ASSOCIAÇÃO CASA SÃO JOSÉ BALANÇO SOCIAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ASSOCIAÇÃO CASA SÃO JOSÉ BALANÇO SOCIAL"

Transcrição

1 1. IDENTIFICAÇÃO RAZÃO SOCIAL Associação Casa São José CNPJ / ENDEREÇO Rua Marcus Aurélio Homem, Carvoeira/Serrinha CEP Florianópolis TELEFONE (48) SITE/ NATUREZA JURÍDICA ( x ) Associação ( ) Fundação ( ) Instituição ( ) Outros REGISTRO ( x ) CMDCA [Nº Registro 109/2013] ( x ) CMAS [Nº Registro 011/2013] ( ) CEAS ( ) CNAS UTILIDADE PÚBLICA ( x ) Municipal ( x ) Estadual ( ) Federal ISENTA DA COTA PATRONAL DO INSS POSSUI CERTIFICADO DE ENTIDADE BENEFICENTE DE AS. SOCIAL (CEBAS) CLASSIFICADA COMO OSCIP? (Lei nº 9.790/99) ( ) Sim ( x ) Não IDENTIFICAÇÃO CONTABILISTA RESPONSÁVEL Nome: Fabiano de Oliveira Júnior CRC/SC: /O-0 MENSAGEM DO PRESIDENTE Por meio do empoderamento da criança e do adolescente como verdadeiro sujeito de direito, capaz de produzir e manifestar uma reflexão crítica sobre a comunidade e sociedade em que está inserido, além de agente catalisador e transformador de mudanças dentro do cenário em que se desenvolve sua realidade cotidiana; se origina um projeto que se configura como uma referência para a comunidade em que atua, Serrinha, e referência dentro desta - a Casa São José; uma entidade sem fins lucrativos, que funciona no contra turno escolar, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Por meio de atendimento pedagógico, psicológico, socioassistencial, odontológico, fonoaudiólogo e nutricional, a organização atende 170 crianças e adolescentes, de 6 a 15 anos, priorizando suas necessidades básicas de: saúde, nutrição, desenvolvimento físico, afetivo, emocional, espiritual, possibilitando a formação crítica e consciente de sua cidadania. A entidade compreende ainda, que uma transformação societária só pode ser completa quando todos os parâmetros da realidade cotidiana conseguem ser abrangidos. Desta maneira, a atenção e o vínculo do projeto ultrapassam os limites das crianças e adolescentes participantes, chegando a compreender, enxergar e investir em suas famílias e sua comunidade, como reais sujeitos de direitos e agentes transformadores. 2. BASE DE CÁLCULO * Receita Bruta , ,32 Receita Líquida , ,32 Resultado Operacional ,85 148,67 Folha de Pgto. Bruta ,05 - ORIGENS DOS RECURSOS (Receitas Totais) Governo (Federal, Estadual, Municipal) , ,32 Empresas (local, nacional e estrangeira) Institutos e Fundações (local, nacional e estrangeiro) Contribuições de Pessoas Físicas Contribuições Prestação de serviços e vendas de produtos - 150,00 Patrocínios Receitas Financeiras Outras receitas ,08 - TOTAL , ,32 APLICACÃO DOS RECURSOS (Despesas Totais) 1

2 Projetos, Programas e Ações (excluindo pessoal) Pessoal (salários, benefícios e encargos) ,05 - Despesas Operacionais ,55 - Despesas com Impostos e Taxas 590,40 - Despesas Financeiras 2,93 - Capital (máquina, instalações e equipamentos) ,46 - Outras Despesas 711,25-3. INDICADORES SOCIAIS INTERNOS APLICAÇÃO Alimentação , ,00 Encargos Sociais Compulsórios ,68 - Previdência Privada Saúde 910,00 - Transporte Educação Segurança e Saúde do Trabalhador Cultura Capacitações Técnicas Creche ou Auxílio Creche Outros Orientações Qualitativas (projetos destinados à qualidade de vida dos colaboradores da organização) Nome do Projeto ou Ação Objetivo Resultados Obtidos Transformando o Ambiente das Refeições (2013) Reestruturação de Dependências Físicas (2014) 4. INDICADORES SOCIAIS EXTERNOS Efetuação de compra e colocação de determinados utensílios e eletrodomésticos de cozinha, assim como, redes de proteção no ambiente; visando a melhoria da manipulação e preparação dos alimentos, assim como maior segurança tanto para os colaboradores, quanto para as crianças e adolescentes atendidas pela organização. O projeto visa à reestruturação de determinadas dependências da organização (secretaria, cozinha/refeitório e sala de teatro/dança). Tais independências se encontravam com os móveis desgastados, sendo que, alguns já haviam sido acometidos por cupins. O projeto abrange também a compra de um novo bebedouro, e novos equipamentos para a oficina de circo, realizada com as crianças e adolescentes da entidade. Maior segurança dentro do ambiente, avanço e praticidade no sistema de alimentação, ocasionando uma melhora significativa na manipulação e preparação dos alimentos. Os resultados das transformações geradas pelo projeto foram trabalhados pelos professores da organização, junto com as crianças e adolescentes, através do tema Educação Alimentar. As melhorias alcançadas com a execução do projeto proporcionaram um ambiente mais acolhedor, prático e dinâmico, tanto para as crianças, adolescentes e familiares que são acompanhados pela organização, quanto para a equipe técnica e o corpo funcional. APLICAÇÃO Educação Cultura Saúde e Saneamento Esporte Combate a Fome e a Seguridade Alimentar Obras Públicas Campanhas Públicas Doações com Incentivos Fiscais Tributos (excluídos os referentes a encargos sociais) 2

