ANEXO 1. DOCUMENTAÇÃO FOTOGRÁFICA DOS LOCAIS DE SONDAGEM A TRADO km 353

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEXO 1. DOCUMENTAÇÃO FOTOGRÁFICA DOS LOCAIS DE SONDAGEM A TRADO km 353"

Transcrição

1 ANEXO 1 DOCUMENTAÇÃO FOTOGRÁFICA DOS LOCAIS DE SONDAGEM A TRADO km 353

2 Foto 1 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-01 (km353). Foto 2- Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 01(km353). Foto 3- Vista do interior do furo da sondagem ST-01(km353). Foto 4- Vista geral do local da sondagem ST-01(km353).

3 Foto 5 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-02 (km353). Foto 6- Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 02 (km353). Foto 7- Vista do interior do furo da sondagem ST-02 (km353). Foto 8- Vista geral do local da sondagem ST-02 (km353).

4 Foto 9 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-03 (km353). Foto 10- Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 03 (km353). Foto 11- Vista do interior do furo da sondagem ST-03 (km353). Foto 12- Vista geral do local da sondagem ST-03 (km353).

5 Foto 13 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-04 (km353). Foto 14- Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 04 (km353). Foto 15- Vista do interior do furo da sondagem ST-04 (km353). Foto 16- Vista geral do local da sondagem ST-04 (km353).

6 Foto 17 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-05 (km353). Foto 18- Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 05 (km353). Foto 19- Vista do interior do furo da sondagem ST-05 (km353). Foto 20- Vista geral do local da sondagem ST-05 (km353).

7 ANEXO 2 DOCUMENTAÇÃO FOTOGRÁFICA DOS LOCAIS DE SONDAGEM A TRADO km 354

8 Foto 1 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-01 (km354). Foto 2 - Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 01 (km354). Foto 3 - Vista do interior do furo da sondagem ST-01 (km354). Foto 4 - Vista geral do local da sondagem ST-01 (km354).

9 Foto 5 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-02 (km354). Foto 6 - Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 02 (km354). Foto 7 - Vista do interior do furo da sondagem ST-02 (km354). Foto 8 - Vista geral do local da sondagem ST-02 (km354).

10 Foto 9 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-03 (km354). Foto 10 - Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 03 (km354). Foto 11 - Vista do interior do furo da sondagem ST-03 (km354). Foto 12 - Vista geral do local da sondagem ST-03 (km354).

11 Foto 13 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-04 (km354). Foto 14 - Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 04 (km354). Foto 15 - Vista do interior do furo da sondagem ST-04 (km354). Foto 16 - Vista geral do local da sondagem ST-04 (km354).

12 Foto 17 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-05 (km354). Foto 18 - Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 05 (km354). Foto 19 - Vista do interior do furo da sondagem ST-05 (km354). Foto 20 - Vista geral do local da sondagem ST-05 (km354).

13 Foto 21 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-06 (km354). Foto 22 - Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 06 (km354). Foto 23 - Vista do interior do furo da sondagem ST-06 (km354). Foto 24 - Vista geral do local da sondagem ST-06 (km354).

14 Foto 25 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-07 (km354). Foto 26 - Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 07 (km354). Foto 27 - Vista do interior do furo da sondagem ST-07 (km354). Foto 28 - Vista geral do local da sondagem ST-07 (km354).

15 Foto 29 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-08 (km354). Foto 30 - Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 08 (km354). Foto 31 - Vista do interior do furo da sondagem ST-08 (km354). Foto 32 - Vista geral do local da sondagem ST-08 (km354).

16 Foto 33 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-09 (km354). Foto 34 - Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 09 (km354). Foto 35 - Vista do interior do furo da sondagem ST-09 (km354). Foto 36 - Vista geral do local da sondagem ST-09 (km354).

17 Foto 37 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-10 (km354). Foto 38 - Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 10 (km354). Foto 39 - Vista do interior do furo da sondagem ST-10 (km354). Foto 40 - Vista geral do local da sondagem ST-10 (km354).

18 Foto 41 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-11 (km354). Foto 42 - Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 11 (km354). Foto 43 - Vista do interior do furo da sondagem ST-11 (km354). Foto 44 - Vista geral do local da sondagem ST-11 (km354).

19 Foto 45 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-12 (km354). Foto 46 - Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 12 (km354). Foto 47 - Vista do interior do furo da sondagem ST-12 (km354). Foto 48 - Vista geral do local da sondagem ST-12 (km354).

20 Foto 49 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-13 (km354). Foto 50 - Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 13 (km354). Foto 51 - Vista do interior do furo da sondagem ST-13 (km354). Foto 52 - Vista geral do local da sondagem ST-13 (km354).

21 Foto 53 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-14 (km354). Foto 54 - Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST-14 (km354). Foto 55 - Vista do interior do furo da sondagem ST-14 (km354). Foto 56 - Vista geral do local da sondagem ST-14 (km354).

22 Foto 57 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-15 (km354). Foto 58 - Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST-15 (km354). Foto 59 - Vista do interior do furo da sondagem ST-15 (km354). Foto 60 - Vista geral do local da sondagem ST-15 (km354).

23 Foto 61 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-16 (km354). Foto 62 - Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST-16 (km354). Foto 63 - Vista do interior do furo da sondagem ST-16 (km354). Foto 64 - Vista geral do local da sondagem ST-16 (km354).

24 ANEXO 4 DOCUMENTAÇÃO FOTOGRÁFICA DOS LOCAIS DE SONDAGEM A TRADO km 360

25 Foto 1 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-01 (km 360). Foto 2- Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 01 (km 360). Foto 3- Vista do interior do furo da sondagem ST-01 (km 360). Foto 4- Vista geral do local da sondagem ST-01 (km 360).

26 Foto 5 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-02 (km 360). Foto 6- Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 02 Foto 7- Vista do interior do furo da sondagem ST-02 (km 360). Foto 8- Vista geral do local da sondagem ST-02 (km 360).

27 Foto 9 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-03 (km 360). Foto 10- Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 03 Foto 11- Vista do interior do furo da sondagem ST-03 (km 360). Foto 12- Vista geral do local da sondagem ST-03 (km 360).

28 Foto 13 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-04 (km 360). Foto 14- Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 04 (km 360). Foto 15- Vista do interior do furo da sondagem ST-04 (km 360). Foto 16- Vista geral do local da sondagem ST-04 (km 360).

29 Foto 17 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-05 (km 360). Foto 18- Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 05 (km 360). Foto 19- Vista do interior do furo da sondagem ST-05 (km 360). Foto 20- Vista geral do local da sondagem ST-05 (km 360).

30 Foto 21 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-06 (km 360). Foto 22- Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 06 (km 360). Foto 23- Vista do interior do furo da sondagem ST-06 (km 360). Foto 24- Vista geral do local da sondagem ST-06 (km 360).

31 Foto 25 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-07 (km 360). Foto 26- Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 07 (km 360). Foto 27- Vista do interior do furo da sondagem ST-07 (km 360). Foto 28- Vista geral do local da sondagem ST-07 (km 360).

32 ANEXO 5 DOCUMENTAÇÃO FOTOGRÁFICA DOS LOCAIS DE SONDAGEM A TRADO km 361

33 Foto 1 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-01 (km 361). Foto 2- Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 01 (km 361). Foto 3- Vista do interior do furo da sondagem ST-01 (km 361). Foto 4- Vista geral do local da sondagem ST-01 (km 361).

34 Foto 5 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-02 (km 361). Foto 6- Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 02 (km 361). Foto 7- Vista do interior do furo da sondagem ST-02 (km 361). Foto 8- Vista geral do local da sondagem ST-02 (km 361).

35 Foto 9 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-03 (km 361). Foto 10- Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 03 (km 361). Foto 11- Vista do interior do furo da sondagem ST-03 (km 361). Foto 12- Vista geral do local da sondagem ST-03 (km 361).

36 Foto 13 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-04 (km 361). Foto 14- Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 04 (km 361). Foto 15- Vista do interior do furo da sondagem ST-04 (km 361). Foto 16- Vista geral do local da sondagem ST-04 (km 361).

37 Foto 17 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-05 (km 361). Foto 18- Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 05 (km 361). Foto 19- Vista do interior do furo da sondagem ST-05 (km 361). Foto 20- Vista geral do local da sondagem ST-05 (km 361).

38 Foto 21 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-07 (km 361). Foto 22- Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem ST- 7 (km 361). Foto 23- Vista do interior do furo da sondagem ST-07 (km 361). Foto 24- Vista geral do local da sondagem ST-07 (km 361).

39 . RELATÓRIO DE ENSAIOS CD TÍTULO: Sondagens a trado na Rodovia BR-116, km 353, km 354, km 356, km 360 e km 363 locais de futuros bota-fora. CLIENTE: AUTOPISTA REGIS BITTENCOURT

40 TÍTULO: Sondagens a trado na Rodovia BR-116, km 353, km 354, km 356, km 360 e km 363 locais de futuros bota-fora. CLIENTE: AUTOPISTA REGIS BITTENCOURT. 1. INTRODUÇÃO Este relatório apresenta os perfis geotécnicos de 38 sondagens a trado, em áreas futuros bota-fora na Rodovia BR-116, km 353, km 354, km 356, km 360 e km 363. Os locais de execução das sondagens foram definidos pelo Cliente, bem como a locação topográfica das mesmas. 2. SONDAGENS A TRADO Foram realizadas 40 sondagens a trado, assim distribuídas: LOCAL (km) SONDAGEM (ST) 353 1, 2, 3, 4, e , 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12, 13, 14, 15 e , 7, 8, e , 2, 3, 4, 5, 6, e , 2, 3, 4, 5, e 7 A pedido do Cliente, a profundidade de cada sondagem foi de 2,0m. Cabe salientar que, em diversas delas, a sondagem foi paralisada antes de 2,0m por se tratar de material impenetrável ao trado. Nos Anexo 1 a 5 estão apresentadas as fotografias dos locais de sondagens. No Anexo 6 estão apresentados os perfis geotécnicos das bem como as coordenadas de localização dos locais.

