamento

Leia mais

Nazismo. Oficina Cinema-História. Núcleo de Produção e Pesquisas da Relação Imagem-História www.oficinacinemahistoria.org

Nazismo. Oficina Cinema-História. Núcleo de Produção e Pesquisas da Relação Imagem-História www.oficinacinemahistoria.org Nazismo por Alexandre Coelho Pinheiro Graduado em História pela Universidade Estadual de Santa Cruz UESC No final de 1918 os alemães vivenciavam o trágico fim da I Guerra Mundial. A Alemanha havia se rendido

Leia mais

Génese e implantação do fascismo. e do nazismo

Génese e implantação do fascismo. e do nazismo Génese e implantação do fascismo FASCISMO: - Regime político que vigorou em Itália de 1922 a 1945 e que influenciou fortemente outros países. - Símbolo: o fascio romano. e do nazismo NAZISMO: - Regime

Leia mais

PEQUENO GLOSSÁRIO SOBRE A SHOÁ

PEQUENO GLOSSÁRIO SOBRE A SHOÁ PEQUENO GLOSSÁRIO SOBRE A SHOÁ AKTION (ALEMÃO): Operação envolvendo uma assembléia em massa, deportação e os assassinatos dos judeus pelos nazis durante o Holocausto. ALIADOS: As nações lutam contra a

Leia mais

TEMA 3 UMA EXPERIÊNCIA

TEMA 3 UMA EXPERIÊNCIA TEMA 3 UMA EXPERIÊNCIA DOLOROSA: O NAZISMO ALEMÃO A ascensão dos nazistas ao poder na Alemanha colocou em ação a política de expansão territorial do país e o preparou para a Segunda Guerra Mundial. O saldo

Leia mais

Analista diz que bases instaladas no território brasileiro tiveram importância fundamental na 2ª Guerra Mundial

Analista diz que bases instaladas no território brasileiro tiveram importância fundamental na 2ª Guerra Mundial 2ª GUERRA MUNDIAL Novos estudos feitos por um historiador norte americano, revelam que os Estados Unidos teriam cogitado que as forças militares brasileiras, então em combate na Italia, ocupassem a Austria

Leia mais

AULA: 17 Assíncrona. TEMA: Cidadania e Movimentos Sociais DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES HISTÓRIA

AULA: 17 Assíncrona. TEMA: Cidadania e Movimentos Sociais DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES HISTÓRIA CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA AULA: 17 Assíncrona TEMA: Cidadania e Movimentos Sociais 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Conteúdos: China: dominação

Leia mais

Nanette Blitz Konig. www.arqshoah.com.br

Nanette Blitz Konig. www.arqshoah.com.br Nanette Blitz Konig Nanette Konig (foto retirada do site www.annefrankdiaryreference.org). Meu nome é Nanette Blitz Konig. Nasci em Amsterdã, Holanda, em abril de 1929. Meu pai chamava-se Martijn Willem

Leia mais

Regimes Autoritários/ Totalitários EUROPA NO ENTREGUERRAS PROF. SARA

Regimes Autoritários/ Totalitários EUROPA NO ENTREGUERRAS PROF. SARA Regimes Autoritários/ Totalitários EUROPA NO ENTREGUERRAS PROF. SARA O que mais diferencia o totalitarismo de outras formas de ditadura é que o Estado totalitário invade a privacidade das pessoas, controlando-as

Leia mais

A GUERRA DO PARAGUAI FOI O MAIOR E MAIS SANGRENTO CONFLITO ARMADO OCORRIDO NA AMÉRICA DO SUL PERÍODO= 1864-1870

A GUERRA DO PARAGUAI FOI O MAIOR E MAIS SANGRENTO CONFLITO ARMADO OCORRIDO NA AMÉRICA DO SUL PERÍODO= 1864-1870 Não é possível exibir esta imagem no momento. A GUERRA DO PARAGUAI FOI O MAIOR E MAIS SANGRENTO CONFLITO ARMADO OCORRIDO NA AMÉRICA DO SUL PERÍODO= 1864-1870 É também chamada Guerra da Tríplice Aliança

Leia mais

3 Breve história da criminalidade nas favelas

3 Breve história da criminalidade nas favelas 3 Breve história da criminalidade nas favelas A origem das favelas no Rio de Janeiro é consensualmente datada no final do século XIX. A primeira favela foi a ocupação do Morro da Providência no centro

Leia mais

A era dos impérios. A expansão colonial capitalista

A era dos impérios. A expansão colonial capitalista A era dos impérios A expansão colonial capitalista O século XIX se destacou pela criação de uma economia global única, caracterizado pelo predomínio do mundo industrializado sobre uma vasta região do planeta.

