Sensor MODIS: descrição e produtos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sensor MODIS: descrição e produtos"

Transcrição

1 Sensoriamento Remoto do Clima - SER-311 Sensor MODIS: descrição e produtos Egidio Arai 28 de agosto de 2014

2 Terra / Aqua Satélite Terra: Dez. 18, 1999 Satélite Aqua: Maio 04, 2002

3 Sensores das plataformas TERRA e AQUA TERRA Advanced Spaceborne Thermal Emission and Reflection Radiometer (ASTER) Clouds and the Earth's Radiant Energy System (CERES) Measurements of Pollution in the Troposphere (MOPITT) Moderate Resolution Imaging Spectroradiometer (MODIS) Multi-angle Imaging Spectro-Radiometer (MISR) Advanced Microwave Scanning Radiometer-EOS (AMSR-E) Advanced Microwave Sounding Unit (AMSU) Clouds and the Earth's Radiant Energy System (CERES) Humidity Sounder for Brazil (HSB) Moderate Resolution Imaging Spectroradiometer (MODIS)

4 Sensor MODIS: Características Sensor Whisk-broom. Orbita: polar, 705Km de altitude, período médio de 98.9 min., ciclo de 16 dias. Imageamento global a cada dois dias, cobertura diária acima de 30 de latitude. Largura da faixa: 2330 km 36 bandas espectrais: 29-1 km, m & m Quantização: 12 bits Passagem no equador - Plataforma Terra: as 10:30 - Plataforma Aqua: as 13:30 Plataforma Lançamento 1 a Imagem Terra 18/12/1999 Fev Aqua 04/05/2002 Jun. 2002

5 LARGURA DA FAIXA

6 MODIS: Características Espaciais 250m 500m 1km Produtos com 50 m de precisão na geolocalização no nadir nas bandas de 250m

7 Alta qualidade geométrica

8 MODIS: Resoluções Espectrais & Espaciais Faixa Espectral NOAA / AVHRR Landsat ETM+ MODIS Azul Verde Vermelho Infravermelho Proximo xm Infravermelho Medio Infravermelho Medio Infravermelho Medio Resolucao Espacial 30, 15m 250, 500, 1000m Resolucao Temporal 12 horas 16 dias 1-2 dias

9 Como ter imagem do globo todo?

10 Cobertura Global

11 Earth Observing System Data and Information System (EOSDIS)

12 Produtos MODIS Calibração MOD 01 - Level-1A Radiance Counts MOD 02 - Level-1B Calibrated Geolocated Radiances MOD 03 - Geolocation Data Set Atmosfera MOD 04 - Aerosol Product MOD 05 - Total Precipitable Water (Water Vapor) MOD 06 - Cloud Product MOD 07 - Atmospheric Profiles MOD 08 - Gridded Atmospheric Product MOD 35 - Cloud Mask Terra MOD 09 - Surface Reflectance MOD 11 - Land Surface Temperature & Emissivity MOD 12 - Land Cover/Land Cover Change MOD 13 - Gridded Vegetation Indices (NDVI&EVI) MOD 14 - Thermail Anomalies, Fires & Biomass Burning MOD 15 - Leaf Area Index & FPAR MOD 16 - Evapotranspiration MOD 17 - Net Photosynthesis and Primary Productivity MOD 43 - Bidirectional Reflectance Distribution Function and Albedo MOD 44 - Vegetation Cover Conversion Criosfera MOD 10 - Snow Cover MOD 29 - Sea Ice Cover Oceano MOD 18 - Normalized Water-leaving Radiance MOD 19 - Pigment Concentration MOD 20 - Chlorophyll Fluorescence MOD 21 - Chlorophyll_a Pigment Concentration MOD 22 - Photosynthetically Available Radiation (PAR) MOD 23 - Suspended-Solids Concentration MOD 24 - Organic Matter Concentration MOD 25 - Coccolith Concentration MOD 26 - Ocean Water Attenuation Coefficient MOD 27 - Ocean Primary Productivity MOD 28 - Sea Surface Temperature MOD 31 - Phycoerythrin Concentration MOD 36 - Total Absorption Coefficient MOD 37 - Ocean Aerosol Properties MOD 39 - Clear Water Epsilon

13 Níveis de Processamento Nível de Processamento Nível 0 Nível 1 Nível 2 Nível 3 Nível 4 Definição Dados brutos reconstruídos na resolução total, todas as informações de comunicação removidas (sem formato específico-12bits). Dados de nível 0 são referenciados pela hora e adicionados informações subsidiarias, incluindo coeficientes de calibração geométrica e radiométrica, e informação de geolocalização (HDF). Variáveis geofísicas derivadas na mesma resolução e localização dos dados de nível 1. Variáveis mapeadas em grades de espaçamento uniforme, normalmente completa e consistente. Saídas de modelo ou resultados de análises dos dados de níveis mais baixos.

14

15 Refletância de superfície MODIS LAND MOD09 Terra Aqua Surface Reflectance Daily L2G Global 1km and 500m Surface Reflectance Daily L2G Global 250m Surface Reflectance Daily L3 Global 0.05Deg CMG Surface Reflectance 8-Day L3 Global 500m Surface Reflectance 8-Day L3 Global 250m Surface Reflectance Daily L2G Global 500m Surface Reflectance Daily L2G Global 250m Surface Reflectance Quality Daily L2G Global 1km MOD09GA C5 MOD09GQ C5 MOD09CMG C5 MOD09A1 C5 MOD09Q1 C5 MOD09GHK C5 MOD09GQK C5 MOD09GST C5 MYD09GA C5 MYD09GQ C5 MYD09CMG C5 MYD09A1 C5 MYD09Q1 C5 MYD09GHK C5 MYD09GQK C5 MYD09GST C5 * Todos os produtos no formato HDF-EOS

16 HDF (Hierarchical Data Format) Desenvolvido pelo NCSA (National Center for Supercomputing Applications) da Universidade de Illinois. Compartilhar dados em ambientes distribuídos Orientado para dados científicos - padrão? Reduzir tempo gasto na conversão de arquivos Bibliotecas disponíveis para várias plataformas Comporta diversos tipos de dados Possui metadado para cada dado

17 HDF Possíveis estruturas

18 HDF - Portabilidade Possui bibliotecas para as seguintes plataformas Sun SunOS, Solaris SGI Irix HP HPUX DEC VAX OpenVMS PC Solaris86, Linux,Windows Apple P. Macintosh MacOS

19 HDF - Exemplo

20 1200km Projeção Sinusoidal h11v km Globo dividido em Tiles com 10 por 10 graus. O sistema de coordenadas começa no tile (0,0) (horizontal, vertical) no canto superior esquerdo e termina no tile (35,17) no canto inferior direito

21 Tiles - MODIS

22 Tiles x Granule

23 MODIS Tiles granules x Granule x tiles Produtos para: Ecossistemas terrestres (MODIS LAND) Oceano (MODIS OCEAN) Atmosfera (MODIS ATMOSPHERE)

24 Como obter produtos MODIS?

25

26 Acesso direto

27 Como processar produtos MODIS/Land?

28 Processamento MODIS Pedido de imagens Download de imagens Reprojeção - MRT Conversão para 8 bits Importação no Spring

29 MRT 4.1 : Disponibilidade Download https://lpdaac.usgs.gov/tools/ Registrar como usuário Download códigos de acordo com plataforma Download Guia do Usuário e Release notes Unzip arquivos Execute script de instalação (instal.bat) (em PCs isso irá modificar ModisTool.bat)

30 MRT Resumo Importa dados MODIS em formato HDF Suporta produtos MODIS LAND na projeção sinusoidal (SIN) em nivel-2g, nivel-3 e nivel-4. Suporta multi-dimensional Science Data Sets Tipos de dados suportados inteiros de 8, 16, 32-bit reais de 32-bit os dados de saída são idênticos aos dados de entrada

