ANEXO: PROSPECÇÃO GEOTÉCNICA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEXO: PROSPECÇÃO GEOTÉCNICA"

Transcrição

1 ANEXO: PROSPECÇÃO GEOTÉCNICA

2 Geestrada, Lda Via Oriental do concelho de Cascais Troço RECONHECIMENTO GEOLÓGICO-GEOTÉCNICO R.P0.0.0

3 VOC Troço ÍNDICE pág. I INTRODUÇÃO II TRABALHOS REALIZADOS.. III ENQUADRAMENTO GEOLÓGICO E GEOTECNICO.. IVI CONDIÇÕES DE FUNDAÇÃO... ANEXOS ANEXO I DIAGRAMAS DAS SONDAGENS Geestrada, Lda página

4 VOC Troço Geestrada, Lda Via oriental do concelho de Cascais Troço RECONHECIMENTO GEOLÓGICO-GEOTÉCNICO I - INTRODUÇÃO Por solicitação de Geestrada Gabinete de Engenharia de Estradas, Lda, procedeu a Geoma - Geotecnia e Mecânica de solos, Lda realizou a prospecção geológicageotécnica nos terrenos interessados pela implantação de passagens hidráulicas. A prospecção desenvolvida para o efeito e definida previamente pelo Projectista constou de sondagens mecânicas de prospecção, uma por cada Ph, com duas sondagens na Ph, e teve por objectivo primordial a definição das características geológico-geotécnicas dos terrenos ocorrentes por forma a ser desenvolvido o projecto de fundação. É dos trabalhos realizados e dos resultados obtidos que damos conta no presente relatório. Geestrada, Lda página

5 VOC Troço II - TRABALHOS REALIZADOS Os trabalhos realizados compreenderam na execução de sondagens mecânicas, tendo a Geoma mobilizado o equipamento APAFOR, modelo 0, de funcionamento hidráulico e com as seguintes características: Motor Lombardini de 0 Cv Bomba de água de pistons de 0 a 0 Bar Torre extensível até.0m de altura Cabeça de rotação de 0 a 00 r.p.m. Cabeça de trados com torque de 00 kg.m Guincho hidráulico Pilão SPT semi-automático Deslocação em lagartas de borracha Geestrada, Lda página

6 VOC Troço Para o avanço da furação recorreu-se a trados helicoidais de comprimento de,0 m de diâmetro 0 mm No decorrer da furação realizou-se ensaios penetrométricos do tipo SPT de,0m em,0m, efectuados de acordo com as orientações do Relatório do ISSMFE Techical Committe on Penetration Test of Soils Tc de Junho, ensaios destinados a medir a consistência/compacidade dos terreno. Resume-se no Quadro I os dados relativos à furação, comprimento da sondagem e quantidade de ensaios SPT efectuados. Quadro I Sondagens: Resumo Obra Ph Ph Jusante Ph Montante Ph Sondagem Nº S S S S Furação Ensaios Nível Comprimento da freático Sondagem Solos SPT,00,,,0,, 0,00,0,,00,, TOTAIS 0, 0, 0 Os diagramas das sondagens com a descrição lito-estratigráfica dos terrenos atravessados, o resultado N dos ensaios SPT efectuados e indicação do grau de alteração estão juntos em anexo. Geestrada, Lda página

7 VOC Troço III ENQUADRAMENTO GEOLÓGICO E GEOTECNICO As sondagens desenvolveram-se ao longo da linha de água, no ponto de intersecção com a Via Oriental do concelho de Cascais. Em ambiente morfológico aplanado com pendor para sul com diferenças altimétricas a variar 0 m. A ocupação dos terrenos faz-se por coberto vegetal arbustivo moderado a densa com árvores dispersas ao longo das margens da linha de água, que atravessa a área. A zona de intervenção intersecta terrenos carbonatados do Cretácico, calcários e margas, com níveis areno-argilosos intercalados, aparecendo a norte recortes de massas basálticas do Complexo Vulcânico de Lisboa. Os terrenos acima mencionados encontram-se localmente recobertos por depósitos recentes de conteúdo aluvionar, constituídos essencialmente por fragmentos de calcário e basalto rolados e angulosos, com uma matriz arenosa com contaminação orgânica de cor escura. Geestrada, Lda página

8 VOC Troço A compacidade característica dos terrenos, medida pelos ensaios SPT, está sobrevalorizada nos níveis aluvionares devido à sua composição grosseira, pelo que a sua apreciação deve ser feita, tendo em conta este particular. Nas sondagens S e S identificou-se horizontes superficiais compostos por depósitos de aterro de composição granulométrica variada, com as maiores granulometrias a serem evidentes na S. As espessuras das litogias das sondagens estão resumidas no seguinte quadro: Quadro II Espessuras das litologias: Resumo Sondagem Espessuras das Litogias At Al Cc B S,00 0,00, 0,00 S 0,00,0,0 0,00 S 0,00,0,0 0,00 S,0 0,00 0,00, Legenda: At Aterro; Al Aluvião; Cc Calcário; B Basalto. Geestrada, Lda página

9 VOC Troço IV Condições de Fundação Do resultado da intervenção efectuada estabelece-se as seguintes condições de fundação: Obra PH Critério Unidades Geológicas Prof. Cretácico (Calhaus de calcário) Tipo Fundação Tensão admissível (kpa),00 Directa/poços 00,00 PH Cretácico (Calhaus de calcário),00 Directa 0,00 PH Complexo Vulcânico (Calhaus de basalto),0 Directa/poços 0,00 Vila Nova de Gaia, de Setembro de 00 António Jorge de Castro Tavares (Eng. Civil) Leandro Jorge Monteiro Martins (Geólogo) Geestrada, Lda página

10 SONDAGEM ENTIDADE: Geestrada OBRA: VOC - Troço - Cascais PROCESSO: 0 SONDAGEM: S FOLHA: / Equipamento: APAFOR Revestimento: Data Início: //00 Nível Freático: º º.00 m Coordenadas: M= P= Cota: Z= Data Fim: Azimute: Inclinação: //00 0 º FURAÇÃO MANOBRAS ESTRATIGRAFIA SIMBOLOGIA DESCRIÇÃO LITOLÓGICA ALTERAÇÃO FRACTURAÇÃO RECUP. R.Q.D. S.P.T. ª FASE ª FASE ENSAIOS W W W W F F F F (%) (Nº PANCADAS) At ATERRO Aterro com pequenos fragmentos de calcário envoltos numa matriz siltosa de cor castanha escura.00 CRETÁCICO Solo arenoso de granulometria fina a média de cor acastanhada medianamente compacta Cc.00 CRETÁCICO Fragmentos de calcário de reduzida dimensão envoltos numa matriz siltosa acinzentada compacta a muito compacta (0cm) 0. 0 Fim da Sondagem:. m (cm) 0 0 OBSERVAÇÕES: RESPONSÁVEL: Leandro Martins DATA: 0/0/00 GEOMA Geotecnia e Mecânica dos Solos, Lda Rua Particular de Laborim, 00 - F; 0- Vila Nova de Gaia Tel: +000 Fax: R.P0.0.0

11 SONDAGEM ENTIDADE: Geestrada OBRA: VOC - Troço - Cascais PROCESSO: 0 SONDAGEM: S FOLHA: / Equipamento: APAFOR Revestimento: Data Início: //00 Nível Freático: º º.0 m Coordenadas: M= P= Cota: Z= Data Fim: Azimute: Inclinação: //00 0 º FURAÇÃO MANOBRAS ESTRATIGRAFIA SIMBOLOGIA DESCRIÇÃO LITOLÓGICA ALTERAÇÃO FRACTURAÇÃO RECUP. R.Q.D. S.P.T. ª FASE ª FASE ENSAIOS 0.0 Tv TERRENO VEGETAL Solo vegetal com solo siltoso com a presença de raízes W W W W F F F F (%) (Nº PANCADAS) Al ALUVIÃO Areias com pequenos calhaus rolados e angulosos de calcário compactas a muito compactas, com zonas de argila de cor amarela avermelhada.00 0 (0cm) 0.0 Cac CRETÁCICO Pequenos fragmentos de de calcário envoltos numa matriz siltosa acizentado, muito compactos (0cm) (cm). 0 Fim da Sondagem:. m (cm) 0 0 OBSERVAÇÕES: RESPONSÁVEL: Leandro Martins DATA: /0/00 GEOMA Geotecnia e Mecânica dos Solos, Lda Rua Particular de Laborim, 00 - F; 0- Vila Nova de Gaia Tel: +000 Fax: R.P0.0.0

