-:HSTCQE=U^VXZV: Estado de Santa Catarina, Brasil. Estado de Santa Catarina, Brasil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "-:HSTCQE=U^VXZV: Estado de Santa Catarina, Brasil. Estado de Santa Catarina, Brasil"

Transcrição

1 Estado de Santa Catarina, Brasil A educação é uma prioridade fundamental para o Estado de Santa Catarina. Os seus responsáveis pela elaboração de políticas estão firmemente empenhados no fornecimento de um sistema educacional adequado e eficiente, que atenda às exigências da economia global e que possibilite que o Estado ganhe em competitividade, tanto em âmbito nacional como internacional. Esta análise da OCDE apresenta uma breve visão global do setor da educação no Estado de Santa Catarina e das suas recentes evoluções. Realiza uma análise do sistema, desde a pré-escola até a educação superior e a aprendizagem continuada por toda a vida, e identifica as principais diretrizes para uma reforma das políticas à luz dos desafios enfrentados pelas autoridades, comunidades, empresas, bem como pelos educadores, pais e alunos. Conclui com um conjunto de recomendações principais referentes à estrutura do sistema e sua relevância para o mundo do trabalho, ao acesso e equidade, à gestão e administração, à pesquisa, desenvolvimento e inovação, à internacionalização e ao financiamento. Este relatório será de utilidade para os profissionais catarinenses e de outros Estados, bem como para os seus homólogos no plano internacional. Aqueles com acesso a todos os livros online da OCDE devem utilizar este link: SourceOECD é a biblioteca online da OCDE, com livros, periódicos e bancos de dados estatísticos. Para mais informações sobre esse serviço premiado internacionalmente e acessos gratuitos para avaliação, solicite a seu bibliotecário ou nos escreva através do: isbn U P -:HSTCQE=U^VXZV: Estado de Santa Catarina, Brasil O texto completo deste livro está disponível online neste link: Avaliações de Políticas Nacionais de Educação Avaliações de Políticas Nacionais de Educação Avaliações de Políticas Nacionais de Educação Estado de Santa Catarina, Brasil

2

3 Avaliações de Políticas Nacionais de Educação Estado de Santa Catarina, Brasil 2010

4 ORGANIZAÇÃO PARA A COOPERAÇÃO E O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICOS A OCDE é um fórum único, no qual governos de 33 países democráticos trabalham juntos para enfrentar os desafios econômicos, sociais e ambientais da globalização. A OCDE está na vanguarda dos esforços empreendidos para ajudar os governos a entender e responder às mudanças e preocupações do mundo atual, como a governança, a economia da informação e os desafios gerados pelo envelhecimento da população. A Organização oferece aos governos um marco a partir do qual estes podem comparar suas experiências políticas, buscar respostas a problemas comuns, identificar as melhores práticas e trabalhar a coordenação de políticas nacionais e internacionais. Os países membros da OCDE são: Alemanha, Austrália, Áustria, Bélgica, Canadá, Chile, Coreia, Dinamarca, Eslovênia, Espanha, Estados Unidos, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Irlanda, Islândia, Israel, Itália, Japão, Luxemburgo, México, Noruega, Nova Zelândia, Países Baixos, Polônia, Portugal, Reino Unido, República Checa, República Eslovaca, Suécia, Suíça e Turquia. A Comissão Europeia participa dos trabalhos da OCDE. As publicações da OCDE asseguram uma ampla difusão dos trabalhos da Organização. Estes incluem os resultados de compilações de estatísticas, os trabalhos de pesquisa sobre temas econômicos, sociais e ambientais, assim como as convenções, as diretrizes e os modelos desenvolvidos pelos países membros Este estudo foi publicado sob a responsabilidade do Secretário-Geral da OCDE. As opiniões expressas e os argumentos utilizados nesta publicação não refletem necessariamente a posição da Organização nem dos Governos de seus países membros. ISBN (impresso) ISBN (PDF) Série: Reviews of National Policies for Education ISSN (online) Originalmente publicado pela OCDE em inglês sob o título: Santa Catarina State, Brazil 2010 As erratas das publicações da OCDE podem ser acessadas on line no: OCDE 2010 O conteúdo da OCDE pode ser copiado, baixado ou imprimido para uso pessoal. Partes do conteúdo das publicações da OCDE, bases de dados e produtos multimídia também podem ser utilizadas em documentos, apresentações, blogs, sites e materiais pedagógicos, após reconhecimento da OCDE como fonte e proprietária do copyright. As solicitações de permissão para uso público e comercial e os direitos de tradução devem ser enviadas a A permissão para a reprodução parcial para uso público e comercial desta publicação pode ser obtida diretamente através do Copyright Clearance Center (CCC), ou do Centre français d'exploitation du droit de copie (CFC)

5 PREFÁCIO 3 Prefácio O Estado de Santa Catarina é uma das regiões mais prósperas do Brasil e o seu sistema educacional é considerado como um dos melhores do País. Consciente do fato de que o sucesso econômico e social da região depende amplamente da educação e das competências da sua população, o Governo Estadual solicitou à OCDE que empreendesse uma análise independente sobre o sistema educacional e que formulasse opções com vista à elaboração de políticas, a curto e médio prazo, com o objetivo de desenvolver o seu capital humano. A responsabilidade pela educação no Brasil é repartida entre órgãos federais, estaduais e municipais. A presente análise enfoca precipuamente as funções em nível estadual, mas também cobre algumas áreas federais e municipais, na medida em que se relacionem com o sistema educacional de Santa Catarina. O relatório dos analistas reconhece os esforços de reforma já empreendidos, mas também recomenda que seja dedicada especial atenção à necessidade imediata de melhor articulação entre os diferentes níveis de educação, com vista a uma maior flexibilidade e eficiência na gestão e administração institucional da educação, bem como à expansão da capacidade do sistema educacional de fornecer uma educação adequada a todos os cidadãos catarinenses. O relatório dos analistas foi elaborado levando em conta um relatório preliminar fornecido pelas autoridades do Estado de Santa Catarina, acrescido de visitas in loco. A análise das políticas educacionais foi realizada no âmbito do programa de relações globais da Diretoria de Educação da OCDE. O financiamento para este trabalho foi fornecido pelo Governo do Estado de Santa Catarina, com uma contribuição em espécie por parte da Fundação Européia de Formação. A equipe de analistas teve a seguinte composição: John Coolahan (Irlanda), Relator, Professor Emérito, Universidade Nacional da Irlanda; Ian Whitman (Secretariado da OCDE), Chefe da equipe de avaliação, Coordenador do Programa de Cooperação com Economias Não-Membros, Diretoria de Educação da OCDE; Mary Canning (Irlanda), Ex-coordenadora

6 4 PREFÁCIO da Educação Superior da Irlanda, ex-especialista em Educação do Banco Mundial; Eduarda Castelo Branco (Portugal), Especialista em Educação e em Políticas de Formação junto à Fundação Européia de Formação; Johanna Crighton (Países Baixos), Consultora Independente em Educação e Especialista em Avaliação, Wolfson College, Universidade de Cambridge, Reino Unido; Francisco Marmolejo (México), Diretor Executivo, Consortium for North American Higher Education Collaboration (CONAHEC) e Vice-Presidente para os Programas do Hemisfério Ocidental da Universidade do Arizona, EUA; Mihaylo Milovanovitch (Secretariado da OCDE), Analista de Políticas para o Programa de Cooperação com Economias Não-Membros, Diretoria de Educação da OCDE; Sam Mikhail (Canadá), Professor Emérito, Universidade Ryerson, Toronto; Jhungsoo Park (Coréia), Professor de Políticas Públicas, Ewha Women s University; Lichia Saner-Yiu (Suíça), Diretora, Centro para o Desenvolvimento Socioeconômico. Assistência geral e coordenação realizadas por Célia Braga-Schich e Deborah Fernandez, do Secretariado da OCDE, e por Antônio Elízio Pazeto, Isaac Ferreira, Fábio Alexandrini e Wilson Schuelter (Secretaria da Educação do Estado de Santa Catarina). Barbara Ischinger Diretora para a Educação