41 Cabe ressaltar que, todos os locais de sondagens foram locados através de estacas posicionadas pelo Cliente. São Paulo, 18 de setembro de IMPERPAV. IMPERPAV. Eng. Eduardo Junqueira Augusto Eng. Fernando Augusto Júnior

42 ANEXO 6 PERFÍS GEOTÉCNICOS DAS SONDAGENS A TRADO NA RODOVIA BR-116, km 353, 354, 356, 360 e 363.

43 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 01 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 353 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 25/08/11 Data de término: 25/08/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação Silte pouco argiloso com 0,00 0,15 raiz Cor: Marrom 0,15 1,90 1,60 1,90 2,00 Silte argiloso Cor: Marrom avermelhado Silte arenoso Cor: Cinza Atingiu a profundidade programada

44 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 02 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 353 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 25/08/11 Data de término: 25/08/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação 0,00 0,15 Silte argilo arenoso Cor: Marrom escuro 0,15 0,80 Silte areno argiloso Cor: Marrom claro Areia argilo siltosa 0,80 1,04 com pouco cascalho Cor: Marrom amarelado 1,04 Seco Pedras Impenetrável ao trado

45 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 03 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 353 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 25/08/11 Data de término: 25/08/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação 0,00 0,20 Silte argilo arenoso Cor: Marrom Escuro 0,20 1,00 0,80 Areia fina silto argilosa Cor: Marrom Areia grossa, média com 1,00 1,40 pouco cascalho 1,40 2,00 Cor: Marrom claro Areia siltosa Cor: Marrom amarelado Atingiu a profundidade programada

46 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 04 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 353 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 25/08/11 Data de término: 25/08/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação Silte argiloso com raiz e 0,00 0,30 0,30 pedras Cor: Marrom Esverdeado 0,30 0,70 Areia grossa, média e fina com pedras Cor: Amarela e cinza Impenetrável ao trado

47 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 05 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 353 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 25/08/11 Data de término: 25/08/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação Silte pouco arenoso e 0,00 0,20 pouco argiloso com raízes Cor: Marrom esverdeado 0,20 1,54 Silte areno argiloso Cor: Marrom amarelado 1,54 1,78 1,50 Areia siltosa Cor: Marrom amarelado Impenetrável 1,78 Pedras ao trado

48 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 01 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 354 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 29/08/11 Data de término: 29/08/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação 0,00 0,84 Silte arenoso Cor: Marrom 0,84 1,70 1,00 1,70 1,74 Silte pouco arenoso Cor: Cinza esverdeado Areia silto argilosa com pedras Cor: Cinza esverdeado Impenetrável ao trado

49 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 02 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 354 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 30/08/11 Data de término: 30/08/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação 0,00 0,20 0,08 Silte argiloso com raízes Cor: Marrom Argila orgânica siltosa 0,20 0,60 com areia média Cor: Cinza Esverdeado 0,60 1,00 Areia média com pouca argila orgânica Cor: Cinza Impenetrável ao trado 1,00 Pedras Impenetrável ao trado

50 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 03 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 354 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 30/08/11 Data de término: 30/08/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação Areia siltosa com argila 0,00 0,90 0,00 orgânica e raízes (Brejo) Cor: Cinza esverdeado 0,90 Pedras Impenetrável ao trado

51 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 04 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 354 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 30/08/11 Data de término: 30/08/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação 0,00 0,15 0,05 Argila orgânica com raízes Cor: Marrom esverdeado 0,15 1,00 Areia Cor: Cinza Impenetrável ao trado 1,00 Pedras Impenetrável ao trado

52 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 05 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 354 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 29/08/11 Data de término: 29/08/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação Silte argiloso arenoso com 0,00 0,40 0,30 raízes Cor: Marrom Escuro 0,40 0,60 0,60 0,90 0,90 1,00 Argila orgânica Cor: Cinza Argila arenosa Cor: Branco Areia média e fina Cor: Cinza e amarelo Impenetrável ao trado 1,00 Pedras Impenetrável ao trado

53 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 06 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 354 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 29/08/11 Data de término: 29/08/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação 0,00 0,20 Silte arenoso com raízes Cor: Marrom Silte argiloso pouco Atingiu a 0,20 2,00 Seco arenoso Cor: Marrom avermelhado profundidade programada

54 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 07 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 354 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 29/08/11 Data de término: 29/08/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação Silte arenoso 0,00 0,20 com raiz e cascalho Cor: Marrom 0,20 0,80 Silte areno argiloso Cor: Marrom amarelado Areia siltosa com pouco 0,80 1,40 cascalho Cor: Marrom acinzentado Areia fina siltosa com Atingiu a 1,40 2,00 1,90 cascalho Cor: Cinza e amarelo profundidade programada

55 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 08 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 354 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 29/08/11 Data de término: 29/08/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação Silte areno argiloso com 0,00 0,15 raízes Cor: Marrom escuro Areia grossa com 0,15 0,50 pedregulho Cor: Marrom e amarelo 0,50 0,90 0,70 Areia fina siltosa Cor: Marrom e amarelo Impenetrável ao trado 0,90 Pedras Impenetrável ao trado

56 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 09 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 354 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 26/08/11 Data de término: 26/08/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação 0,00 0,20 Silte arenoso com raízes Cor: Marrom escuro 0,20 0,60 0,40 0,60 1,00 1,00 Silte arenoso Cor: amarelo e branco Areia Fina, média e grossa Cor: Cinza Pedras Impenetrável ao trado Impenetrável ao trado

57 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 10 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 354 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 26/08/11 Data de término: 26/08/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação 0,00 0,40 0,40 0,40 0,60 0,60 1,10 1,10 1,20 Silte arenoso com raízes Cor: Preto Silte areno argiloso Cor: Cinza Areia Fina e média siltosa Cor: Cinza escuro Areia Média e grossa Cor: Amarelo e cinza 1,20 Pedras Impenetrável ao trado

58 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 11 Cliente: : OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 354 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 30/08/11 Data de término: 30/08/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação 0,00 0,20 Silte arenoso com raiz Cor: Marrom Silte arenoso pouco 0,20 0,60 0,60 argiloso com pedras Cor: Amarelo e cinza 0,60 Pedras Impenetrável ao trado

59 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 12 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 354 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 26/08/11 Data de término: 26/08/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação Silte pouco arenoso com 0,00 0,20 raízes Cor: Marrom escuro Silte argiloso arenoso com 0,20 0,60 cascalho Cor: Amarelo Areia Grossa com 0,60 1,60 cascalho Cor: Amarela Areia Grossa com Atingiu a 1,60 2,00 Seco cascalho Cor: Cinza profundidade programada

60 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 13 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 354 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 26/08/11 Data de término: 26/08/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação Silte pouco argiloso com 0,00 0,15 raízes Cor: Marrom escuro 0,15 0,70 Silte areno argiloso Cor: Amarelo 0,70 1,50 Silte arenoso Cor: Amarelo claro 1,50 2,00 Seco Silte arenoso Cor: Cinza Atingiu a profundidade programada

61 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 14 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 354 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 05/09/11 Data de término: 05/09/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação Silte arenoso pouco 0,00 0,35 argiloso com raízes Cor: Marrom escuro 0,35 0,95 Silte arenoso Cor: Marrom claro 0,95 1,40 Areia média silto argilosa Cor: Amarelo 1,40 1,60 Areia média siltosa Cor: Marrom 1,60 Seco Pedras Impenetrável ao trado

62 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 15 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 354 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 05/09/11 Data de término: 05/09/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação Silte areno argiloso com 0,00 0,10 raízes Cor: Marrom escuro 0,10 1,00 Silte argilo arenoso Cor: Marrom claro 1,00 1,20 Silte arenoso Cor: Marrom 1,20 1,60 Silte arenoso argiloso Cor: Branco e amarelo 1,60 Seco Impenetrável ao trado

63 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 16 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 354 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 05/09/11 Data de término: 05/09/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação Silte argilo arenoso com 0,00 0,30 raízes Cor: Marrom escuro 0,30 0,60 Silte argilo arenoso Cor: Amarelo Areia argilosa 0,60 1,50 1,00 Cor: Cinza 1,50 Pedras Impenetrável ao trado

64 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 06 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 356 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 05/09/11 Data de término: 05/09/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação 0,00 0,15 Silte argiloso com raízes Cor: Marrom 0,15 0,90 Silte argiloso Cor: Amarelo 0,90 1,45 Silte argiloso Cor: Marrom avermelhado 1,45 2,00 Seco Silte argiloso com areia grossa Cor: Variegado (Amarelo, Vermelho e Branco) Atingiu a profundidade programada

65 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 07 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 356 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 05/09/11 Data de término: 05/09/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação Silte pouco argiloso com 0,00 0,20 raízes Cor: Marrom Silte arenoso pouco 0,20 1,00 argiloso Cor: Amarelo 1,00 2,00 Seco Silte areno argiloso Cor: Amarelo Atingiu a profundidade programada

66 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 08 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 356 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 06/09/11 Data de término: 06/09/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação Silte pouco arenoso com 0,00 0,30 raízes Cor: Marrom escuro 0,30 0,50 0,35 Silte pouco arenoso Cor: Branco e cinza Silte orgânico pouco 0,50 0,70 arenoso Cor: Marrom e Cinza 0,70 Pedra Impenetrável ao trado

67 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 09 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 356 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 06/09/11 Data de término: 06/09/11 Técnico: Luis Back Profundidade Amostra (nº) Descrição do material Motivo da paralisação Início Término Silte pouco argiloso com 0,00 0,20 raízes Cor: Marrom escuro 0,20 1,30 Silte argiloso Cor: Marrom claro 1,30 2,00 Seco Silte arenoso Cor: Marrom e rosa Atingiu a profundidade programada

68 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 01 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 360 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 06/09/11 Data de término: 06/09/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação Silte arenoso pouco 0,00 0,10 argiloso com raízes Cor: Marrom escuro Silte arenoso com 0,10 0,35 cascalho Cor: Marrom Avermelhado 0,35 1,00 Silte com areia grossa Cor: Rosa escuro 1,00 1,05 Areia siltosa Cor: Marrom 1,05 Seco Pedras Impenetrável ao trado

