a) A diversidade de anticorpos é derivada da recombinação das regiões, e.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "a) A diversidade de anticorpos é derivada da recombinação das regiões, e."

Transcrição

1 Questão 1 Preencha as lacunas a) A diversidade de anticorpos é derivada da recombinação das regiões, e. Verdadeiro ou falso. Se falso, altere a declaração de modo a torná-la verdadeira. b) A exposição secundária a um antígeno resulta em um atraso mais longo antes de uma resposta imunológica. c) As células T são parte do sistema imunológico natural. d) Os macrófagos destroem micróbios por meio da secreção de uma substância que perfura a membrana bacteriana. e) Uma célula B pode produzir vários tipos de molécula de anticorpo de superfície. f) Anticorpos que reconheçam proteínas próprias podem causar doenças. g) Os patógenos causam doenças ao penetrarem em um hospedeiro, colonizando, multiplicando-se, evitando o sistema imunológico e disseminando-se. h) As células B são ativadas por células T killer para secretar anticorpos no sangue. i) As moléculas de MHC de classe II são receptores encontrados em todas as células nucleadas. j) Alterando suas proteínas de superfície, as bactérias são capazes de evitar o sistema imunológico celular. Material de Distribuição do Exame III do

2 Questão 2 a) Uma célula pancreática produtora de insulina infectada por um vírus apresenta peptídeos virais (antígenos) e peptídeos próprios em sua superfície. Molécula de MHC de Classe I Peptídeos próprios Célula pancreática infectada por vírus Antígeno Estranho i) O que reconhecerá o peptídeo estranho indicado na molécula de MHC de classe I? ii) Quais as duas respostas resultantes dessa identificação? iii)explique brevemente o que ocorreria se o sistema imunológico reconhecesse incorretamente um peptídeo pancreático em células pancreáticas não-infectadas? Qual doença poderia ser causada por esse processo? Questão 3 Você está estudando o ciclo celular de células de lêvedo haplóides e isola uma célula mutante de ciclo de divisão celular (cdc) sensível à temperatura, cdcx-. A cdcx- cresce normalmente a 25 C, mas interrompe o ciclo a 36 C no ponto do ciclo celular em que a expressão do gene cdcx normal é requerida. Para determinar em que ponto do ciclo celular a expressão do cdkx é requerida, experimentos são planejados com base nos fatos a seguir: 1) A droga nocodazole interrompe o ciclo, mas não destrói o lêvedo na mitose (fase M). 2) A densidade celular pode ser medida para se determinar se as células de lêvedo concluíram a divisão celular. Material de Distribuição do Exame III do

3 Continuação da Questão 3 Em suas experiências: Células cdkx- são encubadas a 25 C com nocodazole até que todas as células estejam sincronizadas. Então, a temperatura é alterada para 36 C, e o nocodazole é eliminado. As células se dividem uma vez e interrompem o ciclo. Células cdkx- são encubadas a 36 C até que todas interrompam o ciclo. Então, o nocodazole é adicionado, e a temperatura é alterada para 25 C. As células interrompem o ciclo, sem divisão. a) Com base nos resultados dessas experiências, você pode concluir que a proteína codificada pelo gene cdkx não é requerida em qual fase(s) do ciclo celular? Existe outro tipo de célula mutante sensível a baixas temperaturas, o cdky-, que interrompe o ciclo a 18 C, mas cresce normalmente a 25 C. As células cdky- interrompem o desenvolvimento entre as fases S e G2 do ciclo celular. Você cria células mutantes duplas cdkx- cdky- e realiza as experiências a seguir. Células mutantes duplas cdkx- cdky- são encubadas a 36 C até que todas as células estejam sincronizadas. Então, a temperatura é alterada para 18 C. As células interrompem o ciclo, sem divisão. Células mutantes duplas cdkx- cdky- são encubadas a 18 C até que todas as células estejam sincronizadas. Então, a temperatura é alterada para 36 C. As células se dividem uma vez e interrompem o ciclo. b) Com base nos resultados dessas experiências, você pode concluir que a proteína codificada pelo gene cdkx não é requerida em qual fase(s) do ciclo celular? c) Você realiza outra experiência em que células cdkx- são encubadas a 36 C até que todas as células estejam sincronizadas. Então, a temperatura é alterada para 18 C na presença de hidroxiuréia. As células permanecem inalteradas, sem divisão. i) Em qual estágio do ciclo celular você espera que a proteína codificada pelo gene cdkx atue? ii) Nesse ponto de bloqueio, em que estado a proteína prb seria encontrada? d) Uma célula em processo de replicação de DNA (célula A) se funde com uma célula no início da fase G1 (célula B). i) Qual seria a diferença entre a sincronização do ciclo celular do núcleo da célula B unida com a outra célula e a sincronização do núcleo da célula B se as células permanecessem independentes? Material de Distribuição do Exame III do

4 Continuação da Questão 3 ii) Qual fator(es) solúvel é encontrado na célula A mas não na célula B? (Marque todos os aplicáveis.) Proteína prb TGFβ Papiloma vírus humano Uma cinase dependente de ciclina Uma ciclina G1 Uma cinase dependente de camp Uma ciclina G2 Uma ciclina de fase S Um oncogene Questão 4 Síndromes do câncer familiar tais como o Retinoblastoma e a Neurofibromatose são herdadas como doenças genéticas. Indivíduos que possuem uma mutação que provoca a inativação em um alelo dos genes mencionados acima têm uma probabilidade maior de desenvolver o câncer. (Esses indivíduos são heterozigóticos em relação ao gene mutante Rb ou NF-1, respectivamente.) A maioria das células nesses indivíduos é normal, mas os tumores se originam de células individuais em determinados tecidos. No caso dos heterozigotos Rb, os tumores se desenvolvem na retina. Os heterozigotos NF-1 desenvolvem tumores periféricos de bainha de nervo e neurofibromas. a) A que classe de gene causador de câncer pertencem Rb e Nf-1? b) Na maioria dos casos, os indivíduos heterozigóticos não nascem com tumores, mas desenvolvem o câncer muitos anos depois ou mesmo no fim da vida. Que evento específico provoca a formação dos tumores? c) Por que síndromes do câncer familiar envolvendo mutações ativadoras (dominantes) não são encontradas? d) Muitos vírus que causam a formação de tumores provocam a tumorogênese produzindo proteínas virais que anulam as proteínas celulares normais. Que classe de proteína relacionada ao câncer seria provavelmente afetada? Material de Distribuição do Exame III do

