Cargo de Nível Médio. Assistente de Desenvolvimento do Turismo. Técnico em Informática A C

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cargo de Nível Médio. Assistente de Desenvolvimento do Turismo. Técnico em Informática A C"

Transcrição

1 GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS PARA OS CARGOS DA FUNDAÇÃO DE TURISMO DE MATO GROSSO DO SUL INSTRUÇÕES 01. Leia atentamente as instruções. Não manuseie este caderno de provas até receber autorização. 02. Para fazer esta prova, você usará: este caderno de questões; um cartão-resposta; caneta esferográfica de tinta azul ou preta, escrita normal. 03. Ao receber autorização, verifique se no caderno constam todas as questões e se há falhas ou imperfeições gráficas que lhe causem dúvida. 04. Ao receber o cartão-resposta, verifique se há marcações indevidas no campo destinado às suas respostas. Se houver, reclame imediatamente. 05. As questões objetivas contêm cinco (5) alternativas, identificadas pelas letras A, B, C, D e E. Transcreva para o cartão-resposta a alternativa correta. Há somente uma alternativa correta para cada questão. Exemplo: Se a alternativa correta de uma determinada questão for B, o candidato deverá preencher totalmente a bolha correspondente, com caneta esferográfica azul ou preta, conforme modelo abaixo: Cargo de Nível Médio Assistente de Desenvolvimento do Turismo A C Técnico em Informática D 06. Não faça rasuras no cartão-resposta. 07. Procure responder a todas as questões. 08. Durante a prova, não se admite que o candidato comunique se com outros candidatos, efetue empréstimos, use meios ilícitos ou pratique atos contra as normas ou a disciplina. A fraude, a indisciplina e o desrespeito aos Fiscais encarregados dos trabalhos são faltas que eliminam o candidato. 09. Ao terminar entregue o cartão-resposta ao fiscal. E DURAÇÃO DESTA PROVA: 3 horas "O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons." (Martin Luther King) DATA: 04 de junho de 2006 HORÁRIO: 8h REALIZAÇÃO:

2 Língua Portuguesa 01- Assinale a alternativa em que todas as palavras contêm fonema /s/: A) Ascensorista; infeliz; cidade; Paiçandu. B) Sal; casa; explorar; mesmo. C) Asilo; esclarecer; hesitar; açoitar. D) Exceto; presunto; macio; desça. E) Discípulo; cortesia; cortês; inglesa. 02- Do ponto de vista fonético-fonológico, pode-se afirmar que a diferença de significado entre as palavras roxa e rocha ( a cor roxa / A rocha partiu-se com o impacto da máquina ) decorre: A) Exclusivamente da diferença na grafia. B) Da diferença entre um fonema de timbre fechado e um de timbre aberto, respectivamente). C) Exclusivamente do contexto em que as palavras ocorrem, porque seus fonemas são idênticos. D) Do processo de formação. E) Da classe gramatical: adjetivo e substantivo, respectivamente. 03- A divisão silábica está correta na alternativa: A) Pers-pi-cá-cia; he-cta-re; ruim. B) Né-ctar; su-bstân-cia; of-tal-mo-lo-gia. C) Bis-a-vô; bis-ne-to; psi-ca-ná-li-se. D) Fri-ccio-nar; su-blo-car; sub-li-nhar. E) In-te-lec-ção; a-ve-ri-güei; trans-por-te. 04- Quanto à grafia das palavras está correta a alternativa: A) Decentralizar; paralisia; umidecer. B) Paralisação; constroe; crâneo. C) Possue; continue; expontânio. D) Possui; êxito; recenseamento. E) Ponteagudo; requesito; espontâneo. 05- Assinale a alternativa em que a equivalência de sentido dos prefixos NÃO está corretamente indicada: A) Anfíbio/dígrafo (simultaneidade). B) Ilegal/anarquia (negação). C) Perímetro/circunvagar (em torno de). D) Hemisfério/semínima (metade). E) Subterrâneo/hipotermia (movimento para baixo). 06- Assinale a alternativa em que a relação expressa pela preposição em destaque está corretamente indicada: A) A estudante chorava de alegria. (modo) B) Falaram sobre política, religião e esportes. (lugar) C) Cortou-se com o alicate de unhas. (instrumento) D) O livro de História rasgou-se. (origem) E) Cortou-se com o alicate de unhas. (matéria)

3 07- Considerando o comportamento das palavras no pequeno texto que segue, assinale a alternativa em que a classificação e o processo de formação da palavra estão corretamente indicados: Na planície avermelhada, os juazeiros alargavam duas manchas verdes. Os infelizes tinham caminhado o dia inteiro; estavam cansados e famintos. (Graciliano Ramos). A) Infelizes = adjetivo/prefixação. B) Avermelhada = verbo/derivação prefixal e sufixal. C) Juazeiros = substantivo/composição por aglutinação. D) Infelizes = substantivo/derivação imprópria. E) Avermelhada = adjetivo/composição por justaposição. 08- O único par classificado como parônimo está na alternativa: A) Coser/cozer. B) Seção/sessão. C) Cassar/caçar. D) Iminente/eminente. E) Senso/censo. 09- Assinale a alternativa em que as palavras estão corretamente acentuadas: A) Dirigí-me à sala para incumbí-lo de analisar os ítens do programa. B) É preciso pôr as panelas no lugar, mas não convém fazer barulho, pois já passa das dez. C) Solicitaram que assinasse ou fizesse uma rúbrica, mas ele não pode atender, pois seu braço estava engessado. D) Eles vem de longe, mas, mesmo assim, mantém o bom humor. E) Os policiais récem-chegados tentavam negociar a libertação dos refens. 10- Assinale a alternativa em que todas as palavras estão corretamente grafadas: A) Deslize; beneficente; umidecer. B) Ponteagudo; contribue; regeição. C) Pesquisar; consciência; descentralizar. D) Homoplata; balizar; creatura. E) Exquisito; holocausto; omeopatia. 11- Assinale a alternativa em que as palavras ou expressões em destaque estão corretamente empregadas: A) Há cerca de três anos, realizou-se um censo em municípios sul-mato-grossenses, com o objetivo de verificar índices de trabalho infantil. B) Não tenho conhecimentos suficientes para falar a cerca desse assunto, mas estou afim de apreender. C) Dizem que dinheiro não trás felicidade, mais manda buscar... D) A cidade ficava acerca de 10 km dali, mas não queriam parar, se não poderiam desistir, pois estavam muito cansados. E) Não sei aonde ele mora, mas posso descobrir, porque isso interessa a mim também.

4 12- Assinale a alternativa em que a palavra contém dois dígrafos: A) qualquer. B) qüinqüênio. C) agüentava. D) guilhotina. E) caminhos. 13- A classificação correta da oração destacada no período Seria bom que os interessados preenchessem corretamente os formulários. está na alternativa: A) subordinada substantiva subjetiva. B) subordinada substantiva predicativa. C) subordinada substantiva objetiva direta. D) subordinada adjetiva restritiva. E) subordinada adjetiva explicativa. 14- No período O médico recomendou que ela bebesse uma porção do calmante que ele receitara., as orações destacadas classificam-se, respectivamente, como: A) subordinada substantiva subjetiva/subordinada substantiva objetiva direta. B) subordinada substantiva objetiva direta/subordinada substantiva objetiva direta. C) subordinada adverbial causal/subordinada adjetiva restritiva. D) subordinada adjetiva explicativa/subordinada adjetiva restritiva. E) subordinada substantiva objetiva direta/subordinada adjetiva restritiva. 15- Quanto à regência, está correta a alternativa: A) Devido o bloqueio das estradas e rodovias, alguns candidatos chegaram atrasados no local das provas. B) O funcionário recusou-se em receber a correspondência, alegando de que não tinha autorização a isso. C) Entregaram-no os livros, mas ele não conseguiu ler-lhes. D) Não podia ver-lhe, mas sentia-lhe o perfume. Isso o bastava, porque, afinal, apenas uma parede os separava. E) As qualidades atribuídas aos concorrentes de Luan deixaram-no desanimado, porque isso implicava muito mais dedicação aos estudos.

