Conheça os seus Direitos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Conheça os seus Direitos"

Transcrição

1 Conheça os seus Direitos Apoio: Televendas:

2 2

3 Televendas:

4 APRESENTAÇÃO Garantir saúde de qualidade é, sem dúvida, obrigação do Estado, que tem a responsabilidade de oferecer acesso à assistência integral a todos. Fato é que a Constituição Federal de 1988 teve papel determinante na implementação do Sistema Único de Saúde, pois estabeleceu uma série de direitos voltados a esses usuários, como medicamentos, cirurgias, isenção no imposto de renda e, em alguns casos de doenças, transporte gratuito, entre outros. Poucas pessoas que utilizam o SUS sabem de seus direitos. É por isso que apresentamos o Guia Saúde Popular, que reúne de forma clara as principais dúvidas e respostas às necessidades da população, para que além de conhecê-las, recebam orientação segura, favorecendo o melhor caminho para fazer valer esses direitos e usufruí-los sempre que possível. Historicamente, vale lembrar que antes da criação deste sistema, a realidade era outra. Os únicos que recebiam atendimento à saúde eram os trabalhadores contratados no regime CLT, por meio do Inamps (Instituto Nacional de Assistência Médica e Previdência Social), substituído mais tarde pelo INPS (Instituto Nacional de Previdência Social). Enquanto isso, o restante da sociedade dependia das entidades beneficentes que, por sinal, eram muito precárias. A situação se modifi ca com a criação do SUS que, em 25 anos de atuação, estendeu assistência à saúde para todos os brasileiros, em igualdade de condições. Alcançou as classes mais vulneráveis e menos privilegiadas. Representou avanço signifi cativo, principalmente do ponto de vista social, como também um grande modelo de inclusão social. É um orgulho para a Associação Paulista de Medicina apresentar um trabalho tão importante como este, que reforça os direitos dos usuários do Sistema Único de Saúde. Esta é uma contribuição necessária da APM e dos alunos e professores da Escola Paulista de Medicina com a sociedade para fortalecer, cada vez mais, o sistema. A despeito do fi nanciamento insufi ciente, da difi culdade de acesso e dos problemas de gestão existentes até hoje, as entidades médicas e a classe em geral continuarão lutando a favor da melhoria do SUS para que a população tenha a melhor assistência possível, sempre resguardando a questão da igualdade. Florisval Meinão Presidente da Associação Paulista de Medicina 4

5 PREFÁCIO Venho de uma família humilde e tive que começar a trabalhar muito cedo em uma das poucas farmácias que existiam na cidade em que nasci, no interior do Paraná. Assim, fi cava muito comovido ao conviver com a dura realidade daquelas pessoas que não conseguiam tratar da saúde por falta de recursos para comprar os medicamentos. Por admirar quem trabalha muito e de forma honesta para alcançar os seus objetivos, anos mais tarde, quando vim para São Paulo, abri o meu próprio negócio. E então procurei investir em ações de responsabilidade social e apoiar projetos que possam benefi ciar a vida das pessoas. O desenvolvimento dos programas de acesso à saúde para a população no Brasil tem sido uma das preocupações dos nossos governantes, da sociedade e, particularmente, minha também. Mas há muito ainda por se fazer para que todos tenham garantido os seus direitos de cidadãos. Vivemos numa sociedade atuante e que, cada vez mais, passa a exigir os seus direitos. Porém, inúmeras pesquisas indicam que uma grande parcela não sabe quais são e como utilizá-los. Não sabem porque, na maioria dos casos, não têm acesso ao conhecimento nem às informações necessárias. Assim, o Guia Saúde Popular, uma iniciativa louvável da Associação Paulista de Medicina e do Dr. Fábio Freire José, merece todo o nosso apoio já que vai ao encontro das expectativas daquelas pessoas que são usuárias dos benefícios oferecidos pelo SUS Sistema Único de Saúde. Todo brasileiro pode utilizar os serviços garantidos pelo SUS. Porém, nem todos, inclusive os profi ssionais de saúde, conhecem o programa e os benefícios oferecidos na sua totalidade. Este projeto visa exatamente a conscientização de cada cidadão por seus direitos e, sobretudo, para que aprendam como colocar em prática a sua utilização. Do começo ao fi m, o Guia da Saúde Popular é um grande aliado para que a sociedade, principalmente a parcela mais carente, possa conquistar efetivamente os seus direitos e, com isso, ter mais saúde e qualidade de vida. Uma sociedade sadia é uma sociedade produtiva e participativa. Sidney Oliveira Presidente da Ultrafarma Televendas:

6 6

7 GUIA DE ACESSO AOS RECURSOS DE SAÚDE E JURÍDICOS Informações gerais Sistema Único de Saúde Principais Programas do Ministério da Saúde Assistência Farmacêutica no âmbito do SUS Direitos dos pacientes Auxílio-Doença e Auxílio-Acidente Aposentadoria por invalidez (INSS) Quitação e Financiamento da casa própria Isenção Tributária Isenção Tarifária Prioridade em andamento de Processos Judiciais Saque do FGTS e PIS/PASEP Benefício de Prestação Continuada Terceiro setor Principais ONGs e Associações de pacientes nacionais ligadas a saúde Televendas:

8 8

9 1 Recursos do acesso saúde INTRODUÇÃO Vivemos em uma realidade extremamente cruel do ponto de vista econômico e social. A pressão por resultados e a sobrecarga do sistema de saúde condena milhões de pessoas a terem amplifi cado o sofrimento causado pelas mais diversas enfermidades. Em um país como o nosso, em que a imensa maioria das pessoas depende da rede pública para acesso à saúde, atenção especial deve ser dada aos princípios de universalização, equidade e integralidade, que são a espinha dorsal do Sistema Único de Saúde (SUS). Baixos salários no serviço público, excesso de pacientes e difi culdades estruturais tornam as vidas dos usuários do sistema de saúde público e seus profissionais um martírio incessante. Um ponto que torna-se evidente na prática diária no setor público é que muitas destas difi culdades são agravadas pela falta de informação da população e dos próprios profissionais de saúde acerca de muitos dos programas e benefícios oferecidos pelas três esferas governamentais, órgãos públicos, entidades filantrópicas e organizações não governamentais. Este projeto nasceu com o objetivo de lidar com este problema através da elaboração de um guia dos serviços de saúde oferecidos à população. Trata-se de iniciativa voltada a sanar o problema da não utilização dos recursos motivada por pura e simples falta de informação, que busca aumentar a consciência da população sobre seus direitos e também colaborar com os profi ssionais de saúde em sua atuação como promotores de saúde. Esta iniciativa é realizada por acadêmicos de Medicina de SP, apoiada integralmente pela Associação Paulista de Medicina. Tem como idealizadores o Dr. Fábio Freire José, médico clínico, reumatologista e preceptor de ensino de residentes e estudantes no Hospital São Paulo e Dra Jellin Chuang médica graduada e residente na área de clínica médica da UNIFESP. Para saber mais visite o site: Televendas:

10 2.1 Sistema Único de Saúde: SUS O que é Sus? O Sistema Único de Saúde (SUS) é o maior sistema público de saúde do mundo. Em nenhum outro país mais de 190 milhões de pessoas têm direito a ações que vão desde a prevenção, promoção de saúde e o atendimento ambulatorial até procedimentos complexos como o tratamento do câncer e o transplante de órgãos. É um sistema amplo formado por várias instituições, nos três níveis do governo (União, Estados, Municípios), até o setor privado, desde que ele atue com as mesmas normas do serviço público. No Brasil, a SAÚDE é um direito de todos e um dever do Estado, segundo Art 196 da Constituição Federal. Apesar de haver ainda muito a ser feito para a consolidação do SUS no país, suas políticas têm dado resultado. Nos últimos 20 anos, a mortalidade infantil entre crianças de menos de um ano caiu 60%. A redução no número de doenças cardiovasculares e respiratórias crônicas em paralelo com a diminuição no uso de cigarro contribuiu de forma importante para a queda de 20% na mortalidade por doenças crônicas. 10

11 2.1 Sistema Único de Saúde: SUS Quais os princípios e diretrizes do SUS? A organização e o funcionamento do SUS estão balizados pelos seguintes princípios e diretrizes constitucionais: Saúde como direito de todos e dever do Estado; Universalidade: Acesso igualitário às ações e serviços de promoção, proteção e recuperação da saúde; Responsabilidades bem defi nidas para o governo federal, estadual e municipal; Integralidade da assistência, que assegure serviços preventivos e curativos; Descentralização, reconhecendo a natureza local da maioria dos serviços de saúde; Participação da população através dos Conselhos de Saúde. O que é a Atenção Primária à Saúde? A Atenção Primária corresponde ao primeiro nível de atenção à saúde e engloba ações de caráter individual ou coletivo. Estas ações têm como objetivo a promoção da saúde, a prevenção de doenças, seu diagnóstico, o tratamento subsequente e também a reabilitação dos pacientes. São realizadas pelas especialidades básicas da área da saúde: clínica médica; pediatria; obstetrícia e ginecologia; odontologia; enfermagem; psicologia; serviço social. Televendas:

12 2.1 Sistema Único de Saúde: SUS No contexto do SUS, a prioridade para todos os municípios deve ser a Atenção Primária. Isso acontece porque a Atenção Primária bem organizada garante resolução de cerca de 80% das necessidades e problemas de saúde da população de um município. As demandas de saúde da população não satisfeitas na Atenção Primária são atendidas nos serviços de média a alta complexidade. O que é Média Complexidade? São ações e serviços cuja prática demanda profi ssionais especializados e o uso de recursos avançados de apoio diagnóstico e terapêutico. Como exemplos de procedimentos de Média Complexidade é possível citar: cirurgias ambulatoriais especializadas; procedimentos traumato-ortopédicos; ações especializadas em odontologia; patologia clínica; anatomopatologia e citopatologia; diagnóstico por imagem; fi sioterapia; terapias especializadas. O que é Alta Complexidade? Ações de alta complexidade envolvem alta tecnologia e, normalmente, alto custo. São exemplos de alta complexidade no SUS: assistência ao paciente portador de doença renal crônica; assistência ao paciente com câncer; cirurgia cardíaca; procedimentos de neurocirurgia; assistência aos pacientes portadores de obesidade; reprodução assistida. 12

13 22.1 Sistema Único de Saúde: SUS O que é o cartão do SUS? Para ter mais facilidade no acesso aos serviços oferecidos pelo SUS, o usuário deve obter seu Cartão Nacional de Saúde, mais conhecido como o cartão do SUS. Este cartão nada mais é que um documento pessoal e traz o nome e número de registro do usuário no banco de dados do Ministério da Saúde. Através desse banco de dados o Ministério pode centralizar as informações sobre a saúde da população brasileira e fornecer dados para a elaboração de novas políticas de saúde e melhorias nas já existentes. Como obter o cartão SUS? Para obter o cartão do SUS o usuário deve ir a uma Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima de sua casa. São necessários os seguintes documentos: RG, CPF, número de PIS/PASEP (se houver), comprovante de residência. Televendas:

14 2.1 Sistema Único de Saúde: SUS Estrangeiros têm direito ao cartão SUS? Sim, todos os brasileiros, mesmos natos ou naturalizados, bem como os estrangeiros com residência permanente no país, têm direito ao CARTÃO SUS, independentemente de sua idade. Não ter o cartão SUS, independente da nacionalidade, impedirá o atendimento no SUS? Não, mesmo sem o CARTÃO SUS, seja brasileiro ou estrangeiro com qualquer tipo de visto de entrada no país, não poderá impedir o atendimento em qualquer unidade de saúde que pertença ao SUS. Mas é importante lembrar que o CARTÃO facilita a identifi cação e acesso ao atendimento no SUS. BIBLIOGRAFIA 1. VICTORA, CG; BARRETO, ML; DO CARMO, LM; MONTEIRO, CA; SCHMIDT, MI; PAIM, J; BASTOS, 2. FL; ALMEIDA, C; BAHIA, L; TRAVASSOS, C; REICHENHEIM, M; BARROS, FC. Health conditions and health-policy innovations in Brazil: the way forward. Lancet Jun 11;377(9782): Epub 2011 May MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria Nacional de Assistência à Saúde. ABC do SUS: Comunicação visual/instruções Básicas. Brasília: Secretaria Nacional de Assistência à Saúde, Acessado em 5 de junho de 2006 emhttp://www.ensp.fiocruz.br/radis/ web/abcdosus.pdf. 4. Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde. O SUS de A a Z: garantindo saúde nos municípios. Brasília: Ministério da Saúde, ISBN Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde. O Desenvolvimento do Sistema Único de Saúde: avanços, desafi os e reafi rmação dos seus princípios e diretrizes. 1. ed., 2ª reimpr. Brasília: Ministério da Saúde, ISBN SOUZA, RR. O sistema público de saúde brasileiro. Brasília: Ministério da Saúde, Disponível em servico/arquivos/destaque828.pdf. 7. SOUZA, RR. Construindo o SUS: a lógica do financiamento e o processo de divisão de responsabilidades entre as esferas de governo Disponível em 8. SUS, O que você precisa saber sobre o sistema único de saúde, Associação paulista de medicina. 14

15 2.2 Programas Governamentais 2O que são Programas Governamentais? Programas Governamentais são ações de iniciativa governamental seja ela na esfera federal, estadual ou municipal, visando conceder benefícios e reconhecer direitos da população. Programas Federais Os programas citados abaixo são do Ministério da Saúde, e podem ser melhor esclarecidos nos seguintes endereços e telefone: SITE: acoes-e-programas.html DISQUE SAÚDE - Tel.: End: Ministério da Saúde Esplanada dos Ministérios - Bloco G - Brasilia / DF CEP: Televendas:

16 2 Programas Governamentais 2.2 Saúde Mais Perto de Você Conjunto de iniciativas do Departamento de Atenção Básica (DAB) para cuidar da população no local onde vive. Nele estão incluídos: Estratégia Saúde da Família (que compõe a Política Nacional de Atenção Básica), Brasil Sorridente (Política Nacional de Saúde Bucal); Melhor em Casa (Serviço de Atenção Domiciliar); Política Nacional de Alimentação e Nutrição; Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares; Programa de Requalifi cação das Unidades Básicas de Saúde; Programa Nacional de Melhoria do Acesso e Qualidade na Atenção Básica (PMAQ-AB); Programa Telessaúde Brasil Redes; Equipes de Consultórios na Rua; Programa Saúde na Escola (PSE); Projeto de Expansão e Consolidação da Estratégia Saúde da Família (PROESF), entre outros programas, ações e estratégias. Para saber mais: 16

17 2.2 Programas Governamentais Farmácia Popular do Brasil Garante o acesso gratuito a produtos básicos e essenciais, a baixo custo, inclusive de usuários que têm difi culdade em adquirir medicamentos em farmácias comerciais. O programa facilita o acesso a medicamentos essenciais. Para adquirir, basta que o interessado visite uma unidade própria do programa ou uma drogaria com a marca Aqui tem Farmácia Popular. Nas unidades próprias, é necessária a apresentação da receita médica ou odontológica. Nas drogarias, além da receita é necessária a apresentação de, comprovante de endereço, documento com foto e o CPF. Para cada pessoa, será entregue remédios sufi cientes para um mês. Para saber mais: Medicamento Fracionado Medicamentos fracionados são remédios fabricados em embalagens especiais e vendidos na medida exata que você precisa. Por exemplo, se você precisa tomar 4 comprimidos, não precisa mais comprar a caixa com 6. Agora, as farmácias e as drogarias poderão oferecer remédios na quantidade exata que seu médico recomendou. Vários remédios já são vendidos fracionados. Para comprar, basta apresentar a receita em uma drogaria ou farmácia habilitada. O remédio será fracionado sob supervisão e responsabilidade do farmacêutico. Para saber mais: Televendas:

18 2.2 Programas Governamentais Academia da Saúde O Programa Academia da Saúde, criado pela Portaria nº 719, de 07 de abril de 2011, tem como principal objetivo contribuir para a promoção da saúde da população através de práticas corporais e atividades físicas e de lazer e modos de vida saudáveis. As atividades serão desenvolvidas por profi ssionais de saúde da Atenção Primária em Saúde, especialmente dos Núcleos de Saúde da Família (NASF), podendo ser agregados profi ssionais de outras áreas do setor público. Para saber mais: 18

19 2.2 Programas Governamentais Rede Saúde Toda Hora A rede Saúde Toda Hora, coordenada pelo Ministério da Saúde e executada pelos gestores estaduais e municipais, contempla, além do SAMU 192, UPAS 24 horas, Salas de Estabilização, serviços da Atenção Básica e Melhor em Casa, promove o SOS Emergência, com intenção de procurar o enfrentamento das principais necessidades dos hospitais, melhorar a gestão, qualifi car e ampliar o acesso aos usuários em situações de urgência, reduzir o tempo de espera, e garantir atendimento ágil, humanizado e com acolhimento, funcionando com os demais serviços de urgência e emergência. Para saber mais: SAMU 192 (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência e Emergência) O prestar de primeiros socorros à população em casos de urgência e de emergência. O socorro é feito após a chamada para o telefone 192. A ligação é gratuita. Serviço de Atendimento Móvel de Urgência e Emergência foi criado a fi m de disponibilizar os recursos necessários para melhor atender ao pedido de auxílio, por meio de uma orientação médica, um conselho ou, ainda, deslocar uma equipe de suporte básico e/ou avançado de vida, de acordo com a necessidade do caso. Para saber mais: Televendas:

20 2.2 Programas Governamentais UPA 24 horas As UPA 24h (Unidades de Pronto Atendimento 24 horas) são estruturas de complexidade intermediária, entre a Atenção Básica e as portas de urgência hospitalares. Com sua estrutura mais simplifi cada que o pronto-socorro, quando o paciente chega às unidades, os médicos prestam socorro e analisam se é necessário encaminhar o paciente a um hospital ou mantê-lo em observação por 24h. Para saber mais: Programa de combate as Doenças Sexualmente Transmissíveis O Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais trabalha para combater e reduzir a transmissão dessas doenças e promove a qualidade de vida aos pacientes. Para saber mais: Pacto Nacional pela Redução da Mortalidade Materna e Neonatal Na luta contra os elevados índices de mortalidade materna e neonatal no Brasil, o pacto promove a melhoria da atenção obstétrica e neonatal através da mobilização e da participação de gestores das esferas Federal, Estadual e Municipal e da sociedade civil. Para saber mais: 20

21 2.2 Programas Governamentais Política Nacional de Saúde Mental A Política Nacional de Saúde Mental busca consolidar um modelo de atenção à saúde mental aberto e de base comunitária, através da rede de serviços, tais como os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), os Serviços Residenciais Terapêuticos (SRT), os Centros de Convivência e Cultura e os leitos de atenção integral. Está incluso o Programa de Volta para Casa, que propõe a reintegração social de pessoas acometidas de transtornos mentais e egressas de longas internações. Para saber mais: Programa de Controle do Tabagismo O Instituto Nacional de Câncer (INCA) coordena e executa, em âmbito nacional, ações que visam a redução da incidência e mortalidade por câncer e doenças tabaco-relacionadas no país. Estão disponíveis no site informações sobre tabagismo passivo, orientações sobre como parar de fumar e perguntas frequentes sobre o uso do tabaco, entre outros. Para saber mais: Televendas:

22 2.2 Programas Governamentais Viva Mulher Programa Nacional de Controle do Câncer do Colo do Útero e de Mama - Viva Mulher coordenado pelo INCA, com o objetivo de reduzir mortes causadas pelo câncer do colo do útero e de mama, permite à mulher um acesso mais rápido e fácil ao diagnóstico precoce, além do tratamento e reabilitação adequados. Para saber mais: programa_nacional_controle_cancer_colo_utero Programa Saúde na Escola O Programa Saúde na Escola, lançado em 2008, visa reforçar a prevenção à saúde dos alunos brasileiros, por meio de avaliação da saúde dos estudantes. Em conjunto com o Ministério da Educação, o programa procura promover o desenvolvimento pleno do estudante, aproveitando o espaço privilegiado da escola para práticas de promoção, prevenção da saúde e construção de uma cultura de paz. Para saber mais: cfm?idtxt=29126&janela=1 22

23 Programas Governamentais 22.2 Projeto Olhar Brasil O Projeto Olhar Brasil, criado em parceria pelos ministérios da Educação e da Saúde, busca identifi car problemas visuais em alunos matriculados na rede pública de ensino fundamental e em pessoas com mais de 60 anos de idade. O projeto promove não só a consulta oftalmológica, mas também a aquisição dos óculos. Para saber mais: Política Nacional de Alimentação e Nutrição A Política Nacional de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde procura garantir a qualidade dos alimentos disponíveis para consumo no país, bem como promover práticas alimentares saudáveis e prevenir e controlar distúrbios nutricionais. Para saber mais: Televendas:

24 2.2 Programas Governamentais Melhor em Casa O Programa Melhor em casa estimula que, pessoas com necessidade de reabilitação motora, idosos, pacientes crônicos sem agravamento ou em situação pós-cirúrgica tenham assistência multiprofi ssional (médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem, fi sioterapeuta, dentre outros) gratuita em seus lares, com cuidados mais próximos da família. É executado em parceria com estados e municípios, através das Redes de Atenção à Saúde (Saúde Mais Perto de Você e Saúde Toda Hora). Para saber mais: Políticas Nacionais de Atenção Integral de Saúde São a política e as ações do Ministério da Saúde que buscam garantir atenção integral à saúde da população brasileira, com o objetivo de elaborar as diretrizes políticas e técnicas para a atenção integral. É composta pelos diversos perfi s populacionais. Para saber mais: Criança: Jovem e Adolescente: area=241 Mulher: Homem:http://portal.saude.gov.br/portal/saude/area.cfm?id_area=1623 Trabalhador: Idoso: Pessoa com deficiência: area=

25 22.3 Como ter acesso a medicamentos? Assistência Farmacêutica no Âmbito do SUS O que é Assistência Farmacêutica? A Assistência Farmacêutica é o conjunto de atividades relacionadas aos medicamentos no país e que são destinadas a apoiar as ações de saúde em uma comunidade. Envolve o abastecimento de medicamentos nas localidades em que sejam necessários, os cuidados na conservação e no controle de qualidade, a garantia de segurança e efi cácia terapêutica e a educação permanente dos profi ssionais da saúde, dos pacientes e das comunidades para que sejam utilizados corretamente. O que são Medicamentos Essenciais? São remédios que devem estar disponíveis em todos os momentos em quantidades e dosagens adequadas e a um preço que os indivíduos e a comunidade possam pagar. A ideia de medicamentos essenciais existe em todo o mundo e compreende uma lista de medicamentos que satisfazem às principais necessidades do cuidado de saúde da população. Esses medicamentos são selecionados por critérios de eficácia, isto é, se funcionam corretamente, de segurança, de conveniência, de qualidade e comparação de custo mais favorável. Televendas:

26 2.3 Como ter acesso a medicamentos? O que é Rename? RENAME é a Relação Nacional de Medicamentos Essenciais, lista de medicamentos que foram selecionados e considerados medicamentos essenciais em nosso país. Sua publicação é responsabilidade do Ministério da Saúde e sua sétima e última edição foi impressa em 2010 (Portaria GM 1.044, de 5 de maio de 2010; DOU nº 85, de 6 de maio de 2010). A lista completa de medicamentos essenciais pode ser encontrada no seguinte endereço: O médico, na prescrição, deve privilegiar os remédios que fazem parte da RENAME. Caso o medicamento seja indispensável para o tratamento e estiver fora da lista, os médicos têm autonomia para indicá- -los, desde que sua efi cácia já tenha sido comprovada. Além disso, cada estado e município pode também acrescentar à RENAME outros medicamentos, de acordo com as necessidades de sua população. Existem, portanto, a Relação Estadual de Medicamentos Essenciais (RESME) e a Relação Municipal de Medicamentos Essenciais (REMUME) Dessa forma, é importante sempre conferir a lista apropriada junto às secretarias estaduais e municipais. Não são todos os estados e municípios que possuem suas próprias listas. O que é o Programa Saúde não tem preço? Com o Saúde Não Tem Preço, a população brasileira que sofre com hipertensão, diabetes ou asma passa a ter acesso gratuito aos medicamentos para o tratamento destas doenças. Esta oferta de medicamentos gratuitos na rede Aqui Tem Farmácia Popular é resultado de um acordo entre o Ministério da Saúde e sete entidades da indústria e do comércio. O acordo benefi cia 33 milhões de brasileiros hipertensos e 7,5 milhões de diabéticos. Além de ajudar no orçamento das famílias mais humildes, que comprometem 12% de suas rendas com medicações. 26

27 2.3 Como ter acesso a medicamentos? A lista de medicamentos oferecidos no programa pode ser encontrada no site: Para obter tais medicamentos basta ir à uma drogaria conveniada à rede Aqui tem Farmácia Popular e apresentar o CPF, um documento original com foto e a receita médica (que tem validade máxima de 120 dias ou 4 meses). O que são Medicamentos de Referência? A inclusão de um produto farmacêutico na Lista de Medicamentos de Referência qualifi ca-o como parâmetro de efi cácia, segurança e qualidade para os registros de medicamentos genéricos e similares no Brasil. Popularmente são chamados remédios de marca original. A lista pode ser encontrada em: O que são Medicamentos Genéricos? Os medicamentos genéricos têm a mesma substância ativa, forma farmacêutica, dosagem e indicação terapêutica que os medicamentos originais, isto é, são iguais em sua utilização e só diferem do original pela marca. Não são todos os medicamentos que possuem um correspondente genérico, pois as empresas farmacêuticas possuem patentes que permitem sua comercialização por alguns anos antes que seja autorizada a fabricação de genéricos. Nos genéricos deve estar escrito Medicamento Genérico dentro de uma tarja amarela. Como os genéricos não têm marca, o nome na embalagem é o princípio ativo do medicamento. O preço do medicamento genérico é menor porque os fabricantes não necessitam fazer investimentos em pesquisas para o seu desenvolvimento. Outro motivo para os preços reduzidos dos genéricos diz respeito ao marketing. Os seus fabricantes, a princípio, não necessitam fazer propaganda, pois não há marca a ser divulgada. A lista pode ser encontrada em: Televendas:

28 2.3 Como ter acesso a medicamentos? O que são Medicamentos Similares? Medicamento Similar é aquele que contém o mesmo ou os mesmos princípios ativos, apresenta mesma concentração, forma farmacêutica, via de administração, posologia e indicação terapêutica, e que é equivalente ao Medicamento de Referência registrado no órgão federal responsável pela vigilância sanitária. Porém, pode diferir somente em características relativas ao tamanho e forma do produto, prazo de validade, embalagem, rotulagem e excipientes, devendo sempre ser identifi cado por nome comercial ou marca. Desde 2003 os similares passaram a ser obrigados a passar pelos mesmos testes de bioequivalência que os Genéricos. Em outras palavras eles são réplicas dos medicamentos de referência, assim como os genéricos com a diferença de que podem ser comercializados com um nome comercial próprio e não com o princípio ativo na embalagem como ocorre com os Genéricos. O que são medicamentos excepcionais ou de alto custo? Muitos medicamentos são extremamente dispendiosos e não são acessíveis para a maior parte da população. Para resolver esse problema, foi criado pelo Ministério da Saúde o Programa de Medicamentos Excepcionais. São considerados medicamentos excepcionais aqueles que tenham elevado valor unitário, ou que, pelo longo período de tratamento que pode ser por toda a vida tornam-se excessivamente caros e inviabilizam sua utilização pela população. A lista de medicamentos de alto custo e o código de doenças que a eles dão direito podem ser acessados em: cfm?idtxt=34029&janela=1 Neste programa estão incluídos medicamentos para o tratamento de doenças como a artrite reumatoide, a asma grave e Alzheimer. Estão incluídos também os medicamentos utilizados após o transplante de órgãos. 28

IX ISENÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA NA APOSENTADORIA

IX ISENÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA NA APOSENTADORIA IX ISENÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA NA APOSENTADORIA Instrução Normativa SRF 15, de 6/2/2001 O que é? Os portadores de câncer (neoplasia maligna) estão isentos do Imposto de Renda relativo aos rendimentos de

Leia mais

ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA (ELA)

ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA (ELA) ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA (ELA) Recebi o diagnóstico de ELA e agora? Orientações básicas sobre direitos previdenciários Esta cartilha surgiu com a intenção de esclarecer dúvidas frequentes, quando

Leia mais

ÍNDICE. 1. Objetivos. 3. Saque do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) 4. Licença para Tratamento de Saúde (Auxílio-Doença)

ÍNDICE. 1. Objetivos. 3. Saque do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) 4. Licença para Tratamento de Saúde (Auxílio-Doença) ÍNDICE 1. Objetivos 3. Saque do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) 4. Licença para Tratamento de Saúde (Auxílio-Doença) 5. Aposentadoria por Invalidez 6. Isenção do Imposto de Renda na Aposentadoria

Leia mais

MANUAL DO PACIENTE ONCOLÓGICO

MANUAL DO PACIENTE ONCOLÓGICO MANUAL DO PACIENTE ONCOLÓGICO 1 2 ÍNDICE 1. Objetivos 03 2. Algumas doenças graves previstas em Lei 04 3. Saque do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) 05 4. Licença para Tratamento de Saúde (Auxílio-Doença)

Leia mais

Projeto de Lei N.º, de 2012 (do Sr. Arnaldo Faria de Sá)

Projeto de Lei N.º, de 2012 (do Sr. Arnaldo Faria de Sá) Projeto de Lei N.º, de 2012 (do Sr. Arnaldo Faria de Sá) Altera o art. 186, da Lei 8.112/90 e o art. 151 da Lei 8.213/91 O Congresso Nacional decreta: Art. 1º - O 1º, do art. 186, da Lei 8.112/90, passa

Leia mais

DIREITOS DOS PACIENTES COM CÂNCER. Palestra CION/2014

DIREITOS DOS PACIENTES COM CÂNCER. Palestra CION/2014 DIREITOS DOS PACIENTES COM CÂNCER Palestra CION/2014 nagilasauaia@hotmail.com FGTS a) direito de levantar FGTS: 1) trabalhador com neoplasia maligna (câncer) e 2) qualquer trabalhador que tenha dependente

Leia mais

APOSENTADORIA POR INVALIDEZ - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas

APOSENTADORIA POR INVALIDEZ - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas APOSENTADORIA POR INVALIDEZ - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 13/10/2011. Sumário: 1 - Introdução 2 - Aposentadoria por Invalidez 2.1 - Concessão

Leia mais

Aposentadoria por invalidez pressupõe a existência de uma incapacidade total e definitiva para o trabalho

Aposentadoria por invalidez pressupõe a existência de uma incapacidade total e definitiva para o trabalho A. Aposentadoria por invalidez Decreto Federal nº 3.048, de 06 de maio de 1999 (Regulamento da Previdência Social), que regulamentou a Lei Federal nº 8.122, de 24 de julho de 1991 (Lei Orgânica da Seguridade

Leia mais

PRESTAÇÕES BENEFICIÁRIAS. Benefícios e Serviços

PRESTAÇÕES BENEFICIÁRIAS. Benefícios e Serviços Seguridade Social Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p 20 PRESTAÇÕES BENEFICIÁRIAS Benefícios e Serviços As prestações compreendidas pelo Regime Geral de Previdência Social são expressas em benefícios

Leia mais

Informações sobre Aposentadoria

Informações sobre Aposentadoria MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES Subsecretaria-Geral do Serviço Exterior Departamento do Serviço Exterior Informações sobre Aposentadoria Departamento do Serviço Exterior Divisão de Pagamentos Esplanada

Leia mais

Direitos do paciente com câncer

Direitos do paciente com câncer Direitos do paciente com câncer Saque do FGTS O trabalhador com câncer pode realizar o saque do FGTS na fase sintomática da doença, o trabalhador cadastrado no FGTS que tiver neoplasia maligna (câncer)

Leia mais

XVII Congresso Brasileiro de Perícia Médica. Isenção de Carência do INSS Temporário x Definitivo

XVII Congresso Brasileiro de Perícia Médica. Isenção de Carência do INSS Temporário x Definitivo INSS - DIRETORIA DE BENEFÍCIOS XVII Congresso Brasileiro de Perícia Médica Isenção de Carência do INSS Temporário x Definitivo Filomena Maria Bastos Gomes Coordenadora Geral de Benefícios por Incapacidade

Leia mais

INVESTIMENTO I - IMPOSTO DE RENDA NA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR II - SIMULE E FAÇA CONTRIBUIÇÕES ADICIONAL

INVESTIMENTO I - IMPOSTO DE RENDA NA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR II - SIMULE E FAÇA CONTRIBUIÇÕES ADICIONAL INVESTIMENTO I - IMPOSTO DE RENDA NA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR II - SIMULE E FAÇA CONTRIBUIÇÕES ADICIONAL I - IMPOSTO DE RENDA NA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR A Lei n.º 11.053, de 29 de dezembro de 2004, trouxe

Leia mais

COMPROVANTE DE RENDIMENTOS PAGOS E DE RETENÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA NA FONTE

COMPROVANTE DE RENDIMENTOS PAGOS E DE RETENÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA NA FONTE COMPROVANTE DE RENDIMENTOS PAGOS E DE RETENÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA NA FONTE Ano Calendário/ 2010 Quer entender um pouco mais sobre este documento? Conheça as informações que devem constar em cada quadro

Leia mais

Elaboração: Divisão de Comunicação Social

Elaboração: Divisão de Comunicação Social Orientações aos pacientes MINISTÉRIO DA SAÚDE INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER Elaboração: Divisão de Comunicação Social Primeiro Semestre / 2004 nº 049 Agenda Anotações Importantes Apresentação Caro paciente,

Leia mais

Orientações para obter isenção de impostos (IPI, IOF, ICMS e IPVA) na compra de veículo para pessoa com deficiência

Orientações para obter isenção de impostos (IPI, IOF, ICMS e IPVA) na compra de veículo para pessoa com deficiência Decreto nº 5.296, de 2 de dezembro de 2004 Art. 5 o Os órgãos da administração pública direta, indireta e fundacional, as empresas prestadoras de serviços públicos e as instituições financeiras deverão

Leia mais

ACORDO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL BRASIL - JAPÃO

ACORDO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL BRASIL - JAPÃO ACORDO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL BRASIL E JAPÃO 63 ACORDO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL BRASIL - JAPÃO Acordo internacional Brasil/Japão, que foi assinado em 29 de julho de 2010 e entrou em vigor em 1º de março de

Leia mais

Isenção de impostos para Portadores de Necessidades Especiais. Informativo Ford Zevel.

