Editorial. Nesta edição. Newsletter Quadrimestral INFORMAÇÃO ABRIL 2011 MÊS ANO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Editorial. Nesta edição. Newsletter Quadrimestral INFORMAÇÃO ABRIL 2011 MÊS ANO"

Transcrição

1 EDIÇÃO 01 MÊS ANO Newsletter Quadrimestral INFORMAÇÃO ABRIL 2011 Ficha Técnica Estrutura e funcionamento António Silva Coordenação Lúcia Fernandes Responsável GRIM Sara Alves Dias Programas LLP/Erasmus, Leonardo da Vinci e Almeida Garrett Maria José Convénios Luso-Brasileiros Cristina Durão Secretariado do GRIM Otília Coutinho Apoio ao GRIM Outros apoios: Pedro Jesus Apoio funcional de alunos estagiários de LRE e Ciências da Comunicação Composição gráfica e paginação Paulo Duarte Editorial O Gabinete de Relações Internacionais e Mobilidade (GRIM) é uma estrutura especializada da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, que depende da Pró-Reitoria para o Desenvolvimento e Internacionalização, com a finalidade de assegurar a execução de acções no âmbito internacional, conforme Despacho n.º 16544/2010 Diário da República, 2.ª série N.º de Outubro de 2010, competindo-lhe, nomeadamente: a) Coordenar e apoiar as acções de relação e cooperação da Universidade no âmbito da internacionalização do ensino e da mobilidade académica; b) Recolher e tratar informação sobre programas/iniciativas de cooperação e mobilidade académica, respectivas linhas de financiamento e procedimentos de candidatura; c) Divulgar, promover, apoiar, implementar e monitorar internamente todas as iniciativas que se enquadrem no âmbito de acção do GRIM; d) Estabelecer contactos e desempenhar o papel de interlocutor junto dos vários organismos nacionais e estrangeiros do seu âmbito de acção; e) Promover, apoiar, implementar e acompanhar a mobilidade de estudantes, docentes e funcionários nacionais e estrangeiros; f) Estabelecer, com os serviços da Universidade, os contactos e a colaboração necessários à prossecução das suas atribuições; g) Desempenhar o papel de gabinete de informação e ligação da Universidade com as redes internacionais de que é membro; h) Apresentar-se como centro de informação actualizada, com base na documentação recebida de instituições de ensino superior nacionais e estrangeiras e da União Europeia, principalmente no que respeita aos programas comunitários de cooperação e mobilidade académica. Este boletim informativo do GRIM, de carácter quadrimestral, tem como objectivo a apresentação pública de todas as actividades desenvolvidas e os principais indicadores de produtividade nas áreas de competência do gabinete. Pró-Reitor Desenvolvimento e Internacionalização Nesta edição Editorial - P.1 GRIM Plano de Acção - P.2 Acções de Cooperação com - P.3 Instituições Estrangeiras Congéneres (Europa; China) Lusofonia - P.4 Luso-Brasileiros - P.5 e rede ibero-americana Convénios luso-brasileiros - P.6 Programa Mobilidade Erasmus Leonardo da Vinci - P.8 Almeida Garrett - P.9 Santander Universidades 1º Ciclo e Pós graduações - P.10 Marie Curie; Euraxess Protocolos de Cooperação - P.11

2 I - Trimestre de 2011 (Janeiro - Março) 5 Janeiro Reunião com Interlocutores do GRIM das Escolas e Departamentos da UTAD, no auditório de Geociências, com o objectivo de apresentar os diferentes programas de mobilidade promovidos na UTAD. Da agenda da reunião constaram, ainda, informações pertinentes sobre procedimentos a realizar no âmbito destes programas. 28 Fevereiro - Apresentação da proposta de logótipo do GRIM. 01 Março - Criação da página do GRIM na rede social Facebook. 16 Março GRIM ACÇÕES DESENVOLVIDAS - Seminário Cooperar para Competir, orador principal Prof. Doutor João Sentieiro, Presidente da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT). Depois da sessão teve lugar uma reunião com os Directores dos Centros de Investigação da UTAD. Edifício da Reitoria - Campus da UTAD - Plano de Acção No plano de acção, delineado pela actual Reitoria, o GRIM está incumbido, entre outras, das seguintes medidas: [3] Aumentar o nº de estudantes, mediante o desenvolvimento de novas ofertas de formação pós-graduada, em parceria com instituições nacionais e internacionais, públicas e/ou privadas; [5] Elaborar estratégias de cooperação nacional e internacional em formação conducente a grau e com atribuição de diplomas de titulação múltipla; [13] Aumentar a oferta de unidades curriculares em inglês nos três ciclos de estudos e de cursos de português para estudantes estrangeiros; [15] Aumentar a mobilidade incoming e outgoing de estudantes e docentes ao abrigo dos programas europeus (LLP/Erasmus) e das redes de conhecimento; [16] Criar condições para ampliar a formação ibero-americana e o espaço da lusofonia a outros mercados emergentes, como estratégia de atracção de novos estudantes para cursos de Pós-graduação. Tendo em conta o Plano de Acção da Reitoria, o GRIM desenvolveu, entre outras, as actividades a seguir indicadas. Definição dos interlocutores A coordenação do GRIM, no sentido de melhorar todo o processo de mobilidade, propôs a criação do Interlocutor ERASMUS e definiu a estrutura e procedimentos para todos os intervenientes envolvidos nos processos de mobilidade. Estrutura e Procedimentos para os alunos Outgoing A. Especificação do tipo de mobilidade, de forma a todos os serviços terem a informação que o aluno está ausente da UTAD; B. Cabe aos directores pedagógicos o lançamento das pautas dos alunos de mobilidade, de acordo com os Learning Agreement; C. Será solicitado aos directores pedagógicos a aplicação imediata da escala de comparabilidade, na sequência da decisão do Conselho Académico, 8 de Julho de 2010, Decreto de Lei n.º 42/2005 de 22 de Fevereiro e o Artigo 8º, classificação das normas pedagógicas. D. O GRIM enviará a toda a Universidade as listagens de alunos em mobilidade e sob os respectivos programas. Estrutura e Procedimentos para alunos Incoming: A. Registo provisório das Unidades Curriculares (Learning Agreement) no GRIM e no SIDE. O GRIM enviará para os Serviços Académicos (SA), as matrículas provisórias para ser feita a matrícula oficial. B. Será solicitado aos directores pedagógicos a simplificação dos procedimentos de avaliação dos alunos estrangeiros. C. Os SA emitirão as pautas específicas por curso e enviarão, protocoladas, para os alunos e para as secretarias das escolas. Aquando deste envio o GRIM será informado e alertará cada docente, com conhecimento para o Director Pedagógico, de que já podem recolher as pautas. D. Após o preenchimento das pautas, será efectuada a emissão do certificado de notas, a enviar para a Universidade de origem do aluno. Estrutura e Procedimentos do Interlocutor: departamentos e Centros de Investigação: Tramitação da informação e elo de ligação com o GRIM. Estudar as possibilidades de cooperação com o GRIM. Validar, juntamente com os directores pedagógicos de cada um dos cursos de 1; 2º; 3º ciclo os novos acordos bilaterais e analisar os já existentes. Validar juntamente com os directores pedagógicos os learning agreement e as autorizações de alterações. Responsabilizar-se pela aplicação do D.L. 42/2005 de 22 de Fevereiro e artigo 8º das normas pedagógicas sobre a comparabilidade das Unidades Curriculares. Responsável pela criação de redes de formação e investigação no âmbito dos acordos bilaterais para 2º e 3º ciclo, fase embrionária dos Erasmus Mundus Joint Master & Doctoral Degree.

