Resumos dos Trabalhos Apresentados

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Resumos dos Trabalhos Apresentados"

Transcrição

1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS ARARAQUARA ANAIS do 2º Seminário de Iniciação Científica IFSP Campus Araraquara 17 de outubro de 2013 (SNCT - Semana Nacional de Ciência e Tecnologia) Organização: Prof. Dr. Celio Caminaga CPI Coordenadoria de Pesquisa e Inovação Colaboração: Matheus Bossi Minale / Comissão SNCT Dione Cabral / Comissão SNCT Recepção e Acompanhamento: Prof. Dr. Edson Mulero Gruppioni Prof.ª Dra. Renata Maria Porto Vanni Prof.ª Dra. Andreia Raquel Simoni Revisão Ortográfica: Prof.ª Ma. Denise Elaine Emidio Resumos dos Trabalhos Apresentados Página 1 de 8

2 MODELOS DE PROCESSO DE DESIGN DE INTERFACE: ESTUDO DO DESIGN CENTRADO NA ATIVIDADE/TAREFA Franco, G. C. P. & Abib, J.C. Resumo: O Design Centrado nas Atividades é um modelo de processo de design para criação de interfaces de software baseado na análise e observação das atividades realizadas por um grupo de Usuários. Assim, o objetivo deste trabalho é apresentar os conceitos e as aplicações do Design Centrado nas Atividades ou nas Tarefas realizadas por um grupo de usuários para facilitar o entendimento do modelo e da escolha dentre os modelos de processo de design de interface existentes. Este trabalho faz parte de um projeto de iniciação científica que visa estudar modelos de processo de design de interface e compará-los aos modelos estudados. No projeto foram estudados os Modelos de Design Centrado no Humano, no Usuário, nas Atividades e nas Habilidades. Para a realização desse projeto foram feitas pesquisas em livros e materiais online. O material pesquisado representa o estado da arte do assunto deste trabalho. A próxima fase do projeto é levantar as principais informações de cada modelo, alguns pontos importantes para um bom design e realizar uma comparação entre os modelos estudados. Pode-se concluir que para desenvolver uma interface, não se deve utilizar somente um modelo, mas partes dos modelos existentes. A melhor alternativa é considerar as vantagens de cada modelo e aplicá-los caso a caso, de acordo com os objetivos e a forma mais adequada de interação que se deseja. Palavras-chave: Design de Interface, Interação Humano, Design centrado nas Tarefas. ANÁLISE COMPORTAMENTAL DO SISTEMA DE GERÊNCIA DE MEMÓRIA DO NÚCLEO DO LINUX Rodrigues, R. A. & Pereira Júnior, L. A. Resumo: Este trabalho tem o objetivo de analisar o comportamento dinâmico de faltas de páginas no sistema operacional Linux. O desenvolvimento constitui uma primeira fase na qual haverá instrumentação do núcleo (kernel) do Linux para viabilizar a coleta de dados empíricos correspondente à métricas (variáveis dependentes) de desempenho, relacionadas à gerência de memória. Em um segundo momento, experimentos serão executados. Esses experimentos têm a finalidade de expor o comportamento dinâmico do sistema, bem como explorar uma faixa de operação (variações na carga de trabalho) predeterminada. Por fim, será aplicado o método caixa-preta para a identificação do sistema, seguindo os procedimentos para escolha correta da estrutura e dos parâmetros do modelo escolhido. As contribuições do trabalho incluem (1) o conhecimento das estruturas internas de um sistema operacional de alto desempenho e (2) a prática na modelagem dinâmica de sistemas computacionais. Palavras-chave: Linux; gerência de memória; comportamento dinâmico do sistema; sistemas operacionais. Página 2 de 8

3 INTERAÇÃO POR TOQUE: UM ESTUDO DE CASO Barreto C.; Modena D.; Formenton M. & Abib, J. C. Resumo: A interação humano-computador (IHC) é a área interessada no projeto, na implementação e na avaliação de sistemas computacionais interativos para uso humano, juntamente com os fenômenos relacionados a esse uso. Interações que utilizam gestos, toques e sons são recomendados para que a troca de informações entre usuário-sistema seja mais natural. Assim, conhecer tecnologias com recursos de interação natural facilita o processo de design de interfaces e aumenta a sua usabilidade. Neste projeto de pesquisa são estudadas as formas de interação por toque, seu uso e teste da interação. Durante este projeto foi desenvolvido um jogo interativo para dispositivos móveis, com interação por toque. O jogo desenvolvido será validado através de testes de usabilidade e motivação, realizado com usuários. É importante destacar que formas naturais de interação são novidades na área de informática e os estudos nesta área estão em crescimento. Os materiais didáticos com conceitos e orientações ainda são escassos e este projeto permitirá divulgar formas e processos de desenvolvimento de aplicativos para dispositivos sensíveis ao toque. Ao final, espera-se que este estudo permita que aplicações que utilizem a interação por toque sejam desenvolvidas e testadas com base nos estudos apresentados, dessa forma, espera-se que o desenvolvimento de aplicações para outros dispositivos de interação por toque seja facilitada. Palavras-chave: jogo interativo; dispositivos móveis; interação por toque. SOFTWARE SERVIDOR PARA RECEBIMENTO SIMULTÂNEO DE IMAGENS EM UM SISTEMA DE MONITORAMENTO BASEADO EM CÂMERAS DE VÍDEO Tambasco, L. P. & Holanda, J. A. M. de Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo IFSP Campus Araraquara Resumo: O projeto tem o intuito de desenvolver um software servidor capaz de receber diversas imagens de câmeras de vídeo distintas e disponibilizá-las para um banco de dados de imagens utilizando a linguagem C. No decorrer deste projeto houve um estudo relacionado à biblioteca OpenCV, disponibilizada gratuitamente pela Intel; além de threads, sockets e redes. Esta pesquisa mostrou que para o desenvolvimento do software a biblioteca da Intel contribuirá com o entendimento de como as informações serão recebidas pelo software capaz de coletar imagens de câmeras tipo webcam. Ao passo que os threads, que permitem que um conjunto de tarefas possa ser executado simultaneamente e os sockets, que permitem a interligação e troca de dados entre aplicações, farão o papel de identificadores, determinando de qual câmera a imagem está sendo coletada. Dessa forma, essa informação será enviada corretamente para o banco de dados. O software servidor, capaz de receber imagens de uma câmera de vigilância, está sendo desenvolvido em linguagem C com o auxílio da biblioteca threads, a qual foi encontrada apenas para o sistema operacional Unix. Junto com este projeto, está sendo desenvolvido em paralelo um software que captura as imagens de uma câmera de vídeo que será transmitida para esse servidor. Pudemos concluir até o momento que a utilização de um software servidor, capaz de receber diversas imagens simultaneamente, traz uma melhoria no sistema de monitoramento e de armazenando correto das imagens transmitidas ao banco de dados. Palavras-chaves: software servidor; imagens de câmera de vídeo; linguagem C; threads. Página 3 de 8