Isenção de impostos para Portadores de Necessidades Especiais. Informativo Ford Zevel. Isenção de impostos para Portadores de Necessidades Especiais. Informativo Ford Zevel. Isenção de IPI As pessoas portadoras de deficiência física, visual, mental severa ou profunda, ou autistas, ainda

Leia mais

Processo nº 13854.720271/2014-90 Parecer SARAC/DRF/DOU/MS nº 31/2015

Processo nº 13854.720271/2014-90 Parecer SARAC/DRF/DOU/MS nº 31/2015 Processo nº 13854.720271/201490 Parecer SARAC/DRF/DOU/MS nº 31/2015 MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM DOURADOS MS Seção de Arrecadação

Leia mais

Direitos do paciente com câncer

Direitos do paciente com câncer Direitos do paciente com câncer Sumário Introdução...4 Nosso Serviço Social...7 Amparo Assistencial ao Idoso e ao Deficiente...7 Aposentadoria por Invalidez...9 Auxílio-Doença...9 Isenção de ICMS na Compra

Leia mais

BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE

BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE Art. 201. A previdência social será organizada sob a forma de regime geral, de caráter contributivo e de filiação obrigatória, observados critérios

Leia mais

Guia de Direitos do Paciente Oncológico

Guia de Direitos do Paciente Oncológico Guia de Direitos do Paciente Oncológico 1 Apresentação Apesar de garantidos pela legislação brasileira, muitos pacientes com câncer e outras doenças incapacitantes simplesmente não utilizam ou desconhecem

Leia mais

INDICE >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

INDICE >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>> INDICE >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>> INTRODUÇAO... OBRIGATORIEDADE... NOVAS REGRAS... DESPESAS DEDUTIVEIS... DECLARAÇÃO DE BENS E DÍVIDAS... DOENÇA GRAVE... PRAZO

Leia mais

PARECER CREMEC Nº 26/2011 01/10/2011

PARECER CREMEC Nº 26/2011 01/10/2011 PARECER CREMEC Nº 26/2011 01/10/2011 Processo-Consulta Protocolo CREMEC nº 5032/2011 Assunto: DOENÇA DE ALZHEIMER Relatora: DRA. PATRÍCIA MARIA DE CASTRO TEIXEIRA EMENTA: DOENÇA DE ALZHEIMER. PORTADOR.

Leia mais

Direitos Sociais da pessoa com câncer

Direitos Sociais da pessoa com câncer Direitos Sociais da pessoa com câncer SUMÁRIO 1. O Serviço Social...................... 04 2. Saque do FGTS....................... 06 3. Saque do PIS/PASEP..................... 07 4. Auxílio-doença......................

Leia mais

PRESIDÊNCIA DIRBEN. Corpo funcional: 39 mil servidores CGRD CAINTER DIRSAT SUP REGIONAL GEX APS

PRESIDÊNCIA DIRBEN. Corpo funcional: 39 mil servidores CGRD CAINTER DIRSAT SUP REGIONAL GEX APS ACORDO BRASIL/JAPÃO ESTRUTURA ORGANIZACIONAL - INSS PRESIDÊNCIA DIRSAT DIRBEN DIRAT DGP DIROFL PFE AUDGER CORREG SUP REGIONAL CGAIS CGRD CGGPB GEX CAINTER APS Corpo funcional: 39 mil servidores ESTRUTURA

Leia mais

ACORDO BRASIL/JAPÃO 1

ACORDO BRASIL/JAPÃO 1 ACORDO BRASIL/JAPÃO 1 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL - INSS PRESIDÊNCIA DIRSAT DIRBEN DIRAT DGP DIROFL PFE AUDGER CORREG SUP REGIONAL CGAIS CGRD CGGPB GEX CAINTER APS Corpo funcional: 39 mil servidores 2 ESTRUTURA

Leia mais

Fortaleza, 17 e 18 de junho de 2010.

Fortaleza, 17 e 18 de junho de 2010. Fracionamento de medicamentos para dispensadores Parcerias: Defensoria Pública do Estado do Ceará; Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA Conselho Regional de Farmácia - CRF- CE Sindicato do

Leia mais

Sistel Presente Rio de Janeiro/RJ

Sistel Presente Rio de Janeiro/RJ Sistel Presente Rio de Janeiro/RJ Rio de Janeiro, outubro de 2012 Depois de tanto trabalho, enfim um tempo para organizar as coisas da vida... Por onde começar? Regularizando a papelada sucessão hereditária

Leia mais

ISENÇÃO DE IMPOSTOS DEFICIENTES FÍSICOS OU PESSOAS COM DOENÇAS GRAVES

ISENÇÃO DE IMPOSTOS DEFICIENTES FÍSICOS OU PESSOAS COM DOENÇAS GRAVES ISENÇÃODEIMPOSTOSDEFICIENTESFÍSICOSOU PESSOASCOMDOENÇASGRAVES Em nosso país existem muitas garantias de direitos hoje em dia, mas os cidadãosnãoexigemessesdireitos.istoocorre,namaioriadasvezespelagrande

Leia mais

CARTILHA DOS PACIENTES

CARTILHA DOS PACIENTES CARTILHA DOS PACIENTES IMPRESSÃO: CNPJ: 68.070.432/0001-02 - CONTRATANTE: CNPJ.: 20.569.585/0001-72 (20.000 IMPRESSOS) Lutando pelos direitos dos pacientes 30 ANOS ATENDENDO PACIENTES DO SUS E HOSPITAL

Leia mais

DIREITOS DOS PORTADORES DE DOENÇAS RENAIS CRÔNICAS

DIREITOS DOS PORTADORES DE DOENÇAS RENAIS CRÔNICAS DIREITOS DOS PORTADORES DE DOENÇAS RENAIS CRÔNICAS A Constituição Brasileira de 1988 é a mãe de todas as leis, ou seja, é aquela que nunca poder ser desrespeitada por ninguém em nenhum caso. Todas as legislações

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Divergência nº 10 - Data 14 de agosto de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: Imposto sobre a Renda de Pessoa Física - IRPF Os valores recebidos

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA BENEFÍCIO FISCAL ELETRÔNICO PERGUNTAS E RESPOSTAS MAIS FREQUENTES

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA BENEFÍCIO FISCAL ELETRÔNICO PERGUNTAS E RESPOSTAS MAIS FREQUENTES GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA BENEFÍCIO FISCAL ELETRÔNICO PERGUNTAS E RESPOSTAS MAIS FREQUENTES 1 1. Quais os benefícios fiscais direcionados às pessoas com deficiência? R.

Leia mais

V Simpósio da ARELA-RS sobre Esclerose Lateral Amiotrófica ELA

V Simpósio da ARELA-RS sobre Esclerose Lateral Amiotrófica ELA V Simpósio da ARELA-RS sobre Esclerose Lateral Amiotrófica ELA Geneviève Lopes Pedebos Assistente Social Mestre em Serviço Social pela PUCRS Porto Alegre, 08/05/2010 Na área da saúde, o Assistente Social

Leia mais

1 Dados do Servidor MATRÍCULA SIAPE CPF DATA DE NASCIMENTO TELEFONE RESIDÊNCIAL TELEFONE DO TRABALHO CIDADE ESTADO CEP

1 Dados do Servidor MATRÍCULA SIAPE CPF DATA DE NASCIMENTO TELEFONE RESIDÊNCIAL TELEFONE DO TRABALHO CIDADE ESTADO CEP MINISTÉRIO DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA-EXECUTIVA DEPARTAMENTO DE ÓRGÃOS EXTINTOS SAN Quadra 03 Lote A Ed. Núcleo dos Transportes Sala nº 2237 CEP: 70.040-902 BRASÍLIA DF ESPAÇO RESERVADO

Leia mais

APRENDENDO OS CAMINHOS DA PERÍCIA MÉDICA NO INSS E OS BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE

APRENDENDO OS CAMINHOS DA PERÍCIA MÉDICA NO INSS E OS BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE APRENDENDO OS CAMINHOS DA PERÍCIA MÉDICA NO INSS E OS BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE SEGURIDADE SOCIAL SAÚDE PREVIDÊNCIA SOCIAL ASSISTÊNCIA SOCIAL Definição de Seguridade Social É um conjunto de ações destinado

Leia mais

TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS

TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS O SINTFUB entende que o servidor que está para aposentar tem de ter esclarecimento sobre os tipos e regras para aposentadorias hoje vigentes antes de requerer esse direito.