3 Acções de Cooperação com instituições estrangeiras congéneres Universidade CAH de Dronten, Holanda EUROPA Nos dias 7 e 8 de Outubro de 2010, o GRIM recebeu a delegação da Universidade CAH de Dronten, Holanda, com o propósito de explorar as possibilidades de estabelecer uma representação de alunos da CAH Dronten na UTAD, possibilitando criar um núcleo de estudantes provenientes da CAH. Reunião com a Delegação de Shangai University of Sports da East China Normal University, na UTAD. No âmbito desta visita realizaram-se 2 Conferências subordinadas ao tema Da ditadura à democracia, os dilemas da transformação democrática na Polónia: reflexões após 20 anos que contou, para além da participação do Magnífico Reitor e do Presidente da Escola de Ciências Humanas e Sociais (ECHS) da UTAD, com a presença de vários alunos, docentes e investigadores da ECHS. À tarde, na Câmara Municipal de Vila Real, procedeu-se à inauguração oficial da exposição A década da Solidariedade Biblioteca central da UTAD Professora Wheel Beckering da Universidade de Dronten. Este desafio foi dirigido a outra congénere europeia (Universidade Corvinus, em Budapeste, Hungria), contudo os representantes dos estudantes holandeses, ao visitarem as duas instituições, optaram pela UTAD, pelas condições de trabalho oferecidas, hospitalidade e ambiente estudantil que tiveram oportunidade de vivenciar, e em particular, pelos desafios que esta universidade tem para oferecer. [4] Delegação da Universidade CAH de Dronten, Holanda Da ditadura à democracia A 7 de Outubro de 2010, a UTAD teve o privilégio de receber a visita da Delegação Polaca, constituída pela Dra. Katarzyna Skorzynska, Embaixadora da República da Polónia, Andrzej Olechowski, ex-ministro dos Negócios Estrangeiros da Polónia, Zbigniew Markowski, Economista, e ainda, o Professor Marcos Farias Ferreira, do ISCSP da Universidade Técnica de Lisboa. CHINA Delegação de Shangai University of Sports da East China Normal University Em Outubro passado, a UTAD recebeu a visita da Delegação de Shangai University of Sports, a fim de serem estabelecidos contactos institucionais e aprofundadas as relações científicas e culturais. É de interesse promover o intercâmbio de programas de formação e projectos de investigação e desenvolvimento, designadamente a mobilidade de alunos (2º e 3º ciclo), docentes e investigadores. Na agenda de trabalhos foi igualmente definido a realização de cursos breves de Chinês na UTAD e cursos breves de Português na China. Para a concretização deste objectivo ficou delineado a elaboração de uma listagem das ofertas educativas e ainda a assinatura de um protocolo de cooperação durante o mês de Junho de 2011.

4 Edifícios Geociências, Reitoria e Aula Magna Aula Magna da UTAD Protocolo de Cooperação entre o Governo de Lunda Sul, Angola, e a UTAD Espaço Lusofonia Universidade privada de Angola Espaço A 25 de Janeiro de 2011, a UTAD reuniu com o representante da Universidade Privada de Lusofonia Angola, Prof. Dr. Carlos Ribeiro. Estiveram presentes pela UTAD, além da Pró-Reitoria, o Presidente da ECAV, Prof. Dr. Vicente Seixas; o Presidente do CC e CP da ECAV, respectivamente Profª. Dr.ª Ana Maria Nazaré Pereira e Prof. Dr. José Carlos Almeida. Esta reunião teve como objectivo estabelecer as bases do protocolo de cooperação entre as duas instituições que prevê o intercâmbio de alunos e docentes e a realização de mestrados conjuntos. [2 Governo de Lunda Sul, Angola e a UTAD A UTAD, com base num projecto do Departamento de Desporto, Exercício e Saúde (Dr. Victor Monteiro), promoveu a assinatura de um protocolo de cooperação com o Governo de Lunda Sul, Angola, no dia 16 Março 2011, na Aula Magna. O protocolo tem em vista o desenvolvimento de programas de formação, projectos de investigação, de difusão científica e desenvolvimento de centros de prática pedagógica e centros de treino desportivo, como actividades de estágio para estudantes em formação e profissionalização. A Governadora africana afirmou acreditar que a prática do desporto e o desenvolvimento físico, entre a população mais jovem da sua província, ajudarão a diminuir alguns dos problemas sociais que se fazem sentir. Queremos promover estilos de vida mais saudáveis e ajudar a fortalecer a personalidade dos indivíduos, sublinhou a Governadora. O Reitor da UTAD, por sua vez, destacou esta iniciativa e frisou o esforço de internacionalização que constituiu uma das suas propostas aquando a sua candidatura à reitoria. A ajuda da UTAD na criação de centros de treino e de formação pedagógica em Lunda Sul, numa colaboração estreita entre a Escola de Ciências da Vida e do Ambiente e a Universidade angolana de Lweji, é um dos bons exemplos neste rumo traçado. MOÇAMBIQUE Na perspectiva de fortalecer a relação privilegiada com o espaço da lusofonia e o desenvolvimento de uma política de cooperação que inicie parcerias ainda não existentes e reforce as já existentes com os Países Africanos de Expressão Portuguesa, a UTAD deslocou-se a Moçambique. Foram efectuadas reuniões específicas que visaram alargar as parcerias com as seguintes Instituições: Universidade Pedagógica; Universidade Eduardo Mondlane (UEM); Faculdade de Economia da UEM; e Faculdade de Agronomia e Engenharia Florestal da UEM. Estas reuniões serviram fundamentalmente para: 1) Reforçar a ligação e o peso Institucional da UTAD em Moçambique; 2) Reforçar as parcerias entre a UTAD e estas Instituições e incentivando a Mobilidade de alunos e docentes, a Capacitação Científica do corpo de docentes, Programas de pós-graduação de dupla titulação ou múltipla titulação e a investigação interinstitucional.

5 Universidade Federal de Brasília No âmbito do reforço da relação privilegiada com o espaço da lusofonia e no desenvolvimento de uma política de cooperação que consolide parcerias existentes com o Brasil e os países da rede iberoamericana, a UTAD, via Pró-Reitoria, deslocou-se a diversas instituições de Ensino Superior do Brasil, de 4 a 12 de Dezembro de Neste sentido, foram efectuadas reuniões com os representantes da Universidade Católica de Brasília, Universidade Nacional de Brasília, Ministério da Educação: Relações Internacionais e Universidade Estadual de Montes Claros. Esta deslocação teve como principais objectivos: 1) alargar as parcerias com as IES Estaduais e Federais de ensino superior com programas de formação pós-graduada; 2) reforçar a ligação e o peso institucional da UTAD nos órgãos de competência científica no Brasil (CAPES; CNPQ); 3) reforçar as parcerias com as fundações de amparo à pesquisa dos estados com os quais a UTAD possui acordos de cooperação (FAPEMIG) e alargar a outras fundações de amparo à pesquisa, noutros estados, alavancando o financiamento de programas, formação, extensão e investigação dos nossos docentes. Prof. Dr. Victor Reis Luso Brasileiros e Rede Ibero-americana Nordeste Brasil Em Fevereiro de 2011, a UTAD via o interlocutor do Departamento de Desporto Exercício e Saúde, Prof. Dr. Victor Reis, deslocou-se ao Brasil para iniciativas de cooperação institucional com diferentes Universidades: 1. Universidade Federal do Ceará (UFC), onde reuniu com a Coordenadora de Assuntos Internacionais da UFC, Prof. Dr.ª Maria Elias Soares, para formalização de um convénio; 2. Universidade de Fortaleza (UNIFOR) onde reuniu com o Próreitor de Extensão e Relações Internacionais, Prof. Dr. Randal Martins, tendo como objectivo a renovação dos convénios entre UTAD e UNIFOR; 3. Curso de Educação Física das Faculdades Integradas do Ceará (FIC), onde reuniu com a Profª Andrea Benevides, para apresentação da UTAD e dos seus cursos; 4. Escola de Educação Física da Universidade do Estado de Pernambuco (UPE), onde reuniu com a directora da Escola, Prof. Vera Samico e o coordenador do curso de pós-graduação em Educação Física, Prof. Doutor Wagner Prado, para formalização de um convénio entre as duas instituições; Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) onde reuniu com a Coordenadora de Assuntos Internacionais da UFRN, Prof. Dr.ª Ana Maria Martins Moreira, para a discussão dos termos aditivos, que prevejam a mobilidade de alunos de pós-graduação (mestrado e doutoramento). Mato Grosso Ao abrigo dos Protocolos de Cooperação entre as Instituições Luso-Brasileiras e a UTAD, deslocou-se ao Brasil (Mato Grosso) em representação da Pró-Reitoria a Prof. Dr.ª Carla Marques, interlocutora do DESG para o GRIM, entre 12 a 19 de Março de Prof. Dr.ª Carla Marques Foram realizadas reuniões com Reitora da Universidade Cândido Rondon e da Universidade Federal de Mato Grosso. A Universidade Cândido Rondon (com cerca de alunos), manifestou interesse em cooperar no âmbito dos Cursos de Mestrado e Doutoramento da UTAD. Visita à Universidade de Passo de Fundo, Brasil A Universidade Federal de Mato Grosso (cerca de alunos), sugeriu um protocolo tipo de cooperação internacional idêntico aos já assumidos com a Universidade de Lisboa, Porto e Coimbra e a UTAD. O Reitor da Universidade de Passo Fundo (UPF) José Carlos Carles de Souza recebeu no último dia 30 de Março, o Director do Departamento de Ciência de Desporto da UTAD, Prof. DR. Miguel