4 REDES SOCIAIS: FERRAMENTAS PARA PRIVACIDADE Cocolete, V. E. & Vanni, R. M. P. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo Campus Araraquara Resumo: Com a grande quantidade de redes sociais disponibilizadas na Web, é preciso estar atento a fatores de segurança e privacidade. Isso porque é frequente a divulgação de roubos de número de documentos pessoais, de prática de cyber-bullying, de aplicação de golpes e de perseguições praticadas decorrentes da facilidade ao acesso de informações e ao compartilhamento delas com qualquer usuário on-line. Dessa forma, esta pesquisa de iniciação científica tem como objetivos: (a) analisar as ferramentas de privacidade disponibilizadas nas mídias e em redes sociais digitais mais utilizadas, como Facebook, LinkedIn e Twitter; e (b) propor alternativas de como personalizar a divulgação de informações pessoais nas mídias sociais, possibilitando assim, a prática de hábitos seguros entre os usuários para manter sua segurança e a sua integridade moral. Adotou-se como metodologia para este trabalho uma pesquisa de caráter investigativo entre as mídias avaliadas para fundamentação de conceitos e como resultado primário a criação de um cadastro para a utilização das três redes sociais, para que se pudesse investigar o comportamento dos usuários. O estágio atual da pesquisa encontra-se na avaliação de configuração de privacidade disponibilizada pelas redes sociais, verificando se as ferramentas para privacidade oferecem condições de proteger informações dos usuários e dar-lhes autonomia para escolher o que pode tornar-se público ou não. Palavras-chave: segurança; privacidade de informações; mídias; redes sociais digitais. INVESTIGAÇÕES DAS CRENÇAS DOCENTES NO PROJETO PIBID Petrucelli, G. C. B. & Lacerda Neto, J. C. N. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo Campus Araraquara Resumo: Este trabalho evidencia alguns aspectos envolvendo alunos do projeto PIBID (Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência), fomentado pela Capes e implantado no Instituto Federal de São Paulo (IFSP), no campus de Araraquara. Tal projeto visa estudar as crenças dos alunos do programa em questão verificando se esses apresentarão as mesmas crenças dos professores iniciantes que também participam do programa. Sabe-se que a identificação de crenças individuais é um processo muito complexo, no entanto, discussões sobre pesquisas em crenças e motivação convergem para um mesmo consenso: que os processos de ensino-aprendizagem levam-nos a estudar e a compreender variáveis externas, tais como, a situação social e o contexto em que esses alunos estão inseridos. No presente trabalho serão realizadas técnicas de levantamento de dados-observação. O propósito dessa técnica é trazer à tona a realidade vivenciada por esses alunos por meio de gestos, de atitudes simbólicas e verbais. Após as primeiras análises feitas mediante as observações realizadas, temos como conclusão que os alunos participantes do PIBID, no decorrer das atividades propostas e realizadas em escolas conveniadas com o IFSP/Araraquara, mostram terem diminuído os conflitos naturais com os professores iniciantes. Palavras-chave: alunos do projeto PIBID; crenças; professores iniciantes; diminuição de conflitos. Página 4 de 8

5 ENSINO DE CÁLCULO APOIADO POR RECURSOS COMPUTACIONAIS Brito Júnior, M. L. & Simoni, A. R. Resumo: A disciplina de Cálculo Diferencial e Integral foi implantada no Brasil pela primeira vez no século XIX, mas foi na década de 1970 que as dificuldades dos alunos e o nível de reprovação na disciplina começaram a ser objeto de estudo. A falta de recursos nesta época era muito grande e havia pouco material que explorasse o tema, isso, comparado à diversidade que encontramos hoje. Nessa mesma época, o computador começa a se popularizar no mundo ainda que timidamente. Passados 40 anos, podemos notar a evolução do acesso aos meios tecnológicos como notebooks, tablets, smartphones, e outros aparelhos eletrônicos. Sendo assim, essas ferramentas acabaram ganhando espaço nas universidades. O desafio deste trabalho, portanto, é fazer o uso dessas tecnologias no entendimento das definições de alguns conceitos que constroem a disciplina de Cálculo Diferencial e Integral. Para isso selecionamos o GeoGebra por ser um software de fácil manipulação, de acesso livre e de estar disponível para diversos sistemas operacionais. Através de sua utilização serão desenvolvidas algumas atividades que estimulem a exploração e o entendimento dos conceitos teóricos do Cálculo Diferencial e Integral através da manipulação gráfica. Esperamos, com isso, que os alunos sejam capazes de compreender melhor conceitos, muitas vezes, abstratos dessa disciplina e, dessa forma, possam fazer suas próprias conjecturas. Palavras-Chave: ensino de cálculo, GeoGebra, limites, derivadas. ANÁLISE DE DADOS VIBRATÓRIOS UTILIZANDO INTEGRAL DE CHOQUET PARA DEFINIÇÃO DE TOPOLOGIA DE SOLOS Leite, T. P. P.¹; Bonacini, L.¹; Mamede, W. F.² & Mamede, A. L.² ¹ ²Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de São Paulo Campus São Paulo Resumo: Atualmente, a agricultura de precisão tem se tornado de suma importância para o a economia no mundo (GRIFT et al.,2008). Para isso, está sendo projetado um robô agrícola autônomo, chamado AGRIBOT, pela Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo (EESC-USP), em parceria com a Unidade de Instrumentação da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Instrumentação) e com a empresa Máquinas Agrícolas Jacto S.A. Para que esse robô seja completamente autônomo, é indispensável um sensoriamento extenso e muito preciso, fatores que constituem o tema central deste projeto. Um robô trafegando em um ambiente qualquer, pode depararse com diferentes tipos de terrenos, tais como asfalto, grama, areia, cascalhos, portanto, é importante que esses tipos de terrenos sejam identificados, prevenindo incidentes. Para que esse tipo de sensoriamento ocorra, é necessário que a vibração no chassis do robô esteja pautada ao terreno em que se trafega. Isso pode ser feito, através de um acelerômetro, o qual consegue captar essas diferenças. Esse sensor é acoplado na estrutura de um protótipo, um robozinho movimentado através de controle remoto, nomeado como RAFABOT2. Com os dados obtidos será feita a mineração desses dados, via software, utilizando cálculos estatísticos de distâncias, como a Integral de Choquet e a Distância de Mahalanobis, e, porseguinte, a comparação deles. Palavras-chave: robô AGRIBOT; acelerômetro; RAFABOT2; Integral de Choquet; Distância de Mahalanobis. Página 5 de 8

6 ANÁLISE DINÂMICA DE DADOS DE UM ROBÔ AUTÔNOMO PARA DEFINIÇÃO DE TOPOLOGIA DO SOLO Bonacini, L.¹; Leite, T. P. P.¹ & Mamede, W. F.² ¹ ²Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de São Paulo Campus São Paulo Resumo: Um robô móvel autônomo, movendo-se em um ambiente aberto, pode deparar-se com vários tipos de terrenos, tais como, plano, acidentado ou inclinado. Portanto, é necessária a aplicação de recursos específicos de locomoção, como, por exemplo, torque e velocidade para que o robô possa locomover-se sem problemas. Se um robô autônomo conhecer as propriedades do terreno, isso pode minimizar o risco de incidentes, chamado riscos não geométricos (WILCOX, 1994). Para que isso seja possível, o desenvolvimento de uma rotina, que captura o sinal de aceleração através de tecnologia embarcada, se faz necessário, juntamente com a aplicação de um cálculo estatístico, que resulta em uma medida, chamado Distância de Malahanobis. Os resultados obtidos são tratados via software e comparados com outros métodos, para que assim seja feita a distinção do solo em que se trafega. Palavras-Chaves: robô móvel autônomo; riscos não geométricos; Distância de Malahanobis. SISTEMA DE ALARME DE VAZAMENTO HIDRÁULICO Alonso, S. F. S.; Gruppioni, E. M. Resumo: Vazamentos nas linhas hidráulicas residenciais, públicas e industriais são frequentes quando a instalação ou a manutenção são realizadas de forma inadequada. No entanto, outros fatores como a movimentação do terreno, a expansão térmica de paredes ou de pavimentos, a quantidade excessiva de cargas sobre um pavimento podem, também, ocasionar vazamentos. Em geral, os vazamentos são notados quando são aparentes, ao minar água sobre uma superfície ou quando o usuário recebe a conta do débito do consumo, a qual, muitas vezes, implica em aumento significativo do débito mensal. Um sistema conectado à linha hidráulica para medição de vazão torna-se viável para alertar quando o consumo está demasiado, avisando ao usuário em tempo suficiente de identificar o ponto de vazamento, reparar o problema e evitar o aumento exagerado do consumo de água. Para que esse aviso seja emitido um protótipo de um sistema de alarme de vazamento, baseado na medição de vazão em um ou mais pontos da linha hidráulica, será desenvolvido. Dessa forma, a vazão medida em um determinado período será analisada e um alarme será emitido quando houver um aumento significativo de vazão. Para que este objetivo seja alcançado, serão utilizados uma placa de microprocessador, uma bancada de fluidos, equipamentos de medição e um hidrômetro instrumentado. Espera-se que esta pesquisa desperte no pesquisador o interesse pelo estudo de sensores de vazão, pelo tratamento, pela análise e pela transmissão de dados, analogamente o desenvolvimento de um sistema de alarme para alertar o alto consumo de água. Palavras-chave: vazamento de água; aumento da vazão; sistema de alarme. Página 6 de 8

