2.4- Eventos Externos - Cursos de Extensão, participação em Congressos, Jornadas, Seminários...

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "2.4- Eventos Externos - Cursos de Extensão, participação em Congressos, Jornadas, Seminários..."

Transcrição

1 1- OBJETIVO 1.1- Capacitar os funcionários, estagiários e serviços integrados do Sistema de Saúde Mãe de Deus para o exercício profissional, em nível de excelência, voltados para as estratégias do negócio; 1.2- Definir critérios para subsídios e liberação de horários para participação em eventos, congressos, cursos de extensão e pós-graduação: especialização, mestrado e residências, aos funcionários estagiários e serviços integrados do Sistema de Saúde Mãe de Deus. 2- DEFINIÇÕES 2.1- Matriz de Desenvolvimento É o conjunto de todos treinamentos programados nas linhas de desenvolvimento: Institucionais - Treinamentos obrigatórios que visam o desenvolvimento das competências institucionais alinhadas às estratégias e sustentação do negócio Mãe de Deus (Liderança em Soluções de Saúde, Foco do Cliente, Gestão Médico-Assistencial, Responsabilidade Social e Foco no Resultado). Específico- Técnico - corresponde à capacitação técnica para o perfil de cada função. Autodesenvolvimento - Cursos que têm como objetivo despertar nos profissionais o interesse para o aprendizado e a responsabilidade por seu processo de desenvolvimento pessoal e profissional. Está linha de desenvolvimento, não obrigatória, tem como premissa que a participação seja fora do horário de trabalho Cursos de Formação Treinamentos relacionados com o trabalho/atividade do funcionário, com liberação de carga horária ou subsídio da instituição, desenvolvendo as pessoas diretas ou indiretamente, assegurando a visibilidade de evidência de melhoria/inovação de processos e indicadores de desempenho. A carga horária dos cursos: EJA; Técnicos; Curso superior-graduação; Pós-Graduação:especializações, mestrados, doutorados; efetuadas pelos funcionários são registradas mês a mês durante o período curso Eventos Internos Científicos / Culturais São encontros pontuais com temas específicos que tem o objetivo de ampliar a visão de mundo (conhecer novos cenários), do negócio saúde, de mercado e de carreira. Exemplos: ETHOS, Ciclo de Palestras, Encontros com a Diretoria, Programa Compartilhar, Round das Especialidades com o propósito de discussão de casos, Cursos de Atualização, Workshops, Jornadas, Seminários e Simpósios realizados no CCCMD Eventos Externos - Cursos de Extensão, participação em Congressos, Jornadas, Seminários... São eventos com liberação de carga horária ou subsídio da instituição,

2 2.5- Visitas de Bechmarking Visitas estruturadas, que tenham como objetivo conhecer as melhores práticas do mercado, potencialmente aplicáveis, visando a melhoria de resultados institucionais. 3- NORMA 3.1- Para fins de registro do indicador Homem/Hora/Treinamento (HHT), somente serão consideradas as horas de treinamento dos funcionários ativos com vínculo empregatício com o HMD e das Irmãs da congregação Para fins de registros dos demais indicadores (participantes, participações, cursos) serão contabilizados todos os lançamentos (funcionários, estagiários e serviços integrados do Sistema de Saúde Mãe de Deus e comunidade) Registro de Freqüência Deve ser preenchido sempre o registro de frequência (anexo 1) ou o Livro de presença da UCMD (livro laranja) com letra legível colocando o nome completo e o número da matrícula; Todos os registros de frequência devem ser entregues até o dia 25 de cada mês, para serem computados no mês vigente no indicador de Homem/Hora/Treinamento. Os registros entregues fora do prazo serão lançados no próximo período; As horas das visitas de benchmarking serão consideradas HHT a partir da entrega do relatório da visita à UCMD, até o dia 25 do mês corrente à data do evento, conforme anexo Para que seja realizado o lançamento do registro de freqüência, todos os campos devem ser preenchidos corretamente: nome completo do curso/treinamento, data, carga horária e multiplicador do conhecimento; 3.3- Solicitação de Desenvolvimento para Subsídio em Cursos de Extensão, Eventos e Congressos A Definição da necessidade de treinamento/desenvolvimento deve ser planejada, no Levantamento de Necessidades de Treinamento da área, com base na avaliação de desempenho, novas estratégias e indicadores da área, desde que alinhados com o orçamento da UCMD O Gestor deve: Preencher a Solicitação de Desenvolvimento (Anexo 3), com justificativa da escolha do curso e do investimento no funcionário; Anexar o folder do curso ou impressão da internet, especificando: o conteúdo programático, carga horária, local e investimento; Entregar a Solicitação de Desenvolvimento devidamente assinada pelo solicitante e pelo Gestor da área, com no mínimo, 10 dias úteis, antes da data do evento para a UCMD analisar o pedido e verificar a possibilidade de orçamento.

3 Obs: É importante observar os prazos de inscrição com descontos. A partir da tomada de decisão de participação, a solicitação deve ser encaminhada com o máximo de antecedência para adquirirmos os descontos oferecidos O Gestor da área é o responsável pela indicação da participação do funcionário no curso solicitado; Após a certificação, o funcionário deverá apresentar o comprovante de participação com a carga horária do evento para fins de registro no indicador de hora homem treinamento; O participante deve entregar a cópia do material recebido no curso, caso não tenha produzir o conteúdo em power point ou em artigo (word), para o núcleo de desenvolvimento interno da UCMD, no máximo 15 dias após o retorno do evento, para possibilitar a disseminação do conhecimento adquirido A disseminação do conhecimento será obrigatória, no prazo de máximo de 30 dias, podendo ser realizado na forma de discussão de caso, treinamento, etc. Deve ser preenchido o programa do curso (Anexo 4) e enviado anexo ao registro de freqüência A entrega dos materiais, bem como, a disseminação do conhecimento é prérequisito para participação em outro evento. No caso de não disseminação do conhecimento, o participante estará vetado de participação em outro evento pelo prazo de dois (02) anos. A comprovação da disseminação do conhecimento deve ser realizada através do registro de frequência assinado pelos participantes, num evento onde o participante que participou do curso será o multiplicador do conhecimento adquirido; Critérios para Solicitação Para o participante solicitar subsídio deve estar enquadrado nos seguintes critérios: Funcionário efetivo com no mínimo, 01 ano de empresa, no caso de subsídio para cursos de formação e de 06 meses para participação em eventos ou cursos específicos O curso deve estar alinhado com as metas do Planejamento Estratégico do Hospital, apresentar proposta para aplicabilidade do conteúdo na instituição O subsídio deve ser fornecido somente para cursos compatíveis com as atividades dos funcionários e de interesse e aplicação direta, assegurando a visibilidade de evidência de: melhoria, implantação ou manutenção de processo Aprovação A aprovação será efetivada pela UCMD que irá analisar se a solicitação está compatível com o LNT da área, o planejamento estratégico e orçamento disponível Em caso de eventos que necessitem de passagem e hospedagem a análise e aprovação se dará pela diretoria.

