FRANCISCO JOSÉ MENDES PEREIRA BUSINESS PROCESS MANAGEMENT PROPOSTA XPDL E BPEL. Tese de Mestrado. Mestrado em Sistemas de Informação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FRANCISCO JOSÉ MENDES PEREIRA BUSINESS PROCESS MANAGEMENT PROPOSTA XPDL E BPEL. Tese de Mestrado. Mestrado em Sistemas de Informação"

Transcrição

1 ESCOLA DE ENGENHARIA FRANCISCO JOSÉ MENDES PEREIRA BUSINESS PROCESS MANAGEMENT PROPOSTA DE FRAMEWORK COMPARATIVA DAS TECNOLOGIAS XPDL E BPEL Tese de Mestrado Mestrado em Sistemas de Informação Trabalho efetuado sob a orientação do Professor Doutor Jorge Oliveira e Sá OUTUBRO 2011

2 DECLARAÇÃO Nome Endereço eletrónico: Telefone: / Número do Bilhete de Identidade: Título dissertação /tese Orientador(es): Ano de conclusão: Designação do Mestrado: Nos exemplares das teses de doutoramento ou de mestrado ou de outros trabalhos entregues para prestação de provas públicas nas universidades ou outros estabelecimentos de ensino, e dos quais é obrigatoriamente enviado um exemplar para depósito legal na Biblioteca Nacional e, pelo menos outro para a biblioteca da universidade respetiva, deve constar uma das seguintes declarações: É AUTORIZADA A REPRODUÇÃO INTEGRAL DESTA TESE/TRABALHO APENAS PARA EFEITOS DE INVESTIGAÇÃO, MEDIANTE DECLARAÇÃO ESCRITA DO INTERESSADO, QUE A TAL SE COMPROMETE; Universidade do Minho, / / Assinatura: ii

3 AGRADECIMENTOS Ao meu avô e à minha madrinha, que já partiram mas a quem dedico esta dissertação, pela educação e valores transmitidos. Muito obrigado. Aos meus pais e irmão, pelo apoio durante a minha vida académica. À minha namorada pela motivação e apoio durante a elaboração desta dissertação. Ao professor doutor Jorge Oliveira e Sá, pela paciência e disponibilidade demonstrada. iii

4 RESUMO O Business Process Management (BPM) permite que as organizações obtenham vantagens competitivas através da otimização dos seus processos. A intensificação da procura de BPM pelas organizações obriga a que as tecnologias associadas a esta prática estejam a sofrer constantes evoluções de forma a corresponder às necessidades de quem implementa soluções BPM. XPDL e BPEL são dois formatos standards que surgiram para dar reposta a um conjunto de necessidades. XPDL procurou guardar os modelos efetuados em BPMN, permitindo desta forma que o modelo de processo possa ser utilizado pelas restantes ferramentas de BPM. BPEL tem um objetivo de orquestração de serviços no modelo de processo, isto é, garantir através da execução de processos a integração das várias plataformas informáticas através de uma arquitetura orientada a serviços. A modelação de processos através de BPEL é bastante complexa, assim, para contornar esta complexidade, a modelação dos processos faz-se com a notação padrão BPMN, no entanto, esta notação nem sempre é compatível com o BPEL. Os modelos elaborados em BPMN para serem executados por BPEL não podem ser guardados em XPDL, isto porque, XPDL não tem elementos que permitam uma equivalência para BPEL. Estes problemas vêm levantar algumas questões, como por exemplo, que tecnologia deve ser selecionada para determinado caso BPM. O objetivo deste estudo consiste em identificar as diferenças e pontos comuns entre XPDL e BPEL, bem como propor um modelo que apoie na seleção de um BPMS. Assim, esta proposta de trabalho será realizada em duas fases: Na primeira fase será realizada uma contextualização histórica da evolução das tecnologias, de forma a perceber o porquê do seu aparecimento e que necessidades veio colmatar, bem como, a identificação de diferenças e pontos comuns entre as duas tecnologias. Numa segunda fase, é pretendido estabelecer um framework capaz de ajudar a identificar um BPMS que deve ser utilizado em determinado tipo de caso. Palavras chave: BPM, BPMN, XPDL, BPEL, BPMS iv

5 ABSTRACT Business Process Management (BPM) enables organizations to gain competitive advantage by optimizing their processes. The growing demand for BPM organizations requires that the technologies associated with this practice are undergoing constant evolution in order to meet the needs of those who implement BPM solutions. XPDL and BPEL are two standard formats that have emerged to give response to a set of needs. XPDL sought to keep the models made in BPMN, thus allowing the process model can be used by other BPM tools. BPEL is an orchestration of services aimed at the process model, ie to ensure the execution of processes through the integration of multiple computer platforms through a service-oriented architecture. The modeling of processes using BPEL is quite complex, so in order to avoid this complexity, the process modeling is done with the BPMN standard notation, however, this notation is not always compatible with BPEL. The models developed in BPMN to BPEL to be executed cannot be stored in XPDL, because XPDL has no elements that allow a match to BPEL. These problems have to raise some issues, for example, that technology should be selected for a particular case BPM. The aim of this study is to identify the differences and commonalities between XPDL and BPEL and propose a model that supports the selection of a BPMS. Thus, this proposed work will be done in two phases: In the first phase will be done a historical context of technological developments in order to understand the reason of its appearance and what needs to fulfill, as well as the identification of differences and commonalities between the two technologies. In a second phase is intended to establish a framework that can help to identify a BPMS to be used in a particular case. Keywords: BPM, BPMN, XPDL, BPEL, BPMS v

6 ÍNDICE AGRADECIMENTOS... III RESUMO... IV ABSTRACT... V ÍNDICE... VI LISTA DE FIGURAS... IX LISTA DE TABELAS... X LISTA DE SIGLAS... XI 1 INTRODUÇÃO PROBLEMA QUESTÃO DE INVESTIGAÇÃO CONTRIBUIÇÕES OBJETIVOS ABORDAGEM METODOLÓGICA ESTRUTURA DA DISSERTAÇÃO ENQUADRAMENTO TEÓRICO BUSINESS PROCESS MANAGEMENT (BPM) BUSINESS PROCESS MODEL AND NOTATION (BPMN) PROCESS DEFINITION LANGUAGE (XPDL) BUSINESS PROCESS EXECUTION LANGUAGE (BPEL) BPMSUITES (BPMS) OBJECT MANAGEMENT GROUP (OMG) WORKFLOW MANAGEMENT COALITION (WFMC) ORGANIZATION FOR THE ADVANCEMENT OF STRUCTURED INFORMATION STANDARDS (OASIS) WORKFLOW vi

7 2.10 BUSINESS ACTIVITY MONITORING (BAM) PADRÕES WORKFLOW BASIC CONTROL FLOW PATTERNS ADVANCED BRANCHING AND SYNCHRONIZATION PATTERNS STRUCTURAL PATTERNS PATTERNS INVOLVING MULIPLE INSTANCES STATE-BASED PATTERNS CANCELLATION PATTERNS NEW PATTERNS WORKFLOW CONCLUSÕES DIFERENÇAS E PONTOS COMUNS ENTRE XPDL E BPEL OBJETIVOS DO XPDL E BPEL PRINCIPAIS ELEMENTOS QUE CONSTITUEM XPDL E BPEL PADRÕES WORKFLOW IMPLEMENTADOS EM XPDL E BPEL CONCLUSÕES CASO DE ESTUDO DESCRIÇÃO DO CASO DE ESTUDO DESCRIÇÃO DAS FERRAMENTAS BPMS SELECIONADAS DESCRIÇÃO DO PROCESSO DESCRIÇÃO DO XDPL DO PROCESSO CONVERSÃO DO PROCESSO ENTRE OS BPMS CONCLUSÕES FRAMEWORK SELEÇÃO DE BPMS FASES DE SELEÇÃO DE UM BPMS CONCLUSÕES CONCLUSÕES vii

