RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2007

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2007"

Transcrição

1 RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2007 DIRECÇÃO-GERAL DO LIVRO E DAS BIBLIOTECAS

2 ÍNDICE PÁG. NOTA INTRODUTÓRIA 2 BREVE ANÁLISE CONJUNTURAL 2 CONDICIONALISMOS DO DESENVOLVIMENTO DE ACTIVIDADES 2 RESUMO DA ESTRUTURA DE PROGRAMAS 3 FICHAS DE AVALIAÇÃO 17 P 00 GESTÃO E ADMINISTRAÇÃO 18 A 103 / A 258 Gestão e Administração 19 P 01 MODERNIZAÇÃO E QUALIDADE DOS SERVIÇOS (DSI) 22 A 175 Modernização e Qualidade dos Serviços (DSI) 23 P 20 REDE NACIONAL DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS 25 M 005 Rede Nacional de Bibliotecas Públicas Câmaras Municipais 27 M 005 A 110 Rede de Conhecimento das Bibliotecas Públicas (RCBP) 29 M 005 A 114 Rede de Conhecimento das Bibliotecas Públicas Gestão da Rede 31 P 20 PROMOÇÃO DO LIVRO 33 M 1 A 101 Apoio à Edição 37 M 1 A 102 Divulgação de Autores Portugueses no Estrangeiro 39 M 1 A 103 Observatório do Livro 41 M 1 A 104 Promoção da Leitura 43 M 1 A 105 Dicionário Cronológico de Autores Portugueses 45 M 1 A 106 Bolsas de Criação Literária 47 M 1 A 107 Centro de Documentação Bibliográfica 49 M 1 A 293 Rede Bibliográfica da Lusofonia 51 BIBLIOTECA PÚBLICA DE ÉVORA 53 A A A INDICADORES DE EXECUÇÃO ORÇAMENTAL E DA ACTIVIDADE DESENVOLVIDA (DGLB) 62 1 Estrutura do orçamento por de financiamento Execução do orçamento de funcionamento Execução do 64 INDICADORES DE EXECUÇÃO ORÇAMENTAL E DA ACTIVIDADE DESENVOLVIDA (BPE) 65 1

3 NOTA INTRODUTÓRIA Em 2007, no quadro do Programa de Reforma da Administração Central do Estado, de acordo com a política do XVII Governo Constitucional para a organização e funcionamento da administração directa do Estado, e de modo a optimizar recursos e a melhorar a eficácia, operou-se uma mudança, consignada em lei orgânica (Decreto-Lei 92/2007 de 29 de Março). Assim, é criada a Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas para suceder ao Instituto Português do Livro e das Bibliotecas, passando a integrar a Biblioteca Pública de Évora com todo o seu acervo bibliográfico e patrimonial. O Relatório de Actividades da DGLB 2007, foi elaborado de acordo com os modelos definidos no manual de apoio à Elaboração dos Planos e Relatórios de Actividades, aprovado para os organismos e serviços deste Ministério e tendo por base o Decreto-Lei nº 183/96, de 27 de Setembro. Apresenta-se a descrição da actividade desenvolvida durante o ano de 2007, avaliando os resultados atingidos em relação ao desempenho planeado quanto à missão, estratégias, objectivos específicos e quanto à satisfação das necessidades e expectativas dos seus destinatários e comunidade em que se insere, facultando informação relevante para o planeamento de actividades futuras. BREVE ANÁLISE CONJUNTURAL No sector do livro, deu-se cumprimento aos protocolos assinados com as instituições apoiadas pelo DGLB, no quadro da sua actividade de incentivo aos agentes que promovem o livro e a leitura. Apesar da contenção orçamental que obrigou ao estabelecimento de prioridades, continuou-se a apoiar a edição de autores portugueses no estrangeiro (Brasil incluído) e a difusão do livro português em países lusófonos. No que respeita ao sector das bibliotecas, trata-se de um programa de execução no longo prazo, que tem sido devidamente salvaguardado das situações conjunturais. Iniciado em 1987 a Rede Nacional de Bibliotecas Públicas chegou ao final do ano de 2007 com 159 bibliotecas abertas ao público e com 103 bibliotecas em diversas fases de negociação ou construção, só no Continente. Entretanto, nas Regiões Autónomas, 30 projectos de bibliotecas municipais já integraram a Rede Nacional de Bibliotecas Públicas, no final de Aprovado pelo POSI (Programa Operacional da Sociedade de Informação) projecto estruturante, para o sector das bibliotecas, da «Rede do Conhecimento das Bibliotecas Públicas», foi concluído durante o ano de CONDICIONALISMOS DO DESENVOLVIMENTO DA ACTIVIDADE O maior constrangimento ao desenvolvimento das actividades do DGLB situa-se no campo financeiro, com implicações na execução na maioria dos projectos do DGLB, como por exemplo o projecto de modernização administrativa e ainda nos projectos de promoção do livro O orçamento de funcionamento, depois de satisfeitas as Remunerações Certas e Permanentes, foi manifestamente insuficiente para saldar as dívidas resultantes de imposições legais como seja o decreto-lei que obriga o DGLB a suportar os custos de expedição para as Regiões Autónomas, dívidas de que são credores os editores e distribuidores portugueses. O orçamento de atribuído à DGLB não cobriu as elevadas e cumulativas despesas não reembolsadas às Câmaras Municipais. 2

4 Resumo da Estrutura de Programas MAPA DE REPRESENTAÇÕES Órgãos ou Estruturas Representante(s) Objectivo Prémio Luís de Camões NAPLE Fórum National Authorities on Public Libraries in Europe EBLIDA European Bureau of Library Information and Documentation Associations IFLA International Federation of Library Associations and Institutions Instituto dos Arquivos Nacionais Torre do Tombo APBAD Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas Prémio Fernando Namora A DGLB propõe os jurados portugueses e secretaria o júri quando a atribuição é realizada em Portugal Membro Institucional Membro Institucional Membro Institucional Direcção de Serviços de Bibliotecas A DGLB nomeia um representante para a atribuição do prémio A Sociedade Estoril Sol convida a DGLB a designar um membro do júri Atribuição do prémio DL nº 43/88 de Cooperação europeia entre as entidades que tutelam as bibliotecas públicas Cooperação europeia em biblioteconomia e documentação Representação institucional neste organismo Criação do Programa Base para as Bibliotecas Pública e Municipal de Évora Enquadramento Legal Mandato Base legal Nomeação Duração Início-fim De a De a De a De a Protocolo De a Atribuição do prémio Regulamento do prémio De a Atribuição do prémio Regulamento do prémio De a

5 MAPA DE ENQUADRAMENTO DA ACÇÃO DO SERVIÇO/ORGANISMO MISSÃO DO ORGANISMO: ASSEGURAR A COORDENAÇÃO E EXECUÇÃO DE UMA POLÍTICA INTEGRADA DO LIVRO NÃO ESCOLAR, DAS BIBLIOTECAS E DA LEITURA ORIENTAÇÕES PARA O SECTOR ATRIBUIÇÕES OU COMPETÊNCIAS OBJECTIVOS Gerir, reconverter e integrar os actuais sistemas e bases de dados da DGLB no Data Center da Rede do Conhecimento das Bibliotecas Públicas Prosseguir o apoio aos municípios, no âmbito do Programa Rede Nacional de Bibliotecas Públicas, tanto no Continente como nas Regiões Autónomas, aumentando o número de bibliotecas inauguradas Concluir a execução material e financeira do Projecto Rede do Conhecimento das Bibliotecas Públicas. Entrada em funcionamento do Data Center. Desenvolvimento de serviços e conteúdos para as bibliotecas aderentes à RCBP Contribuir para a subida dos níveis de literacia, no âmbito do Plano Nacional de Leitura, através do apoio à edição e da realização de projectos de promoção da leitura, em parceria com autarquias e outras instituições, mantendo os níveis de 2006 Incrementar a divulgação do livro e do autor de língua portuguesa no estrangeiro, através do apoio à edição, à tradução e à realização de eventos, mantendo os níveis de 2006 PROGRAMAS: PROJECTOS/ACTIVIDADES Programa 0 - Gestão e Administração Actividades 103/258 Programa 1 - Modernização Programa 1 Medida 1 Actividade 175 Programa 20 Rede Nacional de Bibibliotecas Públicas Programa 20 Medida 5 CM s Medida 5 Actividade 114 Programa 20 Rede Nacional de Bibibliotecas Públicas Programa 20 Medida 5 Actividade 110 Programa 20/5 Promoção do Livro Programa 20 Medida 1 Actividade 104 Medida 1 Actividade 101 Programa 20/5 - Promoção do Livro Programa 20 Medida 1 Actividade 102 Programa 5 Medida 1 Actividade 293 CONDICIONANTES 4

6 MATRIZ - FICHA RESUMO DA ESTRUTURA DOS PROGRAMAS Código do Serviço 2053 Programa Projecto/ Actividade Códigos Domínio / Área Área Geográfica Designação dos Programas e respectivos Projectos / Actividades Prioridade * Calendarização/ /Periodicidade /258 D Gestão e Administração Gestão e Administração D Modernização e Qualidade Desenvolvimento do Sistema Integrado Modernização e Qualidade Desenvolvimento do Sistema Integrado D0202 D0202 D Rede Nacional de Bibliotecas Públicas (RNBP) RNBP - Câmaras Municipais Rede de Conhecimento das Bibliotecas Públicas (RCBP) RNBP - Gestão da Rede / D0203 D0203 D0203 D0203 D0203 D0203 D0203 D Promoção do Livro Apoio à Edição Divulgação de Autores Portugueses no Estrangeiro Observatório do Livro Promoção da Leitura Dicionário Cronológico de Autores Portugueses Bolsas de Criação Literária Centro de Documentação Bibliográfica Rede Bibliográfica da Lusofonia