Leia mais

ASSUNTO: PEDIDO DE RESTITUIÇÃO IRRF MOLÉSTIA GRAVE

ASSUNTO: PEDIDO DE RESTITUIÇÃO IRRF MOLÉSTIA GRAVE MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM MACAPÁ SEÇÃO DE ORIENTAÇÃO E ANÁLISE TRIBUTÁRIA - SAORT PROCESSO Nº PARECER x INTERESSADO CNPJ/CPF

Leia mais

PORTARIA Nº 025/2009. CONSIDERANDO o elevado volume de perícias judiciais realizadas mensalmente no Jef de Santo André,

PORTARIA Nº 025/2009. CONSIDERANDO o elevado volume de perícias judiciais realizadas mensalmente no Jef de Santo André, PODER JUDICIÁRIO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL CÍVEL DE SANTO ANDRÉ 26ª Subseção da Seção Judiciária do Estado de São Paulo Av. Pereira Barreto, nº 1.299, Paraíso Santo André SP CEP 09190-610 PORTARIA Nº 025/2009

Leia mais

www.cuiaba.mt.gov.br

www.cuiaba.mt.gov.br www.cuiaba.mt.gov.br COLABORADORES DA PERÍCIA MÉDICA SETOR MÉDICO: Dr. george salvador brito alves lima - assessor téc. em perícia médica dr. jaime pereira frank - assessor téc. em perícia médica SETOR

Leia mais

AS NOVAS MUDANÇAS SOBRE O AUXÍLIO-DOENÇA

AS NOVAS MUDANÇAS SOBRE O AUXÍLIO-DOENÇA AS NOVAS MUDANÇAS SOBRE O AUXÍLIO-DOENÇA *Juliana de Oliveira Xavier Ribeiro **Cibeli Espíndola dos Santos 1- Introdução O governo anunciou no final do mês de março um pacote de medidas, cujas principais

Leia mais

LEGISLAÇÃO APLICÁVEL AOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA

LEGISLAÇÃO APLICÁVEL AOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA ESTUDO LEGISLAÇÃO APLICÁVEL AOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA Sandra Cristina Filgueiras de Almeida Consultora Legislativa da Área XXI Previdência e Direito Previdenciário ESTUDO JUNHO/2003 Câmara dos Deputados

Leia mais

Direitos dos Pacientes

Direitos dos Pacientes Direitos dos Pacientes A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e

Leia mais

O seu futuro em boas mãos

O seu futuro em boas mãos O seu futuro em boas mãos Previdência Social de Campina Grande do Sul Paraná Previdência Social de Campina Grande do Sul Paraná Março 1994 Aposentadoria por Tempo de Contribuição Os Servidores Públicos

Leia mais

Centro Universitário Senac MANUAL PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDOS INCENTIVO ACADÊMICO 2º SEMESTRE 2013

Centro Universitário Senac MANUAL PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDOS INCENTIVO ACADÊMICO 2º SEMESTRE 2013 Centro Universitário Senac MANUAL PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDOS INCENTIVO ACADÊMICO 2º SEMESTRE 2013 1. O QUE É 1.1. O Programa de Bolsas de Estudo do Centro Universitário Senac, na modalidade Bolsa Incentivo

Leia mais

Direito Previdenciário - Prof. Ítalo

Direito Previdenciário - Prof. Ítalo 51 BOAS DICAS DE BENEFÍCIOS Professor Italo Romano DICA 1 São 10 os benefícios previdenciários (REGRA 4 3 2 1). DICA 2 São 6 os segurados da Previdência Social (CADES F). DICA 3 Os beneficiários do sistema

Leia mais

GUIA DO SEGURADO da Previdência Social

GUIA DO SEGURADO da Previdência Social CÂMARA DOS DEPUTADOS GUIA DO SEGURADO da Previdência Social Conheça os direitos do seu seguro social. ANTONIO BULHÕES Deputado Federal PRB/SP BRASÍLIA Abril/2009 GUIA DO SEGURADO da Previdência Social

Leia mais

LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA

LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA AUXÍLIO-DOENÇA - PROCEDIMENTOS LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA Sumário 1. Introdução 2. Conceito Auxílio-doença 2.1 Tipos de auxílio-doença 3. pagamento 4. Carência - Conceito 4.1 Independe de carência 4.2 Depende

Leia mais

PREVIDÊNCIA SOCIAL INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL. Educação Previdenciária

PREVIDÊNCIA SOCIAL INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL. Educação Previdenciária Todo(a) brasileiro(a), a partir de 16 anos de idade, pode filiar-se à Previdência Social e pagar mensalmente a contribuição para assegurar os seus direitos e a proteção à sua família. Vejamos com isso

Leia mais

GUIA DOS DIREITOS DO PACIENTE

GUIA DOS DIREITOS DO PACIENTE GUIA DOS DIREITOS DO PACIENTE Direitos e Responsabilidades Você está iniciando o seu tratamento e acompanhamento conosco. Com o objetivo de esclarecer algumas duvidas, elaboramos este guia com as informações

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE CARIACICA - IPC. Principais procedimentos Perícia Médica e Benefícios Previdenciários

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE CARIACICA - IPC. Principais procedimentos Perícia Médica e Benefícios Previdenciários INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE CARIACICA - IPC Principais procedimentos Perícia Médica e Benefícios Previdenciários APRESENTAÇÃO DE ATESTADO À CHEFIA IMEDIATA As licenças

Leia mais

direitos do portador de câncer

direitos do portador de câncer Os direitos do portador de câncer Cristina Stringari Pasqual Direitos do portador de câncer 2 Direitos do portador de câncer Os direitos do portador de câncer Cristina Stringari Pasqual Direitos do portador

Leia mais

Direitos sociais da pessoa com câncer. Orientações aos pacientes

Direitos sociais da pessoa com câncer. Orientações aos pacientes Direitos sociais da pessoa com câncer Orientações aos pacientes 2009 Ministério da Saúde. É permitida a reprodução total ou parcial desta obra, desde que citada a fonte. Tiragem: 21.000 exemplares Criação,

Leia mais

Tem direito aos benefícios previdenciários os BENEFICIÁRIOS, ou seja, todos os segurados e seus dependentes.

Tem direito aos benefícios previdenciários os BENEFICIÁRIOS, ou seja, todos os segurados e seus dependentes. CARTILHA DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO O REGIME GERAL DA PREVIDENCIA SOCIAL É REGIDO PELAS LEIS 8.212 E 8.213/91 E TEM POR FINALIDADE ASSEGURAR À SEUS FILIADOS RECEBER BENEFÍCIOS QUE SUBSTITUAM SUA RENDA.

Leia mais

EDITAL N.º 083/15 DE 24 DE ABRIL DE 2015

EDITAL N.º 083/15 DE 24 DE ABRIL DE 2015 EDITAL N.º 083/15 DE 24 DE ABRIL DE 2015 CHAMAMENTO PÚBLICO O Município de Não-Me-Toque, através da Secretaria Municipal de Habitação, em consonância com o Edital de Seleção Nº 001/2014, a Lei N.º 4.489/2014

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS QUE DEVERÃO SER APRESENTADOS PELO REQUERENTE JUNTAMENTE COM A FICHA PREENCHIDA E ASSINADA.