5 Questão 5 Quando uma célula normal com crescimento controlado se transforma em uma célula de tumor com crescimento fora de controle, várias alterações ocorrem. Algumas dessas alterações podem ser observadas diretamente quando as células se desenvolvem em uma cultura. A existência de outras alterações é determinada em experiências. Uma dessas alterações, uma mudança na forma da célula, é mostrada abaixo. Tipo Selvagem Célula de tumor a) Você encontra duas placas de cultura contendo células transformadas que se originaram de diferentes mutações. No caso de cada placa, você deseja determinar se o fenótipo transformado foi criado por um oncogene ou um gene supressor de tumor mutante. Isso pode ser determinado por meio da fusão de uma célula transformada (de tumor) com uma célula tipo selvagem. Após a fusão, deve ser observado se a célula resultante se comporta como uma célula tipo selvagem ou de tumor. Você executa as experiências de fusão celular, utilizando uma célula transformada isolada de cada uma das duas placas. Caso I: Caso II: Célula de tumor Célula tipo Célula de tumor Célula tipo da placa 1 selvagem da placa 2 selvagem Célula de tumor A célula resultante da fusão é uma célula transformada Célula tipo selvagem A célula resultante da fusão é uma célula tipo selvagem Para cada experiência de fusão (Caso I e Caso II), responda se a célula de tumor utilizada na fusão sofreu uma mutação provocada por um oncogene ou um gene supressor de tumor e indique o tipo de mutação (ganho de função ou perda de função) que produziu o alelo mutante na célula de tumor. i) Caso I: ii) Caso II: b) Então, você clona o gene mutante a partir da célula de tumor da Placa 1 (Parte b) e determina que a mutação ocorreu em um gene que codifica um receptor de fator de crescimento. Determine que tipo de mutação em um gene de receptor de fator de crescimento pode criar o fenótipo de célula de tumor observado na Placa 1. c) Você também clona o gene mutante a partir da célula de tumor da Placa 2 (Parte b) e determina que a mutação ocorreu em um gene que, normalmente, codifica a proteína X, que retém e inativa um fator de transcrição envolvido em um percurso de transdução de sinais que favorecem o crescimento. Determine que tipo de mutação no gene de proteína X pode criar o fenótipo de célula de tumor observado na Placa 2. Material de Distribuição do Exame III do

6 Questão 1 Soluções: a) A diversidade de anticorpos é derivada da recombinação das regiões, e. V, D e J Note que existem muitos modos pelos quais as afirmações falsas abaixo podem ser corrigidas. Fornecemos somente alguns exemplos. b) A exposição secundária a um antígeno resulta em um atraso mais longo antes de uma resposta imunológica. Mais breve que no caso da exposição primária. c) As células T são parte do sistema imunológico natural. As células T são parte do sistema imunológico artificial. Ou As células T são parte do sistema imunológico celular ou humoral. d) Os macrófagos destroem micróbios por meio da secreção de uma substância que perfura a membrana bacteriana. Os macrófagos destroem micróbios por meio da ingestão e da lise. Ou O sistema de complemento destrói micróbios, perfurando a membrana bacteriana. e) Uma célula B pode produzir vários tipos de molécula de anticorpo de superfície. Uma célula B pode produzir somente um tipo de anticorpo de superfície. f) Anticorpos que reconheçam proteínas próprias podem causar doenças. Verdadeiro. g) Os patógenos causam doenças ao penetrarem em um hospedeiro, colonizando, multiplicando-se, evitando o sistema imunológico e disseminando-se. Verdadeiro. h) As células B são ativadas por células T killer para secretar anticorpos no sangue. As células B são ativadas por células T helper i) As moléculas de MHC de classe II são receptores encontrados em todas as células nucleadas. As moléculas de MHC de classe I são receptores encontrados em todas as células nucleadas. Ou As moléculas de MHC de classe II são receptores encontrados em células B e/ou macrófagos. j) Alterando suas proteínas de superfície, as bactérias são capazes de evitar o sistema imunológico celular. Alterando suas proteínas de superfície, as bactérias são capazes de evitar o sistema imunológico humoral. Material de Distribuição do Exame III do

7 Questão 2 a) Uma célula pancreática produtora de insulina infectada por um vírus apresenta peptídeos virais (antígenos) e peptídeos próprios em sua superfície. i) O que reconhecerá o peptídeo estranho indicado na molécula de MHC de classe I? O peptídeo será reconhecido por uma célula T killer específica para esse antígeno estranho em conjunção com a molécula de MHC de classe I. ii) Quais as duas respostas resultantes dessa identificação? A célula T killer destruirá a célula pancreática infectada e irá estimular sua multiplicação de modo que existirão mais células T killer do mesmo tipo para essa infecção específica. iii) Explique brevemente o que ocorreria se o sistema imunológico reconhecesse incorretamente um peptídeo pancreático em células pancreáticas não-infectadas? Qual doença poderia ser causada por esse processo? O reconhecimento de um peptídeo próprio por uma célula T killer causaria a lise de todas as células com o mesmo tipo de peptídeo. Caso o peptídeo fosse encontrado exclusivamente em células pancreáticas, o pâncreas seria destruído por uma doença auto-imune, causando a diabete. Questão 3 a) Com base nos resultados dessas experiências, você pode concluir que a proteína codificada pelo gene cdkx não é requerida em qual fase(s) do ciclo celular? Fase M. b) Com base nos resultados dessas experiências, você pode concluir que a proteína codificada pelo gene cdkx não é requerida em qual fase(s) do ciclo celular? Fase G2 ou M. c) i) Em qual estágio do ciclo celular você espera que a proteína codificada pelo gene cdkx atue? Fase S. ii) Nesse ponto de bloqueio, em que estado a proteína prb seria encontrada? A proteína prb estaria hiperfosforilada. d) i) Qual seria a diferença entre a sincronização do ciclo celular do núcleo da célula B unida com a outra célula e a sincronização do núcleo da célula B se as células permanecessem independentes? Na célula resultante da fusão, o DNA da célula B inicia imediatamente a replicação (fase S). Se a célula B permanecesse independente, a fase S ocorreria mais tarde. ii) Qual fator(es) solúvel é encontrado na célula A mas não na célula B? (Marque todos os aplicáveis.) Proteína prb TGFβ Papiloma vírus humano Uma cinase dependente de ciclina X_ Uma ciclina G1 Uma cinase dependente de camp Uma ciclina G2 X_ Uma ciclina de fase S Um oncogene Material de Distribuição do Exame III do

8 Questão 4 a) A que classe de gene causador de câncer pertencem Rb e Nf-1? Genes supressores de tumor. b) Na maioria dos casos, os indivíduos heterozigóticos não nascem com tumores, mas desenvolvem o câncer muitos anos depois ou mesmo no fim da vida. Que evento específico provoca a formação dos tumores? O segundo alelo ativo do gene supressor de tumor deve sofrer uma mutação ou ser perdido antes que a célula seja transformada. c) Por que síndromes do câncer familiar envolvendo mutações ativadoras (dominantes) não são encontradas? Uma mutação herdada em um oncogene indica que cada célula do corpo possui propriedades de crescimento anormais. Provavelmente, isso não permite a sobrevivência do embrião. d) Muitos vírus que causam a formação de tumores provocam a tumorogênese produzindo proteínas virais que anulam as proteínas celulares normais. Que classe de proteína relacionada ao câncer seria provavelmente afetada? Proteínas supressoras de tumor. Questão 5 a) Responda se a célula de tumor utilizada na fusão sofreu uma mutação provocada por um oncogene ou um gene supressor de tumor e indique o tipo de mutação (ganho de função ou perda de função) que produziu o alelo mutante na célula de tumor. i) Caso I: O fenótipo da célula de tumor é dominante em relação à célula tipo selvagem. Portanto, o gene mutante é um oncogene produzido por uma mutação de ganho de função em um proto-oncogene. ii) Caso II: O fenótipo da célula de tumor é recessivo em relação à célula tipo selvagem. Portanto, o gene mutante é um gene supressor de tumor inativado por uma mutação de perda de função. b) Determine que tipo de mutação em um gene de receptor de fator de crescimento pode criar o fenótipo de célula de tumor observado na Placa 1. Uma mutação que tornaria o receptor de fator de crescimento constantemente ativo, mesmo sem o fator de crescimento. O receptor ativo sinalizaria continuamente para que a célula prosseguisse com o crescimento, mesmo na ausência de fatores de crescimento. c) Determine que tipo de mutação no gene de proteína X pode criar o fenótipo de célula de tumor observado na Placa 2. Uma mutação que não permitiria à proteína X reter o fator de transcrição. Esse fator estaria estimulando continuamente a expressão de genes de crescimento. Material de Distribuição do Exame III do