6 Videira Monteiro, em representação da Pró-Reitoria para o Desenvolvimento e Internacionalização. A visita serviu para estreitar relações entre as instituições visando o estabelecimento de futuras parcerias para intercâmbio docente e de estudantes. Delegação da FEEVALE, formada pelo Presidente da Aspeur, Argemi Machado de Oliveira; o Reitor da Universidade, Professor Ramon Fernando da Cunha e a Directora de Relações Internacionais, Professora Paula Cundari. FEEVALE No dia 13 de Abril de 2011, a UTAD recebeu uma delegação da FEEVALE, formada pelo Presidente da Aspeur, Argemi Machado de Oliveira, o Reitor da Universidade, Professor Ramon Fernando da Cunha e a Directora de Relações Internacionais, Professora Paula Cundari. A Feevale é uma instituição que se vem destacando nos cenários regional e nacional pelas suas acções inovadoras e projectos de carácter comunitário. Está localizada ao sul do Brasil, próxima da capital do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. A Instituição oferece 40 cursos de graduação, 47 cursos de pós-graduação (strictu e lato sensu), 14 grupos de pesquisa (88 projectos em desenvolvimento), 150 programas de extensão, alunos e um centro de idiomas. Actualmente a Feevale mantém acordos de cooperação com aproximadamente 50 instituições académicas, situadas na Convénios Argentina, Bélgica, Luso-Brasileiros Canadá, Chile, Colômbia, - Números Coreia do Sul, Espanha, OBJECTIVOS: Estados Continuar Unidos, a Finlândia, reforçar a Itália, relação México, privilegiada Portugal, com o espaço Uruguai da e lusofonia; Paraguai. o Brasil, Assim, enquanto seria uma País honra mais ter populoso a UTAD no espaço como da parceira. Lusofonia, deverá estar no centro desta preocupação. Os Convénios Luso-Brasileiros estão em funcionamento desde 2005, com a finalidade de captação de alunos para cursos da UTAD. Estão em formação cerca de 241 alunos de mestrado (2008/2009/2010) e 174 alunos de doutoramento (2007 a 2010) num total aproximado de 415 alunos. Convénios Luso-Brasileiros Actividades - Publicação na página da UTAD, das ofertas educativas, da respectiva calendarização e das instituições parceiras de apoio logístico aos alunos, no âmbito dos convénios Luso-Brasileiros; 7- Doutoramentos 27- Mestrados 7- Cursos de Especialização Emissão de declarações de aceitação para os alunos no âmbito dos Convénios luso-brasileiros (cerca de 450). Outras actividades de cooperação OBJECTIVO: Fomentar o desenvolvimento de relações científicas e culturais de colaboração entre as Instituições, estabelecendo um intercâmbio de informação sobre recursos, programas de formação e projectos de investigação e desenvolvimento. PROGRAMAS DE MOBILIDADE Programa Erasmus O Programa Erasmus é um subprograma do Programa de Aprendizagem ao Longo da Vida (ProALV) e diz respeito ao Ensino Superior, bem como a educação e formação de profissionais de nível superior, independentemente da duração do curso ou da qualificação, incluindo os estudos de doutoramento. Programa LLP/ERASMUS é um programa de acção comunitária no domínio da aprendizagem ao longo da vida que oferece aos estudantes a possibilidade de efectuarem um período de estudos/ estágio numa outra Universidade/empresa Europeia, com reconhecimento académico (como parte integrante do programa de estudos da universidade de origem). O Programa ERASMUS tem como objectivos: melhorar, reforçar e desenvolver a mobilidade (incluindo a respectiva qualidade), que deverá atingir três milhões de pessoas até 2012; desenvolver as acções de cooperação entre estabelecimentos de ensino superior e entre estes e as empresas em termos quantitativos (incluindo a respectiva qualidade); promover a transparência e a compatibilidade entre as qualificações obtidas; desenvolver práticas inovadoras e sua transferência entre países; desenvolver conteúdos, serviços, pedagogias e práticas inovadores, baseados nas TIC.

7 Programa Erasmus Sessões de esclarecimento - GRIM Evolução do número de estudantes enviados e recebidos Programa ERASMUS Números Acordos de Cooperação: 464 Acordos Bilaterais em 229 Universidades de 28 Países da Europa Programa ERASMUS GRIM Actividades desenvolvidas 17 Janeiro Envio do Relatório Financeiro e Narrativo à Agência Nacional (AN) PROALV. 31 Janeiro Envio do Pré-Relatório Financeiro Fevereiro Justificação de dados do Relatório Financeiro à AN. 03 Fevereiro Informatização dos Relatórios Individuais SMS e SMP para a AN. 07 Fevereiro Execução do Relatório Financeiro da verba da Organização da Mobilidade (OM), para realização de acções de divulgação e mobilidade. 02 Março Welcome Day para os alunos incoming Erasmus À semelhança do que aconteceu no primeiro semestre (dia 20 de Outubro), o GRIM, conjuntamente com a ESN (European Student Network), organizou a semana de boas-vindas aos estudantes de mobilidade que escolheram a UTAD para realizarem o seu período de estudos. Esta sessão foi presidida pelo Pró-Reitor para o Desenvolvimento e Internacionalização, e contou igualmente com a presença das Técnicas do GRIM, Dra. Lúcia Fernandes e Dra. Sara Dias, do Presidente da ESN, João Ribeiro e André Mendes. A sessão foi seguida de um jantar e de uma visita guiada pela cidade de Vila Real. Actividades do GRIM Ainda no âmbito das actividades do GRIM foi elaborada e submetida a 11 Março a Candidatura ao programa LLP-Erasmus para o ano lectivo O dia 16 Março Participação dos alunos incoming Erasmus e do GRIM nas Jornadas Camilianas, evento organizado pela Escola Secundária Camilo Castelo Branco. No passado dia 16 de Março realizou-se, na Escola Camilo

8 Castelo Branco, um Baile de Máscaras Camiliano. A comemoração da Camiliana, que se realiza todos os anos por altura do aniversário do patrono da escola, serviu como pretexto para algo mais abrangente a integração na sociedade Vila-realense dos imigrantes a residir na cidade, que estudam português. Este evento teve a presença de representantes da DREN Direcção Regional de Educação do Norte e do Gabinete de Relações Internacionais e Mobilidade (GRIM) da UTAD. Outras presenças notadas foram as das professoras a leccionar Português para Estrangeiros e Cultura Portuguesa, na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Marina Rocha e Marta Correia respectivamente, juntamente com os seus alunos de ERASMUS. No âmbito do programa LLP Erasmus, foram efectuadas 3 sessões de esclarecimento: as primeiras realizaram-se a 30 de Março e a última a 20 de Abril, no Auditório da Biblioteca Central. Estas sessões destinaram-se a angariar alunos e a esclarecer dúvidas e procedimentos relativos ao funcionamento do programa para os candidatos interessados em mobilizar-se no próximo ano lectivo. Estiveram presentes cerca de 200 alunos (197 inscritos). Foi apresentado um Power Point explicativo do programa e distribuída a documentação necessária para a inscrição no próximo ano. Quem não teve oportunidade de comparecer poderá sempre contactar o GRIM. Programa Leonardo da Vinci estabelecimentos e organizações que fornecem ou promovem esse ensino e formação. É um subprograma sectorial do Programa de Aprendizagem ao Longo da Vida, da iniciativa da Comissão Europeia, que promove estágios transnacionais em empresas/outras entidades para pessoas que pretendem ingressar no mercado de trabalho com a duração mínima de 2 semanas e máxima de 26 semanas (6 meses). No caso da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), os estágios têm de ser de 3 ou 6 meses. Programa Leonardo da Vinci Actividades 10 Janeiro Reunião sobre a parceria no projecto Southern University for Training Harmonization South 2011/12, com a Universidade de Molise, Itália. 20 Janeiro Participação no projecto INTERN_SEA: A Deep immersionin profissional training, com a Universidade de Vigo, Espanha. Actividades desenvolvidas 2011 Programa Leonardo da Vinci - números O GRIM participou de 7 a 8 de Novembro de 2010 na Sessão de Formação sobre o programa Leonardo da Vinci, A Journey of Skills A seminar on skills acquisition through transnational placements, Antuérpia, Bélgica. O resultado desta Acção foi a aquisição de conhecimentos especializados e de boas práticas relacionadas com Programa Leonardo da Vinci, essencialmente com os Estágios Transnacionais. Permitiu igualmente analisar e debater as principais dificuldades com que os alunos se deparam e quais os resultados obtidos com este tipo de formação. O Programa Leonardo da Vinci visa atender às necessidades de ensino e aprendizagem de todos os intervenientes no ensino e formação profissionais, excluindo o ensino e formação profissional avançados de nível superior, bem como às necessidades dos Nº de bolsas Destino Período Área Enviados 1 Alemanha 6 meses Serviço social 1 Espanha 6 meses Medicina Veterinária 1 Itália 6 meses Geologia