7 ÍNDICE 5 Índice Prefácio... 3 Lista de Abreviaturas e Siglas... 9 Sumário Capítulo 1. Introdução Santa Catarina: o contexto geral Panorama do sistema educacional O processo de avaliação e os temas examinados Capítulo 2. O Financiamento da Educação Pública Introdução e antecedentes O sistema financeiro da educação de Santa Catarina Desafios e recomendações Capítulo 3. Governança: Gestão do Sistema e da Qualidade Gestão do sistema educacional e das escolas Recomendações Capítulo 4. Acesso, Equidade e Educação Especial Melhor acesso para crianças deficientes Acesso e equidade de gênero Equidade de gênero no sistema educacional de Santa Catarina Etnicidade e educação inclusiva no Brasil Alunos indígenas Etnicidade e educação em Santa Catarina Pobreza infantil e educação no Brasil Pobreza infantil e educação em Santa Catarina Necessidades educacionais especiais no Brasil Marco legal: educação inclusiva Finanças Estatísticas de matrículas de crianças PNEEs Mudanças na definição? Inclusão no ensino regular no Brasil Educação especial em Santa Catarina Pontos importantes sobre a educação de crianças PNEEs Recomendações

8 6 ÍNDICE Capítulo 5. Currículo e Livros Didáticos da Educação Infantil e dos Ensinos Fundamental e Médio Introdução: Observações gerais sobre o sistema de educação básica Educação infantil Ensinos fundamental e médio O currículo brasileiro O currículo catarinense Os anos iniciais do ensino fundamental (1 a à 4 a série ou 1 o ao 5 o ano) Os anos finais do ensino fundamental (5 a à 8 a série ou 6 o ao 9 o ano) Os três anos do ensino médio Pontos referentes ao currículo Recomendações referentes ao currículo Livros e materiais didáticos Pontos referentes aos livros e materiais didáticos Recomendações referentes aos livros e materiais didáticos Capítulo 6. A Avaliação dos Alunos Avaliação de alunos no Brasil e em Santa Catarina Avaliação e exames no âmbito escolar Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (SAEB) Prova Brasil e SAEB: qual é a relação entre os dois? Provinha Brasil ENCCEJA (Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos) Exames de admissão nas universidades Rumo a um exame unificado e nacional para o ingresso nas universidades?155 Educação superior: questões de acesso e equidade PISA (Programa Internacional de Avaliação de Alunos, OCDE) Resultados de Santa Catarina no PISA de Questões relacionadas com a avaliação da aprendizagem dos alunos Recomendações relativas à avaliação Capítulo 7. Educação Profissional e Tecnológica Observações e terminologia Introdução Base legal e política Luta e paz Políticas e programas recentes Dinâmica Observações e pontos importantes Recomendações

9 ÍNDICE 7 Capítulo 8. A Carreira Docente e a Formação de Professores O corpo docente no contexto político Perfil atual da carreira docente Plano de carreira e quadro salarial Condições de emprego Os diretores de estabelecimentos escolares A formação de professores Pesquisa educacional Recomendações Capítulo 9. Educação Superior Introdução e antecedentes O sistema de educação superior em Santa Catarina Governança e gestão Acesso à educação superior em Santa Catarina Financiamento Qualidade Vínculos com o mercado de trabalho e pertinência Internacionalização Pesquisa, desenvolvimento e inovação Desafios e recomendações Capítulo 10. Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação Os principais setores econômicos em Santa Catarina Panorama da história recente da PDI no Brasil e em Santa Catarina Financiamento da pesquisa, do desenvolvimento e da inovação A capacidade de PDI das universidades brasileiras Reforma do ensino de ciências aplicadas e de engenharia em Santa Catarina Questões pertinentes de PDI nas universidades de pesquisa brasileiras Os programas de PDI em Santa Catarina Redes de ciência e tecnologia Pesquisa científica e programas de desenvolvimento Programas PDI setoriais e regionais Programas de desenvolvimento industrial Análise das restrições e das reformas propostas para o sistema PDI em Santa Catarina Capítulo 11. Medidas de Reforma Estratégicas Propósito e contexto da avaliação O financiamento da educação pública Governança: gestão do sistema de da qualidade Acesso, equidade e educação especial

10 8 ÍNDICE Currículo e livros didáticos da educação infantil e dos ensinos fundamental e médio Avaliação dos alunos Educação profissional e tecnológica Carreira docente e formação de professores Educação superior Pesquisa, desenvolvimento e inovação

11 LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS 9 Lista de Abreviaturas e Siglas ACAFE ACITA APAE APL BADESC BID BNDES BPC BRDE BRL CAESP CAPES CDE CEDUP CEE CEFET CENPES CEPEL CERTI CETEC CFI CIEE CITEB CNCST CNCT CNE CNI CNPq CNPSA CONAES CONCITI CONSUNI Associação Catarinense das Fundações Educacionais Associação Comercial e Industrial de Itapema Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais Arranjos Produtivos Locais Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina S.A. Banco Interamericano de Desenvolvimento Banco Nacional do Desenvolvimento Benefício de Prestação Continuada Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo-Sul Real (moeda brasileira) Centro de Atendimento Educacional Especializado Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Conselho Deliberativo Escolar Centro de Educação Profissional Conselho Estadual de Educação Centro Federal de Educação Tecnológica Centro de Pesquisas e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello (Centro de Pesquisas da Petrobrás) Centro de Pesquisas de Energia Elétrica Fundação Centros de Referências em Tecnologias Inovadoras Centro Tecnológico de Curitibanos e Região Fundação Canadense para Inovação (Canada Foundation for Innovation) Centro de Integração Empresa-Escola Centro de Inovação e Tecnologia de Biguaçu Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia Catálogo Nacional de Cursos Técnicos Conselho Nacional de Educação Confederação Nacional da Indústria Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico Centro Nacional de Pesquisa em Suínos e Aves Comitê Nacional de Avaliação da Educação Superior Conselho Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação Conselho Universitário

12 10 LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS CPA CPqD CRIATEC CRIE CTVRD DCN DINTER DIOC DPC ECA ECT EEB EJA EMBRAER EMBRAPA ENADE ENCCEJA ENEM EPAGRI EPT EPTNM EPTNS E-Tec Brasil ETF FAPESC FAPESP FAPEU FCEE FCO FEPEMA FETEP FIES FIESC FINEP FNDE FNE FNMA FNO Comissão de Avaliação Interna Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da Telebrás Fundo de Investimento de Capital Semente (pequenas e médias empresas) Centro Regional de Inovação e Empreendedorismo Centro de Tecnologia Companhia Vale do Rio Doce Diretrizes Curriculares Nacionais Doutorado Interinstitucional Diretoria de Organização, Controle e Avaliação Desenvolvimento Profissional Continuado Estatuto da Criança e do Adolescente Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos Escola de Educação Básica Educação de Jovens e Adultos Empresa Brasileira de Aeronáutica S.A. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Exame Nacional de Desempenho de Estudantes Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos Exame Nacional do Ensino Médio Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina Educação Profissional e Tecnológica Educação Profissional Técnica de Nível Médio Educação Profissional e Tecnológica de Nível Superior Escola Técnica Aberta do Brasil Escola Técnica Federal Fundação de Apoio à Pesquisa Científica e Tecnológica do Estado de Santa Catarina Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão Universitária Fundação Catarinense de Educação Especial Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste Fundo Especial de Proteção ao Meio Ambiente de Santa Catarina Fundação de Ensino, Tecnologia e Pesquisa de São Bento do Sul Programa de Financiamento Estudantil Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina Financiadora de Estudos e Projetos Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste Fundo Nacional do Meio Ambiente Fundo Constitucional de Financiamento do Norte

13 LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS 11 FPE FPEX FPM FUMDES FUNAI FUNDEB FUNDEF FUNDEP FUNDESCOLA FUNDOSOCIAL FUNTEC FURB GERD GERED IBAMA IBGE IBRAVIN ICMS IDE IDEB IDH IE IES IESJ IFET IGC IGF II IMHE INEP IOF IPCA IPEA Fundo de Participação dos Estados e do Distrito Federal Fundo de Compensação pela Exportação de Produtos Industrializados Fundo de Participação dos Municípios Fundo de Apoio à Manutenção e ao Desenvolvimento da Educação Superior no Estado de Santa Catarina Fundação Nacional do Índio Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Profissional e Tecnológica Fundo de Fortalecimento da Escola Fundo de Desenvolvimento Social Fundo Tecnológico Universidade Regional de Blumenau Despesas Internas Brutas em Pesquisa e Desenvolvimento, do inglês (Gross Domestic Expenditure on Research and Development) Gerência Regional de Educação Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Instituto Brasileiro do Vinho Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação Investimento Direto Externo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica Índice de Desenvolvimento Humano Imposto sobre Exportações Instituição de Educação Superior Incubadora de Empresas São José Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Índice Geral dos Cursos Imposto sobre Grandes Fortunas Imposto sobre Importações Gestão Institucional da Educação Superior, OCDE (Institutional Management on Higher Education, OECD) Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais AnísioTeixeira Imposto sobre Operações Financeiras Índice de Preços ao Consumidor Amplo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada

14 12 LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS IPI IPIexp IPTU IPVA IR IRRF ISS ITBI ITCMD ITPI ITR LDB LIBRAS MEC MCT MDICE MERCOSUL MINTER OCDE OECD PAPPE PBA PCD PCN PCSC PDE PDI PIB PIBR PISA PNAD PNE PNEE PNLA PNLD PNLEM Imposto sobre Produtos Industrializados Imposto sobre Produtos Industrializados Proporcional às Exportações Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores Imposto de Renda Imposto de Renda Retido na Fonte Imposto sobre Serviços Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação de quaisquer Bens ou Direitos Centro de Inovação Tecnológica e Propriedade Intelectual Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural Lei de Diretrizes e Bases da Educação Língua Brasileira de Sinais Ministério da Educação Ministério da Ciência e Tecnologia Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Mercado Comum do Sul Mestrado Interinstitucional Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômicos (Organisation for Economic Co-operation and Development) Programa de Apoio à Pesquisa em Empresas Programa Brasil Alfabetizado Plano Catarinense de Desenvolvimento Parâmetros Curriculares Nacionais Proposta Curricular de Santa Catarina Plano de Desenvolvimento da Educação Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação Produto Interno Bruto Produto Interno Bruto Regional Programa Internacional de Avaliação de Alunos, OCDE (OECD Programme for International Student Assessment) Pesquisa Nacional par Amostra de Domicílios Plano Nacional de Educação Necessidades educacionais especiais Programa Nacional do Livro Didático para a Alfabetização de Jovens e Adultos Programa Nacional do Livro Didático Programa Nacional do Livro Didático para o Ensino Médio

15 LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS 13 PPA PPP PRM PROEJA PRONEX ProUni RCCT REESC RIPA RPSC SAEB SAEDE SDR SEBRAE SECAD SED SEESP SENAC SENAI SENAR SESC SESI SESU SETEC SINAES SISTEC SME SPE TALIS TI TIC UDESC UE UEM UFC UFF UFMG Plano Plurianual Projeto Político-Pedagógico Países de Renda Média Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos Programa de Apoio aos Núcleos de Excelência Programa Universidade para Todos Rede Catarinense de Ciência e Tecnologia Reengenharia do Ensino de Engenharia em Santa Catarina Rede de Inovação e Prospecção Tecnológica para o Agronegócio Rede de Proteoma do Estado de Santa Catarina Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica Serviço de Atendimento Educacional Especializado Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina Secretaria de Educação Especial Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Serviço Nacional de Aprendizagem Rural Serviço Social do Comércio Serviço Social da Indústria Secretaria de Educação Superior Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Sistema Nacional de Avaliação de Educação Superior Sistema Nacional de Informações da Educação Profissional e Tecnológica Secretaria Municipal de Educação Serviço Pedagógico Especifico Pesquisa Internacional sobre Ensino e Aprendizado, OCDE (OECD Teaching and Learning International Survey) Tecnologia da Informação Tecnologia da Informação e Comunicação Universidade do Estado de Santa Catarina União Europeia Universidade Estadual de Maringá Universidade Federal do Ceará Universidade Federal Fluminense Universidade Federal de Minas Gerais

16 14 LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS UFRJ UFSC UFV UNB UNESC UNESCO UNESP UNICAMP UNICEF UNIPLAC UNISUL UNIVALI UNIVILLE UNOESC USP Universidade Federal do Rio de Janeiro Universidade Federal de Santa Catarina Universidade Federal de Viçosa Universidade de Brasília Universidade do Extremo-Sul Catarinense Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (United Nations Educational, Scientific and Cultural Organisation) Universidade Estadual Paulista Universidade de Campinas Fundo das Nações Unidas para a Infância (United Nations International Children s Fund) Universidade do Planalto Catarinense Universidade do Sul de Santa Catarina Universidade do Vale do Itajaí Universidade da Região de Joinville Universidade do Oeste de Santa Catarina Universidade de São Paulo

17 SUMÁRIO 15 Sumário A presente avaliação geral do sistema educacional do Estado de Santa Catarina, Brasil, examina toda a oferta de ensino e pesquisa existente no Estado e faz recomendações no que diz respeito à política a adotar. Santa Catarina conta com uma população de cerca de 6.2 milhões de habitantes, é um Estado relativamente rico e economicamente progressista. Tanto o Governo Federal como as autoridades do Estado investiram recursos substanciais na expansão da oferta educacional em todos os níveis. Foi introduzido um grande número de iniciativas políticas legislativas e educacionais. Além disso, o ensino é gratuito em toda a rede pública. A despeito dessa postura louvável, o aumento quantitativo da oferta não foi acompanhado por uma melhoria na qualidade, e isso pode ser verificado pelos resultados obtidos em provas de avaliação nacionais e internacionais. Portanto, doravante o objetivo primordial é melhorar o desempenho dos alunos por meio de aprimoramentos realizados em todos os diferentes níveis de ensino, conforme sintetizado abaixo. O financiamento da educação pública No Brasil, as três esferas de Governo - federal, estadual e municipal são conjuntamente responsáveis pelo funcionamento e financiamento do ensino fundamental. A Educação é considerada uma área prioritária para Santa Catarina, e isso pode ser observado pelos recursos que lhe são destinados. Em 2009, Santa Catarina alocou 19.3% de suas receitas aos serviços de educação, o que representa a maior proporção destinada a uma única área, e isso inclui a Saúde e a Previdência Social. Nesse mesmo ano, Santa Catarina destinou 29.5% de sua receita fiscal à Educação, ou seja, 4.5% acima da percentagem mínima que cada Estado da Federação deve reservar para a Educação, conforme estabelecido pela constituição federal. Embora o volume de gastos com a Educação seja alto em relação ao Produto Interno Bruto Regional (PIBR), os indicadores mostram que os resultados não condizem com o alto nível de investimento em Santa

18 16 SUMÁRIO Catarina, sugerindo que o serviço fornecido é que é ineficiente, e não que falta verba. Os Governos Federal e Estadual devem intensificar os incentivos para promover a eficiência, concedendo certos repasses de verbas sob determinadas condições e introduzindo compensações pelo desempenho. A rigidez orçamentária deve ser suprimida, principalmente em se tratando de alocação de recursos. As ações políticas devem visar à flexibilização orçamentária, o que possibilitará que a execução e o planejamento orçamentários sejam norteados, acima de tudo, por considerações quanto à eficiência e pelas prioridades das políticas públicas. As pressões para prestações de contas com base na escola são imprescindíveis para o uso eficiente dos recursos da educação. O financiamento deve ser orientado para o aprimoramento dos resultados escolares, como objetivos de aprendizagem e melhoria do sistema escolar. Governança e gestão da qualidade Existem três tipos de escolas públicas em Santa Catarina: federal, estadual e municipal; além de uma quarta categoria, a de estabelecimentos privados, que são pagos. A Secretaria de Estado da Educação (SED) de Santa Catarina é responsável pela orientação geral e o monitoramento do sistema, bem como pelo planejamento estratégico e as reformas. Sua área de atuação é limitada, devido à fragmentação da organização da gestão. O processo de municipalização, atualmente em andamento, limitará ainda mais suas competências, ao colocar as pré-escolas e o ensino fundamental sob a responsabilidade do município. O sistema educacional tem capacidade bastante limitada no que diz respeito à gestão de mudanças. Devem ser criadas interfaces adequadas entre os diversos níveis de governança, bem como entre os provedores de ensino privado e público. Sem uma organização institucional adequada que possibilite a coordenação das políticas, o processo de descentralização terá impacto negativo na qualidade do ensino, pois tornará o sistema ainda mais fragmentado. A equipe de avaliação recomenda a criação de mecanismos regulatórios centrados no Estado para supervisão e coordenação de políticas educacionais e que deverão ser complementados por auditorias institucionais regulares que garantam a qualidade. Os dados sobre qualidade do sistema devem ser diversificados, não se limitando às informações sobre a aquisição imediata do aprendizado e o desempenho nos testes. Deve-se proceder a análises de dados e de políticas, e esses dados devem ser distribuídos de maneira mais ampla e ativa, talvez por meio de um organismo independente dedicado à política educacional, pesquisa e análise.