7 PROJETO DE SONDAS DE MEDIÇÃO PARA SISTEMAS CAD/CAM Casellato, L. & Ferraz, A. M. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo Campus Araraquara Resumo: Apesar dos avanços tecnológicos, a concepção de um produto desde o processo de fabricação continua sendo problemática. Rotineiramente os problemas são descobertos na aplicação do produto em variações dimensionais de forma e de textura, momento, quando o desenho técnico apresenta sua tolerância. Para detectar essas variações, será utilizado o controle com o modelo CAD disponível comparando os pontos de coordenadas cartesianas que serão medidos sobre superfícies. O objetivo da tecnologia de medição por coordenadas (MMC), feito por sonda Tough Trigger, e o desenvolvimento sistemático e automatizado de medição de diâmetros internos, feito por sistemas inteligentes de projeto auxiliados por computador CAD/CAM, são de grande importância e possuem diversas aplicações nas indústrias. Essas empresas se beneficiariam ao buscarem um aumento da qualidade e um aumento de produtividade com garantia na medição de peças de geometria complexa e de formas livres. Baseado em um amplo estudo sobre o tema, contando com estatística e mecânica para a tecnologia já existente no mercado, inovou-se com implementações e com o desenvolvimento de uma solução para verificação rápida conhecida internacionalmente por interim checks (verificação em ensaios simples e de forma mais rápida que a calibração). Essas atitudes possibilitam que as pequenas e médias empresas também possam fazer investimentos, aumentando a sua produção. Essa sistemática tem como finalidade solucionar fontes de erros de medição por coordenadas e ser de fácil aplicação em qualquer empresa. Dessa forma, espera-se obter resultados eficazes para que as empresas, através da melhoria do processo de medição, possam aumentar a sua produção. Palavras-chave: variações dimensionais; modelo CAD; sonda Tough Trigger; computador CAD/CAM. PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DE UMA PLATAFORMA EXPERIMENTAL DE UM VEÍCULO AÉREO NÃO TRIPULADO Bonavina, P. S. 1 & Moraes, F. H. 1,2 1 2 Universidade de São Paulo Campus São Carlos Resumo: Atualmente serviços de vigilância militar, análise de topografia de terrenos, fotografias aéreas, controle de desmatamento são realizados por Veículos Aéreos Não Tripulados (VANT), os quais podem ser definidos como qualquer tipo de aeronave que não necessita de pilotos embarcados para ser guiada. Esses aviões são controlados à distância, por meios eletrônicos e computacionais, sob a supervisão e o comando de humanos, ou sem a sua intervenção, por meio de Controladores Lógicos Programáveis (CLP). Essa pesquisa visa projetar e construir uma aeronave não tripulada para servir de plataforma para futuros estudos de posicionamento por GPS, voos autônomos, programação de rotas com o auxílio de CLP, sensoriamento e estudos relacionados à robótica móvel. Um protótipo já foi construído, é uma aeronave com a configuração de asa alta, maciça em isopor de alta densidade P3 com perfil simétrico e diedro nas pontas. Na fuselagem foram utilizados depron de 5 mm e entelado com termoplástico. O trem de pouso é do tipo quilha, o qual eliminou o peso do trem de pouso tradicional. Para seu funcionamento, foram utilizadas uma bateria de Lítio Polímero de 1300 mah, um motor elétrico sem escovas CF2822 com capacidade de empuxo de 8N com configuração trator. Assim, o motor é posicionado na frente da aeronave e utiliza um controle de velocidade eletrônico de 25A. Página 7 de 8

8 Foram realizados oito testes de voo; cinco para o ajuste do centro de gravidade do protótipo e três utilizando uma micro câmera a qual realizou a gravação e registro dos voos. Palavras-chave: Veículos Aéreos Não Tripulados; Controladores Lógicos Programáveis; protótipo; gravação e registro dos voos. MEDIÇÃO E ANÁLISE DE PEÇAS EM POLIURETANO Silva, L. B.; Gruppioni, E. M. Resumo: As máquinas atualmente estão cada vez mais utilizando peças poliméricas, tais como plásticos e borrachas, em sua composição. Dentre estes materiais destaca-se o poliuretano, que é um material polimérico com uma vasta aplicação na indústria e na área de transporte. Isso, porque, ele substitui diversos materiais metálicos, além de possuir grandes vantagens em relação ao peso, custo e manutenção. Um exemplo de sua aplicação é em máquinas agrícolas, como, por exemplo, as roçadeiras. Este projeto, portanto, visa estudar a aplicação de peças em poliuretano em diversos maquinários e dispositivos. Para este estudo, serão realizados ensaios mecânicos e medições em peças e corpos de prova a fim de caracterizar a utilização crescente desse material. Espera-se que este projeto possa contribuir para o que o pesquisador estude as normas técnicas, os procedimentos laboratoriais, realize pesquisas e conheça diferentes tipos de materiais. Palavras-chave: máquinas; peças poliméricas; poliuretano; ensaios mecânicos. SOFTWARE PARA ARMAZENAMENTO SIMULTÂNEO DE SEQUÊNCIAS DE IMAGENS EM UM SISTEMA DE MONITORAMENTO BASEADO EM CÂMERAS. Lavítola, H.; Rossi, E. G. & Holanda, J. A. M. Resumo: Recentes investimentos no desenvolvimento de sistemas de monitoramento baseados em câmeras de vídeo têm como principal objetivo o aprimoramento e a adição de inteligência à captura e ao processamento de imagens. Além de torná-los mais seguros e eficazes, muitos desses equipamentos têm implementado técnicas, como, por exemplo, detecção de movimentos, para proporcionar um monitoramento mais automatizado e mais eficiente do ambiente. Tais tarefas são geralmente atribuídas a um servidor, que capta os dados transmitidos pelas câmeras e implementa rotinas de software eficientes para lidar com essa grande quantidade de informações em tempo real. Dentro desse contexto, este projeto tem o objetivo de desenvolver um software que irá receber, de forma simultânea, sequências de imagens transmitidas por várias câmeras em um sistema de monitoramento e, ao mesmo tempo, armazená-las em um formato apropriado em um servidor de vídeos. Como resultado, o software desenvolvido no projeto já captura quadros da webcam principal e os armazena em um diretório, juntamente com o arquivo que contém as informações de temporização de todos os quadros capturados. Para concluir o projeto, algumas etapas ainda serão realizadas. Dentre elas, tornar possível armazenar em um banco de dados as imagens capturadas e desenvolver outro aplicativo que traduza o arquivo de texto contendo o tempo de cada quadro e os converta em vídeo. Palavras-chave: sistemas de monitoramento; câmeras de vídeo; software; banco de dados. Página 8 de 8

Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência

Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência O princípio de transmissão de dados de telemetria por rádio freqüência proporciona praticidade, agilidade,

Leia mais

Fundamentos da Informática

Fundamentos da Informática 1 PROCESSAMENTO DE DADOS I - FUNDAMENTOS A) CONCEITO DE INFORMÁTICA - é a ciência que estuda o tratamento automático e racional da informação. B) PROCESSAMENTO DE DADOS 1) Conceito Processamento de dados