9 Actividades desenvolvidas 2011 Programa Almeida Garrett Universidades Portuguesas (CRUP), o Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (CRUESP) e a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (ANDIFES), o programa Santander universidades tem por finalidade incentivar a mobilidade dos estudantes universitários e promover a excelência no ensino superior de ambos os países. As 4 bolsas semestrais são totalmente suportadas pelo Banco Santander (UTAD para o Brasil). ALMEIDA GARRETT O Programa Almeida Garrett é o programa de mobilidade nacional de alunos do Ensino Superior, que visa promover a qualidade e reforçar a dimensão nacional do Ensino Superior. Oferece a possibilidade de efectuar um período de estudos numa universidade nacional de acolhimento, com pleno reconhecimento académico. Tem por objectivo incentivar a cooperação nacional entre Instituições de Ensino Superior, reforçar a realização pessoal, coesão social bem como uma cidadania Nacional, promovendo a criatividade, competitividade e consequentemente a empregabilidade. O Programa AG foi implementado no ano 2009 como um projecto em desenvolvimento. Esta mobilidade proporciona diversas oportunidades de valorização pessoal e profissional, estimula as instituições a alargarem os horizontes, promovendo igualmente um intercâmbio de conhecimentos, experiências e saberes. Nº de bolsas Destino Área Enviados 1 U. Federal Paraíba Turismo 1 U. Federal Paraíba Turismo 1 U. Federal Santa Catarina Engª. Zootécnica 1 U. Federal Santa Catarina Engª. Agrícola Programa Almeida Garrett Actividades e números 24 Janeiro Actualização da informação para 2011/2012 sobre o programa em consonância com a Universidade de Évora, entidade gestora do programa. 15 Fevereiro Actualização da informação para o ano lectivo sobre o programa, na página web da UTAD e disponibilização de todos os regulamentos e formulários. No presente ano a UTAD recebeu 2 alunos nos cursos de Teatro e Artes Performativas e Biologia, das Universidades de Coimbra e Madeira respectivamente. Actividades desenvolvidas 2011 Programa Santander Universidades (Mobilidade Luso-Brasileira) Criado em Janeiro de 2007, na sequência da assinatura do Convénio entre o Grupo Santander, o Conselho de Reitores das GRIM Outras actividades e Programas Euraxess Centro de Mobilidade A UTAD é um dos 15 Centros de Mobilidade EURAXESS, dispersos pelo País (Agência de Inovação S.A, Instituto Gulbenkian de Ciência, Univ. dos Açores, Algarve, Aveiro, Beira Interior, Coimbra, Évora, Madeira, Minho, Porto, Lisboa, Nova de Lisboa, Técnica de Lisboa). O objectivo do EURAXESS é essencialmente captar e fixar investigadores na Europa e o dos centros nacionais é apoiar os investigadores na sua experiência de mobilidade, oferecendo informação e assistência personalizada, de forma gratuita, em áreas tão diversas como questões administrativas e legais, aspectos culturais e outras questões decorrentes da permanência em Portugal de investigadores estrangeiros. O portal EURAXESS Portugal tem como missão apoiar a mobilidade internacional de investigadores de e para Portugal.

10 Actualmente o portal EURAXESS Portugal - Portal Português de Mobilidade de Investigadores está sob a gestão e responsabilidade da FCT (www.euraxess.pt.). Euraxess actividades Pretende-se criar um consórcio nacional, convidar o CEER (Centros de Estudos Euroregionais) e outras instituições para participarem num mestrado a ser oferecido pela UTAD. 25 Janeiro Submissão das estatísticas dos investigadores estrangeiros da UTAD, no Portal EURAXESS. 20 a 24 Março V - Conferência EURAXESS que teve lugar no Chipre e reuniu cerca de 250 representantes dos centros de mobilidade de vários países da Europa, e os responsáveis pelos links do EURAXESS na China, Japão, Singapura, Índia e E.U.A. A UTAD esteve representada (como ponto de contacto nacional) através do GRIM. Programa TEMPUS O programa TEMPUS IV pretende a modernização do Ensino Superior nos países vizinhos da União Europeia (IV Fase do programa entre 2007 e 2013). O objectivo global é contribuir para facilitar a cooperação em matéria de ensino superior entre os Estados Membros da União Europeia (UE) e os países parceiros das regiões vizinhas. Este programa apoia Projectos conjuntos (parcerias multilaterais) entre IES da EU e dos países terceiros e que se destinam a ajudar nas reformas dos países parceiros em conformidade com as suas prioridades regionais e nacionais. Redes de Formação Inicial Marie Curie Initial Training Networks ITN No dia 25 de Novembro o GRIM participou na reunião sobre Redes de Formação Inicial Marie Curie - Initial Training Neteworks ITN, no Instituto Superior Técnico, Lisboa. As Redes de Formação Inicial Marie Curie pretendem encorajar os cientistas a fixarem-se na Europa e a Programa Erasmus Mundus Mobilidade universitária a nível mundial: Promove a qualidade no ensino superior através da cooperação académica entre a Europa e países terceiros (2009 e 2013). Acções: 1- Programas conjuntos de pós-graduação (Mestrados e Doutoramentos); 2- Criação de parcerias de cooperação interinstitucional entre universidades da Europa e países terceiros; 3- Projectos destinados a promover ensino superior europeu como centro de excelência a nível mundial. Erasmus Mundus actividades 5 de Janeiro de 2011 Reunião sobre Cursos Erasmus Mundus, em parceria com o Instituto Politécnico de Tomar e o Geoturismo, com o objectivo de avançar com um programa Erasmus Mundus, na área do Geoturismo. Tempus Actividades A convocatória do TEMPUS abriu a 15 de Outubro até 15 de Fevereiro O GRIM publicou semanalmente uma circular com todas as propostas recebidas de diversas instituições dos países candidatos e à qual os investigadores da UTAD poderão associar-se como parceiros. Parceria no projecto Upgrading of Applied Microbiology Diploma in Upper Egyptian to Global Level. (20 Janeiro, Dep. de Genética e Biotecnologia).

11 desenvolverem uma carreira na Investigação, contribuindo desta forma, para o aumento do capital humano em I&D. Estas Redes são parcerias internacionais criadas por equipas de investigação em diferentes Estados Membros ou Estados Associados, que através de um projecto conjunto promovem a formação inicial de investigadores em início de carreira. ons/how.htm Programa Fulbright A Comissão Fulbright tem por missão fomentar o entendimento mútuo entre Portugal e os Estados Unidos da América através da oferta de oportunidades de intercâmbio de professores, investigadores e estudantes, com base no mérito; da disponibilização de orientação e informação de qualidade sobre os sistemas de ensino dos dois países; e da organização de iniciativas que potenciem a partilha de conhecimento. Fulbright números No presente ano foi atribuída uma bolsa Fulbright de Investigação a um Mestrando em Biologia Clínica no Joslin Diabetes Center da Havard Medical School, no Massachusetts e está previsto receber um docente ao abrigo deste programa. É um programa de altíssima qualidade, demonstrado pelos prémios Nobel (cerca de 50) atribuídos desde A participação no programa confere o grau de Fulbrighter. Protocolos de Cooperação Estabelecidos em 2010 / 2011 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO (UNIFESP) - CONVÉNIO DE CO-TUTELA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAÍA (UFBA) FUNDAÇÃO OCTACÍLIO GUALBERTO (FOG) RIO DE JANEIRO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO NORTE DO PARANÁ (UENP) ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA (ACEG) LABORATÓRIO DE CAPACITAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO NA ÁREA DA SÁUDE (LOTUS) UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAÍA (UFB) FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DE BRASILIA (FUB) UNIVERSIDAdE ESTATAL DE MONTES CARLOS (UNIMONTES) UNIVERSIDADE DE FORTALEZA (UNIFOR) UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA (UFJF) UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE (UFRN) UNIVERSIDADE ESTADUAL DO NORTE DO PARANÁ (UENP) UNIVERSIDADE FERDERAL DO PARÁ (UFPA) ASSOCIAÇÃO CULTURAL EDUCACIONAL DE GRAÇA (ACEG) UNIVERSIDADE PEDAGÓGICA DE MOÇAMBIQUE UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE PROTOCOLO ENTRE A UTAD E O GOVERNO PROVINCIAL DE LUANDA - SUL, ANGOLA UNIVERSIDADE PRIVADA DE ANGOLA UTAD GRIM