19 SUMÁRIO 17 Acesso e equidade O Estado de Santa Catarina, como o próprio Brasil, tem um histórico louvável de cumprimento de compromissos para com a igualdade de oferta educacional, em respeito a uma série de acordos internacionais firmados recentemente. Não há desequilíbrio com relação à participação de meninos e meninas no sistema escolar. A educação especial em Santa Catarina é administrada pela SED, com o apoio da Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE) e com a assistência das Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAEs) locais. Na falta de obrigatoriedade de uma atuação conjunta, a comunicação entre as instâncias governamentais e os provedores de serviços de muitas prefeituras parece funcionar de modo improvisado, o que pode ter um impacto na confiabilidade dos procedimentos de diagnóstico, comprometendo a identificação de crianças portadoras de necessidades educacionais especiais (PNEEs) e, por conseguinte, prejudicando o seu acesso à educação. Em 2009, Santa Catarina gastou apenas 3.4% do seu orçamento para a Educação com essa população de crianças, e muitas APAEs, a despeito de sua importância na oferta de serviços para PNEEs, acabam tendo de angariar fundos de outras fontes. Ao que consta, menos de um terço de todas as crianças portadoras de necessidades especiais cadastradas frequentam escolas regulares. A equipe de avaliação, por essa razão, está preocupada com o fato de que existe um número significativo de crianças invisíveis ao sistema que não recebem atendimento educacional ou simplesmente abandonam a escola antes do tempo. Os dados estatísticos são insuficientes e há falta de formação pedagógica por parte dos professores para lidarem com alunos portadores de necessidades educacionais especiais. A SED deve tomar medidas para aprimorar a coleta de dados, bem como o compartilhamento dessas informações entre as várias instâncias governamentais e entre os diferentes Ministérios. Ademais, deve incentivar todas as APAEs a reforçar os vínculos com os postos de saúde e centros de assistência social, e fazer maior divulgação dos seus serviços. Deve ser firmado um acordo que reúna municípios, provedores privados e o Estado de Santa Catarina para identificar os obstáculos encontrados pelos alunos PNEEs nas escolas regulares, e em seguida eliminar esses obstáculos através de um esforço conjunto.

20 18 SUMÁRIO Currículo e livros didáticos O Ministério da Educação (MEC) define a política curricular, realiza avaliações de aprendizagem padronizadas e fornece livros didáticos para os alunos das escolas públicas. A SED de Santa Catarina é responsável pela implementação da política nacional e pela formulação de experiências educacionais para os cidadãos do Estado. Como praticamente todas as escolas funcionam em um esquema de três turnos, os alunos têm no máximo 20 horas de aula por semana. Existe uma discrepância entre o currículo proposto e o tempo disponível para o ensino em sala de aula. As matérias são tratadas como entidades isoladas, sem que se levem em conta as relações interdisciplinares. Ao serem entrevistados pela equipe de avaliação, os professores demonstraram-se satisfeitos com a qualidade geral dos livros didáticos. Eles fizeram ressalvas quanto ao vocabulário empregado em algumas obras, que seria difícil demais para muitos alunos. Também foi relatado que os livros nem sempre são entregues a tempo para o início do ano letivo. Se a carga horária não pode ser ampliada no momento, a equipe de avaliação recomenda a redução do número de matérias obrigatórias. Os alunos deveriam ter a possibilidade de escolher algumas matérias. Uma nova abordagem pedagógica em sala de aula faz-se necessária, com muito mais espaço para a interação aluno-professor. Além disso, a política de educação inclusiva do Estado deve ser acompanhada de uma abordagem mais individualizada do processo de ensino-aprendizagem. Avaliação dos alunos Talvez a principal preocupação das autoridades catarinenses em relação à Educação seja o desempenho insatisfatório dos alunos medido nos testes nacionais e internacionais. Os resultados apresentados pelos estudantes continuam muito aquém das expectativas. Novos objetivos estão sendo estabelecidos para a melhora do desempenho até 2022, e o desafio é conseguir cumpri-los. O Estado de Santa Catarina utiliza uma combinação de ferramentas de avaliação nacionais e, desde 2000, o Brasil tem participado dos testes do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA) da OCDE. Santa Catarina também vai participar, como região adjudicada, no PISA O desempenho dos catarinenses tem sido melhor do que o de outros Estados

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI 2014-2018 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011 2020 METAS E ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI 2014-2018 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011 2020 METAS E ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI 2014-2018 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011 2020 METAS E ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO Marcos Neves Comissão Central PDI do IFSC PNE EXIGÊNCIA CONSTITUCIONAL O art.

Leia mais

Estado de Santa Catarina, Brasil

Estado de Santa Catarina, Brasil Estado de Santa Catarina, Brasil A educação é uma prioridade fundamental para o Estado de Santa Catarina. Os seus responsáveis pela elaboração de políticas estão firmemente empenhados no fornecimento de

Leia mais

Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará. Eixo Temático Educação Superior

Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará. Eixo Temático Educação Superior Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará Eixo Temático Educação Superior Ceará, 2015 1 Socioeconômico Diagnóstico Para compreender a situação da educação no estado do Ceará é necessário também

Leia mais

Desenvolvimento de educação técnica e científica para a operação de centros de PD&I no Brasil. Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero

Desenvolvimento de educação técnica e científica para a operação de centros de PD&I no Brasil. Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero Desenvolvimento de educação técnica e científica para a operação de centros de PD&I no Brasil Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero Empresas Participantes do CRI Multinacionais Instituições

Leia mais

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS Projeto de Lei nº 8.035, de 2010 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional O PNE é formado por: 10 diretrizes; 20 metas com estratégias

Leia mais

XXV ENCONTRO NACIONAL DA UNCME

XXV ENCONTRO NACIONAL DA UNCME XXV ENCONTRO NACIONAL DA UNCME Os desafios da Educação Infantil nos Planos de Educação Porto de Galinhas/PE Outubro/2015 Secretaria de Educação Básica CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL É direito dos trabalhadores

Leia mais

Tema 2 CONAE 2014 Diretrizes gerais para intervenção do PROIFES-Federação na CONAE 2014

Tema 2 CONAE 2014 Diretrizes gerais para intervenção do PROIFES-Federação na CONAE 2014 Tema 2 CONAE 2014 Diretrizes gerais para intervenção do PROIFES-Federação na CONAE 2014 Eixo I O plano Nacional de Educação e o Sistema Nacional de Educação: organização e regulação. Instituir, em cooperação

Leia mais

O Lugar da Educação Infantil nas Políticas para a Primeira Infância. Rio de Janeiro/RJ Setembro/2015

O Lugar da Educação Infantil nas Políticas para a Primeira Infância. Rio de Janeiro/RJ Setembro/2015 SEMINÁRIO NACIONAL CURRÍCULO E AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: POLÍTICAS PARA A PRIMEIRA INFÂNCIA O Lugar da Educação Infantil nas Políticas para a Primeira Infância Rio de Janeiro/RJ Setembro/2015 Secretaria

Leia mais

A Mobilização Empresarial pela Inovação: Recursos Humanos. Horácio Piva São Paulo - 17/6/2011

A Mobilização Empresarial pela Inovação: Recursos Humanos. Horácio Piva São Paulo - 17/6/2011 A Mobilização Empresarial pela Inovação: Recursos Humanos Horácio Piva São Paulo - 17/6/2011 OBJETIVOS Consolidar a percepção de que a formação de recursos humanos qualificados é essencial para fortalecer

Leia mais

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Esperidião Amin Helou Filho

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Esperidião Amin Helou Filho PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO Esperidião Amin Helou Filho 1 PROJETO DE LEI Nº 8.035, DE 2010. Ementa: Aprova o Plano Nacional de Educação para o decênio 2011-2020 e dá outras providências. 2 PROJETO DE LEI

Leia mais

EDUCAÇÃO SUPERIOR: AVANÇOS E PERSPECTIVAS

EDUCAÇÃO SUPERIOR: AVANÇOS E PERSPECTIVAS Ministério da Educação Secretaria de Educação Superior Diretoria de Políticas e Programas para a Graduação EDUCAÇÃO SUPERIOR: AVANÇOS E PERSPECTIVAS Brasil : ciclo virtuoso na educação Banco Mundial: Última

Leia mais

Pesquisa inédita faz paralelo entre sistema de educação infantil português e brasileiro

Pesquisa inédita faz paralelo entre sistema de educação infantil português e brasileiro Pesquisa inédita faz paralelo entre sistema de educação infantil português e brasileiro O estudo Educação Infantil em Debate - a Experiência de e a Realidade eira faz um paralelo entre as soluções encontradas

Leia mais

Educação e Mão de Obra para o Crescimento

Educação e Mão de Obra para o Crescimento Fórum Estadão Brasil Competitivo: Educação e Mão de Obra para o Crescimento Maria Alice Setubal Presidente dos Conselhos do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária Cenpece