8 7.1 TRABALHO FUTURO BIBLIOGRAFIA ANEXOS ANEXO I DESCRIÇÃO DO PROCESSO EM XPDL viii

9 LISTA DE FIGURAS Figura 1 - Ciclo de vida BPM (retirado de: [8])... 9 Figura 2 Arquitetura do Process Definition Interchange (retirado de: [25]) Figura 3 Padrão 1 (Sequence) (Retirado de: [14]) Figura 4 Padrão 2 (Parallel Split) (Retirado de: [14]) Figura 5 Padrão 3 (Synchronization) (Retirado de: [14]) Figura 6 Padrão 4 (Exclusive Choice) (Retirado de: [14]) Figura 7 Padrão 5 (Simple Merge) (Retirado de: [14]) Figura 8 Padrão 6 (Multi-Choice) (Retirado de: [14]) Figura 9 Padrão 7 (Synchronization Merge) (Retirado de: [14]) Figura 10 Padrão 8 (Multi-Merge) (Retirado de: [14]) Figura 11 Padrão 9 (Discriminator) (Retirado de: [14]) Figura 12 Padrão 12 (Multiple Instances without Synchronization) (Retirado de: [14]) Figura 13 Padrão 16 (Deferred Choice) (Retirado de: [14]) Figura 14 Padrão 17 (Interleaved Parallel Routing) (Retirado de: [14]) Figura 15 Padrão 18 (Milestone) (Retirado de: [14]) Figura 16 Meta-Modelo XPDL (Retirado de: [16]) Figura 17 Meta-Modelo BPEL Figura 18 Magic Quadrant Gartner 2010 (Retirado de: [15]) Figura 19 Fases do Ciclo de Vida dos Processos em BizAgi Figura 20 Processo Pedido de Férias Figura 21 Falha na Importação no TIBCO Figura 22 Importação no Bonita Figura 23 Falha Importação XPDL no Bonita Figura 24 Importação no Sketchpad do processo Global Figura 25 Limitações Importação Together do Processo do Global Figura 26 Limitações Importação no Together do Processo do BizAgi Figura 27 Falha Importação no BizAgi do Processo do Global Figura 28 Falha Importação no Sketchpad do Processo do Bizagi Figura 29 Falha Importação no Global360 do Processo do Global Figura 30 Falha Importação no BizAgi do Processo do Global Figura 31 Falha Importação no BizAgi Modeler do Processo do Sketchpad ix

10 LISTA DE TABELAS TABELA 1 - VERSÕES BPMN PELA OMG (ADAPTADO DE: [12]) TABELA 2 COMPARAÇÃO DE PADRÕES WORKFLOW IMPLEMENTADOS (ADAPTADO DE: [12]) TABELA 3 RESULTADOS DA INTEROPERABILIDADE ENTRE BPMS E OUTRAS FERRAMENTAS BPM TABELA 4 TABELA COMPARATIVA DE REQUISITOS, NECESSIDADE E CARACTERÍSTICAS DO BPMS TABELA 5 TABELA DE ANÁLISE DE SELEÇÃO BPMS FASE x

11 LISTA DE SIGLAS BAM BUSINESS ACTIVITY MONITORING BPEL BUSINESS PROCESS EXECUTION LANGUAGE BPM BUSINESS PROCESS MANAGEMENT BPMN BUSINESS PROCESS MODEL AND NOTATION BPMS BUSINESS PROCESS MANAGEMENT SUITE OASIS ORGANIZATION FOR THE ADVANCEMENT OF STRUCTURED INFORMATION STANDARDS OMG OBJECT MANAGEMENT GROUP SOA SERVICE ORIENTED ARCHITECTURE TI TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO UML UNIFIED MODELING LANGUAGE WFMC WORKFLOW MANAGEMENT COALITION XML EXTENSIBLE MARKUP LANGUAGE XPDL XML PROCESS DEFINITION LANGUAGE xi

12

13 1 INTRODUÇÃO Na década de 80 a 90 grandes organizações nos Estados Unidos da América procuraram obter vantagens competitivas através da melhoria dos seus processos. Estas organizações foram desenvolvendo novos processos, com vista a ganhar mais eficiência na execução das atividades que constituem os seus processos organizacionais. A procura pelas melhores práticas na execução de processos alastrou-se a outros países e continentes, dando origem ao Business Process Management (BPM). Com o aparecimento do conceito de BPM, surgiram algumas tecnologias para o suportar. Estas tecnologias têm evoluído, quer para se afirmarem como a ideal para modelação/execução de processos de negócio, quer para responder a necessidades identificadas por quem faz parte das equipas de implementação de soluções BPM. O BPM define-se por um conjunto de práticas que aplicadas às organizações, visam a identificação de falhas, com vista à melhoria dos seus processos. O BPM recorre a um ciclo de melhorias, que lhe permite estar continuamente à procura do seu alinhamento estratégico em função do mercado e seus clientes, de forma a garantir vantagens competitivas, tais como, diferenciação dos seus produtos e ou serviços [2]. Esta procura por uma melhoria constante, permite que novos processos e diretrizes se integrem com maior facilidade. O BPM tem ainda a capacidade de integrar os recursos humanos e tecnologias de informação (TI). A importância que o BPM veio a ganhar deu origem a um conjunto de novas dificuldades. A compreensão dos modelos dos processos é diferente para todos os intervenientes, por consequência de não existir uma linguagem universal para representar da mesma forma as atividades dos processos, tornando-se assim uma das principais dificuldades. O Business Process Model and Notation (BPMN) é uma notação que veio estabelecer uma forma padrão, na representação de processos de negócio [12]. O BPMN foi inicialmente proposto por um conjunto de 58 membros na representação de 35 organizações, com o intuito de estabelecer uma linguagem gráfica padrão. Em 2005, o órgão responsável pela continuação do desenvolvimento deste padrão passou a ser a OMG. O principal objetivo do BPMN é estabelecer uma notação que seja facilmente compreensível por todos os intervenientes (analistas e técnicos) na modelação do processo. A notação herda e combina elementos de uma série de notações previamente propostos para a modelação de processos de negócio, 1

14 1 INTRODUÇÃO incluindo o XML Process Defenition Language (XPDL) e os diagramas de atividades de Unified Modeling Language (UML). Uma das tecnologias da área BPM é o XPDL, que é uma norma para representação de modelos de processos. O XPDL foi uma notação criada e atualmente mantida pela WfMC. No entanto, com o estabelecimento do padrão BPMN, o XPDL tem vindo a ser alvo de algumas atualizações de forma a poder manterse dentro da norma BPMN sendo que, os processos desenhados na norma BPMN, são exportados em formatos XPDL. O XPDL é um padrão que tem por base XML que pode ser usado na troca de modelos de processos de negócio entre diferentes ferramentas [26]. Este padrão pretende representar o modelo desenhado na definição do processo e permite especificar o tamanho e coordenadas do elemento gráfico respetivo, assim como, as propriedades de cada elemento onde estão também representados os caminhos a seguir, bem como as tarefas a executar em cada nó de atividade. O desenvolvimento desta área não se ficou pelo aparecimento desta tecnologia e desta norma, era preciso que os vários processos se integrassem com os vários sistemas pretendidos e de forma independente, surgindo assim o BPEL. O BPEL é uma linguagem padrão para a execução de processos baseado na composição e orquestração de serviços. Assim, durante o processo é possível a comunicação entre os vários sistemas através de WebServices [9 e 22]. Embora resolva muitas das necessidades, por exemplo, a integração de sistemas, ficam ainda algumas questões por resolver, em particular: a não diferenciação de tarefas executadas por pessoas; a complexidade de definição de processos; a sua inadequação para a modelação e desenho de processos. Perante estas questões, a utilização de BPEL é difícil e complexa. Esta linguagem teve como patrocinadores algumas empresas de TI, nomeadamente, Microsoft, IBM, SAP, Siebel e BEA. 2

15 1 INTRODUÇÃO 1.1 PROBLEMA BPMN é uma notação gráfica padrão utilizada na modelação de processos de negócio com o objetivo de facilitar a compreensão do modelo de processo por parte dos seus intervenientes, nomeadamente, analistas de negócio e equipas de desenvolvimento [11]. Quando o modelo de processo está concluído, poderá existir a necessidade de transportar o modelo para outras ferramentas BPM. Esta interoperabilidade do modelo pode ser somente efetuada ao nível gráfico do modelo através do XPDL. Quando há necessidade de transportar a execução do processo procura-se o mapeamento de BPMN para BPEL. Embora BPMN suporte XPDL e BPEL, a construção de modelos de processos de negócio através de BPMN não é sinónimo de facilidades no transporte de um modelo em BPMN para BPEL ou para XPDL. Esta dificuldade sente-se porque o BPMN não responde a necessidades específicas do BPEL, como por exemplo, a sequência de processos, nem o XPDL foi inicialmente proposto para corresponder às especificações propostas pelo BPEL, nomeadamente a invocação de WebServices. Em suma existe um problema na passagem de modelos BPMN para XPDL e BPEL, no entanto, o mesmo também se verifica entre XPDL e BPEL devido à ausência de equivalências em alguns elementos, em particular a especificação de WebServices por parte do XPDL. Também a complexidade sentida no desenho de processos através de BPEL pela equipa de desenvolvimento, poderá provocar uma menor compreensão do mesmo pelos analistas de negócio, o que levanta um novo problema, ou seja, a necessidade de mapear modelos em BPEL para BPMN (XPDL). Assim, surge a necessidade de converter BPMN (XPDL) para BPEL, bem como o inverso, ou seja, de BPEL para BPMN (XPDL). Para se conseguir efetuar essas conversões, este trabalho propõe-se a identificar e compreender as diferenças e pontos comuns entre BPMN (XPDL) e BPEL. A crescente utilização de diferentes softwares de BPM, BPMSs e softwares de modelação, veio intensificar a necessidade de converter o processo quer ao nível da sua modelação, através de XPDL quer ao nível da orquestração de serviços, através de BPEL. 3