31 Funcionalidades do MRT 4.1 Reprojeta e mosaica dados MODIS na projeção Sinusoidal usando o pacote de transformação cartográfica generalizado (GCTP) Projeções de saída: Albers Equal Area Equirectangular Geographic Hammer Integerized Sinusoidal Interrupted Goode Homolosine Lambert Azimuthal Lambert Conformal Conic Mercator Molleweide Polar Stereographic Sinusoidal Transverse Mercator Universal Transverse Mercator

32 Funcionalidades do MRT 4.1 Sub-amostragem espectral qualquer dado SDSs pode ser selecionado Sub-amostragem espacial Sub-amostragem por lat/long ou linha/coluna, ou coordenadas de saída Re-amostragem vizinho mais próximo interpolação bilinear convolução cúbica Conversão de formatos Conversão de datum

33 Requisitos do MRT 4.1 Plataformas e Sistemas Operacionais Windows Linux Linux 64 Sun/Solaris Macintosh OS X (Intel) Interface por linhas de comando ou GUI Requer Java 1.4 ou superior

34

35 Adaptação dos produtos da NASA Utilização do MRT Definição da projeção Definição dos parâmetros do MRT Conversão das imagens de 16 para 8 bits utilizando ConvGeotiff

36 Lambert Conformal Conic

37 Universal Transverse Mercator

38

39 Universal Transverse Mercator FUSO 20 FUSO 21 FUSO 22

40 Geographic

41 Geographic zoom

42 ConvGeoTiff

43 ConvGeoTiff Imagens de entrada com 16 bits Restaura o valor do pixel (reflectância e Índices de Vegetação) pixel = pixel * Converte as reflectâncias em nível de cinza (8 bits) utilizando o intervalo a 1.0 Converte os Índices de Vegetação em nível de cinza utilizando o intervalo -1.0 a 1.0

44 Limites da conversão das imagens de refletância

45 Exemplos Produtos MODIS Land

46 Produtos MODIS Land Produto Nome Resolução Espacial (m) Frequência MOD09/Y Refletância de superfície 250, 500, 1000 Diária, 8 d MOD10 Cobertura de neve 500, 5600 Diária, 8 d, M MOD11 Temperatura da superfície/emissividade 1000, 5600, 6000 Diária, 8 d, M MOD12 Tipo/Dinâmica da cobertura da Terra 500, 1000, 5600 Anual MOD13/Y Índice de Vegetaçào 250, 500, 1000, 16 d, M MOD14/Y Anomalias Termais, Fogo e queima de Biomassa 1000 Diária, 8 d MOD15/CY Índice de Área Foliar/FPAR d MOD17 Fotossíntese Líquida e Produtividade Primária d MCD43 BRDF/Albedo 500, 1000, d MOD44 Campos contínuos de vegetação 500 Anual MCD45 Área Queimada 500 M

47 MOD09 Refletância da superfície Imagem do dia 05/08/2010

48 MOD09 Refletância da superfície Mosaico dos dias 05 a 12/08/2010

49 MOD09 Refletância da superfície 06/08/ /08/ /08/ /08/ /08/ a 12/08/ /08/ /08/ /08/2013

50 MOD09 MOD09GQ MOD09GA MOD09Q1 MOD09A1 Global 0.05 graus Resolução 250m 500m 250m 500m 0.05 o Data Inicial ~24 fev 2000 ~24 fev 2000 ~24 fev 2000 ~24 fev 2000 ~24 fev 2000 Tamanho ~78M ~85M ~72M ~68M ~980M Dimensão Número de SDS 4800 x x x x x (9) Temporal Diário Diário 8 dias 8 dias Diário Área ~10 x 10 lat/long ~10 x 10 lat/long ~10 x 10 lat/long ~10 x 10 lat/long Global

51 MOD10 - Cobertura de neve

52 MOD11 - Temperatura da superfície

53 MCD12 - Tipo de cobertura da Terra

54 MOD14 - Anomalias Termais e Fogo

55 MOD14 + MOD09

56 MOD15LAI

57 Programas para processar HDF

58 Ferramentas para processar Modis Reprojection Tool (MRT ) MRT-Swath - Swath-to-Grid Conversion Convgeotiff HDFView HDF-EOS to GeoTIFF Conversion (HEG) HDFLook ENVI, PCI, ERDAS, Matlab, Idrisi (comerciais)

59 HDFView NCSA

60 HDF Explorer

61

62 HDFLook

63 HDFLook Laboratoire d'optique Atmosphérique Université des Sciences et Technologies de Lille

64 Sites com informações MODIS

65

66

67

68 index_mod021km.html

69

70

71

72

73 Estação de Recepção - INPE

74

75

76

77

78

79

80 MOD09A1

81 MOD09A1 h12v10

82

83

84

85

86

87

88

89 25/04/2009

90

91

92

93 Sensoriamento Remoto do Clima - SER-311 Sensor MODIS: descrição e produtos Egidio Arai 28 de agosto de 2014

Satélite TERRA. EOS (Earth Observing System) PROGRAMAS LIDERADOS PELA NASA. Observações contínuas das mudanças globais

Satélite TERRA. EOS (Earth Observing System) PROGRAMAS LIDERADOS PELA NASA. Observações contínuas das mudanças globais Satélite TERRA Satélite TERRA PROGRAMAS LIDERADOS PELA NASA MONITORAMENTO DAS MUDANÇAS OCORRIDAS NA SUPERFÍCIE TERRESTRE EOS (Earth Observing System) Observações contínuas das mudanças globais Plataforma

Leia mais

Características dos Sensores. Aula 3 Professor Waterloo Pereira Filho Docentes orientados: Daniela Barbieri Felipe Correa

Características dos Sensores. Aula 3 Professor Waterloo Pereira Filho Docentes orientados: Daniela Barbieri Felipe Correa Características dos Sensores Aula 3 Professor Waterloo Pereira Filho Docentes orientados: Daniela Barbieri Felipe Correa TAMANHO DO PIXEL Alta Resolução Média Resolução Cobertura Sinótica Meteorológicos

Leia mais

TERRA / ASTER (Advanced Spaceborne Thermal Emission and Reflection Radiometer)

TERRA / ASTER (Advanced Spaceborne Thermal Emission and Reflection Radiometer) TERRA / ASTER (Advanced Spaceborne Thermal Emission and Reflection Radiometer) http://terra.nasa.gov/ Orbita: Heliosíncrona, quase circular. Inclinação: 98,2º Passagem pelo Equador: 10:30 a.m. (N-S) y

Leia mais

Distribuição de produtos MODIS via interface web

Distribuição de produtos MODIS via interface web Anais XV Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto - SBSR, Curitiba, PR, Brasil, 30 de abril a 05 de maio de 2011, INPE p.7502 Distribuição de produtos MODIS via interface web Fernando Yuzo Sato 1 Arley

Leia mais

Os mapas são a tradução da realidade numa superfície plana.

Os mapas são a tradução da realidade numa superfície plana. Cartografia Desde os primórdios o homem tentou compreender a forma e as características do nosso planeta, bem como representar os seus diferentes aspectos através de croquis, plantas e mapas. Desenhar

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA CURSO TÉCNICO DE METEOROLOGIA A DETECÇÃO POR SATÉLITES DAS QUEIMADAS NO SUL DO BRASIL

INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA CURSO TÉCNICO DE METEOROLOGIA A DETECÇÃO POR SATÉLITES DAS QUEIMADAS NO SUL DO BRASIL 0 INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA CURSO TÉCNICO DE METEOROLOGIA Fernanda Ventura Flor Jaqueline Hillesheim Duarte Joana Trentin Piceni de Souza Samantha Isabela Sant Ana Tatiane Maciel A DETECÇÃO POR

Leia mais

Sensoriamento Remoto. Características das Imagens Orbitais

Sensoriamento Remoto. Características das Imagens Orbitais Sensoriamento Remoto Características das Imagens Orbitais 1 - RESOLUÇÃO: O termo resolução em sensoriamento remoto pode ser atribuído a quatro diferentes parâmetros: resolução espacial resolução espectral

