STEMAC S/A GRUPOS GERADORES CNPJ / NIRE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "STEMAC S/A GRUPOS GERADORES CNPJ 92.753.268/0001-12 NIRE 43 3 0000477 5"

Transcrição

1 Jornal do Comércio 2 Caderno Quinta-feira, 21 de fevereiro de Os Administradores da Companhia apresentam as Demonstrações Econômico-Financeiras da STEMAC S/A GRUPOS GERADORES, acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes sobre essas demonstrações, referentes ao exercício social findo em 31 de dezembro de As demonstrações financeiras foram elaboradas e estão sendo apresentadas em conformidade com as normas internacionais de contabilidade emitidas pelo IASB e também de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, com atendimentointegraldaleinº11.638/07eleinº11.941/09, epronunciamentos emitidos pelo CPC- Comitê de Pronunciamentos Contábeis e aprovados pelo CFC- Conselho Federal de Contabilidade. 1. Mensagem do Presidente: O ano de 2012 foi um marco de grandes conquistas na trajetória de 61 anos da Stemac. Demos um importante passo à perpetuação da companhia com constituição da Stemac S/A Participações e a instituição do Conselho de Administração, composto por oito membros, dois dos quais independentes, com reconhecimento e diversidade de experiências, mantendo a Stemac S/AGrupos Geradores e a Stemac Energia S/Asob a mesma gestão. Essa relação favorece a consolidação dos institutos de Governança Corporativa. Visando aumentar sua capacidadeprodutivadeformaaprepararaempresaparaasboasperspectivas do mercado brasileiro, em especial em nosso segmento, e para a retomada do ritmo de recuperação da economia mundial, investimos, em 2012, na consolidação de nosso Centro de Distribuição no município de Itumbiara, no estado de Goiás, localizada a 205 km ao sul de Goiânia, realizando faturamento superior a R$ 600 milhões em Também iniciamos a construção da nova planta fabril, com investimento orçado em R$ 157 milhões com previsão do início das operações fabris no segundo semestre de 2013, mitigando riscos operacionais e ampliando a capacidade instalada para atendermos a demanda crescente do mercado. 2. Desempenho Comercial: No exercício de 2012 a companhia obteve crescimento de vendas superior ao do Produto Interno Bruto(PIB), bem como do setor industrial, ratificando o entendimento de que o segmento onde está inserida tem situação privilegiada frente aos demais. Considerando o volume de estoque de contratoseordensdecompraacimadosr$300,0milhões,assimcomo os investimentos em infra-estrutura no país, para suportar os eventos dos próximos dois anos, a companhia vislumbra um crescimento mínimo de 10% no próximo exercício. BALANÇO PATRIMONIAL ENCERRADO EM (Em milhares de Reais) ATIVO CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa Fornecedores Títulos de Capitalização Empréstimos e Financiamentos Clientes Obrigações Sociais e Trabalhistas Estoques Obrigações Tributárias Adiantamentos a Fornecedores Credores Diversos ImpostosaRecuperar Antecipações de Clientes Despesas Antecipadas NÃOCIRCULANTE Outros Créditos Fornecedores NÃOCIRCULANTE Obrigações Tributárias REALIZÁVEL A LONGO PRAZO Clientes Empréstimos e Financiamentos Partes Relacionadas Provisão para Contingências ImpostosaRecuperar Impostos Diferidos Impostos Diferidos PATRIMÔNIOLÍQUIDO Depósitos Judiciais Capital Social Credores Diversos ReservadeLucros IMOBILIZADO Outros Resultados Abrangentes INTANGÍVEL TOTALDOPASSIVOE TOTAL DO ATIVO PATRIMÔNIOLÍQUIDO DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO DOS EXERCÍCIOS ENCERRADOS EM Outros Resultados Reservas de Lucros Abrangentes Reserva de Reserva Reservas Ajuste Lucros Capital Reserva Subvenções p/inves- de Reava- Avaliação (Prejuízos) STEMAC S/A GRUPOS GERADORES CNPJ / NIRE PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO DE Desempenho Econômico Financeiro: Receita Operacional Bruta: Em 2012, a STEMAC S/A Grupos Geradores, apresentou uma receita bruta de R$ 1.009,1 milhões, com um aumento de 8,6% em relação aos R$ 928,9 milhões do exercício de A receita líquida também apresentou crescimentode0,7%,evoluindoder$610,8milhõesem2011parar$ 614,9 milhões em Receita Operacional (em R$ milhões) Custos dos Produtos Vendidos e Despesas Operacionais: Em 2012 o custo dos produtos vendidos teve um incremento de 7,4%, e as despesas operacionais de 16,3%. Este incremento é explicado principalmente pelas despesas de implantação do Centro de Distribuição e pelas despesas pré-operacionais da nova unidade fabril no estado de Goiás. Com o início das atividades fabris previstas no segundo semestre de 2013 permitirá a reestruturação no processo fabril e logístico permitindo incremento nos resultados da companhia. Social Legal Governamentais timentos liação Patrimonial Acumulados Total EM 31 DE DEZEMBRO DE Lucro Líquido do Exercício ResultadoAbrangente Total Juros Sobre Capital Próprio (7.134) (7.134) Transações de Capital comossócios (7.134) (7.134) Constituição de Reserva Legal (1.369) - Transferência p/reservas de Lucro (18.873) - Destinações Propostas (20.242) - EM 31 DE DEZEMBRO DE Lucro Líquido do Exercício ResultadoAbrangente Total Dividendos (4.333) (4.333) Juros Sobre Capital Próprio (3.246) (3.246) Transações de Capital comossócios (7.579) Transferência p/reservas de Lucro (35.752) - Constituição de Reserva de Subvenções Governamentais (45.051) Destinações Propostas (35.752) - EM 31 DE DEZEMBRO DE NOTA 1 - INFORMAÇÕES GERAIS: A Empresa STEMAC S.A. GRUPOS GERADORES é uma Companhia de capital fechado e está registrada no CNPJ- Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas sob o nº / , e NIRE Número de Inscrição de Registro de Empresas nº Está sediada na cidade de Porto Alegre (RS), Av. Sertório, nº 905, Bairro Navegantes, CEP ASTEMAC S.A. GRUPOS GERA- DORES está presente no mercado há 61 anos, com abrangência nacional, mantendo 41 filiais distribuídas em 21 estados brasileiros e têm como objeto principal a industrialização e montagem de grupos geradores, moto-bombas, quadros de comando, comércio de motores, geradores, bombas, equipamentos industriais e suas peças e acessórios, importação e exportação relacionada ao objeto, e a prestação de serviços de assistência técnica. A emissão destas demonstrações financeiras foi autorizada pela Administraçãoem14dejaneirode2013. NOTA 2 - BASES DE PREPARAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS: As demonstrações financeiras do ano findo em 31 de dezembro de 2012 foram elaboradas e estão sendo apresentadas em conformidade com as normas internacionais de contabilidade emitidas pelo IASB e também de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, com atendimento integral da Lei nº /07 e Lei nº /09, e pronunciamentos emitidos pelo CPC - Comitê de Pronunciamentos Contábeis e aprovados pelo CFC - Conselho Federal de Contabilidade. NOTA3- RESUMO DAS PRINCIPAIS POLÍTICAS CONTÁBEIS: 3.1 Classificação de Itens Circulantes e Não-Circulantes: No Balanço Patrimonial, ativos e obrigações vincendas ou com expectativaderealizaçãodentrodospróximos12mesessãoclassificados como itens circulantes e aqueles com vencimento ou com expectativa de realização superior a 12 meses são classificados como itens não circulantes. 3.2 Compensação Entre Contas: Como regra geral, nas demonstrações financeiras, nem ativos e passivos, ou receitas e despesas são compensados entre si, exceto quando a compensação é requerida ou permitida por um pronunciamento ou norma brasileira de contabilidade e esta compensação reflete a essência da transação. 3.3 Transações em Moeda Estrangeira: Os itens nestas demonstrações financeiras sãomensuradosemmoedafuncionalreais(r$)queéamoeda do principal ambiente econômico em que a empresa atua e na qual é realizada a maioria de suas transações, e são apresentados nesta mesma moeda. Transações em outras moedas são convertidas para a moeda funcional conforme determinações do Pronunciamento Técnico CPC 02 - Efeitos das Mudanças nas Taxas de Câmbio e Conversão de Demonstrações Financeiras. Os itens monetários são convertidos pelas taxas de fechamento e os itens não-monetários pelas taxas da data da transação. 3.4 Caixa e Equivalentes de Caixa: Caixa e equivalentes de caixa incluem numerário em poder da empresa, depósitos bancários de livre movimentação e aplicações financeiras de curto prazo e de alta liquidez com vencimento original em três meses ou menos. 3.5 Ativos Financeiros: A Companhia classifica seus ativos financeiros sob as seguintes categorias: a) mensurados ao valor justo por meio do resultado, b) empréstimos e recebíveis e c) mantidos até o vencimento. A classificação depende da finalidade para a qual os ativos financeiros foram adquiridos. AAdministração determina a classificação de seus ativos financeiros no reconhecimento inicial. (a) Ativos financeiros mensurados ao valor justo por meio do resultado: Os ativos financeiros mensurados ao valor justo através do resultado são ativos financeiros mantidos para negociação. Um ativo financeiro é classificado nessa categoria se foi adquirido, principalmente, para fins de venda no curto prazo. Os ativos dessa categoria são classificados como ativos circulantes.(b) Empréstimos e recebíveis: Os empréstimos e recebíveis são ativos financeiros não-derivativos com pagamentos fixos ou determináveis, que não são cotados em um mercado ativo. São incluídos como ativo circulante, exceto aqueles com prazo de vencimento superior a 12 meses após a data de emissão do balanço (estes são classificados como ativos não-circulantes). Os empréstimos e recebíveis da Companhia compreendem contas a receber de clientes e demais contasareceberecaixaeequivalentesdecaixa.(c)mantidosaté o vencimento: Os investimentos mantidos até o vencimento são ativos financeiros não derivativos com pagamentos fixos ou determináveis com vencimentos definidos para os quais a entidade tem a intenção de manter até o vencimento. Reconhecimento e mensuração:as compras e as vendas regulares de ativos financeiros são reconhecidas na data de negociação - data naqualacompanhiasecomprometeacomprarouvenderoativo. Os investimentos são, inicialmente, reconhecidos pelo valor justo. Os ativos financeiros mensurados ao valor justo por meio de resultado são, inicialmente, reconhecidos pelo valor justo, e os custos da transação são debitados à demonstração do resultado. Os ativos financeiros são baixados quando os direitos de receber fluxos de caixa dos investimentos tenham vencido ou tenham sido transferidos; neste último caso, desde que a Companhia tenha transferido, significativamente, todos os riscos e os benefícios da propriedade. Os ativos financeiros mensurados ao valor justo por meio do resultado são, subsequentemente, contabilizados pelo valor justo. Os empréstimos e recebíveis e os mantidos até o vencimento são contabilizados pelo custo amortizado,usandoométododataxadejurosefetiva.osganhosouas perdas decorrentes de variações no valor justo de ativos financeiros mensurados ao valor justo através do resultado são apresentados na demonstração do resultado no período em que ocorrem. A Companhia avalia, na data do balanço, se há evidência objetivadequeumativofinanceiroouumgrupodeativosfinanceiros está sobrevalorizado (impairment). 3.6 Instrumentos Financeiros Derivativos: Inicialmente, os derivativos são reconhecidospelovalorjustonadataemqueumcontratodederivativo é celebrado e são subsequentemente re-mensurados ao seu valor justo. As variações no valor justo de derivativos são registradas na demonstração do resultado. 3.7 Contas a Receber de Clientes: As contas a receber de clientes correspondem aos valores a receber de clientes pela venda de produtos, mercadorias ou prestação de serviços no decurso normal das atividades da Companhia. As contas a receber de clientes, inicialmente, são reconhecidas pelo valor justo e, subsequentemente, mensuradaspelocustoamortizadocomousodométododataxa de juros efetiva menos a provisão para impairment (perdas no recebimento de créditos). Normalmente na prática são reconhecidas ao valor faturado ajustado a valor presente e ajustado pela provisão para impairment se necessária. 3.8 Estoques: Os estoques estão registrados pelo menor valor entre o custo e o valor Custos dos Produtos Vendidos e Despesas Operacionais (em R$ milhões) Lucro Líquido do Exercício: A companhia apresentou um lucro líquidoder$35,7milhões,em2012,comumaumentode30,6% emrelaçãoaosr$27,3milhõesapuradosem2011,comreflexo namargemlíquidade4,5%em2011para5,8%em2012. Rentabilidade DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO ENCERRADO EM (Em milhares de Reais) RECEITAOPERACIONAL LÍQUIDA Custo dos Prod. e Serviços Vendidos ( ) ( ) LUCRO BRUTO RECEITAS/(DESP.) OPERACIONAIS ( ) ( ) DespesascomVendas... (96.387) (83.945) Despesas Gerais e Administrativas.. (58.585) (51.930) Despesas Tributárias... (12.655) (8.223) OutrasReceitaseDespesas RESULTADO ANTES DAS RECEITAS EDESPESASFINANCEIRAS Receitas Financeiras Despesas Financeiras (34.529) (35.660) RESULTADO ANTES DOS TRIBU- TOSSOBREOLUCRO Imposto de Renda e Contrib. Social (6.692) RESULTADO ANTES DA PARTICI- PAÇÃODEEMPREGADOS Participação Empregados... (3.206) - LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO LucroBásicoporAção ,47 3,42 DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS ABRANGENTES Lucro Líquido do Exercício Outros ResultadosAbrangentes Total de Outros Resultados Abrangentes Resultado Abrangente Total do Exercício Fluxo de Caixa: No exercício de 2012, a Stemac registrou uma geração de caixa considerada adequada e disponibilidades que totalizaram R$ 60,3 milhões. Os índices de liquidez demonstram evolução na capacidade de pagamento, sendo considerada satisfatória a base financeira da companhia. Índice de Liquidez Estrutura de Capitais PortoAlegre (RS), 14 de Janeiro de ADIRETORIA DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA (MÉTODO INDIRETO) DOS EXERCÍCIOS ENCERRADOS EM 31/12/ /12/2011 FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS LucroLíquidodoExercício Ajustado por: (+)DepreciaçãoeAmortização (+) Juros Provisionados sobre Operações Financeiras (+) Provisões Tributos Diferidos... (7.999) (+/-) Provisões Contingências (+/-) Ganhos/Perdas nas Alienações doativo Imobilizado (ACRÉSCIMO)/DECRÉSCIMO DO ATIVO... (43.152) (50.615) Clientes... (13.680) (18.682) Estoques... (23.280) (24.022) ImpostosaRecuperar... (5.330) Adiantamento a Fornecedores... (1.400) (7.286) OutrasContasaReceber (1.979) ACRÉSCIMO/(DECRÉSCIMO) DO PASSIVO (25.713) Fornecedores... (15.240) Obrigações Sociais e Trabalhistas... (1.820) 299 Obrigações Tributárias Antecipações de Clientes... (8.753) (432) OutrasContasaPagar... (300) (3.920) Caixa Líquido das Atividades Operacionais (2.294) FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTO Recebimento(Pagamento) de Empréstimos apessoasligadas... (3.258) (4.836) Alienações doativo Imobilizado Aquisições deativo Imobilizado... (39.445) (41.554) Aquisições deativo Intangível... (1.345) (1.818) Caixa Líquido das Ativ. de Investimento.. (27.651) (48.208) FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO Captação (Pagamentos) Empréstimos e Financiamentos Juros Pagos s/emprést. e Financiamentos (20.987) (21.617) Distribuição de Lucros... (7.579) (7.134) Caixa Líquido das Ativ. de Financiamento (9.311) Aumento(Diminuição) de Caixa eequivalentesdecaixa (19.139) Caixa e Equivalentes de Caixa noiníciodoexercício Caixa e Equivalentes de Caixa nofinaldoexercício DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO DOS EXERCÍCIOS ENCERRADOS EM DESCRIÇÃO 31/12/ /12/ RECEITAS ) Vendas de merc., produtos e serviços ) Outras receitas ) Provisão para créditos de liquidação duvidosa / Constituição... (127) INSUMOS ADQUIRIDOS DE TERCEI- ROS(inclui os valores dos impostos -ICMS,IPI,PISeCOFINS)... ( ) ( ) 2.1) Custos dos produtos, das mercadorias edosserviçosvendidos... ( ) ( ) 2.2) Materiais, energia, serviços de terceiroseoutros... ( ) ( ) 3- VALOR ADICIONADO BRUTO(1-2) DEPRECIAÇÃO, AMORTIZAÇÃO EEXAUSTÃO... (10.391) (7.706) 5- VALOR ADICIONADO LÍQUIDO PRO- DUZIDOPELAENTIDADE(3-4) VALOR ADICIONADO RECEBIDO EMTRANSFERÊNCIA ) Receitas Financeiras VALOR ADICIONADO TOTAL ADISTRIBUIR(5+6) DISTRIBUIÇÃO DO VLR. ADICIONADO ) Pessoal ) Remuneração direta ) Participação Empregados ) Benefícios ) FGTS ) Impostos, taxas e contribuições ) Federais ) Estaduais ) Municipais ) Remuneração de capitais de terceiros ) Juros ) Aluguéis ) Remuneração de Capitais Próprios )Jurossobreocapital próprio ) Dividendos ) Lucros retidos líquido realizável. O custo é determinado usando o método do custo médio. O custo dos produtos acabados e em elaboração compreende o custo das matérias-primas, mão-de-obra e outros custos indiretos relacionados à produção baseados na ocupaçãonormaldacapacidadeenãoincluiocustodeempréstimose financiamentos. O valor líquido realizável é estimado com base no preço de venda dos produtos em condições normais de mercado, menos as despesas variáveis de vendas. 3.9 Imobilizado: A empresa realizou a revisão da vida útil econômica estimada para o cálculo de depreciação. Para fins dessa análise, a empresasebaseounaexpectativadeutilizaçãodosbens,eaestimativa referente à vida útil dos ativos, bem como, a estimativa do seu valor residual, conforme experiência anterior com ativos semelhantes. O valor justo apurado em 31 de dezembro de 2009 foi considerado como o custo atribuído destes ativos em 1º de janeiro de 2009, data de transição as normas internacionais de contabilidade (IFRS International Financial Reporting Standards).Avariaçãoentreovalorjustoapuradoem31dedezembro de 2009 e o custo de aquisição registrado no imobilizado em 1º de janeiro de 2009 foi reconhecida no Patrimônio Líquido. Os custos subsequentes são incluídos no valor contábil do ativo ou reconhecidos como um ativo separado, conforme apropriado, somente quando forem provável que fluam benefícios econômicos futuros associados ao item e que o custo do item possa ser mensurado com segurança. O valor contábil de itens ou peças substituídos é baixado. Todos os outros reparos e manutenções são lançados em contrapartida ao resultado do exercício, quando incorridos. Os terrenos não são depreciados. A depreciação de outros ativos é calculada usando o método linear durante a vida útil estimada. Os valores residuais e a vida útil dos ativos são revisados e ajustados, se apropriado, ao final de cada exercício. O valor contábil de um ativo é imediatamente ajustado se este for maior que seu valor recuperável estimado Intangível: a) Software e Implantação de Sistemas e Processos: Os custos associados à manutenção de softwares e implantação de sistemas e processos são reconhecidos como despesa, conforme incorridos. Os custos de aquisição e desenvolvimento que são diretamente atribuíveis ao projeto e aos testes de produtos de software identificáveis e exclusivos, controlados pela Companhia, são reconhecidos como ativos intangíveis quando os seguintes critérios são atendidos: é tecnicamente viável concluir o software para que ele esteja disponível para uso; a administração pretende concluir o software e usá-lo; o software pode ser usado; o software gerará benefícios econômicos futuros prováveis, que podem ser demonstrados; estão disponíveis recursos técnicos, financeiros e outros recursos adequados para concluir o desenvolvimento e para usar o software; e, o gasto atribuível ao software durante seu desenvolvimento pode ser mensurado com segurança. Os custos diretamente atribuíveis, que são capitalizados como partes do produto de software incluem os custos com empregados alocados no desenvolvimento de softwares e uma parcela adequada das despesas diretas relevantes. Outros gastos de desenvolvimento que não atendam a esses critérios são reconhecidos como despesa, conforme incorridos. Os custos de desenvolvimento previamente reconhecidos como despesas não são reconhecidos como ativo em período subsequente. b) Licenças: As licenças adquiridas separadamente são demonstradas pelo custo histórico. Por serem consideradas ativos com vida útil indefinida, as mesmas não são amortizadas.as licenças de software adquiridas são capitalizadas com base nos custos incorridos para adquirir os softwares e fazer com que eles estejam prontos para serem utilizados. Esses custos são amortizados durante sua vida útil estimada. c) Desenvolvimento de Protótipos: São ativos intangíveis gerados internamente, gastos incorridos na fase de desenvolvimento para novos projetos e processos de produção de produtos, custos de testes para garantir que o ativo está funcionando de maneira apropriada, cumprindo como os critérios de viabilidade técnica e de geração de benefícios futuros Impairment de Ativos Não Financeiros: Os ativos que estão sujeitos à depreciação ou amortização são revisados para a verificação de impairment sempre que eventos ou mudanças nas circunstâncias indicarem que o valor contábil pode não ser recuperável. Uma perda por impairment é reconhecida pelo valor ao qual o valor contábil do ativo excede seu valor recuperável. Este último é o valor mais altoentreovalorjustodeumativomenososcustosdevendae o valor em uso. Para fins de avaliação do impairment, os ativos são agrupados nos níveis mais baixos para os quais existam fluxos de caixa identificáveis separadamente(unidades Geradoras de Caixa - UGC). Os ativos não financeiros, que tenham sofrido impairment, são revisados para a análise de uma possível reversão do impairment na data de apresentação das demonstrações financeiras Contas a Pagar a Fornecedores: As contas a pagar aos fornecedores são obrigações a pagar por bens ou serviços que foram adquiridos de fornecedores no curso ordinário dos negócios e são, inicialmente, reconhecidas pelo valor justo e, subsequentemente, mensuradas pelo custo amortizado com o uso do método de taxa de juros efetiva. Na prática, são normalmente reconhecidas ao valor da fatura correspondente, ajustada a valor presente, quando aplicável Empréstimos e Financiamentos: Os empréstimos e financiamentos são reconhecidos, inicialmente, pelo valor justo, líquido dos custos da transação incorridos e são, subsequentemente, demonstrados pelo custo amortizado. Qualquer diferença entre os valores captados(líquidosdoscustosdatransação)eovalorderesgateéreconhecida nademonstraçãodoresultadoduranteoperíodoemqueosempréstimos estejam em andamento, utilizando o método da taxa de juros efetiva.