Leia mais

Palestina - em defesa da nação oprimida

Palestina - em defesa da nação oprimida Palestina - em defesa da nação oprimida Que o Hamas entregue armas à população! Derrotar a ofensiva sionista com o levante das massas palestinas! Unidade dos explorados do Oriente Médio para enfrentar

Leia mais

2 Por que a Alemanha nazista rompeu com o Pacto Germano Soviético no ano de 1941? Explique.

2 Por que a Alemanha nazista rompeu com o Pacto Germano Soviético no ano de 1941? Explique. 2 Lista exercícios 2ª Guerra Mundial 1 Os Estados Unidos entraram fundamentalmente na Segunda Guerra Mundial no ano de 1941. Quais foram os principais fatores que causaram a entrada dos Estados Unidos

Leia mais

AUSCHWITZ-BIRKENAU HISTÓRIA E PRESENTE - 1 -

AUSCHWITZ-BIRKENAU HISTÓRIA E PRESENTE - 1 - AUSCHWITZ-BIRKENAU HISTÓRIA E PRESENTE - 1 - ÍNDICE: ANTES DE AUSCHWITZ 3 IDEOLOGIA NAZISTA 3 INÍCIO DA II GUERRA MUNDIAL 3 CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO DE HITLER 4 AUSCHWITZ 1940-1945 RESUMO DA HISTÓRIA DO

Leia mais

102º Fórum do Comitê da Cultura de Paz parceria UNESCO Palas Athena. Janusz Korczak. Uma vida que se renova nos direitos de cada criança

102º Fórum do Comitê da Cultura de Paz parceria UNESCO Palas Athena. Janusz Korczak. Uma vida que se renova nos direitos de cada criança 102º Fórum do Comitê da Cultura de Paz parceria UNESCO Palas Athena Janusz Korczak Uma vida que se renova nos direitos de cada criança Henryk Goldszmit nasceu em Varsóvia, em 1877 De família judaica liberal,

Leia mais

RESUMO. PALAVRAS-CHAVE: Nuremberg Conseqüências - Direitos Humanos - Bárbaros INTRODUÇÃO

RESUMO. PALAVRAS-CHAVE: Nuremberg Conseqüências - Direitos Humanos - Bárbaros INTRODUÇÃO A IMPORTÂNCIA DA HISTÓRIA PARA O DIREITO Renata Cristina Bisam, aluna do 8º. Semestre noturno do Curso de Direito do CEUNSP de Salto/ SP. RESUMO O presente trabalho visa analisar o direito durante a história,

Leia mais

1. Portugal no século XIV tempo de crise

1. Portugal no século XIV tempo de crise 1. Portugal no século XIV tempo de crise A situação que se viveu em Portugal no século XIV foi de uma situação de crise, e foram vários os fatores que contribuíram para isso: Crise agrária os Invernos

Leia mais

PROVA BIMESTRAL História

PROVA BIMESTRAL História 9 o ano 2 o bimestre PROVA BIMESTRAL História Escola: Nome: Turma: n o : Sobre a Revolução Russa de 1917, leia o texto a seguir e responda às questões 1 e 2. A reivindicação básica dos pobres da cidade

Leia mais

E.E. Dr. João Thienne Geografia

E.E. Dr. João Thienne Geografia E.E. Dr. João Thienne Geografia INTRODUÇÃO O presente trabalho é sobre conflitos no Cáucaso, mais concretamente o caso da Chechênia. São objetivos deste trabalho adquirir conhecimentos sobre o assunto,

Leia mais

Ano de 5000 a.c. em várias localidades do território chinês, já havia grupos humanos dedicados a caça, a coleta, a pecuária e a agricultura.

Ano de 5000 a.c. em várias localidades do território chinês, já havia grupos humanos dedicados a caça, a coleta, a pecuária e a agricultura. China Ano de 5000 a.c. em várias localidades do território chinês, já havia grupos humanos dedicados a caça, a coleta, a pecuária e a agricultura. O vale do rio Amarelo (ou rio Huang-Ho), foi o berço da

Leia mais

Guerra Fria e o Mundo Bipolar

Guerra Fria e o Mundo Bipolar Guerra Fria e o Mundo Bipolar A formação do Mundo Bipolar Os Aliados vencem a 2.ª Guerra (1939-1945). Apesar de na guerra lutarem lado a lado, os EUA e a URSS vão afastar-se a partir de 1945. Guerra Fria

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO ACADEMIA DE POLÍCIA DO ESTADO DE MINAS GERAIS CARGO ANALISTA DA POLÍCIA CIVIL - ADMINISTRAÇÃO PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA

CONCURSO PÚBLICO ACADEMIA DE POLÍCIA DO ESTADO DE MINAS GERAIS CARGO ANALISTA DA POLÍCIA CIVIL - ADMINISTRAÇÃO PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA CONCURSO PÚBLICO ACADEMIA DE POLÍCIA DO ESTADO DE MINAS GERAIS CARGO ANALISTA DA POLÍCIA CIVIL - ADMINISTRAÇÃO PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA INSTRUÇÃO: Leia com atenção o Texto 1 para responder às questões