c) Macrófagos e células B apresentam antígenos a células T helper. (Preencha as lacunas.). 2 pontos.

c) Macrófagos e células B apresentam antígenos a células T helper. (Preencha as lacunas.). 2 pontos. Questão 1 Você é um imunologista que quer ficar rico e decide deixar o mundo da ciência, conseguindo um emprego como consultor de roteiro em um novo seriado de drama médico. Você avalia o conhecimento

Leia mais

VÍRUS (complementar o estudo com as páginas 211-213 do livro texto)

VÍRUS (complementar o estudo com as páginas 211-213 do livro texto) COLÉGIO E CURSO INTELECTUS APOSTILA NOME: MAT.: Biologia I PROFº: EDUARDO SÉRIE: TURMA: DATA: VÍRUS (complementar o estudo com as páginas 211-213 do livro texto) Os vírus são os únicos organismos acelulares,

Leia mais

7.012 Conjunto de Problemas 5

7.012 Conjunto de Problemas 5 Nome Seção 7.012 Conjunto de Problemas 5 Pergunta 1 Enquanto estudava um problema de infertilidade, você tentou isolar um gene hipotético de coelho que seria responsável pela prolífica reprodução desses

Leia mais

Gráficos: experimento clássico de Gause, 1934 (Princípio de Gause ou princípio da exclusão competitiva).

Gráficos: experimento clássico de Gause, 1934 (Princípio de Gause ou princípio da exclusão competitiva). 1 Gráficos: experimento clássico de Gause, 1934 (Princípio de Gause ou princípio da exclusão competitiva). 2 O câncer surge de uma única célula que sofreu mutação, multiplicou-se por mitoses e suas descendentes

Leia mais

3ªsérie 2º período B I O L O G I A QUESTÃO 1 QUESTÃO 3 QUESTÃO 2 2.3

3ªsérie 2º período B I O L O G I A QUESTÃO 1 QUESTÃO 3 QUESTÃO 2 2.3 2.3 QUESTÃO 1 Observe estas figuras, em que estão representados alguns aspectos da organização estrutural de um tecido. B I O L O G I A 3ªsérie 2º período Figura I Y X Explique a relação entre o megacariócito

Leia mais

Questão 1. Questão 3. Questão 2. Resposta. Resposta

Questão 1. Questão 3. Questão 2. Resposta. Resposta Questão 1 Uma enzima, extraída da secreção de um órgão abdominal de um cão, foi purificada, dissolvida em uma solução fisiológica com ph 8 e distribuída em seis tubos de ensaio. Nos tubos 2, 4 e 6, foi

Leia mais

Introdução ao sistema imune

Introdução ao sistema imune Introdução ao sistema imune Simone Aparecida Rezende Dep. de Análises Clínicas - Escola de Farmácia Fone: 3559-1032. Aulas, exercícios, exemplos de questões de prova e comunicação com alunos em: www.aulasecia.com/imunobasica

Leia mais

Genética. Leis de Mendel

Genética. Leis de Mendel Genética Leis de Mendel DEFINIÇÕES GENES: Pedaços de DNA síntese de determinada proteína. LOCUS GÊNICO: É o local ocupado pelo gene no cromossomo. GENES ALELOS: Situam-se no mesmo Locus Gênico. HOMOZIGOTOS:

Leia mais

COMUNICAÇÃO CELULAR. Bioquímica Básica Ciências Biológicas 3º período Cátia Capeletto

COMUNICAÇÃO CELULAR. Bioquímica Básica Ciências Biológicas 3º período Cátia Capeletto COMUNICAÇÃO CELULAR Bioquímica Básica Ciências Biológicas 3º período Cátia Capeletto O que é comunicação celular? As células possuem um sistema responsável por: Geração Transmissão Recepção Resposta. Uma

Leia mais

Questão 1. Questão 2. Questão 3. Resposta. Resposta

Questão 1. Questão 2. Questão 3. Resposta. Resposta Questão 1 Os esquemas representam cortes transversais de regiões jovens de uma raiz e de um caule de uma planta angiosperma. Alguns tecidos estão identificados por um número e pelo nome, enquanto outros

Leia mais

P R O V A DE BIOLO G I A I I

P R O V A DE BIOLO G I A I I 10 P R O V A DE BIOLO G I A I I QUESTÃO 31 Uma criança do sexo masculino pertencente ao grupo sangüíneo AB e com síndrome de Down foi curada de uma leucemia, após receber transplante de medula óssea proveniente

Leia mais

PROVA DE AVALIAÇÃO DOS CONHECIMENTOS E COMPETÊNCIAS BIOLOGIA. Nome:

PROVA DE AVALIAÇÃO DOS CONHECIMENTOS E COMPETÊNCIAS BIOLOGIA. Nome: PROVA DE AVALIAÇÃO DOS CONHECIMENTOS E COMPETÊNCIAS BIOLOGIA 13/06/2011 Nome: 1. Classifique as afirmações seguintes como verdadeira (V) ou falsa (F): a) A espermatogénese é um processo contínuo, com inicio

Leia mais

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. Fonte: O Estado de S.Paulo, 10/12/ 97.

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. Fonte: O Estado de S.Paulo, 10/12/ 97. CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 13. Ao chegar ao Pará (Belém), encontrei a cidade, antes alegre e saudável, desolada por duas epidemias: a febre amarela e a varíola. O governo tomou todas as precauções sanitárias

Leia mais

Corresponde ao local de cada gene em específico. Em um mesmo cromossomo há vários genes, cada um com sua localização específica.

