XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HIDRÍCOS DO NORDESTE. RETENÇÃO DE FÓSFÓRO EM LEITOS CULTIVADOS COM Cyperus

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HIDRÍCOS DO NORDESTE. RETENÇÃO DE FÓSFÓRO EM LEITOS CULTIVADOS COM Cyperus"

Transcrição

1 XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HIDRÍCOS DO NORDESTE RETENÇÃO DE FÓSFÓRO EM LEITOS CULTIVADOS COM Cyperus papyrus (MINI PAPIRO) Vanessa Cristina da Cruz 1 ; José Teixeira Filho 2 RESUMO Segundo a Pesquisa Nacional de Saneamento Básico PSNB (IBGE 2008) apenas 55% dos municípios brasileiros possuem serviço de coleta e afastamento de esgoto, desse percentual aproximadamente 30% dos municípios realizam tratamento de esgoto. Os 45% dos municípios que não possuem nenhum tipo de tratamento (aproximadamente 100 milhões de brasileiros) contribuem para a poluição dos corpos hídricos, disseminação de doenças por veiculação hídrica a qual acomete 30% de mortes em todo país. Posto isto, a alternativa para o tratamento de efluentes domésticos por leitos cultivados favorece uma diminuição da carga orgânica e seus nutrientes a serem lançados nos leitos d água. Após o tratamento do efluente gerado pela Faculdade de Engenharia Agrícola, podese verificar percentuais de 24 a 70% de remoção da concentração de fósforo após a aplicação de leitos cultivados com Cyperus papyrus. Sendo assim, reduções significativas de Fósforo favorecem o aumento da qualidade hídrica, bem como o controle do crescimento exagerado de organismos (por exemplo, algas) que contribuem para a eutrofização. ABSTRACT According to the National Survey of Basic Sanitation - PSNB (IBGE ) only 55% of Brazilian municipalities have collection service and removal of sewage, this percentage approximately 30% of the municipalities carry sewage treatment. 45% of the municipalities that have no kind of treatment (approximately 100 million Brazilians) contribute to the pollution of water bodies, spreading waterborne diseases which affects 30% of deaths across the country. Hence, the alternative for the treatment of domestic sewage by wetlands favors a decrease in organic load and nutrients to be released in the beds of water. After treatment of the effluent from the Faculty of Agricultural Engineering, you can check percentage 24-70% removal of phosphorus concentration after application of constructed wetlands with Cyperus papyrus. Thus, significant reductions in phosphorus produce an increase in water quality, as well as control the overgrowth of organisms (eg, algae) that contribute to eutrophication. Palavras-Chave Retenção de nutrientes, wetlands, saneamento. 1) Afiliação: Faculdade de Tecnologia UNICAMP, R. Paschoal Marmo, CEP: Jd. Nova Itália - Limeira, SP, (19) , 2) Afiliação: Faculdade de Engenharia Agrícola UNICAMP, Av. Cândido Rondom, Cdade Universitária - Campinas SP, CEP (19) , XII Simpósio de Recursos Hídricos do Nordeste 1

2 1. INTRODUÇÃO O esgoto, ou resíduo líquido, inclui toda a água de uso doméstico que é utilizada para lavar e aquela dos resíduos sanitários. O esgoto é constituído principalmente de água e contém pouca matéria particulada, talvez algo em torno de 0,003%. Mesmo assim, nas grandes cidades essa porção de esgoto pode produzir mais de mil toneladas de material sólido por dia (Tortora, G. J., et. al., 2005). Sendo assim, visto que a coleta, afastamento e tratamento de esgoto no Brasil estão a quem da porcentagem esperada, é de se prever que a qualidade dos mananciais (os quais são fonte de abastecimento municipal) não esteja de acordo com as características naturalmente previstas, acometendo a elevação dos índices de indisponibilidade hídrica e doenças por falta de saneamento. Em regiões de baixa densidade populacional as quais não são encontradas tecnologias para o tratamento de efluentes domésticos, comumente são utilizadas fossas sépticas. Segundo Tortora, G.J. et. al. (2005), neste artifício a entrada do esgoto é em um tanque e as suspenções sólidas são depositadas no fundo, sendo que o lodo deve ser bombeado periodicamente e descartado. Neste trabalho a saída do efluente do reator anaeróbio foi direcionada para o sistema de leitos cultivados construídos com Mini Papiro (Cyperus papyrus), que funcionam como polimento para a remoção de macro nutriente como o fósforo. Os leitos cultivados podem ser considerados filtros biológicos em que micro-organismos aeróbios e anaeróbios são fixados à superfície do meio suporte no qual as plantas estão estabelecidas ou fixadas com a rizosfera e outras partes submersas das plantas que são os principais responsáveis pelas reações de purificação da água (WOOD, 1995). A remoção de fósforo pode ser realizada por meio de métodos químicos e/ou físicos. Precipitação química, na forma de fosfatos diversos ocorre por meio da presença de sais de ferro, cálcio, alumínio, etc., ou mais comumente por meio do uso de rochas que contenham os referidos elementos e que promovam a elevação do ph (Vymasal, 2007; Huett et al., 2005). O processo de filtração, normalmente é usado por meio de associações com processos químico, biológico, etc. Remoções significativas de fósforo em condições de tratamento natural ocorrem principalmente por processos de precipitação e sorção, devidas ao tipo de material usado como meio filtrante e/ou suporte de vegetais (Xu et al., 2006); os quais removem quantidades menores (Chan et al., 2008; Cui et al., 2010). Vymasal et al., (2007); Bowden et al., (2009) citam que a sorção ocorre devido as características físicas e químicas dos materiais utilizados como substratos, compreendendo pelos processos de absorção e adsorção de íons pelos substratos em condições de ph acima de 7,0. A capacidade de remoção de fósforo pelo meio suporte é finita, reduzindo com o passar do período, fato este relacionado a saturação do meio e formação de biofilmes nas superfícies do material filtrante (Metcalf & Eddy, 1991; Bashan et al., 2004; Seo et al., 2005; Vohla et al., 2007; Chan et XII Simpósio de Recursos Hídricos do Nordeste 2

3 al., 2008). Vymasal et al., (2007) citam que a remoção de fósforo depende principalmente do substrato utilizado, variando de 40 a 60%. Cui et al., (2010) constataram retirada de 8-13% de fósforo total pelo vegetal Canna limbata e 76-91% pelo processo de sorção e precipitação, por ocasião do uso de escórias de alto forno, como substrato, em leitos construídas no tratamento de esgotos domésticos. Chan et al., (2008) trabalhando com esgotos domésticos em batelada, escória de carvão mineral como meio filtrante e Cyperus alternifollus verificaram remoção média de fósforo de 41,7%, sendo que deste montante 68,5%; 26,5% e 4,9% foram retirados por adsorção, por microrganismos e pela massa vegetal. Sendo assim, este trabalho teve por objetivo avaliar a dinâmica de fósforo total em sistemas de alagados para tratamento de efluentes. Esse sistema representa uma das alternativas para retirada de nutrientes, contribuindo para a preservação e conservação dos recursos hídricos. 2. MATERIAL E MÉTODOS O local para a realização do experimento foi a Faculdade de Engenharia Agrícola da Universidade Estadual de Campinas, localizada na Cidade Universitária Zeferino Vaz, distrito de Barão Geraldo, Campinas, São Paulo. Para realização deste experimento desviou-se parte da água residuária produzida pela Faculdade para os reatores anaeróbios compartimentados, seguindo para os leitos cultivados e para a rede coletora local. A composição das águas residuárias da Faculdade consistir em dejetos domésticos e sanitários dos seguintes prédios: salas de aula, administração, cozinha, cantina, laboratórios e oficina mecânica. A Figura 1 ilustra o esquema de envio das águas residuárias dos reatores para os leitos cultivados: O Mini Papiro foi plantado em um reservatório (leito) com capacidade de 2,5 m 3, com dimensões de 3,20 m de comprimento, 1,70 m de largura e 0.5 m de profundidade e com área de aproximadamente 4,5 m 2. As plantas foram implantadas no reservatório com brita, possuindo um tempo de retenção variado entre 24 e 48 horas. O leito foi dimensionado a partir do sistema de macrófitas aquáticas emergentes com fluxo subsuperficial. A Figura 2 ilustra instalação dos leitos estudados. Após dois meses do plantio da macrófita Mini Papiro nos leitos cultivados foi realizada uma campanha de amostragem no primeiro semestre de 2014 no mês de março. O período de amostragem ocorreu entre 10/03/2014 e 13/03/2014. Nesse período foram realizadas as medidas as vazões afluente e efluente de cada leito e respectivas coletas das amostras de água residuária afluentes e efluentes. As medias e amostragens foram realizadas diariamente a cada duas horas, das 8h às 17h. As amostras foram acondicionadas em frascos de 300 ml e armazenadas a 4ºC até a realização das análises. Com as amostras coletadas na escala horária foram preparadas amostras XII Simpósio de Recursos Hídricos do Nordeste 3

