ANÁLISE TEMPORAL DE ÍNDICES DE VEGETAÇÃO UTILIZANDO TÉCNICAS DE SENSORIAMENTO REMOTO.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANÁLISE TEMPORAL DE ÍNDICES DE VEGETAÇÃO UTILIZANDO TÉCNICAS DE SENSORIAMENTO REMOTO. lidiane.geo@gmail.com"

Transcrição

1 ANÁLISE TEMPORAL DE ÍNDICES DE VEGETAÇÃO UTILIZANDO TÉCNICAS DE SENSORIAMENTO REMOTO Lidiane Cristina Félix Gomes 1, Glauciene Justino Ferreira da Silva 2, Alexandra Lima Tavares 3 1 Mestranda da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) - RESUMO: O presente trabalho foi realizado para o município de Patos na Paraíba utilizando técnicas de sensoriamento remoto. Esta região apresenta importantes modificações em seu ambiente natural, ocasionadas pelas ações antrópicas. Foram analisadas as mudanças ocorridas entre os anos 1984 a 2010 na cobertura vegetal desta região, a partir do Índice de Vegetação por Diferença Normalizada IVDN, Índice de Vegetação Ajustado para os Efeitos do Solo IVAS e o Índice de Área Foliar - IAF estimados a partir de dados do sensor TM do LANDSAT 5. Os resultados alcançados apresentaram uma redução nos índices de vegetação ao longo dos anos, além de uma mudança visual na área de abrangência de estudo devido a época do ano em que as imagens foram obtidas, podendo ser percebida a importância da peridiodicidade da precipitação para a vegetação local, bem como o comportamento da mesma na ausência de chuva. Palavras-Chave: vegetação, sensoriamento remoto, meio ambiente. ABSTRACT: This search was developed for the city of Patos, State of Paraiba, using remote sensing techniques. This region presents important changes in its natural environment, caused by human actions. We analyzed the changes between the years 1984 to 2010 on the vegetation of this region, from the index by Normalized Difference Vegetation - INDV, Vegetation Index Adjusted for the Effects of Soil - VIAS and Leaf Area Index - LAI estimated from sensor data from Landsat 5 TM. The results showed a reduction in vegetation indices over the years, and a visual change in the coverage area of study due to the time of the year in which the images were obtained and it can be perceived the importance of periodicity rainfall to the local vegetation, as well as the behavior of the same in the absence of rain. Keywords: vegetation, remote sensing, environment. INTRODUÇÃO As alterações provocadas pela urbanização não planejada e atividades agrícolas inadequadas causam a utilização predatória dos recursos naturais. Isso compromete a qualidade de vida da população e a sustentabilidade dos biomas. E influência, entre outros fatores, na conservação do solo e das nascentes. Desse fato surge a necessidade de estudos dirigidos sobre a vegetação que possibilitem identificar e quantificar este recurso. Partindo desse pressuposto, o

2 Sensoriamento Remoto e as técnicas de processamento digital de imagens são amplamente utilizados para analisar o comportamento da vegetação. Para isso são empregados alguns dos índices mais conhecidos como o NDVI - Índice Normalizado de Diferença da Vegetação, utilizado para monitorar as condições da vegetação e das variabilidades bioclimáticas na superfície terrestre (LIU, 2007), o SAVI (Índice de Vegetação Ajustado ao Solo) e o IAF (Índice de Área Foliar). Os índices podem ser comparados em diferentes épocas permitindo uma análise temporal. Dessa forma, este trabalho visa analisar temporalmente os índices de vegetação no município de Patos-PB, utilizando imagens do satélite LANDSAT 5-TM. O município de Patos-PB, localizado a 07º Latitude Sul e a 37º Longitude Oeste. Está inserido na área geográfica de abrangência do semiárido brasileiro, a uma altitude de 240 m (Ferreira et. al. 2001). O clima de acordo com a classificação de Köppen enquadra-se no tipo Aw' (Quente e úmido com chuvas de verão a outono). A precipitação média está em torno dos 800 mm. METODOLOGIA Foram utilizadas imagens digitais do sensor Thematic Mapper (TM) do satélite Landsat 5, obtidas na órbita 215 e ponto 65, para os dias 17/06/2004 e 28/06/2010, obtidos no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE em formato geotiff com projeção/datum UTM/WGS-84. Serviu como base para a correção geométrica uma imagem ortorretificada obtida no site do Landsat.org. Para o processamento das imagens utilizou-se softwares de Sistemas de Informações Geográficas SIG, Erdas, e para a confecção dos mapas temáticos apresentando os resultados obtidos utilizou se o Arcgis 9.3. O primeiro procedimento no processamento das imagens foi à conversão do formato Tiff para img, sequênciado pela reamostragem de 120 m para 30 m da banda termal, a fusão das sete bandas de cada imagem, também conhecido como empilhamento e o recorte da área de interesse. Para a obtenção da calibração radiométrica, foi aplicado o método proposto por (Markham & Baker, 1987): (1) Em que a i e b i são as radiâncias espectrais mínimas e máximas ( ), ND é a intensidade do pixel e correspondem as bandas (1, 2, 3,... e 7) do satélite Landsat 5 TM. Para a obtenção do produto reflectância foi utilizada a equação proposta por (Bastiaansen, 2000), no qual a reflectância monocromática de cada banda, é definida como a razão adimensional entre o fluxo de radiante refletido e incidente por uma superfície. É obtida segundo a Equação: (2) é a radiância espectral de cada banda, é a irradiância solar espectral de cada banda no topo da atmosfera, Z é o ângulo zenital solar e é o quadrado da razão entre a

3 distância média Terra-Sol e a distância Terra-Sol em dado dia seqüencial do ano (DSA). De posse da imagem de reflectância foi obtido, através da equação 3, o índice de vegetação da diferença normalizada (IVDN) proposto por Rouse et al. (1974). (3) onde ρ 4 e ρ 3 correspondem as bandas 4 e 3 do Lansat -5TM. Outro índice obtidos foi o SAVI, que busca amenizar os efeitos do solo pela expressão: (4) O L é um fator que utiliza-se em função do tipo de solo. Frequentemente é atribuido L= 0,5 como valor constante (Silva et al., 2005). O Índice de Área Foliar (IAF) é um indicador de biomassa, definido pela razão entre a área foliar de toda a vegetação por unidade de área e pode ser obtida pela equação empírica proposta por Allen et al.(2002): (5) RESULTADOS E DISCUSSÃO O Índice de vegetação da diferença normalizada indica a quantidade e as condições da vegetação verde. A Figura 1 apresenta variações ocorridas na cobertura vegetal do solo entre os anos de 1984 a 2010, sendo valores obtidos no intervalo de -1 a 0,85m 2 /m 2. Os valores negativos são atribuídos aos corpos hídricos e foram representados pela cor roxo, em um tom lilás se apresenta o solo exposto e as demais cores foram atribuídos aos tipos e quantidade de vegetação presentes na área de estudo, sendo o tom mais escuro de verde e como maior valor apresentado, em um intervalo de 0,6 a 0,85 m 2 /m 2 refere-se ao maior índice de vegetação presente. A Figura 2 refere-se ao Índice de Vegetação Ajustado para os Efeitos do Solo, com função de reduzir a influência da grande quantidade de solo exposto nos resultados a partir do fator de correção de brilho, apresentando valores variando de -0,38 a 0,8 m 2 /m 2, onde os maiores valores são referentes à presença de vegetação, os menores valores atribuídos aos corpos d água e valores intermediários foram apresentados como solo exposto e a zona urbana. O Índice de área foliar pode ser observado na Figura 3, apresentando uma palheta de cores que compreende o intervalo de 0-6 m2/m2, sendo 0 a ausência de vegetação e 6 o valor máximo onde se apresenta os tipos de vegetação. Percebe se claramente a presença da mata ciliar presente nas margens dos açudes Jatobá e Farinha, como também a vegetação ribeirinha percorrendo a subbacia do rio Espinharas. CONCLUSÃO Pôde-se observar uma redução ao longo dos anos nos índices de vegetação, devido principalmente à ação antrópica. As imagens obtidas foram de diferentes períodos do ano, sendo a de 1984 o fim da estação chuvosa e a mais recente de 2010 o inicio do período de estiagem na