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS QUE DEVERÃO SER APRESENTADOS PELO REQUERENTE JUNTAMENTE COM A FICHA PREENCHIDA E ASSINADA. LISTA DE DOCUMENTOS RELAÇÃO DE DOCUMENTOS QUE DEVERÃO SER APRESENTADOS PELO REQUERENTE JUNTAMENTE COM A FICHA PREENCHIDA E ASSINADA. O Responsável Financeiro deverá entregar cópias autenticadas/ simples

Leia mais

Secretaria Municipal de Cidadania e Assistência Social SEMCAS

Secretaria Municipal de Cidadania e Assistência Social SEMCAS Secretaria Municipal de Cidadania e Assistência Social SEMCAS Passo Fundo - RS 2010 Serviços e Seguridade Social Registro Civil Endereço: Morom, 1120 Centro Horário: 9h às 17h sem fechar ao meio-dia Telefone:

Leia mais

DECLARAÇÃO DE VENCIMENTOS E VANTAGENS COM FUNDAMENTAÇÃO BASE LEGAL, EMITIDA PELO ÓRGÃO (ORIGINAL);

DECLARAÇÃO DE VENCIMENTOS E VANTAGENS COM FUNDAMENTAÇÃO BASE LEGAL, EMITIDA PELO ÓRGÃO (ORIGINAL); PROTOCOLO GERAL DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SOLICITAÇÕES: 1. APOSENTADORIA REQUERIMENTO ASSINADO PELO SERVIDOR E COM VISTO DO CHEFE IMEDIATO (ORIGINAL); OBS.: APOSENTADORIA COMPULSÓRIA - NÃO É NECESSÁRIO

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 6.872, DE 2013 (Do Sr. Ricardo Izar)

PROJETO DE LEI N.º 6.872, DE 2013 (Do Sr. Ricardo Izar) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 6.872, DE 2013 (Do Sr. Ricardo Izar) Altera o 2º, do art. 15, da Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003, para dispensação de fraldas geriátricas por intermédio

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR REGULAMENTO DO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR Regulamento do Programa de Assistência Domiciliar aprovado pelo Conselho REGULAMENTO DO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA DOMILICIAR CAPITULO I DEFINIÇÕES GERAIS

Leia mais

Guia de Declaração de IRPF 2011. Ano-calendário 2010. Previdência. IR 2010 Prev e Cp_v2

Guia de Declaração de IRPF 2011. Ano-calendário 2010. Previdência. IR 2010 Prev e Cp_v2 Guia de Declaração de IRPF 2011 Ano-calendário 2010 Previdência IR 2010 Prev e Cp_v2 Quem é obrigado a declarar? Está obrigada a apresentar a Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda referente

Leia mais

EIXO I - Política de saúde na seguridade social, segundo os princípios da integralidade, universalidade e equidade

EIXO I - Política de saúde na seguridade social, segundo os princípios da integralidade, universalidade e equidade 10ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE: OO"TODOS USAM O SUS! SUS NA SEGURIDADE SOCIAL - POLÍTICA PÚBLICA, PATRIMÔNIO DO POVO BRASILEIRO" EIXO I - Política de saúde na seguridade social, segundo os princípios

Leia mais

CADERNO APOS Nº 3 ISENÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA PARA PORTADORES DE DOENÇA GRAVE

CADERNO APOS Nº 3 ISENÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA PARA PORTADORES DE DOENÇA GRAVE CADERNO APOS Nº 3 ISENÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA PARA PORTADORES DE DOENÇA GRAVE Edição 1 (agosto/15) 1 1 Introdução... 3 2 Condições para Isenção do Imposto de Renda Pessoa Física... 3 2.1 Situações que

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA PEÇA PROFISSIONAL

PADRÃO DE RESPOSTA PEÇA PROFISSIONAL PEÇA PROFISSIONAL Deve-se redigir ação declaratória, cumulada com ação de repetição de indébito, endereçada à justiça federal. Fundamento de mérito: art. 6.º, inciso XIV, da Lei n.º 7.713/1988, com a redação

Leia mais

b) receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40.

b) receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40. Vitória/ES, 23 de fevereiro de 2013. ORIENTAÇÕES PARA DECLARAÇÃO DO IRPF 2013 A partir do dia 1º março a Receita Federal começa a receber a Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda Pessoa Física.

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2012

PROJETO DE LEI Nº, DE 2012 PROJETO DE LEI Nº, DE 2012 (Do Sr. Marco Tebaldi) Dispõe sobre o Programa de agendamento de consultas e entrega domiciliar de medicamentos de uso contínuo às pessoas portadoras de necessidades especiais

Leia mais

b. Completar a implantação da Rede com a construção de hospitais regionais para atendimentos de alta complexidade.

b. Completar a implantação da Rede com a construção de hospitais regionais para atendimentos de alta complexidade. No programa de governo do senador Roberto Requião, candidato ao governo do estado pela coligação Paraná Com Governo (PMDB/PV/PPL), consta um capítulo destinado apenas à universalização do acesso à Saúde.

Leia mais

Pacto Nacional pela Saúde. Mais hospitais e unidades de saúde Mais Médicos Mais Formação

Pacto Nacional pela Saúde. Mais hospitais e unidades de saúde Mais Médicos Mais Formação Pacto Nacional pela Saúde Mais hospitais e unidades de saúde Mais Médicos Mais Formação 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Conheça mais: Programa Mais Médicos Faltam médicos no Brasil De 2003 a 2011, o número de postos

Leia mais

PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS PASEP - PROGRAMA DE FORMAÇÃO DO PATRIMÔNIO DO SERVIDOR PÚBLICO

PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS PASEP - PROGRAMA DE FORMAÇÃO DO PATRIMÔNIO DO SERVIDOR PÚBLICO PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS PASEP - PROGRAMA DE FORMAÇÃO DO PATRIMÔNIO DO SERVIDOR PÚBLICO 1 CONCEITO O Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público - PASEP foi criado pelo Governo Federal

Leia mais

13º - AUDHOSP AUDITORIA NO SUS VANDERLEI SOARES MOYA 2014

13º - AUDHOSP AUDITORIA NO SUS VANDERLEI SOARES MOYA 2014 13º - AUDHOSP AUDITORIA NO SUS VANDERLEI SOARES MOYA 2014 AUDITORIA NA SAÚDE Na saúde, historicamente, as práticas, as estruturas e os instrumentos de controle, avaliação e auditoria das ações estiveram,

Leia mais

Gorete Pereira, a Deputada Federal do Social

Gorete Pereira, a Deputada Federal do Social Gorete Pereira, a Deputada Federal do Social Informações sobre benefícios sociais garantidos por lei Gorete Pereira Deputada Federal Câmara dos Deputados Gorete Pereira Deputada Federal Informações sobre

Leia mais

DECRETO Nº 1710, DE 16 DE NOVEMBRO DE 2007.

DECRETO Nº 1710, DE 16 DE NOVEMBRO DE 2007. DECRETO Nº 1710, DE 16 DE NOVEMBRO DE 2007. Institui o elenco de medicamentos e aprova o regulamento dos procedimentos de aquisição e dispensação de medicamentos especiais para tratamento ambulatorial

Leia mais

PASEP. Conceito. São participantes do PASEP todos os servidores em atividade, civis e militares, cadastrados no Programa.

PASEP. Conceito. São participantes do PASEP todos os servidores em atividade, civis e militares, cadastrados no Programa. PASEP Conceito O Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público PASEP é um programa criado pelo Governo Federal em 1970 para propiciar aos servidores públicos civis e militares a participação na

Leia mais

FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DE LINHARES FACELI COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO CÉLIA PANTALEÃO DE PAULA

FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DE LINHARES FACELI COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO CÉLIA PANTALEÃO DE PAULA FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DE LINHARES FACELI COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO CÉLIA PANTALEÃO DE PAULA DIREITO PREVIDÊNCIÁRIO JURISPRUDÊNCIAS COMENTADAS LINHARES-ES 2011 CÉLIA PANTALEÃO DE PAULA DIREITO

Leia mais

Cartilha Direitos do Paciente com Câncer 1

Cartilha Direitos do Paciente com Câncer 1 Cartilha Direitos do Paciente com Câncer 1 Conheça seus direitos Enfrentar um câncer é uma batalha e tanto, mas em momentos difíceis é preciso manter a calma e procurar os melhores caminhos. Além das preocupações

Leia mais

EMENTA: ANÁLISE JURÍDICA. ISENÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA DE PESSOA FÍSICA POR DOENÇAS GRAVES. ROL

EMENTA: ANÁLISE JURÍDICA. ISENÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA DE PESSOA FÍSICA POR DOENÇAS GRAVES. ROL PARECER N. 001/2015-SINDIJUS/MS INTERESSADO: SINDICATO DOS SERVIDORES DO PODER JUDICIÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL SINDIJUS/MS EMENTA: ANÁLISE JURÍDICA. ISENÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA DE PESSOA FÍSICA POR DOENÇAS

Leia mais

Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas

Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas Comissão: Ana Maria Coelho Laurenti Elisângela Rodrigues Carrijo José Francisco Gregoracci Marco Antonio Zanni Maria Helena Pereira Rosalini Prof. Dr Mauro Rocha Côrtes

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 5.258, DE 2005 (Apenso o Projeto de Lei nº 5.365, de 2005)

PROJETO DE LEI Nº 5.258, DE 2005 (Apenso o Projeto de Lei nº 5.365, de 2005) COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 5.258, DE 2005 (Apenso o Projeto de Lei nº 5.365, de 2005) Acrescenta incisos ao 8º do art. 6º da Lei nº 10.999, de 15 de dezembro de 2004, para

