Universidade Federal do Rio Grande do Norte Centro de Biociências Programa de Pós-Graduação em Psicobiologia

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Universidade Federal do Rio Grande do Norte Centro de Biociências Programa de Pós-Graduação em Psicobiologia"

Transcrição

1 Universidade Federal do Rio Grande do Norte Centro de Biociências Programa de Pós-Graduação em Psicobiologia Comportamento e ecologia acústica da baleia jubarte (Megaptera novaeangliae) na região Nordeste do Brasil Marcos Roberto Rossi-Santos Natal 2012

2 MARCOS ROBERTO ROSSI-SANTOS Comportamento e ecologia acústica da baleia jubarte (Megaptera novaeangliae) na região Nordeste do Brasil Tese apresentada à Universidade Federal do Rio Grande do Norte, para obtenção do título de Doutor em Psicobiologia. Natal

3 MARCOS ROBERTO ROSSI-SANTOS Comportamento e ecologia acústica da baleia jubarte (Megaptera novaeangliae) na região Nordeste do Brasil Tese apresentada à Universidade Federal do Rio Grande do Norte, para obtenção do título de Doutor em Psicobiologia. Orientador: Dr. Flávio José de Lima Silva Ficha Catalográfica preparada pela Biblioteca Central Natal

4

5

6 É com grande respeito que dedico esse trabalho à memória de meu avô Antonio Carlos Ottoni Rossi e à amorosa presença de minha avó Maria de Lourdes Bueno Rossi, que me iniciaram no caminho da admiração pela natureza e pela música 4

7 Baleia... Você conheceu todos Os poderosos oceanos. O segredo dos tempos pretéritos Pode ser ouvido em seu canto. Ensina-me sua linguagem Para que eu possa compreender As raízes da história Da gênese de nosso mundo. Sams & Carson, 2000 Sams, J. & Carson, D Cartas xamânicas: A descoberta do poder através da energia dos animais. Rio de Janeiro: Rocco. 5

8 TÍTULO: Comportamento e ecologia acústica da baleia jubarte (Megaptera novaeangliae) na região Nordeste do Brasil PALAVRAS-CHAVE: comportamento de canto, ecologia acústica, baleia jubarte, ruídos antropogênicos, estoque reprodutivo A, nordeste do Brasil RESUMO: O conceito de ecologia acústica envolve a relação entre os organismos vivos e o seu ambiente sonoro e é aplicado no presente trabalho para estudar o contexto no qual ocorreu o comportamento de canto da baleia jubarte (Megaptera novaeangliae), considerado o mais complexo comportamento reprodutivo (display) da natureza, na costa nordeste do Brasil, fora da concentração reprodutiva do Banco de Abrolhos, entre os anos de 2005 e Analiso a ocorrência de machos cantores em diferentes estruturas de grupo, sua distribuição espacial e prováveis relações com fatores oceanográficos, como profundidade, regime de marés e fases da lua. Também descrevo a estrutura acústica e a variação temporal do comportamento de canto, baseado em medições de frequência e tempo dos cantos, fora do Banco de Abrolhos, além de comparar a complexidade do canto, registrada no mesmo período de estudo, entre o Banco de Abrolhos (16-19 S, W), e a Costa Norte adjacente, aqui considerada desde Itacaré (14 S, 38 W) a Aracajú (11 S, 37 W). Ainda busco descrever e analisar as fontes de ruídos antropogênicos no ambiente marinho da área de estudo, produzidos pela atividade de exploração de petroleo e gás e também pelo turismo de observação de baleias, relacionando-os com o nicho acústico utilizado pela jubarte. Os resultados indicaram uma grande plasticidade no comportamento de canto, evidenciado pela ocorrência dos cantores em diversas estruturas sociais, de indivíduos solitários a grupos contendo outros 6

9 animais, inclusive fêmeas com filhotes, bem como pela diversidade que compõe o canto da espécie, quando comparado entre duas regiões dentro da mesma área de reprodução, como o Banco de Abrolhos e a Costa Norte, que apresenta características oceanográficas distintas. A distribuição dos machos cantores parece estar relacionada com a extensão da plataforma continental na área de estudo. Os ruídos antropogênicos produzidos demonstraram uma faixa de frequências, amplitude sonora e intensidade capazes de interferir acusticamente no comportamento de canto da espécie, podendo resultar em distúrbios durante o período de reprodução da espécie na costa brasileira. Implicações sobre os resultados obtidos na teoria do sistema de acasamento da espécie são discutidas. Dessa forma, pretendo contribuir com o tema da ecologia acustica e gerar informações que subsidiem a conservação da baleia jubarte. 7

10 ABSTRACT: The acoustic ecology concept involve the relation between the live organisms and their sound environment and is applied in the present work to study the context in which the humpback whale (Megaptera novaeangliae) singing behavior, known as the most complex display in the nature, occurred in the northeastern Brazilian coast, outside the core area of Abrolhos Bank, between 2005 and 2010.I analyze the singer male occurrence, their spatial distribution and probable relations with oceanographic features, such as depth, tide regimen and moon phases. I also describe the acoustic structure and temporal variation of the singing behavior, based on song frequency and time measurements outside the Abrolhos Bank, and further compare the song complexity, registered in the same period, between Abrolhos Bank (16-19 S, W) and the adjacent North Coast, herein considered from Itacaré (14 S, 38 W) to Aracaju (11 S, 37 W). Additionally, I look for describe and analyze anthropogenic noise sources in the marine environment of the study area, produced by the oil industry as well as by the whale watching operation, relating their frequencies to the acoustic niche utilized by the humpbacks. The results indicated a great plasticity in the singing behavior, evidenced by the occurrence of singer males in diverse social structures, from solitary individuals to other groups, even containing females and calves, as well as by the diversity which compound the song, when compared between two regions inside the same breeding area, which present distinct oceanographic characteristics. The singer male distribution may be related with the continental shelf extent along the study area. The anthropogenic noise presented frequency range, amplitude and sound intensity in potential to interfere acoustically in the singing behavior of the species, may resulting in disturbance during the breeding season in the Brazilian coast. Implications about the obtained results in the 8

11 humpback whale mating system are discussed. In this way, I pretend to contribute with the acoustic ecology subject and provide information to subsidize humpback whale conservation. Key-words: singing behavior, acoustic ecology, humpback whale, anthropogenic noise, Breeding Stock A, Northeastern Brazil 9

12 SUMÁRIO i. Resumo... ii. Abstract... iii. Agradecimentos Introdução ) Comunicação animal e ecologia ) Ruídos e impactos sonoros no ambiente marinho ) Caracterização da espécie ) Ocorrência e Distribuição ) Ameaças e Status de Conservação da espécie ) Expansão da população de baleias jubarte no Brasil ) Ecologia acústica, comportamento e seleção sexual Objetivos, Hipóteses e Predições Ojetivos Objetivo Geral Objetivos específicos Hipóteses e predições Materiais e Método Área de Estudo Coleta de Dados Cruzeiros de Pesquisa Bioacústica Sistema de Informações Geográficas

13 4- Resultados Artigo Ecologia comportamental de canto em baleias jubarte (Megaptera novaeangliae) na região Nordeste do Brasil 4.2- Artigo Estrutura acústica e variação temporal do comportamento de canto em baleias jubarte (Megaptera novaeangliae) na área de reprodução da costa do Brasil Artigo Industria do Petróleo e poluição acústica na área de reprodução da baleia jubarte (Megaptera novaeangliae) no Oceano Atlantico sul ocidental Artigo Efeitos dos ruídos produzidos pelo turismo de observação no comportamento da baleia jubarte (Megaptera novaeangliae) na área de reprodução na costa do Brasil 5- Considerações finais Referências Bibliográficas Anexo

14 Agradecimentos Primeiramente, às baleias-jubarte que ainda guardam o mistério de sua mensagem no mar e refletem no seu olhar introspectivo o espelho do próprio mundo exterior. Muitas pessoas contribuíram com a construção desse trabalho, de diversas formas. Algumas com intenso apoio, enquanto outras aumentando o desafio em concretizá-lo. Sou grato a todos, pois me deram força para vencer mais essa etapa. Agradeço o apoio incondicional de minha família meus pais e irmãos, e especialmente minha mulher amada e companheira Renata e nossa querida filha Moara. Tenho o prazer de contar como membros da banca, algumas pessoas que muito colaboraram para minha formação profissional. Obrigado Jeff Podos e Emygdio Monteiro Filho pelos muitos ensinamentos, oportunidades e vivências compartilhadas. Obrigado também ao Flávio Lima pela orientação e pelo aprendizado nestes anos recentes. Agradeço o suporte financeiro dos patrocinadores do Instituto Baleia Jubarte durante os anos deste trabalho: Petrobras Ambiental, Aracruz Celulose, Fundação AVINA e Fundação Garcia D Ávila. Também à CAPES pela concessão da bolsa de doutorado. William Rossiter, da Cetacean Society International, vem fornecendo inestimável apoio a muitas viagens internacionais que contribuíram com minha formação, enquanto David Janiger se tornou um grande guardião de artigos científicos fornecendo prontamente desde publicações atuais e outras de antigas datas. Por fim, agradeço à Mãe Natureza e ao Deus Pai, por nos ensinar a respeitar todos os seres que habitam esse planeta azul. Todos juntos somos um! 12