7 ESTIMATIVA DE CUSTOS POR FONTES DE FINANCIAMENTO Código do Serviço 2053 Financiamento Domínio/ /Área Programa Projecto/Actividade Orçamento de funcionamento (1) Orçamento de funcionamento Receitas próprias (2) Total (3)=(1)+(2) Capº 50º Fin. Nacional (4) Fundos Comunitários (5) Fontes (6) Total (7)=(4)+(5)+(6) GERAL (8)=(3)+(7) 00 D / , , ,00 0,00 0,00 0,00 0, ,00 01 D /001/ ,00 0, , ,00 0,00 0, , ,00 20 D /005 CM's ,00 0, , ,00 0,00 0, , ,00 D /005/ ,00 0, , , , , ,00 D /005/ ,00 0, , ,00 0,00 0, , ,00 20/05 D /001/ ,00 0, , ,00 0,00 0, , ,00 D /001/ ,00 0, , ,00 0,00 0, , ,00 D /001/103 0,00 0,00 0,00 100,00 0,00 0,00 100,00 100,00 D /001/ ,00 0, , ,00 0,00 0, , ,00 D /001/105 0,00 0,00 0,00 100,00 0,00 0,00 100,00 100,00 D /001/106 0,00 0,00 0,00 100,00 0,00 0,00 100,00 100,00 D /001/107 0,00 0,00 0,00 100,00 0,00 0,00 100,00 100,00 D /001/ ,00 0, ,00 100,00 0,00 0,00 100, ,00 Totais , , , , ,00 0, , ,00 6

8 ESTIMATIVA DE CUSTOS POR TIPO DE DESPESA Tipo de despesa Funcionamento * (OE + Receitas Próprias) Código do Serviço 2053 * (OE+ Fundos Comunitários) Programas /Actividades /Projectos Despesas com Pessoal Despesas Correntes Total Despesas Correntes Despesas de Capital Despesas com Pessoal Despesas Correntes Despesas de Capital 00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0, /103/ , , ,00 800, ,00 0,00 0,00 0,00 0, /001/ ,00 0, ,00 0, ,00 0, , , , /005 CM's ,00 0, ,00 0, ,00 0, , , , /005/ ,00 0, ,00 0, ,00 0, , , , /005/ ,00 0, ,00 0, ,00 0, ,00 0, ,00 20/05 20/05 20/001/ , , ,00 0, ,00 0, ,00 0, ,00 20/05 20/001/ ,00 0, ,00 0, ,00 0, ,00 0, ,00 20/05 20/001/103 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 100,00 0,00 100,00 20/05 20/001/ ,00 0, ,00 0, ,00 0, ,00 0, ,00 20/05 20/001/105 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 100,00 0,00 100,00 20/05 20/001/106 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 100,00 0,00 100,00 20/05 20/001/107 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 100,00 0,00 100,00 20/05 05/001/ ,00 0, ,00 0, ,00 0,00 100,00 0,00 100,00 Totais , , ,00 800, ,00 0, , , ,00 * Inclui outras 7

9 QUADRO DE CUSTOS DO PLANO DE FREQUÊNCIA DE ACÇÕES DE FORMAÇÃO FORMAÇÃO EXTERNA Excel Acção de formação Denominação Entidade promotora Várias Dirigente Técnico superior Informática Técnico Técnico- -profissional Grupo de pessoal Administra-tivo Operário Auxiliar Outro * Totais nº Custo nº Custo nº Custo nº Custo nº Custo nº Custo nº Custo nº Custo nº Custo 3 300, , ,00 Nº de Formandos Custo Word Acess Básico e Avançado Administração de Sites Análises Estatísticas SPSS Animação e Condução reuniões Atendimento do Publico Automatização de Processos Administrativos Automatização dos serviços de bibliotecas e centros de documentação Ciclo de Desenvolvimento de Web Sites Dinâmicos Como implementar a tecnologia digital nas organizações Como redigir Objectivos para avaliação de Várias MP MP MP MP SIGNIF INA INA RUMOS BAD INA 5 500, , , , , , , , , , , , , ,00

10 desempenho Como redigir um relatório INA 1 175,00 Concepção de projectos MP 2 320,00 Concepção e Gestão de Projectos INA 2 900,00 Condução de reuniões SIGNIF 2 Animação e Condução Reuniões Contabilidade Pública Quadros Administrativos MP INA 2 270, ,00 Contabilidade Publica POC P SIGNIF 1 Correio Electrónico Outlook SIGNIF 3 Código do Procedimento Administrativo Direitos de Autor nas Bibliotecas e serviços de informação SIGNIF APBAD ,00 E 403 Gestão de Projectos Desenvolvimento de Software RUMOS 1 100,00 Estratégias de Gestão e Controlo do Stress SIGNIF 1 Elaboração de Planos e Relatórios de Actividades SIGNIF 1 1 Estratégias pª uma Escrita Profissional Eficaz INA 1 225,00

11 Finanças para não financeiros Fotoshop Frontpage Gerir eficazmente a informação do seu posto de trabalho Gestão de Projectos Gestão de Projectos com Project Gestão de Recursos Humanos MP BAD APBAD MP MP 2 360, , , , ,00 Gestão do Aprovisionamento 1 225,00 Gestão do Património Gestão Electrónica de Documentos INA SIGNIF ,00 Gestão Orçamental nos Serviços Públicos INA 1 225,00 Gestão por Objectivos e Avaliação de Desempenho Gestão do Tempo e a Eficácia da Organização Pessoal A Gestão de serviços de informação e documentação: SIGNIF SIGNIF BAD ,00

12 práticas de uma gestão por objectivos Inglês 2 Inglês Geral MP INA 1 180, ,00 Inglês pª Contactos com o Público Internet da informação à transacção Electrónica Introdução à Informática e ao Ambiente Windows INA INA INA ,00 Organização do espaço e equipamentos em unidades documentais BAD 1 100,00 Organização e Técnicas de Arquivo Powerpoint Powerpoint para apresentações Produção de Websites Dreamweaver INA MP SIGNIF, INA INA 3 675, , , , , ,00 Regime Jurídico da FP Téc Diag Aval em serv BD Técnicas de Entrevistas de avaliação de desempenho BAD INA 1 100, ,00

13 U 27 Microsoft Project 2002/2003 Gestão de Projectos ( em alternativa ao E 403 ) Utilização completa do Microsoft Powerpoint XP / 2003 Base de Dados Relacional e Linguagem SQL Propriedade Intelectual e Direitos de autor RUMOS RUMOS IST IST 1 100, , Total , , ,00 FORMAÇÃO INTERNA Grupo de pessoal Acção de formação Dirigente Técnico superior Informática Técnico Técnico- -profissional Administrativo Operário Auxiliar Outro * Totais nº Custo nº Custo nº Custo nº Custo nº Custo nº Custo nº Custo nº Custo nº Custo Nº de Formandos Custo Total * Identificar o grupo de pessoal inserido em Outro. Total Formação Interna + Externa

14 ESTIMATIVA DA DESPESA POR DOMÍNIOS E ÁREAS DE ACTUAÇÃO DO M. CULTURA Domínios/áreas D 01 Património Projectos/actividades Projct./ /Activ. 103/258 Projct./ /Activ. 175 Projct./ /Activ. 05/CM s Projct./ /Activ. 110 Projct./ /Activ Arquitectónico 02 Museus 03 Arqueologia 04 outras formas de património D02 Arquivos, bibliotecas, livro e leitura 01 Arquivos 02 Bibliotecas , , ,00 03 Livro e Leitura 04 outras formas e actividades polivalentes D03 Artes do Espectáculo 01 Teatro 02 Dança 03 Música 04 Ópera 05 equipamentos culturais móveis e imóveis 06 outras formas e actividades polivalentes D04 Cinema, audiovisual e multimédia 01 Cinema 02 audiovisual 03 multimédia 04 outras formas e actividades polivalentes D05 Artes Visuais 01 Artes plásticas 02 fotografia 03 outras formas e actividades polivalentes D06 Actividades socioculturais D07 Actividades de apoio , ,00 D08 Projectos multidisciplinares TOTAIS , , , , ,00 13

15 ESTIMATIVA DA DESPESA POR DOMÍNIOS E ÁREAS DE ACTUAÇÃO DO M. CULTURA (cont.) Domínios/áreas D 01 Património Projectos/actividades Projct./ /Activ. 101 Projct./ /Activ. 102 Projct./ /Activ. 103 Projct./ /Activ. 104 Projct./ /Activ Arquitectónico 02 Museus 03 Arqueologia 04 outras formas de património D02 Arquivos, bibliotecas, livro e leitura 01 Arquivos 02 Bibliotecas 03 Livro e Leitura , ,00 100, ,00 100,00 04 outras formas e actividades polivalentes D03 Artes do Espectáculo 01 Teatro 02 Dança 03 Música 04 Ópera 05 equipamentos culturais móveis e imóveis 06 outras formas e actividades polivalentes D04 Cinema, audiovisual e multimédia 01 Cinema 02 audiovisual 03 multimédia 04 outras formas e actividades polivalentes D05 Artes Visuais 01 Artes plásticas 02 fotografia 03 outras formas e actividades polivalentes D06 Actividades socioculturais D07 Actividades de apoio D08 Projectos multidisciplinares TOTAIS , ,00 100, ,00 100,00 14