69 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 02 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 360 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 06/09/11 Data de término: 06/09/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação Silte pouco arenoso com 0,00 0,10 raízes Cor: Marrom escuro 0,10 0,30 Silte arenoso Cor: Marrom claro Silte arenoso com 0,30 0,60 cascalho Cor: Marrom claro 0,60 Seco Pedras Impenetrável ao trado

70 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 03 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 360 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 08/09/11 Data de término: 08/09/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação Silte pouco argiloso com 0,00 0,20 areia grossa e cascalho e com raízes Cor: Marrom Silte com areia grossa, 0,20 1,30 cascalho e pedras Cor: Marrom avermelhado Silte com areia grossa, Atingiu a 1,30 2,00 Seco cascalho e pedras Cor: Marrom claro profundidade programada

71 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 04 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 360 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 08/09/11 Data de término: 08/09/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação Silte com areia grossa, 0,00 0,15 cascalho, pedras e raízes Cor: Marrom escuro Areia grossa siltosa com 0,15 0,35 cascalho e pedras Cor: Marrom claro Areia siltosa com, 0,35 0,70 cascalho e pedras Cor: Marrom avermelhado Silte pouco argiloso com Atingiu a 0,70 2,00 Seco areia grossa Cor: Marrom avermelhado profundidade programada

72 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 05 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 360 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 12/09/11 Data de término: 12/09/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação Silte areno argiloso com 0,00 0,10 raízes Cor: Marrom escuro Silte pouco argiloso com 0,10 0,75 pouco cascalho Cor: Marrom e vermelho Silte arenoso argiloso 0,75 1,50 Cor: Variegado (Marrom, vermelho e roxo) Silte argilo arenoso com 1,50 1,70 areia grossa Cor: Marrom Areia silto argilosa com Atingiu a 1,70 2,00 Seco cascalho Cor: Marrom e cinza profundidade programada

73 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 06 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 360 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 09/09/11 Data de término: 09/09/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação Silte arenoso com pedras 0,00 0,40 e raízes Cor: Marrom escuro Silte argiloso com areia 0,40 0,80 grossa Cor: Marrom avermelhado 0,80 0,90 Silte com cascalho Cor: roxo 0,90 Seco Pedras Impenetrável ao trado

74 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 07 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 360 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 08/09/11 Data de término: 08/09/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação 0,00 0,30 Silte arenoso com raízes Cor: Marrom avermelhado Silte argilo arenoso com 0,30 0,90 cascalho Cor: Marrom amarelado Areia grossa Siltosa e 0,90 1,10 cascalho Cor: Marrom esverdeado 1,10 Pedras Impenetrável ao trado

75 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 01 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 363 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 09/09/11 Data de término: 09/09/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação 0,00 0,15 Silte arenoso com raízes Cor: Marrom escuro 0,15 1,20 Silte areno argiloso Cor: Amarelo 1,20 1,60 Areia fina pouco siltosa Cor: Marrom avermelhado Areia grossa com Atingiu a 1,60 2,00 Seco cascalho Cor: Marrom claro profundidade programada

76 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 02 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 363 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 09/09/11 Data de término: 09/09/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação 0,00 0,35 Silte arenoso com raízes Cor: Marrom escuro 0,35 0,95 Silte arenoso Cor: Marrom claro Silte arenoso pouco Atingiu a 0,95 2,00 Seco argiloso Cor: Amarelo profundidade programada

77 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 03 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 363 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 12/09/11 Data de término: 12/09/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação 0,00 0,90 Areia fina Cor: Marrom Silte orgânico com areia 0,90 1,80 fina Cor: Preto e marrom 1,80 2,00 Seco Silte orgânico areia fina Cor: Cinza e marrom Atingiu a profundidade programada

78 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 04 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 363 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 12/09/11 Data de término: 12/09/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação Silte pouco arenoso com 0,00 0,10 raízes Cor: Marrom 0,10 0,50 Areia fina siltosa Cor: Marrom Silte argiloso pouco 0,50 0,75 arenoso Cor: Marrom 0,75 1,20 0,90 1,20 2,00 Silte argiloso Cor: Marrom amarelado Silte orgânico arenoso Cor: Cinza Atingiu a profundidade programada

79 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 05 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 363 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 12/09/11 Data de término: 12/09/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação 0,00 0,10 Silte arenoso com raízes Cor: Marrom 0,10 0,75 Areia fina siltosa Cor: Marrom 0,75 2,00 0,80 Silte argiloso com areia fina Cor: Variegado (Marrom roxo e vermelho) Atingiu a profundidade programada

80 DETERMINAÇÃO DE ESPESSURA DE CAMADA FURO: ST- 07 Cliente: OHL Autopista Régis Bittencourt Local: BR 116 km 363 Coordenada UTM: 23J / Data de início: 12/09/11 Data de término: 12/09/11 Técnico: Luis Back Profundidade Início Término Nível de água Descrição do material Motivo da paralisação Silte pouco arenoso 0,00 0,10 Cor: Marrom 0,10 0,50 Silte argiloso Cor: Marrom 0,50 0,95 Silte argiloso Cor: Marrom claro 0,95 1,70 Areia média Cor: Marrom 1,70 2,00 1,80 Areia fina Cor: Cinza Atingiu a profundidade programada

SONDAGEM A TRADO INICIO PERFIL INDIVIDUAL INTERCEPTOR DE ESGOTO Córrego Brejo Alegre - Araguari / MG TECMINAS ENGENHARIA

SONDAGEM A TRADO INICIO PERFIL INDIVIDUAL INTERCEPTOR DE ESGOTO Córrego Brejo Alegre - Araguari / MG TECMINAS ENGENHARIA FN. (017) 334-334 - CEP. 02-080 CLIENTE 0,39 /08/2014 TÉRMINO /08/2014 ATERRO DE AREIA FINA, ARGILOSA, MARROM ACINZENTADA. 903,090 ST.01 AREIA FINA, MUITO ARGILOSA, AMARELA ACINZENTADA. 2,63 cinza ARGILA

Leia mais

Boletim de campo para sondagem/ poço de monitoramento

Boletim de campo para sondagem/ poço de monitoramento Sigla SP1 Data de início 21/12/2009 Data de término 21/12/2009 UTM - N (m) 7.382.650 Diâmetro da perfuração 4 UTM - E (m) 327.753 Diâmetro da Instalação - Altitude do terreno (m) Prof. total do poço (m)

Leia mais

Prof. (m) Areia fina siltosa marrom. Areia fina marrom. Areia siltosa com pedregulhos variegada (amarela) Areia fina variegada (amarela)

Prof. (m) Areia fina siltosa marrom. Areia fina marrom. Areia siltosa com pedregulhos variegada (amarela) Areia fina variegada (amarela) Cliente: Sondagem: RS 1735 SP-01 Obra: Campus Experimental Folha: 01/03 Local: Jazida Mineração Veiga Cota do Furo: +0.27 m Município: Araquari SC Na: -2.55 m 01 siltosa marrom 08 02 marrom 09 03 marrom

Leia mais

AGETOP AGÊNCIA GOIANA DE TRANSPORTES E OBRAS RELATÓRIO DE SONDAGEM A PERCUSSÃO

AGETOP AGÊNCIA GOIANA DE TRANSPORTES E OBRAS RELATÓRIO DE SONDAGEM A PERCUSSÃO AGETOP AGÊNCIA GOIANA DE TRANSPORTES E OBRAS RELATÓRIO DE SONDAGEM A PERCUSSÃO Av. JC-15, com R.BF-25 e BF-23, Jd. Curitiba Cidade: Goiânia GO Goiânia, 11 de outubro de 2011. AGETOP AGÊNCIA GOIANA DE TRANSPORTES

Leia mais

Tópicos Especiais de Engenharia Civil ALBUQUERQUE SOBRINHO, E. J. (2010)

Tópicos Especiais de Engenharia Civil ALBUQUERQUE SOBRINHO, E. J. (2010) Tópicos Especiais de Engenharia Civil ALBUQUERQUE SOBRINHO, E. J. (2010) Introdução Investigações diretas e indiretas Qual sua importância e aplicação? Quais as técnicas empregadas nas investigações diretas

Leia mais

RELATÓRIO DE SONDAGEM

RELATÓRIO DE SONDAGEM Vitória, 19 de junho de 201 RELATÓRIO DE SONDAGEM CLIENTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE PRESIDENTE KENNEDY OBRA/LOCAL: SANTA LUCIA - PRESIDENTE KENNEDY CONTRATO: ETFC.0..1.00 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO...02 PERFIL

Leia mais

Porto Alegre, 10 de agosto de 2010 À TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO

Porto Alegre, 10 de agosto de 2010 À TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO Porto Alegre, de agosto de 0 À TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA ª REGIÃO Ref. OBRA OS0/ RUA DE JULHO, S/N - SANT O ÂNGELO/RS Ass.: Relatório de Sondagem Prezados Senhores: Vimos através desta apresentar-lhes

Leia mais

Associado à. Associação Brasileira de Mecânica do Solos 38 ANOS

Associado à. Associação Brasileira de Mecânica do Solos 38 ANOS Associado à Associação Brasileira de Mecânica do Solos 38 ANOS 38 ANOS MEMORIAL DESCRITIVO OBRA PONTE PARAUAPEBAS - PARÁ DATA Outubro de 2011 Belém, 11 de outubro de 2011 Referência: Ponte em Parauapebas,

Leia mais

NA INICIAL:0,00 15:30Hrs 22/06/09 COTA(m) RN: (m) FINAL:0,00 09:00Hrs 24/06/09 AMOSTRADOR - Ø EXTERNO 2"

NA INICIAL:0,00 15:30Hrs 22/06/09 COTA(m) RN: (m) FINAL:0,00 09:00Hrs 24/06/09 AMOSTRADOR - Ø EXTERNO 2 SONDAGEM SP Nº 07 NA INICIAL:0,00 :30Hrs /0/09 COTA(m) RN: (m) FINAL:0,00 09:00Hrs 4/0/09 AMOSTRADOR - Ø EXTERNO " DATA:/0/09 Nº DE GOLPES 30cm INICIAIS --------------- REVESTIMENTO - Ø 1/" 0 1 0 0 3 0

