:: Portal da Justiça Federal da 4ª Região :: SENTENÇA AÇÃO DE RITO ORDINÁRIO Nº

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download ":: Portal da Justiça Federal da 4ª Região :: SENTENÇA AÇÃO DE RITO ORDINÁRIO Nº 2008.71.08.008444-0"

Transcrição

1 Page 1 of 8 EMBARGOS À EXECUÇÃO FISCAL Nº /RS EMBARGANTE : CELSO ZUCOLOTTO ADVOGADO : OLIVO SANTIN EMBARGADO : UNIÃO - FAZENDA NACIONAL APENSO(S) : D.E. Publicado em 05/10/2011 SENTENÇA AÇÃO DE RITO ORDINÁRIO Nº CELSO ZUCOLOTTO e ANADIR ZUCOLOTTO ajuizaram a ação ordinária nº contra a UNIÃO perante a 1ª Vara Federal desta Subseção Judiciária, com o objetivo de anular os débitos fiscais provenientes de lançamentos de ofício que originaram os processos administrativos nºs / e / Alegam: a) a nulidade do lançamento em face à inconstitucionalidade do art. 42 da Lei nº 9430/96; b) a decadência dos créditos referentes a fatos de 1998; c) a não caracterização de rendimentos no lançamento objeto da presente ação, e d) ter ficado demonstrado que no decorrer da auditoria fiscal os depósitos nas contas correntes, durantes os anos de 1998, 1999 e 2000, representam, em cheques, dinheiro ou títulos (cobranças), circulação de recursos oriundos de clientes que operavam empréstimos, junto ao casal, como verdadeira instituição de factoring. Sustentam que "boa parte" dos recursos que transitaram pelas contas correntes, no período auditado pela Receita Federal, corresponde a cobrança de títulos representativos de empréstimos ou de quitação de débitos por terceiros. Disseram que, para o efeito do cálculo do rendimento omitido recebido de pessoas jurídicas e ou físicas, todo o somatório dos valores desses títulos representa comprovação (ao menos parcial) da origem dos recursos, na dicção do artigo 42 da Lei nº 9430/96. Defendem que a origem dos depósitos bancários é oriunda de continuados empréstimos, significam entradas e saídas reiteradas, não constituindo rendimento. Informaram que a partir de 2001 deram continuidade as operações que vinham ocorrendo em seus nomes através de sociedade de "factoring" com denominação social de FINANCEL FACTORING FOMENTO MERCANTIL LTDA, basicamente com os mesmos clientes que, anteriormente, operavam e que eram tomadores dos recursos. Discorreram acerca dos princípios de direito que devem nortear a interpretação dos fatos no caso concreto. Por todos esses argumentos, requereram a realização de perícia e a procedência do pedido. Juntaram documentos (fls ). Citada, a UNIÃO ofereceu resposta, sustentando: a) a regularidade do processo administrativo, tendo em vista que os cheques apresentados pelo contribuinte não podem ser aceito como prova da origem dos depósitos, e b) a inexistência de decadência. Requereu a extinção do feito, e subsidiariamente, a improcedência dos pedidos da parte autora (fls ). À fl. 177 foi determinada a requisição de cópia dos processos administrativos e nomeado perito judicial. Requisitadas, a Receita Federal informou que se encontravam na Procuradoria Seccional da Fazenda Nacional (fl. 180).

2 Page 2 of 8 Às fls e 188 as partes apresentaram quesitos, sendo as cópias dos extratos bancários das contas dos autores anexadas ao processo nos ANEXOS I e II (fls ). Às fls foi acostado aos autos laudo pericial contábil. Com vista dos autos, os autores requereram a complementação da perícia e a União ratificou os termos da contestação (fls e 441). Posteriormente, a ação de rito ordinário foi redistribuída a este Juízo para ser processada e julgada conjuntamente com os embargos à execução, face à conexão entre os feitos (fls. 225). EMBARGOS À EXECUÇÃO nº Com base nos mesmos argumentos expendidos na ação de rito ordinário, CELSO ZUCOLOTTO opôs embargos à execução fiscal nº , que lhe move a UNIÃO. Sustentou que os depósitos realizados nas contas-correntes durante os anos de 1998, 1999 e 2000 representam em cheques, dinheiro ou títulos (cobrança), circulação de recursos oriundos de clientes que operavam empréstimos, junto ao casal, operando como verdadeira instituição de factoring. Disse que os empréstimos continuados e repetitivos, obedeciam a um patamar máximo de remuneração de juros, no patamar de 5%, sendo que, na maior parte, limitavam-se a 4% ao mês. Pugnou pela necessidade de tramitação conjunta dos embargos com a Ação Ordinária nº Discorreu acerca da nulidade do lançamento em face da inconstitucionalidade do art. 42 da Lei nº 9.430//96, da não caracterização da omissão de rendimentos nos lançamentos objeto da presente ação e dos princípios de direito que devem nortear a interpretação dos fatos, matérias já argüidas na ordinária. Requereu que os embargos sejam julgados procedentes. Juntaram documentos (fls ). Por determinação do Juízo (fl. 33), foi acostada cópia da inicial da ação ordinária, o que restou cumprido nas fls Foi determinada a remessa da ação ordinária nº a este juízo, com distribuição por dependência aos embargos (fl v.). Os embargos foram recebidos sem efeito suspensivo (fl ), tendo o embargante requerido a complementação da perícia à fl. 69 e a intimação da Fazenda para juntar os processos administrativos (fl. 72). No despacho das fls foi oportunizado ao embargante/autor a juntada dos documentos necessários a comprovação de suas alegações, inclusive a cópia integral dos processos administrativos / e / O embargante/autor juntou cópias de documentos (fls ). O perito apresentou complementação do laudo pericial pelo qual retificou o Anexo III do laudo e a resposta ao quesito 6. Com vista dos autos, a Fazenda retirou os termos das petições das fls. 80/88 e 441 da ação ordinária e disse que os esclarecimentos prestados na complementação do laudo

3 Page 3 of 8 não maculam as conclusões lançadas anteriormente tampouco favorece a tese da parte embargante (fl. 1482). Já o embargante requereu que os laudos sejam declarados nulos, tendo em vista as conclusões da perícia, em especial as respostas aos quesitos 5, 6 e complementação e 8. Vieram os autos conclusos. É o relatório. FUNDAMENTAÇÃO 1. Julgamento conjunto dos feitos O julgamento conjunto dos feitos é cabível por estar configurada evidente conexão, havendo relação de identidade entre as questões a serem dirimidas nas duas ações. A conexão está evidenciada pela identidade da causa de pedir (art. 103 do CPC) e revela-se viável para o deslinde das questões deduzidas nos feitos. A análise dos fundamentos colocados nas demandas ora em análise será feita nos itens a seguir, sem discriminação dos números de processo quando se tratar de argumento repisado nas ações julgadas conjuntamente. 2. Decadência Os débitos executados possuem natureza tributária, cujo prazo decadencial é de cinco anos, conforme previsto nos artigos 173, I, do CTN. Consoante se observa da CDA e da cópia de parte do processo administrativo anexado aos autos, houve o lançamento de ofício de diferenças apuradas pelo Fisco, tendo sido lavrado auto de infração. Neste esteira, como os períodos de apuração da dívida são relativos a 12/1998, 12/1999 e 12/2000 e a data de constituição dos créditos ocorreu em 12/12/2003 (fls ) através da lavratura do auto de infração, é possível afirmar que não houve decadência. Tomando-se por base o fato gerador mais remoto, 12/2008, a contagem do prazo decadencial iniciou-se a partir do primeiro dia do exercício seguinte àquele em que o lançamento poderia ter sido efetuado, ou seja, 01/01/ Omissão de Rendimentos - Falta de Comprovação quanto à Origem dos Recursos - Art. 42 da Lei nº 9.430/96 - Inconstitucionalidade No mérito, as ações questionam diversas questões relacionadas ao lançamento efetuado pelo Fisco. Em primeiro lugar, questiona-se a base de cálculo adotada pela fiscalização, por haver considerado apenas o total dos ingressos de recursos na conta bancária. Dispõe o art. 42 da Lei nº 9.430/96: "Art. 42. Caracterizam-se também omissão de receita ou de rendimento os valores creditados em conta de depósito ou de investimento mantida junto a instituição financeira, em relação aos quais o titular, pessoa física ou jurídica, regularmente intimado, não comprove, mediante