5 AS QUESTÕES DE 16 A 20 REFEREM-SE AO TEXTO QUE SEGUE. LEIA-O PARA RESPONDÊ-LAS. O indivíduo e a história 1 Cada indivíduo possui suas características próprias que o distinguem do outro. Como pessoa, pensa, vive integrado a uma família e à sociedade, está sujeito a um governo (embora nem sempre participe da sua escolhe está sujeito às leis. Para sobreviver, executa um 5trabalho (embora alguns vivam da exploração do trabalho alheio) e, segundo a sua situação econômica, engaja-se num determinado grupo social. Enfim, cada indivíduo luta pelos seus próprios fins, pela sua existência e pela existência dos que lhe são próximos, constrói a sua história. Ao mesmo tempo ocorre um movimento conjunto, resultado da 10ação de todos os homens, que denominamos de história do gênero humano. Portanto, a história não é estática, mas é um processo dinâmico, dialético, onde as contradições geradas pela luta entre as classes sociais conduzem às grandes transformações da sociedade. Nesse sentido, podemos afirmar que na história não há o acaso e que 15todas as transformações são fruto da ação dos homens e não de alguns homens apenas, os grandes homens, os heróis. Acreditar que só os grandes homens transformaram a estrutura da sociedade e fazem a história é negar a própria história. De um modo geral temos a tendência ao comodismo. Esperamos 20que apareçam os grandes homens, os heróis que façam o que precisa ser feito e esquecemos que a história é um processo do qual participamos, quer queiramos ou não. Refugiar-se na neutralidade é uma atitude covarde e, em si, já é uma opção. Demonstra medo de enfrentar as forças de permanência, isto é, aqueles que, agarrando-se 25aos privilégios econômicos e políticos, pretendem manter, a qualquer custo, o seu poder de decisão, não hesitando em desumanizar, oprimir e violentar a grande maioria, reduzindo-a à condição de objeto. O grande desafio que a história coloca diante de nós é a luta contra as forças de permanência que pretendem deter as forças de 30transformação. (Paulo Cosiuc, Professor de História Escola Comunitária Campinas trecho de jornal, extraído de POSSARI, Lúcia Helena Vendrúsculo e NEDER, Maria Lúcia Cavalli. Produção de leitura e de texto. Cuiabá: UFMT, 1990) 16- De acordo com o texto, é correto afirmar que: A) Os seres humanos são individualistas, egoístas e comodistas, o que altera o curso da história. B) Só os grandes homens são capazes de produzir transformações na história do gênero humano. C) As lutas entre as classes sociais geram contradições que dificultam o dinamismo da história. D) Precisamos esperar que surjam grandes homens para solucionar os conflitos entre as classes sociais. E) As grandes transformações sociais são decorrentes da ação de grupos sociais e não de cada indivíduo isoladamente.

6 17- De acordo com o autor, pode-se afirmar que: A) Para que haja transformações sociais, é necessário que os seres humanos lutem contra os governos e as leis. B) Aqueles que não participam da escolha dos governantes são pessoas neutras e comodistas, que impedem as transformações sociais. C) Os indivíduos que não participam da escolha dos governantes são os mesmos que vivem da exploração do trabalho alheio. D) As pessoas que optam pela neutralidade contribuem para a exploração do homem pelo homem, para a desumanização e para a opressão da maioria dos seres humanos. E) As grandes transformações sociais são decorrentes da ação de grupos sociais e não de cada indivíduo isoladamente. 18- Considerando as estruturas e relações contidas no texto, está correta a alternativa: A) O período Nesse sentido, podemos afirmar que na história não há o acaso e que todas as transformações são fruto da ação dos homens e não de alguns homens apenas, os grandes homens, os heróis. (l ) é composto por coordenação e constitui-se de 4 orações. B) As orações destacadas na alternativa anterior classificam-se como coordenadas sindéticas aditivas. C) Na linha 24, o pronome aqueles retoma grandes homens. D) A oração embora nem sempre participe da sua escolha (l. 3-4) classifica-se como subordinada adverbial concessiva. E) qual (l. 21) é um pronome relativo que retoma o substantivo história. 19- Considerando as relações e os sentidos estabelecidos no texto, assinale a alternativa correta: A) A palavra sujeito (l. 4) é um substantivo e equivale a indivíduo. B) A palavra como (l. 2) é uma conjunção que introduz uma comparação e a palavra segundo (l. 6) é um numeral ordinal. C) A palavra que (l. 10) é um pronome relativo que se refere a movimento conjunto. D) A palavra o, em o que precisa ser feito (l ) classifica-se como artigo definido. E) Em dos que lhe são próximos (l. 8), a palavra lhe pode ser substituída por deles sem prejuízo das relações textuais. 20- A classificação correta das orações que precisa ser feito (l ) e que a história coloca diante de nós (l. 28) encontra-se na alternativa: A) Ambas são coordenadas sindéticas explicativas. B) Ambas são subordinadas adjetivas restritivas. C) Ambas são subordinadas substantivas objetivas diretas. D) A primeira é substantiva objetiva direta e a segunda é subordinada E) Ambas são subordinadas adjetivas explicativas.

7 Conhecimentos Específicos 21 - Sobre Fundamentos de Computação, é correto afirmar que: A) a primeira geração de computadores era baseada na tecnologia eletrônica. B) a primeira geração de computadores era baseada na tecnologia de válvulas. C) a primeira geração de computadores era baseada na tecnologia de transistor. D) a primeira geração de computadores era baseada na tecnologia de circuitos integrados. E) a primeira geração de computadores era baseada na tecnologia LSI, VLSI, ULSI Sobre hardware de computadores, podemos afirmar que: I corresponde à parte física do computador. II possui um sistema central (CPU e Memória) e Periféricos (Entrada e Saída). III o Microsoft Office é um tipo de hardware. IV a CPU é quem realiza a saída de dados. A) Apenas III e IV estão corretas. B) Apenas I e II estão incorretas. C) Apenas I e IV estão corretas. D) Apenas I e II estão corretas. E) Apenas II e III estão corretas A CPU é composta pela UC e pela ULA. Assinale a alternativa correta, com relação à definição destes componentes. A) a UC (Unidade de Controle) é responsável por realizar os cálculos aritméticos do computador. B) a ULA (Unidade Lógica e Aritmética) é responsável pelo controle do fluxo de dados na CPU. C) a ULA (Unidade Lógica e Aritmética) é responsável por executar as operações lógicas e aritméticas requeridas pelos programas, ou seja, é quem realiza os cálculos. D) a ULA (Unidade Lógica e Aritmética) é responsável por controlar a Entrada e Saída de dados na CPU. E) a UC (Unidade de Controle) é acionada pela ULA, toda vez que necessitar de uma operação lógica ou aritmética, ou seja, toda vez que aparecer uma operação aritmética a ULA passa o controle para a UC Sobre os tipos de Memória presente nas arquiteturas dos computadores atuais, é correto afirmar que: I A Memória RAM é altamente volátil (os dados são perdidos ao desligar o computador), tem velocidade de acesso alta e um custo alto. II A Memória Cache é volátil (os dados são perdidos ao desligar o computador), tem velocidadede de acesso muito alta e um custo altíssimo. III As Memórias de Massa (a mesma utilizada no HD disco rígido) possuem velocidade de acesso mais baixo que a Memória RAM, custo mais baixo e não perdem os dados ao desligar o computador (não é volátil). A) I, II e III estão corretas. B) Apenas I e II estão incorretas. C) Apenas I e III estão incorretas. D) Apenas II e III estão incorretas. E) I, II e III estão incorretas.