2 6 Quinta-feira, 21 de fevereiro de Caderno Jornal do Comércio STEMAC S/A GRUPOS GERADORES CNPJ / NIRE Provisões: As provisões são reconhecidas quando a Companhia tem uma obrigação presente ou não formalizada(constructive obligation) como resultado de eventos passados; é provável que uma saída de recursos seja necessária para liquidar a obrigação; e o valor foi estimado com segurança. Quando houver uma série de obrigações similares, a probabilidade de a Companhia liquidálas é determinada, levando-se em consideração a classe de obrigações como um todo. Uma provisão é reconhecida mesmo que a probabilidade de liquidação relacionada com qualquer item individual incluído na mesma classe de obrigações seja pequena. As provisões são mensuradas pelo valor presente dos gastos que devem ser necessários para liquidar a obrigação, usando uma taxa antes do imposto, a qual reflete as avaliações atuais do mercado do valor temporal do dinheiro e dos riscos específicos da obrigação. O aumento da obrigação em decorrência da passagem do tempo é reconhecido como despesa financeira Imposto de Renda e Contribuição Social: As despesas fiscais do período compreendem o imposto de renda corrente e diferido. O imposto é reconhecido na demonstração do resultado, exceto na proporção em que estiver relacionado com itens reconhecidos diretamente no patrimônio. Nesse caso, o imposto também é reconhecido no patrimônio. O encargo de imposto de renda corrente é calculado combasenasleistributáriaspromulgadas,nadatadobalançodopaísemqueacompanhiaatuaegeralucroreal.aadministração avalia, periodicamente, as posições assumidas pela Companhia nas declarações de impostos de renda com relação às situações em que a regulamentação fiscal aplicável dá margem a interpretações. Estabelece provisões, quando apropriado, com base nos valores que deverão ser pagos às autoridades fiscais. O imposto de renda e a contribuição social diferidos lançados no ativo não circulante ou no passivo não circulante decorrem de prejuízos fiscais e bases negativas da contribuição social e de diferenças temporárias originadas entre receitas e despesas lançadas no resultado, entretanto, adicionadas ou excluídas temporariamente na apuração do lucro real e da contribuição social. Os ativos decorrentes de créditos tributários diferidos somente são reconhecidos quando há expectativa da geração de resultados futuros suficientes para compensá-los Benefícios a Empregados: a) Obrigações com Aposentadoria: A Companhia opera um plano de aposentadoria aos colaboradores, de contribuição definida, administrado pelo Banco do Brasil - BrasilPrev. Plano de contribuição definida é um plano de aposentadoria segundo o qual a Companhia faz contribuições fixas a uma entidade separada, onde a Companhia não tem obrigações legais nem construtivas de fazer contribuições se o fundo não tiver ativos suficientes para pagar a todos os empregados os benefícios relacionados com o serviço do empregado no período corrente e anterior. Com relação aos planos de contribuição definida, a Companhia faz contribuições e as reconhece como despesa de benefícios a empregados, e não tem nenhuma obrigação adicional de pagamento depois que a contribuiçãoéefetuada. b) ParticipaçãonosLucros: Aparticipaçãodoscolaboradoresestavinculadoaoalcancedemetasoperacionais e é provisionado no Demonstrativo de Resultados do Exercício Apuração do Resultado: O resultado das operações é apurado em conformidade com o regime contábil da competência dos exercícios, tanto para o reconhecimento de receitas quanto de despesas Reconhecimento das Receitas de Vendas: A receita de vendas compreende o valor justo da contraprestação recebida ou a receber pela comercialização de produtos e serviços no curso normal das atividades da Companhia. A receita é apresentada líquida dos impostos e das devoluções.aempresa reconhece a receita quando:(i) o valor da receita pode ser mensurado com segurança; (II) é provável que benefícios econômicos futuros fluirão para a entidade; e (III) quando critérios específicos tiverem sido atendidos para cada uma das atividades da Companhia. O valor da receita não é considerado como mensurável com segurança até que todas as contingências relacionadas com a venda tenham sido resolvidas. A Companhia baseia suas estimativas em resultados históricos, levando em consideração o tipo de cliente, o tipo de transação e as especificações de cada venda Subvenções Governamentais: A subvenção governamental é reconhecida quando existe razoável segurança de que a entidade cumprirá todas as condições estabelecidas relacionadas à subvenção e de que ela será recebida. As subvenções governamentais são reconhecidas sistematicamente no resultado durante os períodos nos quais a Companhia reconhece como despesas os correspondentes custos que as subvenções pretendem compensar. A companhia reconhece as subvenções governamentais como receita nos períodos apropriados uma vez que a mesma é recebida de uma fonte que não os acionistas e deriva de ato de gestão em benefício da entidade quando cumpre as regras das subvenções e determinadas obrigações. Assim como os tributos são despesas reconhecidas na demonstração do resultado, é lógico registrar a subvenção governamental que é, em essência, uma extensão da política fiscal, como receita na demonstração do resultado Dividendos: A distribuição de dividendos para os acionistas da Companhia é reconhecida como um passivo nas demonstrações financeiras ao final do exercício, com base no estatuto social da Companhia Julgamento e Uso de Estimativas Contábeis: A preparação de demonstrações financeiras requer que a administração da Companhia se baseie em estimativas para o registro de certas transações que afetam os ativos e passivos, receitas e despesas, bem como a divulgação de informações sobre dados das suas demonstrações financeiras. Os resultados finais dessas transações e informações, quando de sua efetiva realização em períodos subsequentes, podem diferir dessas estimativas. As políticas contábeis e áreas que requerem um maior grau de julgamento e uso de estimativas na preparação das demonstrações financeiras, são: a) Créditos de liquidação duvidosa que são inicialmente provisionados e posteriormente lançados para perda quando esgotadas as possibilidades de recuperação; b) Vida útil e valor residual dos ativos imobilizados e intangíveis; c) Impairment dos ativos imobilizados e intangíveis; d) Expectativa de realização dos créditos tributários diferidos do imposto de renda e da contribuição social; e, e) Passivos contingentes que são provisionados de acordo com a expectativa de êxito, obtida e mensurada em conjunto a assessoria jurídica da empresa. NOTA 4- GERENCIAMENTO DE RISCOS DE INSTRUMENTOS FINANCEIROS: Em atendimento aos Pronunciamentos Técnicos CPC nº s 38, 39 e 40, a Companhia revisou os principais instrumentos financeiros ativos e passivos, bem como os critérios para a sua valorização, avaliação, classificação e os riscos a eles relacionados, os quais estão descritos a seguir: a) Recebíveis: São classificados como recebíveis os valores de caixa e equivalentes de caixa, contas a receber e outros ativos circulantes, cujos valores registrados aproximam-se, na data do balanço, aos de realização. b) Aplicações Financeiras: São classificados como mantidos para negociação ou como caixa e equivalentes de caixa, quando resgatáveis em curtíssimo prazo(inferior a 90 dias). Os valores registrados equivalem, na data do balanço, aos seus valores de mercado, com as variações nesses valores refletidas na demonstração do resultado. c) Outros passivos financeiros: São classificados neste grupo os empréstimos e financiamentos, os saldos mantidos com fornecedores e outros passivos circulantes. Os empréstimos e financiamentos são classificados como passivos financeiros não mensurados ao valor justo, e estão contabilizados pelos seus valores contratuais. d) Valor justo: Os valores justos dos instrumentos financeiros são iguais aos valores contábeis. e) Gerenciamento de riscos de instrumentos financeiros: A Administração da Companhia realiza o gerenciamento a exposição aos riscos de taxas de juros, câmbio, crédito e liquidez em suas operações com instrumentos financeiros dentro de uma política global de seus negócios. Riscos de taxas de juros: O objetivo da política de gerenciamentos de taxas de juros da Companhia é o de minimizar as possibilidades de perdas por conta de flutuações nas taxas de juros que aumentem as despesas financeiras relativas a empréstimos e financiamentos captados no mercado. Para o gerenciamento do risco de taxa de juros, a Companhia adota a estratégia de diversificação de instrumentos financeiros lastreado em taxas fixas e variáveis. A Companhia monitora continuamente as taxas de juros de mercado com o objetivo de avaliar a eventual necessidade de contratação de operações para se proteger contra o risco de volatilidade dessas taxas e adotam política conservadora de captação e aplicação de seus recursos financeiros. Riscos de taxas de câmbio: A Companhia também está exposta ao risco de taxa de câmbio nas operações de captação de recursos indexadas a moeda estrangeira (Dólar e Euro). Para reduzir esse risco, a Administração da Companhia monitora permanentemente o mercado de câmbio e para eliminar possíveis variações não esperadas nos resultados, a empresa contrata operações com instrumentos financeiros derivativos: a) Política de uso dos derivativos: conforme política interna, o resultado financeiro da Companhia deve ser oriundo da geração de caixa do seu negócio e não de ganhos no mercado financeiro. Portanto, considera que a utilização de derivativos deve ser apenas para proteger eventuais exposições que ela possa ter decorrentes dos riscos nos quais ela está exposta, sem fins especulativos. A companhia admite para fins de proteção do fluxo operacional e do fluxo financeiro, um valor máximo de USD 10MM (Dez milhões dedólares) mensais de exposição cambial em moeda estrangeira(dólar e Euro). A contratação de um derivativo deve ter como contraparte um ativo ou um passivo descoberto; b) Objetivos dos derivativos: O objetivo é o gerenciamento de riscos, eliminando possíveis variações não esperadas nos resultados da empresa, advindas destas operações; c) Política de mensuração dos derivativos: por se tratarem de instrumentos para eliminar as variações de ativos ou passivos descobertos, os derivativos são mensurados a valor justo na data de apuração. Risco de crédito: ACompanhia não possui concentração de risco de crédito de clientes, em decorrência da diversificação da carteira de clientes, além do contínuo acompanhamento dos prazos de financiamento das vendas. Os títulos vencidos da Companhia possuem garantias e são monitorados por equipe jurídica própria, que realiza cobrança administrativa e judicial. Os riscos são dimensionados e se classificados como prováveis são provisionados no resultado. Quanto ao risco de crédito associado às aplicações financeiras e equivalentes de caixa, a Companhia somente realiza operações em instituições com baixo risco de crédito. Risco de liquidez: A política de gerenciamento de riscos implica em manter um nível seguro de disponibilidades de caixa ou acessos a recursos imediatos. Dessa forma, a Companhia possui aplicações com vencimento em curto prazo e com liquidez imediata. Gestão de risco de capital: Os objetivos da Companhia ao administrar seu capital são os de salvaguardar a capacidade de continuidade de suas operações, para oferecer retorno aos seus acionistas e garantia às demais partes interessadas, além de manter uma adequada estrutura de capital. NOTA 5- INSTRUMENTOS FINANCEIROS POR CATEGORIA: Ativos financeiros Mensurados Passivos financeiros em 31 de dezembro pelo valor Mantidos em 31 de dezembro Outros de 2012 conforme justo por meio Empréstimos até o de 2012 conforme passivos balanço patrimonial do resultado e Recebíveis Vencimento Total balanço patrimonial financeiros Total Caixa e Equivalentes (Nota 06) Fornecedores(Nota 13) Títulos de Capitalização EmpréstimoseFinan- Contas a Receber(Nota 07) ciamentos(nota 14) Depósitos Judiciais (Nota 17) Total Total Ativos financeiros Mensurados Passivos financeiros em 31 de dezembro pelo valor Mantidos em 31 de dezembro Outros de 2011 conforme justo por meio Empréstimos até o de 2011 conforme passivos balanço patrimonial do resultado e Recebíveis Vencimento Total balanço patrimonial financeiros Total Caixa e Equivalentes (Nota 06) Fornecedores(Nota 13) Títulos de Capitalização EmpréstimoseFinan- Contas a Receber(Nota 07) ciamentos(nota 14) Depósitos Judiciais (Nota 17) Total Total NOTA6-CAIXAEEQUIVALENTESDECAIXA: CaixasBancos(Nota05) Aplicações Financeiras (Nota 05) Total de Caixa e Equivalentes de Caixa NOTA7-CONTASARECEBERDECLIENTES: Contas a Receber de Clientes Nacionais CP Contas a Receber de Clientes Internacionais CP Contas a Receber Partes Relacionadas CP (Nota18.1) Contas a Receber de Clientes Nacionais LP Provisão p/crédito de Liquidação Duvidosa (544) (417) Total Contas a Receber de Clientes Aging List Contas a Receber de Clientes Vencidos Avencerematé3meses Avencerentre3e6meses Avencermaiorque1ano Total Contas a Receber de Clientes NOTA8-ESTOQUES: ProdutosAcabados Produtos em Elaboração Matérias Primas EstoquePoderdeTerceiros (-)EstoquePoderdeTerceiros... (12.703) (25.233) EstoqueMaterialdeConsumo Total dos Estoques Os empréstimos e financiamentos da companhia estão garantidos pelos estoques no montante de R$ Financiamentos com Garantias de Penhor Valor Valor Financiamento Garantia em milhares em milhares Garantia Banco de reais de reais Penhor Financiamento - FINEP Estoques NOTA9-IMPOSTOSARECUPERAR: CIRCULANTE ImpostodeRendanaFonte Contribuição Social na Fonte Antecipação de IRPJ e CSLL(Nota 16) IPI ICMS COFINS PIS ISSQN Seguridade Social (INSS 11%) IRPJDiferido(Nota16) Reintegra Parcela Circulante NÃO CIRCULANTE: ICMSaRecuperarImobilizado PIS a Recuperar Imobilizado COFINS a Recuperar Imobilizado ParcelaNãoCirculante NOTA 10 - IMOBILIZADO: Terrenos Imóveis Prédios Máqui- Móveis Compu- Software Imobi- Total c/rea- e c/rea- nas e Ferra- Insta- e Uten- tadores Sistema lizado Imobi- Terrenos valiação Prédios valiação Equips. mentas lações sílios Veículos e Perif. Operac. Andam. lizado Taxas de Depreciação 30% a Societária... 0% 4% 10% 10% 20% 10% 10% 42% 20% 20% 0% de2010 Custo Dep. Acum.e Impairment - - (7.824) (842) (9.261) - (393) (1.931) (5.472) (4.133) (48) - (29.904) Valor líquido contábil SaldoInicial Adições Baixas (178) - - (25) (10.345) (51) - - (10.599) Reclassificações (457) (1.635) (1.067) Depreciação (1.273) - (1.717) - (11) (448) (1.353) (1.490) (7) - (6.299) Baixas da Depreciação Adiantam.imobilizados (84) (544) (628) Saldo Final de2011 Custo Dep. Acum.e Impairment - - (9.097) (842) (10.870) - (404) (2.366) (4.252) (5.573) (55) - (33.459) Valor líquido contábil SaldoInicial Adições Baixas (42) - - (25) (24.924) (46) - - (25.037) Reclassificações (750) (329) Depreciação (1.279) - (1.968) (4) (97) (496) (2.956) (1.725) (11) - (8.536) Baixas da Depreciação Saldo Final de2012 Custo Dep. Acum.e Impairment - - (10.376) (842) (12.805) (4) (501) (2.844) (4.465) (7.255) (66) - (39.158) Valor líquido contábil ACompanhia procedeu à avaliação da Vida Útil Econômica doativo Imobilizado, em 01/01/2009 de acordo com a lei /07 e / 09, e realizou a revisão neste exercício, conforme o Pronunciamento Técnico CPC 27 o qual aborda o assunto do ativo imobilizado e sua vida útil. Na adoção inicial deste pronunciamento, em 31/12/2009 a Companhia fez a opção de ajustar os saldos iniciais a valores justos, com a utilização do conceito de custo atribuído(deemed cost). Desta forma a Companhia atribuiu o valor justo através de laudo emitido por empresa especializada. Metodologia utilizada para determinar o cálculo da depreciação: A base adotada para determinar o cálculodadepreciaçãofoiàpolíticadacompanhiaquedemonstraasvidasúteiseospercentuaisderesidualparacadaitemdoativo imobilizado das unidades avaliadas. Para cada família de itens a Companhia estabelece uma vida útil conforme as premissas, critérios e elementos de comparação citados abaixo: Política de renovação dos ativos; Inspeção in loco de todas as unidades avaliadas; Experiência da Companhia com ativos semelhantes; Experiência da Companhia com vendas de ativos semelhantes; Inventários físicos de todas as unidades avaliadas; Informações contábeis e controle patrimonial; Especificações técnicas; Conservação dos bens; e, Política de Manutenção Visando salvaguardar os ativos. Na determinação da política de estimativa de vida útil, os critérios utilizados pelos técnicos foram o estado de conservação dos bens, evolução tecnológica, a política de renovação dos ativos, e a experiênciadacompanhiacomseusativos. OmontantedeR$4.216noexercício(R$2.982noexercíciode2011) referenteàdepreciação do imobilizado foi debitado ao resultado na rubrica de custos de produção, o montante de R$ no exercício(r$ no exercício de 2011) como despesas comerciais e o montante de R$ no exercício (R$ no exercício de 2011) como despesas administrativas. Os empréstimos e financiamentos da companhia estão garantidos pelos bens imóveis no montante de R$ Financiamentos com Garantias de Penhor Valor Financiamento Valor Garantia em Garantia Banco em milhares de reais milhares de reais Penhor Financiamento - FINEP Imóveis Financiamento - Caixa Estadual Imóveis NOTA 11 - INTANGÍVEL Direito Marcas e Software Implantação Desenv. e Total de uso Patentes Sist. Aplic. Sist. e Proc. Protótipos Intangível Taxas Anuais de Amortização... 10% 20% 20% 24% Custo Depreciação Acumulada e Impairment... (33) - (2.314) (959) - (3.306) Valor líquido contábil Saldo Inicial Adições Reclassificações Amortização... (100) - (722) (585) - (1.407) Saldo Final de2011 Custo Depreciação Acumulada e Impairment... (133) - (3.036) (1.544) - (4.713) Valor líquido contábil Saldo Inicial Adições Reclassificações Amortização... (100) - (1.105) (650) - (1.855) Saldo Final de2012 Custo Depreciação Acumulada e Impairment... (233) - (4.141) (2.194) - (6.568) Valor líquido contábil Os ativos classificados como intangíveis com vida útil indefinida não são amortizados, mas submetidos ao teste de recuperabilidade, de forma anual, não tendo sido identificadas perdas por impairment. O montante de R$ 213 no exercício (R$ 63 no exercício de 2011) referente à amortização do intangível foi debitado ao resultado na rubrica de custos de produção, o montante de R$ 150 no exercício(r$ 113 no exercício de 2011) como despesas comerciais e o montante de R$ no exercício(r$ no exercício de 2011) como despesas administrativas. NOTA 12- RECUPERABILIDADE DOS ATIVOS(IMPAIRMENT): A Companhia analisa a indicação de que um ativo possa ter sofrido desvalorização, de acordo com o Pronunciamento Técnico CPC 01- Redução ao Valor Recuperável deativos, observando as seguintes indicações: Fontes externas de informação: (a) durante o período, o valor de mercado de um ativo diminuiu sensivelmente, mais do que seria de se esperar como resultado da passagem do tempo ou do uso normal;(b) mudanças significativas com efeito adverso sobre a entidade ocorreram durante o período, ou ocorrerão em futuro próximo, no ambiente tecnológico, de mercado, econômico ou legal, no qualaentidadeoperaounomercadoparaoqualoativoéutilizado;(c)astaxasdejurosdemercadoououtrastaxasdemercadode retorno sobre investimentos aumentaram durante o período, e esses aumentos provavelmente afetarão a taxa de desconto usada no cálculodovaloremusodeumativoemusoediminuirãosignificativamenteovalorrecuperáveldoativo. Fontesinternasdeinformação: (d) evidência disponível de obsolescência ou de dano físico de um ativo; (e) mudanças significativas, com efeito adverso sobre a entidade,ocorreramduranteoperíodo,oudevemocorreremfuturopróximo,namedidaoumaneiraemqueumativoéouseráusado. Essas mudanças incluem o ativo que se torna inativo, planos para descontinuidade ou reestruturação da operação à qual um ativo pertence,planosparabaixadeumativoantesdadataanteriormenteesperadaereavaliaçãodavidaútildeumativocomofinitaaoinvés de indefinida; e,(f) evidência disponível, proveniente de relatório interno, que indique que o desempenho econômico de um ativo é ou será pior que o esperado. Considerando estes fatores externos e internos, a administração não constatou indicação de perda. NOTA 13 - FORNECEDORES E OUTRAS OBRIGAÇÕES: FORNECEDORES - CURTO PRAZO Fornecedores Nacionais Fornecedores Internacionais Fornecedores Partes Relacion. (Nota 18.1) Total FORNECEDORES - LONGO PRAZO Fornecedores Internacionais LP Total Total Fornecedores Aging List Contas a Pagar Avencerematé3meses Avencerentre3e6meses Avencerde6mesesa1ano Avencermaiorque1ano Contas a Pagar a Fornecedores OBRIGAÇÕES SOCIAIS E TRABALHISTAS INSS a Recolher SESI/SENAI a Recolher FGTS a Recolher Participação Empregados Outros Provisão Férias Total OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS CURTO PRAZO ICMS ISSQN PIS COFINS IR IPI ICMS Parcelamento (Nota 20.3) PAES Parcelamento (Nota 20.2) Lei 11941/09 RFB (Nota 20.1) Diversos Total OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS - LONGO PRAZO INSS PAES Parcelamento (Nota 20.2) Lei 11941/09 RFB (Nota 20.1) ICMS Parcelamento (Nota 20.3) Total NOTA 14 - EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS: Circulante Capital de Giro Financiamentos Arrendamentos Financeiros Não Circulante Capital de Giro Financiamentos Arrendamentos Financeiros Total de Empréstimos e Financiamentos Por Vencimento Circulante Não Circulante Total Total de Empréstimos e Financiamentos Os valores contábeis dos empréstimos e financiamentos representam o seu valor justo, pois os encargos estão reconhecidos pró-rata. Alguns financiamentos são garantidos por aval, alienação fiduciária ou garantia de Penhor. Custo médio dos empréstimos e financiamentos Taxas Modalidade Encargos Anuais Finame Componentes Financiamento Pré fixada 5,00% a.a. Finame PSI Financiamento TJ ,70% a.a. a 6,00% a.a. Finame PSI Financiamento TJLP + 5,70% a.a. Finame PSI Financiamento Pré fixada 2,50% a.a. a 10,00% a.a. Finep Financiamento Pré fixada 4,89% a.a. Finimp Financiamento Pré fixada 2,30% a.a. a 4,15% a.a. Financiamento Exportação Financiamento Pré fixada 4,50% a.a. a 9,00% a.a. Bndes Automático Financiamento TJLP + 1,40% a.a. a 6,00% a.a. Bndes Automático Capital de Giro TJLP + 3,50% a.a. Capital de Giro Capital de Giro Pré fixada 10,296% a.a. a 12,55% a.a. Capital de Giro Capital de Giro CDI+3,05% a.a.a3,66% a.a. Leasing Pós Arrendamentos Financeiros CDI + 2,20% a.a. a 5,16% a.a. Leasing Pré Arrendamentos Financeiros Pré fixada 15,65% a.a.