Leia mais

CONCORRÊNCIA PÚBLICA N.º 009/2014 PROCESSO ADMINISTRATIVO N.º DE.01.01.0065/2014 ANEXO V LAUDO DE SONDAGEM

CONCORRÊNCIA PÚBLICA N.º 009/2014 PROCESSO ADMINISTRATIVO N.º DE.01.01.0065/2014 ANEXO V LAUDO DE SONDAGEM CONCORRÊNCIA PÚBLICA N.º 00/0 PROCESSO ADMINISTRATIVO N.º DE.0.0.00/0 ANEXO V LAUDO DE INTRODUÇÃO Neste documento estão relacionados os resultados obtidos na execução de Sondagem à Percussão tipo T em

Leia mais

BR-290/BR-116/RS Ponte sobre o Rio Guaíba Pista Dupla com 3 Faixas Porto Alegre, Eldorado do Sul

BR-290/BR-116/RS Ponte sobre o Rio Guaíba Pista Dupla com 3 Faixas Porto Alegre, Eldorado do Sul CARACTERIZAÇÃO DE SOLOS MOLES DA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE E SUAS MELHORIAS COM ADIÇÃO DE CAL V WORKSHOP DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO NAS CONCESSÕES Apresentação Lélio A. T. Brito, MSc., CONCEPA

Leia mais

ANEXO 4 SONDAGEM (ORIGINAL)

ANEXO 4 SONDAGEM (ORIGINAL) ANEXO 4 SONDAGEM (ORIGINAL) 1. RELATÓRIO DE SONDAGEM 1.1 Objetivos O presente relatório tem por objetivo descrever os critérios e procedimentos adotados na execução dos serviços de sondagem geotécnica

Leia mais

Professor Douglas Constancio. 1 Elementos especiais de fundação. 2 Escolha do tipo de fundação

Professor Douglas Constancio. 1 Elementos especiais de fundação. 2 Escolha do tipo de fundação Professor Douglas Constancio 1 Elementos especiais de fundação 2 Escolha do tipo de fundação Americana, junho de 2005 0 Professor Douglas Constancio 1 Elementos especiais de fundação Americana, junho de

Leia mais

Estudo Comparativo do Coeficiente de Absorção dos Solos do Terciário de Maceió-Al, com os Valores Sugeridos por Norma

Estudo Comparativo do Coeficiente de Absorção dos Solos do Terciário de Maceió-Al, com os Valores Sugeridos por Norma COBRAMSEG 00: ENGENHARIA GEOTÉCNICA PARA O DESENVOLVIMENTO, INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE. 00 ABMS. Estudo Comparativo do Coeficiente de Absorção dos Solos do Terciário de Maceió-Al, com os Valores Sugeridos

Leia mais

RELATÓRIO DE SONDAGEM - SPT

RELATÓRIO DE SONDAGEM - SPT FL. 201 MASTERSOLO Engenharia Ltda RELATÓRIO DE SONDAGEM - SPT CLIENTE: OBRA.- ENDEREÇO: RUA TAMANDARÉ, ESQ. AV JOSÉ FERREIRA DE SANTANA QD-323-B.LT-6- RESIDENCIAL GOBATO CIDADE: GOIATUBA - GO MASTERSOLO

Leia mais

À INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL - DEPARTAMENTO DA PARAIBA.

À INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL - DEPARTAMENTO DA PARAIBA. RELATÓRIO N 002/2013 À INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL - DEPARTAMENTO DA PARAIBA. Largo São Frei Pedro Gonçalves, n 02, Varadouro - João Pessoa/PB. SONDAGEM SPT SONDAGEM DE SIMPLES RECONHECIMENTO COM

Leia mais

PROJETO BÁSICO COM DETALHAMENTO CONSTRUTIVO DOS MOLHES DE FIXAÇÃO DA BARRA DO RIO ARARANGUÁ, MUNICÍPIO DE ARARANGUÁ (SC)

PROJETO BÁSICO COM DETALHAMENTO CONSTRUTIVO DOS MOLHES DE FIXAÇÃO DA BARRA DO RIO ARARANGUÁ, MUNICÍPIO DE ARARANGUÁ (SC) PROJETO BÁSICO COM DETALHAMENTO CONSTRUTIVO DOS MOLHES DE FIXAÇÃO DA BARRA DO RIO ARARANGUÁ, MUNICÍPIO DE ARARANGUÁ (SC) PRODUTO III INVESTIGAÇÕES GEOTÉCNICAS SONDAGEM DE SIMPLES RECONHECIMENTO POR SPT

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES DNIT

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES DNIT REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES DNIT RODOVIA : BR-304/CE TRECHO : ENTR. BR-116 (BOQUEIRÃO DO CESÁRIO) DIVISA CE/RN SUBTRECHO

Leia mais

BASENG Engenharia e Construção LTDA

BASENG Engenharia e Construção LTDA RELATÓRIO DE INVESTIGAÇÃO GEOLÓGICO- GEOTÉCNICA: SONDAGEM A PERCUSSÃO LT2 ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO CONTRUÇÃO DE UNIDADE DE PRONTO ATENDIMENTO HOSPITAL E MATERNIDADE Praia de Boiçucanga São Sebatião / SP

Leia mais

Faculdade de Engenharia Departamento de Estruturas e Fundações

Faculdade de Engenharia Departamento de Estruturas e Fundações 1. MÉTODOS DIRETOS Os métodos diretos englobam todas as investigações que possibilitam a visualização do perfil e retirada de amostra. Os procedimentos de investigação são bem definidos nas normas ABNT

Leia mais

RELATÓRIO SONDAGENS A PERCUSSÃO

RELATÓRIO SONDAGENS A PERCUSSÃO RELATÓRIO SONDAGENS A PERCUSSÃO NBR /00 INSTITUTO FEDERAL DE EDUÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA TARINENSE Áreas de Estudo: terreno onde será implantado o Campus de Brusque DGEO GEOLOGIA E ENGENHARIA AMBIENTAL

Leia mais

13 a Aula. Escolha do Tipo de Fundação

13 a Aula. Escolha do Tipo de Fundação Mecânica dos Solos e Fundações PEF a Aula Escolha do Tipo de Fundação Considerações Iniciais Dados: Planta de pilares Cargas Perfil de solo Verificação da ordem de grandeza das cargas apresentadas pelo

Leia mais

Fls.: 3 / 6. Avenida Augusto Chermont Abaetetuba - PA. Cliente: D A T A : 09/05/2013. Relatório nº : 082 / 2013

Fls.: 3 / 6. Avenida Augusto Chermont Abaetetuba - PA. Cliente: D A T A : 09/05/2013. Relatório nº : 082 / 2013 Iníci: 0/0/ d /0/ N de Glpes / 0 SP 0 D Nível d água Inicial: 0,0m Final: 0,m 0 0 0 0/0/ / Relatóri nº : 0 / Intern :. mm Pes kg extern : 0. mm Altura de queda : cm Revestiment :. mm Simblgidtada: Nº-SPT

Leia mais

PRESCRIÇÕES PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE SONDAGEM MISTA E PROJETO DE DESMONTE DE ROCHAS - ESPECIFICAÇÕES GERAIS

PRESCRIÇÕES PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE SONDAGEM MISTA E PROJETO DE DESMONTE DE ROCHAS - ESPECIFICAÇÕES GERAIS PRESCRIÇÕES PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE SONDAGEM MISTA E PROJETO DE DESMONTE DE - ESPECIFICAÇÕES GERAIS Revisão n.º 1 2 3 4 5 7 Data 18/03/11 Responsável Heber 1/14 INDICE 1. OBJETIVO... 3 2. ELEMENTOS

Leia mais

SP- 1. RMX (tf) DMX (milímetros) 100,96. TORQUE (kgfm) Max. Res ATERRO DE AREIA FINA SILTOSA,. PISO DE CONCRETO USINADO. 0,10 0,28

SP- 1. RMX (tf) DMX (milímetros) 100,96. TORQUE (kgfm) Max. Res ATERRO DE AREIA FINA SILTOSA,. PISO DE CONCRETO USINADO. 0,10 0,28 APRESENTAÇÃO Em prosseguimento à nossa campanha de divulgação de ensaios de carregamento dinâmico realizados em obras da nossa responsabilidade, e por ocasião do SEFE V no ano de, retratamos neste trabalho

Leia mais

UM CASO DE OBRA ESPECIAL: CONTENÇÃO PELO MÉTODO DE SOLO GRAMPEADO, SUBJACENTE A UM SOLO GRAMPEADO PRÉ-EXISTENTE

UM CASO DE OBRA ESPECIAL: CONTENÇÃO PELO MÉTODO DE SOLO GRAMPEADO, SUBJACENTE A UM SOLO GRAMPEADO PRÉ-EXISTENTE UM CASO DE OBRA ESPECIAL: CONTENÇÃO PELO MÉTODO DE SOLO GRAMPEADO, SUBJACENTE A UM SOLO GRAMPEADO PRÉ-EXISTENTE AUTORES Engenheiro Alberto Casati Zirlis, diretor da Solotrat Engenharia Geotécnica Ltda.