8 25 - Sobre o Windows XP, podemos afirmar que: A) roda programas em 32 bits e roda aplicações de 16 bits por emulação. B) aceita somente sistema de arquivos NTFS. C) utiliza um novo sistema de gerenciamento, baseado em LDAP, chamado pela Microsoft de Active Directory. D) aceita sistema de arquivos FAT32. E) necessita de, no mínimo, 128 MB de memória para sua instalação Lançado em 1998, com a finalidade de alcançar o público que não tinha necessidades corporativas (para os sistemas corporativos, nesta época existia o Windows NT), o Windows 98, além de suporte a múltiplos monitores e USB, trazia como características: A) a criação e utilização de um novo sistema de gerenciamento, baseado em LDAP, chamado pela Microsoft de Active Directory. B) a idéia de serviços, no qual o sistema operacional trabalha a partir de processos, tendo assim menores chances de travar, pois é possível reiniciar apenas um serviço, sem a necessidade de reiniciar a máquina. C) suporte ao sistema de arquivos NTFS. D) suporte aos sistemas de arquivos FAT16 e FAT32 E) suporte a administração de usuários e grupos, onde é possível criar uma conta para cada usuário que utiliza a máquina, mantendo perfis independentes O Windows 2000 Server, lançado em fevereiro de 2000, trouxe como inovação: A) utilização do sistema de arquivos ext3. B) utilização do sistema de arquivos ext2. C) utilização de um novo sistema de gerenciamento, baseado em LDAP, chamado pela Microsoft de Active Directory. D) utilização do sistema de arquivos reiserfs. E) utilização do sistema de arquivos FAT Usando o prompt de comando, assinale a alternativa que contém o comando que insere uma rota (persistente) para a rede com máscara e sendo o gateway (roteador) de sua rede , de forma que a rota persista ao reiniciar o computador. A) route add mask B) route add netmask C) route add p mask D) route add p mask gateway E) route add -p netmask gw Seguindo a mesma idéia do exercício anterior, usando o Sistema Operacional Linux, como é feito para adicionar uma rota para a Rede com máscara , sendo o gateway (roteador) de sua rede , levando-se em consideração que esta rota deve sair obrigatoriamente pela placa de rede eth0 (assumindo que a máquina tem uma outra placa de rede eth1 que não pode ser usada para esta rota). Assinale a alternativa que contém o comando que executa esta operação corretamente. A) route add -net netmask gw B) route add -net netmask gw dev eth0 C) route add -net netmask D) route add -net mask gw E) route add -net mask

9 30 - Dada a tabela de roteamento abaixo, assinale a alternativa com o comando Linux que exclui a rota para a Rede Kernel IP routing table Destination Gateway Genmask Flags Metric Ref Use Iface UG eth U eth U lo UG eth0 A) route delete B) route del -net netmask gw C) route delete -net netmask gw D) route del E) route delete -net netmask No ambiente Linux, os comandos ps e kill, são utilizados para listar e encerrar processos, respectivamente. Qual a alternativa a baixo, indica a opção do comando kill para encerrar abruptamente um processo. A) 9 B) 2 C) 3 D) 15 E) Utilizando o prompt de comandos, no Windows 2000, podemos afirmar que: I Para mapear um compartilhamento (de nome teste) em um servidor (chamado serverarq) na unidade de letra Z: e garantindo a persitência, usamos o comando net use, da seguinte forma: net use Z: \\serverarq\teste /yes II Para desconectar este mapeamento Z: \\serverarq\teste temos de executar o comando net use da seguinte forma: net use Z: /delete /yes III Para conectar uma conexão VPN, pré-configurada chamada VPN EMPRESA, e fazendo uso de um usuário chamado teste com senha 12345, num domínio chamado empresa, usamos o comando rasdial, da forma a seguir: rasdial VPN EMPRESA teste /DOMAIN:empresa IV Para desconectar a conexão VPN EMPRESA, citada acima, usamos o comando rasdial da seguinte forma: Rasdial VPN EMPRESA /CONNECT A) Apenas I, II e III estão incorretas. B) Apenas II, III e IV estão incorretas. C) Apenas I, II e III estão corretas. D) Apenas II e III estão incorretas. E) Apenas III e IV estão incorretas.

10 33 - Na operacionalização de um servidor Windows 2000 Server, a comunicação DNS com TCP é realizada por meio de uma porta conhecida pelo número: A) 25 B) 23 C) 53 D) 110 E) Analisando as linhas de código abaixo, referentes a um arquivo de configuração DHCP (/etc/dhcpd.conf) no ambiente Linux. default-lease-time 600; max-lease-time 7200; option subnet-mask ; option broadcast-address ; option routers ; option domain-name-servers , ; option domain-name "teste.org.br"; subnet netmask { range ; range ; } No funcionamento do DHCP, são endereços IP válidos atribuídos às estações-cliente: A) e B) e C) e D) e E) e Qual a porta utilizada pelo serviço de terminal, no Windows 2000 Server: A) 1723 B) 3389 C) 443 D) 8080 E) Indique a alternativa abaixo, que representa a máscara de sub-rede utilizada para uma rede de 1000 hosts: A) B) C) D) E)

11 37 - Quantos são os tipos de backups existentes no Windows 2000 Server: A) 1 B) 2 C) 3 D) 4 E) Qual é o serviço utilizado para ativar e configurar um servidor de VPN, utilizando o Windows 2000 Server: A) Vpn server B) Telnet C) Roteamento e Acesso Remoto D) DHCP server E) IPSEC 39 - Qual é a ferramenta utilizada no Windows XP, para dar suporte remoto, utilizando o ambiente gráfico do windows: A) Conexão de área de trabalho remota. B) SSH Client. C) Putty D) Telnet. E) WS_FTP É um equipamento com a capacidade de segmentar uma rede local, em sub-redes, com o objetivo de reduzir tráfegos ou converter diferentes padrões de LAN s (de Ethernet para tokenring, por exemplo): A) Switch B) Gateway C) Bridge D) Hub E) Transceiver 41 - É um equipamento utilizado em redes de maior porte, com capacidade de escolher o melhor caminho que um determinado pacote de dados deve seguir, para chegar em seu destino: A) Hub B) Roteador C) Switch D) Bridge E) Firewall

12 42 - É um equipamento intermediário, geralmente destinado a interligar redes, separar domínios de colisão, ou mesmo traduzir protocolos. É responsável por permitir que usuários de uma intranet naveguem pela internet impedindo que esta ação coloque em risco a segurança e a privacidade dos demais computadores ligados à intranet: A) Roteador B) Switch C) Hub D) Gateway E) Bridge 43 - De acordo com a EIA/TIA, a seqüência utilizada para a confecção de cabos seguindo as norma 568A, é: A) verde, branco/verde, branco/laranja, branco/azul, azul, marron, branco/ marron, laranja. B) branco/verde, verde, branco/laranja, azul, branco/azul, laranja, branco/marron, e marron. C) branco/azul, azul, verde, branco/verde, branco/laranja, laranja, branco/ marron, marron. D) branco/marron, marron, branco/azul, azul, verde, branco/verde, branco/laranja, laranja. E) branco/laranja, laranja, branco/marron, marron, branco/azul, azul, verde, branco/verde Assinale a alternativa onde todos os protocolos são de roteamento dinâmico, utilizados em grandes redes de computadores: A) UDP, DHCP, IRD, RIP. B) IRD, RIP, IGRP, OSPF. C) WINS, UDP, TCP, DHCP. D) PPTP, L2TP, IPSEC, SSH. E) TELNET, FTP, SSH, SMTP Considere o endereço /23. A classe, o endereço da sub-rede e o endereço de broadcast da sub-rede são, respectivamente: A) B, , B) B, , C) B, , D) C, , E) C, , Sobre as permissões e segurança no Windows 2000, podemos afirmar que: I SEM ACESSO: O acesso à pasta é negado, e seu conteúdo não é exibido, sendo obtida com a negação de todas as demais permissões. II SEM ACESSO: O acesso à pasta é negado, mas seu conteúdo é exibido, sendo obtida com a marcação do botão correspondente na guia de permissões. III ALTERAR: Permite ler os arquivos e executar programas da pasta compartilhada e de suas subpastas, além de exclusões, modificações ou gravações. IV CONTROLE TOTAL: Permite total controle sobre a pasta compartilhada, podendo inclusive alterar a lista de permissões, deixando mudar o objeto que pode acessar e que tipo de acesso ele pode ter.