3 Jornal do Comércio 2 Caderno Quinta-feira, 21 de fevereiro de STEMAC S/A GRUPOS GERADORES CNPJ / NIRE NOTA 15 - DERIVATIVOS: VALOR SALDO VLR GANHO/ VALOR INICIAL BANCO VARIAÇÃO PERDA COM BANCO MODALIDADE INDEXADOR INICIAL BRL PASSIVO CAMBIAL DERIVATIVOS EFEITO Banco Votorantim Fluxo Operacional DÓLAR (165) Banco Votorantim Fluxo Operacional EURO (146) Banco Indusval Fluxo Operacional DÓLAR (102) Banco Indusval Fluxo Operacional EURO (91) 91 - Banco do Brasil Crédito Bancário CDI (91) 91 - Banco Itaú Finimp DÓLAR (432) Banco Itaú Crédito Bancário DÓLAR (324) - Banco Citibank Finimp DÓLAR (5.652) (58) Banco Santander Finimp DÓLAR (1.286) Banco HSBC Finimp DÓLAR (1.481) Banco Safra Finimp DÓLAR (834) Banco Bradesco Finimp DÓLAR (1.448) Banco BNA Finimp DÓLAR (87) 87 - Banco BNA Finimp EURO (68) 68 - TOTAL (11.559) (58) VALOR INICIAL SALDO VLR BANCO MODALIDADE INDEXADOR VALOR INICIAL BRL BANCO PASSIVO (-) LIQUIDADOS Finimp DÓLAR (25.745) (44.980) (47.622) (-) LIQUIDADOS Crédito Bancário CDI (9.000) (9.383) (10.030) (-) LIQUIDADOS Crédito Bancário DÓLAR (6.503) (14.096) (14.397) (-) LIQUIDADOS Fluxo Operacional DÓLAR (12.250) (24.822) (24.913) (-) LIQUIDADOS Fluxo Operacional EURO (4.850) (12.246) (12.299) TOTAL... (58.348) ( ) ( ) Saldo das Operações Pendentes Durante o período de 2012, as operações de derivativos geraram um ganho líquido de R$ Este ganho anulou a variação cambial passiva destes contratos, objeto fim dos mesmos. NOTA 16- IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL: Ativo IRPJ Estimativa a Compensar CSLL Estimativa a Compensar TotalAtivo Circulante (Nota 09) Ativo Impostos Diferidos Total Ativo Circulante Impostos Diferidos Total Ativo Não Circulante Passivo Impostos Diferidos Total Passivo Não-Circulante NOTA16.1-ImpostosDiferidos:OImpostodeRendaeaContribuição Social diferidos são calculados sobre os prejuízos fiscais do Imposto de Renda, sobre a Base Negativa de Contribuição Social e as correspondentes diferenças temporárias entre as bases de cálculo do imposto sobre ativos, passivos e valores contábeis das demonstrações financeiras. As alíquotas desses impostos, definidas atualmente para determinação dos tributos diferidos,sãode25%paraoimpostoderendae9%paraacontribuição Social. Impostos diferidos ativos são reconhecidos na extensão em que seja provável que o lucro futuro tributável esteja disponível para ser utilizado na compensação das diferenças temporárias, com base em projeções de resultados futuros elaboradas e fundamentadas em premissas internas e em cenários econômicos futuros que podem, portanto, sofrer alterações. Acomposição de ativos e passivos de imposto de renda diferido é a seguinte: IMPOSTOS DIFERIDOS Ativo Fiscal Diferido IRPJ CSLL Total IRPJ CSLL Total Prejuízo Fiscal Total Ativo Circulante Prejuízo Fiscal Total Ativo Não-Circulante Passivo Fiscal Diferido... IRPJ CSLL Total IRPJ CSLL Total Provisão Devedores Duvidosos Depreciação... (8.422) (3.032) (11.454) (5.398) (1.943) (7.341) Provisão INSS Cooperativas Provisão Fiscais Prev. Trab Provisão IOF Aplicações Financeiras Ganho Imobilizado PGPR AVP Provisão Custos a Realizar Valor Justo Imóveis... (6.423) (2.312) (8.735) (6.423) (2.312) (8.735) Total Passivo Não-Circulante... (8.233) (2.964) (11.197) (8.770) (3.156) (11.926) Movimentação Prov. Prov.IOF Ganho Provisão Valor Líquida de Ativos e Prejuízos Prov. Dev. Depre- INSS Prov. Fisc. Aplic. Imobi- Custos a Justo Passivos Diferidos Fiscais Duvidosos ciação Cooper. Prev. Trab. Financ. lizado AVP PGPR Realizar Imóveis Total de (3.059) (8.735) 681 Movimentação... (7.251) (37) (4.282) (9.528) de (7.341) (8.735) (8.847) Movimentação (4.113) (90) de (11.454) (8.735) (3.927) Estimativa de Utilização dos Créditos Tributários Diferidos Total O registro dos créditos do imposto de renda e da contribuição social diferidos estão baseados na expectativa de geração de lucros tributáveis futuros e histórico de rentabilidade. NOTA Conciliação Imposto de Renda e Contribuição Social: Resultado antes dos Tributos Alíquota Nominal... 34% 34% IRPJ e CSLL calculados a Alíquota Nominal (11.573) (11.583) Ajustes para Apuração do IRPJ e CSLL efetivos AjustesRTT (7.539) Ajustes Temporais Subvenção Governamental para Investimento (58.080) (9.299) Participação Lucros e Resultados... (3.206) - OutrosAjustes (5.087) BaseIReCS... (12.329) Diferimento/Imposto Base IR e CS (4.416) Diferimento/Imposto dos Ajustes Temporais Diferimento/Imposto RTT (2.563) IRPJeCSLL Diferidos noresultado (6.692) IRPJ (4.920) CSLL (1.772) Alíquota Efetiva % 20% NOTA 17 - PROVISÕES: A Companhia mantém provisões para contingências fiscais, cíveis e trabalhistas, cuja possibilidade de perda foi avaliada como de risco provável pelos assessores jurídicos internos. A administração da Companhia prevê que a provisão para contingência constituída é suficiente para cobrir eventuais perdas com processos judiciais. Parte destas contingências está suportada por depósitos judiciais relacionadas aos processos em discussão. Tribu- Trabatárias lhistas Cíveis Total Em 31 de dezembro de Constituída durante o período Reversão de provisões... (60) (480) (65) (605) Em 31 de dezembro de Depósitos Judiciais Relacionados Outros Depósitos Em 31 de dezembro de Efeito Líquido... (2.183) (2.122) (11) (4.316) NOTA 18 - PARTES RELACIONADAS: 18.1 Transações com Partes Relacionadas: As transações comerciais realizadas com partes relacionadas são efetuadas em condições e prazos semelhantes às transações com terceiros não relacionados. Nos mútuos entre as empresas, os contratos prevêem taxas de juros similares ao custo de captação de recursos junto ao mercado financeiro. PARTES - RELACIONADAS Stepie Ulb S/A StemacSATLtda Stepie Hidro Geradora Ltda Total FORNECEDORES - PARTES RELACIONADAS Stemac Energia S/A Stepie Ulb S/A Total (Nota 13) CLIENTES - PARTES RELACIONADAS Stemac Energia S/A Stepie Ulb S/A Total (Nota 7) Remuneração do Pessoal da Administração: Conforme estabelecido foi atribuída à remuneração dos diretores, em atendimento ao CPC 05 - Divulgação Sobre Partes Relacionadas, a seguir descritas: Benefícios de Curto Prazo: Remuneração Diretoria Total NOTA 19- CREDORES DIVERSOS: Brasil Telecom S/A Outros Credores Total Brasil Telecom S.A.: Trata-se de ação ordinária, processo nº 001/ , de natureza cível, que persegue indenização pelas ações ordinárias não entregues da extinta Companhia Riograndense de Telecomunicações CRT, adquiridas por intermédio dos contratos de participação financeira, com decisão favorável transitado em julgado. A ação encontra-se em fase de execução da sentença. NOTA 20 - PARCELAMENTOS DE IMPOSTOS: 20.1 Parcelamento Lei nº /09: Em consonância com os benefícios estabelecidos pela Lei nº /09 a Companhia optou pelo parcelamento em 13 de novembro de 2009, tendo suas adesões deferidas em dezembro de 2009 e consolidação em junho de As adesões foram efetuadas nos âmbitos da Receita Federal do Brasil(RFB) e também da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN), para as duas modalidades existentes, sendo elas, Débitos Previdenciários e Demais Débitos. Parte do débito existente na PGFN foi liquidada à vista, utilizando o benefício das reduções previstas em Lei, bem como utilizada Base Negativa de CSLLparaaliquidaçãodemultaejuros.Omontantedevidoparaa RFBédeR$8.217,sendoR$693noCurtoPrazoeR$7.524no LongoPrazo.OmontantedevidoparaaPGFNédeR$164,sendo R$14noCurtoPrazoeR$150noLongoPrazo. Circulante (Nota 13) Não Circulante (Nota 13) Total Programa de Parcelamento Especial(PAES): O Programa de Parcelamento Especial(PAES) foi aprovado pela Lei nº de30demaiode2003.acompanhiaaderiuaoreferidoprograma em 31/08/2003, tendo declarado seus débitos com tributos federais administrados pela Receita Federal do Brasil(RFB). Em 31 de dezembrode2012osaldoapagaréder$625,classificadosno Curto Prazo. A amortização dessas obrigações ocorrerá em um prazo estimado de 7 meses. No balanço patrimonial, na respectiva conta de Parcelamento Especial(PAES), estão demonstrados: Circulante (Nota 13) Não Circulante (Nota 13) Total Programa de Ajuste da Dívida do ICMS: O Programa de Ajuste da Dívida do ICMS do Rio Grande do Sul (AJUSTAR) foi aprovado pelo Decreto nº de 31 de outubro de A empresa aderiu ao programa em fevereiro de O montante devidoparaasefaz-rséder$2.621,sendor$1.367nocurtoprazoer$1.254nolongoprazo Circulante (Nota 13) Não Circulante (Nota 13) Total NOTA 21- PATRIMÔNIO LÍQUIDO: a) Capital Social: O Capital Social integralizado é formado de de ações, sendo em ações ordinárias e em ações preferenciais, todas nominativas com valor nominal de R$ 6,25 cada uma, subscrito e integralizado inteiramente por sócios domiciliados no País. As ações preferenciais possuem as vantagens asseguradas no Estatuto Social. b) Proposta de Distribuição do Resultado: A política de distribuição de dividendos e/ou juros sobre o Capital Próprio, na forma da Lei nº 9.249/95, imputados aos dividendos, está estabelecida na letra c do artigo 31 do Estatuto Social,de25%nomínimodolucrolíquidoajustadonaformado artigo 202 da Lei nº 6.404/76. b.1) Dividendos e Juros sobre Capital Próprio pagos com base na Reserva de Lucros,conforme aprovado em Ata de 06/07/2012: 2012 Dividendos pagos no exercício JCP pago no exercício Total b.2) Lucro Líquido remanescente no montante R$ (mil) foi destinado para Reserva de Lucros de Subvenções Governamentais. NOTA 22 - RESULTADO POR AÇÃO: O lucro básico e diluído por ação é calculado mediante a divisão do lucro atribuível aos acionistas da sociedade, pela quantidade de ações emitidas. Numerador Lucro Líquido do exercício atribuído aos acionistas da companhia Lucro disponível aos acion. preferenciais Lucro disponível aos acionistas ordinários Denominador (em milhares de ações) Quantidade de ações preferenciais emitidas Quantidade de ações ordinárias emitidas Total Resultado básico e diluído por ação (em Reais) Ação preferencial... 4,47 3,42 Ação ordinária... 4,47 3,42 NOTA23 - RECEITA: Areconciliação das vendas brutas para a receita líquida é a seguinte: Vendas brutas de mercadorias, produtos e serviços Impostos e Devoluções de vendas... ( ) ( ) Receita Líquida NOTA 24 - RECEITAS E DESPESAS FINANCEIRAS Despesas Financeiras IOF Despesas Bancárias Perdas Aplicações Financeiras Juros Pagos Juros sobre Empréstimos e Financiamentos Variação Cambial Passiva Descontos Concedidos Total das Despesas Financeiras Receitas Financeiras Juros Recebidos Descontos Obtidos Renda Aplicações Financeiras Outras Receitas Financeiras Variação Cambial Ativa Resultado AVP (Ajuste Valor Presente) (263) Total das Receitas Financeiras Resultado Financeiro Líquido... (23.123) (24.042) NOTA25- OUTRAS RECEITAS E DESPESAS OPERACIONAIS: Recuperação de Despesa Seguros Recebidos Outras Receitas Operacionais Recuperação Materiais Incentivos Fiscais Subvenções Governamentais Aluguéis Recebidos Indenizações Recebidas Ganho/Perda Venda Ativo... (5.830) - Total Subvenções Governamentais: A Companhia utiliza a subvenção governamental sobre as vendas de Grupos Geradores e seus componentes. Seu valor correspondente está sendo investidonaconstruçãodenovaplantafabril.ovalorapuradonoperíodo está reconhecido na Demonstração de Resultado do Exercício, no grupodeoutrasreceitasedespesasoperacionais. Nadestinação dos LucrosAcumulados, compõe as Reservas de Lucros em conta específica de Reserva de Subvenção para Investimentos, no qual não fará parte da base de cálculo para distribuição de dividendos. RESERVA DE SUBVENÇÕES GOVERNAMENTAIS Subvenções Governamentais Subvenções Governamentais Total de Subvenções Governamentais Destinação para Reservas Saldo a destinar OsaldodeR$22.328serádestinadoparaReservasdeSubvenções Governamentais quando houverem resultados futuros. NOTA 26 - COBERTURA DE SEGUROS: Os bens da Companhia estão segurados conforme discriminado a seguir: Tipo de seguro Cobertura Seguradora Vencimento Seguro veículos leves Cobertura de 679 veículos, DM/DC R$ mil, DMO Alfa R$ mil APP R$ mil Seguradora S/A 31/12/2013 Seguro veículos leves Cobertura de 65 veículos Compreensiva total, DM/DC Alfa R$ mil, DMO R$ mil APP R$ mil Seguradora S/A 31/12/2013 Seguro veículos pesados Cobertura de 106 veículos DM/DC R$ mil, APP Mapfre Vera Cruz R$ mil Vida e Previdência 31/12/2014 Compreensivo Patrimonial Incêndio, queda de raio, explosão, Alagamento, Inundação, Danos elétricos, Equipamentos eletrônicos, equipamentos Ace móveis e Vendaval R$ mil Seguradora S/A 31/12/2013 Responsabilidade Civil RC estabelecimento comercial, empregado, prestação serviços local de terceiro, obras civis, produtos, e danos morais Zurich Minas Brasil R$ mil Seguros S/A 27/02/2014 RD Usinas Cobertura para os equipamentos das Usinas de venda de Energia (Cobertura básica + Roubo+Dano Elétrico) Mapfre Vera Cruz LMI R$ mil- R$ mil Vida e Previdência 01/08/2013 Seguro de Vida em Grupo Cobertura básica- Morte por qualquer natureza Mapfre Vera Cruz 20 vezes o salário Vida e Previdência 01/08/2013 Responsabilidade Civil Garante o pagamento do prejuízo financeiro decorrentes de recla- Profissional mações de terceiros por danos causados durante a prestação de serviços profissionais pelos quais o segurado seja responsa- Ace bilizado civilmente até o valor de R$ mil Seguradora S/A 20/01/2014 Transportes Importação Cobre danos causados na carga em trânsito, na operação de carga e descarga e roubo em operação de importação Chubb do Brasil de materiais. U$ mil Cia de Seguros Indeterminado Transportes RR Cobre danos causados na carga em trânsito, na operação de car- Chubb do Brasil ga e descarga e roubo em todo território Nacional. R$ mil Cia de Seguros Indeterminado Transportes Exportação Cobre danos causados na carga em trânsito, na operação decargaedescargaerouboemoperaçãodeexportaçãode MapfreVeraCruz materiais. U$ mil Vida e Previdência Indeterminado A Administração considera que o montante de cobertura de seguros é suficiente para cobrir eventuais sinistros em suas instalações industriais e administrativas. NOTA27-AJUSTEAVALORPRESENTE:ConformeCPC12 Ajuste a Valor Presente, por se tratarem de valores irrelevantes nas contas de clientes, outros créditos e fornecedores de curto prazo não houve ajustes a valor presente no resultado da empresa. Para as mesmas contas em longo prazo a empresa realizou os cálculos a valor presente, utilizando como taxa o CDI de e efetuou os ajustes: Clientes Longo Prazo em 2012 antes do Ajuste avalorpresente RealizaçãoAVP constituído em AVPconstituído em (1) Clientes Longo Prazo em 2012 após oajuste avalorpresente NOTA28- INFORMAÇÃO SUPLEMENTAR EBITDA(LAJIDA): Apresentamos abaixo a medição econômica LAJIDA(lucro antes dos juros, imposto de renda, depreciação e amortização). Lucro Líquido (+) IR, CSLL e Participações Estatutárias... (4.920) (+) Despesas (Receitas) Financeiras Líquidas (+) Depreciações eamortizações EBITDA MargemEBITDA... 10,5% 10,8% JORGE LUIZ BUNEDER JOÃO LUIZ BUNEDER CÉSAR A. N. GUTERRES Diretor Presidente Diretor Vice Presidente Contador- CRC/RS /O-7 CPF CPF CPF RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Aos Administradores e Acionistas da STEMAC S.A. GRUPOS GERADORES ExaminamosasdemonstraçõesfinanceirasindividuaisdaStemac S.A. Grupos Geradores, que compreendem o balanço patrimonial em 31 de dezembro de 2012 e as respectivas demonstrações do resultado, do resultado abrangente, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, assim como o resumo das principais práticas contábeis e demais notas explicativas. Responsabilidade da administração sobre as demonstrações financeiras A administração da Companhia é responsável pela elaboração e adequadaapresentaçãodessasdemonstraçõesfinanceirasdeacordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e pelos controles internos que ela determinou como necessários para permitir a elaboração de demonstrações financeiras livres de distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou erro. Responsabilidade dos auditores independentes Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações financeiras com base em nossa auditoria, conduzida de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de exigências éticas pelos auditores e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que as demonstrações financeiras estão livres de distorção relevante. Uma auditoria envolve a execução de procedimentos selecionados para obtenção de evidência a respeito dos valores e divulgações apresentados nas demonstrações financeiras. Os procedimentos selecionados dependem do julgamento do auditor, incluindo a avaliação dos riscos de distorção relevante nas demonstrações financeiras, independentemente se causada por fraude ou erro. Nessa avaliação de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a elaboração e adequada apresentação das demonstrações financeiras da Companhia para planejar os procedimentos de auditoria que são apropriados nas circunstâncias, mas não para fins de expressar uma opinião sobre a eficácia desses controles internos da Companhia. Uma auditoria inclui, também, a avaliação da adequação das práticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela administração, bem como a avaliação da apresentação das demonstrações financeiras tomadas em conjunto. Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião. Opinião Em nossa opinião, as demonstrações financeiras individuais acima referidas apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da Stemac S.A. Grupos Geradores em 31 de dezembro de 2012, o desempenho de suas operações e os seus fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil. Outros assuntos Demonstrações do valor adicionado Examinamos, também, as demonstrações individuais do valor adicionado(dva), referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2012, elaboradas sob a responsabilidade da administração da Companhia, como informação suplementar. Essas demonstrações foram submetidas aos mesmos procedimentos de auditoria descritos anteriormente e, em nossa opinião, estão adequadamente apresentadas, em todos os seus aspectos relevantes, em relação às demonstrações financeiras tomadas em conjunto. Balanço social Examinamos, também, as demonstrações individuais do balanço social, referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2012, elaboradas sob a responsabilidade da administração da Companhia, como informação suplementar. Essas demonstrações suplementares foram submetidas aos mesmos procedimentos de auditoria descritos anteriormente e, em nossa opinião, estão adequadamente apresentadas, em todos os seus aspectos relevantes, em relação às demonstrações financeiras tomadas em conjunto. Auditoria dos valores correspondentes ao exercício anterior As demonstrações contábeis encerradas em 31 de dezembro de 2011, apresentadas comparativamente, foram anteriormente por nós examinadas, de acordo com as normas de auditoria vigentes por ocasião da emissão do parecer sem ressalvas em 27 de janeiro de Joinville (SC), 25 de janeiro de ALFREDO HIRATA Contador CRC(SC) nº /O-T-SP MARTINELLI AUDITORES CRC (SC) nº /O-9