Corresponde ao local de cada gene em específico. Em um mesmo cromossomo há vários genes, cada um com sua localização específica. Espiralização do Cromossomo O material genético (DNA) encontra-se associado a proteínas, formando histonas, que vão se enrolando e formam a cromatina. Quando a cromatina está no nível máximo de espiralização,

Leia mais

a) Que característica do coração dos mamíferos impede a mistura do sangue venoso e arterial?

a) Que característica do coração dos mamíferos impede a mistura do sangue venoso e arterial? Q.01 Os esquemas representam cortes transversais de regiões jovens de uma raiz e de um caule de uma planta angiosperma. Alguns tecidos estão identificados por um número e pelo nome, enquanto outros estão

Leia mais

Exercícios de Aprofundamento Biologia Proteínas e Núcleo Celular

Exercícios de Aprofundamento Biologia Proteínas e Núcleo Celular 1. (Fuvest 2013) Louis Pasteur realizou experimentos pioneiros em Microbiologia. Para tornar estéril um meio de cultura, o qual poderia estar contaminado com agentes causadores de doenças, Pasteur mergulhava

Leia mais

Alelos múltiplos na determinação de um caráter

Alelos múltiplos na determinação de um caráter Alelos múltiplos na determinação de um caráter Determinados gene pode sofrer ao longo do tempo diversas mutações e originar vários alelos esse fenômeno é chamado de polialelia. São bastante frequentes

Leia mais

Morte Celular Programada (Apoptose)

Morte Celular Programada (Apoptose) UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE SETOR DE BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR Morte Celular Programada (Apoptose) Profa. Dra. Nívea Macedo APOPTOSE A morte celular desempenha

Leia mais

Visão Geral. Tecido conjuntivo líquido. Circula pelo sistema cardiovascular. Produzido na medula óssea, volume total de 5,5 a 6 litros (homem adulto)

Visão Geral. Tecido conjuntivo líquido. Circula pelo sistema cardiovascular. Produzido na medula óssea, volume total de 5,5 a 6 litros (homem adulto) Tecido Sanguíneo Visão Geral Tecido conjuntivo líquido Circula pelo sistema cardiovascular Produzido na medula óssea, volume total de 5,5 a 6 litros (homem adulto) Defesa imunológica (Leucócitos) Trocas

Leia mais

Biologia - Grupos A e B - Gabarito revisto

Biologia - Grupos A e B - Gabarito revisto revisto 1 a QUESTÃO: (2, pontos) Avaliador Revisor Em estudos com um vegetal terrestre foram utilizadas plantas jovens com genótipo mutante (M), que não apresentam a formação de uma estrutura presente

Leia mais

PROPRIEDADES E VISÃO GERAL DAS RESPOSTAS IMUNES. FARMÁCIA PROFa SIMONE PETRI AULA - 1

PROPRIEDADES E VISÃO GERAL DAS RESPOSTAS IMUNES. FARMÁCIA PROFa SIMONE PETRI AULA - 1 PROPRIEDADES E VISÃO GERAL DAS RESPOSTAS IMUNES FARMÁCIA PROFa SIMONE PETRI AULA - 1 INTRODUÇÃO A função fisiológica do sistema imune é a defesa contra micro-organismos infecciosos. Entretanto, mesmo

Leia mais

PlanetaBio Resolução de Vestibulares FUVEST 2006 2ª fase www.planetabio.com

PlanetaBio Resolução de Vestibulares FUVEST 2006 2ª fase www.planetabio.com 1-O esquema abaixo representa as principais relações alimentares entre espécies que vivem num lago de uma região equatorial. Com relação a esse ambiente: a) Indique os consumidores primários. b) Dentre

Leia mais

CONTROLE E INTEGRAÇÂO

CONTROLE E INTEGRAÇÂO CONTROLE E INTEGRAÇÂO A homeostase é atingida através de uma série de mecanismos reguladores que envolve todos os órgãos do corpo. Dois sistemas, entretanto, são destinados exclusivamente para a regulação

Leia mais

2. Nesse sistema, ocorre uma relação de protocooperação entre algas e bactérias.

2. Nesse sistema, ocorre uma relação de protocooperação entre algas e bactérias. PROVA DE BIOLOGIA QUESTÃO 01 Entre os vários sistemas de tratamento de esgoto, o mais econômico são as lagoas de oxidação. Essas lagoas são reservatórios especiais de esgoto, que propiciam às bactérias

Leia mais

Genética III: Genética Humana

Genética III: Genética Humana Genética III: Genética Humana 1. Genética Humana As árvores genealógicas são usadas para mostrar a herança de doenças genéticas humanas. Uma árvore genealógica na qual é possível rastrear o padrão de herança

Leia mais

7.012 Conjunto de Problemas 5

7.012 Conjunto de Problemas 5 Nome Seção 7.012 Conjunto de Problemas 5 Pergunta 1 Enquanto estudava um problema de infertilidade, você tentou isolar um gene hipotético de coelho que seria responsável pela prolífica reprodução desses

Leia mais

Questão 1 Questão 2. Questão 3. Resposta. Resposta

Questão 1 Questão 2. Questão 3. Resposta. Resposta Questão 1 Questão 2 O esquema abaixo representa as principais relações alimentares entre espécies que vivem num lago de uma região equatorial. a) O câncer é uma doença genética, mas na grande maioria dos

Leia mais

TUMOR-BUSTING. Uma nova técnica chamada viroterapia, cultiva vírus para combater o cancro.

TUMOR-BUSTING. Uma nova técnica chamada viroterapia, cultiva vírus para combater o cancro. TUMOR-BUSTING Uma nova técnica chamada viroterapia, cultiva vírus para combater o cancro. VÍRUS Isolar nas terapias Células tumorais Evitar danos Células normais Eliminar muitos efeitos colaterais nocivos

Leia mais

Biologia CITOLOGIA - UNICAMP - VESTIBULARES DE 2016-2010

Biologia CITOLOGIA - UNICAMP - VESTIBULARES DE 2016-2010 1. (Unicamp 2015) O vírus Ebola foi isolado em 1976, após uma epidemia de febre hemorrágica ocorrida em vilas do noroeste do Zaire, perto do rio Ebola. Esse vírus está associado a um quadro de febre hemorrágica

Leia mais

Questão 1. Questão 3. Questão 2 1ª PARTE: QUESTÕES OBJETIVAS. alternativa E. alternativa B. A, B e C pertenceriam, respectivamente, a organismos

Questão 1. Questão 3. Questão 2 1ª PARTE: QUESTÕES OBJETIVAS. alternativa E. alternativa B. A, B e C pertenceriam, respectivamente, a organismos 1ª PARTE: QUESTÕES OBJETIVAS Questão 1 O exame de um epitélio e do tecido nervoso de um mesmo animal revelou que suas células apresentam diferentes características. Isso ocorre porque a) as moléculas de

Leia mais

a) Que característica do coração dos mamíferos impede a mistura do sangue venoso e arterial?

a) Que característica do coração dos mamíferos impede a mistura do sangue venoso e arterial? Q.01 Os esquemas representam cortes transversais de regiões jovens de uma raiz e de um caule de uma planta angiosperma. Alguns tecidos estão identificados por um número e pelo nome, enquanto outros estão

Leia mais

Disciplina: Biologia Série: 2ª série EM - 1º TRIM Professora: Ivone Azevedo da Fonseca Assunto: Genética de Populações