Leia mais

SONDAGEM À PERCUSSÃO DATA: 15/04/2010 HORA: 07:36 / 23:41 COTA : 2,23 COORDENADAS: N: 748137.82 E: 982 8295.35

SONDAGEM À PERCUSSÃO DATA: 15/04/2010 HORA: 07:36 / 23:41 COTA : 2,23 COORDENADAS: N: 748137.82 E: 982 8295.35 SONDAGEM TMU 2 : 15/04/2010 HORA: 07:36 / 23:41 COTA : 2,23 COORDENADAS: N: 748137.82 E: 982 8295.35 SP-01 0.00 Obs: Extremidade do revestimento ao N.A 1,50 COTA: 2.48 COTA: 2,23 N.A MAX. Lámina D'agua

Leia mais

3 Área de estudo e amostragem

3 Área de estudo e amostragem 3 Área de estudo e amostragem 3.1. Meio Físico Os aspectos discutidos no Capítulo 2 tornam clara a importância de um estudo experimental de um perfil de solo residual observando a evolução das diversas

Leia mais

LAUDO GEOLÓGICO GEOTÉCNICO GUARITUBA

LAUDO GEOLÓGICO GEOTÉCNICO GUARITUBA LAUDO GEOLÓGICO GEOTÉCNICO GUARITUBA LOCALIZAÇÃO E ACESSO A região de Guarituba esta localizada no Município de Piraquara entre o rio Iguaçu e o rio Itaqui. Os principais acessos à área são a PR 415 e

Leia mais

ANEXO: PROSPECÇÃO GEOTÉCNICA

ANEXO: PROSPECÇÃO GEOTÉCNICA ANEXO: PROSPECÇÃO GEOTÉCNICA Geestrada, Lda Via Oriental do concelho de Cascais Troço RECONHECIMENTO GEOLÓGICO-GEOTÉCNICO R.P0.0.0 VOC Troço ÍNDICE pág. I INTRODUÇÃO II TRABALHOS REALIZADOS.. III ENQUADRAMENTO

Leia mais

IMPORTÂNCIA DE DETALHAMENTO DE PROJETOS EM OBRAS QUE UTILIZAM MND. ESTEIO - Engenharia e Aerolevantamentos Eng. Marcos de Castro Leal

IMPORTÂNCIA DE DETALHAMENTO DE PROJETOS EM OBRAS QUE UTILIZAM MND. ESTEIO - Engenharia e Aerolevantamentos Eng. Marcos de Castro Leal IMPORTÂNCIA DE DETALHAMENTO DE PROJETOS EM OBRAS QUE UTILIZAM MND ESTEIO - Engenharia e Aerolevantamentos Eng. Marcos de Castro Leal Histórico APRESENTAÇÃO Fundada em 1969, a ESTEIO Engenharia e Aerolevantamentos

Leia mais

UNIP - Universidade Paulista Campus Brasília. ICET Instituto de Ciências e Tecnologia PROJETO DE FUNDAÇÕES POR ESTACA DE UM EDIFÍCIO RESIDENCIAL

UNIP - Universidade Paulista Campus Brasília. ICET Instituto de Ciências e Tecnologia PROJETO DE FUNDAÇÕES POR ESTACA DE UM EDIFÍCIO RESIDENCIAL UNIP - Universidade Paulista Campus Brasília ICET Instituto de Ciências e Tecnologia PROJETO DE FUNDAÇÕES POR ESTACA DE UM EDIFÍCIO RESIDENCIAL PROJETO DE FUNDAÇÕES POR ESTACA DE UM EDIFÍCIO RESIDENCIAL

Leia mais

RELATORIO DE SONDAGEM ROTATIVA MISTA RELATORIO DE POÇO DE INSPEÇÃO RELATORIO FINAL DE ENSAIOS GEOTÉCNICOS

RELATORIO DE SONDAGEM ROTATIVA MISTA RELATORIO DE POÇO DE INSPEÇÃO RELATORIO FINAL DE ENSAIOS GEOTÉCNICOS PREFEITURA MUNICIPAL DE BELO HORIZONTE SMURBE SECRETARIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS URBANAS A/C GERENTE DO CONTRATO SMURBE 097/2009 ENG.º LUIZ CARLOS MACHADO ROSA CONTRATO SMURBE 097/09 ORDEM DE SERVIÇO 21/09

Leia mais

MC-06-116/SP-344-0-Q04/901. 1 de 36 15/7/2011

MC-06-116/SP-344-0-Q04/901. 1 de 36 15/7/2011 Código MC-06-116/SP-344-0-Q04/901 Revisão 0 Lote : Rodovia : 06 BR 116 - ROD. RÉGIS BITTENCOURT Trecho : SÃO PAULO - CURITIBA DUPLICAÇÃO DA SERRA DO CAF. - km 344+000 ao km 363+000 Objeto : Quadro de Cálculo

Leia mais

UNIVERSIDADE MUNICIPAL DE SÃO CAETANO DO SUL PARECER DE GEOTECNIA

UNIVERSIDADE MUNICIPAL DE SÃO CAETANO DO SUL PARECER DE GEOTECNIA UNIVERSIDADE MUNICIPAL DE SÃO CAETANO DO SUL PARECER DE GEOTECNIA Rua Macéio, s/n Bairro Barcelona São Caetano do Sul /SP PAR 15026 Março/2015 Revisão 0 CPOI Engenharia e Projetos Ltda Índice 1. INTRODUÇÃO...3

Leia mais

Por que é importante um relatório técnico das condições da vizinhança? Por que é importante um relatório técnico das condições da vizinhança?

Por que é importante um relatório técnico das condições da vizinhança? Por que é importante um relatório técnico das condições da vizinhança? Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil Tecnologia da Construção Civil I Execução de edificações Serviços preliminares Elementos de prospecção geotécnica

Leia mais

PAVIMENTO ESTUDOS GEOTÉCNICOS. Prof. Dr. Ricardo Melo. Terreno natural. Seção transversal. Elementos constituintes do pavimento. Camadas do pavimento

PAVIMENTO ESTUDOS GEOTÉCNICOS. Prof. Dr. Ricardo Melo. Terreno natural. Seção transversal. Elementos constituintes do pavimento. Camadas do pavimento Universidade Federal da Paraíba Centro de Tecnologia Departamento de Engenharia Civil Laboratório de Geotecnia e Pavimentação ESTUDOS GEOTÉCNICOS Prof. Dr. Ricardo Melo PAVIMENTO Estrutura construída após

Leia mais

Escrito por TQS Admin Qua, 28 de Agosto de 2013 10:35 - Última revisão Sex, 24 de Abril de 2015

Escrito por TQS Admin Qua, 28 de Agosto de 2013 10:35 - Última revisão Sex, 24 de Abril de 2015 Prezados, Palavras chaves: SISEs, Sondagem, SPT, camada de solo Vamos agora tratar do lançamento das sondagens no sistema SISEs. É possível lançar as sondagens, com os SPT s, camadas do solo, materiais

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE

INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE ÁGUA & MINÉRIO SONDAGENS DE SOLO LTDA SONDAGENS DE SIMPLES RECONHECIMENTO - SPT NBR 6484 e NBR 8036 da ABNT INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CAMPUS IBIRAMA Rua Getúlio Vargas, 3006 Bela Vista Furos F-1 a

Leia mais

TOMADA DE PREÇOS Nº 01/2015 ANEXO I-E SONDAGEM DE SOLO DO TERRENO

TOMADA DE PREÇOS Nº 01/2015 ANEXO I-E SONDAGEM DE SOLO DO TERRENO SEÇÃO DE LICITAÇÕES E CONTRATOS Rua Deodoro da Fonseca, 7 Centro Natal/RN CEP:.0-00. Fone: () - Fax: () -1 TOMADA DE PREÇOS Nº 01/ ANEXO I-E SONDAGEM DE SOLO DO TERRENO Tomada de Preços nº 01/ PRRN RELATÓRIO

Leia mais

Portfólio de Soluções. Sistemas SPTSis ROTSis MIXSis

Portfólio de Soluções. Sistemas SPTSis ROTSis MIXSis Portfólio de Soluções Sistemas SPTSis ROTSis MIXSis Conheça as opiniões dos nossos clientes... Em um serviço com oitenta furos, gastamos menos de quatro horas para gerar todos os relatórios de sondagem.

Leia mais

MANUAL DE BOLSO Nº 1: Investigação Geotécnica

MANUAL DE BOLSO Nº 1: Investigação Geotécnica MANUAL DE BOLSO Nº 1: Investigação Geotécnica OUTUBRO DE 2012 T E R R E S T R E. empresa sedeada em Itu/SP fornece consultas, projetos, ensaios especiais e serviços na área de geotecnia, drenagem, pavimentação,

Leia mais

PROJETO GEOTÉCNICO DE FUNDAÇÕES PROFUNDAS EM SOLOS MOLES - ESTUDO DE CASO

PROJETO GEOTÉCNICO DE FUNDAÇÕES PROFUNDAS EM SOLOS MOLES - ESTUDO DE CASO PROJETO GEOTÉCNICO DE FUNDAÇÕES PROFUNDAS EM SOLOS MOLES - ESTUDO DE CASO João Manoel Cardoso (1); Adailton Antonio dos Santos (2) UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense (1)jocardoso@gmail.com (2)adailton@unsec.net

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO. Setor de Autarquias Norte Quadra 04 Bloco B - BRASÍLIA-DF

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO. Setor de Autarquias Norte Quadra 04 Bloco B - BRASÍLIA-DF ENGENHARIA DE SOLOS E INFRA-ESTRUTURA LTDA FUNDAÇÕES SONDAGENS CONSULTORIA TECNICA REFORÇO DE ESTRUTURAS Ref.: Setor de Autarquias Norte Quadra 04 Bloco B - BRASÍLIA-DF DS: Prezados Senhores, Estamos apresentando

Leia mais

Identificação de Solos Moles em Terrenos Metamórficos Através de Sondagem Barra Mina.

Identificação de Solos Moles em Terrenos Metamórficos Através de Sondagem Barra Mina. Identificação de Solos Moles em Terrenos Metamórficos Através de Sondagem Barra Mina. Marcio Fernandes Leão UFRJ e UERJ, Rio de Janeiro, Brasil, marciotriton@hotmail.com RESUMO: Em terrenos estudados na

Leia mais

INSTRUÇÕES NORMATIVAS PARA EXECUÇÃO DE SONDAGENS

INSTRUÇÕES NORMATIVAS PARA EXECUÇÃO DE SONDAGENS REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA INFRA-ESTRUTURA DEPARTAMENTO ESTADUAL DE INFRA-ESTRUTURA INSTRUÇÕES NORMATIVAS PARA SONDAGENS IN-04/94 Instrução Normativa

Leia mais

RELATORIO COMPLEMENTAR - ÁREA DE FAZENDA RIO GRANDE ASPECTOS LITOLOGICOS, HIDROGEOLOGICOS E GEOTÉCNICOS

RELATORIO COMPLEMENTAR - ÁREA DE FAZENDA RIO GRANDE ASPECTOS LITOLOGICOS, HIDROGEOLOGICOS E GEOTÉCNICOS RELATORIO COMPLEMENTAR - ÁREA DE FAZENDA RIO GRANDE ASPECTOS LITOLOGICOS, HIDROGEOLOGICOS E GEOTÉCNICOS SUMÁRIO 1.0 - ASPECTOS GEOMORFOLÓGICOS, GEOLOGICOS E GEOTÉCNICOS LOCAL... 1 1.2 SONDAGENS A PERCUSSÃO...