4 região, o que também influenciou a redução brusca na quantidade de vegetação. As análises das imagens de diferentes épocas possibilitaram uma maior compreensão das transformações ocorridas ao longo dos anos. Os índices de vegetação empregados no estudo apresentaram-se altamente efetivos na extração de informações da vegetação existente no município de Patos- PB. O que viabiliza quaisquer medidas de recuperação das áreas degradadas e projetos na busca pelo uso sustentando dos recursos florestais, na tentativa de minimizar e combater os impactos ambientais na região. REFERÊNCIAS Allen, R.; Bastiaanssen, W.; Waters, R.; Tasumi, M.; Trezza, R. Surface energy balance algorithms for land (SEBAL), Idaho implementation - Advanced training and users manual, version 1.0, p. FERREIRA et al. Levantamento e classificação da vegetação nativa do Município de patos, através de sensoriamento remoto e Geoprocessamento. X Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto. Foz do Iguaçu, Liu, H.T.W. Aplicações de Sensoriamento Remoto. Campo Grande: Ed. UNIDERP, p. Markham, B. L.; Barker, L. L. Thematic mapper bandpass solar exoatmospherical irradiances. International Journal of Remote Sensing, v.8, n.3, p , Silva, B. B.; Lopes, G. M.; Azevedo, P. V. Balanço de radiação em áreas irrigadas utilizando imagens Landsat 5 - TM. Revista Brasileira de Meteorologia, v.20, n.2, p , 2005.

5 Figura 1 Mapa temático representando os índices de vegetação normalizada - IVDN para os anos de 1984 e 2010, números 1, 2 e 3 são respectivamente a subbacia do rio Espinharas, o açude Jatobá e o açude Farinha. Figura 2 - Mapa temático representando os índices de vegetação ajustado para efeitos do solo - IVAS para os anos de 1984 e Figura 3 - Mapa temático representando os índices de área foliar - IAF para os anos de 1984 e 2010.

USO DA TÉCNICA DE ANALISE POR COMPONENTE PRINCIPAL NA DETECÇÃO DE MUDANÇAS NA COBERTURA DO SOLO

USO DA TÉCNICA DE ANALISE POR COMPONENTE PRINCIPAL NA DETECÇÃO DE MUDANÇAS NA COBERTURA DO SOLO Samuel da Silva Farias, Graduando do curso de geografia da UFPE samuel.farias763@gmail.com Rafhael Fhelipe de Lima Farias, Mestrando do PPGEO/UFPE, rafhaelfarias@hotmail.com USO DA TÉCNICA DE ANALISE POR

Leia mais

thomasmcz@hotmail.com 2 Doutor Prof. Instituto de Ciências Atmosféricas, ICAT/UFAL, email: dimas.barros91@hotmail.com

thomasmcz@hotmail.com 2 Doutor Prof. Instituto de Ciências Atmosféricas, ICAT/UFAL, email: dimas.barros91@hotmail.com ANÁLISE PRELIMINAR DA ESTIMATIVA DA TEMPERATURA E ALBEDO DE SUPERFÍCIE PARA MICRORREGIÃO DO BAIXO SÃO FRANCISCO NOS ESTADOS DE ALAGOAS E SERGIPE, UTILIZANDO O SENSOR TM DO LANDSAT 5 E O ALGORITMO SEBAL.

Leia mais

VARIABILIDADE ESPAÇO TEMPORAL DO IVDN NO MUNICIPIO DE ÁGUAS BELAS-PE COM BASE EM IMAGENS TM LANDSAT 5

VARIABILIDADE ESPAÇO TEMPORAL DO IVDN NO MUNICIPIO DE ÁGUAS BELAS-PE COM BASE EM IMAGENS TM LANDSAT 5 VARIABILIDADE ESPAÇO TEMPORAL DO IVDN NO MUNICIPIO DE ÁGUAS BELAS-PE COM BASE EM IMAGENS TM LANDSAT 5 Maurílio Neemias dos Santos 1, Heliofábio Barros Gomes 1,, Yasmim Uchoa da Silva 1, Sâmara dos Santos

Leia mais

ANÁLISE DE ÁREAS DEGRADADAS NO MUNICÍPIO DE ILHA SOLTEIRA - SP, UTILIZANDO IMAGENS DO SENSOR TM LANDAST 5

ANÁLISE DE ÁREAS DEGRADADAS NO MUNICÍPIO DE ILHA SOLTEIRA - SP, UTILIZANDO IMAGENS DO SENSOR TM LANDAST 5 ANÁLISE DE ÁREAS DEGRADADAS NO MUNICÍPIO DE ILHA SOLTEIRA - SP, UTILIZANDO IMAGENS DO SENSOR TM LANDAST 5 Fabiano Barbosa dos Santos 1, Heliofábio Barros Gomes 2, Lucas Barbosa Cavalcante 3, Maurílio Neemias

Leia mais

ANÁLISE PRELIMINAR DA ESTIMATIVA DA TEMPERATURA DA SUPERFÍCIE DA ZONA DA MATA DE ALAGOAS UTILIZANDO IMAGENS DO SATÉLITE TM/LANDSAT 5

ANÁLISE PRELIMINAR DA ESTIMATIVA DA TEMPERATURA DA SUPERFÍCIE DA ZONA DA MATA DE ALAGOAS UTILIZANDO IMAGENS DO SATÉLITE TM/LANDSAT 5 ANÁLISE PRELIMINAR DA ESTIMATIVA DA TEMPERATURA DA SUPERFÍCIE DA ZONA DA MATA DE ALAGOAS UTILIZANDO IMAGENS DO SATÉLITE TM/LANDSAT 5 Samuellson Lopes Cabral 1 Alexandre Daniel Santos Ramos de Oliveira

Leia mais

ESTIMATIVA DA TEMPERATURA DE SUPERFÍCIE ATRÁVES DE IMAGENS ORBITAIS

ESTIMATIVA DA TEMPERATURA DE SUPERFÍCIE ATRÁVES DE IMAGENS ORBITAIS ESTIMATIVA DA TEMPERATURA DE SUPERFÍCIE ATRÁVES DE IMAGENS ORBITAIS Jefferson Aparecido Arestides De Melo 1, Heliofabio Barros Gomes 1,Rayonil Gomes Caneiro 2, Dimas De Barros Santiago 1, Carlos Denyson

Leia mais

ESTIMATIVA DO ALBEDO DA SUPERFÍCIE TERRESTRE EM MACEIÓ-AL UTILIZANDO IMAGENS DO SATÉLITE TM/LANDSAT 5

ESTIMATIVA DO ALBEDO DA SUPERFÍCIE TERRESTRE EM MACEIÓ-AL UTILIZANDO IMAGENS DO SATÉLITE TM/LANDSAT 5 ESTIMATIVA DO ALBEDO DA SUPERFÍCIE TERRESTRE EM MACEIÓ-AL UTILIZANDO IMAGENS DO SATÉLITE TM/LANDSAT 5 Taciana Lima Araujo 1, Frederico Tejo Di Pace 2 RESUMO O trabalho proposto estima, mediante dados de

Leia mais

Uso de imagens multiespectrais aplicada à análise espaço-temporal dos padrões de temperatura e albedo da superfície

Uso de imagens multiespectrais aplicada à análise espaço-temporal dos padrões de temperatura e albedo da superfície Anais XV Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto - SBSR, Curitiba, PR, Brasil, 30 de abril a 05 de maio de 2011, INPE p.0776 Uso de imagens multiespectrais aplicada à análise espaço-temporal dos padrões

Leia mais

MAPEAMENTO DA COBERTURA VEGETAL NA SUB-BACIA DO CÓRREGO PINHEIRINHO/BOTUCATU/SP UTILIZANDO O NDVI

MAPEAMENTO DA COBERTURA VEGETAL NA SUB-BACIA DO CÓRREGO PINHEIRINHO/BOTUCATU/SP UTILIZANDO O NDVI MAPEAMENTO DA COBERTURA VEGETAL NA SUB-BACIA DO CÓRREGO PINHEIRINHO/BOTUCATU/SP UTILIZANDO O NDVI MARIA JORGIANA FERREIRA DANTAS 1 JULIANO BOECK SANTOS 2 JOSÉ CARLOS PEZZONI FILHO 3 CÉLIA REGINA LOPES

Leia mais

Madson Tavares Silva 1 Vicente de P. Rodrigues da Silva 1 Stephanny C. F. do Egito Costa 1