16 1 INTRODUÇÃO 1.2 QUESTÃO DE INVESTIGAÇÃO A questão que este trabalho pretende responder é: Quais são as diferenças e pontos comuns entre BPMN (XPDL) e BPEL? Esta questão vem levantar uma outra que é: Qual o papel do XPDL e do BPEL dentro de um BPMSuite? 1.3 CONTRIBUIÇÕES O estudo pretende demonstrar o que é o BPM, compreender o contexto em que surgiram as tecnologias XPDL e BPEL, bem como, as necessidades que vieram responder e os motivos que levam a escolher XPDL e BPEL, assim como, perceber as diferenças e pontos comuns entre eles. O presente trabalho de investigação pretende propor um framework, que permita apoiar na identificação de um BPMS em determinado contexto de BPM. O framework tem como objetivo apoiar a decisão de seleção de um BPMS de acordo com as necessidades, e perceber se a escolha de um BPMS deverá entrar em conta com a tecnologia que o suporta. Para atingir os objetivos propostos, deve-se começar por uma revisão da literatura num conjunto de artigos selecionados pelo número de referências, autores de renome e conferências internacionais de BPM. Na construção do framework, será realizado segundo a metodologia Design Research. Inicialmente a primeira proposta do framework será efetuada em função das diferenças e pontos comuns entre XPDL e BPEL. Através da aplicação do caso de BPM no framework, pretende-se efetuar as alterações necessárias para o framework final. Espera-se como resultado deste trabalho conhecer XPDL e BPEL, identificar diferenças e pontos comuns entre eles, conhecer as funcionalidades e que tecnologias estão presentes nos BPMS utilizados, e propor um framework, que ajude na seleção de um BPMS. 4

17 1 INTRODUÇÃO 1.4 OBJETIVOS O objectivo é esclarecer qual o papel das tecnologias BPMN (XPDL) e BPEL no âmbito do BPM, ou seja, as diferenças e pontos comuns entre elas. Para além do anterior, visa a construção de um framework, que permita identificar o melhor BPMS a aplicar em determinado caso de BPM, tendo em conta, as tecnologias XPDL e BPEL. Como resultados, espera-se: conhecer as tecnologias XPDL e BPEL; identificar diferenças e pontos comuns entre XPDL e BPEL; conhecer as funcionalidades e que tecnologias estão presentes nos BPMS utilizados; propor um framework capaz de apoiar na identificação de diferenças entre os diversos BPMSs, de forma a se perceber se a escolha de um BPMS depende do tipo de tecnologia presente. 1.5 ABORDAGEM METODOLÓGICA Abordagem metodológica seguida será, numa primeira fase, a elaboração do estado da arte através de uma revisão da literatura. A selecção dos artigos que suportam esta base teórica focam os seguintes aspectos, autores com renome na área BPM, artigos com o maior número de referências e o mais atuais possíveis. Os sites das organizações WfMC, OASIS e OMG, responsáveis pelo XPDL, BPEL e BPMN respetivamente, será uma das principais fontes de informação, desta forma, será possível obter informações detalhadas sobre as tecnologias, assim como, uma visão da evolução das mesmas ao longo do tempo. A análise deste conteúdo será importante na identificação das diferenças e pontos em comum entre as tecnologias XPDL e BPEL. A identificação destes pontos comparativos entre XPDL e BPEL, vai permitir uma construção base do framework, o qual deve ser ajustado, depois da observação dos resultados consequentes da implementação do caso de estudo da interoperabilidade dos modelos de processo de negócio entre diferentes BPMS. 5

18 1 INTRODUÇÃO Deve ser elaborado um caso de estudo, na qual implemente um processo, segundo as tecnologias XDPL. O processo deve ser colocados em prática num conjunto de BPMS, selecionados de acordo com o suporte tecnológico necessário, isto é, estes devem poder executar XPDL e ou BPEL. A observação dos resultados da prática com os diferentes BPMS irá permitir efetuar os ajustes necessários ao framework, conduzindo para uma proposta final. A metodologia será de um Case Studie para um Design Research para responder ao objetivo da construção do framework. 1.6 ESTRUTURA DA DISSERTAÇÃO Esta dissertação encontra-se dividida em 7 capítulos. O primeiro capítulo designado por Introdução, visa dotar o leitor de uma visão sobre a área do trabalho efetuado, evidenciando as motivações do trabalho, objetivos e as fases de desenvolvimento. No segundo capítulo, Enquadramento Teórico, apresenta-se um conjunto de conceitos com o intuito de esclarecer e enquadrar o leitor com o tema e conteúdo desta dissertação. No terceiro capítulo, Padrões Workflow pretende-se demonstrar e caracterizar todos os padrões workflow definidos pela WfMC, no intuito, de perceber que tipo de complexidade se pode alcançar, isto porque no capítulo seguinte, há uma análise dos padrões workflow implementados em XPDL, BPEL. O quarto capítulo, Diferenças e pontos comuns entre XPDL e BPEL, recorre a uma análise aos objetivos, meta-modelos e padrões workflow implementados em XPDL e BPEL. O quinto capítulo, Caso de Estudo, visa comprovar o estado da arte dos BPMS ao nível de implementação XPDL e BPEL, bem como, o interesse dos fornecedores na implementação de XPDL e BPEL. Visa também comprovar a interoperabilidade de um modelo de processo em XPDL, entre os BPMS selecionados para o caso de estudo. O sexto capítulo, Framework, pretende propor um framework para o apoio à seleção de um BPMS. 6

19 1 INTRODUÇÃO O sétimo capítulo, Conclusões, são evidenciados as principais conclusões desta dissertação. 7

20 2 ENQUADRAMENTO TEÓRICO Este capítulo tem o objetivo de esclarecer o leitor sobre alguns conteúdos abordados ao longo desta tese de dissertação. 2.1 BUSINESS PROCESS MANAGEMENT (BPM) O Business Process Management (BPM) surge como resultado de boas práticas aplicadas nas organizações no sentido de ajudar a garantir a satisfação dos clientes, qualidade do produto, rapidez de entrega e agilizar o tempo de colocação do produto no mercado [2]. Este conjunto de boas práticas visa eliminar falhas e melhorar os processos. O BPM, ao recorrer a um ciclo de melhorias e está continuamente à procura do melhor alinhamento estratégico em função do mercado e seus clientes [7 e 19], pretende, assim, garantir vantagens competitivas, como por exemplo diferenciação dos seus produtos e ou serviços. Desta forma, as organizações com a aplicação de uma procura constante na obtenção de melhorias nos seus processos permitem que novos processos e diretrizes se integrem com maior facilidade. O BPM tem ainda a capacidade de integrar os recursos humanos e tecnologias de informação (TI) [6]. Segundo alguns autores, BPM é uma técnica moderna que suporta processos de negócios usando software para especificar, controlar, executar e analisar processos empresariais que envolvem pessoas, empresas, aplicações, documentos, e outras fontes de informações [19]. 8

21 2 ENQUADRAMENTO TEÓRICO O ciclo de vida do BPM é composto: FIGURA 1 - CICLO DE VIDA BPM (RETIRADO DE: [8]) Design A fase de design pretende definir o processo. Nos casos em que o processo já está definido, o objetivo é a sua redefinição onde devem ser corrigidas algumas das limitações identificadas de acordo com as oportunidades de melhoria. Esta fase centra-se no desempenho do processo. Configuration A fase configuration é uma especificação detalhada da fase de design. Esta fase foca-se na realização do sistema elaborado na fase de design. Execution A execution é a fase onde o processo é executado de acordo as informações obtidas nas fases anteriores. Control A fase control é a monitorização dos estados ao longo do processo de forma a ser capaz de fornecer informações sobre o desempenho do processo. Diagnosis A diagnosis efetua uma análise aos dados obtidos na fase de controlo no intuito de propor redefinições ao processo com o objetivo de o melhorar. 2.2 BUSINESS PROCESS MODEL AND NOTATION (BPMN) O Business Process Model and Notation (BPMN) surge no sentido de procurar estabelecer uma notação gráfica padrão no desenho de processos. Esta iniciativa surge de um conjunto de 58 elementos na representação de 35 organizações, com o interesse de propor uma linguagem gráfica padrão para a especificação de processos, de forma a garantir que esta notação seja facilmente compreensível por todos os 9

22 2 ENQUADRAMENTO TEÓRICO intervenientes [12]. Esta notação herda e combina elementos de um conjunto de notações anteriormente propostos para a modelação de processos de negócio, entre eles destacam-se o XML Process Definition Language (XPDL) e os diagramas de atividades do Unified Modeling Language (UML) [1, 21 e 24]. FIGURA 2 ARQUITETURA DO PROCESS DEFINITION INTERCHANGE (RETIRADO DE: [25]) A figura 2, apresenta a arquitetura onde está definido o relacionamento entre BPMN e XPDL nas tecnologias de modelação e execução de processos. 2.3 PROCESS DEFINITION LANGUAGE (XPDL) XML Process Definition Language (XPDL) é uma notação padrão que define o modelo do processo, baseada em XML, criada pela WfMC, no sentido, de estabelecer um formato cuja finalidade é ser usado na troca de modelos de processos de negócio entre diferentes ferramentas workflow [26]. Esta notação, representa vários elementos na definição de processos, assim como, os seus atributos, tais como, tamanho do elemento, coordenadas, caminhos a seguir e tarefas a serem executadas em cada nó de atividade. XPDL é geralmente utilizado para guardar os modelos especificados em BPMN, desta forma, XPDL tem vindo a ser atualizado de forma a poder continuar a suportar todos os elementos de BPMN [4]. Atualmente prepara-se para lançar a versão XPDL 3.0, onde vão estar referenciados todos os aspetos de BPMN. Os 10