3 Outros ,88 - Orientações Qualitativas (projetos destinados à qualidade de vida da comunidade, consumidores e fornecedores) Nome do Projeto ou Ação Objetivo Resultados Obtidos Desenvolvendo o Ser (2013) Atendimento psicossocial as crianças, adolescentes e famílias acompanhadas pela organização; promoção da inclusão digital, identificação das principais causas de dificuldade de aprendizagem das crianças e adolescentes; realização de aulas de dança, com o intuito de promover a agilidade, expressão e flexibilidade corporal e educação musical. Sorriso Cidadão (2014) Grupo de Mães - Bem Me Quero (2013/2014) 5. INDICADORES AMBIENTAIS ** Atendimento odontológico as crianças e adolescentes acompanhados pela organização, assim como, conscientização e ensinamentos sobre higiene bucal, desenvolvimento de ações de promoção à saúde; prevenção de doenças bucais e proporcionar atendimento a nível ambulatorial. O objetivo do grupo está focalizado no fortalecimento do trabalho da individualidade das mães, das crianças e adolescentes acompanhados pela casa, na aproximação da organização com as famílias, e na fomentação de um grupo de apoio, onde estas mulheres se sintam em um espaço de articulação de suas questões de vínculo familiar e comunitário. As metas do Projeto foram contempladas por intermédio de atendimentos individuais, grupais e familiares. Foram aprimoradas questões psicossociais, por meio de diálogos; evolução nos movimentos e ritmos corporais; aperfeiçoamento da coordenação motora e aspectos cognitivos. O projeto possibilitou a aquisição de equipamentos e materiais necessários para a equiparação adequada e completa do consultório odontológico existente na organização. Desta maneira, a profissional da área pode realizar tratamentos emergenciais e preventivos com maior assiduidade, evitando que as crianças e adolescentes que são acompanhados pela entidade, não ficassem a mercê da espera por atendimento na Unidade de Saúde que contempla a região (Trindade), e que apresenta grande demanda por tratamento. O grupo está oportunizando as mães participantes trabalharem suas demandas pessoais respaldadas no apoio mútuo e fortalecendo-as quanto às questões de autoestima e autoconhecimento. De acordo com os relatos obtidos no decorrer dos encontros, a maioria das participantes verbaliza que o grupo é um instrumento auxiliador na organização de suas estratégias para o enfrentamento de suas demandas pessoais e, consequentemente, de mudanças significativas em seus cotidianos. INVESTIMENTOS INDICADORES CORPO FUNCIONAL Quadro Funcional N Colaboradores N Admissões 0 0 N Colaboradores Terceirizados 5 5 N Colaboradores Mulheres % Mulheres em Chefia 100% 100% Nº Colaboradores Afrodescendentes 4 4 % Afrodescendentes em Chefia 0% 0% N Colaboradores com Deficiência 0 0 N Estagiários 0 0 Nº Colaboradores Acima 45 Anos 2 2 Nº Colaboradores entre 16 e 18 anos 0 0 Nº Voluntários 11 9 Nº Multas Trabalhistas 0 0 Outros 7. INDICADORES RELEVANTES QUANTO AO EXERCÍCIO DA CIDADANIA 2014 (Metas) Relação maior/menor remuneração 3,14 3,14 Número Total Acidentes de Trabalho 0 Manter média nula de acidentes 3

4 Os projetos educacionais, culturais e esportivos, sociais e ambientais desenvolvidos foram deferidos por ASSOCIAÇÃO CASA SÃO JOSÉ ( ) Diretorias ( ) Diretorias ( x ) Gerências ( x ) Gerências Os padrões de seguridade e salubridade no ambiente de trabalho foram definidos por ( x ) Diretorias ( x ) Diretorias ( ) Gerências ( ) Gerências ( ) PPRA ( ) PPRA Liberdade sindical, ao direito de negociação coletiva e a representação interna dos (as) trabalhadores (as) A Previdência Privada contempla Na seleção dos fornecedores, os padrões éticos e de responsabilidade ambiental adotados Os padrões de seguridade e salubridade no ambiente de trabalho foram definidos por Quanto à participação dos empregados (as) em programas de trabalho voluntário se envolve se envolve ( x ) Incentiva ( x ) Incentiva ( ) Segue as normas da OIT ( ) Segue as normas da OIT ( ) Diretorias ( ) Diretorias ( x ) Gerências ( x ) Gerências ( x ) Empregados (as) ( x ) Empregados (as) se aplica se aplica ( ) São exigidos ( ) São exigidos ( x ) São considerados ( x ) São considerados ( ) São sugeridos ( ) São sugeridos ( x ) Diretorias ( x ) Diretorias ( ) Gerências ( ) Gerências ( ) PPRA ( ) PPRA se envolve se envolve ( ) Apoia ( ) Apoia ( x ) Organiza e incentiva ( x ) Organiza e incentiva Nº total de reclamações e críticas de consumidores (as) 0 Organização 0 PROCON 0 Justiça Manter média nula de reclamações % total de reclamações e críticas de consumidores (as) 0% Organização 0% PROCON 0% Justiça Manter porcentagem nula de reclamações A organização prioriza contratar pessoas da comunidade onde atua Manter contratação comunidade A organização possui assento em Conselhos Municipais, Estaduais ou Federais Manter a participação em Conselho A organização participa de algum movimento social, como Redes e Fóruns Manter participação em Redes e Fóruns A organização adota políticas visando diminuir a exclusão social, através da admissão de idosos, pessoa com deficiência, mulheres, afrodescendentes e outros Manter políticas de diminuição de indicadores de exclusão social 4

5 NOTAS EXPLICATIVAS ( * ) A Associação Casa São José foi fundada em 23/03/2003, pela Ação Social da Trindade. Ao longo de sua atuação, e devido ao crescimento de seu trabalho, a entidade opta pelo seu desvinculamento jurídico da então fundadora, e ganha independência como organização em 06/05/2013, por meio de CNPJ próprio. Devido a desvinculação do serviço, e do surgimento como entidade com responsabilidades próprias, se observa que no item 2. Base de Cálculo - Folha de Pgto. Bruta, não existem valores referentes ao exercício do ano de 2013, com o CNPJ próprio da organização, visto que, esta ainda se encontrava vinculada a Ação Social da Trindade. O mesmo se observa nos itens 3. Indicadores Sociais Internos, e 4. Indicadores Sociais Externos, ambos em ano de exercício de ( ** ) Foi preenchida a Declaração Ambiental de Atividade Não Constante, por próprio punho, pela presidente da Associação. 5

ANEXO II - MODELO PARA ENTIDADES COM FINS NÃO ECONÔMICOS

ANEXO II - MODELO PARA ENTIDADES COM FINS NÃO ECONÔMICOS ANEXO II - MODELO PARA ENTIDADES COM FINS NÃO ECONÔMICOS INSTITUIÇÃO:SOCIEDADE ESPIRITA OBREIROS DA VIDA ETERNA CNPJ: 82.898.230/0001-84 ENDEREÇO: NATUREZA JURÍDICA: ( x ) ASSOCIAÇÃO ( ) FUNDAÇÃO ( ) COOPERATIVA

Leia mais

Balanço Socioambiental

Balanço Socioambiental Balanço Socioambiental Identificação Instituição Associação dos Portadores da Sindrome de Down Natureza Jurídica Associação Registro no CMAS Utilidade Pública Estadual Isenta da cota patronal INSS Não

Leia mais

Cargo/Função: Analista de Marketing Telefone de Contato (49) 3301-7013 E-mail para contato: luana@coopercarga.co m.br

Cargo/Função: Analista de Marketing Telefone de Contato (49) 3301-7013 E-mail para contato: luana@coopercarga.co m.br ANEXO I - MODELO PARA ORGANIZAÇÕES RAZÃO OU DENOMINAÇÃO SOCIAL: Cooperativa de Transporte de Cargas do Estado de Santa Catarina CNPJ: 81800849/0001-41 ENDEREÇO: Rua Marechal Deodoro, nº36 centro. Concórdia