4 Page 4 of 8 documentação hábil e idônea, a origem dos recursos utilizados nessas operações. De acordo com esse dispositivo, uma vez constatada a existência de depósitos não declarados ao fisco o contribuinte deve ser intimado a comprovar a origem dos recursos utilizados nessas operações. Se, apesar de intimado, deixar de apresentar documentação idônea a comprovação da origem dos recursos, prevalece a presunção de que os ingressos constituem, em sua totalidade, renda tributável. Nos termos do art. 43 do CTN, o fato gerador do imposto de renda é a aquisição de disponibilidade econômica ou jurídica. Dessa forma, constitui renda tributável a título de imposto de renda todo acréscimo patrimonial percebido pelo contribuinte, como tal compreendida a diferença patrimonial entre dois dados momentos. Esse, em linhas gerais, o fato gerador do IR. Porém quando o contribuinte omite parcial ou totalmente suas receitas surgem dificuldades na definição do quantum tributável. Não dispondo o fisco de todas as informações que, em circunstâncias normais, seriam necessárias à definição da base de cálculo do tributo, não resta alternativa senão calcular o valor do tributo devido sobre o total das receitas auferidas. E isto ocorre porque este é, em regra, o único dado de que dispõe a autoridade fiscal para determinação da base de cálculo, especificamente por ter havido omissão do contribuinte em informar os dados necessários à correta delimitação da renda tributável. É importante destacar que o lançamento somente se dará nessas condições se o contribuinte não comprovar a origem dos recursos, mesmo após lhe haver sido aberta oportunidade para tanto. E foi exatamente essa a situação que ocorreu no caso dos autos, visto que os autores, embora intimados diversas vezes a comprovar qual a origem dos recursos que transitaram pelas suas contas bancárias, não juntaram documentos idôneos que permitissem identificar qual o seu ganho patrimonial efetivo com tais operações. Em resposta às intimações efetuadas, os contribuintes alegaram que os depósitos realizados foram decorrentes de atividade de factoring. Contudo, não houve a comprovação desses fatos, visto que não foram apresentados contratos, notas fiscais, ou qualquer documento relacionado a essas operações. Observo que os cheques nominais apresentados pelo contribuinte não suprem a falta da prova das operações em si, pois sem tal documentação não há como comprovar a veracidade dos dados nessas planilhas. Embora o fluxo de recursos pelas contas bancárias pudesse estar relacionado à atividade de factoring, e que o total de valores movimentados não correspondesse ao total do lucro obtido pelos autores, sem a apresentação dos contratos, termos aditivos ou ao menos comprovantes de quanto foi pago em cada operação, não há alternativa senão aplicar a presunção estabelecida no art. 42 da Lei nº 9.430/96. Cumpre salientar que o art. 42 da Lei nº 9.430/96 não altera o fato gerador do imposto de renda, tampouco a base de cálculo do tributo, vez que apenas estabelece a presunção legal de omissão de receitas diante da não-comprovação pelo contribuinte da origem de recursos movimentados em sua conta bancária. Desse modo, não há como acolher a alegada inconstitucionalidade desse dispositivo legal.

5 Page 5 of 8 Transcrevo, a propósito, decisão do Tribunal Regional da Federal da 4ª Região a esse respeito: "MANDADO DE SEGURANÇA. IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA. OMISSÃO DE RECEITAS. DEPÓSITOS BANCÁRIOS. QUEBRA DE SIGILO BANCÁRIO. NULIDADE DE PROCEDIMENTO FISCAL. SÚMULA 182 DO TFR. LEI Nº 9.430/1996, ART. 42. O artigo 42 da Lei nº 9.430/1996 prevê a incidência do imposto de renda sobre os valores considerados como omissão de receita, cuja origem dos recursos financeiros o titular da conta corrente não tenha logrado comprovar. Não há falar em inconstitucionalidade da Lei nº 9.430/1996, porquanto o fato gerador do imposto de renda deve ser definido em lei ordinária, de acordo com o princípio da estrita legalidade tributária, nos termos do inciso I do artigo 150 da Constituição Federal de Inaplicável ao caso a Súmula 182 do extinto TFR, porquanto o objeto da tributação não são os depósitos bancários em si e sim a omissão de rendimentos por meio deles verificada. Instaurado procedimento administrativo, está autorizada a quebra do sigilo bancário, porquanto não é absoluto. Exegese da Lei Complementar nº 105, de Não há falar, assim, em inconstitucionalidade frente a uma possível discordância existente entre esses normativos e os princípios preconizados no art. 5º, incs. X e XII, da CF/88. É que as informações sobre o patrimônio das pessoas não se inserem nas hipóteses do inc. X da CF/88, uma vez que o patrimônio não se confunde com a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem. O próprio Código Tributário Nacional, em seu art. 197, inc. II, preconiza que os bancos são obrigados a prestar todas as informações de que disponham com relação aos bens, negócios e atividades de terceiros à autoridade administrativa. Ademais, tenho que há mera transferência do sigilo, da instituição financeira para o Fisco. O procedimento fiscal não padece de nulidade, tendo em conta não ter a impetrante se desincumbido de comprovar a origem dos valores por ela movimentados." (TRF4, 1ª T., AMS nº /PR, Rel. Des. Fed. Vilson Darós, DJ 11/07/07). Outrossim, cumpre observar que o art. 42 da Lei nº 9.430/96 não é incompatível com o conteúdo da Súmula nº 182 do extinto TFR ("É ilegítimo o lançamento do imposto de renda arbitrado com base apenas em extratos bancários"). O enunciado veda a tributação de depósito simples com origem identificada. A disposição legal, editada em época posterior ao enunciado, estabelece uma presunção relativa de omissão de receitas quando verificados valores de depósitos bancários sem comprovação da origem de recursos. Ou seja, o que a súmula vedava era a autuação fiscal arbitrária e realizada apenas com base em extratos bancários, sem que fosse realizado procedimento investigatório sobre a natureza dos valores, o que não é o caso dos autos, onde foi instaurado o regular processo administrativo fiscal, tendo sido disponibilizado aos autores a oportunidade de explicar e provar a procedência dos valores depositados. Acerca dessa interpretação, refiro a seguinte ementa: "TRIBUTÁRIO. IMPOSTO DE RENDA. AUTUAÇÃO COM BASE APENAS EM DEMONSTRATIVOS DE MOVIMENTAÇÃO BANCÁRIA. POSSIBILIDADE. APLICAÇÃO DA LC 105/01. INAPLICABILIDADE DA SÚMULA 182/TFR. (...) 10. A súmula 182 do extinto TFR, diante do novel quadro legislativo, tornou-se inoperante, sendo certo que, in casu: "houve processo administrativo, no qual a Autora apresentou a sua defesa, a impugnar o lançamento do IR lastreado na sua movimentação bancária, em valores aproximados a 1 milhão e meio de dólares (fls. 43/4). Segundo informe do relatório fiscal (fls. 40), a Autora recebeu numerário do Exterior, em conta CC5, em cheques nominativos e administrativos, supostamente oriundos de "um amigo estrangeiro residente no Líbano" (fls. 40). Na justificativa do Fisco (fls. 51), que manteve o lançamento, a tributação teve a sua causa eficiente assim descrita, verbis: "Inicialmente, deve-se chamar a atenção para o fato de que os depósitos bancários em questão estão perfeitamente identificados, conforme cópias dos