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. Profª Danielle Casillo

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. Profª Danielle Casillo UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Profª Danielle Casillo Nome: Automação e Controle Créditos: 4 60 horas Período: 2010.2 Horário: quartas e sextas das 20:40 às 22:20

Leia mais

PARA QUE SERVE O QUADRICOPTERO SIRIUS SD4:

PARA QUE SERVE O QUADRICOPTERO SIRIUS SD4: Skydrones, nova empresa gaucha de aviônica, que atua no desenvolvimento de microvants veículos aéreos não tripulados, testa seu protótipo SIRIUS SD4, com novo sistema de telemetria. O produto estará pronto

Leia mais

Visão computacional no reconhecimento de formas e objetos

Visão computacional no reconhecimento de formas e objetos Visão computacional no reconhecimento de formas e objetos Paula Rayane Mota Costa Pereira*, Josemar Rodrigues de Souza**, Resumo * Bolsista de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia SENAI CIMATEC,

Leia mais

11/3/2009. Software. Sistemas de Informação. Software. Software. A Construção de um programa de computador. A Construção de um programa de computador

11/3/2009. Software. Sistemas de Informação. Software. Software. A Construção de um programa de computador. A Construção de um programa de computador Sistemas de Informação Prof. Anderson D. Moura Um programa de computador é composto por uma seqüência de instruções, que é interpretada e executada por um processador ou por uma máquina virtual. Em um

Leia mais

LISTA DOS CONTEMPLADOS COM BOLSAS PIBIC E PIBITI/CNPq 2012/2013

LISTA DOS CONTEMPLADOS COM BOLSAS PIBIC E PIBITI/CNPq 2012/2013 LISTA DOS CONTEMPLADOS COM BOLSAS PIBIC E PIBITI/CNPq 2012/2013 Solicita-se aos orientadores que enviem o mais breve possível ao coordenador de pesquisa de seu campus os dados do aluno bolsista para cadastramento

Leia mais

Projeto de controle e Automação de Antena

Projeto de controle e Automação de Antena Projeto de controle e Automação de Antena Wallyson Ferreira Resumo expandido de Iniciação Tecnológica PUC-Campinas RA: 13015375 Lattes: K4894092P0 wallysonbueno@gmail.com Omar C. Branquinho Sistemas de

Leia mais

O que são sistemas supervisórios?

O que são sistemas supervisórios? O que são sistemas supervisórios? Ana Paula Gonçalves da Silva, Marcelo Salvador ana-paula@elipse.com.br, marcelo@elipse.com.br RT 025.04 Criado: 10/09/2004 Atualizado: 20/12/2005 Palavras-chave: sistemas

Leia mais

Motivação e Aplicações em C&T

Motivação e Aplicações em C&T Escola de Ciências e Tecnologia UFRN Motivação e Aplicações em C&T Aquiles Burlamaqui Nélio Cacho Luiz Eduardo Eduardo Aranha ECT1103 INFORMÁTICA FUNDAMENTAL Manter o telefone celular sempre desligado/silencioso

Leia mais

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas IW10 Rev.: 02 Especificações Técnicas Sumário 1. INTRODUÇÃO... 1 2. COMPOSIÇÃO DO IW10... 2 2.1 Placa Principal... 2 2.2 Módulos de Sensores... 5 3. APLICAÇÕES... 6 3.1 Monitoramento Local... 7 3.2 Monitoramento

Leia mais

VANT O Uso na Agricultura de Precisão

VANT O Uso na Agricultura de Precisão VANT O Uso na Agricultura de Precisão Conceituação De acordo com acircular de Informações Aeronáuticas AIC N21/10, do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), define que: É um veículo aéreo projetado

Leia mais

TÍTULO: EMBALADORA DE TABULEIROS DE DAMAS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA: ENGENHARIAS

TÍTULO: EMBALADORA DE TABULEIROS DE DAMAS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA: ENGENHARIAS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: EMBALADORA DE TABULEIROS DE DAMAS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA:

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS MISSÃO DO CURSO A concepção do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas está alinhada a essas novas demandas

Leia mais

Detecção de vazamentos na rede urbana de água com rede de sensores sem fio

Detecção de vazamentos na rede urbana de água com rede de sensores sem fio Detecção de vazamentos na rede urbana de água com rede de sensores sem fio Igo Romero Costa de Souza 1, Icaro Ramires Costa de Souza 1, Mailson Sousa Couto 1 1 Instituto Federal da Bahia (IFBA) - Campus

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC MONSENHOR ANTONIO MAGLIANO Código: 088 Município: Garça Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de

Leia mais

CIRCUITO BÁSICO DE UM SISTEMA ELETRÔNICO PARA AVALIAÇÃO DE EQUILÍBRIO DINÂMICO DE TRATORES AGRÍCOLAS

CIRCUITO BÁSICO DE UM SISTEMA ELETRÔNICO PARA AVALIAÇÃO DE EQUILÍBRIO DINÂMICO DE TRATORES AGRÍCOLAS CIRCUITO BÁSICO DE UM SISTEMA ELETRÔNICO PARA AVALIAÇÃO DE EQUILÍBRIO DINÂMICO DE TRATORES AGRÍCOLAS Matheus Daniel de Souza Luciano 1, João Eduardo Guarnetti dos Santos 2, José Ângelo Cagnon 3, André

Leia mais

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid)

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Sistemas Distribuídos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência

Leia mais

Introdução a Computação Móvel

Introdução a Computação Móvel Introdução a Computação Móvel Computação Móvel Prof. Me. Adauto Mendes adauto.inatel@gmail.com Histórico Em 1947 alguns engenheiros resolveram mudar o rumo da história da telefonia. Pensando em uma maneira

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC MONSENHOR ANTONIO MAGLIANO Código: 088 Município: Garça Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de

Leia mais

Hardware (Nível 0) Organização. Interface de Máquina (IM) Interface Interna de Microprogramação (IIMP)

Hardware (Nível 0) Organização. Interface de Máquina (IM) Interface Interna de Microprogramação (IIMP) Hardware (Nível 0) Organização O AS/400 isola os usuários das características do hardware através de uma arquitetura de camadas. Vários modelos da família AS/400 de computadores de médio porte estão disponíveis,

Leia mais

SOLUÇÕES EM METROLOGIA SCANNER CMM 3D PARA APLICAÇÕES INDUSTRIAIS

SOLUÇÕES EM METROLOGIA SCANNER CMM 3D PARA APLICAÇÕES INDUSTRIAIS SOLUÇÕES EM METROLOGIA SCANNER CMM 3D PARA APLICAÇÕES INDUSTRIAIS TRUsimplicity TM MEDIÇÃO MAIS FÁCIL E RÁPIDA PORTÁTIL E SEM SUPORTE. MOVIMENTAÇÃO LIVRE AO REDOR DA PEÇA USO FACILITADO. INSTALAÇÃO EM

Leia mais

Da Prancheta ao Computador...