12 SONDAGEM ENTIDADE: Geestrada OBRA: VOC - Troço - Cascais PROCESSO: 0 SONDAGEM: S FOLHA: / Equipamento: Nível Freático: º º APAFOR Revestimento: Data Início: //00 Coordenadas: M= P= Cota: Z= Data Fim: Azimute: Inclinação: //00 0 º FURAÇÃO MANOBRAS ESTRATIGRAFIA SIMBOLOGIA DESCRIÇÃO LITOLÓGICA ALTERAÇÃO FRACTURAÇÃO RECUP. R.Q.D. S.P.T. ª FASE ª FASE ENSAIOS 0.0 Tv TERRENO VEGETAL Solo siltoso de cor acastanhada com a presença de raízes W W W W F F F F (%) (Nº PANCADAS) Al ALUVIÃO Areias de cor escura com calhaus rolados e angulosos de calcário compacto Cac CRETÁCICO Pequenos fragmentos de calcário envoltos numa matriz argilosa muito rija de cor avermelhada (cm) 0.00 (0cm) 0.0 Fim da Sondagem:.0 m (cm) OBSERVAÇÕES: RESPONSÁVEL: Leandro Martins DATA: /0/00 GEOMA Geotecnia e Mecânica dos Solos, Lda Rua Particular de Laborim, 00 - F; 0- Vila Nova de Gaia Tel: +000 Fax: R.P0.0.0

13 SONDAGEM ENTIDADE: Geestrada OBRA: VOC - Troço - Cascais PROCESSO: 0 SONDAGEM: S FOLHA: / Equipamento: APAFOR Revestimento: Data Início: //00 Nível Freático: º º.00 m Coordenadas: M= P= Cota: Z= Data Fim: Azimute: Inclinação: //00 0 º FURAÇÃO MANOBRAS ESTRATIGRAFIA SIMBOLOGIA DESCRIÇÃO LITOLÓGICA ALTERAÇÃO FRACTURAÇÃO RECUP. R.Q.D. S.P.T. ª FASE ª FASE ENSAIOS W W W W F F F F (%) (Nº PANCADAS) At ATERRO Aterro de granulometria heterogénea, com blocos liticos dispostos por uma matriz silto-arenosa de cor escura B BASALTOS Fragmentos de basalto de reduzida dimensão envoltos por matriz argilosa de cor acinzentada muito compacta (cm) 0. 0 Fim da Sondagem:. m (cm) 0 0 OBSERVAÇÕES: RESPONSÁVEL: Leandro Martins DATA: /0/00 GEOMA Geotecnia e Mecânica dos Solos, Lda Rua Particular de Laborim, 00 - F; 0- Vila Nova de Gaia Tel: +000 Fax: R.P0.0.0

SONDAGEM A TRADO INICIO PERFIL INDIVIDUAL INTERCEPTOR DE ESGOTO Córrego Brejo Alegre - Araguari / MG TECMINAS ENGENHARIA

SONDAGEM A TRADO INICIO PERFIL INDIVIDUAL INTERCEPTOR DE ESGOTO Córrego Brejo Alegre - Araguari / MG TECMINAS ENGENHARIA FN. (017) 334-334 - CEP. 02-080 CLIENTE 0,39 /08/2014 TÉRMINO /08/2014 ATERRO DE AREIA FINA, ARGILOSA, MARROM ACINZENTADA. 903,090 ST.01 AREIA FINA, MUITO ARGILOSA, AMARELA ACINZENTADA. 2,63 cinza ARGILA

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE

INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE ÁGUA & MINÉRIO SONDAGENS DE SOLO LTDA SONDAGENS DE SIMPLES RECONHECIMENTO - SPT NBR 6484 e NBR 8036 da ABNT INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CAMPUS IBIRAMA Rua Getúlio Vargas, 3006 Bela Vista Furos F-1 a

Leia mais

INVESTIGAÇÕES GEOTÉCNICAS PARA O

INVESTIGAÇÕES GEOTÉCNICAS PARA O INVESTIGAÇÕES GEOTÉCNICAS PARA O PROJETO DE FUNDAÇÕES O SOLO, NUM PROBLEMA DE FUNDAÇÕES DEVE SER ACEITO TAL COMO SE APRESENTA Para um projeto de fundações bem elaborado, deve-se conhecer: -os tipos de

Leia mais

BR-290/BR-116/RS Ponte sobre o Rio Guaíba Pista Dupla com 3 Faixas Porto Alegre, Eldorado do Sul

BR-290/BR-116/RS Ponte sobre o Rio Guaíba Pista Dupla com 3 Faixas Porto Alegre, Eldorado do Sul CARACTERIZAÇÃO DE SOLOS MOLES DA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE E SUAS MELHORIAS COM ADIÇÃO DE CAL V WORKSHOP DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO NAS CONCESSÕES Apresentação Lélio A. T. Brito, MSc., CONCEPA

Leia mais

ANEXO A RELATÓRIO GEOTÉCNICO. 1. Introdução. 2. Trabalhos realizados

ANEXO A RELATÓRIO GEOTÉCNICO. 1. Introdução. 2. Trabalhos realizados ANEXO A RELATÓRIO GEOTÉCNICO 1. Introdução O presente estudo refere-se a uma faixa de terreno com forma aproximadamente rectangular com cerca de 170m de comprimento e 20m de largura, correspondente à área

Leia mais

ANEXO 1. DOCUMENTAÇÃO FOTOGRÁFICA DOS LOCAIS DE SONDAGEM A TRADO km 353

ANEXO 1. DOCUMENTAÇÃO FOTOGRÁFICA DOS LOCAIS DE SONDAGEM A TRADO km 353 ANEXO 1 DOCUMENTAÇÃO FOTOGRÁFICA DOS LOCAIS DE SONDAGEM A TRADO km 353 Foto 1 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-01 (km353). Foto 2- Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem

Leia mais

PROJETO BÁSICO COM DETALHAMENTO CONSTRUTIVO DOS MOLHES DE FIXAÇÃO DA BARRA DO RIO ARARANGUÁ, MUNICÍPIO DE ARARANGUÁ (SC)

PROJETO BÁSICO COM DETALHAMENTO CONSTRUTIVO DOS MOLHES DE FIXAÇÃO DA BARRA DO RIO ARARANGUÁ, MUNICÍPIO DE ARARANGUÁ (SC) PROJETO BÁSICO COM DETALHAMENTO CONSTRUTIVO DOS MOLHES DE FIXAÇÃO DA BARRA DO RIO ARARANGUÁ, MUNICÍPIO DE ARARANGUÁ (SC) PRODUTO III INVESTIGAÇÕES GEOTÉCNICAS SONDAGEM DE SIMPLES RECONHECIMENTO POR SPT

Leia mais

Porto Alegre, 10 de agosto de 2010 À TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO

Porto Alegre, 10 de agosto de 2010 À TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO Porto Alegre, de agosto de 0 À TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA ª REGIÃO Ref. OBRA OS0/ RUA DE JULHO, S/N - SANT O ÂNGELO/RS Ass.: Relatório de Sondagem Prezados Senhores: Vimos através desta apresentar-lhes

Leia mais

Associado à. Associação Brasileira de Mecânica do Solos 38 ANOS

Associado à. Associação Brasileira de Mecânica do Solos 38 ANOS Associado à Associação Brasileira de Mecânica do Solos 38 ANOS 38 ANOS MEMORIAL DESCRITIVO OBRA PONTE PARAUAPEBAS - PARÁ DATA Outubro de 2011 Belém, 11 de outubro de 2011 Referência: Ponte em Parauapebas,