6 Page 6 of 8 cheques de fls. 15/30, não havendo qualquer controvérsia a respeito da autenticidade dos mesmos. Além disso, deve-se observar que o objeto da tributação não são os depósitos bancários em si, mas a omissão de rendimentos representada e exteriorizada por eles. Recurso especial provido." (STJ, 1ª Turma, REsp nº /RJ, Relator Ministro Luiz Fux, DJ 02/04/2007) Desse modo, tendo a Receita Federal do Brasil apurado movimentação bancária incompatível com a declaração anual apresentada - no caso ainda aliado à omissão de rendimentos -, deveriam os contribuintes comprovar a origem e a natureza dos valores, buscando contrapor-se à presunção relativa de que trata o art. 42 da Lei nº 9.430/96. Assim, há presunção legal de omissão de rendimentos, o que inverte o ônus da prova, de forma que, não conseguindo os autores comprovarem a origem dos depósitos em sua conta bancária e tampouco a variação integral do seu patrimônio, deve o Fisco efetuar o lançamento do tributo incidente sobre os rendimentos, por presunção legal, omitidos, que acobertariam as operações financeiras e a variação patrimonial. Ademais, os extratos bancários, cuja origem os contribuintes não logrou explicar, prestam como prova da omissão. O objeto da tributação, no caso de omissão de rendimentos, não é o montante dos depósitos, mas os rendimentos representados pelos valores dos depósitos ou da movimentação financeira do contribuinte, sem comprovação da origem, de que teve conhecimento a autoridade fiscal. Nesse sentido, colaciono as seguintes decisões: "AUTO DE INFRAÇÃO. CERCEAMENTO DE DEFESA. INOCORRÊNCIA. OMISSÃO DE RECEITAS. DEPÓSITOS BANCÁRIOS NÃO ESCRITURADOS. NÃO COMPROVAÇÃO DA ORIGEM. ÔNUS DA PARTE AUTORA. LAUDO PERICIAL. Comprovada a intimação da devedora para manifestação acerca de documentos utilizados pelo Fisco, não há falar em cerceamento de defesa e nulidade do processo administrativo. A parte autora não logrou comprovar a origem dos depósitos bancários não escriturados, ônus que lhe incumbia, restando, assim, evidente a omissão de receitas. Inaplicável ao caso a Súmula 182 do extinto TFR, porquanto o objeto da tributação não são os depósitos bancários em si e sim a omissão de rendimentos por meio deles verificada. Baseando-se nos documentos carreados aos autos, bem como no laudo do perito, o magistrado proferiu julgamento de acordo com sua convicção, não havendo falar em delegação da função de julgar." (TRF4, 1ª Turma, AC nº , Rel. Des. Vilson Darós, D.E ) "TRIBUTÁRIO. OMISSÃO DE RECEITAS. IMPOSTO DE RENDA. ARBITRAMENTO. ARTIGO 42 DA LEI 9.430/96. AUSÊNCIA DE PROVA DO CONTRIBUINTE A DESCARACTERIZAR O LANÇAMENTO TRIBUTÁRIO. IMPROVIMENTO DO APELO. 1. A presunção de que os valores mantidos em conta corrente bancária, cuja origem o titular não comprove, após ser intimado para tanto, mediante documentação hábil e idônea, tem fundamento na Lei nº 9.430/96; não há falar, portanto, em arbitrariedade ou ilegitimidade da conduta fiscal e do lançamento tributário. Na dicção da lei, os depósitos bancários sinalizam o acréscimo patrimonial não declarado, cuja origem cumpre ao contribuinte esclarecer. 2. Para que se aplique o entendimento consubstanciado na Súmula nº 182/TFR, é necessário que o lançamento tributário esteja fundado unicamente em depósitos bancários e não tenha sido possibilitada a apresentação de documentos e comprovantes que justifiquem o motivo pelo qual os valores depositados extrapolam a renda declarada do contribuinte. Se a ação fiscal intimou o contribuinte para explicar a origem dos recursos e empreendeu esforços para a investigação e elucidação dos fatos, não há falar em tributação baseada exclusivamente em extratos bancários. Nesse caso, os próprios depósitos bancários prestam-se como prova da omissão de receita. 3. Apelação improvida." (TRF4, 1ª Turma, AC nº /PR - Rel. Des. Fed. Marcos Roberto Araujo dos Santos, D.E ).

7 Page 7 of 8 De mais a mais, se os autores movimentavam em suas contas pessoais atividade profissional de factoring, o fizeram sem lastro em empresa jurídica regularmente constituída, e, portanto, sem anotação na escrituração contábil cabível e tampouco em nenhum tipo de documentação. Portanto, constatado o acréscimo patrimonial incompatível com os rendimentos declarados, mostra-se correta a autuação fiscal. DISPOSITIVO Diante do exposto, julgo a) IMPROCEDENTE a Ação Ordinária nº ajuizada por CELSO ZUCOLOTTO e ANADIR ZUCOLOTTO contra a UNIÃO, extinguindo o feito com base no art. 269, I, do CPC; b) IMPROCEDENTES os embargos opostos por CELSO ZUCOLOTTO contra a execução nº , que lhe move a UNIÃO. Custas pela autora. Condeno a autora ao pagamento de honorários advocatícios, fixados estes em 10% sobre o valor da causa da ação de rito ordinário, devidamente atualizado de acordo com a variação do IPCA-E, para tanto considerando a expressão econômica daquele feito, a ausência de produção de prova testemunhal e/ou pericial e o grau de exigência de trabalho (art. 20, 4º, do CPC). Deixo de condenar a embargante ao pagamento de honorários nos embargos em vista da cobrança, na execução fiscal, do encargo de 20% previsto no Decreto-lei nº 1.025/69 (Súmula nº 168 do TFR). Publique-se. Registre-se. Intimem-se. Traslade-se cópia desta sentença para a ação ordinária, bem como para a execução fiscal a que se refere. As apelações serão recebidas no duplo efeito, salvo nas hipóteses de intempestividade e, se for o caso, ausência de preparo, que serão oportunamente certificadas pela Secretaria. Interposto(s) o(s) recurso(s), caberá à Secretaria, mediante ato ordinatório, abrir vista à parte contrária para contrarrazões, e, na sequência, remeter os autos ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região. Sentença sujeita a reexame necessário. Novo Hamburgo, 31 de agosto de Selmar Saraiva da Silva Filho Juiz Federal Substituto

8 Page 8 of 8 Documento eletrônico assinado por Selmar Saraiva da Silva Filho, Juiz Federal Substituto, na forma do artigo 1º, inciso III, da Lei , de 19 de dezembro de 2006 e Resolução TRF 4ª Região nº 17, de 26 de março de A conferência da autenticidade do documento está disponível no endereço eletrônico mediante o preenchimento do código verificador v10 e, se solicitado, do código CRC 41D7FA98. Informações adicionais da assinatura: Signatário (a): Selmar Saraiva da Silva Filho Data e Hora: 06/09/ :34

SENTENÇA. Foi concedida a antecipação dos efeitos da tutela para suspender a exigibilidade da notificação de nº 2012/808804682957086 (evento 9).

SENTENÇA. Foi concedida a antecipação dos efeitos da tutela para suspender a exigibilidade da notificação de nº 2012/808804682957086 (evento 9). AÇÃO ORDINÁRIA (PROCEDIMENTO COMUM ORDINÁRIO) Nº 5029780-43.2013.404.7000/PR AUTOR : ETEVALDO VAZ DA SILVA ADVOGADO : LEONILDA ZANARDINI DEZEVECKI RÉU : UNIÃO - FAZENDA NACIONAL MPF : MINISTÉRIO PÚBLICO

Leia mais

EMENTA ACÓRDÃO RELATÓRIO. A controvérsia foi assim relatada pelo juiz da causa:

EMENTA ACÓRDÃO RELATÓRIO. A controvérsia foi assim relatada pelo juiz da causa: PELAÇÃO/REEXAME NECESSÁRIO Nº 5011683-79.2010.404.7200/SC RELATOR : Juiz Federal LUIZ CARLOS CERVI APELANTE : UNIÃO - FAZENDA NACIONAL APELADO : ALPHA TRADE IMPORTACAO DE ELETRONICOS LTDA ADVOGADO : JOSÉ

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINENTE DO DESEMBARGADOR

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINENTE DO DESEMBARGADOR PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA APELADO APELAÇÃO CÍVEL N 200.2006.021661-7/002 Capital RELATOR : Miguel de Britto Lyra Filho Juiz de Direito convocado. APELANTE : Indústria Reunidas F. Matarazzo

Leia mais

Princípio da legalidade e nulidades do lançamento: revisão por erro de fato, erro de direito e mudança de critério jurídico