Madson Tavares Silva 1 Vicente de P. Rodrigues da Silva 1 Stephanny C. F. do Egito Costa 1 Anais XV Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto - SBSR, Curitiba, PR, Brasil, 30 de abril a 05 de maio de 2011, INPE p.0917 Impactos da urbanização na temperatura e no balanço de radiação à superfície

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA DOS ÍNDICES DE VEGETAÇÃO NDVI E SAVI NA MICRORREGIÃO DO VALE DO PAJEÚ-PE

ANÁLISE COMPARATIVA DOS ÍNDICES DE VEGETAÇÃO NDVI E SAVI NA MICRORREGIÃO DO VALE DO PAJEÚ-PE ANÁLISE COMPARATIVA DOS ÍNDICES DE VEGETAÇÃO NDVI E SAVI NA MICRORREGIÃO DO VALE DO PAJEÚ-PE Heliofábio Barros Gomes 1, Yasmim Uchoa da Silva 1, Maurílio Neemias dos Santos 1, Ricardo Antonio Mollmann

Leia mais

COMPONENTES DO BALANÇO DE ENERGIA ESTIMADOS PELO SEBAL-SURFACE ENERGY BALANCE ALGORITHM FOR LAND - E MEDIDOS EM CAMPO RESUMO

COMPONENTES DO BALANÇO DE ENERGIA ESTIMADOS PELO SEBAL-SURFACE ENERGY BALANCE ALGORITHM FOR LAND - E MEDIDOS EM CAMPO RESUMO COMPONENTES DO BALANÇO DE ENERGIA ESTIMADOS PELO SEBAL-SURFACE ENERGY BALANCE ALGORITHM FOR LAND - E MEDIDOS EM CAMPO 1 José Ferreira da Costa Filho, 2 Bernardo Barbosa da Silva e 2 Pedro Vieira de Azevedo

Leia mais

UNIVESIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLGIA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ATMOSFÉRICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM METEOROLOGA

UNIVESIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLGIA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ATMOSFÉRICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM METEOROLOGA UNIVESIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLGIA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ATMOSFÉRICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM METEOROLOGA Disciplina: Introdução ao sensoriamento remoto por satélite

Leia mais

AVALIAÇÃO DA DINÂMICA DA TEMPERATURA DA SUPERFÍCIE TERRESTRE NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO POR IMAGENS DE SATÉLITE

AVALIAÇÃO DA DINÂMICA DA TEMPERATURA DA SUPERFÍCIE TERRESTRE NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO POR IMAGENS DE SATÉLITE AVALIAÇÃO DA DINÂMICA DA TEMPERATURA DA SUPERFÍCIE TERRESTRE NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO POR IMAGENS DE SATÉLITE Joel Medeiros Bezerra 1 ; Geber Barbosa de Albuquerque Moura 2 ; Glécio Machado Siqueira 3 ;

Leia mais

MundoGEOXperience - Maratona de Ideias Geográficas 07/05/2014

MundoGEOXperience - Maratona de Ideias Geográficas 07/05/2014 MundoGEOXperience - Maratona de Ideias Geográficas 07/05/2014 ANÁLISE DE TÉCNICAS PARA DETECÇÃO DE MUDANÇA UTILIZANDO IMAGENS DO SENSORIAMENTO REMOTO DESLIZAMENTOS EM NOVA FRIBURGO/RJ EM 2011 Trabalho

Leia mais

MAPEAMENTO DE CLASSES INTRAURBANAS NO MUNICÍPIO DE CARAGUATATUBA (SP) UTILIZANDO IMAGENS LANDSAT-5 TM E IMAGEM NDBI

MAPEAMENTO DE CLASSES INTRAURBANAS NO MUNICÍPIO DE CARAGUATATUBA (SP) UTILIZANDO IMAGENS LANDSAT-5 TM E IMAGEM NDBI MAPEAMENTO DE CLASSES INTRAURBANAS NO MUNICÍPIO DE CARAGUATATUBA (SP) UTILIZANDO IMAGENS LANDSAT-5 TM E IMAGEM NDBI 1702 Bruna Lahos de Jesus Bacic bruna_lahos@hotmail.com Geografia Bacharelado Universidade

Leia mais

DETERMINAÇÃO DE ÍNDICES DE VEGETAÇÃO USANDO IMAGENS DE SATÉLITE PARA AGRICULTURA DE PRECISÃO

DETERMINAÇÃO DE ÍNDICES DE VEGETAÇÃO USANDO IMAGENS DE SATÉLITE PARA AGRICULTURA DE PRECISÃO DETERMINAÇÃO DE ÍNDICES DE VEGETAÇÃO USANDO IMAGENS DE SATÉLITE PARA AGRICULTURA DE PRECISÃO Ziany Neiva Brandão (Embrapa Algodão / ziany@cnpa.embrapa.br), Marcus Vinícius Cândido Bezerra (UFCG), Eleusio

Leia mais

Figura 1: Localização geográfica da área de estudo com a composição colorida do sensor TM (R3, G2 e B1).

Figura 1: Localização geográfica da área de estudo com a composição colorida do sensor TM (R3, G2 e B1). MUDANÇA DA PAISAGEM AMAZÔNICA NA ÁREA DO PROJETO DE ASSENTAMENTO DIRIGIDO SANTA LUZIA, EM CRUZEIRO DO SUL, AC Rafael C. DELGADO 1, Leonardo P. de SOUZA 1, Ian W. R. da SILVA 1, Evaldo de P. LIMA 2, Ricardo

Leia mais

XIX SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HIDRÍCOS

XIX SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HIDRÍCOS XIX SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HIDRÍCOS ANÁLISE MULTITEMPORAL DO ALBEDO NO ENTORNO DO RESERVATÓRIO DE ITAPARICA COM AUXÍLIO DE IMAGENS LANDSAT 5-TM Rafaella Chrystiane de Moura Matos 1 & José Roberto

Leia mais

ALBEDO DE SUPERFÍCIE ESTIMADO A PARTIR DE IMAGENS LANDSAT 5 TM EM REGIÃO SEMI-ÁRIDA

ALBEDO DE SUPERFÍCIE ESTIMADO A PARTIR DE IMAGENS LANDSAT 5 TM EM REGIÃO SEMI-ÁRIDA ALBEDO DE SUPERFÍCIE ESTIMADO A PARTIR DE IMAGENS LANDSAT 5 TM EM REGIÃO SEMI-ÁRIDA ANA P. NUNES DA SILVA 1, GEBER BARBOSA DE ALBUQUERQUE MOURA 2, PEDRO R. GIONGO 3 & BERNARDO BARBOSA DA SILVA 4 1 Engenheira

Leia mais

SPATIAL AND TEMPORAL VARIABILITY OF NET RADIATION ISLAND OF SANTIAGO CAPE VERDE BASED SPECTRAL IMAGES OF MODIS/TERRA

SPATIAL AND TEMPORAL VARIABILITY OF NET RADIATION ISLAND OF SANTIAGO CAPE VERDE BASED SPECTRAL IMAGES OF MODIS/TERRA VARIABILIDADE ESPAÇO TEMPORAL DO BALANÇO DE RADIAÇÃO PARA A ILHA DE SANTIAGO CABO VERDE COM BASE EM IMAGENS DO MODIS/TERRA MADSON T. SILVA 1, DANIELSON J. D. NEVES 2, ARGEMIRO L. ARAUJO 3 & AYOBAMI I.