Leia mais

PRESCRIÇÕES PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE SONDAGEM MISTA E PROJETO DE DESMONTE DE ROCHAS - ESPECIFICAÇÕES GERAIS

PRESCRIÇÕES PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE SONDAGEM MISTA E PROJETO DE DESMONTE DE ROCHAS - ESPECIFICAÇÕES GERAIS PRESCRIÇÕES PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE SONDAGEM MISTA E PROJETO DE DESMONTE DE - ESPECIFICAÇÕES GERAIS Revisão n.º 1 2 3 4 5 7 Data 18/03/11 Responsável Heber 1/14 INDICE 1. OBJETIVO... 3 2. ELEMENTOS

Leia mais

LISTA 1 CS2. Cada aluno deve resolver 3 exercícios de acordo com o seu númeo FESP

LISTA 1 CS2. Cada aluno deve resolver 3 exercícios de acordo com o seu númeo FESP LISTA 1 CS2 Cada aluno deve resolver 3 exercícios de acordo com o seu númeo FESP Final 1 exercícios 3, 5, 15, 23 Final 2 exercícios 4, 6, 17, 25 Final 3- exercícios 2, 7, 18, 27 Final 4 exercícios 1 (pares),

Leia mais

Professor Douglas Constancio. 1 Elementos especiais de fundação. 2 Escolha do tipo de fundação

Professor Douglas Constancio. 1 Elementos especiais de fundação. 2 Escolha do tipo de fundação Professor Douglas Constancio 1 Elementos especiais de fundação 2 Escolha do tipo de fundação Americana, junho de 2005 0 Professor Douglas Constancio 1 Elementos especiais de fundação Americana, junho de

Leia mais

DEPARTAMENTO DE GEOTECNIA E LABORATÓRIOS

DEPARTAMENTO DE GEOTECNIA E LABORATÓRIOS DEPARTAMENTO DE GEOTECNIA E LABORATÓRIOS A Interserviços possui um Departamento de Geotecnia e Laboratórios móveis e fixos de engenharia Civil e Química. Com técnicos nacionais formados no Laboratório

Leia mais

PLURAL/OLIVEIRA DAS NEVES/BIODESIGN ANEXOS. Revisão do PDM de Vagos

PLURAL/OLIVEIRA DAS NEVES/BIODESIGN ANEXOS. Revisão do PDM de Vagos ANEXOS Revisão do PDM de Vagos ANEXO I CARACTERIZAÇÃO LITOLÓGICA, GEOTÉCNICA E PEDOLÓGICA (Plano Director Municipal de Vagos..., Gabinete de Apoio Técnico de Aveiro) Revisão do PDM de Vagos CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

CONCORRÊNCIA PÚBLICA N.º 009/2014 PROCESSO ADMINISTRATIVO N.º DE.01.01.0065/2014 ANEXO V LAUDO DE SONDAGEM

CONCORRÊNCIA PÚBLICA N.º 009/2014 PROCESSO ADMINISTRATIVO N.º DE.01.01.0065/2014 ANEXO V LAUDO DE SONDAGEM CONCORRÊNCIA PÚBLICA N.º 00/0 PROCESSO ADMINISTRATIVO N.º DE.0.0.00/0 ANEXO V LAUDO DE INTRODUÇÃO Neste documento estão relacionados os resultados obtidos na execução de Sondagem à Percussão tipo T em

Leia mais

BASENG Engenharia e Construção LTDA

BASENG Engenharia e Construção LTDA RELATÓRIO DE INVESTIGAÇÃO GEOLÓGICO- GEOTÉCNICA: SONDAGEM A PERCUSSÃO LT2 ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO CONTRUÇÃO DE UNIDADE DE PRONTO ATENDIMENTO HOSPITAL E MATERNIDADE Praia de Boiçucanga São Sebatião / SP

Leia mais

Planta 4. Legenda. Complexos Hidrogeológicos Complexo Aluvionar. Sistema Miocénico Inferior. Sistema das Argilas de Prazeres. Limite PP Parque Mayer

Planta 4. Legenda. Complexos Hidrogeológicos Complexo Aluvionar. Sistema Miocénico Inferior. Sistema das Argilas de Prazeres. Limite PP Parque Mayer ¹ Planta 4 Legenda Complexos Hidrogeológicos Complexo Aluvionar Sistema Miocénico Inferior Sistema das Argilas de Prazeres Limite PP Parque Mayer Direcção Municipal de Planeamento Urbano Departamento de

Leia mais

RELATÓRIO: 01-9013 OBRA: MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO LOCAL: ESPINHEIRO RECIFE/PE CLIENTE: POLICONSULT DATA: JULHO DE 2013

RELATÓRIO: 01-9013 OBRA: MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO LOCAL: ESPINHEIRO RECIFE/PE CLIENTE: POLICONSULT DATA: JULHO DE 2013 RELATÓRIO: 01-9013 OBRA: MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO LOCAL: ESPINHEIRO RECIFE/PE CLIENTE: POLICONSULT DATA: JULHO DE 2013 APRESENTAÇÃO A POLICONSULT Associação Politécnica de Consultoria apresenta o

Leia mais

ANEXO 4 SONDAGEM (ORIGINAL)

ANEXO 4 SONDAGEM (ORIGINAL) ANEXO 4 SONDAGEM (ORIGINAL) 1. RELATÓRIO DE SONDAGEM 1.1 Objetivos O presente relatório tem por objetivo descrever os critérios e procedimentos adotados na execução dos serviços de sondagem geotécnica

Leia mais

Mestrado em Engenharia de Estruturas. Fundações de Estruturas. Ensaios de campo. Jaime A. Santos (IST)

Mestrado em Engenharia de Estruturas. Fundações de Estruturas. Ensaios de campo. Jaime A. Santos (IST) Mestrado em Engenharia de Estruturas Fundações de Estruturas Ensaios de campo Jaime A. Santos (IST) Ensaio de penetração dinâmica SPT Ensaio SPT (Standard Penetration Test) - realizado na base de um furo

Leia mais

AGETOP AGÊNCIA GOIANA DE TRANSPORTES E OBRAS RELATÓRIO DE SONDAGEM A PERCUSSÃO

AGETOP AGÊNCIA GOIANA DE TRANSPORTES E OBRAS RELATÓRIO DE SONDAGEM A PERCUSSÃO AGETOP AGÊNCIA GOIANA DE TRANSPORTES E OBRAS RELATÓRIO DE SONDAGEM A PERCUSSÃO Av. JC-15, com R.BF-25 e BF-23, Jd. Curitiba Cidade: Goiânia GO Goiânia, 11 de outubro de 2011. AGETOP AGÊNCIA GOIANA DE TRANSPORTES

Leia mais

PERFIS TÍPICOS DO SUBSOLO NA PLANÍCIE DO RECIFE BRASIL: ESTUDO DE CASOS

PERFIS TÍPICOS DO SUBSOLO NA PLANÍCIE DO RECIFE BRASIL: ESTUDO DE CASOS PERFIS TÍPICOS DO SUBSOLO NA PLANÍCIE DO RECIFE BRASIL: ESTUDO DE CASOS TYPICAL PROFILES OF THE SUBSOIL IN THE LOWLAND OF RECIFE - BRAZIL: CASES HISTORY Oliveira, Joaquim Teodoro Romão de, Universidade

Leia mais

Observação do Comportamento Estrutural da Barragem de Beliche após a Realização de Obras de Reabilitação

Observação do Comportamento Estrutural da Barragem de Beliche após a Realização de Obras de Reabilitação Observação do Comportamento Estrutural da Barragem de Beliche após a Realização de Obras de Reabilitação Fernando Pardo de Santayana Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), Lisboa, Portugal RESUMO:

Leia mais

Indução de Recalques das Fundações de um Edifício Através de Rebaixamento do Lençol Freático.

