MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS"

Transcrição

1 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS BOLETIM INFORMATIVO N 03 (Março 2010) FALE COM A Página Internet: Intranet.5icfex.eb.mil.br Telefones: Fixo Fax 0 xx xx

2 ÍNDICE ASSUNTO 1ª Parte CONFORMIDADE CONTÁBIL Registro da Conformidade Contábil Mensal SEM RESTRIÇÃO 2ª Parte INFORMAÇÕES SOBRE APROVAÇÃO DE TOMADA DE CONTAS 1. Tomada de Contas Anual Nada a considerar 2. Tomada de Contas Especial Nada a considerar 3ª Parte ORIENTAÇÕES TÉCNICAS 1. Modificações de Rotinas de Trabalho a. Execução Orçamentária Credito sem Sub-repasse (Recursos próprios - Fontes pares) - Msg 2010/ Execução Orçamentária/Classificação por Natureza da Despesa - Msg 2010/ b. Execução Financeira Nada a considerar c. Execução Contábil Msg nº 172-S/3 D Cont - Alteração na Rotina de Suprimento de Fundos - Msg 2010/ Regularização de OB cancela X Equação Msg 2010/ Msg nº 184-S/3 D Cont - Saldo alongado EQ Msg 2010/ Conformidade contábil marco/ Msg 2010/ Esclarecimento registro depreciação amortização e exaustão - Msg 2010/ d. Execução de Licitações e Contratos Determinação do TCU - Msg 2010/ Cadastro Nacional de Empresas Inidôneas e Suspensas (CEIS) - Msg 2010/ e. Pessoal Servidor Civil - Pagamento atrasado de Adicionais - Msg 2010/ Novo Sistema de Pagamento de Pessoal (SIPPES) do EB - Msg 2010/ Militar da Ativa Compensação Pecuniária - Msg 2010/ Recomendações sobre Prazos Nada a considerar 3. Soluções de Consultas Indenização de compensação pecuniária. Anexo A 4. Atualização da Legislação, das Normas, dos Sistemas Corporativos e das Orientações para as UG Doações da Secretaria da Receita Federal do Brasil - Portaria n 445 Cmt Ex - Anexo B Portaria n 12 - D Log - Anexo C 5. Orientações Licenciamento Ambiental das Obras Militares - Sequência de Ações Acesso a Pagina da Assessoria 2 na Intranet da SEF - Msg 2010/ Mnt de PNR funcionais de Cmt/Ch/Dir de OM - Msg 2010/ Mensagens SIAFI/SIASG Proibição de Contratar com o Poder Publico - Msg SIAFI 2010/ Atualização Manual SIAFi WEB Macrofunção Msg 2010/ SIAFI Educacional Inclusão de limite Financeiro e Orçamento - Msg 2010/ Atualização do Manual SIAFI WEB Macrofunção Msg 2010/ Atualização do Manual SIAFI WEB Macrofunção Depreciação - Msg 2010/ ª PARTE ASSUNTOS GERAIS 1. Você Sabia? PG

3 Pág 3 Chefe MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 5ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (/1982) 1ª PARTE Conformidade Contábil Registro da Conformidade Contábil Fevereiro/2010 Em cumprimento às disposições da Coordenação-Geral de Contabilidade da Secretaria do Tesouro Nacional (CCONT/STN), que regulam os prazos, os procedimentos, as atribuições e as responsabilidades para a realização da conformidade contábil das Unidades Gestoras (UG) vinculadas, esta Inspetoria registrou, no SIAFI, a conformidade contábil para certificar os registros contábeis efetuados em função da entrada de dados no Sistema, no mês de fevereiro de 2010, sendo registrado SEM RESTRIÇÃO. Quando houver restrição, recomendo ao Sr Ordenador de Despesa da UG que mande consultar o SIAFI (transação >conconfcon ), a fim de verificar o(s) motivo(s) da restrição contábil do mês considerad 2ª PARTE Informações sobre Aprovação de Tomada de Contas 1. Tomadas de Contas Anuais Nada a considerar. 2. Tomadas de Contas Especiais Nada a considerar. 3ª PARTE Orientação Técnica 1. Modificação de Rotina de Trabalho a. Execução Orçamentária 1) Credito sem Sub-Repasse (Recursos Próprios - Fontes pares) (Transcrição Mensagem SIAFI 2010/ , de 05/03/10, da DGO) DO SUBDIRETOR DE GESTAO ORCAMENTARIA AO SRS ORDENADORES DE DESPESAS E CHEFES DE ICFEX 1. REFERENTE A PROVISAO DE CREDITO SEM SUB-REPASSE (RECURSOS PROPRIOS FONTES PARES), INFORMO A ESSE ORDENADOR DE DESPESAS/ESSA CHEFIA O QUE SEGUE:

4 Pág 4 Chefe A. AS SOLICITACOES DE CREDITO SEM SUB-REPASSE ENVIADAS A ESTA DIRETORIA, NO PERIODO DE 24 DE FEVEREIRO ATE A PRESENTE DATA NAO FORAM ATENDIDAS, DEVIDO A NECESSIDADE DE CONCILIACAO DOS SALDOS DE PROVISAO CONCEDIDA CONSTANTES DO SIAFI, COM OS SALDOS CONSTANTES NO MODULO DE CREDITO DO SISTEMA DE INFORMACOES GERENCIAIS E ACOMPANHAMENTO ORCAMENTARIO (SIGA) E, AINDA, A NAO LIBERACAO DA COTA DE LIMITE ORCAMENTARIO DA UNIDADE ORCAMENTARIA FUNDO DO EXERCITO (UG ) PELO GOVERNO FEDERAL; B. TODAS AS SOLICITACOES NAO ATENDIDAS SERAO DESCONSIDERADAS E ARQUIVADAS E A UG DEVERA REALIZAR NOVA SOLICITACAO NO MODULO DE CREDITO DO SIGA, A PARTIR DE 8 MARCO DE 2010, ACESSANDO O SEGUINTE ENDERECO: <HTTP://SIGA.SEF.EB.MIL.BR>; C. PARA TANTO, A UG DEVERAH OBSERVAR AS ORIENTACOES CONTIDAS NO MANUAL DO SISTEMA, DISPONIVEL NA PAGINA DESTA DIRETORIA (HTTP://WWW.DGO.EB.MIL.BR/SECOES/SGFEX/SGFEX.HTML>) E, CASO PERSISTA ALGUMA DUVIDA, DEVERAH RECORRER AA ICFEX DE VINCULACAO; D. AS SOLICITACOES DE CREDITO REALIZADAS POR MEIO DE MENSAGEM COMUNICA NAO SERAO ATENDIDAS A PARTIR DE 8 DE MARCO DE 2010; E E. NAO HAVERAH ALTERACAO NA ROTINA PARA AS PROVISOES DE CREDITO COM SUBREPASSE (FONTES IMPARES). 2. FINALMENTE, SOLICITO QUE CASO PERSISTA ALGUMA DUVIDA, APOS A CONSULTA A ICFEX DE VINCULACAO, A UG DEVERAH ENTRAR EM CONTATO COMA SECAO DE GESTAO FUNDO DO EXERCITO, DESTA DIRETORIA, POR MEIO DE MENSAGEM COMUNICA OU LIGACAO TELEFONICA, PELO TELEFONE (61) OU BRASILIA, 5 DE MARCO DE 2010 SERGIO FREIRE PIMENTA CEL RSP P/ SUBDIRETOR DE GESTÃO ORCAMENTARIA 2) Execução Orçamentária /Classificação por Natureza da Despesa (Transcrição Mensagem SIAFI 2010/ , de 30/03/10, da SEF) DO: SUBSECRETÁRIO DE ECONOMIA E FINANÇAS AOS: SENHORES ORDENADORES DE DESPESAS REF: A. PORTARIA CONJUNTA STN/SOF Nº 03, DE 15 DE OUTUBRO DE 2008 (MANUAL DE DESPESA NACIONAL); B. PROGRAMA DE APOIO ADMINISTRATIVO - PAA / ORIENTAÇÕES AOS AGENTES DA ADMINISTRAÇÃO/EMPREGO DOS RECURSOS DAS AÇÕES 2000 E 2003 (HTTP://DGO.SEF.EB.MIL.BR); E C. MANUAL DO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS E ACOMPANHAMENTO ORÇAMENTÁRIO SIGA (HTTP://DGO.SEF.EB.MIL.BR). 1. VERSA O PRESENTE EXPEDIENTE SOBRE UTILIZAÇÃO DE CRÉDITOS ORÇAMENTÁRIOS, PARTICULARMENTE NO QUE SE REFERE À CLASSIFICAÇÃO POR NATUREZA DA DESPESA. 2. INFORMO AOS ORDENADORES DE DESPESAS (OD) QUE CONFORME A PORTARIA CONJUNTA STN/SOF Nº 03, DE 15 DE OUTUBRO DE 2008, QUE APROVOU O MANUAL DE DESPESA NACIONAL, A CLASSIFICAÇÃO POR NATUREZA DA DESPESA COMPÕE-SE DE: A. CATEGORIA ECONÔMICA; B. GRUPO DE NATUREZA DE DESPESA; E C. ELEMENTO DE DESPESA.

5 Pág 5 Chefe 3. A CATEGORIA ECONÔMICA É COMPOSTA POR "3 - DESPESAS CORRENTES" E "4 - DESPESAS DE CAPITAL". POR SEU TURNO, OS GRUPOS DE NATUREZA DE DESPESA - GND'S DISCRIMINADOS A SEGUIR, REPRESENTAM A AGREGAÇÃO DE ELEMENTOS DE DESPESA QUE APRESENTAM AS MESMAS CARACTERÍSTICAS QUANTO AO OBJETO DE GASTO: " 1. PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS 2. JUROS E ENCARGOS DA DÍVIDA 3. OUTRAS DESPESAS CORRENTES 4. INVESTIMENTOS 5. INVERSÕES FINANCEIRAS 6. AMORTIZAÇÃO DA DÍVIDA 9. RESERVA DE CONTINGÊNCIA" 4. A "MODALIDADE DE APLICAÇÃO" INDICA SE OS RECURSOS SERÃO APLICADOS DIRETAMENTE PELA UG DETENTORA DO CRÉDITO ORÇAMENTÁRIO OU TRANSFERIDOS, AINDA QUE NA FORMA DE DESCENTRALIZAÇÃO, A OUTRAS ESFERAS DE GOVERNO, ÓRGÃOS OU ENTIDADES. SÃO EXEMPLOS DE "MODALIDADE DE APLICAÇÃO": "20 - TRANSFERÊNCIAS À UNIÃO" 50 - TRANSFERÊNCIAS À INSTITUIÇÕES PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS 90 - APLICAÇÕES DIRETAS" 5. O "ELEMENTO DE DESPESA" - O QUE SERÁ ADQUIRIDO - NÃO CONSTA DA LEI ORÇAMENTÁRIA ANUAL - LOA, UMA VEZ QUE É UTILIZADO APENAS NA EXECUÇÃO DO ORÇAMENTO E COMO INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR NA ELABORAÇÃO DO MESMO. SÃO EXEMPLOS DE ELEMENTO DE DESPESA: " OBRIGAÇÕES PATRONAIS 30 - MATERIAL DE CONSUMO 36 - OUTROS SERVIÇOS DE TERCEIROS - PESSOA FÍSICA 39 - OUTROS SERVIÇOS DE TERCEIROS - PESSOA JURÍDICA 51 - OBRAS E INSTALAÇÕES 52 - EQUIPAMENTO E MATERIAL PERMANENTE 92 - DESPESAS DE EXERCÍCIOS ANTERIORES" 6. O "SUB-ELEMENTO DE DESPESA" SE REFERE AO DETALHAMENTO DAS NATUREZAS DE DESPESAS, CUJO OBJETIVO É AUXILIAR, EM NÍVEL DE EXECUÇÃO (UG) O PROCESSO DE APROPRIAÇÃO CONTÁBIL DA DESPESA (TRANSAÇÃO ">CONCONTA" DO SIAFI). 7. EXPENDIDAS AS ORIENTAÇÕES CONTIDAS NOS ITENS ANTERIORES, ESTA SECRETARIA RESOLVEU ILUSTRAR A QUESTÃO DA CLASSIFICAÇÃO QUANTO À NATUREZA DE DESPESA, NOS SEGUINTES ESQUEMAS CODIFICADOS: A XX ONDE: "3 = CATEGORIA ECONÔMICA DA DESPESA/DESPESAS CORRENTES. 3 = GRUPO DE NATUREZA DA DESPESA - GND/OUTRAS DESPESAS CORRENTES. 90 = MODALIDADE DE APLICAÇÃO / APLICAÇÕES DIRETAS. 30 = ELEMENTO DE DESPESA (OBJETO DE GASTO) / MATERIAL DE CONSUMO. XX = SUB-ELEMENTO DE DESPESA/EX: 16 = MATERIAL DE EXPEDIENTE" B XX ONDE:

6 Pág 6 Chefe "4 = CATEGORIA ECONÔMICA DA DESPESA / DESPESAS DE CAPITAL. 4 = GRUPO DE NATUREZA DA DESPESA - GND/INVESTIMENTOS. 90 = MODALIDADE DE APLICAÇÃO / APLICAÇÕES DIRETAS. 30 = ELEMENTO DE DESPESA (OBJETO DE GASTO) / MATERIAL DE CONSUMO. XX = SUB-ELEMENTO DE DESPESA / EX: 16 = MATERIAL DE EXPEDIENTE". C XX ONDE: "3 = CATEGORIA ECONÔMICA DA DESPESA /DESPESAS CORRENTES 3 = GRUPO DE NATUREZA DA DESPESA - GND/OUTRAS DESPESAS CORRENTES. 90 = MODALIDADE DE APLICAÇÃO / APLICAÇÕES DIRETAS. 15 = ELEMENTO DE DESPESA (OBJETO DE GASTO) / DIÁRIAS MILITAR. XX = SUB-ELEMENTO DE DESPESA / EX: 14 = DIÁRIAS NO PAÍS". D XX ONDE: "4 = CATEGORIA ECONÔMICA DA DESPESA/DESPESAS DE CAPITAL. 4 = GRUPO DE NATUREZA DA DESPESA - GND /INVESTIMENTOS. 90 = MODALIDADE DE APLICAÇÃO / APLICAÇÕES DIRETAS. 15 = ELEMENTO DE DESPESA (OBJETO DE GASTO) / DIÁRIAS - MILITAR. XX = SUB-ELEMENTO DE DESPESA/EX: 14 = DIÁRIAS NO PAÍS". 8. O OBJETIVO DO ESQUEMA DE CLASSIFICAÇÃO DE NATUREZA DA DESPESA ABORDADO NO "ITEM 7. ANTERIOR", É MOSTRAR AOS OD QUE A EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA DA DESPESA, SEJA NO "GND - 3" OU NO "GND - 4", MANTÉM CERTA CORRESPONDÊNCIA DE DIVERSOS ELEMENTOS DE DESPESAS, COM DETALHAMENTO E DESDOBRAMENTO ATÉ O NÍVEL SUBELEMENTO DE DESPESA, CABENDO AO PRÓPRIO OD, NO PLANEJAMENTO DA EXECUÇÃO DA DESPESA ORÇAMENTÁRIA, SEJA SOB A FORMA DE DESCENTRALIZAÇÃO INTERNA DE CRÉDITOS OU DESCENTRALIZAÇÃO EXTERNA DE CRÉDITOS (DESTAQUE), PELOS ÓRGÃOS DE DIREÇÃO SETORIAL - ODS E ÓRGÃO DE DIREÇÃO GERAL - ODG, IDENTIFICAR ADEQUADAMENTE O "OBJETO DE GASTO" RELATIVO À CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL, ESTA, ENTENDIDA COMO "FUNÇÃO" E "SUBFUNÇÃO", INCLUIDA NA ESTRUTURA PROGRAMÁTICA DO ORÇAMENTO. BRASÍLIA-DF, 29 DE MARÇO DE 2010 GEN DIV CARLOS HENRIQUE CARVALHO PRIMO SUBSECRETÁRIO DE ECONOMIA E FINANÇAS b. Execução Financeira 1) Prestação de Contas de Convênio Transcrevo abaixo o documento sobre o assunto: Brasília-DF, 25 de fevereiro de 2010 Of n 002-S/3 D Cont -Circular Do Diretor de Contabilidade Ao Sr Chefe da 5ª Inspetoria de Contabilidade e Finanças do Exército Assunto: prestação de contas de convênio 1. Versa o presente expediente sobre prestação de contas de convênio.

7 Pág 7 Chefe 2. Com a finalidade de dirimir dúvidas sobre os procedimentos a serem adotados para prestação de contas de convênio, informo a essa chefia que conforme o Decreto n 6.170, de 25 de julho de 2007, orienta sobre a celebração, liberação de recursos, acompanhamento da execução de prestação de contas de convênio. 3. Outrossim, a Portaria n 127-MF/MPOG, de 29 de maio de 2008, alterada pela Portaria n 165-MF/MP, de 20 Jun 08, prescreve que após 31 Dez 09, os convênios firmados até 29 de maio de 2008 e que estejam vigentes deverão ser extintos ou registrados no SICONV. 4. Finalmente, oriento essa chefia a cumprir o estabelecido na MACROFUNÇÃO SIAFI Convênios (com a nova conceituação do Decreto n 6.170/2007 de que esse instrumento somente será considerado quando apenas um dos entes participar do Orçamento Geral da União e do SIAFI) que o registro da prestação de contas do convênio deverá ser efetivado pela UG (convenente), com base no processo correspondente, bem como os passos de aceitação do objeto acordado, assim como os passos subseqüentes, à vista do documento de aceitação do objeto, emitido pelo concedente. Gen Bda PAULO CESAR SOUZA DE MIRANDA Diretor de Contabilidade c. Execução Contábil 1) Msg nº 172-S/3 D CONT-Alteração na Rotina de Suprimento de Fundos (Transcrição Mensagem SIAFI 2010/ , de 04/03/10. da D CONT) DO: SUBDIRETOR DE CONTABILIDADE À: ICFEX / IMBEL / FUNDACAO OSORIO / FUNDO DO EXERCITO 1. VERSA A PRESENTE MENSAGEM SOBRE ALTERAÇÃO DE ROTINA DE SUPRIMENTO DE FUNDOS. 2. INCUMBIU-ME O SR DIRETOR DE CONTABILIDADE DE RETRANSMITIR A ESSA CHEFIA, A MSG SIAFI NR 2010/ , DE 03, MAR 10, DA COORDENACAO GERAL DE CONTABILIDADE CCONT/STN: SENHORES USUARIOS, INFORMAMOS QUE FOI ALTERADA A ROTINA DE RECOLHIMENTO DE TRIBUTOS EM SUPRIMENTO DE FUNDOS NOS SEGUINTES ASPECTOS: QUANDO O SUPRIDO EFETUAR O SAQUE PELO VALOR BRUTO E DEVOLVER O VALOR A SER RETIDO, O GESTOR DEVERA FAZER UM NOVO DOCUMENTO HABIL UTILIZANDO A SITUACAO E83 COM A RESPECTIVA DEDUCAO INSS, DAR OU ISS. DEVERA SER INFORMADA, NA SEGUNDA TELA DE DADOS BASICOS A VINCULACAO EM QUE O PAGAMENTO DEVERA SER REALIZADO ESSA INFORMACAO SERVIRA PARA REGULARIZAR A VINCULACAO 987 DA CONTA , LANCADA NO MOMENTO DA GRU. A FONTE PARA PAGAMENTO DEVERA SER INFORMADA NO MOMENTO DA DEDUCAO, PARA REGULARIZAR A FONTE DA CONTA , LANCADA NO MOMENTO DA GRU. QUEM JA HAVIA UTILIZADO AS DEDUCOES INSU OU DASU, PODERA REALIZA-LAS NORMALMENTE NA CONFLUXO, MAS ELAS NAO PODERAO SER INCLUIDAS EM NOVOS DOCUMENTOS HABEIS. ESSA ALTERACAO SE DEVE AO FATO DE A ROTINA ANTIGA (SITUACAO E83 COM DEDUCOES INSU OU DASU ) ESTAR IMPACTANDO A EQUACAO 147, QUE EXIGE O CONTROLE POR EMPENHO EM TODAS AS ROTINAS QUE ENVOLVAM PASSIVOS FINANCEIROS, COM A ALTERACAO EFETUADA, A NOVA ROTINA IRA BAIXAR A CONTA , RECLASSIFICAR A

8 Pág 8 Chefe CONTA PARA A FONTE E VINCULACAO ORIGINAIS E REGISTRAR O CONTROLE POR EMPENHO DO PAGAMENTO. INFORMAMOS QUE O MANUAL SIAFI WEB, MACRO FUNCAO , FOI ALTERADO NESSE ASPECTO, ITENS E FOI ALTERADO TAMBEM O ITEM ORIENTACAO PARA PAGAMENTO DE FATURAS EM FEVEREIRO DO ANO SEGUINTE. ATENCIOSAMENTE CCONT/STN 3. EM CONSEQUENCIA, INCUMBIU-ME AINDA, O SENHOR DIRETOR DE CONTABILIDADE DE SOLICITAR A ESSA CHEFIA QUE ORIENTE AS UG VINCULADAS A ESSA ICFEX. BRASILIA-DF, 04 DE MARCO 2010 JOSE ARNORIO FERRAO DE ALBUQUERQUE NETO CEL 2) Regularização de OB Cancelada x Equação 147 (Transcrição Mensagem SIAFI 2010/ , de 03/10/10, da CCONT/STN A COORDENACAO-GERAL DE CONTABILIDADE CCONT, DA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL STN, INFORMA A TODAS AS UG QUE NO INTUITO DE EVITAR REGISTROS DE RESTRICAO POR MEIO DA EQUACAO 147, DEVIDO A REGISTROS DE DOCUMENTOS, CUJO FAVORECIDO AINDA NAO SE CONHECE, AS ORDENS BANCARIAS CANCELADAS, CUJO FAVORECIDO AINDA NAO SE CONHECE, AS UG DEVERAO APROPRIAR UM DOCUMENTO DO TIPO FE COM A OPCAO RF02 NA TELA DE OUTROS LANCAMENTOS E A SITUACAO U30 NA TELA DE DESPESAS A ANULAR. ESSES PRIMEIRO PASSOS ESTORNARAO OS VALORES PARA O CREDITO DISPONIVEL, COMO PODE ACONTECER DE NAO SE IDENTIFICAR O DESTINATARIO DO PAGAMENTO DENTRO DO EXERCICIO DE DEVOLUCAO DA OB, AS UG DEVERAO APROPRIAR NOVO DOCUMENTO FOLHA COM A SITUACAO ADEQUADA (W01 POR EXEMPLO) E NO CAMPO OBSERVACAO MENCIO-EXPRESSAMENTE QUE SE TRATAM DE VALORES REFERENTES A ORDEM BANCARIA CANCELADA PARA QUE NAO PERCA OS CREDITOS E TENHA QUE ONERAR O ORCAMENTO DO ANO SEGUINTE COM O PAGAMENTO QUE NAO PERTENCE AO EXERCICIO. PARA PAGAMENTOS QUE SE REALIZARAO DE IMEDIATO AS UG PODEM MANTER OS PROCEDIMENTOS DE PRAXE DISPONIBILIZADOS NO SITIO DO TESOURO NACIONAL (VEJA LINK ABAIXO). ATENCIOSAMENTE CCONT/STN / 03 MARCO DE ) Msg nº 184-S/3 D Cont - Saldo Alongado - EQ-147 (Transcrição Mensagem SIAFI 2010/ , de 11/03/10, da D CONT) DO: SUBDIRETOR DE CONTABILIDADE AO; SR CHEFE DE ICFEX 1. VERSA A PRESENTE MENSAGEM SOBRE SALDOS ALONGADOS COM REFLEXOS NA EQUACAO INCUMBIU-ME O SR DIRETOR DE CONTABILIDADE DE INFORMAR A ESSA CHEFIA QUE NO MES DE FEVEREIRO FORAM OBSERVADAS ALGUMAS SITUACOES PASSIVEIS DE REGISTRO DE CONFORMIDADE CONTABIL COM RESTRICAO NO CMDO DO EXERCITO ORGAO, ELENCADAS ABAIXO E O PROCEDIMENTO PARA A DEVIDA CORRECAO; A A UG AO LIQUIDAR OU INCLUIR AS DEDUCOES TRIBUTARIAS, INFORMA EQUIVOCADAMENTE OUTRA UG COMO PAGADORA, (UTILIZAR O E EVENTO PARA TRANSFERIR A OBRIGACAO PARA A UG DE ORIGEM);

9 Pág 9 Chefe B. A UG RECEBE DO CPEX PROGRAMACAO FINANCEIRA, QUE CARREGA A CONTA CONTABIL OUTROS CONSIGNATARIOS, (PROCEDER DE IMEDIATO A REGULARIZACAO); E C. A UG REGISTRA A APROPRIACAO DE MOVIMENTACAO DE PESSOAL INDEVIDAMENTE NO CPR UTILIZA A SITUACAO P33, (DEVERA ESTORNAR O DOCUMENTO HABIL E GERAR OUTRO NA TRANSACAO ATUFOLHA). 3. CASO ESSA CHEFIA ENCONTRE OUTRAS SITUACOES EM QUE REFLITAM NA EQUACAO 147, SOLICITO QUE INFORME A ESTA DIRETORIA PARA ANALISE E ORIENTACAO. 4. EM CONSEQUENCIA, INCUMBIU-ME AINDA, O SENHOR DIRETOR DE CONTABILIDADE DE SOLICITAR A ESSA CHEFIA QUE ORIENTE AS UG VINCULADAS A ESSA ICFEX. BRASILIA-DF, 11 DE MARCO 2010 JOSE ARNOBIO FERRAO DE ALBUQUERQUE NETO CEL SUBDIRETOR DE CONTABILIADE 4) Conformidade Contábil Março /2010 (Transcrição Mensagem SIAFI 2010/ , de 12/03/10, da CCONT/STN) DA: COORDENAÇÃO-GERAL DE CONTABILIDADE CCONT/STN PARA; SETORIAIS CONTABEIS E DEMAIS UNIDADES GESTORAS INFORMAMOS AS UNIDADES GESTORAS DO SISTEMA QUE EM ATENCAO AS DISPOSICOES CONTIDAS NA MACROFUNCAO REAVALIACAO, REDUCAO A VALOR RECUPERAVEL, DEPREC, AMORT, E EXAUSTAO DA ADM, DIRETA DA UNIAO, AUTARQ, E FUND, EM ESPECIAL AO ITEM 4 E, AINDA COM BASE NAS INFORMACOES REPASSADAS AS SETORIAIS CONTABEIS NOS EVENTOS RELATIVOS AO ENCERRAMENTO DO EXERCICIO NOS ANOS DE 2008 E 2009, INFORMAMOS QUE A AUSENCIA DOS REGISTROS REFERENTES AS SITUACOES QUE TRATAM A MACROFUNCAO SUPRA, SERAO ALVO DE RESTRICAO CONTABIL A PARTIR DO MES DE MARCO/2010. NA APORTUNIDADE, INFORMAMOS A EXISTENCIA DOS CODIGOS DE RESTRICAO CONTABIL QUE PODERAO SER UTILIZADOS NA CONFORMIDADE; FALTA D ATUALIZ, MONT, ATIVOS PERMANENTES 106 FALTA DE DEPRECIACAO DE ATIVOS PERMANENTES 107 FALTA DE AMORTIZACAO DE ATIVOS PERMANENTES 108 FALTA DE AXAUSTAO DE ATIVOS PERMANENTES COM RELACAO A CONFORMIDADE BGU, INFORMAMOS QUE SERAO ALVO DE RESTRICAO NO MES DE MARCO/2010, AS SEGUINTES EQUACOES, ALEM DAS JAH COBRADAS; 152 CHEQUES DEVOLVIDOS 153 LIMITE DE SAQUE EMP CONTRA ENTREGA X COTA EMPENHO 159 CONTROLE ARRECADACAO DE RECEITA 161 CONTROLE MATERIAL CONSUMO 165 COTAS DE SUB REPASSE X COTAS DESP ORC SUB REPASSE 166 DEPOSITOS POR DEVOLUCAO DE VALORES SOMENTE UG CONTROLE DE VALORES ATENCIOSAMENTE CCONT/STN 5) Esclarecimento Registro Depreciação, Amortização e Exaustão (Transcrição Mensagem SIAFI 2010/ , de 17/03/10, da CCONT/STN) PREZADOS SENHORES,