4 8 Quinta-feira, 21 de fevereiro de Caderno Jornal do Comércio Mensagem do Presidente Revendo as notícias do ano, percebemos que quando 2012 começou, estávamos em clima de comemoração pelos 60 anos da STEMAC. Mas os meses correram, nós corremos, e muitas notícias passaram por nós. Vimos que a construção da Filial Fábrica Goiás estava em fase de planejamento, e que os colaboradores passaram a trabalhar em um novo galpão alugado. Noticiamos que nossas turmas do Projeto Pescar tiveram umaumentode50%nonúmerodevagas.afilialminasgeraisganhouumnovoendereço, assim como o Escritório Caxias do Sul, tempos depois. Na Indústria, foi lançado o Choque de Produtividade, e instalados novos climatizadores de ar. O projeto Monitoria trouxe muitas melhorias para a Logística e, na época da Páscoa, beneficiamos quase 500 crianças com nossa campanha de doações. Também ganhamos o prêmio Top Hospitalar na categoria Indústria de Infraestrutura/Energia. Falando em reconhecimento, ficamosna5ªposiçãonorankingdeempresasmaisinovadorasdosuldopaíse,entre asgrandes&líderes,conquistamoso42ºlugarnorankingdasmaioresdorseo 101 entre as Grandes do Sul. Seguindo em frente, foi anunciada nossa mudança no modelo de gestão da produção. No próximo ano, passaremos para o ETO,(engineer to order, ou projeto sob encomenda), tratando cada venda como um novo projeto. Quase na metade do ano, lançamos o novo Portal, e a Campanha da Solidariedade arrecadou, em todo o Brasil, peças de roupas e 1.535,5 quilos de alimento. Mas não paramos aí. Foi lançado o Contato Seguro e o programa Face a Face, na Indústria. Em Porto Alegre, a DSP teve diversas obras de infraestrutura e melhorias concluídas, e o projeto Consciência Limpa conquistou significativo crescimento. Tudo isso é bastante, mas ainda não é tudo. ASTEMAC S/AGrupo Geradores e a STEMAC Energia S/Apassaram a integrar a STEMAC S/A Participações e foi instituído o Conselho de Administração da STEMAC. Também atingimos 90% das metas do PGPR 2012 proporcionando a distribuiçãode41,15%deumsalário.aempresamudouohoráriodajornadadetrabalhoefoi lançado o Código de Ética e Conduta. Para desenvolver ainda mais nosso trabalho, o Planejamento Estratégico lançou o programa Inovação e o SGO deu a largada, com a distribuição de tablets para os primeiros grupos de técnicos da DSP. Criada especialmenteparaastemac,apeçaoreinodasrealizaçõesfezsucessonaindústria,eoprojeto Pescarformoumaisde40jovens.Chegandoaofimdoano,foirealizadoopilotodoPapo da Gente, um momento de diálogo entre gestores. E, ao longo de muitos meses, 32 de nossos gestores participaram do Programa de Desenvolvimento de Gestores, uma super capacitação fruto de muito trabalho. Neste documento, apresentamos nossas ações implementadas em 2012 e preparamos os caminhos a serem trilhados em Jorge Luiz Buneder - Presidente AEmpresa: AStemac S/AGrupos Geradores é uma empresa líder nacional na fabricação e comercialização de grupos geradores, fornecendo energia de acordo com a necessidadede cada cliente.aempresa possui a maior estrutura de atendimento do mercado, oferecendo acompanhamento integral: projeto, fabricação, instalação, peças e serviços. Em suas 41 filiais distribuídas em todo o Brasil, a STEMAC conta com funcionários. Sendo destes mais de 487 técnicos formados e capacitados na própria STEMAC. A Divisão de Serviços e Peças garante confiabilidade e maior vida útil aos equipamentos, com prestação de serviços e estoque de peças originais para reposição. Além de possuir, frota própria, oficina para conserto de motores (diesel/ gás), geradores, componentes eletroeletrônicos e salas de treinamentos. Através do conhecimento adquirido ao longo destes anos, a STEMAC coordena programas de treinamentos, específicos para o equipamento de cada cliente: são cursos teóricos e práticosparaacapacitaçãodeclientesetécnicosdastemacna operação e manutenção dos grupos geradores. Em novembro de 2003, a STEMAC tornou-se referência na América Latina para a operação e manutenção de motores a gás natural da Waukesha com a inauguração do Centro de Treinamento, LA- PTC. A STEMAC oferece a mais completa linha de produtos para geração de energia, combinando tecnologia de ponta com a experiência de 60 anos no mercado.aempresa conta com parcerias nacionais e internacionais que possibilitam atualização tecnológica constante para fornecer ao cliente a energia que ele precisa. Os principais produtos de nossa linha são: Grupos Geradores a Diesel, Grupos Geradores a Gás Natural, Carenados e Silenciados, Motobombas de Combate a Incêndio, Painéis de Controle e Força. Estrutura e Funcionamento: A STEMAC projeta e executa soluções em energia através da maior estrutura de atendimento, com 41 filiais estrategicamente distribuídas em todo o Brasil. A STEMAC mantém parcerias internacionais que garantem a qualidade e a permanente atualização tecnológica dos seus produtos. - Mais de grupos geradores comercializados; - Mais de empresas operando com grupos geradores em horário de ponta; - Parcerias com os maiores fabricantes mundiais de motores diesel, a gás e óleo combustível; - Matriz com área de m², além dos m² desuas41filiais;-transporteemfrotaprópria;-maisde2.600funcionários;-maisde 80 engenheiros e projetistas; - Maior cobertura de serviços e peças; - Mais de 487 técnicos na Divisão de Serviços e Peças; - Mais de grupos geradores com contrato de manutenção preventiva;- Centro de Treinamento prático e teórico para manutenção e operação de grupos geradores. Indicadores de Desempenho Econômico-Financeiros Receita Operacional: Em 2012, a STEMAC S/A Grupos Geradores, apresentou uma receita bruta de R$ 1.009,1 milhões, com um aumento de 8,6% em relação aos R$ 928,9 milhões do exercício de A receita líquida também apresentou crescimento de 0,7%, evoluindo de R$ 610,8 milhões em 2011para R$ 614,9 milhões em Custos dos Produtos Vendidos e Despesas Operacionais: Em 2012 o custo dos produtos vendidos teve um incremento de 7,4%, e as despesas operacionais de 16,3%. Este incremento é explicado principalmente pelas despesas de implantação do Centro de Distribuição e pelas despesas pré-operacionais da nova unidade fabril no estado de Goiás. Com o início das atividades fabris previstas no segundo semestre de 2013 permitirá a reestruturação no processo fabril e logístico permitindo incremento nos resultados da companhia. Lucro Líquido do Exercício: A companhia apresentou um lucro líquido de R$ 35,7 milhões,em2012,comumaumentode30,6%emrelaçãoaosr$27,3milhõesapuradosem2011,comreflexonamargemlíquidade4,5%em2011para5,8%em2012. FluxodeCaixa:Noexercíciode2012,aStemacregistrouumageraçãodecaixaconsiderada adequada e disponibilidades que totalizaram R$ 60,3 milhões. Os índices de liquidez demonstram evolução na capacidade de pagamento, sendo considerada satisfatória a base financeira da companhia. A Distribuição do Valor Adicionado: DVA é indicativo importante da contribuição de umaempresaparaaeconomianaqualestáinseridaeastemac,apartirdadistribuição da riqueza gerada, comprova seu desempenho social. Geração de riqueza para a sociedade: Na tabela a seguir, encontra-se o detalhamento da geração de riqueza pela STEMAC: I. Geração e distribuição de riqueza 2010 em 2011 em 2012 em Geração de riqueza R$ mil R$ mil R$ mil (A)Receita Bruta (B) Bens e Serviços adquiridos de terceiros (C)Valor adicionado bruto (A- B) (D) Retenções (depreciação, amortização, exaustão) (E)Valor adicionado líquido (C - D) (F)Transferências Receitas financeiras (G)Valor adicionado a distribuir (E + F) Detalhamento do DVA História: Fundada em 28 de dezembro de 1951, sob a denominação de Sociedade Técnica de Máquinas e Acessórios STEMAC Ltda., a STEMAC iniciou suas atividades comercializando acessórios e peças para automóveis importados e pequenos motoresagasolina.nadécadade60comaimportância que a energia assumiu no contexto econômico da época, iniciou-se a produção de grupos geradores. A partir de 1970 a STEMAC inovoucom a fabricação de gruposgeradores automáticos, destinados ao segmento de telecomunicações. Já na década de 80 a produção seriada é ampliadaparaequipamentosdeaté440kvaenesteperíodo, a STEMAC marcou uma nova etapa e ultrapassou as fronteiras do Rio Grande do Sul, inaugurando as primeiras filiais nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Pernambuco. Em busca de aprimoramento e crescimento, nas décadas seguintes a empresa investiu em novas tecnologias e durante os anos 90 passou a fabricar grupos geradores de até 1941 kva, o que possibilitou atender a todos os portes empresariais. Premiando essa trajetória ascendente, o Bureau Veritas Quality International (BVQI) conferiu à STEMAC a certificação ISO 9001 e também nesta década, a empresa intensificou sua participação no mercado nacional, abrindo filiais nas principais capitais brasileiras. Em 2000 o processo evolutivo da empresa foi consolidado: a STEMAC passou a desenvolver projetos de cogeração de energia com grupos geradores a gás natural. Neste período, a empresa incorporou na sua linha de produtos os motores a óleo pesado, alem do Diesel, o que possibilitou à STEMAC fornecer soluções em energia para o mercado de geração distribuída no Brasil, com essa nova alternativa de combustível. Além disso, a STEMAC ampliou seu parque fabril, chegando a mais de m² somados aos mais de ² de suas 40 filiais. Estes registros evidenciam a trajetória ascendente de uma empresa que é movida a desafios. Na década de 2010, iniciaram as operações do Centro de Distribuição, em Porto Alegre. A STEMAC chegou a 41 unidades e com projetos de expansão, como a construção de uma nova sede em Itumbiara/GO e a transferência da MatrizparaNovaSantaRita/RSprevistaparaospróximosanos. O parque fabril conta atualmente com estamparia, unidade de fabricação de contêineres, cabines de pintura, salas de teste, unidade de montagem de quadros de comando, metal-mecânica, expedição e transporte. Identidade Organizacional MISSÃO: Oferecer soluções em energia, com grupos geradores movidos pelos mais diversos combustíveis.atuar com responsabilidade socioambiental, promovendo o crescimento e a realização profissional, financeira e pessoal de cada colaborador, garantindo retorno adequado aos acionistas. VISÃO: Manter-se líder no mercado brasileiro, tornando-se referência mundial no fornecimento de soluções energéticas, até o ano de VALORES: Respeito ao cliente: Garantir produtos e serviços eficazes, com tecnologia de ponta e que atendam a real necessidade do cliente. Respeito aos colaboradores: Oferecer o melhor ambiente de trabalho, proporcionando crescimento pessoal e profissional, gerando orgulho e satisfação aos que fazem parte do nosso quadro de colaboradores. Parceiros: Fortalecer as relações com nossos clientes, fornecedores e colaboradores, propiciando o crescimento e perpetuação do negócio. Eficácia: Buscar constantemente o aprimoramento tecnológico dos nossos produtos, serviços e processos, por meio de treinamentos, pesquisas, alianças e estratégias. Ética, Responsabilidade Social e Sustentabilidade: Manter índices de elevada rentabilidade no negócio, sem prejuízo da ética nas relações com todos os públicos. Gerar emprego e renda, mantendo e criando novos projetos de inclusão social, respeitando o meio ambiente e assegurando sua integridade às gerações futuras. Gestão Estratégica STEMAC GES: O projeto Gestão Estratégica STEMAC GES está implantado desde agosto de 2010 e desde então passamos a gerenciar nossa estratégia através dos objetivos, indicadores e metas propostas. O mapa estratégico é composto de quatro perspectivas, sendo elas: Aprendizado e Crescimento, Processos Internos, Mercado e Financeira. Cada uma delas tem papel essencial no nosso planejamento estratégico, formando objetivos que espelham a missão e estratégia da empresa. Mapa Estratégico STEMAC STEMAC S/A GRUPOS GERADORES CNPJ / NIRE BALANÇO SOCIAL 2012 I. Geração e distribuição de riqueza 2010 em 2011 em 2012 em Distribuição por partes interessadas R$ mil R$ mil R$ mil GOVERNO Impostos expurgados os subsídios (isenções) EMPREGADOS Salários Participação empregados Encargos previdenciários Previdência privada Benefícios FINANCIADORES Remuneração de capital de terceiros ACIONISTAS Juros sobre capital próprio e dividendos RETIDO Lucros retidos/prejuízo do exercício II. Produtividade Indicadores de produtividade Margem Bruta... 31,33% 31,09% 26,48% Margem Líquida... 5,90% 4,48% 5,81% Giro dos ativos (receita líquida/ativo)... 1,05 1,01 0,89 Retorno sobre ativo (ROA) (Lucro Operacional*/Ativo Médio)... 13,39% 10,80% 9,30% Índice de endividamento (empréstimos + financiamentos/patrimônio líquido) ,62% 165,81% 184,49% Índice de liquidez... 0,97% 0,96% 1,00% * Lucro Operacional = Receita Líquida- Custo dos Produtos ou serviços vendidos - despesas de vendas, despesas gerais e despesas administrativas. III. Investimentos 2010 em 2011 em 2012 em Itens de investimento R$ mil R$ mil R$ mil Pesquisa e desenvolvimento Melhoria da produtividade Aumento da capacidade produtiva Educação/treinamento Relação com sindicatos: Devido à abrangência de suas atividades, a STEMAC atua com sindicatos das áreas da indústria, comércio e de transportes, estabelecendo com estas entidades um relacionamento baseado no respeito, de liberdade de manifestações, adotando uma postura transparente em suas negociações trabalhistas, visando sempre o cumprimento dos acordos sindicais. O Sindicato dos Metalúrgicos tem participação ativa em nosso Programa de Geração e Participação nos Resultados. Gestão participativa Programa de Geração e Participação nos Resultados - PGPR: Para gerar maior envolvimento dos colaboradores nos desafios da empresa, bem como compartilhar os resultados superiores obtidos através desta mobilização, a empresa oferece o Programa de Geração e Participação nos Resultados - PGPR. A partir deste programa, os resultados alcançados acima da meta, poderão ser distribuídos aos colaboradores em até dois salários a mais, por ano. Para promover o alinhamento dos objetivos e metas da empresa, previamente estabelecidos pelo PGPR, a STEMAC vem investindo na comunicação interna. Por meio dos gestores e dos canais de comunicação, compartilhamos informações referentes ao negócio, buscando aumentar o engajamento da equipe. O programa PGPR foi desenvolvido por um Comitê Executivo, com representantes dos empregados, da empresa e do Sindicato dos Metalúrgicos de Porto Alegre. O grupo se reúne sistematicamente para acompanhar o desenvolvimento do Programa, zelando por melhores resultados. Este grupo também tem o papel de realizar o esclarecimento de dúvidas. Pesquisas de Clima Organizacional: Para acompanhar o clima organizacional, realizamos, bianualmente, Pesquisa de Clima Organizacional. De acordo com os resultados, são realizados planos de ação, que são acompanhados com indicadores e metas. Estas ações visam promover o alinhamento e a relação entre colaboradores e empresa, buscando o melhor ambiente de trabalho e o melhor desempenho organizacional. Em 2011, a STEMAC foi reconhecida como uma das 30 melhores empresas para se trabalhar no RS, através de pesquisa realizada pela Revista Amanhã e Great Place to Work Institute. Código de Ética: ASTEMAC vem buscando expandir ainda mais o seu alcance de mercado. Assim, a ética e uma conduta correta se tornam ainda mais determinantes. Por isso, foi lançado o Código de Ética e Conduta. Ele tem como base os princípios e valoresseguidospelastemacefoidesenvolvidocomoapoiodaernst&youngterco, consultoria líder na prestação de serviços profissionais. O Código de Ética e Conduta está diretamente ligado à cultura organizacional da STEMAC e foi desenvolvido com o objetivo de orientar as práticas apropriadas a serem seguidas pelos colaboradores. Ajuda a atuar com responsabilidade, reforça questões jurídicas importantes e serve comoumguiasobreosprincípiosdaempresaeacondutaesperadadecadaum.todo ele foi estruturado com base em questões que fazem parte da rotina de todos, sendo dividido em diversas situações e conceitos da Empresa. Os conteúdos são apresentados de forma clara e abrangente para que possam ser colocados em prática facilmente. Contato Seguro: EmparceriacomaempresaContatoSeguro,aSTEMACcriouum novo canal. Através dele, o colaborador tem comunicação direta com a empresa parceira, no formato de ouvidoria. É um espaço para que todos possam se expressar de forma totalmente sigilosa, informando o que pode mudar para um melhor ambiente de trabalho. O contato pode ser feito pela internet ou por telefone.aligação é gratuitade qualquerlugardobrasil,eoatendimentoéfeito24hpordia.nãoépossívelidentificar de forma alguma a origem dos relatos e sugestões, ou seja, o colaborador que utilizar a ferramenta estará livre de qualquer represália ou cobrança. Através dos relatos registrados a Empresa saberá onde estão os focos de insatisfação. Esta ferramenta também está disponível para os fornecedores e parceiros. Inovação: Chegou na STEMAC uma grande novidade. Trata-se do programa Inovação, que tem como principal objetivo inovar na Empresa por meio de idéias criativas que tragam bons resultados. O programa, desenvolvido em parceria com a empresa Simplez, é parecido com uma rede social, onde os colaboradores podem registrar e compartilhar suas idéias, além de visualizar e apoiar as sugestões de colegas. As sugestões de idéias são focadas em desafios estratégicos e específicos. Cada desafio tem um período de duração, que é quando os colaboradores podem dar suas sugestões sobre o tema. Por questões operacionais e de licenciamento de software, no primeiro momento a participação esteve aberta para grupos ocupacionais restritos. A previsão é de que outros grupos serão incluídos em próximas fases. Comunicação Interna mais interativa: O novo Portal da STEMAC está mais moderno e muito mais completo. Agora, ele centraliza grande parte das comunicações da Empresa. Tudo com atualizações constantes e espaço para comentários dos colaboradoresemtodasasnotíciaspublicadas.foicriadotambémomuralgeraçãoempauta,um novo canal feito especialmente para a Indústria. Semanalmente, durante 30min, líderes têm um encontro com suas equipes para conversar sobre os assuntos expostos no mural, alinhar informações do setor, metas, desafios, etc. Com esse novo estilo de divulgação, busca-se oferecer uma comunicação com mais qualidade, que integre os colegas e colabore para um melhor alinhamento e maior interação entre as equipes. Compromisso com os Direitos das Crianças: A STEMAC firma seu compromisso com os direitos das crianças através da não contratação de mão-de-obra infantil, respeitando a legislação vigente e desenvolvendo ações que visam garantir aos adolescentes: proteção, desenvolvimento pessoal e capacitação profissional. Podemos destacar os seguintes programas: Projeto Pescar: A STEMAC participa do Projeto Pescar, visando o resgate de jovens em situação de vulnerabilidade social, com uma Unidade composta por duas turmas mistas de 24 alunos cada, oportuniza a capacitação em Eletricidade Básica e Eletromecânica. Consequentemente estes jovens têm maiores possibilidades de ingresso na nossa Empresa e no mercado de trabalho, conquistando melhores condições sócio-econômicas. Os alunos dos cursos têm direito a uniforme, material didático, transporte, assistência odontológica, seguro de vida e alimentação gratuitos.astemac temtidooprivilégiodecontrataraoredorde50%dosalunosacadaanoecolocadoos demais entre os seus fornecedores. Em 2012 ocorreu a formatura da primeira turma da Unidade do Projeto Pescar Sapore, pioneira no Brasil na área de cozinha industrial com o curso de iniciação profissional em bar e restaurante, sendo que as aulas são ministradas nas dependências de nossa matriz, contemplando 20 jovens entre meninos e meninas, Assim, nossas unidades do Projeto Pescar atendemumtotalde68jovensporano. Programa de aprendizes do SENAI: Valorizando a busca do primeiro emprego, a STEMAC participa na formação e desenvolvimento de estudantes de escolas técnicas do SENAI. Os alunos recebem cotas mensais e estágio na Empresa. Programa de Estágios: O programa de estágios da STEMAC oportuniza aos estudantes de diversas áreas a praticar os conhecimentos adquiridos em sala de aula, vivenciando no dia-a-dia a teoria e absorvendo melhor os conhecimentos, podendo refletir e confirmar sobre a sua escolha. Participam de todas as atividades da empresa e são orientados durante o período de estágio por profissionais qualificados. Na sequência quadro demonstrativo dos indicadores nos últimos três anos. I. Indicadores Quantitativos Número de menores aprendizes na empresa Valor investido no Projeto Pescar (R$) Número de estagiários na empresa Valorização da Diversidade: A STEMAC participa do Programa de inclusão de PCDs, oferecendo aos portadores de deficiência oportunidade para demonstrarem o seu potencial profissional. São também ministrados cursos para integrar os funcionários à rotina dos portadores e vice-versa. Na seqüência segue dados demonstrativos do ano de I. Perfil dos empregados(dados do ano corrente) Percentual em Percentual em cargos de cargos de gerência em diretoria em Percentual em relação ao total relação ao total relação ao total de cargos de cargos Empregados de empregados de gerência executivos Mulheres... 23,07% 28,57% 22,22% Mulheres negras(pretas e pardas) 1,26% 0,31% 0,00% Homens negros(pretos e pardos) 5,92% 3,11% 0,00% Pessoas com deficiência... 5,17% 1,86% 0,00% Pessoasacimade45anos... 15,18% 17,39% 66,67% II. Perfil de salários(salário em reais médio no ano corrente) Homens Negros Homens Brancos Mulheres Negras Mulheres Brancas Categorias (pretos e pardos) (pretas e pardas) Cargos Executivos... R$ - R$ R$ - R$ Cargos Gerenciais... R$ - R$ R$ - R$ Cargos de Supervisão R$ R$ R$ R$ Cargos Funcionais... R$ R$ R$ R$ Política de Remuneração, Benefícios e Carreira GEPS: Na STEMAC a gestão da carreira é um dos temas que tem sido cada vez mais trabalhado pela dupla profissional-empresa. Ambos possuem parcela equivalente no processo de evolução profissional. Enquanto que a responsabilidade do profissional é buscar os seus objetivos e caminhos através da constante qualificação e aperfeiçoamento, a da empresa é promover um espaço sólido e fértil para a atração, retenção e valorização destes talentos. O GEPS Gestão da Evolução Profissional STEMAC, consolida o posicionamento e expectativa da empresa, proporcionando o desenvolvimento dos seus profissionais, a partir de uma única metodologia que esclarece, orienta e auxilia o crescimento dentro da STEMAC. Buscando manter a competitividade na atração e retenção dos profissionais, anualmente a STEMAC realiza pesquisas salariais e de benefícios junto a empresasdosmaisdiversosramos,porteselocalidadesdopaís.estapráticafazcomquea empresa se mantenha competitiva e atualizada sobre as tendências no que se refere à qualidade de vida de seus profissionais. Outra prática constante na empresa é a realização anual da Avaliação de Desempenho, processo no qual todos os colaboradores efetivos são avaliados e orientados com base em suas Responsabilidades e Competências. A Avaliação de Desempenho corresponde a 25% dos critérios utilizados para promoções. O GEPS é um dos resultados do plano de ação da pesquisa de clima organizacional, realizada em maio de Competências essenciais STEMAC: A base do GEPS é formada por quatro competências essenciais, que compõem um conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes que contribuíram para a transformação do profissional excelente na STEMAC. Confira o que a empresa espera de seus colaboradores. A. Comprometimento: Agir de forma responsável, mantendo os compromissos feitos com a empresa e com a equipe. B. Flexibilidade: Adaptar-se rapidamente ao momento da empresa, conforme suas regras e procedimentos. C. Relacionamento: Relacionarse bem com os demais, buscando o bem estar comum. D. Foco no cliente: Pensar sempre na satisfação, no interesse e nas necessidades dos clientes.