Leia mais

Preconceito juízo pré-concebido atitude discriminatória

Preconceito juízo pré-concebido atitude discriminatória PRECONCEITO RACIAL O QUE É PRECONCEITO? Preconceito é um juízo pré-concebido, que se manifesta numa atitude discriminatória, perante pessoas, crenças, sentimentos e tendências de comportamento. O preconceito

Leia mais

ANSB SAPADORES- BOMBEIROS DO BRASIL

ANSB SAPADORES- BOMBEIROS DO BRASIL ANSB SAPADORES- BOMBEIROS DO BRASIL Por que "Sapadores-Bombeiros"? O excelente blog de Leonardo Aparecido Baldo Ferraz, disponível em http://diariobombeirocivil.blogspot.com.br/ aponta, já há algum tempo,

Leia mais

CONFLITO EM GAZA: ENTENDA A GUERRA ENTRE ISRAEL E OS PALESTINOS

CONFLITO EM GAZA: ENTENDA A GUERRA ENTRE ISRAEL E OS PALESTINOS CONFLITO EM GAZA: ENTENDA A GUERRA ENTRE ISRAEL E OS PALESTINOS Um assunto que volta e meia ocupa as manchetes de jornais do mundo inteiro há décadas é a questão sobre o conflito entre israelenses e palestinos

Leia mais

p a r c e r i a 6 @ p a r c e r i a 6. c o m. b r t e l. : [ 5 5-1 1 ] 3 0 8 1. 1 2 6 0 s ã o p a u l o b r a s i l

p a r c e r i a 6 @ p a r c e r i a 6. c o m. b r t e l. : [ 5 5-1 1 ] 3 0 8 1. 1 2 6 0 s ã o p a u l o b r a s i l O final da Segunda Guerra Mundial em uma Alemanha devastada e o surgimento de uma sociedade secreta nazista que anseia construir um Quarto Reich no futuro A Alemanha Nazista e um plano de fuga insano de

Leia mais

Violência homicida. Diferenças regionais

Violência homicida. Diferenças regionais 1 de 6 31/01/2014 23:35 Aumentar a fonte Diminuir a fonte VIOLÊNCIA CORPO NO CHÃO Morto em outubro de 2012, em Itaquera, Zona Leste paulistana: mais uma entre as mais de 40 mil pessoas assassinadas no

Leia mais

Florence Nightingale: obras, ensinamentos e contribuições Séc XIX

Florence Nightingale: obras, ensinamentos e contribuições Séc XIX UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE BACHARELADO EM ENFERMAGEM HISTÓRIA E TEORIAS DA ENFERMAGEM Prof. Eurípedes Gil de França Aula 6 Enfermagem Moderna Florence Nightingale: obras, ensinamentos e

Leia mais

O que os olho. a empresa sen. 28 JULHO/AGOSTO/SETEMBRO 2005 diga lá nº 44 ILUSTRAÇÃO ALÊ ABREU

O que os olho. a empresa sen. 28 JULHO/AGOSTO/SETEMBRO 2005 diga lá nº 44 ILUSTRAÇÃO ALÊ ABREU a empresa sen O que os olho ILUSTRAÇÃO ALÊ ABREU 28 JULHO/AGOSTO/SETEMBRO 2005 diga lá nº 44 Uma epidemia ainda invisível atinge a força de trabalho sem que a maior parte das empresas brasileiras perceba.

Leia mais

CUIDE DOS SEUS DENTES

CUIDE DOS SEUS DENTES SENADO FEDERAL CUIDE DOS SEUS DENTES SENADOR CLÉSIO ANDRADE 2 Cuide dos seus dentes apresentação Pesquisas científicas comprovam que dentes estragados provocam outras doenças que aparentemente não têm

Leia mais

A Evolução dos Sistemas Operacionais

A Evolução dos Sistemas Operacionais Capítulo 3 A Evolução dos Sistemas Operacionais Neste capítulo, continuaremos a tratar dos conceitos básicos com a intensão de construirmos, agora em um nível mais elevado de abstração, o entendimento

Leia mais

Inglaterra-1ºpais industrializado X Alemanha (aceleradamente desenvolvida após a unificação);

Inglaterra-1ºpais industrializado X Alemanha (aceleradamente desenvolvida após a unificação); 1. Fatores que contribuíram para a eclosão do conflito: 1.1 - Concorrência econômica ( choque de imperialismos): Inglaterra-1ºpais industrializado X Alemanha (aceleradamente desenvolvida após a unificação);

Leia mais

01 REGIÃO METROPOLITANA 03 ENDEREÇO

01 REGIÃO METROPOLITANA 03 ENDEREÇO IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Diretoria de Pesquisas Coordenação de Trabalho e Rendimento Gerência de Pesquisa Mensal PESQUISA MENSAL DE EMPREGO PME 1.0 QUESTIONÁRIO DE MÃO-DE-OBRA