Regulamento Erasmus 2011/2012

Regulamento Erasmus 2011/2012 1. Preâmbulo O Programa Erasmus tem como objetivo geral apoiar a criação de um Espaço Europeu de Ensino Superior e reforçar o contributo do ensino superior para, entre outros, o processo de inovação a

Leia mais

CETAC.MEDIA. Centro de Estudos. das Tecnologias e Ciências da Comunicação. Regulamento

CETAC.MEDIA. Centro de Estudos. das Tecnologias e Ciências da Comunicação. Regulamento Centro de Estudos das Tecnologias e Ciências da Comunicação Regulamento Julho de 2008 CAPÍTULO I Natureza, Missão, Atribuições e Constituição Artigo 1º Natureza O Centro de Estudos das Tecnologias e Ciências

Leia mais

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES 2015 2 Formar gestores e quadros técnicos superiores, preparados científica e tecnicamente para o exercício de funções na empresa

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS

ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS ENCONTRO DA COMISSÃO SECTORIAL PARA A EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO CS/11 ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS OPORTUNIDADES, DESAFIOS E ESTRATÉGIAS DE QUALIDADE APRESENTAÇÃO DO TRABALHO GT2 - Ensino Superior

Leia mais

REGULAMENTO Mobilidade Macau

REGULAMENTO Mobilidade Macau Face à parceria estabelecida entre a Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril (ESHTE) e o Instituto de Formação Turística em Macau (IFT Macau) no âmbito da qual são facultadas possibilidades de

Leia mais

CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM

CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Pedro Jorge Richheimer Marta de Sequeira Marília Oliveira Inácio Henriques 1 P á g i n a 1. Enquadramento da Candidatura

Leia mais

Curriculum Vitae. António José Rocha Martins da Silva. (súmula) ajsilva@utad.pt

Curriculum Vitae. António José Rocha Martins da Silva. (súmula) ajsilva@utad.pt Curriculum Vitae (súmula) António José Rocha Martins da Silva ajsilva@utad.pt Setembro de 2013 IDENTIFICAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DADOS PESSOAIS Natural de Chimoio em Vila Pery (Moçambique), 23 de outubro de

Leia mais

Regulamento de Aplicação do Sistema do Europeu de Transferência de Créditos (ECTS) à formação ministrada pelo Instituto Politécnico de Santarém (IPS)

Regulamento de Aplicação do Sistema do Europeu de Transferência de Créditos (ECTS) à formação ministrada pelo Instituto Politécnico de Santarém (IPS) Regulamento de Aplicação do Sistema do Europeu de Transferência de Créditos (ECTS) à formação ministrada pelo Instituto Politécnico de Santarém (IPS) CAPÍTULO I Objecto, âmbito e conceitos Artigo 1º Objecto

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM MARKETING Artigo 1.º Criação A Universidade da Beira Interior, através

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de e Economia REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM GESTÃO Artigo 1.º Criação A Universidade da Beira Interior, através do Departamento

Leia mais

Universidade de Coimbra. Grupo de Missão. para o. Espaço Europeu do Ensino Superior. Glossário

Universidade de Coimbra. Grupo de Missão. para o. Espaço Europeu do Ensino Superior. Glossário Universidade de Coimbra Grupo de Missão para o Espaço Europeu do Ensino Superior Glossário ACÇÃO CENTRALIZADA Procedimentos de candidatura em que a selecção e contratação são geridas pela Comissão. Regra

Leia mais

Instituto Politécnico de Santarém Gabinete de Mobilidade e Cooperação Internacional Documento de orientação estratégica

Instituto Politécnico de Santarém Gabinete de Mobilidade e Cooperação Internacional Documento de orientação estratégica Instituto Politécnico de Santarém Gabinete de Mobilidade e Cooperação Internacional Documento de orientação estratégica 1. Introdução Assume-se que a internacionalização do IPSantarém não deve consistir

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM EMPREENDEDORISMO E CRIAÇÃO DE EMPRESAS Artigo 1.º Criação A Universidade

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM GESTÃO DE UNIDADES DE SAÚDE Artigo 1.º Criação A Universidade da Beira

Leia mais

Plano de Atividades 2015

Plano de Atividades 2015 Plano de Atividades 2015 Instituto de Ciências Sociais Universidade do Minho 1. Missão Gerar, difundir e aplicar conhecimento no âmbito das Ciências Sociais e áreas afins, assente na liberdade de pensamento,

Leia mais

Estatuto Orgânico do Ministério da Ciência e Tecnologia

Estatuto Orgânico do Ministério da Ciência e Tecnologia Estatuto Orgânico do Ministério da Ciência e Tecnologia Conselho de Ministros Decreto Lei n.º 15/99 De 8 de Outubro Considerando que a política científica tecnológica do Governo propende para uma intervenção

Leia mais

REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS

REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Ciências Sociais e Humanas REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS Artigo 1º Natureza O presente regulamento

Leia mais

ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE

ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade De Lisboa A.1.a. Outras Instituições

Leia mais

Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira

Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira Relatório Resumo Junho de 2012 Índice 1. Objectivo... 3 2. Enquadramento... 3 3. Trabalho realizado... 3 4. Dados síntese da Licenciatura

Leia mais

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL Diretor Geral O Diretor Geral supervisiona e coordena o funcionamento das unidades orgânicas do Comité Olímpico de Portugal, assegurando o regular desenvolvimento das suas

Leia mais

AÇÃO 2 COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E O INTERCÂMBIO DE BOAS PRÁTICAS

AÇÃO 2 COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E O INTERCÂMBIO DE BOAS PRÁTICAS AÇÃO 2 COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E O INTERCÂMBIO DE BOAS PRÁTICAS Acção 1 1 AÇÃO 2 COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E O INTERCÂMBIO DE BOAS PRÁTICAS A B Parcerias Estratégicas na área da Educação, Formação

Leia mais

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique Programa de Acção Luis Filipe Baptista ENIDH, Setembro de 2013 Motivações para esta candidatura A sociedade actual está a mudar muito

Leia mais

COOPERAÇÃO ENTRE PORTUGAL E ANGOLA EM C&T

COOPERAÇÃO ENTRE PORTUGAL E ANGOLA EM C&T A cooperação Bilateral Angola - Portugal: estado atual e reforço futuro WORKSHOP PROGRAMA HORIZONTE 2020: COOPERAÇÃO EM INVESTIGAÇÃO E INOVAÇÃO ENTRE ANGOLA E A UNIÃO EUROPEIA Luanda, 3 e 4 de outubro

Leia mais

E R A S M U S + ERASMUS+ Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Apresentação

E R A S M U S + ERASMUS+ Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Apresentação ERASMUS+ Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa Apresentação ERASMUS+ - Ensino Superior O Erasmus+ é o novo programa da UE dedicado à educação, formação, juventude e desporto. O programa tem início

Leia mais

EDITAL Nº 21/10. Regulamento

EDITAL Nº 21/10. Regulamento MUNICÍPIO DO BARREIRO ASSEMBLEIA MUNICIPAL EDITAL Nº 21/10 Regulamento - - - Frederico Fernandes Pereira, Presidente da Assembleia Municipal do Barreiro, torna público que, por deliberação deste órgão

Leia mais

Preâmbulo... 3. I Grau de cumprimento do Plano Estratégico e do Plano Anual... 4. II Da Realização dos Objectivos Estabelecidos...