Leia mais

SALDO DE RADIAÇÃO USANDO IMAGENS LANDSAT 5 TM NA AMAZÔNIA (Net radiation Using Landsat 5 TM Imagery in Amazônia)

SALDO DE RADIAÇÃO USANDO IMAGENS LANDSAT 5 TM NA AMAZÔNIA (Net radiation Using Landsat 5 TM Imagery in Amazônia) SALDO DE RADIAÇÃO USANDO IMAGENS LANDSAT 5 TM NA AMAZÔNIA (Net radiation Using Landsat 5 TM Imagery in Amazônia) A. M. Liberato Universidade Federal de Campina Grande, UFCG, Av. Aprígio Veloso, 882, Bodocongó,

Leia mais

OBTENÇÃO DO ALBEDO DE ÁREAS IRRIGADAS E DE VEGETAÇÃO NATIVA EM PETROLINA E VIZINHANÇAS COM IMAGEM LANDSAT 7 - ETM+

OBTENÇÃO DO ALBEDO DE ÁREAS IRRIGADAS E DE VEGETAÇÃO NATIVA EM PETROLINA E VIZINHANÇAS COM IMAGEM LANDSAT 7 - ETM+ OBTENÇÃO DO ALBEDO DE ÁREAS IRRIGADAS E DE VEGETAÇÃO NATIVA EM PETROLINA E VIZINHANÇAS COM IMAGEM LANDSAT 7 - ETM+ SILVA, B. B. da 1 ; BEZERRA, M. V. C. 2 ; BRAGA, A. C. 3 ; SILVA, S. T. A. da 2 RESUMO:

Leia mais

ABSTRACT: The Suape region has received public and private investments, which allowed a

ABSTRACT: The Suape region has received public and private investments, which allowed a ANÁLISE ESPAÇO-TEMPORAL DOS IMPACTOS DO CRESCIMENTO URBANO-INDUSTRIAL NA TEMPERATURA DE SUPERFÍCIE DA REGIÃO DE SUAPE, CABO DE SANTO DE AGOSTINHO/IPOJUCA PE Jacicleide Ramos de Souza,¹² Ygor Cristiano

Leia mais

Índice de vegetação em clone de seringueira após a desfolha anual Vegetation Index in rubber clone after the annual defoliation

Índice de vegetação em clone de seringueira após a desfolha anual Vegetation Index in rubber clone after the annual defoliation Índice de vegetação em clone de seringueira após a desfolha anual Vegetation Index in rubber clone after the annual defoliation José Carlos Pezzoni Filho 1 ; Lucas Benso 1 ; Edson Luiz Furtado 1 ; Célia

Leia mais

Determinação da temperatura de superfície na cidade de Campina Grande-PB a partir de imagens do satélite Landsat 5-TM

Determinação da temperatura de superfície na cidade de Campina Grande-PB a partir de imagens do satélite Landsat 5-TM Determinação da temperatura de superfície na cidade de Campina Grande-PB a partir de imagens do satélite Landsat 5-TM John Elton de Brito Leite Cunha Iana Alexandra Alves Rufino Sandra Maria Araújo Ideião

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS ATMOSFÉRICAS COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM METEOROLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS ATMOSFÉRICAS COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM METEOROLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS ATMOSFÉRICAS COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM METEOROLOGIA MAPEAMENTO DA ESTIMATIVA DO SALDO DE RADIAÇÃO INSTANTÂNEA NO MÉDIO SÃO FRANCISCO COM BASE

Leia mais

MONITORAMENTO DA TEMPERATURA DE SUPERFÍCIE EM ÁREAS URBANAS UTILIZANDO GEOTECNOLOGIAS

MONITORAMENTO DA TEMPERATURA DE SUPERFÍCIE EM ÁREAS URBANAS UTILIZANDO GEOTECNOLOGIAS MONITORAMENTO DA TEMPERATURA DE SUPERFÍCIE EM ÁREAS URBANAS UTILIZANDO GEOTECNOLOGIAS Erika Gonçalves Pires 1, Manuel Eduardo Ferreira 2 1 Agrimensora, Professora do IFTO, Doutoranda em Geografia - UFG,

Leia mais

Uso de geotecnologias no monitoramento de sistemas de integração lavourapecuária- floresta

Uso de geotecnologias no monitoramento de sistemas de integração lavourapecuária- floresta Uso de geotecnologias no monitoramento de sistemas de integração lavourapecuária- floresta Sistemas de integração lavoura pecuária- floresta: a produção sustentável Sistemas de produção em inte ra ão Atualmente

Leia mais

Utilização do EVI e Albedo da superfície para análise das mudanças ambientais em parte do município de Corumbá, MS e Ladário, MS

Utilização do EVI e Albedo da superfície para análise das mudanças ambientais em parte do município de Corumbá, MS e Ladário, MS Utilização do EVI e Albedo da superfície para análise das mudanças ambientais em parte do município de Corumbá, MS e Ladário, MS Célia Cristina Clemente Machado 1 Tiago Henrique de Oliveira 1 Josiclêda

Leia mais

Aula 1 Professor Waterloo Pereira Filho Docentes orientados: Daniela Barbieri Felipe Correa

Aula 1 Professor Waterloo Pereira Filho Docentes orientados: Daniela Barbieri Felipe Correa Princípios Físicos do Sensoriamento Remoto Aula 1 Professor Waterloo Pereira Filho Docentes orientados: Daniela Barbieri Felipe Correa O que é Sensoriamento Remoto? Utilização conjunta de sensores, equipamentos

Leia mais

15- Representação Cartográfica - Estudos Temáticos a partir de imagens de Sensoriamento Remoto

15- Representação Cartográfica - Estudos Temáticos a partir de imagens de Sensoriamento Remoto 15- Representação Cartográfica - Estudos Temáticos a partir de imagens de Sensoriamento Remoto O Sensoriamento Remoto é uma técnica que utiliza sensores, na captação e registro da energia refletida e emitida

Leia mais

PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS (SERP11) OPERAÇÕES ARITMÉTICAS. Daniel C. Zanotta

PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS (SERP11) OPERAÇÕES ARITMÉTICAS. Daniel C. Zanotta PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS (SERP11) OPERAÇÕES ARITMÉTICAS Daniel C. Zanotta RAZÃO DE BANDAS Dividir uma banda por outra (pixel a pixel) pode trazer diversas informações a respeitos dos alvos contidos

Leia mais

ESTUDO DE CASO: ÍNDICE DE UMIDADE DO SOLO UTILIZANDO IMAGENS DO SENSOR MODIS PARA O MUNICÍPIO DE BELEM DO SÃO FRANCISCO, PE

ESTUDO DE CASO: ÍNDICE DE UMIDADE DO SOLO UTILIZANDO IMAGENS DO SENSOR MODIS PARA O MUNICÍPIO DE BELEM DO SÃO FRANCISCO, PE ESTUDO DE CASO: ÍNDICE DE UMIDADE DO SOLO UTILIZANDO IMAGENS DO SENSOR MODIS PARA O MUNICÍPIO DE BELEM DO SÃO FRANCISCO, PE Pabrício Marcos Oliveira Lopes 1, Glawber Spíndola Saraiva de Moura 2 1 Prof.

Leia mais

Processamento de Imagem. Prof. Herondino

Processamento de Imagem. Prof. Herondino Processamento de Imagem Prof. Herondino Sensoriamento Remoto Para o Canada Centre for Remote Sensing - CCRS (2010), o sensoriamento remoto é a ciência (e em certa medida, a arte) de aquisição de informações

Leia mais

VARIAÇÃO SAZONAL DA COBERTURA VEGETAL EM ÁREAS DO SUBMÉDIO SÃO FRANCISCO A PARTIR DE DADOS NDVI E IMAGENS TM-LANDSAT 5

VARIAÇÃO SAZONAL DA COBERTURA VEGETAL EM ÁREAS DO SUBMÉDIO SÃO FRANCISCO A PARTIR DE DADOS NDVI E IMAGENS TM-LANDSAT 5 VARIAÇÃO SAZONAL DA COBERTURA VEGETAL EM ÁREAS DO SUBMÉDIO SÃO FRANCISCO A PARTIR DE DADOS NDVI E IMAGENS TM-LANDSAT 5 Vanda Maria de Lira 1, Bernardo Barbosa da Silva 2, José Dantas Neto 3, Carlos Alberto

Leia mais

LEVANTAMENTO DO USO DAS TERRAS DO MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DO CARIRI-PB COM BASE EM IMAGENS DO TM/LANDSAT 5

LEVANTAMENTO DO USO DAS TERRAS DO MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DO CARIRI-PB COM BASE EM IMAGENS DO TM/LANDSAT 5 LEVANTAMENTO DO USO DAS TERRAS DO MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DO CARIRI-PB COM BASE EM IMAGENS DO TM/LANDSAT 5 MADSON T. SILVA 1, VICENTE DE P. R. DA SILVA 2, RONILDO A. PEREIRA 3, JOSÉ A. B. DO AMARAL 4 1 Meteorologista,

Leia mais

Diagnóstico Ambiental do Município de Alta Floresta - MT

Diagnóstico Ambiental do Município de Alta Floresta - MT Diagnóstico Ambiental do Município de Alta Floresta - MT Paula Bernasconi Ricardo Abad Laurent Micol Maio de 2008 Introdução O município de Alta Floresta está localizado na região norte do estado de Mato