Leia mais

Balanço Social das Empresas

Balanço Social das Empresas Balanço Social das Empresas Aqui inicia-se a construção do Balanço Social de sua empresa, no modelo proposto pelo Ibase. Este importante documento deve ser resultado de um amplo processo participativo

Leia mais

7ª Conferência Municipal Produção Mais Limpa Cidade de São Paulo. São Paulo, 21 de Maio 2008. Maria Luiza Barbosa

7ª Conferência Municipal Produção Mais Limpa Cidade de São Paulo. São Paulo, 21 de Maio 2008. Maria Luiza Barbosa 7ª Conferência Municipal Produção Mais Limpa Cidade de São Paulo São Paulo, 21 de Maio 2008 Maria Luiza Barbosa Responsabilidade Social Projetos desenvolvidos pela UNICA Instituto Banco Mundial Programa

Leia mais

Comunidade. Relacionamento Comunitário

Comunidade. Relacionamento Comunitário Balanço Social 2003 Balanço Social 2003 Inserção social e comprometimento com a melhoria da qualidade de vida das comunidades: marcas da Fundação CSN traduzidas em investimentos em educação, desenvolvimento

Leia mais

EDITAL PRÊMIO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2012

EDITAL PRÊMIO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2012 EDITAL PRÊMIO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2012 Da instituição: A Comissão Mista de que trata o artigo 5º da Lei nº. 11.440 de 18 de janeiro de 2000 estabelece o regulamento para a concessão das distinções

Leia mais

Lei nº 12.101 de 27 de novembro de 2009

Lei nº 12.101 de 27 de novembro de 2009 CERTIFICAÇÃO CEBAS - NA ÁREA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - MDS Lei nº 12.101 de 27 de novembro de 2009 Da Assistência Social Art. 18. A certificação ou sua renovação será concedida à entidade de assistência

Leia mais

Relação de documentos necessários para requerer o CEBAS?

Relação de documentos necessários para requerer o CEBAS? Relação de documentos necessários para requerer o CEBAS? DOCUMENTO DESCRIÇÃO DO DOCUMENTO SOLICTADO Requerimento assinado pelo O modelo do requerimento pode ser obtido no anexo I desta relação representante

Leia mais

O Balanço Social será composto pelos seguintes indicadores:

O Balanço Social será composto pelos seguintes indicadores: LEI N o 9.536, DE 28 DE JUNHO DE 2004. SÚMULA: Cria o Selo da Cidadania por meio da apresentação do Balanço Social das empresas públicas e privadas e das organizações do terceiro setor estabelecidas no

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES CNPJ: 08.148.488/0001-00 CEP: 59.5960-000 GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES CNPJ: 08.148.488/0001-00 CEP: 59.5960-000 GABINETE DO PREFEITO LEI Nº. 277/2007. CEP: 5.50-000 Institui o Programa Casa da Família e dá outras providências. A Câmara Municipal aprovou e eu, Prefeito do Município de Pilões, sanciono e promulgo a seguinte lei: Art.

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PRÓ-HOPE APOIO À CRIANÇA COM CÂNCER CNPJ 02.072.483/0001-65 BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DEZEMBRO DE 2010 E 2009

ASSOCIAÇÃO PRÓ-HOPE APOIO À CRIANÇA COM CÂNCER CNPJ 02.072.483/0001-65 BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DEZEMBRO DE 2010 E 2009 BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DEZEMBRO DE 2010 E 2009 ATIVO 31/12/2010 31/12/2009 PASSIVO 31/12/2010 31/12/2009 CIRCULANTE 2.067.853,08 1.156.034,03 CIRCULANTE 1.444.697,99 375.899,34 DISPONIBILIDADES 1.284.699,22

Leia mais

ESTADO DO PARÁ Município de Altamira PODER EXECUTIVO

ESTADO DO PARÁ Município de Altamira PODER EXECUTIVO LEI N.º 1.638, DE 20 DE OUTUBRO DE 2006. Institui a Lei de Responsabilidade Social do e dá outras Providências. A PREFEITA DE ALTAMIRA, Estado do Pará, no uso de suas atribuições legais, faz saber que

Leia mais

CULTURA OBJETIVOS E METAS

CULTURA OBJETIVOS E METAS CULTURA OBJETIVOS E METAS 1. Garantir a participação juvenil na elaboração das políticas públicas na área de cultura com a participação de mais entidades e partidos políticos, via projetos e via mobilização

Leia mais

OBSERVATÓRIO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DIRIGIDAS À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE EM PIRACICABA

OBSERVATÓRIO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DIRIGIDAS À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE EM PIRACICABA OBSERVATÓRIO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DIRIGIDAS À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE EM PIRACICABA ASSOCIAÇÃO FORMAR DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E APRENDIZAGEM PROFISSIONAL Entidade não governamental, com certificado de

Leia mais

Questionário Rede Privada

Questionário Rede Privada MONITORAMENTO SUAS CENSO SUAS 2010 Questionário Rede Privada O Censo Rede Privada 2010, tem como finalidade proporcionar subsídios para a construção e manutenção de indicadores de monitoramento e avaliação

Leia mais

Associação Beneficente Salvare ANEXO I FORMULÁRIO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS

Associação Beneficente Salvare ANEXO I FORMULÁRIO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS Associação Beneficente Salvare ANEXO I FORMULÁRIO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS DADOS DA ORGANIZAÇÃO PROPONENTE Razão Social CNPJ Endereço Completo Inscrição Telefone Email Representante Legal

Leia mais

Da gestão, da aplicação, do controle e da fiscalização dos Fundos... 5

Da gestão, da aplicação, do controle e da fiscalização dos Fundos... 5 Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania Sedpac 2015 Apresentação Criado pela Lei nº 21.144, de 14 de janeiro de 2014, o Fundo Estadual dos Direitos do Idoso tem o objetivo

Leia mais

5ª EDIÇÃO DA CERTIFICAÇÃO SELO ODM MOVIMENTO NÓS PODEMOS PARANÁ REGULAMENTO

5ª EDIÇÃO DA CERTIFICAÇÃO SELO ODM MOVIMENTO NÓS PODEMOS PARANÁ REGULAMENTO 5ª EDIÇÃO DA CERTIFICAÇÃO SELO ODM MOVIMENTO NÓS PODEMOS PARANÁ REGULAMENTO O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade - Nós Podemos Paraná, articulado pelo Sesi-PR e com o apoio de diversas instituições

Leia mais

OBSERVATÓRIO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DIRIGIDAS À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE EM PIRACICABA CENTRO DE REABILITAÇÃO PIRACICABA - CRP

OBSERVATÓRIO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DIRIGIDAS À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE EM PIRACICABA CENTRO DE REABILITAÇÃO PIRACICABA - CRP CENTRO DE REABILITAÇÃO PIRACICABA - CRP Entidade civil beneficente de assistência social sem fins lucrativos. Criada em 30 de janeiro de 1965. Endereço: Rua Almirante Barroso, 500 - Bairro São Judas Tadeu