Da Prancheta ao Computador... Da Prancheta ao Computador... Introdução Como necessidade básica de se localizar ou mesmo para detalhar projetos de quaisquer obras, ao longo do tempo inúmeras formas de representar paisagens e idéias

Leia mais

Controladores Lógicos Programáveis (CLPs)

Controladores Lógicos Programáveis (CLPs) Controladores Lógicos Programáveis (CLPs) A UU L AL A Uma empresa fabrica clipes em três tamanhos: grande, médio e pequeno. Seus clientes consomem os produtos dos três tamanhos, mas a empresa nunca conseguiu

Leia mais

UNED-CUBATÃO 2008. Conhecimentos básicosb Automação Industrial

UNED-CUBATÃO 2008. Conhecimentos básicosb Automação Industrial CEFET-SP UNED-CUBATÃO 2008 Conhecimentos básicosb de Automação Industrial J. Caruso - 2008 Definições Automação é um sistema de equipamentos eletrônicos e/ou mecânicos que controlam seu próprio funcionamento,

Leia mais

Computação Instrumental

Computação Instrumental Computação Instrumental Sistemas Operacionais Redes de Computadores Engenharia Ambiental 2º Semestre de 2013 1 Software Hardware O Sistema Operacional (SO) é um software que gerencia os recursos do computador,

Leia mais

Comandos Eletro-eletrônicos SENSORES

Comandos Eletro-eletrônicos SENSORES Comandos Eletro-eletrônicos SENSORES Prof. Roberto Leal Sensores Dispositivo capaz de detectar sinais ou de receber estímulos de natureza física (tais como calor, pressão, vibração, velocidade, etc.),

Leia mais

FlightRoutes: aplicativo para geração de rotas georreferenciadas para VANTs

FlightRoutes: aplicativo para geração de rotas georreferenciadas para VANTs FlightRoutes: aplicativo para geração de rotas georreferenciadas para VANTs Jaqson Dalbosco 1, Willingthon Pavan 1, José Maurício Fernandes 2, Isaías Santoro Moretto 1, Vinícius Andrei Cerbaro 1, Rafael

Leia mais

ONEPROD MVX. Manutenção condicional online para máquinas críticas. Brand of ACOEM

ONEPROD MVX. Manutenção condicional online para máquinas críticas. Brand of ACOEM ONEPROD MVX Manutenção condicional online para máquinas críticas Brand of ACOEM O ONEPROD MVX é um sistema de monitoramento em tempo real multicanais, criado para a confiabilidade das máquinas industriais

Leia mais

Índice. 1. Introdução. 3. 2. Glossário...4. 3. Conceito... 5. 4. Vantagens da Assistência GPS...5. 5. Funcionamento da Assistência GPS...

Índice. 1. Introdução. 3. 2. Glossário...4. 3. Conceito... 5. 4. Vantagens da Assistência GPS...5. 5. Funcionamento da Assistência GPS... DMI_AUTO06_20JUL2015 GUIA DA ASSISTÊNCIA GPS Índice 1. Introdução. 3 2. Glossário.....4 3. Conceito.... 5 4. Vantagens da Assistência GPS....5 5. Funcionamento da Assistência GPS.... 5 6. Tratamento de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL PERFIL 3001 - Válido para os alunos ingressos a partir de 2002.1 Disciplinas Obrigatórias Ciclo Geral Prát IF668 Introdução à Computação 1 2 2 45 MA530 Cálculo para Computação 5 0 5 75 MA531 Álgebra Vetorial

Leia mais

Sistema Operacional Correção - Exercício de Revisão

Sistema Operacional Correção - Exercício de Revisão Prof. Kleber Rovai 1º TSI 22/03/2012 Sistema Operacional Correção - Exercício de Revisão 1. Como seria utilizar um computador sem um sistema operacional? Quais são suas duas principais funções? Não funcionaria.

Leia mais

UniRitter tecnológica: integrando Engenharias para desenvolvimento de um robô humanoide

UniRitter tecnológica: integrando Engenharias para desenvolvimento de um robô humanoide - SEPesq UniRitter tecnológica: integrando Engenharias para desenvolvimento de um robô humanoide 1. Introdução Diego Augusto de Jesus Pacheco Giovani Geremia Segundo Vargas (2012) é perceptível que uma

Leia mais

SEMANA NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA 2014 FORMULÁRIO PARA SUBMISSÃO DE PROJETOS

SEMANA NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA 2014 FORMULÁRIO PARA SUBMISSÃO DE PROJETOS SEMANA NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA 2014 FORMULÁRIO PARA SUBMISSÃO DE PROJETOS Formulário para submissão de projeto Dados do Projeto e do (a) Orientador (a) do Projeto Título do Projeto: Um aplicativo

Leia mais

EXPERIÊNCIAS OPERACIONAIS PÓS-IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE CONTROLE DE TRÁFEGO EM ÁREA DE FORTALEZA - CTAFOR

EXPERIÊNCIAS OPERACIONAIS PÓS-IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE CONTROLE DE TRÁFEGO EM ÁREA DE FORTALEZA - CTAFOR EXPERIÊNCIAS OPERACIONAIS PÓS-IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE CONTROLE DE TRÁFEGO EM ÁREA DE FORTALEZA - CTAFOR Marcus Vinicius Teixeira de Oliveira Marcos José Timbó Lima Gomes Hamifrancy Brito Meneses Waldemiro

Leia mais

CURSOS TÉCNICOS 1º SEMESTRE/2013

CURSOS TÉCNICOS 1º SEMESTRE/2013 CURSOS TÉCNICOS 1º SEMESTRE/2013 NOVEMBRO/2012 1) CURSOS OFERTADOS: Automação Industrial Eletrônica Eletrotécnica* Informática Informática para Internet* Mecânica* Química* Segurança do Trabalho* * Cursos

Leia mais

Princípios de Tecnologia e Sistemas de Informação (PTSI) Eduardo Ribeiro Felipe erfelipe@yahoo.com.br

Princípios de Tecnologia e Sistemas de Informação (PTSI) Eduardo Ribeiro Felipe erfelipe@yahoo.com.br Princípios de Tecnologia e Sistemas de Informação (PTSI) Eduardo Ribeiro Felipe erfelipe@yahoo.com.br Hardware Processo Informação Codificação Armazenamento Decodificação Informação Modelo computacional

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA. Automação residencial utilizando dispositivos móveis e microcontroladores.

PROJETO DE PESQUISA. Automação residencial utilizando dispositivos móveis e microcontroladores. PROJETO DE PESQUISA 1. Título do projeto Automação residencial utilizando dispositivos móveis e microcontroladores. 2. Questão ou problema identificado Controlar remotamente luminárias, tomadas e acesso

Leia mais

PLATAFORMA URBANMOB Aplicativo para captura de trajetórias urbanas de objetos móveis

PLATAFORMA URBANMOB Aplicativo para captura de trajetórias urbanas de objetos móveis PLATAFORMA URBANMOB Aplicativo para captura de trajetórias urbanas de objetos móveis Gabriel Galvão da Gama 1 ; Reginaldo Rubens da Silva 2 ; Angelo Augusto Frozza 3 RESUMO Este artigo descreve um projeto

Leia mais

Fundamentos de Automação. Controladores

Fundamentos de Automação. Controladores Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Fundamentos de Automação Controladores

Leia mais

C.P.F. DOS ENVOLVIDOS: 105111179-06 085997089-29 093745209-23 KRIO. A integração entre a tecnologia e a comunicação para Jovens Aprendizes

C.P.F. DOS ENVOLVIDOS: 105111179-06 085997089-29 093745209-23 KRIO. A integração entre a tecnologia e a comunicação para Jovens Aprendizes C.P.F. DOS ENVOLVIDOS: 105111179-06 085997089-29 093745209-23 KRIO A integração entre a tecnologia e a comunicação para Jovens Aprendizes FLORIANÓPOLIS 2014 2 RESUMO: O projeto apresentado é resultado

Leia mais

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Aula 4 Introdução aos Sistemas Biométricos 1. Identificação, Autenticação e Controle

Leia mais

Estudo de Caso. O Fator Wow! : Um Exemplo Perfeito do Uso de Analítica de Negócios e Computação em Nuvem para Criar Valor de Negócios

Estudo de Caso. O Fator Wow! : Um Exemplo Perfeito do Uso de Analítica de Negócios e Computação em Nuvem para Criar Valor de Negócios Estudo de Caso O Fator Wow! : Um Exemplo Perfeito do Uso de Analítica de Negócios Introdução Este Estudo de Caso é sobre como uma corporação (IBM) encontrou uma maneira de extrair valor de negócios adicional

Leia mais

Reparador de Circuitos Eletrônicos

Reparador de Circuitos Eletrônicos Reparador de Circuitos Eletrônicos O Curso de Reparador de Circuitos Eletrônicos tem por objetivo o desenvolvimento de competências relativas a princípios e leis que regem o funcionamento e a reparação