4 Políticas de Subsídio A partir da concessão de % de subsídio, o funcionário receberá o boleto bancário correspondente ao valor de sua responsabilidade financeira, podendo parcelar e comprometendo no máximo 10% do salário base. A Parcela mínima deve ser de R$ 50,00 (cinquenta reais) Solicitação de Desenvolvimento para Subsídio para Formação A Definição da necessidade de formação deve ser planejada, no Levantamento de Necessidades de Treinamento da área, com base na avaliação de desempenho, novas estratégias e indicadores da área, desde que alinhados com o orçamento da UCMD As vagas para subsídio devem ser disponibilizadas conforme o orçamento anual; O processo seletivo deve ser realizado através de edital público com critérios específicos; O Gestor deve: Preencher a Solicitação de Desenvolvimento, conforme o nível de formação desejado, com a justificativa da escolha do curso e do investimento no funcionário. Anexar o folder do curso ou impressão da internet, especificando: conteúdo programático, carga horária, local e investimento O Gestor da área é o responsável pela indicação da participação do funcionário no curso solicitado; O curso deve estar alinhado com as metas do Planejamento Estratégico do Hospital; O subsídio deve ser fornecido somente para cursos compatíveis com as atividades dos funcionários e de interesse e aplicação direta, assegurando a visibilidade de evidência de: melhoria, implantação ou manutenção de processo Critérios para Participação do Processo Seletivo Para poder participar do processo seletivo o funcionário deve estar enquadrado nos seguintes critérios: Funcionário efetivo, com no mínimo 1 ano de empresa, até o início do curso; Ter Participação em no mínimo 75% nos programas de treinamentos institucionais; Não pode ter absenteísmo superior a média anual da sua área e não ter advertência ou suspensão no último ano (apenas para o EJA e Técnico); Comprometer no máximo 20% (vinte por cento) da sua remuneração com os custos do curso: parte não subsidiada da mensalidade, transporte, alimentação, etc;

5 Apresentação de pré-projeto (anexo 5) de monografia/dissertação (conforme orientações do edital) no qual o candidato deve demonstrar a relevante relação entre seu projeto e as competências estratégicas do Sistema de Saúde Mãe de Deus, demonstrando de forma objetiva que atividades ou projeto o candidato poderá desenvolver durante ou após realização do programa de especialização/mestrado/doutorado, e ainda, o retorno esperado para o Sistema de Saúde Mãe de Deus; Aprovação EJA, Técnico e Graduação/Tecnólogo: aprovação nas etapas do processo seletivo conforme edital; Pós - graduação: a aprovação se dá mediante consenso da banca examinadora Políticas de Subsídio Pagamento da Matrícula ou Mensalidade de Cursos de Supletivo, Técnicos, Graduação e Pós-Graduação, prioritariamente o percentual concedido pelo Mãe de Deus deverá ser pago direto para a Instituição Concedente. Caso contrário, o funcionário deve efetuar o pagamento e trazer o comprovante para a UCMD efetuar o ressarcimento com depósito em conta bancária Todo o funcionário que receber o subsídio, deverá assinar um Termo Aditivo ao Contrato de Trabalho (Anexo 6), assumindo o compromisso de permanecer na instituição durante 1 ano após o término do curso. No caso de pedido de demissão até 1 ano de encerramento do curso ou desistência durante o andamento, deverá ressarcir o valor subsidiado à Instituição Caso o funcionário venha desistir do curso em que está recebendo subsídio, a sua participação nos próximos editais, deverá ser avaliada pelo Gestor da UCMD O subsídio não inclui valores referentes ao pagamento de material didático, taxas ou juros pagos pelos atrasos; O funcionário deverá alcançar no mínimo 75% de presença, e terá de comprovar (com documento oficial da Instituição) a conclusão e aprovação em todas as disciplinas cursadas no semestre vigente para dar continuidade ao subsídio no semestre seguinte. Caso o funcionário não apresente a comprovação ou seja reprovado em alguma disciplina, não terá mais direito ao subsídio. No caso de graduação e tecnólogo, o funcionário deverá cursar no mínimo 16 créditos a cada semestre Caso o funcionário venha trancar o curso e não retorne no prazo de 6 meses, deverá ressarcir o Hospital e este perderá o direito a bolsa do subsídio. Podendo voltar a concorrer ao subsídio em outros processos seletivos. De acordo com a legislação, somente serão

6 liberados da obrigatoriedade dos itens e , se houver comprovação de situação de risco durante gestação ou por doença infecto-contagiosa O funcionário/aluno que receber subsídio para graduação, tecnólogo e pós-graduação, ficará comprometido de apresentar seu trabalho de finalização do curso no Fórum Científico anual organizado pela UCMD, após o termino do seu curso. E deverá entregar uma cópia em CD e a autorização de publicação (Anexo 8) como fonte de pesquisa no arquivo da biblioteca e nos meios de comunicação utilizados pela UCMD Percentual de Subsídios Cursos de Formação: Técnico de Enfermagem e EJA - Educação de Jovens e Adultos (Supletivo de 1º e 2º Grau) Serão concedidas bolsas de 50%, por ano, sendo analisada, anualmente, o número de vagas conforme orçamento do ano. Graduação/Tecnólogo A partir de 2011 a UCMD concederá bolsas para cursos da Escola Superior de Saúde UNISINOS, a cada semestre por meio de edital serão publicadas informações como cursos oferecidos e número de vagas. Após obter aprovação no vestibular o funcionário/aluno concorrerá, de acordo com a sua classificação, a bolsas de 50%. Pós-Graduação Serão concedidas bolsas de 50%, por ano, sendo analisada anualmente o número de vagas conforme orçamento do ano. Serão concedidas, bolsas de subsídio para os cursos de especialização, mestrado e doutorado promovidos pela UCMD, pelos parceiros ou pelo mercado acadêmico. Cursos Complementares Cursos de Extensão promovidos pela UCMD Para funcionários, estagiários e dos serviços integrados do SSMD o subsídio é de 50% do valor do curso, podendo ser parcelado, conforme definição de cada curso. O pagamento será por meio de boleto bancário emitido pela UCMD. Cursos, Congressos, participação em eventos científicos: O % pago pelo funcionário poderá ser parcelado, desde que o valor da parcela seja igual ou superior a R$50,00, o pagamento será por boleto bancário emitido pela UCMD.

7 Mestrado e Doutorado O % de subsídio será definido conforme modalidade de participação abaixo: Com apresentação de trabalho Sem apresentação de trabalho 100% HMD 80% HMD 20% funcionário Liberação de Carga Horária Os funcionários, matriculados no curso como aluno regular, têm liberação de um turno de trabalho semanal, não acumulativo, para realizar atividades do curso. Caso necessite de outro período deverá entrar em acordo com seu gestor para negociar a compensação de horas. O Gestor deve lançar a ausência do funcionário no ponto, escolhendo a opção Em curso e especificando a atividade mestrado ou doutorado Convite para participação como palestrante em outras Instituições: Apresentar o convite expresso em carta para a UCMD; Quando houver pagamento parcial das despesas (passagens, alimentação, hospedagem) por parte de quem efetivou o convite, o HMD pagará integralmente a complementação das despesas (100%) quando o valor não ultrapassar R$500, Viagens para Cursos Conforme Norma nº 0101 Política de Viagens do Hospital Mãe de Deus Solicitação de compra de passagens e reservas em hotéis A UCMD deve informar por o retorno da solicitação de desenvolvimento, quanto ao pedido de inscrição, após o retorno o funcionário deve solicitar a compra da passagem, hospedagem e adiantamento na ferramenta de solicitação de viagem na intranet. A secretaria da Diretoria, encarregada dessa atividade deve consultar os agentes de viagens e/ou as redes conveniadas para identificar os melhores preços e as melhores condições, considerando o valor das passagens, a localização mais adequada dos hotéis, o valor da hospedagem e de deslocamentos Políticas de Despesas Conforme norma nº 0101 Política de Viagens do Hospital Mãe de Deus Pagamento de Facilitadores Quando o funcionário do HMD desempenhar o papel de facilitador ou de coordenador de cursos de extensão e pós-graduação