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE PAULINO NEVES SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

ESTADO DO MARANHÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE PAULINO NEVES SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO 2015 / 2025 Raimundo de Oliveira Filho Prefeito Municipal José Ferreira dos Reis Vice-prefeito Mª Estaciana Silva Gomes Secretária de Educação DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO SEÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL Maria do

Leia mais

Carta-Compromisso pela. Garantia do Direito à Educação de Qualidade. Uma convocação aos futuros governantes e parlamentares do Brasil

Carta-Compromisso pela. Garantia do Direito à Educação de Qualidade. Uma convocação aos futuros governantes e parlamentares do Brasil 1 Carta-Compromisso pela Garantia do Direito à Educação de Qualidade Uma convocação aos futuros governantes e parlamentares do Brasil Para consagrar o Estado Democrático de Direito, implantado pela Constituição

Leia mais

Inovação no Brasil nos próximos dez anos

Inovação no Brasil nos próximos dez anos Inovação no Brasil nos próximos dez anos XX Seminário Nacional de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas XVIII Workshop ANPROTEC Rodrigo Teixeira 22 de setembro de 2010 30/9/2010 1 1 Inovação e

Leia mais

EDUCAÇÃO SUPERIOR NO CONTEXTO DO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2010

EDUCAÇÃO SUPERIOR NO CONTEXTO DO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2010 EDUCAÇÃO SUPERIOR NO CONTEXTO DO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2010 Contribuições para o Plano Municipal de Educação de Palmas Maio 22, 2012 DAS 20 METAS DO PNE, CINCO ESTÃO DIRETAMENTE LIGADAS ÀS INSTITUIÇÕES

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REDAÇÃO DO PROJETO DE LEI Aprova o Plano Municipal de Educação - PME e dá outras providências. O Prefeito do Município de vereadores decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Faço

Leia mais

MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO

MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO Ambiente de Inovação em Saúde EVENTO BRITCHAM LUIZ ARNALDO SZUTAN Diretor do Curso de Medicina Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo SOCIEDADES CONHECIMENTO

Leia mais

Município: JOÃO PESSOA / PB

Município: JOÃO PESSOA / PB O Plano Brasil Sem Miséria O Plano Brasil Sem Miséria foi lançado com o desafio de superar a extrema pobreza no país. O público definido como prioritário foi o dos brasileiros que estavam em situação de

Leia mais

Educação no Brasil. Aloizio Mercadante. São Paulo, 30 de novembro de 2012

Educação no Brasil. Aloizio Mercadante. São Paulo, 30 de novembro de 2012 Educação no Brasil Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação São Paulo, 30 de novembro de 2012 Educação Infantil Taxas de atendimento Creches 36,3 23,6 9,4 12,2 Brasil Carinhoso: 2,8 milhões de

Leia mais

AEducação Superior. na Legislação Educacional Vigente. Prof a. Rosimar de Fátima Oliveira Departamento de Educação Universidade Federal de Viçosa

AEducação Superior. na Legislação Educacional Vigente. Prof a. Rosimar de Fátima Oliveira Departamento de Educação Universidade Federal de Viçosa AEducação Superior na Legislação Educacional Vigente Prof a. Rosimar de Fátima Oliveira Departamento de Educação Universidade Federal de Viçosa 1. Estrutura Normativa da Educação Superior AUTONOMIA ACESSO

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Destaques do Education at a Glance 2014

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Destaques do Education at a Glance 2014 Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Destaques do Education at a Glance 2014 Diretor de Estatísticas Educacionais Carlos Eduardo Moreno Sampaio

Leia mais

Conversatorio Internacional. La educación tecnológica en Brasil

Conversatorio Internacional. La educación tecnológica en Brasil Conversatorio Internacional "Mitos y verdades sobre la acreditación en la Educación Superior" La educación tecnológica en Brasil Prof. Dr. Rolando V. Vallejos Brasil seguindo o caminho de desenvolvimento

Leia mais

SALA TEMÁTICA: EDUCAÇÃO SUPERIOR

SALA TEMÁTICA: EDUCAÇÃO SUPERIOR SALA TEMÁTICA: EDUCAÇÃO SUPERIOR Metas PNE - Meta 12 Elevar a taxa bruta de matrícula na Educação Superior para 50% (cinquenta por cento) e a taxa líquida para 33% (trinta e três por cento) da população

Leia mais

15º FÓRUM NACIONAL DA UNDIME. Política Nacional de Educação Infantil. Mata de São João/BA Junho/2015. Secretaria de Educação Básica

15º FÓRUM NACIONAL DA UNDIME. Política Nacional de Educação Infantil. Mata de São João/BA Junho/2015. Secretaria de Educação Básica 15º FÓRUM NACIONAL DA UNDIME Política Nacional de Educação Infantil Mata de São João/BA Junho/2015 Secretaria de Educação Básica CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL É direito dos trabalhadores urbanos e rurais

Leia mais

Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social CDES. A Consolidação das Políticas Sociais na Estratégia de Desenvolvimento Brasileiro

Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social CDES. A Consolidação das Políticas Sociais na Estratégia de Desenvolvimento Brasileiro Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social CDES A Consolidação das Políticas Sociais na Estratégia de Desenvolvimento Brasileiro A CONTRIBUIÇÃO DO CDES PARA O DEBATE DA CONSOLIDAÇÃO DAS POLÍTICAS SOCIAIS

Leia mais

Nelson Cardoso Amaral 1

Nelson Cardoso Amaral 1 OS 10% DO PIB COMO PROMOTOR DA QUALIDADE DA EDUCAÇÃO: uma análise considerando os resultados do PISA e os valores aplicados por estudante em diversos países Nelson Cardoso Amaral 1 Resumo O estudo apresenta

Leia mais

de monitoramento das 5 Metas do Todos Pela Educação

de monitoramento das 5 Metas do Todos Pela Educação De Olho nas Metas 2011Quarto relatório de monitoramento das 5 Metas do Todos Pela Educação Investimentos em Educação: comparação internacional Brasil investiu US$ 2.416 por aluno/ ano em 2008. Média dos

Leia mais

LEI Diretrizes Regime de colaboração articulação interfederativa Participação Fórum das Entidades Garantia do acesso Indicadores de acompanhamento

LEI Diretrizes Regime de colaboração articulação interfederativa Participação Fórum das Entidades Garantia do acesso Indicadores de acompanhamento PNE PME LEI Diretrizes Regime de colaboração articulação interfederativa Participação Fórum das Entidades Garantia do acesso Indicadores de acompanhamento locais e nacionais (prova Brasil e IDEB) 10% do

Leia mais

Cursos de Administração: qualidade necessária. XIV Fórum Internacional de Administração

Cursos de Administração: qualidade necessária. XIV Fórum Internacional de Administração Cursos de Administração: qualidade necessária XIV Fórum Internacional de Administração Rio de Janeiro, 18 de maio de 2015 ENSINAR, APRENDER, AVALIAR... TRAJETÓRIA DA AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO SUPERIOR CAPES avaliação

Leia mais

data PROJETO DE LEI N 8035/2010. 1 Supressiva 2. Substitutiva 3. Modificativa 4. Aditiva 5. Substitutivo global

data PROJETO DE LEI N 8035/2010. 1 Supressiva 2. Substitutiva 3. Modificativa 4. Aditiva 5. Substitutivo global Página Artigo: 6º Parágrafo: Único Inciso Alínea EMENDA MODIFICATIVA O parágrafo único do Artigo 6º do PL n 8035 de 2010, passa a ter a seguinte redação: Art. 6º... Parágrafo único. O Fórum Nacional de

Leia mais

EIXO IV QUALIDADE DA EDUCAÇÃO: DEMOCRATIZAÇÃO DO ACESSO, PERMANÊNCIA, AVALIAÇÃO, CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO E APRENDIZAGEM

EIXO IV QUALIDADE DA EDUCAÇÃO: DEMOCRATIZAÇÃO DO ACESSO, PERMANÊNCIA, AVALIAÇÃO, CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO E APRENDIZAGEM EIXO IV QUALIDADE DA EDUCAÇÃO: DEMOCRATIZAÇÃO DO ACESSO, PERMANÊNCIA, AVALIAÇÃO, CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO E APRENDIZAGEM PROPOSIÇÕES E ESTRATÉGIAS 1.2. Universalização do ensino fundamental de nove anos