4 compostas de 500 ml, ou amostras de escala diária, que foram obtidas pela divisão da vazão horária da amostra no instante i (ml.s-1) pelo produto da somatória das vazões horárias do dia (ml.s-1) com o volume total desejado de amostra (ml). Figura 1 Etapas da destinação do efluente coletado para os leitos cultivados - a) Reservatório do recebimento do efluente; b) Detalhe dos vertedores do reservatório de recebimento; c) Reatores anaeróbios; d) Leito de controle recebendo o efluente após reatores. Os ensaios foram realizados no Laboratório de Saneamento da FEAGRI/UNICAMP seguindo Standard Methods for Examination of Water and Wastewater (APHA, 2005). A analise de concentração de Fósforo foi realizado no laboratório da Faculdade de Engenharia de Alimentos; método Phos Ver3 com digestão e posterior leitura em espectrofotômetro DR 2010 (mg/l). O resultado das análises representa as concentrações médias diárias de fósforo total de entrada e saída (afluente e efluente). Além de serem analisados em concentrações os resultados também foram analisados em cargas, e para calcular os valores de massa a concentração do parâmetro de entrada ou saída foi multiplicada pelo respectivo volume total diário, da entrada ou da saída do leito. 3. RESULTADO E DISCUSSÕES Raros são os estudos que avaliam o desempenho dos leitos cultivados em escala horária ou a cada duas horas, como foi realizado neste experimento. Esse tipo de amostragem apresenta resultados mais confiáveis, pois acompanha a hidrodinâmica do leito cultivado em relação as variações de entrada das águas e concentração de fosforo total. XII Simpósio de Recursos Hídricos do Nordeste 4

5 A Figura 3 apresenta os resultados das concentrações médias diárias de fósforo total de entrada e saída do leito cultivado no período de 10/03/2014 a 13/03/2014. A concentração media de fósforo total de entrada no período foi de 11,0 mg/l e de saída 6,4 mg/l. A concentração máxima de fósforo total de entrada foi 11,88 mg/l, que corresponde a 7,6% superior a média das concentrações de entrada, enquanto que a concentração mínima foi 9,53 mg/l ou 13,7% abaixo da concentração média de entrada. Esses valores mostram que as concentrações de fósforo total de entrada apresentaram variação pequena de 2,4 mg/l, que indica uma estabilidade nas condições de entrada de água no leito. Quanto a concentração mínima de fósforo total de saída foi 3,2 mg/l que corresponde a 49,3% inferior a média das concentrações de saída, enquanto que a concentração máxima foi 8,36 mg/l ou 30,1% acima da concentração média de saída. Esses valores mostram que as concentrações de fósforo total de saída apresentaram variação maior de 5,12 mg/l, que indica uma redução das concentrações de saída do leito função de condições do clima. Figura 2 Etapas da destinação do efluente coletado para os leitos cultivados a)leito de Controle; b) Abertura de covas para plantio do Mini Papiro; c) Plantio do Mini Papiro; d) Leito Cultivado com Mini Papiro. A eficiência de retenção de concentração de fósforo total apresentou média de 41,3%, sendo a retenção mínima de 24% e máxima de 70%. A eficiência média neste estudo foi próxima encontrada por Almeida et al. (2007). Os autores utilizando Hedychium coronarium leito cultivado observaram retenção de fosfato em torno de 46,5%, com tempo de retenção de 2,5 dias. Os autores montaram os leitos com substrato de conchas de ostras marinhas, brita, areia, casca de coco verde e fibra de coco. Chan et al. (2008) pesquisaram em laboratório leitos com Cyperus alternifolius e substrato de escória de carvão e obtiveram eficiência de retenção de fósforo de 40%. Santos (2009) estudou um XII Simpósio de Recursos Hídricos do Nordeste 5

6 conjunto de leitos e funcionamento hidráulico diferente. O leito com funcionamento hidráulico de fluxo vertical eficiência de 43% e o leito de fluxo horizontal eficiência de 79%. 14,00 Remoção de Fósforo - Leito Cultivado com Mini Papiro Concentração de Fósforo (mg/l P) 12,00 10,00 8,00 6,00 4,00 2,00 9,53 Remoção de 24% 7,19 11,78 Remoção de 42% 6,80 11,88 Remoção de 29% 8,36 10,96 Remoção de 70% 3,24 0,00 Entrada Saida Entrada Saida Entrada Saida Entrada Saida 10/03/ /03/ /03/ /03/2014 Figura 3 Quantificação da remoção de Fósforo em leitos cultivados com Mini Papiro amostragem de março/ CONCLUSÃO Com os resultados apresentados neste trabalho é possível concluir que o leito cultivado com Mini Papiro apresentou eficiência retenção de fósforo total adequada aos valores observados na bibliografia. O resultados iniciais são extremamente animadores, assim, merecendo um maior aprofundamento de monitoramento para que os dados iniciais sejam comprovados. 5. BIBLIOGRAFIA ALMEIDA, R. A; OLIVEIRA, L. F. C.; KLIEMANN, H. J. Eficiência de espécies vegetais na purificação de esgoto sanitário. Pesq Agropec Trop 37(1): 1-9, mar Goiania, GO APHA American Public Health Association. Standard methods for the examination of water and wastewater. 19 th ed. Washington, APHA, AWWA, EFA BASHAN, E.L.; BASHAN, Y. Recent Advances in Removing Phosphorus from Wastewater and its Future use a Fertilizer. Water Research 38. P ; BOWDEN, I.L., JARVIS, A.P.; YONGER, P.L.; JOHNSON, K.L. Phosphorus Removal from Waste Waters Using Basic Oxigen Stell Slag. Environment Science Thecnology 42. p XII Simpósio de Recursos Hídricos do Nordeste 6

7 BRASIL. Lei Ambiental: CONAMA, Resolução 357, de 17 de Março de Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências. Marina Silva, presidente do Conselho. Ministério do Meio Ambiente. BRASIL. Lei Ambiental: CONAMA, Resolução 420 de 13 de Maio de Dispõe sobre as condições e padrões de lançamento de efluentes complementam e alteram a Resolução nº 357, de 17 de março de 2005, do Conselho Nacional do Meio Ambiente. Izabella Teixeira presidente do Conselho. Ministério do Meio Ambiente. CHAN, S.Y.; CHUA, H.; TSANG, Y.F.; SIN, S.N.; CUI, L.H. Performance study of vegetated sequencing batch coal slag bed treating domestic wastewater in suburban area. Bioresource Technology 99. pg CUI, L.; OUYANG, O.; LOU, Q.; YANG, F.; CHEN, Y.; ZHU, W.; LUO, S. Removal of Nutrients from Wastwater with Canna Indica L. under Different vertical-flow constructed condictions. Science Direct.Ecological Engineering. p INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA IBGE Pesquisa Nacional de Saneamento Básico Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais. Rio de Janeiro, METCALF & EDDY, INC. Wastewater Engineering. Treatment, Disposal, and Reuse. McGraw-Hill, Inc TORTORA, G. J.; BERDELL, R. F.; CASE, C. L. Microbiologia. 8ª ed. Porto Alegre: Artmed, SEO, D.C.; HAWANG, S.H.; KIM, H.J., et al. Evaluation of 2- and 3- Stage Combinations of Vertical and Horizontal Flow Constructed Wetlands for Treating Greenhouse Wastwater. Science Direct. Ecological Engineering 32. p XU, D.; XU J.; WU, J.; MUHAMMAD, A. Studies on thephosphorus Sorpition Capacity of Substrates Used in Constructed Weland Systems. Chemosfhere 63. P WOOD, A. Constructed wetlands in water pollution control: fundamentals to their understanding. Water Science and Technology, Great Britain, IAWQ, v.32, n.3. p.21-29, VOHLA, C.; ALAS, R.; NURK, K.; BAATZ, S.; MANDER, U. Dynamics of Phosphorus, Nitrogen and Carbon Removal in a Horizontal Subsurface Constructed Wetland. Science Directed. Science of the Total.Environment p XII Simpósio de Recursos Hídricos do Nordeste 7

8 VYMAZAL, J.; KRÖPFELOVÁ, L. Wastewater Treatment in Constructed Wetlands with Horizontal Sub-Surface Flow. 579p. Springer Science + Business Media B. V XII Simpósio de Recursos Hídricos do Nordeste 8

SISTEMA DE TRATAMENTO DE EFLUENTES DA INDÚSTRIA TEXTIL

SISTEMA DE TRATAMENTO DE EFLUENTES DA INDÚSTRIA TEXTIL SISTEMA DE TRATAMENTO DE EFLUENTES DA INDÚSTRIA TEXTIL ZANOTELLI, C. T. 1 ; MEDEIROS, R 2.; DESTEFANI, A 3.; MIRANDA, L.M. 4 ; MORATELLI JR, A 5. FISCHER, M. 5 1 Dra. em Engenharia de Produção, Professora

Leia mais

CINÉTICA DA DEGRADAÇÃO BIOLÓGICA EM LODOS ATIVADOS: CFSTR X SBR

CINÉTICA DA DEGRADAÇÃO BIOLÓGICA EM LODOS ATIVADOS: CFSTR X SBR CINÉTICA DA DEGRADAÇÃO BIOLÓGICA EM LODOS ATIVADOS: CFSTR X SBR Carlos Gomes da Nave Mendes (1) Claudia Mayumi Yamassaki (2) Renata Ugliani Henrique Pereira (3) (1) Prof. Assistente Doutor da Faculdade