8 promovidos pela UCMD, deve receber o valor-hora definido pela UCMD, recebendo conforme o nº de horas aula realizada. Quando os cursos forem promovidos em parceria com instituições acadêmicas, o facilitador receberá os valores de hora aula, diretamente do parceiro acadêmico; No caso do coordenador dos cursos promovidos pela UCMD, o seu pagamento será de 10% do resultado positivo do curso; O pagamento deve ser realizado via folha de pagamento, após a realização do balancete do curso Responsabilidades Docente/Facilitador Elaborar o programa do curso (Anexo 4); Preencher formulário da ementa do curso (Anexo 7); Disponibilizar para a UCMD o conteúdo da aula (pdf, power point, etc); Solicitar material necessário para a aula com 7 dias úteis de antecedência; Estar disponível no local com no mínimo 20 minutos de antecedência; Responsabilizar-se pelos recursos físicos e tecnológicos da sala de aula e conservação do ambiente; Responsabilizar-se por abrir e fechar a sala e pelo manuseio dos equipamentos; Estar habilitado a operar os equipamentos (projetor, computador,...); Responsável pelo registro de participação dos alunos no evento, no registro de frequência, bem como a entrega do mesmo na UCMD; Elaborar, aplicar e corrigir a avaliação dos alunos, e entregar na UCMD Coordenador: Planejar, organizar, supervisionar e avaliar a execução das atividades do curso sob sua responsabilidade, em articulação com o corpo docente e a coordenação geral; Encaminhar, o programa do curso com respectivo cronograma; deve ser informado a UCMD, com a máxima antecedência, no caso de qualquer alteração;

9 Contatar com o docente, 7 dias antes do início do módulo/disciplina, a fim de comunicá-lo de todas as informações necessária para o bom andamento das aulas; Reservar, com uma semana de antecedência, equipamentos, conforme solicitado pelo docente; Providenciar material didático enviado pelo docente; Providenciar e acompanhar o registro de freqüência do curso; Acompanhar índice de freqüência e notas dos alunos; Manter a página do curso atualizada na Internet (cronograma, material das disciplinas, eventos entre outros) Monitor de curso de Extensão e Especialização: O monitor deve ter 100% de frequência na disciplina ou delegar suas funções para outro colega. Antes do início do curso Retirar o material do curso no local e horário combinado com o coordenador. Abertura da sala do curso Abrir a sala do curso com antecedência mínima de 30 minutos; Para garantir a segurança dos equipamentos e materiais presentes na sala, ficará responsável pela chave, buscandoa e devolvendo-a no setor de segurança do HMD; Antes de fechar a sala, cuidar para que todos os equipamentos estejam desligados. Equipamentos e materiais: Conferir se a sala está arrumada e se os equipamentos solicitados pelo(s) docente(s), bem como canetas e apagador, estão disponíveis na UCMD. Durante o período do curso Solicitar aos participantes que assinem o registro de frequência em todos os encontros. Dar apoio sempre que necessário ao docente do curso. Caso seja necessário alterar datas ou horários do curso, combinar com o coordenador antes de confirmar com os participantes, para que se verifique a disponibilidade de sala, bem como se prepare a infraestrutura necessária (coffeebreak, limpeza, segurança, etc.).

10 Material para reprodução Lembrar ao docente que qualquer material para reprodução deverá ser encaminhado com 48 horas de antecedência, e deverá estar previsto no orçamento do curso. Entregar os originais na UCMD ou enviar por , retirar o material reproduzido na data combinada. Caso sejam necessárias cópias de urgência, consultar o coordenador. Coffee-break Se houver coffee-break, controlar para que seja servido no local adequado e no horário solicitado; No final do curso Solicitar ao docente que aplique a avaliação de satisfação do curso. Após o término do curso No máximo dois dias depois de terminado do curso, devolver na UCMD: o registro de freqüência, avaliação de satisfação e materiais não utilizados Participação dos funcionários do HMD nos treinamentos da Matriz de Desenvolvimento Treinamentos Institucionais Os Treinamentos Institucionais são obrigatórios para todos os funcionários e estagiários da Instituição. A participação nos treinamentos Institucionais deve ser no horário de trabalho do funcionário. Caso a participação seja fora do expediente, a carga horária do treinamento será computada como banco de horas. Integração A integração do novo funcionário é obrigatória e deve ser realizada antes do seu ingresso na área. O não comparecimento deverá ser justificado a UCMD, pelo pelo gestor e este se responsabilizará pela participação na próxima data programada Treinamentos Específico Técnico Estes treinamentos também poderão ser realizados em sala de aula ou na modalidade treinamento em serviço Autodesenvolvimento Por se tratar de cursos opcionais, não obrigatórios, a participação deverá ocorrer fora do horário de trabalho, não sendo contabilizadas as horas do treinamento como banco de horas.

11 Cursos em e-learning Os cursos em e-learning, seguem as mesmas regras de participação, ou seja, serão oferecidos por linhas de desenvolvimento (institucional, técnico-específico e autodesenvolvimento); Os funcionários poderão participar, conforme o seu interesse, todos os cursos ofertados em e-learning, porém terão como prérequisito a conclusão do curso vigente para uma nova inscrição. 4- EFEITOS DO NÃO CUMPRIMENTO DA NORMA Quando não cumprida a norma de política de desenvolvimento da UCMD, o funcionário perderá o direito ao o subsidio ou será suspenso, de acordo com os critérios estabelecidos em cada categoria. 5- CONTROLES 5.1- Indicador Homem/Hora/Treinamento (HHT) Esse indicador corresponde a meta mensal de 3,5 HHT, totalizando a média de 10,5 horas de treinamento por funcionário no trimestre Como calcula - se o HHT HHT = número de horas de treinamento realizadas por funcionário/irmãs em relação ao total de funcionários/irmãs ativos. Fórmula HHT: Nº Participantes X Carga horária do curso / Nº funcionários/irmãs ativos Definição de Funcionários ativos = número de funcionários ativos no último dia do mês, excluindo os afastados após quinze dias e as licenças gestante. Férias não são consideradas afastamento O controle do orçamento, das inscrições e participações são realizadas em uma planilha sob responsabilidade da equipe da Universidade Corporativa. Nessas planilhas registra-se o controle de participações, subsídios, bem como os resultados dos indicadores e disseminação do conhecimento. 6- AÇÕES DE CONTRAMEDIDA Não se Aplica 7- ATUALIZAÇÃO DA VERSÃO Aprovação Diretoria Gerência Comitê de Processos Editado por: Revisado por: Data revisão:

DOCUMENTO NORTEADOR PARA O ESTÁGIO SUPERVISIONADO

DOCUMENTO NORTEADOR PARA O ESTÁGIO SUPERVISIONADO GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO PROJETO ALUNO EMPREENDEDOR DOCUMENTO NORTEADOR PARA O ESTÁGIO SUPERVISIONADO São Paulo 2015 PROJETO ALUNO EMPREENDEDOR DOCUMENTO NORTEADOR

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. Departamento Regional de São Paulo. Escola SENAI Hessel Horácio Cherkassky

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. Departamento Regional de São Paulo. Escola SENAI Hessel Horácio Cherkassky SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL Departamento Regional de São Paulo GUIA DE REFERÊNCIA RÁPIDA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO GUIA DO ALUNO Cubatão SP SUMÁRIO página 1. O QUE É ESTÁGIO SUPERVISIONADO?

Leia mais

www.queroserprofessor.

www.queroserprofessor. www.queroserprofessor. Documento Revisado em março de 2011 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. O QUE É A MONITORIA? 3. OBJETIVOS DA MONITORIA 4. CONDIÇÕES PARA PARTICIPAR DA MONITORIA 5. INSCRIÇÃO 6. ATRIBUIÇÕES

Leia mais

Manual de Estágio Supervisionado

Manual de Estágio Supervisionado NEP Manual de Estágio Supervisionado Sumário Apresentação.................................................................... 3 Considerações Iniciais............................................................