23 2 ENQUADRAMENTO TEÓRICO formatos BPMN guardados em XPDL eram incompatíveis com BPEL, com esta nova versão, há um aproximar de XDPL a todos os elementos de BPMN, incluindo os elementos de referência BPEL [23]. 2.4 BUSINESS PROCESS EXECUTION LANGUAGE (BPEL) Business Process Execution Language (BPEL) é uma linguagem de execução de processos criada por empresas de TI, em particular Microsoft, IBM, SAP, Siebel e BEA. BPEL tem como finalidade a interoperabilidade entre os vários sistemas, recorrendo à execução de processos através de Web Services [9 e 22]. Esta linguagem é um padrão que se encontra sobre alçada da OASIS, onde todas as alterações são da responsabilidade desta organização [13]. BPEL veio resolver algumas questões na execução dos processos, tal como, a integração entre sistemas distintos, no entanto, outros problemas foram surgindo, nomeadamente, a não diferenciação de tarefas executadas por pessoas, bem como, a complexidade na definição de processos de negócio [10 e 17]. Esta complexidade na especificação dos processos através de BPEL vem sendo um entrave à sua utilização [20]. 2.5 BPMSUITES (BPMS) BPMSuites são ferramentas que suportam o desenvolvimento de BPM, isto é, são uma forma de criar, executar e controlar os processos. Nestas ferramentas estão incluídas funcionalidades, tais como, modelação, simulação, execução e monitorização de processos. Estas funcionalidades permitem aumentar a flexibilidade dos processos, e ao mesmo tempo reduzir riscos e custos. [3 e 5] 2.6 OBJECT MANAGEMENT GROUP (OMG) Object Management Group (OMG) é uma organização mundial que tem como objeto de atuação o desenvolvimento e aprovação de normas padrão abertas na área das aplicações orientadas a objetos. Atualmente é responsável pela norma de BPMN. [12] 11

24 2 ENQUADRAMENTO TEÓRICO Versões BPMN lançadas pela OMG: Norma versão Data BPMN 1.0 Fevereiro 2006 BPMN 1.1 Fevereiro 2008 BPMN 1.2 Janeiro 2009 BPMN 2.0 Janeiro 2011 TABELA 1 - VERSÕES BPMN PELA OMG (ADAPTADO DE: [12]) 2.7 WORKFLOW MANAGEMENT COALITION (WFMC) Workflow Management Coalition (WfMC) é um consórcio formado com o objetivo de definir padrões capazes de garantir a interoperabilidade entre sistemas de gestão de workflows. Deste consórcio nasceu o XPDL. Atualmente são os responsáveis pelas suas alterações. [23] 2.8 ORGANIZATION FOR THE ADVANCEMENT OF STRUCTURED INFORMATION STANDARDS (OASIS) Organization for the Advancement of Structured Information Standards (OASIS) é um consórcio internacional constituído por grandes nomes da indústria mundial em Tecnologias de Sistemas de Informação. A sua responsabilidade é desenvolver e incentivar a utilização de especificações e padrões de informação estruturada para e-business e web services. OASIS é responsável pela linguagem de execução BPEL.[13] 2.9 WORKFLOW O workflow é uma automatização de um processo e que poderá incidir sobre todo o processo ou parte dele. Esta automatização caracteriza-se pela troca de documentos, tarefas, informações de um participante para outro, de forma a executar determinada ação em conjugação com um conjunto de regras associadas. 12

25 2 ENQUADRAMENTO TEÓRICO Assim, o workflow permite melhorar os tempos de produtividade, eliminar a necessidade do uso de papel ao nível da comunicação, colaboração e coordenação de tarefas. A definição e automatização dos processos reduzem as incertezas no comportamento dos utilizadores. O BPM surge de uma evolução do conceito workflow, na qual, numa primeira fase é evidente uma análise aos processos e em seguida a fase de implementação técnica onde surge o workflow BUSINESS ACTIVITY MONITORING (BAM) Business Activity Monitoring ou BAM é uma monitorização aos processos de negócio através de indicadores de desempenho críticos que são facultados com objetivo de melhorar o processo. 13

26 3 PADRÕES WORKFLOW Este capítulo pretende dar a conhecer os vários padrões de workflow especificados pela Workflow Management Coalition e iniciados por Van der Aalst. O conhecimento destes padrões é essencial no sentido de conhecer os diversos padrões que podem ser usados, desta forma essa informação é importante porque o capítulo 4 dá a conhecer os padrões implementados em XPDL, BPEL e BPMN. Os padrões de workflow, encontram-se agrupados em 7 grupos: Basic Control Flow Patterns, Advanced Branching and Sinchronization Patterns, Structural Patterns, Multiple Instance Patterns, State-Based Patterns, Cancellation Patterns e New Control Flow Patterns, e no presente capítulo são descritos quanto ao seu funcionamento, regra e atividades. 3.1 BASIC CONTROL FLOW PATTERNS Padrão 1 (Sequence) Descrição: Uma atividade fica ativa num processo de workflow depois de outra atividade no mesmo processo estar concluída. FIGURA 3 PADRÃO 1 (SEQUENCE) (RETIRADO DE: [14]) Padrão 2 (Parallel Split) Descrição: É a divisão de uma linha de controlo em múltiplas linhas de controlo, em determinado ponto do processo de workflow, estas linhas podem ser executadas em paralelo. Esta divisão das linhas, permite a execução em simultâneo das atividades ou numa ordem aleatória. 14

Adm. Vinicius Braga admviniciusbraga@gmail.com. Prof. Msc. Wilane Carlos da Silva Massarani wilane@cercomp.ufg.br

Adm. Vinicius Braga admviniciusbraga@gmail.com. Prof. Msc. Wilane Carlos da Silva Massarani wilane@cercomp.ufg.br Adm. Vinicius Braga admviniciusbraga@gmail.com Prof. Msc. Wilane Carlos da Silva Massarani wilane@cercomp.ufg.br Objetivos Contextualização Conceitos Boas práticas de modelagem Elementos do BPMN Tipos

Leia mais

Fase 1: Engenharia de Produto

Fase 1: Engenharia de Produto Fase 1: Engenharia de Produto Disciplina: Análise de Requisitos DURAÇÃO: 44 h O objetivo principal da disciplina é realizar uma análise das necessidades e produzir um escopo do produto. Representará os

Leia mais

BPMN. Business Process Modeling Notation. Leandro C. López Agosto - 2015

BPMN. Business Process Modeling Notation. Leandro C. López Agosto - 2015 BPMN Business Process Modeling Notation Leandro C. López Agosto - 2015 Objetivos Conceitos Boas práticas de modelagem Elementos do BPMN Tipos de processos Apresentar os conceitos e elementos da notação

Leia mais

A gestão de processos de negócio: conceitos e ferramentas BPM

A gestão de processos de negócio: conceitos e ferramentas BPM FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DO PORTO A gestão de processos de negócio: conceitos e ferramentas BPM Trabalho realizado por: Ana Luisa Veiga Filipa Ramalho Doutora Maria Manuela Pinto GSI 2007 AGENDA:

Leia mais

Oracle BPM 11g. Análise à Plataforma

Oracle BPM 11g. Análise à Plataforma Oracle BPM 11g Análise à Plataforma Maio de 2010 Tive o privilégio de ser convidado a participar no "EMEA BPM 11g beta bootcamp" em Abril de 2010, no qual tive contacto mais próximo com a última versão

Leia mais

BPMN (Business Process. George Valença gavs@cin.ufpe.br

BPMN (Business Process. George Valença gavs@cin.ufpe.br BPMN (Business Process Modeling Notation) George Valença gavs@cin.ufpe.br 31/10/2012 Introdução Modelagem de processos No ciclo de vida BPM, a etapa de modelagem de processos consiste em um conjunto de

Leia mais

Tutorial de BPMN. Visão Geral. Escopo. Elementos

Tutorial de BPMN. Visão Geral. Escopo. Elementos Tutorial de BPMN Visão Geral É um padrão para modelagem de processos de negócio que fornece uma notação gráfica para especificação de processos de negócio em um DPN (Diagrama de Processo de Negócios).