Indução de Recalques das Fundações de um Edifício Através de Rebaixamento do Lençol Freático. Indução de Recalques das Fundações de um Edifício Através de Rebaixamento do Lençol Freático. Aline D. Pinheiro e Paulo César A. Maia Laboratório de Engenharia Civil, Universidade Estadual do Norte Fluminense,

Leia mais

Plano de Pormenor da Intervenção na Margem Direita da Foz do Rio Jamor Parecer aspectos geológico-geotécnicos potencialmente envolvidos

Plano de Pormenor da Intervenção na Margem Direita da Foz do Rio Jamor Parecer aspectos geológico-geotécnicos potencialmente envolvidos Departamento de Engenharia Civil Plano de Pormenor da Intervenção na Margem Direita da Foz do Rio Jamor Parecer aspectos geológico-geotécnicos potencialmente envolvidos 1 Introdução Por solicitação de

Leia mais

Estudo da Viabilidade do Uso do Penetrômetro Dinâmico Leve (DPL) para Projetos de Fundações de Linhas de Transmissão em Solos do Estado do Paraná

Estudo da Viabilidade do Uso do Penetrômetro Dinâmico Leve (DPL) para Projetos de Fundações de Linhas de Transmissão em Solos do Estado do Paraná COBRAMSEG 21: ENGENHARIA GEOTÉCNICA PARA O DESENVOLVIMENTO, INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE. 21 ABMS. Estudo da Viabilidade do Uso do Penetrômetro Dinâmico Leve (DPL) para Projetos de Fundações de Linhas de

Leia mais

RELATÓRIO SONDAGENS A PERCUSSÃO

RELATÓRIO SONDAGENS A PERCUSSÃO RELATÓRIO SONDAGENS A PERCUSSÃO NBR /00 INSTITUTO FEDERAL DE EDUÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA TARINENSE Áreas de Estudo: terreno onde será implantado o Campus de Brusque DGEO GEOLOGIA E ENGENHARIA AMBIENTAL

Leia mais

UNIVERSIDADE MUNICIPAL DE SÃO CAETANO DO SUL PARECER DE GEOTECNIA

UNIVERSIDADE MUNICIPAL DE SÃO CAETANO DO SUL PARECER DE GEOTECNIA UNIVERSIDADE MUNICIPAL DE SÃO CAETANO DO SUL PARECER DE GEOTECNIA Rua Macéio, s/n Bairro Barcelona São Caetano do Sul /SP PAR 15026 Março/2015 Revisão 0 CPOI Engenharia e Projetos Ltda Índice 1. INTRODUÇÃO...3

Leia mais

3 ASPECTOS GERAIS DA ÁREA ESTUDADA

3 ASPECTOS GERAIS DA ÁREA ESTUDADA 3 ASPECTOS GERAIS DA ÁREA ESTUDADA 3.1. Localização O aproveitamento Hidrelétrico de Itumbiara, com potência instalada de 2080 MW, situa-se no rio Paranaíba, na divisa dos estados de Minas Gerais e Goiás,

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL SONDAGENS Em virtude da dificuldade de se prever

Leia mais

CONTENÇÕES PERIFÉRICAS COM RECURSO A CORTINA DE ESTACAS E JET-GROUTING UM CASO DE OBRA E APLICAÇÃO A SÃO PAULO

CONTENÇÕES PERIFÉRICAS COM RECURSO A CORTINA DE ESTACAS E JET-GROUTING UM CASO DE OBRA E APLICAÇÃO A SÃO PAULO CONTENÇÕES PERIFÉRICAS COM RECURSO A CORTINA DE ESTACAS E JET-GROUTING UM CASO DE OBRA E APLICAÇÃO A SÃO PAULO SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. CONDICIONALISMOS GEOLÓGICO - GEOTÉCNICOS 3. SOLUÇÃO ADOTADA 4. DIMENSIONAMENTO

Leia mais

RELATÓRIO DE SONDAGEM

RELATÓRIO DE SONDAGEM Vitória, 19 de junho de 201 RELATÓRIO DE SONDAGEM CLIENTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE PRESIDENTE KENNEDY OBRA/LOCAL: SANTA LUCIA - PRESIDENTE KENNEDY CONTRATO: ETFC.0..1.00 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO...02 PERFIL

Leia mais

MANUAL DE BOLSO Nº 1: Investigação Geotécnica

MANUAL DE BOLSO Nº 1: Investigação Geotécnica MANUAL DE BOLSO Nº 1: Investigação Geotécnica OUTUBRO DE 2012 T E R R E S T R E. empresa sedeada em Itu/SP fornece consultas, projetos, ensaios especiais e serviços na área de geotecnia, drenagem, pavimentação,

Leia mais

Portfólio de Soluções. Sistemas SPTSis ROTSis MIXSis

Portfólio de Soluções. Sistemas SPTSis ROTSis MIXSis Portfólio de Soluções Sistemas SPTSis ROTSis MIXSis Conheça as opiniões dos nossos clientes... Em um serviço com oitenta furos, gastamos menos de quatro horas para gerar todos os relatórios de sondagem.

Leia mais

Faculdade de Engenharia Departamento de Estruturas e Fundações

Faculdade de Engenharia Departamento de Estruturas e Fundações 1. MÉTODOS DIRETOS Os métodos diretos englobam todas as investigações que possibilitam a visualização do perfil e retirada de amostra. Os procedimentos de investigação são bem definidos nas normas ABNT

Leia mais

DFA em Engenharia de Estruturas. Fundações de Estruturas. Ensaios de campo. Jaime A. Santos (IST)

DFA em Engenharia de Estruturas. Fundações de Estruturas. Ensaios de campo. Jaime A. Santos (IST) DFA em Engenharia de Estruturas Fundações de Estruturas Ensaios de campo Jaime A. Santos (IST) Ensaio de penetração dinâmica SPT O ensaio SPT (Standard Penetration Test) é realizado na base de um furo

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 19ª REGIÃO VARA DO TRABALHO DE PENEDO-AL RUA EM PROJETO A (LAGOA DO OITEIRO), PENEDO-AL

TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 19ª REGIÃO VARA DO TRABALHO DE PENEDO-AL RUA EM PROJETO A (LAGOA DO OITEIRO), PENEDO-AL TERESINA - PIAUÍ PROSPECÇÃO GEOTÉCNICA TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 19ª REGIÃO VARA DO TRABALHO DE PENEDO-AL RUA EM PROJETO A (LAGOA DO OITEIRO), PENEDO-AL SETEMBRO/ 2014 RELATÓRIO RS-23.09/2014 ÍNDICE

Leia mais

Prospecção em aterros de resíduos - Condicionalismos -

Prospecção em aterros de resíduos - Condicionalismos - MINERAÇÃO DE ATERROS EM PORTUGAL OPORTUNIDADE OU FICÇÃO CIENTÍFICA? Prospecção em aterros de resíduos - Condicionalismos - M.G.Brito 1 ; A.P. Silva 1 ; R. Araújo 2 1 GeoBioTec, FCT Universidade Nova Lisboa

Leia mais

RELATÓRIO DE SONDAGEM À PERCUSSÃO COM SPT EXECUTADAS NA SGAN 909, LOTES D E E - ASA NORTE / DF INTERESSADO (A):

RELATÓRIO DE SONDAGEM À PERCUSSÃO COM SPT EXECUTADAS NA SGAN 909, LOTES D E E - ASA NORTE / DF INTERESSADO (A): RELATÓRIO DE SONDAGEM À PERCUSSÃO COM SPT EXECUTADAS NA SGAN 909, LOTES D E E - ASA NORTE / DF INTERESSADO (A): Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios - TJDFT PUBLICAÇÃO: Reforsolo 2033/15

Leia mais

III-123 DIAGNÓSTICO AMBIENTAL EM ATERROS DE RESÍDUOS SÓLIDOS A PARTIR DE ESTUDOS DE REFERÊNCIA

III-123 DIAGNÓSTICO AMBIENTAL EM ATERROS DE RESÍDUOS SÓLIDOS A PARTIR DE ESTUDOS DE REFERÊNCIA III-123 DIAGNÓSTICO AMBIENTAL EM ATERROS DE RESÍDUOS SÓLIDOS A PARTIR DE ESTUDOS DE REFERÊNCIA Vera Lúcia A. de Melo (1) Mestre em Engenharia Civil (Geotecnia) pela UFPE. Aperfeiçoamento em pesquisa no

Leia mais

16.10 - DIVERSOS DICIONÁRIO DE RÚBRICAS E CRITÉRIOS DE MEDIÇÃO

16.10 - DIVERSOS DICIONÁRIO DE RÚBRICAS E CRITÉRIOS DE MEDIÇÃO 16.10 - DIVERSOS DICIONÁRIO DE RÚBRICAS E CRITÉRIOS DE MEDIÇÃO Neste grupo inclui-se, o fornecimento dos meios e dos equipamentos explicitamente incluídos no contrato, e necessários ao apoio logístico

Leia mais

Por que é importante um relatório técnico das condições da vizinhança? Por que é importante um relatório técnico das condições da vizinhança?