Leia mais

RECIRCULAÇÃO DE EFLUENTE AERÓBIO NITRIFICADO EM REATOR UASB VISANDO A REMOÇÃO DE MATÉRIA ORGÂNICA

RECIRCULAÇÃO DE EFLUENTE AERÓBIO NITRIFICADO EM REATOR UASB VISANDO A REMOÇÃO DE MATÉRIA ORGÂNICA Belo Horizonte/MG 24 a 27/11/214 RECIRCULAÇÃO DE EFLUENTE AERÓBIO NITRIFICADO EM REATOR UASB VISANDO A REMOÇÃO DE MATÉRIA ORGÂNICA Ana Paula Cosso Silva Araujo (*), Bruno de Oliveira Freitas. * Universidade

Leia mais

REMOÇÃO DE NITROGÊNIO DE UM EFLUENTE ANAERÓBIO DE ORIGEM DOMÉSTICA POR MÉTODO DE IRRIGAÇÃO EM SULCOS RASOS

REMOÇÃO DE NITROGÊNIO DE UM EFLUENTE ANAERÓBIO DE ORIGEM DOMÉSTICA POR MÉTODO DE IRRIGAÇÃO EM SULCOS RASOS REMOÇÃO DE NITROGÊNIO DE UM EFLUENTE ANAERÓBIO DE ORIGEM DOMÉSTICA POR MÉTODO DE IRRIGAÇÃO EM SULCOS RASOS Ricardo Stahlschmidt Pinto Silva Bruno Coraucci Filho* Engenheiro Civil pela Faculdade de Engenharia

Leia mais

WETLANDS - PROCESSOS NATURAIS PARA REMOÇÃO DE NUTRIENTES EM ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS

WETLANDS - PROCESSOS NATURAIS PARA REMOÇÃO DE NUTRIENTES EM ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS WETLANDS - PROCESSOS NATURAIS PARA REMOÇÃO DE NUTRIENTES EM ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS Felipe Andrade Vitorino Carlos Alberto Vieira Gontijo André Lermontov RESUMO O primeiro princípio do design

Leia mais

Utilização da Fibra da Casca de Coco Verde como Suporte para Formação de Biofilme Visando o Tratamento de Efluentes

Utilização da Fibra da Casca de Coco Verde como Suporte para Formação de Biofilme Visando o Tratamento de Efluentes Utilização da Fibra da Casca de Coco Verde como Suporte para Formação de Biofilme Visando o Tratamento de Efluentes Rodrigo dos Santos Bezerra Bolsista de Iniciação Científica, Engenharia Química, UFRJ

Leia mais

III-109 CO-DIGESTÃO ANAERÓBIA DE RESÍDUOS SÓLIDOS ORGÂNICOS

III-109 CO-DIGESTÃO ANAERÓBIA DE RESÍDUOS SÓLIDOS ORGÂNICOS III-109 CO-DIGESTÃO ANAERÓBIA DE RESÍDUOS SÓLIDOS ORGÂNICOS Valderi Duarte Leite (1) Engenheiro Químico: DEQ/CCT/UFPB.Mestre em Saneamento: DEC/CCT/UFPB. Doutor em Saneamento : DHS/EESC/USP. Prof. do DQ/CCT/UEPB

Leia mais

ESTRATÉGIAS PARA ADAPTAÇÃO DE LODO AERÓBIO MESOFÍLICO PARA TERMOFÍLICO UTILIZANDO EFLUENTE DE CELULOSE BRANQUEADA KRAFT

ESTRATÉGIAS PARA ADAPTAÇÃO DE LODO AERÓBIO MESOFÍLICO PARA TERMOFÍLICO UTILIZANDO EFLUENTE DE CELULOSE BRANQUEADA KRAFT ESTRATÉGIAS PARA ADAPTAÇÃO DE LODO AERÓBIO MESOFÍLICO PARA TERMOFÍLICO UTILIZANDO EFLUENTE DE CELULOSE BRANQUEADA KRAFT R. Y. CABRERA-PADILLA 1,2, E. C. PIRES 3. 1 Universidade Tiradentes, Programa de

Leia mais

Método Alternativo de Tratamento de Esgotos

Método Alternativo de Tratamento de Esgotos Pesquisa Método Alternativo de Tratamento de Esgotos Reator anaeróbio com recheio de bambu associado com filtros biológicos de areia Adriano Luiz Tonetti Mestre em Saneamento e Ambiente - UNICAMP atonetti@fec.unicamp.br

Leia mais

Mestrando em Engenharia do Meio Ambiente na EEC/UFG. e-mail: emmanuel_dalessandro@hotmail.com.

Mestrando em Engenharia do Meio Ambiente na EEC/UFG. e-mail: emmanuel_dalessandro@hotmail.com. EFICIÊNCIA DE REMOÇÃO DO MÓDULO A DA ETE DE TRINDADE GO Emmanuel Bezerra D ALESSANDRO (1) ; Nora Katia SAAVEDRA del Aguila (2) ; Maura Francisca da SILVA (3) (1) Mestrando em Engenharia do Meio Ambiente

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DO REAGENTE DE FENTON NO TRATAMENTO DO EFLUENTE DE LAVAGEM DE UMA RECICLADORA DE PLÁSTICOS PARA FINS DE REUSO

AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DO REAGENTE DE FENTON NO TRATAMENTO DO EFLUENTE DE LAVAGEM DE UMA RECICLADORA DE PLÁSTICOS PARA FINS DE REUSO AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DO REAGENTE DE FENTON NO TRATAMENTO DO EFLUENTE DE LAVAGEM DE UMA RECICLADORA DE PLÁSTICOS PARA FINS DE REUSO Elisângela Garcia Santos RODRIGUES 1, Hebert Henrique de Souza LIMA

Leia mais

II-194 - FILTROS BIOLÓGICOS APLICADOS AO PÓS-TRATAMENTO DE EFLUENTES DE REATORES UASB

II-194 - FILTROS BIOLÓGICOS APLICADOS AO PÓS-TRATAMENTO DE EFLUENTES DE REATORES UASB II-194 - FILTROS BIOLÓGICOS APLICADOS AO PÓS-TRATAMENTO DE EFLUENTES DE REATORES UASB Mauro César Pinto Nascimento Engenheiro Civil pela UFV, Engenheiro Sanitarista e Ambiental pela UFMG. Mestrando em

Leia mais

PVIC/UEG, graduandos do Curso de Ciências Biológicas, UnU Iporá UEG. Orientador, docente do Curso de Ciências Biológicas, UnU Iporá UEG.

PVIC/UEG, graduandos do Curso de Ciências Biológicas, UnU Iporá UEG. Orientador, docente do Curso de Ciências Biológicas, UnU Iporá UEG. ANÁLISE DA EFICIÊNCIA DAS LAGOAS DE ESTABILIZAÇÃO COMBINADO COM SISTEMA ALAGADO CONSTRUÍDO PARA O TRATAMENTO DO EFLUENTE DO LATICÍNIO LEITBOM LOCALIZADO EM SÃO LUIZ MONTES BELOS GO Fernando Lima Vieira

Leia mais

Simone Cristina de Oliveira Núcleo Gestor de Araraquara DAAE CESCAR Coletivo Educador de São Carlos, Araraquara, Jaboticabal e Região HISTÓRICO

Simone Cristina de Oliveira Núcleo Gestor de Araraquara DAAE CESCAR Coletivo Educador de São Carlos, Araraquara, Jaboticabal e Região HISTÓRICO Caracterização Histórica e Operacional da Estação de Tratamento de Esgotos Manoel Ferreira Leão Neto do Departamento Autônomo de Águas e Esgotos (DAAE) Araraquara-SP HISTÓRICO Simone Cristina de Oliveira

Leia mais

USO DA FOTÓLISE NA DESINFECCÃO DE ESGOTOS DOMÉSTICOS

USO DA FOTÓLISE NA DESINFECCÃO DE ESGOTOS DOMÉSTICOS USO DA FOTÓLISE NA DESINFECCÃO DE ESGOTOS DOMÉSTICOS José Tavares de Sousa (1) Mestre em Engenharia Civil, UFPB (1986), Doutor em Hidráulica e Saneamento, USP (1996). Professor do Departamento de Química

Leia mais

I-071 - EFICIÊNCIA NA REMOÇÃO DE MATÉRIA ORGÂNICA SOB A FORMA DE DBO E DQO TOTAL E SOLÚVEL NO SISTEMA TS-FAN

I-071 - EFICIÊNCIA NA REMOÇÃO DE MATÉRIA ORGÂNICA SOB A FORMA DE DBO E DQO TOTAL E SOLÚVEL NO SISTEMA TS-FAN I-71 - EFICIÊNCIA NA REMOÇÃO DE MATÉRIA ORGÂNICA SOB A FORMA DE DBO E DQO TOTAL E SOLÚVEL NO SISTEMA TS-FAN Gabriela Marques dos Ramos Vargas Engenheira Química pela Universidade Federal do Rio Grande