Leia mais

RELATÓRIO DO LEVANTAMENTO GEOFÍSICO UTILIZANDO O MÉTODO DE ELETRORRESISTIVIDADE PARA O PROJETO TAV TREM DE ALTA VELOCIDADE

RELATÓRIO DO LEVANTAMENTO GEOFÍSICO UTILIZANDO O MÉTODO DE ELETRORRESISTIVIDADE PARA O PROJETO TAV TREM DE ALTA VELOCIDADE RELATÓRIO DO LEVANTAMENTO GEOFÍSICO UTILIZANDO O MÉTODO DE ELETRORRESISTIVIDADE PARA O PROJETO TAV TREM DE ALTA VELOCIDADE SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 1 2. LOCALIZAÇÃO DOS ENSAIOS GEOFÍSICOS... 2 3. EQUIPE...

Leia mais

ANEXO XIII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS - ESTUDOS GEOTÉCNICOS

ANEXO XIII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS - ESTUDOS GEOTÉCNICOS ANEXO XIII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS - ESTUDOS GEOTÉCNICOS 2.2.1 - INTRODUÇÃO Os Estudos Geotécnicos foram realizados com o objetivo de conhecer as características dos materiais constituintes do subleito

Leia mais

PROJETO DE FUNDAÇÃO DE EDIFÍCIO RESIDENCIAL EM ESTACA HÉLICE ÔMEGA E COMPARAÇÃO DE CUSTOS COM ESTACA HÉLICE CONTÍNUA PAOLLA MORAES DE CARVALHO

PROJETO DE FUNDAÇÃO DE EDIFÍCIO RESIDENCIAL EM ESTACA HÉLICE ÔMEGA E COMPARAÇÃO DE CUSTOS COM ESTACA HÉLICE CONTÍNUA PAOLLA MORAES DE CARVALHO PROJETO DE FUNDAÇÃO DE EDIFÍCIO RESIDENCIAL EM ESTACA HÉLICE ÔMEGA E COMPARAÇÃO DE CUSTOS COM ESTACA HÉLICE CONTÍNUA PAOLLA MORAES DE CARVALHO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO NORTE FLUMINENSE DARCY RIBEIRO UENF

Leia mais

2 03/11 Relatório Final R.A. O.S. O.A. PU. 1 30/09 Alterado Endereço do Terreno R.A. O.S. O.A. PU

2 03/11 Relatório Final R.A. O.S. O.A. PU. 1 30/09 Alterado Endereço do Terreno R.A. O.S. O.A. PU Código Rev. Folha SD.KLA.PA.RE.001 2 1/ Código do cliente Rev. 0 KLABIN S. A. PARANAGUA PR TERRENO ROCHA RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO GEOTÉCNICA FUROS DE SONDAGENS Cliente : KLABIN S. A. Obra : LEVANTAMENTO

Leia mais

VALOR UNITÁRIO R$ ITEM DESCRIMINAÇÃO QUANTID. UNIDADE APAGADORES PARA QUADRO (LOUSA) 1

VALOR UNITÁRIO R$ ITEM DESCRIMINAÇÃO QUANTID. UNIDADE APAGADORES PARA QUADRO (LOUSA) 1 ITEM DESCRIMINAÇÃO QUANTID. UNIDADE APAGADORES PARA QUADRO (LOUSA) 1 DIMENSÕES:15 X 7 X 3m 20 UNIDADES APONTADOR COM DEPOSITO GRANDE (4cm de 2 diâmetro x 6 cm de comprimento) 430 UNIDADES 3 BORRACHA BRANCA

Leia mais

GUIA DE FUNCIONALIDADE

GUIA DE FUNCIONALIDADE GUIA DE FUNCIONALIDADE Responsável: Eliezer Vieira CGPLAN DNIT DNIT CGPLAN Versão: 1.1 Página 0 de 17 1 Sumário 1 Introdução... 2 2 Acessar o Sistema... 3 2.1 Menu MAPA... 4 2.2 Submenu Camadas... 4 2.3

Leia mais

RELATÓRIO: 01-9013 OBRA: MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO LOCAL: ESPINHEIRO RECIFE/PE CLIENTE: POLICONSULT DATA: JULHO DE 2013

RELATÓRIO: 01-9013 OBRA: MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO LOCAL: ESPINHEIRO RECIFE/PE CLIENTE: POLICONSULT DATA: JULHO DE 2013 RELATÓRIO: 01-9013 OBRA: MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO LOCAL: ESPINHEIRO RECIFE/PE CLIENTE: POLICONSULT DATA: JULHO DE 2013 APRESENTAÇÃO A POLICONSULT Associação Politécnica de Consultoria apresenta o

Leia mais

069123_RITA CASTRO 9/27/04 7:05 PM Page 1 PESQUISAMOS SOLUÇÕES PARA O SEU CONFORTO.

069123_RITA CASTRO 9/27/04 7:05 PM Page 1 PESQUISAMOS SOLUÇÕES PARA O SEU CONFORTO. 069123_RITA CASTRO 9/27/04 7:05 PM Page 1 S O N D A G E N S E C A P T A Ç Õ E S D E Á G U A S O N D A G E N S B A T A L H A PESQUISAMOS SOLUÇÕES PARA O SEU CONFORTO. 069123_RITA CASTRO 9/27/04 7:05 PM

Leia mais

Utilização de métodos geoelétricos aplicados à determinação de plumas contaminantes em área urbana na grande São Paulo

Utilização de métodos geoelétricos aplicados à determinação de plumas contaminantes em área urbana na grande São Paulo Introdução O método geofísico da eletrorresistividade tem sido usado com sucesso para conhecer a geometria de jazidas minerais; determinação de cobertura de solo/estéril, profundidade e geometria do aquífero,

Leia mais

INVESTIGAÇÕES GEOTÉCNICAS PARA O

INVESTIGAÇÕES GEOTÉCNICAS PARA O INVESTIGAÇÕES GEOTÉCNICAS PARA O PROJETO DE FUNDAÇÕES O SOLO, NUM PROBLEMA DE FUNDAÇÕES DEVE SER ACEITO TAL COMO SE APRESENTA Para um projeto de fundações bem elaborado, deve-se conhecer: -os tipos de

Leia mais

contenção pelo método de solo grampeado, subjacente a um solo grampeado pré-existente

contenção pelo método de solo grampeado, subjacente a um solo grampeado pré-existente /2009 TRANSPORTE Um caso de obra especial: contenção pelo método de solo grampeado, subjacente a um solo grampeado pré-existente ALBERTO CASATI ZIRLIS* / CAIRBAR AZZI PITTA** / GEORGE JOAQUIM TELES DE

Leia mais

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 04. FUNDAÇÃO

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 04. FUNDAÇÃO DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 04. FUNDAÇÃO Av. Torres de Oliveira, 76 - Jaguaré CEP 05347-902 - São Paulo / SP FUNDAÇÃO 1. TIPO DE SOLO A primeira parte da casa a ser construída são suas fundações, que

Leia mais

3 ASPECTOS GERAIS DA ÁREA ESTUDADA

3 ASPECTOS GERAIS DA ÁREA ESTUDADA 3 ASPECTOS GERAIS DA ÁREA ESTUDADA 3.1. Localização O aproveitamento Hidrelétrico de Itumbiara, com potência instalada de 2080 MW, situa-se no rio Paranaíba, na divisa dos estados de Minas Gerais e Goiás,

Leia mais

Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade

Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade Procedência: Grupo de Trabalho da Câmara Técnica de Recursos Hídricos Decisão Consema 02/2012 Assunto: Normas para exploração de areia e argila em rios intermitentes de Pernambuco Proposta de Resolução

Leia mais

Comportamento de Estacas Metálicas cravadas em solo mole da Barra da Tijuca - RJ. Fred Falconi Marco Aurélio de Oliveira

Comportamento de Estacas Metálicas cravadas em solo mole da Barra da Tijuca - RJ. Fred Falconi Marco Aurélio de Oliveira Comportamento de Estacas Metálicas cravadas em solo mole da Barra da Tijuca - RJ Fred Falconi Marco Aurélio de Oliveira 2013 PROVA DE CARGA ESTÁTICA INSTRUMENTADA EM ESTACA METÁLICA DE SEÇÃO DECRESCENTE

Leia mais

III-097- AVALIAÇÃO DE ÁREA PARA IMPLANTAÇÃO DE ATERRO SANITÁRIO ESTUDO DE CASO

III-097- AVALIAÇÃO DE ÁREA PARA IMPLANTAÇÃO DE ATERRO SANITÁRIO ESTUDO DE CASO III-097- AVALIAÇÃO DE ÁREA PARA IMPLANTAÇÃO DE ATERRO SANITÁRIO ESTUDO DE CASO 1 III-097- AVALIAÇÃO DE ÁREA PARA IMPLANTAÇÃO DE ATERRO SANITÁRIO ESTUDO DE CASO Maria Odete Holanda Mariano (1) Engenheira

Leia mais

MATERIAL ESCOLAR / 2016 PRIMEIRO SEMESTRE

MATERIAL ESCOLAR / 2016 PRIMEIRO SEMESTRE MATERNAL BABY 05 placas de E.V.A. (nas cores: amarela, laranja, azul, branca e preta) 04 folhas de papel cartão (nas cores: preta, verde, amarela, vermelha) 04 folhas de color set (nas cores: amarela,