13 A) Apenas I, III e IV estão corretas. B) Apenas I e III estão incorretas. C) Apenas III e IV estão incorretas. D) Apenas I, II e III estão incorretas. E) Apenas Apenas II está correta Para instalar e configurar o Proxy, o software mais utilizado para o controle de acessos a páginas de internet em ambientes Linux, é conhecido por: A) Bind B) Squid C) Isa Server D) Named E) Iptables 48 - De acordo com os itens abaixo, assinale a alternativa correta, quanto às necessidades para a instalação e configuração do Active Directory no Windows 2000 Server: I Um volume ou uma partição formatada em NTFS. II Um volume ou uma partição formatada em FAT32 ou ext3. III Um servidor com o serviço DHCP instalado e ativado. IV Um servidor com o serviço DNS Server instalado e ativado. A) Apenas I e IV estão incorretas. B) Apenas II e III estão corretas. C) Apenas I e II estão corretas. D) Apenas II e IV estão incorretas. E) Apenas I e IV estão corretas No que diz respeito à segurança, um programa permite o monitoramento e o registro da passagem de dados entre as interfaces de rede instaladas no computador. Os dados coletados são usados para a obtenção de detalhes úteis para solução de problemas em redes, quando usado com boas intenções pelo administrador do sistema, ou para ataques ao sistema, quando usado pelo cracker para obter nomes/senhas e outros detalhes úteis para a espionagem. Para sistemas Linux, os softwares mais conhecidos deste programa são tcpdump e ethereal. Este programa é conhecido por: A) Hoax B) Strobe C) Sniffer D) NetBus E) Backdoor 50 - De acordo com a Microsoft, a recomendação mínima para a instalação de Windows XP é: A) Pentium 166 (MHz), 32 MB de memória e 2,0 GB de espaço em disco. B) Pentium 266 (MHz), 256 MB de memória e 400 MB de espaço em disco. C) Pentium 166 (MHz), 128 MB de memória e 1,0 GB de espaço em disco. D) Pentium 233 (MHz), 64 MB de memória e 1,5 GB de espaço em disco. E) Pentium 133 (MHz), 64 MB de memória e 1,5 GB de espaço em disco.

14 Cargo: Assistente de Desenvolvimento do Turismo Técnico em Informática 01 -A 02-B 03-E 04-D 05-A 06-C 07-D 08-D 09-B 10-C 11 -A 12-D 13-A 14-E 15-E 16-E 17-E 18-D 19-C 20-C 21 -B 22-D 23-C 24-A 25-A 26-D 27-C 28-C 29-B 30-B 31 -A 32-C 33-C 34-E 35-B 36-D 37-E 38-C 39-A 40-C 41 -B 42-D 43-B 44-B 45-B 46-A 47-B 48-E 49-C 50-D

O Protocolo IP (2) Prof. José Gonçalves Pereira Filho Departamento de Informática zegonc@inf.ufes.br

O Protocolo IP (2) Prof. José Gonçalves Pereira Filho Departamento de Informática zegonc@inf.ufes.br O Protocolo IP (2) Prof. José Gonçalves Pereira Filho Departamento de Informática zegonc@inf.ufes.br O IP e a Máscara de Sub-Rede O IP se baseia em duas estruturas para efetuar o roteamento de datagramas:

Leia mais

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF REDES ESAF 01 - (ESAF - Auditor-Fiscal da Previdência Social - AFPS - 2002) Um protocolo é um conjunto de regras e convenções precisamente definidas que possibilitam a comunicação através de uma rede.

Leia mais

Concurso Público. Prova Prática - parte 2. Técnico Laboratório Informática. Técnico Administrativo em Educação 2014

Concurso Público. Prova Prática - parte 2. Técnico Laboratório Informática. Técnico Administrativo em Educação 2014 Concurso Público Técnico Administrativo em Educação 2014 Prova Prática - parte 2 Técnico Laboratório Informática NÃO escreva seu nome ou assine em nenhuma folha da prova PROVA PRÁTICA - TÉCNICO LABORATÓRIO

Leia mais

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross Redes Pablo Rodriguez de Almeida Gross Conceitos A seguir serão vistos conceitos básicos relacionados a redes de computadores. O que é uma rede? Uma rede é um conjunto de computadores interligados permitindo

Leia mais

Tópicos Especiais em Informática

Tópicos Especiais em Informática Tópicos Especiais em Informática DCHP Prof. Ms.-Eng. Igor Sousa Faculdade Lourenço Filho 5 de novembro de 2014 igorvolt@gmail.com (FLF) Tópicos Especiais em Informática 5 de novembro de 2014 1 / 14 Introdução

Leia mais

INSTRUÇÕES NÃO SERÃO ACEITAS RECLAMAÇÕES FORMULADAS APÓS O INÍCIO DA PROVA. Não efetue qualquer marcação nos campos destinados à atribuição de notas.

INSTRUÇÕES NÃO SERÃO ACEITAS RECLAMAÇÕES FORMULADAS APÓS O INÍCIO DA PROVA. Não efetue qualquer marcação nos campos destinados à atribuição de notas. INSTRUÇÕES Verifique, com muita atenção, este Caderno de QUESTÕES que deverá conter 14 (treze) questões de múltipla escolha, sendo 10 (dez) de Conhecimentos Específicos de Técnico de Informática e 4 (quatro)

Leia mais

Servidor Proxy. Firewall e proxy

Servidor Proxy. Firewall e proxy Curso: Gestão em Tecnologia da Informação - Matutino Professor: Marissol Martins Barros Unidade Curricular: Fundamentos de Serviços IP Alunos: Matheus Pereira de Oliveira, Tárik Araujo de Sousa, Romero

Leia mais

OS endereços IP v.4 consistem em 4 octetos separados por pontos. Estes endereços foram separados

OS endereços IP v.4 consistem em 4 octetos separados por pontos. Estes endereços foram separados Endereçamento IP V.4 e Roteamento Estático Pedroso 4 de março de 2009 1 Introdução OS endereços IP v.4 consistem em 4 octetos separados por pontos. Estes endereços foram separados em 5 classes, de acordo

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS TÉCNICO DE LABORATÓRIO / ÁREA INFORMÁTICA

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS TÉCNICO DE LABORATÓRIO / ÁREA INFORMÁTICA CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS TÉCNICO DE LABORATÓRIO / ÁREA INFORMÁTICA 26. Considerando o sistema de numeração Hexadecimal, o resultado da operação 2D + 3F é igual a: a) 5F b) 6D c) 98 d) A8 e) 6C 27. O conjunto

Leia mais

INSTRUÇÕES NÃO SERÃO ACEITAS RECLAMAÇÕES FORMULADAS APÓS O INÍCIO DA PROVA. NÃO ESQUEÇA de assinar a LISTA DE PRESENÇA.