Leia mais

II-362 - DESEMPENHO DO REATOR UASB DA ETE LAGES APARECIDA DE GOIÂNIA EM SUA FASE INICIAL DE OPERAÇÃO

II-362 - DESEMPENHO DO REATOR UASB DA ETE LAGES APARECIDA DE GOIÂNIA EM SUA FASE INICIAL DE OPERAÇÃO II-362 - DESEMPENHO DO REATOR UASB DA ETE LAGES APARECIDA DE GOIÂNIA EM SUA FASE INICIAL DE OPERAÇÃO Walter Luiz da P. B. Vieira (1) Engenheiro Civil pela Universidade Católica de Goiás. Especialista em

Leia mais

I-104 - AVALIAÇÃO DA REMOÇÃO DOS MACRONUTRIENTES SÓDIO, POTÁSSIO, CÁLCIO E MAGNÉSIO EM DISPOSIÇÃO CONTROLADA EM SOLO

I-104 - AVALIAÇÃO DA REMOÇÃO DOS MACRONUTRIENTES SÓDIO, POTÁSSIO, CÁLCIO E MAGNÉSIO EM DISPOSIÇÃO CONTROLADA EM SOLO I-10 - AVALIAÇÃO DA REMOÇÃO DOS MACRONUTRIENTES SÓDIO, POTÁSSIO, CÁLCIO E MAGNÉSIO EM DISPOSIÇÃO CONTROLADA EM SOLO Josette Lourdes de Sousa Melo (1) Engenheira Química, UFPE. Mestre em Química Analítica,

Leia mais

AVALIAÇÃO DA REMOÇÃO DE COMPOSTOS ORGÂNICOS NATURAIS NA ÁGUA DO RESERVATÓRIO DA BARRAGEM DO RIBEIRÃO JOÃO LEITE

AVALIAÇÃO DA REMOÇÃO DE COMPOSTOS ORGÂNICOS NATURAIS NA ÁGUA DO RESERVATÓRIO DA BARRAGEM DO RIBEIRÃO JOÃO LEITE AVALIAÇÃO DA REMOÇÃO DE COMPOSTOS ORGÂNICOS NATURAIS NA ÁGUA DO RESERVATÓRIO DA BARRAGEM DO RIBEIRÃO JOÃO LEITE Wilma Gomes da Silva CARMO*; Nora Katia SAAVEDRA Escola de Engenharia Civil - Programa de

Leia mais

II- 447 - IMPACTOS GERADOS EM UMA LAGOA FACULTATIVA PELO DERRAMAMENTO CLANDESTINO DE ÓLEOS E GRAXAS (ESTUDO DE CASO)

II- 447 - IMPACTOS GERADOS EM UMA LAGOA FACULTATIVA PELO DERRAMAMENTO CLANDESTINO DE ÓLEOS E GRAXAS (ESTUDO DE CASO) II- 447 - IMPACTOS GERADOS EM UMA LAGOA FACULTATIVA PELO DERRAMAMENTO CLANDESTINO DE ÓLEOS E GRAXAS (ESTUDO DE CASO) Sandra Parreiras Pereira Fonseca (1) Doutora em Recursos Hídricos e Ambientais e Mestre

Leia mais

AVALIAÇÃO DO IMPACTO AMBIENTAL DE AÇÃO ANTROPOGÊNICA SOBRE AS ÁGUAS DA CABECEIRA DO RIO SÃO FRANCISCO

AVALIAÇÃO DO IMPACTO AMBIENTAL DE AÇÃO ANTROPOGÊNICA SOBRE AS ÁGUAS DA CABECEIRA DO RIO SÃO FRANCISCO AVALIAÇÃO DO IMPACTO AMBIENTAL DE AÇÃO ANTROPOGÊNICA SOBRE AS ÁGUAS DA CABECEIRA DO RIO SÃO FRANCISCO Maristela Silva Martinez (1) Bacharel em Química(USP), Mestre e Doutora em Físico-Química (IQSC- USP).

Leia mais

XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HIDRÍCOS DO NORDESTE ESTABILIDADE OPERACIONAL E REMOÇÃO DE MATÉRIA ORGÂNICA EM UM SISTEMA DE TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO

XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HIDRÍCOS DO NORDESTE ESTABILIDADE OPERACIONAL E REMOÇÃO DE MATÉRIA ORGÂNICA EM UM SISTEMA DE TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HIDRÍCOS DO NORDESTE ESTABILIDADE OPERACIONAL E REMOÇÃO DE MATÉRIA ORGÂNICA EM UM SISTEMA DE TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO Pedro Herlleyson Gonçalves Cardoso 1 RESUMO Este estudo

Leia mais

Avaliação da Qualidade da Água do Rio Sergipe no Município de Laranjeiras, Sergipe- Brasil

Avaliação da Qualidade da Água do Rio Sergipe no Município de Laranjeiras, Sergipe- Brasil Avaliação da Qualidade da Água do Rio Sergipe no Município de Laranjeiras, Sergipe- Brasil 1 Majane Marques Dias Lessa 2 Ana Alexandrina Gama da Silva RESUMO: Este estudo apresenta os resultados obtidos

Leia mais

AVALIAÇÃO FÍSICO-QUIMICA E MICROBIOLOGICA DA QUALIDADE DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS EM DIFERENTES LOCALIDADES NO ESTADO DA PARAÍBA

AVALIAÇÃO FÍSICO-QUIMICA E MICROBIOLOGICA DA QUALIDADE DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS EM DIFERENTES LOCALIDADES NO ESTADO DA PARAÍBA AVALIAÇÃO FÍSICO-QUIMICA E MICROBIOLOGICA DA QUALIDADE DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS EM DIFERENTES LOCALIDADES NO ESTADO DA PARAÍBA Priscilla Dantas Rocha 1 ; Márcia Isabel Cirne França 2 ; Rodrigo Vieira Alves

Leia mais

INATIVAÇÃO DE INDICADORES PATOGÊNICOS EM ÁGUAS CONTAMINADAS: USO DE SISTEMAS COMBINADOS DE TRATAMENTO E PRÉ-DESINFECÇÃO

INATIVAÇÃO DE INDICADORES PATOGÊNICOS EM ÁGUAS CONTAMINADAS: USO DE SISTEMAS COMBINADOS DE TRATAMENTO E PRÉ-DESINFECÇÃO INATIVAÇÃO DE INDICADORES PATOGÊNICOS EM ÁGUAS CONTAMINADAS: USO DE SISTEMAS COMBINADOS DE TRATAMENTO E PRÉ-DESINFECÇÃO BILOTTA, Patrícia*; DANIEL, Luiz Antonio*. *Laboratório de Tratamento Avançado e

Leia mais

O EMPREGO DE WETLAND PARA O TRATAMENTO DE ESGOTOS DOMÉSTICOS BRUTO

O EMPREGO DE WETLAND PARA O TRATAMENTO DE ESGOTOS DOMÉSTICOS BRUTO O EMPREGO DE WETLAND PARA O TRATAMENTO DE ESGOTOS DOMÉSTICOS BRUTO Maria das Graças de Castro Reis (1) Engenheira Sanitarista, Chefe da Divisão Técnica do Serviço Autônomo de Água e Esgoto SAAE de Alagoinhas-Bahia.

Leia mais

EFICIÊNCIA DE TRATAMENTO DE ÁGUA CINZA PELO BIOÁGUA FAMILIAR 1

EFICIÊNCIA DE TRATAMENTO DE ÁGUA CINZA PELO BIOÁGUA FAMILIAR 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 EFICIÊNCIA DE TRATAMENTO DE ÁGUA CINZA PELO BIOÁGUA FAMILIAR 1 Solange Aparecida Goularte Dombroski 2, Fábio dos Santos

Leia mais

IMPACTO DE UM LIXÃO DESATIVADO NA QUALIDADE DAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS LOCAIS

IMPACTO DE UM LIXÃO DESATIVADO NA QUALIDADE DAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS LOCAIS Castellón, 23-24 de julio de 28. IMPACTO DE UM LIXÃO DESATIVADO NA QUALIDADE DAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS LOCAIS Resumo Nóbrega, C.C.; Souza, I.M.F.; Athayde Júnior, G.B.; Gadelha, C.L.M. Departamento de Engenharia

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DE WETLANDS CONSTRUÍDAS EM SISTEMAS INDIVIDUAIS DE TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO

DIMENSIONAMENTO DE WETLANDS CONSTRUÍDAS EM SISTEMAS INDIVIDUAIS DE TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO DIMENSIONAMENTO DE WETLANDS CONSTRUÍDAS EM SISTEMAS INDIVIDUAIS DE TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO Conrado Folle Weber* Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba PR, Brasil. Departamento Acadêmico

Leia mais

Eixo Temático ET-07-001 - Tratamento de Efluentes Sanitários e Industriais

Eixo Temático ET-07-001 - Tratamento de Efluentes Sanitários e Industriais Anais do Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental e Sustentabilidade - Vol. 2: Congestas 2014 371 Eixo Temático ET-07-001 - Tratamento de Efluentes Sanitários e Industriais APLICAÇÃO DA ELETROFLOCULAÇÃO

Leia mais

UTILIZAÇÃO DA PLANTA VETIVERIA ZIZANIOIDES NO TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO

UTILIZAÇÃO DA PLANTA VETIVERIA ZIZANIOIDES NO TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO UTILIZAÇÃO DA PLANTA VETIVERIA ZIZANIOIDES NO TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO Fernando Ernesto UCKER; Rogério de Araújo ALMEIDA Universidade Federal de Goiás UFG E-mail: ferucker@gmail.com Palavras-chave:

Leia mais

O emprego do filtro de areia no pós-tratamento de efluente de filtro anaeróbio

O emprego do filtro de areia no pós-tratamento de efluente de filtro anaeróbio O emprego do filtro de areia no pós-tratamento de efluente de filtro anaeróbio Adriano Luiz Tonetti Bruno Coraucci Filho Ronaldo Stefanutti Roberto Feijó de Figueiredo The use of sand filter in the posttreatment

Leia mais

VI-027 - AVALIAÇÃO DA QUALIDADE AMBIENTAL DO RIO CEARÁ-MIRIM

VI-027 - AVALIAÇÃO DA QUALIDADE AMBIENTAL DO RIO CEARÁ-MIRIM VI-027 - AVALIAÇÃO DA QUALIDADE AMBIENTAL DO RIO CEARÁ-MIRIM María del Pilar Durante Ingunza (1) Geóloga/Universidad Complutense de Madrid/Espanha, Mestre em Meio Ambiente/Universidad Politécnica de Madrid/Espanha,

Leia mais

SISTEMA DE CAPTAÇÃO, ARMAZENAMENTO, TRATAMENTO E DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA Francisco Pereira de Sousa

SISTEMA DE CAPTAÇÃO, ARMAZENAMENTO, TRATAMENTO E DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA Francisco Pereira de Sousa SISTEMA DE CAPTAÇÃO, ARMAZENAMENTO, TRATAMENTO E DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA Francisco Pereira de Sousa Universidade Federal de Campina Grande RESUMO A busca por sistemas alternativos para o suprimento

Leia mais

PÓS-TRATAMENTO DE EFLUENTE DE REATOR UASB UTILIZANDO SISTEMAS WETLANDS CONSTRUÍDOS

PÓS-TRATAMENTO DE EFLUENTE DE REATOR UASB UTILIZANDO SISTEMAS WETLANDS CONSTRUÍDOS REDUÇÃO DA DEMANDA BIOQUÍMICA DE OXIGÊNIO DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS DA SUINOCULTURA 87 Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.4, n.1, p.87-91, 2 Campina Grande, PB, DEAg/UFPB PÓS-TRATAMENTO

Leia mais

ANÁLISE DA EFICIÊNCIA DE REMOÇÃO DE DEMANDA QUÍMICA DE OXIGÊNIOE FÓSFORO TOTAL PELO FILTRO BIOLÓGICO DE ESPONJA VEGETAL

ANÁLISE DA EFICIÊNCIA DE REMOÇÃO DE DEMANDA QUÍMICA DE OXIGÊNIOE FÓSFORO TOTAL PELO FILTRO BIOLÓGICO DE ESPONJA VEGETAL Eixo Temático: Tecnologias ANÁLISE DA EFICIÊNCIA DE REMOÇÃO DE DEMANDA QUÍMICA DE OXIGÊNIOE FÓSFORO TOTAL PELO FILTRO BIOLÓGICO DE ESPONJA VEGETAL Athos Moisés Lopes Silva 1 Mateus Vaz Dias 2 Philip Lopes

Leia mais

Avaliação de um Sistema de Tratamento de Águas Residuárias por Wetland Construído com Etapa Aerada

Avaliação de um Sistema de Tratamento de Águas Residuárias por Wetland Construído com Etapa Aerada Avaliação de um Sistema de Tratamento de Águas Residuárias por Wetland Construído com Etapa Aerada Autor: Me. Helisson H. Borsato de Andrade Programa de Pós-Graduação em Sustentabilidade EACH-USP Grupo

Leia mais

21º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental

21º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental IV-030 - AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DAS ÁGUAS DO RIO BAURU DETERMINAÇÃO DO IQA Carlos Alberto Ferreira Rino (1) Engenheiro Especialista em Gestão Ambiental e em Controle da Poluição Ambiental; Mestre em Engenharia

Leia mais

II-030 DESEMPENHO DE PRODUTOS QUÍMICOS NO PROCESSO CEPT: TESTE DE JARRO E ESCALA PILOTO

II-030 DESEMPENHO DE PRODUTOS QUÍMICOS NO PROCESSO CEPT: TESTE DE JARRO E ESCALA PILOTO II-030 DESEMPENHO DE PRODUTOS QUÍMICOS NO PROCESSO CEPT: TESTE DE JARRO E ESCALA PILOTO Iene Christie Figueiredo¹ Doutoranda da Área Interdisciplinar em Engenharia Ambiental - COPPE/UFRJ. Eduardo Pacheco

Leia mais

ESTUDO DO USO DE CASCA DE COCO COMO BIOADSORVENTE PARA A REMOÇÃO DE ÓLEOS E GRAXAS DE EFLUENTES RESUMO

ESTUDO DO USO DE CASCA DE COCO COMO BIOADSORVENTE PARA A REMOÇÃO DE ÓLEOS E GRAXAS DE EFLUENTES RESUMO ESTUDO DO USO DE CASCA DE COCO COMO BIOADSORVENTE PARA A REMOÇÃO DE ÓLEOS E GRAXAS DE EFLUENTES A. S. ALMAGRO 1*, A P. MENEGUELO 1, A. N. F. MENDES 2 S. M. S. ROCHA 3 1 Universidade Federal do Espírito

Leia mais

22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental

22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 14 a 19 de Setembro 2003 - Joinville - Santa Catarina IV-028 - AVALIAÇÃO PRELIMINAR DA QUALIDADE DAS ÁGUAS DO RIACHO DE ÁGUA VERMELHA, MUNICÍPIO

Leia mais

Otimização da eficiência de remoção de matéria orgânica no sistema de filtros anaeróbios

Otimização da eficiência de remoção de matéria orgânica no sistema de filtros anaeróbios Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável http://revista.gvaa.com.br ARTIGO CIENTÍFICO Otimização da eficiência de remoção de matéria orgânica no sistema de filtros anaeróbios Optimizing

Leia mais

SOBRE OS SISTEMAS LACUSTRES LITORÂNEOS DO MUNICÍPIO DE FORTALEZA

SOBRE OS SISTEMAS LACUSTRES LITORÂNEOS DO MUNICÍPIO DE FORTALEZA SOBRE OS SISTEMAS LACUSTRES LITORÂNEOS DO MUNICÍPIO DE FORTALEZA Magda Maria Marinho Almeida Química Industrial Universidade Federal do Ceará, Mestre em Tecnologia de Alimentos - UFC Fernando José Araújo

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS CENTRO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA TECNOLOGIA EM SANEAMENTO AMBIENTAL. Filtros Biológicos

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS CENTRO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA TECNOLOGIA EM SANEAMENTO AMBIENTAL. Filtros Biológicos UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS CENTRO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA TECNOLOGIA EM SANEAMENTO AMBIENTAL Filtros Biológicos Emilia Nunes da Silva R.A. 060375 Maira Cristina Gasparini R.A. 062620 Maraline

Leia mais

I-062 - TRATAMENTO DE EFLUENTES DE FÁBRICA DE PAPEL POR PROCESSOS FÍSICO-QUÍMICOS EMPREGANDO FLOTAÇÃO POR AR DISSOLVIDO E OZÔNIO

I-062 - TRATAMENTO DE EFLUENTES DE FÁBRICA DE PAPEL POR PROCESSOS FÍSICO-QUÍMICOS EMPREGANDO FLOTAÇÃO POR AR DISSOLVIDO E OZÔNIO I-062 - TRATAMENTO DE EFLUENTES DE FÁBRICA DE PAPEL POR PROCESSOS FÍSICO-QUÍMICOS EMPREGANDO FLOTAÇÃO POR AR DISSOLVIDO E OZÔNIO Ricardo Nagamine Costanzi Engenheiro Civil. Mestre em Hidráulica e Saneamento

Leia mais

Apresentação ECTEL S T A R T

Apresentação ECTEL S T A R T Apresentação ECTEL START Quem Somos A Luftech atua no mercado desde 1992 desenvolvendo soluções para problemas ambientais causados por Resíduos Perigosos. Trabalhamos visando racionalidade econômica, segurança

Leia mais

DETERMINAÇÃO DE TOG EM AMOSTRAS DE ÁGUA DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO APODI/MOSSORÓ

DETERMINAÇÃO DE TOG EM AMOSTRAS DE ÁGUA DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO APODI/MOSSORÓ DETERMINAÇÃO DE TOG EM AMOSTRAS DE ÁGUA DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO APODI/MOSSORÓ FARIAS, L. T. lazaro-tfarias@hotmail.com 1, SOUZA, L. D. luizuern@bol.com.br. 2 1- Aluno de Iniciação Científica da Universidade

Leia mais

AVALIAÇÃO DO ph EM CULTIVO DE MICROALGA Chlorella vulgaris

AVALIAÇÃO DO ph EM CULTIVO DE MICROALGA Chlorella vulgaris AVALIAÇÃO DO ph EM CULTIVO DE MICROALGA Chlorella vulgaris Elias Trevisan 1 ; Miguel Leal Neto 2 ; Paula Moro 2 ; Silvio O. Hoshino 3 ; Pedro A. Arroyo 4. RESUMO: A produção de biocombustíveis tem proporcionado