Por que é importante um relatório técnico das condições da vizinhança? Por que é importante um relatório técnico das condições da vizinhança? Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil Tecnologia da Construção Civil I Execução de edificações Serviços preliminares Elementos de prospecção geotécnica

Leia mais

SISTEMA AQUÍFERO: VIANA DO ALENTEJO ALVITO (A6)

SISTEMA AQUÍFERO: VIANA DO ALENTEJO ALVITO (A6) SISTEMA AQUÍFERO: VIANA DO ALENTEJO ALVITO (A6) Figura A6.1 Enquadramento litoestratigráfico do sistema aquífero Sistema Aquífero: Viana do Alentejo-Alvito (A6) 92 Identificação Unidade Hidrogeológica:

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO ARGOPAR PARTICIPAÇÔES LTDA FUNDAÇÕES ITABORAÍ SHOPPING ITABORAÍ - RJ ÍNDICE DE REVISÕES

RELATÓRIO TÉCNICO ARGOPAR PARTICIPAÇÔES LTDA FUNDAÇÕES ITABORAÍ SHOPPING ITABORAÍ - RJ ÍNDICE DE REVISÕES CLIENTE: FOLHA 1 de 17 PROGRAMA: FUNDAÇÕES AREA: ITABORAÍ SHOPPING ITABORAÍ - RJ RESP: SILIO LIMA CREA: 2146/D-RJ Nº GEOINFRA ÍNDICE DE REVISÕES REV DESCRIÇÃO E / OU FOLHAS ATINGIDAS Emissão inicial DATA

Leia mais

PROPOSIÇÃO DE UMA EQUAÇÃO DE CORRELAÇÃO ENTRE RESULTADOS DE SONDAGENS TIPO DPL E VALORES NSPT. C.P.B. AZEVEDO* Leme / Tractebel Brasil

PROPOSIÇÃO DE UMA EQUAÇÃO DE CORRELAÇÃO ENTRE RESULTADOS DE SONDAGENS TIPO DPL E VALORES NSPT. C.P.B. AZEVEDO* Leme / Tractebel Brasil PROPOSIÇÃO DE UMA EQUAÇÃO DE CORRELAÇÃO ENTRE RESULTADOS DE SONDAGENS TIPO DPL E VALORES NSPT C.P.B. AZEVEDO* Leme / Tractebel Brasil M.G.D. GUIMARÃES Leme / Tractebel Brasil Resumo A matriz energética

Leia mais

SP- 1. RMX (tf) DMX (milímetros) 100,96. TORQUE (kgfm) Max. Res ATERRO DE AREIA FINA SILTOSA,. PISO DE CONCRETO USINADO. 0,10 0,28

SP- 1. RMX (tf) DMX (milímetros) 100,96. TORQUE (kgfm) Max. Res ATERRO DE AREIA FINA SILTOSA,. PISO DE CONCRETO USINADO. 0,10 0,28 APRESENTAÇÃO Em prosseguimento à nossa campanha de divulgação de ensaios de carregamento dinâmico realizados em obras da nossa responsabilidade, e por ocasião do SEFE V no ano de, retratamos neste trabalho

Leia mais

TOMADA DE PREÇOS Nº 01/2015 ANEXO I-E SONDAGEM DE SOLO DO TERRENO

TOMADA DE PREÇOS Nº 01/2015 ANEXO I-E SONDAGEM DE SOLO DO TERRENO SEÇÃO DE LICITAÇÕES E CONTRATOS Rua Deodoro da Fonseca, 7 Centro Natal/RN CEP:.0-00. Fone: () - Fax: () -1 TOMADA DE PREÇOS Nº 01/ ANEXO I-E SONDAGEM DE SOLO DO TERRENO Tomada de Preços nº 01/ PRRN RELATÓRIO

Leia mais

Tópicos Especiais de Engenharia Civil ALBUQUERQUE SOBRINHO, E. J. (2010)

Tópicos Especiais de Engenharia Civil ALBUQUERQUE SOBRINHO, E. J. (2010) Tópicos Especiais de Engenharia Civil ALBUQUERQUE SOBRINHO, E. J. (2010) Introdução Investigações diretas e indiretas Qual sua importância e aplicação? Quais as técnicas empregadas nas investigações diretas

Leia mais

À INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL - DEPARTAMENTO DA PARAIBA.

À INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL - DEPARTAMENTO DA PARAIBA. RELATÓRIO N 002/2013 À INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL - DEPARTAMENTO DA PARAIBA. Largo São Frei Pedro Gonçalves, n 02, Varadouro - João Pessoa/PB. SONDAGEM SPT SONDAGEM DE SIMPLES RECONHECIMENTO COM

Leia mais

Projeto Final de Engenharia

Projeto Final de Engenharia REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Governo do Estado de Santa Catarina Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente Fundação do Meio Ambiente - FATMA Instituto Brasileiro do Meio Ambiente

Leia mais

Considerações sobre a Relevância da Interação Solo-Estrutura em Recalques: Caso de um Prédio na Cidade do Recife

Considerações sobre a Relevância da Interação Solo-Estrutura em Recalques: Caso de um Prédio na Cidade do Recife Considerações sobre a Relevância da Interação Solo-Estrutura em Recalques: Caso de um Prédio na Cidade do Recife Raquel Cristina Borges Lopes de Albuquerque Escola Politécnica, Universidade de Pernambuco,

Leia mais

RELATÓRIO DE SONDAGEM - SPT

RELATÓRIO DE SONDAGEM - SPT FL. 201 MASTERSOLO Engenharia Ltda RELATÓRIO DE SONDAGEM - SPT CLIENTE: OBRA.- ENDEREÇO: RUA TAMANDARÉ, ESQ. AV JOSÉ FERREIRA DE SANTANA QD-323-B.LT-6- RESIDENCIAL GOBATO CIDADE: GOIATUBA - GO MASTERSOLO

Leia mais

siltosos quando melhorados com aditivos químicos e orgânicos

siltosos quando melhorados com aditivos químicos e orgânicos COMPORTAMENTO DE SOLOS siltosos quando melhorados com aditivos químicos e orgânicos ALESSANDER C. MORALES KORMANN* BERNARDO P.J.C.N. PERNA** O presente trabalho traz um estudo do comportamento de um solo

Leia mais

2. SERVIÇOS EXECUTADOS

2. SERVIÇOS EXECUTADOS Curitiba, 03 de Agosto de 2009. R E L A T Ó R I O 1. INTRODUÇÃO em referência. Estamos apresentando o relatório referente aos serviços de investigação geotécnica 2. SERVIÇOS EXECUTADOS Os serviços consistiram

Leia mais

Resumo. Introdução. 1. Universidade de Fortaleza PBICT/FUNCAP

Resumo. Introdução. 1. Universidade de Fortaleza PBICT/FUNCAP XXI Encontro de Iniciação à Pesquisa Universidade de Fortaleza 19 à 23 de Outubro de 2015 Interpretação de Resultados de Sondagem à Percussão com Medição de Torque em Subsolo Arenoso. Tiago Melo Monteiro

Leia mais

ITEM DISCRIMINAÇÃO 01 MOBILIZAÇÃO DE EQUIPE UN 01 02 SONDAGEM À PERCUSSÃO (MINIMO 30M) M 30 03 APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS UN 01

ITEM DISCRIMINAÇÃO 01 MOBILIZAÇÃO DE EQUIPE UN 01 02 SONDAGEM À PERCUSSÃO (MINIMO 30M) M 30 03 APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS UN 01 Camaçari, 30 de dezembro de 2011. Solicitação de Orçamento Processo nº. 1401/2011 Solicitamos desta empresa orçamento para execução de serviços de sondagem de simples reconhecimento e coleta de amostras

Leia mais

Identificação de Solos Moles em Terrenos Metamórficos Através de Sondagem Barra Mina.