5 Jornal do Comércio 2 Caderno Quinta-feira, 21 de fevereiro de Cuidados com Saúde, Segurança e Condições de Trabalho: A STEMAC tem por meta proporcionar aos seus colaboradores um ambiente de trabalho saudável e seguro, adotando as medidas necessárias para prevenir acidentes e lesões que surjam a partir da realização de suas atividades, minimizando as causas dos riscos inerentes ao ambiente de trabalho. Para a prevenção de acidentes e saúde de seus colaboradores, a STEMAC realiza contínuos investimentos em treinamentos, desenvolvimento de novos EPIS (Equipamentos de Proteção) e campanhas de prevenção a saúde, buscando assegurar mais qualidade de vida aos colaboradores. ASTEMAC também implantou na empresa o Projeto de PrevençãoaoUsodeDrogasnoTrabalhoenaFamília Projeto Sinal Verde. Visando uma melhor qualidade de vida para os funcionários e familiares, a STEMAC colocou em prática um modelo próprio de prevenção, com ações que contemplam a valorização da vida, o autoconhecimento, aautomudançaeoacompanhamento de situações de risco. ASTEMAC recebeu a certificação SESI/ONU pelo desenvolvimento do projeto. O sucesso obtido na matriz motivou que o projeto fosse implantado tambémnasfiliaisdoriodejaneiroesãopaulo,asquaistambém receberam a certificação SESI/ONU. Como ações do projeto são realizadas atividades de integração e tratamento psicológico para atendimentos específicos, entre outros. Dentre as ações de prevenção a saúde do trabalhador, podemos destacar: a Ginástica Laboral e o DepartamentodeEsportes.AGinásticaLaboral abrange tanto as áreas administrativas como industriais, e tem por objetivo prevenir as lesões decorrentes das atividades laborais. O trabalho é conduzido por profissionais especializados, três vezes por semana. O Departamento de Esportes é orientado por um grupo de colaboradores voluntários, que criaram uma comissão organizacional que estimula a prática desportiva, coordenando a participação do colaborador em competições e treinamentos físicos. São disponibilizados todos os recursos necessários para um desenvolvimento satisfatório das atividades em modalidades como Futebol, Voleibol, Basquetebol, Atletismo, Ciclismo, Natação, xadrez e pingue-pongue. Abaixo demonstrativo dos indicadores quantitativos: Média de horas extras por empregado/ano(hs) ,54 221,31 186,25 Média de acidentes de trabalho por empregado/ano... 0,86% 0,96% 0,83% Índice de absenteísmo... 0,35% 1,69% 1,32% em afastamento temporário de empregados... 95,45% 100,00% 100% em mutilação ou outros danos à integridade física de empregados.. 4,55% 0,00% 0,00% em morte de empregados... 0,00% 0,00% 0,00% Compromisso com o Desenvolvimento Profissional: AStemac tem uma preocupação constante com o desenvolvimento e a capacitação dos funcionários, para tanto, são desenvolvidos treinamentos, que superam a maioria dos indicadores referências do setor. Como política, a Stemac oferece plano de benefícios contando com auxílio faculdade e auxílio material escolar para funcionáriosefilhos,bemcomomantémumaáreadegestãode Pessoas, para tratar das questões de desenvolvimentos necessários a manter seu quadro funcional atualizado. Principais programas de capacitação oferecidos pela empresa: Desenvolvimento de Lideranças: Este programa de capacitação tem como objetivo permitir aos Gestores que obtenham uma visão generalista do negócio da STEMAC, bem como contemplar o desenvolvimento individual e da equipe, como lideres e pares buscando sinergia e o resultado organizacional. As etapas desenvolvidas em2012 foram: Desenvolvimento degestores, em parceria com a Faculdade Decision de Negócios, Capacitação em Avaliação de Desempenho e Feedback. Auxílio Idiomas: Tem por objetivo habilitar os funcionários que necessitam utilizar outro(s) idioma(s) no desempenho de suas funções. A STEMAC investe em até 100% da mensalidade. AuxílioEducação: Aempresa oferece recursos financeiros para os funcionários(as) que estejam cursando ensino de nível superior e cursos técnicos. O valor do benefício corresponde a 25% (vinteecincoporcento)dovalordamensalidadepagapelofuncionário (a) sendo pago mensalmente através da folha de pagamento. Para os funcionários que estejam cursando o ensino fundamental e médio, a empresa oferece subsídio de 50% do valor da mensalidade, também reembolsado em folha de pagamento. Ciclos de Palestras de Desenvolvimento Pessoal: ASTEMAC disponibiliza palestras bimestrais, dos mais variados temas, oportunizando o desenvolvimento de todos os colaboradores. Treinamento Básico sobre Produtos STEMAC: Promove conhecimentos sobre os produtos da empresa para todos os colaboradores da STEMAC. Capacitação em Libras: Habilitar aos funcionários na linguagem de sinais, preparando-os para se comunicar com colaboradores PCDs (Pessoas com deficiência). Recrutamento Interno: Com o objetivo de manter o clima organizacional e motivação dentro da empresa, captar novos talentos e incentivar o crescimento profissional dos colaboradores, através do recrutamento interno, a STEMAC valoriza os seus colaboradores que nela trabalham e já estão integrados ao sistema organizacional. Esta forma de trabalho é o reconhecimento da organização aos colaboradores que estão qualificados e aprimorando sua capacitação, estimulando desta forma os demais a buscarem também a excelência. Abaixo quadro de indicadores do Corpo Funcional: Percentual de estagiários na força de trabalho 0,78% 0,74% 0,74% Número de analfabetos na força de trabalho Perc.demulheresanalf.naforçadetrabalho. 0,00% 0,00% 0,00% Percentual de mulheres com Ens. Fundamental (1ªa4ªsérie)naforçadetrabalho... 0,41% 0,37% 0,22% Percentual de mulheres com Ens. Fundamental (5ªa8ªsérie)naforçadetrabalho... 1,35% 2,56% 1,00% Percentual de mulheres com Ensino Médio naforçadetrabalho... 13,95% 14,68% 14,84% Percentual de mulheres com Ensino Superior completonaforçadetrabalho... 6,21% 5,87% 7,14% Perc.dehomensanalf.naforçadetrabalho... 0,04% 0,03% 0,04% Percentual de homens com Ens. Fundamental (1ªa4ªsérie)naforçadetrabalho... 1,20% 1,55% 0,86% Percentual de homens com Ens. Fundamental (5ªa8ªsérie)naforçadetrabalho... 15,68% 16,71% 13,24% Percentual de homens com Ensino Médio naforçadetrabalho... 51,13% 48,81% 51,50% Percentual de homens com Ensino Superior completonaforçadetrabalho... 10,03% 9,42% 11,16% Comportamento Frente a Demissões: Para auxiliar os gestores a identificarem pontos de atenção em seus colaboradores que podem ocasionar futuras demissões, a STEMAC conta com os seguintes processos: Capacitação constante na arte de fornecer retorno de informações buscando resultados, a partir do alinhamento de expectativas e demonstrando que isso é um processo de ajuda. Processo de avaliação de desempenho, através de sistema informatizado, a partir do qual gestor e colaborador poderão combinar planos de ação para, em conjunto, buscarem melhorarascompetênciasqueestejamcom deficiências. ASTEMAC busca uma demissão responsável, utilizando transparência no processo. Em alguns casos também ocorre à contratação de empresas de recolocação que é uma solução profissional, elaborada com o objetivo de conduzir com dignidade e respeito os processos dedemissãonaempresa.desde2011,astemacrealizaum ProgramadeAnálisedasIntençõesdeDesligamento, quetemcomo objetivo a criação de um fluxo de análise das intenções de desligamento. Essa iniciativa está diretamente relacionada com nossos indicadores, pois pode influenciar no clima da organização, no aprimoramento dos nossos gestores e principalmente no controle do turnover, que é o foco principal deste. Benefícios do Projeto: Redução dos custos com desligamento; Padronização do processo de desligamentos, com equidade e de forma acessível a todos os gestores; Fortalecimento da credibilidade do nosso sistema de Recrutamento Interno; RH atuando como consultor das áreas, apoiando e entendendo, cada vez mais, as dificuldades de gestão dos departamentos; Preparação para ISO SA 8000 Sistema de Gestão de Responsabilidade Social; Evitar o desligamento de pessoas que a empresa tenha interesse em realocar; Possibilidade de análise da rotatividade dos departamentos, de acordo com a representatividade para o nosso posicionamento estratégico. Preparação para aposentadoria: A STEMAC oferece aos colaboradores um Plano de Previdência Privada com o objetivo de complementação de aposentadoria, buscando assegurar maior segurança financeira e mais qualidade de vida ao colaborador aposentado. Número de beneficiários pelo programa de preparação para aposentadoria Valor investido no programa de preparação p/aposentadoria R$ R$ R$ Excelência do Atendimento: A STEMAC disponibiliza aos seus clientes o SAC Serviço deatendimento ao Cliente Stemac. Críticas e sugestões são registradas e acompanhadas através do É este compromisso com a melhoria contínua dos processos e com a satisfação dos clientes que garantem o excelente desempenho da STEMAC no mercado nacional e internacional. Número de críticas registradas pelo SAC Número de críticas encerradas pelo SAC Relacionamento com a comunidade de entorno e organizações locais: A STEMAC sempre entendeu, como imperativo de coerência, que a implementação de seus diversos e exitosos projetos sociais e ações comunitárias deveriam vir, invariavelmente, acompanhadas de um ótimo relacionamento com a comunidade que constitui sua vizinhança, bem como com as demais organizações próximas, com as quais sempre fez questão de colaborar em prol da consecução de fins comuns.assim, ao longo dos anos, a companhia tem reconhecido e assumido todas as responsabilidades que derivam não só de sua proximidade física da comunidade local onde está inserida, mas também da sinergia alcançada com as demais organizações locais. Envolvimento e Financiamento da Ação Social: A STEMAC dá atenção especial ao seu funcionário. A empresa parte do conceito de que para satisfazer seus clientes, os funcionários precisam estar satisfeitos. Afinal, sua qualidade de vida reflete diretamente na qualidade do atendimento prestado. Isto é, não é apenas a energia gerada por equipamentos de alta tecnologia, mas também de pessoas que procuram fazer sempre o melhor. Neste sentido a empresa promove o desenvolvimento de ações sociais que tem como foco, atender as instituições sociais em suas necessidades básicas, gerando bem estar social e possibilitando maior desenvolvimento da população em situação de vulnerabilidade. A STEMAC incentiva a participação dos seus colaboradores em práticas de responsabilidade social. A empresa coloca em prática diversas ações em benefício da comunidade, confirmando seu compromisso com o desenvolvimento social. Em parceria com a Fundação Gaúcha dos Bancos Sociais e Banco de Alimentos, entidades ligadas a FIERGS e dirigidas pelo nosso Presidente, Jorge Luiz Buneder, a STEMAC pratica o conceito de reaproveitar o que é desperdiçado em favor daqueles que mais precisam. Podemos destacar as seguintes Ações Sociais: Banco dealimentos para Comunidade: Ação realizada pela STEMAC e seus funcionários para arrecadação de produtos alimentícios não-perecíveisedistribuiçãoàsinstituiçõesdeatendimento social. A empresa participa doando a mesma quantidade arrecadada pelos funcionários. A arrecadação em 2012 foi de kg, beneficiando aproximadamente 11 pessoas por mês. Cozinha Voluntária: Ação realizada em parceria com a Gran Sapore, fornecedora de alimentação. Consiste na doação do excedente de produção dos restaurantes da empresa, bem como produtos alimentícios in natura, para instituições sociais de atendimento infantil. Em 2012, foram repassadas 128 refeições por dia, totalizando aproximadamente refeições no ano. Banco de Medicamentos: Ação social desenvolvida pelos funcionários que arrecadam medicamentos e distribuem à população carente. No ano de 2012 foram distribuídos 393 medicamentos. Banco de Vestuário: O Bazar da Solidariedade distribui uniformes de funcionários e roupas em desuso às instituições de atendimento social e aos funcionários da STEMAC. Em 2012 foram doadas peças. Em 2012, as ações sociais beneficiaram pessoas através de diversos recursos repassados a comunidade. Projetos Desportivos e Incentivos Culturais: A Stemac apóia inúmeros projetos sociais e atividades desportivas, podemos destacar:natalluzdegramado;bancodealimentos;fundação Projeto Pescar; Patrocínio Itumbiara Esporte Clube; Patrocínio MostraCasa&Cia;ClubedasRegatasGuaíbaPortoAlegre. Liderança Social: Aresponsabilidade social é um dos valores que integram a identidade da STEMAC. Para perpetuar este princípio, o nosso Presidente, Sr. Jorge Luiz Buneder, atua como entusiasta, apoiando as ações que visam à transformação social. O resultado desta atitude extrapola os portões da companhia. Na Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul - FIERGS, Sr. Jorge Luiz Buneder é Coordenador do Conselho de Cidadania e Presidente do Conselho de Administração da Fundação Gaúcha dos Bancos Sociais e Banco de Alimentos! E é neste contexto que o nosso Presidente se engaja na conquista de novos aliados pela transformação do desperdício, em benefício social. STEMAC S/A GRUPOS GERADORES CNPJ / NIRE BALANÇO SOCIAL 2012 Responsabilidade Ambiental: A preocupação ambiental e a busca pela sustentabilidade fazem parte dos valores da Stemac, e para tanto temos como práticas ambientais: disseminar informações sobre as questões ambientais aos colaboradores, identificar oportunidades de aproveitamento de rejeitos, substituição de insumos, redução de perdas nos processos, mudanças tecnológicas, reciclagem, redução do consumo de energia e água. A STEMAC acreditaqueasempresas,aousaremseupoderparacriarummundo ambientalmente sustentável, estão exercendo na plenitude sua responsabilidade social e ajudando a construir um mundo melhor. Gestão Ambiental: A Gestão Ambiental STEMAC tem em sua estrutura uma equipe voltada para atuar na gestão ambiental de suas operações, bem como um comitê ambiental, composto por integrantes que atuam em diversas áreas da empresa com foco na implementação de melhorias ambientais. Processo de Lavagem Ecológica: O Processo de Limpeza Ecológica, além de garantir a qualidade do serviço e conservação da frota pesada, tem como objetivo principal a preservação do meio ambiente, através da redução significativa no consumo de água e uso de produtos biodegradáveis. O processo de lavagem normal destetipodeveículoconsomeemmédia615litrosdeágua,jáo novo método consome apenas 60 litros por veículo Nº de lavagens realizadas Economia em litros... 