GUIA DO ESTUDANTE EM MOBILIDADE NO ESTRANGEIRO PERÍODO DE ESTUDOS ERASMUS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GUIA DO ESTUDANTE EM MOBILIDADE NO ESTRANGEIRO PERÍODO DE ESTUDOS ERASMUS"

Transcrição

1 GUIA DO ESTUDANTE EM MOBILIDADE NO ESTRANGEIRO PERÍODO DE ESTUDOS ERASMUS Gabinete de Mobilidade, Estágios e Inserção Profissional Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa

2 2 Calendarização até à data da partida (a data de referência é o 1º semestre 1 ) Fim de Março / início de Abril Divulgação dos resultados e das colocações aos estudantes. (dependendo dos Departamentos, esta informação pode ser transmitida pelo Gabinete de Mobilidade e/ou pelo Coordenador Erasmus Departamental). O Gabinete fornece orientações para preparação da mobilidade O estudante não aceita a vaga Erasmus: Tem até uma semana, após a divulgação dos resultados, para informar oficialmente o Gabinete de Mobilidade e o Coordenador, caso decida não prosseguir com o processo de mobilidade Erasmus. O estudante aceita a vaga Erasmus: Tem até uma semana para confirmar a aceitação junto do Gabinete. Começa logo a consultar e a reunir toda a informação e documentação que a Universidade de acolhimento disponibiliza para os candidatos Erasmus e dá início ao processo de definição do plano de estudos que irá realizar durante a sua mobilidade. (ver página 3 deste guia) Muito importante: verificar os prazos da Universidade de acolhimento para recepção das candidaturas! O estudante esclarece questões académicas com o Coordenador Erasmus Departamental O estudante esclarece questões de carácter prático com o Gabinete de Mobilidade Tendo em conta o prazo limite da Universidade de acolhimento, o estudante entrega o processo de candidatura completo no Gabinete de Mobilidade. É vivamente aconselhável a entrega 2 semanas antes do fim do prazo. Maio-Julho O Gabinete informa os estudantes sobre: Preenchimento da Ficha de Estudante Erasmus Cursos EILC (preparação linguística) Bolsas Erasmus O envio das candidaturas incompletas ou entregues em cima do prazo deixam de ser da responsabilidade do Gabinete. O Gabinete de Mobilidade envia as candidaturas para a Universidade de acolhimento. A Universidade de acolhimento confirma a recepção da candidatura e envia informação útil.* Confirma a aceitação (ou sugere alterações) do plano de estudos (Learning agreement), através de contacto com o aluno. * a data em que este contacto é feito depende naturalmente da Universidade de acolhimento e pode ser via ou por correio. Em caso de dúvidas, o estudante pode e deve esclarecer-se directamente com a Universidade de acolhimento. Antes da partida O estudante deve assegura-se que fez todos os preparativos e cumpriu com todos os procedimentos antes de partir para o estrangeiro. (ver checklist página 7 deste guia) Gabinete de Mobilidade O Gabinete informa o aluno Estudante O estudante informa o Gabinete e o Coordenador Setembro-Dezembro (partidas 1º semestre) Assinatura do contrato de estudante Erasmus na Reitoria da UL. Se o estudante já partiu, assina o procurador. Caso tenha bolsa, a transferência do dinheiro só ocorre após a assinatura do contrato. 1 O estudante que só realiza a sua mobilidade no 2º semestre deve igualmente ter em atenção todos os prazos, quer os definidos pela Universidade de acolhimento quer pela FCUL.

3 3 Antes da partida Definição do plano de estudos e envio da candidatura para a Universidade de acolhimento 2 O Gabinete de mobilidade envia ao estudante o documento interno da FCUL Plano de estudos Erasmus. Este documento terá que ser obrigatoriamente aprovado e assinado pelo Coordenador Erasmus Departamental e entregue no Gabinete antes da partida. O Gabinete de Mobilidade avisa o estudante, via , caso tenha documentação / informação que eventualmente a Universidade de acolhimento tenha enviado para o Gabinete, destinada aos alunos Erasmus. Nem todas as Universidades enviam às instituições parceiras informação para os futuros alunos Erasmus. Assim, o estudante não deve estranhar se uns colegas recebem este tipo de informação por parte do Gabinete, e outros não. Prazos para recepção das candidaturas É da máxima importância que o estudante saiba qual o prazo limite que a sua Universidade de acolhimento estabelece para receber as candidaturas Erasmus. Algumas Universidades têm um prazo para o 1º Semestre / ano inteiro e outro para o 2º semestre. Candidaturas online / candidaturas em papel Acima de tudo, seguir as orientações da Universidade de acolhimento. O modo de candidatura varia de instituição para instituição, bem como os anexos ou requisitos exigidos. Candidatura para a Universidade de acolhimento Learning agreement (plano de estudos a realizar em Erasmus) Regra geral, todas as Universidades exigem o envio de uma proposta de plano de estudos como parte integrante da candidatura Erasmus. Consultar os planos curriculares disponíveis na página web da Universidade de acolhimento; pedir ajuda a colegas que já tenham estudado nessa Universidade (alunos da FCUL ou alunos Erasmus estrangeiros presentemente a estudar na FCUL); solicitar informação directamente à Universidade. Transcript of records (lista de cadeiras já concluídas na FCUL, com notas e ECTS) A emissão deste documento deverá ser solicitada junto do Gabinete de Mobilidade, Estágios e Inserção Profissional. Para as Universidades espanholas é enviado o histórico em Português. Requisitos de conhecimentos da língua em que as aulas são dadas ou de inglês Preparação linguística financiada pelo Programa Erasmus Cursos EILC (ver página 4) Cada vez mais as Universidades de acolhimento exigem que o estudante tenha um conhecimento razoável da língua do país de acolhimento ou de inglês (caso as aulas sejam nesta língua). Aconselhamos o seguinte: - Anexe os certificados que possuí ou comprovativo que está presentemente a estudar essa língua; - Obter certificação dos conhecimentos linguísticos junto de uma instituição que forneça esse serviço (Departamento de Estudos Anglísticos da Faculdade de Letras; Centro de Cursos Livres do ISCTE, por exemplo). 2 O estudante é responsável pelo bom andamento do seu processo. Deve informar de imediato o Gabinete de Mobilidade e o respectivo Coordenador Erasmus Departamental em caso de desistência em qualquer fase do processo. O estudante cujo processo está condicionado pela conclusão de cadeiras e da entrada em Mestrado na FCUL, deve informar o Gabinete de Mobilidade caso não consiga cumprir com estas condições e a mobilidade já não possa ser concretizada. Se a candidatura já tiver sido enviada para a Universidade de acolhimento, esta terá que ser informada da desistência do estudante.

4 4 Antes da partida Questões práticas inerentes à estadia no estrangeiro 3 Alojamento Cuidados de saúde no país de acolhimento Muitas Universidades oferecem opções de alojamento em Residências Universitárias ou serviços de apoio à procura de casa. Consultar a informação disponível na página web da Universidade de acolhimento; pedir ajuda a colegas que já tenham estudado nessa Universidade (alunos da FCUL ou alunos Erasmus estrangeiros presentemente a estudar na FCUL); solicitar informação directamente à Universidade. O estudante deve obter, junto do sistema de saúde por que está abrangido, um documento que lhe garanta assistência médica no país de acolhimento. Este documento é o Cartão Europeu de Seguro de Doença (CESD) e é destinado aos beneficiários da Segurança Social e beneficiários de subsistemas de saúde (como por exemplo, a ADSE, SAMS...). Os estudantes não abrangidos por um sistema de saúde deverão fazer um seguro de saúde específico para a sua deslocação ao estrangeiro. O CESD é um documento que assegura a prestação de cuidados de saúde aos beneficiários de um sistema de segurança social de um dos Estados da União Europeia, Espaço Económico Europeu (Islândia, Liechtenstein e Noruega) ou Suíça, que se deslocam temporariamente neste espaço. Para mais informações: oenca.htm Vistos Seguros Outros financiamentos Propinas e outros encargos Cursos EILC Outros Cursos de preparação Linguística Links úteis Conforme a nacionalidade do estudante e o país para onde se desloca, é importante ter em atenção se haverá necessidade de Visto ou eventuais requisitos excepcionais exigidos para entrada nesse país. Mediante a inscrição como aluno na FCUL, todos os alunos ficam cobertos pelo seguro escolar da instituição durante a estadia no estrangeiro. Confirmar coberturas do seguro escolar na Unidade Académica. Caso a Universidade de acolhimento exija outras coberturas, obter, a título particular, o seguro exigido. Os beneficiários de uma bolsa nacional (por ex: Serviço de Acção Social ou outra) ou de qualquer outro tipo de financiamento local, regional, etc., deverão continuar a usufruir, plenamente, dessas ajudas durante o período de mobilidade. Este benefício não deverá ser interrompido ou reduzido durante a actividade de mobilidade. A entidade de acolhimento não pode, sob qualquer pretexto, solicitar ao estudante o pagamento de propinas durante o período de mobilidade acordado. Contudo, podem ser cobradas pequenas quantias para seguros, associações de estudantes, fotocópias, ou produtos de laboratório, quantias estas cobradas normalmente aos estudantes da própria entidade de acolhimento. Os Cursos Intensivos de Língua Erasmus (EILC) realizam-se no país onde o estudante irá efectuar a mobilidade Erasmus, obrigatoriamente antes do início desse período. O Gabinete de Mobilidade informa o estudante da abertura das candidaturas. Para mais informações: Muitas Universidades organizam cursos próprios, antes e durante o ano académico. O processo de candidatura para estes cursos encontra-se, regra geral, associado às informações gerais destinadas aos estudantes Erasmus. Não confundir estes cursos com os EILC O estudante é responsável pela organização da sua estadia no que diz respeito às questões práticas que decorrem da mesma, como por exemplo: marcar as viagens, garantir alojamento, informar-se sobre condições da Instituição, seguros, vistos de entrada e de residência, cidade e país de destino (costumes, custo de vida, clima, etc.).