Disciplina: Biologia Série: 2ª série EM - 1º TRIM Professora: Ivone Azevedo da Fonseca Assunto: Genética de Populações Disciplina: Biologia Série: 2ª série EM - 1º TRIM Professora: Ivone Azevedo da Fonseca Assunto: Genética de Populações GENÉTICA DE POPULAÇÕES Quando estudamos, em determinada família ou linhagem, o modo

Leia mais

Pág. 1 COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO - COPESE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD REFERÊNCIAS PARA CORREÇÃO PROVA DE BIOLOGIA

Pág. 1 COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO - COPESE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD REFERÊNCIAS PARA CORREÇÃO PROVA DE BIOLOGIA 1) O processo fotossintético é fundamental para a vida das plantas. a) Explique por que uma planta mantida em uma intensidade de radiação abaixo do seu ponto de compensação luminoso não cresce. Por que

Leia mais

UFMG - 2003 2º DIA BIOLOGIA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UFMG - 2003 2º DIA BIOLOGIA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UFMG - 2003 2º DIA BIOLOGIA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Biologia Questão 01 Observe estas figuras, em que estão representadas a produtividade anual de 1 m 2 de pasto e a quantidade de alimento que

Leia mais

Biologia LIVRO 3 Unidade 1 Avaliação capítulos 1, 2, 3 e 4 Genética PRIMEIRA LEI DE MENDEL.

Biologia LIVRO 3 Unidade 1 Avaliação capítulos 1, 2, 3 e 4 Genética PRIMEIRA LEI DE MENDEL. PRIMEIRA LEI DE MENDEL. 1. Estabeleça, no quadro, a relação correta entre as colunas dos termos e respectivas definições presentes no estudo de genética. ( a ) penetrância ( b ) expressividade ( c ) dominância

Leia mais

Câncer. Claudia witzel

Câncer. Claudia witzel Câncer Claudia witzel Célula Tecido O que é câncer? Agente cancerígeno Órgão Célula cancerosa Tecido infiltrado Ozana de Campos 3 ESTÁGIOS de evolução da célula até chegar ao tumor 1 Célula 2 Tecido alterado

Leia mais

As flores de uma determinada planta podem ser brancas, vermelhas ou creme. A cor branca (ausência de deposição de pigmento) é condicionada por alelo

As flores de uma determinada planta podem ser brancas, vermelhas ou creme. A cor branca (ausência de deposição de pigmento) é condicionada por alelo As flores de uma determinada planta podem ser brancas, vermelhas ou creme. A cor branca (ausência de deposição de pigmento) é condicionada por alelo recessivo (aa). O alelo A determina a deposição de pigmento.

Leia mais

GABARITO DEFINITIVO DA IX OBB (1ª FASE)

GABARITO DEFINITIVO DA IX OBB (1ª FASE) (1/5) Resolução Comentada OBB IX Fase 1 GABARITO DEFINITIVO DA IX OBB (1ª FASE) 1 A B C D E 11 A B C D E 21 A B C D E 2 A B C D E 12 A B C D E 22 A B C D E 3 A B C D E 13 A B C D E 23 A B C D E 4 A B C

Leia mais

Esses vírus foram reconhecidos como causas de cânceres humanos, especialmente de câncer de cérvice-uterina.

Esses vírus foram reconhecidos como causas de cânceres humanos, especialmente de câncer de cérvice-uterina. Segunda-feira, 4 de dezembro de 2006. Profa. Sônia. HPVs Papillomavirus humanos Esses vírus foram reconhecidos como causas de cânceres humanos, especialmente de câncer de cérvice-uterina. Introdução Anualmente

Leia mais

Mecanismos de variabilidade genética em agentes fitopatogênicos

Mecanismos de variabilidade genética em agentes fitopatogênicos Mecanismos de variabilidade genética em agentes fitopatogênicos Mecanismos de variabilidade genética em agentes fitopatogênicos Coevolução hospedeiro - patógeno Parasitismo estratégia de vida de conexão

Leia mais

CICLO CELULAR. Profª Ana Luisa Miranda Vilela. e adultos aproximadamente 100 trilhões de células, todas derivadas do ovo fertilizado.

CICLO CELULAR. Profª Ana Luisa Miranda Vilela. e adultos aproximadamente 100 trilhões de células, todas derivadas do ovo fertilizado. Profª Ana Luisa Miranda Vilela CICLO CELULAR e adultos aproximadamente 100 trilhões de células, todas derivadas do ovo fertilizado. Grande número de células se dividem continuamente, substituindo as que

Leia mais

Exercícios Genética e sistema imunitário. Professora: Ana Paula Souto

Exercícios Genética e sistema imunitário. Professora: Ana Paula Souto Exercícios Genética e sistema imunitário Professora: Ana Paula Souto Nome: n o : Turma: 1) Cite as diferenças entre mitose e meiose. Relacione o número de cromossomos da célulamãe com o das células-filhas.

Leia mais

Imunologia dos tumores. Imunologia dos tumores. Imunologia dos tumores. Imunologia dos tumores. Imunologia dos tumores. Imunologia dos tumores

Imunologia dos tumores. Imunologia dos tumores. Imunologia dos tumores. Imunologia dos tumores. Imunologia dos tumores. Imunologia dos tumores Introdução Objetivos Ags expressados pelas células cancerosas Natureza da resposta Imune Como o câncer escapa do sistema Imune Imunoterapia Introdução ao Câncer Crescimento descontrolado produz um tumor

Leia mais

Ensino Médio 2º ano classe: Prof. Gustavo Nome: nº. Lista de Exercícios 1ª Lei de Mendel, exceções e Sistema ABO e Rh

Ensino Médio 2º ano classe: Prof. Gustavo Nome: nº. Lista de Exercícios 1ª Lei de Mendel, exceções e Sistema ABO e Rh . Ensino Médio 2º ano classe: Prof. Gustavo Nome: nº Lista de Exercícios 1ª Lei de Mendel, exceções e Sistema ABO e Rh. 1- Em um experimento, preparou-se um conjunto de plantas por técnica de clonagem

Leia mais

Grupo I 1. (14 pontos) A figura em baixo mostra uma representação esquemática de uma célula eucariótica.

Grupo I 1. (14 pontos) A figura em baixo mostra uma representação esquemática de uma célula eucariótica. Provas Especialmente Adequadas Destinadas a Avaliar a Capacidade para a Frequência dos Cursos Superiores do Instituto Politécnico de Leiria dos Maiores de 23 Anos - 2011 Prova de conhecimentos específicos

Leia mais

TD de revisão 8º Ano- 4ª etapa- 2015

TD de revisão 8º Ano- 4ª etapa- 2015 TD de revisão 8º Ano- 4ª etapa- 2015 1. Classifique os métodos anticoncepcionais abaixo, relacionando as colunas: (1) Natural ou comportamental (2) De Barreira (3) Hormonal (4)Cirúrgico ( ) Camisinha (M)

Leia mais

GENÉTICA E CÂNCER. Para que a carcinogênese ocorra são necessárias algumas condições, entre elas:

GENÉTICA E CÂNCER. Para que a carcinogênese ocorra são necessárias algumas condições, entre elas: GENÉTICA E CÂNCER O câncer é uma doença genética, independentemente de ocorrer de forma esporádica ou hereditária, pois a carcinogênese sempre inicia com danos no DNA. Geralmente, esses danos são potencializados

Leia mais

4. Os anestésicos, largamente usados pela medicina, tornam regiões ou todo o organismo insensível à dor porque atuam:

4. Os anestésicos, largamente usados pela medicina, tornam regiões ou todo o organismo insensível à dor porque atuam: MATÉRIA: Biologia PROFESSOR: Warley SÉRIE: 3º ano TIPO: Atividade de Recuperação - 2ª etapa 1. Quais os tipos de músculos encontrados no corpo humano? 2. As células do tecido muscular cardíaco apresentam

Leia mais

Qual é o objeto de estudo da Fisiologia Humana? Por que a Fisiologia Humana é ensinada em um curso de licenciatura em Educação Física?