15 1. INTRODUÇÃO A comunicação animal sempre exerceu um grande fascínio na humanidade. Na história da ciência, a civilização grega avançou muito acerca do conhecimento natural, pois integravam suas descobertas à visão global do Universo ou Cosmo. Suas perguntas sempre se dirigiam à essência da questão e nunca ao funcionamento, com forte característica no empirismo, enfatisando o fenômeno, como faria Johan Von Goethe séculos depois, ao invés de valorizar as medições precisas e teorias como na ciência moderna (vide anexo 1). Assim, a ciência na Grécia impregnava-se do espírito de admiração e de veneração diante dos enigmas do mundo, onde tudo tinha um sentido. Pitágoras, pensador grego característico, acreditava que por trás da realidade material existia um mundo espiritual, cujos seres e forças plasmavam o mundo físico, permeado pelo que ele chamava de música das esferas : um fluir de harmonias, uma ordem de relações numéricas e proporções que teriam afinidade com a música. Ainda reencontramos tais relações, por exemplo, entre o comprimento de cordas cuja vibração produz sons considerados harmônicos. Os números não eram apenas designações de quantidade, mas possuiam um conteúdo espiritual próprio (Lanz, 2004). Neste contexto, vem da Grécia a própria denominação do grupo dos cetáceos: Ketus, significando grande peixe, ao mesmo tempo monstro marinho, tamanho era o fascínio que estes animais exerciam na mente humana, sendo habitantes de um domínio sagrado e misterioso para o homem, como os oceanos. 13

16 Depois de centenas de anos, esses animais ainda nos maravilham, pelo seu modo de vida, por sua inteligência, por seus mistérios. O canto da baleia jubarte é um dos mais complexos comportamentos acústicos do reino animal (Wilson, 1975), e vem despertando fascínio tanto em admiradores quanto para o meio científico. Embora provavelmente ouvido por marinheiros durante séculos, as primeiras gravações de canto das jubarte foram feitas por navios da Marinha dos EUA no final dos anos Os cientistas reconheceram esses sons como vindos de baleias jubarte na década de 1960,ea primeira descrição técnica do canto foi publicado por Payne & McVay (1971). Desde então, a estrutura geral do canto, bem como as características básicas de machos cantores têm sido descritas (ex.: Tyack, 1981; Payne & Payne, 1985; Darling et al., 2006). Essas características, combinadas com observações de baleias cantando levaram a várias ideias sobre a função ou o papel do canto nas áreas de reprodução, entretanto correlações com a paisagem acústica onde se inserem essas baleias têm sido pouco abordadas. O impacto de sons antropogênicos sobre a comunicação dos cetáceos é um assunto emergente, de crescente interesse (ex: Hatch & Wrigth, 2007). Nesse estudo, pretendo contribuir com esse tema de ecologia acústica da baleia jubarte, contextualizando o comportamento de canto na estrutura social dentro da área de reprodução desses animais na costa do Brasil. Pretendo também investigar a relação entre o comportamento de canto e características ambientais, como profundidade e extensão da plataforma continental, regionalizadas dentro dessa área. Ainda busco descrever e analisar fontes de ruídos produzidos pelo homem no ambiente marinho da área de estudo, relacionando-os com o nicho 14

17 acústico utilizado pela jubarte. Considero aqui como conceito de ecologia acústica o estudo da relação entre os organismos vivos e o seu ambiente sônico (paisagem sonora ou soundscape), em uma adaptação de Truax (1999). Esse trabalho está organizado em quatro artigos independentes, cada qual com sua estrutura integral (apresentação de tema, métodos, resultados e discussões), mas que se complementam para compor uma visão mais ampliada dos resultados desse tema de estudo. No Artigo 1 Ecologia comportamental do canto em baleias jubarte (Megaptera novaeanglie) na região nordeste do Brasil estudo o comportamento de machos cantores em diferentes estruturas de grupo, sua distribuição espacial e possíveis relações com fatores oceanográficos, como profundidade, regime de marés e fases da lua. No Artigo 2 Estrutura acústica e variação temporal do comportamento de canto descrevo a estrutura física baseado em medições de frequência e tempo dos cantos, fora da área de concentração do Banco de Abrolhos. Também comparo a complexidade do canto registrada no Banco de Abrolhos e Costa Norte adjacente. No Artigo 3 Indústria do Petróleo e poluição acústica na área de reprodução da baleia jubarte caracterizo os ruídos produzidos dentro do contexto da exploração de óleo e gás no ambiente marinho da região de estudo, principalmente advindos de plataformas e embarcações petrolíferas. No Artigo 4 Efeitos dos ruídos produzidos pelo turismo de observação no comportamento da baleia jubarte descrevo as embarcações destinadas ao whale watching em Praia do Forte, litoral norte do Estado da Bahia, assim como a emissão de ruídos gerados por elas durante a aproximação aos grupos de jubarte. Busco 15

18 discutir o impacto desses sons antropogênicos no comportamento das baleias durante a época reprodutiva. Nas minhas considerações finais, trago um alinhamento entre as discussões apresentadas em cada um dos artigos. Ainda em caráter introdutório, contextualizando o tema de comunicação animal, trago referências sobre o histórico da pesquisa na área; apresento informações sobre ruídos e impactos sonoros em ambiente marinho e trago a caracterização, a ocorrência e distribuição, as ameaças e status de conservação da espécie e a expansão da população de baleias jubarte no Brasil. Ainda introduzo conceitos sobre ecologia acústica, comportamento e seleção sexual. Por fim, em anexo, trago uma reflexão sobre uma outra abordagem na concepção científica a ciência Goetheana sustentada pelo desenvolvimento da observação fenomenológica no cientista. 1.1) Comunicação animal e ecologia Parte da teoria sobre comunicação animal a descreve como um processo de transmissão de informações que envolve um indivíduo emissor emitindo algum tipo de sinal para outro indivíduo receptor, onde supostamente este sinal envolve algo desconhecido para este. A informação contida é definida pela habilidade do sinal em reduzir incerteza ao indivíduo receptor (ex: Bradbury & Vehrencamp, 1998). Essa visão clássica de comunicação envolvendo a redução de incertezas é similar ao nosso típico uso sobre a comunicação humana de transmissão de conhecimento através de uma linguagem. 16

19 Em contraste, para o estudo dos cetáceos vem se buscando uma perspectiva mais ampla, que inclua feições complementares de comunicação não abordadas nesta visão clássica, sendo uma delas a influência do ambiente no processo de comunicação (ver Tyack, 2000). A maioria dos sinais é modificada assim que passa pelo ambiente, desde o emissor ao receptor, o que implica em degradação inicial deste sinal, mas que resulta em informação ao receptor. Por exemplo, alguns pássaros podem estimar a distância de um indivíduo emissor pela degradação do sinal (McGregor & Krebs, 1984; Naguib, 1998). Sabe-se que animais como morcegos e golfinhos aprendem sobre seu ambiente escutando os ecos dos sons que eles mesmos produzem, chamado ecolocalização (ex: Tyack, 2000). Dentro dos estudos de comunicação animal em cetáceos, abrem-se questões básicas de investigação, tais como as funções pelas quais os animais desenvolvem sinais particulares e quais os fatores que fazem estes sinais possuirem características peculiares. Tais questões são fundamentais para decifrar como e para que os sinais de comunicação são elaborados e porque cada um deles possui feições específicas. Isso se inclui na abordagem de ecologia e comportamento do presente trabalho. 17

20 1.2) Ruídos e impactos sonoros no ambiente marinho O ambiente acústico marinho por si já é uma fonte de ruído e poluição sonora que reflete na percepção e resposta comportamental para diversos animais (McCauley et al., 2000a, 2000b; Miller et al., 2000). O ambiente acústico marinho que as baleias encontram hoje é diferente do que estavam habituadas há cerca de 50 anos atrás, principalmente em área de reprodução, onde, como animais migratórios, passam cerca de seis meses por ano. Um grande crescimento da zona costeira mundial, resultando em grande frota de embarcações e da indústria do petróleo resultou em um ambiente onde os níveis de poluição acústica podem chegar a molestar os indivíduos, causando danos temporários ou até mesmo permanentes em sua fisiologia e comportamento (ex: Richardson et al., 1995, Johnson et al., 2007). Outra fonte em potencial de distúrbio acústico é a indústria de observação de cetáceos (Whale-watching), que vem sendo fomentada por conservacionistas no mundo todo como uma alternativa para o retorno da caça de baleias, além de fonte de renda extra para populações locais. De forma ideal, o whale-watching deveria ser conduzido dentro de um nível sustentável, maximizando os retornos potenciais ao mesmo tempo que minimiza o impacto sobre as espécies observadas. Uma sobreexposição aos ruídos produzidos por embarcações pode resultar em abandono de área pela espécie de interesse, levando, em ultima instância, ao colapso da viabilidade local de operação da indústria de whale-watching (Higham & Lusseau, 2007). 18

21 1.3) Caracterização da espécie A baleia jubarte, Megaptera novaeangliae (Cetacea, Balaenopteridae), é uma espécie cosmopolita e distribui-se por todos os oceanos (Clapham & Mead, 1999). É considerada um rorqual devido a presença de sulcos ventrais, estruturas que se expandem durante a alimentação que se tornam de coloração avermelhada. As principais características externas da jubarte são: número de pregas ventrais, tamanho e forma da nadadeira peitoral, equivalente a aproximadamente um terço do comprimento total do animal (figura 1), coloração e formato da nadadeira caudal (Chittleborough, 1965). A jubarte também é chamada de baleia corcunda devido à tendência de arquear o corpo quando mergulha. A jubarte pode atingir até dezesseis metros de comprimento e pesar até quarenta toneladas (Chittleborough, 1965; Clapham & Mead, 1999). A coloração do dorso é preta, e a parte ventral varia de totalmente preta a totalmente branca. A nadadeira dorsal é pequena e varia de formato, podendo ser falcada ou arredondada. Na maioria dos animais ocorrem manchas brancas na face ventral da nadadeira caudal, que variam de indivíduo para indivíduo, permitindo identificá-las por fotografias (Katona & Whitehead, 1981). 19