5 5 Antes da partida Documentos do Processo Erasmus 4 Ficha de Estudante Erasmus Esta Ficha é fornecida ao estudante pelo Gabinete de Mobilidade. A Ficha de Estudante Erasmus irá dar origem ao contrato de estudante Erasmus, pelo que deve ser acompanhado dos seguintes anexos: Cópia do cartão de identificação; Cópia do cartão de contribuinte; Comprovativo do Número de Identificação Bancária (NIB) Procuração Contrato de Estudante Erasmus Uma vez que o estudante irá estar fora do país é necessário assegurar que alguém fica responsável por assinar e tratar de assuntos em seu nome. Para esse efeito, o estudante deve nomear um procurador (o nome e contacto ficam registados na Ficha de Estudante) e assinar uma procuração (minuta em anexo). Deixa a procuração na posse do procurador e entrega uma cópia no Gabinete de Mobilidade (+ fotocópia do cartão de identificação do procurador). O Contrato, elaborado pelo Núcleo de Programas Académicos Internacionais da Reitoria, é celebrado entre o estudante e a Universidade de Lisboa. Caso o estudante já tenha partido para o seu período de estudos Erasmus será o procurador a assinar o contrato. A Reitoria entra em contacto via telefone ou , com o estudante ou com o procurador, logo que o contrato se encontre pronto para ser assinado. Caso haja lugar à concessão de uma bolsa Erasmus, o pagamento da mesma, por transferência bancária, é da responsabilidade da Reitoria e só será efectuado após a assinatura do contrato. O procurador deve enviar logo que possível uma cópia do contrato ao estudante. Carta de estudante Erasmus Todos os direitos e obrigações do Estudante Erasmus estão descritos na Carta de Estudante Erasmus (em anexo). Bolsas Bolsa Erasmus O Gabinete de Mobilidade informa directamente os estudantes sobre a atribuição das bolsas. O estudante não tem que preencher nenhum documento adicional de candidatura para uma bolsa. Relembramos que a atribuição de uma bolsa, e o valor da mesma, depende da verba que será atribuída à FCUL para a mobilidade Erasmus. E mesmo havendo atribuição de bolsa, esta poderá ser inferior ao estipulado na tabela de referência da Agência Nacional PROALV. A Universidade de Lisboa e a Faculdade de Ciências procuram atribuir o maior número de bolsas possível para que o maior número de estudantes realize uma experiência de mobilidade internacional durante os seus estudos. Duração do período de mobilidade O período mínimo de mobilidade Erasmus é de 3 meses (ou o equivalente a um trimestre académico), sendo o período máximo de 12 meses (o equivalente a um ano académico completo) a ser concluído até ao fim do mês de Setembro do ano lectivo a que diz respeito a mobilidade. 4 Sempre que possível, todos os documentos referidos como anexos a este Guia e outros que venham a ser necessários no decurso deste processo, estarão igualmente disponíveis para download na seguinte página Web:

6 6 e cálculo da bolsa Nos casos em que a duração da mobilidade não perfaz um número inteiro de meses, aplica-se a regra dos 16 dias para contabilizar um mês de mobilidade. (ex. caso um estudante realize um período de mobilidade de 5 meses e 15 dias são contabilizados apenas 5 meses; no entanto se fizer 5 meses e 16 dias são contabilizados 6 meses). A duração do período de estudos não inclui os cursos de preparação linguística e deve obedecer ao calendário académico da Universidade de acolhimento, incluindo época de exames. O estudante que não seja bolseiro Erasmus ou que receba uma bolsa inferior à real duração da sua mobilidade, deve igualmente definir a duração da estadia com base em datas exactas. Estas datas serão registadas na Ficha de Estudante Erasmus, no Contrato de Estudante, e posteriormente confirmadas pela Universidade de acolhimento na declaração comprovativa da estadia (em anexo). Pagamento da bolsa O bolseiro Erasmus recebe 80% da bolsa no início da mobilidade (quando houver disponibilidade financeira por parte da Reitoria) e os restantes 20% após o fim da estadia, mediante a apresentação dos relatórios e documentos finais (cf. o disposto no Contrato de Estudante) e confirmação de que todos os documentos estão conformes, incluindo a duração da mobilidade. Caso haja diferenças entre as datas registadas no contrato e as datas confirmadas pela Universidade de acolhimento, poderá haver lugar a acertos do valor da bolsa. O pagamento da bolsa é feito por transferência bancária, para o NIB que o estudante indicar na Ficha de Estudante Erasmus. Estudante Bolsa Zero O estudante que não receba bolsa pode à mesma efectuar a mobilidade Erasmus, mas será considerado estudante com bolsa zero. Beneficia de todas as mais-valias do estatuto Erasmus e está obrigado ao cumprimento das regras de mobilidade Erasmus, tal como os estudantes que recebem bolsa de mobilidade. O estudante que não seja inicialmente contemplado com uma bolsa, poderá eventualmente receber uma bolsa em caso de reajustamentos de cálculos. Bolsa Suplementar Erasmus (BSE) Estas bolsas destinam-se a estudantes com dificuldades socioeconómicas. O estudante deve aguardar que o Gabinete divulgue se haverá atribuição destas bolsas no ano a que diz respeito a sua mobilidade. Em caso de financiamento, o principal requisito para atribuição desta bolsa ao estudante é ser bolseiro dos SASUL. Poderá ser solicitado ao estudante que informe o Gabinete de Mobilidade sobre a sua condição de bolseiro, mas não terá que se candidatar à BSE, uma vez que o apuramento é feito através de cruzamento de dados com os SASUL. A Bolsa BSE é contratualizada num contrato à parte. Bolsa EILC O estudante que participe num curso EILC no país de destino, poderá receber uma bolsa que tem como objectivo ajudar nas despesas de subsistência e fazer face aos custos adicionais de um estudante que efectua um curso EILC antes do início do seu período de mobilidade Erasmus. A atribuição da bolsa EILC é contratualizada no Contrato de Estudante Erasmus. Bolsa viagem O valor de uma viagem de ida e volta encontra-se diluído no montante atribuído para subsistência (bolsa Erasmus). Devolução bolsa da Caso o estudante não obtenha qualquer aproveitamento e/ou não haja qualquer tipo de reconhecimento e/ou validação do seu período de mobilidade, o estudante deverá devolver, na íntegra, o valor da bolsa de mobilidade recebida (cf. o disposto no Contrato de Estudante). Apenas em casos de força maior, devidamente justificados e documentados, colocados por escrito, e devidamente autorizados pela AN, por escrito, os estudantes podem ficar isentos da devolução de parte ou da totalidade da bolsa. O mesmo se aplica em caso de desistência. Outras Bolsas A bolsa Erasmus não pode ser acumulada com outras bolsas comunitárias.