Leia mais

CLIENTE SUCAB SUPERINTENDÊNCIA DE CONSTRUÇÕES ADMINISTRATIVAS DA BAHIA

CLIENTE SUCAB SUPERINTENDÊNCIA DE CONSTRUÇÕES ADMINISTRATIVAS DA BAHIA EMISSÃO: GO/2008 CLIENTE SUCB SUPERINTENDÊNCI DE CONSTRUÇÕES DMINISTRTIVS D BHI PROJETO HOSPITL DO SUBÚRBIO SLVDOR - B TÍTULO MEMORIL DESCRITIVO/ ESPECIFICÇÕES TÉCNICS DT GO/2008 ESPECILIDDE GRUPO 01 SERVIÇOS

Leia mais

CONSIDERAÇÕES E FOTOS

CONSIDERAÇÕES E FOTOS CONSIDERAÇÕES E FOTOS DE PLATAFORMA PARA DESCARGA COM GRUA 1 Autores DEOGLEDES MONTICUCO Iniciou aos 14 anos como Mensageiro. 1974 - Engenheiro Civil e 1975 - Engenheiro de Segurança do Trabalho. Obras

Leia mais

b - Quanto a Origem de Seus Constituintes: (Genética - Formação Geológica)

b - Quanto a Origem de Seus Constituintes: (Genética - Formação Geológica) b - Quanto a Origem de Seus Constituintes: (Genética - Formação Geológica) Quando o solo, produto do processo de decomposição das rochas permanece no próprio local em que se deu o fenômeno, ele se chama

Leia mais

Prof. Dr. Sérgio Murilo Santos de Araújo. Universidade Federal de Campina Grande UFCG

Prof. Dr. Sérgio Murilo Santos de Araújo. Universidade Federal de Campina Grande UFCG Prof. Dr. Sérgio Murilo Santos de Araújo Universidade Federal de Campina Grande UFCG Paisagens marcadas pela Bacia Sedimentar do Araripe (Jurássico, Cretáceo, etc.) e pela Depressão Periférica (Pré-Cambriano)

Leia mais

RELATÓRIO DE SONDAGEM À PERCUSSÃO COM SPT EXECUTADAS NA SGAN 909, LOTES D E E - ASA NORTE / DF INTERESSADO (A):

RELATÓRIO DE SONDAGEM À PERCUSSÃO COM SPT EXECUTADAS NA SGAN 909, LOTES D E E - ASA NORTE / DF INTERESSADO (A): RELATÓRIO DE SONDAGEM À PERCUSSÃO COM SPT EXECUTADAS NA SGAN 909, LOTES D E E - ASA NORTE / DF INTERESSADO (A): Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios - TJDFT PUBLICAÇÃO: Reforsolo 2033/15

Leia mais

Projeto Final de Engenharia

Projeto Final de Engenharia REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Governo do Estado de Santa Catarina Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente Fundação do Meio Ambiente - FATMA Instituto Brasileiro do Meio Ambiente

Leia mais

III-123 DIAGNÓSTICO AMBIENTAL EM ATERROS DE RESÍDUOS SÓLIDOS A PARTIR DE ESTUDOS DE REFERÊNCIA

III-123 DIAGNÓSTICO AMBIENTAL EM ATERROS DE RESÍDUOS SÓLIDOS A PARTIR DE ESTUDOS DE REFERÊNCIA III-123 DIAGNÓSTICO AMBIENTAL EM ATERROS DE RESÍDUOS SÓLIDOS A PARTIR DE ESTUDOS DE REFERÊNCIA Vera Lúcia A. de Melo (1) Mestre em Engenharia Civil (Geotecnia) pela UFPE. Aperfeiçoamento em pesquisa no

Leia mais

D.I.O.: 24.05.2012 Ret.: 25.05.2012 ORDEM DE SERVIÇO N.º 148, DE 22 DE MAIO DE 2012.

D.I.O.: 24.05.2012 Ret.: 25.05.2012 ORDEM DE SERVIÇO N.º 148, DE 22 DE MAIO DE 2012. D.I.O.: 24.05.2012 Ret.: 25.05.2012 ORDEM DE SERVIÇO N.º 148, DE 22 DE MAIO DE 2012. *Alterada pela OS n.º 155, de 06 de junho de 2012, DOE 11.06.12; *Alterada pela OS n.º 199, de 27 de agosto de 2012,

Leia mais

ITEM DISCRIMINAÇÃO 01 MOBILIZAÇÃO DE EQUIPE UN 01 02 SONDAGEM À PERCUSSÃO (MINIMO 30M) M 30 03 APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS UN 01

ITEM DISCRIMINAÇÃO 01 MOBILIZAÇÃO DE EQUIPE UN 01 02 SONDAGEM À PERCUSSÃO (MINIMO 30M) M 30 03 APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS UN 01 Camaçari, 30 de dezembro de 2011. Solicitação de Orçamento Processo nº. 1401/2011 Solicitamos desta empresa orçamento para execução de serviços de sondagem de simples reconhecimento e coleta de amostras

Leia mais

PAIF:4 PROJOVEM:4 PETI:4 IDOSO:4 10 20 Unid. TINTA RELEVO DIMENSIONAL frasco com 25g, na cor rosa. CREAS:4 PAIF:4 PROJOVEM:4 PETI:4 IDOSO:4 11 20

PAIF:4 PROJOVEM:4 PETI:4 IDOSO:4 10 20 Unid. TINTA RELEVO DIMENSIONAL frasco com 25g, na cor rosa. CREAS:4 PAIF:4 PROJOVEM:4 PETI:4 IDOSO:4 11 20 ANEXO II Aquisição de material de artesanato para uso nas atividades desenvolvidas nos projetos sociais junto ao CRAS, coordenado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social Item Quant. Unidade

Leia mais

Colcha Cecile CORES DISPONÍVEIS - CASAL. Vermelho. Rosa Gerâneo Rosa Claro Laranja. Azul Royal Verde Maçã Amarelo Cinza.

Colcha Cecile CORES DISPONÍVEIS - CASAL. Vermelho. Rosa Gerâneo Rosa Claro Laranja. Azul Royal Verde Maçã Amarelo Cinza. Colcha Cecile CORES DISPONÍVEIS - CASAL Vermelho Rosa Gerâneo Rosa Claro Laranja Azul Royal Verde Maçã Amarelo Cinza Colcha Yasmine Indiana CORES DISPONÍVEIS - CASAL Vermelho Azul Roxo CORES DISPONÍVEIS

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO ARGOPAR PARTICIPAÇÔES LTDA FUNDAÇÕES ITABORAÍ SHOPPING ITABORAÍ - RJ ÍNDICE DE REVISÕES

RELATÓRIO TÉCNICO ARGOPAR PARTICIPAÇÔES LTDA FUNDAÇÕES ITABORAÍ SHOPPING ITABORAÍ - RJ ÍNDICE DE REVISÕES CLIENTE: FOLHA 1 de 17 PROGRAMA: FUNDAÇÕES AREA: ITABORAÍ SHOPPING ITABORAÍ - RJ RESP: SILIO LIMA CREA: 2146/D-RJ Nº GEOINFRA ÍNDICE DE REVISÕES REV DESCRIÇÃO E / OU FOLHAS ATINGIDAS Emissão inicial DATA

Leia mais

ANÁLISE DE PERFIS DE SONDAGEM SPT E CARACTERIZAÇÃO GEOTÉCNICA DE SOLOS DO MUNICÍPIO DE NATAL. krrcamara@yahoo.com.br. alexandre@cefetrn.

ANÁLISE DE PERFIS DE SONDAGEM SPT E CARACTERIZAÇÃO GEOTÉCNICA DE SOLOS DO MUNICÍPIO DE NATAL. krrcamara@yahoo.com.br. alexandre@cefetrn. ANÁLISE DE PERFIS DE SONDAGEM SPT E CARACTERIZAÇÃO GEOTÉCNICA DE SOLOS DO MUNICÍPIO DE NATAL Kadson Ranniere da Rocha Câmara 1 Alexandre da Costa Pereira 2 1 Aluno do Curso Superior de Tecnologia em Produção

Leia mais

SELEÇÃO DE SOLOS E MÉTODOS DE CONTROLE EM CONSTRUÇÃO COM TERRA PRÁTICAS DE CAMPO

SELEÇÃO DE SOLOS E MÉTODOS DE CONTROLE EM CONSTRUÇÃO COM TERRA PRÁTICAS DE CAMPO CYTED Programa Ibero-Americano de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento SELEÇÃO DE SOLOS E MÉTODOS DE CONTROLE EM CONSTRUÇÃO COM TERRA PRÁTICAS DE CAMPO (SELECCIÓN DE SUELOS Y MÉTODOS DE CONTROL

Leia mais

GLOBO ENGENHARIA E ARQUITETURA SOLUÇÕES INTEGRADAS

GLOBO ENGENHARIA E ARQUITETURA SOLUÇÕES INTEGRADAS 2 APROV. RAT C08MVA-1/EPPI-1/11 DEZ/2011 GLOBO ENG. EQUIPE GLOBO 1 REVISÃO RAT 815MVA-2/PEPI-1/11 SET/2011 GLOBO ENG. EQUIPE GLOBO 0 EMISSÃO INICIAL JUL/2011 GLOBO ENG. EQUIPE GLOBO Rev. Modificação Data

Leia mais

Perfil representativo de ARGISSOLO VERMELHO Distrófico típico. Descrição geral

Perfil representativo de ARGISSOLO VERMELHO Distrófico típico. Descrição geral Perfis representativos das unidades taxonômicas de solos, com sua classificação taxonômica (Sistema Brasileiro de Classificação de Solos), descrições morfológicas internas e externas e dados das análises

Leia mais

1 Computação 2008-2009 (2.º Semestre): Documentos para consulta no exame N.º. Nome completo: Curso: Foto:

1 Computação 2008-2009 (2.º Semestre): Documentos para consulta no exame N.º. Nome completo: Curso: Foto: 1 N.º Nome completo: Curso: Foto: 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60