Identificação de Solos Moles em Terrenos Metamórficos Através de Sondagem Barra Mina. Identificação de Solos Moles em Terrenos Metamórficos Através de Sondagem Barra Mina. Marcio Fernandes Leão UFRJ e UERJ, Rio de Janeiro, Brasil, marciotriton@hotmail.com RESUMO: Em terrenos estudados na

Leia mais

NA INICIAL:0,00 15:30Hrs 22/06/09 COTA(m) RN: (m) FINAL:0,00 09:00Hrs 24/06/09 AMOSTRADOR - Ø EXTERNO 2"

NA INICIAL:0,00 15:30Hrs 22/06/09 COTA(m) RN: (m) FINAL:0,00 09:00Hrs 24/06/09 AMOSTRADOR - Ø EXTERNO 2 SONDAGEM SP Nº 07 NA INICIAL:0,00 :30Hrs /0/09 COTA(m) RN: (m) FINAL:0,00 09:00Hrs 4/0/09 AMOSTRADOR - Ø EXTERNO " DATA:/0/09 Nº DE GOLPES 30cm INICIAIS --------------- REVESTIMENTO - Ø 1/" 0 1 0 0 3 0

Leia mais

Procedimento para Serviços de Sondagem

Procedimento para Serviços de Sondagem ITA - 009 Rev. 0 MARÇO / 2005 Procedimento para Serviços de Sondagem Praça Leoni Ramos n 1 São Domingos Niterói RJ Cep 24210-205 http:\\ www.ampla.com Diretoria Técnica Gerência de Planejamento e Engenharia

Leia mais

Geotecnia de Suape Solos Moles

Geotecnia de Suape Solos Moles Geotecnia de Suape Solos Moles Alexandre Duarte Gusmão, D.Sc. Escola Politécnica UPE e IFPE Gusmão Engenheiros Associados NOVEMBRO DE 2010 RECIFE Apresentação Caracterização geotécnica Depósitos de solos

Leia mais

Estudo Comparativo do Coeficiente de Absorção dos Solos do Terciário de Maceió-Al, com os Valores Sugeridos por Norma

Estudo Comparativo do Coeficiente de Absorção dos Solos do Terciário de Maceió-Al, com os Valores Sugeridos por Norma COBRAMSEG 00: ENGENHARIA GEOTÉCNICA PARA O DESENVOLVIMENTO, INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE. 00 ABMS. Estudo Comparativo do Coeficiente de Absorção dos Solos do Terciário de Maceió-Al, com os Valores Sugeridos

Leia mais

ANÁLISE DE PERFIS DE SONDAGEM SPT E CARACTERIZAÇÃO GEOTÉCNICA DE SOLOS DO MUNICÍPIO DE NATAL. krrcamara@yahoo.com.br. alexandre@cefetrn.

ANÁLISE DE PERFIS DE SONDAGEM SPT E CARACTERIZAÇÃO GEOTÉCNICA DE SOLOS DO MUNICÍPIO DE NATAL. krrcamara@yahoo.com.br. alexandre@cefetrn. ANÁLISE DE PERFIS DE SONDAGEM SPT E CARACTERIZAÇÃO GEOTÉCNICA DE SOLOS DO MUNICÍPIO DE NATAL Kadson Ranniere da Rocha Câmara 1 Alexandre da Costa Pereira 2 1 Aluno do Curso Superior de Tecnologia em Produção

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DE FUNDAÇÕES SUPERFICIAIS DE ACORDO COM OS

DIMENSIONAMENTO DE FUNDAÇÕES SUPERFICIAIS DE ACORDO COM OS DIMENSIONAMENTO DE FUNDAÇÕES SUPERFICIAIS DE ACORDO COM OS EUROCÓDIGOS 2 E 7 APLICAÇÃO A CASOS DE ESTUDO REAIS NUNO MANUEL AZEVEDO MONTEIRO Relatório de Projecto submetido para satisfação parcial dos requisitos

Leia mais

069123_RITA CASTRO 9/27/04 7:05 PM Page 1 PESQUISAMOS SOLUÇÕES PARA O SEU CONFORTO.

069123_RITA CASTRO 9/27/04 7:05 PM Page 1 PESQUISAMOS SOLUÇÕES PARA O SEU CONFORTO. 069123_RITA CASTRO 9/27/04 7:05 PM Page 1 S O N D A G E N S E C A P T A Ç Õ E S D E Á G U A S O N D A G E N S B A T A L H A PESQUISAMOS SOLUÇÕES PARA O SEU CONFORTO. 069123_RITA CASTRO 9/27/04 7:05 PM

Leia mais

UNIVERSIDADE DE MOGI DAS CRUZES ENSAIO SPT (STANDARD PENETRATION TEST) E O SEU USO NA ENGENHARIA DE FUNDAÇÕES

UNIVERSIDADE DE MOGI DAS CRUZES ENSAIO SPT (STANDARD PENETRATION TEST) E O SEU USO NA ENGENHARIA DE FUNDAÇÕES UNIVERSIDADE DE MOGI DAS CRUZES ALUNA: MARESSA M. DE FREITAS OLIVEIRA ORIENTADOR: PROF. JAIRO P. DE ARAÚJO ENSAIO SPT (STANDARD PENETRATION TEST) E O SEU USO NA ENGENHARIA DE FUNDAÇÕES Mogi das Cruzes,SP

Leia mais

CONDIÇÕES TÉCNICAS ESPECIAIS ESPECIFICAÇÃO PARA CADERNO DE ENCARGOS. Sistemas de enchimento leve Leca

CONDIÇÕES TÉCNICAS ESPECIAIS ESPECIFICAÇÃO PARA CADERNO DE ENCARGOS. Sistemas de enchimento leve Leca CONDIÇÕES TÉCNICAS ESPECIAIS ESPECIFICAÇÃO PARA CADERNO DE ENCARGOS Sistemas de enchimento leve Leca 1. Sistemas de enchimento leve Leca...2 1.1. Coberturas...2 1.1.1. Coberturas acessíveis...2 1.1.2.

Leia mais

COMPACTAÇÃO E MELHORAMENTO DE TERRENOS

COMPACTAÇÃO E MELHORAMENTO DE TERRENOS Capítulo 9 COMPACTAÇÃO E MELHORAMENTO DE TERRENOS 1. Compactação A compactação é uma técnica de adensamento do terreno (diminuição do índice de vazios, ou aumento do peso volúmico seco) por aplicação de

Leia mais

SONDAGEM A PERCUSÃO PROCEDIMENTOS EXECUTIVOS. NBR 8036 Programação de Sondagem de Simples Reconhecimento dos Solos para Fundações de Edifícios

SONDAGEM A PERCUSÃO PROCEDIMENTOS EXECUTIVOS. NBR 8036 Programação de Sondagem de Simples Reconhecimento dos Solos para Fundações de Edifícios SONDAGEM A PERCUSÃO PROCEDIMENTOS EXECUTIVOS NBR 8036 Programação de Sondagem de Simples Reconhecimento dos Solos para Fundações de Edifícios A investigação do subsolo constitui requisito essencial para

Leia mais

7.0 PERMEABILIDADE DOS SOLOS

7.0 PERMEABILIDADE DOS SOLOS 7.0 PERMEABILIDADE DOS SOLOS 7.1 Introdução A permeabilidade é a propriedade que o solo apresenta de permitir o escoamento da água através s dele. O movimento de água através s de um solo é influenciado