Leia mais

Arquitetura de Software: Uma Central para Gestão da execução de serviços

Arquitetura de Software: Uma Central para Gestão da execução de serviços Arquitetura de Software: Uma Central para Gestão da execução de serviços ADILSON FERREIRA DA SILVA Centro Paula Souza São Paulo Brasil afs.software@gmail.com Prof.a. Dr.a. MARILIA MACORIN DE AZEVEDO Centro

Leia mais

2 Conceitos relativos a Web services e sua composição

2 Conceitos relativos a Web services e sua composição 15 2 Conceitos relativos a Web services e sua composição A necessidade de flexibilidade na arquitetura das aplicações levou ao modelo orientado a objetos, onde os processos de negócios podem ser representados

Leia mais

DISSEMINAÇÃO DE CONHECIMENTO FERRAMENTA BIZAGI

DISSEMINAÇÃO DE CONHECIMENTO FERRAMENTA BIZAGI DISSEMINAÇÃO DE CONHECIMENTO FERRAMENTA BIZAGI Harley Caixeta Seixas Márcia Lúcia Borges de Melo Gomes Roberta A. de Mello Bezerra Silvana Dias Soares FERRAMENTA BIZAGI BPMN Business Process Modeling Notation

Leia mais

Conceitos de Processos & BPM

Conceitos de Processos & BPM http://rogerioaraujo.wordpress.com Série Rações Semanais Conceitos de Processos & BPM Parte I Rogério Araújo http://rogerioaraujo.wordpress.com Série Rações Semanais Conceitos de Processos & BPM Parte

Leia mais

Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br BPMN

Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br BPMN Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br BPMN Benefícios da modelagem Em uma organização orientada a processos, modelos de processos são o principal meio para medir o desempenho

Leia mais

Um estudo e a utilização de padrões para integração da tecnologia de processos em ambientes de gerência de projetos na web

Um estudo e a utilização de padrões para integração da tecnologia de processos em ambientes de gerência de projetos na web Um estudo e a utilização de padrões para integração da tecnologia de processos em ambientes de gerência de projetos na web Alexandre Franco de Magalhães Mestrado em Computação Aplicada pelo Instituto Nacional

Leia mais

Treinamento BPM e BPMN Apresentação Executiva

Treinamento BPM e BPMN Apresentação Executiva Apresentação Executiva 1 O treinamento de BPM e BPMN tem como premissa capacitar o aluno a captar as atividades relativas a determinado processo da empresa, organizá-las, gerando um fluxograma de atividades/processos,

Leia mais

Ricardo Manuel Meira Ferrão Luis. Análise de Sistemas para Especificação de Workflow baseados em XML. Escola de Engenharia Departamento de Informática

Ricardo Manuel Meira Ferrão Luis. Análise de Sistemas para Especificação de Workflow baseados em XML. Escola de Engenharia Departamento de Informática Escola de Engenharia Departamento de Informática Ricardo Manuel Meira Ferrão Luis Análise de Sistemas para Especificação de Workflow baseados em XML Tese de Mestrado Mestrado de Informática Trabalho realizado

Leia mais

BPM e SOA. Grinaldo Lopes de Oliveira (grinaldo@gmail.com) Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

BPM e SOA. Grinaldo Lopes de Oliveira (grinaldo@gmail.com) Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas BPM e SOA Grinaldo Lopes de Oliveira (grinaldo@gmail.com) Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Como funcionam as organizações? O que ébpm Business Process Management (BPM)

Leia mais

MODELAGEM DE PROCESSOS

MODELAGEM DE PROCESSOS MODELAGEM DE PROCESSOS a a a PRODUZIDO POR CARLOS PORTELA csp3@cin.ufpe.br AGENDA Definição Objetivos e Vantagens Linguagens de Modelagem BPMN SPEM Ferramentas Considerações Finais Referências 2 DEFINIÇÃO:

Leia mais

BPMN - Business Process Modeling and Notation

BPMN - Business Process Modeling and Notation BPMN - Business Process Modeling and Notation AGENDA Notação Conceito Visão Geral da Notação BPMN Notação BPMN no Escritório de Processos NOTAÇÃO - CONCEITO Segundo o dicionário: Ação de indicar, de representar

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E ESTATÍSTICA CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E ESTATÍSTICA CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E ESTATÍSTICA CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UM ESTUDO SOBRE PADRÕES DE WORKFLOW E SUAS IMPLEMENTAÇÕES EM WORKFLOW MANAGEMENT

Leia mais

Manual de Convenções. BPMN Business Process Modelling Notation. 2009 GFI Portugal

Manual de Convenções. BPMN Business Process Modelling Notation. 2009 GFI Portugal Manual de Convenções BPMN Business Process Modelling Notation 2009 GFI Portugal O que é o BPMN? O BPMN é uma notação gráfica para a definição de processos de negócio É o standard internacional para modelação

Leia mais

Um Simulador para Avaliação da Antecipação de Tarefas em Sistemas Gerenciadores de Workflow

Um Simulador para Avaliação da Antecipação de Tarefas em Sistemas Gerenciadores de Workflow Um Simulador para Avaliação da Antecipação de Tarefas em Sistemas Gerenciadores de Workflow Resumo. A fim de flexibilizar o fluxo de controle e o fluxo de dados em Sistemas Gerenciadores de Workflow (SGWf),

Leia mais

REALIZANDO PADRÕES DE WORKFLOW EM SISTEMAS BASEADOS EM COMPONENTES TRABALHO DE GRADUAÇÃO

REALIZANDO PADRÕES DE WORKFLOW EM SISTEMAS BASEADOS EM COMPONENTES TRABALHO DE GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA REALIZANDO PADRÕES DE WORKFLOW EM SISTEMAS BASEADOS EM COMPONENTES TRABALHO DE GRADUAÇÃO ALUNA: FLÁVIA LEITE

Leia mais

Business Process Integration Architecture

Business Process Integration Architecture Business Process Integration Architecture Definição, Motivações e Conceitos Base 3/2/2005 José Alves Marques 1 Processo de Negócio A modelação de processos está focada em: Criar e optimizar modelos de

Leia mais

Ciclo BPM: da Estratégia à Medição

Ciclo BPM: da Estratégia à Medição Treinamentos em Gestão por Processos Ciclo BPM: da Estratégia à Medição Da modelagem e análise ao monitoramento da execução de processos automatizados: tudo o que você precisa saber para fazer a Gestão

Leia mais

PROJELER. Solução de código aberto para gerenciamento de processos de negócio

PROJELER. Solução de código aberto para gerenciamento de processos de negócio Otimização e Automação de Processos de Negócio Abril/2008 Solução de código aberto para gerenciamento de processos de negócio Maurício Bitencourt, PMP Diretor Executivo mauricio.bitencourt@projeler.com.br

Leia mais

TRADUZINDO A DEFINIÇÃO DE PROCESSO EM XPDL PARA MODELOS EM REDES DE PETRI

TRADUZINDO A DEFINIÇÃO DE PROCESSO EM XPDL PARA MODELOS EM REDES DE PETRI XXIX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. TRADUZINDO A DEFINIÇÃO DE PROCESSO EM XPDL PARA MODELOS EM REDES DE PETRI Rosemary Francisco (PUCPR) rmaryf@gmail.com Eduardo de Freitas Rocha Loures (PUCPR)

Leia mais

Engenharia de Software I

Engenharia de Software I Engenharia de Software I Rogério Eduardo Garcia (rogerio@fct.unesp.br) Bacharelado em Ciência da Computação Aula 05 Material preparado por Fernanda Madeiral Delfim Tópicos Aula 5 Contextualização UML Astah

Leia mais

BPMN. Business Process Modeling Notation. Outubro/2006. Rafael Bortolini rafael@cryo.com.br Cryo Technologies www.cryo.com.br

BPMN. Business Process Modeling Notation. Outubro/2006. Rafael Bortolini rafael@cryo.com.br Cryo Technologies www.cryo.com.br BPMN Business Process Modeling Notation Outubro/2006 Rafael Bortolini rafael@cryo.com.br Cryo Technologies www.cryo.com.br 1 Agenda Introdução História Especificação Swinlanes Atividades Eventos Gateways

Leia mais

Curso de BPMN - II. Desenho de processo

Curso de BPMN - II. Desenho de processo Curso de BPMN - II Glauco Reis (gsrt@terra.com.br) é Consultor em Java e metodologias OO, e especializado em plataforma IBM. Têm o título de SCJP 1.1 e 1.4, SCJWCD 1.4, e IBM CSE e IBM Websphere Application

Leia mais

INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS

INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS Cilene Loisa Assmann (UNISC) cilenea@unisc.br Este estudo de caso tem como objetivo trazer a experiência de implantação

Leia mais

Decanato de Planejamento e Orçamento DPO Diretoria de Processos Organizacionais - DPR. Business Process Modeling Notation BPMN

Decanato de Planejamento e Orçamento DPO Diretoria de Processos Organizacionais - DPR. Business Process Modeling Notation BPMN Decanato de Planejamento e Orçamento DPO Diretoria de Processos Organizacionais - DPR Business Process Modeling Notation BPMN BPMN Business Process Modeling Notation A especificação da notação de modelagem

Leia mais

Instituto de Computação, Universidade Federal do Amazonas (UFAM) Manaus-AM, Brasil

Instituto de Computação, Universidade Federal do Amazonas (UFAM) Manaus-AM, Brasil Elicitação de Requisitos a partir de Modelos de Processos de Negócio e Modelos Organizacionais: Uma pesquisa para definição de técnicas baseadas em heurísticas Marcos A. B. de Oliveira 1, Sérgio R. C.