Leia mais

PROTÓTIPO DE UM SISTEMA DE RASTREAMENTO PARA COMPUTADORES

PROTÓTIPO DE UM SISTEMA DE RASTREAMENTO PARA COMPUTADORES UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROTÓTIPO DE UM SISTEMA DE RASTREAMENTO PARA COMPUTADORES Bárbara Dias Pereira Prof. Miguel Alexandre Wisintainer, Orientador ROTEIRO DA

Leia mais

Implementação de um servidor Proxy com autenticação para o controle de tráfego de rede com o aplicativo SQUID em um Servidor Linux no Pólo de Touros

Implementação de um servidor Proxy com autenticação para o controle de tráfego de rede com o aplicativo SQUID em um Servidor Linux no Pólo de Touros UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ - EAJ CURSO TÉCNICO DE INFORMÁTICA Projeto das Disciplinas de Sistemas Operacionais de Redes e Projeto de Redes Implementação de um

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Automação Industrial. Curso Superior de Tecnologia em Construção Naval

Curso Superior de Tecnologia em Automação Industrial. Curso Superior de Tecnologia em Construção Naval Automação Industrial Indústria O Tecnólogo em Automação Industrial é um profissional a serviço da modernização das técnicas de produção utilizadas no setor industrial, atuando na execução de projetos,

Leia mais

Veículos Aéreos Não Tripulados (VANTs) no contexto do monitoramento agrícola Lúcio André de Castro Jorge

Veículos Aéreos Não Tripulados (VANTs) no contexto do monitoramento agrícola Lúcio André de Castro Jorge Veículos Aéreos Não Tripulados (VANTs) no contexto do monitoramento agrícola Lúcio André de Castro Jorge lacjorge@gmail.com VANTS NA AGRICULTURA Vantagens sobre aeronaves convencionais e satélites Custo

Leia mais

Introdução à Engenharia de Automação

Introdução à Engenharia de Automação Introdução à Engenharia de Automação 1 A automação em nossas vidas Objetivo: Facilitar nossas vidas Automação no dia-a-dia Em casa: Lavando roupa Abrindo o portão Lavando louça Na rua: Sacando dinheiro

Leia mais

Desenho Técnico Fundamentos do desenho técnico; Construções geométricas; Desenho eletroeletrônico;

Desenho Técnico Fundamentos do desenho técnico; Construções geométricas; Desenho eletroeletrônico; EMENTA DE CONTEÚDOS Eletricidade Conceitos fundamentais da eletricidade; Circuitos elétricos de corrente contínua; Tensão alternada; Gerador de funções; Operação do osciloscópio; Tensão e corrente alternadas

Leia mais

Novas Tecnologias no Ensino de Física: discutindo o processo de elaboração de um blog para divulgação científica

Novas Tecnologias no Ensino de Física: discutindo o processo de elaboração de um blog para divulgação científica Novas Tecnologias no Ensino de Física: discutindo o processo de elaboração de um blog para divulgação científica Pedro Henrique SOUZA¹, Gabriel Henrique Geraldo Chaves MORAIS¹, Jessiara Garcia PEREIRA².

Leia mais

Sistemas de controle para processos de bateladas

Sistemas de controle para processos de bateladas Sistemas de controle para processos de bateladas Por Alan Liberalesso* Há algum tempo os processos de batelada deixaram de ser um mistério nas indústrias e no ambiente de automação. O cenário atual nos

Leia mais

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação. Comissão de Curso e NDE do BCC

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação. Comissão de Curso e NDE do BCC Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação Comissão de Curso e NDE do BCC Fevereiro de 2015 Situação Legal do Curso Criação: Resolução CONSU no. 43, de 04/07/2007. Autorização: Portaria

Leia mais

O Sistema Way foi além, idealizou uma forma não só de garantir a qualidade do produto final, como deotimizar a logística de transporte e entrega.

O Sistema Way foi além, idealizou uma forma não só de garantir a qualidade do produto final, como deotimizar a logística de transporte e entrega. A Way Data Solution se especializou em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) para criar um sistema inovador de logística e monitoramento de temperatura/ umidade, através do qual empresas poderão

Leia mais

Instrumentação Industrial. Fundamentos de Instrumentação Industrial: Conceitos Básicos e Definições

Instrumentação Industrial. Fundamentos de Instrumentação Industrial: Conceitos Básicos e Definições Instrumentação Industrial Fundamentos de Instrumentação Industrial: Conceitos Básicos e Definições Instrumentação Industrial De acordo com a organização norte-americana Instrument Society of America -

Leia mais

UNIOESTE. 32 cursos de graduação Cascavel Foz do Iguaçu Toledo Marechal Cândido Rondon Francisco Beltrão

UNIOESTE. 32 cursos de graduação Cascavel Foz do Iguaçu Toledo Marechal Cândido Rondon Francisco Beltrão I Roadshow Londrina 12/09/2014 UNIOESTE 32 cursos de graduação Cascavel Foz do Iguaçu Toledo Marechal Cândido Rondon Francisco Beltrão 30 cursos de pós-graduação (mestrado e doutorado) Mais 600 doutores

Leia mais

Ferramentas de AP Arvus Tecnologia. Gerente nacional de vendas Luiz Ghilherme Bridi Luiz.bridi@arvus.com.br (48) 8817-4115

Ferramentas de AP Arvus Tecnologia. Gerente nacional de vendas Luiz Ghilherme Bridi Luiz.bridi@arvus.com.br (48) 8817-4115 Ferramentas de AP Arvus Tecnologia Gerente nacional de vendas Luiz Ghilherme Bridi Luiz.bridi@arvus.com.br (48) 8817-4115 Arvus Tecnologia Estrutura e Equipe Unidade Administrativa (SC) Unidade Industrial

Leia mais

Prof. André Dutton W W W. P O R T A L D O A L U N O. I N F O 1

Prof. André Dutton W W W. P O R T A L D O A L U N O. I N F O 1 Prof. André Dutton W W W. P O R T A L D O A L U N O. I N F O 1 EMENTA: Aspectos teóricos e práticos da informática como tecnologia utilizada na empresa. Análise do impacto da informática na sociedade.

Leia mais

MONITORAMENTO WIRELESS EM TEMPERATURA, UMIDADE, PRESSÃO & GPS

MONITORAMENTO WIRELESS EM TEMPERATURA, UMIDADE, PRESSÃO & GPS 1 AR AUTOMAÇÃO EMPRESA & SOLUÇÕES A AR Automação é uma empresa especializada no desenvolvimento de sistemas wireless (sem fios) que atualmente, negocia comercialmente seus produtos e sistemas para diferentes

Leia mais

Introdução ao SIG. Objetivos Específicos 18/11/2010. Competência: Apresentar: Utilidade de um SIG

Introdução ao SIG. Objetivos Específicos 18/11/2010. Competência: Apresentar: Utilidade de um SIG MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE - MMA INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE - ICMBio DIRETORIA DE PLANEJAMENTO, ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA - DIPLAN COORDENAÇÃO GERAL DE GESTÃO DE PESSOAS -

Leia mais

VEÍCULO CONTROLADO POR ARDUINO ATRAVÉS DO SISTEMA OPERACIONAL ANDROID

VEÍCULO CONTROLADO POR ARDUINO ATRAVÉS DO SISTEMA OPERACIONAL ANDROID VEÍCULO CONTROLADO POR ARDUINO ATRAVÉS DO SISTEMA OPERACIONAL ANDROID André Luis Fadinho Portante¹, Wyllian Fressatti¹. ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil andreportante@gmail.com, wyllian@unipar.br

Leia mais

MANUAL DO PROFESSOR MODERNO: 15 FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS PARA MELHORAR A SUA PRODUTIVIDADE

MANUAL DO PROFESSOR MODERNO: 15 FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS PARA MELHORAR A SUA PRODUTIVIDADE MANUAL DO PROFESSOR MODERNO: 15 FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS PARA MELHORAR A SUA PRODUTIVIDADE SUMÁRIO >> Introdução... 3 >> Não confie em sua memória: agendas e calendários online estão a seu favor... 5 >>

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE OBTENÇÃO DE DADOS PARA CALIBRAÇÃO DE CENTRAIS INERCIAIS

DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE OBTENÇÃO DE DADOS PARA CALIBRAÇÃO DE CENTRAIS INERCIAIS DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE OBTENÇÃO DE DADOS PARA CALIBRAÇÃO DE CENTRAIS INERCIAIS Aluno: Pedro Schuback Chataignier Orientador: Mauro Speranza Neto Introdução O projeto, iniciado em 2013, visa desenvolver

Leia mais

Todos os dados de medição. Sempre disponíveis. Em qualquer dispositivo.