Leia mais

2. DIAGNÓSTICO EDUCACIONAL FLORIANÓPOLIS

2. DIAGNÓSTICO EDUCACIONAL FLORIANÓPOLIS VERSÃO PRELIMINAR PME / 2015 1 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO INTRODUÇÃO 1. BASE LEGAL 2. DIAGNÓSTICO EDUCACIONAL FLORIANÓPOLIS 2.1. FLORIANÓPOLIS ASPECTOS HISTÓRICOS, GEOGRÁFICOS E SOCIOECONÔMICOS 2.2. EDUCAÇÃO

Leia mais

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 3 } 1. INTRODUÇÃO: PARQUE TECNOLÓGICO CAPITAL DIGITAL - PTCD Principal polo de desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação do Distrito Federal, o PTCD

Leia mais

Tendências do mercado brasileiro da graduação privada - EaD APE 63-08OUT14 - SALA 14 17:00/17:25

Tendências do mercado brasileiro da graduação privada - EaD APE 63-08OUT14 - SALA 14 17:00/17:25 Tendências do mercado brasileiro da graduação privada - EaD APE 63-08OUT14 - SALA 14 17:00/17:25 Tendências do Mercado Educacional - Sumário 1. Cenário prospectivo. 2. Apresentação do atual cenário mercadológico

Leia mais

8. Excelência no Ensino Superior

8. Excelência no Ensino Superior 8. Excelência no Ensino Superior PROGRAMA: 08 Órgão Responsável: Contextualização: Excelência no Ensino Superior Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - SETI O Programa busca,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep

Leia mais

Plano Nacional de Educação

Plano Nacional de Educação Plano Nacional de Educação Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação Brasília, 29 de novembro de 2012 Educação Infantil Meta 1 PNE: Universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para

Leia mais

Estrutura e Funcionamento da Educação Básica. Prof. Me. Fabio Fetz de Almeida

Estrutura e Funcionamento da Educação Básica. Prof. Me. Fabio Fetz de Almeida Estrutura e Funcionamento da Educação Básica Prof. Me. Fabio Fetz de Almeida Pauta da aula: (02-30) Educação Especial; Princípios da educação nacional; Análise dos dados referentes à Educação no Brasil;

Leia mais

Formulário de inscrição para Unidades Escolares:

Formulário de inscrição para Unidades Escolares: Presidência da República Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial Secretaria de Políticas de Ações Afirmativas 1. Contextualização: Formulário de inscrição para Unidades Escolares: a) Descreva

Leia mais

Contexto. Educação para o mundo do trabalho. Por Mozart Neves Ramos - Todos Pela Educação em 01/03/2013

Contexto. Educação para o mundo do trabalho. Por Mozart Neves Ramos - Todos Pela Educação em 01/03/2013 META NACIONAL 11 - Educação Profissional- Triplicar as matrículas da Educação Profissional Técnica de nível médio, assegurando a qualidade da oferta e pelo menos 50% da expansão no segmento público. Contexto

Leia mais

Mesa Redonda: PNE pra Valer!

Mesa Redonda: PNE pra Valer! Mesa Redonda: PNE pra Valer! Construindo o futuro ou reeditando o passado? Um esboço comparativo entre a Lei 10.172/2001 e o PL 8035/2010 Idevaldo da Silva Bodião Faculdade de Educação da UFC Comitê Ceará

Leia mais

Dossiê Ensino Fundamental no Brasil. Estudo para a construção do Plano Municipal de Educação de Palmas

Dossiê Ensino Fundamental no Brasil. Estudo para a construção do Plano Municipal de Educação de Palmas Estudo para a construção do Plano Municipal de Educação de Palmas Segundo substitutivo do PNE, apresentado pelo Deputado Angelo Vanhoni, Abril de 2012 Profa. Dra. Rosilene Lagares PPGE/PET PedPalmas Palmas,

Leia mais

Tema: Práticas Inovadoras de formação: caminhos e propostas dos cursos de graduação em Engenharia da Produção

Tema: Práticas Inovadoras de formação: caminhos e propostas dos cursos de graduação em Engenharia da Produção Tema: Práticas Inovadoras de formação: caminhos e propostas dos cursos de graduação em Engenharia da Produção XX Encontro Nacional de Coordenadores de Curso de Engenharia da Produção (ABEPRO) Rio de Janeiro,

Leia mais

Educação, Inovação e Competitividade. Alberto Rodriguez, Ph.D. Especialista Principal em Educação setembro de 2008

Educação, Inovação e Competitividade. Alberto Rodriguez, Ph.D. Especialista Principal em Educação setembro de 2008 Educação, Inovação e Competitividade Alberto Rodriguez, Ph.D. Especialista Principal em Educação setembro de 2008 Origem do estudo Por que alguns países têm excelente desempenho e outros têm fraco desempenho

Leia mais

Educação para o Desenvolvimento

Educação para o Desenvolvimento Educação para o Desenvolvimento FIESC Jornada pela Inovação e Competitividade Florianópolis, 19 de julho de 2012 gustavo.ioschpe@g7investimentos.com.br gioschpe A Educação no Brasil 74% da população brasileira

Leia mais

EDUCAÇÃO PARA TODOS DECLARAÇÃO DE COCHABAMBA

EDUCAÇÃO PARA TODOS DECLARAÇÃO DE COCHABAMBA BR/2001/PI/H/4 EDUCAÇÃO PARA TODOS DECLARAÇÃO DE COCHABAMBA Os Ministros da Educação da América Latina e do Caribe, reunidos a pedido da UNESCO, na VII Sessão do Comitê Intergovernamental Regional do Projeto

Leia mais

O Ensino a Distância nas diferentes Modalidades da Educação Básica

O Ensino a Distância nas diferentes Modalidades da Educação Básica O Ensino a Distância nas diferentes Modalidades da Educação Básica Francisco Aparecido Cordão Conselheiro da Câmara de Educação Básica do CNE facordao@uol.com.br 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16

Leia mais

Pronatec EJA: o Proeja no Pronatec

Pronatec EJA: o Proeja no Pronatec Pronatec EJA: o Proeja no Pronatec MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Anna Catharina da Costa Dantas dpept.setec@mec.gov.br Brasília/DF, 02 de julho de 2013. PNE 2011-2020:

Leia mais

Plano Nacional de Educação Oportunidades ou Ameaças?

Plano Nacional de Educação Oportunidades ou Ameaças? Plano Nacional de Educação Oportunidades ou Ameaças? Extrato do PL Art. 1º Fica aprovado o Plano Nacional de Educação - PNE, com vigência por 10 (dez) anos, a contar da aprovação desta Lei, na forma do

Leia mais

EIXO VI VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO: FORMAÇÃO, REMUNERAÇÃO, CARREIRA E CONDIÇÕES DE TRABALHO:

EIXO VI VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO: FORMAÇÃO, REMUNERAÇÃO, CARREIRA E CONDIÇÕES DE TRABALHO: EIXO VI VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO: FORMAÇÃO, REMUNERAÇÃO, CARREIRA E CONDIÇÕES DE TRABALHO: PROPOSIÇÕES E ESTRATÉGIAS 1. Profissionais da educação: formação inicial e continuada 1.1. Implantar

Leia mais

Síntese Usando o Conhecimento para o Desenvolvimento

Síntese Usando o Conhecimento para o Desenvolvimento Síntese Usando o Conhecimento para o Desenvolvimento A Experiência Brasileira Overview Using Knowledge for Development The Brazilian Experience As Sínteses constituem-se em excertos de publicações da OCDE.