Leia mais

Prof. Ricardo J. Rabelo (rabelo@das.ufsc.br)

Prof. Ricardo J. Rabelo (rabelo@das.ufsc.br) DAS5316 - Integração de Sistemas Corporativos BPEL Business Process Execution Language Prof. Ricardo J. Rabelo (rabelo@das.ufsc.br) Responsável pela elaboração dos slides Alexandre Perin (perin@das.ufsc.br)

Leia mais

A aplicação do BPM e as suas soluções na modelagem de processos de negócio

A aplicação do BPM e as suas soluções na modelagem de processos de negócio A aplicação do BPM e as suas soluções na modelagem de processos de negócio Meire Helen Batista Dias Faculdade de Tecnologia da Zona Leste/FATEC-ZL São Paulo SP Brasil meirehelenbdias@bol.com.br Cristina

Leia mais

BEM-VINDO!!! Apresentação Inicial. Por favor, descreva o seu atual conhecimento sobre Mapeamento de Processos

BEM-VINDO!!! Apresentação Inicial. Por favor, descreva o seu atual conhecimento sobre Mapeamento de Processos Apresentação Inicial BEM-VINDO!!! Por favor, descreva o seu atual conhecimento sobre Mapeamento de Processos 1 Mapeamento de Processos Mapeamento de Processos e Negócios com BPM 2 Ementa Introdução Definição

Leia mais

INTRODUÇÃO A MODELAGEM DE PROCESSOS UTILIZANDO BPMN 1 FÁBIO RODRIGUES CRUZ 2 2.1 CONCEITO DE MODELAGEM DE PROCESSOS UTILIZANDO BPMN

INTRODUÇÃO A MODELAGEM DE PROCESSOS UTILIZANDO BPMN 1 FÁBIO RODRIGUES CRUZ 2 2.1 CONCEITO DE MODELAGEM DE PROCESSOS UTILIZANDO BPMN INTRODUÇÃO A MODELAGEM DE PROCESSOS UTILIZANDO BPMN 1 FÁBIO RODRIGUES CRUZ 2 1 INTRODUÇÃO A Business Process Modeling Notation (BPMN), ou Notação de Modelagem de Processos de Negócio, é um conjunto de

Leia mais

Integração de Sistemas Corporativos DAS5316. BPM e BPMN. Prof. Ricardo J. Rabelo (rabelo@das.ufsc.br) Alexandre Perin (perin@das.ufsc.

Integração de Sistemas Corporativos DAS5316. BPM e BPMN. Prof. Ricardo J. Rabelo (rabelo@das.ufsc.br) Alexandre Perin (perin@das.ufsc. DAS5316 BPM e BPMN Prof. Ricardo J. Rabelo (rabelo@das.ufsc.br) Alexandre Perin (perin@das.ufsc.br) Florianópolis (SC), 2010. Roteiro BPM Introdução Definição Características Ciclo de vida Integração com

Leia mais

Nos artigos anteriores apresentamos. Desenvolvimento de Software Dirigido por Caso de Uso Parte III: Caso de Uso de Negócio

Nos artigos anteriores apresentamos. Desenvolvimento de Software Dirigido por Caso de Uso Parte III: Caso de Uso de Negócio Desenvolvimento de Software Dirigido por Caso de Uso Parte III: Caso de Uso de Negócio Vinicius Lourenço de Sousa vinicius.lourenco.sousa@gmail.com Atua no ramo de desenvolvimento de software há mais de

Leia mais

Disciplina: Automação de Processos de Negócio

Disciplina: Automação de Processos de Negócio Disciplina: Automação de Processos de Negócio PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO ESTRATÉGICA DE PROCESSOS DE NEGÓCIO Professor: Eros Viggiano Ementa da disciplina Viabilização da otimização de processo através da

Leia mais

Planejamento da disciplina: Modelagem de processos de negócio

Planejamento da disciplina: Modelagem de processos de negócio UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS / INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Planejamento da disciplina: Modelagem de processos de negócio Professor: Clarindo Isaías Pereira

Leia mais

BPMN: Identificando vantagens e desvantagens do uso desta ferramenta para modelagem de processos.

BPMN: Identificando vantagens e desvantagens do uso desta ferramenta para modelagem de processos. BPMN: Identificando vantagens e desvantagens do uso desta ferramenta para modelagem de processos. Franciele da Costa Canello 1 RESUMO As organizações estão cada vez mais necessitando de sistemas que aliem

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SÃO PAULO WUNE LI

FACULDADE DE TECNOLOGIA SÃO PAULO WUNE LI FACULDADE DE TECNOLOGIA SÃO PAULO WUNE LI BUSINESS PROCESS MANAGEMENT SÃO PAULO 2012 FACULDADE DE TECNOLOGIA SÃO PAULO WUNE LI BUSINESS PROCESS MANAGEMENT Monografia apresentada à Faculdade de Tecnologia

Leia mais

Dominando o Mapeamento de Processos com BPMN 2.0

Dominando o Mapeamento de Processos com BPMN 2.0 Treinamentos em Gestão por Processos Dominando o Mapeamento de Processos com BPMN 2.0 Representando processos de negócio com a notação mais poderosa do Mercado. BPMN (Business Process Model and Notation)

Leia mais

Gestão de Processos de Negócios

Gestão de Processos de Negócios Gestão Operacional da TI Gestão de Processos de Negócios Business Process Management (BPM) Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br Professor NOME: RÔMULO CÉSAR DIAS DE ANDRADE

Leia mais

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 01

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 01 PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 01 LEVANTAMENTO, MODELAGEM

Leia mais

Spider-PM: Uma Ferramenta de Apoio à Modelagem de Processos de Software

Spider-PM: Uma Ferramenta de Apoio à Modelagem de Processos de Software Spider-PM: Uma Ferramenta de Apoio à Modelagem de Processos de Software Renan Sales Barros 1, Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira 1 1 Faculdade de Computação Instituto de Ciências Exatas e Naturais (ICEN)

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Informática e Estatística Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação

Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Informática e Estatística Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Informática e Estatística Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação Um Framework para Desenvolvimento de Workflows baseado em Padrões de Workflow

Leia mais

Desenvolvendo uma Arquitetura de Componentes Orientada a Serviço SCA

Desenvolvendo uma Arquitetura de Componentes Orientada a Serviço SCA Desenvolvendo uma Arquitetura de Componentes Orientada a Serviço SCA RESUMO Ricardo Della Libera Marzochi A introdução ao Service Component Architecture (SCA) diz respeito ao estudo dos principais fundamentos

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DO AMBIENTE EXPSEE SEGUNDO O MÉTODO CATALYSIS

ESPECIFICAÇÃO DO AMBIENTE EXPSEE SEGUNDO O MÉTODO CATALYSIS ESPECIFICAÇÃO DO AMBIENTE EXPSEE SEGUNDO O MÉTODO CATALYSIS RESUMO Este artigo apresenta a especificação de um sistema gerenciador de workflow, o ExPSEE, de acordo com a abordagem de desenvolvimento baseado

Leia mais

1 UML (UNIFIED MODELING LANGUAGE)

1 UML (UNIFIED MODELING LANGUAGE) 1 UML (UNIFIED MODELING LANGUAGE) Segundo Tonsig (2003), para conseguir desenvolver um software capaz de satisfazer as necessidades de seus usuários, com qualidade, por intermédio de uma arquitetura sólida

Leia mais

MARATONA CBOK UNICORREIOS

MARATONA CBOK UNICORREIOS MARATONA CBOK UNICORREIOS Capítulo 10 Tecnologia de BPM Bruno Lima, CBPP Analista de sistemas/processos Agenda Porque tecnologia é importante; O que está envolvido na tecnologia de BPM? Modelagem, análise

Leia mais

3 ao Quadrado - Agenda Web

3 ao Quadrado - Agenda Web 3 ao Quadrado - Agenda Web Relatório de Gestão de Projectos de Software - Grupo A - LEIC 2001/2002 http://gnomo.fe.up.pt/gps01a João Montenegro - ei97023@fe.up.pt André Teixeira - ei97024@fe.up.pt Carlos

Leia mais

WORKFLOW. Mapeamento de Processos de Negócio 26/11/2009. Tadeu Cruz, Prof. M.Sc. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

WORKFLOW. Mapeamento de Processos de Negócio 26/11/2009. Tadeu Cruz, Prof. M.Sc. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS WORKFLOW Mapeamento de Processos de Negócio Tadeu Cruz, Prof. M.Sc. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS É proibido a reprodução total ou parcial de qualquer forma ou por qualquer meio sem a expressa autorização

Leia mais

BPMN. Business Process Modeling Notation

BPMN. Business Process Modeling Notation BPMN Business Process Modeling Notation Montar viagem UML (diagrama de atividades) Montar viagem BPMN Tipos de diagrama 1) Private Business Process ou Diagramas de processos privados: usado quando não