Leia mais

BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE O TERCEIRO SETOR NO BRASIL. Conceitos, atuações, avanços e desafios

BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE O TERCEIRO SETOR NO BRASIL. Conceitos, atuações, avanços e desafios BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE O TERCEIRO SETOR NO BRASIL Conceitos, atuações, avanços e desafios REFLETINDO Art.6º da CF. São direitos sociais a educação, a saúde, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança,

Leia mais

ANEXO I. PROGRAMA 2064 PROMOÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS Código do Programa no SICONV: 2012120140009 RECURSOS DO FUNDO NACIONAL DO IDOSO FNI

ANEXO I. PROGRAMA 2064 PROMOÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS Código do Programa no SICONV: 2012120140009 RECURSOS DO FUNDO NACIONAL DO IDOSO FNI ANEXO I PROGRAMA 2064 PROMOÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS Código do Programa no SICONV: 2012120140009 RECURSOS DO FUNDO NACIONAL DO IDOSO FNI CONDIÇÕES E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CARACTERÍSTICAS DA PROPOSTA:

Leia mais

Centro Infantil de Investigações Hematológicas Dr. Domingos A. Boldrini

Centro Infantil de Investigações Hematológicas Dr. Domingos A. Boldrini Centro Infantil de Investigações Hematológicas Dr. Domingos A. Boldrini Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2012 e Relatório dos Auditores Independentes Deloitte

Leia mais

GRÊMIO RECREATIVO BARUERI CNPJ 59.042.648/0001-73

GRÊMIO RECREATIVO BARUERI CNPJ 59.042.648/0001-73 GRÊMIO RECREATIVO BARUERI CNPJ 59.042.648/0001-73 Site: www.grbesportes.com.br Relatório da Administração Prezados Senhores, A administração do Grêmio Recreativo Barueri submete a sua apreciação o relatório,

Leia mais

Apoio à Valorização da Diversidade no Acesso e na Permanência na Universidade

Apoio à Valorização da Diversidade no Acesso e na Permanência na Universidade Programa 1377 Educação para a Diversidade e Cidadania Objetivo Combater as desigualdades étnico-racial, de gênero, orientação sexual, geracional, regional e cultural no espaço escolar. Justificativa Público

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE FORMULÁRIO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS NOME DO PROJETO ORGANIZAÇÃO PROPONENTE

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE FORMULÁRIO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS NOME DO PROJETO ORGANIZAÇÃO PROPONENTE CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE FORMULÁRIO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS NOME DO PROJETO INCLUSÃO DIGITAL FUNDAÇÃO HERMON ESCOLA PEDRO BOSCO ORGANIZAÇÃO PROPONENTE FUNDAÇÃO

Leia mais

ESPRO - Associação de Ensino Social Profissionalizante. Associação de Ensino Social Profissionalizante

ESPRO - Associação de Ensino Social Profissionalizante. Associação de Ensino Social Profissionalizante Associação de Ensino Social Profissionalizante O ESPRO é uma organização do 3 o setor Estado Terceiro setor (Organizações sem fins lucrativos) Empresas Privadas A proposta do ESPRO Educação gratuita Aprendizagem

Leia mais

Conselho Municipal dos Direitos da Criança e Adolescente de Viana - COMDICAVI Lei Municipal Nº. 1214/94

Conselho Municipal dos Direitos da Criança e Adolescente de Viana - COMDICAVI Lei Municipal Nº. 1214/94 EDITAL Nº. 01/2014 - COMDICAVI Dispõe sobre o chancelamento de projetos das entidades não governamentais e órgãos governamentais de atendimento à criança e ao adolescente, para financiamento com recursos

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2013

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2013 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2013 Institui o Programa Nacional de Incentivo à Educação Escolar Básica Gratuita (PRONIE). O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º Esta Lei institui o Programa Nacional de

Leia mais

LEI Nº. 602/2015, DE 08 DE OUTUBRO DE 2015.

LEI Nº. 602/2015, DE 08 DE OUTUBRO DE 2015. LEI Nº. 602/2015, DE 08 DE OUTUBRO DE 2015. DISPÕE SOBRE FIXAÇÃO DE REGRAS PARA PROMOÇÃO DO ESPORTE NO MUNICÍPIO DE MATADE SÃO JOÃO-BA. O Prefeito Municipal de Mata de São João, Estado da Bahia, faz saber

Leia mais

MUNICÍPIO DO CABO DE SANTO AGOSTINHO - PE RELAÇÃO DOS PROGRAMAS VIGENTES NO EXERCÍCIO 2015 PLANO PLURIANUAL E ORÇAMENTO 2015

MUNICÍPIO DO CABO DE SANTO AGOSTINHO - PE RELAÇÃO DOS PROGRAMAS VIGENTES NO EXERCÍCIO 2015 PLANO PLURIANUAL E ORÇAMENTO 2015 CódigoDenominação 1001 1002 1003 1004 1005 1006 1007 1008 1009 1011 1012 Objetivo 1013 PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DOS FUNCIONÁRIOS DA PROCURADORIA GERAL DO MUNICÍPIO Promover o desenvolvimento pessoal e

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31.12.2012 ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS DE DIADEMA

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31.12.2012 ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS DE DIADEMA NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31.12. ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS DE DIADEMA I Contexto Operacional Nota 01 Objetivo Estatutário A ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS

Leia mais

2012 RELATÓRIO DE ATIVIDADES

2012 RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2012 RELATÓRIO DE ATIVIDADES Instituto Lojas Renner Instituto Lojas Renner Inserção de mulheres no mercado de trabalho, desenvolvimento da comunidade e formação de jovens fazem parte da história do Instituto.

Leia mais

Termo de Referência para Elaboração de Plano de Gestão de Praça do PAC modelo de 3000m 2

Termo de Referência para Elaboração de Plano de Gestão de Praça do PAC modelo de 3000m 2 MINISTÉRIO DA CULTURA Diretoria de Infraestrutura Cultural Secretaria Executiva Termo de Referência para Elaboração de Plano de Gestão de Praça do PAC modelo de 3000m 2 1. Objetivos A Praça do PAC é de

Leia mais

Evento de extensão do dia 29/09/2012

Evento de extensão do dia 29/09/2012 PROGRAMA DE ETENSÃO UNIVERSITÁRIA: UNIVERSIDADE A SERVIÇO DA SOCIEDADE Autores: alunos da Especialização em Docência do Ensino Universitário Professora Organizadora: Drª Andréia Cristina Fregate Baraldi

Leia mais

Micro-Química Produtos para Laboratórios Ltda.