Qual é o objeto de estudo da Fisiologia Humana? Por que a Fisiologia Humana é ensinada em um curso de licenciatura em Educação Física? Fisiologia Humana QUESTÕES INICIAIS 1 2 3 Qual é o objeto de estudo da Fisiologia Humana? Por que a Fisiologia Humana é ensinada em um curso de licenciatura em Educação Física? Qual a importância dos conhecimentos

Leia mais

Primeira e Segunda Lei de Mendel, Polialelia, Sangue e Sexo

Primeira e Segunda Lei de Mendel, Polialelia, Sangue e Sexo Primeira e Segunda Lei de Mendel, Polialelia, Sangue e Sexo 1. Em uma espécie de planta, a forma dos frutos pode ser alongada, oval ou redonda. Foram realizados quatro tipos de cruzamento entre plantas

Leia mais

7.012 Conjunto de Problemas 8

7.012 Conjunto de Problemas 8 7.012 Conjunto de Problemas 8 Questão 1 a) A figura abaixo é um esquema generalizado de um neurônio. Identifique suas partes. 1 Dendritos, 2 corpo da célula e 3 axônio. b) Qual é a função de um axônio?

Leia mais

Vestibulando Web Page www.vestibulandoweb.com.br - SIMULADO X -

Vestibulando Web Page www.vestibulandoweb.com.br - SIMULADO X - - SIMULADO X - 01) (UFES/2008) (BIRNER, E. UZUNIAN, E. Biologia 2. 3. ed. São Paulo: Harbra, 2005, p. 297.) As figuras acima apresentam um inseto, um crustáceo e um anelídeo, respectivamente, que, apesar

Leia mais

Doutoranda Marina Curado Valsechi Profa. Dra. Ana Elizabete Silva Laboratório de Citogenética e Biologia Molecular Departamento de Biologia IBILCE

Doutoranda Marina Curado Valsechi Profa. Dra. Ana Elizabete Silva Laboratório de Citogenética e Biologia Molecular Departamento de Biologia IBILCE Doutoranda Marina Curado Valsechi Profa. Dra. Ana Elizabete Silva Laboratório de Citogenética e Biologia Molecular Departamento de Biologia IBILCE UNESP, São José do Rio Preto Câncer : Doença Genética?

Leia mais

Sistema Imunitário. Estado especifico de protecção do organismo permitindo-lhe reconhecer agentes infecciosos ou estranhos neutralizando-os

Sistema Imunitário. Estado especifico de protecção do organismo permitindo-lhe reconhecer agentes infecciosos ou estranhos neutralizando-os O que é a Imunidade? Estado especifico de protecção do organismo permitindo-lhe reconhecer agentes infecciosos ou estranhos neutralizando-os e eliminando-os Funções: Eliminação de agentes estranhos no

Leia mais

VIRUS O QUE SÃO VIRUS São as menores entidades biológicas: têm DNA e proteínas. Medem entre 15 e 300 nm. São seres acelulares: São parasitas intracelulares obrigatórios: Só se reproduzem dentro de células.

Leia mais

A A A A A A A A A A A A A A A BIOLOGIA

A A A A A A A A A A A A A A A BIOLOGIA BIOLOGI 1 Leia o texto a seguir. Turritopsis dohrnii é uma espécie de hidrozoário conhecida atualmente como água- -viva imortal. Seu curioso ciclo de vida foi descoberto em 1988 por Christian Sommer, um

Leia mais

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 37 BIOTECNOLOGIA

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 37 BIOTECNOLOGIA BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 37 BIOTECNOLOGIA Bactéria Plasmídeo Enzima de restrição corta o plasmídeo DNA Célula humana Gene para insulina Gene para insulina combinado ao DNA da bactéria com a DNA-ligase

Leia mais

Lista de Genética 2º EM Colégio São José - 2013

Lista de Genética 2º EM Colégio São José - 2013 1. (Fuvest 91) No porquinho-da-índia existe um par de genes autossômicos que determina a cor da pelagem: o alelo dominante B determina a cor preta e o recessivo b, a cor branca. Descreva um experimento

Leia mais

I. Os anticorpos são transferidos através da placenta.

I. Os anticorpos são transferidos através da placenta. Revisão para recuperação Questão 01) A descoberta dos sistemas sanguíneos ABO e Rh teve grande impacto na área médica, pois permitiu realizar transfusões de sangue apenas entre pessoas de grupos sanguíneos

Leia mais

DESENVOLVENDO HABILIDADES EM GENÉTICA - PARTE I

DESENVOLVENDO HABILIDADES EM GENÉTICA - PARTE I DESENVOLVENDO HABILIDADES EM GENÉTICA - PARTE I Leia o texto abaixo com atenção. Considere que, nos pombos, a ausência de s é condicionada geneticamente. Nos cruzamentos que um criador realizava, ele observou

Leia mais

HERANÇA LIGADA AO X, HERANÇA LIMITADA PELO SEXO E HERANÇA INFLUENCIADA PELO SEXO

HERANÇA LIGADA AO X, HERANÇA LIMITADA PELO SEXO E HERANÇA INFLUENCIADA PELO SEXO Genética Animal - Herança 1 HERANÇA LIGADA AO X, HERANÇA LIMITADA PELO SEXO E HERANÇA INFLUENCIADA PELO SEXO Os cromossomos sexuais não são completamente homólogos, e portanto devese esperar que os padrões

Leia mais

Profa. MsC Priscila P. S. dos Santos

Profa. MsC Priscila P. S. dos Santos Células e órgãos especializados em defesa CÉLULAS DO SISTEMA IMUNITÁRIO Resposta imune Inata Resposta imune específica Profa. MsC Priscila P. S. dos Santos Quem são os invasores? Quem são os invasores?

Leia mais

Profa. MsC Priscila P. S. dos Santos

Profa. MsC Priscila P. S. dos Santos Células e órgãos especializados em defesa CÉLULAS DO SISTEMA IMUNITÁRIO Resposta imune Inata Resposta imune específica Profa. MsC Priscila P. S. dos Santos Quem são os invasores? Quem são os invasores?