INSTRUÇÕES NÃO SERÃO ACEITAS RECLAMAÇÕES FORMULADAS APÓS O INÍCIO DA PROVA. NÃO ESQUEÇA de assinar a LISTA DE PRESENÇA. INSTRUÇÕES Verifique, com muita atenção, este Caderno de QUESTÕES que deve conter 14 (quatorze) questões, sendo 03 (três) de Língua Portuguesa e 10 (dez) de Conhecimentos Específicos e 1 (uma) questão

Leia mais

Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores

Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores Este artigo demonstra como configurar uma rede virtual para ser usada em testes e estudos. Será usado o VirtualBox

Leia mais

Linux Network Servers

Linux Network Servers DHCP Podemos configurar a rede de um cliente para obter IP dinamicamente ou configurar um IP estático. Encontramos configuração dinâmica em modems de banda larga, redes Wi-Fi etc, pois é mais prático para

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL. Curso Técnico em Informática

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL. Curso Técnico em Informática SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Curso Técnico em Informática Estrutura de Endereçamento IP e Mascara de Subrede Endereçamento IP e Classes Autoridade para Atribuição de Números da Internet http://www.iana.org/

Leia mais

INSTRUÇÕES NÃO SERÃO ACEITAS RECLAMAÇÕES FORMULADAS APÓS O INÍCIO DA PROVA. NÃO ESQUEÇA de assinar a LISTA DE PRESENÇA.

INSTRUÇÕES NÃO SERÃO ACEITAS RECLAMAÇÕES FORMULADAS APÓS O INÍCIO DA PROVA. NÃO ESQUEÇA de assinar a LISTA DE PRESENÇA. INSTRUÇÕES Verifique, com muita atenção, este Caderno de QUESTÕES que deve conter 14 (quatorze) questões, sendo 03 (três) de Língua Portuguesa e 10 (dez) de Conhecimentos Específicos e 1 (uma) questão

Leia mais

Curso Técnico em Informática. Informática Aplicada Instrutor Rafael Barros Sales

Curso Técnico em Informática. Informática Aplicada Instrutor Rafael Barros Sales Curso Técnico em Informática Informática Aplicada Instrutor Rafael Barros Sales Serviços de Rede Windows Apesar do prompt de comando ser muitas vezes marginalizado e relegado a segundo plano, o Windows

Leia mais

TERMO DE GARANTIA MANUAL DE INSTRUÇÕES

TERMO DE GARANTIA MANUAL DE INSTRUÇÕES TERMO DE GARANTIA 1. Este equipamento é garantido contra defeitos de fabricação pelo prazo de 12 meses. Sendo os primeiros 3 meses de garantia legal, e os últimos 9 meses de garantia especial concedida

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE TÉCNICO DE INFORMÁTICA POR PRAZO DETERMINADO

PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE TÉCNICO DE INFORMÁTICA POR PRAZO DETERMINADO UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRAL DE INFORMÁTICA PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE TÉCNICO DE INFORMÁTICA POR PRAZO DETERMINADO INFORMAÇÕES A) A prova consta de 20 questões de múltipla escolha,

Leia mais

Edital 012/PROAD/SGP/2012

Edital 012/PROAD/SGP/2012 Edital 012/PROAD/SGP/2012 Nome do Candidato Número de Inscrição - Assinatura do Candidato Secretaria de Articulação e Relações Institucionais Gerência de Exames e Concursos I N S T R U Ç Õ E S LEIA COM

Leia mais

Criando um Servidor Proxy com o SQUID. Roitier Campos

Criando um Servidor Proxy com o SQUID. Roitier Campos Criando um Servidor Proxy com o SQUID Roitier Campos Roteiro Redes de Computadores e Internet Arquitetura Cliente/Servidor e Serviços Básicos de Comunicação Componentes do Servidor e Configuração da VM

Leia mais

ATA - Exercícios Informática Carlos Viana. 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

ATA - Exercícios Informática Carlos Viana. 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ATA - Exercícios Informática Carlos Viana 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ATA EXERCÍCIOS CARLOS VIANA 22 - ( ESAF - 2004 - MPU - Técnico Administrativo ) O

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do seu firewall Netdeep

Leia mais

Guia de Instalação ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo PAP2

Guia de Instalação ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo PAP2 Guia de Instalação ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo PAP2 Página 1 de 14 Guia de Instalação ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo PAP2-NA Este guia irá ajudá-lo a instalar o seu ATA,

Leia mais

WinGate - Passo a passo

WinGate - Passo a passo WinGate - Passo a passo Configurando os Computadores de sua rede Nesta etapa, mostraremos como preparar os computadores de sua rede para a instalação do WinGate. 1ª Parte É necessário que os computadores

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA CARGOS TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS/UFGD

CONCURSO PÚBLICO PARA CARGOS TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS/UFGD TTI - SUPORTE 26. Converta o valor decimal 200 para a base binária e hexadecimal. 10100100, D8. 11101000, B8. 11001000, C8. 11000100, A8. 11010000, F8. 27. Qual o resultado da operação binária 11000000

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA Estado do Paraná

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA Estado do Paraná PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA Estado do Paraná PROMOÇÃO POR COMPETÊNCIAS E HABILIDADES (Decreto nº 1.306/2011) TÉCNICO DE GESTÃO PÚBLICA FUNÇÃO PLEITEADA: TGPC14 - Assistência em Análise e Suporte

Leia mais

Como é o Funcionamento do LTSP

Como é o Funcionamento do LTSP Instalação e configuração do LTSP 5 no Ubuntu 11.04 Funcionamento do LTSP e Instalação do Servidor Como é o Funcionamento do LTSP O primeiro requisito para que o LSTP funcione bem é ter uma rede de boa

Leia mais

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04 Guia de Prática Windows 7 Ubuntu 12.04 Virtual Box e suas interfaces de rede Temos 04 interfaces de rede Cada interface pode operar nos modos: NÃO CONECTADO, que representa o cabo de rede desconectado.

Leia mais

Laboratório - Configuração de NAT dinâmico e estático

Laboratório - Configuração de NAT dinâmico e estático Topologia Tabela de Endereçamento Dispositivo Interface Endereço IP Máscara de Sub-Rede Gateway padrão Objetivos Gateway G0/1 192.168.1.1 255.255.255.0 N/A S0/0/1 209.165.201.18 255.255.255.252 N/A ISP

Leia mais

Redes de Computadores. Guia de Laboratório Configuração de Redes

Redes de Computadores. Guia de Laboratório Configuração de Redes Redes de Computadores LEIC-T 2012/13 Guia de Laboratório Configuração de Redes Objectivos O objectivo do trabalho consiste em configurar uma rede simples usando o sistema Netkit. O Netkit é um emulador

Leia mais

CPE Soft Manual. 125/400mW 2.4GHz. CPE Soft

CPE Soft Manual. 125/400mW 2.4GHz. CPE Soft CPE Soft Manual 125/400mW 2.4GHz CPE Soft Campinas - SP 2010 Indice 1.1 Acessando as configurações. 2 1.2 Opções de configuração... 3 1.3 Wireless... 4 1.4 TCP/IP 5 1.5 Firewall 6 7 1.6 Sistema 8 1.7 Assistente...

Leia mais

cio Roteamento Linux

cio Roteamento Linux Exercício cio Roteamento Linux Edgard Jamhour Exercícios práticos para configuração de roteamento usando Linux Esses exercícios devem ser executados através do servidor de máquinas virtuais: espec.ppgia.pucpr.br

Leia mais

AGENTE PROFISSIONAL - ANALISTA DE REDES

AGENTE PROFISSIONAL - ANALISTA DE REDES Página 1 CONHECIMENTO ESPECÍFICO 01. Suponha um usuário acessando a Internet por meio de um enlace de 256K bps. O tempo mínimo necessário para transferir um arquivo de 1M byte é da ordem de A) 4 segundos.