Leia mais

PROGRAMA DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIC/PIBITI/UniCEUB EDITAL DE 2016

PROGRAMA DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIC/PIBITI/UniCEUB EDITAL DE 2016 PROGRAMA DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIC/PIBITI/UniCEUB EDITAL DE 2016 O reitor do Centro Universitário de Brasília UniCEUB, no uso de suas atribuições legais e estatutárias,

Leia mais

Universidade Federal de Itajubá Pró Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação Diretoria de Pesquisa e Pós Graduação (DPPG) Campus de Itabira

Universidade Federal de Itajubá Pró Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação Diretoria de Pesquisa e Pós Graduação (DPPG) Campus de Itabira Universidade Federal de Itajubá Pró Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação Diretoria de Pesquisa e Pós Graduação (DPPG) Campus de Itabira EDITAL Nº 006/2016 Campus Itabira PIBIC/PIBITI CNPq, PIVIC Unifei

Leia mais

Decreto Nº 13.840 de 21/09/2009

Decreto Nº 13.840 de 21/09/2009 Decreto Nº 13.840 de 21/09/2009 Dispõe sobre estágios no âmbito da Administração Pública Direta e Indireta do Estado do Piauí para estudantes regularmente matriculados e com frequência efetiva, vinculados

Leia mais

REGULAMENTO PARA A REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

REGULAMENTO PARA A REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO CAMPUS DE GUANAMBI Distrito de Ceraíma, s/n - Zona Rural - Cx Postal

Leia mais

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA VOLUNTÁRIA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO Campus Campinas

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA VOLUNTÁRIA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO Campus Campinas PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA VOLUNTÁRIA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO Campus Campinas EDITAL N O 12, DE 23 DE ABRIL DE 2015 O Diretor Geral do Campus Campinas

Leia mais

Código: MAN-ESJUD-001 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013

Código: MAN-ESJUD-001 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013 Código: MAN-ESJUD-001 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013 Elaborado por: Gerências da ESJUD Aprovado por: Escola do Poder Judiciário 1 OBJETIVO Estabelecer as diretrizes que norteiam a capacitação no

Leia mais

BACHARELADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS

BACHARELADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS BACHARELADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS Manual de Estágio Osasco 2014 O que é o Estágio? "Estágio é o ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o

Leia mais

EDITAL Nº 02/2015 - CONSEPE

EDITAL Nº 02/2015 - CONSEPE EDITAL Nº 02/2015 - CONSEPE A Direção da Faculdade Herrero torna públicos os procedimentos e normas para inscrição e seleção de Monitores 2015/1. Este Edital está em conformidade com a RESOLUÇÃO Nº 11/2010

Leia mais

FACULDADE METROPOLITANA DA GRANDE FORTALEZA FAMETRO PROGRAMA DE MONITORIA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL Nº 007/2015 DA

FACULDADE METROPOLITANA DA GRANDE FORTALEZA FAMETRO PROGRAMA DE MONITORIA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL Nº 007/2015 DA FAMETRO PROGRAMA DE MONITORIA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL Nº 007/2015 DA A Direção Acadêmica torna pública a inscrição para docentes e estudantes da Faculdade Metropolitana da Grande Fortaleza FAMETRO,

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS POLÍTICA DE TREINAMENTO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS POLÍTICA DE TREINAMENTO 2/08/203 Recursos. INTRODUÇÃO A Política de Treinamento tem por objetivo estabelecer critérios para o tratamento das solicitações de Capacitação, Desenvolvimento, Cursos Intensivos, Seminários, Palestras,

Leia mais

Programa NOSSABOLSA. Manual. Procedimentos

Programa NOSSABOLSA. Manual. Procedimentos Programa NOSSABOLSA Manual de Procedimentos Instituições de Ensino Superior - IES - 1 1 - Adesão da Mantenedora ao Programa...4 1.1 - Informações preliminares...4 1.2 - Requerimento...4 1.2.1 - Para aderir

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE-FURG PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE-FURG PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE-FURG PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO Av. Itália, Km8 Campus Carreiros Rio Grande, RS Brasil 96201-900 fone: 53.32336772 e-mail:prograd@furg.br

Leia mais

GUIA DE ESTÁGIO CURSOS TECNOLÓGICOS

GUIA DE ESTÁGIO CURSOS TECNOLÓGICOS GUIA DE ESTÁGIO CURSOS TECNOLÓGICOS 1 SUMÁRIO 3 INTRODUÇÃO 4 DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO 6 RESCISÃO DO CONTRATO DE ESTÁGIO 7 CONCLUSÃO DE CURSO 7 RELATÓRIO TÉCNICO 8 AVALIAÇÃO DE

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE RESOLUÇÃO CONSUN Nº 009/2012

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE RESOLUÇÃO CONSUN Nº 009/2012 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE RESOLUÇÃO CONSUN Nº 009/2012 Regulamenta o Programa de Monitoria da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul. Alterada pela

Leia mais

EDITAL N.º 43/2014 EDITAL DE RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA DE 2015-1

EDITAL N.º 43/2014 EDITAL DE RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA DE 2015-1 EDITAL N.º 43/2014 EDITAL DE RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA DE 2015-1 DIVULGA O PRAZO DE RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA E DE OUTROS PROCEDIMENTOS ACADÊMICOS REFERENTES AO 2º SEMESTRE DE 2014 E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

EDITAL Nº. 41/2015. Programa Institucional de Iniciação Científica para o Ensino Médio - IC/EM. Bolsas de Iniciação Científica Ensino Médio

EDITAL Nº. 41/2015. Programa Institucional de Iniciação Científica para o Ensino Médio - IC/EM. Bolsas de Iniciação Científica Ensino Médio EDITAL Nº. 41/2015 Programa Institucional de Iniciação Científica para o Ensino Médio - IC/EM Bolsas de Iniciação Científica Ensino Médio A Universidade Católica de Santos, por meio da Pró-Reitoria de

Leia mais

MANUAL DO SUPERVISOR DE ESTAGIÁRIO

MANUAL DO SUPERVISOR DE ESTAGIÁRIO MANUAL DO SUPERVISOR DE ESTAGIÁRIO Rua Dr. Alberto Ferreira, 179 - Centro - 13480-074 - Limeira/SP - (19) 3404.9634 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO:... 4 2. PERGUNTAS E RESPOSTAS:... 4 1. O que é estágio?... 4

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS EDUCACIONAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS EDUCACIONAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS EDUCACIONAIS EDITAL Nº 001/14 PROEN/DE, de 17 de fevereiro de 2014. PROGRAMA

Leia mais

Educa Mais Brasil REGULAMENTO

Educa Mais Brasil REGULAMENTO Educa Mais Brasil REGULAMENTO 2015 Regulamento do Programa EDUCA MAIS BRASIL I DO PROGRAMA Art. 1.º - O Programa EDUCA MAIS BRASIL é um programa de INCLUSÃO EDUCACIONAL e tem por objetivos: I estimular

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EDITAL DE INCENTIVO AO ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO NA MODALIDADE A DISTÂNCIA PROJETO

Leia mais

CHAMADA N 001/ 2012 - DPG-CEFET/MG PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO DE SERVIDORES

CHAMADA N 001/ 2012 - DPG-CEFET/MG PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO DE SERVIDORES CHAMADA N 001/ 2012 - DPG-CEFET/MG PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO DE SERVIDORES O CEFET-MG, por meio da Diretoria de Planejamento e Gestão e da Coordenação Geral de Desenvolvimento

Leia mais

Pagamento de apenas 50% do valor da mensalidade durante o curso;

Pagamento de apenas 50% do valor da mensalidade durante o curso; CRÉDITO ESTUDANTIL DO IESB CredIES IESB MANUAL DO ALUNO O que é o CredIES do IESB? É um crédito estudantil rotativo, financiado por verbas orçamentárias próprias do IESB que possibilita, ao aluno regularmente

Leia mais

MANUAL DE SUPERVISÃO DE ESTÁGIO

MANUAL DE SUPERVISÃO DE ESTÁGIO UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Centro de Comunicação e Letras Disciplina Supervisão de Estágios MANUAL DE SUPERVISÃO DE ESTÁGIO Curso de Propaganda e Publicidade SÃO PAULO 2013 MANUAL DE SUPERVISÃO