Preâmbulo... 3. I Grau de cumprimento do Plano Estratégico e do Plano Anual... 4. II Da Realização dos Objectivos Estabelecidos... Relatório Anual 2008/2009 INDICE Preâmbulo... 3 I Grau de cumprimento do Plano Estratégico e do Plano Anual... 4 2 II Da Realização dos Objectivos Estabelecidos... 5 III Da eficiência da Gestão Administrativa

Leia mais

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância A Escola A ENAP pode contribuir bastante para enfrentar a agenda de desafios brasileiros, em que se destacam a questão da inclusão e a da consolidação da democracia. Profissionalizando servidores públicos

Leia mais

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx SUPLEMENTO AO DIPLOMA Este Suplemento ao Diploma segue o modelo elaborado pela Comissão Europeia, pelo Conselho da Europa e pela UNESCO/CEPES. A finalidade deste Suplemento é fornecer dados independentes

Leia mais

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 Factores Determinantes para o Empreendedorismo Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 IAPMEI Instituto de Apoio às PME e à Inovação Principal instrumento das políticas económicas para Micro e Pequenas

Leia mais

Regulamento Geral de Acesso ao Programa de Bolsas Luso-Brasileiras Santander Universidades

Regulamento Geral de Acesso ao Programa de Bolsas Luso-Brasileiras Santander Universidades Regulamento Geral de Acesso ao Programa de Bolsas Luso-Brasileiras Santander Universidades Artigo 1º Objecto 1. O presente regulamento visa definir as condições de acesso, os direitos e as obrigações para

Leia mais

Mobilidade de Estudantes Sessão de Esclarecimento 2015/2016 janeiro 2015 Núcleo de Relações Internacionais do ISEL

Mobilidade de Estudantes Sessão de Esclarecimento 2015/2016 janeiro 2015 Núcleo de Relações Internacionais do ISEL Changing lives. Opening minds. Mobilidade de Estudantes Sessão de Esclarecimento 2015/2016 janeiro 2015 Núcleo de Relações Internacionais do ISEL ERASMUS + Uma porta aberta para a Europa : O novo programa

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS MARIA THEREZA E PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE

FACULDADES INTEGRADAS MARIA THEREZA E PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE FACULDADES INTEGRADAS MARIA THEREZA E PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE O PROGRAMA: Ciência sem Fronteiras é um programa que busca promover a consolidação, expansão e internacionalização

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO INSTITUTO DE INVESTIGAÇÃO EM ARTE, DESIGN E SOCIEDADE i2ads.

REGULAMENTO INTERNO DO INSTITUTO DE INVESTIGAÇÃO EM ARTE, DESIGN E SOCIEDADE i2ads. FBAUP Instituto de Investigação em Arte, Design e Sociedade Av. Rodrigues de Freitas 265 4049-021 Porto T - 225 192 400 F - 225 367 036 office@i2ads.org REGULAMENTO INTERNO DO INSTITUTO DE INVESTIGAÇÃO

Leia mais

E R A S M U S Guia do Estudante ERASMUS. Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Guia do Estudante

E R A S M U S Guia do Estudante ERASMUS. Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Guia do Estudante ERASMUS Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa Guia do Estudante Normas Gerais A mobilidade de estudantes, uma das acções mais frequentes do Programa, inclui duas vertentes de actividade: realização

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MOBILIDADE BOLSAS SANTANDER LUSO-BRASILEIRAS CONVOCATÓRIA 2015

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MOBILIDADE BOLSAS SANTANDER LUSO-BRASILEIRAS CONVOCATÓRIA 2015 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MOBILIDADE BOLSAS SANTANDER LUSO-BRASILEIRAS CONVOCATÓRIA 2015 É do interesse das Instituições de Ensino Superior promover a excelência do ensino, propiciando aos seus estudantes

Leia mais

Findo o segundo quadrimestre (janeiro- agosto 2011) da atividade do gabinete de

Findo o segundo quadrimestre (janeiro- agosto 2011) da atividade do gabinete de GABINETE DE FORMAÇÃO PRÓ-REITORIA PARA O DESENVOLVIMENTO E INTERNACIONALIZAÇÃO Volume 1 Número 2 MAIO/ AGOSTO 2011 Ficha Técnica Director: António José Silva 1 - EDITORIAL Equipa GFORM: Cristiana Rego,

Leia mais

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx SUPLEMENTO AO DIPLOMA Este Suplemento ao Diploma segue o modelo elaborado pela Comissão Europeia, pelo Conselho da Europa e pela UNESCO/CEPES. A finalidade deste Suplemento é fornecer dados independentes

Leia mais

Realização das Noites de Sociologia, encontro tertúlia subordinado a um tema, e que habitualmente se realiza em junho.

Realização das Noites de Sociologia, encontro tertúlia subordinado a um tema, e que habitualmente se realiza em junho. Índice 1. Introdução... 3 2. Atividades científicas, de formação e divulgação....3 3. Publicações.. 3 4. Internet... 4 5. Secções Temáticas e Núcleos Regionais 4 6. Outras atividades....4 2 1. Introdução

Leia mais

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Da Beira Interior A.1.a. Identificação

Leia mais

A Participação do Conselho Superior da Magistratura em Organizações Internacionais

A Participação do Conselho Superior da Magistratura em Organizações Internacionais A Participação do Conselho Superior da Magistratura em Organizações Internacionais O Conselho Superior da Magistratura é membro de duas organizações internacionais que promovem a cooperação e concertação

Leia mais

8. Excelência no Ensino Superior

8. Excelência no Ensino Superior 8. Excelência no Ensino Superior PROGRAMA: 08 Órgão Responsável: Contextualização: Excelência no Ensino Superior Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - SETI O Programa busca,

Leia mais

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012 Apoio à Internacionalização CENA 3 de Julho de 2012 Enquadramento Enquadramento Comércio Internacional Português de Bens e Serviços Var. 13,3% 55,5 68,2 57,1 73,4 48,3 60,1 54,5 66,0 67,2 61,7 Exportação

Leia mais

Queres ir Estudar para outro Estado-Membro da União Europeia? Quais as Oportunidades? Quais os teus Direitos?

Queres ir Estudar para outro Estado-Membro da União Europeia? Quais as Oportunidades? Quais os teus Direitos? Queres ir Estudar para outro Estado-Membro da União Europeia? Quais as Oportunidades? Quais os teus Direitos? ESTUDAR noutro país da UE ESTUDAR noutro país da UE ESTUDAR noutro país da UE I. DIREITO DE

Leia mais

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção 02 Estratégia Nacional de

Leia mais

1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA. JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org

1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA. JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org 1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org CONCEITO Realização do 1º Fórum União de Exportadores CPLP (UE-CPLP) que integra:

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS EDITAL PROINTER 06/2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS EDITAL PROINTER 06/2015 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS EDITAL PROINTER 06/2015 Seleção para o PROGRAMA SANTANDER UNIVERSIDADES BOLSAS IBERO- AMERICANAS PARA JOVENS

Leia mais

V - promover a cooperação internacional na área de ciência, tecnologia e inovação;

V - promover a cooperação internacional na área de ciência, tecnologia e inovação; DECRETO Nº 7.642, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 * Programa Ciência sem Fronteiras. * Institui o Programa Ciência sem Fronteiras. A Presidenta da República, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84,

Leia mais

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS Estabelece a política de pesquisa, desenvolvimento, inovação e extensão da Universidade Positivo (UP). O CONSELHO ACADÊMICO SUPERIOR (CAS), órgão da administração superior

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de e Economia REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM ECONOMIA Artigo 1.º Criação A Universidade da Beira Interior, através do Departamento

Leia mais

NÚMERO: 003/2010 DATA: 29/09/2010 ASSUNTO: PALAVRAS CHAVE: PARA: CONTACTOS:

NÚMERO: 003/2010 DATA: 29/09/2010 ASSUNTO: PALAVRAS CHAVE: PARA: CONTACTOS: NÚMERO: 003/2010 DATA: 29/09/2010 ASSUNTO: PALAVRAS CHAVE: PARA: CONTACTOS: Acesso a cuidados de saúde programados na União Europeia, Espaço Económico Europeu e Suiça. Procedimentos para a emissão do Documento

Leia mais

Cooperação no Ensino Politécnico Orlando Rodrigues

Cooperação no Ensino Politécnico Orlando Rodrigues Os Dias do Desenvolvimento Conhecimento, Capacitação e Transferência de Tecnologia Lisboa, 22 de Abril Cooperação no Ensino Politécnico Orlando Rodrigues Objectivo: Breve reflexão em torno da experiência

Leia mais

Plano de Atividades 2014

Plano de Atividades 2014 Plano de Atividades 2014 Escola de Ciências Universidade do Minho 1. Missão A Escola de Ciências tem como missão gerar, difundir e aplicar conhecimento no âmbito das Ciências Exatas e da Natureza e domínios