Leia mais

Disciplina: Biologia Educacional. Curso: Pedagogia 2 Semestre

Disciplina: Biologia Educacional. Curso: Pedagogia 2 Semestre Disciplina: Biologia Educacional Curso: Pedagogia 2 Semestre Texto 2: GENÉTICA HEREDITARIEDADE A genética é um a ciência que estuda o material hereditário e os mecanismos de sua transmissão de geração

Leia mais

6Ï$%5$48$1'2$8725,=$'2

6Ï$%5$48$1'2$8725,=$'2 COLE AQUI A ETIQUETA. 6Ï$%5$48$1'2$8725,=$'2 /HLDDWHQWDPHQWHDVLQVWUXo}HVTXHVHVHJXHP 1 - Este caderno contém VHLV questões, constituídas de itens e subitens, abrangendo um total de TXDWRU]H páginas, numeradas

Leia mais

Apoptose em Otorrinolaringologia

Apoptose em Otorrinolaringologia Apoptose em Otorrinolaringologia Teolinda Mendoza de Morales e Myrian Adriana Pérez García Definição A apoptose é um processo biológico existente em todas as células de nosso organismo, conhecida desde

Leia mais

Mecanismos de Herança

Mecanismos de Herança Mecanismos de Herança Andréa Trevas Maciel Guerra Depto. De Genética Médica FCM - UNICAMP Mecanismo de Herança Conceitos básicos Herança Monogênica Herança mitocondrial Imprinting Autossomos (1 a 22) Autossomos

Leia mais

Magnetismo contra derramamentos de petróleo

Magnetismo contra derramamentos de petróleo 12 PROVA DE BIOLOGIA Q U E S T Ã O 1 6 Apesar dos esforços globais para o desenvolvimento de fontes alternativas de energia, a previsão é de que o uso de combustíveis fósseis, principalmente gás natural

Leia mais

Exame de Biologia e Geologia

Exame de Biologia e Geologia Provas de Acesso ao Ensino Superior Para Maiores de 23 Anos Prova modelo Exame de Biologia e Geologia Tempo para a realização da prova: 2 horas Tolerância: 30 minutos Este exame é constituído por duas

Leia mais

Vizinho Seu José, isto vai ser muito difícil de conseguir; melhor o senhor comprar outros porcos com esse jeitão.

Vizinho Seu José, isto vai ser muito difícil de conseguir; melhor o senhor comprar outros porcos com esse jeitão. Exercício 1: (UFSC 2010) Seu José da Silva, um pequeno criador de porcos do Oeste do Estado de Santa Catarina, desejando melhorar a qualidade de sua criação, comprou um porco de raça diferente daquela

Leia mais

Contextualizando. Capítulo 2

Contextualizando. Capítulo 2 Capítulo 2 A Teoria Sintética Introdução Você já deve ter notado que para Darwin estar correto é preciso uma condição básica: tem de haver diferenças entre os organismos de uma determinada espécie, de

Leia mais

Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física Adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira

Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física Adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Componentes do sistema imunitário Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física Adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Manual Merck Capítulo 167 O sistema imunitário é composto por células

Leia mais

QUESTÃO 40 PROVA DE BIOLOGIA II. A charge abaixo se refere às conseqüências ou características da inflamação. A esse respeito, é INCORRETO afirmar:

QUESTÃO 40 PROVA DE BIOLOGIA II. A charge abaixo se refere às conseqüências ou características da inflamação. A esse respeito, é INCORRETO afirmar: 22 PROVA DE BIOLOGIA II QUESTÃO 40 A charge abaixo se refere às conseqüências ou características da inflamação. A esse respeito, é INCORRETO afirmar: a) Se não existisse o processo inflamatório, os microorganismos

Leia mais

SIMPÓSIO INTERNACIONAL ZOETIS. Doenças Infecciosas e Parasitárias

SIMPÓSIO INTERNACIONAL ZOETIS. Doenças Infecciosas e Parasitárias SIMPÓSIO INTERNACIONAL ZOETIS Doenças Infecciosas e Parasitárias 22 e 23 de julho de 2014 para os animais. pela saúde. por você. 1 O presente material corresponde ao conteúdo das palestras ministradas

Leia mais

Biologia UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA PROGRAD CSA

Biologia UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA PROGRAD CSA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA PROGRAD CSA ProSel 2015.2 - Recursos Interpostos Nota: As justificativas aqui descritas estão exatamente como constam no banco de dados, no tocante à ortografia

Leia mais

BIOFÍSICA DAS RADIAÇÕES IONIZANTES

BIOFÍSICA DAS RADIAÇÕES IONIZANTES BIOFÍSICA DAS RADIAÇÕES IONIZANTES DANOS RADIOINDUZIDOS NA MOLÉCULA DE DNA Por ser responsável pela codificação da estrutura molecular de todas as enzimas da células, o DNA passa a ser a molécula chave

Leia mais

Microbiologia e Imunologia Clínica

Microbiologia e Imunologia Clínica Estudo dos mecanismos naturais de defesa contra doenças. Microbiologia e Imunologia Clínica Estudo do sistema imune do corpo e suas funções e alterações. Profa. Ms. Renata Fontes Fundamentos da Imunologia

Leia mais

Profs. Nolinha e Thomaz

Profs. Nolinha e Thomaz 1 TREINAMENTO DE QUESTÕES DISCURSIVAS () Profs. Nolinha e Thomaz QUESTÃO 01 Um pesquisador realizou um experimento para verificar a influência da bainha de mielina na velocidade de condução do impulso

Leia mais

Genética do câncer Aline Rodrigues Amorim

Genética do câncer Aline Rodrigues Amorim Centro Universitário de Brasília Faculdade de Ciências da Saúde Genética do câncer Aline Rodrigues Amorim Brasília 2002 Centro Universitário de Brasília Faculdade de Ciências da Saúde Licenciatura em Ciências

Leia mais

b) Ao longo da sucessão ecológica de uma floresta pluvial tropical, restaurada rumo ao clímax, discuta o que ocorre com os seguintes fatores

b) Ao longo da sucessão ecológica de uma floresta pluvial tropical, restaurada rumo ao clímax, discuta o que ocorre com os seguintes fatores Questão 1 Leia o seguinte texto: Com a oportunidade de colocar em prática a nova lei do código florestal brasileiro (lei 12.631/12) e estabelecer estratégias para a recuperação de áreas degradadas, o Ministério

Leia mais

International Junior Science Olympiad

International Junior Science Olympiad International Junior Science Olympiad IJSO Brasil 2009 Segunda Fase Gabarito Q U A D R O D E R E S P O S T A S Física Química Biologia A B C D E 01 X 02 X 03 X 04 X 05 X 06 X 07 X 08 X 09 X 10 X A B C

Leia mais

A) As moléculas orgânicas simples obtidas são glicerídios que são utilizados pelo organismo com função reguladora.