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

DHCP. Administração de Redes de Computadores Prof.ª Juliana Camilo 6080822 Ângelo, Bryan, Carlos, Vinícius

DHCP. Administração de Redes de Computadores Prof.ª Juliana Camilo 6080822 Ângelo, Bryan, Carlos, Vinícius DHCP Administração de Redes de Computadores Prof.ª Juliana Camilo 6080822 Ângelo, Bryan, Carlos, Vinícius Histórico O termo DHCP significa Dynamic Host Configuration Protocol Começou a se tornar popular

Leia mais

Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços

Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços - italo@dcc.ufba.br Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal da Bahia,

Leia mais

Na Figura a seguir apresento um exemplo de uma "mini-tabela" de roteamento:

Na Figura a seguir apresento um exemplo de uma mini-tabela de roteamento: Tutorial de TCP/IP - Parte 6 - Tabelas de Roteamento Por Júlio Cesar Fabris Battisti Introdução Esta é a sexta parte do Tutorial de TCP/IP. Na Parte 1 tratei dos aspectos básicos do protocolo TCP/IP. Na

Leia mais

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO MANUAL DE CONFIGURAÇÃO CONTMATIC PHOENIX SUMÁRIO CAPÍTULO I APRESENTAÇÃO DO ACESSO REMOTO... 3 1.1 O que é o ACESSO REMOTO... 3 1.2 Como utilizar o ACESSO REMOTO... 3 1.3 Quais as vantagens em usar o PHOENIX

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração do Sistema Cali LAB View

Manual de Instalação e Configuração do Sistema Cali LAB View Manual de Instalação e Configuração do Sistema Cali LAB View www.cali.com.br - Manual de Instalação e Configuração do Sistema Cali LAB View - Página 1 de 29 Índice INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO (FIREBIRD E

Leia mais

ALGUNS CONCEITOS. Rede de Computadores

ALGUNS CONCEITOS. Rede de Computadores ALGUNS CONCEITOS Rede de Computadores Prof. Airton Ribeiro de Sousa E-mail: airton.ribeiros@gmail.com 1 OBJETIVO 1. Compartilhar recursos computacionais disponíveis sem considerar a localização física

Leia mais

1. Considerações...3. 2. Introdução...3. 3. Arquitetura...3. 3.1. Topologia Básica...4. 3.2. Hardware mínimo recomendado...5

1. Considerações...3. 2. Introdução...3. 3. Arquitetura...3. 3.1. Topologia Básica...4. 3.2. Hardware mínimo recomendado...5 ÍNDICE 1. Considerações...3 2. Introdução...3 3. Arquitetura...3 3.1. Topologia Básica...4 3.2. Hardware mínimo recomendado...5 3.3. Sistemas Operacionais...5 4. Configurações Necessárias...6 4.1. Nas

Leia mais

1 Identifique-se na parte inferior desta capa. Sua prova será anulada caso você se identifique em qualquer outro local deste Caderno.

1 Identifique-se na parte inferior desta capa. Sua prova será anulada caso você se identifique em qualquer outro local deste Caderno. 1 Identifique-se na parte inferior desta capa. Sua prova será anulada caso você se identifique em qualquer outro local deste Caderno. 2 Este Caderno contém, respectivamente, duas questões discursivas,

Leia mais

TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO, responsável pela confiabilidade da entrega da informação.

TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO, responsável pela confiabilidade da entrega da informação. Protocolo TCP/IP PROTOCOLO é um padrão que especifica o formato de dados e as regras a serem seguidas para uma comunicação a língua comum a ser utilizada na comunicação. TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO,

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede Uma Rede de Computadores consistem em dois ou mais dispositivos, tais como computadores, impressoras e equipamentos relacionados, os

Leia mais

FAT32 ou NTFS, qual o melhor?

FAT32 ou NTFS, qual o melhor? FAT32 ou NTFS, qual o melhor? Entenda quais as principais diferenças entre eles e qual a melhor escolha O que é um sistema de arquivos? O conceito mais importante sobre este assunto, sem sombra de dúvidas,

Leia mais

Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas

Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas Introdução: Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas Prezados leitores, esta é a primeira parte, desta segunda etapa dos tutoriais de TCP/IP. As partes de 01 a 20, constituem o módulo

Leia mais

O conteúdo Cisco Networking Academy é protegido e a publicação, distribuição ou compartilhamento deste exame é proibida.

O conteúdo Cisco Networking Academy é protegido e a publicação, distribuição ou compartilhamento deste exame é proibida. O conteúdo Cisco Networking Academy é protegido e a publicação, distribuição ou compartilhamento deste exame é proibida. 1 Quando protocolos sem conexão são implementados nas camadas mais inferiores do

Leia mais

Treinamento Nettion Administração. Humberto Caetano humberto@alliance3.com.br

Treinamento Nettion Administração. Humberto Caetano humberto@alliance3.com.br Treinamento Nettion Administração Humberto Caetano humberto@alliance3.com.br O Nettion Instalação Hardware Recomendado Processador Pentium Core 2 Duo 2GB de Memória HD Sata II (Para servidores de Email

Leia mais

Laboratório - Visualização das tabelas de roteamento do host

Laboratório - Visualização das tabelas de roteamento do host Laboratório - Visualização das tabelas de roteamento do host Topologia Objetivos Parte 1: Acessar a tabela de roteamento de host Parte 2: Examinar as entradas da tabela de roteamento de host IPv4 Parte

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto

Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 Protocolo de rede... 3 Protocolo TCP/IP... 3 Máscara de sub-rede... 3 Hostname... 3

Leia mais

Administração de Redes 2014/15. Dynamic Host Configuration Protocol (DHCP)

Administração de Redes 2014/15. Dynamic Host Configuration Protocol (DHCP) Administração de Redes 2014/15 Dynamic Host Configuration Protocol (DHCP) 1 Configuração de parâmetros de rede Para poder funcionar em rede e ligar-se à Internet, uma máquina precisa de ter um conjunto

Leia mais

Modelo em Camadas Arquitetura TCP/IP/Ethernet. Edgard Jamhour

Modelo em Camadas Arquitetura TCP/IP/Ethernet. Edgard Jamhour Modelo em Camadas Arquitetura TCP/IP/Ethernet Edgard Jamhour Ethernet não-comutada (CSMA-CD) A Ethernet não-comutada baseia-se no princípio de comunicação com broadcast físico. a b TIPO DADOS (até 1500

Leia mais

Arquitetura de Rede de Computadores

Arquitetura de Rede de Computadores TCP/IP Roteamento Arquitetura de Rede de Prof. Pedro Neto Aracaju Sergipe - 2011 Ementa da Disciplina 4. Roteamento i. Máscara de Rede ii. Sub-Redes iii. Números Binários e Máscara de Sub-Rede iv. O Roteador

Leia mais

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Conhecer os modelo OSI, e TCP/IP de cinco camadas. É importante ter um padrão para a interoperabilidade entre os sistemas para não ficarmos

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO (TELNET E TERMINAL SERVICES) Professor Carlos Muniz

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO (TELNET E TERMINAL SERVICES) Professor Carlos Muniz ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO (TELNET E O que é roteamento e acesso remoto? Roteamento Um roteador é um dispositivo que gerencia o fluxo de dados entre segmentos da rede,

Leia mais

A Camada de Rede. Romildo Martins Bezerra CEFET/BA Redes de Computadores II

A Camada de Rede. Romildo Martins Bezerra CEFET/BA Redes de Computadores II A Camada de Rede Romildo Martins Bezerra CEFET/BA Redes de Computadores II A Camada de Rede e o protocolo IP... 2 O protocolo IP... 2 Formato do IP... 3 Endereçamento IP... 3 Endereçamento com Classes

Leia mais

Laboratório - Configuração de NAT Dinâmico e Estático

Laboratório - Configuração de NAT Dinâmico e Estático Topologia Tabela de Endereçamento Dispositivo Interface Endereço IP Máscara de Sub-rede Gateway padrão Objetivos Gateway G0/1 192.168.1.1 255.255.255.0 N/A S0/0/1 209.165.201.18 255.255.255.252 N/A ISP

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 04/2010

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 04/2010 UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 04/2010 ABERTURA E DISPOSIÇÕES GERAIS DO CURSO DE INFORMÁTICA