1 milhão Utilização de Material Reciclado no Processo Produtivo: Na busca das melhores práticas ambientais, a Stemac substituiu no processo de fabricação de atenuadoresderuído,alãdevidropelafibradepoliéster,aqual utiliza garrafas PET como matéria-prima. Para o processo produtivo, em média são utilizados por mês 9 mil m² de fibra de poliéster, o que representa a reciclagem de garrafas PET/mês, uma vez que são utilizados 214 garrafas para produzir cada m² deste material.além do benefício ambiental, esta mudança também proporcionou melhorias para o ambiente de trabalho dos colaboradores da indústria,porsetratardeummateriallimpoquenãorequerouso de vestes e equipamentos de proteção individual. Tratamento de efluentes industriais: O processo de pintura eletrostática que não contem solventes, conta com uma Estação de Tratamento de Efluentes(ETE) na qual monitoramos a qualidade do efluente tratado. Este monitoramento ocorre através da análise de amostras coletadas do efluente bruto (antes de entrar na ETE)eefluentefinal(depoisdetratadonaETE)egeraoIndicador Percentual de Qualidade do Efluente Tratado. A STEMAC atendeu com100%dosparâmetrosrecomendadospelaresoluçãoconama 128/06, que dispõe sobre os padrões de emissão de efluentes para oestadodoriograndedosul.alémdisso,aunidadedepintura Eletrostática dispõe de duas cisternas, que reaproveitam a água da chuva e de estufas à GLP - Gás Liquefeito de Petróleo, que é um combustível ecológico, menos poluente. Coleta de Pilhas, Baterias e Óleo de Cozinha: A Stemac disponibiliza pontos voluntários de coleta de pilhas e baterias portáteis e óleo de cozinha, estimulando em seus colaboradores o cuidadocomomeioambiente. EmparceriacomoBancoSantander a empresa atua com o Programa Papa-Pilhas, onde as pilhas e baterias recebem uma destinação final ambientalmente adequada. O óleo de cozinha também recebe atenção especial na empresa, coletamososresíduosdeduasmaneiras: norefeitóriointerno, onde ocorreacoletadoóleoutilizadonapreparaçãodarefeiçãodecolaboradores e através do óleo coletado pelos próprios colaboradores,quetrazemoóleocoletadoemsuaresidênciaparaquerecebam a destinação final ambientalmente adequada. Reutilização papéisa4para a produção de blocos de anotação: Ações de reutilização são praticadas a exemplo dos papéisa4,emqueapenasdeumladofoiutilizado.opapelérecolhido periodicamente de pontos estratégicos e encaminhado a um parceiro externo que transforma as folhas em blocos de anotações, que retornam às áreas para utilização. Monitoramento e atualização da legislação ambiental: A Stemac atualiza e monitora as legislações ambientais aplicáveis às suas atividades através do sistema online Âmbito, que permite que todos os requisitos legais atuais e novos sejam analisados para posteriores adequações. Gerenciamento do Impacto Ambiental: A STEMAC tem preocupação com a destinação final ambientalmente adequada para cada resíduo de sua produção. Com o objetivo de prever, minimizar ou eliminar os potenciais agentes poluidores do ar, da água e do solo. São aspectos importantes o desenvolvimento e a utilização de insumos, produtos e embalagens recicláveis ou biodegradáveis e a redução da poluição gerada no ambiente de trabalho. Abaixo quadro quantitativo dos resíduos gerados e destinados para reciclagem ou destinação final ambientalmente adequada. Demonstrativo Social I. Indicadores Quantitativos Resíduos Ferrosos Unidade 2012 Sucata Simples... Kg Sucata Média... Kg Sucata Nobre... Kg Sucata Gerdau... Kg Total Resíduos Ferrosos Outros Resíduos Unidade 2012 Papelão... Kg Plástico... Kg Papel Branco... Kg Fio de Cobre... Kg Alumínio... Kg Bateria... Kg Cabo de Cobre... Kg Madeira... m³ Total Outros Resíduos Resíduos Perigosos Unidade 2012 Embalagens Contaminadas... Kg 24 Efluente Pintura Contaminado... m³ 39 Óleo Automotivo... L Thinner (Solventes) Contaminado... L Pigmentos de Tinta... m³ 6 Torta contaminada (lodo ETE)... m³ 3 Plástico Contaminado... m³ 1 Pilhas e Baterias de Pequeno Porte... Kg 20 Total Resíduos Perigosos Minimização de Entradas e Saídas de Materiais na Empresa: Areduçãodoconsumodeenergia,águaeinsumoslevaàconseqüente redução do impacto ambiental necessário para obtê-los. A STEMAC é uma empresa consciente e têm uma preocupação constante com a preservação do meio ambiente, neste sentido podemos destacar os seguintes programas: Aproveitamento de Águas Pluviais: A STEMAC entre outras iniciativas realiza o Aproveitamento das Águas Pluviais. Esta iniciativa tem como objetivo a captação de água da chuva oriunda dos telhados dos nossos prédios, armazenamento e utilização das águas nos consumos adequados. Água Pluvial Consumida (redução do impacto ambiental) Litros/mês Litros/Ano Sistema de Aquecimento de Água: A STEMAC implementou um sistema de aquecimento de água que utiliza bombas de calor, ecologicamente correto, e que fornece até seis vezes mais energiadoqueaeletricidadequeconsome.umganhodeordem econômica e ambiental. Gerenciamento de Resíduos: ASTEMAC tempreocupaçãocom a destinação final ambientalmente adequada para cada resíduo de sua produção, com o objetivo de prever, minimizar ou eliminar os potenciais agentes poluidores do ar, da água e do solo. São aspectos importantes o desenvolvimento e a utilização de insumos, produtos e embalagens recicláveis ou biodegradáveis. OProgramaConsciência Limpa: faz parte das boas práticas da gestão ambiental, atendendo aos valores da empresa visando diminuir os impactos ambientais decorrentes das nossas atividades, sempre respeitando as legislaçõesambientais. OProgramatemcomopremissaaação de logística reversa, coleta seletiva e envio de resíduos recicláveis através de empresas qualificadas, bem como da doação de resíduos de escritórios para associações e cooperativas, atendendo assim a Política Nacional de Resíduos Sólidos - Lei nº de agosto/2010. Atualmente, a iniciativa abrange a nossa Matriz, as filiais São Paulo, Santa Bárbara e Ribeirão Preto, eosescritóriospassofundo,santamariaecaxiasdosul. Unidade Resíduos Recicláveis kg Premiações e Selos Ambientais: Selo Verde Responsabilidade Socioambiental:Em30deagostode2012,aSTEMACrecebeu o selo de Responsabilidade Socioambiental (Destaque Preservação Ambiental), instituído pelo jornal do meio ambiente do estado de São Paulo. Eco Truck: Em 20 de Dezembro de 2011, a STEMAC recebeu um certificado comemoração de de litros de água economizados nas lavagens de seus caminhões. PrêmioBorboletaAzul: Em21dedezembrode2006, astemacfoireconhecidacomoprêmioderesponsabilidadeambiental BorboletaAzul, instituído pela Secretaria de MeioAmbiente do Rio Grande do Sul, por sua atitude responsável no tratamento e reaproveitamento dos recursos naturais. 1. Base de cálculo Valor (mil reais) Valor (mil reais) Receita líquida (RL) Resultado operacional (RO) Folha de pagamento bruta (FPB) Indicadores sociais internos Valor (mil R$) %Sobre FPB %Sobre RL Valor (mil R$) %Sobre FPB %Sobre RL Alimentação ,55% 2,62% ,72% 2,61% Encargos sociais compulsórios ,24% 5,04% ,26% 6,08% Previdência privada ,53% 0,12% 640 0,47% 0,10% Saúde ,35% 0,99% ,54% 1,01% Segurança e saúde no trabalho ,48% 0,11% 793 0,58% 0,13% Educação ,39% 0,09% 445 0,33% 0,07% Capacitação e desenvolvimento profissional ,56% 0,13% ,75% 0,17% Creches ou auxílio-creche ,09% 0,02% 138 0,10% 0,02% Participação nos lucros ou resultados ,30% 0,52% 0 0,00% 0,00% Eventos de Integração ,42% 0,09% 490 0,36% 0,08% Total - Indicadores sociais internos ,90% 9,73% ,11% 10,28% 3. Indicadores sociais externos Valor (mil R$) %Sobre RO %Sobre RL Valor (mil R$) %Sobre RO %Sobre RL Educação ,83% 0,05% 208 0,61% 0,03% Cultura ,76% 0,04% 298 0,87% 0,05% Esporte ,23% 0,07% 57 0,17% 0,01% Combate à fome e segurança alimentar ,33% 0,02% 107 0,31% 0,02% Total das contribuições para a sociedade ,16% 0,17% 670 1,97% 0,11% Tributos (excluídos encargos sociais) ,94% 28,23% ,62% 25,86% Total Indicadores sociais externos ,09% 28,40% ,59% 25,97% 4. Indicadores ambientais Valor (mil R$) %Sobre RO %Sobre RL Valor (mil R$) %Sobre RO %Sobre RL Investimentos relacionados com a produção/operação da empresa 884 2,60% 0,14% 504 1,48% 0,08% Total dos investimentos em meio ambiente ,60% 0,14% 504 1,48% 0,08% Quanto ao estabelecimento de metas anuais para minimizar resíduos, o consumo em geral na produção/operação e aumentar ()nãopossuimetas ()cumprede51a75% ()nãopossuimetas ()cumprede51a75% a eficácia na utilização de recursos naturais, a empresa: ()cumprede0a50% (X)cumprede76a100% ()cumprede0a50% (X)cumprede76a100% 5. Indicadores do corpo funcional Nº de empregados(as) ao final do período Nº de admissões durante o período Nº de empregados(as) terceirizados(as) Nº de estagiários(as) Nº de empregados(as) acima de 45 anos Nº de mulheres que trabalhamna empresa % de cargos de chefia ocupados por mulheres... 38% 29% Nº de negros(as) que trabalham na empresa % de cargos de chefia ocupados por negros(as)... 6% 2% Nº de pessoas com deficiência ou necessidades especiais Informações relevantes quanto ao exercício da cidadania empresarial Valor (mil reais) Valor (mil reais) Relaçãoentreamaioreamenor remuneraçãona empresa Número total de acidentes de trabalho Os projetos sociais e ambientais desenvolvidos pela empresa [X] direção [ ] todos(as) [X] direção [ ] todos(as) foram definidos por: [ ] direção e gerências empregados [ ] direção e gerências empregados Os padrões de segurança e salubridade no ambiente de [ ] direção [ ] todos(as) [X] todos(as) [ ] direção [ ] todos(as) [X] todos(as) trabalho foram definidos por: e gerências empregados + CIPA e gerências empregados + CIPA Quanto à liberdade sindical, ao direito de negociação coletiva []nãose []segueas [X] incentiva e []nãose []segueas [X] incentiva e e à representação interna dos(as) trabalhadores(as), a empresa: envolve normas da OIT segue a OIT envolve normas da OIT segue a OIT A previdência privada contempla: [ ] direção [X] todos(as) [ ] direção [X] todos(as) [ ] direção e gerências empregados [ ] direção e gerências empregados A participação nos lucros ou resultados contempla: [ ] direção [X] todos(as) [ ] direção [X] todos(as) [ ] direção e gerências empregados [ ] direção e gerências empregados Na seleção dos fornecedores, os mesmos padrões éticos e de []nãosão [X] são []nãosão [X] são []são responsabilidade social e ambiental adotados pela empresa: considerados sugeridos [ ] são exigidos considerados sugeridos exigidos Quanto à participação de empregados(as) em programas [] não se [X] organiza [] não se [X] organiza de trabalho voluntário, a empresa: envolve [ ] apoia e incentiva envolve [ ] apoia e incentiva Número total de reclamações e críticas de consumidores(as): na empresa: 249 no Procon: 0 na Justiça: 16 na empresa: 102 no Procon: 0 na Justiça: 18 % de reclamações e críticas solucionadas: na empresa: 86% no Procon: 0% na Justiça: 14% na empresa: 83% no Procon: 0% na Justiça: 17% Valor adicionado total a distribuir (em mil R$): Em 2012: Em 2011: Distribuição do Valor Adicionado (DVA): 47% governo 35% colaboradores(as) 48% governo 35% colaboradores(as) 2% acionistas 9% terceiros 7% retido 2% acionistas 10% terceiros 5% retido (1) Modelo Baseado nas propostas de balanço social do IBASE e Instituto Ethos de Responsabilidade Social