10 Pág 10 Chefe COM REFERENCIA A OBRIGATORIEDADE DO REGISTRO DA DEPRECIACAO, AMORTIZACAO E EXAUSTAO ESCLARECEMOS O SEGUINTE; 1. A NBCASP 16.9 APROVADA PELA RESOLUCAO 1.136/2008 ESTABELECEU CRITERIOS E PROCEDIMENTOS PARA O REGISTRO CONTABIL DA DEPRECIACAO, DA AMORTIZACAO E DA EXAUSTAO. 2. O REGISTRO DESSES FATOS BUSCA O RESGATE DA CONTABILIDADE PATRIMONIAL, FORNECENDO QUALIDADE, RELAVANCIA E CREDIBILIDADE A INFORMACAO CONTABIL. 3. FAVORECE A IMPLANTACAO DO SISTEMA DE CUSTOS, QUE PERMITIRA A AVALIACAO E O ACOMPANHAMENTO DA GESTAO ORCAMENTARIA, FINANCEIRA E PATRIMONIAL, EM CONFORMIDADE AO ART. 50, DA LRF 101/2000. ESCLARECEMOS AINDA QUE O REGISTRO DA CONFORMIDADE CONTABIL COM RESTRICAO NAO EH UM INSTRUMENTO PUNITIVO, O QUE SE BUSCA E EVIDENCIAR SE A INFORMACAO CONTABIL ESTA OBSERVANDO PARCIAL OU INTEGRALMENTE OS PRINCIPIOS FUNDAMENTAIS DE CONTABILIDADE E A LEGISLACAO VIGENTE. ENTENDEMOS TAMBEM QUE A FALTA DO REGISTRO DA DEPRECIACAO, AMORTIZACAO E EXAUSTAO EVIDENCIARIA A NECESSIDADE DE IMPLANTACAO DE MECANISMOS PARA A COMPLETA OPERACIONALIZACAO DO REFERIDO PROCEDIMENTO. POR FIM, RESSALTAMOS QUE SE TRATA DE UMA DEMANDA EXIGIDA PELA LEGISLACAO VIGENTE E PELAS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PUBLICO, DEVENDO SEM NORMATIZADA E IMPLEMENTADA. DIANTE DO EXPOSTO, COLOCANDO-NOS A DISPOSICAO PARA AUXILIAR NO QUE FOR CABIVEL. ATENCIOSAMENTE CCONT/STN d. Execução de Licitações e Contratos 1) Determinação do TCU - A/2 SEF (Transcrição Mensagem SIAFI 2010/ , de 09/03/10, da SEF) DO: SUBSECRETARIO DE ECONOMIA E FINANCAS AOS: SENHORES ORDENADORES DE DESPESAS REF: OFICIO N 34-SCCR/D AUD, DE 04 DE FEVEREIRO DE 2010, DO DIRETOR DE AUDITORIA. 1. EM ATENDIMENTO A SOLICITACAO CONTIDA NO DOCUMENTO DA REFERENCIA, ESTA SECRETARIA RESOLVEU DIFUNDIR AS DETERMINAÇÕES CONTIDAS NO ACORDAO N 79/2010-TCUPLENARIO, DE 27 DE JANEIRO DE 2010, CONFORME SEGUE: A ATENDA AO ART 7 DA LEI 8.666/1993, EM ESPECIAL O INCISO II, DO Nº 2; B. ABSTENHA-SE DE EFETUAR DESCLASSIFICACAO DIRETA DE LICITANTES PELA APRESENTACAO DE PROPOSTA QUE CONTENHAM PRECOS CONSIDERADOS INEXEQUIVEIS, SEM QUE ANTES LHES SEJA FACULTADA OPORTUNIDADE DE APRESENTAR JUSTIFICATIVAS PARA OS VALORES OFERTADOS; C. AO REALIZAR COTACAO DE PRECOS PARA ELABORACAO DO ORCAMENTO-BASE DA LICITACAO, DISPONIBILIZE, PREVIAMENTE, AS EMPRESAS CONSULTADAS A DETALHADA ESPECIFICACAO DE TODOS OS SERVICOS A SEREM PRESTADOS;

11 Pág 11 Chefe D. ABSTENHA-SE DE INCLUIR NO CERTAME ITENS DE SERVICO QUE NAO POSSUAM ESTIMATIVAS DE PRECOS, QUE TENHAM VEDADA A APRESENTACAO DE COTACOES POR PARTE DAS LICITANTES E QUE SEJAM REMUNERADOS COM BASE EM TAXA DE ADMINISTRACAO, ARBITRADA EM 3% O QUE CARACTERIZA SITUACAO IRREGULAR DE REGIME DE ADMINISTRACAO CONTRATADA; E. ESPECIFIQUE O OBJETO DO CERTAME DE FORMA CLARA E DIRETA, SEM UTILIZAR TERMOS GENERICOS E CONFUSOS QUE VENHAM A PREJUDICAR A IDENTIFICACAO DO REAL OBJETIVO DA CONTRATACAO A SER EFETIVADA; F. ABSTENHA-SE DE INCLUIR EM UM MESMO CERTAME SERVICOS ASSOCIADOS A REALIZACAO DE EVENTOS E SERVICOS AFETOS A EMPRESAS DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA; BRASILIA-DF, 09 DE MARCO DE 2010 GEN DIV MARCIO ROSENDO DE MELO SUBSECRETARIO DE ECONOMIA E FINANCAS 2) Cadastro Nacional de Empresas Inidôneas e Suspensas (CEIS) - A/2 (Transcrição Mensagem SIAFI 2010/ , de 2010/ , de 24/03/10, SEF) DO: SUBSECRETÁRIO DE ECONOMIA E FINANÇAS AOS: SENHORES ORDENADORES DE DESPESAS REF: MENSAGEM SIAFI 2009/ SEF, DE 16 DE FEVEREIRO DE INFORMO AOS ORDENADORES DE DESPESAS (OD) QUE DE ACORDO COM A PORTARIA CGU Nº 516, DE 15 DE MARÇO DE 2010, PUBLICADA NA SEÇÃO 1, PÁGINA 2, DO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO (DOU), DE 16 DE MARÇO DE 2010, O SENHOR MINISTRO DE ESTADO DO CONTROLE E DA TRANSPARÊNCIA RESOLVEU INSTITUIR O CADASTRO NACIONAL DE EMPRESAS INIDÔNEAS E SUSPENSAS - CEIS. 2. O CEIS É UM BANCO DE DADOS QUE TEM POR FINALIDADE CONSOLIDAR E DIVULGAR A RELAÇÃO DE EMPRESAS OU PROFISSIONAIS QUE SOFRERAM SANÇÕES QUE TENHAM COMO EFEITO "RESTRIÇÃO AO DIREITO DE PARTICIPAR EM LICITAÇÕES OU DE CELEBRAR CONTRATOS COM A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA" E CONTERÁ O REGISTRO DAS SEGUINTES SANÇÕES: A. SUSPENSÃO TEMPORÁRIA DE PARTICIPAÇÃO EM LICITAÇÃO E IMPEDIMENTO DE CONTRATAR COM A ADMINISTRAÇÃO, CONFORME DISPOSTO NO ART. 87, INCISO III, DA LEI Nº 8.666/1993, QUE REGULAMENTA O ARTIGO 37, INCISO XXI, DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL, INSTITUI NORMAS PARA LICITAÇÕES E CONTRATOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS; B. DECLARAÇÃO DE INIDONEIDADE PARA LICITAR OU CONTRATAR COM A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, CONFORME DISPOSTO NO ART. 87, INCISO IV, DA LEI Nº 8.666/1993; C. IMPEDIMENTO DE LICITAR E CONTRATAR COM A UNIÃO, ESTADOS, DISTRITO FEDERAL OU MUNICÍPIOS, CONFORME DISPOSTO NO ART. 7º DA LEI , DE 2002, QUE INSTITUI NO ÂMBITO DA UNIÃO, ESTADOS, DISTRITO FEDERAL E MUNICÍPIOS, NOS TERMOS DO ARTIGO 37, INCISO XXI, DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL, MODALIDADE DE LICITAÇÃO DENOMINADA PREGÃO, PARA AQUISIÇÃO DE BENS E SERVIÇOS COMUNS, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS; D. PROIBIÇÃO DE CONTRATAR COM O PODER PÚBLICO E RECEBER BENEFÍCIOS E INCENTIVOS, CONFORME DISPOSTO NO ART. 12 DA LEI Nº 8.429, DE 1992, QUE DISPÕE SOBRE SANÇÕES APLICÁVEIS AOS AGENTES PÚBLICOS NOS CASOS DE ENRIQUECIMENTO ILÍCITO NO EXERCÍCIO DE MANDATO, CARGO, EMPREGO OU FUNÇÃO PÚBLICA DIRETA, INDIRETA OU FUNDACIONAL, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS;

12 Pág 12 Chefe E. PROIBIÇÃO DE PARTICIPAR DE LICITAÇÕES E DE CONTRATAR COM O PODER PÚBLICO, CONFORME DISPOSTO NO ART. 81, 3º, DA LEI Nº 9.504, DE 1997, QUE ESTABELECE NORMAS PARA AS ELEIÇÕES; F. DECLARAÇÃO DE INIDONEIDADE PELO TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, CONFORME DISPOSTO NO ART. 46 DA LEI Nº 8.443, DE (Transcrição Mensagem SIAFI 2010/ , de 05/03/10, da DGO) DO SUBDIRETOR DE GESTAO ORCAMENTARIA AO SRS ORDENADORES DE DESPESAS E CHEFES DE ICFEX 1. REFERENTE A PROVISAO DE CREDITO SEM SUB-REPASSE (RECURSOS PROPRIOS FONTES PARES), INFORMO A ESSE ORDENADOR DE DESPESAS/ESSA CHEFIA O QUE SEGUE: A. AS SOLICITACOES DE CREDITO SEM SUB-REPASSE ENVIADAS A ESTA DIRETORIA, NO PERIODO DE 24 DE FEVEREIRO ATE A PRESENTE DATA NAO FORAM ATENDIDAS, DEVIDO A NECESSIDADE DE CONCILIACAO DOS SALDOS DE PROVISAO CONCEDIDA CONSTANTES DO SIAFI, COM OS SALDOS CONSTANTES NO MODULO DE CREDITO DO SISTEMA DE INFORMACOES GERENCIAIS E ACOMPANHAMENTO ORCAMENTARIO (SIGA) E, AINDA, A NAO LIBERACAO DA COTA DE LIMITE ORCAMENTARIO DA UNIDADE ORCAMENTARIA FUNDO DO EXERCITO (UG ) PELO GOVERNO FEDERAL; B. TODAS AS SOLICITACOES NAO ATENDIDAS SERAO DESCONSIDERADAS E ARQUIVADAS E A UG DEVERA REALIZAR NOVA SOLICITACAO NO MODULO DE CREDITO DO SIGA, A PARTIR DE 8 MARCO DE 2010, ACESSANDO O SEGUINTE ENDERECO: <HTTP://SIGA.SEF.EB.MIL.BR>; C. PARA TANTO, A 1992, QUE DISPÕE SOBRE A LEI ORGÂNICA DO TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS; E G. AS INFORMAÇÕES REFERENTES ÀS SANÇÕES NO ÂMBITO DA UNIÃO SERÃO COLETADAS PREFERENCIALMENTE POR MEIO DE CONSULTA À SEÇÃO 3 DO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO À EXCEÇÃO DAS SANÇÕES PREVISTAS NAS LETRAS "D" E "F", ACIMA. 3. A GESTÃO DO CEIS COMPETE À CORREGEDORIA-GERAL DA UNIÃO, QUE ADOTARÁ AS MEDIDAS QUE SE FIZEREM NECESSÁRIAS À REGULAMENTAÇÃO, À OPERACIONALIZAÇÃO, À COORDENAÇÃO E À DIVULGAÇÃO DO CADASTRO; E O CEIS SERÁ DISPONIBILIZADO AO PÚBLICO PERMANENTEMENTE POR MEIO DA REDE MUNDIAL DE COMPUTADORES, NO ENDEREÇO 4. ESTA SECRETARIA INFORMA, AINDA, QUE NÃO OBSTANTE A INSTITUIÇÃO DO CEIS, A ADMINISTRAÇÃO DAS UG, BEM COMO OS INTEGRANTES DAS COMISSÕES DE LICITAÇÃO, OS PREGOEIROS E SUAS EQUIPES DE APOIO, DISPÕEM DE INSTRUMENTOS DE CONSULTA AO SISTEMA SIASG, SUBSISTEMA SICAF, NOS "MÓDULOS" E "TRANSAÇÕES" A SEGUIR DESCRITOS: A. MÓDULO "CONGERFORN - CONSULTAS GERAIS "CONSITFORN - CONSULTA SITUAÇÃO FORNECEDOR"; B. MÓDULO OCORRÊNCIAS"; E "OCORRÊNCIA" DO FORNECEDOR", TRANSAÇÃO TRASAÇÃO "CONREGOCOR - CONSULTA REGISTRO C. MÓDULO "REPRESENT - REPRESENTANTE", TRANSAÇÃO "CONREP- CONSULTA REPRESENTANTE DA EMPRESA". 5. DIANTE DO EXPOSTO ACIMA, ESTA SECRETARIA RECOMENDA AOS OD A OBRIGATORIEDADE DE UTILIZAÇÃO DO BANCO DE DADOS DO CEIS, BEM COMO DAS TRANSAÇÕES DISPONIBILIZADAS NO SIASG, NA CONDUÇÃO DOS PROCESSOS LICITATÓRIOS SOB SUA RESPONSABILIDADE. BRASÍLIA-DF, 24 DE MARÇO DE 2010