Leia mais

Reinaldo Lúcio Gomide Embrapa Milho e Sorgo

Reinaldo Lúcio Gomide Embrapa Milho e Sorgo DETERMINAÇÃO DA VARIABILIDADE ESPAÇO-TEMPORAL DE DEMANDA HÍDRICA E PRODUTIVIDADE DA ÁGUA EM ESCALA REGIONAL POR MEIO DE TÉCNICAS DE SENSORIAMENTO REMOTO AGRÍCOLA, ASSOCIADAS À MODELAGEM, GEOPROCESSAMENTO

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO CLIMÁTICA DA MICRORREGIÃO DO CARIRI ORIENTAL

CARACTERIZAÇÃO CLIMÁTICA DA MICRORREGIÃO DO CARIRI ORIENTAL CARACTERIZAÇÃO CLIMÁTICA DA MICRORREGIÃO DO CARIRI ORIENTAL Maysa Porto Farias 1, Crisólogo Vieira 2 e Hermes Alves de Almeida 3 1 Mestranda em Desenvolvimento Regional (UEPB), email: maysaportofarias@hotmail.com

Leia mais

LEAA Laboratório de Estudos em Agricultura e Agrometeorologia

LEAA Laboratório de Estudos em Agricultura e Agrometeorologia Roteiro de aula Índices de Vegetação Composição de máximo valor (CMV) Perfis temporais - Estudos agrícolas - Estudos ambientais - Estudos climáticos Exercício prático Curva da reflectância de uma folha

Leia mais

USO DE SENSORIAMENTO REMOTO PARA ESTIMAR O SALDO DE RADIAÇÃO EM ÁREAS DE CANA-DE-AÇÚCAR E CERRADO

USO DE SENSORIAMENTO REMOTO PARA ESTIMAR O SALDO DE RADIAÇÃO EM ÁREAS DE CANA-DE-AÇÚCAR E CERRADO USO DE SENSORIAMENTO REMOTO PARA ESTIMAR O SALDO DE RADIAÇÃO EM ÁREAS DE CANA-DE-AÇÚCAR E CERRADO Pedro Rogerio Giongo 1, Geber Barbosa de Albuquerque Moura 2, Ana Paula Nunes da Silva 3, Sergio Ricardo

Leia mais

Monitoramento da Vegetação do Estado da Paraíba nos Anos 2008 e 2009

Monitoramento da Vegetação do Estado da Paraíba nos Anos 2008 e 2009 Monitoramento da Vegetação do Estado da Paraíba nos Anos 2008 e 2009 Leonardo F. Ponciano Barbieri¹, Célia Campos Braga², Leandro F. de Sousa³ 1,2,3 Universidade Federal de Campina Grande UFCG Rua Aprígio

Leia mais

TENDÊNCIA DE MUDANÇAS DA TEMPERATURA EM IGUATU, CEARÁ 1

TENDÊNCIA DE MUDANÇAS DA TEMPERATURA EM IGUATU, CEARÁ 1 TENDÊNCIA DE MUDANÇAS DA TEMPERATURA EM IGUATU, CEARÁ 1 ELIAKIM M. ARAÚJO 2, JOAQUIM B. DE OLIVEIRA 3, ITALO N. SILVA 4, EDMILSON G. CAVALCANTE JÚNIOR 4, BRUNO M. DE ALMEIDA 4 1 Parte do TCC do primeiro

Leia mais

Município de Colíder MT

Município de Colíder MT Diagnóstico da Cobertura e Uso do Solo e das Áreas de Preservação Permanente Município de Colíder MT Paula Bernasconi Ricardo Abad Laurent Micol Julho de 2008 Introdução O município de Colíder está localizado

Leia mais

Subtração de imagens para detecção de mudanças na cobertura vegetal da bacia hidrográfica do Rio Alegre Alegre/ES

Subtração de imagens para detecção de mudanças na cobertura vegetal da bacia hidrográfica do Rio Alegre Alegre/ES ubtração de imagens para detecção de mudanças na cobertura vegetal da bacia hidrográfica do io Alegre Alegre/E Kennedy ibeiro da ilva 1 Daiani Bernardo Pirovani 1 Larice Nogueira de Andrade Alexandre osa

Leia mais

ANALISE TEMPORAL DA EVOLUÇÃO URBANA DO MUNICÍPIO DE NITERÓI RJ, USANDO O PROGRAMA SPRING.

ANALISE TEMPORAL DA EVOLUÇÃO URBANA DO MUNICÍPIO DE NITERÓI RJ, USANDO O PROGRAMA SPRING. ANALISE TEMPORAL DA EVOLUÇÃO URBANA DO MUNICÍPIO DE NITERÓI RJ, USANDO O PROGRAMA SPRING. RODRIGUES, Caroline Gomes 1, COSTA, Bruno Lopes ², CORREIA, Mariana Ribeiro³ 1 Universidade do Estado do Rio de

Leia mais

Variação Temporal de Elementos Meteorológicos no Município de Pesqueira-PE

Variação Temporal de Elementos Meteorológicos no Município de Pesqueira-PE Variação Temporal de Elementos Meteorológicos no Município de Pesqueira-PE Diogo Francisco Borba Rodrigues¹; Abelardo Antônio de Assunção Montenegro²; Tatiana Patrícia Nascimento da Silva³ & Ana Paula

Leia mais

MAPEAMENTO DAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PAJEÚ-PE. Carlos Tiago Amâncio Rodrigues¹, André Quintão de Almeida²

MAPEAMENTO DAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PAJEÚ-PE. Carlos Tiago Amâncio Rodrigues¹, André Quintão de Almeida² MAPEAMENTO DAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PAJEÚ-PE Carlos Tiago Amâncio Rodrigues¹, André Quintão de Almeida² ¹Graduando em Agronomia, UAST, UFRPE,Serra Talhada-PE, tiagoamancio@hotmail.com

Leia mais

Sensoriamento Remoto. Características das Imagens Orbitais

Sensoriamento Remoto. Características das Imagens Orbitais Sensoriamento Remoto Características das Imagens Orbitais 1 - RESOLUÇÃO: O termo resolução em sensoriamento remoto pode ser atribuído a quatro diferentes parâmetros: resolução espacial resolução espectral

Leia mais

Análise das componentes do balanço de energia à superfície para a cidade de Manaus- AM a partir de imagens do sensor Landsat 5-TM.

Análise das componentes do balanço de energia à superfície para a cidade de Manaus- AM a partir de imagens do sensor Landsat 5-TM. Análise das componentes do balanço de energia à superfície para a cidade de Manaus- AM a partir de imagens do sensor Landsat 5-TM. Ayobami Iwa Zenabu Badiru Sílvia Cristina de Pádua Andrade Antônio Marcos

Leia mais

Autor: Uriálisson Mattos Queiroz Instituição: Escola de Engenharia Mecânica da Bahia(EEMBA)/IQUALI

Autor: Uriálisson Mattos Queiroz Instituição: Escola de Engenharia Mecânica da Bahia(EEMBA)/IQUALI UTILIZAÇÃO DO GEOPROCESSAMENTO PARA ESTUDOS ECOLÓGICOS DA REGIÃO DA SUB-BACIA DO RIO CAPIVARI-BA NOS MUNICÍPIOS DE CRUZ DAS ALMAS, MURITIBA E SÃO FÉLIX. Autor: Gabriel Barbosa Lobo Instituição: Escola

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO ENTRE MODELOS DE OBTENÇÃO DE TEMPERATURA DE SUPERFÍCIE POR SENSORES REMOTOS

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO ENTRE MODELOS DE OBTENÇÃO DE TEMPERATURA DE SUPERFÍCIE POR SENSORES REMOTOS AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO ENTRE MODELOS DE OBTENÇÃO DE TEMPERATURA DE SUPERFÍCIE POR SENSORES REMOTOS Resumo Manoel Reinaldo Leite Mestre em Geografia - Universidade Federal de Uberlândia manoelreinaldo@ig.com.br

Leia mais

Comparação entre Variáveis Meteorológicas das Cidades de Fortaleza (CE) e Patos (PB)

Comparação entre Variáveis Meteorológicas das Cidades de Fortaleza (CE) e Patos (PB) Comparação entre Variáveis Meteorológicas das Cidades de Fortaleza (CE) e Patos (PB) F. D. A. Lima 1, C. H. C. da Silva 2, J. R. Bezerra³, I. J. M. Moura 4, D. F. dos Santos 4, F. G. M. Pinheiro 5, C.