Princípio da legalidade e nulidades do lançamento: revisão por erro de fato, erro de direito e mudança de critério jurídico Princípio da legalidade e nulidades do lançamento: revisão por erro de fato, erro de direito e mudança de critério jurídico Aurora Tomazini de Carvalho Doutora PUC/SP e Professora UEL - Que se entende

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO fls. 163 SENTENÇA Processo nº: 1020203-79.2015.8.26.0053 Classe - Assunto Procedimento Ordinário - Anulação de Débito Fiscal Requerente: Comercial Móveis das Nações Sociedade Ltda. (Lojas Marabraz) Requerido:

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO fls. 1 ACÓRDÃO Registro: 2013.0000216806 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento nº 0196471-72.2012.8.26.0000, da Comarca de São Paulo, em que é agravante SOCIORTHO COMERCIO

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO-TRIBUTÁRIO CONSELHO DE CONTRIBUINTES E RECURSOS FISCAIS

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO-TRIBUTÁRIO CONSELHO DE CONTRIBUINTES E RECURSOS FISCAIS GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO-TRIBUTÁRIO CONSELHO DE CONTRIBUINTES E RECURSOS FISCAIS ACÓRDÃO N o : 110/2011 RECURSO VOLUNTÁRIO N o : 7.968 PROCESSO N

Leia mais

EMENTA ACÓRDÃO. Des. Federal FERNANDO QUADROS DA SILVA Relator

EMENTA ACÓRDÃO. Des. Federal FERNANDO QUADROS DA SILVA Relator Página 1 de 2 APELAÇÃO CÍVEL Nº 5000279-76.2011.404.7109/RS RELATOR : FERNANDO QUADROS DA SILVA APELANTE : RUIBAR BEROCI LEITE FREITAS ADVOGADO : EVERTON LUIS DOURADO TRINDADE : LENICE MARTIN NAVARRINA

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA SEGUNDO CONSELHO DE CONTRIBUINTES PRIMEIRA CÂMARA. Processo nº 10950.000992/2007-74. Recurso nº 148.951

MINISTÉRIO DA FAZENDA SEGUNDO CONSELHO DE CONTRIBUINTES PRIMEIRA CÂMARA. Processo nº 10950.000992/2007-74. Recurso nº 148.951 MINISTÉRIO DA FAZENDA SEGUNDO CONSELHO DE CONTRIBUINTES PRIMEIRA CÂMARA Processo nº 10950.000992/2007-74 Recurso nº 148.951 Matéria IOF - Base de Cálculo e Decadência Acórdão nº 201-81.317 Sessão de 08

Leia mais

D E C I S Ã O M O N O C R Á T I C A

D E C I S Ã O M O N O C R Á T I C A APELAÇÃO CÍVEL. TRIBUTÁRIO. EXECUÇÃO FISCAL. IPTU. TRANSFERÊNCIA DO DIREITO. REDIRECIONAMENTO. POSSIBILIDADE. OBRIGAÇÃO PROPTER REM. VERBETE Nº 392 DA SÚMULA DO STJ. INAPLICABILIDADE. A transferência da

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XV EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XV EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Em 2003, João ingressou como sócio da sociedade D Ltda. Como já trabalhava em outro local, João preferiu não participar da administração da sociedade. Em janeiro

Leia mais

CONSELHO DE CONTRIBUINTES DO ESTADO DE MINAS GERAIS. Acórdão: 21.502/14/1ª Rito: Sumário PTA/AI: 01.000205887-29 Impugnação: 40.

CONSELHO DE CONTRIBUINTES DO ESTADO DE MINAS GERAIS. Acórdão: 21.502/14/1ª Rito: Sumário PTA/AI: 01.000205887-29 Impugnação: 40. Acórdão: 21.502/14/1ª Rito: Sumário PTA/AI: 01.000205887-29 Impugnação: 40.010135268-21 Impugnante: Origem: EMENTA Shekinah Indústria e Comércio Malhas Ltda - ME IE: 349876116.00-53 DFT/Pouso Alegre MERCADORIA

Leia mais

LUCIANE AMARAL CORRÊA MÜNCH,

LUCIANE AMARAL CORRÊA MÜNCH, APELAÇÃO CÍVEL Nº 0032022-70.2007.404.7000/PR RELATORA : Des. Federal LUCIANE AMARAL CORRÊA MÜNCH APELANTE : LISEO MODESTO ALBIERO e outros ADVOGADO : Ciro Ceccatto APELADO : UNIÃO FEDERAL (FAZENDA NACIONAL)

Leia mais

PARCELAMENTO TRIBUTÁRIO

PARCELAMENTO TRIBUTÁRIO PARCELAMENTO TRIBUTÁRIO Depósitos Judiciais (REsp. 1.251.513/PR) e a conversão do depósito pela Fazenda Pública José Umberto Braccini Bastos umberto.bastos@bvc.com.br CTN ART. 151 o depósito é uma das

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0024.12.273016-1/001 Númeração 2730161- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Marcos Lincoln Des.(a) Marcos Lincoln 11/02/2015 23/02/2015 EMENTA: APELAÇÃO

Leia mais

R E L A T Ó R I O. A) A entidade a quem o APELADO efetuou doações durante o ano

R E L A T Ó R I O. A) A entidade a quem o APELADO efetuou doações durante o ano RELATOR APELANTE APELADO ADVOGADO REMETENTE : DESEMBARGADOR FEDERAL PAULO BARATA : UNIAO FEDERAL / FAZENDA NACIONAL : FRANCISCO CLAUDIO ALVES LEITE : LUCIANO MONTENEGRO JOBIM E OUTRO : JUIZO FEDERAL DA

Leia mais

GoVERNO DO EsTADO DO CEARÁ Secretaria da Fazenda CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO TRIBUTÁRIO. CONAT CONSELHO DE RECURSOS TRIBUTÁRIOS - CRT

GoVERNO DO EsTADO DO CEARÁ Secretaria da Fazenda CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO TRIBUTÁRIO. CONAT CONSELHO DE RECURSOS TRIBUTÁRIOS - CRT RESÇ>LUÇÃO N 3a.i /2010 2 8 CAMARA DE JULG MENTO 132 8 SESSÃO ORDINÁRIA EM: 09/08/2010 PROCESSO N 1/2180/2003 AUTO DE INFRAÇÃO N 1/200107169 RECORRENTE: CÉLULA DE JULGAMENTO DE 1 8 INSTÂNCIA RECORRIDO:

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Em março de 2014, o Estado A instituiu, por meio de decreto, taxa de serviço de segurança devida pelas pessoas jurídicas com sede naquele Estado, com base de cálculo

Leia mais

EMENTA ACÓRDÃO. Desembargadora Federal Maria do Carmo Cardoso Relatora

EMENTA ACÓRDÃO. Desembargadora Federal Maria do Carmo Cardoso Relatora APELAÇÃO CÍVEL 0000321-60.2006.4.01.3201 (2006.32.01.000323-8)/AM Processo na Origem: 200632010003238 PV RELATOR(A) : DESEMBARGADORA FEDERAL MARIA DO CARMO CARDOSO APELANTE : LUIS ALFREDO BONILLA BECERRA

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli APELAÇÃO CÍVEL Nº 550822-PE (2001.83.00.010096-5) APTE : INSS - INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL REPTE : PROCURADORIA REPRESENTANTE DA ENTIDADE APDO : LUZIA DOS SANTOS SANTANA ADV/PROC : SEM ADVOGADO/PROCURADOR

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.110.417 - MA (2008/0273075-4) RELATÓRIO MINISTRA MARIA ISABEL GALLOTTI: Cuida-se de recurso especial interposto contra acórdão proferido pelo Tribunal de Justiça do Estado do Maranhão,

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL X EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL X EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Em ação de indenização, em que determinada empresa fora condenada a pagar danos materiais e morais a Tício Romano, o Juiz, na fase de cumprimento de sentença, autorizou

Leia mais

Apelante: R W Factoring Fomento Mercantil Ltda Apelado: Beauty Dental Clinic Ltda Apelado: Egberto Jose Hallais França Carneiro Junior

Apelante: R W Factoring Fomento Mercantil Ltda Apelado: Beauty Dental Clinic Ltda Apelado: Egberto Jose Hallais França Carneiro Junior FLS.1/cl Apelante: R W Factoring Fomento Mercantil Ltda Apelado: Beauty Dental Clinic Ltda Apelado: Egberto Jose Hallais França Carneiro Junior RELATOR: DES. VALÉRIA DACHEUX APELAÇÃO CÍVEL. EMBARGOS À

Leia mais

lançamento A cada (notificação) 5 anos 5 anos 1º de janeiro 1º/01

lançamento A cada (notificação) 5 anos 5 anos 1º de janeiro 1º/01 DIREITO TRIBUTÁRIO Jurisprudência do STJ Prescrição e Decadência Ministra Eliana Calmon 1. GENERALIDADES - Fato Gerador obrigação gç lançamento crédito tributário - Lançamento (art. 142 do CTN) - Tipos

Leia mais

CONSELHO DE CONTRIBUINTES DO ESTADO DE MINAS GERAIS. Acórdão: 20.263/11/3ª Rito: Sumário PTA/AI: 01.000170049-08 Impugnação: 40.