7 7 Checklist para ser completada pelo estudante como parte da preparação para a mobilidade O estudante deve ler atentamente o Guia antes de completar esta checklist. Deve garantir que pode assinalar sim em todos os pontos, pelo menos 1 mês antes da partida. Nos pontos em dúvida, esclareça-se junto do Gabinete de Mobilidade. Entregar uma cópia assinada da checklist no Gabinete de Mobilidade antes da partida. 1. A nível académico Sim Não O documento Plano de Estudos Erasmus está devidamente preenchido e assinado por si e pelo seu Coordenador Erasmus Departamental? Já entregou o documento Plano de Estudos Erasmus no Gabinete de Mobilidade? A Universidade de acolhimento já aprovou o seu plano de estudos? Tem uma cópia do learning agreement aprovado e assinado pela Universidade de acolhimento? Se recebeu o learning agreement directamente da Universidade de acolhimento, já entregou uma cópia no Gabinete de Mobilidade? Está devidamente informado sobre o sistema de avaliação em uso na Universidade de acolhimento? Está devidamente informado sobre as consequências académicas caso não tenha aproveitamento ao plano de estudos que se propõe realizar? Está devidamente informado sobre o procedimento a seguir para alterar o seu plano de estudos após a chegada à Universidade de acolhimento? 2. A nível administrativo / questões práticas Sim Não Já entregou a Ficha de estudante Erasmus (+ anexos) no Gabinete de Mobilidade? O Gabinete de Mobilidade Já lhe deu as declarações (português e inglês) comprovativas do seu estatuto de estudante Erasmus? Está devidamente informado sobre as datas de início do período de estudos e de eventuais eventos de recepção e de orientação organizados pela Universidade de acolhimento? Está devidamente informado sobre eventuais requisitos de entrada, estadia e seguros exigidos pela Universidade e pelo país de acolhimento? Os seus cartões de identificação encontram-se actualizados e dentro da validade? Está devidamente informado sobre as coberturas previstas pelo seguro escolar da FCUL? Já tem o cartão Europeu de Seguro de Doença (CESD)? Já fez a procuração, deixou o original com o seu procurador e uma cópia no Gabinete de Mobilidade? Está devidamente informado sobre o procedimento a seguir se quiser prolongar o seu período de estudos? 3. Bolsa Erasmus Sim Não Se for contemplado com uma bolsa Erasmus, está consciente que terá que devolver a bolsa caso não obtenha aproveitamento (0 ECTS) ao plano de estudos que se propõe realizar? Se for contemplado com uma bolsa Erasmus, está consciente que poderá ter que devolver a bolsa caso desista da mobilidade, salvo em casos de força maior e devidamente justificados? 4. Estudante Erasmus Sim Não Está informado que enquanto aluno Erasmus é obrigado a cumprir com os procedimentos aplicáveis a todos os alunos da FCUL, ou seja: inscrever-se no ano lectivo e proceder ao pagamento das propinas antes da sua partida em Erasmus? Conhece quais são os seus direitos e deveres enquanto aluno Erasmus (registados na carta do Estudante Erasmus)? Compromete-se a consultar o com regularidade e informar o Gabinete de Mobilidade caso haja alterações nos seus contactos? Autoriza que os seus contactos sejam transmitidos a futuros alunos Erasmus? Está interessado em participar em futuros eventos/actividades relacionados com a mobilidade Erasmus que venham a ser organizados pela FCUL? Nome do estudante: Assinatura: Data:

8 8 Durante a estadia Alterações ao plano de estudos Comprovativo de realização de EILC Ler página 2 do documento Plano de estudos Erasmus. O estudante que tenha realizado um curso EILC deve enviar o respectivo certificado ao Gabinete de Mobilidade, via , logo que o tenha. Pedidos de prolongamento Sempre que for necessário O período de estudos Erasmus poderá ser prolongado, desde que acordado entre a instituição de origem e a Universidade de acolhimento. Ler igualmente página 2 do documento Plano de estudos Erasmus. Paralelamente, contactar o Gabinete de Mobilidade para preenchimento da Ficha de pedido de prolongamento. Não há garantia de bolsa para os prolongamentos. Poderá eventualmente receber uma bolsa em caso de reajustamentos finais da verba Erasmus da Universidade de Lisboa. Contactar o Coordenador Erasmus Departamental para questões académicas. Contactar o Gabinete de Mobilidade para questões práticas: Tel: Fax: Morada: Gabinete de Mobilidade, estágios e Inserção Profissional Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Campo Grande, Lisboa, Portugal Fim da estadia Erasmus Declaração comprovativa da estadia Transcript of records Antes da partida, solicitar a assinatura do documento comprovativo da estadia (ver anexo). Informar-se de eventuais procedimentos necessários antes de deixar o país de acolhimento (na Universidade e na autoridade de estrangeiros). Antes da partida, solicitar o certificado das disciplinas (Transcript of records) com as respectivas classificações e ECTS. Se a Universidade de acolhimento não puder emitir o certificado antes da partida, perguntar/combinar como será enviado. Se a Universidade enviar para o estudante, o estudante entrega original/cópia ao Coordenador Erasmus Departamental e outra cópia no Gabinete de Mobilidade. Processo de reconhecimento e creditação na FCUL Relatórios e documentos finais Se o certificado for recepcionado no Gabinete de Mobilidade, será enviado ao Coordenador Erasmus Departamental e ao aluno. Ver página 1 do documento Plano de estudos Erasmus. O estudante deve discutir pessoalmente este processo com o Coordenador Erasmus Departamental. Todos os estudantes que realizam uma mobilidade Erasmus devem preencher um relatório final individual o mais tardar, até 15 dias após o seu regresso, fazendo uso de uma ferramenta electrónica especificamente desenvolvida para esse efeito (acesso através de a ser enviado pelo Reitoria no final da estadia). Após o regresso, o estudante poderá ser chamado à Reitoria para assinatura de uma adenda ao contrato (para receber a tranche final da bolsa e em caso de prolongamento). Anexos a este Guia: Minuta de procuração; Carta de Estudante Erasmus; Declaração comprovativa da estadia.

9 MINUTA DE PROCURAÇÃO Esta procuração não necessita de ser notarial. Deve ser acompanhada da fotocópia do Cartão de Cidadão do procurador. Eu, (nome completo do aluno), portador do Cartão de Cidadão nº..., nascido em../.../..., na Freguesia de..., Concelho de..., (estado civil), residente em..., constituo bastante procurador (nome completo do procurador), portador do Cartão de Cidadão nº..., nascido em.../../..na Freguesia de..., Concelho de..., (estado civil), residente em..., concedendo-lhe plenos poderes para assinar quaisquer documentos respeitantes à mobilidade ERASMUS e receber quaisquer quantias respeitantes a uma eventual bolsa ERASMUS que me tenha sido atribuída. Lisboa,...de... de Assinatura legível

10 CARTA DO ESTUDANTE ERASMUS ERASMUS CARTA DE ESTUDANTE ERASMUS O estatuto de "estudante Erasmus" aplica-se aos estudantes que satisfazem os critérios de elegibilidade Erasmus e que foram seleccionados pela sua universidade (*) para passar um período Erasmus no estrangeiro - quer estudando numa universidade parceira elegível, quer estagiando numa empresa ou outra organização adequada. Para efeitos de mobilidade estudantil, ambas as universidades devem ter sido contempladas pela Comissão Europeia com a Carta Universitária Erasmus. Para efeitos de estágio numa empresa, a universidade de origem deve usufruir da Carta Universitária Erasmus Alargada (isto é, que também abarca os direitos e as obrigações relativos aos estágios). ERASMUS STUDENT CHARTER (*)Por "universidade" entende-se qualquer tipo de instituição do ensino superior que, em conformidade com a legislação ou com as práticas nacionais, confira qualificações ou títulos de nível terciário reconhecidos, ou ainda uma formação profissional de nível terciário.

11 ERASMUS CARTA DE ESTUDANTE ERASMUS Direitos dos estudantes Erasmus:. Beneficiam de um acordo interinstitucional celebrado entre a sua universidade e a universidade de acolhimento.. Celebram um contrato de estudos/estágio com as instituições de envio/acolhimento, contrato este onde se especificam as actividades planeadas no estrangeiro, incluindo quais os créditos que deverão ser obtidos.. Não têm de pagar propinas à universidade de acolhimento a título de aulas recebidas, inscrição, exames, acesso a laboratórios e bibliotecas durante o período Erasmus.. Beneficiam do pleno reconhecimento académico por parte da universidade de origem relativamente às actividades satisfatoriamente completadas durante o período de mobilidade Erasmus, em conformidade com o contrato de estudos/estágio.. Recebem um boletim de registo académico uma vez terminadas as suas actividades no estrangeiro, que abarca os estudos/trabalhos realizados e que é assinado pela instituição/empresa de acolhimento. Neste são registados os resultados alcançados pelo estudante, com os créditos e as notas obtidos. Se o estágio não fazia parte do programa curricular normal, o período ficará pelo menos registado no Suplemento ao Diploma.. São tratados e atendidos pela sua universidade de acolhimento da mesma maneira que os outros estudantes dessa universidade.. Têm acesso à Carta Universitária Erasmus e à Declaração de Estratégia Europeia da sua universidade e da universidade de acolhimento.. Continuam a beneficiar das bolsas de estudo ou dos empréstimos estudantis de que usufruem no seu país de origem enquanto se encontram no estrangeiro. Deveres dos estudantes Erasmus:. Respeitar as regras e obrigações constantes do contrato Erasmus que celebraram com a sua universidade ou Agência Nacional.. Assegurar que quaisquer alterações ao contrato de estudos/estágio são imediatamente aprovadas, por escrito, pelas instituições de envio e de acolhimento.. Cumprir todo o período de estudos/estágio acordado com a universidade/empresa de acolhimento, realizando os exames necessários ou prestando-se a outras formas de avaliação e respeitar as regras instituídas.. Após o regresso, elaborar um relatório acerca do período de estudos/ estágio Erasmus no estrangeiro e prestar quaisquer informações que sejam solicitadas pela universidade de origem, pela Comissão Europeia ou pela Agência Nacional. Se houver problemas:. Identifique o problema claramente e informe-se acerca dos seus direitos e obrigações.. Contacte o coordenador departamental Erasmus e utilize o procedimento de recurso formal da sua universidade de origem, se necessário. Se continuar insatisfeito, contacte a sua Agencia Nacional Av. Infante Santo, nº 2 - PIso Lisboa Telefone Geral: Fax:

12 ANEXO LLP/Erasmus Programme Academic Year 20 /20 We hereby confirm that the student, from the University of Lisboa (P LISBOA02) was enrolled at the University and carried out a period of study as an exchange student within the LLP/Erasmus Programme from / / to / /. Name and status: Signature: Date: Stamp:

Guia do Estudante Erasmus - Período de Estudos

Guia do Estudante Erasmus - Período de Estudos ESTE ANO VOU CONHECER NOVAS PESSOAS ESTE ANO VOU ALARGAR CONHECIMENTOS ESTE ANO VOU FALAR OUTRA LÍNGUA ESTE ANO VOU ADQUIRIR NOVAS COMPETÊNCIAS ESTE ANO VOU VIAJAR ESTE ANO VOU SER ERASMUS Guia do Estudante

Leia mais

E R A S M U S Guia do Estudante ERASMUS. Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Guia do Estudante

E R A S M U S Guia do Estudante ERASMUS. Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Guia do Estudante ERASMUS Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa Guia do Estudante Normas Gerais A mobilidade de estudantes, uma das acções mais frequentes do Programa, inclui duas vertentes de actividade: realização

Leia mais

INSTITUTO CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA

INSTITUTO CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA INSTITUTO CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Mobilidade Internacional para Estudos REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade

Leia mais

FAQ S ESTUDOS ERASMUS

FAQ S ESTUDOS ERASMUS FAQ S ESTUDOS ERASMUS 1. Quem se pode candidatar? Podem-se candidatar ao programa Erasmus todos os estudantes cidadãos, ou com estatuto de residente permanente de um dos 27 países da União Europeia, e

Leia mais

wertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwerty uiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopas Guia Prático de Mobilidade dos dfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjkl

wertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwerty uiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopas Guia Prático de Mobilidade dos dfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjkl qwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwert yuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopa sdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghj klçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxc vbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmq Gabinete de Relações Exteriores wertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwerty

Leia mais

Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa

Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa MOBILIDADE INTERNACIONAL PARA ESTUDOS REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade internacional

Leia mais

Regulamento Geral de Mobilidade Internacional de Estudantes da Universidade Fernando Pessoa 2015-2016

Regulamento Geral de Mobilidade Internacional de Estudantes da Universidade Fernando Pessoa 2015-2016 Regulamento Geral de Mobilidade Internacional de Estudantes da Universidade Fernando Pessoa 2015-2016 1. Mobilidade Internacional de Estudantes Os alunos da Universidade Fernando Pessoa (UFP) que cumpram

Leia mais

Programa ERASMUS. Mobilidade de Estudantes para Estudos - (Students Mobility for Study -SMS) GUIA ERASMUS PERGUNTAS E RESPOSTAS PRÉ-CANDIDATURA

Programa ERASMUS. Mobilidade de Estudantes para Estudos - (Students Mobility for Study -SMS) GUIA ERASMUS PERGUNTAS E RESPOSTAS PRÉ-CANDIDATURA Programa ERASMUS Mobilidade de Estudantes para Estudos - (Students Mobility for Study -SMS) GUIA ERASMUS PERGUNTAS E RESPOSTAS PRÉ-CANDIDATURA 1. Quem se pode candidatar à mobilidade Erasmus para estudos?

Leia mais

GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016

GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016 GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016 Esclarecimentos de dúvidas/informações adicionais: Carolina Peralta/Isabel Silva Gabinete de Relações Internacionais - GRI Rua de Santa Marta, 47, 1º Piso sala 112-1169-023

Leia mais

FACULDADE DE EDUCAÇÃO E PSICOLOGIA

FACULDADE DE EDUCAÇÃO E PSICOLOGIA FACULDADE DE EDUCAÇÃO E PSICOLOGIA MOBILIDADE INTERNACIONAL PARA ESTUDOS REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade internacional para estudos

Leia mais

da Universidade Católica Portuguesa

da Universidade Católica Portuguesa Escola do Porto da Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa MOBILIDADE INTERNACIONAL PARA ESTUDOS REGULAMENTO Aprovado no Conselho Científico de 2 de julho de 2014 CAPÍTULO I Disposições

Leia mais

Programa ERASMUS. Mobilidade de Estudantes para Estudos - (Students Mobility for Study -SMS) GUIA ERASMUS PERGUNTAS E RESPOSTAS

Programa ERASMUS. Mobilidade de Estudantes para Estudos - (Students Mobility for Study -SMS) GUIA ERASMUS PERGUNTAS E RESPOSTAS Programa ERASMUS Mobilidade de Estudantes para Estudos - (Students Mobility for Study -SMS) GUIA ERASMUS PERGUNTAS E RESPOSTAS FORMALIZAÇÃO DA CANDIDATURA 1. Quais são os prazos para formalizar a candidatura?

Leia mais

Programa ERASMUS. Mobilidade de Estudantes para Estudos - (Students Mobility for Study -SMS) GUIA ERASMUS PERGUNTAS E RESPOSTAS PRÉ-CANDIDATURA

Programa ERASMUS. Mobilidade de Estudantes para Estudos - (Students Mobility for Study -SMS) GUIA ERASMUS PERGUNTAS E RESPOSTAS PRÉ-CANDIDATURA Programa ERASMUS Mobilidade de Estudantes para Estudos - (Students Mobility for Study -SMS) GUIA ERASMUS PERGUNTAS E RESPOSTAS PRÉ-CANDIDATURA 1. Quem se pode candidatar à mobilidade Erasmus para estudos?

Leia mais

ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO

ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade internacional para estágio dos estudantes de Licenciatura

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE PORTALEGRE PROGRAMA SECTORIAL ERASMUS REGULAMENTO DE MOBILIDADE

INSTITUTO POLITÉCNICO DE PORTALEGRE PROGRAMA SECTORIAL ERASMUS REGULAMENTO DE MOBILIDADE INSTITUTO POLITÉCNICO DE PORTALEGRE PROGRAMA SECTORIAL ERASMUS REGULAMENTO DE MOBILIDADE 1. Introdução O presente documento visa regulamentar as condições a que deve obedecer a mobilidade de estudantes,

Leia mais

MOBILIDADE DE ESTUDANTES (SMS SMP)

MOBILIDADE DE ESTUDANTES (SMS SMP) MOBILIDADE DE ESTUDANTES (SMS SMP) Critérios de elegibilidade do Estudante Erasmus Estatuto legal do estudante: Os estudantes devem ser nacionais de um estado membro participante no Programa de Aprendizagem

Leia mais

normas de carácter geral programa ERASMUS na vertente estudos

normas de carácter geral programa ERASMUS na vertente estudos programa ERASMUS+ 2016 2017 FACULDADE DE BELAS-ARTES UNIVERSIDADE DE LISBOA guia informativo do programa erasmus estudos o que é o programa ERASMUS +? O programa ERASMUS+, com início em Janeiro de 2014,

Leia mais

GUIA DE CANDIDATURA PARA. ESTÁGIOS ERASMUS - ERASMUS PLACEMENTS (SMp)

GUIA DE CANDIDATURA PARA. ESTÁGIOS ERASMUS - ERASMUS PLACEMENTS (SMp) GUIA DE CANDIDATURA PARA ESTÁGIOS ERASMUS - ERASMUS PLACEMENTS (SMp) INTRODUÇÃO 1. O que é um estágio Erasmus? O Estágio Erasmus é uma parte da sua formação académica (curricular ou extra-curricular) efectuada

Leia mais

GUIA DE CANDIDATURA PARA A ACTIVIDADE DE MOBILIDADE DE ESTUDANTES PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL ERASMUS - ERASMUS PLACEMENTS (SMp)

GUIA DE CANDIDATURA PARA A ACTIVIDADE DE MOBILIDADE DE ESTUDANTES PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL ERASMUS - ERASMUS PLACEMENTS (SMp) GUIA DE CANDIDATURA PARA A ACTIVIDADE DE MOBILIDADE DE ESTUDANTES PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL ERASMUS - ERASMUS PLACEMENTS (SMp) I INFORMAÇÃO GERAL LLP/ERASMUS Placements A Universidade de

Leia mais

FAQ's - Preparação da mobilidade e questões logísticas do intercâmbio

FAQ's - Preparação da mobilidade e questões logísticas do intercâmbio FAQ's - Preparação da mobilidade e questões logísticas do intercâmbio 1. Devo matricular-me na UAc mesmo indo para o estrangeiro? 2. Tenho de pagar propinas na UAc? 3. Tenho que pagar propinas na Universidade

Leia mais

da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO

da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO Escola do Porto da Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade

Leia mais

Mobilidade Estudantil:

Mobilidade Estudantil: Mobilidade Estudantil: 1. Programa Erasmus: Alunos de Economia, Finanças, Gestão e MAEG 2. Protocolo Brasil e China: Alunos de Economia, Finanças, Gestão e MAEG 2 Protocolo Brasil e China As regras a aplicar