Leia mais

Como ensinamos o Holocausto? Essas linhas mestras foram traduzidas pelo Ministério da Educação português

Como ensinamos o Holocausto? Essas linhas mestras foram traduzidas pelo Ministério da Educação português Como ensinamos o Holocausto? Essas linhas mestras foram traduzidas pelo Ministério da Educação português O Holocausto O Holocausto foi o extermínio de, aproximadamente, seis milhões de judeus pelos nazis

Leia mais

MEMÓRIAS DO HOLOCAUSTO: ESTÓRIAS DA HISTÓRIA Yazid Jorge Guimarães Costa *

MEMÓRIAS DO HOLOCAUSTO: ESTÓRIAS DA HISTÓRIA Yazid Jorge Guimarães Costa * MEMÓRIAS DO HOLOCAUSTO: ESTÓRIAS DA HISTÓRIA Yazid Jorge Guimarães Costa * INTRODUÇÃO O tema central deste ensaio é analisar como são construídas diferentes memórias sobre um mesmo acontecimento, ou como

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DO MODELO SOVIÉTICO E O SEU IMPACTO NO MUNDO

A CONSTRUÇÃO DO MODELO SOVIÉTICO E O SEU IMPACTO NO MUNDO A CONSTRUÇÃO DO MODELO SOVIÉTICO E O SEU IMPACTO NO MUNDO Império russo (início do século a 1917) Território * Governo Maior império da Europa, estendendo-se da Ásia ao pacífico * Monarquia absoluta e

Leia mais

46 importantes perguntas ainda sem resposta sobre as câmaras de gás nazistas. A Questão do Zyklon-B

46 importantes perguntas ainda sem resposta sobre as câmaras de gás nazistas. A Questão do Zyklon-B 46 importantes perguntas ainda sem resposta sobre as câmaras de gás nazistas A Questão do Zyklon-B Por David Cole Nos antigos campos de concentração de Auschwitz e de Auschwitz-Birkenau, temos o seguinte:

Leia mais

Sessão Extraordinária da Assembleia Municipal de Odivelas

Sessão Extraordinária da Assembleia Municipal de Odivelas Sessão Extraordinária da Assembleia Municipal de Odivelas Sessão Solene Comemorativa da Implantação da República 05.10.2010 A Revolução Republicana de 1910 Ao assinalarmos cem anos sobre a Revolução Republicana

Leia mais

TEMA I A EUROPA E O MUNDO NO LIMIAR DO SÉC. XX

TEMA I A EUROPA E O MUNDO NO LIMIAR DO SÉC. XX TEMA I A EUROPA E O MUNDO NO LIMIAR DO SÉC. XX A supremacia Europeia sobre o Mundo A Europa assumia-se como 1ª potência Mundial DOMÍNIO POLÍTICO Inglaterra, França, Alemanha, Portugal e outras potências

Leia mais

Israel e o mundo Árabe

Israel e o mundo Árabe Israel e o mundo Árabe Leonardo Herms Maia¹ Regina Cohen Barros² Para uma compreensão espacial e econômica deste assunto, irei abordar temas principais que nos mostram como Israel se tornou uma grande

Leia mais

muito gás carbônico, gás de enxofre e monóxido de carbono. extremamente perigoso, pois ocupa o lugar do oxigênio no corpo. Conforme a concentração

muito gás carbônico, gás de enxofre e monóxido de carbono. extremamente perigoso, pois ocupa o lugar do oxigênio no corpo. Conforme a concentração A UU L AL A Respiração A poluição do ar é um dos problemas ambientais que mais preocupam os governos de vários países e a população em geral. A queima intensiva de combustíveis gasolina, óleo e carvão,

Leia mais

CADERNO 1 BRASIL CAP. 3. Gabarito: EXERCÍCIOS DE SALA. Resposta da questão 1: [D]

CADERNO 1 BRASIL CAP. 3. Gabarito: EXERCÍCIOS DE SALA. Resposta da questão 1: [D] Gabarito: EXERCÍCIOS DE SALA Resposta da questão 1: Somente a proposição está correta. Com a expansão napoleônica na Europa e a invasão do exército Francês em Portugal ocorreu a vinda da corte portuguesa

Leia mais

A RESPONSABILIDADE DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA EM MATÉRIA DE POLÍTICA INTERNACIONAL. Fábio Konder Comparato *

A RESPONSABILIDADE DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA EM MATÉRIA DE POLÍTICA INTERNACIONAL. Fábio Konder Comparato * A RESPONSABILIDADE DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA EM MATÉRIA DE POLÍTICA INTERNACIONAL Fábio Konder Comparato * Dispõe a Constituição em vigor, segundo o modelo por nós copiado dos Estados Unidos, competir