Leia mais

SOA 2.0 ou Event-Driven SOA

SOA 2.0 ou Event-Driven SOA SOA SOA 2.0 ou Event-Driven SOA 1 Introdução Recentemente, a Oracle anuciou o termo SOA 2.0. E já deu para imaginar a repercussão que isto teve. Estamos em um momento onde SOA (Service-Oriented Architecture),

Leia mais

WS-BPEL Web Service Business Process Execution Language

WS-BPEL Web Service Business Process Execution Language DAS5316 WS-BPEL Web Service Business Process Execution Language Prof. Ricardo J. Rabelo (rabelo@das.ufsc.br) Responsável pela elaboração dos slides Alexandre Perin (perin@das.ufsc.br) Florianópolis (SC),

Leia mais

Artigo de Conclusão de curso sobre BPM - Gestão de Processo de Negócio

Artigo de Conclusão de curso sobre BPM - Gestão de Processo de Negócio Artigo de Conclusão de curso sobre BPM - Gestão de Processo de Negócio Este é um artigo sobre BPM que merece destaque no Portal GSTI. No trabalho abaixo, de Francisco Sobreira Neto, é elaborado um apanhado

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS. Douglas Donizeti de Castilho Braz

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS. Douglas Donizeti de Castilho Braz UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Douglas Donizeti de Castilho Braz DEFINIÇÃO DE UM PROCESSO DE MODELAGEM DE NEGÓCIO PARA A FÁBRICA DE SOFTWARE

Leia mais

Um Processo para Desenvolvimento de Aplicações Web Baseado em Serviços. Autores: Fábio Zaupa, Itana Gimenes, Don Cowan, Paulo Alencar e Carlos Lucena

Um Processo para Desenvolvimento de Aplicações Web Baseado em Serviços. Autores: Fábio Zaupa, Itana Gimenes, Don Cowan, Paulo Alencar e Carlos Lucena Um Processo para Desenvolvimento de Aplicações Web Baseado em Serviços Autores: Fábio Zaupa, Itana Gimenes, Don Cowan, Paulo Alencar e Carlos Lucena Tópicos Motivação e Objetivos LP e SOA Processo ADESE

Leia mais

Guia de utilização da notação BPMN

Guia de utilização da notação BPMN 1 Guia de utilização da notação BPMN Agosto 2011 2 Sumário de Informações do Documento Documento: Guia_de_utilização_da_notação_BPMN.odt Número de páginas: 31 Versão Data Mudanças Autor 1.0 15/09/11 Criação

Leia mais

SISTEMA DE SENSIBILIZAÇÃO, PROSPECÇÃO E QUALIFICAÇÃO: PROPOSIÇÃO DE UM CONJUNTO DE ELEMENTOS PARA GUIAR AÇÕES DE MELHORIAS EM UMA INCUBADORA POTIGUAR

SISTEMA DE SENSIBILIZAÇÃO, PROSPECÇÃO E QUALIFICAÇÃO: PROPOSIÇÃO DE UM CONJUNTO DE ELEMENTOS PARA GUIAR AÇÕES DE MELHORIAS EM UMA INCUBADORA POTIGUAR SISTEMA DE SENSIBILIZAÇÃO, PROSPECÇÃO E QUALIFICAÇÃO: PROPOSIÇÃO DE UM CONJUNTO DE ELEMENTOS PARA GUIAR AÇÕES DE MELHORIAS EM UMA INCUBADORA POTIGUAR RESUMO Maria Luiza Azevedo de Carvalho Anderson Paiva

Leia mais

Definição de Processos de Workflow

Definição de Processos de Workflow Definição de Processos de Tiago Telecken Universidade Federal do Rio Grande do Sul telecken@inf.ufrgs.br Resumo Este artigo apresenta uma introdução a tecnologia de workflow informando noções básicas sobre

Leia mais

4 O Workflow e a Máquina de Regras

4 O Workflow e a Máquina de Regras 4 O Workflow e a Máquina de Regras O objetivo do workflow e da máquina de regras é definir um conjunto de passos e regras configuráveis. Ao longo de sua execução, um usuário consegue simplificar o seu

Leia mais

BPM. (Business Process Management) Gerenciamento de Processos de Negócio. Meta IT Mapeamento de Processos BPM ARIS Módulo 1

BPM. (Business Process Management) Gerenciamento de Processos de Negócio. Meta IT Mapeamento de Processos BPM ARIS Módulo 1 BPM (Business Process Management) Gerenciamento de Processos de Negócio Meta IT Mapeamento de Processos BPM ARIS Módulo 1 Agenda 1 2 3 Conceitos BPM x TI Softwares BPM 4 Certificações Conceitos O que são

Leia mais

PROCESSOS DE NEGÓCIOS: UMA VISÃO GERAL

PROCESSOS DE NEGÓCIOS: UMA VISÃO GERAL Universidade Federal de Santa Maria Sistemas de Informação ELC1093 Modelagem de Processos de Negócio PROCESSOS DE NEGÓCIOS: UMA VISÃO GERAL Profa. Lisandra Manzoni Fontoura Objetivos da Aula: Processos

Leia mais

INFRAESTRUTURA PARA INOVAÇÃO BPM e SOA

INFRAESTRUTURA PARA INOVAÇÃO BPM e SOA INFRAESTRUTURA PARA INOVAÇÃO BPM e SOA Palestrante: Eduardo José Ribeiro de Castro, MSc. eduardo@quaddract.com.br 25/08/2009 1 Objetivo Geral APL Brasília Capital Digital Desenvolver entre as empresas

Leia mais

Uma marca da Leadership Business Consulting

Uma marca da Leadership Business Consulting Uma marca da Leadership Business Consulting 1 Sequence e Business Process Management O Sequence é a plataforma líder em ibpm & Workflow. É um software de BPM simples e intuitivo, com programação por meio

Leia mais

SOA: Service-oriented architecture

SOA: Service-oriented architecture SOA: Service-oriented architecture Roteiro Breve História O que é Arquitetura de Software? O que é SOA? Serviços Infraestrutura Composição Sua empresa está preparada para SOA? Breve História Uma empresa

Leia mais

MODELAGEM DE PROCESSOS USANDO BPMN (BUSINESS PROCESS MODEL AND NOTATION) E IOT (INTERNET DAS COISAS)

MODELAGEM DE PROCESSOS USANDO BPMN (BUSINESS PROCESS MODEL AND NOTATION) E IOT (INTERNET DAS COISAS) WHITE PAPPER Rafael Fazzi Bortolini Diretor, Cryo Technologies Orquestra BPMS rafael@cryo.com.br Internet das Coisas e Gerenciamento de Processos de Negócio (BPM) são duas disciplinas ou tendências à primeira

Leia mais

BPMN Business Process Modeling Notation

BPMN Business Process Modeling Notation BPMN Business Process Modeling Notation Business Process Modeling Notation Página 1 Objetivo O objetivo deste curso é apresentar os elementos da notação de modelagem de processos de negócio BPMN 1.1 (Business

Leia mais

PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS

PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS Élysson Mendes Rezende Bacharelando em Sistemas de Informação Bolsista de Iniciação Científica

Leia mais

A história de UML e seus diagramas

A história de UML e seus diagramas A história de UML e seus diagramas Thânia Clair de Souza Vargas Departamento de Informática e Estatística Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Florianópolis, SC Brazil thania@inf.ufsc.br Abstract.

Leia mais

Uma Linguagem de Workflow Para Composição de Web Services - LCWS

Uma Linguagem de Workflow Para Composição de Web Services - LCWS Uma Linguagem de Workflow Para Composição de Web Services - LCWS Luiz Alexandre Hiane da S. Maciel 1, Edgar Toshiro Yano 1 1 Divisão de Pós-Graduação Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) Praça Marechal

Leia mais

PROJELER. Componentes da Solução Intalio BPMS 5.2. Maurício Bitencourt 51 21171872 / 51 84087798 mauricio.bitencourt@projeler.com.