Leia mais

REGULAMENTO ACADÉMICO. VI. Mobilidade internacional REG-001/V00

REGULAMENTO ACADÉMICO. VI. Mobilidade internacional REG-001/V00 Mobilidade de Estudos 1. Objeto O presente Regulamento define as regras de Mobilidade de Estudantes ao abrigo dos Programas Garcilaso (Laureate International Universities) e de Aprendizagem ao Longo da

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM Dr. José Timóteo Montalvão Machado. Programa ERASMUS+ Acção-chave 1 Mobilidade para aprendizagem

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM Dr. José Timóteo Montalvão Machado. Programa ERASMUS+ Acção-chave 1 Mobilidade para aprendizagem ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM Dr. José Timóteo Montalvão Machado Programa ERASMUS+ Acção-chave 1 Mobilidade para aprendizagem GUIA DE CANDIDATURA PARA MOBILIDADE DE ESTUDANTES PARA ESTÁGIOS ERASMUS+ (SMP)

Leia mais

Regulamento. Atribuição de uma Bolsa Suplementar Erasmus (BSE-SOC) - 2013/2014

Regulamento. Atribuição de uma Bolsa Suplementar Erasmus (BSE-SOC) - 2013/2014 Regulamento Atribuição de uma Bolsa Suplementar Erasmus (BSE-SOC) - 2013/2014 A. Enquadramento 1. O presente regulamento define e estabelece o regime de submissão e validação de candidaturas, e o processo

Leia mais

GUIA DE CANDIDATURA ESTÁGIO ERASMUS - ERASMUS PLACEMENTS (SMP)

GUIA DE CANDIDATURA ESTÁGIO ERASMUS - ERASMUS PLACEMENTS (SMP) GUIA DE CANDIDATURA ESTÁGIO ERASMUS - ERASMUS PLACEMENTS (SMP) INFORMAÇÃO GERAL 1. O que é um estágio Erasmus? O Estágio Erasmus é uma parte da sua formação académica (curricular ou extracurricular) efectuada

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE SAÚDE DO ALTO AVE Regulamento de Mobilidade Internacional

INSTITUTO SUPERIOR DE SAÚDE DO ALTO AVE Regulamento de Mobilidade Internacional INSTITUTO SUPERIOR DE SAÚDE DO ALTO AVE Regulamento de Mobilidade Internacional Programa ERASMUS - Outgoing Artigo 1º Objecto O presente Regulamento rege a mobilidade de estudantes, docentes e colaboradores

Leia mais

Mobilidade de Estudantes Sessão de Esclarecimento 2015/2016 janeiro 2015 Núcleo de Relações Internacionais do ISEL

Mobilidade de Estudantes Sessão de Esclarecimento 2015/2016 janeiro 2015 Núcleo de Relações Internacionais do ISEL Changing lives. Opening minds. Mobilidade de Estudantes Sessão de Esclarecimento 2015/2016 janeiro 2015 Núcleo de Relações Internacionais do ISEL ERASMUS + Uma porta aberta para a Europa : O novo programa

Leia mais

GUIA PARA CANDIDATURAS ONLINE ESTUDANTES OUTGOING DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA

GUIA PARA CANDIDATURAS ONLINE ESTUDANTES OUTGOING DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA GUIA PARA CANDIDATURAS ONLINE ESTUDANTES OUTGOING DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA Este é um guia prático do processo de inscrição online em programas de mobilidade para estudantes da Universidade de Coimbra

Leia mais

Programa Erasmus Regras de mobilidade para alunos da ECT

Programa Erasmus Regras de mobilidade para alunos da ECT Programa Erasmus Regras de mobilidade para alunos da ECT Introdução O Programa Erasmus é uma iniciativa da União Europeia que fornece meios para a realização de períodos de mobilidade académica em instituições

Leia mais

REGULAMENTO DE PROGRAMAS DE MOBILIDADE E INTERCÂMBIO DE ESTUDANTES OUTGOING INCOMING

REGULAMENTO DE PROGRAMAS DE MOBILIDADE E INTERCÂMBIO DE ESTUDANTES OUTGOING INCOMING 1 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Objecto O presente regulamento estabelece o regime aplicável aos programas de intercâmbio, mobilidade de estudantes e cooperação internacional nos quais o IPAM

Leia mais

PROGRAMAS DE MOBILIDADE - GUIA DO ALUNO

PROGRAMAS DE MOBILIDADE - GUIA DO ALUNO PROGRAMAS DE MOBILIDADE - GUIA DO ALUNO 1. ENTIDADES COORDENADORAS Coordenador de Mobilidade do Mestrado em: Engenharia Biológica (https://fenix.tecnico.ulisboa.pt/cursos/mebiol/programas-de-mobilidade

Leia mais

Regulamento Erasmus 2011/2012

Regulamento Erasmus 2011/2012 1. Preâmbulo O Programa Erasmus tem como objetivo geral apoiar a criação de um Espaço Europeu de Ensino Superior e reforçar o contributo do ensino superior para, entre outros, o processo de inovação a

Leia mais

Regulamento de mobilidade internacional do programa Erasmus no ISAVE

Regulamento de mobilidade internacional do programa Erasmus no ISAVE Regulamento de mobilidade internacional do programa Erasmus no ISAVE Artigo 1º Objecto O presente Regulamento rege a mobilidade de estudantes, docentes e funcionários ao abrigo do Programa Erasmus no ISAVE

Leia mais

REGULAMENTO Regulamento do programa de Aprendizagem ao Longo da Vida (LLP) ERASMUS Mobilidade de Alunos Missão de Estudos e Estágios

REGULAMENTO Regulamento do programa de Aprendizagem ao Longo da Vida (LLP) ERASMUS Mobilidade de Alunos Missão de Estudos e Estágios RG- 10-01 Data: 2010-01-06 INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA ESAC Escola Superior Agrária de Coimbra ESEC Escola Superior de Educação de Coimbra ESTeSC Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra

Leia mais

PROGRAMA SÓCRATES / ACÇÃO ERASMUS Gabinete de Relações Internacionais e Apoio a Projectos Europeus REGULAMENTO. Preâmbulo

PROGRAMA SÓCRATES / ACÇÃO ERASMUS Gabinete de Relações Internacionais e Apoio a Projectos Europeus REGULAMENTO. Preâmbulo PROGRAMA SÓCRATES / ACÇÃO ERASMUS Gabinete de Relações Internacionais e Apoio a Projectos Europeus REGULAMENTO Preâmbulo O Programa de Mobilidade de Estudantes SÓCRATES / ERASMUS é uma iniciativa da União

Leia mais

GUIA PARA CANDIDATURAS ONLINE ESTUDANTES OUTGOING DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA

GUIA PARA CANDIDATURAS ONLINE ESTUDANTES OUTGOING DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA GUIA PARA CANDIDATURAS ONLINE ESTUDANTES OUTGOING DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA Este é um guia prático do processo de inscrição online em programas de mobilidade para estudantes da Universidade de Coimbra

Leia mais

GPRI GABINETE DE PROGRAMAS E RELAÇÕES INTERNACIONAIS

GPRI GABINETE DE PROGRAMAS E RELAÇÕES INTERNACIONAIS GPRI GABINETE DE PROGRAMAS E RELAÇÕES INTERNACIONAIS GUIA DE CANDIDATURA PARA ENSINO E ESTÁGIOS ERASMUS+ Conteúdos I Mobilidade Erasmus+ ENSINO II Candidatura à Mobilidade de Ensino ERASMUS + III Outras

Leia mais

Sessão Esclarecimento ERASMUS

Sessão Esclarecimento ERASMUS Sessão Esclarecimento ERASMUS 2014/2015 07/03/2014 O Erasmus Estudos (SMS) - podem fazer disciplinas e o trabalho/projeto para a tese; O Erasmus Estágio (SMP) - não podem fazer disciplinas, mas podem fazer

Leia mais

Já fui beneficiário de uma mobilidade Erasmus. Posso candidatar-me novamente? Durante quanto tempo poderei realizar o período de mobilidade?