16 ESTIMATIVA DA DESPESA POR DOMÍNIOS E ÁREAS DE ACTUAÇÃO DO M. CULTURA (conc.) Domínios/áreas D 01 Património Projectos/actividades Projct./ /Activ. 106 Projct./ /Activ. 107 Projct./ /Activ. 293 Total 01 Arquitectónico 02 Museus 03 Arqueologia 04 outras formas de património D02 Arquivos, bibliotecas, livro e leitura 01 Arquivos 02 Bibliotecas ,00 03 Livro e Leitura 100,00 100, , ,00 04 outras formas e actividades polivalentes D03 Artes do Espectáculo 01 Teatro 02 Dança 03 Música 04 Ópera 05 equipamentos culturais móveis e imóveis 06 outras formas e actividades polivalentes D04 Cinema, audiovisual e multimédia 01 Cinema 02 audiovisual 03 multimédia 04 outras formas e actividades polivalentes D05 Artes Visuais 01 Artes plásticas 02 fotografia 03 outras formas e actividades polivalentes D06 Actividades socioculturais D07 Actividades de apoio ,00 D08 Projectos multidisciplinares TOTAIS 100,00 100, , ,00 15

17 RESUMO DA ESTRUTURA DOS PROGRAMAS Programas Projectos Actividades Serviços Designação Direcção DACE DSL DDLPL DDP DSB DPC DEI Secção Contabilidade RA Secção Pessoal Secção Economato 00 Gestão e Administração / Gestão e Administração X X X X Modernização e Qualidade dos Serviços DSI Modernização e Qualidade dos Seviços DSI Rede Nacional de Bibliotecas Públicas X 005 RNBP Câmaras Municipais X 110 Rede do Conhecimento das Bibliotecas Públicas (RCBP) X 114 RNBP - Gestão da Rede X 20/05 Promoção do Livro 101 Apoio à Edição X 102 Divulgação dos Autores Portugueses No Estrangeiro X 103 Observatório do Livro X 104 Promoção da Leitura X 105 Dicionário Cronológico de Autores Portugueses - CDAP X 106 Bolsas de Criação Literária X 107 Centro de Documentação Bibliográfica X 293 Rede Bibliográfica da Lusofonia X Biblioteca Pública de Évora

18 FICHAS DE AVALIAÇÃO

19 IDENTIFICAÇÃO Designação GESTÃO E ADMINISTRAÇÃO Ficha de Programa Ano: 2007 Serviço(s) Interveniente(s) Direcção Repartição Administrativa Núcleo de Informática Duração Início: Fim: Objectivos Gerir os recursos da DGLB Manter actualizados os meios necessários à gestão de recursos humanos, financeiros e patrimoniais. Promover a integração e as áreas de modo a alcançar uma melhor gestão dos bens móveis da DGLB. Assegurar a evolução e funcionamento das infra-estruturas informáticas e de comunicações. Desenvolver os sistemas de informação, controlo e manutenção dos modelos de dados de acordo com o Plano TIC. Estimativa de Financiamento dos programas P 00 e P 01: Funcion. Total P 01 / Actividades 103 / 258 / 175 Despesas de pessoal , , , ,65-0,25% Despesas Correntes , , , ,77-0,35% Despesas Capital 800, , , ,00-11,37% Total Funcionamento: , , , ,41-1,65% Despesas Correntes , , , ,55-49,23% Despesas Capital , , , ,28 56,59% Total : , , , ,28-31,83% Total outras : 0,00 0,00 0,00 0, , , , ,69-6,46% Estimativa de receitas a obter nestes Programas: Tipo Montante De venda de bens ou serviços ,00 De taxas ou tarifas De concessões (designar quais) ,00 18

20 IDENTIFICAÇÃO Designação Gestão e Administração P 00 Ficha de Programa Ano: 2007 Serviço(s) Interveniente(s) Direcção Repartição Administrativa Duração Início: Fim: Objectivos Gerir os recursos da DGLB. Manter actualizados os meios necessários à gestão de recursos humanos, financeiros e patrimoniais. Promover a integração e as áreas de modo a alcançar uma melhor gestão dos bens móveis da DGLB. Estimativa de Financiamento do programa P 00: Funcion. Total P 00 / Actividades 103 / 258 Despesas de pessoal , , , ,10-0,25% Despesas Correntes , , , ,77-0,35% Despesas Capital 800, , , ,00-11,37% Total Funcionamento: , , , ,87-1,78% Total : 0,00 0,00 0,00 0,00 Total outras : 0,00 0,00 0,00 0, , , , ,87-1,78% Estimativa de receitas a obter neste Programa: Tipo Montante De venda de bens ou serviços ,00 De taxas ou tarifas De concessões (designar quais) ,00 19

21 Ficha de Actividade IDENTIFICAÇÃO Ano: 2007 CÓDIGOS Serviço País ou Área geográfica Domínio/Área Programa/Actividade Grau de Prioridade D0701 A103/258 Designação Gestão e Administração Novo x Em curso Serviço(s) Responsável(eis) Responsabilidade de execução Secção de Contabilidade Secção de Economato Património e Expediente Secção de Pessoal Responsabilidade partilhada Objectivos (entre 3 e 5) Indicadores de realização física Unidade de medida Meta (quantidade) 1- Gerir os recursos da DGLB Tempo 31 de Dezembro 2- Manter actualizados os meios necessários à gestão dos recursos humanos, financeiros e Tempo 31 de Dezembro patrimoniais 3- Promover a interacção, entre a repartição e as áreas, de modo a alcançar uma melhor gestão dos bens móveis da DGLB Tempo 31 de Dezembro Acções a desenvolver e sua calendarização Acções a desenvolver Recolher e tratar a informação para a elaboração do projecto de orçamento Arrecadar e registar receitas Elaborar PLC's, do OE e do e processar as despesas do Organismo Acompanhar a execução orçamental Elaborar a conta de gerência Executar procedimentos inerentes à aquisição de bens e serviços Manter actualizado o inventário dos bens móveis da DGLB Assegurar a manutenção das instalações Manter actualizado o registo e controlo dos contratos plurianuais Efectuar as tarefas inerentes ao registo de entradas e saídas de correspondência Elaboração de mapas estatísticos Executar o controlo e manutenção das viaturas Gerir o economato Preparar concursos de recrutamento de pessoal Elaborar o balanço social Manter actualizada a assiduidade do pessoal Processar abonos e descontos dos funcionários Manter actualizadas as bases de dados: BDAP, SIADAP e BEP Manter e controlar s processos individuais do funcionários Trabalhos de secretariado de apoio à Direcção 20 Periodicidade/ /Calendarização Anual Anual Mensal Anual Anual Anual Anual Anual Anual Anual Anual Anual Anual Anual Anual Diária Mensal Anual Anual Anual

22 Recursos da Actividade Humanos (nota: deve incluir todos os postos de trabalho que estão destinados a cada actividade independentemente do tipo de vínculo público ou privado e da forma, o que inclui tb prestações de serviços desde que estejam especificamente destinados ao projecto). Carreira/categoria/ ou outra designação ( v.g. no caso de n.º contratos) Dirigentes 2 Administrativos 16 Tipo de vínculo Funcion. P00 Actividade 103/258 Despesas de pessoal , , , ,10-0,25% Despesas Correntes , , , ,77-0,35% Despesas Capital 800, , , ,00-11,37% Total Funcionamento: , , , ,87-1,78% Total : 0,00 0,00 0,00 0,00 Total outras : 0,00 0,00 0,00 0, , , , ,87-1,78% Estimativa de Financiamento da actividade Estimativa de receitas a obter nesta Actividade (nota: existem actividades que podem gerar receitas e são essas que se pretende identificar v.g. entradas em exposições; espectáculos; etc.) Tipo Montante De venda de bens ou serviços ,00 De taxas ou tarifas De concessões (designar quais) ,00 21

23 IDENTIFICAÇÃO Ficha de Programa Ano: 2007 Designação Modernização e Qualidade dos Serviços Desenvolvimento do Sistema Integrado P 01 Serviço(s) Interveniente(s) Direcção Núcleo de Informática Duração Início: Fim: Objectivos Assegurar a evolução e funcionamento das infra-estruturas informáticas e de comunicações. Desenvolver os sistemas de informação, controlo e manutenção dos modelos de dados de acordo com o Plano TIC. Estimativa de Financiamento do programa P 01: Funcion. P01 - Actividade 175 Despesas de pessoal , ,29-251,54-0,25% Despesas Correntes 0 0,00 0,00 0,00 Despesas Capital 0 0,00 0,00 0,00 Total Funcionamento: , ,29-251,54-0,25% Despesas de pessoal 0 0,00 0,00 0,00 Despesas Correntes , , ,55-49,23% Despesas Capital , , ,28 56,59% Total : , , ,28-31,83% Total outras : 0,00 0,00 0,00 0, , , , ,82-22,05% Estimativa de receitas a obter neste Programa: Tipo Montante De venda de bens ou serviços De taxas ou tarifas De concessões (designar quais) 22