Leia mais

Experiência no Atendimento Domiciliar ao Paciente Serviço Social

Experiência no Atendimento Domiciliar ao Paciente Serviço Social Experiência no Atendimento Domiciliar ao Paciente Serviço Social Flávia J.Rodrigues de Sá Pinheiro de Melo Assistente Social Especialista em Saúde Mental e Moléstias Infecciosas - Unicamp Serviço Atenção

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR MPR-008/SGP Revisão 00 Assunto: Aprovada por: LICENÇA PARA TRATAMENTO DE SAÚDE E LICENÇA POR MOTIVO DE DOENÇA EM PESSOA DA FAMÍLIA Portaria nº 2531, de 19 de novembro de 2012,

Leia mais

MANUAL DE TRIBUTAÇÃO DO PARTICIPANTE FAELBA

MANUAL DE TRIBUTAÇÃO DO PARTICIPANTE FAELBA MANUAL DE TRIBUTAÇÃO DO PARTICIPANTE FAELBA Apresentação Este material tem o propósito de informar, orientar e instruir o participante no que tange à tributação dos benefícios de aposentadoria e resgates

Leia mais

A saúde do tamanho do Brasil

A saúde do tamanho do Brasil A saúde do tamanho do Brasil BREVE HISTÓRIA DE UMA LONGA CAMINHADA A saúde é um direito de todos e um dever do Estado. Essa conquista social, incorporada à Constituição Federal de 1988 e construída a partir

Leia mais

www.saude.gov.br (Portal da saúde) Farmácia Popular do Brasil

www.saude.gov.br (Portal da saúde) Farmácia Popular do Brasil www.saude.gov.br (Portal da saúde) Farmácia Popular do Brasil O Governo Federal criou o Programa Farmácia Popular do Brasil para ampliar o acesso aos medicamentos para as doenças mais comuns entre os cidadãos.

Leia mais

Universidade Estadual de Goiás Centro Regional de Referência

Universidade Estadual de Goiás Centro Regional de Referência Universidade Estadual de Goiás Centro Regional de Referência CURSO DE ATUALIZAÇÃO SOBRE INTERVENÇÃO BREVE E ACONSELHAMENTO MOTIVACIONAL PARA USUÁRIOS DE ÁLCOOL, CRACK E OUTRAS DROGAS Rede de Atenção e

Leia mais

PARECER Nº, DE 2007. RELATOR: Senador JOÃO VICENTE CLAUDINO

PARECER Nº, DE 2007. RELATOR: Senador JOÃO VICENTE CLAUDINO SENADO FEDERAL Gabinete do Senador JOÃO VICENTE CLAUDINO PARECER Nº, DE 2007 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS ECONÔMICOS, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 320, de 2006, que dispõe sobre a concessão de isenções

Leia mais

1/7. Prof. Wilson Roberto

1/7. Prof. Wilson Roberto 1/7 5. Contrato individual de trabalho: Contribuição Sindical, INSS, Salário-família, IRRF trabalho assalariado, PIS/PASEP, e CAGED Contribuição Sindical A contribuição sindical está prevista nos artigos

Leia mais

MÓDULO 7 BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS

MÓDULO 7 BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS MÓDULO 7 BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS 7.4 AUXÍLIO-DOENÇA ESTE FASCÍCULO SUBSTITUI O DE IGUAL NÚMERO ENVIADO ANTERIORMENTE AOS NOSSOS ASSINANTES. RETIRE O FASCÍCULO SUBSTITUÍDO, ANTES DE ARQUIVAR O NOVO,

Leia mais

DIREITOS DO PACIENTE

DIREITOS DO PACIENTE DIREITOS DO PACIENTE Você está iniciando o seu tratamento e acompanhamento conosco. Com o objetivo de esclarecer algumas dúvidas, elaboramos este guia com as informações sobre a rotina de atendimentos

Leia mais

DÚVIDAS MAIS FREQUENTES NO BALCÃO DA FARMÁCIA

DÚVIDAS MAIS FREQUENTES NO BALCÃO DA FARMÁCIA DÚVIDAS MAIS FREQUENTES NO BALCÃO DA FARMÁCIA Neste módulo vamos tratar de situações que envolvem dúvidas quanto à melhor maneira de agir e as práticas permitidas ou não pela legislação, mas que, comumente,

Leia mais

SUMÁRIO. CONHECENDO SEUS DIREITOS Pág. 3. SAQUE DO FUNDO DE GARANTIA POR TEMPO DE SERVIÇO (FGTS) Pág. 6. SAQUE DAS COTAS DO PIS E PASEP Pág.

SUMÁRIO. CONHECENDO SEUS DIREITOS Pág. 3. SAQUE DO FUNDO DE GARANTIA POR TEMPO DE SERVIÇO (FGTS) Pág. 6. SAQUE DAS COTAS DO PIS E PASEP Pág. CONHECENDO SEUS DIREITOS Pág. 3 SAQUE DO FUNDO DE GARANTIA POR TEMPO DE SERVIÇO (FGTS) Pág. 6 SAQUE DAS COTAS DO PIS E PASEP Pág. 9 AUXÍLIO DOENÇA Pág. 11 APOSENTADORIA POR INVALIDEZ Pág. 14 BENEFÍCIO

Leia mais

INFORMAÇÕES IMPORTANTES SOBRE O SEGURO DESEMPREGO

INFORMAÇÕES IMPORTANTES SOBRE O SEGURO DESEMPREGO INFORMAÇÕES IMPORTANTES SOBRE O SEGURO DESEMPREGO Benefício temporário concedido ao trabalhador desempregado dispensado sem justa causa é composto por 3 a 5 parcelas mensais, pagas em dinheiro, de valores

Leia mais

PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE - PAS (ANO)

PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE - PAS (ANO) PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE - PAS (ANO) Mês e Ano de elaboração MODELO PARA ELABORAÇÃO DA PAS 2014: Gerência de Programação em Saúde- DEPLAN/SUSAM 1 SUMÁRIO IDENTIFICAÇÃO DO MUNICÍPIO...3 ELABORAÇÃO...4

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PLANO OPERACIONAL REDE DE CUIDADOS A PESSOA COM DEFICIÊNCIA

TERMO DE REFERENCIA ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PLANO OPERACIONAL REDE DE CUIDADOS A PESSOA COM DEFICIÊNCIA TERMO DE REFERENCIA ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PLANO OPERACIONAL REDE DE CUIDADOS A PESSOA COM DEFICIÊNCIA 1. Introdução O contínuo processo de aperfeiçoamento do Sistema Unico de Saúde SUS, desde sua

Leia mais

Transtornos do Espectro do Autismo

Transtornos do Espectro do Autismo Transtornos do Espectro do Autismo O Município adotou o documento Ministerial, LINHA DE CUIDADO PARA A ATENÇÃO ÀS PESSOAS COM TRANSTORNOS DO ESPECTRO DO AUTISMO E SUAS FAMILIAS NA REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL,

Leia mais

Princípios Gerais. Política Nacional de Saúde Integral da População Negra 15/10/2012

Princípios Gerais. Política Nacional de Saúde Integral da População Negra 15/10/2012 Princípios Gerais Política Nacional de Saúde Integral da População Negra PORTARIA Nº 992, DE 13 DE MAIO DE 2009 Profª Carla Pintas A Constituição de 1988 assumiu o caráter de Constituição Cidadã, em virtude

Leia mais

Conheça o Programa Autonomy Eurovale

Conheça o Programa Autonomy Eurovale Conheça o Programa Autonomy Eurovale O Programa Autonomy permite que pessoas com capacidades motoras reduzidas dirijam por meio de adaptações especiais feitas nos modelos da linha Fiat, exceto Fiorino,

Leia mais

PUBLICADAS MEDIDAS PROVISÓRIAS QUE ALTERAM A LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA

PUBLICADAS MEDIDAS PROVISÓRIAS QUE ALTERAM A LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA Rio de Janeiro, 07 de janeiro de 2015. CIRCULAR 01/2015 JURÍDICO PUBLICADAS MEDIDAS PROVISÓRIAS QUE ALTERAM A LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA Publicadas no Diário Oficial da União de 30/12/2014,

Leia mais

Passo 1: Entre em contato no numero abaixo em nossa Central Itaú Seguros para registrar a retirada do KIT de sinistro;

Passo 1: Entre em contato no numero abaixo em nossa Central Itaú Seguros para registrar a retirada do KIT de sinistro; Prezado Beneficiário, Para melhor apoiá-lo neste momento, encaminhamos abaixo todos os formulários e documentos necessários, bem como a orientação de como realizar o envio desses documentos. Procedimentos

Leia mais

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE Um modelo de assistência descentralizado que busca a integralidade, com a participação da sociedade, e que pretende dar conta da prevenção, promoção e atenção à saúde da população

Leia mais