Leia mais

I Encontro Brasileiro de usuários QGIS

I Encontro Brasileiro de usuários QGIS I Encontro Brasileiro de usuários QGIS Uso do QGIS no Processamento Digital de Imagens de Sensoriamento Remoto Jorge Santos jorgepsantos@outlook.com www.processamentodigital.com.br Dicas, tutoriais e tudo

Leia mais

Os satélites meteorológicos de nova geração e suas contribuições para as previsões de tempo e clima

Os satélites meteorológicos de nova geração e suas contribuições para as previsões de tempo e clima Os satélites meteorológicos de nova geração e suas contribuições para as previsões de tempo e clima Regina Célia dos Santos Alvalá 1 Luis Augusto Toledo Machado 2 Luciana Rossato 1 Sérgio de Paula Pereira

Leia mais

Geomática e SIGDR aula teórica 23 17/05/11. Sistemas de Detecção Remota Resolução de imagens

Geomática e SIGDR aula teórica 23 17/05/11. Sistemas de Detecção Remota Resolução de imagens Geomática e SIGDR aula teórica 23 17/05/11 Sistemas de Detecção Remota Resolução de imagens Manuel Campagnolo ISA Manuel Campagnolo (ISA) Geomática e SIGDR 2010-2011 17/05/11 1 / 16 Tipos de resolução

Leia mais

Sensoriamento Remoto aplicado ao Monitoramento Ambiental

Sensoriamento Remoto aplicado ao Monitoramento Ambiental Disciplina: Monitoramento e Controle Ambiental Prof.: Oscar Luiz Monteiro de Farias Sensoriamento Remoto aplicado ao Monitoramento Ambiental Andrei Olak Alves 2 espectro visível ultravioleta Sol infravermelho

Leia mais

Aula 3 - Registro de Imagem

Aula 3 - Registro de Imagem Aula 3 - Registro de Imagem 1. Registro de Imagens Registro é uma transformação geométrica que relaciona coordenadas da imagem (linha e coluna) com coordenadas geográficas (latitude e longitude) de um

Leia mais

Aula 3 - Registro de Imagem

Aula 3 - Registro de Imagem 1. Registro de Imagens Aula 3 - Registro de Imagem Registro é uma transformação geométrica que relaciona as coordenadas da imagem (linha e coluna) com as coordenadas geográficas (latitude e longitude)

Leia mais

044.ASR.SRE.16 - Princípios Físicos do Sensoriamento Remoto

044.ASR.SRE.16 - Princípios Físicos do Sensoriamento Remoto Texto: PRODUTOS DE SENSORIAMENTO REMOTO Autor: BERNARDO F. T. RUDORFF Divisão de Sensoriamento Remoto - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais São José dos Campos-SP - bernardo@ltid.inpe.br Sensoriamento

Leia mais

Intercomparação de produtos AQUA&TERRA/MODIS e Suomi-NPP/VIIRS sobre o Brasil

Intercomparação de produtos AQUA&TERRA/MODIS e Suomi-NPP/VIIRS sobre o Brasil Intercomparação de produtos AQUA&TERRA/MODIS e Suomi-NPP/VIIRS sobre o Brasil Jurandir Ventura Rodrigues 1 Simone Sievert da Costa 1 Rogério da Silva Batista 1 1 Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais

Leia mais

O SENSOR MODIS E SUAS APLICAÇÕES AMBIENTAIS NO BRASIL

O SENSOR MODIS E SUAS APLICAÇÕES AMBIENTAIS NO BRASIL O SENSOR MODIS E SUAS APLICAÇÕES AMBIENTAIS NO BRASIL Organizadores: Bernardo F. T. Rudorff; Yosio E. Shimabukuro & Juan C. Ceballos Prefácio - Getulio Teixeira Batista SENSOR MODIS APLICAÇÕES AMBIENTAIS

Leia mais

SERVIÇOS ESPECIALIZADOS PARA FORNECIMENTO DE IMAGENS DE SATÉLITE

SERVIÇOS ESPECIALIZADOS PARA FORNECIMENTO DE IMAGENS DE SATÉLITE COMPANHIA HIDRO ELÉTRICA DO SÃO FRANCISCO - CHESF DIRETORIA DE ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO - DE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO DA EXPANSÃO - SPE DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE - DMA DIVISÃO DE MEIO AMBIENTE

Leia mais

Sistemas Sensores. Introdução

Sistemas Sensores. Introdução Sistemas Sensores 5ª Aulas Introdução O sol foi citado como sendo uma fonte de energia ou radiação. O sol é uma fonte muito consistente de energia para o sensoriamento remoto (REM). REM interage com os

Leia mais

Julio Ricardo Lisboa de Aragão Egidio Arai Fernando Yuzo Sato Márcio de Morisson Valeriano Yosio Edemir Shimabukuro

Julio Ricardo Lisboa de Aragão Egidio Arai Fernando Yuzo Sato Márcio de Morisson Valeriano Yosio Edemir Shimabukuro Ferramenta QLMODIS para rápida visualização e seleção de produtos MODLAND Julio Ricardo Lisboa de Aragão Egidio Arai Fernando Yuzo Sato Márcio de Morisson Valeriano Yosio Edemir Shimabukuro Instituto Nacional

Leia mais

GERAÇÃO AUTOMÁTICA DE PRODUTOS DERIVADOS DE IMAGENS AVHRR-NOAA NO AGRITEMPO

GERAÇÃO AUTOMÁTICA DE PRODUTOS DERIVADOS DE IMAGENS AVHRR-NOAA NO AGRITEMPO GERAÇÃO AUTOMÁTICA DE PRODUTOS DERIVADOS DE IMAGENS AVHRR-NOAA NO AGRITEMPO JOÃO FRANCISCO GONÇALVES ANTUNES 1, JÚLIO CÉSAR D. M. ESQUERDO 2 1 Matemático, Pesquisador, Embrapa Informática Agropecuária,

Leia mais

USO DA TÉCNICA DE ANALISE POR COMPONENTE PRINCIPAL NA DETECÇÃO DE MUDANÇAS NA COBERTURA DO SOLO

USO DA TÉCNICA DE ANALISE POR COMPONENTE PRINCIPAL NA DETECÇÃO DE MUDANÇAS NA COBERTURA DO SOLO Samuel da Silva Farias, Graduando do curso de geografia da UFPE samuel.farias763@gmail.com Rafhael Fhelipe de Lima Farias, Mestrando do PPGEO/UFPE, rafhaelfarias@hotmail.com USO DA TÉCNICA DE ANALISE POR

Leia mais

LANDSAT-8: Download de imagens através dos sites Earth Explorer e GLOVIS

LANDSAT-8: Download de imagens através dos sites Earth Explorer e GLOVIS LANDSAT-8: Download de imagens através dos sites Earth Explorer e GLOVIS 2013 LANDSAT-8: Informações para Novos Usuários de Imagens Licença: As imagens Landsat-8 são gratuitas; Download: Para baixar imagens

Leia mais

MAPEAMENTO DA COBERTURA VEGETAL DE ÁREAS DE GRANDE EXTENSÃO ATRAVÉS DE MOSAICOS DE IMAGENS DO NOAA-AVHRR

MAPEAMENTO DA COBERTURA VEGETAL DE ÁREAS DE GRANDE EXTENSÃO ATRAVÉS DE MOSAICOS DE IMAGENS DO NOAA-AVHRR MAPEAMENTO DA COBERTURA VEGETAL DE ÁREAS DE GRANDE EXTENSÃO ATRAVÉS DE MOSAICOS DE IMAGENS DO NOAA-AVHRR Maria G. Almeida 1, Bernardo F. T. Rudorff 2, Yosio E. Shimabukuro 2 graca@dppg.cefetmg.br, bernardo@ltid.inpe.br,