Leia mais

Nível de segurança de uma VPN

Nível de segurança de uma VPN VPN Virtual Private Network (VPN) é uma conexão segura baseada em criptografia O objetivo é transportar informação sensível através de uma rede insegura (Internet) VPNs combinam tecnologias de criptografia,

Leia mais

O B B J E E T T I V V O O S

O B B J E E T T I V V O O S OBJ E T I VOS Conhecer as características e possibilidades do SO Linux, como workstation simples ou elemento componente de uma rede; Analisar a viabilidade de implantação do sistema numa corporação. SU

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do seu firewall Netdeep Secure em um

Leia mais

Processo Seletivo Instrutor nº 03/2011

Processo Seletivo Instrutor nº 03/2011 l CRONOGRAMAS E TEMAS DAS Verifique o dia, o horário e o local das aulas práticas no quadro-resumo e nas tabelas seguintes de acordo com o seu número de inscrição e o seu cargo. QUADRO-RESUMO CARGO DESCRIÇÃO

Leia mais

DHCP - ESAF. 1- Prova: ESAF - 2005 - SET- RN - Auditor Fiscal do Tesouro Estadual - Prova 2

DHCP - ESAF. 1- Prova: ESAF - 2005 - SET- RN - Auditor Fiscal do Tesouro Estadual - Prova 2 DHCP - ESAF 1- Prova: ESAF - 2005 - SET- RN - Auditor Fiscal do Tesouro Estadual - Prova 2 Um protocolo é um conjunto de regras e convenções para envio de informações em uma rede. Essas regras regem, além

Leia mais

Arquitetura de Rede de Computadores

Arquitetura de Rede de Computadores Arquitetura de Rede de Prof. Pedro Neto Aracaju Sergipe - 2011 Ementa da Disciplina 2. TCP/IP i. Fundamentos ii. Camada de Aplicação iii. Camada de Transporte iv. Camada de Internet v. Camada de Interface

Leia mais

Aula pratica 4 Testar Conexões TCP/IP em Redes Industrias Usando os comandos Ping e Net View (1.a Parte)

Aula pratica 4 Testar Conexões TCP/IP em Redes Industrias Usando os comandos Ping e Net View (1.a Parte) 1 Aula pratica 4 Testar Conexões TCP/IP em Redes Industrias Usando os comandos Ping e Net View (1.a Parte) Objetivo: Esta aula tem como objetivo apresentar aos alunos como testar a conectividade de uma

Leia mais

Administração de Redes Redes e Sub-redes

Administração de Redes Redes e Sub-redes 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS SÃO JOSÉ SANTA CATARINA Administração de Redes Redes e Sub-redes Prof.

Leia mais

EVOLUTION PATCH PANEL 5 E 10 PORTAS FAST E GIGABIT TERMO DE GARANTIA MANUAL DE INSTRUÇÕES

EVOLUTION PATCH PANEL 5 E 10 PORTAS FAST E GIGABIT TERMO DE GARANTIA MANUAL DE INSTRUÇÕES TERMO DE GARANTIA 1. Este equipamento é garantido contra defeitos de fabricação pelo prazo de 12 meses. Sendo os primeiros 3 meses de garantia legal, e os últimos 9 meses de garantia especial concedida

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do

Leia mais

PROJETO INTERDISCIPLINAR I

PROJETO INTERDISCIPLINAR I PROJETO INTERDISCIPLINAR I Linux e LPI www.lpi.org João Bosco Teixeira Junior boscojr@gmail.com Certificação LPIC-1 Prova 102 105 Shell, Scripting, e Gerenciamento de Dados 106 Interface com usuário e

Leia mais

Conteúdo do pacote de 03 cursos hands-on

Conteúdo do pacote de 03 cursos hands-on Conteúdo do pacote de 03 cursos hands-on Windows Server 2012 Virtualização Hyper-v Firewall Pfsense C o n t e ú d o d o c u r s o H a n d s - on 2 Sumário 1 Conteúdo Windows 2012... 3 2 Conteúdo Virtualização...

Leia mais

1 ENDEREÇAMENTO IP. 1.1 Quem gerencia a numeração IP no mundo?

1 ENDEREÇAMENTO IP. 1.1 Quem gerencia a numeração IP no mundo? ENDEREÇAMENTO IP Cada máquina na Internet possui um ou mais endereços de rede que são únicos, ou seja, não podem haver dois endereços iguais. Este endereço é chamado de número Internet, Endereço IP ou

Leia mais

Senha Admin. Nessa tela, você poderá trocar a senha do administrador para obter acesso ao NSControl. Inicialização

Senha Admin. Nessa tela, você poderá trocar a senha do administrador para obter acesso ao NSControl. Inicialização Manual do Nscontrol Principal Senha Admin Nessa tela, você poderá trocar a senha do administrador para obter acesso ao NSControl. Inicialização Aqui, você poderá selecionar quais programas você quer que

Leia mais

Roteador Load-Balance / Mikrotik RB750

Roteador Load-Balance / Mikrotik RB750 Roteador Load-Balance / Mikrotik RB750 Equipamento compacto e de alto poder de processamento, ideal para ser utilizado em provedores de Internet ou pequenas empresas no gerenciamento de redes e/ou no balanceamento

Leia mais

DHCP. Definindo DHCP: Fundamentação teórica do DHCP. Esquema visual

DHCP. Definindo DHCP: Fundamentação teórica do DHCP. Esquema visual Definindo DHCP: DHCP O DHCP é a abreviatura de Dynamic Host Configuration Protocol é um serviço utilizado para automatizar as configurações do protocolo TCP/IP nos dispositivos de rede (computadores, impressoras,

Leia mais

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com /

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com / Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com / andre.belini@ifsp.edu.br MATÉRIA: SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Aula N : 09 Tema:

Leia mais

Manual para configuração. Linksys RT31P2

Manual para configuração. Linksys RT31P2 Manual para configuração Linksys RT31P2 Indice Guia de Instalação ATA Linksys RT31P2... 3 Conhecendo o ATA... 4 Antes de Iniciar... 6 Analisando o seu acesso à Internet... 6 Configuração... 9 Configuração

Leia mais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Configurando e Implantando o Windows Server 2003 Fabricio Breve Requisitos de Hardware de Sistema Processador Mínimo: 266 MHz Mínimo ideal:

Leia mais

Informática Aplicada Revisão para a Avaliação

Informática Aplicada Revisão para a Avaliação Informática Aplicada Revisão para a Avaliação 1) Sobre o sistema operacional Windows 7, marque verdadeira ou falsa para cada afirmação: a) Por meio do recurso Windows Update é possível manter o sistema

Leia mais

PRÁTICA DE VLAN - LINUX 1. AMBIENTE PARA REALIZAÇÃO DAS PRÁTICAS UTILIZAÇÃO DA IMAGEM NO DVD UTILIZAÇÃO DO SERVIDOR REMOTO ESPEC

PRÁTICA DE VLAN - LINUX 1. AMBIENTE PARA REALIZAÇÃO DAS PRÁTICAS UTILIZAÇÃO DA IMAGEM NO DVD UTILIZAÇÃO DO SERVIDOR REMOTO ESPEC PRÁTICA DE VLAN - LINUX Exercícios práticos sobre VLANs usando Linux. Esses exercícios devem ser executados através do servidor de máquinas virtuais: espec.ppgia.pucpr.br IMPORTANTE: Para facilitar a execução

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS NO WINDOWS. Professor Carlos Muniz

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS NO WINDOWS. Professor Carlos Muniz SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS NO WINDOWS Se todos os computadores da sua rede doméstica estiverem executando o Windows 7, crie um grupo doméstico Definitivamente, a forma mais

Leia mais

Capítulo 2: Introdução às redes comutadas (configuração switch)