22 Figura 1: A baleia jubarte (Megaptera novaeangliae), com detalhe para as pregas ventrais e grandes nadadeiras peitorais, realizando comportamento de salto, no litoral norte do estado da Bahia. Jubartes machos e fêmeas atingem a maturidade sexual com aproximadamente 2 a 5 anos de idade e a maturidade física 10 anos depois (Chittleborough, 1965; Clapham, 1992). A única diferença anatômica externamente visível entre machos e fêmeas é a presença de um lobo hemisférico na região urogenital das fêmeas localizada logo após a porção posterior da abertura genital (True,1904). As fêmeas em geral dão a luz a filhotes em intervalos de 2 ou 3 anos (Clapham & Mayo, 1987), embora a ovulação pós-parto seja comum (Chittleborough, 1965). A gestação dura de 11 a 12 meses, sendo que aos seis meses de idade os 20

23 filhotes começam a desmamar, tornando-se inteiramente independentes ao final do primeiro ano de vida (Clapham & Mayo, 1987). Nas áreas de alimentação e reprodução, as jubartes apresentam organização social caracterizada por grupos instáveis e pequenos (2 a 3 animais). Grandes grupos podem, entretanto, se formar temporariamente durante comportamento alimentar, ou relacionados com a disputa agressiva entre machos durante a temporada reprodutiva (Clapham & Mead, 1999). Os machos da espécie produzem um conjunto de sons complexos, denominados canto, durante a temporada reprodutiva, provavelmente com a função de atrair as fêmeas e/ou afastar outros machos (Tyack, 2000). O canto tem uma estrutura previsível, com uma série de sons (unidades), repetida ao longo do tempo nos padrões (frases), com cada frase repetida várias vezes para compor um "tema" (Payne & McVay, 1971). Um canto típico é então composto por 5-7 temas que geralmente são repetidos em uma ordem seqüencial, durando tipicamente 8-15 minutos (embora possa variar de 5-30 minutos) e depois repete-se sobre e ao longo de uma sessão, que pode durar várias horas (Payne & McVay, 1971). Uma característica marcante do canto é que ele gradualmente muda ou evolui ao longo do tempo (Payne & Payne, 1985). A cada ano, diferentes sons se formam para criar novas frases ou temas. Estas mudanças são lentamente incorporadas ao canto, enquanto alguns padrões mais antigos são perdidos completamente. A mudança no tema do canto parece ocorrer de forma coletiva ou comum a toda a população (Winn & Winn, 1978; Matilla et al., 1987). Normalmente, após um período 21

24 de vários anos, o canto é praticamente irreconhecível a partir da versão original (Payne et al., 1983). Em alguns casos, observa-se que a música é completamente outra no espaço de apenas dois anos (Noad et al., 2000) ) Ocorrência e Distribuição As jubartes são animais migratórios, deslocando-se anualmente das áreas de alimentação em altas latitudes, onde permanecem durante o outono e verão, para as áreas de reprodução nos trópicos e sub-trópicos, onde permanecem durante o inverno e primavera (Clapham & Mead, 1999). As áreas de reprodução da espécie são tipicamente entre ilhas e/ou associadas a sistemas coralíneos(whitehead, 1981; Whitehead & Moore, 1982) (figura 2). Uma população no Mar da Arábia é a única que aparentemente não migra em busca de alta produtividade das águas frias para se alimentar, sendo observada durante todo o ano em águas tropicais (Mikhalev, 1997). Atualmente existem sete sub-populações (ou stocks ) de baleias jubarte no Hemisfério Sul (IWC, 1998), uma das quais migra anualmente para a costa do Brasil, onde permanecem por aproximadamente cinco meses (de julho a novembro). 22

25 Figura 2: Ocorrência mundial e padrão migratório da baleia jubarte (Megaptera novaeangliae). Apesar de ocorrer ao longo de toda a costa brasileira desde o Estado do Rio Grande do Sul até Fernando de Noronha (Towsend, 1935; Lodi, 1994), sua principal área de reprodução e cria no Atlântico Sul Ocidental é o Banco dos Abrolhos, sul do Estado da Bahia (ex. Andriolo et al., 2006; Wedekin et al., 2010). Entretanto, nos últimos anos, as avistagens de jubartes no litoral norte do Estado da Bahia, incluindo a região metropolitana de Salvador passaram a aumentar (figura 3), sugerindo a recuperação desta população e o repovoamento de uma antiga área utilizada pela espécie antes da época da caça, quando foram quase dizimadas (Rossi-Santos et al., 2008). 23

26 Figura 3: A baleia jubarte (Megaptera novaeangliae) ocupando a região metropolitana de Salvador, Estado da Bahia (Banco de Imagens- IBJ) ) Ameaças e Status de Conservação da espécie A queda brutal da população destas baleias devido à caça comercial levou a Comissão Internacional da Baleia/ Internacional Whaling Commission (IWC), órgão criado em 1946 para regulamentar o manejo dos grandes cetáceos no mundo, a protegê-las internacionalmente da caça desde No Brasil, elas são protegidas através do Decreto Lei n 7643 de 18/12/87 e pela Portaria 117/96 que regulamenta a avistagem de baleias em território brasileiro. 24

27 A baleia jubarte está presente em todas as listas oficiais de espécies ameaçadas, entre as quais a Lista Oficial de Espécies da Fauna Brasileira Ameaçadas de Extinção (Portaria IBAMA 1522 de 10/12/89) e no Apêndice I da Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas da Fauna Selvagens (CITES). Segundo a IUCN (Reeves et al., 2003) e o Plano de Ação para Mamíferos Aquáticos do Brasil (IBAMA, 2001), a espécie está classificada como espécie vulnerável à extinção. Atualmente as baleias estão protegidas da caça comercial, mas sofrem ameaças por diversas atividades desenvolvidas pelo homem como o emalhamento em redes de pesca, a poluição dos oceanos, atropelamento e colisões com embarcações e atividades relacionadas à exploração de petróleo. 1.4) Expansão da população de baleias jubarte no Brasil As avistagens de baleias jubarte (Megaptera novaeangliae) na costa do Brasil voltaram a ocorrer em 1988, depois de um longo período de caça destes animais, próximo ao estabelecimento do Parque Nacional Marinho de Abrolhos, sul do Estado da Bahia quando iniciou-se um programa de pesquisa de longa duração para esta espécie de baleia (IBAMA/NEMA, 1990). Desde então, o Banco de Abrolhos tem sido considerado como a principal concentração reprodutiva para a espécie no Oceano Atlântico Sul Ocidental (Engel, 1996; Martins et al., 2001; Martins, 2004; Andriolo et al., 2006a,b; Morete et al, 2007; Wedekin et al., 2010) e a população que frequenta esta área foi denominada como Breeding Stock A (BSA) ou Estoque Reprodutivo A (IWC, 1998). 25

28 Atualmente, a população de baleias jubarte (Megaptera novaeangliae) do BSA vem crescendo naturalmente, aliado ao resultado da paralização, na década de 1960, da caça comercial da espécie. Recentes estudos sobre modelagens numéricas (Zerbini et al, 2006, Ward et al., 2006) e avistagens ao longo da costa brasileira (Andriolo et al., 2006a,b; Rossi-Santos et al., 2008; Wedekin et al, 2010) contribuem com essa afirmação, demonstrando que a população vem reocupando áreas que historicamente já utilizaram, como, por exemplo, a Baía de Todos os Santos, onde eram abundantes no passado (Tavares, 1916; Tollenare, 1961). 1.5) Ecologia acústica, Comportamento e Seleção Sexual A baleia jubarte é também conhecida com baleia-cantora por sua característica reprodutiva de apresentar um comportamento acústico, exercido pelos machos sexualmente maduros da população. Desde a década de 1970, muitos estudos já descreveram a estrutura fisica dos sons (eg. Payne e Mc Vay, 1971; Payne et al., 1983; Helweg et al., 1998; Maeda et al., 2000; Arraut & Vielliard, 2004) e mesmo suas prováveis funções em nível de ecologia populacional (eg. McSweeney et al., 1989; Dawbin & Eyre, 1991; Darling & Sousa-Lima, 2005; Eriksen et al., 2005), entretanto, muitos outros aspectos da ecologia acústica que envolvem as jubartes durante o canto ainda permanecem desconhecidos, como a sua relação com o ambiente onde é produzido e com os outros sons, que não são naturais, produzidos pelo homem no ambiente marinho, durante a temporada reprodutiva anual. 26

29 Além disso, dentro da abordagem ecológica, abrem-se outras questões como, por exemplo, a comparação entre a concentração reprodutiva com outras áreas ao longo da costa e o contexto social-ecológico onde os machos cantam (quais os grupos sociais onde ocorrem com mais frequência, quais as características ambientais destes locais e suas prováveis relações com o comportamento de canto da espécie), que serão abordadas no presente trabalho. 2. OBJETIVOS, HIPÓTESES E PREDIÇÕES 2.1) Objetivos 2.1.1) Objetivo Geral Caracterizar a ecologia acústica do comportamento conhecido como canto, da baleia jubarte, M. novaeangliae, na região nordeste do Brasil, fora de sua concentração reprodutiva no Banco de Abrolhos, entre os anos de 2005 a ) Objetivos específicos a. Descrever e analisar a distribuição espacial dos machos cantores e o contexto ecológico-social no qual este comportamento ocorre fora de sua área de concentração reprodutiva (artigo 1); 27

30 b. Descrever a estrutura físico-acústica do canto da baleias jubarte fora de sua área de concentração reprodutiva (artigo 2); c. Descrever e analisar as fontes de ruídos antropogênicos provenientes da indústria do petróleo no ambiente acústico utilizado pela baleia jubarte (artigo 3) d. Descrever e analisar as fontes de ruídos antropogênicos provenientes do turismo de observação de baleias no ambiente acústico utilizado pela baleia jubarte (artigo 4) 2.2) Hipóteses Hipótese 1: Existe uma relação entre a complexidade da estrutura de grupo no qual o macho cantor está inserido e o contexto ecológico no qual este comportamento ocorre, sendo que fora da área de concentração reprodutiva a estrutura do canto das baleias jubarte tende a se diferenciar. Predição 1: os grupos com machos cantores apresentam estrutura social diferenciada quando inserido em um cenário ecológico distinto da concentração reprodutiva. Hipótese 2: Existe uma relação entre a complexidade do canto e a caracterização oceanográfica no qual este comportamento ocorre, sendo que fora da área de concentração reprodutiva a estrutura do canto das baleias jubarte tende a se diferenciar. Predição 1: o canto da baleia jubarte é diferente quando inserido em um cenário ecológico distinto da concentração reprodutiva. 28