CONSELHO DE CONTRIBUINTES DO ESTADO DE MINAS GERAIS. Acórdão: 20.263/11/3ª Rito: Sumário PTA/AI: 01.000170049-08 Impugnação: 40. Acórdão: 20.263/11/3ª Rito: Sumário PTA/AI: 01.000170049-08 Impugnação: 40.010130113-59 Impugnante: Proc. S. Passivo: Origem: EMENTA Reipel Comercial Ltda IE: 702765776.00-10 Luciomar Alves de Oliveira/Outro

Leia mais

CONSELHO DE CONTRIBUINTES DO ESTADO DE MINAS GERAIS. Acórdão: 19.610/10/3ª Rito: Sumário PTA/AI: 01.000162950-97 Impugnação: 40.

CONSELHO DE CONTRIBUINTES DO ESTADO DE MINAS GERAIS. Acórdão: 19.610/10/3ª Rito: Sumário PTA/AI: 01.000162950-97 Impugnação: 40. Acórdão: 19.610/10/3ª Rito: Sumário PTA/AI: 01.000162950-97 Impugnação: 40.010126338-44 Impugnante: Proc. S. Passivo: Origem: EMENTA Bysat Automação e Controle Ltda IE: 062089270.00-83 Weberte Giovan de

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 3ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 3ª REGIÃO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 3ª REGIÃO APELAÇÃO CÍVEL Nº 0014098 32.2013.4.03.6105/SP 2013.61.05.014098 6/SP RELATORA APELADO(A) No. ORIG. : Desembargadora Federal MARLI FERREIRA : ACESSO

Leia mais

: DESEMBARGADOR FEDERAL LEOMAR BARROS AMORIM DE SOUSA : DESEMBARGADORA FEDERAL MARIA DO CARMO CARDOSO

: DESEMBARGADOR FEDERAL LEOMAR BARROS AMORIM DE SOUSA : DESEMBARGADORA FEDERAL MARIA DO CARMO CARDOSO fls.1/1 RELATOR(A) RELATORA ACÓRDÃO APELANTE ADVOGADO APELADO PROCURADOR PARA : DESEMBARGADOR FEDERAL LEOMAR BARROS AMORIM DE SOUSA : DESEMBARGADORA FEDERAL MARIA DO CARMO CARDOSO : JEOVA DE SOUSA PIMENTEL

Leia mais

Coordenação Geral de Tributação

Coordenação Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação Geral de Tributação Solução de Consulta nº 98 Data 3 de abril de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: IMPOSTO SOBRE A RENDA DE PESSOA FÍSICA IRPF DANO MORAL. PESSOA FÍSICA.

Leia mais

CONSELHO DE CONTRIBUINTES DO ESTADO DE MINAS GERAIS

CONSELHO DE CONTRIBUINTES DO ESTADO DE MINAS GERAIS Acórdão: 21.343/14/3ª Rito: Sumário PTA/AI: 01.000210484-18 Impugnação: 40.010135808-50 Impugnante: Mais Medicamentos Ltda IE: 001022236.01-19 Proc. S. Passivo: Alexandre Lara Ribeiro/Outro(s) Origem:

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECLAMAÇÃO Nº 14.424 - PE (2013/0315610-5) RELATORA : MINISTRA MARIA ISABEL GALLOTTI RECLAMANTE : SANTANDER LEASING S/A ARRENDAMENTO MERCANTIL ADVOGADO : ANTÔNIO BRAZ DA SILVA E OUTRO(S) RECLAMADO : SEXTA

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO Registro: 2013.0000172403 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 0021434-36.2009.8.26.0000, da Comarca de São Paulo,

Leia mais

Exposição. 1. Município de Londrina ajuizou execução fiscal em face de Alessandro

Exposição. 1. Município de Londrina ajuizou execução fiscal em face de Alessandro APELAÇÃO CÍVEL N. 638896-9, DA COMARCA DE LONDRINA 2.ª VARA CÍVEL RELATOR : DESEMBARGADOR Francisco Pinto RABELLO FILHO APELANTE : MUNICÍPIO DE LONDRINA APELADO : ALESSANDRO VICTORELLI Execução fiscal

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL IX EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL IX EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL GABARITO 1 (Mandado de Segurança) Uma instituição de ensino superior, sem fins lucrativos, explora, em terreno de sua propriedade, serviço de estacionamento para

Leia mais

110 - O auto de infração é ato administrativo que, enquanto tal, goza de presunção de veracidade e legitimidade.

110 - O auto de infração é ato administrativo que, enquanto tal, goza de presunção de veracidade e legitimidade. Z.+ TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR JOÃO ALVES DA SILVA ACÓRDÃO APELAÇÃO CINTEL NI' 200.2008.013618-3/001 RELATOR : Marcos Williain de Oliveira Juiz Convocado APELANTE: : Renascente

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Decisão sobre Repercussão Geral DJe 04/10/2012 Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 12 20/09/2012 PLENÁRIO REPERCUSSÃO GERAL NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO 688.223 PARANÁ RELATOR RECTE.(S) ADV.(A/S) : MIN.

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA o. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR JOÃO ALVES DA SILVA DECISÃO MONOCRÁTICA AGRAVO DE INSTRUMENTO NQ 001.2010.006903-6/001 RELATOR : Desembargador João Alves da Silva AGRAVANTE

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DESEMBARGADOR RAIMUNDO NONATO SILVA SANTOS

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DESEMBARGADOR RAIMUNDO NONATO SILVA SANTOS fls. 122 Processo: 0135890-46.2012.8.06.0001 - Apelação Apelante: Sindicato dos Guardas Municipais da Região Metrolitana de Fortaleza - SINDIGUARDAS Apelado: Município de Fortaleza Vistos etc. DECISÃO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 781.703 - RS (2005/0152790-8) RELATOR RECORRENTE RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO ARNALDO ESTEVES LIMA : UNIÃO : MARCOS ROBERTO SILVA DE ALMEIDA E OUTROS : WALDEMAR MARQUES E OUTRO EMENTA

Leia mais

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Rio Grande do Sul 5ª Vara Federal de Porto Alegre

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Rio Grande do Sul 5ª Vara Federal de Porto Alegre Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Rio Grande do Sul 5ª Vara Federal de Porto Alegre Rua Otávio Francisco Caruso da Rocha, 600, 6º Andar - Ala Leste - Bairro: Praia de Belas - CEP: 90010-395

Leia mais

Art. 2º Recebidos os ofícios requisitórios (precatórios) da Autarquia, estes serão remetidos, de imediato, à Procuradoria Jurídica.