Já fui beneficiário de uma mobilidade Erasmus. Posso candidatar-me novamente? Durante quanto tempo poderei realizar o período de mobilidade? ERASMUS+ - MOBILIDADE DE ESTUDANTES PERGUNTAS FREQUENTES O que é o Erasmus+? Quais os tipos de mobilidade a que posso concorrer? Quem pode candidatar-se? Que restrições existem? Já fui beneficiário de

Leia mais

REGULAMENTO ACADÉMICO. VIII. Bolsas de Estudo REG-001/V00

REGULAMENTO ACADÉMICO. VIII. Bolsas de Estudo REG-001/V00 Artigo 1º Bolsas Erasmus + 1. Objeto 1.1. As bolsas de estudo Erasmus + são atribuídas pela Agência Nacional PROALV diretamente à Universidade Europeia. Posteriormente, a Universidade Europeia distribui

Leia mais

Regulamento do Gabinete Erasmus da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa

Regulamento do Gabinete Erasmus da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa Regulamento do Gabinete Erasmus da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objecto) O presente regulamento estabelece a orgânica do Gabinete Erasmus, bem

Leia mais

NOTA: Para o preenchimento dos formulários em linha, é necessário que Javascript e cookies estejam activados (Internet Explorer e Firefox)

NOTA: Para o preenchimento dos formulários em linha, é necessário que Javascript e cookies estejam activados (Internet Explorer e Firefox) 2012/13 Universidade de Coimbra Mobilidade de Estudantes OUTRAS MOBILIDADES Guia de Inscrição online Guia prático do processo de inscrição online em programas de mobilidade para estudantes da Universidade

Leia mais

PROGRAMA DE CRIAÇÃO DE TALENTOS PARA ANGOLA BOLSA ESCOM Bolsa de Estudo para Cursos Superiores

PROGRAMA DE CRIAÇÃO DE TALENTOS PARA ANGOLA BOLSA ESCOM Bolsa de Estudo para Cursos Superiores PROGRAMA DE CRIAÇÃO DE TALENTOS PARA ANGOLA BOLSA ESCOM Bolsa de Estudo para Cursos Superiores A pretende impulsionar as actividades de Responsabilidade Social em Angola, contribuindo para o seu desenvolvimento.

Leia mais

Regulamento. Atribuição de uma Bolsa Suplementar Erasmus (BSE-SOC) - 2011/2012

Regulamento. Atribuição de uma Bolsa Suplementar Erasmus (BSE-SOC) - 2011/2012 Regulamento Atribuição de uma Bolsa Suplementar Erasmus (BSE-SOC) - 2011/2012 A. Enquadramento 1. O presente regulamento define e estabelece o regime de submissão e validação de candidaturas, e o processo

Leia mais

Instituto Ciências da Saúde. da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO

Instituto Ciências da Saúde. da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO Instituto Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO 1 CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade internacional

Leia mais

PROGRAMAS DE MOBILIDADE INTERNACIONAL

PROGRAMAS DE MOBILIDADE INTERNACIONAL PROGRAMAS DE MOBILIDADE INTERNACIONAL 1) Se eu pretender realizar mobilidade apenas no 2º semestre do próximo ano académico, quando é que devo apresentar a candidatura? 2) Quando é que devo efectuar o

Leia mais

PRÉ-CANDIDATURAS E SELEÇÃO DOS CANDIDATOS... 2 CANDIDATURAS... 5 PREPARAÇÃO DA MOBILIDADE... 8 DURANTE O PERIODO DE MOBILIDADE...

PRÉ-CANDIDATURAS E SELEÇÃO DOS CANDIDATOS... 2 CANDIDATURAS... 5 PREPARAÇÃO DA MOBILIDADE... 8 DURANTE O PERIODO DE MOBILIDADE... Índice PRÉ-CANDIDATURAS E SELEÇÃO DOS CANDIDATOS... 2 CANDIDATURAS... 5 PREPARAÇÃO DA MOBILIDADE... 8 DURANTE O PERIODO DE MOBILIDADE... 12 Gabinete de Mobilidade ICBAS - 2013 Página 1 PRÉ-CANDIDATURAS

Leia mais

Reitoria PROGRAMA DE BOLSAS DE MOBILIDADE PARA ESTUDANTES. Regulamento. Artigo 1º (Disposições Gerais)

Reitoria PROGRAMA DE BOLSAS DE MOBILIDADE PARA ESTUDANTES. Regulamento. Artigo 1º (Disposições Gerais) Reitoria PROGRAMA DE BOLSAS DE MOBILIDADE PARA ESTUDANTES Regulamento Artigo 1º (Disposições Gerais) O Programa de Bolsas de Mobilidade para Estudantes da Universidade de Lisboa tem por objectivo proporcionar

Leia mais

BOLSA FULBRIGHT / FUNDAÇÃO CARMONA E COSTA PARA MESTRADO EM BELAS ARTES / DESENHO REGULAMENTO I DISPOSIÇÕES GERAIS

BOLSA FULBRIGHT / FUNDAÇÃO CARMONA E COSTA PARA MESTRADO EM BELAS ARTES / DESENHO REGULAMENTO I DISPOSIÇÕES GERAIS BOLSA FULBRIGHT / FUNDAÇÃO CARMONA E COSTA PARA MESTRADO EM BELAS ARTES / DESENHO REGULAMENTO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º - Objecto O presente Regulamento consagra as normas aplicáveis à atribuição

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MOBILIDADE BOLSAS SANTANDER LUSO-BRASILEIRAS CONVOCATÓRIA 2015

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MOBILIDADE BOLSAS SANTANDER LUSO-BRASILEIRAS CONVOCATÓRIA 2015 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MOBILIDADE BOLSAS SANTANDER LUSO-BRASILEIRAS CONVOCATÓRIA 2015 É do interesse das Instituições de Ensino Superior promover a excelência do ensino, propiciando aos seus estudantes

Leia mais

I INFORMAÇÃO GERAL LLP/ERASMUS SMS e Outras Mobilidades com a Europa

I INFORMAÇÃO GERAL LLP/ERASMUS SMS e Outras Mobilidades com a Europa Universidade de Coimbra MOBILIDADE DE ESTUDANTES ERASMUS SMS E OUTRAS MOBILIDADES COM A EUROPA Guia de Inscrição online Guia prático do processo de inscrição online em programas de mobilidade para estudantes

Leia mais

Regulamento PAPSummer 2015

Regulamento PAPSummer 2015 Regulamento PAPSummer 2015 Artigo 1º Objectivos do programa, montante e designação das bolsas 1. O programa PAPSummer pretende dar a oportunidade a estudantes portugueses (Estudante) de desenvolver um

Leia mais

I INFORMAÇÃO GERAL LLP/ERASMUS e Outras Mobilidades com a Europa

I INFORMAÇÃO GERAL LLP/ERASMUS e Outras Mobilidades com a Europa 2011/12 Universidade de Coimbra MOBILIDADE DE ESTUDANTES ERASMUS E OUTRAS MOBILIDADES COM A EUROPA Guia de Inscrição online Guia prático do processo de inscrição online em programas de mobilidade para

Leia mais

Regulamento de Bolsas do CCMar

Regulamento de Bolsas do CCMar Regulamento de Bolsas do CCMar CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1º Âmbito O presente Regulamento, aprovado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia ao abrigo do Decreto-Lei nº 123/99, de 20 de Abril,

Leia mais

GUIA PARA CANDIDATURAS ONLINE ESTUDANTES OUTGOING DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA

GUIA PARA CANDIDATURAS ONLINE ESTUDANTES OUTGOING DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA GUIA PARA CANDIDATURAS ONLINE ESTUDANTES OUTGOING DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA Este é um guia prático do processo de inscrição online em programas de mobilidade para estudantes da Universidade de Coimbra

Leia mais

Serviço de Relações Externas - Núcleo de Relações Internacionais NRI / ISEL International Office. PROGRAMA LLP-Erasmus - Mobilidade de Estudantes

Serviço de Relações Externas - Núcleo de Relações Internacionais NRI / ISEL International Office. PROGRAMA LLP-Erasmus - Mobilidade de Estudantes PROGRAMA LLP-Erasmus - Mobilidade de Estudantes F ICHA DE E STUDANTE- 2 0.../ 2 0. Instituição de origem CÓDIGO: P LISBOA 05 NOME: INSTITUTO POLITÉCNICO DE LISBOA ESCOLA/INSTITUTO: ISEL INSTITUTO SUPERIOR

Leia mais

BOLSAS DE ESTUDO DE ESPECIALIZAÇÃO E VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL EM ARTES NO ESTRANGEIRO REGULAMENTO

BOLSAS DE ESTUDO DE ESPECIALIZAÇÃO E VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL EM ARTES NO ESTRANGEIRO REGULAMENTO BOLSAS DE ESTUDO DE ESPECIALIZAÇÃO E VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL EM ARTES NO ESTRANGEIRO I. DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO Artº 1º 1) Com o fim de estimular a especialização e a valorização profissional nos

Leia mais

REGULAMENTO DE MOBILIDADE DE DIPLOMADOS Leonardo da Vinci

REGULAMENTO DE MOBILIDADE DE DIPLOMADOS Leonardo da Vinci REGULAMENTO DE MOBILIDADE DE DIPLOMADOS Leonardo da Vinci Tendo a Coordenação em colaboração com o DGA RI, elaborado e submetido uma candidatura ao Programa Leonardo da Vinci, foi esta aprovada pela Agência

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO DE BOLSAS SANTANDER TOTTA/ UNIVERSIDADE DE COIMBRA 2015

REGULAMENTO DO CONCURSO DE BOLSAS SANTANDER TOTTA/ UNIVERSIDADE DE COIMBRA 2015 REGULAMENTO DO CONCURSO DE BOLSAS SANTANDER TOTTA/ UNIVERSIDADE DE COIMBRA 2015 Este concurso visa reforçar a cooperação existente entre a Universidade de Coimbra (UC) e as instituições suas parceiras,