Todos os dados de medição. Sempre disponíveis. Em qualquer dispositivo. Análise e relatórios Camara este 14.09.2014 até 16.09.2014 Apresentação gráfica 14/09/2014 15/09/2014 16/09/2014 Data logger 1 ( C) Data logger 2 ( C) Data logger 3 ( C) Apresentação em tabela Alarmes

Leia mais

Novas Mídias e Relações Sociais.

Novas Mídias e Relações Sociais. Novas Mídias e Relações Sociais. Eduardo Foster 1 1 Caiena Soluções em Gestão do Conhecimento, Av. 34-578, CEP 13504-110 Rio Claro, Brasil foster@caiena.net Resumo. A comunicação é uma disciplina que acompanha

Leia mais

TÍTULO: SERVIÇOS HTTP COM GEOPOSICIONAMENTO DE FROTA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS

TÍTULO: SERVIÇOS HTTP COM GEOPOSICIONAMENTO DE FROTA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS TÍTULO: SERVIÇOS HTTP COM GEOPOSICIONAMENTO DE FROTA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS AUTOR(ES):

Leia mais

Ameaças e Segurança da Informação para dispositivos Móveis. gilberto@sudre.com.br http://gilberto.sudre.com.br

Ameaças e Segurança da Informação para dispositivos Móveis. gilberto@sudre.com.br http://gilberto.sudre.com.br Ameaças e Segurança da Informação para dispositivos Móveis gilberto@sudre.com.br http://gilberto.sudre.com.br Ameaças e Vulnerabilidades em Dispositivos Móveis gilberto@sudre.com.br http://gilberto.sudre.com.br

Leia mais

1º Estudo Dirigido. Capítulo 1 Introdução aos Sistemas Operacionais

1º Estudo Dirigido. Capítulo 1 Introdução aos Sistemas Operacionais 1º Estudo Dirigido Capítulo 1 Introdução aos Sistemas Operacionais 1. Defina um sistema operacional de uma forma conceitual correta, através de suas palavras. R: Sistemas Operacionais são programas de

Leia mais

Introdução. Sistemas Computacionais Classificação. Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação

Introdução. Sistemas Computacionais Classificação. Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Introdução à Computação Sistemas Computacionais Prof. a Joseana Macêdo Fechine Régis de Araújo joseana@computacao.ufcg.edu.br

Leia mais

DMS Documento de Modelagem de Sistema. Versão: 1.4

DMS Documento de Modelagem de Sistema. Versão: 1.4 DMS Documento de Modelagem de Sistema Versão: 1.4 VERANEIO Gibson Macedo Denis Carvalho Matheus Pedro Ingrid Cavalcanti Rafael Ribeiro Tabela de Revisões Versão Principais Autores da Versão Data de Término

Leia mais

A automação em nossas vidas 25/10/2015. Módulo IV Tecnologia. TECNOLOGIA Conceito e História

A automação em nossas vidas 25/10/2015. Módulo IV Tecnologia. TECNOLOGIA Conceito e História Módulo IV Tecnologia Danillo Tourinho S. da Silva, M.Sc. TECNOLOGIA Conceito e História A automação em nossas vidas Objetivo: Facilitar nossas vidas no dia-a-dia Em casa: Lavando roupa Esquentando leite

Leia mais

REGISTRADOR DE EVENTOS SISTEMA INTELIGENTE DE AUXÍLIO, SUPERVISÃO E CONTROLE DE TRENS METROVIÁRIOS

REGISTRADOR DE EVENTOS SISTEMA INTELIGENTE DE AUXÍLIO, SUPERVISÃO E CONTROLE DE TRENS METROVIÁRIOS REGISTRADOR DE EVENTOS SISTEMA INTELIGENTE DE AUXÍLIO, SUPERVISÃO E CONTROLE DE TRENS METROVIÁRIOS Resumo O transporte público atualmente vem passando por diversas mudanças e uma delas é a qualidade nos

Leia mais

OBJETIVOS TECNOLÓGICOS CONTEÚDOS CURRICULARES COMPETÊNCIAS COGNITIVAS COMPETÊNCIAS SOCIOEMOCIONAIS

OBJETIVOS TECNOLÓGICOS CONTEÚDOS CURRICULARES COMPETÊNCIAS COGNITIVAS COMPETÊNCIAS SOCIOEMOCIONAIS 1 o ano Conhecer as peças LEGO do kit 9656. Equilíbrio. Praticar encaixes entre as peças LEGO. Verticalidade. Noções de medidas lineares. Planejar. Programar. Construir montagens estáveis e que se sustentem

Leia mais

Entenda as principais tecnologias necessárias para desenvolver sistemas de aquisição de dados embarcado em veículos

Entenda as principais tecnologias necessárias para desenvolver sistemas de aquisição de dados embarcado em veículos Entenda as principais tecnologias necessárias para desenvolver sistemas de aquisição de dados embarcado em veículos Luciano Borges Engenheiro de Vendas National Instruments Principais tecnologias Para

Leia mais

XDR. Solução para Big Data.

XDR. Solução para Big Data. XDR Solução para Big Data. ObJetivo Principal O volume de informações com os quais as empresas de telecomunicações/internet têm que lidar é muito grande, e está em constante crescimento devido à franca

Leia mais

APLICAÇÃO PARA ANÁLISE GRÁFICA DE EXERCÍCIO FÍSICO A PARTIR DA PLATAFORMA ARDUINO

APLICAÇÃO PARA ANÁLISE GRÁFICA DE EXERCÍCIO FÍSICO A PARTIR DA PLATAFORMA ARDUINO APLICAÇÃO PARA ANÁLISE GRÁFICA DE EXERCÍCIO FÍSICO A PARTIR DA PLATAFORMA ARDUINO Alessandro A. M de Oliveira 1 ; Alexandre de Oliveira Zamberlan 1 ; Péricles Pinheiro Feltrin 2 ; Rafael Ogayar Gomes 3

Leia mais

INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA TOUCH SCREEN

INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA TOUCH SCREEN INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA TOUCH SCREEN Eduardo Reis Tomiassi¹, Wyllian Fressatti 2 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí -Paraná- Brasil tomiassi88@hotmail.com, wyllian@unipar.br Resumo: Neste trabalho

Leia mais

Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia

Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia UNISUL 2013 / 1 Universidade do Sul de Santa Catarina Engenharia Elétrica - Telemática 1 Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia Aula 3 Gerenciamento de Redes Cenário exemplo Detecção de

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET Introdução à Computação A disciplina apresenta a área da Computação como um todo, desde a história e a evolução dos computadores

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL OPERADOR(A) DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Operador/a de Electrónica Nível 2 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/16

PERFIL PROFISSIONAL OPERADOR(A) DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Operador/a de Electrónica Nível 2 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/16 PERFIL PROFISSIONAL OPERADOR(A) DE ELECTRÓNICA PERFIL PROFISSIONAL Operador/a de Electrónica Nível 2 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/16 ÁREA DE ACTIVIDADE - ELECTRÓNICA E AUTOMAÇÃO OBJECTIVO GLOBAL