Leia mais

das demais previsões relativas ao estágio previstas no Projeto Pedagógico do Curso, no Regimento Interno e na Legislação.

das demais previsões relativas ao estágio previstas no Projeto Pedagógico do Curso, no Regimento Interno e na Legislação. DIRETRIZES E NORMAS PARA O ESTÁGIO NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE REDENTOR DE PARAÍBA DO SUL DOS OBJETIVOS Art. 1 O Sistema de Estágio da FACULDADE REDENTOR DE PARAÍBA DO SUL terá por objetivos gerais:

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PLANEJAMENTO E USO DE RECURSOS RENOVÁVEIS PPGPUR

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PLANEJAMENTO E USO DE RECURSOS RENOVÁVEIS PPGPUR REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PLANEJAMENTO E USO DE RECURSOS RENOVÁVEIS PPGPUR I - DA PÓS-GRADUAÇÃO EM PLANEJAMENTO E USO DE RECURSOS RENOVÁVEIS E SEUS OBJETIVOS ART. 1 - A Pós-Graduação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO-BRASILEIRA - UNILAB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO-BRASILEIRA - UNILAB RESOLUÇÃO N 030/2013, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2013. Normatiza os procedimentos relativos à matrícula de estudantes dos cursos de graduação da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Contábeis e Atuariais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Contábeis e Atuariais EDITAL PARA O PROCESSO SELETIVO 2º/2016 Coordenadora: Profa. Dra. Neusa Maria Bastos F. Santos Estarão abertas, no período de 11/04/2016 a 29/04/2016, as inscrições para o processo seletivo destinado ao

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 396, DE 02 DE OUTUBRO DE 2014.

RESOLUÇÃO Nº 396, DE 02 DE OUTUBRO DE 2014. RESOLUÇÃO Nº 396, DE 02 DE OUTUBRO DE 2014. O PRESIDENTE DO CONSELHO DE CÂMPUS DO CÂMPUS DO PANTANAL, da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, no uso de suas atribuições legais, e Considerando

Leia mais

Edital 002/16 EDITAL DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, PLANEJAMENTO E GESTÃO GOVERNAMENTAL. Turma 2016-18

Edital 002/16 EDITAL DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, PLANEJAMENTO E GESTÃO GOVERNAMENTAL. Turma 2016-18 Edital 002/16 EDITAL DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, PLANEJAMENTO E GESTÃO GOVERNAMENTAL. Turma 2016-18 O Presidente da Fundação João Pinheiro, no uso da atribuição que lhe confere

Leia mais

UNIVERSIDADE METROPOLITANA DE SANTOS CAMPUS BANDEIRANTE I, II, III E IV

UNIVERSIDADE METROPOLITANA DE SANTOS CAMPUS BANDEIRANTE I, II, III E IV REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDOS A Reitora da Universidade Metropolitana de Santos, no uso de suas atribuições e cumprindo o que estabelece a Portaria MEC n 2, de 01 de fevereiro de 2012 e

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO

ESTÁGIO SUPERVISIONADO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Escopo O estágio supervisionado visa proporcionar ao aluno experiência prática pré-profissional em empresas privadas e públicas colocando-o em contato com a realidade das indústrias

Leia mais

FACULDADE CATÓLICA DE UBERLÂNDIA COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO PÓS - GRADUAÇÃO LATO SENSU

FACULDADE CATÓLICA DE UBERLÂNDIA COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO PÓS - GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE CATÓLICA DE UBERLÂNDIA COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO PÓS - GRADUAÇÃO LATO SENSU Sobre normas gerais Art.1º- Os cursos de especialização lato sensu, oferecidos pela Faculdade Católica

Leia mais

Politíca de Bolsas (mar. 2015) Mestrado em Geografia PPGG/UNICENTRO. Prof. Dr. Leandro Redin Vestena Coordenador

Politíca de Bolsas (mar. 2015) Mestrado em Geografia PPGG/UNICENTRO. Prof. Dr. Leandro Redin Vestena Coordenador Politíca de Bolsas (mar. 2015) Mestrado em Geografia PPGG/UNICENTRO Prof. Dr. Leandro Redin Vestena Coordenador PPGG www2.unicentro.br/ppgg Toda a regulamentação necessária aos discentes, encontra-se disponível

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CATARINENSE CAMPUS CONCÓRDIA Coordenação Geral de Integração Escola Comunidade - CGIEC REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS

Leia mais

ALTERADA PELAS RESOLUÇÕES CS 14/2014 E CS 25/2015 RESOLUÇÃO DO CONSELHO SUPERIOR Nº 38/2013, DE 1º DE OUTUBRO DE 2013

ALTERADA PELAS RESOLUÇÕES CS 14/2014 E CS 25/2015 RESOLUÇÃO DO CONSELHO SUPERIOR Nº 38/2013, DE 1º DE OUTUBRO DE 2013 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CONSELHO SUPERIOR Avenida Rio Branco, 50 Santa Lúcia 29056-255 Vitória ES 27 3227-5564 3235-1741 ramal 2003 ALTERADA PELAS RESOLUÇÕES CS 14/2014

Leia mais

EDITAL PARA MONITORIA PERÍODO DE MARÇO DE 2015 A JULHO DE 2015

EDITAL PARA MONITORIA PERÍODO DE MARÇO DE 2015 A JULHO DE 2015 EDITAL PARA MONITORIA PERÍODO DE MARÇO DE 2015 A JULHO DE 2015 A pró-reitora do UniCEUB, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, torna público que as inscrições para o concurso interno de monitoria

Leia mais

AUDITORIA E GESTÃO AMBIENTAL

AUDITORIA E GESTÃO AMBIENTAL FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS - UFT PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO MBA EM PERICIA, AUDITORIA E GESTÃO AMBIENTAL EDITAL nº 1/2014 PROCESSO DE SELEÇÃO A Fundação Universidade Federal

Leia mais

Anexo Docente 1 PROJETO DE MONITORIA. Centro Universitário SENAC: Curso: Bacharelado em Propaganda e Publicidade

Anexo Docente 1 PROJETO DE MONITORIA. Centro Universitário SENAC: Curso: Bacharelado em Propaganda e Publicidade Anexo Docente 1 PROJETO DE MONITORIA Centro Universitário SENAC: Curso: Bacharelado em Propaganda e Publicidade Disciplina: Fotografia Publicitária manhã Código: Professor Responsável: Prof. Dr. Antonio

Leia mais

Manual do Representante

Manual do Representante Manual do Representante Educação As palavras só têm sentido se nos ajudam a ver o mundo melhor. Aprendemos palavras para melhorar os olhos. Há muitas pessoas de visão perfeita que nada veem... O ato de

Leia mais

RESOLUÇÃO CEG nº 12/2008

RESOLUÇÃO CEG nº 12/2008 RESOLUÇÃO CEG nº 12/2008 Normas para o Estágio 1) Considerando a Lei 11.788 de 25 de setembro de 2008, que trata de Estágios de Estudantes; 2) Considerando a não existência de resolução geral que normatize

Leia mais

Regulamento de Estágios ORIENTAÇÕES GERAIS

Regulamento de Estágios ORIENTAÇÕES GERAIS Regulamento de Estágios ORIENTAÇÕES GERAIS Versão 1.0 2015 I. Introdução Consistirá o estágio em um período de trabalho, realizado pelo aluno, sob o controle de uma autoridade docente, em um estabelecimento

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO DECRETO Nº 1950-R de 24 DE OUTUBRO de 2007. Regulamenta a Lei Nº 8263, de 25/01/2006 publicada no Diário Oficial do Estado em 26/01/06, alterada pela Lei n o 8642, publicada no Diário Oficial do Estado

Leia mais

DELIBERAÇÃO CES Nº 130 /2015 De, 10 de junho de 2015.