24 IDENTIFICAÇÃO Ficha de Actividade Ano: 2007 CÓDIGOS Serviço País ou Área geográfica Domínio/Área Programa/Actividade Grau de Prioridade D0701 P01/M01/A175 Designação Modernização e Qualidade dos Serviços Desenvolvimento do Sistema Integrado X Novo Em curso Serviço(s) Responsável(eis) Responsabilidade de execução Responsabilidade partilhada Direcção/Núcleo de Informática Objectivos (entre 3 e 5) Indicadores de realização física Unidade de medida Meta (quantidade) Assegurar a evolução e funcionamento das infra-estruturas informáticas e de comunicações do Organismo. Desenvolver os sistemas de informação, controlo e manutenção dos modelos de dados, de acordo com o Plano TIC. Tempo. Tempo 31 de Dezembro 31 de Dezembro Acções a desenvolver e sua calendarização Periodicidade/ Acções a desenvolver /Calendarização 1.1 Elaborar o plano de desenvolvimento de TIC como instrumento de gestão. Anual Definir os conteúdos funcionais e recursos necessários a este Agosto organismo, neste núcleo. Reavaliar as situações contratuais na gestão da infra-estrutura - Setembro servidores, centro de dados, comunicações e serviços de help-desk. Planear e monitorizar a segurança informática definindo a estratégia a Anual aplicar. Promover a aplicação das boas práticas. Elaborar e propor um plano de formação em TICs e em sistemas de aplicação na DGLB (Word, Excel e Access) para manipulação dos dados em outros perfis. 1.2 Assegurar o serviço de apoio aos utilizadores na exploração de equipamentos e aplicações. Intervir (1º nível) nos servidores de rede interna e no servidor de correio electrónico. Intervir a nível de especificação de equipamentos a adquirir, instalação e configuração de postos de trabalho na rede de aplicações de Office. Gerir o parque informático nas componentes de hardware, software e infra-estrutura de cablagem. Articulação com o Sistema de Inventário (SIAG). Apoiar os utilizadores da rede local através de suporte a aplicações de Office e outras aplicações específicas: SIC/SRH. Actualizar a Firewall VPN-1 da Checkpoint. Actualizar a unidade de backup para servidores da rede interna. Actualiza a infra-estrutura de cablagem para assegurar 100Base T, em todos os postos de trabalho e do valor do Gigabit para os servidores. Adquirir o material informático. Anual Setembro Anual Anual Anual Anual Anual Até 31 de Dezembro Até 31 de Dezembro Até 31 de Dezembro De acordo com as

25 Configurar o material informático. Administrar o equipamento informático. Gerir o sistema de segurança informática. Acompanhar a instalação das plataformas de rede interna no centro de dados. 1.3 Criar o novo site do organismo, através da reconversão do site e do sistema de informação actual, nas funcionalidades prioritárias, assegurando as respectivas integrações no sistema de informação e migração de dados. Planear e acompanhar o procedimentos de aquisição de serviços para reconversão do site e do sistema de informação e implementação do sistema de gestão da rede nacional de bibliotecas públicas Programas de concurso, caderno de encargos Acompanhar a migração de dados dos sistemas actuais, para o novo sistema. 1.4 Acompanhar o desenvolvimento dos sistemas de informação da DGLB, designadamente o sistema de gestão da RNBP Especificar tecnicamente os requisitos relativos aos sistemas de informação (reconversão do site e do sistema e implementação do sistema de gestão da rede nacional de bibliotecas públicas) necessidades Anual Anual Anual De acordo com a evolução deste projecto. Anual Até Julho 80% até Dezembro Anual Anual Recursos da Actividade Humanos (nota: deve incluir todos os postos de trabalho que estão destinados a cada actividade independentemente do tipo de vínculo público ou privado e da forma, o que inclui tb prestações de serviços desde que estejam especificamente destinados ao projecto). Carreira/categoria/ ou outra designação (v.g. no caso de n.º contratos) Tipo de vínculo Prestação de serviços 2 Contrato de Avença Aquisição de serviços 4 Outsourcing Estimativa de Financiamento da actividade P 01 - Actividade 175 Despesas de pessoal , ,29-251,54-0,25% Despesas Correntes 0 0,00 0,00 0,00 Despesas Capital 0 0,00 0,00 0,00 Total Funcionamento: , ,29-251,54-0,25% Despesas de pessoal 0 0,00 0,00 0,00 Despesas Correntes , , ,55-49,23% Despesas Capital , , ,28 56,59% Total : , , ,28-31,83% Funcion. Total outras : 0,00 0,00 0,00 0, , , , ,82-22,05% Estimativa de receitas a obter nesta Actividade (nota: existem actividades que podem gerar receitas e são essas que se pretende identificar v.g. entradas em exposições; espectáculos; etc.) Tipo De venda de bens ou serviços De taxas ou tarifas De concessões (designar quais) Montante 24

Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas. Relatório de Actividades

Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas. Relatório de Actividades Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas Relatório de Actividades 2008 1 ÍNDICE Nota Introdutória 3 A Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas 4 Missão e Estratégia 4 Orgânica e Função 5 Objectivos 7

Leia mais

Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas. Plano de Actividades

Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas. Plano de Actividades Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas Plano de Actividades 2009 1 ÍNDICE Nota Introdutória 3 A Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas 4 Missão e Estratégia 4 Orgânica e Função 5 Objectivos 7 Recursos

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES 2011 ARQUIVO DISTRITAL DE BEJA

PLANO DE ACTIVIDADES 2011 ARQUIVO DISTRITAL DE BEJA PLANO DE ACTIVIDADES 2011 ARQUIVO DISTRITAL DE BEJA Arquivo Distrital de Beja Plano de Actividades 2011 SUMÁRIO NOTA INTRODUTÓRIA 2 I. CARACTERIZAÇÃO DO ARQUIVO DISTRITAL DE BEJA 1. Estrutura organizativa

Leia mais

Apresentação. Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares. Oliveira de Azeméis Novembro 2007

Apresentação. Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares. Oliveira de Azeméis Novembro 2007 Apresentação Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares Oliveira de Azeméis Novembro 2007 Apresentação SABE 12-11-2007 2 Apresentação O conceito de Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares (SABE) que se

Leia mais

Mapa de pessoal da Direcção-Geral do Tesouro e Finanças - Artigo 5º LVCR. Ano de 2011

Mapa de pessoal da Direcção-Geral do Tesouro e Finanças - Artigo 5º LVCR. Ano de 2011 Mapa de pessoal da Direcção-Geral do Tesouro e Finanças - Artigo 5º LVCR Cargo/Carreira/Categoria Área de formação académica e/ou profissional Nº PT/Área Formação Número de postos de trabalho Observações

Leia mais

Mapa de pessoal da Direcção-Geral do Tesouro e Finanças - Artigo 5º LVCR. Ano de 2010

Mapa de pessoal da Direcção-Geral do Tesouro e Finanças - Artigo 5º LVCR. Ano de 2010 Mapa de pessoal da Direcção-Geral do Tesouro e Finanças - Artigo 5º LVCR Cargo/Carreira/Categoria Área de formação académica e/ou profissional Nº PT/Área Formação Número de postos de trabalho Observações

Leia mais

A Nossa Oferta Formativa para a Administração Pública

A Nossa Oferta Formativa para a Administração Pública A Nossa Oferta Formativa para a Administração Pública 2011 DESIGNAÇÃO A inscrição poderá DO CURSO ser efectuada Nº através DE do PREÇO site POR www.significado.pt Para mais informações, por favor contacte

Leia mais

1. São órgãos do Observatório das Ciências e das Tecnologias:

1. São órgãos do Observatório das Ciências e das Tecnologias: Decreto-Lei 186/97 DR nº 172, I-A Série,de 28 de Julho de 1997. REVOGADO A Lei Orgânica do Ministério da Ciência e da Tecnologia, aprovada pelo Decreto-Lei Nº 144/96, de 26 de Agosto, estabeleceu o quadro

Leia mais

Secretaria de Estado do Sector Empresarial Público. Decreto-Lei nº 7/07 de 2 de Maio

Secretaria de Estado do Sector Empresarial Público. Decreto-Lei nº 7/07 de 2 de Maio Secretaria de Estado do Sector Empresarial Público Decreto-Lei nº 7/07 de 2 de Maio Tendo em conta a história económica do nosso País após a independência, a propriedade pública ainda ocupa um lugar muito

Leia mais

PROJECTO DE REGULAMENTO DOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E FINANCEIROS

PROJECTO DE REGULAMENTO DOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E FINANCEIROS PROJECTO DE REGULAMENTO DOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E FINANCEIROS Artigo 1.º (Âmbito) 1 - O presente Regulamento estabelece a estrutura orgânica e as competências dos Serviços Administrativos e Financeiros

Leia mais

COMPETIR CATÁLOGO DE FORMAÇÃO 2010 - PLANO FORMATIVO. www.competiracores.com. Formação e Serviços, S.A. Design www.craveirodesign.