13 Pág 13 Chefe GEN DIV CARLOS HENRIQUE CARVALHO PRIMO SUBSECRETÁRIO DE ECONOMIA E FINANÇAS e. Pessoal 1) Servidor Civil - Pagamento Atrasado de Adicionais (Transcrição Mensagem SIAFI 2010/ , de 12/03/10, do CPEX) DO: OD CPEX AO: SR OD DAS UG COM ENCARGO DE PAGAMENTO DE PESSOAL CIVIL ASSUNTO: SERVIDOR CIVIL - PAGAMENTO ATRASADO DE ADICIONAIS MSG TODAS AS UG N 004-S3C-CPEX, DE 11 FEV TRATA A PRESENTE MENSAGEM SOBRE PAGAMENTO ATRASADO DE ADICIONAIS PARA SERVIDOR CIVIL. 2. INFORMO-VOS QUE O PAGAMENTO DE ATRASADOS DE ADICIONAIS SOMENTE SAO IMPLANTADOS, MEDIANTE AUTORIZACAO COMO PAGAMENTO DE PEQUENA MONTA, SOLICITADOS AO MINISTERIO DO PLANEJAMENTO, ORCAMENTO E GESTAO-MP, QUE AUTORIZA APOS CONSTAR NOS RESPECTIVOS MODULOS O REGISTRO DOS MESMOS. 3. DIANTE DO ACIMA EXPOSTO, INFORMO-VOS QUE OS ATRASADOS SOLICITADOS DE ADICIONAIS, SOMENTE SERAO PAGOS PARA AQUELES QUE TIVEREM A IMPLANTACAO NORMAL DO MES NO MODULO CORRESPONDENTE. 4. INFORMO-VOS, AINDA, QUE TODOS OS ADICIONAIS DEVEM SER PAGOS ATRAVES DO MODULO DE ADICIONAIS, CONFORME AS ORIENTACOES CONSTANTE DA MENSAGEM SIAFI NR E DE 06 DE FEVEREIRO DE 2009, DISPONIBILIZADA NA INTRANET DO CPEX SERVIDOR CIVIL ATIVO. BRASILIA-DF, 11 DE FEVEREIRO DE 2010 WALDIR GRILLI MAJOR - OD DO CPEX 2) Novo Sistema de Pagamento de Pessoal (SIPPES) do EB (Transcrição Mensagem SIAFI 2010/ , de 18/03/10, do CPEx) DO CHEFE DO CENTRO DE PAGAMENTO DO EXERCITO AOS SR(S) ORDENADORES DE DESPESAS TODAS UG CIRCULAR ASSUNTO: NOVO SISTEMA DE PAGAMENTO DE PESSOAL (SIPPES) DO EB MENSAGEM SIAFI NR 003 SIPPES/CPEX 1. INFORMO A TODOS OS USUARIOS DO SIPPES QUE OS AMBIENTES DE PRODUCAO (HTTPS;// E TREINAMENTO (HTTPS;//WWW.SIPPESCURSO.EB.MIL.BR/), DESSE SISTEMA, ESTARAO INDISPONIVEIS DE 29 DE MARCO DE 05 DE ABRIL DE 2010, PARA A REALIZACAO DE MANUTENCAO, COM OS SEGUINTES OBJETIVOS; (A) ATUALIZAR OS DADOS DO DGP ARMAZENADOS NA BASE DE DADOS CORPORATIVA (EBCORP); (B) SINCRONIZAR AMBOS OS AMBIENTES; E (C) IMPLANTAR UMA NOVA VERSAO DO REFERIDO SISTEMA, 2. NO PERIODO DE 06 A 12 DE ABRIL ESTARA DISPONIVEL APENAS O AMBIENTE DE TREINAMENTO, PARA QUE AS UG TESTEM AS FUNCIONALIDADES CORRIGIDAS E OUTRAS QUE PASSARAO A SER UTILIZADAS.

14 Pág 14 Chefe 3. SOLICITA-SE, ENCARECIDAMENTE, QUE AS UG TESTEM A VONTADE TODAS AS FUNCIONALIDADES NO AMBIENTE DE TREINAMENTO E INFORMEM A ESTE CENTRO OS PROBLEMAS OBSERVADOS, ATRAVES DO HELP-DESK (RITEX OU OU SOLICITA-SE QUE AS UG TESTE, ESPECIALMENTE, AS SEGUINTES FUNCIONALIDADES; (A) DADOS DO FAVORECIDO: MILITAR DA ATIVA, FERIAS, PENSAO ALIMENTICIA, ATIVIDADE ESPECIAL DE MILITARES, OCUPACAO DE PNR, TEMPO DE SERVICO E BENEFICIOS DE DEPENDENTE; (B) ORDEM JUDICIAL; (C) PARAMETROS DE PAGAMENTO; RUBRICAS; (D) PARAMETROS CADASTRAIS; ASSOCIAR CURSO; E (E) PROCESSO DE APROVACAO E HOMOLOGACAO, 4. A NOVA VERSAO DESSE SISTEMA, NO AMBIENTE DE PRODUCAO, ESTARA DISPONIVEL A PARTIR DO DIA 12 DE ABRIL, PARA A INSERCAO DE DADOS REAIS DE CADASTRO E PAGAMENTO. 5. O CPEX AGRADECE A COLABORACAO QUE VEM RECEBENDO DAS UG NA INSERCAO DE DADOS NO SIPPES, ASSIM COMO AS INFORMACOES RELATIVAS A PROBLEMAS NO NOVO SISTEMA DE PAGAMENTO, A VALIOSA COLABORACAO DAS UG VEM PERMITINDO A MELHORIA CONTINUA DESSE SISTEMA, QUE VEM SENDO UTILIZADO DESDE FEVEREIRO DE EVENTUAIS DUVIDAS PODERAO SER SANADAS COM O CEL WALTER, NO CENTRO DE PAGAMENTO DO EXERCITO, POR INTERMEDIO DO OU NOS TELEFONES (61) RITEX: / ). 7. A PARTIICIPACAO E COLABORACAO DA UG E MUITO IMPORTANTE; SIPPES,O SISTEMA QUE EM BREVE PAGARA TODOS NOS!. BRASILIA-DF, 18 DE MARCO DE 2010 MILTON PEREIRA DE ALBUQUERQUE JUNIOR CEL INT CHEFE INTERINO DO CENTRO DE PAGAMENTO DO EXERCITO 3) Militar da Ativa Compensação Pecuniária (Transcrição da Mensagem SIAFI 2010/ , de 24/03/10, da CPEx) DO; ORDENADOR DE DESPESAS DO CPEX AO; SR ORDENADORES DE DESPESAS ASSUNTO; MILITAR DA ATIVA COMPENSAÇÃO PECUNIARIA MSG TODAS AS UG N 208-S1.8-CPEX, DE 24 MAR VERSA O PRESENTE EXPEDIENTE SOBRE PAGAMENTO DE COMPENSACAO PECUNIARIA. 2. INCUMBIU-ME O SENHOR CHEFE DO CENTRO DE PAGAMENTO DE INFORMAR AOS SR ORDENADORES DE DESPESAS QUE O AMPARO LEGAL PARA SOLICITACAO DA COMPENSACAO PECUNIARIA E A PUBLICACAO EM BOLETIM INTERNO, POR OCASIAO DO DESLIGAMENTO DO MILITAR, DA SUA MODALIDADE DE LICENCIAMENTO. 3. A MODALIDADE PREVISTA PARA FINS DO DIREITO A PERCEPCAO DA COMPENSACAO PECUNIARIA E O LICENCIAMENTO EX-OFICIO POR TERMINO DE PROROGACAO DE TEMPO DE SERVICO (ALINEA A DO 3 DO ART 121 DO ESTATUTO DOS MILITARES). 4. O AMPARO LEGAL PARA O LICENCIAMENTO DOS MILITARES TEMPORARIOS E O ESTATUTO DOS MILITARES, PODENDO SER COMBINADOS COM OUTROS REGULAMENTOS OU NORMAS. 5. EM FACE DISSO, SOLICITO-VOS ATENCAO QUANTO A ESSA PUBLICACAO EM BOLETIM INTERNO, PROCEDIMENTO CONSIDERADO INDISPONIVEL PARA A GERACAO DESTE DIREITO.

15 Pág 15 Chefe 6. SOLICITO-VOS AINDA QUE, NOS CASOS DE RECEBIMENTO DE COMPENSACAO PECUNIARIA A MENOR, SEJA OBSERVADO O ITEM C DO ASSUNTO COMPENSACAO PECUNIARIA DO MANUAL DO USUARIO NR 1-CPEX (MILITAR DA ATIVA). BRASILIA 24 DE MARCO DE 2010 WALDIR GRILLI MAJ OD DO CPEX 2. Recomendações sobre Prazos Nada a considerar. 3. Soluções de Consultas UG de Origem Documentos de Respostas Of nº Asse Jur - 10(A1/SEF), de 23 Mar 10. ASSUNTO RESUMIDO CONSULTA: pagamentos de indenização de compensação pecuniária a sargento de carreira não estabilizado e que teve pedido de reengajamento indeferido. ONDE ENCONTRAR: Anexo A ao presente e página da SEF na Intranet 4. Atualização da Legislação, das Normas, dos Sistemas Corporativos e das Orientações para as UG ASSUNTO ONDE ENCONTRAR OBSERVAÇÕES Doações da Secretaria da Receita Federal do Portaria n Cmt Brasil - estabelece as condições para solicitação Ex, de 15 Ago 03 e recebimento, por cessão, de bens apreendidos, abandonados ou disponíveis, administrados pela Secretaria da Receita Federal. Tomar Conhecimento Anexo B Aprova as Normas para o Recebimento por Portaria n 12 Dlog, Cessão e/ou Doação do Material da Gestão do de 1 Out 03 Departamento Logístico, por Organizações Militares do Exército. Tomar Conhecimento Anexo C 5. Orientações a. Licenciamento Ambiental das Obras Militares - Seqüência de Ações O licenciamento ambiental é uma obrigação legal prévia à instalação de qualquer empreendimento ou atividade potencialmente poluidora ou degradadora do meio-ambiente. Nesse cenário que recomendamos observar o contido no Noticiário do Exército (NE) nº , de 25 fevereiro de 2010, bem como seu Encarte, o qual publica orientações da Diretoria de Patrimônio sobre Licenciamento Ambiental, constando de procedimentos de instauração do processo, ações preliminares, licenciamento prévio, licenciamento especial, licenciamento de instalação, licenciamento de operação, bem como um tópico específico sobre licenciamento de obras militares.