Leia mais

VARIABILIDADE ESPAÇO-TEMPORAL NA MUDANÇA DA PAISAGEM NO MUNICÍPIO DE ACRELÂNDIA, AC

VARIABILIDADE ESPAÇO-TEMPORAL NA MUDANÇA DA PAISAGEM NO MUNICÍPIO DE ACRELÂNDIA, AC VARIABILIDADE ESPAÇO-TEMPORAL NA MUDANÇA DA PAISAGEM NO MUNICÍPIO DE ACRELÂNDIA, AC Daise Moura de Freitas 1, Rafael Coll Delgado 2, Rafael de Ávila Rodrigues 3 Leonardo Paula de Souza 4 1. Graduanda em

Leia mais

Classificação espectral de área plantada de café para o município de Araguari, MG por meio da árvore de decisão

Classificação espectral de área plantada de café para o município de Araguari, MG por meio da árvore de decisão Classificação espectral de área plantada de café para o município de Araguari, MG por meio da árvore de decisão Rafael Coll Delgado 1, Gilberto Chohaku Sediyama 2, Evaldo de Paiva Lima 3, Thomé Simpliciano

Leia mais

Variação temporal dos componentes do balanço radiativo em áreas de cana-de-açúcar no oeste de MG e sudeste de GO

Variação temporal dos componentes do balanço radiativo em áreas de cana-de-açúcar no oeste de MG e sudeste de GO Variação temporal dos componentes do balanço radiativo em áreas de cana-de-açúcar no oeste de MG e sudeste de GO Gabriel de Oliveira 1 André Moscardo Salles Almeida Luz 1 Elisabete Caria Moraes 1 Bernardo

Leia mais

MAPEAMENTO DA COBERTURA VEGETAL DE ÁREAS DE GRANDE EXTENSÃO ATRAVÉS DE MOSAICOS DE IMAGENS DO NOAA-AVHRR

MAPEAMENTO DA COBERTURA VEGETAL DE ÁREAS DE GRANDE EXTENSÃO ATRAVÉS DE MOSAICOS DE IMAGENS DO NOAA-AVHRR MAPEAMENTO DA COBERTURA VEGETAL DE ÁREAS DE GRANDE EXTENSÃO ATRAVÉS DE MOSAICOS DE IMAGENS DO NOAA-AVHRR Maria G. Almeida 1, Bernardo F. T. Rudorff 2, Yosio E. Shimabukuro 2 graca@dppg.cefetmg.br, bernardo@ltid.inpe.br,

Leia mais

Estimativa do saldo de radiação na cidade de Montes Claros/MG através de imagens do LANDSAT-5/TM

Estimativa do saldo de radiação na cidade de Montes Claros/MG através de imagens do LANDSAT-5/TM Estimativa do saldo de radiação na cidade de Montes Claros/MG através de imagens do LANDSAT-5/TM Roberto Filgueiras 1 Cristina Rodrigues Nascimento 2 Gracielle de Brito Sales 1 Jonathan da Rocha Miranda

Leia mais

MAPEAMENTO FLORESTAL

MAPEAMENTO FLORESTAL MAPEAMENTO FLORESTAL ELISEU ROSSATO TONIOLO Eng. Florestal Especialista em Geoprocessamento OBJETIVO Mapear e caracterizar a vegetação visando subsidiar o diagnóstico florestal FUNDAMENTOS É uma ferramenta

Leia mais

10 FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM COMPARAÇÃO DE FUSÃO ENTRE AS IMAGENS DO SATÉLITE RAPID EYE, CBERS E SPOT.

10 FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM COMPARAÇÃO DE FUSÃO ENTRE AS IMAGENS DO SATÉLITE RAPID EYE, CBERS E SPOT. 10 FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM COMPARAÇÃO DE FUSÃO ENTRE AS IMAGENS DO SATÉLITE RAPID EYE, CBERS E SPOT. Thalita Dal Santo 1 Antonio de Oliveira¹ Fernando Ricardo dos Santos² A técnica de fusão

Leia mais

LIGAÇÃO ENTRE O EL NIÑO E POSSÍVEIS PROCESSOS DE DESERTIFICAÇÃO NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE

LIGAÇÃO ENTRE O EL NIÑO E POSSÍVEIS PROCESSOS DE DESERTIFICAÇÃO NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE LIGAÇÃO ENTRE O EL NIÑO E POSSÍVEIS PROCESSOS DE DESERTIFICAÇÃO NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE José Ivaldo Barbosa de Brito (1); Ioneide Alves de Souza; José Oribe Rocha Aragão (1) Departamento de Ciências

Leia mais

SENSORIAMENTO REMOTO NO USO DO SOLO

SENSORIAMENTO REMOTO NO USO DO SOLO SENSORIAMENTO REMOTO NO USO DO SOLO Ana Luiza Bovoy Jônatas de Castro Gonçalves Thiemi Igarashi Vinicius Chequer e Silva LEVANTAMENTO DA COBERTURA VEGETAL ATRAVÉS DE PRODUTOS DE SENSORIAMENTO REMOTO NAS

Leia mais

Determinação do balanço de radiação com auxílio de imagens orbitais na Bacia Hidrográfica do Rio Jacaré, Sergipe

Determinação do balanço de radiação com auxílio de imagens orbitais na Bacia Hidrográfica do Rio Jacaré, Sergipe SCIENTIA PLENA VOL. 9, NUM. 4 2013 www.scientiaplena.org.br Determinação do balanço de radiação com auxílio de imagens orbitais na Bacia Hidrográfica do Rio Jacaré, Sergipe The radiation balance in Jacaré

Leia mais

Variabilidade temporal de índice de vegetação NDVI e sua conexão com o clima: Biomas Caatinga Brasileira e Savana Africana

Variabilidade temporal de índice de vegetação NDVI e sua conexão com o clima: Biomas Caatinga Brasileira e Savana Africana Variabilidade temporal de índice de vegetação NDVI e sua conexão com o clima: Biomas Caatinga Brasileira e Savana Africana Humberto Alves Barbosa 1, Ivon Wilson da Silva Júnior 2 1 PhD, LAPIS/UFAL Maceió

Leia mais

SENRORIAMENTO REMOTO E SIG. Aula 1. Prof. Guttemberg Silvino Prof. Francisco das Chagas

SENRORIAMENTO REMOTO E SIG. Aula 1. Prof. Guttemberg Silvino Prof. Francisco das Chagas SENRORIAMENTO REMOTO E SIG Aula 1 Programa da Disciplina 1 CONCEITOS, HISTÓRICO E FUNDAMENTOS (8 aulas) 2 Sensoriamento remoto. Histórico e definições 3 Domínios do Sensoriamento Remoto 4 Níveis de Coleta

Leia mais

Comportamento Florístico na Zona de Proteção Ambiental - ZPA1 em Natal/RN por Sensoriamento Remoto

Comportamento Florístico na Zona de Proteção Ambiental - ZPA1 em Natal/RN por Sensoriamento Remoto Comportamento Florístico na Zona de Proteção Ambiental - ZPA1 em Natal/RN por Sensoriamento Remoto Juliana Rayssa Silva Costa 1 Anderson Flávio Silva de Queiroz 2 Adalfran Herbert de Melo Silveira 3 Fernando

Leia mais

SISTEMA DE SAÚDE E EXPANSÃO URBANA: ANÁLISE E MAPEAMENTO DO MUNICÍPIO DE LEME/SP

SISTEMA DE SAÚDE E EXPANSÃO URBANA: ANÁLISE E MAPEAMENTO DO MUNICÍPIO DE LEME/SP SISTEMA DE SAÚDE E EXPANSÃO URBANA: ANÁLISE E MAPEAMENTO DO MUNICÍPIO DE LEME/SP GUILHERME OTÁVIO GALLO¹ e RÚBIA GOMES MORATO² g.guilhermegallo@gmail.com, rubiagm@gmail.com ¹ Bolsista Iniciação Científica

Leia mais

LEVANTAMENTO DAS ÁREAS VEGETADAS PARA A ANÁLISE DA TEMPERATURA DO AR: UM ESTUDO DE CASO DOS BAIRROS BENFICA E CENTRO, JUIZ DE FORA MG.