Leia mais

11 Sistemas de lodos ativados

11 Sistemas de lodos ativados 11 Sistemas de lodos ativados Inglaterra, 1914 Processo biológico que envolve massa ativada de microrganismo em suspensão capazes de estabilizar o esgoto em ambiente aeróbio. http://meioambientedjc.blogspot.com.br/2011/10/ete-tratamento-secundario.html

Leia mais

22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental. 14 a 19 de Setembro 2003 - Joinville - Santa Catarina

22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental. 14 a 19 de Setembro 2003 - Joinville - Santa Catarina 22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 14 a 19 de Setembro 2003 - Joinville - Santa Catarina II-003- ANÁLISE TEMPORAL DA EFICIÊNCIA DO TRATAMENTO DE EFLUENTES DO AEROPORTO INTERNACIONAL

Leia mais

Universidade of São Paulo

Universidade of São Paulo Universidade of São Paulo Prof. Dr. Marcelo A. Nolasco mnolasco@usp.br http://www.usp.br Exceed project DAAD Mexico, April of 2012 University of São Paulo USP in Numbers Advanced center for research, education

Leia mais

UNIDADE EXPERIMENTAL DE TRATAMENTO DE ESGOTOS POR ECOSSISTEMAS CONSTRUÍDOS (UETEEC)

UNIDADE EXPERIMENTAL DE TRATAMENTO DE ESGOTOS POR ECOSSISTEMAS CONSTRUÍDOS (UETEEC) 51 UNIDADE EXPERIMENTAL DE TRATAMENTO DE ESGOTOS POR ECOSSISTEMAS CONSTRUÍDOS (UETEEC) André Baxter Barreto (andrebaxterbarreto@gmail.com) 1 Hiram Ferreira Jackson Sartori, (sartorih@pucminas.br) 2 1 -

Leia mais

22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental

22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 14 a 19 de Setembro 2003 - Joinville - Santa Catarina I-079 - BALANÇO DE MASSA E PRODUÇÃO DE LODO DA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA ALTO DA BOA

Leia mais

II-296 DESEMPENHO DE UMA LAGOA DE AGUAPÉS NO TRATAMENTO TERCIÁRIO DO EFLUENTE DE UMA INDÚSTRIA METAL-MECÂNICA

II-296 DESEMPENHO DE UMA LAGOA DE AGUAPÉS NO TRATAMENTO TERCIÁRIO DO EFLUENTE DE UMA INDÚSTRIA METAL-MECÂNICA II-296 DESEMPENHO DE UMA LAGOA DE AGUAPÉS NO TRATAMENTO TERCIÁRIO DO EFLUENTE DE UMA INDÚSTRIA METAL-MECÂNICA Rodrigo Steiner Engenheiro Químico responsável pela Gestão do Meio Ambiente na AGRALE S.A.

Leia mais

II-109 PÓS-TRATAMENTO DE EFLUENTE DE EMBALAGENS METÁLICAS UTILIZANDO REATOR DE BATELADA SEQUENCIAL (RBS) PARA REMOÇÃO DA DEMANDA QUÍMICA DE OXIGÊNIO

II-109 PÓS-TRATAMENTO DE EFLUENTE DE EMBALAGENS METÁLICAS UTILIZANDO REATOR DE BATELADA SEQUENCIAL (RBS) PARA REMOÇÃO DA DEMANDA QUÍMICA DE OXIGÊNIO II-19 PÓS-TRATAMENTO DE EFLUENTE DE EMBALAGENS METÁLICAS UTILIZANDO REATOR DE BATELADA SEQUENCIAL (RBS) PARA REMOÇÃO DA DEMANDA QUÍMICA DE OXIGÊNIO Marcelo Hemkemeier (1) Químico Industrial pela Universidade

Leia mais

I-024 APROVEITAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA: AVALIAÇÃO DO SEU TRATAMENTO PARA FINS POTÁVEIS

I-024 APROVEITAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA: AVALIAÇÃO DO SEU TRATAMENTO PARA FINS POTÁVEIS I-024 APROVEITAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA: AVALIAÇÃO DO SEU TRATAMENTO PARA FINS POTÁVEIS José Alexandre Borges Valle (1) Engenheiro Químico pela Universidade Regional de Blumenau; Mestre em Engenharia Química

Leia mais

III-219 CARACTERIZAÇÃO DO LIXIVIADO DO ATERRO SANITÁRIO DE SÃO CARLOS-SP E AVALIAÇÃO DE SUA TRATABILIDADE ANAERÓBIA

III-219 CARACTERIZAÇÃO DO LIXIVIADO DO ATERRO SANITÁRIO DE SÃO CARLOS-SP E AVALIAÇÃO DE SUA TRATABILIDADE ANAERÓBIA III-219 CARACTERIZAÇÃO DO LIXIVIADO DO ATERRO SANITÁRIO DE SÃO CARLOS-SP E AVALIAÇÃO DE SUA TRATABILIDADE ANAERÓBIA Tatiana Corrêa (1) Bióloga pela Universidade Federal de São Carlos. Mestre em Biotecnologia

Leia mais

Avaliação da Eficiência Inicial de Wetlands Construídos no Pós-Tratamento de Reator UASB

Avaliação da Eficiência Inicial de Wetlands Construídos no Pós-Tratamento de Reator UASB Avaliação da Eficiência Inicial de Wetlands Construídos no Pós-Tratamento de Reator UASB 3 rd International Workshop: Advances in Cleaner Production Vitor Cano (Bolsista FAPESP) Bianca Gomes (Bolsista

Leia mais

21º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental

21º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental II-028 PROGRAMA DE SANEAMENTO AMBIENTAL PARA O SEMI-ÁRIDO MINEIRO: OPÇÕES DE TRATAMENTO/RECICLAGEM DE ESGOTOS SANITÁRIOS PARA 20 CIDADES NO NORTE/NORDESTE DE MINAS GERAIS (EXPERIÊNCIA-PILOTO PARA O ESTADO)

Leia mais

Ambiente & Água - An Interdisciplinary Journal of Applied Science ISSN: 1980-993X ambi-agua@agro.unitau.br Universidade de Taubaté Brasil

Ambiente & Água - An Interdisciplinary Journal of Applied Science ISSN: 1980-993X ambi-agua@agro.unitau.br Universidade de Taubaté Brasil Ambiente & Água - An Interdisciplinary Journal of Applied Science ISSN: 1980-993X ambi-agua@agro.unitau.br Universidade de Taubaté Brasil Barra Reinaldo, Glícia Pinto; Oliveira Batista, Rafael; Moura da

Leia mais

III-504 - DESAGUAMENTO DE LODO DE ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ÁGUAS ETAS POR LEITO DE DRENAGEM COM MANTAS GEOTÊXTEIS ESCALA REDUZIDA

III-504 - DESAGUAMENTO DE LODO DE ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ÁGUAS ETAS POR LEITO DE DRENAGEM COM MANTAS GEOTÊXTEIS ESCALA REDUZIDA III-504 - DESAGUAMENTO DE LODO DE ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ÁGUAS ETAS POR LEITO DE DRENAGEM COM MANTAS GEOTÊXTEIS ESCALA REDUZIDA Cristiane Silveira Tecnóloga em Gerenciamento Ambiental pela Universidade

Leia mais

As ZHC são constituídas por leitos, normalmente escavados no solo. Estes são impermeabilizados e preenchidos com materiais de enchimento e podem ser

As ZHC são constituídas por leitos, normalmente escavados no solo. Estes são impermeabilizados e preenchidos com materiais de enchimento e podem ser EDUCAÇÃO AMBIENTAL E PARA A SUSTENTABILIDADE : O PROJETO MINIETARS DE PLANTAS MACRÓFITAS Mafalda Vaz(1,2,*), Dina Mateus(3,4), Henrique Pinho(3,5), Isabel Capela(1,6) Departamento de Ambiente e Ordenamento,

Leia mais

II-110 - AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE TRATAMENTO DE EFLUENTE DE UMA INDÚSTRIA SUCRO-ALCOOLEIRA

II-110 - AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE TRATAMENTO DE EFLUENTE DE UMA INDÚSTRIA SUCRO-ALCOOLEIRA II-11 - AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE TRATAMENTO DE EFLUENTE DE UMA INDÚSTRIA SUCRO-ALCOOLEIRA Irene Maria Chaves Pimentel (1) Graduanda em Engenharia Civil da Universidade Federal de Alagoas UFAL. Bolsista

Leia mais

REVISTA PETRÓLEO & ENERGIA ARTIGO TÉCNICO

REVISTA PETRÓLEO & ENERGIA ARTIGO TÉCNICO 1 REVISTA PETRÓLEO & ENERGIA ARTIGO TÉCNICO Geração de Bioenergia (H 2 e CH 4 ) com resíduos industriais (glicerol e vinhaça) integrando o processo produtivo agroindustrial (biodiesel e álcool) com a valorização