Leia mais

ANÁLISE TEMPORAL DE ÍNDICES DE VEGETAÇÃO UTILIZANDO TÉCNICAS DE SENSORIAMENTO REMOTO. lidiane.geo@gmail.com

ANÁLISE TEMPORAL DE ÍNDICES DE VEGETAÇÃO UTILIZANDO TÉCNICAS DE SENSORIAMENTO REMOTO. lidiane.geo@gmail.com ANÁLISE TEMPORAL DE ÍNDICES DE VEGETAÇÃO UTILIZANDO TÉCNICAS DE SENSORIAMENTO REMOTO Lidiane Cristina Félix Gomes 1, Glauciene Justino Ferreira da Silva 2, Alexandra Lima Tavares 3 1 Mestranda da Universidade

Leia mais

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE. Correção geométrica de imagens

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE. Correção geométrica de imagens Correção geométrica de imagens O georreferenciamento descreve a relação entre os parâmetros de localização dos objetos no espaço da imagem e no sistema de referência, transformando as coordenadas de cada

Leia mais

Mundo GEO#Connect LatinAmerica 29 a 31 de maio de 2012

Mundo GEO#Connect LatinAmerica 29 a 31 de maio de 2012 Mundo GEO#Connect LatinAmerica 29 a 31 de maio de 2012 Curso Introdução ao Sensoriamento Remoto Exercícios Práticos Equipe Técnica Docente: Dr. Luiz Eduardo Vicente Analistas: Ms. Daniel Gomes Ms. Gustavo

Leia mais

Imagens de Satélite (características):

Imagens de Satélite (características): Imagens de Satélite (características): São captadas por sensores electro ópticos que registam a radiação electromagnética reflectida e emitida pelos objectos que se encontram à superfície da terra através

Leia mais

IMAGENS DE SATÉLITE PROF. MAURO NORMANDO M. BARROS FILHO

IMAGENS DE SATÉLITE PROF. MAURO NORMANDO M. BARROS FILHO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE TECNOLOGIA E RECURSOS HUMANOS UNIDADE ACADÊMICA DE ENGENHARIA CIVIL IMAGENS DE SATÉLITE PROF. MAURO NORMANDO M. BARROS FILHO Sumário 1. Conceitos básicos

Leia mais

Aula 1 Professor Waterloo Pereira Filho Docentes orientados: Daniela Barbieri Felipe Correa

Aula 1 Professor Waterloo Pereira Filho Docentes orientados: Daniela Barbieri Felipe Correa Princípios Físicos do Sensoriamento Remoto Aula 1 Professor Waterloo Pereira Filho Docentes orientados: Daniela Barbieri Felipe Correa O que é Sensoriamento Remoto? Utilização conjunta de sensores, equipamentos

Leia mais

A Deteção Remota como um instrumento de gestão e apoio à decisão. 13 de Março 2012

A Deteção Remota como um instrumento de gestão e apoio à decisão. 13 de Março 2012 A Detecção Remota como instrumento de monitorização de saúde pública Diogo Ayres Sampaio, Departamento de Geociências, Ambiente e Ordenamento do Território, FCUP A Deteção Remota como um instrumento de

Leia mais

ANÁLISE DE QUATRO ANOS DO BANCO DE IMAGENS NOAA14-AVHRR DO ESTADO DE SÃO PAULO J ANSLE VIEIRA ROCHA RUBENS LAMPARELLI

ANÁLISE DE QUATRO ANOS DO BANCO DE IMAGENS NOAA14-AVHRR DO ESTADO DE SÃO PAULO J ANSLE VIEIRA ROCHA RUBENS LAMPARELLI ANÁLISE DE QUATRO ANOS DO BANCO DE IMAGENS NOAA14-AVHRR DO ESTADO DE SÃO PAULO RENATO FRANCISCO DOS SANTOS J UNIOR 1 1 RICARDO GIACOMELLO VALMIR M ASSAFERA J UNIOR 1 J 2 URANDIR ZULLO J UNIOR 1 J ANSLE

Leia mais

Sensoriamento Remoto

Sensoriamento Remoto Sensoriamento Remoto 1. Obtenção de imagens matriciais (raster) Imagens raster podem ser obtidas de várias formas: Aerofotogrametria Fotos aéreas obtidas através do sobrevoo da área de interesse por aeronaves

Leia mais

ÍNDICES DE VEGETAÇÃO NDVI E EVI, IAF E FPAR DA CANOLA A PARTIR DE IMAGENS DO SATÉLITE MODIS.

ÍNDICES DE VEGETAÇÃO NDVI E EVI, IAF E FPAR DA CANOLA A PARTIR DE IMAGENS DO SATÉLITE MODIS. ÍNDICES DE VEGETAÇÃO NDVI E EVI, IAF E FPAR DA CANOLA A PARTIR DE IMAGENS DO SATÉLITE MODIS. Daniele G. Pinto 1, Matheus B. Vicari 2, Denise C. Fontana 3, Genei A. Dalmago 4, Gilberto R. da Cunha 5, Jorge

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES. Versão 1.0 Data 15/09/2015

PERGUNTAS FREQUENTES. Versão 1.0 Data 15/09/2015 PERGUNTAS FREQUENTES Versão 1.0 Data 15/09/2015 1. O que é S-NPP? S-NPP (Suomi-National Polar-orbiting Partnership) é o primeiro da nova geração de satélites de órbita polar da série JPSS (Joint Polar

Leia mais

INCORPORAÇÃO DE IMAGENS AVHRR NO MODELO ITPP5.0 PARA CLASSIFICAÇÃO DE PADRÕES DE NEBULOSIDADE

INCORPORAÇÃO DE IMAGENS AVHRR NO MODELO ITPP5.0 PARA CLASSIFICAÇÃO DE PADRÕES DE NEBULOSIDADE INCORPORAÇÃO DE IMAGENS AVHRR NO MODELO ITPP5.0 PARA CLASSIFICAÇÃO DE PADRÕES DE NEBULOSIDADE Jorge Luiz Martins Nogueira Nelson Jesus Ferreira Eduardo Jorge de Brito Bastos Ana Silvia Martins Serra do

Leia mais

AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens. 5.1 Importando Grades e Imagens Interface Simplificada

AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens. 5.1 Importando Grades e Imagens Interface Simplificada 5.1 AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens Nessa aula serão apresentadas algumas funcionalidades do TerraView relativas à manipulação de dados matriciais. Como dados matriciais são entendidas

Leia mais

INSTITUTO DE PESQUISA E ESTRATÉGIA ECONÔMICA DO CEARÁ (IPECE) NOTA TÉCNICA Nº 43

INSTITUTO DE PESQUISA E ESTRATÉGIA ECONÔMICA DO CEARÁ (IPECE) NOTA TÉCNICA Nº 43 GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DO PLANEJAMENTO E GESTÃO (SEPLAG) INSTITUTO DE PESQUISA E ESTRATÉGIA ECONÔMICA DO CEARÁ (IPECE) NOTA TÉCNICA Nº 43 AQUISIÇÃO, TRATAMENTO E DISPONIBILIZAÇÃO DE IMAGENS

Leia mais

AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens. 5.1 Importando Grades e Imagens Interface Simplificada

AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens. 5.1 Importando Grades e Imagens Interface Simplificada 5.1 AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens Nessa aula serão apresentadas algumas funcionalidades do TerraView relativas a manipulação de dados matriciais. Como dados matriciais são entendidas

Leia mais

ESTUDO DE CASO: ÍNDICE DE UMIDADE DO SOLO UTILIZANDO IMAGENS DO SENSOR MODIS PARA O MUNICÍPIO DE BELEM DO SÃO FRANCISCO, PE

ESTUDO DE CASO: ÍNDICE DE UMIDADE DO SOLO UTILIZANDO IMAGENS DO SENSOR MODIS PARA O MUNICÍPIO DE BELEM DO SÃO FRANCISCO, PE ESTUDO DE CASO: ÍNDICE DE UMIDADE DO SOLO UTILIZANDO IMAGENS DO SENSOR MODIS PARA O MUNICÍPIO DE BELEM DO SÃO FRANCISCO, PE Pabrício Marcos Oliveira Lopes 1, Glawber Spíndola Saraiva de Moura 2 1 Prof.