Micro-Química Produtos para Laboratórios Ltda. Micro-Química Produtos para Laboratórios Ltda. Resumo Com a globalização e os avanços tecnológicos, as empresas estão operando num ambiente altamente competitivo e dinâmico. As organizações que quiserem

Leia mais

Projeto: PEQUENOS OLHARES, GRANDES CAMINHOS

Projeto: PEQUENOS OLHARES, GRANDES CAMINHOS Projeto: PEQUENOS OLHARES, GRANDES CAMINHOS FLORIANÓPOLIS, 2014 1 Identificação: Nome: AEBAS ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA BENEFICENTE DE ASSISTÊNCIA SOCIAL Início das Atividades: 1955 CNPJ: 83.932.608/0001-81

Leia mais

Fundação Julita. Deloitte Brasil Auditores Independentes Ltda.

Fundação Julita. Deloitte Brasil Auditores Independentes Ltda. Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2014 e Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Deloitte Brasil Auditores Independentes Ltda.

Leia mais

O BNDES e os Investimentos Sociais de

O BNDES e os Investimentos Sociais de INVESTIMENTOS SOCIAIS DE EMPRES O BNDES e os Investimentos Sociais de Empresas Angela Regina P. Macedo Departamento de Operações Sociais Área de Inclusão Social Out/2007 OBJETIVO INVESTIMENTOS SOCIAIS

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE FORMULÁRIO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS NOME DO PROJETO ORGANIZAÇÃO PROPONENTE

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE FORMULÁRIO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS NOME DO PROJETO ORGANIZAÇÃO PROPONENTE CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE FORMULÁRIO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS NOME DO PROJETO EDUCAÇÃO, CIDADANIA E CULTURA DA VIDA ORGANIZAÇÃO PROPONENTE FUNDAÇÃO HERMON CONSELHO

Leia mais

SEMINÁRIO INTERMINISTERIAL SOBRE A NOVA LEI DE CERTIFICAÇÃO DAS ENTIDADES BENEFICENTES DE ASSISTÊNCIA SOCIAL. Campo Grande-MS

SEMINÁRIO INTERMINISTERIAL SOBRE A NOVA LEI DE CERTIFICAÇÃO DAS ENTIDADES BENEFICENTES DE ASSISTÊNCIA SOCIAL. Campo Grande-MS SEMINÁRIO INTERMINISTERIAL SOBRE A NOVA LEI DE CERTIFICAÇÃO DAS ENTIDADES BENEFICENTES DE ASSISTÊNCIA SOCIAL Campo Grande-MS Mudanças na Certificação das Entidades Beneficentes de Assistência Social e

Leia mais

AUTÓGRAFO DE LEI N. 83, DE 30 DE SETEMBRO DE 2013

AUTÓGRAFO DE LEI N. 83, DE 30 DE SETEMBRO DE 2013 AUTÓGRAFO DE LEI N. 83, DE 30 DE SETEMBRO DE 2013 Altera a Lei n. 1788/2009 e alterações (PPA exercício 2010/2013), a Lei n. 2077/2012 (LDO exercício de 2013 e alterações) e abre Crédito Suplementar na

Leia mais

Campanha Clarear Relatório 1º semestre 2013

Campanha Clarear Relatório 1º semestre 2013 Campanha Clarear Relatório 1º semestre 2013 Campanha Clarear A Campanha Clarear éuma parceria da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) e 5 entidades filantrópicas do estado, com o objetivo de viabilizar

Leia mais

CARTA TÉCNICA CERTIFICADO DE ENTIDADE BENEFICENTE DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CEBAS ÁREA: SAÚDE

CARTA TÉCNICA CERTIFICADO DE ENTIDADE BENEFICENTE DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CEBAS ÁREA: SAÚDE CARTA TÉCNICA CERTIFICADO DE ENTIDADE BENEFICENTE DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CEBAS ÁREA: SAÚDE ENTIDADES ABRANGIDAS: Entidades que atuam na área da saúde (Art. 4º ao Art. 11º da Lei nº 12.101/2009) ÓRGÃO RESPONSÁVEL

Leia mais

Edital de seleção para formação em gestão de Organizações da Sociedade Civil Fundação Tide Setubal 2011

Edital de seleção para formação em gestão de Organizações da Sociedade Civil Fundação Tide Setubal 2011 Edital de seleção para formação em gestão de Organizações da Sociedade Civil Fundação Tide Setubal 2011 INTRODUÇÃO A Fundação Tide Setubal nasce em 2005 para ressignificar e inovar o trabalho pioneiro

Leia mais

PROJETO CIRANDA DAS ARTES

PROJETO CIRANDA DAS ARTES Prefeitura Municipal de Petrópolis Conselho Municipal de Cultura Fundação de Cultura e Turismo PROJETO CIRANDA DAS ARTES APRESENTAÇÃO A arte é uma forma de expressão produzida pelo homem para manifestar

Leia mais

OPERACIONALIZAÇÃO FISCAL DAS DOAÇÕES HENRIQUE RICARDO BATISTA

OPERACIONALIZAÇÃO FISCAL DAS DOAÇÕES HENRIQUE RICARDO BATISTA OPERACIONALIZAÇÃO FISCAL DAS DOAÇÕES HENRIQUE RICARDO BATISTA Programa de Voluntariado da Classe Contábil Com o objetivo de incentivar o Contabilista a promover trabalhos sociais e, dessa forma, auxiliar

Leia mais

PESQUISA DE ENTIDADES DE ASSISTÊNCIA SOCIAL PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS - PEAS 2013 Questionário da Etapa I

PESQUISA DE ENTIDADES DE ASSISTÊNCIA SOCIAL PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS - PEAS 2013 Questionário da Etapa I BLOCO 01 IDENTIFICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO Diretoria de Pesquisas Coordenação de População e Indicadores Sociais 01. Número cadastral 02. Siape do entrevistador PESQUISA DE ENTIDADES DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

Leia mais

COMISSÃO DE DIREITO DO TERCEIRO SETOR O PROCESSO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS

COMISSÃO DE DIREITO DO TERCEIRO SETOR O PROCESSO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS COMISSÃO DE DIREITO DO TERCEIRO SETOR O PROCESSO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS Adm. Empresas FGV MBA USP Mestrando da PUC Instrutor de Gestão Financeira do GESC José Alberto Tozzi Instrutor do Curso de Contabilidade

Leia mais

Rua Joaquim André, 895 Paulista 3434-0461-3434-7137 Piracicaba SP EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA 02/2012

Rua Joaquim André, 895 Paulista 3434-0461-3434-7137 Piracicaba SP EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA 02/2012 CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PIRACICABA Rua Joaquim André, 895 Paulista 3434-0461-3434-7137 Piracicaba SP EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA 02/2012 SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PERÍODO 01/01/2011 a 31/12/2011 (Em Reais, Mil)