DELIBERAÇÃO CES Nº 130 /2015 De, 10 de junho de 2015. Secretaria Estadual De Saúde Conselho Estadual De Saúde - RJ DELIBERAÇÃO CES Nº 130 /2015 De, 10 de junho de 2015. APROVA O REGIMENTO IN- TERNO DA 7ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO. O

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO NO INSTITUTO FEDERAL DE RONDÔNIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO NO INSTITUTO FEDERAL DE RONDÔNIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO NO INSTITUTO FEDERAL

Leia mais

EDITAL 019/2015/PROEAC/UNIFAP, 09 de Dezembro de 2015.

EDITAL 019/2015/PROEAC/UNIFAP, 09 de Dezembro de 2015. EDITAL 019/2015/PROEAC/UNIFAP, 09 de Dezembro de 2015. A Pró-Reitoria de Extensão e Ações Comunitárias - PROEAC torna público e convocam os discentes dos cursos de graduação da Universidade Federal do

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A INSTITUCIONALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO

ORIENTAÇÕES PARA A INSTITUCIONALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO ORIENTAÇÕES PARA A INSTITUCIONALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO CURSOS DE EXTENSÃO: Caracterizados como um conjunto articulado de ações pedagógicas, de caráter teórico e/ou prático, presencial ou à distância,

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO CLASSIFICATÓRIO 2013

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO CLASSIFICATÓRIO 2013 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO CLASSIFICATÓRIO 2013 A Diretora Geral da Escola Superior de Propaganda e Marketing Unidade Rio de Janeiro, de acordo com o regimento interno, torna pública as normas do Processo

Leia mais

Pelo exposto e considerando a relevância do tema, contamos com o apoio e compreensão de V. Exª e ilustres Pares para aprovação do Projeto

Pelo exposto e considerando a relevância do tema, contamos com o apoio e compreensão de V. Exª e ilustres Pares para aprovação do Projeto Vitória, 22 de junho de 2012 Mensagem nº 150/2012 Senhor Presidente: Encaminho à apreciação dessa Casa de Leis o anexo projeto de lei que propõe a criação de cargos para contratação temporária, Funções

Leia mais

UNIÃO DINÂMICA DE FACULDADES CATARATAS Centro Universitário Dinâmica das Cataratas

UNIÃO DINÂMICA DE FACULDADES CATARATAS Centro Universitário Dinâmica das Cataratas REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO I CARACTERIZAÇÃO E OBJETIVOS Art. 1º Art. 2º Art. 3º Art. 4º Estágio Supervisionado em Administração (ESA), é a disciplina

Leia mais

EDITAL 002/2015 ABERTURA DE PROCESSO SELETIVO DESTINADO AO DESENVOLVIMENTO DE ESTÁGIOS JUNTO AO MUNICÍPIO DE PALMAS ESTADO DO PARANÁ

EDITAL 002/2015 ABERTURA DE PROCESSO SELETIVO DESTINADO AO DESENVOLVIMENTO DE ESTÁGIOS JUNTO AO MUNICÍPIO DE PALMAS ESTADO DO PARANÁ EDITAL 002/2015 ABERTURA DE PROCESSO SELETIVO DESTINADO AO DESENVOLVIMENTO DE ESTÁGIOS JUNTO AO MUNICÍPIO DE PALMAS ESTADO DO PARANÁ O CENTRO DE INTEGRAÇÃO NACIONAL DE ESTÁGIOS PARA ESTUDANTES CEINEE torna

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ARTICULAÇÃO PEDAGÓGICA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO BÁSICA

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ARTICULAÇÃO PEDAGÓGICA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO BÁSICA SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ARTICULAÇÃO PEDAGÓGICA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO BÁSICA Curitiba, 13 de março de 2015. Orientação referente aos Programas de Ampliação

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA

ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROFESSORES-TUTORES PARA O CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA, REALIZADO PELO CONVÊNIO UNIRIO-CISBAF E OFERTADO PELA UNIVERSIDADE ABERTA

Leia mais

EDITAL PPGE nº 37/2015 Inscrição e Seleção para Bolsas de Mestrado e Doutorado 1. DO DIREITO A PARTICIPAR DA SELEÇÃO E DOS DEVERES DO BOLSISTA

EDITAL PPGE nº 37/2015 Inscrição e Seleção para Bolsas de Mestrado e Doutorado 1. DO DIREITO A PARTICIPAR DA SELEÇÃO E DOS DEVERES DO BOLSISTA EDITAL PPGE nº 37/2015 Inscrição e Seleção para Bolsas de O abre processo de inscrição e seleção de bolsistas - Quotas de Bolsas da CAPES - para implantação entre dezembro de 2015 e abril de 2016, destinadas

Leia mais

FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE NÚCLEO DE ESTÁGIO DA FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS

FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE NÚCLEO DE ESTÁGIO DA FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS 1 FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE NÚCLEO DE ESTÁGIO DA FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS TÍTULO I NATUREZA E OBJETIVO Art. 1º Os estágios curriculares supervisionados previstos

Leia mais

1.2.1. Proporcionar ao Corpo Docente a participação de monitores junto ao desenvolvimento de suas disciplinas.

1.2.1. Proporcionar ao Corpo Docente a participação de monitores junto ao desenvolvimento de suas disciplinas. A Coordenação de Pesquisa e Extensão (COPEX) da Faculdade Metropolitana da Grande Recife, em conjunto com a Direção Acadêmica, abre inscrições aos alunos de graduação interessados em participar do Programa

Leia mais

FUNDAÇÃO PADRE JOSÉ KOOPMANS CNPJ 11.848.735/0001-96 EDITAL DE ESTÁGIO

FUNDAÇÃO PADRE JOSÉ KOOPMANS CNPJ 11.848.735/0001-96 EDITAL DE ESTÁGIO EDITAL DE ESTÁGIO A FUNDAÇÃO PADRE JOSÉ KOOPMANS no uso de suas atribuições legais torna público e estabelece as normas do processo seletivo para o preenchimento de vaga para estagiário, nos termos a seguir

Leia mais

Portaria Nº 52, de 26 setembro de 2002.

Portaria Nº 52, de 26 setembro de 2002. Portaria Nº 52, de 26 setembro de 2002. O PRESIDENTE DA COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR CAPES, no uso das atribuições conferidas pelo art. 21, incisos II e V, do Decreto nº

Leia mais

EDITAL PUCPR Nº 11. Dele participarão até vinte (20) estudantes da PUCPR e um professor acompanhante do Programa de Pós-Graduação em Bioética.

EDITAL PUCPR Nº 11. Dele participarão até vinte (20) estudantes da PUCPR e um professor acompanhante do Programa de Pós-Graduação em Bioética. PROGRAMA DE INTERCÂMBIO ACADÊMICO NA ÀREA DE BIOÉTICA ENTRE A PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ E A PONTIFÍCIA UNIVERSIDAD DE COMILLAS DE 30 DE NOVEMBRO A 8 DE DEZEMBRO DE 2013 EDITAL PUCPR Nº

Leia mais

E D I T A L FACULDADE PILARES

E D I T A L FACULDADE PILARES EDITAL NEXTUN N.º 01/2010 CONVOCA A COMUNIDADE ACADÊMICA DA PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSO DE EXTENSÃO. A Coordenadora do Núcleo de Extensão Universitária, no uso de suas atribuições legais previstas

Leia mais

REGIMENTO DO ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGIMENTO DO ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGIMENTO DO ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Os estágios não obrigatórios do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo do

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPÁRTAMENTO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PROGRAMA ESCOLA TÉCNICA ABERTA DO BRASIL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPÁRTAMENTO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PROGRAMA ESCOLA TÉCNICA ABERTA DO BRASIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPÁRTAMENTO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PROGRAMA ESCOLA TÉCNICA ABERTA DO BRASIL PROCESSO SELETIVO nº. 27/2015/DEAD EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROFESSOR

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CULTURAS E IDENTIDADES BRASILEIRAS DO IEB: I COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DE PROGRAMA (CCP)

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CULTURAS E IDENTIDADES BRASILEIRAS DO IEB: I COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DE PROGRAMA (CCP) REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CULTURAS E IDENTIDADES BRASILEIRAS DO IEB: I COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DE PROGRAMA (CCP) A CCP do Programa Culturas e Identidades Brasileiras é a própria

Leia mais

CONSELHO CIENTÍFICO-ADMINISTRATIVO DA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E INOVAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO RESOLUÇÃO Nº 124, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014.