PROJELER. Componentes da Solução Intalio BPMS 5.2. Maurício Bitencourt 51 21171872 / 51 84087798 mauricio.bitencourt@projeler.com. Componentes da Solução Intalio BPMS 5.2 Maurício Bitencourt 51 21171872 / 51 84087798 mauricio.bitencourt@projeler.com.br Platinum Implementation Partner 1 Enterprise Edition Software de Código Aberto

Leia mais

3 Serviços na Web (Web services)

3 Serviços na Web (Web services) 3 Serviços na Web (Web services) 3.1. Visão Geral Com base na definição do Word Wide Web Consortium (W3C), web services são aplicações autocontidas, que possuem interface baseadas em XML e que descrevem

Leia mais

Ferramentas unificadas de SOA alinham negócios e TI IDG Research aponta grandes ganhos potenciais a partir de uma solução integrada

Ferramentas unificadas de SOA alinham negócios e TI IDG Research aponta grandes ganhos potenciais a partir de uma solução integrada Insight completo sobre IDG/Oracle Relatório de pesquisa de SOA Ferramentas unificadas de SOA alinham negócios e TI IDG Research aponta grandes ganhos potenciais a partir de uma solução integrada Alinhamento

Leia mais

BPM Definições e Contexto Prática Aula 1

BPM Definições e Contexto Prática Aula 1 BPM Definições e Contexto Prática Aula 1 BP Business Process Algumas definições sobre o que é Processos de Negócio (BP) Um processo é um fluxo coordenado e padronizado de atividades executadas por pessoas

Leia mais

Renata Alves Campos (CoInfo) Sandra Maria Peron de Lima (DP) Março/2012

Renata Alves Campos (CoInfo) Sandra Maria Peron de Lima (DP) Março/2012 Renata Alves Campos (CoInfo) Sandra Maria Peron de Lima (DP) Março/2012 O que é um processo? Um processo é um grupo de atividades realizadas numa seqüência lógica com o objetivo de produzir um bem ou um

Leia mais

O desafio de uma visão mais ampla

O desafio de uma visão mais ampla com SAP NetWeaver BPM Descrição de Solução A competição acirrada tem levado as organizações a adotar novas disciplinas de gestão e empregar recursos tecnológicos avançados, a fim de atingir melhores índices

Leia mais

Esta formação tem como objectivo dotar os profissionais de conhecimentos teóricos e práticos que lhes permitam:

Esta formação tem como objectivo dotar os profissionais de conhecimentos teóricos e práticos que lhes permitam: Pós Graduação Business Process Management Gestão - Pós-Graduações Com certificação Nível: Duração: 180h Sobre o curso O Business Process Management tem vindo a ganhar um posicionamento distintivo nas organizações.

Leia mais

Promodeller: Ferramenta de Modelagem de Processo de Software a partir de arquivos no padrão BPMN utilizando Ontologia de Processo

Promodeller: Ferramenta de Modelagem de Processo de Software a partir de arquivos no padrão BPMN utilizando Ontologia de Processo Universidade Federal de Pernambuco Graduação em Bacharelado em Ciências da Computação Centro de Informática Promodeller: Ferramenta de Modelagem de Processo de Software a partir de arquivos no padrão BPMN

Leia mais

Carregamento automatizado de Bases de Dados

Carregamento automatizado de Bases de Dados Carregamento automatizado de Bases de Dados André Neiva de Lemos nº 21276 Trabalho realizado sob a orientação de João Paulo Ribeiro Pereira Engenharia Informática 2014/2015 Carregamento automatizado de

Leia mais

Modelação dos mecanismos de controlo de acesso numa arquitectura empresarial

Modelação dos mecanismos de controlo de acesso numa arquitectura empresarial Modelação dos mecanismos de controlo de acesso numa arquitectura empresarial Tópicos de Investigação, MEIC, 27/01/2011 Ricardo Martins, 55391 Agenda Enquadramento e problema Objectivos e perguntas de investigação

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 14 SOA e ESB Service-Oriented

Leia mais

Rock In Rio - Lisboa

Rock In Rio - Lisboa Curso de Engenharia Informática Industrial Rock In Rio - Lisboa Elaborado por: Ano Lectivo: 2004/05 Tiago Costa N.º 4917 Turma: C Gustavo Graça Patrício N.º 4757 Turma: C Docente: Professora Maria Estalagem

Leia mais

Especificação de um Sistema Gerenciador de Workflow de Acordo com a Abordagem de Desenvolvimento Baseado em Componentes

Especificação de um Sistema Gerenciador de Workflow de Acordo com a Abordagem de Desenvolvimento Baseado em Componentes Especificação de um Sistema Gerenciador de Workflow de Acordo com a Abordagem de Desenvolvimento Baseado em Componentes Edson Alves de Oliveira Junior 1, Itana Maria de Souza Gimenes 1 1 Departamento de

Leia mais

Service Oriented Architecture SOA

Service Oriented Architecture SOA Service Oriented Architecture SOA Arquitetura orientada aos serviços Definição: Arquitetura de sistemas distribuídos em que a funcionalidade é disponibilizada sob a forma de serviços (bem definidos e independentes)

Leia mais

Automação de Processos de Negócios com BPMS:

Automação de Processos de Negócios com BPMS: Automação de Processos de Negócios com BPMS: Um Relato de Experiência da ATI ATI- /UPG Unidade de Processos de Negócios do Governo Adelnei Felix adelnei.felix@ati.pe.gov.br 1 Agenda Introdução Relato da

Leia mais

Ed. 2.07 REVISTA HYPER NEWS. Entrevista com Gabriel Epsztejn, sobre BPM. Seminário Executivo de BPM. Artigo BPM X ITIL

Ed. 2.07 REVISTA HYPER NEWS. Entrevista com Gabriel Epsztejn, sobre BPM. Seminário Executivo de BPM. Artigo BPM X ITIL Ed. 2.07 REVISTA HYPER NEWS Entrevista com Gabriel Epsztejn, sobre BPM Seminário Executivo de BPM Artigo BPM X ITIL 3 ENTREVISTA Entrevista com Gabriel Epsztejn, gerente de pré-vendas da Oracle, sobre

Leia mais

silviaheld@usp.br Italiano, Isabel Cristina. Profa. Dra. - Têxtil e Moda - Escola de Artes, Ciências e RESUMO ABSTRACT

silviaheld@usp.br Italiano, Isabel Cristina. Profa. Dra. - Têxtil e Moda - Escola de Artes, Ciências e RESUMO ABSTRACT MAPEAMENTO DE PROCESSOS DE CONFECÇÃO PARA IDENTIFICAÇÃO DE PONTOS CRÍTICOS DA PRODUÇÃO Espinosa, Caroline Stagi - Bacharel em Têxtil e Moda - Escola de Artes, Ciências e Humanidades - Universidade de São

Leia mais

SOA Introdução. SOA Visão Departamental das Organizações

SOA Introdução. SOA Visão Departamental das Organizações 1 Introdução A Organização é a forma pela qual nós coordenamos nossos recursos de todos os tipos para realizar o trabalho que nos propusemos a fazer. A estrutura de nossas organizações manteve-se basicamente

Leia mais

EVOLUÇÃO DO CONCEITO DE MES

EVOLUÇÃO DO CONCEITO DE MES MAXMES EVOLUÇÃO DO CONCEITO DE MES White Paper Maxmes # 01 07/2009 MAXMES www.maxmes.com.br 1.0 Introdução A AMR Research conceituou o MES em 1990 como um sistema de informação que residia entre a automação

Leia mais

Modelagem de Processos para Automação

Modelagem de Processos para Automação Treinamentos em Gestão por Processos Modelagem de Processos para Automação [ipe03] Implementando a Visão Futura: um curso prático para vencer a barreira existente entre negócio e TI. Implantar processos

Leia mais

Padrões de Workflow. Flávio Horita

Padrões de Workflow. Flávio Horita Padrões de Workflow Flávio Horita Problema Várias linguagens de workflow com semânticas diferentes; Finalização implicita x Finalização explicita Um entrada e uma saída no loop X sem restrição Várias instâncias

Leia mais

Desenvolvimento de Sistemas BPMS. Jhonatas Vicente de Jesus

Desenvolvimento de Sistemas BPMS. Jhonatas Vicente de Jesus Desenvolvimento de Sistemas BPMS Jhonatas Vicente de Jesus Roteiro de apresentação FastBPM TCC Recapitulando alguns Conceitos Sistemas BPMS Um Processo na prática Conclusão TCC - 2011 Desenvolvimento de

Leia mais

PHC Workflow CS. O controlo e a automatização de processos internos

PHC Workflow CS. O controlo e a automatização de processos internos PHC Workflow CS O controlo e a automatização de processos internos A solução que permite que um conjunto de ações a executar siga uma ordem pré-definida, de acordo com as normas da empresa, aumentando

Leia mais

IBM WebSphere Business Monitor

IBM WebSphere Business Monitor Obtenha visibilidade em tempo real do desempenho dos processos de negócios IBM WebSphere Business Monitor Fornece aos usuários de negócios uma visão abrangente e em tempo real do desempenho dos processos

Leia mais

BPM Prof. Ricardo J. Rabelo ricardo.rabelo@ufsc.br

BPM Prof. Ricardo J. Rabelo ricardo.rabelo@ufsc.br BPM Prof. Ricardo J. Rabelo ricardo.rabelo@ufsc.br DAS5316 Integração de Sistemas Corporativos DAS Departamento de Automação e Sistemas UFSC Universidade Federal de Santa Catarina Problemática geral Atualmente,

Leia mais

3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio

3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio 32 3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio Este capítulo apresenta o framework orientado a aspectos para monitoramento e análise de processos de negócio

Leia mais

5 Estudo de caso: utilizando o sistema para requisição de material

5 Estudo de caso: utilizando o sistema para requisição de material 61 5 Estudo de caso: utilizando o sistema para requisição de material A fim de avaliar as características da arquitetura proposta e a corretude da implementação, realizamos experiências com cenários de

Leia mais