Leia mais

AQUISIÇÃO DE IMAGENS DE SATÉLITE DE ALTA RESOLUÇÃO ESPACIAL PARA A REGIÃO DO MUNICÍPIO DE ROSÁRIO DO SUL - RS

AQUISIÇÃO DE IMAGENS DE SATÉLITE DE ALTA RESOLUÇÃO ESPACIAL PARA A REGIÃO DO MUNICÍPIO DE ROSÁRIO DO SUL - RS TERMO DE REFERENCIA AQUISIÇÃO DE IMAGENS DE SATÉLITE DE ALTA RESOLUÇÃO ESPACIAL AQUISIÇÃO DE IMAGENS DE SATÉLITE DE ALTA RESOLUÇÃO ESPACIAL PARA A REGIÃO DO MUNICÍPIO DE ROSÁRIO DO SUL - RS 1. Objetivos.

Leia mais

4 MATERIAL. O material utilizado para a realização deste estudo consiste de:

4 MATERIAL. O material utilizado para a realização deste estudo consiste de: O material utilizado para a realização deste estudo consiste de: 1) - Imagens de satélite Landsat MSS, TM e ETM+; 2) - Cartas produzidas pela Junta de Investigações do Ultramar (JIU, 1962-1963); mapa de

Leia mais

Introdução ao Sensoriamento Remoto. Sensoriamento Remoto

Introdução ao Sensoriamento Remoto. Sensoriamento Remoto Introdução ao Sensoriamento Remoto Sensoriamento Remoto Definição; Breve Histórico; Princípios do SR; Espectro Eletromagnético; Interação Energia com a Terra; Sensores & Satélites; O que é Sensoriamento

Leia mais

INFLUÊNCIA DA OCUPAÇÃO URBANA NO MEIO AMBIENTE DA PLANÍCIE COSTEIRA DO CAMPECHE SC, COM O USO DE GEOPROCESSAMENTO

INFLUÊNCIA DA OCUPAÇÃO URBANA NO MEIO AMBIENTE DA PLANÍCIE COSTEIRA DO CAMPECHE SC, COM O USO DE GEOPROCESSAMENTO INFLUÊNCIA DA OCUPAÇÃO URBANA NO MEIO AMBIENTE DA PLANÍCIE COSTEIRA DO CAMPECHE SC, COM O USO DE GEOPROCESSAMENTO PROFª MSC. MARIANE ALVES DAL SANTO MAURICIO SILVA Laboratório de Geoprocessamento - GeoLab

Leia mais

Extração de Séries Temporais de Imagens de Satélite para Monitoramento de Safras Agrícolas e de Dados Climáticos

Extração de Séries Temporais de Imagens de Satélite para Monitoramento de Safras Agrícolas e de Dados Climáticos Extração de Séries Temporais de Imagens de Satélite para Monitoramento de Safras Agrícolas e de Dados Climáticos Daniel Y. T. Chino 1, Luciana A. S. Romani 1,2, Agma J. M. Traina 1 1 Instituto de Ciências

Leia mais

Uso de geotecnologias no monitoramento de sistemas de integração lavourapecuária- floresta

Uso de geotecnologias no monitoramento de sistemas de integração lavourapecuária- floresta Uso de geotecnologias no monitoramento de sistemas de integração lavourapecuária- floresta Sistemas de integração lavoura pecuária- floresta: a produção sustentável Sistemas de produção em inte ra ão Atualmente

Leia mais

UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 3 RESTAURAÇÃO DE IMAGENS

UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 3 RESTAURAÇÃO DE IMAGENS UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 3 RESTAURAÇÃO DE IMAGENS Qualquer tipo de tratamento de imagens deve ser efetuado antes de seu registro, ou seja, com a imagem original. As imagens CBERS aparecem com aspecto

Leia mais

Base de Dados para Uso em Projetos de Geologia

Base de Dados para Uso em Projetos de Geologia GE804 - SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GEO-REFERENCIADAS Turma A - DIURNO Base de Dados para Uso em Projetos de Geologia Prof. Dr. Carlos Roberto de Souza Filho (DGRN/IG/UNICAMP) Fontes de Dados Públicos para

Leia mais

VISÃO GERAL DOS APLICATIVOS PARA METEOROLOGIA ACM01

VISÃO GERAL DOS APLICATIVOS PARA METEOROLOGIA ACM01 Campus de Florianópolis Departamento Acadêmico de Saúde e Serviços Curso Técnico de Meteorologia Módulo 3: Sistema de Informação Meteorológica Eixo Temático: Aplicativos Computacionais para Meteorologia

Leia mais

Seminário Disciplina de Fotointepretação. Bruno Beust - João Paulo

Seminário Disciplina de Fotointepretação. Bruno Beust - João Paulo Seminário Disciplina de Fotointepretação Bruno Beust - João Paulo Prof. Dr. Getulio T. Batista 2 o Bimestre de 2004 Histórico Julho de 1988 um acordo de parceria envolvendo o INPE (Instituto Nacional de

Leia mais

ABSTRACT 1. INTRODUÇÃO

ABSTRACT 1. INTRODUÇÃO MONITORAMENTO DE NUVENS DE GELO E DE ÁGUA LÍQUIDA SUPER-RESFRIADA SOBRE AS REGIÕES SUL E SUDESTE DO BRASIL UTILIZANDO-SE IMAGENS MULTIESPECTRAIS DO GOES-8 Nelson Jesus Ferreira Cláudia Cristina dos Santos

Leia mais

Variabilidade temporal de índice de vegetação NDVI e sua conexão com o clima: Biomas Caatinga Brasileira e Savana Africana

Variabilidade temporal de índice de vegetação NDVI e sua conexão com o clima: Biomas Caatinga Brasileira e Savana Africana Variabilidade temporal de índice de vegetação NDVI e sua conexão com o clima: Biomas Caatinga Brasileira e Savana Africana Humberto Alves Barbosa 1, Ivon Wilson da Silva Júnior 2 1 PhD, LAPIS/UFAL Maceió

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DE QUEIMADAS NOS CAMPOS DE CIMA DA SERRA, RS, ATRAVÉS DOS ÍNDICES NDVI E NBR INTRODUÇÃO

IDENTIFICAÇÃO DE QUEIMADAS NOS CAMPOS DE CIMA DA SERRA, RS, ATRAVÉS DOS ÍNDICES NDVI E NBR INTRODUÇÃO IDENTIFICAÇÃO DE QUEIMADAS NOS CAMPOS DE CIMA DA SERRA, RS, ATRAVÉS DOS ÍNDICES NDVI E NBR BRUNO DEPRÁ¹ DINIZ CARVALHO DE ARRUDA¹ TATIANA MORA KUPLICH² Universidade Federal de Santa Maria-UFSM¹ Instituto

Leia mais

thomasmcz@hotmail.com 2 Doutor Prof. Instituto de Ciências Atmosféricas, ICAT/UFAL, email: dimas.barros91@hotmail.com

thomasmcz@hotmail.com 2 Doutor Prof. Instituto de Ciências Atmosféricas, ICAT/UFAL, email: dimas.barros91@hotmail.com ANÁLISE PRELIMINAR DA ESTIMATIVA DA TEMPERATURA E ALBEDO DE SUPERFÍCIE PARA MICRORREGIÃO DO BAIXO SÃO FRANCISCO NOS ESTADOS DE ALAGOAS E SERGIPE, UTILIZANDO O SENSOR TM DO LANDSAT 5 E O ALGORITMO SEBAL.

Leia mais

Sistema de Processamento de Imagens CBERS. III EUsISSeR. 22 a 24 de outubro de 2003

Sistema de Processamento de Imagens CBERS. III EUsISSeR. 22 a 24 de outubro de 2003 Sistema de Processamento de Imagens CBERS III EUsISSeR 22 a 24 de outubro de 2003 Paulo Eduardo Neves neves@gisplan.com.br GISPLAN Tecnologia da Geoinformação www.gisplan.com.br Histórico Histórico 1973

Leia mais

UM SISTEMA BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO ORBITAL DEDICADO À QUESTÃO DAS QUEIMADAS?