Leia mais

Febem apura se maus tratos a internos provocaram rebeliões

Febem apura se maus tratos a internos provocaram rebeliões Clipping produzido pelo Instituto de Políticas Públicas de Segurança da Fundação Santo André INSEFUSA 07/04/2006 Febem apura se maus tratos a internos provocaram rebeliões Diário de São Paulo/Agora São

Leia mais

CAMPANHA - COPOS PLÁSTICOS

CAMPANHA - COPOS PLÁSTICOS 2015 CAMPANHA - COPOS PLÁSTICOS Vanessa C. S. Becker - COGEMAS SAMAE de Brusque 05/01/2015 Atualmente ouvimos falar muito sobre consciência ambiental e desperdício. Porém algumas vezes agimos de forma

Leia mais

Centro de Altos Estudos de Segurança (CAES) da Polícia Militar do Estado de São Paulo DOUTORADO DA PM. Frei David Santos, OFM - out de 2012

Centro de Altos Estudos de Segurança (CAES) da Polícia Militar do Estado de São Paulo DOUTORADO DA PM. Frei David Santos, OFM - out de 2012 Centro de Altos Estudos de Segurança (CAES) da Polícia Militar do Estado de São Paulo DOUTORADO DA PM Frei David Santos, OFM - out de 2012 Dados disponibilizados pelo Sistema de Informações sobre Mortalidade

Leia mais

O povo da Bíblia HEBREUS

O povo da Bíblia HEBREUS O povo da Bíblia HEBREUS A FORMAÇÃO HEBRAICA Os hebreus eram pastores nômades que se organizavam em tribos lideradas por chefes de família denominado patriarca. Principais patriarcas: Abraão, Jacó e Isaac.

Leia mais

DIVISÃO GEOGRÁFICA DE CLASSES SOCIAIS

DIVISÃO GEOGRÁFICA DE CLASSES SOCIAIS CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE CURITIBA COORDENAÇÃO DE ESTÁGIO CURSO TÉCNICO DE... Tema do Pôster DIVISÃO GEOGRÁFICA DE CLASSES SOCIAIS ALUNO: EXEMPLO TURMA: XXXXXXXXXXX CURITIBA 2013 SUMÁRIO

Leia mais

ANEXO I DADOS HISTÓRICOS E ESTATÍSTICOS RELATIVOS A INCÊNDIOS

ANEXO I DADOS HISTÓRICOS E ESTATÍSTICOS RELATIVOS A INCÊNDIOS ANEXO I DADOS HISTÓRICOS E ESTATÍSTICOS RELATIVOS A INCÊNDIOS Ao longo da história da humanidade, o fogo tem estado presente, com a sua capacidade destruidora, em inúmeras circunstâncias. Algumas delas,

Leia mais

Palavras- chave: Holocausto. Resistência Judaica. Resistência do possível.

Palavras- chave: Holocausto. Resistência Judaica. Resistência do possível. Holocausto: outros lugares de resistência 1 Holocaust: other places of resistance Cristiano Guedes Pinheiro * Resumo: O objetivo desse artigo é desmistificar a idéia que, durante o Holocausto, o povo judeu

Leia mais

O IMPERIALISMO EM CHARGES. Marcos Faber www.historialivre.com marfaber@hotmail.com. 1ª Edição (2011)

O IMPERIALISMO EM CHARGES. Marcos Faber www.historialivre.com marfaber@hotmail.com. 1ª Edição (2011) O IMPERIALISMO EM CHARGES 1ª Edição (2011) Marcos Faber www.historialivre.com marfaber@hotmail.com Imperialismo é a ação das grandes potências mundiais (Inglaterra, França, Alemanha, Itália, EUA, Rússia

Leia mais

CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS Próximo HISTÓRIA GUERRAS E CRISES: MARCAS DO SÉCULO XX. Caderno 9» Capítulo 1. www.sejaetico.com.

CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS Próximo HISTÓRIA GUERRAS E CRISES: MARCAS DO SÉCULO XX. Caderno 9» Capítulo 1. www.sejaetico.com. CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS HISTÓRIA GUERRAS E CRISES: MARCAS DO SÉCULO XX Caderno 9» Capítulo 1 www.sejaetico.com.br CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS A Primeira Guerra Mundial (1914-1918) Caderno

Leia mais

Vivas à Liberdade A saga heróica da insurreição em Viana Coleção Negro Cosme

Vivas à Liberdade A saga heróica da insurreição em Viana Coleção Negro Cosme 1 Vivas à Liberdade - a saga heróica da insurreição em Viana Vivas à Liberdade A saga heróica da insurreição em Viana Coleção Negro Cosme São Luís/Maranhão 2ª Edição dezembro de 1998 2 Vivas à Liberdade

Leia mais

POVOS INDÍGENAS NO BRASIL. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José Montes Claros - MG

POVOS INDÍGENAS NO BRASIL. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José Montes Claros - MG POVOS INDÍGENAS NO BRASIL Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José Montes Claros - MG Conhecendo os povos indígenas Para conhecer melhor os povos indígenas, é importante estudar sua língua.