Leia mais

2. Energia Eólica em uma Empresa e sua Viabilização

2. Energia Eólica em uma Empresa e sua Viabilização 2. Energia Eólica em uma Empresa e sua Viabilização 2.1. Definições Para utilização de conversores de energia eólica numa empresa, a avaliação exata da vida útil de seus componentes estruturais e de todo

Leia mais

Rodrigo Baleeiro Silva Engenheiro de Controle e Automação. Introdução à Engenharia de Controle e Automação

Rodrigo Baleeiro Silva Engenheiro de Controle e Automação. Introdução à Engenharia de Controle e Automação Rodrigo Baleeiro Silva Engenheiro de Controle e Automação (do latim Automatus, que significa mover-se por si) ; Uso de máquinas para controlar e executar suas tarefas quase sem interferência humana, empregando

Leia mais

EAGLE Smart Wireless Solution. Implantar a manutenção condicional nunca foi tão simples. Brand of ACOEM

EAGLE Smart Wireless Solution. Implantar a manutenção condicional nunca foi tão simples. Brand of ACOEM EAGLE Smart Wireless Solution Implantar a manutenção condicional nunca foi tão simples Brand of ACOEM Com o EAGLE, a ONEPROD oferece a solução de monitoramento contínuo de manutenção condicional mais fácil

Leia mais

TECNÓLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I Aula 01: Conceitos Iniciais / Sistema Operacional

TECNÓLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I Aula 01: Conceitos Iniciais / Sistema Operacional TECNÓLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I Aula 01: Conceitos Iniciais / Sistema Operacional O conteúdo deste documento tem por objetivo apresentar uma visão geral

Leia mais

Curso Técnico Superior Profissional em Desenvolvimento Web

Curso Técnico Superior Profissional em Desenvolvimento Web Curso Técnico Superior Profissional em Desenvolvimento Web PROVA DE AVALIAÇÃO DE CAPACIDADE REFERENCIAL DE CONHECIMENTOS E APTIDÕES Áreas relevantes para o curso de acordo com o n.º 4 do art.º 11.º do

Leia mais

UFV Catálogo de Graduação 2014 109 EMENTÁRIO

UFV Catálogo de Graduação 2014 109 EMENTÁRIO UFV Catálogo de Graduação 2014 109 EMENTÁRIO As disciplinas ministradas pelo Campus Rio Paranaíba são identificadas por um código composto por três letras maiúsculas, ligadas a cada instituto, seguidas

Leia mais

Linguagem de Programação Visual. Aula 2 Prof. Gleison Batista de Sousa

Linguagem de Programação Visual. Aula 2 Prof. Gleison Batista de Sousa Linguagem de Programação Visual Aula 2 Prof. Gleison Batista de Sousa Historico 50s Interfaces são painel de controles do hardware, usuário são engenheiros; 60-70s Interfaces são programas em linguagens

Leia mais

MANUAL DO PROPRIETÁRIO

MANUAL DO PROPRIETÁRIO MANUAL DO PROPRIETÁRIO GUIA RÁPIDO BV: Bloquear Veículo DV: Desbloquear Veículo AR: Ativar Rastreador DR: Desativar Rastreador AC: Ativar Cerca eletrônica DC: Desativar Cerca Eletrônica BL: Bloquear e

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES SERVICOS DE REDE LOCAL. Professor Carlos Muniz

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES SERVICOS DE REDE LOCAL. Professor Carlos Muniz SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES SERVICOS DE REDE LOCAL Na internet, cada computador conectado à rede tem um endereço IP. Todos os endereços IPv4 possuem 32 bits. Os endereços IP são atribuídos à interface

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC MONSENHOR ANTONIO MAGLIANO Código: 088 Município: Garça Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de

Leia mais

Sistema de Monitoramento e Supervisão de Vibração HYMV05

Sistema de Monitoramento e Supervisão de Vibração HYMV05 Sistema de Monitoramento e Supervisão de Vibração Revisão 1 Mai2005 O é um sistema inteligente de Monitoramento, Aquisição de Dados e Supervisão Local para utilização com os softwares da linha Dynamic.

Leia mais

Internet of Things. utilizá-la em diversos tipos de negócios.

Internet of Things. utilizá-la em diversos tipos de negócios. Internet of Things 10 formas de utilizá-la em diversos tipos de negócios. INTRODUÇÃO As interfaces Machine to Machine (M2M) estão facilitando cada vez mais a comunicação entre objetos conectados. E essa

Leia mais

Universidade Federal de São Paulo Campus São José dos Campos LISTA DE DISCIPLINAS DA GRADUAÇÃO

Universidade Federal de São Paulo Campus São José dos Campos LISTA DE DISCIPLINAS DA GRADUAÇÃO A B C Álgebra Linear Álgebra Linear Computacional Álgebra Linear II Algoritmos e Estrutura de Dados I Algoritmos e Estrutura de Dados II Algoritmos em Bioinformática Alteridade e Diversidade no Brasil

Leia mais

1.1) PLANO DE APLICAÇÃO DE RECURSOS (EM ANEXO) 1.2) PROJETO DE CAPACITAÇÃO EM GEOTECNOLOGIA INTRODUÇÃO

1.1) PLANO DE APLICAÇÃO DE RECURSOS (EM ANEXO) 1.2) PROJETO DE CAPACITAÇÃO EM GEOTECNOLOGIA INTRODUÇÃO 1.1) PLANO DE APLICAÇÃO DE RECURSOS (EM ANEXO) 1.2) PROJETO DE CAPACITAÇÃO EM GEOTECNOLOGIA INTRODUÇÃO Com o crescimento e desenvolvimento tecnológico constante, o agronegócio brasileiro ostenta aumentos

Leia mais

Exemplo de Plano para Desenvolvimento de Software

Exemplo de Plano para Desenvolvimento de Software Universidade Salgado de Oliveira Especialização em Tecnologia da Informação Qualidade em Engenharia de Software Exemplo de Plano para Desenvolvimento de Software Prof. Msc. Edigar Antônio Diniz Júnior

Leia mais

Controlador de Bombas modelo ABS PC 242 Monitoramento e Controle de Bombas e Estações de Bombeamento

Controlador de Bombas modelo ABS PC 242 Monitoramento e Controle de Bombas e Estações de Bombeamento Controlador de Bombas modelo ABS PC 242 Monitoramento e Controle de Bombas e Estações de Bombeamento Um Único Dispositivo para Monitoramento e Controle Há várias formas de melhorar a eficiência e a confiabilidade

Leia mais

Uma Arquitetura Distribuída de Hardware e Software para Controle de um Robô Móvel Autônomo

Uma Arquitetura Distribuída de Hardware e Software para Controle de um Robô Móvel Autônomo Uma Arquitetura Distribuída de Hardware e Software para Controle de um Robô Móvel Autônomo rbritto@dca.ufrn.br Orientador: Adelardo A. D. Medeiros adelardo@dca.ufrn.br - Universidade Federal do Rio Grande

Leia mais

Você não consegue ver tudo que se passa com sua equipe? Nós podemos de ajudar.

Você não consegue ver tudo que se passa com sua equipe? Nós podemos de ajudar. Você não consegue ver tudo que se passa com sua equipe? Nós podemos de ajudar. Vídeo Monitoramento através do celular, smartphone agora é sinônimo de câmera IP. Plataforma de Vídeo Monitoramento Avançado

Leia mais

AUTOMAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO VIRTUAL. Sistema Integrado de Teste em Umbilicais

AUTOMAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO VIRTUAL. Sistema Integrado de Teste em Umbilicais BI AUTOMAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO VIRTUAL Sistema Integrado de Teste em Umbilicais Objetivos da Apresentação Demonstrar a Arquitetura de hardware e software da National Instruments utilizada na solução; Discutir

Leia mais