Leia mais

Programa ERASMUS+ Regulamento UBI

Programa ERASMUS+ Regulamento UBI Programa ERASMUS+ Regulamento UBI 1. Critérios de elegibilidade dos estudantes ERASMUS+ O (a) estudante deverá preencher todos os requisitos enunciados nas Normas para a Gestão das Subvenções Erasmus 2014/2015,

Leia mais

académica e se encontrem assim disponíveis para o exercício de uma actividade profissional, já sem qualquer vínculo ao Ensino Superior2.

académica e se encontrem assim disponíveis para o exercício de uma actividade profissional, já sem qualquer vínculo ao Ensino Superior2. PROGRAMA LEONARDO DA VINCI AÇÃO MOBILIDADE GUIA DO PARTICIPANTE Gabinete de Mobilidade, Estágios e Inserção Profissional Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, Campo Grande, Edifício C5, 1749-016

Leia mais

REGULAMENTO DAS BOLSAS RICARDO JORGE CAPITULO I. Disposições Gerais

REGULAMENTO DAS BOLSAS RICARDO JORGE CAPITULO I. Disposições Gerais REGULAMENTO DAS BOLSAS RICARDO JORGE CAPITULO I Disposições Gerais Artigo 1º Âmbito O presente Regulamento, aprovado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia ao abrigo da Lei n.º 40/2004, de 18 de Agosto,

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MOBILIDADE BOLSA IBERO-AMÉRICA. ESTUDANTES DE LICENCIATURA E MESTRADO SANTANDER UNIVERSIDADES CONVOCATÓRIA 2015

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MOBILIDADE BOLSA IBERO-AMÉRICA. ESTUDANTES DE LICENCIATURA E MESTRADO SANTANDER UNIVERSIDADES CONVOCATÓRIA 2015 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MOBILIDADE BOLSA IBERO-AMÉRICA. ESTUDANTES DE LICENCIATURA E MESTRADO SANTANDER UNIVERSIDADES CONVOCATÓRIA 2015 O Programa Bolsas Ibero-américa. Estudantes de Licenciatura e

Leia mais

RELAÇÕES INTERNACIONAIS PROGRAMA LLP/ERAMUS REDE PRÓPRIA

RELAÇÕES INTERNACIONAIS PROGRAMA LLP/ERAMUS REDE PRÓPRIA INTRODUÇÃO O Programa ERASMUS é um programa de acção da Comunidade Europeia para a cooperação no domínio da educação, adoptado em 14 de Março de 1995. O objectivo global do programa é ajudar a melhorar

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES ERASMUS+ 2015/2016

PERGUNTAS FREQUENTES ERASMUS+ 2015/2016 O que é o Erasmus+? O Erasmus+ teve início no dia 1 de Janeiro de 2014. PERGUNTAS FREQUENTES ERASMUS+ 2015/2016 O Erasmus+ é o novo programa da UE para a educação, formação, juventude e desporto que se

Leia mais

FUNDAÇÃO CONVENTO DA ORADA - ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA. Regulamento de Bolsas de Investigação Científica. Capítulo I Disposições gerais

FUNDAÇÃO CONVENTO DA ORADA - ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA. Regulamento de Bolsas de Investigação Científica. Capítulo I Disposições gerais FUNDAÇÃO CONVENTO DA ORADA - ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA Regulamento de Bolsas de Investigação Científica Capítulo I Disposições gerais Artigo 1º Âmbito O presente Regulamento, segue o modelo aprovado pela

Leia mais

Universidade de Coimbra. Grupo de Missão. para o. Espaço Europeu do Ensino Superior. Glossário

Universidade de Coimbra. Grupo de Missão. para o. Espaço Europeu do Ensino Superior. Glossário Universidade de Coimbra Grupo de Missão para o Espaço Europeu do Ensino Superior Glossário ACÇÃO CENTRALIZADA Procedimentos de candidatura em que a selecção e contratação são geridas pela Comissão. Regra

Leia mais

Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa

Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa FAQ S 1. Quais os requisitos necessários para ingressar num Mestrado? O candidato deverá ser titular do grau de licenciatura ou de mestre sendo as áreas de formação definidas aquando da publicação do edital

Leia mais

Programa de Bolsas Ibero-américa Santander Normas do Programa ISCTE-IUL 2016

Programa de Bolsas Ibero-américa Santander Normas do Programa ISCTE-IUL 2016 Programa de Bolsas Ibero-américa Santander Normas do Programa ISCTE-IUL 2016 Introdução O Banco Santander, através da sua divisão Santander Universidades, promove o Programa de Bolsas Ibero-américa, um

Leia mais

GUIA PARA ACOLHIMENTO DE PESSOAL DE EMPRESA ERASMUS. Missões de Ensino e Formação no IPV 2010/11

GUIA PARA ACOLHIMENTO DE PESSOAL DE EMPRESA ERASMUS. Missões de Ensino e Formação no IPV 2010/11 GUIA PARA ACOLHIMENTO DE PESSOAL DE EMPRESA ERASMUS Missões de Ensino e Formação no IPV I 2010/11 11 1 GUIA ERASMUS PARA ACOLHIMENTO DE PESSOAL DE EMPRESA 2010/11 -Mis Missões sões de Ensino e Formação

Leia mais

Mestrado em Gestão de Sistemas de e-learning. Normas regulamentares. Artigo 1.º Criação

Mestrado em Gestão de Sistemas de e-learning. Normas regulamentares. Artigo 1.º Criação Mestrado em Gestão de Sistemas de e-learning Normas regulamentares Artigo 1.º Criação A Universidade Nova de Lisboa, através da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH/UNL), confere o grau de Mestre

Leia mais

Contrato Erasmus+ AÇÃO-CHAVE 1 Mobilidade individual para fins de aprendizagem. Ensino Superior - Mobilidade para estudos e/ou estágio

Contrato Erasmus+ AÇÃO-CHAVE 1 Mobilidade individual para fins de aprendizagem. Ensino Superior - Mobilidade para estudos e/ou estágio Contrato Erasmus+ AÇÃO-CHAVE 1 Mobilidade individual para fins de aprendizagem Ensino Superior - Mobilidade para estudos e/ou estágio [Denominação legal da entidade de envio e código Erasmus, se aplicável]

Leia mais

5º - Regra sobre a gestão de deslocações, Nacionais e Internacionais

5º - Regra sobre a gestão de deslocações, Nacionais e Internacionais 5º - Regra sobre a gestão de deslocações, Nacionais e Internacionais Como se pode constatar na regra 3, a filosofia de imputação de despesas com deslocações e subsistência, está directamente relacionada

Leia mais

BOLSAS DE ESTUDO DE ESPECIALIZAÇÃO E VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL NO ESTRANGEIRO REGULAMENTO

BOLSAS DE ESTUDO DE ESPECIALIZAÇÃO E VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL NO ESTRANGEIRO REGULAMENTO BOLSAS DE ESTUDO DE ESPECIALIZAÇÃO E VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL NO ESTRANGEIRO REGULAMENTO I. DISPOSIÇÕES GERAIS Artº 1º 1) Com o fim de estimular a especialização e a valorização profissional nos diversos

Leia mais

PRÉ-CANDIDATURAS E SELEÇÃO DOS CANDIDATOS... 2 CANDIDATURAS... 7 PREPARAÇÃO DA MOBILIDADE... 9 DURANTE O PERIODO DE MOBILIDADE...

PRÉ-CANDIDATURAS E SELEÇÃO DOS CANDIDATOS... 2 CANDIDATURAS... 7 PREPARAÇÃO DA MOBILIDADE... 9 DURANTE O PERIODO DE MOBILIDADE... Índice PRÉ-CANDIDATURAS E SELEÇÃO DOS CANDIDATOS... 2 CANDIDATURAS... 7 PREPARAÇÃO DA MOBILIDADE... 9 DURANTE O PERIODO DE MOBILIDADE... 13 Gabinete de Mobilidade ICBAS - 2013 Página 1 PRÉ-CANDIDATURAS

Leia mais

Guia do aluno ERASMUS

Guia do aluno ERASMUS Guia do aluno ERASMUS 1 Erasmus e programa de Aprendizagem ao Longo da Vida O Programa Erasmus procura apoiar a criação de um Espaço europeu de Ensino Superior e reforçar o contributo do ensino superior

Leia mais

REGULAMENTO DOS DIPLOMAS DE ESPECIALIZAÇÃO

REGULAMENTO DOS DIPLOMAS DE ESPECIALIZAÇÃO REGULAMENTO DOS DIPLOMAS DE ESPECIALIZAÇÃO Aprovado em reunião da Comissão Coordenadora do Conselho Científico em 22/11/2006 Aprovado em reunião de Plenário do Conselho Directivo em 13/12/2006 PREÂMBULO