Marília Olio*, Kátia J. P. P. Silva*, Jorge L. dos Santos**, Fernando A. G. Guimarães**

Marília Olio*, Kátia J. P. P. Silva*, Jorge L. dos Santos**, Fernando A. G. Guimarães** ANÁLISE DA FREQUÊNCIA RESPIRATÓRIA DE BALEIA FRANCA AUSTRAL (Eubalaena australis) NO OBSERVATORIO DE BALLENAS FRANCA PUNTA FLECHA, PUERTO MADRYN, PATAGÔNIA - ARGENTINA Marília Olio*, Kátia J. P. P. Silva*,

Leia mais

MÉTODO DE ANÁLISE DA VULNERABILIDADE COSTEIRA À EROSÃO

MÉTODO DE ANÁLISE DA VULNERABILIDADE COSTEIRA À EROSÃO MÉTODO DE ANÁLISE DA VULNERABILIDADE COSTEIRA À EROSÃO João Thadeu de Menezes; Antonio Henrique da Fontoura Klein. Laboratório de Oceanografia Geológica.- Centro de Ciências Tecnológicas da Terra e do

Leia mais

UTILIZAÇÃO DA BAÍA DOS GOLFINHOS (PIPA, RN) PELO BOTO Sotalia fluviatilis (CETACEA: DELPHINIDAE)

UTILIZAÇÃO DA BAÍA DOS GOLFINHOS (PIPA, RN) PELO BOTO Sotalia fluviatilis (CETACEA: DELPHINIDAE) UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ZOOLOGIA MESTRADO EM BIOLOGIA ANIMAL UTILIZAÇÃO DA BAÍA DOS GOLFINHOS (PIPA, RN) PELO BOTO Sotalia fluviatilis (CETACEA:

Leia mais

The Indigenous Population of Brazil 1991 Population Census

The Indigenous Population of Brazil 1991 Population Census The Indigenous Population of Brazil 1991 Population Census Authors: Nilza Oliveira Martins Pereira (principal author), Tereza Cristina Nascimento Araujo, Valéria Beiriz, Antonio Florido- IBGE The definition

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO. Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO. Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática São Paulo 2010 JOÃO FÁBIO PORTO Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática

Leia mais

METODOLOGIAS ESTATÍSTICAS APLICADAS A DADOS DE ANÁLISES QUÍMICAS DA ÁGUA PRODUZIDA EM UM CAMPO MADURO DE PETRÓLEO

METODOLOGIAS ESTATÍSTICAS APLICADAS A DADOS DE ANÁLISES QUÍMICAS DA ÁGUA PRODUZIDA EM UM CAMPO MADURO DE PETRÓLEO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE TECNOLOGIA CT CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA CCET PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E ENGENHARIA DE PETRÓLEO - PPGCEP DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

Leia mais

Geração automática de suíte de teste para GUI a partir de Rede de Petri

Geração automática de suíte de teste para GUI a partir de Rede de Petri Raquel Jauffret Guilhon Geração automática de suíte de teste para GUI a partir de Rede de Petri Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do grau de Mestre pelo

Leia mais

Avaliação de Método Expedito de Determinação do Nível do Mar como Datum Vertical para Amarração de Perfis de Praia

Avaliação de Método Expedito de Determinação do Nível do Mar como Datum Vertical para Amarração de Perfis de Praia Revista Brasileira de Geomorfologia, Ano 4, Nº (2003) 3-7 Avaliação de Método Expedito de Determinação do Nível do Mar como Datum Vertical para Amarração de Perfis de Praia 2 3 Dieter Muehe, Rosuita Helena

Leia mais

Infraestrutura, Gestão Escolar e Desempenho em Leitura e Matemática: um estudo a partir do Projeto Geres

Infraestrutura, Gestão Escolar e Desempenho em Leitura e Matemática: um estudo a partir do Projeto Geres Naira da Costa Muylaert Lima Infraestrutura, Gestão Escolar e Desempenho em Leitura e Matemática: um estudo a partir do Projeto Geres Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial

Leia mais

LÍNGUA INGLESA CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA AULA. Conteúdo: Reading - Typographic Marks

LÍNGUA INGLESA CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA AULA. Conteúdo: Reading - Typographic Marks Conteúdo: Reading - Typographic Marks Habilidades: Utilizar as Marcas Tipográficas para facilitar a compreensão e também chamar a atenção do leitor. Typographic Marks O que são marcas tipográficas? As

Leia mais

EMPREGO DE MODELAGEM NUMÉRICA PARA ESTIMATIVA DE RADIAÇÃO SOLAR NO ESTADO DO CEARÁ

EMPREGO DE MODELAGEM NUMÉRICA PARA ESTIMATIVA DE RADIAÇÃO SOLAR NO ESTADO DO CEARÁ EMPREGO DE MODELAGEM NUMÉRICA PARA ESTIMATIVA DE RADIAÇÃO SOLAR NO ESTADO DO CEARÁ Francisco José Lopes de Lima 1,2, Fernando Ramos Martins 1, Jerfferson Souza, 1 Enio Bueno Pereira 1 1 Instituto Nacional

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ THAIS HOKOÇ MOURA DE MELO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ THAIS HOKOÇ MOURA DE MELO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ THAIS HOKOÇ MOURA DE MELO COMPOSIÇÃO DE GRUPO E USO DO HABITAT DA BALEIA JUBARTE (Megaptera novaeangliae BOROWSKI, 1871) EM SUA ÁREA DE REPRODUÇÃO NA COSTA DE PORTO

Leia mais

Comparação entre Variáveis Meteorológicas das Cidades de Fortaleza (CE) e Patos (PB)

Comparação entre Variáveis Meteorológicas das Cidades de Fortaleza (CE) e Patos (PB) Comparação entre Variáveis Meteorológicas das Cidades de Fortaleza (CE) e Patos (PB) F. D. A. Lima 1, C. H. C. da Silva 2, J. R. Bezerra³, I. J. M. Moura 4, D. F. dos Santos 4, F. G. M. Pinheiro 5, C.

Leia mais

OUTRA FORMA DE VER? A CONSTRUÇÃO DO AUTOCONCEITO DE CRIANÇAS CEGAS E AMBLIOPES

OUTRA FORMA DE VER? A CONSTRUÇÃO DO AUTOCONCEITO DE CRIANÇAS CEGAS E AMBLIOPES UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA CENTRO REGIONAL DE BRAGA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS OUTRA FORMA DE VER? A CONSTRUÇÃO DO AUTOCONCEITO DE CRIANÇAS CEGAS E AMBLIOPES II Ciclo de Estudos em Ciências da

Leia mais

ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS

ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS THE CAPITAL STRUCTURE: AN ANALYSE ON INSURANCE COMPANIES FREDERIKE MONIKA BUDINER METTE MARCO ANTÔNIO DOS SANTOS MARTINS PAULA FERNANDA BUTZEN

Leia mais

BR-EMS MORTALITY AND SUVIVORSHIP LIFE TABLES BRAZILIAN LIFE INSURANCE AND PENSIONS MARKET

BR-EMS MORTALITY AND SUVIVORSHIP LIFE TABLES BRAZILIAN LIFE INSURANCE AND PENSIONS MARKET BR-EMS MORTALITY AND SUVIVORSHIP LIFE TABLES BRAZILIAN LIFE INSURANCE AND PENSIONS MARKET 2015 1 e-mail:mario@labma.ufrj.br Tables BR-EMS, mortality experience of the Brazilian Insurance Market, were constructed,

Leia mais

Banca examinadora: Professor Paulo N. Figueiredo, Professora Fátima Bayma de Oliveira e Professor Joaquim Rubens Fontes Filho

Banca examinadora: Professor Paulo N. Figueiredo, Professora Fátima Bayma de Oliveira e Professor Joaquim Rubens Fontes Filho Título: Direção e Taxa (Velocidade) de Acumulação de Capacidades Tecnológicas: Evidências de uma Pequena Amostra de Empresas de Software no Rio de Janeiro, 2004 Autor(a): Eduardo Coelho da Paz Miranda

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ, SETOR DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, PÓS- GRADUAÇÃO EM ZOOLOGIA.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ, SETOR DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, PÓS- GRADUAÇÃO EM ZOOLOGIA. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ, SETOR DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, PÓS- GRADUAÇÃO EM ZOOLOGIA. ATIVIDADE COMPORTAMENTAL DIURNA DO BOTO-CINZA, Sotalia guianensis (VAN BÉNÉDEN, 1964)(CETACEA, DELPHINIDAE), NA

Leia mais

Ecologia populacional da baleia-jubarte (Megaptera novaeangliae Borowski, 1871) em sua área reprodutiva na costa do Brasil, Oceano Atlântico Sul

Ecologia populacional da baleia-jubarte (Megaptera novaeangliae Borowski, 1871) em sua área reprodutiva na costa do Brasil, Oceano Atlântico Sul UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ LEONARDO LIBERALI WEDEKIN Ecologia populacional da baleia-jubarte (Megaptera novaeangliae Borowski, 1871) em sua área reprodutiva na costa do Brasil, Oceano Atlântico Sul

Leia mais

COMPARAÇÃO ENTRE MEDIDAS DE VELOCIDADE DO VENTO EM RIO GRANDE, RS, DE 2001 A 2006

COMPARAÇÃO ENTRE MEDIDAS DE VELOCIDADE DO VENTO EM RIO GRANDE, RS, DE 2001 A 2006 COMPARAÇÃO ENTRE MEDIDAS DE VELOCIDADE DO VENTO EM RIO GRANDE, RS, DE 2001 A 2006 Joel Rubert 1, Margareth Badejo dos Santos 2, Nisia Krusche 3 RESUMO: Diferenças entre as medidas de vento, realizadas

Leia mais

A meus pais, Ari e Célia, sempre presentes, todo o meu amor incondicional!