COMPETIR CATÁLOGO DE FORMAÇÃO 2010 - PLANO FORMATIVO. www.competiracores.com. Formação e Serviços, S.A. Design www.craveirodesign. Design www.craveirodesign.com COMPETIR Formação e Serviços, S.A. www.competiracores.com CATÁLOGO DE FORMAÇÃO 2010 - PLANO FORMATIVO Quem Somos A Competir-Açores está integrada no Grupo COMPETIR e estamos

Leia mais

Ministério dos Petróleos

Ministério dos Petróleos Ministério dos Petróleos Decreto Lei nº 10/96 De 18 de Outubro A actividade petrolífera vem assumindo nos últimos tempos importância fundamental no contexto da economia nacional, constituindo por isso,

Leia mais

Estatuto-Tipo das Delegações Regionais do Gabinete das Zonas Económicas de Desenvolvimento Acelerado

Estatuto-Tipo das Delegações Regionais do Gabinete das Zonas Económicas de Desenvolvimento Acelerado 34 Diploma Ministerial n.º 22/2015 de 21 de Janeiro Havendo necessidade de regular a organização e o funcionamento do Gabinete das Zonas Económicas de Desenvolvimento Acelerado, abreviadamente designado

Leia mais

Objectivos Estratégicos (OE) Meta 2008 Taxa de Realização

Objectivos Estratégicos (OE) Meta 2008 Taxa de Realização Ministério: Organismo: MISSÃO: Ministério das Finanças e da Administração Pública Direcção-Geral do Orçamento A Direcção-Geral do Orçamento (DGO) tem por missão superintender na elaboração e execução do

Leia mais

8226 Diário da República, 1.ª série N.º 215 8 de Novembro de 2007

8226 Diário da República, 1.ª série N.º 215 8 de Novembro de 2007 8226 Diário da República, ª série N.º 215 8 de Novembro de 2007 da Madeira os Drs. Rui Nuno Barros Cortez e Gonçalo Bruno Pinto Henriques. Aprovada em sessão plenária da Assembleia Legislativa da Região

Leia mais

C U R R I C U L U M V I T A E

C U R R I C U L U M V I T A E C U R R I C U L U M V I T A E INFORMAÇÃO PESSOAL Nome GONÇALVES, RUI MANUEL DA SILVA Morada (1) TRAVESSA DA SANTA QUITÉRIA, 32 3º 1250-212 LISBOA Morada (2) RUA FERNANDO NAMORA, 147 3º DTº, 4425-651 MAIA

Leia mais

Câmara Municipal de Almeida Plano de Prevenção de Riscos de Gestão Enquadramento legal

Câmara Municipal de Almeida Plano de Prevenção de Riscos de Gestão Enquadramento legal 1 Câmara Municipal de Almeida Plano de Prevenção de Riscos de Gestão Enquadramento legal 1. A Câmara Municipal de Almeida tem, nos termos da lei e dos estatutos, autonomia administrativa, financeira e

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA INOV-ART NOS TERMOS DA PORTARIA N.º 1103/2008 DE 2 DE OUTUBRO

REGULAMENTO DO PROGRAMA INOV-ART NOS TERMOS DA PORTARIA N.º 1103/2008 DE 2 DE OUTUBRO REGULAMENTO DO PROGRAMA INOV-ART NOS TERMOS DA PORTARIA N.º 1103/2008 DE 2 DE OUTUBRO CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1.º- Âmbito de aplicação O presente Regulamento aplica -se à medida INOV-Art -

Leia mais

Unidade orgânica/áreas de atividades. Inspetor- Geral. Subinspetor- Geral

Unidade orgânica/áreas de atividades. Inspetor- Geral. Subinspetor- Geral MODELO A MAPA DE PESSOAL 05 (Estrutura de mapa de pessoal - artigo 5º LVCR) Atribuições/Competências/Atividades Unidade orgânica/áreas de atividades Inspetor- Geral Subinspetor- Geral Diretor de Serviços

Leia mais

Ministério do Comércio

Ministério do Comércio Ministério do Comércio Decreto executivo n.º 11/01 de 9 de Março A actualização e capacitação técnico profissional dos trabalhadores do Ministério do Comércio e de particulares buscam o aperfeiçoamento

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009/2010. Rede de Bibliotecas de Carregal do Sal GRUPO DE TRABALHO

PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009/2010. Rede de Bibliotecas de Carregal do Sal GRUPO DE TRABALHO GRUPO DE TRABALHO Rede de Bibliotecas de Carregal do Sal PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009/2010 O Plano de Acção da Rede de Bibliotecas de Carregal do Sal é um instrumento de trabalho ao nível da organização e

Leia mais

5948 DIÁRIO DA REPÚBLICA. Decreto Presidencial n.º 232/12 de 4 de Dezembro. administrativa das actividades do Ministério,

5948 DIÁRIO DA REPÚBLICA. Decreto Presidencial n.º 232/12 de 4 de Dezembro. administrativa das actividades do Ministério, 5948 DIÁRIO DA REPÚBLICA Decreto Presidencial n.º 232/12 de 4 de Dezembro Havendo necessidade de se dotar o Ministério do Urbanismo e Habitação do respectivo Estatuto Orgânico, na sequência da aprovação

Leia mais

Comissão Técnica do. Programa de Reestruturação da Administração Central do Estado. Relatório Final V MICRO-ESTRUTURAS

Comissão Técnica do. Programa de Reestruturação da Administração Central do Estado. Relatório Final V MICRO-ESTRUTURAS Comissão Técnica do Programa de Reestruturação da Administração Central do Estado Relatório Final V MICRO-ESTRUTURAS 14 MCTES Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Julho/2006) V/14 Micro-Estruturas

Leia mais

Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas PLANO DE ACTIVIDADES

Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas PLANO DE ACTIVIDADES PLANO DE ACTIVIDADES 2010 ÍNDICE INTRODUÇÃO 4 DIRECÇÃO-GERAL DO LIVRO E DAS BIBLIOTECAS 5 Missão e Estratégia 5 5 Orgânica e Função 6 Recursos 7 Serviço e Beneficiários 7 Constrangimentos 8 Quadro Resumo

Leia mais

Centro de Formação Parlamentar e Interparlamentar. Relatório de Actividades

Centro de Formação Parlamentar e Interparlamentar. Relatório de Actividades Relatório de Actividades X LEGISLATURA 2005 2009 Centro de Formação Parlamentar e Interparlamentar 1 Relatório da Legislatura Introdução 3 Acções de Formação (Internas/Externas/E Learning) 5 Número de

Leia mais

PLANO DE PREVENÇÃO DE RISCOS DE CORRUPÇÃO E INFRACÇÕES CONEXAS DA DIRECÇÃO-GERAL DA POLÍTICA DE JUSTIÇA EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

PLANO DE PREVENÇÃO DE RISCOS DE CORRUPÇÃO E INFRACÇÕES CONEXAS DA DIRECÇÃO-GERAL DA POLÍTICA DE JUSTIÇA EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS PLANO DE PREVENÇÃO DE RISCOS DE CORRUPÇÃO E INFRACÇÕES CONEXAS DA DIRECÇÃO-GERAL DA POLÍTICA DE JUSTIÇA EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS No âmbito da sua actividade, o Conselho de Prevenção da Corrupção aprovou uma

Leia mais

Estatuto Orgânico do Ministério da Ciência e Tecnologia

Estatuto Orgânico do Ministério da Ciência e Tecnologia Estatuto Orgânico do Ministério da Ciência e Tecnologia Conselho de Ministros Decreto Lei n.º 15/99 De 8 de Outubro Considerando que a política científica tecnológica do Governo propende para uma intervenção

Leia mais

PROPOSTA DE CARREIRA PARA OS TÉCNICOS SUPERIORES DA ÁREA DA SAÚDE EM REGIME DE CIT. Capítulo I Objecto e Âmbito Artigo 1.º Objecto

PROPOSTA DE CARREIRA PARA OS TÉCNICOS SUPERIORES DA ÁREA DA SAÚDE EM REGIME DE CIT. Capítulo I Objecto e Âmbito Artigo 1.º Objecto PROPOSTA DE CARREIRA PARA OS TÉCNICOS SUPERIORES DA ÁREA DA SAÚDE EM REGIME DE CIT Capítulo I Objecto e Âmbito Artigo 1.º Objecto 1 - O presente Decreto-Lei estabelece o regime jurídico da carreira dos

Leia mais

Nota Introdutória. Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR)

Nota Introdutória. Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR) Nota Introdutória Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR) Apoiar e promover os objetivos educativos definidos de acordo com as finalidades e currículo

Leia mais

REGULAMENTO ORGÂNICO DOS SERVIÇOS DO ISA

REGULAMENTO ORGÂNICO DOS SERVIÇOS DO ISA Deliberação nº /2011 Considerando que, nos termos do nº 3 do artigo 12º dos Estatutos do Instituto Superior de Agronomia, compete ao Conselho de Gestão do Instituto Superior de Agronomia (ISA), aprovar,

Leia mais

AS TIC NA AP INQUÉRITO À UTILIZAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA REGIONAL 2004

AS TIC NA AP INQUÉRITO À UTILIZAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA REGIONAL 2004 Inquérito Estatístico registado sob o n.º 2027, válido até 31 de Dezembro de 2004 AS TIC NA AP INQUÉRITO À UTILIZAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA REGIONAL 2004