Leia mais

Regulamento do 2º ciclo de estudos da Universidade da Madeira

Regulamento do 2º ciclo de estudos da Universidade da Madeira Regulamento do 2º ciclo de estudos da Universidade da Madeira Artigo 1.º Enquadramento jurídico O presente Regulamento visa desenvolver e complementar o regime jurídico instituído pelo Decreto-Lei n.º

Leia mais

INVESTIR NO FUTURO CONTRATO DE CONFIANÇA ENSINO SUPERIOR PARA O FUTURO DE PORTUGAL. Janeiro de 2010

INVESTIR NO FUTURO CONTRATO DE CONFIANÇA ENSINO SUPERIOR PARA O FUTURO DE PORTUGAL. Janeiro de 2010 INVESTIR NO FUTURO UM CONTRATO DE CONFIANÇA NO ENSINO SUPERIOR PARA O FUTURO DE PORTUGAL Janeiro de 2010 UM CONTRATO DE CONFIANÇA NO ENSINO SUPERIOR PARA O FUTURO DE PORTUGAL No seu programa, o Governo

Leia mais

Licenciatura em Biologia

Licenciatura em Biologia Licenciatura em Biologia Regulamento de Estágio Profissionalizante Para dar cumprimento ao estipulado no Despacho n.º 22 420/2001 da Reitoria da Universidade de Aveiro, publicado no Diário da República

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MOBILIDADE BOLSA IBERO-AMÉRICA. ESTUDANTES DE LICENCIATURA E MESTRADO SANTANDER UNIVERSIDADES CONVOCATÓRIA 2015

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MOBILIDADE BOLSA IBERO-AMÉRICA. ESTUDANTES DE LICENCIATURA E MESTRADO SANTANDER UNIVERSIDADES CONVOCATÓRIA 2015 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MOBILIDADE BOLSA IBERO-AMÉRICA. ESTUDANTES DE LICENCIATURA E MESTRADO SANTANDER UNIVERSIDADES CONVOCATÓRIA 2015 O Programa Bolsas Ibero-américa. Estudantes de Licenciatura e

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE UM CONSULTOR PARA PRESTAR APOIO ÀS ACTIVIDADES ELEITORAIS EM MOÇAMBIQUE

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE UM CONSULTOR PARA PRESTAR APOIO ÀS ACTIVIDADES ELEITORAIS EM MOÇAMBIQUE TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE UM CONSULTOR PARA PRESTAR APOIO ÀS ACTIVIDADES ELEITORAIS EM MOÇAMBIQUE Local de trabalho: Maputo, Moçambique Duração do contrato: Três (3) meses: Novembro 2011

Leia mais

REGULAMENTO Regulamento do programa de Aprendizagem ao Longo da Vida (LLP) ERASMUS Mobilidade de Alunos Missão de Estudos e Estágios

REGULAMENTO Regulamento do programa de Aprendizagem ao Longo da Vida (LLP) ERASMUS Mobilidade de Alunos Missão de Estudos e Estágios RG- 10-01 Data: 2010-01-06 INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA ESAC Escola Superior Agrária de Coimbra ESEC Escola Superior de Educação de Coimbra ESTeSC Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra

Leia mais

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS INTRODUÇÃO Com base no Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais - REHUF, destinado à reestruturação e revitalização dos hospitais das universidades federais, integrados

Leia mais

REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO E MARKETING

REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO E MARKETING REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO E MARKETING REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO E MARKETING O presente regulamento foi homologado pelo Presidente da ESEV, a 18

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DO PROGRAMA BOLSAS IBERO-AMERICANAS. JOVENS PROFESSORES E INVESTIGADORES CONVOCATÓRIA 2015

REGULAMENTO GERAL DO PROGRAMA BOLSAS IBERO-AMERICANAS. JOVENS PROFESSORES E INVESTIGADORES CONVOCATÓRIA 2015 REGULAMENTO GERAL DO PROGRAMA BOLSAS IBERO-AMERICANAS. JOVENS PROFESSORES E INVESTIGADORES CONVOCATÓRIA 2015 A promoção da investigação através de programas que contribuam de maneria eficaz para a criação

Leia mais

PLANO DE GESTÃO 2015-2017

PLANO DE GESTÃO 2015-2017 UNIFAL-MG FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS PLANO DE GESTÃO 2015-2017 Profa. Fernanda Borges de Araújo Paula Candidata a Diretora Profa. Cássia Carneiro Avelino Candidata a Vice Diretora Índice Apresentação...

Leia mais

Mobilidade de Alunos Associada a Motivações de Estudo

Mobilidade de Alunos Associada a Motivações de Estudo RT D Territórios, empresas e organizações 143 Vol. II (1), 143-147 (2005) Mobilidade de Alunos Associada a Motivações de Estudo Cristina Barroco Novais* Mestre em Gestão de Empresas WÊÊÊÊÊ Introdução A

Leia mais

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2009

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2009 INSTITUTO POLITÉCNICO DO CÁVADO E DO AVE ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2009 PROJECTO EM SIMULAÇÃO EMPRESARIAL Índice Introdução 1 Recursos Humanos afectos ao PSE... 3 1.1 Caracterização...

Leia mais

O Ministério da Justiça da República Portuguesa e o Ministério da Justiça da República democrática de Timor - Leste:

O Ministério da Justiça da República Portuguesa e o Ministério da Justiça da República democrática de Timor - Leste: Protocolo de Cooperação Relativo ao Desenvolvimento do Centro de Formação do Ministério da Justiça de Timor-Leste entre os Ministérios da Justiça da República Democrática de Timor-Leste e da República

Leia mais

MINISTÉRIO DO COMÉRCIO

MINISTÉRIO DO COMÉRCIO MINISTÉRIO DO COMÉRCIO REGULAMENTO INTERNO DAS REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS DA REPÚBLICA DE ANGOLA NO ESTRANGEIRO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º (Natureza) As representações são órgãos de execução

Leia mais

Procura de Excelência

Procura de Excelência www.mba.deg.uac.pt Procura de Excelência MASTER IN BUSINESS ADMINISTRATION Mestrado em Gestão (MBA) Secretariado Departamento de Economia e Gestão Rua da Mãe de Deus Apartado 1422 E-mail: mba@uac.pt Tel:

Leia mais

Regulamento do. Programa de Estágios Curriculares. no Ministério dos Negócios Estrangeiros

Regulamento do. Programa de Estágios Curriculares. no Ministério dos Negócios Estrangeiros Regulamento do Programa de Estágios Curriculares no Ministério dos Negócios Estrangeiros Preâmbulo Na sequência do acordo tripartido celebrado entre o Governo e os parceiros sociais em junho de 2008 e

Leia mais

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Do Minho A.1.a. Identificação

Leia mais

10 de Março 11h30. Inauguração da Futurália com a presença de Sua Excelência a Ministra da Educação, Dra. Isabel Alçada

10 de Março 11h30. Inauguração da Futurália com a presença de Sua Excelência a Ministra da Educação, Dra. Isabel Alçada PROGRAMA DE ACTIVIDADES > AUDITÓRIOS Quarta-feira 10 de Março 11h30 Inauguração da Futurália com a presença de Sua Excelência a Ministra da Educação, Dra. Isabel Alçada Quarta-feira 9h00 11h30 Inscrições

Leia mais

a) Regras sobre a admissão no ciclo de estudos

a) Regras sobre a admissão no ciclo de estudos ANEXO Normas regulamentares do ciclo de estudos conducente ao grau de mestre em a) Regras sobre a admissão no ciclo de estudos 1. Habilitações de acesso São admitidos como candidatos à inscrição no ciclo

Leia mais

Programa para o Departamento de Engenharia Cerâmica e do Vidro Mário Guerreiro Silva Ferreira

Programa para o Departamento de Engenharia Cerâmica e do Vidro Mário Guerreiro Silva Ferreira Programa para o Departamento de Engenharia Cerâmica e do Vidro Mário Guerreiro Silva Ferreira. 2011-2014 1 Programa de acção Um programa de acção para qualquer unidade orgânica deve atender aos objectivos

Leia mais

PROGRAMAS DE MOBILIDADE - GUIA DO ALUNO

PROGRAMAS DE MOBILIDADE - GUIA DO ALUNO PROGRAMAS DE MOBILIDADE - GUIA DO ALUNO 1. ENTIDADES COORDENADORAS Coordenador de Mobilidade do Mestrado em: Engenharia Biológica (https://fenix.tecnico.ulisboa.pt/cursos/mebiol/programas-de-mobilidade