A meus pais, Ari e Célia, sempre presentes, todo o meu amor incondicional! ii A meus pais, Ari e Célia, sempre presentes, todo o meu amor incondicional! iii Agradeço à Deus, esta força maior, pela vida, pela sabedoria e pelo amor. Mas, sobretudo, por me ensinar saber fazer ser

Leia mais

Projeto Tamar/Ibama / Caravana Tamar / Exposição Itinerante / Educação Ambiental / Divulgação

Projeto Tamar/Ibama / Caravana Tamar / Exposição Itinerante / Educação Ambiental / Divulgação CARAVANA TAMAR - EDUCAÇÃO AMBIENTAL E DIVULGAÇÃO ITINERANTES NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Lima, E. P. (1); Wanderlinde, J. (2); Ançã, B. D. M. (2); Masi, B. P. (2); Almeida, D. T. (2); Carneiro, K. C. (2);

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DO BRASIL

DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DO BRASIL DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DO BRASIL MOURA, A. L. A. 1 ; SÁ, L. A. C. M 2 RESUMO - A presente pesquisa está sendo desenvolvida com o objetivo de formular uma base de dados espaciais

Leia mais

Influência dos fenômenos ENOS na ocorrência de frentes frias no litoral sul do Brasil

Influência dos fenômenos ENOS na ocorrência de frentes frias no litoral sul do Brasil Influência dos fenômenos ENOS na ocorrência de frentes frias no litoral sul do Brasil Natalia Pereira, Andrea de Lima Ribeiro, Fernando D Incao Instituto de Oceanografia Universidade Federal do Rio Grande,

Leia mais

Análise do comportamento da temperatura e da umidade relativa do ar em diferentes locais da cidade de Mossoró-RN durante as quatro estações do ano.

Análise do comportamento da temperatura e da umidade relativa do ar em diferentes locais da cidade de Mossoró-RN durante as quatro estações do ano. Análise do comportamento da temperatura e da umidade relativa do ar em diferentes locais da cidade de Mossoró-RN durante as quatro estações do. JOSÉ ESPÍNOLA SOBRINHO 1, HIDERALDO BEZERRA DOS SANTOS 2,

Leia mais

Palavras-chave: Controle Autonômico; Recuperação; Treinamento Esportivo; Esportes Coletivos.

Palavras-chave: Controle Autonômico; Recuperação; Treinamento Esportivo; Esportes Coletivos. RESUMO O futsal é um esporte intermitente com muitas substituições e pausas durante a partida, o que possibilita a recuperação de variáveis fisiológicas durante esses momentos, proporcionando ao jogador,

Leia mais

CLIMATOLOGIA DE RELÂMPAGOS NO BRASIL: ANÁLISE PRELIMINAR

CLIMATOLOGIA DE RELÂMPAGOS NO BRASIL: ANÁLISE PRELIMINAR CLIMATOLOGIA DE RELÂMPAGOS NO BRASIL: ANÁLISE PRELIMINAR Rosangela Barreto Biasi Gin Departamento de Ciências Atmosféricas - IAG, Universidade de São Paulo - USP, R. do Matão No. 1226 Cidade Universitária,

Leia mais

DEPARTAMENTO DE LETRAS INGLÊS TÉCNICO E CIENTÍFICO PROFESSOR: WELLINGTON BORGES

DEPARTAMENTO DE LETRAS INGLÊS TÉCNICO E CIENTÍFICO PROFESSOR: WELLINGTON BORGES Palavras cognatas, palavras repetidas e marcas tipográficas UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ DEPARTAMENTO DE LETRAS INGLÊS TÉCNICO E CIENTÍFICO PROFESSOR: WELLINGTON BORGES Fatos: A língua inglesa teve origem

Leia mais

Luiz Fernando Fernandes de Albuquerque. Avaliação de algoritmos online para seleção de links patrocinados. Dissertação de Mestrado

Luiz Fernando Fernandes de Albuquerque. Avaliação de algoritmos online para seleção de links patrocinados. Dissertação de Mestrado Luiz Fernando Fernandes de Albuquerque Avaliação de algoritmos online para seleção de links patrocinados Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do grau de

Leia mais

Dennis Seiji Taquemori. ISO 9001: Eficiência ou Legitimidade? Dissertação de Mestrado

Dennis Seiji Taquemori. ISO 9001: Eficiência ou Legitimidade? Dissertação de Mestrado Dennis Seiji Taquemori ISO 9001: Eficiência ou Legitimidade? Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa de Pósgraduação em Administração de Empresas da PUC-Rio como requisito parcial para

Leia mais

A contribuição do coaching executivo para o aprendizado individual: a percepção dos executivos

A contribuição do coaching executivo para o aprendizado individual: a percepção dos executivos Bianca Snaiderman A contribuição do coaching executivo para o aprendizado individual: a percepção dos executivos Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa de Pósgraduação em Administração

Leia mais

SPATIAL DISTRIBUITION OF TURBITY IN A STRETCH OF MADEIRA RIVER MONITORING MADEIRA RIVER PROJECT PORTO VELHO (RO)

SPATIAL DISTRIBUITION OF TURBITY IN A STRETCH OF MADEIRA RIVER MONITORING MADEIRA RIVER PROJECT PORTO VELHO (RO) SPATIAL DISTRIBUITION OF TURBITY IN A STRETCH OF MADEIRA RIVER MONITORING MADEIRA RIVER PROJECT PORTO VELHO (RO) 4th scientific meeting of the ORE-HIBAM. September 2011 4a Scientific Meeting ORE-HYBAM

Leia mais

Simulação Gráfica e Visão Computacional. Soraia Raupp Musse

Simulação Gráfica e Visão Computacional. Soraia Raupp Musse Simulação Gráfica e Visão Computacional Soraia Raupp Musse Objetivo Analisar exemplos comerciais e do estado-da-arte científicos que utilizam dados reais para aprimorar a qualidade de simulações e animações.

Leia mais

USO DO SOFTWARE WINDOGRAPHER PARA ESTIMATIVAS DA VELOCIDADE DO VENTO EM ALTITUDE NUMA REGIÃO DO LITORAL CEARENSE

USO DO SOFTWARE WINDOGRAPHER PARA ESTIMATIVAS DA VELOCIDADE DO VENTO EM ALTITUDE NUMA REGIÃO DO LITORAL CEARENSE USO DO SOFTWARE WINDOGRAPHER PARA ESTIMATIVAS DA VELOCIDADE DO VENTO EM ALTITUDE NUMA REGIÃO DO LITORAL CEARENSE Emerson Mariano da Silva 1 ; Flavio José Alexandre Linard 2 1 Universidade Estadual do Ceará

Leia mais

TENDÊNCIA DE MUDANÇAS DA TEMPERATURA EM IGUATU, CEARÁ 1

TENDÊNCIA DE MUDANÇAS DA TEMPERATURA EM IGUATU, CEARÁ 1 TENDÊNCIA DE MUDANÇAS DA TEMPERATURA EM IGUATU, CEARÁ 1 ELIAKIM M. ARAÚJO 2, JOAQUIM B. DE OLIVEIRA 3, ITALO N. SILVA 4, EDMILSON G. CAVALCANTE JÚNIOR 4, BRUNO M. DE ALMEIDA 4 1 Parte do TCC do primeiro

Leia mais

Turismo de Observação de Cetáceos como Ferramenta no Estudo do Comportamento de Baleias Jubarte (Megaptera novaeangliae)

Turismo de Observação de Cetáceos como Ferramenta no Estudo do Comportamento de Baleias Jubarte (Megaptera novaeangliae) Revista de Etologia 2005, Turismo Vol.7, N 1, de 3-14 observação no estudo do comportamento de baleias jubarte Turismo de Observação de Cetáceos como Ferramenta no Estudo do Comportamento de Baleias Jubarte

Leia mais

A eficiência do signo empresarial e as estratégias de legitimação do campo do design

A eficiência do signo empresarial e as estratégias de legitimação do campo do design Marcelo Vianna Lacerda de Almeida A eficiência do signo empresarial e as estratégias de legitimação do campo do design Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa de Pós- Graduação em Design

Leia mais

MARLI DA COSTA RAMOS SCATRALHE FAMÍLIA E ESCOLA: DOIS SISTEMAS INTERDEPENDENTES NA COMPREENSÃO DOS SIGNIFICADOS NO PROCESSO ESCOLAR DO FILHO/ALUNO

MARLI DA COSTA RAMOS SCATRALHE FAMÍLIA E ESCOLA: DOIS SISTEMAS INTERDEPENDENTES NA COMPREENSÃO DOS SIGNIFICADOS NO PROCESSO ESCOLAR DO FILHO/ALUNO MARLI DA COSTA RAMOS SCATRALHE FAMÍLIA E ESCOLA: DOIS SISTEMAS INTERDEPENDENTES NA COMPREENSÃO DOS SIGNIFICADOS NO PROCESSO ESCOLAR DO FILHO/ALUNO CENTRO UNIVERSITÁRIO FIEO Osasco 2009 MARLI DA COSTA RAMOS

Leia mais

8 PROGNÓSTICO AMBIENTAL

8 PROGNÓSTICO AMBIENTAL 8 PROGNÓSTICO AMBIENTAL O prognóstico ambiental elaborado para a Atividade de Pesquisa Sísmica Marítima 3D na Bacia Sedimentar do Ceará -, contempla as possíveis alterações dos fatores ambientais analisados