LEVANTAMENTO DAS ÁREAS VEGETADAS PARA A ANÁLISE DA TEMPERATURA DO AR: UM ESTUDO DE CASO DOS BAIRROS BENFICA E CENTRO, JUIZ DE FORA MG. LEVANTAMENTO DAS ÁREAS VEGETADAS PARA A ANÁLISE DA TEMPERATURA DO AR: UM ESTUDO DE CASO DOS BAIRROS BENFICA E CENTRO, JUIZ DE FORA MG. Resumo Débora Couto de Assis Universidade Federal de Juiz de Fora,

Leia mais

ANÁLISE DA EFETIVIDADE DA ZONA DE AMORTECIMENTO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO POR SENSORIAMENTO REMOTO

ANÁLISE DA EFETIVIDADE DA ZONA DE AMORTECIMENTO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO POR SENSORIAMENTO REMOTO ANÁLISE DA EFETIVIDADE DA ZONA DE DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO POR SENSORIAMENTO REMOTO OTÁVIO AUGUSTO CARVALHO NASSUR 1, JOÃO GABRIEL NOTEL DE SOUZA 2, ELIZABETH FERREIRA 3, ANTONIO AUGUSTO AGUILAR DANTAS

Leia mais

Determinação de data de plantio da cultura da soja no estado do Paraná por meio de composições decendiais de NDVI

Determinação de data de plantio da cultura da soja no estado do Paraná por meio de composições decendiais de NDVI Determinação de data de plantio da cultura da soja no estado do Paraná por meio de composições decendiais de NDVI Gleyce K. Dantas Araújo 1, Jansle Viera Rocha 2 1 Tecª Construção Civil, Mestranda Faculdade

Leia mais

O emprego do Geoprocessamento na Análise Espacial da Bacia Hidrográfica do Córrego Guariroba, Campo Grande MS

O emprego do Geoprocessamento na Análise Espacial da Bacia Hidrográfica do Córrego Guariroba, Campo Grande MS O emprego do Geoprocessamento na Análise Espacial da Bacia Hidrográfica do Córrego Guariroba, Campo Grande MS Raony Moreira Gomes Yamaciro Geógrafo raony.shiro@gmail.com Abstract. The present study aimed

Leia mais

Ítalo Sousa de Sena 1 Jefferson William Lopes Almeida 1 Felipe Ramos Nabuco de Araújo 1, 2 Marcos Antônio Timbó Elmiro 1

Ítalo Sousa de Sena 1 Jefferson William Lopes Almeida 1 Felipe Ramos Nabuco de Araújo 1, 2 Marcos Antônio Timbó Elmiro 1 ESTIMATIVA DO ALBEDO DE SUPERFÍCIE PARA GESTÃO DE ÁREAS DE MATAS SECAS PROPENSAS A QUEIMADAS: ESTUDO DE CASO NO PARQUE DA LAPA GRANDE, MONTES CLAROS - MG Ítalo Sousa de Sena 1 Jefferson William Lopes Almeida

Leia mais

VARIABILIDADE TEMPORAL DA VEGETAÇÃO NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO TAPEROÁ-PB, USANDO TÉCNICAS DE SENSORIAMENTO REMOTO

VARIABILIDADE TEMPORAL DA VEGETAÇÃO NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO TAPEROÁ-PB, USANDO TÉCNICAS DE SENSORIAMENTO REMOTO p. 001-006 VARIABILIDADE TEMPORAL DA VEGETAÇÃO NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO TAPEROÁ-PB, USANDO TÉCNICAS DE SENSORIAMENTO REMOTO MARTINHO QUEIROGA SALGADO SOBRINHO JOSÉ FERREIRA DA COSTA FILHO TALITA FREITAS

Leia mais

Monitoramento Espacial e Inteligência na Agricultura

Monitoramento Espacial e Inteligência na Agricultura Monitoramento Espacial e Inteligência na Agricultura Seminário: Imagens de Satélites e Aéreas na Agricultura e Gestão Territorial Édson Bolfe Pesquisador, Chefe-Adj. P&D Embrapa Monitoramento por Satélite

Leia mais

044.ASR.SRE.16 - Princípios Físicos do Sensoriamento Remoto

044.ASR.SRE.16 - Princípios Físicos do Sensoriamento Remoto Texto: PRODUTOS DE SENSORIAMENTO REMOTO Autor: BERNARDO F. T. RUDORFF Divisão de Sensoriamento Remoto - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais São José dos Campos-SP - bernardo@ltid.inpe.br Sensoriamento

Leia mais

Sensoriamento Remoto

Sensoriamento Remoto Sensoriamento Remoto É a utilização conjunta de modernos sensores, equipamentos para processamento de dados, equipamentos de transmissão de dados, aeronaves, espaçonaves etc, com o objetivo de estudar

Leia mais

Expansão Agrícola e Variabilidade Climática no Semi-Árido

Expansão Agrícola e Variabilidade Climática no Semi-Árido Expansão Agrícola e Variabilidade Climática no Semi-Árido Fabíola de Souza Silva 1, Magaly de Fatima Correia 2, Maria Regina da Silva Aragão 2 1 Bolsista PIBIC/CNPq/UFCG, Curso de Graduação em Meteorologia,

Leia mais

Grupo: Irmandade Bruna Hinojosa de Sousa Marina Schiave Rodrigues Raquel Bressanini Thaís Foffano Rocha

Grupo: Irmandade Bruna Hinojosa de Sousa Marina Schiave Rodrigues Raquel Bressanini Thaís Foffano Rocha Projeto de Engenharia Ambiental Sensoriamento remoto e Sistema de Informação Geográfica Grupo: Irmandade Bruna Hinojosa de Sousa Marina Schiave Rodrigues Raquel Bressanini Thaís Foffano Rocha Sensoriamento

Leia mais

COLÉGIO MARISTA - PATOS DE MINAS 2º ANO DO ENSINO MÉDIO - 2013 Professor : Bruno Matias Telles 1ª RECUPERAÇÃO AUTÔNOMA ROTEIRO DE ESTUDO - QUESTÕES

COLÉGIO MARISTA - PATOS DE MINAS 2º ANO DO ENSINO MÉDIO - 2013 Professor : Bruno Matias Telles 1ª RECUPERAÇÃO AUTÔNOMA ROTEIRO DE ESTUDO - QUESTÕES COLÉGIO MARISTA - PATOS DE MINAS 2º ANO DO ENSINO MÉDIO - 2013 Professor : Bruno Matias Telles 1ª RECUPERAÇÃO AUTÔNOMA ROTEIRO DE ESTUDO - QUESTÕES Estudante: Turma: Data: / / QUESTÃO 1 Analise o mapa

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS Laboratório de Ensino, Pesquisa e Projetos em Análise Espacial TUTORIAL DE SPRING Alexandro Medeiros

Leia mais

ESTIMATIVA DA RADIAÇÃO SOLAR GLOBAL NO NOROESTE PAULISTA

ESTIMATIVA DA RADIAÇÃO SOLAR GLOBAL NO NOROESTE PAULISTA ESTIMATIVA DA RADIAÇÃO SOLAR GLOBAL NO NOROESTE PAULISTA M. D. de Lacerda 1, F. B. T. Hernandez 2, R. A. M. Franco 1, D. G. Feitosa 3, G. O. Santos 3, A. H. C. Teixeira 4 RESUMO: A estimativa da radiação

Leia mais

Tópicos em Meio Ambiente e Ciências Atmosféricas

Tópicos em Meio Ambiente e Ciências Atmosféricas INPE-13139-PRE/8398 SENSORIAMENTO REMOTO Tania Sausen Tópicos em Meio Ambiente e Ciências Atmosféricas INPE São José dos Campos 2005 MEIO AMBIENTE E CIÊNCIAS ATMOSFÉRICAS 8 Sensoriamento Remoto Tania Sauzen

Leia mais

Ferramentas de sensoriamento remoto e SIG aplicadas ao novo Código Florestal

Ferramentas de sensoriamento remoto e SIG aplicadas ao novo Código Florestal 1/38 Ferramentas de sensoriamento remoto e SIG aplicadas ao novo Código Florestal Cota de Reserva Ambiental (CRA) Eng. Allan Saddi Arnesen Eng. Frederico Genofre Eng. Matheus Ferreira Eng. Marcelo Pedroso

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DE QUEIMADAS NOS CAMPOS DE CIMA DA SERRA, RS, ATRAVÉS DOS ÍNDICES NDVI E NBR INTRODUÇÃO