Art. 2º Recebidos os ofícios requisitórios (precatórios) da Autarquia, estes serão remetidos, de imediato, à Procuradoria Jurídica. NORMA DE EXECUÇÃO/INCRA/Nº 14, DE 31 DE MAIO DE 2001 (Publicação: Diário Oficial n 110-E, de 7/6/2001, seção 1, pág. 123 e Boletim de Serviço n 24, de 11/6/2001) Estabelece procedimentos técnicos e administrativos

Leia mais

Sentença. 1. Relatório. Relatório dispensado (artigo 38 da Lei 9.099/95). 2. Fundamentação

Sentença. 1. Relatório. Relatório dispensado (artigo 38 da Lei 9.099/95). 2. Fundamentação Processo : 2013.01.1.151018-6 Classe : Procedimento do Juizado Especial Cível Assunto : Contratos de Consumo Requerente : CELSO VIEIRA DA ROCHA JUNIOR Requerido : EMPRESA EBAZAR Sentença 1. Relatório Relatório

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ. EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ. Assunto: Desconto da Contribuição Sindical previsto no artigo 8º da Constituição Federal, um dia de trabalho em março de 2015.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.515.569 - PR (2015/0031773-9) RELATOR : MINISTRO HUMBERTO MARTINS RECORRENTE : FAZENDA NACIONAL RECORRIDO : HUGO ARNALDO JAEGER ADVOGADOS : JOSIEL VACISKI BARBOSA E OUTRO(S) FABRICIO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 36.293 - RS (2011/0252417-2) RELATOR : MINISTRO MAURO CAMPBELL MARQUES RECORRENTE : MUNICÍPIO DE CAXIAS DO SUL PROCURADOR : LARISSA RAYMUNDI E OUTRO(S) RECORRIDO : ESTADO

Leia mais

RECORRENTE:MED-RIO ASSISTÊNCIA MÉDICO-HOSPITALAR DO RIO DE JANEIRO S/C LTDA.

RECORRENTE:MED-RIO ASSISTÊNCIA MÉDICO-HOSPITALAR DO RIO DE JANEIRO S/C LTDA. CONSELHO DE CONTRIBUINTES DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO PROCESSO Nº 04/351.040/2005 ACÓRDÃO Nº 11.333 SESSÃO DO DIA 26 DE NOVEMBRO DE 2009. RECURSO VOLUNTÁRIO Nº 10.371 RECORRENTE:MED-RIO ASSISTÊNCIA

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA FAZENDA CONSELHO DE RECURSOSTRIBUTÁRIOS

ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA FAZENDA CONSELHO DE RECURSOSTRIBUTÁRIOS A.l: 1/200310806 ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA FAZENDA CONSELHO DE RECURSOSTRIBUTÁRIOS RESOLUÇÃO N 671/2005 la CÂMARA SESSÃO DE 20/09/2005 PROCESSO DE RECURSO N 1/000273/2004 AUTO DE INFRAÇÃO: 1/200310806

Leia mais

ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO TRIBUTÁRIO CONSELHO DE CONTRIBUINTES E RECURSOS FISCAIS

ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO TRIBUTÁRIO CONSELHO DE CONTRIBUINTES E RECURSOS FISCAIS ACÓRDÃO Nº: 606/2007 PROCESSO Nº: 2006/6040/502314 RECURSO Nº: 6676 RECORRENTE: MARCOLINO E MARCOLINO LTDA-ME RECORRIDA: FAZENDA PÚBLICA ESTADUAL INSCRIÇÃO ESTADUAL Nº: 29.064.350-3 EMENTA: ICMS. Suprimento

Leia mais

EMENTA ACÓRDÃO RELATÓRIO APELAÇÃO CÍVEL Nº 5000886-42.2013.404.7102/RS

EMENTA ACÓRDÃO RELATÓRIO APELAÇÃO CÍVEL Nº 5000886-42.2013.404.7102/RS APELAÇÃO CÍVEL Nº 5000886-42.2013.404.7102/RS RELATORA : Des. Federal VIVIAN JOSETE PANTALEÃO CAMINHA APELANTE : BERNARDY ASSESSORIA E FACTORING ADVOGADO : SILVIA TEREZINHA CAROLLO BORTOLUZZI APELADO :

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça EDcl no AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.157.106 - MT (2009/0162827-3) RELATOR EMBARGANTE EMBARGADO : MINISTRO BENEDITO GONÇALVES : ROGÉRIO LUIZ GALLO E OUTRO(S) : DANIELA ALLAM GIACOMET GUSTAVO DO AMARAL

Leia mais

Recentes precedentes jurisprudenciais em matéria de tributação internacional. Luís Eduardo Schoueri

Recentes precedentes jurisprudenciais em matéria de tributação internacional. Luís Eduardo Schoueri Recentes precedentes jurisprudenciais em matéria de tributação internacional Luís Eduardo Schoueri Preços de transferência Tribunal Regional Federal da 3ª Região, Acórdão nº 2.208/10, julgado em 19 de

Leia mais

Súmula Vinculante nº. 8 do STF. Luiz Gustavo A. S. Bichara

Súmula Vinculante nº. 8 do STF. Luiz Gustavo A. S. Bichara Súmula Vinculante nº. 8 do STF Luiz Gustavo A. S. Bichara Procedimento de formação de súmulas pelo STF: A CF fala em após reiteradas decisões e o STF tem sumulado já no julgamento do leading case (RE

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL Seçõo Judiciária do Estado de São Paulo 2 Vara Federal - 7 Subseção Judiciária - PIACATU/SP

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL Seçõo Judiciária do Estado de São Paulo 2 Vara Federal - 7 Subseção Judiciária - PIACATU/SP 2 Vara Federal - 7 Subseção Judiciária - PIACATU/SP SENTENÇA TIPO "B" AÇÃO ORDINÁRIA N PROCESSO N. 0000176-44.2015.403.6107 AUTOR MUNICÍPIO DE PIACATU RÉS AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS E ENERGIA ELÉTRICA ANEEL

Leia mais

Nº 70010899649 COMARCA DE LAJEADO MUNICÍPIO DE LAJEADO ACÓRDÃO

Nº 70010899649 COMARCA DE LAJEADO MUNICÍPIO DE LAJEADO ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL. TRIBUTÁRIO. AÇÃO DECLARATÓRIA. FACTORING. ISS. BASE DE CÁLCULO. A base de cálculo do ISS incidente sobre os contratos de factoring é o valor do agenciamento, da corretagem ou da intermediação,

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 89.695 - RS (2011/0212549-1) RELATOR : MINISTRO MAURO CAMPBELL MARQUES EMENTA PROCESSUAL CIVIL. TRIBUTÁRIO. ISS. BASE DE CÁLCULO. SERVIÇO DE TRANSPORTE COLETIVO MUNICIPAL.

Leia mais

Emb. Inf. 0036569-36.2012.8.19.0014-4 1

Emb. Inf. 0036569-36.2012.8.19.0014-4 1 Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro Vigésima Câmara Cível Embargos Infringentes n.º 0036569-36.2012.8.19.0014 Embargante: JOSÉ FRANCISCO NETO CAMPINHO Embargada: ESTADO DO RIO DE JANEIRO Relatora:

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA - Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA - Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho , 1. " ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA - Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO. APELAÇÃO CÍVEL N 076.2005.000115-5/001 Comarca de Gurinhém RELATOR: Des. Genésio Gomes Pereira

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA CONSELHO DE CONTRIBUINTES

SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA CONSELHO DE CONTRIBUINTES PUBLICADA A DECISÃO DO ACÓRDÃO No D.O. de 30 / 09 / 2002 Fls. 15 Proc. nº: E 04/141.494/1997 Rubrica: SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA CONSELHO DE CONTRIBUINTES Sessão de 20 de agosto de 2002 PRIMEIRA CÂMARA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 31.648 - MT (2010/0037619-1) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO PROCURADOR : MINISTRO MAURO CAMPBELL MARQUES : AMAGGI EXPORTAÇÃO E IMPORTAÇÃO LTDA : EUCLIDES RIBEIRO

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL O Município Beta instituiu por meio de lei complementar, publicada em 28 de dezembro de 2012, Taxa de Iluminação Pública (TIP). A lei complementar previa que os proprietários

Leia mais

AÇÃO DECLARATÓRIA DE INEXISTÊNCIA DE RELAÇÃO JURÍDICA TRIBUTÁRIA E AÇÃO ANULATÓRIA DE DÉBITO FISCAL ÍRIS VÂNIA SANTOS ROSA

AÇÃO DECLARATÓRIA DE INEXISTÊNCIA DE RELAÇÃO JURÍDICA TRIBUTÁRIA E AÇÃO ANULATÓRIA DE DÉBITO FISCAL ÍRIS VÂNIA SANTOS ROSA AÇÃO DECLARATÓRIA DE INEXISTÊNCIA DE RELAÇÃO JURÍDICA TRIBUTÁRIA E AÇÃO ANULATÓRIA DE DÉBITO FISCAL ÍRIS VÂNIA SANTOS ROSA IRIS VÂNIA SANTOS ROSA ADVOGADA SAAD ADVOGADOS; Doutora em Direito do Estado:

Leia mais

,^0; 71/3ápf. d.) ír.o.t.lra

,^0; 71/3ápf. d.) ír.o.t.lra ,^0; 71/3ápf Moto/ 2udiço, d.) ír.o.t.lra ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N 035.2005.000.510-3/001 - Sapé RELATOR: Miguel de Britto Lyra Filho, Juiz de Direito convocado APELANTE: INTERNÁUTICA INFORMÁTICA LTDA

Leia mais

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 2ª TURMA RECURSAL JUÍZO C

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 2ª TURMA RECURSAL JUÍZO C JUIZADO ESPECIAL (PROCESSO ELETRÔNICO) Nº201070510020004/PR RELATORA : Juíza Andréia Castro Dias RECORRENTE : LAURO GOMES GARCIA RECORRIDO : UNIÃO FAZENDA NACIONAL V O T O Dispensado o relatório, nos termos

Leia mais

D E C I S Ã O. Contra-razões ofertadas as fls. 176/184 em total prestígio a. sentença.