CONSELHO CIENTÍFICO-ADMINISTRATIVO DA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E INOVAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO RESOLUÇÃO Nº 124, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014. CONSELHO CIENTÍFICO-ADMINISTRATIVO DA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E INOVAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO RESOLUÇÃO Nº 124, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014. Regulamenta o Programa Institucional de Bolsas de Pós-graduação

Leia mais

Programa de Treinamento de Profissionais de Aeroportos TREINAR

Programa de Treinamento de Profissionais de Aeroportos TREINAR PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL SECRETARIA DE NAVEGAÇÃO AÉREA CIVIL Programa de Treinamento de Profissionais de Aeroportos TREINAR EDITAL Nº 04/2016 SENAV/SAC-PR A Secretaria de Navegação

Leia mais

EDITAL Nº 017, DE 10 DE OUTUBRO DE 2014 PROCESSO DE SELEÇÃO DE ESTUDANTES NO ÂMBITO DO PROGRAMA DE MONITORIA (VOLUNTÁRIA)

EDITAL Nº 017, DE 10 DE OUTUBRO DE 2014 PROCESSO DE SELEÇÃO DE ESTUDANTES NO ÂMBITO DO PROGRAMA DE MONITORIA (VOLUNTÁRIA) EDITAL Nº 017, DE 10 DE OUTUBRO DE 2014 PROCESSO DE SELEÇÃO DE ESTUDANTES NO ÂMBITO DO PROGRAMA DE MONITORIA (VOLUNTÁRIA) O DIRETOR DE IMPLANTAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Leia mais

FACULDADE ORÍGENES LESSA FACOL ISEOL - INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ORÍGENES LESSA PORTARIA Nº 004 / 2009

FACULDADE ORÍGENES LESSA FACOL ISEOL - INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ORÍGENES LESSA PORTARIA Nº 004 / 2009 ASSOCIAÇÃO LENÇOENSE DE EDUCAÇÃO E CULTURA - ALEC FACULDADE ORÍGENES LESSA FACOL ISEOL - INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ORÍGENES LESSA PORTARIA Nº 004 / 2009 Usando as atribuições que lhe confere o regimento

Leia mais

Instruções para Candidatos a Bolsa de Mestrado Sanduíche vinculados a Projetos Conjuntos da Coordenação-Geral de Cooperação Internacional

Instruções para Candidatos a Bolsa de Mestrado Sanduíche vinculados a Projetos Conjuntos da Coordenação-Geral de Cooperação Internacional Instruções para Candidatos a Bolsa de Mestrado Sanduíche vinculados a Projetos Conjuntos da Coordenação-Geral de Cooperação Internacional 1. APRESENTAÇÃO Este documento orienta a apresentação de candidaturas

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO 1 2 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO...03 2 BASE LEGAL...03 3 OBJETIVOS...03 4 CAMPO DO ESTÁGIO...04 5 ENCARGOS E OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS REFERENTES AO

Leia mais

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES- EDUCAÇÃO BÁSICA E ESCOLA TÉCNICAS 2014/2015

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES- EDUCAÇÃO BÁSICA E ESCOLA TÉCNICAS 2014/2015 PAUTA DE REIVINDICAÇÕES- EDUCAÇÃO BÁSICA E ESCOLA TÉCNICAS 2014/2015 1 - Manutenção de todas as cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho 2014/2015, celebrados entre Sinproep-DF e Sinepe-DF com os seguintes

Leia mais

PORTARIA Nº 146 /2011-DG BRASÍLIA, 16 DE JUNHO DE 2011.

PORTARIA Nº 146 /2011-DG BRASÍLIA, 16 DE JUNHO DE 2011. PORTARIA Nº 146 /2011-DG BRASÍLIA, 16 DE JUNHO DE 2011. DISPÕE SOBRE O PROCESSO DE INCENTIVO DE CONCESSÃO DE BOLSA DE ESTUDO DE IDIOMA ESTRANGEIRO NO ÂMBITO DA AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal de São Paulo Pró-Reitoria de Graduação Campus Diadema

Ministério da Educação Universidade Federal de São Paulo Pró-Reitoria de Graduação Campus Diadema 3. REGRAS PARA ATIVIDADES COMPLEMENTARES DOS BACHARELADOS EM QUÍMICA DA UNIFESP (Integral e Noturno Química Industrial) CONSIDERANDO, O presente instrumento regulamenta as normas para exercício e validação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC (UFABC) Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas NORMAS INTERNAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC (UFABC) Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas NORMAS INTERNAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC (UFABC) Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas NORMAS INTERNAS O Programa de Pós-Graduação stricto sensu em Políticas Públicas, com cursos em níveis de mestrado acadêmico

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE Bacharelado em Administração Modalidade a Distância

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE Bacharelado em Administração Modalidade a Distância REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE Bacharelado em Administração Modalidade a Distância I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Bacharelado em Administração Modalidade a Distância é uma

Leia mais

INCUBADORA DE EMPRESAS I-DEIA EDITAL 01/2011 PROCEDIMENTOS PARA O PROCESSO SELETIVO

INCUBADORA DE EMPRESAS I-DEIA EDITAL 01/2011 PROCEDIMENTOS PARA O PROCESSO SELETIVO INCUBADORA DE EMPRESAS I-DEIA EDITAL 01/2011 PROCEDIMENTOS PARA O PROCESSO SELETIVO FEVEREIRO DE 2011 Telefones: (66) 3422 2461 / 6710 1 1. Apresentação da Incubadora de Empresas I-deia A Incubadora I-deia

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLGIA DE RORAIMA PRO REITORIA DE EXTENSÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLGIA DE RORAIMA PRO REITORIA DE EXTENSÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLGIA DE RORAIMA PRO REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL PROEX Nº 004/2012 RETIFICA O EDITAL PROEX Nº 001/2012 QUE INSTITUI O PROGRAMA INSTITUCIONAL

Leia mais

1. OBJETIVO. 2 2. ABRANGÊNCIA / NÍVEL DE DISTRIBUIÇÃO. 2 3. SIGLAS UTILIZADAS. 2 4. DOCUMENTO DE REFERÊNCIA INTERNA. 3 5. DIRETRIZES. 3 6. 4 7.