Leia mais

Digital Cartographic Generalization for Database of Cadastral Maps

Digital Cartographic Generalization for Database of Cadastral Maps Mariane Alves Dal Santo marianedalsanto@udesc.br Francisco Henrique de Oliveira chicoliver@yahoo.com.br Carlos Loch cloch@ecv.ufsc.br Laboratório de Geoprocessamento GeoLab Universidade do Estado de Santa

Leia mais

Organização Sete de Setembro de Cultura e Ensino - LTDA Faculdade Sete de Setembro FASETE Bacharelado em Administração

Organização Sete de Setembro de Cultura e Ensino - LTDA Faculdade Sete de Setembro FASETE Bacharelado em Administração Organização Sete de Setembro de Cultura e Ensino - LTDA Faculdade Sete de Setembro FASETE Bacharelado em Administração VICTOR HUGO SANTANA ARAÚJO ANÁLISE DAS FORÇAS DE PORTER NUMA EMPRESA DO RAMO FARMACÊUTICO:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COMPORTAMENTO E BIOLOGIA ANIMAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COMPORTAMENTO E BIOLOGIA ANIMAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COMPORTAMENTO E BIOLOGIA ANIMAL OCORRÊNCIA, DISTRIBUIÇÃO E COMPORTAMENTO DE BALEIAS-DE-

Leia mais

Mudança da Linha de Costa à Médio Prazo das Praias do Pina e da Boa Viagem (Recife PE) 1961-2007

Mudança da Linha de Costa à Médio Prazo das Praias do Pina e da Boa Viagem (Recife PE) 1961-2007 Mudança da Linha de Costa à Médio Prazo das Praias do Pina e da Boa Viagem (Recife PE) 1961-2007 MARIA DAS NEVES GREGÓRIO TEREZA CRISTINA MEDEIROS DE ARAÚJO RAFAEL LOPES MENDONÇA ICLEIBER NASCIMENTO LIMA

Leia mais

Workshop de Pesquisa e Conservação de Sotalia fluviatilis do Nordeste, 1. Natal, RN. 16-18 de abril, 2004a.

Workshop de Pesquisa e Conservação de Sotalia fluviatilis do Nordeste, 1. Natal, RN. 16-18 de abril, 2004a. USO DA FOTOIDENTIFICAÇÃO PARA O ESTUDO DO BOTO-CINZA, SOTALIA GUIANENSIS, NA REGIÃO DO EXTREMO SUL DO ESTADO DA BAHIA, COM CONSIDERAÇÕES SOBRE O MOVIMENTO DE INDIVÍDUOS AO LONGO DA COSTA. ROSSI-SANTOS,

Leia mais

A tangibilidade de um serviço de manutenção de elevadores

A tangibilidade de um serviço de manutenção de elevadores A tangibilidade de um serviço de manutenção de elevadores Tese de Mestrado em Gestão Integrada de Qualidade, Ambiente e Segurança Carlos Fernando Lopes Gomes INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E CIÊNCIAS Fevereiro

Leia mais

VARIAÇÃO DA AMPLITUDE TÉRMICA EM ÁREAS DE CLIMA TROPICAL DE ALTITUDE, ESTUDO DO CASO DE ESPIRITO SANTO DO PINHAL, SP E SÃO PAULO, SP

VARIAÇÃO DA AMPLITUDE TÉRMICA EM ÁREAS DE CLIMA TROPICAL DE ALTITUDE, ESTUDO DO CASO DE ESPIRITO SANTO DO PINHAL, SP E SÃO PAULO, SP VARIAÇÃO DA AMPLITUDE TÉRMICA EM ÁREAS DE CLIMA TROPICAL DE ALTITUDE, ESTUDO DO CASO DE ESPIRITO SANTO DO PINHAL, SP E SÃO PAULO, SP Maria Cecilia Manoel Universidade de São Paulo maria.manoel@usp.br Emerson

Leia mais

ANDAM GOLFINHOS NA COSTA

ANDAM GOLFINHOS NA COSTA ANDAM GOLFINHOS NA COSTA ESCOLA DE MAR INVESTIGAÇÃO, PROJECTOS E EDUCAÇÃO EM AMBIENTE E ARTES Delphinus delphis Toninha, assim se chama o mais comum dos golfinhos em Portugal. O golfinho-comum (Delphinus

Leia mais

SELEÇÃO PARA ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

SELEÇÃO PARA ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO SELEÇÃO PARA ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO O INSTITUTO BALEIA JUBARTE (IBJ) está selecionando estudantes que estejam cursando biologia, oceanografia, medicina veterinária, pedagogia ou áreas afins para

Leia mais

Responsabilidade Social no Ensino em Administração: um estudo exploratório sobre a visão dos estudantes de graduação

Responsabilidade Social no Ensino em Administração: um estudo exploratório sobre a visão dos estudantes de graduação Renata Céli Moreira da Silva Responsabilidade Social no Ensino em Administração: um estudo exploratório sobre a visão dos estudantes de graduação Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa

Leia mais

4º Seminário e Workshop em Engenharia Oceânica, FURG, Rio Grande/RS, novembro / 2010

4º Seminário e Workshop em Engenharia Oceânica, FURG, Rio Grande/RS, novembro / 2010 Alterações na tensão de cisalhamento de fundo e na mistura da coluna de água da plataforma continental interna do sul do Brasil devido à interação onda-corrente Pablo D. Silva 1 ; Wilian C. Marques 2 ;

Leia mais

ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DA TEMPERATURA E DA UMIDADE RELATIVA DO AR EM DIFERENTES LOCAIS DA CIDADE DE MOSSORÓ-RN.

ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DA TEMPERATURA E DA UMIDADE RELATIVA DO AR EM DIFERENTES LOCAIS DA CIDADE DE MOSSORÓ-RN. ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DA TEMPERATURA E DA UMIDADE RELATIVA DO AR EM DIFERENTES LOCAIS DA CIDADE DE MOSSORÓ-RN. GIULLIANA M. MORAIS DE SOUSA 1, JOSÉ E. SOBRINHO 2, MÁRIO M. VILLAS BOAS 3, GERTRUDES M.

Leia mais

VIAGEM A SALVADOR DA BAHIA PDF

VIAGEM A SALVADOR DA BAHIA PDF VIAGEM A SALVADOR DA BAHIA PDF ==> Download: VIAGEM A SALVADOR DA BAHIA PDF VIAGEM A SALVADOR DA BAHIA PDF - Are you searching for Viagem A Salvador Da Bahia Books? Now, you will be happy that at this

Leia mais

assumptions of that particular strengthening the participation of families and local communities in the strategic direction of schools, not taking

assumptions of that particular strengthening the participation of families and local communities in the strategic direction of schools, not taking Agradecimentos A dissertação do Mestrado que adiante se apresenta resulta na concretização de um projecto que me parecia difícil mas não impossível de alcançar. Foram meses seguidos de trabalho de investigação,

Leia mais

FUNDAÇÃO INSTITUTO CAPIXABA DE PESQUISAS EM CONTABILIDADE, ECONOMIA E FINANÇAS GEORGE PINHEIRO RAMOS

FUNDAÇÃO INSTITUTO CAPIXABA DE PESQUISAS EM CONTABILIDADE, ECONOMIA E FINANÇAS GEORGE PINHEIRO RAMOS FUNDAÇÃO INSTITUTO CAPIXABA DE PESQUISAS EM CONTABILIDADE, ECONOMIA E FINANÇAS GEORGE PINHEIRO RAMOS FATORES DETERMINANTES E INFLUENCIADORES DE COMPRA DA MÚSICA GOSPEL VITÓRIA 2013 2 GEORGE PINHEIRO RAMOS

Leia mais

Projeto de Serviços: proposta de modelo teórico para sites de compras coletivas

Projeto de Serviços: proposta de modelo teórico para sites de compras coletivas Iris Campos Martins Projeto de Serviços: proposta de modelo teórico para sites de compras coletivas Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do grau de Mestre

Leia mais

IMPACTOS AMBIENTAIS DO TRÁFEGO DE EMBARCAÇÕES DE CARGA NA ZONA COSTEIRA DO MUNICÍPIO DE MAZAGÃO AP

IMPACTOS AMBIENTAIS DO TRÁFEGO DE EMBARCAÇÕES DE CARGA NA ZONA COSTEIRA DO MUNICÍPIO DE MAZAGÃO AP IMPACTOS AMBIENTAIS DO TRÁFEGO DE EMBARCAÇÕES DE CARGA NA ZONA COSTEIRA DO MUNICÍPIO DE MAZAGÃO AP Helenilza F. Albuquerque Cunha 1, Everaldo Borges Matos 2, Lucivaldo Monteiro da Costa 2 e Alan Cavalcanti

Leia mais

Estereoscopia Digital no Ensino da Química AGRADECIMENTOS

Estereoscopia Digital no Ensino da Química AGRADECIMENTOS AGRADECIMENTOS O findar desta dissertação é o momento indicado para agradecer ao Professor Doutor João Carlos de Matos Paiva pela sua grande ajuda, pela disponibilidade sempre manifestada, pelo seu empenho

Leia mais

Capital Humano e Capital Social: Construir Capacidades para o Desenvolvimento dos Territórios

Capital Humano e Capital Social: Construir Capacidades para o Desenvolvimento dos Territórios UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE LETRAS DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA Capital Humano e Capital Social: Construir Capacidades para o Desenvolvimento dos Territórios Sandra Sofia Brito da Silva Dissertação

Leia mais

Validação das observações feitas com o pluviômetro de garrafa PET na cidade de Belém-PA.