UM SISTEMA BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO ORBITAL DEDICADO À QUESTÃO DAS QUEIMADAS? UM SISTEMA BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO ORBITAL DEDICADO À QUESTÃO DAS QUEIMADAS? RAIMUNDO ALMEIDA-FILHO INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais Caixa Postal 515-12227-970 - São José dos

Leia mais

ANÁLISE DE ÁREAS DEGRADADAS NO MUNICÍPIO DE ILHA SOLTEIRA - SP, UTILIZANDO IMAGENS DO SENSOR TM LANDAST 5

ANÁLISE DE ÁREAS DEGRADADAS NO MUNICÍPIO DE ILHA SOLTEIRA - SP, UTILIZANDO IMAGENS DO SENSOR TM LANDAST 5 ANÁLISE DE ÁREAS DEGRADADAS NO MUNICÍPIO DE ILHA SOLTEIRA - SP, UTILIZANDO IMAGENS DO SENSOR TM LANDAST 5 Fabiano Barbosa dos Santos 1, Heliofábio Barros Gomes 2, Lucas Barbosa Cavalcante 3, Maurílio Neemias

Leia mais

PROCESSAMENTO DOS DADOS AVHRR DO SATÉLITE NOAA E APLICAÇÃO SOBRE A REGIÃO SUL DO BRASIL. Leonid Bakst Yoshihiro Yamazaki

PROCESSAMENTO DOS DADOS AVHRR DO SATÉLITE NOAA E APLICAÇÃO SOBRE A REGIÃO SUL DO BRASIL. Leonid Bakst Yoshihiro Yamazaki PROCESSAMENTO DOS DADOS AVHRR DO SATÉLITE NOAA E APLICAÇÃO SOBRE A REGIÃO SUL DO BRASIL Leonid Bakst Yoshihiro Yamazaki Universidade Federal de Pelotas - UFPel Centro de Pesquisas Meteorológicas CPMet

Leia mais

Web Treinamento EUMETCast

Web Treinamento EUMETCast Web Treinamento EUMETCast O que é o sistema EUMETCast Américas? Como fazer para adquirir uma estação de recepção EUMETCast? Quais dados são recebidos na estação, e que produtos podem ser gerados? Estação

Leia mais

QGIS 2.4 Sistemas de Referência de Coordenadas (SRC)

QGIS 2.4 Sistemas de Referência de Coordenadas (SRC) QGIS 2.4 Sistemas de Referência de Coordenadas (SRC) Jorge Santos 2014 Conteúdo Sumário Capítulo 1... 3 Introdução... 3 1.1 Referência Espacial... 3 1.2 Sistema de Referência de Coordenadas (SRC)...3 1.3

Leia mais

Sensoriamento Remoto

Sensoriamento Remoto Sensoriamento Remoto É a utilização conjunta de modernos sensores, equipamentos para processamento de dados, equipamentos de transmissão de dados, aeronaves, espaçonaves etc, com o objetivo de estudar

Leia mais

Para que um sensor possa coletar e registrar a energia refletida ou emitida por um objeto ou superfície, ele tem que estar instalado em uma

Para que um sensor possa coletar e registrar a energia refletida ou emitida por um objeto ou superfície, ele tem que estar instalado em uma Sensores e Satélites Para que um sensor possa coletar e registrar a energia refletida ou emitida por um objeto ou superfície, ele tem que estar instalado em uma plataforma estável à distância do objeto

Leia mais

Iniciação em Sensoriamento Remoto

Iniciação em Sensoriamento Remoto Iniciação em Sensoriamento Remoto as mais indicadas no mapeamento do relevo. Para áreas de densa cobertura vegetal, como a floresta Amazônica, recomenda-se selecionar imagens do infravermelho próximo e

Leia mais

SENSORIAMENTO REMOTO NO USO DO SOLO

SENSORIAMENTO REMOTO NO USO DO SOLO SENSORIAMENTO REMOTO NO USO DO SOLO Ana Luiza Bovoy Jônatas de Castro Gonçalves Thiemi Igarashi Vinicius Chequer e Silva LEVANTAMENTO DA COBERTURA VEGETAL ATRAVÉS DE PRODUTOS DE SENSORIAMENTO REMOTO NAS

Leia mais

(QUERCUS ROTUNDIFOLIA E QUERCUS SUBER)

(QUERCUS ROTUNDIFOLIA E QUERCUS SUBER) INVENTÁRIO DE BIOMASSA FLORESTAL COM IMAGENS DE SATÉLITE DE ALTA RESOLUÇÃO ESPACIAL (QUERCUS ROTUNDIFOLIA E QUERCUS SUBER) Adélia M. O. de Sousa José R. Marques da Silva Ana Cristina Gonçalves Paulo A.

Leia mais

Introdução ao Sensoriamento Remoto

Introdução ao Sensoriamento Remoto Introdução ao Sensoriamento Remoto Cachoeira Paulista, 24 a 28 novembro de 2008 Bernardo Rudorff Pesquisador da Divisão de Sensoriamento Remoto Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE Sensoriamento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO - UFES CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E NATURAIS CCHN DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA DEFESA DE MONOGRAFIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO - UFES CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E NATURAIS CCHN DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA DEFESA DE MONOGRAFIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO - UFES CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E NATURAIS CCHN DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA DEFESA DE MONOGRAFIA Evolução temporal e espacial do uso e ocupação do solo para os anos

Leia mais

VARIABILIDADE ESPAÇO TEMPORAL DO IVDN NO MUNICIPIO DE ÁGUAS BELAS-PE COM BASE EM IMAGENS TM LANDSAT 5

VARIABILIDADE ESPAÇO TEMPORAL DO IVDN NO MUNICIPIO DE ÁGUAS BELAS-PE COM BASE EM IMAGENS TM LANDSAT 5 VARIABILIDADE ESPAÇO TEMPORAL DO IVDN NO MUNICIPIO DE ÁGUAS BELAS-PE COM BASE EM IMAGENS TM LANDSAT 5 Maurílio Neemias dos Santos 1, Heliofábio Barros Gomes 1,, Yasmim Uchoa da Silva 1, Sâmara dos Santos

Leia mais

Sites de produtos gratuitos utilizados no curso de ArcGis

Sites de produtos gratuitos utilizados no curso de ArcGis Sites de produtos gratuitos utilizados no curso de ArcGis Sites visitados em 01/10/09 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Link: http://www.ibge.gov.br/home/ O IBGE disponibiliza alguns

Leia mais

Humidade no solo. Departamento de Física 2011 Detecção Remota Pratica III. Joao Gonçalo Ricardo Rodrigues - 45365

Humidade no solo. Departamento de Física 2011 Detecção Remota Pratica III. Joao Gonçalo Ricardo Rodrigues - 45365 Humidade no solo Departamento de Física 2011 Detecção Remota Pratica III Joao Gonçalo Ricardo Rodrigues - 45365 Índice Introdução Da observação aos produtos Conclusões Complicações na obtenção de dados

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS ATMOSFÉRICAS COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM METEOROLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS ATMOSFÉRICAS COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM METEOROLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS ATMOSFÉRICAS COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM METEOROLOGIA MAPEAMENTO DA ESTIMATIVA DO SALDO DE RADIAÇÃO INSTANTÂNEA NO MÉDIO SÃO FRANCISCO COM BASE

Leia mais

Monitoramento da Vegetação do Estado da Paraíba nos Anos 2008 e 2009

Monitoramento da Vegetação do Estado da Paraíba nos Anos 2008 e 2009 Monitoramento da Vegetação do Estado da Paraíba nos Anos 2008 e 2009 Leonardo F. Ponciano Barbieri¹, Célia Campos Braga², Leandro F. de Sousa³ 1,2,3 Universidade Federal de Campina Grande UFCG Rua Aprígio