Leia mais

GRUPO V 2 o BIMESTRE PROVA A

GRUPO V 2 o BIMESTRE PROVA A Sistema de Ensino PROVA V 2 o BIMESTRE PROVA A Valor da prova: 4,0 forum.netxplica.com Autoridades não conseguem forum.netxplica.com diminuir poluição para os Jogos Olímpicos. Tempestade de areia faz situação

Leia mais

O Sentido da Maldade na Obra Eichmann em Jerusalém: um relato sobre a banalidade do mal de Hannah Arendt

O Sentido da Maldade na Obra Eichmann em Jerusalém: um relato sobre a banalidade do mal de Hannah Arendt O Sentido da Maldade na Obra Eichmann em Jerusalém: um relato sobre a banalidade do mal de Hannah Arendt Fernando Silveira Melo Plentz Miranda 1 Resumo Este estudo tem por objetivo examinar o conceito

Leia mais

Avaliação da unidade II Pontuação: 7,5 pontos

Avaliação da unidade II Pontuação: 7,5 pontos Avaliação da unidade II Pontuação: 7,5 pontos QUESTÃO 01 (1,0 ponto) A Segunda Grande Guerra (1939-1945), a partir de 7 de dezembro de 1941, adquire um caráter mundial quando os a) ( ) russos tomam a iniciativa

Leia mais

Conteúdo para recuperação do I Semestre. 7º ANO Feudalismo; A crise do sistema feudal.

Conteúdo para recuperação do I Semestre. 7º ANO Feudalismo; A crise do sistema feudal. Conteúdo para recuperação do I Semestre I Bimestre II Bimestre 7º ANO Feudalismo; A crise do sistema feudal. As Reformas Religiosas; A África. Feudalismo; Sistema político, econômico e social que se formou

Leia mais

NOTAS PARA A HISTORIA DOS PILOTOS EM PORTUGAL

NOTAS PARA A HISTORIA DOS PILOTOS EM PORTUGAL ISSN 0870-6735 CENTRO DE ESTUDOS DE HISTÓRIA E CARTOGRAFIA ANTIGA SÉRIE SEPARATAS 231 NOTAS PARA A HISTORIA DOS PILOTOS EM PORTUGAL POR MARIA EMILIA MADEIRA SANTOS INSTITUTO DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA

Leia mais

Colégio Salesiano São José 8º ano Geografia Professor Juliano

Colégio Salesiano São José 8º ano Geografia Professor Juliano Colégio Salesiano São José 8º ano Geografia Professor Juliano O mundo sempre esteve envolvido em guerras, de diferentes tamanhos, motivos, armas, mortes, mas poucas guerras foram tão destruidoras e envolveram

Leia mais

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Notas do jornalista José Arbex sobre o trabalho da delegação de entidades ligadas o Conselho Internacional

Leia mais

ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA /COR

ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA /COR 8 ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA /COR Secretaria de Vigilância em Saúde/MS 435 ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA/COR MORTALIDADE POR CAUSAS EXTERNAS Evolução da mortalidade por causas externas

Leia mais

Arquivo Público do Estado de São Paulo

Arquivo Público do Estado de São Paulo Arquivo Público do Estado de São Paulo Oficina: O(s) Uso(s) de documentos de arquivo na sala de aula Ditadura Militar e Anistia (1964 a 1985). Anos de Chumbo no Brasil. Ieda Maria Galvão dos Santos 2º

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DA VARA DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DE BELÉM, ESTADO DO PARÁ. Peças de Informação nº 1.23.000.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DA VARA DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DE BELÉM, ESTADO DO PARÁ. Peças de Informação nº 1.23.000. EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DA VARA DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DE BELÉM, ESTADO DO PARÁ Peças de Informação nº 1.23.000.000059/2012-90 O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, no exercício da titularidade

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA MARATONA DE CARTAS

APRESENTAÇÃO DA MARATONA DE CARTAS APRESENTAÇÃO DA MARATONA DE CARTAS http://www.amnistia-internacional.pt/liberdade/ Sobre esta apresentação: Este PowerPoint é um recurso para os/as professores/as apresentarem a Maratona de Cartas aos

Leia mais

História B Aula 21. Os Agitados Anos da

História B Aula 21. Os Agitados Anos da História B Aula 21 Os Agitados Anos da Década de 1930 Salazarismo Português Monarquia portuguesa foi derrubada em 1910 por grupos liberais e republicanos. 1ª Guerra - participação modesta ao lado da ING

Leia mais

Entre a Rússia, a União Europeia e os EUA Prof. Alan Carlos Ghedini

Entre a Rússia, a União Europeia e os EUA Prof. Alan Carlos Ghedini A Crise na Ucrânia Entre a Rússia, a União Europeia e os EUA Prof. Alan Carlos Ghedini Em 2004, a Revolução Laranja Em 2004 uma série de protestos tomava conta da Ucrânia, motivados por denúncias de corrupção