Leia mais

Escola Superior Artística do Porto

Escola Superior Artística do Porto Escola Superior Artística do Porto REGULAMENTO Mobilidade de Estudos Erasmus+ de Alunos com base no Erasmus+ Programme Guide promovido pela Comissão Europeia A vigorar no ano letivo 2014/2015 e anos letivos

Leia mais

GUIA PRÁTICO CARTÃO EUROPEU DE SEGURO DE DOENÇA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO CARTÃO EUROPEU DE SEGURO DE DOENÇA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO CARTÃO EUROPEU DE SEGURO DE DOENÇA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Cartão Europeu de Seguro de Doença (N39 - v4.07) PROPRIEDADE Instituto da Segurança

Leia mais

Câmara Municipal de Cuba

Câmara Municipal de Cuba Câmara Municipal de Cuba Regulamento Municipal de Atribuição de Bolsas de Estudo para Cursos do Ensino Superior CAPITULO 1 Artigo 1 Âmbito 1. O presente Regulamento tem como lei habilitante a Lei n 169/99,

Leia mais

BOLSA FUNDAÇÃO LUSO-AMERICANA / FULBRIGHT PARA DOUTORAMENTOS REGULAMENTO I DISPOSIÇÕES GERAIS

BOLSA FUNDAÇÃO LUSO-AMERICANA / FULBRIGHT PARA DOUTORAMENTOS REGULAMENTO I DISPOSIÇÕES GERAIS BOLSA FUNDAÇÃO LUSO-AMERICANA / FULBRIGHT PARA DOUTORAMENTOS REGULAMENTO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º - Objecto O presente Regulamento consagra as normas aplicáveis à atribuição das bolsas Fundação Luso-Americana

Leia mais

INMOTION 2016 REGULAMENTO DO PROJETO

INMOTION 2016 REGULAMENTO DO PROJETO INMOTION 2016 REGULAMENTO DO PROJETO 2015 nemaac.net facebook.com/nem.academica geral@nemaac.net Regulamento Projeto de Voluntariado Internacional InMotion 1. Definições Gerais 1.1. Geral 1.1.1. O Departamento

Leia mais

Programa Integração profissional de Médicos Imigrantes

Programa Integração profissional de Médicos Imigrantes Programa Integração profissional de Médicos Imigrantes... 2008/2009 regulamento CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1.º Âmbito e objectivo 1. O presente regulamento define as condições de acesso ao programa

Leia mais

Instituto Politécnico de Beja. Regulamento do Programa Leonardo da Vinci (Mobilidade) 2012/2013. Get a Placement in Europe (GaPE)

Instituto Politécnico de Beja. Regulamento do Programa Leonardo da Vinci (Mobilidade) 2012/2013. Get a Placement in Europe (GaPE) Instituto Politécnico de Beja Regulamento do Programa Leonardo da Vinci (Mobilidade) 01/013 Get a Placement in Europe (GaPE) Enquadramento O projeto Get a Placement in Europe (GaPE) tem como principal

Leia mais

Regulamento do. Programa de Estágios Curriculares. no Ministério dos Negócios Estrangeiros

Regulamento do. Programa de Estágios Curriculares. no Ministério dos Negócios Estrangeiros Regulamento do Programa de Estágios Curriculares no Ministério dos Negócios Estrangeiros Preâmbulo Na sequência do acordo tripartido celebrado entre o Governo e os parceiros sociais em junho de 2008 e

Leia mais

GUIA PARA O PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO PROMOÇÃO DA SAÚDE PREVENÇÃO E TRATAMENTO DA DOENÇA REDUÇÃO DE DANOS E REINSERÇÃO

GUIA PARA O PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO PROMOÇÃO DA SAÚDE PREVENÇÃO E TRATAMENTO DA DOENÇA REDUÇÃO DE DANOS E REINSERÇÃO Para efectuar o projecto a que se propõe elaborar deve ler o Regulamento de Programa de Apoio Financeiro ao abrigo da Portaria n.º 1418/2007, de 30 de Outubro, bem como o aviso de abertura do concurso.

Leia mais

RECONHECIMENTO 13. O que é ECTS? 14. Como se compara ECTS com sistemas de pontos de créditos noutros países? 15. O que é um Suplemento ao Diploma?

RECONHECIMENTO 13. O que é ECTS? 14. Como se compara ECTS com sistemas de pontos de créditos noutros países? 15. O que é um Suplemento ao Diploma? PMFs Perguntas Mais Frequentes Nesta página da web pode encontrar as respostas a todas as perguntas que talvez queira fazer sobre estudos musicais na Europa. Perguntas Mais Frequentes PORQUÊ EU? 1. Porque

Leia mais

Regulamento de Aplicação do Sistema do Europeu de Transferência de Créditos (ECTS) à formação ministrada pelo Instituto Politécnico de Santarém (IPS)

Regulamento de Aplicação do Sistema do Europeu de Transferência de Créditos (ECTS) à formação ministrada pelo Instituto Politécnico de Santarém (IPS) Regulamento de Aplicação do Sistema do Europeu de Transferência de Créditos (ECTS) à formação ministrada pelo Instituto Politécnico de Santarém (IPS) CAPÍTULO I Objecto, âmbito e conceitos Artigo 1º Objecto

Leia mais

Perguntas e respostas - FAQ sobre a bolsa de mérito para estudos pós-graduados

Perguntas e respostas - FAQ sobre a bolsa de mérito para estudos pós-graduados Perguntas e respostas - FAQ sobre a bolsa de mérito para estudos pós-graduados 1. Pergunta: Quais são os dados que devem ser lidos antes de apresentar o pedido? Resposta: Devem ser lidos pormenorizadamente

Leia mais

REGULAMENTO DAS BOLSAS CENTRO CIENTÍFICO E CULTURAL DE MACAU. CAPITULO I Disposições Gerais. Artigo 1º Âmbito

REGULAMENTO DAS BOLSAS CENTRO CIENTÍFICO E CULTURAL DE MACAU. CAPITULO I Disposições Gerais. Artigo 1º Âmbito REGULAMENTO DAS BOLSAS CENTRO CIENTÍFICO E CULTURAL DE MACAU CAPITULO I Disposições Gerais Artigo 1º Âmbito O presente Regulamento, aprovado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia ao abrigo da Lei

Leia mais

BOLSAS DE ESTUDO PARA O JAPÃO ANOS ACADÉMICOS DE 2017-2019

BOLSAS DE ESTUDO PARA O JAPÃO ANOS ACADÉMICOS DE 2017-2019 BOLSAS DE ESTUDO PARA O JAPÃO ANOS ACADÉMICOS DE 207-209 O Ministério da Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia do Japão (Monbukagakusho) concede bolsas de estudo a licenciados portugueses para

Leia mais

Escola Superior de Educação. : Changing lives. Opening minds.

Escola Superior de Educação. : Changing lives. Opening minds. Escola Superior de Educação : Changing lives. Opening minds. Perguntas Frequentes Dezembro de 2015 1 Programa Erasmus+ Apresentação Erasmus+: o novo programa da União Europeia para a educação, a formação,

Leia mais

1/12 Perguntas Frequentes sobre o Processo de Candidatura a Bolsas de Formação Contínua Comenius

1/12 Perguntas Frequentes sobre o Processo de Candidatura a Bolsas de Formação Contínua Comenius 1/12 Bem-vinda(o) à Área de Perguntas Frequentes sobre o Processo de Candidatura às Bolsas de Formação Contínua Comenius! Esta área, e respectiva informação disponibilizada, têm como objectivo facilitar

Leia mais

INSTITUTO PORTUGUÊS DO MAR E DA ATMOSFERA, I.P.

INSTITUTO PORTUGUÊS DO MAR E DA ATMOSFERA, I.P. INSTITUTO PORTUGUÊS DO MAR E DA ATMOSFERA, I.P. REGULAMENTO DE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO CIENTIFICA Artigo 1º Âmbito O presente Regulamento, aplica-se às bolsas atribuídas pelo Instituto Português do Mar

Leia mais

BOLSAS DE ESTUDO PARA O JAPÃO ANOS ACADÉMICOS DE 2016-2018

BOLSAS DE ESTUDO PARA O JAPÃO ANOS ACADÉMICOS DE 2016-2018 BOLSAS DE ESTUDO PARA O JAPÃO ANOS ACADÉMICOS DE 2016-2018 O Ministério da Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia do Japão (Monbukagakusho) concede bolsas de estudo a licenciados portugueses

Leia mais

NORMAS REGULAMENTARES DOS MESTRADOS DO ISEG

NORMAS REGULAMENTARES DOS MESTRADOS DO ISEG NORMAS REGULAMENTARES DOS MESTRADOS DO ISEG Nos termos do artigo 26.º do Decreto-Lei n.º 74/2006 de 24 de Março e do Regulamento de Mestrados da Universidade Técnica de Lisboa (Deliberação do Senado da

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 14/2015 de 23 de Janeiro de 2015

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 14/2015 de 23 de Janeiro de 2015 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 14/2015 de 23 de Janeiro de 2015 Considerando os objetivos do Governo dos Açores em promover, na Região, um conhecimento especializado de temáticas

Leia mais