Leia mais

SUMÁRIO 2.0 - SONDAGENS, AMOSTRAGENS E ENSAIOS DE LABORATÓRIO E CAMPO

SUMÁRIO 2.0 - SONDAGENS, AMOSTRAGENS E ENSAIOS DE LABORATÓRIO E CAMPO ESPECIFICAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE SERVIÇOS GEOTÉCNICOS ADICIONAIS SUMÁRIO 1.0 INTRODUÇÃO 2.0 - SONDAGENS, AMOSTRAGENS E ENSAIOS DE LABORATÓRIO E CAMPO 2.1 - CORTES 2.2 - ATERROS 2.3 - OBRAS DE

Leia mais

RETROANÁLISE DO MOVIMENTO DE MASSA DE TALUDE DE SOLO ESTUDO DE CASO

RETROANÁLISE DO MOVIMENTO DE MASSA DE TALUDE DE SOLO ESTUDO DE CASO RETROANÁLISE DO MOVIMENTO DE MASSA DE TALUDE DE SOLO ESTUDO DE CASO Flávia Aparecida Tavares Bonadeu (1), Adailton Antônio dos Santos (2). UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense (1)flaviabonadeu@hotmail.com,

Leia mais

DEPARTAMENTO DE GEOTECNIA E LABORATÓRIOS

DEPARTAMENTO DE GEOTECNIA E LABORATÓRIOS DEPARTAMENTO DE GEOTECNIA E LABORATÓRIOS A Interserviços possui um Departamento de Geotecnia e Laboratórios móveis e fixos de engenharia Civil e Química. Com técnicos nacionais formados no Laboratório

Leia mais

PROJETO BÁSICO COM DETALHAMENTO CONSTRUTIVO DOS MOLHES DE FIXAÇÃO DA BARRA DO RIO ARARANGUÁ, MUNICÍPIO DE ARARANGUÁ (SC)

PROJETO BÁSICO COM DETALHAMENTO CONSTRUTIVO DOS MOLHES DE FIXAÇÃO DA BARRA DO RIO ARARANGUÁ, MUNICÍPIO DE ARARANGUÁ (SC) PROJETO BÁSICO COM DETALHAMENTO CONSTRUTIVO DOS MOLHES DE FIXAÇÃO DA BARRA DO RIO ARARANGUÁ, MUNICÍPIO DE ARARANGUÁ (SC) PRODUTO IV: INVESTIGAÇÕES GEOTÉCNICAS SONDAGEM EM MAR ABERTO POR JET PROBE Preparado

Leia mais

LISTA 1 CS2. Cada aluno deve resolver 3 exercícios de acordo com o seu númeo FESP

LISTA 1 CS2. Cada aluno deve resolver 3 exercícios de acordo com o seu númeo FESP LISTA 1 CS2 Cada aluno deve resolver 3 exercícios de acordo com o seu númeo FESP Final 1 exercícios 3, 5, 15, 23 Final 2 exercícios 4, 6, 17, 25 Final 3- exercícios 2, 7, 18, 27 Final 4 exercícios 1 (pares),

Leia mais

Utilização de Ensaios de Campo na Identificação de Solos Colapsíveis João Barbosa de Souza Neto

Utilização de Ensaios de Campo na Identificação de Solos Colapsíveis João Barbosa de Souza Neto Utilização de Ensaios de Campo na Identificação de Solos Colapsíveis João Barbosa de Souza Neto Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF) Fortaleza, novembro / 13 Apoios: Grupo GEGEP UFPE

Leia mais

volt 4625 pendente em alumínio pendente em alumínio e madeira branco pendente em alumínio e madeira branco e madeira branco pendente em alumínio

volt 4625 pendente em alumínio pendente em alumínio e madeira branco pendente em alumínio e madeira branco e madeira branco pendente em alumínio volt 4624 pendente em alumínio e madeira branco 35,5 x 35,5 cm (AxØ) 4626 pendente em alumínio e madeira branco 40 x 25 cm (AxØ) 4628 pendente em alumínio e madeira branco 31 x 33,5 cm (AxØ) 4625 pendente

Leia mais

7.0 PERMEABILIDADE DOS SOLOS

7.0 PERMEABILIDADE DOS SOLOS 7.0 PERMEABILIDADE DOS SOLOS 7.1 Introdução A permeabilidade é a propriedade que o solo apresenta de permitir o escoamento da água através s dele. O movimento de água através s de um solo é influenciado

Leia mais

Dimensionamento do Número Mínimo de Furos de uma Campanha de Sondagem

Dimensionamento do Número Mínimo de Furos de uma Campanha de Sondagem Dimensionamento do Número Mínimo de Furos de uma Campanha de Sondagem Nós reconhecemos o perfil do seu terreno. A Versal Engenharia e Consultoria Ltda., através de sua Divisão Geotécnica (DG), oferece

Leia mais

INSTALAÇÃO DO SISTEMA DE EXAUSTÃO DE GASES DO SOLO SOB OS EDIFÍCIOS

INSTALAÇÃO DO SISTEMA DE EXAUSTÃO DE GASES DO SOLO SOB OS EDIFÍCIOS Divisão Técnica Av. Vereador José Diniz, 3725, 7º andar Campo Belo-CEP: 04603-020-São Paulo Telefone 55.11. 4508.77.97 Fac Simile 55.11.4508.77.95 www.weberambiental.com.br Divisão Administrativa Av. Vereador

Leia mais

Considerações sobre a Relevância da Interação Solo-Estrutura em Recalques: Caso de um Prédio na Cidade do Recife

Considerações sobre a Relevância da Interação Solo-Estrutura em Recalques: Caso de um Prédio na Cidade do Recife Considerações sobre a Relevância da Interação Solo-Estrutura em Recalques: Caso de um Prédio na Cidade do Recife Raquel Cristina Borges Lopes de Albuquerque Escola Politécnica, Universidade de Pernambuco,

Leia mais

Mecânica dos Solos 1

Mecânica dos Solos 1 Mecânica dos Solos 1 Aula 1 Origem e Formação dos Solos 2º semestre/2012 Bibliografia CAPUTO, H. P. Mecânica dos Solos e suas Aplicações. Volumes 1 (1996), 2 (1995) e 3 (1994). Editora: LTC. PINTO, C.

Leia mais

Análise de Estabilidade de uma Contenção em Concreto Armado

Análise de Estabilidade de uma Contenção em Concreto Armado Análise de Estabilidade de uma Contenção em Concreto Armado Juceline Batista dos Santos Bastos Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, Brasil, jucelinebatista@det.ufc.br Teresa Raquel Lima Farias Instituto

Leia mais

laboratório de jogos da mind lab

laboratório de jogos da mind lab 590.54 laboratório de jogos da mind lab Kit Ciclo Interdisciplinar Escola Pública 205 Guia de Orientações Fundamental - 4º ao 6º ano À Direção e Coordenação da escola Que bom tê-los como parceiros! Vocês

Leia mais

ESTUDO SEDIMENTOLÓGICO-AMBIENTAL DO MUNICÍPIO COSTEIRO DE BARRA DOS COQUEIROS

ESTUDO SEDIMENTOLÓGICO-AMBIENTAL DO MUNICÍPIO COSTEIRO DE BARRA DOS COQUEIROS ESTUDO SEDIMENTOLÓGICO-AMBIENTAL DO MUNICÍPIO COSTEIRO DE BARRA DOS COQUEIROS Aracy Losano Fontes¹; Aracy Losano Fontes Correia²; Neise Mare de Souza Alves³; Débora Barbosa da Silva 4 aracyfontes@yahoo.com.br

Leia mais

1 ATENDENDO AO RAT 414MF1/DEPE(PETP-2)/10 1/9/10 EdMN BBZ WV 0 EMISSÃO INICIAL 12/2/10 EdMN BBZ WV Rev Modificação Data Projetista Desenhista Aprovo

1 ATENDENDO AO RAT 414MF1/DEPE(PETP-2)/10 1/9/10 EdMN BBZ WV 0 EMISSÃO INICIAL 12/2/10 EdMN BBZ WV Rev Modificação Data Projetista Desenhista Aprovo 1 ATENDENDO AO RAT 414MF1/DEPE(PETP-2)/10 1/9/10 EdMN BBZ WV 0 EMISSÃO INICIAL 12/2/10 EdMN BBZ WV Rev Modificação Data Projetista Desenhista Aprovo Coord. de Projeto Autor do Projeto/Resp técnico Co-Autor

Leia mais

TABELA DE PREÇOS OUTUBRO 2010 V. 1

TABELA DE PREÇOS OUTUBRO 2010 V. 1 TABELA DE PREÇOS OUTUBRO 2010 V. 1 CABO VINIL FLEXÍVEL CABOS 0,6/1kV CABO FITER FLEX CABO AFITOX EP90-F 1kV 1 2 4 1,5 1,22 2,597,480 4,568 2,5 1,78,849 5,249 6,86 4 2,584 5,556 7,727 10,167 6,647 7,711

Leia mais

Mapeamento Geotécnico da Cidade de Belém através de um Sistema de Informação Geográfica SIG

Mapeamento Geotécnico da Cidade de Belém através de um Sistema de Informação Geográfica SIG Mapeamento Geotécnico da Cidade de Belém através de um Sistema de Informação Geográfica SIG João Luiz Castro Sampaio Junior Faculdade Ideal, Belém, Brasil, joaoluiz@grupoideal.com.br Carlos Wellington

Leia mais

0 Emissão inicial 19/11/2010 KCAR/SMMF 19/11/2010 AQ N DISCRIMINAÇÃO DAS REVISÕES DATA CONFERIDO DATA APROVAÇÃO

0 Emissão inicial 19/11/2010 KCAR/SMMF 19/11/2010 AQ N DISCRIMINAÇÃO DAS REVISÕES DATA CONFERIDO DATA APROVAÇÃO 0 Emissão inicial 19/11/2010 KCAR/SMMF 19/11/2010 AQ N DISCRIMINAÇÃO DAS REVISÕES DATA CONFERIDO DATA APROVAÇÃO APROVAÇÃO ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A. DATA: MARTE ENGENHARIA RESP.TÉC. Nº CREA CSF

Leia mais