Leia mais

EFICIÊNCIA DO LEITO DE DRENAGEM PARA DESAGUAMENTO DE LODO DE ETA QUE UTILIZA SULFATO DE ALUMÍNIO COMO COAGULANTE

EFICIÊNCIA DO LEITO DE DRENAGEM PARA DESAGUAMENTO DE LODO DE ETA QUE UTILIZA SULFATO DE ALUMÍNIO COMO COAGULANTE EFICIÊNCIA DO LEITO DE DRENAGEM PARA DESAGUAMENTO DE LODO DE ETA QUE UTILIZA SULFATO DE ALUMÍNIO COMO COAGULANTE MARCELO MELO BARROSO (1) Doutorando do programa de Pós-Graduação em Engenharia Hidráulica

Leia mais

DEGRADAÇÃO DA MATÉRIA ORGÂNICA DA VINHAÇA UTILIZANDO O COAGULANTE NATURAL TANINO. Vitor Amigo Vive 1, Maria Cristina Rizk 2

DEGRADAÇÃO DA MATÉRIA ORGÂNICA DA VINHAÇA UTILIZANDO O COAGULANTE NATURAL TANINO. Vitor Amigo Vive 1, Maria Cristina Rizk 2 193 DEGRADAÇÃO DA MATÉRIA ORGÂNICA DA VINHAÇA UTILIZANDO O COAGULANTE NATURAL TANINO Vitor Amigo Vive 1, Maria Cristina Rizk 2 1 Discente em Engenharia Ambiental pela Universidade Estadual Paulista UNESP

Leia mais

Avaliação da Eficiência Inicial de Wetlands Construídos no Pós-Tratamento de Reator UASB

Avaliação da Eficiência Inicial de Wetlands Construídos no Pós-Tratamento de Reator UASB Avaliação da Eficiência Inicial de Wetlands Construídos no Pós-Tratamento de Reator UASB V. Cano a, B. G. L. A. Gomes b, M. A. Nolasco c a. Bachelor s Degree in Environmental Management at School of Arts,

Leia mais

II-070 - REUSO DE ÁGUA NO ZOOLÓGICO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

II-070 - REUSO DE ÁGUA NO ZOOLÓGICO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO II-070 - REUSO DE ÁGUA NO ZOOLÓGICO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Gandhi Giordano (1) Engenheiro Químico (UERJ), D.Sc. Enga Metalúrgica e de Materiais (PUC-Rio). Diretor Técnico da Tecma - Tecnologia em

Leia mais

EFICIÊNCIA DE REMOÇÃO DE ÓLEOS E GRAXAS DE UMA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO, CASCAVEL PARANÁ

EFICIÊNCIA DE REMOÇÃO DE ÓLEOS E GRAXAS DE UMA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO, CASCAVEL PARANÁ You are free: to copy, distribute and transmit the work; to adapt the work. You must attribute the work in the manner specified by the author or licensor EFICIÊNCIA DE REMOÇÃO DE ÓLEOS E GRAXAS DE UMA

Leia mais

LANDFILL LEACHATE TREATMENT USING WETLANDS EXPERIENCES IN PIRAÍ

LANDFILL LEACHATE TREATMENT USING WETLANDS EXPERIENCES IN PIRAÍ WETLANDS PARA TRATAMENTO DE LIXIVIADOS DE ATERROS SANITÁRIOS EXPERIÊNCIAS NO ATERRO SANITÁRIO DE PIRAÍ E NO ATERRO METROPOLITANO DE GRAMACHO (RJ) LANDFILL LEACHATE TREATMENT USING WETLANDS EXPERIENCES

Leia mais

REMOÇÃO DE CARBONO ORGÂNICO E NITRIFICAÇÃO DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS DA INDUSTRIALIZAÇÃO DE ARROZ

REMOÇÃO DE CARBONO ORGÂNICO E NITRIFICAÇÃO DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS DA INDUSTRIALIZAÇÃO DE ARROZ REMOÇÃO DE CARBONO ORGÂNICO E NITRIFICAÇÃO DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS DA INDUSTRIALIZAÇÃO DE ARROZ 1 ORGANIC CARBON REMOVAL AND NITRIFICATION OF RICE PROCESSING WASTEWATER ISOLDI, Loraine A. 1 ; KOETZ, Paulo

Leia mais

XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HIDRÍCOS DO NORDESTE

XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HIDRÍCOS DO NORDESTE XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HIDRÍCOS DO NORDESTE QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DO SOLO UTILIZADO EM SISTEMAS WETLANDS CONSTRUÍDOS PARA TRATAMENTO DE ESGOTO DOMÉSTICO E CULTIVO SIMULTÂNEO DE FEIJÃO Ivane Marcley

Leia mais

XII-024 GERENCIAMENTO DE DADOS EM LABORATÓRIO POR PLANILHAS ELETRONICAS VISANDO A GESTÃO DE INFORMAÇÃO

XII-024 GERENCIAMENTO DE DADOS EM LABORATÓRIO POR PLANILHAS ELETRONICAS VISANDO A GESTÃO DE INFORMAÇÃO XII-024 GERENCIAMENTO DE DADOS EM LABORATÓRIO POR PLANILHAS ELETRONICAS VISANDO A GESTÃO DE INFORMAÇÃO Ernesto Batista da Silva Filho Formado em Engenharia Sanitária pela Universidade Federal do Pará em

Leia mais

II-160 - AVALIAÇÃO DA REMOÇÃO DO NITROGÊNIO AMONIACAL EM UMA SÉRIE DE LAGOAS DE ESTABILIZAÇÃO NO NORDESTE DO BRASIL

II-160 - AVALIAÇÃO DA REMOÇÃO DO NITROGÊNIO AMONIACAL EM UMA SÉRIE DE LAGOAS DE ESTABILIZAÇÃO NO NORDESTE DO BRASIL II-160 - AVALIAÇÃO DA REMOÇÃO DO NITROGÊNIO AMONIACAL EM UMA SÉRIE DE LAGOAS DE ESTABILIZAÇÃO NO NORDESTE DO BRASIL Renata Carolina Pifer Abujamra (1) Engenheira Agrônoma pela Universidade Federal do Paraná,

Leia mais

ESTUDO ESTATÍSTICO DA DISTRIBUIÇÃO DO TEOR DE ÓLEOS E GRAXAS EM ESGOTOS DOMÉSTICO E EFLUENTES DE FILTROS ANAERÓBIOS

ESTUDO ESTATÍSTICO DA DISTRIBUIÇÃO DO TEOR DE ÓLEOS E GRAXAS EM ESGOTOS DOMÉSTICO E EFLUENTES DE FILTROS ANAERÓBIOS ESTUDO ESTATÍSTICO DA DISTRIBUIÇÃO DO TEOR DE ÓLEOS E GRAXAS EM ESGOTOS DOMÉSTICO E EFLUENTES DE FILTROS ANAERÓBIOS Henio Normando de Souza Melo* Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN Josette

Leia mais

Palavras-chave: Tratamento de esgoto, poluição ambiental, macrófitas, qualidade da água.

Palavras-chave: Tratamento de esgoto, poluição ambiental, macrófitas, qualidade da água. Revista Energia na Agricultura ISSN 1808-8759 REMOÇÃO DA CARGA POLUIDORA DE ESGOTOS DOMÉSTICOS POR PROCESSO FITO-PEDOLÓGICO ROMANO SALARO JUNIOR 1 & ASSUNTA MARIA MARQUES DA SILVA 2 RESUMO: Neste trabalho

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE ETE COMPACTA EM ARAGUARI-MG

IMPLANTAÇÃO DE ETE COMPACTA EM ARAGUARI-MG ASSEMAE Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento 1/9 IMPLANTAÇÃO DE ETE COMPACTA EM ARAGUARI-MG Autor: Kleber Lúcio Borges Engenheiro Civil, Engenheiro Segurança do Trabalho, Mestre em

Leia mais

I-109 - AVALIAÇÃO DO SISTEMA REATOR UASB E FILTRO BIOLÓGICO AERADO SUBMERSO PARA O TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO

I-109 - AVALIAÇÃO DO SISTEMA REATOR UASB E FILTRO BIOLÓGICO AERADO SUBMERSO PARA O TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO I-109 - AVALIAÇÃO DO SISTEMA REATOR UASB E FILTRO BIOLÓGICO AERADO SUBMERSO PARA O TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO Miguel Mansur Aisse (1) Engenheiro Civil (1976). Doutorado em Engenharia pela Escola Politécnica

Leia mais

EFICIÊNCIA DO TRATAMENTO DE EFLUENTE DE FECULARIA POR MEIO DE LAGOAS

EFICIÊNCIA DO TRATAMENTO DE EFLUENTE DE FECULARIA POR MEIO DE LAGOAS 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 EFICIÊNCIA DO TRATAMENTO DE EFLUENTE DE FECULARIA POR MEIO DE LAGOAS Anna Paola Tonello 1, Paulo Sérgio Lourenço de Freitas 2, Altair Bertonha 3 RESUMO:

Leia mais

Inovação e Tecnologias Globais em Saneamento Concepção de ETEs nos Tempos Modernos

Inovação e Tecnologias Globais em Saneamento Concepção de ETEs nos Tempos Modernos 29_07_14 Inovação e Tecnologias Globais em Saneamento Concepção de ETEs nos Tempos Modernos 1. INTRODUÇÃO CONTEXTUALIZAÇÃO DO TRATAMENTO DE ESGOTOS NAS ÚLTIMAS DÉCADAS Os objetivos do tratamento de esgotos