Leia mais

2013/2014 COMISSÃO DE ACOMPANHAMENTO DAS OPERAÇÕES FLORESTAIS. OPERAÇÕES MECÂNICAS referência : 1 hectare. Página 1 MATRIZ DE (RE)ARBORIZAÇÃO

2013/2014 COMISSÃO DE ACOMPANHAMENTO DAS OPERAÇÕES FLORESTAIS. OPERAÇÕES MECÂNICAS referência : 1 hectare. Página 1 MATRIZ DE (RE)ARBORIZAÇÃO OPERAÇÕES MECÂNICAS referência : 1 hectare OBSERVAÇÕES h hp hp total custo / h custo / ha h hp hp total custo / h custo / ha Limpeza de mato com corta matos de facas ou correntes Limpeza de mato com corta

Leia mais

XIII FÉRIAS TÉCNICAS COM A FORD

XIII FÉRIAS TÉCNICAS COM A FORD 27 Agosto a 7 de Setembro de 2012 ÍNDICE PARTE I NOTA INTRODUTÓRIA... 3 PARTE II DESCRIÇÃO TÉCNICA DO PROJECTO... 4 PROGRAMA PARA O NÍVEL I... 4 PROGRAMA PARA O NÍVEL II... 10 PARTE I NOTA INTRODUTÓRIA

Leia mais

3 Área de estudo e amostragem

3 Área de estudo e amostragem 3 Área de estudo e amostragem 3.1. Meio Físico Os aspectos discutidos no Capítulo 2 tornam clara a importância de um estudo experimental de um perfil de solo residual observando a evolução das diversas

Leia mais

AULA 5. NBR 6122- Projeto e Execução de Fundações Métodos Empíricos. Relação entre Tensão Admissível do Solo com o número de golpes (N) SPT

AULA 5. NBR 6122- Projeto e Execução de Fundações Métodos Empíricos. Relação entre Tensão Admissível do Solo com o número de golpes (N) SPT AULA 5 NBR 6122- Projeto e Execução de Fundações Métodos Empíricos Relação entre Tensão Admissível do Solo com o número de golpes (N) SPT março 2014 Disciplina - Fundações Zeide Nogueira Furtado Relação

Leia mais

1 INTRODUÇÃO 3 2 DIRETRIZES DE CÁLCULO 3 3 MATERIAIS 3 4 DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 3 5 GERADOR DE IMPULSO E DIVISOR DE TENSÃO DE 6,4 MV 4

1 INTRODUÇÃO 3 2 DIRETRIZES DE CÁLCULO 3 3 MATERIAIS 3 4 DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 3 5 GERADOR DE IMPULSO E DIVISOR DE TENSÃO DE 6,4 MV 4 Documento: Cliente: MEMÓRIA DE CÁLCULO CEPEL CENTRO DE PESQUISAS DE ENERGIA ELÉTRICA SISTEMA ELETROBRAS LDIST-ST-A4-002-0 Pag: 1 of 32 Título: EQUIPAMENTOS E FUNDAÇÕES PARA PÓRTICOS TECHNIP ENGENHARIA

Leia mais

ISF 211: PROJETO DE TERRAPLENAGEM

ISF 211: PROJETO DE TERRAPLENAGEM ISF 211: PROJETO DE TERRAPLENAGEM 1. OBJETIVO Definir e especificar os serviços constantes do Projeto de Terraplenagem nos Projetos de Engenharia Ferroviária, Projeto Básico e Projeto Executivo. 2. FASES

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO. Setor de Autarquias Norte Quadra 04 Bloco B - BRASÍLIA-DF

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO. Setor de Autarquias Norte Quadra 04 Bloco B - BRASÍLIA-DF ENGENHARIA DE SOLOS E INFRA-ESTRUTURA LTDA FUNDAÇÕES SONDAGENS CONSULTORIA TECNICA REFORÇO DE ESTRUTURAS Ref.: Setor de Autarquias Norte Quadra 04 Bloco B - BRASÍLIA-DF DS: Prezados Senhores, Estamos apresentando

Leia mais

PAVIMENTO ESTUDOS GEOTÉCNICOS. Prof. Dr. Ricardo Melo. Terreno natural. Seção transversal. Elementos constituintes do pavimento. Camadas do pavimento

PAVIMENTO ESTUDOS GEOTÉCNICOS. Prof. Dr. Ricardo Melo. Terreno natural. Seção transversal. Elementos constituintes do pavimento. Camadas do pavimento Universidade Federal da Paraíba Centro de Tecnologia Departamento de Engenharia Civil Laboratório de Geotecnia e Pavimentação ESTUDOS GEOTÉCNICOS Prof. Dr. Ricardo Melo PAVIMENTO Estrutura construída após

Leia mais

Prof. (m) Areia fina siltosa marrom. Areia fina marrom. Areia siltosa com pedregulhos variegada (amarela) Areia fina variegada (amarela)

Prof. (m) Areia fina siltosa marrom. Areia fina marrom. Areia siltosa com pedregulhos variegada (amarela) Areia fina variegada (amarela) Cliente: Sondagem: RS 1735 SP-01 Obra: Campus Experimental Folha: 01/03 Local: Jazida Mineração Veiga Cota do Furo: +0.27 m Município: Araquari SC Na: -2.55 m 01 siltosa marrom 08 02 marrom 09 03 marrom

Leia mais

INSTALAÇÕES AT E MT. SUBESTAÇÕES DE DISTRIBUIÇÃO

INSTALAÇÕES AT E MT. SUBESTAÇÕES DE DISTRIBUIÇÃO INSTALAÇÕES AT E MT. SUBESTAÇÕES DE DISTRIBUIÇÃO Rede geral de terras Regras de execução Elaboração: GTRPT Homologação: conforme despacho do CA de 2007-02-13 Edição: 1ª Emissão: EDP Distribuição Energia,

Leia mais

ALGUMAS CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS DA BACIA HIDROGRÁFICA E DO PERCURSO DO RIO PINHÃO RESUMO

ALGUMAS CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS DA BACIA HIDROGRÁFICA E DO PERCURSO DO RIO PINHÃO RESUMO ALGUMAS CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS DA BACIA HIDROGRÁFICA E DO PERCURSO DO RIO PINHÃO Ana Maria ALENCOÃO 1 ; Martim R. PORTUGAL FERREIRA 2 RESUMO Na região de Trás-os-Montes e Alto Douro (NE de Portugal)

Leia mais

BRISA AUTO-ESTRADAS DE PORTUGAL, S.A.

BRISA AUTO-ESTRADAS DE PORTUGAL, S.A. BRISA AUTO-ESTRADAS DE PORTUGAL, S.A. A12 AUTO-ESTRADA SETÚBAL / MONTIJO SUBLANÇOS MONTIJO / PINHAL NOVO / / NÓ A2-A12 / SETÚBAL MAPA ESTRATÉGICO DE RUÍDO RESUMO NÃO TÉCNICO BRISA AUTO-ESTRADAS DE PORTUGAL,

Leia mais

Departamento de Geologia da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto Projecto financiado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia

Departamento de Geologia da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto Projecto financiado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia Departamento de Geologia da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto Projecto financiado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia A Península Ibérica é essencialmente constituída por um fragmento

Leia mais

LAUDO GEOLÓGICO GEOTÉCNICO GUARITUBA

LAUDO GEOLÓGICO GEOTÉCNICO GUARITUBA LAUDO GEOLÓGICO GEOTÉCNICO GUARITUBA LOCALIZAÇÃO E ACESSO A região de Guarituba esta localizada no Município de Piraquara entre o rio Iguaçu e o rio Itaqui. Os principais acessos à área são a PR 415 e

Leia mais

Desempenho da Calha Rochosa Não-Revestida do Vertedouro da Usina Hidrelétrica Governador Ney Braga (Segredo) após 14 anos de Operação