Validação das observações feitas com o pluviômetro de garrafa PET na cidade de Belém-PA. Validação das observações feitas com o pluviômetro de garrafa PET na cidade de Belém-PA. Silvia Letícia Alves Garcêz¹, Maria Aurora Santos da Mota². ¹Estudante de Graduação da Universidade Federal do Pará,

Leia mais

Guião A. Descrição das actividades

Guião A. Descrição das actividades Proposta de Guião para uma Prova Grupo: Ponto de Encontro Disciplina: Inglês, Nível de Continuação, 11.º ano Domínio de Referência: Um Mundo de Muitas Culturas Duração da prova: 15 a 20 minutos 1.º MOMENTO

Leia mais

Gestão Hospitalar O caso de hospitais privados do Rio de Janeiro

Gestão Hospitalar O caso de hospitais privados do Rio de Janeiro Alexandre Cunha Lobo de Melo Gestão Hospitalar O caso de hospitais privados do Rio de Janeiro Dissertação de mestrado Dissertação de mestrado apresentada ao Departamento de Administração da Pontifícia

Leia mais

Projeto Conservação Recifal (PCR) Conservação, Pesquisa e Ordenamento do num sistema recifal do Nordeste brasileiro

Projeto Conservação Recifal (PCR) Conservação, Pesquisa e Ordenamento do num sistema recifal do Nordeste brasileiro Projeto Conservação Recifal (PCR) Conservação, Pesquisa e Ordenamento do num sistema recifal do Nordeste brasileiro Pereira, P.H.C 1.; Pedrosa, M 1.; Lima, R 1.; Silva, R 1.;Lippi, D. L. 1 ;Leal, I. 1

Leia mais

AVALIAÇÃO DA PERCEPÇÃO DO TURISTA EM RELAÇÃO AO ECOTURISMO EM UMA RESERVA PARTICULAR - RPPN FAZENDA CABECEIRA DO PRATA - JARDIM - MS

AVALIAÇÃO DA PERCEPÇÃO DO TURISTA EM RELAÇÃO AO ECOTURISMO EM UMA RESERVA PARTICULAR - RPPN FAZENDA CABECEIRA DO PRATA - JARDIM - MS AVALIAÇÃO DA PERCEPÇÃO DO TURISTA EM RELAÇÃO AO ECOTURISMO EM UMA RESERVA PARTICULAR - RPPN FAZENDA CABECEIRA DO PRATA - JARDIM - MS Ana Alice Bilha aabilha@ucs.br Universidade de Caxias do Sul, Campus

Leia mais

Jomar Rolland Braga Neto. A Influência do Boca a Boca Online na Decisão de Compra do Consumidor. Dissertação de Mestrado

Jomar Rolland Braga Neto. A Influência do Boca a Boca Online na Decisão de Compra do Consumidor. Dissertação de Mestrado Jomar Rolland Braga Neto A Influência do Boca a Boca Online na Decisão de Compra do Consumidor Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa de Pósgraduação em Administração de Empresas da

Leia mais

Sazonalidade da temperatura do ar e radiação solar global em cidades de diferentes portes na Amazônia Brasileira.

Sazonalidade da temperatura do ar e radiação solar global em cidades de diferentes portes na Amazônia Brasileira. Sazonalidade da temperatura do ar e radiação solar global em cidades de diferentes portes na Amazônia Brasileira. Ingrid Monteiro Peixoto de Souza 1, Antonio Carlos Lôla da Costa 1, João de Athaydes Silva

Leia mais

Livia Pires Chaves. Gestão de Estoque na Indústria de Manutenção de Motores Aeronáuticos: Estudo de Caso. Dissertação de Mestrado

Livia Pires Chaves. Gestão de Estoque na Indústria de Manutenção de Motores Aeronáuticos: Estudo de Caso. Dissertação de Mestrado Livia Pires Chaves Gestão de Estoque na Indústria de Manutenção de Motores Aeronáuticos: Estudo de Caso Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do título de

Leia mais

A elaboração da presente dissertação foi apoiada, em parte, por um financiamento da Junta Nacional de Investigação Científica e Tecnológica, no

A elaboração da presente dissertação foi apoiada, em parte, por um financiamento da Junta Nacional de Investigação Científica e Tecnológica, no Dissertação de Mestrado em Psicologia, especialização em Psicologia Desportiva, sob a orientação conjunta do Prof. Doutor José Fernando da Silva Azevedo Cruz e do Prof. Doutor Leandro da Silva Almeida.

Leia mais

ANÁLISE DAS VAZÕES DO RIO SÃO FRANCISCO COM O FILTRO HODRICK-PRESCOTT

ANÁLISE DAS VAZÕES DO RIO SÃO FRANCISCO COM O FILTRO HODRICK-PRESCOTT ANÁLISE DAS VAZÕES DO RIO SÃO FRANCISCO COM O FILTRO HODRICK-PRESCOTT Igor Madson Fernandes dos Santos 1, Bruno dos Santos Guimarães 1, Renato Vieira Costa 1, Luiz Carlos Baldicero Molion² e João Rafael

Leia mais

Ontology Building Process: The Wine Domain

Ontology Building Process: The Wine Domain Ontology Building Process: The Wine Domain João Graça, Márcio Mourão, Orlando Anunciação, Pedro Monteiro, H. Sofia Pinto, and Virgílio Loureiro Summary Context Ontology Wine Domain Existing Wine Ontologies

Leia mais

Searching for Employees Precisa-se de Empregados

Searching for Employees Precisa-se de Empregados ALIENS BAR 1 Searching for Employees Precisa-se de Empregados We need someone who can prepare drinks and cocktails for Aliens travelling from all the places in our Gallaxy. Necessitamos de alguém que possa

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL NO BRASIL

DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL NO BRASIL DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL NO BRASIL Maria Cecília Bonato Brandalize maria.brandalize@pucpr.br Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curso

Leia mais

Um Modelo de Componentes de Software com Suporte a Múltiplas Versões

Um Modelo de Componentes de Software com Suporte a Múltiplas Versões Hugo Roenick Um Modelo de Componentes de Software com Suporte a Múltiplas Versões Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa de Pós graduação em Informática do Departamento de Informática

Leia mais

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS CONTRÁRIOS À INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 102, DE 19 DE JUNHO DE 2006.

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS CONTRÁRIOS À INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 102, DE 19 DE JUNHO DE 2006. EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS CONTRÁRIOS À INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 102, DE 19 DE JUNHO DE 2006. O Instituto Baleia Franca é uma Organização não governamental sediada em Imbituba, estado de Santa Catarina, devidamente

Leia mais

MODELAGEM VISUAL DE UM SOFTWARE PARA O GERENCIAMENTO DAS COMUNICAÇÕES EM GESTÃO DE PROJETOS

MODELAGEM VISUAL DE UM SOFTWARE PARA O GERENCIAMENTO DAS COMUNICAÇÕES EM GESTÃO DE PROJETOS 127 MODELAGEM VISUAL DE UM SOFTWARE PARA O GERENCIAMENTO DAS COMUNICAÇÕES EM GESTÃO DE PROJETOS VISUAL MODELING OF SOFTWARE FOR COMMUNICATION MANAGEMENT IN PROJECT MANAGEMENT Ricardo Rall 1 Arilson José

Leia mais

ESPAÇAMENTO DAS MUDAS DE CAFÉ NA COVA (*)

ESPAÇAMENTO DAS MUDAS DE CAFÉ NA COVA (*) ESPAÇAMENTO DAS MUDAS DE CAFÉ NA COVA (*) HÉLIO JOSÉ SCARANARI Engenheiro-agrônomo, Divisão de Agronomia, Instituto Agronômico RESUMO Quatro distâncias entre as mudas na mesma cova foram estudadas, com

Leia mais

15º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental

15º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental 15º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental Comparação da temperatura de brilho de superfície do período seco com o chuvoso no Distrito Federal calculada a partir de imagens do Landsat

Leia mais

Universidade Fumec Faculdade de Ciências Empresariais Mestrado em Administração de Empresas

Universidade Fumec Faculdade de Ciências Empresariais Mestrado em Administração de Empresas Universidade Fumec Faculdade de Ciências Empresariais Mestrado em Administração de Empresas IMPACTO DA COMUNICAÇÃO TELEVISIVA NAS INTENÇÕES COMPORTAMENTAIS DE CONSUMIDORES: UM ESTUDO EMPÍRICO DO MERCADO

Leia mais

O INTÉRPRETE EM SEU MEIO PROFISSIONAL

O INTÉRPRETE EM SEU MEIO PROFISSIONAL Rebecca Frances Atkinson O INTÉRPRETE EM SEU MEIO PROFISSIONAL Por uma voz mais alta Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa de Pósgraduação em Letras da PUC-Rio como requisito parcial

Leia mais

FEN- 06723 Processamento Digital de Imagens. Projeto 3 Utilizando filtragem rejeita faixa para tirar ruído de imagem

FEN- 06723 Processamento Digital de Imagens. Projeto 3 Utilizando filtragem rejeita faixa para tirar ruído de imagem FEN- 06723 Processamento Digital de Imagens Projeto 3 Utilizando filtragem rejeita faixa para tirar ruído de imagem Marcelo Musci Mestrado Geomática/UERJ-2004 Abstract Frequency space offers some attractive

Leia mais

Análise de temperatura e precipitação em Porto Alegre-RS entre os anos de 1977 e 2006. e-mail:monicawtavares@gmail.com

Análise de temperatura e precipitação em Porto Alegre-RS entre os anos de 1977 e 2006. e-mail:monicawtavares@gmail.com Análise de temperatura e precipitação em Porto Alegre-RS entre os anos de 1977 e Mônica W. Tavares 1 ; Henderson S. Wanderley 1 ; Alex S. da Silva 1 ; Douglas da S. Lindemann 1 ; Flávio B. Justino 1. 1

Leia mais

Distribuição Eletrônica na Hotelaria: Desenvolvimento de Serviços para a Internet

Distribuição Eletrônica na Hotelaria: Desenvolvimento de Serviços para a Internet Leonardo Pimenta de Mello Distribuição Eletrônica na Hotelaria: Desenvolvimento de Serviços para a Internet Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do título