Leia mais

TIPOS DE OBSERVAÇÕES E O CONTROLE DE QUALIDADE UTILIZADO NA ASSIMILAÇÃO DE DADOS NO CPTEC/INPE

TIPOS DE OBSERVAÇÕES E O CONTROLE DE QUALIDADE UTILIZADO NA ASSIMILAÇÃO DE DADOS NO CPTEC/INPE TIPOS DE OBSERVAÇÕES E O CONTROLE DE QUALIDADE UTILIZADO NA ASSIMILAÇÃO DE DADOS NO CPTEC/INPE Rita Valéria Andreoli, Dirceu Luis Herdies, Rodrigo Augusto F. de Souza, Luiz Fernando Sapucci, José Antonio

Leia mais

Avaliação da qualidade radiométrica das imagens do satélite CBERS-2B. Érica Josiane Coelho Gouvêa Leila Maria Garcia Fonseca

Avaliação da qualidade radiométrica das imagens do satélite CBERS-2B. Érica Josiane Coelho Gouvêa Leila Maria Garcia Fonseca Avaliação da qualidade radiométrica das imagens do satélite CBERS-2B Érica Josiane Coelho Gouvêa Leila Maria Garcia Fonseca Instituto acional de Pesquisas Espaciais - IPE Caixa Postal 515-12245-970 - São

Leia mais

Sensoriamento Remoto Práticas Avançadas para Processamento Digital de Imagens Orbitais

Sensoriamento Remoto Práticas Avançadas para Processamento Digital de Imagens Orbitais Sensoriamento Remoto Práticas Avançadas para Processamento Digital de Imagens Orbitais Jorge Pereira Santos 1ª versão - 2013 Processamento Digital Geotecnologias e Software Livre www.processamentodigital.com.br

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO PRELIMINAR DE NUVENS UTILIZANDO IMAGENS AVHRR DO SATÉLITE NOAA-14 ABSTRACT

CLASSIFICAÇÃO PRELIMINAR DE NUVENS UTILIZANDO IMAGENS AVHRR DO SATÉLITE NOAA-14 ABSTRACT CLASSIFICAÇÃO PRELIMINAR DE NUVENS UTILIZANDO IMAGENS AVHRR DO SATÉLITE NOAA-14 JOSÉ RICARDO DE ALMEIDA FRANÇA * E RICARDO RAPOSO DOS SANTOS 1 UFRJ-IGEO - Departamento de Meteorologia Av. Brigadeiro Trompowsky

Leia mais

ArcGIS: Rescale em Batch, Composição Colorida RGB e Fusão de Imagens Landsat-8

ArcGIS: Rescale em Batch, Composição Colorida RGB e Fusão de Imagens Landsat-8 ArcGIS: Rescale em Batch, Composição Colorida RGB e Fusão de Imagens Landsat-8 2013 LANDSAT-8: Informações para Novos Usuários de Imagens Licença: As imagens Landsat-8 são gratuitas; Download: Para baixar

Leia mais

MONITORAMENTO DA COBERTURA FLORESTAL DA AMAZÔNIA POR SATÉLITES

MONITORAMENTO DA COBERTURA FLORESTAL DA AMAZÔNIA POR SATÉLITES MONITORAMENTO DA COBERTURA FLORESTAL DA AMAZÔNIA POR SATÉLITES INPE COORDENAÇÃO GERAL DE OBSERVAÇÃO DA TERRA SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, 20 DE JUNHO DE 2008 SISTEMA DE DETECÇÃO D0 DESMATAMENTO EM TEMPO REAL NA

Leia mais

VALIDAÇÃO DO ALBEDO DA SUPERFÍCIE TERRESTRE OBTIDO A PARTIR DE IMAGENS DO SENSOR MODIS EM ÁREA DE CAATINGA

VALIDAÇÃO DO ALBEDO DA SUPERFÍCIE TERRESTRE OBTIDO A PARTIR DE IMAGENS DO SENSOR MODIS EM ÁREA DE CAATINGA VALIDAÇÃO DO ALBEDO DA SUPERFÍCIE TERRESTRE OBTIDO A PARTIR DE IMAGENS DO SENSOR MODIS EM ÁREA DE CAATINGA Ana Paula Martins do Amaral Cunha 1, Vanessa Canavesi 2, Rita Márcia da Silva Pinto Vieira 1,

Leia mais

Sistemas de Informação Geográfica Aplicados

Sistemas de Informação Geográfica Aplicados Sistemas de Informação Geográfica Aplicados Exercício 4 A região de Pombal é conhecida pela presença de argilas especiais negras e cinzentas com parâmetros químicos e mineralógicos que lhe conferem grande

Leia mais

Análise da Resposta Espacial e Radiométrica dos Dados MOD09 nos Diferentes Ângulos de Visada

Análise da Resposta Espacial e Radiométrica dos Dados MOD09 nos Diferentes Ângulos de Visada Análise da Resposta Espacial e Radiométrica dos Dados MOD9 nos Diferentes Ângulos de Visada Ramon Morais de Freitas Yosio Edemir Shimabukuro Alexandre Cândido Xavier Evlyn Marcia Leão de Moraes Novo Instituto

Leia mais

Dados para mapeamento

Dados para mapeamento Dados para mapeamento Existem dois aspectos com relação aos dados: 1. Aquisição dos dados para gerar os mapas 2. Uso do mapa como fonte de dados Os métodos de aquisição de dados para o mapeamento divergem,

Leia mais

Engenharia Civil Topografia e Geodésia. Curso Técnico em Edificações Topografia GEODÉSIA

Engenharia Civil Topografia e Geodésia. Curso Técnico em Edificações Topografia GEODÉSIA e Geodésia GEODÉSIA e Geodésia GEODÉSIA O termo Geodésia, em grego Geo = terra, désia = 'divisões' ou 'eu divido', foi usado, pela primeira vez, por Aristóteles (384-322 a.c.), e pode significar tanto

Leia mais

COMPARAÇÃO TABULAR DA EXPANSÃO URBANA DOS MUNICÍPIOS DE ITAPEMA, PORTO BELO E BOMBINHAS EM SANTA CATARINA, BRASIL, NO PERÍODO DE 1985 A 2002.

COMPARAÇÃO TABULAR DA EXPANSÃO URBANA DOS MUNICÍPIOS DE ITAPEMA, PORTO BELO E BOMBINHAS EM SANTA CATARINA, BRASIL, NO PERÍODO DE 1985 A 2002. COMPARAÇÃO TABULAR DA EXPANSÃO URBANA DOS MUNICÍPIOS DE ITAPEMA, PORTO BELO E BOMBINHAS EM SANTA CATARINA, BRASIL, NO PERÍODO DE 1985 A 2002. Janaina Sant Ana Maia Santos* UFSC - Universidade Federal de

Leia mais

SENSORES REMOTOS. Daniel C. Zanotta 28/03/2015

SENSORES REMOTOS. Daniel C. Zanotta 28/03/2015 SENSORES REMOTOS Daniel C. Zanotta 28/03/2015 ESTRUTURA DE UM SATÉLITE Exemplo: Landsat 5 COMPONENTES DE UM SATÉLITE Exemplo: Landsat 5 LANÇAMENTO FOGUETES DE LANÇAMENTO SISTEMA SENSOR TIPOS DE SENSORES

Leia mais

Documentos. ISSN 0103-78110 Dezembro, 2005

Documentos. ISSN 0103-78110 Dezembro, 2005 Documentos ISSN 0103-78110 Dezembro, 2005 44 Processamento de Imagens de Sensoriamento Remoto: Tutorial Básico República Federativa do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva Presidente Ministério da Agricultura,

Leia mais

Processamento de Imagem. Prof. Herondino

Processamento de Imagem. Prof. Herondino Processamento de Imagem Prof. Herondino Sensoriamento Remoto Para o Canada Centre for Remote Sensing - CCRS (2010), o sensoriamento remoto é a ciência (e em certa medida, a arte) de aquisição de informações