IDENTIFICAÇÃO DE QUEIMADAS NOS CAMPOS DE CIMA DA SERRA, RS, ATRAVÉS DOS ÍNDICES NDVI E NBR INTRODUÇÃO IDENTIFICAÇÃO DE QUEIMADAS NOS CAMPOS DE CIMA DA SERRA, RS, ATRAVÉS DOS ÍNDICES NDVI E NBR BRUNO DEPRÁ¹ DINIZ CARVALHO DE ARRUDA¹ TATIANA MORA KUPLICH² Universidade Federal de Santa Maria-UFSM¹ Instituto

Leia mais

ESPACIALIZAÇÃO DAS TEMPERATURAS À SUPERFÍCIE NA CIDADE DO RECIFE, UTILIZANDO IMAGENS TM LANNDSAT 7

ESPACIALIZAÇÃO DAS TEMPERATURAS À SUPERFÍCIE NA CIDADE DO RECIFE, UTILIZANDO IMAGENS TM LANNDSAT 7 ESPACIALIZAÇÃO DAS TEMPERATURAS À SUPERFÍCIE NA CIDADE DO RECIFE, UTILIZANDO IMAGENS TM LANNDSAT 7 Elvis Bergue Mariz MOREIRA 1 Josiclêda Domiciano GALVÍNCIO 2 RESUMO A temperatura à superfície é um dos

Leia mais

Monocultura do eucalipto e o conflito ambiental na Bacia do Canabrava, no Norte de Minas Gerais.

Monocultura do eucalipto e o conflito ambiental na Bacia do Canabrava, no Norte de Minas Gerais. Monocultura do eucalipto e o conflito ambiental na Bacia do Canabrava, no Norte de Minas Gerais. Bruno Alves Nobre Bolsista da FAPEMIG bruno.nobre13@gmail.com Marcos Esdras Leite Professor Dr. Dep. de

Leia mais

Detecção de Mudanças da Cobertura Terrestre na Ilha do Formoso, Município de Lagoa da Confusão-TO

Detecção de Mudanças da Cobertura Terrestre na Ilha do Formoso, Município de Lagoa da Confusão-TO Detecção de Mudanças da Cobertura Terrestre na Ilha do Formoso, Município de Lagoa da Confusão-TO VICENTE PAULO SOARES 1 ALAN KARDEC ELIAS MARTINS 2 RICARDO SEIXAS BRITES 3 ELPÍDIO INÁCIO FERNANDES FILHO

Leia mais

Estimativa da necessidade hídrica do algodoeiro irrigado usando imagens de satélite

Estimativa da necessidade hídrica do algodoeiro irrigado usando imagens de satélite Anais XV Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto - SBSR, Curitiba, PR, Brasil, 30 de abril a 05 de maio de 2011, INPE p.0653 Estimativa da necessidade hídrica do algodoeiro irrigado usando imagens

Leia mais

ADEQUAÇÃO DE ÁREAS DE VEGETAÇÃO RIPÁRIA EM FUNÇÃO DA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL

ADEQUAÇÃO DE ÁREAS DE VEGETAÇÃO RIPÁRIA EM FUNÇÃO DA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL ADEQUAÇÃO DE ÁREAS DE VEGETAÇÃO RIPÁRIA EM FUNÇÃO DA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL Katiuscia Fernandes Moreira 1, Sérgio Campos 1, Mariana Di Siervo 1, Fernanda Caetano Ferreira Santos 1, Milena Montanholi Mileski

Leia mais

Mudanças no uso da terra e escoamento em bacias hidrográficas pelo método SCS. Alexandre Catania Greco de Oliveira ¹ Edson Luís Piroli ¹

Mudanças no uso da terra e escoamento em bacias hidrográficas pelo método SCS. Alexandre Catania Greco de Oliveira ¹ Edson Luís Piroli ¹ Mudanças no uso da terra e escoamento em bacias hidrográficas pelo método SCS. Alexandre Catania Greco de Oliveira ¹ Edson Luís Piroli ¹ ¹ UNESP Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho Caixa

Leia mais

Detecção de mudança de vegetação de caatinga através de geotecnologias. Detection of a change in vegetation of caatinga through of geotechnology

Detecção de mudança de vegetação de caatinga através de geotecnologias. Detection of a change in vegetation of caatinga through of geotechnology Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável http://www.gvaa.com.br/revista/index.php/rvads ARTIGO CIENTÍFICO Detecção de mudança de vegetação de caatinga através de geotecnologias Detection

Leia mais

ESTIMATIVA DO ALBEDO E TEMPERATURA DE SUPERFÍCIE UTILIZANDO IMAGENS ORBITAIS PARA O MUNICÍPIO DE BARRA BONITA SP

ESTIMATIVA DO ALBEDO E TEMPERATURA DE SUPERFÍCIE UTILIZANDO IMAGENS ORBITAIS PARA O MUNICÍPIO DE BARRA BONITA SP ESTIMATIVA DO ALBEDO E TEMPERATURA DE SUPERFÍCIE UTILIZANDO IMAGENS ORBITAIS PARA O MUNICÍPIO DE BARRA BONITA SP Laurizio Emanuel Ribeiro Alves 1 ; Heliofábio Barros Gomes 1 ; Sandro Correia de Holanda

Leia mais

Sistemas Sensores. Introdução

Sistemas Sensores. Introdução Sistemas Sensores 5ª Aulas Introdução O sol foi citado como sendo uma fonte de energia ou radiação. O sol é uma fonte muito consistente de energia para o sensoriamento remoto (REM). REM interage com os

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS Laboratório de Ensino, Pesquisa e Projetos em Análise Espacial TUTORIAL DE SPRING Alexandro Medeiros

Leia mais

"Protegendo as nascentes do Pantanal"

Protegendo as nascentes do Pantanal "Protegendo as nascentes do Pantanal" Diagnóstico da Paisagem: Região das Cabeceiras do Rio Paraguai Apresentação O ciclo de garimpo mecanizado (ocorrido nas décadas de 80 e 90), sucedido pelo avanço das

Leia mais

ANÁLISE DO COMPORTAMENTO TEMPORAL DA TEMPERATURA DO AR NA CIDADE DE PORTO ALEGRE NO PERÍODO DE 1960-2008

ANÁLISE DO COMPORTAMENTO TEMPORAL DA TEMPERATURA DO AR NA CIDADE DE PORTO ALEGRE NO PERÍODO DE 1960-2008 ANÁLISE DO COMPORTAMENTO TEMPORAL DA TEMPERATURA DO AR NA CIDADE DE PORTO ALEGRE NO PERÍODO DE 1960-2008 William César de Freitas da Cruz¹ Ricardo Antônio Mollmann Jr. 2 André Becker Nunes 3 1 willcesarcruz@gmail.com

Leia mais

Mapeamento, Identificação e Monitoramento das Áreas de Proteção Permanente ao longo do Ribeirão Anicuns no Município de Goiânia - Go

Mapeamento, Identificação e Monitoramento das Áreas de Proteção Permanente ao longo do Ribeirão Anicuns no Município de Goiânia - Go Mapeamento, Identificação e Monitoramento das Áreas de Proteção Permanente ao longo do Ribeirão Anicuns no Município de Goiânia - Go Daniel Mathias Caixeta 1 1 Centro Federal de Educação Tecnológica de

Leia mais

FOTOINTERPRETAÇÃO. Interpretação e medidas. Dado qualitativo: lago

FOTOINTERPRETAÇÃO. Interpretação e medidas. Dado qualitativo: lago FOTOINTERPRETAÇÃO a) conceito A fotointerpretação é a técnica de examinar as imagens dos objetos na fotografia e deduzir sua significação. A fotointerpretação é bastante importante à elaboração de mapas

Leia mais

GERAÇÃO DE CARTA IMAGEM DO MUNICÍPIO DE PATO BRANCO-PR

GERAÇÃO DE CARTA IMAGEM DO MUNICÍPIO DE PATO BRANCO-PR GERAÇÃO DE CARTA IMAGEM DO MUNICÍPIO DE PATO BRANCO-PR Ana Laura Reichert CENTENARO 1, Danielli BATISTELLA 1 Gabriela SUZIN 1, Morgana Gabriela RAYMUNDI 1 1 Universidade Tecnológica Federal do Paraná,

Leia mais