Leia mais

ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME

ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME CENA 1. HOSPITAL. QUARTO DE. INTERIOR. NOITE Fernanda está dormindo. Seus pulsos estão enfaixados. Uma enfermeira entra,

Leia mais

R.: R.: R.: R.: R.: R.: R.:

R.: R.: R.: R.: R.: R.: R.: PROFESSOR: EQUIPE DE HISTÓRIA BANCO DE QUESTÕES - HISTÓRIA - 6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================== 01- Como o relevo

Leia mais

MEMÓRIAS DE PESQUISA: A HISTÓRIA DE VIDA CONTADA POR MULHERES VIGIADAS E PUNIDAS

MEMÓRIAS DE PESQUISA: A HISTÓRIA DE VIDA CONTADA POR MULHERES VIGIADAS E PUNIDAS MEMÓRIAS DE PESQUISA: A HISTÓRIA DE VIDA CONTADA POR MULHERES VIGIADAS E PUNIDAS 1 Introdução O presente estudo se insere no contexto do sistema penitenciário feminino e, empiricamente, tem como tema as

Leia mais

Século XXI. Sobre a cultura islâmica após os atentados de 11 de setembro. Palavras amáveis não custam nada e conseguem muito.

Século XXI. Sobre a cultura islâmica após os atentados de 11 de setembro. Palavras amáveis não custam nada e conseguem muito. Século XXI Oficialmente, o século XXI, inicia-se cronologicamente no final do ano 2000. Historicamente podemos destacar que os eventos que aconteceram um ano após a entrada do novo milênio marcam a chegada

Leia mais

O Sentido da Maldade na Obra Eichmann em Jerusalém: um relato sobre a banalidade do mal de Hannah Arendt

O Sentido da Maldade na Obra Eichmann em Jerusalém: um relato sobre a banalidade do mal de Hannah Arendt O Sentido da Maldade na Obra Eichmann em Jerusalém: um relato sobre a banalidade do mal de Hannah Arendt Fernando Silveira Melo Plentz Miranda 1 Resumo Este estudo tem por objetivo examinar o conceito

Leia mais

INDICAÇÃO Nº DE 2005 (Do Srº Babá)

INDICAÇÃO Nº DE 2005 (Do Srº Babá) INDICAÇÃO Nº DE 2005 (Do Srº Babá) Sugere ao Poder Executivo, a imediata retirada das tropas brasileiras do Haiti, e indica a necessidade de revogar o Decreto Legislativo nº 207, de 19 de maio de 2004,

Leia mais

das espécies Chegamos à aula 50! Durante as aulas do Os trabalhos de Charles Darwin

das espécies Chegamos à aula 50! Durante as aulas do Os trabalhos de Charles Darwin A evolução das espécies A UU L AL A Chegamos à aula! Durante as aulas do telecurso, você viu vários temas relacionados com a Biologia: genética, botânica, zoologia, fisiologia, ecologia entre outros. Finalizaremos

Leia mais

CARREIRAS DIPLOMÁTICAS Disciplina: Política Internacional Prof. Diego Araujo Campos Tratado Sobre a Não Proliferação de Armas Nucleares

CARREIRAS DIPLOMÁTICAS Disciplina: Política Internacional Prof. Diego Araujo Campos Tratado Sobre a Não Proliferação de Armas Nucleares CARREIRAS DIPLOMÁTICAS Disciplina: Política Internacional Prof. Diego Araujo Campos Tratado Sobre a Não Proliferação de Armas Nucleares MATERIAL DE APOIO MONITORIA Tratado Sobre a Não Proliferação de Armas

Leia mais

CASOS COM TRANSTORNOS DE PERSONALIDADE E PROCESSO COM HOMÍCIDIOS DOLOSOS

CASOS COM TRANSTORNOS DE PERSONALIDADE E PROCESSO COM HOMÍCIDIOS DOLOSOS ANDRESSA FRANCIELLI ROCHA CASOS COM TRANSTORNOS DE PERSONALIDADE E PROCESSO COM HOMÍCIDIOS DOLOSOS IVAIPORÃ PR 2012 INTRODUÇÃO Como se há de verificar, por meio desse trabalho será apresentado modelos

Leia mais

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ SEMANA 16 A 22 DE JUNHO. Material: Raquel Basilone SEMANA 16 A 22 DE JUNHO

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ SEMANA 16 A 22 DE JUNHO. Material: Raquel Basilone SEMANA 16 A 22 DE JUNHO Bloqueio frustra visita de Aécio à Venezuela Em encíclica, papa responsabiliza ricos por problemas ambientais ATUALIDADES PROFESSOR MARCOS JOSÉ Material: Raquel Basilone Homem branco abre fogo e mata 9