STEMAC S/A GRUPOS GERADORES CNPJ 92.753.268/0001-12 NIRE 43 3 0000477 5

STEMAC S/A GRUPOS GERADORES CNPJ 92.753.268/0001-12 NIRE 43 3 0000477 5 Jornal do Comércio 2 Caderno Quarta-feira, 26 de março de 2014 1-B Os Administradores da Companhia apresentam as Demonstrações Econômico-Financeiras da STEMAC S/A GRUPOS GERADORES, acompanhadas do Relatório

Leia mais

Rodobens Locação de Imóveis Ltda.

Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Demonstrações contábeis referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes Approach Auditores Independentes Relatório dos

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 4 Balanço Patrimonial Passivo 6 Demonstração do Resultado 9 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Altus Sistemas de Automação S.A. Demonstrações financeiras e relatório dos auditores independentes em 31 de dezembro de 2014

Altus Sistemas de Automação S.A. Demonstrações financeiras e relatório dos auditores independentes em 31 de dezembro de 2014 Altus Sistemas de Automação S.A. Demonstrações financeiras e relatório dos auditores independentes em 31 de dezembro de 2014 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Aos

Leia mais

RODANA RELÓGIOS S/A C.N.P.J. 22.800.833/0001-70

RODANA RELÓGIOS S/A C.N.P.J. 22.800.833/0001-70 RODANA RELÓGIOS S/A C.N.P.J. 22.800.833/0001-70 RELATÓRIO DA DIRETORIA Senhores Acionistas: Em cumprimento as disposições legais e estatutárias, submetemos a apreciação de V.Sas. as Demonstrações Contábeis

Leia mais

Abril S.A. e empresas controladas

Abril S.A. e empresas controladas Abril S.A. e empresas controladas DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2010 e Relatório dos Auditores Independentes 1 Abril S.A. e empresas controladas

Leia mais

00009-4 PANATLANTICA SA 92.693.019/0001-89

00009-4 PANATLANTICA SA 92.693.019/0001-89 01 - CONTEXTO OPERACIONAL A Companhia, com sede em Gravataí (RS) e unidade industrial em Glorinha (RS), tem por objeto a industrialização, comércio, importação, exportação e beneficiamento de aços e metais,

Leia mais

MOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES

MOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES DURATEX COMERCIAL EXPORTADORA S.A. AVALIAÇÃO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO CONTÁBIL APURADO POR MEIO DOS LIVROS CONTÁBEIS EM 31 DE AGOSTO DE 2015 Escritório Central: Rua Laplace, 96-10 andar - Brooklin - CEP 04622-000

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DA REGIÃO DE JOINVILLE FURJ

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DA REGIÃO DE JOINVILLE FURJ FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DA REGIÃO DE JOINVILLE FURJ NOTAS EXPLICATIVAS DA ADMINISTRAÇÃO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS ENCERRADAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 (Em Reais) NOTA 1 - INFORMAÇÕES GERAIS A Fundação

Leia mais

SCHULZ S.A. A emissão destas demonstrações financeiras foi autorizada pela administração da Companhia em 21 de janeiro de 2015.

SCHULZ S.A. A emissão destas demonstrações financeiras foi autorizada pela administração da Companhia em 21 de janeiro de 2015. SCHULZ S.A. NOTAS EXPLICATIVAS DA ADMINISTRAÇÃO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INDIVIDUAIS E CONSOLIDADAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 (Em milhares de Reais exceto quando indicado de outra forma) NOTA 1 - CONTEXTO

Leia mais

Ativo 2012 2011 Passivo e patrimônio líquido 2012 2011

Ativo 2012 2011 Passivo e patrimônio líquido 2012 2011 Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa (Nota 5) 45.431 15.305 Financiamentos e empréstimos (Nota 12) 71.389 40.388

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE BRUSQUE - FEBE CNPJ (MF) Nº 83.128.769/0001-17 Brusque - SC DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 Fevereiro/2011 1 FUNDAÇÃO EDUCACIONAL

Leia mais

Copobras da Amazônia Industrial de Embalagens Ltda.

Copobras da Amazônia Industrial de Embalagens Ltda. Balanços patrimoniais em 31 de dezembro de 2014 Em milhares de reais Ativo Passivo Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa (Nota 7) 1.440 1.112 Fornecedores(Nota 14) 3.537 4.353 Contas a receber

Leia mais

Associação Saúde Criança São Paulo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2013

Associação Saúde Criança São Paulo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2013 Associação Saúde Criança São Paulo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2013 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras

Leia mais

IESA ÓLEO & GÁS S.A. Demonstrações Financeiras período findo em 30 de setembro de 2009 e 31 de dezembro de 2008

IESA ÓLEO & GÁS S.A. Demonstrações Financeiras período findo em 30 de setembro de 2009 e 31 de dezembro de 2008 Demonstrações Financeiras período findo em 30 de setembro de 2009 e 31 de dezembro de 2008 Demonstrações Financeiras período findo em 30 de setembro de 2009 e 31 de dezembro de 2008 Conteúdo Balanços Patrimoniais

Leia mais

Índice Balanço patrimonial... 4 Demonstração do resultado...5 Demonstração do resultado abrangente... 6 Demonstração das mutações no patrimônio líquido...7 Demonstração dos fluxos de caixa... 8 Demonstração

Leia mais

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A.

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. 31 de dezembro de 2014 com o relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes

Leia mais

Raízen Combustíveis S.A. Índice

Raízen Combustíveis S.A. Índice Raízen Combustíveis S.A. Índice Balanço patrimonial...2 Demonstração do resultado...4 Demonstração do resultado abrangente...5 Demonstração das mutações do patrimônio líquido...6 Demonstração dos fluxos

Leia mais

RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS. Responsabilidade da administração sobre as demonstrações contábeis

RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS. Responsabilidade da administração sobre as demonstrações contábeis RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Aos Diretores e Mantenedores da FUNDAÇÃO PRÓ RIM JOINVILLE SC Examinamos as demonstrações financeiras da Fundação Pró Rim, que compreendem

Leia mais

Companhia Brasileira de Vidros Planos

Companhia Brasileira de Vidros Planos Balanço patrimonial Em milhares de reais Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de Caixa (Nota 6) 40.059 2.719 Fornecedores (Nota 13) 115.571 85.787 Títulos e valores

Leia mais

Foz de Jeceaba Engenharia Ambiental S.A. Demonstrações financeiras e relatório dos auditores independentes em 31 de dezembro de 2011

Foz de Jeceaba Engenharia Ambiental S.A. Demonstrações financeiras e relatório dos auditores independentes em 31 de dezembro de 2011 Foz de Jeceaba Engenharia Ambiental S.A. Demonstrações financeiras e relatório dos auditores independentes em 31 de dezembro de 2011 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Em milhares de reais Ativo

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008 (Em milhares de reais) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Seguradora está autorizada a operar em seguros do

Leia mais

Instituto Lina Galvani

Instituto Lina Galvani Balanços patrimoniais Em milhares de reais Ativo 31 de dezembro de 2011 31 de dezembro de 2010 Passivo e patrimônio social 31 de dezembro de 2011 31 de dezembro de 2010 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - PARTICIPAÇÕES INDUST. DO NORDESTE S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - PARTICIPAÇÕES INDUST. DO NORDESTE S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente 7 Demonstração

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 CNPJ (MF) Nº 83.128.769/0001-17 Brusque - SC DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 Fevereiro/2012 1 BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE Valores expressos

Leia mais

Raízen Combustíveis S.A.