Leia mais

Direitos Humanos - Direitos Econômicos e Sociais -

Direitos Humanos - Direitos Econômicos e Sociais - Direitos Humanos - Direitos Econômicos e Sociais - 1. Conceituação a) condição de pessoa como requisito único para ser titular de direitos humanos. b) dignidade humana. 2. Histórico Declaração americana

Leia mais

Education at a Glance 2011 OCDE Nota para o Brasil

Education at a Glance 2011 OCDE Nota para o Brasil Education at a Glance 2011 OCDE Nota para o Brasil Os governos prestam cada vez mais atenção às comparações internacionais, uma vez que procuram políticas públicas efetivas, capazes de melhorar os indicadores

Leia mais

Síntese. Políticas Agrícolas nos Países da OCDE

Síntese. Políticas Agrícolas nos Países da OCDE Síntese Políticas Agrícolas nos Países da OCDE Monitoramento e Avaliação 2002 Overview Agricultural Policies in OECD Countries - Monitoring and Evaluation 2002 As Sínteses constituem-se em excertos de

Leia mais

Políticas Públicas: Impactos na Formação em Engenharia. Silvia Costa Dutra Unisinos 2014

Políticas Públicas: Impactos na Formação em Engenharia. Silvia Costa Dutra Unisinos 2014 Políticas Públicas: Impactos na Formação em Engenharia Silvia Costa Dutra Unisinos 2014 Regatando o passado Avaliando o presente Pensando o futuro Formação em Engenharia: Alguns marcos Criação da ABENGE-

Leia mais

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO ATRIBUIÇÕES E PRAZOS INTERMEDIÁRIOS DA LEI Nº 13.005/2014

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO ATRIBUIÇÕES E PRAZOS INTERMEDIÁRIOS DA LEI Nº 13.005/2014 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO ATRIBUIÇÕES E PRAZOS INTERMEDIÁRIOS DA LEI Nº 13.005/2014 ANA VALESKA AMARAL GOMES E PAULO SENA Consultores Legislativos da Área XV Educação, Cultura e Desporto SETEMBRO/2014

Leia mais

Análise dos sistemas de educação superior no Brasil e em Portugal: o que apontam as políticas educacionais

Análise dos sistemas de educação superior no Brasil e em Portugal: o que apontam as políticas educacionais 1394 Análise dos sistemas de educação superior no Brasil e em Portugal: o que apontam as políticas educacionais X Salão de Iniciação Científica PUCRS Jonas Tarcisio Reis, Bolsista de Iniciação Científica

Leia mais

BR/2001/PI/H/3. Declaração das ONGs Educação para Todos Consulta Internacional de ONGS (CCNGO), Dakar, 25 de Abril de 2000

BR/2001/PI/H/3. Declaração das ONGs Educação para Todos Consulta Internacional de ONGS (CCNGO), Dakar, 25 de Abril de 2000 BR/2001/PI/H/3 Declaração das ONGs Educação para Todos Consulta Internacional de ONGS (CCNGO), Dakar, 25 de Abril de 2000 2001 Declaração das ONGs Educação para Todos Consulta Internacional de ONGS (CCNGO),

Leia mais

Cenários Transformadores para a Educação Básica no Brasil

Cenários Transformadores para a Educação Básica no Brasil RELATÓRIO FINAL Cenários Transformadores para a Educação Básica no Brasil Preparado pelo Instituto Reos JUNHO 2015 CONVOCADORES FINANCIADORES Capítulo 2 CONTEXTO DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA C2 17 CAPÍTULO 2

Leia mais

Relatório de País Brasil

Relatório de País Brasil Education at a Glance 2011 Indicadores da OECD DOI: http://dx.doi.org/10.1787/eag-2011-en OECD 2011 Sob embargo até 13 de setembro, 11h, horário de Paris Relatório de País Brasil Quaisquer dúvidas, contate:

Leia mais

INSAES Estratégia para fortalecimento do Estado Brasileiro no exercício de Regulação, Supervisão e Avaliação da Educação Superior (PL nº 4.

INSAES Estratégia para fortalecimento do Estado Brasileiro no exercício de Regulação, Supervisão e Avaliação da Educação Superior (PL nº 4. INSAES Estratégia para fortalecimento do Estado Brasileiro no exercício de Regulação, Supervisão e Avaliação da Educação Superior (PL nº 4.372/2012) Ministério Secretaria de Regulação e da Educação Supervisão

Leia mais

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 53/2006 FUNDO DE MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA E DE VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO (FUNDEB) Ary Jorge Advogado

Leia mais

SEMINÁRIOS TRANSDISCIPLINARES HISTÓRIA E PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO

SEMINÁRIOS TRANSDISCIPLINARES HISTÓRIA E PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO SEMINÁRIOS TRANSDISCIPLINARES HISTÓRIA E PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO AS PERSPECTIVAS POLÍTICAS PARA UM CURRÍCULO INTERDISCIPLINAR: DESAFIOS E POSSIBILIDADES Professor Doutor Carlos Henrique Carvalho Faculdade

Leia mais

A Engenharia e o Desenvolvimento Regional. Palestrante: Prof. Dr. Ivaldo Leão Ferreira Professor Adjunto II VEM/EEIMVR/UFF

A Engenharia e o Desenvolvimento Regional. Palestrante: Prof. Dr. Ivaldo Leão Ferreira Professor Adjunto II VEM/EEIMVR/UFF A Engenharia e o Desenvolvimento Regional A Engenharia e o Desenvolvimento Regional Resumo A importância da qualidade e diversidade na formação do corpo de engenheiros regionais e a integração da indústria

Leia mais

Plano Nacional. de Banda Larga. Brasília, 05 de maio de 2010

Plano Nacional. de Banda Larga. Brasília, 05 de maio de 2010 Plano Nacional de Banda Larga Brasília, 05 de maio de 2010 Sumário 1. Importância Estratégica 2. Diagnóstico 3. Objetivos e Metas 4. Ações 5. Investimento 6. Governança e Fórum Brasil Digital 2 1. Importância

Leia mais

PL 8035/2010 UMA POLÍTICA DE ESTADO. Plano Nacional de Educação 2011/2020. Maria de Fátima Bezerra. Deputada Federal PT/RN

PL 8035/2010 UMA POLÍTICA DE ESTADO. Plano Nacional de Educação 2011/2020. Maria de Fátima Bezerra. Deputada Federal PT/RN PL 8035/2010 Plano Nacional de Educação 2011/2020 UMA POLÍTICA DE ESTADO Maria de Fátima Bezerra Deputada Federal PT/RN Presidente da Comissão de Educação e Cultura da Câmara Federal O PNE foi construído

Leia mais

DOCUMENTO INFORMATIVO SOBRE O PROJETO (DIP) FASE DE AVALIAÇÃO 4 de novembro de 2013 Relatório Nº: AB7414

DOCUMENTO INFORMATIVO SOBRE O PROJETO (DIP) FASE DE AVALIAÇÃO 4 de novembro de 2013 Relatório Nº: AB7414 DOCUMENTO INFORMATIVO SOBRE O PROJETO (DIP) FASE DE AVALIAÇÃO 4 de novembro de 2013 Relatório Nº: AB7414 Nome da Operação Acre: Fortalecimento de Políticas Públicas para a Melhoria da Prestação de Serviços

Leia mais

AVALIAÇÃO E CREDENCIAMENT DA EDUCAÇÃO SUPERIOR NO BRASIL

AVALIAÇÃO E CREDENCIAMENT DA EDUCAÇÃO SUPERIOR NO BRASIL AVALIAÇÃO E CREDENCIAMENT DA EDUCAÇÃO SUPERIOR NO BRASIL LUCE, Maria-Beatriz (UFRGS, Porto Alegre, BR) MOROSINI, Marília (PUCRS, Porto Alegre, BR) Projeto ALFA-ACRO ACRO Introdução BRASIL território e

Leia mais

Ensino fundamenta - responsabilidade só dos Municípios?

Ensino fundamenta - responsabilidade só dos Municípios? Ensino fundamenta - responsabilidade só dos Municípios? O que prevê a legislação e qual tem sido a participação estadual, municipal e privada na oferta de educação básica no RJ? Nicholas Davies, prof.

Leia mais

Direitos Humanos - Direitos Econômicos e Sociais -

Direitos Humanos - Direitos Econômicos e Sociais - Direitos Humanos - Direitos Econômicos e Sociais - Apresentação Direitos sociais e econômicos Desafios Dados Distribuição renda Exemplo mundo Situação Brasil Conceituação a) condição de pessoa como requisito

Leia mais

PRONATEC: múltiplos arranjos e ações para ampliar o acesso à educação profissional

PRONATEC: múltiplos arranjos e ações para ampliar o acesso à educação profissional PRONATEC: múltiplos arranjos e ações para ampliar o acesso à educação profissional Martha Cassiolato e Ronaldo Coutinho Garcia Diretoria de Estudos e Políticas do Estado, Instituições e Democracia - Diest/

Leia mais

Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão SECADI/MEC Objetivo

Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão SECADI/MEC Objetivo Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão SECADI/MEC Objetivo Contribuir para o desenvolvimento inclusivo dos sistemas de ensino, voltado à valorização das diferenças e da

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO jun/15 GRUPO I META 1

AUDIÊNCIA PÚBLICA PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO jun/15 GRUPO I META 1 AUDIÊNCIA PÚBLICA PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO jun/15 GRUPO I META 1 Universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 4 (quatro) a 5 (cinco) anos de idade e ampliar a oferta

Leia mais

Política Nacional de Educação Infantil. Secretaria de Educação Básica Ministério da Educação

Política Nacional de Educação Infantil. Secretaria de Educação Básica Ministério da Educação Política Nacional de Educação Infantil Secretaria de Educação Básica Ministério da Educação Principais Marcos Normativos Constituição Federal - 1988 Lei de Diretrizes e Bases (LDB) - 1996 Estatuto da Criança

Leia mais

Caminho para melhorar a educação pública: Ontário, Canadá. 2 e 3 de setembro de 2015 São Paulo (SP), Brasil

Caminho para melhorar a educação pública: Ontário, Canadá. 2 e 3 de setembro de 2015 São Paulo (SP), Brasil Caminho para melhorar a educação pública: Ontário, Canadá 2 e 3 de setembro de 2015 São Paulo (SP), Brasil 2 Melhoramos a cada ano. As pessoas estão ficando mais inteligentes. Começamos a pensar que a

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS

PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS LEI Nº 1059, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2009. Dispõe sobre a Organização do Sistema Municipal de Ensino do Município de Pinhais e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE PINHAIS,, aprovou e eu, PREFEITO

Leia mais

Simon Schwartzman. A evolução da educação superior no Brasil diferenças de nível, gênero e idade.