D E C I S Ã O. Contra-razões ofertadas as fls. 176/184 em total prestígio a. sentença. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA QUARTA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL Nº 0168239-18.2007.8.19.0001 APELANTE: BRADESCO VIDA E PREVIDÊNCIA S/A APELADO: CATIA MARIA DA SILVA COUTO RELATOR:

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE CONSELHO DE RECURSOS FISCAIS

RIO GRANDE DO NORTE CONSELHO DE RECURSOS FISCAIS RIO GRANDE DO NORTE CONSELHO DE RECURSOS FISCAIS PROCESSO : Nº 0125/2008-CRF. PAT : Nº 0140/2006-1ª URT. RECORRENTE : SECRETARIA DE ESTADO DA TRIBUTAÇÃO. RECORRIDO : MARISA LOJAS VAREJISTAS LTDA. RECURSO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 928.265 - RS (2007/0037294-0) RELATOR : MINISTRO JOSÉ DELGADO RECORRENTE : FAZENDA NACIONAL PROCURADOR : RODRIGO PEREIRA DA SILVA FRANK E OUTRO(S) RECORRENTE : PAULO ROBERTO MOLON ADVOGADO

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Determinada pessoa jurídica declarou, em formulário próprio estadual, débito de ICMS. Apesar de ter apresentado a declaração, não efetuou o recolhimento do crédito

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA TRIBUTAÇÃO CONSELHO DE RECURSOS FISCAIS

ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA TRIBUTAÇÃO CONSELHO DE RECURSOS FISCAIS ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA TRIBUTAÇÃO CONSELHO DE RECURSOS FISCAIS PROCESSO Nº 539432/2012-3 Nº DE ORDEM 0095/2013-CRF ITCD OS 2307/2012 1ª URT RECURSO EX OFFICIO RECORRENTE

Leia mais

CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO TRIBUTÁRIO - CONAT CONSELHO DE RECURSOSTRIBUTÁRIOS- CRT

CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO TRIBUTÁRIO - CONAT CONSELHO DE RECURSOSTRIBUTÁRIOS- CRT .-...- _.\ (Q~' Processo n 1/4246/2006 ~ CONSELHO DE RECURSOSTRIBUTÁRIOS- CRT RESOLUÇÃO N ~ 50 /2010 2 8 CÂMARA DE JULGAMENTO 144 8 SESSÃO ORDINÁRIA EM: 03/09/2010 PROCESSO N 1/4246/2006 AUTO DE INFRAÇÃO

Leia mais

Para acessar diretamente o texto referente a cada um desses temas, clique:

Para acessar diretamente o texto referente a cada um desses temas, clique: Prezados Leitores: A publicação Nota Tributária # Tribunal de Impostos e Taxas do Estado de São Paulo tem por objetivo atualizar nossos clientes e demais interessados sobre os principais assuntos que estão

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.084.748 - MT (2008/0194990-5) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO SIDNEI BENETI : AGRO AMAZÔNIA PRODUTOS AGROPECUÁRIOS LTDA : DÉCIO JOSÉ TESSARO E OUTRO(S) :

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECLAMAÇÃO Nº 14.696 - RJ (2013/0339925-1) RELATORA : MINISTRA MARIA ISABEL GALLOTTI RECLAMANTE : BANCO BRADESCO FINANCIAMENTOS S/A ADVOGADO : JOSÉ ANTÔNIO MARTINS E OUTRO(S) RECLAMADO : TERCEIRA TURMA

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA FAZENDA CONSELHO DE RECURSOS TRIBUTÁRIOS

ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA FAZENDA CONSELHO DE RECURSOS TRIBUTÁRIOS PROC.: 2536/97 AI: 9701559 1 ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA FAZENDA CONSELHO DE RECURSOS TRIBUTÁRIOS RESOLUÇÃO N 0414/2005 2 a.câmara SESSÃO DE".09/05/2005 PROCESSO DE RECURSO N 1/002536/97 AUTO DE INFRAÇÃO:

Leia mais

RELATÓRIO. O Sr. Des. Fed. FRANCISCO WILDO (Relator):

RELATÓRIO. O Sr. Des. Fed. FRANCISCO WILDO (Relator): APELAÇÃO CÍVEL Nº 511146/AL (0002840-14.2010.4.05.8000) APTE : CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS DA 6ª REGIÃO (AL/PE/PB/RN/CE/PI/MA) ADV/PROC : ALINE JANISZEWSKI LINS APDO : SHBRS/AL - SINDICATO DOS

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA CONSELHO DE CONTRIBUINTES

SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA CONSELHO DE CONTRIBUINTES PUBLICADA A DECISÃO DO ACÓRDÃO No D.O. de 29/11/2006 Fls. SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA CONSELHO DE CONTRIBUINTES Sessão de 25 de outubro de 2006 SEGUNDA CÂMARA RECURSO Nº - 500.369 ACÓRDÃO Nº 4.824

Leia mais

As hipóteses de extinção do crédito tributário estão no art. 156 do CTN. A forma mais comum de extinção é o pagamento.

As hipóteses de extinção do crédito tributário estão no art. 156 do CTN. A forma mais comum de extinção é o pagamento. RESUMO CONTINUAÇÃO DA AULA ANTERIOR DE PRESCRIÇÃO Prescrição aplicável ao contribuinte (ao sujeito passivo) Prazo que o contribuinte possui para pleitear a devolução de tributos 05 anos contados da extinção

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO DECISÃO 2012 PROCESSO : 36098-81.2012.4.01.3400 IMPETRANTE : SINDICATO DOS TRABALHADORES EM SAÚDE TRABALHO E PREVIDÊNCIA SOCIAL NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO IMPETRADO : SECRETARIO DE GESTÃO PÚBLICA DO MINISTÉRIO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 809.962 - RS (2006/0007992-0) RELATOR : MINISTRO LUIZ FUX RECORRENTE : COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO - CORSAN ADVOGADO : OSVALDO ANSELMO REGINATO E OUTROS RECORRIDO : JARBAS

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 1.375.078 - MT (2010/0221460-4) RELATOR AGRAVANTE PROCURADOR AGRAVADO ADVOGADO : MINISTRO LUIZ FUX : ESTADO DE MATO GROSSO : ULINDINEI ARAÚJO BARBOSA E OUTRO(S) : CERÂMICA NOVA

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRITO FEDERAL

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRITO FEDERAL SENTENÇA (TIPO A) PROCESSO N : 0045593-18.2013.4.01.3400 CLASSE : AÇÃO ORDINÁRIA / TRIBUTÁRIA AUTOR : TNX TRADING IMPORTACAO E EXPORTACAO LTDA EPP RÉU : UNIAO FEDERAL (FAZENDA NACIONAL) SENTENÇA Trata-se