Leia mais

FORMAÇÃO 2012/2013 CURSOS GRATUITOS. HORÁRIO PÓS-LABORAL

FORMAÇÃO 2012/2013 CURSOS GRATUITOS. HORÁRIO PÓS-LABORAL FORMAÇÃO 01/013 CURSOS GRATUITOS. HORÁRIO PÓS-LABORAL INFORMAÇÕES FUNDAÇÂO MINERVA Cultura - Ensino e Investigação Científica Universidade Lusíada de Vila Nova de Famalicão Largo Tinoco de Sousa 760. 108

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação Ministério da Educação Decreto Lei n.º 7/03 de 17 de Junho Diário da República, I Série nº47 17.06.2003 Considerando as últimas alterações verificadas na denominação dos organismos de administração central

Leia mais

Id Serviços de Apoio

Id Serviços de Apoio Id Serviços de Apoio Cafetaria do Museu Calouste Gulbenkian e seu prolongamento no jardim. Serviços Centrais Valores em euros Encargos com pessoal 6 219 770 Despesas de funcionamento 9 606 628 Investimento

Leia mais

MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS INSTITUTO DIPLOMÁTICO

MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS INSTITUTO DIPLOMÁTICO VAGAS PARA ESTÁGIOS SERVIÇOS INTERNOS º SEMESTRE DE 04/05 SERVIÇO VAGAS PERFIL DO ESTAGIÁRIO Serviço do Protocolo de Estado Relações Vaga I-/s/45 Tradução Internacionais, Direito e/ou SAPE-DGA Serviço

Leia mais

ACORDO DE COOPERAÇÃO PROGRAMA DA REDE NACIONAL DE BIBLIOTECAS ESCOLARES. Preâmbulo

ACORDO DE COOPERAÇÃO PROGRAMA DA REDE NACIONAL DE BIBLIOTECAS ESCOLARES. Preâmbulo ACORDO DE COOPERAÇÃO PROGRAMA DA REDE NACIONAL DE BIBLIOTECAS ESCOLARES Preâmbulo Considerando a criação e o desenvolvimento de uma Rede de Bibliotecas Escolares, assumida como política articulada entre

Leia mais

Plano de Atividades da Rede de Bibliotecas de Mealhada. Ano Letivo 2012-2013

Plano de Atividades da Rede de Bibliotecas de Mealhada. Ano Letivo 2012-2013 Plano de Atividades da Rede de Bibliotecas de Mealhada Ano Letivo 2012-2013 Domínio de Intervenção: 1. Planeamento e Gestão 1.1. Cooperação / Articulação Inter-bibliotecas Grupo de Trabalho Concelhio Objectivos:

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DA RIBEIRA GRANDE

CÂMARA MUNICIPAL DA RIBEIRA GRANDE CÂMARA MUNICIPAL DA RIBEIRA GRANDE Proposta de Regulamento do Serviço Municipal de Protecção Civil do Concelho da Ribeira Grande Preâmbulo Atendendo que: A Protecção Civil é, nos termos da Lei de Bases

Leia mais

COMPLEXO DE APOIO ÀS ACTIVIDADES DESPORTIVAS (CAAD) LEI ORGÂNICA

COMPLEXO DE APOIO ÀS ACTIVIDADES DESPORTIVAS (CAAD) LEI ORGÂNICA COMPLEXO DE APOIO ÀS ACTIVIDADES DESPORTIVAS (CAAD) LEI ORGÂNICA Decreto-Lei n.º 64/97 de 26 de Março O Decreto-Lei nº 64/97, de 26 de Março, foi revogado pelo Decreto-Lei nº 96/2003, de 07 de Maio, que

Leia mais

ANEXO C FORMAÇÃO PROFISSIONAL

ANEXO C FORMAÇÃO PROFISSIONAL Claustro central do edifício sede do Ministério das Finanças Foto de Luís Grancho, SGMF ANEO C FORMAÇÃO PROFISSIONAL O Plano de Frequência de ações de formação 2013, adiante incluído, integra o Plano de

Leia mais

COMUNIDADE INTERMUNICIPAL DO OESTE MAPA DE PESSOAL 2011 - (de acordo com a Orgânica aprovada em 30.11.2010)

COMUNIDADE INTERMUNICIPAL DO OESTE MAPA DE PESSOAL 2011 - (de acordo com a Orgânica aprovada em 30.11.2010) MAPA DE PESSOAL 20 - (de acordo com a Orgânica aprovada em 30..200) Atribuições/ Competências/Actividades Unidade Orgânica/Centros de Competência ou de Produtos/Área de Actividades Secretário Executivo

Leia mais

PROGRAMA DE COOPERAÇÃO PARLAMENTAR ENTRE A ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA DE PORTUGAL E A ASSEMBLEIA NACIONAL DE CABO-VERDE 2015 2017

PROGRAMA DE COOPERAÇÃO PARLAMENTAR ENTRE A ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA DE PORTUGAL E A ASSEMBLEIA NACIONAL DE CABO-VERDE 2015 2017 PROGRAMA DE COOPERAÇÃO PARLAMENTAR ENTRE A ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA DE PORTUGAL E A ASSEMBLEIA NACIONAL DE CABO-VERDE 2015 2017 I ENQUADRAMENTO DO PROGRAMA No âmbito do Protocolo de Cooperação Parlamentar

Leia mais

Guilhermina Maria Neto Saraiva Bonjardim

Guilhermina Maria Neto Saraiva Bonjardim CURRICULUM VITAE Guilhermina Maria Neto Saraiva Bonjardim 1 IDENTIFICAÇÃO: NOME: Guilhermina Maria Neto Saraiva Bonjardim NACIONALIDADE: Portuguesa NATURALIDADE: São José de São Lázaro - Braga ESTADO CIVIL:

Leia mais

ESTATUTO ORGÂNICO DO MINISTÉRIO DO ENSINO SUPERIOR E DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA

ESTATUTO ORGÂNICO DO MINISTÉRIO DO ENSINO SUPERIOR E DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA ESTATUTO ORGÂNICO DO MINISTÉRIO DO ENSINO SUPERIOR E DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAPITULO I MISSÃO E ATRIBUIÇÕES Artigo 1º (Missão) O Ministério do Ensino Superior e da Ciência e Tecnologia, abreviadamente

Leia mais

Mapa de Pessoal - 2015 4.ª ALTERAÇÃO

Mapa de Pessoal - 2015 4.ª ALTERAÇÃO Mapa Pessoal - 05 atividas Definição da política da Universida. Governação e representação externa da Universida. Gestão corrente da Universida e das políticas finidas pela Equipa al; Coornação Serviços

Leia mais

Procedimentos de Aquisição de Bens e Serviços na AP

Procedimentos de Aquisição de Bens e Serviços na AP PROGRAMA DE ESTÁGIOS PROFISSIONAL NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 3ª EDIÇÃO Procedimentos de Aquisição de Bens e Serviços na AP Cristino Sanches Praia 12 a 26 de Abril 2011-1- OBJECTIVOS 1 Conhecer o quadro legislativo

Leia mais

PLANO TIC. O Coordenador TIC Edgar Vieira Jardim 2010-2011 [1]

PLANO TIC. O Coordenador TIC Edgar Vieira Jardim 2010-2011 [1] PLANO TIC 2010-2011 O Coordenador TIC Edgar Vieira Jardim [1] IDENTIFICAÇÃO DO COORDENADOR TIC Edgar Jardim 291740010 ctichbg@gmail.com edgarvj@gmail.com IDENTIFICAÇÃO DA EQUIPA TIC Prof. Carlos Mendonça

Leia mais

Estrutura Orgânica dos Serviços do Município de Paredes de Coura

Estrutura Orgânica dos Serviços do Município de Paredes de Coura Estrutura Orgânica dos Serviços do Município de Paredes de Coura Nos termos do disposto na alínea a) do artigo 7.º e no n.º 3 do artigo 10.º do Decretolei n.º 305/2009, de 23 de Outubro e dentro dos limites

Leia mais

Plano de Sustentabilidade e Gestão da Segurança Social PSGSS

Plano de Sustentabilidade e Gestão da Segurança Social PSGSS Plano de Sustentabilidade e Gestão da Segurança Social PSGSS Manuel Moreira Coordenador do PSGSS Benguela, 22 e 23 de Maio Agenda Objetivos Gerais Objectivos Estratégicos Estrutura do Projecto Inciativas

Leia mais

Para uma gestão integrada da biblioteca escolar do agrupamento

Para uma gestão integrada da biblioteca escolar do agrupamento Para uma gestão integrada da biblioteca escolar do agrupamento orientações Rede Bibliotecas Escolares Sumário Nota introdutória... 2 Orientações Director... 3 Professor bibliotecário... 5 Docentes... 10

Leia mais

PROTOCOLO SIMPLEX AUTÁRQUICO

PROTOCOLO SIMPLEX AUTÁRQUICO CONSIDERANDO QUE: PROTOCOLO SIMPLEX AUTÁRQUICO A simplificação administrativa e a administração electrónica são hoje reconhecidas como instrumentos fundamentais para a melhoria da competitividade e da

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ACTIVIDADES

RELATÓRIO ANUAL DE ACTIVIDADES SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO ESPECIAL E REABILITAÇÃO DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE FORMAÇÃO E ADAPTAÇÕES TECNOLÓGICAS RELATÓRIO ANUAL DE ACTIVIDADES 2006 ÍNDICE 1. Nota Introdutória...