1. OBJETIVO. 2 2. ABRANGÊNCIA / NÍVEL DE DISTRIBUIÇÃO. 2 3. SIGLAS UTILIZADAS. 2 4. DOCUMENTO DE REFERÊNCIA INTERNA. 3 5. DIRETRIZES. 3 6. 4 7. - DRH Pág. 1 de 12 INDÍCE 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA / NÍVEL DE DISTRIBUIÇÃO... 2 3. SIGLAS UTILIZADAS... 2 4. DOCUMENTO DE REFERÊNCIA INTERNA... 3 5. DIRETRIZES... 3 6. CRITÉRIOS PARA APROVAÇÃO DO

Leia mais

Universidade de São Paulo Escola de Engenharia de São Carlos. Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica

Universidade de São Paulo Escola de Engenharia de São Carlos. Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica Universidade de São Paulo Escola de Engenharia de São Carlos Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DE PROGRAMA (CCP) A CCP terá como membros

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Aprovado pela Resolução CONSUNI nº 44/15, de 09/12/2015. CAPÍTULO I AS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente Regulamento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS EDITAL Nº 01/2014 PROCESSO DE SELEÇÃO A Universidade Federal do Tocantins UFT, por meio da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós- Graduação PROPESQ, torna pública a abertura de inscrições para selecionar candidatos

Leia mais

EDITAL Nº 05/ SGP/ 2014 SELEÇÃO PARA CONCESSÃO DA BOLSA DE ESTUDOS EM IDIOMAS REFERENTE AO EXERCÍCIO 2014

EDITAL Nº 05/ SGP/ 2014 SELEÇÃO PARA CONCESSÃO DA BOLSA DE ESTUDOS EM IDIOMAS REFERENTE AO EXERCÍCIO 2014 EDITAL Nº 05/ SGP/ 2014 SELEÇÃO PARA CONCESSÃO DA BOLSA DE ESTUDOS EM IDIOMAS REFERENTE AO EXERCÍCIO 2014 A SUPERINTENDENTE DE GESTÃO DE PESSOAS, no uso de suas atribuições conferidas pelo art. 2º, inciso

Leia mais

REGULAMENTO DE MONOGRAFIA DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO

REGULAMENTO DE MONOGRAFIA DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO REGULAMENTO DE MONOGRAFIA DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Institui o Regulamento de Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso) do Curso de Direito da Celer Faculdades

Leia mais

Normas Referentes a Bolsas e Estágios

Normas Referentes a Bolsas e Estágios Normas Referentes a Bolsas e Estágios 1. Conceito e Objetivos Estágio é o ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo de

Leia mais

PROGRAMA DE INCENTIVO PARA BOLSAS DE MESTRADO E DOUTORADO

PROGRAMA DE INCENTIVO PARA BOLSAS DE MESTRADO E DOUTORADO PROGRAMA DE INCENTIVO PARA BOLSAS DE MESTRADO E DOUTORADO EDITAL nº 02/2016 ABERTURA DE INSCRIÇÕES PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDO FATENEMODALIDADE MESTRADO E DOUTORADO O Diretor-Geral da Faculdade Terra

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO MBA EM GESTÃO EMPREENDEDORA, SUSTENTABILIDADE E INOVAÇÃO EM COOPERATIVAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO MBA EM GESTÃO EMPREENDEDORA, SUSTENTABILIDADE E INOVAÇÃO EM COOPERATIVAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO MBA EM GESTÃO EMPREENDEDORA, SUSTENTABILIDADE E INOVAÇÃO EM COOPERATIVAS EDITAL Nº 1/2013 PROCESSO DE SELEÇÃO A Universidade Federal

Leia mais

ESTÁGIO PARA ESTUDANTE DA UFU EDITAL 006.2016 PROCESSO SELETIVO PARA ESTAGIÁRIO (A) GESTÃO DE INFORMAÇÕES HOSPITALARES - HCU-UFU

ESTÁGIO PARA ESTUDANTE DA UFU EDITAL 006.2016 PROCESSO SELETIVO PARA ESTAGIÁRIO (A) GESTÃO DE INFORMAÇÕES HOSPITALARES - HCU-UFU 1 ESTÁGIO PARA ESTUDANTE DA UFU EDITAL 006.2016 PROCESSO SELETIVO PARA ESTAGIÁRIO (A) GESTÃO DE INFORMAÇÕES HOSPITALARES - HCU-UFU O PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO DE ASSISTÊNCIA, ESTUDO E PESQUISA DE UBERLÂNDIA

Leia mais

Universidade Federal da Integração Latino Americana MANUAL DO ESTAGIÁRIO

Universidade Federal da Integração Latino Americana MANUAL DO ESTAGIÁRIO Universidade Federal da Integração Latino Americana MANUAL DO ESTAGIÁRIO MANUAL DO ESTAGIÁRIO PROGRAD - Pró-Reitoria de Graduação DEAC - Divisão de Estágios e Atividades Complementares Sumário 1. Apresentação...

Leia mais

A Coordenação de Estágios informa:

A Coordenação de Estágios informa: A Coordenação de Estágios informa: I Informações gerais e Dúvidas frequentes sobre o Estágio: Tudo que você precisa saber sobre a nova lei de estágio 1. O que é o estágio? A Lei nº 11.788, de 25 de setembro

Leia mais

1. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

1. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Pró-Reitoria de Extensão, Pesquisa e Inovação Coordenação geral do PRONATEC Programa de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego PRONATEC/IFPR Processo Seletivo Simplificado n.º 12/2015 A Coordenação Geral do

Leia mais

1. DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS

1. DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS EDITAL N 1/2016 WEBTV CAATINGA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIO PARA A WEBTV e WEB RÁDIO CAATINGA Com base na Lei 11.788/2008, que dispõe sobre o estágio de estudantes, a Webtv e Web rádio Caatinga torna pública

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE Curso: BACHAREL EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE Curso: BACHAREL EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FLUXO DO TCC 6o SEM 7o SEM 8o SEM PESQUISA EM INFORMÁTICA Além da ementa da disciplina, o aluno desenvolverá uma proposta de pesquisa, que poderá ou não continuar a ser trabalhada nas disciplinas de TCC1,

Leia mais

EDITAL FACEPE 14/2008 PROGRAMA DE BOLSAS DE INCENTIVO ACADÊMICO - BIA

EDITAL FACEPE 14/2008 PROGRAMA DE BOLSAS DE INCENTIVO ACADÊMICO - BIA EDITAL FACEPE 14/2008 PROGRAMA DE BOLSAS DE INCENTIVO ACADÊMICO - BIA A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Pernambuco FACEPE convida as universidades públicas de Pernambuco, federais ou estaduais,

Leia mais

3. Quais são as modalidades de estágio? Estágio obrigatório e Estágio não obrigatório (art. 2º da Lei 11.788/2008).

3. Quais são as modalidades de estágio? Estágio obrigatório e Estágio não obrigatório (art. 2º da Lei 11.788/2008). 1. O que é o estágio? Estágio é o ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo de estudantes. O estágio integra o itinerário

Leia mais

Portaria Fatec Santana de Parnaíba nº 02/2015 de 24 de abril de 2015

Portaria Fatec Santana de Parnaíba nº 02/2015 de 24 de abril de 2015 Portaria nº 02/2015 de 24 de abril de 2015 Estabelece a normatização das Atividades Acadêmico-Científico-Culturais (AACC) do curso de Gestão Comercial da Faculdade de Tecnologia de Santana de Parnaíba.

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática EDITAL PARA O PROCESSO SELETIVO 1º/2015 Coordenador: Prof. Dr. Saddo Ag Almouloud Vice-Coordenadora: Profa. Dra. Barbara Lutaif Bianchini Estarão abertas, no período de 01/10/2014 a 24/10/2014, as inscrições

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO DA FACULDADE DE COMPUTAÇÃO. CAPÍTULO I DA COE/CC/Facom

REGULAMENTO DO ESTÁGIO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO DA FACULDADE DE COMPUTAÇÃO. CAPÍTULO I DA COE/CC/Facom REGULAMENTO DO ESTÁGIO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO DA FACULDADE DE COMPUTAÇÃO CAPÍTULO I DA COE/CC/Facom Art. 1 A Comissão de Estágio do curso de Ciência da Computação da Faculdade de Computação

Leia mais

EDITAL Nº 05 CRFI /IFB, DE 08 DE MARÇO DE 2016

EDITAL Nº 05 CRFI /IFB, DE 08 DE MARÇO DE 2016 EDITAL Nº 05 CRFI /IFB, DE 08 DE MARÇO DE 2016. SELEÇÃO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS DO PROGRAMA DE MONITORIA DA POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL 1º SEMESTRE/2016 O Diretor Geral do Campus Riacho Fundo,

Leia mais