Capítulo 2: Introdução às redes comutadas (configuração switch) Unisul Sistemas de Informação Redes de Computadores Capítulo 2: Introdução às redes comutadas (configuração switch) Roteamento e Switching Academia Local Cisco UNISUL Instrutora Ana Lúcia Rodrigues Wiggers

Leia mais

Universidade de Brasília

Universidade de Brasília Universidade de Brasília Introdução a Microinformática Turma H Redes e Internet Giordane Lima Porque ligar computadores em Rede? Compartilhamento de arquivos; Compartilhamento de periféricos; Mensagens

Leia mais

Capítulo 1: Introdução às redes de computadores

Capítulo 1: Introdução às redes de computadores ÍNDICE Capítulo 1: Introdução às redes de computadores Redes domésticas... 3 Redes corporativas... 5 Servidor... 5 Cliente... 7 Estação de trabalho... 8 As pequenas redes... 10 Redes ponto-a-ponto x redes

Leia mais

GABARITO - B. manuel@carioca.br

GABARITO - B. manuel@carioca.br NOÇÕES DE INFORMÁTICA EDITORA FERREIRA PROVA MPRJ -TÉCNICO ADMINISTRATIVO - TADM NCE-UFRJ CORREÇÃO - GABARITO COMENTADO Considere que as questões a seguir referem-se a computadores com uma instalação padrão

Leia mais

Guia de Instalação ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo PAP2

Guia de Instalação ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo PAP2 Guia de Instalação ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo PAP2 Terra VOIP PAP2 Rev. 1 Ago/06 1 de 15 Guia de Instalação ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo PAP2-NA Este guia irá ajudá-lo

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO DO EQUIPAMENTO VOIP

MANUAL DE INSTALAÇÃO DO EQUIPAMENTO VOIP MANUAL DE INSTALAÇÃO DO EQUIPAMENTO VOIP 1 INDICE 1. Identifique seu tipo de conexão à internet:... 3 1.1 Como Identificar sua Conexão Banda Larga... 3 1.1.1 Conexão ADSL... 3 1.1.2 Conexão a Cabo... 3

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO CONCURSO PÚBLICO. GRUPO MAGISTÉRIO Reservado ao CEFET-RN GRUPO MAGISTÉRIO REDES DE COMPUTADORES 14/MAIO/2006 REDES DE COMPUTADORES

CONCURSO PÚBLICO CONCURSO PÚBLICO. GRUPO MAGISTÉRIO Reservado ao CEFET-RN GRUPO MAGISTÉRIO REDES DE COMPUTADORES 14/MAIO/2006 REDES DE COMPUTADORES CONCURSO PÚBLICO REDES DE COMPUTADORES GRUPO MAGISTÉRIO Reservado ao CEFET-RN 14/MAIO/2006 Use apenas caneta esferográfica azul ou preta; Escreva o seu nome e o número do seu CPF no espaço indicado nesta

Leia mais

1. Identifique-se na parte inferior desta capa. Caso se identifique em qualquer outro local deste caderno, você será eliminado do Concurso.

1. Identifique-se na parte inferior desta capa. Caso se identifique em qualquer outro local deste caderno, você será eliminado do Concurso. 1. Identifique-se na parte inferior desta capa. Caso se identifique em qualquer outro local deste caderno, você será eliminado do Concurso. 2. Este Caderno contém, respectivamente, duas questões discursivas,

Leia mais

Palestra: Mikrotik: Histórico, Características, Instalação e Configurações Básicas. Apresentação: Prof. Vinícius Ferreira de Souza

Palestra: Mikrotik: Histórico, Características, Instalação e Configurações Básicas. Apresentação: Prof. Vinícius Ferreira de Souza Palestra: Mikrotik: Histórico, Características, Instalação e Configurações Básicas Apresentação: Prof. Vinícius Ferreira de Souza Referencial Teórico: 1 Minicurso ministrado pelo prof. José Ferreira Neto

Leia mais

GUIA RÁPIDO. DARUMA Viva de um novo jeito

GUIA RÁPIDO. DARUMA Viva de um novo jeito GUIA RÁPIDO DARUMA Viva de um novo jeito Dicas e Soluções para IPA210 Leia atentamente as dicas a seguir para configurar seu IPA210. Siga todos os tópicos para que seja feita a configuração básica para

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE OURINHOS SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. Felipe Luiz Quenca Douglas Henrique Samuel Apolo Ferreira Lourenço Samuel dos Reis Davi

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE OURINHOS SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. Felipe Luiz Quenca Douglas Henrique Samuel Apolo Ferreira Lourenço Samuel dos Reis Davi FACULDADE DE TECNOLOGIA DE OURINHOS SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Felipe Luiz Quenca Douglas Henrique Samuel Apolo Ferreira Lourenço Samuel dos Reis Davi ENDIAN FIREWALL COMMUNITY 2.5.1 OURINHOS-SP 2012 HOW-TO

Leia mais

AS CONSULTORIA & TREINAMENTOS. Pacote VIP. Linux Básico Linux Intermediário Samba 4 Firewall pfsense

AS CONSULTORIA & TREINAMENTOS. Pacote VIP. Linux Básico Linux Intermediário Samba 4 Firewall pfsense Pacote VIP Linux Básico Linux Intermediário Samba 4 Firewall pfsense C o n t e ú d o d o c u r s o H a n d s - on L i n u x 2 Sumário 1 Linux Básico... 3 2 Conteúdo Samba 4 (Servidor de arquivos / Controlador

Leia mais

Projeto e Instalação de Servidores Estrutura da Internet e do TCP/IP

Projeto e Instalação de Servidores Estrutura da Internet e do TCP/IP Projeto e Instalação de Servidores Estrutura da Internet e do TCP/IP Prof.: Roberto Franciscatto TCP/IP, endereçamento e portas TCP/IP? Dois protocolos TCP = Transfer Control Protocol IP = Internet Protocol

Leia mais

OBJETIVOS DO PROJETO OILBRAS

OBJETIVOS DO PROJETO OILBRAS OBJETIVOS DO PROJETO OILBRAS O objetivo deste projeto é de desenvolver uma rede lógica e estruturada para interconexão dos diversos setores da empresa através de comutadores. Dentro deste contexto procurou-se

Leia mais

Firewall. Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática

Firewall. Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática Firewall Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática Firewall (definições) Por que do nome firewall? Antigamente, quando as casas

Leia mais

Máscaras de sub-rede. Fórmula

Máscaras de sub-rede. Fórmula Máscaras de sub-rede As identificações de rede e de host em um endereço IP são diferenciadas pelo uso de uma máscara de sub-rede. Cada máscara de sub-rede é um número de 32 bits que usa grupos de bits

Leia mais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais Curso de Preparatório para Concursos Públicos Tecnologia da Informação REDES Conceitos Iniciais; Classificações das Redes; Conteúdo deste módulo Equipamentos usados nas Redes; Modelos de Camadas; Protocolos

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA SECRETARIA MUNICIPAL DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS CONCURSO PÚBLICO PARA ANALISTA DE REDE 08 DE NOVEMBRO DE 2009... (NOME COMPLETO EM LETRA DE FORMA) INSTRUÇÕES 1.

Leia mais

Capítulo 2 - Conceitos Básicos de Redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - agosto de 2007 - Página

Capítulo 2 - Conceitos Básicos de Redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - agosto de 2007 - Página Capítulo 2 - Conceitos Básicos de Redes 1 Redes de Dados Inicialmente o compartilhamento de dados era realizado a partir de disquetes (Sneakernets) Cada vez que um arquivo era modificado ele teria que

Leia mais

O que é uma rede de computadores?

O que é uma rede de computadores? O que é uma rede de computadores? A rede é a conexão de duas ou mais máquinas com objetivo de compartilhar recursos entre elas. Os recursos compartilhados podem ser: Compartilhamento de conteúdos do disco

Leia mais