Leia mais

USO DO GEOPROCESSAMENTO NO MONITORAMENTO DO SETOR AGRÍCOLA PARA FINS TRIBUTÁRIOS NA SEFAZ-GO. Geoprocessamento

USO DO GEOPROCESSAMENTO NO MONITORAMENTO DO SETOR AGRÍCOLA PARA FINS TRIBUTÁRIOS NA SEFAZ-GO. Geoprocessamento USO DO GEOPROCESSAMENTO NO MONITORAMENTO DO SETOR AGRÍCOLA PARA FINS TRIBUTÁRIOS NA SEFAZ-GO Geog.Ms. Maria G. da Silva Barbalho maria-gsb@sefaz.go.gov.br Conceito Disciplina do conhecimento que utiliza

Leia mais

Avaliação da temperatura de superfície terrestre sobre a América do Sul derivada do sensor AMSR-E/Aqua

Avaliação da temperatura de superfície terrestre sobre a América do Sul derivada do sensor AMSR-E/Aqua Anais XV Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto - SBSR, Curitiba, PR, Brasil, 30 de abril a 05 de maio de 2011, INPE p.9181 Avaliação da temperatura de superfície terrestre sobre a América do Sul

Leia mais

Análise comparativa da correção atmosférica de imagem do Landsat 8: o uso do 6S e do ATCOR2

Análise comparativa da correção atmosférica de imagem do Landsat 8: o uso do 6S e do ATCOR2 Análise comparativa da correção atmosférica de imagem do Landsat 8: o uso do 6S e do ATCOR2 Fernanda Silva Soares 1,3 Raissa Kalaf de Almeida 2 Igor Brum Rubim 2 Rafael Silva de Barros 2 Carla Bernadete

Leia mais

Uso de Imagens do Satélite MODIS para o estudo Desastres Naturais

Uso de Imagens do Satélite MODIS para o estudo Desastres Naturais Uso de Imagens do Satélite MODIS para o estudo Desastres Naturais 5 Encontro com Usuários de Imagens de Satélites de Sensoriamento Remoto Manoel de Araújo Sousa Jr. manoel.sousa@crs.inpe.br 5 Encontro

Leia mais

ESTIMATIVA DE NDVI UTILIZANDO IMAGENS DOS SATÉLITES CBERS-2B_CCD, CBERS-2B_WFI E METEOSAT-9_SEVIRI 4

ESTIMATIVA DE NDVI UTILIZANDO IMAGENS DOS SATÉLITES CBERS-2B_CCD, CBERS-2B_WFI E METEOSAT-9_SEVIRI 4 ESTIMATIVA DE NDVI UTILIZANDO IMAGENS DOS SATÉLITES CBERS-2B_CCD, CBERS-2B_WFI E METEOSAT-9_SEVIRI 4 ELIZABETH FERREIRA 1, ANTONIO A. A. DANTAS 2, HUMBERTO A. BARBOSA 3 1 Engenheira Agrícola, Professora

Leia mais

MAPEAMENTO DE CLASSES INTRAURBANAS NO MUNICÍPIO DE CARAGUATATUBA (SP) UTILIZANDO IMAGENS LANDSAT-5 TM E IMAGEM NDBI

MAPEAMENTO DE CLASSES INTRAURBANAS NO MUNICÍPIO DE CARAGUATATUBA (SP) UTILIZANDO IMAGENS LANDSAT-5 TM E IMAGEM NDBI MAPEAMENTO DE CLASSES INTRAURBANAS NO MUNICÍPIO DE CARAGUATATUBA (SP) UTILIZANDO IMAGENS LANDSAT-5 TM E IMAGEM NDBI 1702 Bruna Lahos de Jesus Bacic bruna_lahos@hotmail.com Geografia Bacharelado Universidade

Leia mais

Relações mais harmoniosas de convívio com a natureza; O mundo como um modelo real que necessita de abstrações para sua descrição; Reconhecimento de

Relações mais harmoniosas de convívio com a natureza; O mundo como um modelo real que necessita de abstrações para sua descrição; Reconhecimento de Relações mais harmoniosas de convívio com a natureza; O mundo como um modelo real que necessita de abstrações para sua descrição; Reconhecimento de padrões espaciais; Controle e ordenação do espaço. Técnicas

Leia mais

SPATIAL AND TEMPORAL VARIABILITY OF NET RADIATION ISLAND OF SANTIAGO CAPE VERDE BASED SPECTRAL IMAGES OF MODIS/TERRA

SPATIAL AND TEMPORAL VARIABILITY OF NET RADIATION ISLAND OF SANTIAGO CAPE VERDE BASED SPECTRAL IMAGES OF MODIS/TERRA VARIABILIDADE ESPAÇO TEMPORAL DO BALANÇO DE RADIAÇÃO PARA A ILHA DE SANTIAGO CABO VERDE COM BASE EM IMAGENS DO MODIS/TERRA MADSON T. SILVA 1, DANIELSON J. D. NEVES 2, ARGEMIRO L. ARAUJO 3 & AYOBAMI I.

Leia mais

Análise das componentes do balanço de energia à superfície para a cidade de Manaus- AM a partir de imagens do sensor Landsat 5-TM.

Análise das componentes do balanço de energia à superfície para a cidade de Manaus- AM a partir de imagens do sensor Landsat 5-TM. Análise das componentes do balanço de energia à superfície para a cidade de Manaus- AM a partir de imagens do sensor Landsat 5-TM. Ayobami Iwa Zenabu Badiru Sílvia Cristina de Pádua Andrade Antônio Marcos

Leia mais

6 Geoprocessamento. Daniel de Castro Victoria Edlene Aparecida Monteiro Garçon Bianca Pedroni de Oliveira Gustavo Bayma Silva Daniel Gomes

6 Geoprocessamento. Daniel de Castro Victoria Edlene Aparecida Monteiro Garçon Bianca Pedroni de Oliveira Gustavo Bayma Silva Daniel Gomes 6 Geoprocessamento Daniel de Castro Victoria Edlene Aparecida Monteiro Garçon Bianca Pedroni de Oliveira Gustavo Bayma Silva Daniel Gomes 156 O que é geoprocessamento? Consiste no uso de ferramentas computacionais

Leia mais

Sistema de Informações Geográficas

Sistema de Informações Geográficas UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE Pós Graduação Ecologia e Manejo de Recursos Naturais Sistema de Informações Geográficas Prof. Fabiano Luiz Neris Criciúma, Março de 2011. A IMPORTÂNCIA DO ONDE "Tudo

Leia mais

Manual do Usuário PRODUTOS DE SENSORIAMENTO REMOTO MANUAL DO USUÁRIO 1

Manual do Usuário PRODUTOS DE SENSORIAMENTO REMOTO MANUAL DO USUÁRIO 1 Manual do Usuário PRODUTOS DE SENSORIAMENTO REMOTO MANUAL DO USUÁRIO 1 COORDENADORIA DE OBSERVAÇÃO DA TERRA DIVISÃO DE GERAÇÃO DE IMAGEM MANUAL DO USUÁRIO 2 ÍNDICE PG 1. INTRODUÇÃO.... 03 2. CARACTERÍSTICAS

Leia mais

VII Congresso Interinstitucional de Iniciação Científica CIIC 2013 13 a 15 de agosto de 2013 Campinas, São Paulo

VII Congresso Interinstitucional de Iniciação Científica CIIC 2013 13 a 15 de agosto de 2013 Campinas, São Paulo COMPARAÇÃO ENTRE OS ÍNDICES ESPECTRAIS EVI E EVI 2 PARA DISCRIMINAÇÃO DE PASTAGENS PLANTADAS E NATURAIS Stella Carvalho de Paula¹ a ; Laura Barbosa Vedovato 1a ; Gustavo Bayma Siqueira da Silva 1b ; Luiz

Leia mais

Reinaldo Lúcio Gomide Embrapa Milho e Sorgo

Reinaldo Lúcio Gomide Embrapa Milho e Sorgo DETERMINAÇÃO DA VARIABILIDADE ESPAÇO-TEMPORAL DE DEMANDA HÍDRICA E PRODUTIVIDADE DA ÁGUA EM ESCALA REGIONAL POR MEIO DE TÉCNICAS DE SENSORIAMENTO REMOTO AGRÍCOLA, ASSOCIADAS À MODELAGEM, GEOPROCESSAMENTO

Leia mais