16 Pág 16 Chefe b. Acesso à Página da Assessoria 2 na Intranet da SEF (Transcrição Mensagem SIAFI 2010/ , de 30/03/10, da SEF) DO: SUBSECRETÁRIO DE ECONOMIA E FINANÇAS AOS: SENHORES CHEFES DE ICFEX REF: MSG SIAFI Nº 2008/ , DE 03 DE SETEMBRO DE 2008, DA SEF. 1. EM COMPLEMENTO À MSG DE REFERÊNCIA, INFORMO-VOS QUE A FIM DE FACILITAR O ACESSO ÀS INFORMAÇÕES PRODUZIDAS NO ÂMBITO DESTA SECRETARIA, ESTÃO DISPONIBILIZADOS NA PÁGINA DA ASSESSORIA2, NA INTRANET DA SEF (HTTP://INTRANET.SEF.EB.MIL.BR/SEF/ASSESSORIA2/MAPAS MENTAIS. HTML OU CLICANDO EM NOVIDADES, MAPAS MENTAIS), DOCUMENTOS QUE REFLETEM O TEOR DOS ASSUNTOS QUE NORMALMENTE SÃO OBJETO DE CONSULTA A ESTE ÓRGÃO DE DIREÇÃO SETORIAL. 2. TRATA-SE DA ELABORAÇÃO DE MAPAS CONCEITUAIS E MAPAS MENTAIS, OS QUAIS CONSTITUEM-SE EM UM INSTRUMENTO DE APRENDIZAGEM, MEMORIZAÇÃO, ORGANIZAÇÃO E SÍNTESE DE INFORMAÇÕES, SOBRE OS ASSUNTOS QUE SE SEGUEM. A. CONFORMIDADE DOS REGISTROS DE GESTÃO. B. FISCAL DE CONTRATO. C. ROL DOS RESPONSÁVEIS. D. SUPRIMENTO DE FUNDOS. E. DESPESAS COM OCS/PSA. F. AQUISIÇÃO NA UA. G. FUNÇÃO DE CMT, AGENTE DIRETOR E ORDENADOR DE DESPESAS. H. APURAÇÃO DE INDÍCIOS DE IRREGULARIDADE ADMINISTRATIVA. I. ANTECIPAÇÃO DE PAGAMENTO. J. EXPECTATIVA DE CRÉDITO. K. CONTROLES INTERNOS ADMINISTRATIVOS. L. AUXÍLIO FUNERAL. M. PEDIDOS DE INFORMAÇÕES E CONSULTAS À SEF. N. NOTA FISCAL ELETRÔNICA. O. REMUNERAÇÃO MILITAR. P. EXERCÍCIOS ANTERIORES. 3. INFORMO A ESSA CHEFIA QUE OS MAPAS CONCEITUAIS FORAM PRODUZIDOS COM FULCRO NA LEGISLAÇÃO VIGENTE; PROPOSTOS COMO UMA ESTRATÉGIA POTENCIALMENTE FACILITADORA DE UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA; E COMO INSTRUMENTOS AUXILIARES PARA ORIENTAÇÃO E APOIO TÉCNICO AOS AGENTES DAS UNIDADES GESTORAS, SEJA POR OCASIÃO DA REALIZAÇÃO DO SIMPÓSIO DE ADMINISTRAÇÃO DAS UG, BEM COMO DURANTE A REALIZAÇÃO DE TREINAMENTOS E ESTÁGIOS PROMOVIDOS POR ESSA SETORIAL CONTÁBIL BRASÍLIA - DF, 29 DE MARÇO DE 2010 GEN DIV CARLOS HENRIQUE CARVALHO PRIMO SUBSECRETÁRIO DE ECONOMIA E FINANÇAS c. Mnt de PNR Funcionais de Cmt, Chefes e Diretores e de OM (Transcrição Mensagem SIAFI 2010/ , de 23/03/10, da DGO) DO DIRETOR DE GESTAO ORCAMENTARIA AO SRS ORDENADORES DE DESPESAS E CHEFES DE ICFEX ASSUNTO: MANUTENCAO DE PNR FUNCIONAIS DE CMT, CHEFES E DIRETORES, DE OM. REFERENCIA: PORTARIA N 10/SEF, DE 25 OUT 07.

17 Pág 17 Chefe REFERENTE A MANUTENCAO DE PNR FUNCIONAIS DE CMT, CHEFES E DIRETORES, INFORMO A ESSE ORDENADOR DE DESPESAS/CHEFIA O QUE SE SEGUE; A TEM OCORRIDO UM GRANDE NUMERO DE SOLICITACOES DE RECURSOS PARA O ATENDIMENTO DAS NECESSIDADES REFERENTES AOS PNR FUNCIONAIS EM DESACORDO COM AS ORIENTACOES CONTIDAS NO DOCUMENTO CITADO NA REFERENCIA; B. A COMPRA DE ITENS DE NATUREZA PESSOAL COMO POR EXEMPLO, ROUPAS DE CAMA, MESA E BANHO, FORNO MICROOONDAS, PURIFICADORES DE AGUA, ETC EH PROIBIDA POR DECISAO PROFERIDA PELO TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIAO (TCU) COM BASE NA LEI DE DIRETRIZES ORCAMENTARIAS (LDO), QUE PROIBE A AQUISICAO DE MOBILIARIOS E EQUIPAMENTOS DE USO PESSOAL PARA AS UNIDADES RESIDENCIAIS DE REPRESENTACAO FUNCIONAL; E C. FACE AO EXPOSTO, DETERMINO O FIEL CUMPRIMENTO DAS ORIENTACOES CONTIDAS NA PORTARIA N 10/SEF, DE 25 OUT 07, QUANTO A SOLICITACAO E EMPREGO DE RECURSOS NOS PNR FUNCIONAIS DE CMT, CHEFES E DIRETORES DE OM. BRASILIA-DF, 23 DE MARCO DE GEN DIV CARLOS HENRIQUE CARVALHO PRIMO DIRETOR DE GESTAO ORCAMENTARIA 6. Mensagem SIAFI e SIASG - A Msg SIAFI SEF, de 09/03/10, informa sobre condenação definitiva por atos de impropriedade administrativa as pessoas abaixo, conforme a ação civil publica n 100/ , transitada em julgado em 04/05/2009, na 1ª Vara da Comarca de Girua/RS, ficando proibidos de contratar com o poder publico pelo prazo de 03 (três) anos: Luis Antonio Giovelli, Jarbas Luis John, Anna Luiza Pilau Donini, Laureano Antonio Chitolina e Planterra Pavimentações LTDA (Pessoa Jurídica). - Dentre outras pretéritas, a Msg SIASG DLSG/SIASG, de 01 Mar 10, alerta sobre a obrigatoriedade de informar dados do empenho junto a Imprensa Nacional quando do envio de matéria e que se encaminhadas sem essas informações poderão ser devolvidas. As UG que ainda não tenham empenho com a IN no corrente exercício deverão informar o empenho de 2009, para efeito de faturamento. - A Msg C Cont/STN, de 11/03/10, informa a todos os gestores que a MACROFUNÇÃO Manual de Regularizações Contábeis foi atualizada. Foram incluídas orientações sobre regularização da equação 17 - saldo na conta , item D, OB emitida pelo ATUFOLHA. - A Msg C Cont/STN, de 12/03/10, informa que o evento para inclusão de saldo, no SIAFI Educacional, na conta limite financeiro é através da transação >NL e na conta credito disponível é , através da transação >NDSOF. - A Msg C Cont/STN, de 24/03/10, informa que a MACROFUNÇÃO do Manual SIAFI WEB, que trata de suprimento de fundos foi atualizada, sendo alterados os Itens e , sobre o procedimento para recolhimento de ISS para municípios não conveniados e Títulos das tabelas. - A Msg C Cont/STN, de 26/03/10, informa que o Manual SIAFI WEB, MACROFUNÇÃO reavaliação, redução a valor recuperável, depreciação, amortização e exaustão na Adm Direta da União, Autarquias e Fundações foi atualizado, sendo incluídos os seguintes itens: Reavaliação de Bens Imóveis Ex. Anteriores

18 Pág 18 Chefe Reavaliação de Bens Móveis Ex. Anteriores e Reavaliação de Bens Intangíveis Ex. Anteriores Redução ao Valor Recuperável Ex. anteriores - A Msg C Cont/STN, de 26/03/10, informa que o Manual SIAFI WEB, MACROFUNÇÃO Apropriação da Arrecadação de Receitas Federais foi atualizado. 4ª PARTE Assuntos Gerais 1. Informações do Tipo Você sabia...? - Pagamentos Indevidos - Devolução de Valores - Apuração de Responsabilidades Cobrança O Parecer nº 048/Aj/SEF, de 13 de agosto de 2009, expõe entendimento acerca da responsabilização de agentes beneficiados por atos de irregularidade administrativa, bem como dos encarregados pela execução de tais atos. O militar, deverá ser consultado se concorda, voluntariamente, mediante declaração expressa, em fazer a devolução das quantias recebidas indevidamente, limitado à prescrição quinquenal, a partir da data da solução da autoridade instauradora da sindicância. Não havendo concordância do militar em devolver as importâncias recebidas a maior, a Organização Militar, caso não tenha sido devidamente apurado anteriormente, deverá instaurar uma nova sindicância a fim de buscar-se a responsabilização do(s) agente(s) encarregado(s) do ato de implantação que foram pagas indevidamente, tais como, Ordenador de Despesas, Encarregado do Setor de Pessoal, Chefe de Exame de Contracheque à época dos fatos, etc. A sindicância deverá retroagir até a data que o militar passou a receber indevidamente, onde será oportunizado o exercício do contraditório e da ampla defesa nos próprios autos, abrindo-se-lhes(s) prazo para apresentação de alegações bem como para que requeira(m) o que entender de direito. Quando o encarregado da sindicância se deparar com fatos e evidências que encaminhem a agente da administração de grau hierárquico superior ou precedência sobre a autoridade militar que determinou a instauração da sindicância, o encarregado deverá encerrar o procedimento e, devendo tal fato constar nos autos, devendo a autoridade instauradora da sindicância encaminhar os autos ao Escalão imediatamente superior para que dê prosseguimento a apuração. Caso fique comprovado a culpa ou dolo do(s) agente(s) que teria(m) a responsabilidade pelo ato que originaram as quantias recebidas indevidamente, atuar-se-á conforme a Port no 008SEF, de 23 de dezembro de (Transcrito e adaptado do B Info nº 10/2009, de 31 Out 09 1ª ICFEx) RICARDO ARAUJO LOPES - TEN CEL Chefe da

19 Pág 19 Chefe Anexo A Conforme publicado no item solução de consultas, da 3ª parte, transcrevo os documentos abaixo para conhecimento, versando sobre a consulta formulada pela e a resposta. ========================================================== Curitiba, 10 de março de Ofício n SATT Do Chefe da 5ª Inspetoria de Contabilidade e Finanças do Exército Ao Sr Subsecretário de Economia e Finanças Assunto: Compensação Pecuniária - Consulta Anexo: cópia da Msg FAX nº Asse Jur 15.1, de 26 Jan 10, do Cmdo da 15ª Bda Inf Mtz 1. Trata a presente sobre pagamento de compensação pecuniária. 2. Diante dos desdobramentos que recaem sobre o assunto, como de praxe, conveniente fazer um breve resgate dos fatos de acordo com o documento referenciado: a. O Cmt Cia Cmdo da 15ª Bda Inf Mtz indeferiu requerimento de prorrogação de tempo de serviço de sargento de carreira não estabilizado por não atender ao Inc I, art 2º da Portaria nº 047-DGP, de 28 Mar 05, isto é, não haver interesse do Exército, em face da inadaptação do mesmo a vida militar; b. conforme informado, o referido militar permaneceu na ativa até o término do prazo de sua quarta prorrogação de tempo de serviço, quando então foi licenciado com fulcro na letra b) do 3º, Inc II, art 121 da Lei nº 6.880/80 - Estatuto dos Militares (por conveniência do serviço); e c. por fim, o OD do Cmdo da 15ª Bda Inf Mtz, UG consulente, após breves considerações é de entendimento de que o militar licenciado não faz jus à percepção da verba em comento, visto ser hipótese que a Lei não abordou e ainda, por ser o licenciado de carreira e ter a expectativa de adquirir o direito a estabilidade. 3. Como é de conhecimento de Vossa Excelência, o assunto compensação pecuniária tem sido objeto de profunda análise por essa Secretaria, razão pela qual, com a devida vênia, deixamos de citar linhas fartas sobre a legislação, focando, objetivamente, no caso concreto apresentado por aquela UG. 4. A regra geral é que o pagamento da compensação pecuniária se opera somente na hipótese prevista no art 1º da Lei nº 7.963, de 21 Dez 89, combinado com o Decreto regulador nº , de 30 Jul 90, ou seja, fará jus à percepção da citada verba o Oficial ou Praça que for licenciado ex officio e por término de prorrogação de tempo de serviço. 5. Assim inferindo, não é forçoso afirmar que por adequação as hipóteses de licenciamento ex officio previsto na Lei nº 6.880/80 (Estatuto dos Militares), somente o licenciamento previsto na alínea a) do art 121 do referido diploma legal encontra amparo na norma que regula a compensação pecuniária.

20 Pág 20 Chefe 6. No caso apresentado pela UG, o militar foi licenciado com fulcro na letra b) do citado art 121, ou seja, por conveniência do serviço, em virtude de não atender ao Inc I do art 2º da Portaria nº 47-DGP, de 28 Mar 05, a qual aprovou as Normas Reguladoras das Prorrogações de Tempo de Serviço dos Sargentos de Carreira ainda não estabilizados, que para maior clareza transcrevemos: Art. 2 Poderá ser concedida prorrogação de tempo de serviço, por períodos sucessivos, até que adquiram estabilidade, na forma da letra a do inciso IV do Art 50 do Estatuto dos Militares (Lei n 6.880, de 09 Dez 1980), aos sargentos possuidores do Curso de Formação de Sargentos de carreira (CFS) e aos sargentos músicos, respeitando-se os seguintes requisitos gerais: I - o interesse do Exército; 7. Ainda, extrai-se da referida Portaria: Art. 3 O aluno de Curso de Formação de Sargentos de carreira que o conclua com aproveitamento e for promovido a 3 sargento ou o candidato promovido à graduação de 3 sargento músico por motivo de aprovação em concurso para sargento músico terá o seu tempo de serviço prorrogado, automaticamente, por 1(um) ano a contar da data de promoção a 3 Sargento. Art. 4 O reengajamento ocorrerá nas seguintes condições: I - Após o término da prorrogação de tempo de serviço concedida de acordo com o Art 3 destas Normas, desde que o interessado requeira, poderão ser concedidos reengajamentos por períodos sucessivos de 1 (um) ano, contados a partir do término de cada prorrogação, desde que atendidos os requisitos gerais constantes do Art 2 destas Normas, até atingir 9 (nove) anos e 10 (dez) meses de efetivo serviço, considerados todos os períodos computáveis; 8. Nos parece, portanto, que o reengajamento requerido pelo sargento de carreira não estabilizado, se vinculou a determinado tempo, que poderia ser prorrogado ou não, conforme interesse da Administração. No caso sub examine, o reengajamento não lhe foi deferido por motivos que não nos cabe analisar. Portanto, como se depreende da legislação acima apontada, não é por demais afirmar que o ato administrativo, cujo objeto é o licenciamento, foi motivado pela conveniência do serviço, mas se consumou somente quando da conclusão do tempo de serviço previsto para aquele período. Tanto é verdade que, conforme informado pela UG, o mesmo permaneceu na ativa até o término do prazo de sua quarta prorrogação. 9. Ainda, reportando-se a documento pretérito dessa Secretaria, em análise da situação de sargento de carreira não estabilizado que deixou de requerer o reengajamento, assim registrou o Parecer nº 049/AJ/SEF, de 16 Set 05: 7) Com o devido respeito aos defensores dessa corrente de pensamento, trata-se de ilação contrária ao melhor direito. De fato, a negação do pedido de prorrogação de tempo de serviço inexiste como condicionante para o pagamento da compensação pecuniária, seja na lei que instituiu a compensação pecuniária, seja no decreto que a regulamentou. Nesse sentido, estipular uma exigência que a lei não previu seria subverter a