Leia mais

SINAIS DE LA NIÑA NA PRECIPITAÇÃO DA AMAZÔNIA. Alice M. Grimm (1); Paulo Zaratini; José Marengo

SINAIS DE LA NIÑA NA PRECIPITAÇÃO DA AMAZÔNIA. Alice M. Grimm (1); Paulo Zaratini; José Marengo SINAIS DE LA NIÑA NA PRECIPITAÇÃO DA AMAZÔNIA Alice M. Grimm (1); Paulo Zaratini; José Marengo (1) Grupo de Meteorologia - Universidade Federal do Paraná Depto de Física Caixa Postal 19081 CEP 81531-990

Leia mais

Projeto de Modulação sobre Superfícies Topológicas Associadas a Canais Discretos sem Memória: uma Solução para o Sistema Integrado

Projeto de Modulação sobre Superfícies Topológicas Associadas a Canais Discretos sem Memória: uma Solução para o Sistema Integrado Universidade do Estado do Rio Grande do Norte Universidade Federal do Semi-Árido Mestrado em Ciência da Computação Projeto de Modulação sobre Superfícies Topológicas Associadas a Canais Discretos sem Memória:

Leia mais

ESTIMATIVA E ANÁLISE DAS IRREGULARIDADES DA IONOSFERA UTILIZANDO DADOS GPS DE REDES ATIVAS

ESTIMATIVA E ANÁLISE DAS IRREGULARIDADES DA IONOSFERA UTILIZANDO DADOS GPS DE REDES ATIVAS p. 001-007 ESTIMATIVA E ANÁLISE DAS IRREGULARIDADES DA IONOSFERA UTILIZANDO DADOS GPS DE REDES ATIVAS VINÍCIUS AMADEU STUANI PEREIRA ¹ PAULO DE OLIVEIRA CAMARGO ² Universidade Estadual Paulista - UNESP

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR MIGUEL TORGA ESCOLA SUPERIOR DE ALTOS ESTUDOS

INSTITUTO SUPERIOR MIGUEL TORGA ESCOLA SUPERIOR DE ALTOS ESTUDOS INSTITUTO SUPERIOR MIGUEL TORGA ESCOLA SUPERIOR DE ALTOS ESTUDOS Envolvimento parental e nível sociocultural das famílias: Estudo comparativo num agrupamento escolar Marco Sérgio Gorgulho Rodrigues Dissertação

Leia mais

UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE LETRAS

UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE LETRAS UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE LETRAS Mestrado em Ciências da Documentação e da Informação Variante de Arquivo A EXTERNALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE ARQUIVO GESTÃO E CUSTÓDIA DE DOCUMENTOS CONTRIBUTO PARA

Leia mais

Tendência Sazonal das Temperaturas mínimas e máximas no Rio Grande do Sul. Amazônia, Manaus, AM.

Tendência Sazonal das Temperaturas mínimas e máximas no Rio Grande do Sul. Amazônia, Manaus, AM. Tendência Sazonal das Temperaturas mínimas e máximas no Rio Grande do Sul Cláudia da Costa 1, Júlio Renato Marques 2 1 Large Scale Biosphere-Atmosphere Experiment in Amazônia/Instituto Nacional de Pesquisas

Leia mais

TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS

TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE PSICOLOGIA E DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS SANDRA MARIA MORAIS VALENTE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO Área de

Leia mais

A importância das Dimensões do risco Percebido nas Compras de Produtos e de Serviços na Internet

A importância das Dimensões do risco Percebido nas Compras de Produtos e de Serviços na Internet Eduardo Vianna Barreto A importância das Dimensões do risco Percebido nas Compras de Produtos e de Serviços na Internet Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção

Leia mais

Resumo. pela presença extra, total ou parcial, do cromossoma 21. Assim, existe uma alteração

Resumo. pela presença extra, total ou parcial, do cromossoma 21. Assim, existe uma alteração Resumo A Trissomia XXI caracteriza-se por um distúrbio de origem genética causado pela presença extra, total ou parcial, do cromossoma 21. Assim, existe uma alteração generalizada do Sistema Nervoso Central

Leia mais

ANÁLISE CLIMATOLÓGICA DE DIAS CONSECUTIVOS SEM CHUVA NO ESTADO DO PARANÁ RESUMO

ANÁLISE CLIMATOLÓGICA DE DIAS CONSECUTIVOS SEM CHUVA NO ESTADO DO PARANÁ RESUMO ANÁLISE CLIMATOLÓGICA DE DIAS CONSECUTIVOS SEM CHUVA NO ESTADO DO PARANÁ Ângela Beatriz F. da Costa, Heverly Morais, Paulo Henrique Caramori, Wilian da Silva Ricce,, Letícia Trindade Ataíde,, Inês Fumiko

Leia mais

MIGRAÇÃO DA ZONA DE CONVERGÊNCIA INTER-TROPICAL (ZCIT): UM ESTUDO COM UM MODELO CLIMÁTICO SIMPLES. por

MIGRAÇÃO DA ZONA DE CONVERGÊNCIA INTER-TROPICAL (ZCIT): UM ESTUDO COM UM MODELO CLIMÁTICO SIMPLES. por MIGRAÇÃO DA ZONA DE CONVERGÊNCIA INTER-TROPICAL (ZCIT): UM ESTUDO COM UM MODELO CLIMÁTICO SIMPLES. por Julio Pablo Reyes Fernandez, Sergio H. Franchito e V. Brahmananda Rao Instituto Nacional de Pesquisas

Leia mais

VARIAÇÃO TEMPORAL DAS ONDAS DE CALOR NA CIDADE DE PELOTAS-RS

VARIAÇÃO TEMPORAL DAS ONDAS DE CALOR NA CIDADE DE PELOTAS-RS Abstract: VARIAÇÃO TEMPORAL DAS ONDAS DE CALOR NA CIDADE DE PELOTAS-RS Bruno Zanetti Ribeiro 1 André Becker Nunes² 1 Faculdade de Meteorologia, Universidade Federal de Pelotas (UFPel) Campus Universitário

Leia mais

Impacto dos padrões de circulação nos recursos de energia renovável na Ibéria

Impacto dos padrões de circulação nos recursos de energia renovável na Ibéria Impacto dos padrões de circulação nos recursos de energia renovável na Ibéria EOLICA HIDRAULICA SOLAR Ricardo Machado Trigo (Univ. Lisboa) Agradecimentos: S. Jerez, D. Pozo-Vázquez, J.P. Montávez, S.M.

Leia mais

Análise Probabilística de Semântica Latente aplicada a sistemas de recomendação

Análise Probabilística de Semântica Latente aplicada a sistemas de recomendação Diogo Silveira Mendonça Análise Probabilística de Semântica Latente aplicada a sistemas de recomendação Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do título de

Leia mais

APONTAMENTOS SOBRE A POPULAÇÃO RURAL NO MUNICÍPIO DE VITÓRIA DA CONQUISTA BAHIA. 1 RESUMO

APONTAMENTOS SOBRE A POPULAÇÃO RURAL NO MUNICÍPIO DE VITÓRIA DA CONQUISTA BAHIA. 1 RESUMO 1 APONTAMENTOS SOBRE A POPULAÇÃO RURAL NO MUNICÍPIO DE VITÓRIA DA CONQUISTA BAHIA. 1 Ana Emília de Quadros Ferraz Altemar Amaral Rocha Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB Universidade Estadual

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE O MOMENTO DE INCIDÊNCIA DE GOLS E A COMPARAÇÃO ENTRE A EQUIPE MANDANTE E A VISITANTE NO CAMPEONATO PAULISTA DE 2009

UM ESTUDO SOBRE O MOMENTO DE INCIDÊNCIA DE GOLS E A COMPARAÇÃO ENTRE A EQUIPE MANDANTE E A VISITANTE NO CAMPEONATO PAULISTA DE 2009 Recebido em: 1/3/211 Emitido parece em: 23/3/211 Artigo inédito UM ESTUDO SOBRE O MOMENTO DE INCIDÊNCIA DE GOLS E A COMPARAÇÃO ENTRE A EQUIPE MANDANTE E A VISITANTE NO CAMPEONATO PAULISTA DE 29 Leandro

Leia mais

Retsudvalget 2013-14 REU Alm.del Bilag 408 Offentligt. National Unit for Drugs Trafficking Fighting

Retsudvalget 2013-14 REU Alm.del Bilag 408 Offentligt. National Unit for Drugs Trafficking Fighting Retsudvalget 2013-14 REU Alm.del Bilag 408 Offentligt National Unit for Drugs Trafficking Fighting Lisbon, September 22, 2014 Proposed agenda The Portuguese Criminal Police The Drugs Trafficking Investigation

Leia mais

COMPARAÇÃO ENTRE A TEMPERATURA DA ÁREA URBANA E DA ÁREA RURAL DO MUNICÍPIO DE VIGIA

COMPARAÇÃO ENTRE A TEMPERATURA DA ÁREA URBANA E DA ÁREA RURAL DO MUNICÍPIO DE VIGIA COMPARAÇÃO ENTRE A TEMPERATURA DA ÁREA URBANA E DA ÁREA RURAL DO MUNICÍPIO DE VIGIA Andressa Garcia Lima 1, Dra. Maria Aurora Santos da Mota 2 1 Graduada em Meteorologia- UFPA, Belém-PA, Bra. andressinhagl@yahoo.com.br.

Leia mais

Anais III Simpósio Regional de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto Aracaju/SE, 25 a 27 de outubro de 2006

Anais III Simpósio Regional de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto Aracaju/SE, 25 a 27 de outubro de 2006 GEOPROCESSAMENTO E FOTOINTERPRETAÇÃO APLICADOS À ANÁLISE DAS TRANSFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS E ESPACIAIS PROVOCADAS PELO TURISMO NAS COMUNIDADES MASSAGUEIRA/RUA NOVA, MARECHAL DEODORO, ALAGOAS ARAUJO, L.

Leia mais