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO EMPRESARIAL INTERNACIONAL E DIPLOMACIA ECONÓMICA

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO EMPRESARIAL INTERNACIONAL E DIPLOMACIA ECONÓMICA PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO EMPRESARIAL INTERNACIONAL E DIPLOMACIA ECONÓMICA Gestão Empresarial Internacional e Diplomacia Económica International Management and Economic Diplomacy 2 O aumento das exportações

Leia mais

M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE

M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE INFORMAÇÃO PESSOAL Nome BRUTO DA COSTA, MARIA HELENA Morada Escritório Nº 6, 5º, Avenida Rovisco Pais, 1000-268 Lisboa, Portugal Telefone Escritório: 21 847 79 49; Correio

Leia mais

REGULAMENTO DE PROGRAMAS DE MOBILIDADE E INTERCÂMBIO DE ESTUDANTES OUTGOING INCOMING

REGULAMENTO DE PROGRAMAS DE MOBILIDADE E INTERCÂMBIO DE ESTUDANTES OUTGOING INCOMING 1 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Objecto O presente regulamento estabelece o regime aplicável aos programas de intercâmbio, mobilidade de estudantes e cooperação internacional nos quais o IPAM

Leia mais

Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas

Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas Elaborada pela Diretoria de Extensão e pela Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação 1 1 Esta minuta será apreciada pelo Colegiado de Ensino, Pesquisa

Leia mais

CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade

Leia mais

Um mar de oportunidades. Mestrado em Gestão Portuária. Mensagem do Presidente da ENIDH Escola Superior Náutica Infante D. Henrique.

Um mar de oportunidades. Mestrado em Gestão Portuária. Mensagem do Presidente da ENIDH Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Um mar de oportunidades Mestrado em Gestão Portuária Mensagem do Presidente da ENIDH Escola Superior Náutica Infante D. Henrique A ENIDH é a Escola Superior pública portuguesa que assegura a formação de

Leia mais

ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO

ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade internacional para estágio dos estudantes de Licenciatura

Leia mais

A Formação Pós-Graduada na Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto

A Formação Pós-Graduada na Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto Universidade Agostinho Neto Faculdade de Direito Workshop sobre Formação Pós-Graduada e Orientação A Formação Pós-Graduada na Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto Por: Carlos Teixeira Presidente

Leia mais

Começar Global e Internacionalização

Começar Global e Internacionalização Começar Global e Internacionalização Artur Alves Pereira Assessor do Conselho de Administração, AICEP Portugal Global Fevereiro 06, 2014 1 A aicep Portugal Global Missão. A aicep Portugal Global é uma

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO E ORÇAMENTO PARA 2008

PLANO DE ACÇÃO E ORÇAMENTO PARA 2008 PLANO DE ACÇÃO E ORÇAMENTO PARA 2008 O ano de 2008 é marcado, em termos internacionais, pela comemoração dos vinte anos do Movimento Internacional de Cidades Saudáveis. Esta efeméride terá lugar em Zagreb,

Leia mais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. MBA em Negócios Internacionais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. MBA em Negócios Internacionais Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Sines Tecnopolo Pós-Graduação MBA em Negócios Internacionais Edital 1ª Edição 2012-2013 1 Enquadramento O MBA em Negócios Internacionais é

Leia mais

Eixos Estratégicos Objectivos Estratégicos Objectivos Operacionais Acções. 1.1.1.Aumentar a oferta formativa nas áreas das artes e das tecnologias

Eixos Estratégicos Objectivos Estratégicos Objectivos Operacionais Acções. 1.1.1.Aumentar a oferta formativa nas áreas das artes e das tecnologias 1. Oferta Formativa 1.1. Dinamizar e consolidar a oferta formativa 1.1.1.Aumentar a oferta formativa nas áreas das artes e das tecnologias 1.1.2. Promover o funcionamento de ciclos de estudos em regime

Leia mais

Regulamento do Gabinete Erasmus da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa

Regulamento do Gabinete Erasmus da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa Regulamento do Gabinete Erasmus da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objecto) O presente regulamento estabelece a orgânica do Gabinete Erasmus, bem

Leia mais

Programa Consórcios em Educação Superior Brasil e Estados Unidos

Programa Consórcios em Educação Superior Brasil e Estados Unidos Programa Consórcios em Educação Superior Brasil e Estados Unidos CAPES/FIPSE Edital Nº 8/2010 CAPES A Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), por meio de sua Diretoria

Leia mais

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 1 Do programa e objetivo 1.1 O Programa CAFP/BA (Centros Associados para o Fortalecimento

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DOS MESTRADOS EM ENSINO - FORMAÇÃO DE PROFESSORES

REGULAMENTO INTERNO DOS MESTRADOS EM ENSINO - FORMAÇÃO DE PROFESSORES REGULAMENTO INTERNO DOS MESTRADOS EM ENSINO - FORMAÇÃO DE PROFESSORES Artigo 1º Âmbito O Regulamento interno dos mestrados em ensino formação inicial de professores aplica-se aos seguintes ciclos de estudo

Leia mais

Programa de Licenciaturas Internacionais CAPES/ Universidade de Lisboa

Programa de Licenciaturas Internacionais CAPES/ Universidade de Lisboa Programa de Licenciaturas Internacionais / (23 Dezembro de 2011) 1. Introdução 2. Objectivos 3. Organização e procedimentos 4. Regime de Titulação do Programa de Licenciaturas Internacionais /UL 5. Regime

Leia mais

NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Instituto Politécnico De Lisboa

Leia mais

Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade

Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade Candidatura aprovada ao Programa Política de Cidades - Redes Urbanas para a Competitividade e a Inovação Síntese A cidade de S.

Leia mais

1494 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 37 22 de Fevereiro de 2005 MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, INOVAÇÃO E ENSINO SUPERIOR

1494 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 37 22 de Fevereiro de 2005 MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, INOVAÇÃO E ENSINO SUPERIOR 1494 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 37 22 de Fevereiro de 2005 MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, INOVAÇÃO E ENSINO SUPERIOR Decreto-Lei n. o 42/2005 de 22 de Fevereiro A 19 de Junho de 1999, os ministros da educação

Leia mais

Resumo de Editais Abertos Capes

Resumo de Editais Abertos Capes Resumo de Editais Abertos Capes www.capes.gov.br/editais/abertos Programa Capes/MINCyT O objetivo do Programa Capes/MINCyT é estimular, por meio de projetos conjuntos de pesquisa, o intercâmbio de docentes

Leia mais

I - Disposições gerais. Artigo 1.º Âmbito da cooperação

I - Disposições gerais. Artigo 1.º Âmbito da cooperação Decreto n.º 25/2002 Acordo de Cooperação na Área da Educação e Cultura entre a República Portuguesa e a Região Administrativa Especial de Macau da República Popular da China, assinado em Lisboa, em 29

Leia mais

DESPACHO N. GR.O1.04.2011. Alteração do Regulamento Estatuto de Estudante-Atleta da U.Porto

DESPACHO N. GR.O1.04.2011. Alteração do Regulamento Estatuto de Estudante-Atleta da U.Porto DESPACHO N. GR.O1.04.2011 Alteração do Regulamento Estatuto de Estudante-Atleta da U.Porto No uso da competência que me é consagrada na alínea o) do n 1 do artigo 400 dos estatutos da Universidade do Porto,

Leia mais

GABINETE DO REITOR COORDENAÇÃO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS

GABINETE DO REITOR COORDENAÇÃO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS GABINETE DO REITOR COORDENAÇÃO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS PROGRAMA DE GRADUAÇÃO / POSGRADUAÇÃO / MESTRADO E DOUTORADO / PESSOAL ACADEMICO FELLOW-MUNDUS Edital de Seleção de bolsas Fellow Mundus. 01.2015

Leia mais

Escola de Lisboa. Relatório de Actividades 2012/13 Elaborado por Direcção e aprovado por Administração e Conselho Cientifico

Escola de Lisboa. Relatório de Actividades 2012/13 Elaborado por Direcção e aprovado por Administração e Conselho Cientifico Escola de Lisboa Relatório de Actividades 2012/13 Elaborado por Direcção e aprovado por Administração e Conselho Cientifico Índice 1. Cumprimento do plano estratégico e anual 2. Realização dos Objectivos

Leia mais

NCE/14/00981 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/14/00981 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/14/00981 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade Do Porto A.1.a.

Leia mais