Leia mais

M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE

M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE INFORMAÇÃO PESSOAL Formador Profissional / Coordenador Pedagógico / Consultor de Formação Nome POEIRAS, VITOR JOAQUIM GALRITO Naturalidade Sumbe, Quanza Sul, Angola

Leia mais

A Câmara Municipal de Rio Maior e o papel do Curso de Educação e Comunicação Multimédia no Gabinete de Imagem, Comunicação e Relações Públicas

A Câmara Municipal de Rio Maior e o papel do Curso de Educação e Comunicação Multimédia no Gabinete de Imagem, Comunicação e Relações Públicas A Câmara Municipal de Rio Maior e o papel do Curso de Educação e Comunicação Multimédia no Gabinete de Imagem, Comunicação e Relações Públicas Psicologia organizacional A Psicologia Organizacional, inicialmente

Leia mais

Regulamento de inventario e cadastro do património da Câmara de Vila Nova de Cerveira Nota justificação

Regulamento de inventario e cadastro do património da Câmara de Vila Nova de Cerveira Nota justificação Regulamento de inventario e cadastro do património da Câmara de Vila Nova de Cerveira Nota justificação Para cumprimento do disposto na alínea c) do n.º 1 do artigo 51.º e alíneas d). f) e g) do n.º 2

Leia mais

PEDIDOS DE ESCLARECIMENTO

PEDIDOS DE ESCLARECIMENTO REGRESSO À CASA Concurso para a selecção da REDACÇÃO e CONSELHO EDITORIAL do JORNAL ARQUITECTOS PEDIDOS DE ESCLARECIMENTO I. RESPOSTAS Formatos: os formatos previstos são a edição online, o fórum na internet,

Leia mais

PLANO DE AÇÃO 2014-2016

PLANO DE AÇÃO 2014-2016 MOBILIZAR. INTERVIR. PARTILHAR PLANO DE AÇÃO 2014-2016 Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas Delegação Regional do Norte PLANO DE AÇÃO 2014-2016 MOBILIZAR. INTERVIR. PARTILHAR.

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE COMISSÃO INTERMINISTERIAL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Resolução nº /2015

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE COMISSÃO INTERMINISTERIAL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Resolução nº /2015 REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE COMISSÃO INTERMINISTERIAL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Resolução nº /2015 Havendo necessidade de aprovar o estatuto orgânico do Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e

Leia mais

HÁ NORTE! ACREDITAR E MOBILIZAR

HÁ NORTE! ACREDITAR E MOBILIZAR HÁ NORTE! ACREDITAR E MOBILIZAR Programa da lista candidata à eleição para os órgãos regionais do Norte da Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas Triénio 2011-2013 25 de

Leia mais

PLANO DE MELHORIA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DO PORTO

PLANO DE MELHORIA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DO PORTO PLANO DE MELHORIA DO 2015-2017 Conservatório de Música do Porto, 30 de outubro de 2015 1. Introdução... 3 2. Relatório de Avaliação Externa... 5 Pontos Fortes... 5 Áreas de Melhoria... 6 3. Áreas Prioritárias...

Leia mais

Ministério do Comércio

Ministério do Comércio Ministério do Comércio Decreto Executivo nº /07 De 03 de Setembro Convindo regulamentar o funcionamento do Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatística do Ministério do Comércio; Nestes termos, ao abrigo

Leia mais

Norma de Procedimentos

Norma de Procedimentos FEADER A Europa investe nas zonas rurais Governo dos Açores Norma de Procedimentos Acção 3.2.1 Serviços Básicos para a Economia e Populações Rurais 2011 A CONSULTA DESTA NORMA NÃO DISPENSA A CONSULTA DA

Leia mais

REGULAMENTO DO ARQUIVO HISTORICO DE MOÇAMBIQUE TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I. Denominação, Natureza Jurídica, Sede e Âmbito

REGULAMENTO DO ARQUIVO HISTORICO DE MOÇAMBIQUE TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I. Denominação, Natureza Jurídica, Sede e Âmbito REGULAMENTO DO ARQUIVO HISTORICO DE MOÇAMBIQUE TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I Denominação, Natureza Jurídica, Sede e Âmbito Artigo 1 (Denominação e natureza jurídica) O Arquivo Histórico de Moçambique,

Leia mais

Relatório e Parecer da Comissão de Execução Orçamental

Relatório e Parecer da Comissão de Execução Orçamental Relatório e Parecer da Comissão de Execução Orçamental Auditoria do Tribunal de Contas à Direcção Geral do Tesouro no âmbito da Contabilidade do Tesouro de 2000 (Relatório n.º 18/2002 2ª Secção) 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

COMUNICAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO

COMUNICAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO COMUNICAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO Data 3 de Novembro a 15 de Dezembro de 2015 Ação de formação Área temática Cód. Ref. Formadores Horário INTRODUÇÃO À ARQUIVÍSTICA Gestão Documental S16 Helena Neves / Rui

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO CAP. I DISPOSIÇÕES GERAIS CAP. II ASSOCIADOS. Regulamento Interno. Artigo 1º Definições gerais.

REGULAMENTO INTERNO CAP. I DISPOSIÇÕES GERAIS CAP. II ASSOCIADOS. Regulamento Interno. Artigo 1º Definições gerais. REGULAMENTO INTERNO CAP. I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º Definições gerais A Associação, que adopta a denominação de ADDICT Agência para o Desenvolvimento das Indústrias Criativas, adiante designada por

Leia mais

Regulamento de Apoio Financeiro à Edição de Obras de Novos Autores Portugueses. Despacho Normativo n.º 9-C/2003 de 3 de Fevereiro de 2003

Regulamento de Apoio Financeiro à Edição de Obras de Novos Autores Portugueses. Despacho Normativo n.º 9-C/2003 de 3 de Fevereiro de 2003 Regulamento de Apoio Financeiro à Edição de Obras de Novos Autores Portugueses Despacho Normativo n.º 9-C/2003 de 3 de Fevereiro de 2003 Na prossecução das suas atribuições cabe ao Instituto Português

Leia mais

DESPACHO ISEP/P/29/2010. 1. A entrada em vigor dos Estatutos do ISEP criou novas possibilidades para a organização interna da Escola;

DESPACHO ISEP/P/29/2010. 1. A entrada em vigor dos Estatutos do ISEP criou novas possibilidades para a organização interna da Escola; DESPACHO DESPACHO ISEP/P/29/2010 REGULAMENTO DE SERVIÇOS DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO Considerando que: 1. A entrada em vigor dos Estatutos do ISEP criou novas possibilidades para a organização

Leia mais

第 三 章 執 行 預 算 第 135/2005 號 行 政 長 官 批 示. 7) Executar o plano de formação de pessoal; ( 七 ) 執 行 人 員 培 訓 計 劃 ;

第 三 章 執 行 預 算 第 135/2005 號 行 政 長 官 批 示. 7) Executar o plano de formação de pessoal; ( 七 ) 執 行 人 員 培 訓 計 劃 ; N.º 19 9-5-2005 BOLETIM OFICIAL DA REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU I SÉRIE 545 ( 七 ) 執 行 人 員 培 訓 計 劃 ; ( 八 ) 核 實 收 支 文 件, 並 為 船 舶 建 造 廠 的 正 常 運 作 提 供 輔 助 7) Executar o plano de formação de pessoal;

Leia mais

DESPACHO. Estrutura Orgânica dos Serviços da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa.

DESPACHO. Estrutura Orgânica dos Serviços da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa. DESPACHO N.º07/2014 Data: 2014/02/11 Para conhecimento de: Pessoal Docente, Discente e Não Docente ASSUNTO: Estrutura Orgânica dos Serviços da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa. Os Estatutos

Leia mais

VISEU TERCEIRO. Programa de Apoio Direto à Cultura e Criatividade. Normas de Acesso e Apoio. Enquadramento

VISEU TERCEIRO. Programa de Apoio Direto à Cultura e Criatividade. Normas de Acesso e Apoio. Enquadramento VISEU TERCEIRO Programa de Apoio Direto à Cultura e Criatividade 2015 Normas de Acesso e Apoio Enquadramento A atividade de criação e programação exercida por entidades, grupos e pessoas singulares no

Leia mais

Europass Curriculum Vitae

Europass Curriculum Vitae Europass Curriculum Vitae In pessoal Apelido(s) / Nome(s) próprio(s) Morada Institucional Rosa, Julieta Alves () Faculdade de Economia CIEO 8005 139 Faro Telefone(s) 289 800 900 (ext. 7161) 289 244 406

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUVENTUDE E DESPORTOS

MINISTÉRIO DA JUVENTUDE E DESPORTOS MINISTÉRIO DA JUVENTUDE E DESPORTOS Decreto executivo n.º 128/06 de 6 de Outubro Havendo a necessidade de se definir a estrutura e regulamentar o funcionamento dos órgãos da Casa da Juventude, ao abrigo

Leia mais

NORMA DE PROCEDIMENTOS

NORMA DE PROCEDIMENTOS Emissor: GRATER Entrada em vigor: 12-10-2009 Associação de Desenvolvimento Regional Assunto: Norma de Procedimentos n.º 5/2008 Âmbito: Estratégia Local de Desenvolvimento Abordagem LEADER NORMA DE PROCEDIMENTOS