NOTAS EXPLICATIVAS DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PERÍODO 01/01/2011 a 31/12/2011 (Em Reais, Mil) 1. CONTEXTO OPERACIONAL NOTAS EXPLICATIVAS DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PERÍODO 01/01/2011 a 31/12/2011 (Em Reais, Mil) O Instituto Nordeste Cidadania é uma organização sem finalidade lucrativa, considerada

Leia mais

SECRETARIA ESTADUAL DE ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL COORDENADORIA DE GESTÃO ESTRATEGICA GRUPO DE GESTÃO DE CADASTROS

SECRETARIA ESTADUAL DE ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL COORDENADORIA DE GESTÃO ESTRATEGICA GRUPO DE GESTÃO DE CADASTROS 1. C.N.P.J 1-1.Razão Social 1-2. Ano de Fundação 1-3. Documento Legal de Criação Estatuto Social Outros(Especificar) 1-4. Estágio Prestadora de Serviço não Prestadora de Serviço 1-5. Endereço 1-6. Bairro

Leia mais

FUNDAÇÃO LAR HARMONIA CNPJ: 00.405.171/0001-09 NOTAS EXPLICATIVAS DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS ENCERRADAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013

FUNDAÇÃO LAR HARMONIA CNPJ: 00.405.171/0001-09 NOTAS EXPLICATIVAS DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS ENCERRADAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 FUNDAÇÃO LAR HARMONIA CNPJ: 00.405.171/0001-09 NOTAS EXPLICATIVAS DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS ENCERRADAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 I- OBJETIVOS DA ENTIDADE E CONTEXTO OPERACIONAL A Fundação Lar Harmonia

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Certificação de Entidades Beneficentes de Assistência Social - CEBAS - 1 -

MANUAL DO USUÁRIO. Certificação de Entidades Beneficentes de Assistência Social - CEBAS - 1 - Certificação de Entidades Beneficentes de Assistência Social - CEBAS - 1 - Ministério da Educação Secretaria Executiva Secretaria de Educação Básica - SEB Diretoria de Tecnologia da Informação - DTI Secretaria

Leia mais

Programa Assistência Sex, 16 de Setembro de 2011 10:32 - Última atualização Sex, 25 de Abril de 2014 10:17

Programa Assistência Sex, 16 de Setembro de 2011 10:32 - Última atualização Sex, 25 de Abril de 2014 10:17 Programa Assistência Através do Programa Assistência, o SESC tem como objetivo contribuir para a melhoria das relações e condições de vida da população, promovendo atividades sócio-culturais, de saúde

Leia mais

PATRUS ANANIAS DE SOUZA Ministro de Estado do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

PATRUS ANANIAS DE SOUZA Ministro de Estado do Desenvolvimento Social e Combate à Fome apresentação do programa Brasília, maio 2007 PATRUS ANANIAS DE SOUZA Ministro de Estado do Desenvolvimento Social e Combate à Fome ONAUR RUANO Secretário Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional CRISPIM

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PAULÍNIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE PAULÍNIA DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS: I programa de trabalho proposto pela beneficiária ou exposição das unidades de serviço objeto dos repasses concedidos, avaliado pela Comissão, contendo: a. razões que justifiquem

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.409/12. Aprova a ITG 2002 Entidade sem Finalidade de Lucros.

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.409/12. Aprova a ITG 2002 Entidade sem Finalidade de Lucros. RESOLUÇÃO CFC N.º 1.409/12 Aprova a ITG 2002 Entidade sem Finalidade de Lucros. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais e com fundamento no disposto na

Leia mais

A consolidação do modelo

A consolidação do modelo C A P Í T U L O 2 A consolidação do modelo Nos últimos anos, o balanço social modelo Ibase tornou-se a principal ferramenta por meio da qual as empresas são estimuladas a conhecer, sistematizar e apresentar

Leia mais

Fornecimento de Óculos para Alunos Portadores de Deficiência Visual

Fornecimento de Óculos para Alunos Portadores de Deficiência Visual Programa 1060 Brasil Alfabetizado Objetivo Criar oportunidade de alfabetização a todos os jovens e adultos Justificativa De acordo com o Censo de 2000 do IBGE, 13,6% da população de 15 anos e mais é analfabeta.

Leia mais

ESTADO DO PARÁ PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE CANAÃ DOS CARAJÁS

ESTADO DO PARÁ PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE CANAÃ DOS CARAJÁS ANEXO IV LEI Nº 624/204 DISTRIBUIÇÃO ORGANIZACIONAL DE CARGOS E VAGAS -DIRETORIAS COORDENADORIAS E SETORES COM VINCULOS HIERÁRQUICOS. SECRETARIA MUNICIAL DE GOVERNO SECRETARIAS DIRETORIA VAGAS COORDENADORIAS

Leia mais

CT03.07 - Departamento de Gestão Social Fevereiro/2013 Atualizado em março/2014 CARTA TÉCNICA

CT03.07 - Departamento de Gestão Social Fevereiro/2013 Atualizado em março/2014 CARTA TÉCNICA CARTA TÉCNICA Nome do Certificado: INSCRIÇÃO NO CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL ENTIDADES QUE DEVEM REALIZAR O REGISTRO: Entidades de Assistência Social ORGÃO RESPONSÁVEL PELA EMISSÃO: Conselho

Leia mais

TKL SERVIÇOS CONTÁBEIS LTDA. Contabilidade. Auditoria. Consultoria. Perícia Contábil

TKL SERVIÇOS CONTÁBEIS LTDA. Contabilidade. Auditoria. Consultoria. Perícia Contábil MISSÃO RAMACRISNA Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis Exercícios findos em 31 de dezembro de 2009 e 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Missão Ramacrisna é uma associação, sem fins lucrativos e de caráter

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2014

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2014 EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2014 1. DO OBJETO 1.1. O presente edital tem por objeto realizar uma chamada pública nacional para seleção de projetos sociais. O edital destina-se às organizações

Leia mais

Incentivar a comunidade escolar a construir o Projeto político Pedagógico das escolas em todos os níveis e modalidades de ensino, adequando o

Incentivar a comunidade escolar a construir o Projeto político Pedagógico das escolas em todos os níveis e modalidades de ensino, adequando o SELO DE EDUCAÇÃO PARA IGUALDADE RACIAL ANEXO 1: METAS NORTEADORAS DO PLANO NACIONAL DAS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS E PARA O ENSINO DE HISTÓRIA E CULTURA

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PLANILHA DE

ELABORAÇÃO DE PLANILHA DE ELABORAÇÃO DE PLANILHA DE FORMAÇÃO DE CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 02/2008 SLTI/MPOG E ATUALIZAÇÕES POSTERIORES Carga Horária de 24 Horas 14 a 16 de Setembro Brasília - DF Objetivo:

Leia mais

Parceria entre governo e sociedade civil no atendimento do PNE: CEBAS Educação

Parceria entre governo e sociedade civil no atendimento do PNE: CEBAS Educação II Seminário de Formação Social Parceria entre governo e sociedade civil no atendimento do PNE: CEBAS Educação Maio 2016 Curitiba/PR Constituição Federal de 1988 Define a assistência social como direito

Leia mais

Bola no Pé e Bíblia na Mão PLANO DE TRABALHO 2009

Bola no Pé e Bíblia na Mão PLANO DE TRABALHO 2009 ASSOCIAÇÃO BETESDA Bola no Pé e Bíblia na Mão PLANO DE TRABALHO 2009 Revisão: 30.06.2009 IDENTIFICAÇÃO ASSOCIAÇÃO BETESDA BOLA NO PÉ E BIBLIA NA MÃO Rua Cuiabá, 49 - Jardim Brasília pólo esportivo CEP

Leia mais

LDO 2015 - Anexo de Metas e Prioridades Governo Municipal de Cantanhede Página : 001

LDO 2015 - Anexo de Metas e Prioridades Governo Municipal de Cantanhede Página : 001 Governo Municipal de Cantanhede Página : 001 -------------------------------------------------- Órgão: 01 - Câmara Municipal -------------------------------------------------- --------------------------------------------

Leia mais

Artigo 3º. Os projetos submetidos a presente seleção deverão indicar, entre os eixos abaixo discriminados, aquele de atuação principal.

Artigo 3º. Os projetos submetidos a presente seleção deverão indicar, entre os eixos abaixo discriminados, aquele de atuação principal. Edital Fumcad 2015 Prorrogação de Edital de Chamada Pública FUMCAD 2015 SELEÇÃO PÚBLICA DE PROPOSTAS PARA SELEÇÃO DE PROJETOS RELATIVOS À PROMOÇÃO, PROTEÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES

Leia mais

Certificação das Entidades Beneficentes de Assistência Social CEBAS. (Entidades que atuam na Assistência Social)

Certificação das Entidades Beneficentes de Assistência Social CEBAS. (Entidades que atuam na Assistência Social) Certificação das Entidades Beneficentes de Assistência Social CEBAS (Entidades que atuam na Assistência Social) 1 Lei 12.101/2009 Dispõe e sobre a CERTIFICAÇÃ ÇÃO das entidades beneficentes de assistência

Leia mais

Constituição Federal - CF - 1988 Título VIII Da Ordem Social Capítulo III Da Educação, da Cultura e do Desporto Seção I Da Educação

Constituição Federal - CF - 1988 Título VIII Da Ordem Social Capítulo III Da Educação, da Cultura e do Desporto Seção I Da Educação Constituição Federal - CF - 1988 Título VIII Da Ordem Social Capítulo III Da Educação, da Cultura e do Desporto Seção I Da Educação Art. 205 - A educação, direito de todos e dever do Estado e da família,

Leia mais

REGIMENTO ESCOLAR EDUCAÇÃO INFANTIL

REGIMENTO ESCOLAR EDUCAÇÃO INFANTIL INSTITUIÇÃO SINODAL DE ASSINTÊNCIA, EDUCAÇÃO E CULTURA - ISAEC ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL SINODAL SETE DE SETEMBRO NÃO-ME-TOQUE /RS REGIMENTO ESCOLAR EDUCAÇÃO INFANTIL 1 SUMÁRIO 1- CARACTERIZAÇÃO DA

Leia mais

Contabilidade Básica do Terceiro Setor. Benildo Rocha Costa

Contabilidade Básica do Terceiro Setor. Benildo Rocha Costa Contabilidade Básica do Terceiro Setor Benildo Rocha Costa O que é o terceiro setor? Terceiro Setor é um termo usado para fazer referência ao conjunto de sociedades privadas ou associações que atuam no

Leia mais

PLANO DE GOVERNO TULIO BANDEIRA PTC 36

PLANO DE GOVERNO TULIO BANDEIRA PTC 36 PLANO DE GOVERNO TULIO BANDEIRA PTC 36 GESTÃO PÚBLICA Garantir ampla participação popular na formulação e acompanhamento das políticas públicas; Criação do SOS Oprimidos, onde atenda desde pessoas carentes

Leia mais

Atividades Extraclasse

Atividades Extraclasse Atividades Extraclasse No Marista Ipanema, o estudante também aprende e desenvolve habilidades além da sala de aula, através de atividades esportivas, artísticas e culturais. Conheça cada uma das modalidades

Leia mais

MUNICÍPIO DE CASTELO CONSOLIDADO ESPÍRITO SANTO 27.165

MUNICÍPIO DE CASTELO CONSOLIDADO ESPÍRITO SANTO 27.165 001 - CÂMARA MUNICIPAL DE CASTELO 001 - CÂMARA MUNICIPAL DE CASTELO 01 Legislativa 1.776.613,21 1.776.613,21 01031 Ação Legislativa 1.776.613,21 1.776.613,21 010310001 APOIO ADMINISTRATIVO DA CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

Diário Oficial 31 32 Diário Oficial Resolução SE 52, de 2-10-2014

Diário Oficial 31 32 Diário Oficial Resolução SE 52, de 2-10-2014 sexta-feira, 3 de outubro de 2014 Diário Oficial Poder Executivo - Seção I São Paulo, 124 (187) 31 32 São Paulo, 124 (187) Diário Oficial Poder Executivo - Seção I sexta-feira, 3 de outubro de 2014 Resolução

Leia mais

Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente da Estância Turística de Ribeirão Pires

Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente da Estância Turística de Ribeirão Pires Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente da Estância Turística de Ribeirão Pires Projeto Núcleo de Atendimento de Crianças e Adolescentes Introdução O Conselho Municipal da Criança e

Leia mais

MELHORIA DA INFRAESTRUTURA FÍSICA ESCOLAR

MELHORIA DA INFRAESTRUTURA FÍSICA ESCOLAR MELHORIA DA INFRAESTRUTURA FÍSICA ESCOLAR Este projeto visa investir na melhoria da infraestrutura escolar, por meio de construção, ampliação e reforma, bem como dotá-las com equipamentos e mobiliários

Leia mais

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Realização: Ágere Cooperação em Advocacy Apoio: Secretaria Especial dos Direitos Humanos/PR Módulo III: Conselhos dos Direitos no

Leia mais

O SUAS e rede privada na oferta de serviços, programas, projetos e benefícios socioassistenciais

O SUAS e rede privada na oferta de serviços, programas, projetos e benefícios socioassistenciais O SUAS e rede privada na oferta de serviços, programas, projetos e benefícios socioassistenciais Departamento da Rede Socioassistencial Privada do SUAS. Secretaria Nacional de Assistencia Social. DADOS

Leia mais

RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS. Responsabilidade da administração sobre as demonstrações contábeis

RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS. Responsabilidade da administração sobre as demonstrações contábeis RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Aos Diretores e Mantenedores da FUNDAÇÃO PRÓ RIM JOINVILLE SC Examinamos as demonstrações financeiras da Fundação Pró Rim, que compreendem