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DA TRIBUTAÇÃO CONSELHO DE RECURSOS FISCAIS

RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DA TRIBUTAÇÃO CONSELHO DE RECURSOS FISCAIS RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DA TRIBUTAÇÃO CONSELHO DE RECURSOS FISCAIS PROCESSO Nº 0275/2012 PAT Nº 0274/2012-1ª URT RECURSO VOLUNTÁRIO E EX OFFICIO RECORRENTE CLIN CLINICA DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 752.808 - RJ (2005/0084580-9) RELATOR : MINISTRO TEORI ALBINO ZAVASCKI ADVOGADO : MIGUEL GRIMALDI CABRAL DE ANDRADE E OUTRO(S) PROCURADOR : LUIZ CÉSAR VIANNA MARQUES E OUTRO(S) EMENTA

Leia mais

Murillo Lo Visco 1 Editora Ferreira

Murillo Lo Visco 1 Editora Ferreira Olá pessoal! Sabemos que se aproxima a prova do concurso destinado a selecionar candidatos para provimento de vagas no cargo de Fiscal de Rendas de 3ª Categoria, do quadro da Secretaria de Estado de Fazenda

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0024.10.148765-0/001 Númeração 1487650- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Raimundo Messias Júnior Des.(a) Raimundo Messias Júnior 05/08/2014 19/08/2014

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO - JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Estado de Sergipe 7ª Vara Federal FLUXOGRAMA 28 - AÇÃO MONITÓRIA

PODER JUDICIÁRIO - JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Estado de Sergipe 7ª Vara Federal FLUXOGRAMA 28 - AÇÃO MONITÓRIA PODER JUDICIÁRIO - JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Estado de Sergipe 7ª Vara Federal FLUXOGRAMA 28 - AÇÃO MONITÓRIA INÍCIO análise inicial Verificar a existência de demonstrativo de débito e contrato

Leia mais

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores JOÃO CARLOS GARCIA (Presidente sem voto), JARBAS GOMES E RUBENS RIHL.

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores JOÃO CARLOS GARCIA (Presidente sem voto), JARBAS GOMES E RUBENS RIHL. fls. 1 ACÓRDÃO Registro: 2014.0000543198 Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0005341-39.2012.8.26.0114, da Comarca de Campinas, em que é apelante ELISIO LOPES BRANDÃO, é apelado FAZENDA

Leia mais

Ciclano da Silva Advogados Associados

Ciclano da Silva Advogados Associados Ciclano da Silva Advogados Associados EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DO FORO REGIONAL DE ALTA FLORESTA, COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE BAIXA FLORESTA/PR. FULANO DE TAL, pessoa

Leia mais

CONSELHO DE CONTRIBUINTES DO ESTADO DE MINAS GERAIS

CONSELHO DE CONTRIBUINTES DO ESTADO DE MINAS GERAIS Acórdão: 465/00/6 a Impugnação: 40.10100460-65 Impugnante: INPA - Indústria de Embalagens Santana S/A PTA/AI: 02.000166311-92 Inscrição Estadual: 511.061170.00-98 Origem: AF/II Além Paraíba Rito: Ordinário

Leia mais

APELAÇÃO CÍVEL Nº 0008220-49.2010.4.03.6100/SP EMENTA

APELAÇÃO CÍVEL Nº 0008220-49.2010.4.03.6100/SP EMENTA APELAÇÃO CÍVEL Nº 0008220-49.2010.4.03.6100/SP. EMENTA AÇÃO ORDINÁRIA. PIS/COFINS. RECOLHIMENTO NA FORMA DAS LEIS Nº 10.637/02 E 10.833/03. EXCEÇÃO ÀS PESSOAS JURÍDICAS REFERIDAS NA LEI Nº 7.102/83. SITUAÇÃO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.237.894 - MT (2011/0026945-1) RELATOR : MINISTRO SIDNEI BENETI RECORRENTE : BANCO DO BRASIL S/A ADVOGADO : NAGIB KRUGER E OUTRO(S) RECORRIDO : SUSSUMO SATO E OUTRO ADVOGADO : GILMAR

Leia mais

Limitações na ação de consignação em pagamento. Sumário: 1 Conceito. 2 Sua disciplina legal. 3 Limites da ação em consignação em pagamento.

Limitações na ação de consignação em pagamento. Sumário: 1 Conceito. 2 Sua disciplina legal. 3 Limites da ação em consignação em pagamento. Limitações na ação de consignação em pagamento Kiyoshi Harada* Sumário: 1 Conceito. 2 Sua disciplina legal. 3 Limites da ação em consignação em pagamento. 1 Conceito O que significa consignação em pagamento?

Leia mais

APELAÇÃO CÍVEL Nº 0133610-77.1991.8.19.0001 APTE.: MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO APDO

APELAÇÃO CÍVEL Nº 0133610-77.1991.8.19.0001 APTE.: MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO APDO APELAÇÃO CÍVEL Nº 0133610-77.1991.8.19.0001 APTE.: MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO APDO.: COMPANHIA LITORÂNEA DE IMÓVEIS RELATOR: DESEMBARGADOR MAURICIO CALDAS LOPES Execução fiscal. IPTU, TIP e TCLLP do Município

Leia mais

CONSELHO DE CONTRIBUINTES DO ESTADO DE MINAS GERAIS

CONSELHO DE CONTRIBUINTES DO ESTADO DE MINAS GERAIS Acórdão: 15.146/01/3ª Impugnação: 40.010104634-29 Agravo Retido: 40.030105345-22 Impugnante/Agr: Acesita S.A Proc. do Suj. Passivo: José Antônio Damasceno/Outros PTA/AI: 01.000138417-08 Inscrição Estadual:

Leia mais

TERMO DE CONCLUSÃO SENTENÇA

TERMO DE CONCLUSÃO SENTENÇA fls. 112 TERMO DE CONCLUSÃO Eu, Eden dos Santos Costa, Escrevente Técnico Judiciário, matr. nº M819734, em 11 de julho de 2014, faço estes autos conclusos ao(à) MM. Juiz(a) de Direito Dr(a). Emílio Migliano

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL OAB EXAME DE ORDEM 2010/2 PROVA DISCURSIVA DIREITO TRIBUTÁRIO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL OAB EXAME DE ORDEM 2010/2 PROVA DISCURSIVA DIREITO TRIBUTÁRIO Questão 1 MÁRIO ROBERTO possui terreno limítrofe entre as zonas urbana e rural do município de Pedra Grande. No ano de 2009, ele recebeu o carnê do IPTU, emitido pela Secretaria de Fazenda de Pedra Grande,

Leia mais

Nota Tributária do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais informativo tributário específico

Nota Tributária do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais informativo tributário específico Nota Tributária do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais informativo tributário específico Informativo nº 29 Ano III Agosto/2010 www.ssplaw.com.br faz o que gosta e acredita no que faz Prezados Leitores,

Leia mais

A Cobrança da Contribuição Sindical Rural via Ação Monitória

A Cobrança da Contribuição Sindical Rural via Ação Monitória A Cobrança da Contribuição Sindical Rural via Ação Monitória A ação monitória, prevista expressamente nos arts. 1102- A a 1102-C do Código de Processo Civil, consiste em uma advertência direcionada ao

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 996.613 - ES (2007/0244394-3) RELATOR : MINISTRO HUMBERTO MARTINS RECORRENTE : ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PROCURADOR : RAFAEL INDUZZI DREWS E OUTRO(S) RECORRIDO : COLATINA DIESEL LTDA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.416.409 - PB (2013/0368812-9) RELATÓRIO O SR. MINISTRO OG FERNANDES: Trata-se de recurso especial interposto pela Fazenda Nacional, com fundamento na alínea "a" do inciso III do art.

Leia mais

CONSELHO DE CONTRIBUINTES DO ESTADO DE MINAS GERAIS. Acórdão: 20.923/13/3ª Rito: Sumário PTA/AI: 15.000012838-29 Impugnação: 40.

CONSELHO DE CONTRIBUINTES DO ESTADO DE MINAS GERAIS. Acórdão: 20.923/13/3ª Rito: Sumário PTA/AI: 15.000012838-29 Impugnação: 40. Acórdão: 20.923/13/3ª Rito: Sumário PTA/AI: 15.000012838-29 Impugnação: 40.010133608-17 Impugnante: Proc. S. Passivo: Origem: EMENTA Edmar Gomes de Britto CPF: 147.005.816-20 Edvardo Luz de Almeida DFT/Teófilo

Leia mais