A) As moléculas orgânicas simples obtidas são glicerídios que são utilizados pelo organismo com função reguladora. QUESTÃO 1 "Ceará joga fora opção alimentar" Segundo pesquisas da UFC, a cada ano 800 toneladas de carne de cabeça de lagosta não são aproveitadas sendo lançadas ao mar. "0 estudo sobre hidrólise enzimática

Leia mais

Universidade Federal de São Paulo Escola Paulista de Medicina Disciplina de Cardiologia Comentários e texto final do Prof. Dr. Antonio Carlos Carvalho

Universidade Federal de São Paulo Escola Paulista de Medicina Disciplina de Cardiologia Comentários e texto final do Prof. Dr. Antonio Carlos Carvalho Universidade Federal de São Paulo Escola Paulista de Medicina Disciplina de Cardiologia Comentários e texto final do Prof. Dr. Antonio Carlos Carvalho Losartan e a Prevenção de Aneurisma de Aorta Habashi

Leia mais

o hemofílico. Meu filho também será?

o hemofílico. Meu filho também será? A U A UL LA Sou hemofílico. Meu filho também será? Nas aulas anteriores, você estudou alguns casos de herança genética, tanto no homem quanto em outros animais. Nesta aula, analisaremos a herança da hemofilia.

Leia mais

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Bacharelado em Enfermagem Disciplina: Imunologia Professor: Ana Lucila dos Santos Costa E-mail: anafar2@yahoo.com.br Código: Carga Horária: 40h Créditos:

Leia mais

Conceito. Autoimunidade é uma resposta imune específica contra um antígeno ou uma

Conceito. Autoimunidade é uma resposta imune específica contra um antígeno ou uma AUTOIMUNIDADE Conceito Autoimunidade é uma resposta imune específica contra um antígeno ou uma série de antígenos próprios Doença Autoimune é uma síndrome provocada por lesão tissular ou alteração funcional

Leia mais

PlanetaBio Resolução de Vestibulares FUVEST 2010 1ª fase www.planetabio.com

PlanetaBio Resolução de Vestibulares FUVEST 2010 1ª fase www.planetabio.com 1- O Índice de Massa Corporal (IMC) é o número obtido pela divisão da massa de um indivíduo adulto, em quilogramas, pelo quadrado da altura, medida em metros. É uma referência adotada pela Organização

Leia mais

COLÉGIO SHALOM Ensino Fundamental 8 Ano Prof.ª: Nize C.Pavinato - Disciplina: Ciências Aluno(a):

COLÉGIO SHALOM Ensino Fundamental 8 Ano Prof.ª: Nize C.Pavinato - Disciplina: Ciências Aluno(a): COLÉGIO SHALOM Ensino Fundamental 8 Ano Prof.ª: Nize C.Pavinato - Disciplina: Ciências Aluno(a): Trabalho de Recuperação Data: / /15 1. O sistema endócrino é formado por glândulas endócrinas e de secreção

Leia mais

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira ENEM. Citologia

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira ENEM. Citologia ENEM Citologia 1. (Enem 2014) Segundo a teoria evolutiva mais aceita hoje, as mitocôndrias, organelas celulares responsáveis pela produção de ATP em células eucariotas, assim como os cloroplastos, teriam

Leia mais

22.05. O tipo básico de tecido epitelial é o de revestimento sendo os demais tecidos epiteliais (glandular e neuroepitélio) derivados desse.

22.05. O tipo básico de tecido epitelial é o de revestimento sendo os demais tecidos epiteliais (glandular e neuroepitélio) derivados desse. BIO 8E aula 22 22.01. O tecido epitelial de revestimento é pobre em substância intercelular e avascular. Existe também o tecido epitelial glandular que é derivado do tecido epitelial de revestimento. O

Leia mais

(baseado em 1 avaliações)

(baseado em 1 avaliações) Experimento cadastrado por Luara augusta batista em 01/08/2011 Classificação Total de exibições: 2029 (até 07/08/2012) (baseado em 1 avaliações) Palavras-chave: mendel, ervilhas, segunda lei de mendel,

Leia mais

Desvantagens: podem provocar desequilíbrio ecológico

Desvantagens: podem provocar desequilíbrio ecológico 1 A agricultura brasileira sofre grandes prejuízos em virtude do ataque de insetos à lavoura. Para reduzir as perdas, recorre-se ao uso de inseticidas. Contudo, o controle biológico de pragas é uma alternativa

Leia mais

2ª LISTA - GENÉTICA - 3º ANO - CMCG - PROF. BELAN

2ª LISTA - GENÉTICA - 3º ANO - CMCG - PROF. BELAN 2ª LISTA - GENÉTICA - 3º ANO - CMCG - PROF. BELAN 1. (FUVEST) A cor dos pelos nas cobaias é condicionada por uma série de alelos múltiplos com a seguinte escala de dominância: C (preta) > C 1 (marrom)

Leia mais

Genética humana e saúde. Grupos sanguíneos (ABO e Rh): transfusão e incompatibilidade T E M A 2

Genética humana e saúde. Grupos sanguíneos (ABO e Rh): transfusão e incompatibilidade T E M A 2 Genética humana e saúde T E M A 2 Neste tema, você conhecerá algumas características do ser humano que possuem base genética, como os grupos sanguíneos. Também estudará doenças decorrentes de mau funcionamento

Leia mais

SISTEMA REPRODUTOR. Sistema reprodutor feminino

SISTEMA REPRODUTOR. Sistema reprodutor feminino SISTEMA REPRODUTOR A reprodução é de importância tremenda para os seres vivos, pois é por meio dela que os organismos transmitem suas características hereditariamente e garantem a sobrevivência de suas

Leia mais

Auto-imunidade Doenças auto-imunes. Sandra Bertelli Ribeiro sandrabertelliribeiro@hotmail.com Doutoranda Lab. de Imunologia

Auto-imunidade Doenças auto-imunes. Sandra Bertelli Ribeiro sandrabertelliribeiro@hotmail.com Doutoranda Lab. de Imunologia Auto-imunidade Doenças auto-imunes Sandra Bertelli Ribeiro sandrabertelliribeiro@hotmail.com Doutoranda Lab. de Imunologia Célula tronco-hematopoiética Pluripotente. - Progenitor linfóide comum - Progenitor

Leia mais

Os estudos de Mendel

Os estudos de Mendel Os estudos de Mendel Além de estudar isoladamente diversas características fenotípicas da ervilha, Mendel estudou também a transmissão combinada de duas ou mais características. Em um de seus experimentos,

Leia mais

CAP. 08: TECIDO ÓSSEO E SISTEMA ESQUELÉTICO CAP. 09: TECIDO HEMATOPOIÉTICO E SANGUÍNEO CAP. 10: SISTEMA IMUNITÁRIO E LINFÁTICO

CAP. 08: TECIDO ÓSSEO E SISTEMA ESQUELÉTICO CAP. 09: TECIDO HEMATOPOIÉTICO E SANGUÍNEO CAP. 10: SISTEMA IMUNITÁRIO E LINFÁTICO CAP. 08: TECIDO ÓSSEO E SISTEMA ESQUELÉTICO CAP. 09: TECIDO HEMATOPOIÉTICO E SANGUÍNEO CAP. 10: SISTEMA IMUNITÁRIO E LINFÁTICO 1. A Figura I corresponde a uma etapa da ação da vitamina K no processo de

Leia mais