Desempenho da Calha Rochosa Não-Revestida do Vertedouro da Usina Hidrelétrica Governador Ney Braga (Segredo) após 14 anos de Operação Desempenho da Calha Rochosa Não-Revestida do Vertedouro da Usina Hidrelétrica Governador Ney Braga (Segredo) após 14 anos de Operação Roberto Werneck Seara; Benedito de Souza Neto; Fabiano Rossini COPEL

Leia mais

ORIENTAÇÃO. Para a orientação recorremos a certas referências. A mais utilizada é a dos pontos cardeais: Norte Sul Este Oeste

ORIENTAÇÃO. Para a orientação recorremos a certas referências. A mais utilizada é a dos pontos cardeais: Norte Sul Este Oeste 1 ORIENTAÇÃO A orientação é o processo que permite determinar a nossa posição na superfície terrestre e a direcção a tomar para atingirmos um local para onde nos queiramos dirigir. Para a orientação recorremos

Leia mais

DELIMITAÇÃO DE VARIAÇÕES LATERAIS NUM RESERVATÓRIO ALUVIONAR COM MÉTODOS ELÉCTRICOS. Nuno ALTE DA VEIGA 1

DELIMITAÇÃO DE VARIAÇÕES LATERAIS NUM RESERVATÓRIO ALUVIONAR COM MÉTODOS ELÉCTRICOS. Nuno ALTE DA VEIGA 1 DELIMITAÇÃO DE VARIAÇÕES LATERAIS NUM RESERVATÓRIO ALUVIONAR COM MÉTODOS ELÉCTRICOS Nuno ALTE DA VEIGA 1 RESUMO Em regiões de soco cristalino pequenas manchas de depósitos de aluvião existentes localmente

Leia mais

Intervenção arqueológica de emergência na Rua dos Correeiros em Lisboa. As Sondagens n. os 2, 6, 7, 9 e 10 LAURA TRINDADE

Intervenção arqueológica de emergência na Rua dos Correeiros em Lisboa. As Sondagens n. os 2, 6, 7, 9 e 10 LAURA TRINDADE 187 Intervenção arqueológica de emergência na Rua dos Correeiros em Lisboa. As Sondagens n. os 2, 6, 7, 9 e 10 LAURA TRINDADE A.M. DIAS DIOGO R E S U M O Publicam-se sondagens efectuadas numa intervenção

Leia mais

EDIFÍCIO EM LISBOA: CONTENÇÃO PERIFÉRICA, FUNDAÇÕES E TRATAMENTO DE SOLOS SOBRE O TÚNEL DO METROPOLITANO

EDIFÍCIO EM LISBOA: CONTENÇÃO PERIFÉRICA, FUNDAÇÕES E TRATAMENTO DE SOLOS SOBRE O TÚNEL DO METROPOLITANO EDIFÍCIO EM LISBOA: CONTENÇÃO PERIFÉRICA, FUNDAÇÕES E TRATAMENTO DE SOLOS SOBRE O TÚNEL DO METROPOLITANO BUILDING IN LISBON: PERIPHERAL WALLS, FOUNDATIONS AND SOIL IMPROVEMENT OVER THE METRO TUNNEL Pinto,

Leia mais

TEC 159 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES I

TEC 159 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES I TEC 159 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES I Aula 9 Fundações Parte 1 Cristóvão C. C. Cordeiro O que são? São elementos estruturais cuja função é a transferência de cargas da estrutura para a camada resistente

Leia mais

ESTUDOS PRÉ-CONSTRUTIVOS PROSPECÇÃO GEOTÉCNICA

ESTUDOS PRÉ-CONSTRUTIVOS PROSPECÇÃO GEOTÉCNICA 1 ESTUDOS PRÉ-CONSTRUTIVOS 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS 2. OBJETIVOS DA 3. FASES DA 4. MÉTODOS DE PROSPECÇÃO 2 1. Considerações iniciais: As características de um solo não podem ser descobertas apenas pelo

Leia mais

Soluções de Reforço de Fundações e Melhoramento de Solos em Edifícios Patrimoniais da Cidade de Aveiro

Soluções de Reforço de Fundações e Melhoramento de Solos em Edifícios Patrimoniais da Cidade de Aveiro Soluções de Reforço de Fundações e Melhoramento de Solos em Edifícios Patrimoniais da Cidade de Aveiro Edifício C. M. Aveiro Edifício da Antiga Capitania de Aveiro Teatro Aveirense Edifício na Av. Dr.

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO: Associações Distritais, Clubes e Câmaras Municipais

DISTRIBUIÇÃO: Associações Distritais, Clubes e Câmaras Municipais CIRCULAR Nº 17/06 06/04/07 DISTRIBUIÇÃO: Associações Distritais, Clubes e Câmaras Municipais ASSUNTO: CURSO DE MANUTENÇÃO DE PISCINAS 2006 1. Objectivos - Dotar os responsáveis pela manutenção dos equipamentos

Leia mais

- Artigo - HELIX ENGENHARIA E GEOTECNIA LTDA

- Artigo - HELIX ENGENHARIA E GEOTECNIA LTDA - Artigo - Itens anexos: A Texto 01: Fundação a base de tudo (Prof. Douglas); B Texto 02: Frases que podem significar o início dos seus problemas na construção ; C Notas de aula sobre: Sondagem a percussão

Leia mais

Utilização de métodos geoelétricos aplicados à determinação de plumas contaminantes em área urbana na grande São Paulo

Utilização de métodos geoelétricos aplicados à determinação de plumas contaminantes em área urbana na grande São Paulo Introdução O método geofísico da eletrorresistividade tem sido usado com sucesso para conhecer a geometria de jazidas minerais; determinação de cobertura de solo/estéril, profundidade e geometria do aquífero,

Leia mais

Lâminas em PVC-p para selagem de juntas. Isento de chumbo. Isento de plastificantes DOP.

Lâminas em PVC-p para selagem de juntas. Isento de chumbo. Isento de plastificantes DOP. Ficha de Produto Edição de janeiro de 2015 Nº de identificação: 07.201 Versão nº 3 Lâminas em PVC-p para selagem de juntas Descrição do produto Lâminas flexíveis em PVC-p, produzidas em perfis específicos

Leia mais

6 BOMBAS HIDRÁULICAS PROBLEMA 6.1

6 BOMBAS HIDRÁULICAS PROBLEMA 6.1 6 BOMBAS HIDRÁULICAS PROBLEMA 6.1 Uma bomba cujo diagrama em colina é o da figura anexa foi projectada para, com o rendimento máximo de 0,90, elevar o caudal de 10,00 m 3 s -1 à altura total de 100,00

Leia mais

LOJAS AKI AKI Alverca Quinta da Verdelha E.N.10 Alverca Park Alverca do Ribatejo 2610-501 Alverca tel. 351 219 936 700 fax. 351 219 936 706 AKI Aveiro Retail Park Aveiro, Lj. A e A1 Zona Industrial da

Leia mais

SISTEMA AQUÍFERO: COVÕES (M1)

SISTEMA AQUÍFERO: COVÕES (M1) SISTEMA AQUÍFERO: COVÕES (M1) Figura M1.1 Enquadramento litoestratigráfico do sistema aquífero Covões Sistema Aquífero: Covões (M1) 438 Identificação Unidade Hidrogeológica: Orla Meridional Bacia Hidrográfica:

Leia mais

BETUMINOSOS NO CONCELHO DE VIANA DO ALENTEJO 3.1 MEMÓRIA DESCRITIVA

BETUMINOSOS NO CONCELHO DE VIANA DO ALENTEJO 3.1 MEMÓRIA DESCRITIVA BETUMINOSOS NO CONCELHO DE VIANA DO ALENTEJO 3.1 MEMÓRIA DESCRITIVA 3.1.1 INTRODUÇÃO A Câmara Municipal de Viana do Alentejo pretende, com este projecto, proceder à construção/reparação/reforço do pavimento

Leia mais

Materiais de Construção. Prof. Aline Fernandes de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010

Materiais de Construção. Prof. Aline Fernandes de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010 Materiais de Construção de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010 AGREGADOS AGREGADOS DEFINIÇÃO É o material particulado, incoesivo, de atividade química praticamente nula, constituído de misturas de partículas

Leia mais