Confere: 10 8 ICFEx Continuação do BInfo Nr 03, de 31 mar l O Pág.I9. S Ch 10 8 ICFEx

Confere: 10 8 ICFEx Continuação do BInfo Nr 03, de 31 mar l O Pág.I9. S Ch 10 8 ICFEx 10 8 ICFEx Continuação do BInfo Nr 03, de 31 mar l O Pág.I9 S Ch 10 8 ICFEx ANEXO "D"- Doações da Secretaria da Receita Federal do Brasil \1l'\lSTlIHf) D\ DLFl" \ F THUTO B!{\"HXIRO SI CRFT \IU \ m: 17('0

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 11 NOVEMBRO / 2012. (21) 2519 5766 / 2519 5053 RITEx 810 5766 / 810 5053. FALE COM A 1ª ICFEx

BOLETIM INFORMATIVO Nº 11 NOVEMBRO / 2012. (21) 2519 5766 / 2519 5053 RITEx 810 5766 / 810 5053. FALE COM A 1ª ICFEx MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 1ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg / 1ª RM 1934) BOLETIM INFORMATIVO Nº 11 NOVEMBRO / 2012 FALE

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS PORTARIA Nº 36-SEF, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2014. EB: 64689.

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS PORTARIA Nº 36-SEF, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2014. EB: 64689. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS PORTARIA Nº 36-SEF, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2014. EB: 64689.017297/2014-47 Aprova o Calendário para o Encerramento do Exercício Financeiro

Leia mais

CADERNO DE QUESTÕES DO FISCAL ADMINISTRATIVO QUESTÕES PARA O FISCAL ADMINISTRATIVO

CADERNO DE QUESTÕES DO FISCAL ADMINISTRATIVO QUESTÕES PARA O FISCAL ADMINISTRATIVO CADERNO DE QUESTÕES DO FISCAL ADMINISTRATIVO QUESTÕES PARA O FISCAL ADMINISTRATIVO 1. O Sr está planejando realizar a manutenção preventiva das viaturas administrativas de sua OM. Para qual órgão deverá

Leia mais

COLETÂNEA DE MSG SIAFI/ SIASG CITADAS NO B INFO Nº 02/2011

COLETÂNEA DE MSG SIAFI/ SIASG CITADAS NO B INFO Nº 02/2011 COLETÂNEA DE MSG SIAFI/ SIASG CITADAS NO B INFO Nº 02/2011 Mensagem: 2011/0478560 Emissora 160509 SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANCAS-GESTOR de 09/03/11 as 08:41 por WILLIAMS CARVALHO PESSOA Pag. 01/02 Assunto:

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS BOLETIM INFORMATIVO N 02 (Fevereiro 2013) FALE COM A ina Internet: www.5icfex.eb.mil.br Telefones: Fixo Fax 0 xx 41 3323 23 56

Leia mais

Processos de Despesas de Exercícios Anteriores Prazo de arquivamento e destruição de documentos

Processos de Despesas de Exercícios Anteriores Prazo de arquivamento e destruição de documentos DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO EXÉRCITO - DECEx ASSESSORIA DE PLANEJAMENTO ADMINISTRATIVO - APA Processos de Despesas de Exercícios Anteriores Prazo de arquivamento e destruição de documentos 1)

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 10 OUT / 2005

BOLETIM INFORMATIVO Nº 10 OUT / 2005 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 1ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg / 1ª RM 1934) 1ª ICFEx / 20 BOLETIM INFORMATIVO Nº 10 OUT

Leia mais

INSTRUÇÃO INTERNA DE PROCEDIMENTOS IIP Nº 005, de 24 de agosto de 2011 (*)

INSTRUÇÃO INTERNA DE PROCEDIMENTOS IIP Nº 005, de 24 de agosto de 2011 (*) INSTRUÇÃO INTERNA DE PROCEDIMENTOS IIP Nº 005, de 24 de agosto de 2011 (*) Disciplina no âmbito do IFPR as Orientações acerca da Execução Orçamentária e Financeira, relativas à Concessão de Suprimentos

Leia mais

Art. 1º Aprovar Norma de Execução, na forma do Anexo a esta Portaria. ANEXO UNIDADE RESPONSÁVEL 31/12/2013 PROCESSO

Art. 1º Aprovar Norma de Execução, na forma do Anexo a esta Portaria. ANEXO UNIDADE RESPONSÁVEL 31/12/2013 PROCESSO PORTARIA Nº 2, DE 22 DE NOVEMBRO DE 2013 O AUDITOR-CHEFE DA AUDITORIA INTERNA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO, no uso de suas atribuições, e tendo em vista a competência que lhe foi atribuída pelo inciso

Leia mais

DECRETO Nº 037, DE 08 DE JANEIRO DE 2015

DECRETO Nº 037, DE 08 DE JANEIRO DE 2015 1 Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 037, DE 08 DE JANEIRO DE 2015 Dispõe sobre critérios a serem adotados na execução orçamentária e financeira do Poder Executivo do Município de Goiânia para o exercício

Leia mais

Serviço Público Municipal Prefeitura Municipal de Ubatã Estado da Bahia CNPJ: 14.235.253/0001-59 PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015.

Serviço Público Municipal Prefeitura Municipal de Ubatã Estado da Bahia CNPJ: 14.235.253/0001-59 PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. Estabelece os procedimentos e as normas a serem adotados pelos órgãos e entidades da administração pública estadual direta e indireta, para o encerramento anual

Leia mais

IV Semana de AOFCP Suprimento de Fundos - Legislação. Suprimento de Fundos. Legislação ABOP BIRD

IV Semana de AOFCP Suprimento de Fundos - Legislação. Suprimento de Fundos. Legislação ABOP BIRD Suprimento de Fundos Legislação Painéis/Oficinas is/oficinas Área Planejamento Cod 10 20 PPA LDO Sigla Oficina CH 21 Previsão da Receita Orçamento 22 23 Orçamento - Elaboração Orçamento Alterações Orçamentárias

Leia mais

4. Padrão Mínimo de Qualidade dos Sistemas Integrados de Administração Financeira e Controle

4. Padrão Mínimo de Qualidade dos Sistemas Integrados de Administração Financeira e Controle 4. Padrão Mínimo de Qualidade dos Sistemas Integrados de Administração Financeira e Controle Luís Eduardo Vieira Superintendência de Gestão Técnica SGT Financeira e Controle. Introdução A transparência

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 6, DE 31 DE OUTUBRO DE 2007 (D.O.U. de 12 de novembro de 2007)

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 6, DE 31 DE OUTUBRO DE 2007 (D.O.U. de 12 de novembro de 2007) REPÚBLICAFEDERATIVADOBRASIL 15deNovembro de 1889 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 6, DE 31 DE OUTUBRO DE 2007 (D.O.U. de 12 de novembro de 2007) Disciplina os procedimentos relativos ao registro das Conformidades

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 12 (DEZEMBRO/ 2013)

BOLETIM INFORMATIVO Nº 12 (DEZEMBRO/ 2013) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 2ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg 2ª RM/1934) BOLETIM INFORMATIVO Nº 12 (DEZEMBRO/ ) FALE COM

Leia mais

QUESTÕES DE AFO E CONTABILIDADE PÚBLICA ANALISTA JUDICIÁRIO CONTABILIDADE - STM/2011 ÚLTIMA PARTE

QUESTÕES DE AFO E CONTABILIDADE PÚBLICA ANALISTA JUDICIÁRIO CONTABILIDADE - STM/2011 ÚLTIMA PARTE QUESTÕES DE AFO E CONTABILIDADE PÚBLICA ANALISTA JUDICIÁRIO CONTABILIDADE - STM/2011 ÚLTIMA PARTE Prezado internauta e estudante do Ponto dos Concursos! Desejo a todos uma mente ILUMINADA e que tenham

Leia mais

Ref.: NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA ENCERRAMENTO DO EXERCÍCIO DE 2009

Ref.: NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA ENCERRAMENTO DO EXERCÍCIO DE 2009 Universidade Federal de Minas Gerais Pro - Reitoria de Planejamento e Desenvolvimento Departamento de Contabilidade e Finanças e-mail: dcf@dcf.ufmg.br Tel. (031) 3409-4102 1 OFÍCIO CIRCULAR DCF 028/2009

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 11ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (11ª ICFEx/1982)

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 11ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (11ª ICFEx/1982) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 11ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (11ª ICFEx/1982) BOLETIM INFORMATIVO Nº 05 (MAIO / 2014) FALE COM A 11ª

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS SICONV APRENDIZADO QUE GERA RESULTADOS

GESTÃO DE PROJETOS SICONV APRENDIZADO QUE GERA RESULTADOS GESTÃO DE PROJETOS SICONV APRENDIZADO QUE GERA RESULTADOS ABORDAGEM Conceitos relacionados ao tema; Legislação aplicável à execução; Modelo de gestão e processo adotado pela Fundep. O que é o SICONV? CONCEITOS

Leia mais

BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 020 DE 12 a 16/05/14

BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 020 DE 12 a 16/05/14 Leia-se:...Art. 1º DELEGAR COMPETÊNCIA e as responsabilidades decorrentes ao Superintendente Regional do DNIT nos estados de Goiás e Distrito Federal para Lavrar o Termo Aditivo de Prorrogação de prazo,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA AGE N.º 10, DE 20 DE MAIO DE 2010.

INSTRUÇÃO NORMATIVA AGE N.º 10, DE 20 DE MAIO DE 2010. AUDITORIA GERAL DO ESTADO ATOS DO AUDITOR-GERAL INSTRUÇÃO NORMATIVA AGE N.º 10, DE 20 DE MAIO DE 2010. Estabelece normas de organização e apresentação das prestações de contas de convênios que impliquem

Leia mais

Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal. Banco do Setor público

Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal. Banco do Setor público Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal Banco do Setor público 2 Sumário Introdução 04 Cartão de Pagamento do Governo Federal CPGF 04 Passo a Passo 10 Perguntas e Respostas 12 Legislação I Ementa

Leia mais

PORTARIA N o 15, DE 28 DE ABRIL DE 2015. (publicada no DOU de 29/04/15, Seção I, página 87)

PORTARIA N o 15, DE 28 DE ABRIL DE 2015. (publicada no DOU de 29/04/15, Seção I, página 87) PORTARIA N o 15, DE 28 DE ABRIL DE 2015. (publicada no DOU de 29/04/15, Seção I, página 87) Estabelece procedimentos a serem observados pelos órgãos dos Poderes Legislativo e Judiciário, pelo Ministério

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 998, DE 21 DE MAIO DE 2004

RESOLUÇÃO Nº 998, DE 21 DE MAIO DE 2004 CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE RESOLUÇÃO Nº 998, DE 21 DE MAIO DE 2004 Aprova a NBC T 19.2 - Tributos sobre Lucros. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX OUTROS. CAC-Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte da SRF - e-cac

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX OUTROS. CAC-Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte da SRF - e-cac VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX OUTROS Orientador Empresarial CAC-Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte da SRF - e-cac INSTRUÇÃO NORMATIVA SRF nº 580/2005

Leia mais

PORTARIA SOF N o 10, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2014. (publicada no DOU de 13/02/14, Seção I, página 103)

PORTARIA SOF N o 10, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2014. (publicada no DOU de 13/02/14, Seção I, página 103) PORTARIA SOF N o 10, DE 12 DE FEVEREIRO DE 201. (publicada no DOU de 13/02/1, Seção I, página 103) Estabelece procedimentos a serem observados pelos órgãos dos Poderes Legislativo e Judiciário, pelo Ministério

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 11ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (11ª ICFEx/1982)

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 11ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (11ª ICFEx/1982) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 11ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (11ª ICFEx/1982) Página Internet: http://11icfex.eb.mil.br/ Página Intranet:

Leia mais

DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013. Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências.

DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013. Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências. DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013 Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências. (Publicado no DOE de 10 de abril de 2013) O GOVERNADOR DO ESTADO

Leia mais

Plano de Contas Aplicado ao Setor Público

Plano de Contas Aplicado ao Setor Público Plano de Contas Aplicado ao Setor Público Fonte: Apresentação da Coordenação Geral de Contabilidade STN/CCONT do Tesouro Nacional Última Atualização: 14/09/2009 1 Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor

Leia mais

CURSO: SICONV 1) NOÇÕES GERAIS, CREDENCIAMENTO, CADASTRAMENTO E PROGRAMAS DE CONVÊNIO

CURSO: SICONV 1) NOÇÕES GERAIS, CREDENCIAMENTO, CADASTRAMENTO E PROGRAMAS DE CONVÊNIO CURSO: SICONV TEMAS CENTRAIS 1) NOÇÕES GERAIS, CREDENCIAMENTO, CADASTRAMENTO E PROGRAMAS DE CONVÊNIO 2) PROPOSIÇÃO, AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS - CEDENTE, CELEBRAÇÃO DE UM CONVÊNIO E ALTERAÇÕES 3) EXECUÇÃO,

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 03 (MARÇO/ 2013) FALE COM A 2ª ICFEx

BOLETIM INFORMATIVO Nº 03 (MARÇO/ 2013) FALE COM A 2ª ICFEx MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 2ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg 2ª RM/1934) BOLETIM INFORMATIVO Nº 03 (MARÇO/ 2013) Correio

Leia mais

CIRCULAR Nº 2792. a) pagos pela utilização de cartões de crédito emitidos no País; e. II - a apresentação mensal ao Banco Central do Brasil de:

CIRCULAR Nº 2792. a) pagos pela utilização de cartões de crédito emitidos no País; e. II - a apresentação mensal ao Banco Central do Brasil de: CIRCULAR Nº 2792 Documento normativo revogado pela Circular 3280, de 09/03/2005. Mercado de Câmbio de Taxas Flutuantes Alteração nº 48 - Cartões de Crédito Internacionais A Diretoria Colegiada do Banco

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 7 DE 23 DE ABRIL DE 2010

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 7 DE 23 DE ABRIL DE 2010 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 7 DE 23 DE ABRIL DE 2010 Estabelece as normas para que os Municípios, Estados e o Distrito Federal

Leia mais

3LEI Nº 438 DE 09 DE SETEMBRO DE 2014

3LEI Nº 438 DE 09 DE SETEMBRO DE 2014 3LEI Nº 438 DE 09 DE SETEMBRO DE 2014 Dispõe sobre a consignação em folha de pagamento de agente político e servidor da administração municipal do executivo e do legislativo e dá outras providências. O

Leia mais

Brasileira (UNILAB).

Brasileira (UNILAB). RESOLUÇÃO N 029/2013, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2013. Aprova o Regimento da Unidade de Auditoria Interna da Brasileira (UNILAB). Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro- O VICE-REITOR, PRO

Leia mais

1. DA AUTORIZAÇÃO: 2. DO OBJETO

1. DA AUTORIZAÇÃO: 2. DO OBJETO CHAMADA PÚBLICA Nº 04/2011 PARA SELEÇÃO DE PROJETOS QUE VISEM A REALIZAÇÃO DE EVENTOS, DE CARÁTER NACIONAL, DAS ENTIDADES DO MOVIMENTO NEGRO E QUILOMBOLAS, POR MEIO DE ESTABELECIMENTO DE CONVÊNIOS, A SEREM

Leia mais

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 342, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2008

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 342, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2008 Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 342, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2008 Altera a Portaria Interministerial nº 127/MP/MF/CGU, de 29 de maio de 2008,

Leia mais

Departamento de Água e Esgoto Sanitário de Juína

Departamento de Água e Esgoto Sanitário de Juína CNPJ 04.709.778/000-25 SCI - 007/203 3/05/203 /8 ) DOS OBJETIVOS:.) Disciplinar e normatizar os procedimentos do Setor de Patrimônio;.2) Regulamentar o fluxo operacional de movimentação patrimonial móveis

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SERROLÂNDIA BAHIA CNPJ 14.196.703/0001-41

PREFEITURA MUNICIPAL DE SERROLÂNDIA BAHIA CNPJ 14.196.703/0001-41 DECRETO Nº. 075, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2015. Dispõe sobre os procedimentos para o encerramento do exercício financeiro de 2015 no âmbito da Administração Pública Municipal e dá outras providências. O PREFEITO

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO GERÊNCIA DE AUDITORIA TOMADA DE CONTAS ANUAL SIMPLIFICADA RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº 18/2007/GEAUD/CISET/MD TIPO DE AUDITORIA : AVALIAÇÃO DE GESTÃO EXERCÍCIO

Leia mais

Gen Ex ERON CARLOS MARQUES Secretário de Economia e Finanças

Gen Ex ERON CARLOS MARQUES Secretário de Economia e Finanças MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DO EXÉRCITO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS PORTARIA N o 046 - SEF, DE 01 DE JULHO DE 2005. Estabelece Normas Complementares para Consignação de Descontos em Folha de Pagamento.

Leia mais

Contratos. Licitações & Contratos - 3ª Edição

Contratos. Licitações & Contratos - 3ª Edição Contratos 245 Conceito A A Lei de Licitações considera contrato todo e qualquer ajuste celebrado entre órgãos ou entidades da Administração Pública e particulares, por meio do qual se estabelece acordo

Leia mais

RIO GRANDE DO SUL CONTROLE INTERNO

RIO GRANDE DO SUL CONTROLE INTERNO 1/15 A Coordenadoria do Sistema de Controle Interno do Município, considerando: - O volume de recursos recebidos pelo Município a título de repasse de outros entes da Federação via Convênio ou Contrato

Leia mais

CAPITULO 020000 - SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DO GOVERNO FEDERAL - SIAFI

CAPITULO 020000 - SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DO GOVERNO FEDERAL - SIAFI CAPITULO 020000 - SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DO GOVERNO FEDERAL - SIAFI SECAO 020300 - MACROFUNÇÕES ASSUNTO 020317 - RESTOS A PAGAR 1 - REFERÊNCIAS: 1.1 - RESPONSABILIDADE - Coordenador-Geral

Leia mais

A NOVA CONTABILIDADE DOS MUNICÍPIOS

A NOVA CONTABILIDADE DOS MUNICÍPIOS Apresentação O ano de 2009 encerrou pautado de novas mudanças nos conceitos e nas práticas a serem adotadas progressivamente na contabilidade dos entes públicos de todas as esferas do Governo brasileiro.

Leia mais

DECRETO N.º 10.224, DE 30 DE JANEIRO DE 2001. (DOE n.º 5.439 de 31 de janeiro de 2001 p.3/5)

DECRETO N.º 10.224, DE 30 DE JANEIRO DE 2001. (DOE n.º 5.439 de 31 de janeiro de 2001 p.3/5) DECRETO N.º 10.224, DE 30 DE JANEIRO DE 2001. (DOE n.º 5.439 de 31 de janeiro de 2001 p.3/5) Dispõe sobre o registro diário das entradas e saídas dos servidores em exercício nos órgãos e entidades do Poder

Leia mais

Assunto: Ordem Bancária de Transferências Voluntárias - OBTV

Assunto: Ordem Bancária de Transferências Voluntárias - OBTV Nota Técnica n 010/2014/GECOG (Revoga a Nota Técnica 005/2013) Vitória, 09 de outubro de 2014. Assunto: Ordem Bancária de Transferências Voluntárias - OBTV Prezados (as) Senhores (as), A presente Nota

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 10 OUTUBRO / 2012. (21) 2519 5766 / 2519 5053 RITEx 810 5766 / 810 5053. FALE COM A 1ª ICFEx

BOLETIM INFORMATIVO Nº 10 OUTUBRO / 2012. (21) 2519 5766 / 2519 5053 RITEx 810 5766 / 810 5053. FALE COM A 1ª ICFEx MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 1ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg / 1ª RM 1934) BOLETIM INFORMATIVO Nº 10 OUTUBRO / 2012 FALE

Leia mais

Cartilha para a Contabilização de Danos ao Erário

Cartilha para a Contabilização de Danos ao Erário MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 5ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (5ª ICFEx / 1982) Cartilha para a Contabilização de Danos ao Erário Separata

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 07 JULHO / 2009. FALE COM A 1ª ICFEx

BOLETIM INFORMATIVO Nº 07 JULHO / 2009. FALE COM A 1ª ICFEx IC MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 1ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg / 1ª RM 1934) BOLETIM INFORMATIVO Nº 07 JULHO / 2009 FALE

Leia mais

RELATÓRIO DO CONTROLE INTERNO

RELATÓRIO DO CONTROLE INTERNO Modelo 1B da Instrução Normativa n.º 85/2012 CÂMARA MUNICIPAL DE PINHÃO - PR RELATÓRIO DO CONTROLE INTERNO Exercício de 2012 1. Normatização do Sistema e Histórico Legal O sistema de controle interno da

Leia mais

Modelo de Projeto de Lei (Origem Poder Executivo) Dispõe sobre as diretrizes para a elaboração da lei orçamentária de 2011.

Modelo de Projeto de Lei (Origem Poder Executivo) Dispõe sobre as diretrizes para a elaboração da lei orçamentária de 2011. Modelo de Projeto de Lei (Origem Poder Executivo) Dispõe sobre as diretrizes para a elaboração da lei orçamentária de 2011. CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 o São estabelecidas, em cumprimento

Leia mais

CONTROLE E FISCALIZAÇÃO DO FUNDEB. Marcelo Augusto Sabbatini Passos Técnico Contábil MPGO Março/2009

CONTROLE E FISCALIZAÇÃO DO FUNDEB. Marcelo Augusto Sabbatini Passos Técnico Contábil MPGO Março/2009 CONTROLE E FISCALIZAÇÃO DO FUNDEB Marcelo Augusto Sabbatini Passos Técnico Contábil MPGO Março/2009 FISCALIZAÇÃO DO FUNDEB pelo órgão de Controle Interno no âmbito da União (Controladoria Geral da União

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ NOTA TÉCNICA Nº 002 / 2013 SATES / DICONF SEFA Aos Órgãos e Entidades da Administração Pública Estadual, 1 Belém, 18 de outubro de 2013 ASSUNTO: Ordem Bancária de Transferência Voluntária (OBTV) do Sistema

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MATINHOS Estado do Paraná CONTROLADORIA GERAL DO MUNICÍPIO

PREFEITURA MUNICIPAL DE MATINHOS Estado do Paraná CONTROLADORIA GERAL DO MUNICÍPIO INSTRUÇÃO NORMATIVA CG Nº 001 DE 02 de junho de 2014 Institui o Plano de atividades de Auditoria Interna no ano de 2014 e dá outras providências. O CONTROLADOR GERAL DO MUNICPIO DE MATINHOS, no uso de

Leia mais

orçamentária se realize na conformidade dos pressupostos da responsabilidade fiscal.

orçamentária se realize na conformidade dos pressupostos da responsabilidade fiscal. PORTARIA Nº O SECRETÁRIO DO TESOURO NACIONAL, no uso das atribuições que lhe confere a Portaria nº 403, de 2 de dezembro de 2005, do Ministério da Fazenda, e Considerando o disposto no 2º do art. 50 da

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 09 (SETEMBRO/ 2014)

BOLETIM INFORMATIVO Nº 09 (SETEMBRO/ 2014) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 2ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg 2ª RM/1934) BOLETIM INFORMATIVO Nº 09 (SETEMBRO/ 2014) FALE

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 1191/2015, de 28-04-2015.

LEI MUNICIPAL Nº 1191/2015, de 28-04-2015. LEI MUNICIPAL Nº 1191/2015, de 28-04-2015. DISPÕE SOBRE O SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DO MUNICÍPIO DE MORMAÇO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LUÍS CARLOS MACHADO PREFEITO MUNICIPAL DE MORMAÇO, Estado do Rio

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VIANA

PREFEITURA MUNICIPAL DE VIANA INSTRUÇÃO NORMATIVA SFI: 01/2014 Versão nº: 01 Data da Aprovação: 31/03/2014 Ato de Aprovação: Decreto Municipal nº 074/2014. Unidade Responsável: Departamento Financeiro da Secretaria Municipal de Finanças

Leia mais

Brasília, 27 de maio de 2013.

Brasília, 27 de maio de 2013. NOTA TÉCNICA N o 20 /2013 Brasília, 27 de maio de 2013. ÁREA: Desenvolvimento Social TÍTULO: Fundo para Infância e Adolescência (FIA) REFERÊNCIAS: Lei Federal n o 4.320, de 17 de março de 1964 Constituição

Leia mais

Siconv para Convenentes

Siconv para Convenentes Siconv para Convenentes Módulo2 Portal de Convênios e Siconv Brasília - 2015. Fundação Escola Nacional de Administração Pública Presidente Gleisson Rubin Diretor de Desenvolvimento Gerencial Paulo Marques

Leia mais

PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. Regulamenta as atribuições da Secretaria de Controle Interno do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região e dá outras providências. A PRESIDENTE DO, no uso de

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 56, DE 5 DEZEMBRO DE 2007

INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 56, DE 5 DEZEMBRO DE 2007 INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 56, DE 5 DEZEMBRO DE 2007 Dispõe sobre instauração e organização de processo de tomada de contas especial e dá outras providências. O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso do

Leia mais

Desejo a todos que realizem uma excelente preparação para esse e outros concursos.

Desejo a todos que realizem uma excelente preparação para esse e outros concursos. ..FUNDOS ESPECIAIS Amigos e amigas estudantes do Ponto dos Concursos! Com a aproximação do concurso do TCU, estamos programando três cursos on line específicos para esse certame: Contabilidade Pública,

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE ALTO GARÇAS CONTROLE INTERNO

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE ALTO GARÇAS CONTROLE INTERNO 1/5 NORMA INTERNA : 1) DOS OBJETIVOS: 1.1) Disciplinar e orientar o fluxo das operações de crédito, bem como avais e garantias oferecidas para as operações de crédito; 1.2) Atender legalmente os dispositivos

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS (Contadoria Geral / 1841)

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS (Contadoria Geral / 1841) 1 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS (Contadoria Geral / 1841) ORIENTAÇÃO TÉCNICO-NORMATIVA N º 01 - PLANEJAMENTO DAS CONTRATAÇÕES 1. Nesta orientação, por questão

Leia mais

I PARTE (SERVIÇOS DIÁRIOS) II PARTE (ENSINO E INSTRUÇÃO) III PARTE (ASSUNTOS GERAIS E ADMINISTRATIVOS)

I PARTE (SERVIÇOS DIÁRIOS) II PARTE (ENSINO E INSTRUÇÃO) III PARTE (ASSUNTOS GERAIS E ADMINISTRATIVOS) GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA E DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR DO PARÁ AJUDÂNCIA GERAL ADITAMENTO AO BG Nº 064 03 ABR 2012 Para conhecimento dos Órgãos subordinados

Leia mais

LEI Nº 358/2011. Súmula: Institui o Fundo Municipal de Saúde e dá outras providências. Capitulo I. Objetivos

LEI Nº 358/2011. Súmula: Institui o Fundo Municipal de Saúde e dá outras providências. Capitulo I. Objetivos LEI Nº 358/2011 Faço saber a todos os habitantes que a Câmara Municipal de Cafeara, Estado do Paraná aprovou e eu sanciono a presente Lei, que revoga a Lei nº. 084/92 de 17/09/1992. Súmula: Institui o

Leia mais

LEI Nº 1556, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2000.