Leia mais

BALANÇO SOCIAL 2014 APAE DE FLORIANÓPOLIS

BALANÇO SOCIAL 2014 APAE DE FLORIANÓPOLIS BALANÇO SOCIAL 2014 APAE DE FLORIANÓPOLIS Identificação CNPJ 83.933.192/0001-16 Instituição ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS DE FLORIANÓPOLIS Natureza Jurídica Associação Registro no CMAS Utilidade

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PLANILHA DE

ELABORAÇÃO DE PLANILHA DE ELABORAÇÃO DE PLANILHA DE FORMAÇÃO DE CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 02/2008 SLTI/MPOG Exclusivamente Atualizado com a IN 06/13 Carga Horária de 24 Horas 23 a 25 de Fevereiro Belém

Leia mais

Fundação Iochpe Notas explicativas da administração às demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2.012 e de 2.011 Cifras apresentadas em reais

Fundação Iochpe Notas explicativas da administração às demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2.012 e de 2.011 Cifras apresentadas em reais 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Fundação Iochpe foi instituída pela Companhia Iochpe e atualmente a sociedade mantenedora é a Iochpe-Maxion S/A e suas subsidiárias. A Fundação tem por finalidade cumprir a função

Leia mais

Edital Instituto Sabin - 02/2015

Edital Instituto Sabin - 02/2015 Edital Instituto Sabin - 02/2015 Seleção pública de entidades sociais para parceria com o Instituto Sabin Projeto Criança e Saúde O Instituto Sabin, por meio do Projeto Criança e Saúde, torna público o

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL NOVA SANTA BÁRBARA

PREFEITURA MUNICIPAL NOVA SANTA BÁRBARA PREFEITURA MUNICIPAL NOVA SANTA BÁRBARA EDITAL N.º 002/ 2010. ANEXO III DESCRIÇÃO DOS CARGOS CARGO: 012- Ajudante Geral Requisitos: Conhecimentos gerais na área Atribuições do cargo: Proceder a limpeza

Leia mais

PLANO OPERACIONAL 2013

PLANO OPERACIONAL 2013 PLANO OPERACIONAL 2013 NOME DO PROGRAMA 1: Fundação de Assistência Social e Cidadania SASE - Serviço de apoio socioeducativo Trabalho Educativo OBJETIVO(S) 1.1. Promover a inclusão social de crianças adolescentes

Leia mais

PATRULHA JUVENIL DE GARÇA

PATRULHA JUVENIL DE GARÇA Rua Baden Powell, 451 Telefone: (14) 3471-1630 / 3471-1816 CEP 17400-000 Garça - S P Fundada em 26 de Setembro de 1972 CNPJ 47.645.809/0001-34 Isenta de Contribuições Sociais conforme Decreto nº 3.048

Leia mais

Indicador(es) Órgão(s) 26 - Ministério da Educação

Indicador(es) Órgão(s) 26 - Ministério da Educação Programa úmero de Ações 13 1060 Brasil Alfabetizado e Educação de Jovens e Adultos Objetivo Indicador(es) Garantir acesso e permanência de jovens e adultos a programas educacionais que visam atender as

Leia mais

COLIGAÇÃO INOVAR É PRECISO PROPOSTA DE GOVERNO 2013/2016

COLIGAÇÃO INOVAR É PRECISO PROPOSTA DE GOVERNO 2013/2016 COLIGAÇÃO INOVAR É PRECISO PROPOSTA DE GOVERNO 2013/2016 ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL Implantar o Plano Diretor. Implantar o Orçamento participativo. Valorização pessoal do funcionário público municipal. Implantação

Leia mais

PACTO GLOBAL RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE

PACTO GLOBAL RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE PACTO GLOBAL RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE PACTO GLOBAL Lançado em 2000, o Pacto Global das Nações Unidas constitui uma convocação às empresas de todo o mundo para que alinhem suas estratégicas e operações

Leia mais

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA. PROJETO DE LEI No 451, DE 2011

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA. PROJETO DE LEI No 451, DE 2011 COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI No 451, DE 2011 Institui o Programa Nacional de Apoio à Assistência Social PRONAS e dá outras providências. Autor: Deputado THIAGO PEIXOTO Relator:

Leia mais

Instrução Normativa RFB nº 1.311, de 31 de dezembro de 2012

Instrução Normativa RFB nº 1.311, de 31 de dezembro de 2012 Instrução Normativa RFB nº 1.311, de 31 de dezembro de 2012 DOU de 31.12.2012 Altera a Instrução Normativa RFB nº 1.131, de 21 de fevereiro de 2011, que dispõe sobre os procedimentos a serem adotados para

Leia mais

RELATÓRIO DE EXECUÇÃO OUTUBRO/2015 UPA 24 SÃO PEDRO DA ALDEIA RJ

RELATÓRIO DE EXECUÇÃO OUTUBRO/2015 UPA 24 SÃO PEDRO DA ALDEIA RJ RELATÓRIO DE EXECUÇÃO OUTUBRO/2015 UPA 24 SÃO PEDRO DA ALDEIA RJ Relatório Mensal de Acompanhamento do Contrato de Gestão nº 02/2015. DIREÇÃO LOCAL SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 5 1.1. O INDSH... 5 1.2. A UPA

Leia mais

ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PREFEITURA MUNICIPAL DE JOAO PESSOA Secretaria Municipal de Planejamento EXERCÍCIO: 20 ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ÓRGÃO: Projeto/Atividade Objetivo Denominação da Meta Unid.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DO PAULISTA

PREFEITURA MUNICIPAL DO PAULISTA ANEXO I QUADRO DE VAGAS I - PARA A SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE EMPREGO / FORMAÇÃO TOTAL DE VAGAS VAGAS RESERVADA S P / PCD ANALISTA AMBIENTAL FORMAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL 01 - ANALISTA AMBIENTAL FORMAÇÃO

Leia mais

50 pontos do programa de governo do PSOL - Ivanete Prefeita para transformar Duque de Caxias:

50 pontos do programa de governo do PSOL - Ivanete Prefeita para transformar Duque de Caxias: 50 pontos do programa de governo do PSOL - Ivanete Prefeita para transformar Duque de Caxias: Duque de Caxias nas mãos do Povo: contra a corrupção e pela mudança 1) Garantir a participação popular e a

Leia mais

O que é Programa Rio: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher? Quais suas estratégias e ações? Quantas instituições participam da iniciativa?

O que é Programa Rio: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher? Quais suas estratégias e ações? Quantas instituições participam da iniciativa? Destaque: Somos, nós mulheres, tradicionalmente responsáveis pelas ações de reprodução da vida no espaço doméstico e a partir da última metade do século passado estamos cada vez mais inseridas diretamente

Leia mais