Simon Schwartzman. A evolução da educação superior no Brasil diferenças de nível, gênero e idade. A educação de nível superior superior no Censo de 2010 Simon Schwartzman (julho de 2012) A evolução da educação superior no Brasil diferenças de nível, gênero e idade. Segundo os dados mais recentes, o

Leia mais

Luiz Roberto Liza Curi. Sociólogo / Doutor em Economia. Conselheiro Conselho Nacional de Educação - CNE incolarum@hotmail.com

Luiz Roberto Liza Curi. Sociólogo / Doutor em Economia. Conselheiro Conselho Nacional de Educação - CNE incolarum@hotmail.com Luiz Roberto Liza Curi Sociólogo / Doutor em Economia Conselheiro Conselho Nacional de Educação - CNE incolarum@hotmail.com 1 Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional 9394/96 Art. 8 A União, os Estados

Leia mais

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2010

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2010 1 CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2010 O Censo da Educação Superior, realizado anualmente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), constitui se em importante instrumento

Leia mais

A participação do Brasil em estudos e avaliações educacionais comparados internacionais

A participação do Brasil em estudos e avaliações educacionais comparados internacionais A participação do Brasil em estudos e avaliações educacionais comparados internacionais Maria Helena Guimarães de Castro (**) Na década de 90 e com maior intensidade a partir de 1995 o Brasil vem empreendendo

Leia mais

Plano Nacional de Educação. Senador José Pimentel (PT-CE) Relator

Plano Nacional de Educação. Senador José Pimentel (PT-CE) Relator Plano Nacional de Educação Senador José Pimentel (PT-CE) Relator Fortaleza, 30 de novembro de 2012 Meta 1 PNE: Universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 4 a 5 anos

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO DA LEI 9394/1996 E DA LEI 12.796/2013

ESTUDO COMPARATIVO DA LEI 9394/1996 E DA LEI 12.796/2013 ESTUDO COMPARATIVO DA LEI 9394/1996 E DA LEI 12.796/2013 1 Art. 3º. O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios: [...] Art. 3 O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios:

Leia mais

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA Disciplina: D 4.5 Sistema de Planejamento Federal (32h) (Caso 1: Plano de Monitoramento Global - Programa - Educação Profissional e Tecnológica) 12

Leia mais

Controle da Gestão Orçamentária e Financeira na Educação

Controle da Gestão Orçamentária e Financeira na Educação Controle da Gestão Orçamentária e Financeira na Educação PROFESSORA: Iza Angélica Carvalho da Silva CONTROLE DO GASTO PÚBLICO Controle é a fiscalização e o acompanhamento de todos os atos e fatos da execução

Leia mais

Luiz Roberto Liza Curi Conselheiro Conselho Nacional de Educação - CNE incolarum@hotmail.com

Luiz Roberto Liza Curi Conselheiro Conselho Nacional de Educação - CNE incolarum@hotmail.com Luiz Roberto Liza Curi Conselheiro Conselho Nacional de Educação - CNE incolarum@hotmail.com 1 Instâncias de Avaliação MEC CNE CONAES SERES INEP CTAA 2 Desafios da educação superior brasileira 1. Como

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais Especialização em Gestão Estratégica de Apresentação CAMPUS COMÉRCIO Inscrições Abertas Turma 02 --> Início Confirmado: 07/06/2013 últimas vagas até o dia: 05/07/2013 O curso de Especialização em Gestão

Leia mais

Os Cursos de Especialização Tecnológica Em Portugal Nuno Mangas

Os Cursos de Especialização Tecnológica Em Portugal Nuno Mangas Os Cursos de Especialização Tecnológica Em Portugal Nuno Mangas Fórum novo millenium Nuno Mangas Covilhã, 22 Setembro 2011 Índice 1 Contextualização 2 Os CET em Portugal 3 Considerações Finais 2 Contextualização

Leia mais

RELATÓRIO DA OFICINA DE PAÍSES FEDERATIVOS E DA AMÉRICA DO NORTE. (Apresentado pelo Brasil)

RELATÓRIO DA OFICINA DE PAÍSES FEDERATIVOS E DA AMÉRICA DO NORTE. (Apresentado pelo Brasil) TERCEIRA REUNIÃO DE MINISTROS E AUTORIDADES DE OEA/Ser.K/XXXVII.3 ALTO NÍVEL RESPONSÁVEIS PELAS POLÍTICAS DE REDMU-III/INF. 4/05 DESCENTRALIZAÇÃO, GOVERNO LOCAL E PARTICIPAÇÃO 28 outubro 2005 DO CIDADÃO

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS MARIA THEREZA E PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE

FACULDADES INTEGRADAS MARIA THEREZA E PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE FACULDADES INTEGRADAS MARIA THEREZA E PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE O PROGRAMA: Ciência sem Fronteiras é um programa que busca promover a consolidação, expansão e internacionalização

Leia mais

SEMINÁRIO: PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE PERNAMBUCO: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA

SEMINÁRIO: PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE PERNAMBUCO: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA SEMINÁRIO: PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE PERNAMBUCO: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA Período: 23 e 24 de fevereiro de 2015 Local: Centro de Educação e Centro de Artes e Comunicação CAC Fórum Estadual de Educação

Leia mais

V Encontro Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares

V Encontro Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares V Encontro Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares Programa Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares: uma política de apoio à gestão educacional Clélia Mara Santos Coordenadora-Geral

Leia mais

II - ANÁLISE PRELIMINAR DOS DADOS EDUCACIONAIS DE SERGIPE:

II - ANÁLISE PRELIMINAR DOS DADOS EDUCACIONAIS DE SERGIPE: EDUCAÇÃO INFANTIL I - META 1 DO PNE: Universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 4 (quatro) a 5 (cinco) anos de idade e ampliar a oferta de educação infantil em creches

Leia mais

mudanças qualitativas radicais na vida econômica, social e política das nações.

mudanças qualitativas radicais na vida econômica, social e política das nações. PRONUNCIAMENTO DO MINISTRO EDUARDO CAMPOS NA SOLENIDADE DE INSTALAÇÃO DA III ASSEMBLÉIA GERAL DA ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL DE PARLAMENTARES PARA A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (IPAIT), NA CÂMARA DOS DEPUTADOS,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 6.094, DE 24 DE ABRIL DE 2007. Dispõe sobre a implementação do Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação, pela União

Leia mais

Perspectivas da educação no Brasil Movimento Empresarial pela Inovação - MEI

Perspectivas da educação no Brasil Movimento Empresarial pela Inovação - MEI Perspectivas da educação no Brasil Movimento Empresarial pela Inovação - MEI Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação Educação Básica Política de expansão das creches e pré-escolas (Brasil Carinhoso)

Leia mais

5 Análise dos indicadores educacionais do Brasil

5 Análise dos indicadores educacionais do Brasil 5 Análise dos indicadores educacionais do Brasil A fome de instrução não é menos deprimente que a fome de alimentos. Um analfabeto é um espírito subalimentado. Saber ler e escrever, adquirir uma formação

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2606 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA PROCESSO DE SELEÇÃO - EDITAL Nº

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2606 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA PROCESSO DE SELEÇÃO - EDITAL Nº Impresso por: RODRIGO DIAS Data da impressão: 13/09/2013-17:59:14 SIGOEI - Sistema de Informações Gerenciais da OEI TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2606 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA PROCESSO DE SELEÇÃO - EDITAL

Leia mais

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1.374, DE 08 DE ABRIL DE 2003. Publicado no Diário Oficial nº 1.425. Dispõe sobre a Política Estadual de Educação Ambiental e adota outras providências. O Governador do Estado do Tocantins Faço

Leia mais