LEI Nº 1556, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2000. LEI Nº 1556, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2000. Institui o Plano de Custeio do Regime de Previdência dos Servidores Municipais e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE DUQUE DE CAXIAS decreto e eu sanciono

Leia mais

INVENTÁRIO ANUAL. Exercício 2011. Orientações e Procedimentos para Comissões Inventariantes

INVENTÁRIO ANUAL. Exercício 2011. Orientações e Procedimentos para Comissões Inventariantes INVENTÁRIO ANUAL Exercício 2011 Orientações e Procedimentos para Comissões Inventariantes Elaboração: Fernando de Souza Guimarães : 3409-4674 / 3409-4675 : dimat@dsg.ufmg.br Belo Horizonte, 2011 SUMÁRIO

Leia mais

Sistema de Desenvolvimento Institucional PO - Procedimento Operacional

Sistema de Desenvolvimento Institucional PO - Procedimento Operacional Unidade Universidade Federal da Bahia Pró-Reitoria de Administração Sistema de Desenvolvimento Institucional PO - Procedimento Operacional Processo 1 de 10 Glossário de Termos e Siglas CATMAT Sistema de

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA STN Nº 02, DE 22 DE MAIO DE 2009. Dispõe sobre a Guia de Recolhimento da União - GRU, e dá outras providências.

INSTRUÇÃO NORMATIVA STN Nº 02, DE 22 DE MAIO DE 2009. Dispõe sobre a Guia de Recolhimento da União - GRU, e dá outras providências. INSTRUÇÃO NORMATIVA STN Nº 02, DE 22 DE MAIO DE 2009. Dispõe sobre a Guia de Recolhimento da União - GRU, e dá outras providências. O SECRETÁRIO DO TESOURO NACIONAL SUBSTITUTO, no exercício das atribuições

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013.

RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013. RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DO CONTROLE INTERNO DO PODER LEGISLATIVO DE POCONÉ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS O Presidente da Câmara Municipal de Poconé,

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Retenção de Tributos por Entidades Públicas Federais na Intermediação de Viagens

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Retenção de Tributos por Entidades Públicas Federais na Intermediação de Viagens Retenção de Tributos por Entidades Públicas Federais na Intermediação de 17/06/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1

Leia mais

Portal dos Convênios - SICONV. Prestação de Contas - Convenente. Manual do Usuário. Versão 2-26/11/2010

Portal dos Convênios - SICONV. Prestação de Contas - Convenente. Manual do Usuário. Versão 2-26/11/2010 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS Portal dos Convênios - SICONV Prestação de Contas - Convenente

Leia mais

DOU de 30/07/2015 (nº 144, Seção 1, pág. 73) DENATRAN - Departamento Nacional de Trânsito PORTARIA Nº 95, DE 28 DE JULHO DE 2015

DOU de 30/07/2015 (nº 144, Seção 1, pág. 73) DENATRAN - Departamento Nacional de Trânsito PORTARIA Nº 95, DE 28 DE JULHO DE 2015 DOU de 30/07/2015 (nº 144, Seção 1, pág. 73) DENATRAN - Departamento Nacional de Trânsito PORTARIA Nº 95, DE 28 DE JULHO DE 2015 Estabelece regras e padronização de documentos para arrecadação de multas

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA N 06/2013 de 16 DE DEZEMBRO de 2013

PORTARIA NORMATIVA N 06/2013 de 16 DE DEZEMBRO de 2013 PORTARIA NORMATIVA N 06/2013 de 16 DE DEZEMBRO de 2013 Dispõe sobre a concessão, aplicação e prestação de contas de suprimento de fundos no âmbito do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Santa Catarina

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL: Faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei.

O GOVERNADOR DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL: Faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei. (*) Os textos contidos nesta base de dados têm caráter meramente informativo. Somente os publicados no Diário Oficial estão aptos à produção de efeitos legais. LEI Nº 3.545, DE 17 DE JULHO DE 2008. Publicada

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2012

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2012 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2012 Estabelece os critérios de concessão de acesso ao Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasse SICONV. O SECRETÁRIO DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA

Leia mais

Descentralização de amentários e de Recursos Financeiros

Descentralização de amentários e de Recursos Financeiros Descentralização de Créditos Orçament amentários e de Recursos Financeiros Conceito: Despesa Orçament amentária Despesa Orçamentária Pública aquela executada por entidade pública e que depende de autorização

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA-EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA-EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA-EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO NORMA OPERACIONAL/SPOA Nº 07, DE 24 DE JULHO DE 2006. Dispõe sobre procedimentos

Leia mais

Portal dos Convênios - SICONV. Prestação de Contas - Convenente. Manual do Usuário. Versão 1-12/07/2010

Portal dos Convênios - SICONV. Prestação de Contas - Convenente. Manual do Usuário. Versão 1-12/07/2010 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS Portal dos Convênios - SICONV Prestação de Contas - Convenente

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DO SICONV SISTEMA DE GESTÃO DE CONVÊNIO PORTAL DOS CONVÊNIOS PROPONENTE - CONVENENTE

ORIENTAÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DO SICONV SISTEMA DE GESTÃO DE CONVÊNIO PORTAL DOS CONVÊNIOS PROPONENTE - CONVENENTE ORIENTAÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DO SICONV SISTEMA DE GESTÃO DE CONVÊNIO PORTAL DOS CONVÊNIOS PROPONENTE - CONVENENTE 1 APRESENTAÇÃO Convênios são acordos firmados por entidades públicas de qualquer espécie,

Leia mais

XI Semana de d Adminis minis ação Orç Or amen amen ária , Financeira r e d e e d Contr Con a tr t a ações Públi Púb cas SIAFI Básico ABOP Slide 1

XI Semana de d Adminis minis ação Orç Or amen amen ária , Financeira r e d e e d Contr Con a tr t a ações Públi Púb cas SIAFI Básico ABOP Slide 1 SIAFI Básico ABOP Slide 1 Oficina nº 65 - SIAFI BÁSICO Carga Horária: 4h Conteúdo: 1. Aspectos históricos do SIAFI. 1.1 Apresentação do Sistema. 1.2 Conceituações básicas do SIAFI. 1.3 Objetivos. 1.4 Abrangência.

Leia mais

Portal dos Convênios UM NOVO MODELO PARA GESTÃO DAS TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS DA UNIÃO. Setembro, 2008

Portal dos Convênios UM NOVO MODELO PARA GESTÃO DAS TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS DA UNIÃO. Setembro, 2008 Portal dos Convênios UM NOVO MODELO PARA GESTÃO DAS TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS DA UNIÃO Setembro, 2008 Acórdãos TCU 788 e 2066/2006 Determinar ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão que apresente

Leia mais

Gestão de Suprimento de Fundos

Gestão de Suprimento de Fundos Suporte Institucional MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS Gestão de Suprimento de Fundos Esta edição do Manual foi atualizada até 26/06/2014. Ministério Público Federal Procuradoria da República do Rio Grande

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa DECRETO Nº 49.377, DE 16 DE JULHO DE 2012. (publicado no DOE n.º 137, de 17 de julho de 2012) Institui o Programa

Leia mais

DECRETO Nº 15.114,DE 8 DE JANEIRO DE 2013 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

DECRETO Nº 15.114,DE 8 DE JANEIRO DE 2013 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS DECRETO Nº 15.114,DE 8 DE JANEIRO DE 2013 Disciplina a celebração de convênios e operações de crédito com previsão de ingresso de recursos financeiros que beneficiem órgãos e entidades da Administração

Leia mais

SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL PORTARIA Nº 634, DE 19 DE NOVEMBRO DE 2013.

SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL PORTARIA Nº 634, DE 19 DE NOVEMBRO DE 2013. SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL PORTARIA Nº 634, DE 19 DE NOVEMBRO DE 2013. Dispõe sobre regras gerais acerca das diretrizes, normas e procedimentos contábeis aplicáveis aos entes da Federação, com vistas

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN ROTINAS ADMINISTRATIVAS PROPLAN SETOR: Pró-Reitoria CARGO: Docente / TNS FUNÇÃO: Pró-Reitor

Leia mais

Análise e Regularizações Contábeis no SIAFI

Análise e Regularizações Contábeis no SIAFI Análise e Regularizações Contábeis no SIAFI Painéis/Oficinas CANCELAMENTO DE ORDEM BANCÁRIA FASES DA DESPESA EMPENHO [L. 4320: arts. 58-61] LIQUIDAÇÃO [L. 4320: art. 63] PAGAMENTO [L.4320: arts. 62/64-67]

Leia mais

PORTARIA Nº 179, DE 29 DE MARÇO DE 1996 APROVA AS INSTRUÇÕES GERAIS PARA A GESTÃO DE MATERIAIS INSERVÍVEIS DO MINISTÉRIO DO EXÉRCITO

PORTARIA Nº 179, DE 29 DE MARÇO DE 1996 APROVA AS INSTRUÇÕES GERAIS PARA A GESTÃO DE MATERIAIS INSERVÍVEIS DO MINISTÉRIO DO EXÉRCITO PORTARIA Nº 179, DE 29 DE MARÇO DE 1996 APROVA AS INSTRUÇÕES GERAIS PARA A GESTÃO DE MATERIAIS INSERVÍVEIS DO MINISTÉRIO DO EXÉRCITO A doação ou cessão de qualquer bem pertencente ao Exército deve subordinar-se

Leia mais

IV Seminário de Execução Financeira de Projetos Financiados com Recursos Externos. O f i c i n a 3. Brasília, de 7 e 8 de maio de 2009.

IV Seminário de Execução Financeira de Projetos Financiados com Recursos Externos. O f i c i n a 3. Brasília, de 7 e 8 de maio de 2009. IV Seminário de Execução Financeira de Projetos Financiados com Recursos Externos O f i c i n a 3 Convênios (SICONV - Sistemas e Legislação) Brasília, de 7 e 8 de maio de 2009. Ementa da Oficina Nº 3

Leia mais

Relação entre as Fundações de Apoio e a FINEP (execução e prestação de contas) 2013

Relação entre as Fundações de Apoio e a FINEP (execução e prestação de contas) 2013 Relação entre as Fundações de Apoio e a FINEP (execução e prestação de contas) 2013 Conceitos FINEP - Agência Brasileira da Inovação é uma empresa pública vinculada ao MCTI, que atua como Secretaria Executiva

Leia mais

1 de 5 03/12/2012 14:32

1 de 5 03/12/2012 14:32 1 de 5 03/12/2012 14:32 Este documento foi gerado em 29/11/2012 às 18h:32min. DECRETO Nº 49.377, DE 16 DE JULHO DE 2012. Institui o Programa de Gestão do Patrimônio do Estado do Rio Grande do Sul - Otimizar,

Leia mais

Portaria nº 008 -SEF, de 23 de Dezembro de 2003

Portaria nº 008 -SEF, de 23 de Dezembro de 2003 Portaria nº 008 -SEF, de 23 de Dezembro de 2003 Aprova as Normas para a Apuração de Irregularidades Administrativas. O SECRETÁRIO DE ECONOMIA E FINANÇAS, de acordo com o que prescreve o art. 117 das Instruções

Leia mais

LEI Nº 599/2011. Artigo 1 - As consignação Pública direta e indireta do Município de Novo São Joaquim são disciplinadas por esta Lei.

LEI Nº 599/2011. Artigo 1 - As consignação Pública direta e indireta do Município de Novo São Joaquim são disciplinadas por esta Lei. LEI Nº 599/2011 DISPÕE SOBRE AS CONSIGNAÇÕES EM FOLHA DE PAGAMENTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS E DA OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEONARDO FARIAS ZAMPA, Prefeito Municipal de Novo São Joaquim MT faz saber

Leia mais

A- SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA ATO NORMATIVO Nº 786/2013-PGJ, DE 16 DE SETEMBRO DE 2013 (Protocolado nº 11.327/09)

A- SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA ATO NORMATIVO Nº 786/2013-PGJ, DE 16 DE SETEMBRO DE 2013 (Protocolado nº 11.327/09) A- SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA ATO NORMATIVO Nº 786/2013-PGJ, DE 16 DE SETEMBRO DE 2013 (Protocolado nº 11.327/09) Altera o art. 4º-A do Ato Normativo nº 572/2009-PGJ, de 30 de janeiro de

Leia mais

SUPRIMENTO DE F RIMENTO UNDOS

SUPRIMENTO DE F RIMENTO UNDOS SUPRIMENTO DE FUNDOS - Legislação Oficina 75 ABOP Slide 1 Oficina nº 75 Suprimento de Fundos - Legislação Carga Horária: 4h Conteúdo: 1. Conceito e normatização de suprimento de fundos. Finalidades. Despesas

Leia mais