Leia mais

HOMICÍDIOS DE MULHERES NO BRASIL EM 2013

HOMICÍDIOS DE MULHERES NO BRASIL EM 2013 HOMICÍDIOS DE MULHERES NO BRASIL EM 2013 INSTITUTO AVANTE BRASIL Diretor- Presidente: Luiz Flávio Gomes Pesquisadora: Flávia Mestriner Botelho VIOLÊNCIA GLOBAL CONTRA DAS MULHERES - (ONU) De acordo com

Leia mais

Exacerbado, atual nacionalismo é pregado por quem veste Prada

Exacerbado, atual nacionalismo é pregado por quem veste Prada Para Ana Maria Dietrich, professora da Federal do ABC, grupos que levantam bandeiras do ódio e do preconceito não possuem fundamento e são regidos pela elite brasileira São Bernardo do Campo Professora

Leia mais

Etnocentrismo, racismo e preconceito

Etnocentrismo, racismo e preconceito MÓDULO 4 - Relações Étnico-Raciais unidade 1 TEXTO 1 Etnocentrismo, racismo e preconceito Nesse texto, você terá a oportunidade de rever as idéias que circulam à sua volta a respeito de racismo. Será que

Leia mais

Analise duas transformações ocorridas nesse contexto histórico que colaboraram para a crise da República.

Analise duas transformações ocorridas nesse contexto histórico que colaboraram para a crise da República. 1) Leia a afirmativa abaixo que relaciona as conquistas territoriais às profundas alterações políticas, sociais e econômicas ocorridas entre os séculos II e I a.c. A República conquistara para Roma o seu

Leia mais

A CIVILIZAÇÃO CLÁSSICA: GRÉCIA. Profº Alexandre Goicochea História

A CIVILIZAÇÃO CLÁSSICA: GRÉCIA. Profº Alexandre Goicochea História A CIVILIZAÇÃO CLÁSSICA: GRÉCIA Profº Alexandre Goicochea História ORIGENS O mundo grego antigo ocupava além da Grécia, a parte sul da península Balcânica, as ilhas do mar Egeu, a costa da Ásia Menor, o

Leia mais

CADERNO DE EXERCÍCIOS 2D

CADERNO DE EXERCÍCIOS 2D CADERNO DE EXERCÍCIOS 2D Ensino Fundamental Ciências da Natureza II Habilidade da Questão Conteúdo Matriz da EJA/FB 01 Fisiologia Vegetal (Transporte e absorção de H34, H40, H41, H63 substâncias); Fotossíntese

Leia mais

OS 10 MAIORES DESASTRES AMBIENTAIS

OS 10 MAIORES DESASTRES AMBIENTAIS OS 10 MAIORES DESASTRES AMBIENTAIS 10 Three Mile Island Conhecido como Pesadelo Nuclear o desastre ocorreu em 9 de abril de 1979. O reator da usina nuclear Three Mile Island na Pensilvânia passou por uma

Leia mais

Roma. Profª. Maria Auxiliadora

Roma. Profª. Maria Auxiliadora Roma Profª. Maria Auxiliadora Economia: Agricultura e Pastoreiro Organização Política: MONARQUIA 753 a.c. 509 a.c. Rex = Rei (chefe supremo, sacerdote e juiz) Conselho de Anciãos = Senado (legislativo)

Leia mais

DÉCADA DE 50. Eventos mais marcantes: Revolução Chinesa (1949) Guerra da Coréia (1950-1953) Revolução Cubana (1959) Corrida armamentista

DÉCADA DE 50. Eventos mais marcantes: Revolução Chinesa (1949) Guerra da Coréia (1950-1953) Revolução Cubana (1959) Corrida armamentista Eventos mais marcantes: Revolução Chinesa (1949) Guerra da Coréia (1950-1953) Revolução Cubana (1959) Corrida armamentista Corrida Espacial REVOLUÇÃO CHINESA Após um longo período de divisões e lutas internas,

Leia mais

ESDRAS E NEEMIAS Lição 73. 1. Objetivos: Ensinar que podemos aprender ser líderes bem sucedidos ajudando aos outros

ESDRAS E NEEMIAS Lição 73. 1. Objetivos: Ensinar que podemos aprender ser líderes bem sucedidos ajudando aos outros ESDRAS E NEEMIAS Lição 73 1 1. Objetivos: Ensinar que podemos aprender ser líderes bem sucedidos ajudando aos outros 2. Lição Bíblica: Esdras 7 a 10; Neemias 1 a 4.6 (Base bíblica para a história e leitura

Leia mais

SEGUNDA GUERRA MUNDIAL

SEGUNDA GUERRA MUNDIAL SEGUNDA GUERRA MUNDIAL1939-1945 CAUSAS -Continuação da Primeira Guerra; *disputas imperialistas; *mesmos países controlando os mercados; *crises econômicas: empobrecimento dos trabalhadores nos anos 20

Leia mais