Leia mais

Ministério da Indústria

Ministério da Indústria Ministério da Indústria Decreto Lei n.º 18/99 de 12 de Novembro Considerando que o estatuto orgânico do Ministério da Indústria aprovado pelo Decreto Lei n.º 8/95, de 29 de Setembro, além de não se adequar,

Leia mais

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE MINISTÉRIO DA JUSTIÇA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DECRETO-LEI Nº.12/2008 30 de Abril ESTATUTO ORGÂNICO DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA O Decreto-Lei nº 7/2007, de 5 de Setembro, relativo à estrutura

Leia mais

PROPOSTA DE LEI N.º 101/IX CRIA O SISTEMA INTEGRADO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Exposição de motivos

PROPOSTA DE LEI N.º 101/IX CRIA O SISTEMA INTEGRADO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Exposição de motivos PROPOSTA DE LEI N.º 101/IX CRIA O SISTEMA INTEGRADO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Exposição de motivos Tendo em consideração que a Administração Pública tem como objectivo fundamental

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO CENTRO DE FORMAÇÃO DA APEI - ASSOCIAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO DE INFÂNCIA

REGULAMENTO INTERNO DO CENTRO DE FORMAÇÃO DA APEI - ASSOCIAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO DE INFÂNCIA REGULAMENTO INTERNO DO CENTRO DE FORMAÇÃO DA APEI - ASSOCIAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO DE INFÂNCIA CAPITULO I DA CONSTITUIÇÃO, SEDE, PRÍNCIPIOS GERAIS, DURAÇÃO E FINS DO CENTRO DE FORMAÇÃO ARTIGO

Leia mais

Curso Avançado em Gestão da Formação 2010

Curso Avançado em Gestão da Formação 2010 Curso Avançado em Gestão da Formação 2010 Capital Humano e Desenvolvimento Sustentável Potencial Humano Populações com saúde, educação e bem estar Desenvolvimento Capital Humano Capital Social Democracia

Leia mais

Câmara Municipal de Lisboa Direcção Municipal de Recursos Humanos DFSHS/Divisão de Formação. Responsabilidade Social na Câmara Municipal de Lisboa

Câmara Municipal de Lisboa Direcção Municipal de Recursos Humanos DFSHS/Divisão de Formação. Responsabilidade Social na Câmara Municipal de Lisboa Câmara Municipal de Lisboa Direcção Municipal de Recursos Humanos DFSHS/Divisão de Formação Responsabilidade Social na Câmara Municipal de Lisboa Semana da Responsabilidade Social, Lisboa 03 a 07 Maio

Leia mais

Sistema de Informação e Comunicação da Rede Social de Alcochete. Sistema de Informação e Comunicação - REDE SOCIAL DE ALCOCHETE

Sistema de Informação e Comunicação da Rede Social de Alcochete. Sistema de Informação e Comunicação - REDE SOCIAL DE ALCOCHETE . Sistema de Informação e Comunicação da Rede Social de Alcochete . Objectivos e Princípios Orientadores O Sistema de Informação e Comunicação (SIC) da Rede Social de Alcochete tem como objectivo geral

Leia mais

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE RESOLUÇÃO DO GOVERNO 7/2003 --------------------------------------------------------------------------------

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE RESOLUÇÃO DO GOVERNO 7/2003 -------------------------------------------------------------------------------- REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE RESOLUÇÃO DO GOVERNO 7/2003 -------------------------------------------------------------------------------- ALTERAÇÃO DO QUADRO DE PESSOAL DO PARLAMENTO NACIONAL O

Leia mais

MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS INSTITUTO DIPLOMÁTICO

MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS INSTITUTO DIPLOMÁTICO VAGAS PARA ESTÁGIOS SERVIÇOS INTERNOS 1º SEMESTRE DE 2013/2014 SERVIÇO VAGAS PERFIL DO ESTAGIÁRIO DESCRIÇÃO DAS FUNÇÕES A DESEMPENHAR Divisão de Arquivo e Biblioteca/IDI (Instituto Diplomático) Vaga I-1/1S/1314

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO ÍNDICE 1. POLÍTICA E ESTRATÉGIA DA ENTIDADE 1.1. Missão 1.2. Público-Alvo 1.3. Linhas de actuação estratégica 1.4. Modalidade de Formação 1.5. Formas de Organização

Leia mais

Plano de Prevenção de Riscos de Gestão, incluindo os de Corrupção e Infracções conexas

Plano de Prevenção de Riscos de Gestão, incluindo os de Corrupção e Infracções conexas Plano de Prevenção de Riscos de Gestão, incluindo os de Corrupção e Infracções conexas Relatório Anual O presente relatório pretende demonstrar o acompanhamento e a forma como os diversos serviços do Município

Leia mais

2012 Plano Actividades

2012 Plano Actividades 2012 Plano Actividades Índice 1. Enquadramento... 2 2. Órgãos Sociais... 4 3. Organograma... 4 4. Recursos Existentes... 6 5. Objectivos Estratégicos, Operacionais e Actividades... 7 1 Plano de Actividades

Leia mais

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique Programa de Acção Luis Filipe Baptista ENIDH, Setembro de 2013 Motivações para esta candidatura A sociedade actual está a mudar muito

Leia mais

Programa de Apoio às Instituições Particulares de Solidariedade Social

Programa de Apoio às Instituições Particulares de Solidariedade Social Programa de Apoio às Instituições Particulares de Solidariedade Social Enquadramento Com base numa visão estratégica de desenvolvimento social que valorize a rentabilização dos recursos técnicos e financeiros

Leia mais

Decreto-Lei 60/97, de 20 de Março

Decreto-Lei 60/97, de 20 de Março Decreto-Lei 60/97, de 20 de Março Aprova a orgânica do Instituto dos Arquivos Nacionais/Torre do Tombo, do Ministério da Cultura. Lei orgânica do Instituto dos Arquivos Nacionais/Torre do Tombo Decreto-Lei

Leia mais

25136 Diário da República, 2.ª série N.º 152 8 de agosto de 2013

25136 Diário da República, 2.ª série N.º 152 8 de agosto de 2013 25136 Diário da República, 2.ª série N.º 152 8 de agosto de 2013 10 Plano de Estudos: Universidade do Minho Escola de Engenharia Formação Especializada em Engenharia Tingimento e Estamparia 1.º semestre

Leia mais

A investigação participada de base comunitária na construção da saúde PROCAPS Resultados de um estudo exploratório

A investigação participada de base comunitária na construção da saúde PROCAPS Resultados de um estudo exploratório A investigação participada de base comunitária na construção da saúde PROCAPS Resultados de um estudo exploratório Carta de Ottawa Promoção da saúde: Carta de Ottawa (1986) Processo que visa criar condições

Leia mais

Freguesia de Paços de Brandão

Freguesia de Paços de Brandão REGULAMENTO DE INVENTÁRIO E PATRIMÓNIO (RIP) Freguesia de Paços de Brandão PREÂMBULO Para dar cumprimento ao disposto nas alíneas f) do n.º 1, alínea d) do n.º 2 e alínea a) do n.º 5 do artigo 34.º da

Leia mais

SUCH Serviço de Utilização Comum dos Hospitais

SUCH Serviço de Utilização Comum dos Hospitais Derechos Quem Somos O Serviço de Utilização Comum dos Hospitais é uma associação privada sem fins lucrativos, organizada e posicionada para a oferta integrada de Serviços Partilhados para o sector da Saúde.

Leia mais

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE. Decreto-Lei 34/2012

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE. Decreto-Lei 34/2012 REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE Decreto-Lei 34/2012 Orgânica dos Serviços de Apoio dos Tribunais Os Serviços de Apoio dos Tribunais destinam-se a assegurar os serviços administrativos do Tribunal

Leia mais

MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS E DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS

MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS E DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS Diário da República, 1.ª série N.º 118 20 de junho de 2012 3057 Designação dos cargos dirigentes ANEXO Mapa a que se refere o artigo 9.º Qualificação dos cargos dirigentes Grau Número de lugares Diretor

Leia mais

Guia de Websites para a Administração Pública

Guia de Websites para a Administração Pública Guia de Websites para a Administração Pública Portugal precisa de um desafio de exigência e de conhecimento que nos eleve aos níveis de competência e de produtividade dos países mais desenvolvidos, de

Leia mais

Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN]

Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN] Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN] Frederico Mendes & Associados Sociedade de Consultores Lda. Frederico Mendes & Associados é uma

Leia mais

Regulamento de Competências de Subunidades Orgânicas

Regulamento de Competências de Subunidades Orgânicas Regulamento de Competências de Subunidades Orgânicas Dando sequência ao estabelecido no art.º 2.º do Regulamento da Estrutura Flexível dos serviços municipais e usando das competências conferidas pelos

Leia mais

SPMS, E.P.E 1º Trimestre 2012

SPMS, E.P.E 1º Trimestre 2012 1º Trimestre 2012 Indicadores de Gestão Interna 0 Indicadores de Gestão 1º Trimestre 2012 Enquadramento No presente documento apresentam-se os Indicadores de Gestão Interna da SPMS, EPE, relativos ao primeiro

Leia mais

Plano de Promoção de Leitura no Agrupamento

Plano de Promoção de Leitura no Agrupamento AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MOSTEIRO E CÁVADO Plano de Promoção de Leitura no Agrupamento 1. Apresentação do plano 2. Objectivos gerais 3. Orientações 4. Objectivos específicos 5. Actividades 6. Avaliação 1

Leia mais