Raízen Combustíveis S.A. Balanço patrimonial consolidado e condensado (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) Ativo 30.06.2014 31.03.2014 Passivo 30.06.2014 31.03.2014 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

PLANO DE CONTAS REFERENCIAL ECD-ECF EMPRESAS EM GERAL (L100A)- CONTAS PATRIMONIAS (Dt.Inicio: 01/01/14) Número Conta Descrição (Nome da Conta) Ord

PLANO DE CONTAS REFERENCIAL ECD-ECF EMPRESAS EM GERAL (L100A)- CONTAS PATRIMONIAS (Dt.Inicio: 01/01/14) Número Conta Descrição (Nome da Conta) Ord PLANO DE CONTAS REFERENCIAL ECD-ECF EMPRESAS EM GERAL (L100A)- CONTAS PATRIMONIAS (Dt.Inicio: 01/01/14) Número Conta Descrição (Nome da Conta) Ord TipoConta SuperiorGrau Nat 1 ATIVO 1 S 1 1 1.01 ATIVO

Leia mais

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012(Em Milhares de Reais) ATIVO Nota 31/12/2013 31/12/2012

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012(Em Milhares de Reais) ATIVO Nota 31/12/2013 31/12/2012 BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012(Em Milhares de Reais) ATIVO Nota 31/12/2013 31/12/2012 CIRCULANTE 67.424 76.165 DISPONIBILIDADES 4 5.328 312 TITULOS E VALORES MOBILIÁRIOS E INTRUMENTOS

Leia mais

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Patacão Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. ( Distribuidora ) tem como objetivo atuar no mercado de títulos e valores mobiliários em seu nome ou em nome de terceiros.

Leia mais

Ativo Nota 30/09/2014 31/12/2013 Passivo Nota 30/09/2014 31/12/2013

Ativo Nota 30/09/2014 31/12/2013 Passivo Nota 30/09/2014 31/12/2013 DUDALINA S/A BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE SETEMBRO DE 2014 (Valores expressos em milhares de reais) Ativo Nota 30/09/2014 31/12/2013 Passivo Nota 30/09/2014 31/12/2013 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Parecer dos auditores independentes

HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Parecer dos auditores independentes HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Parecer dos auditores independentes Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2009 e 2008 HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

METROBUS TRANSPORTE COLETIVO S/A. Demonstrações contábeis em 31 de dezembro de 2010 e 2009 e o relatório dos auditores independentes

METROBUS TRANSPORTE COLETIVO S/A. Demonstrações contábeis em 31 de dezembro de 2010 e 2009 e o relatório dos auditores independentes METROBUS TRANSPORTE COLETIVO S/A Demonstrações contábeis em 31 de dezembro de 2010 e 2009 e o relatório dos auditores independentes 1 Informações gerais A Metrobus Transporte Coletivo S.A., constituída

Leia mais

MÁXIMA S/A. CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014

MÁXIMA S/A. CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 MÁXIMA S/A. CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 Crowe Horwath Bendoraytes & Cia. Member of Crowe Horwath International Avenida das Américas, 4200

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 00414-6 KARSTEN S.A. 82.640.558/0001-04 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 00414-6 KARSTEN S.A. 82.640.558/0001-04 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/29 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA

Leia mais

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda.

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras Índice Relatório

Leia mais

Aqua-Rio Aquário Marinho do Rio de Janeiro S.A. Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil em 31 de dezembro de

Aqua-Rio Aquário Marinho do Rio de Janeiro S.A. Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil em 31 de dezembro de Aqua-Rio Aquário Marinho do Rio de Janeiro S.A. Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes Relatório

Leia mais

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Brito Amoedo Imobiliária S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e em 31 de Dezembro de 2006, 2005 e 2004 Parecer dos auditores independentes

Leia mais

RBS Participações S.A. e empresas controladas

RBS Participações S.A. e empresas controladas Demonstrações consolidadas do resultado Exercícios findos em 31 de dezembro Em milhares de reais, exceto valor por ação (Tradução livre do original em inglês) Nota 2014 2013 Receita líquida 18 (a) 487.758

Leia mais

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS.

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. I. BALANÇO ATIVO 111 Clientes: duplicatas a receber provenientes das vendas a prazo da empresa no curso de suas operações

Leia mais

Banrisul Armazéns Gerais S.A.

Banrisul Armazéns Gerais S.A. Balanços patrimoniais 1 de dezembro de 2012 e 2011 Nota Nota explicativa 1/12/12 1/12/11 explicativa 1/12/12 1/12/11 Ativo Passivo Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 4 17.891 18.884 Contas

Leia mais

Demonstrações Financeiras Empresa Brasileira de Bebidas e Alimentos S.A.

Demonstrações Financeiras Empresa Brasileira de Bebidas e Alimentos S.A. Demonstrações Financeiras Empresa Brasileira de Bebidas e Alimentos S.A. Período de sete meses findo em 31 de julho de 2009 e exercício findo em 31 de com Parecer dos Auditores Independentes Demonstrações

Leia mais

Officer Distribuidora de Produtos de Informática S.A.

Officer Distribuidora de Produtos de Informática S.A. Officer Distribuidora de Produtos de Informática S.A. Demonstrações Financeiras Individuais e Consolidadas Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2012 e Relatório dos Auditores Independentes

Leia mais

Empresa Concessionária de Rodovias do Sul S.A. - ECOSUL

Empresa Concessionária de Rodovias do Sul S.A. - ECOSUL Empresa Concessionária de Rodovias do Sul S.A. - ECOSUL Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2011 e Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações

Leia mais

Contabilidade Avançada Fluxos de Caixa DFC

Contabilidade Avançada Fluxos de Caixa DFC Contabilidade Avançada Demonstração dos Fluxos de Caixa DFC Prof. Dr. Adriano Rodrigues Normas Contábeis: No IASB: IAS 7 Cash Flow Statements No CPC: CPC 03 (R2) Demonstração dos Fluxos de Caixa Fundamentação

Leia mais

Agência Estado Ltda. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes

Agência Estado Ltda. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Ativo 2009 2008 Circulante Caixa e equivalentes de caixa (Nota

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E 2003 CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. CEASA

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E 2003 CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. CEASA DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E 2003 CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. CEASA CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. CEASA DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e Fundo de Investimento Imobiliário Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2009 2008 Passivo e patrimônio

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - JOSAPAR- JOAQUIM OLIVEIRA S/A PARTICIP Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - JOSAPAR- JOAQUIM OLIVEIRA S/A PARTICIP Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente 6 Demonstração

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Abril Comunicações S.A.

Abril Comunicações S.A. Abril Comunicações S.A. e empresas controladas DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS em 31 de Dezembro de 2012 e Relatório dos Auditores Independentes Abril Comunicações S.A. e empresas controladas DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 09. Demonstração do Valor Adicionado

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 09. Demonstração do Valor Adicionado COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 09 Demonstração do Valor Adicionado PRONUNCIAMENTO Conteúdo Item OBJETIVO 1-2 ALCANCE E APRESENTAÇÃO 3 8 DEFINIÇÕES 9 CARACTERÍSTICAS DAS

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.)

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2008 2007 Passivo e patrimônio líquido 2008 2007 Circulante Circulante Bancos 3 14 Rendimentos a distribuir 3.599 2.190 Aplicações financeiras de renda fixa

Leia mais

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstração do resultado Exercício/período findo em 31 de dezembro Receita líquida (Nota 14) 13.913 Custo

Leia mais

Rodobens Locação de Imóveis Ltda

Rodobens Locação de Imóveis Ltda Rodobens Locação de Imóveis Ltda Demonstrações contábeis referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2011 e relatório dos auditores independentes Approach Auditores Independentes Relatório dos auditores

Leia mais

Luz Franquias S.A. Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes

Luz Franquias S.A. Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2014 e Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes

Leia mais

Niterói Administradora de Imóveis S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Niterói Administradora de Imóveis S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Niterói Administradora de Imóveis S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e em 31 de Dezembro de 2006, 2005 e 2004 Parecer dos auditores independentes

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e Fundo de Investimento Imobiliário Península Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 3 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Ativo 2009 2008

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012 KPDS 81674 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 3 Balanços patrimoniais 5 Demonstrações de resultados 6 Demonstrações de resultados abrangentes 7 Demonstrações

Leia mais

Tributos sobre o Lucro Seção 29

Tributos sobre o Lucro Seção 29 Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais

e) 50.000.000,00. a) 66.000.000,00. c) 0,00 (zero).

e) 50.000.000,00. a) 66.000.000,00. c) 0,00 (zero). 1. (SEFAZ-PI-2015) Uma empresa, sociedade de capital aberto, apurou lucro líquido de R$ 80.000.000,00 referente ao ano de 2013 e a seguinte distribuição foi realizada no final daquele ano: valor correspondente

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e 2013

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e 2013 KPDS 111128 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 3 Balanços patrimoniais 5 Demonstrações de resultados 6 Demonstrações de resultados abrangentes 7 Demonstrações

Leia mais

PLANO DE CONTAS. - Plano 000001 FOLHA: 000001 0001 - INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA DA USP DATA: 18/08/2009 PERÍODO: 01/2007

PLANO DE CONTAS. - Plano 000001 FOLHA: 000001 0001 - INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA DA USP DATA: 18/08/2009 PERÍODO: 01/2007 PLANO DE S FOLHA: 000001 1 - ATIVO 1.1 - ATIVO CIRCULANTE 1.1.1 - DISPONÍVEL 1.1.1.01 - BENS NUMERÁRIOS 1.1.1.01.0001 - (0000000001) - CAIXA 1.1.1.02 - DEPÓSITOS BANCÁRIOS 1.1.1.02.0001 - (0000000002)

Leia mais

J Dantas S.A. Engenharia e Construções Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil em 31 de dezembro de 2014

J Dantas S.A. Engenharia e Construções Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil em 31 de dezembro de 2014 J Dantas S.A. Engenharia e Construções Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil em 31 de dezembro de 2014 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2015 - ÁPICE SECURITIZADORA S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2015 - ÁPICE SECURITIZADORA S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Participações Industriais do Nordeste S.A. e Empresas Controladas

Participações Industriais do Nordeste S.A. e Empresas Controladas Participações Industriais do Nordeste S.A. e Empresas Controladas Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS, em 31 de dezembro de 2013 e Relatório dos

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - BRASIL BROKERS PARTICIPAÇÕES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - BRASIL BROKERS PARTICIPAÇÕES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e 2013

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e 2013 KPDS 111138 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 3 Balanços patrimoniais 5 Demonstrações de resultados 6 Demonstrações de resultados abrangentes 7 Demonstrações

Leia mais

Parque Eólico Assuruá VII. Relatório dos Auditores Independentes. Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2014

Parque Eólico Assuruá VII. Relatório dos Auditores Independentes. Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2014 Parque Eólico Assuruá VII Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2014 Parque Eólico Assuruá VII Demonstrações contábeis Referentes aos exercícios findos em 31

Leia mais

Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2015 e 2014

Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2015 e 2014 MSB Bank S.A. Banco de Câmbio KPDS 125950 MSB Bank S.A. Banco de Câmbio Conteúdo Relatório da Administração 3 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 4 Balanços patrimoniais

Leia mais

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda.

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras Índice Relatório

Leia mais

Even Construtora e Incorporadora S.A. e Controladas

Even Construtora e Incorporadora S.A. e Controladas Even Construtora e Incorporadora S.A. e Controladas Demonstrações Financeiras Individuais e Consolidadas Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2014 e Relatório dos Auditores Independentes

Leia mais

Salus Infraestrutura Portuária S.A.

Salus Infraestrutura Portuária S.A. Salus Infraestrutura Portuária S.A. Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2014 e Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Deloitte

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA CAPÍTULO 33 Este Capítulo é parte integrante do Livro Contabilidade Básica - Finalmente Você Vai Entender a Contabilidade. 33.1 CONCEITOS A demonstração dos fluxos de caixa evidencia as modificações ocorridas

Leia mais

Fertilizantes Heringer S.A. Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2011

Fertilizantes Heringer S.A. Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2011 Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em de 2011 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Aos Administradores e Acionistas

Leia mais

A emissão destas demonstrações contábeis foi autorizada em reunião do Conselho de Administração da Companhia realizada em 04 de fevereiro de 2015.

A emissão destas demonstrações contábeis foi autorizada em reunião do Conselho de Administração da Companhia realizada em 04 de fevereiro de 2015. contábeis em 1 Informações gerais A Elekeiroz S.A. ( Elekeiroz ou Companhia ) é uma sociedade anônima de capital aberto com ações negociadas na BM&F BOVESPA - Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros, controlada

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE. RESOLUÇÃO Nº 1.138, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2008: Aprova a NBC T 3.7 - Demonstração do Valor Adicionado.

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE. RESOLUÇÃO Nº 1.138, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2008: Aprova a NBC T 3.7 - Demonstração do Valor Adicionado. CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE RESOLUÇÃO Nº 1.138, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2008: Aprova a NBC T 3.7 - Demonstração do Valor Adicionado. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e 2013

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e 2013 KPDS 111136 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 3 Balanços patrimoniais 5 Demonstrações de resultados 6 Demonstrações de resultados abrangentes 7 Demonstração

Leia mais

Serviço Funerário Bom Pastor Ltda ME Demonstrações contábeis findas em 31 de dezembro de 2014

Serviço Funerário Bom Pastor Ltda ME Demonstrações contábeis findas em 31 de dezembro de 2014 Serviço Funerário Bom Pastor Ltda ME Demonstrações contábeis findas Demonstrações financeiras em IFRS e baseadas nos Pronunciamentos Técnicos emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis - CPC em

Leia mais

Demonstrações Contábeis Cimento Tupi S.A. e Empresas Controladas

Demonstrações Contábeis Cimento Tupi S.A. e Empresas Controladas Demonstrações Contábeis Cimento Tupi S.A. e Empresas Controladas 31 de dezembro de 2012 com o Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Contábeis Demonstrações contábeis 31 de dezembro

Leia mais

Makro Atacadista S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes

Makro Atacadista S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Aos Administradores e Acionistas Makro

Leia mais

SEÇÃO 27 REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVOS. Dezembro 2011. Elaborado por:

SEÇÃO 27 REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVOS. Dezembro 2011. Elaborado por: Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Telefones: 11 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento); fax 11 3824-5487 E-mail: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

Armazém Mateus S.A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes

Armazém Mateus S.A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Armazém Mateus S.A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Em 31 de dezembro de 2013 Índice Página Relatório dos auditores independentes 3 Demonstrações contábeis

Leia mais

Demonstrações Financeiras Yuny Incorporadora S.A. 31 de dezembro de 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Yuny Incorporadora S.A. 31 de dezembro de 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Yuny Incorporadora S.A. 31 de dezembro de 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes Yuny Incorporadora S.A. Demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2013 e 2012

Leia mais

Innova S.A. Demonstrações contábeis em 31 de dezembro de 2011 e 2010

Innova S.A. Demonstrações contábeis em 31 de dezembro de 2011 e 2010 Demonstrações contábeis em 31 de dezembro de 2011 e 2010 Demonstrações contábeis em 31 de dezembro de 2011 e 2010 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações contábeis 3-4 Balanços

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Aula n 04 online MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Balanço Patrimonial Plano de Contas É um elemento sistematizado e metódico de todas as contas movimentadas por uma empresa. Cada empresa deverá ter seu próprio

Leia mais

Alcoa Alumínio S.A. Demonstrações financeiras consolidadas e individuais em 31 de dezembro de 2011 e relatório dos auditores independentes

Alcoa Alumínio S.A. Demonstrações financeiras consolidadas e individuais em 31 de dezembro de 2011 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras consolidadas e individuais em 31 de dezembro de 2011 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras consolidadas

Leia mais

Super 25 Comércio Eletrônico de Óculos e Acessórios S.A.

Super 25 Comércio Eletrônico de Óculos e Acessórios S.A. Super 25 Comércio Eletrônico de Óculos e Acessórios S.A. Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2014 e Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações

Leia mais

Mateus Supermercados S.A.

Mateus Supermercados S.A. Mateus Supermercados S.A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Em 31 de dezembro de 2013 Índice Página Relatório dos auditores independentes 3 Demonstrações contábeis

Leia mais

RBS Participações S.A. e empresas controladas

RBS Participações S.A. e empresas controladas Balanços patrimoniais consolidados em 31 de dezembro Em milhares de reais (Tradução livre do original em inglês) Ativo Nota 2013 2012 Passivo e patrimônio líquido Nota 2013 2012 Circulante Circulante Caixa

Leia mais

Normas Internacionais de Relatório Financeiro Modelo de demonstrações financeiras para 2009

Normas Internacionais de Relatório Financeiro Modelo de demonstrações financeiras para 2009 Normas Internacionais de Relatório Financeiro Modelo de demonstrações financeiras para 2009 2 Demonstrações financeiras para o exercício findo em 31 de dezembro de 2009 As demonstrações financeiras, modelo

Leia mais

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 54 RELATÓRIO ANUAL GERDAU 2011 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RESUMIDAS Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 GERDAU S.A. e empresas controladas BALANÇOS PATRIMONIAIS CONSOLIDADOS

Leia mais

J Dantas S.A. Engenharia e Construções. Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil em 31 de dezembro de 2012

J Dantas S.A. Engenharia e Construções. Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil em 31 de dezembro de 2012 J Dantas S.A. Engenharia e Construções Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil em 31 de dezembro de 2012 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações

Leia mais

Paraná Equipamentos S.A. Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos

Paraná Equipamentos S.A. Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações

Leia mais

Setembro 2012. Elaborado por: Luciano Perrone O conteúdo desta apostila é de inteira responsabilidade do autor (a).

Setembro 2012. Elaborado por: Luciano Perrone O conteúdo desta apostila é de inteira responsabilidade do autor (a). Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

Companhia Hispano- Brasileira de Pelotização - HISPANOBRAS Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013

Companhia Hispano- Brasileira de Pelotização - HISPANOBRAS Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 Companhia Hispano- Brasileira de Pelotização - HISPANOBRAS Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Aos Administradores

Leia mais

Construtora Aterpa M. Martins S.A. Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil em 31 de dezembro de 2013

Construtora Aterpa M. Martins S.A. Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil em 31 de dezembro de 2013 Construtora Aterpa M. Martins S.A. Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil em 31 de dezembro de 2013 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações

Leia mais

Relatório da Administração Dommo 2014

Relatório da Administração Dommo 2014 Relatório da Administração Dommo 2014 A Administração da Dommo Empreendimentos Imobiliários S.A. apresenta o Relatório da Administração e as correspondentes Demonstrações Financeiras referentes aos exercícios

Leia mais