Leia mais

Desempenho de sistemas de irrigação na produção ecológica de rabanete utilizando água residuária tratada em ambiente protegido

Desempenho de sistemas de irrigação na produção ecológica de rabanete utilizando água residuária tratada em ambiente protegido Resumos do IX Congresso Brasileiro de Agroecologia Belém/PA 28.09 a 01.10.2015 Desempenho de sistemas de irrigação na produção ecológica de rabanete utilizando água residuária tratada em ambiente protegido

Leia mais

Estudo da Viabilidade de Utilização do Polímero Natural (TANFLOC) em Substituição ao Sulfato de Alumínio no Tratamento de Águas para Consumo

Estudo da Viabilidade de Utilização do Polímero Natural (TANFLOC) em Substituição ao Sulfato de Alumínio no Tratamento de Águas para Consumo Estudo da Viabilidade de Utilização do Polímero Natural (TANFLOC) em Substituição ao Sulfato de Alumínio no Tratamento de Águas para Consumo L. A. Coral a, R. Bergamasco R b, F. J. Bassetti c a. Departamento

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO E TRATABILIDADE DO EFLUENTE DE LAVAGEM DE UMA RECICLADORA DE PLÁSTICOS

CARACTERIZAÇÃO E TRATABILIDADE DO EFLUENTE DE LAVAGEM DE UMA RECICLADORA DE PLÁSTICOS CARACTERIZAÇÃO E TRATABILIDADE DO EFLUENTE DE LAVAGEM DE UMA RECICLADORA DE PLÁSTICOS Elisângela Garcia Santos RODRIGUES 1, Hebert Henrique de Souza LIMA 1, Irivan Alves RODRIGUES 2, Lúcia Raquel de LIMA

Leia mais

REMOÇÃO DE POLUENTES DE EFLUENTE DE REATOR ANAERÓBIO UTILIZANDO BANHADOS CONSTRUÍDOS VEGETADOS COM TANGOLA

REMOÇÃO DE POLUENTES DE EFLUENTE DE REATOR ANAERÓBIO UTILIZANDO BANHADOS CONSTRUÍDOS VEGETADOS COM TANGOLA REMOÇÃO DE POLUENTES DE EFLUENTE DE REATOR ANAERÓBIO UTILIZANDO BANHADOS CONSTRUÍDOS VEGETADOS COM TANGOLA André dos Santos Oliveira 1,3 ; Luciene da Silva Santos 1,3 ; Carlos Nobuyoshi Ide 2,3. 1 Bolsista

Leia mais

TRATAMENTO DE ESGOTOS EM PEQUENAS COMUNIDADES. A EXPERIÊNCIA DA UFMG.

TRATAMENTO DE ESGOTOS EM PEQUENAS COMUNIDADES. A EXPERIÊNCIA DA UFMG. FUNASA SOLUÇÕES INOVADORAS DE TRATAMENTO E REÚSO DE ESGOTO EM COMUNIDADES ISOLADAS Campinas, 20-21 junho 2013 TRATAMENTO DE ESGOTOS EM PEQUENAS COMUNIDADES. A EXPERIÊNCIA DA UFMG. Marcos von Sperling Universidade

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Desafios operacionais, reator UASB, Filtro Biológico Percolador, geração de odor.

PALAVRAS-CHAVE: Desafios operacionais, reator UASB, Filtro Biológico Percolador, geração de odor. II-151 - DESAFIOS OPERACIONAIS DE INÍCIO DE OPERAÇÃO DE UMA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTOS DO TIPO REATOR UASB SEGUIDO DE FILTRO BIOLÓGICO PERCOLADOR ETE NOVA CONTAGEM - MG Maria Letícia de Castro (1)

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA MEC UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ UFPI PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PRPPG

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA MEC UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ UFPI PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PRPPG MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA MEC UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ UFPI PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PRPPG Coordenadoria Geral de Pesquisa CGP Campus Universitário Ministro Petrônio Portela,

Leia mais

II-008 - LEITOS CULTIVADOS ( CONSTRUCTED WETLAND ): COMPARAÇÃO ENTRE VALORES OBTIDOS PARA UMA MESMA VAZÃO AFLUENTE EM ÉPOCAS DISTINTAS

II-008 - LEITOS CULTIVADOS ( CONSTRUCTED WETLAND ): COMPARAÇÃO ENTRE VALORES OBTIDOS PARA UMA MESMA VAZÃO AFLUENTE EM ÉPOCAS DISTINTAS II-8 - LEITOS CULTIVADOS ( CONSTRUCTED WETLAND ): COMPARAÇÃO ENTRE VALORES OBTIDOS PARA UMA MESMA VAZÃO AFLUENTE EM ÉPOCAS DISTINTAS Marcelus Alexander Acorinte Valentim (1) Mestre em Engenharia Agrícola

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA COLETA DE ÁGUA E AMOSTRAS AMBIENTAIS

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA COLETA DE ÁGUA E AMOSTRAS AMBIENTAIS Sistema Único de Saúde Estado de Santa Catarina Secretaria de Estado da Saúde Laboratório Central de Saúde Pública Código do Documento Cópia Controlada Nº MANUAL 1/8 MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA COLETA DE

Leia mais

COMPORTAMENTO DOS ÍNDICES DO ESTADO TRÓFICO DE CARLSON (IET) E MODIFICADO (IET M ) NO RESERVATÓRIO DA UHE LUÍS EDUARDO MAGALHÃES, TOCANTINS BRASIL.

COMPORTAMENTO DOS ÍNDICES DO ESTADO TRÓFICO DE CARLSON (IET) E MODIFICADO (IET M ) NO RESERVATÓRIO DA UHE LUÍS EDUARDO MAGALHÃES, TOCANTINS BRASIL. COMPORTAMENTO DOS ÍNDICES DO ESTADO TRÓFICO DE CARLSON (IET) E MODIFICADO (IET M ) NO RESERVATÓRIO DA UHE LUÍS EDUARDO MAGALHÃES, TOCANTINS BRASIL. Liliana Pena Naval* Doutorada pela Universidad Complutense

Leia mais

AVALIAÇÃO DE UM SISTEMA DE TRATAMENTO ANAERÓBIO DE DEJETOS SUÍNOS

AVALIAÇÃO DE UM SISTEMA DE TRATAMENTO ANAERÓBIO DE DEJETOS SUÍNOS AVALIAÇÃO DE UM SISTEMA DE TRATAMENTO ANAERÓBIO DE DEJETOS SUÍNOS Jaqueline Scapinello 1, Antônio Carlos Munarini 2, Gilza M. de Souza Franco 3 e Jacir Dal Magro 3 Resumo: A suinocultura é uma atividade

Leia mais

ABSORÇÃO DE MICRONUTRIENTES APÓS APLICAÇÃO DE BIOSSÓLIDO NO DESENVOLVIMENTO INICIAL DE EUCALIPTO

ABSORÇÃO DE MICRONUTRIENTES APÓS APLICAÇÃO DE BIOSSÓLIDO NO DESENVOLVIMENTO INICIAL DE EUCALIPTO ABSORÇÃO DE MICRONUTRIENTES APÓS APLICAÇÃO DE BIOSSÓLIDO NO DESENVOLVIMENTO INICIAL DE EUCALIPTO Ivo Zution Gonçalves¹; Giovanni de Oliveira Garcia²; João Carlos Madalão³; Hanne Nippes Bragança 4 ; Glaucio

Leia mais

Eixo Temático ET-05-018 - Meio Ambiente e Recursos Naturais

Eixo Temático ET-05-018 - Meio Ambiente e Recursos Naturais 621 Eixo Temático ET-05-018 - Meio Ambiente e Recursos Naturais ESTUDO DA CAPACIDADE ADSORTIVA DE PRODUTOS NATURAIS PARA TRATAMENTO DE EFLUENTE POR ADSORÇÃO Henrique John Pereira Neves¹, Rejane Pereira

Leia mais

TRATAMENTO DE EFLUENTES COM ALTAS CONCENTRAÇÕES DE MATÉRIA ORGÂNICA E NUTRIENTES UTILIZANDO MACRÓFITA AQUÁTICA

TRATAMENTO DE EFLUENTES COM ALTAS CONCENTRAÇÕES DE MATÉRIA ORGÂNICA E NUTRIENTES UTILIZANDO MACRÓFITA AQUÁTICA TRATAMENTO DE EFLUENTES COM ALTAS CONCENTRAÇÕES DE MATÉRIA ORGÂNICA E NUTRIENTES UTILIZANDO MACRÓFITA AQUÁTICA DIVENSI, Helizabett Fernanda do. IC, UTFPR, Fundação Araucária, Engenharia Ambiental, UTFPR,

Leia mais

II-026 - IMPACTO DE CARGAS TÓXICAS DE DERIVADOS DE PETRÓLEO EM REATORES UASB OPERANDO COM FLUXO INTERMITENTE EM ESCALA PILOTO

II-026 - IMPACTO DE CARGAS TÓXICAS DE DERIVADOS DE PETRÓLEO EM REATORES UASB OPERANDO COM FLUXO INTERMITENTE EM ESCALA PILOTO II-026 - IMPACTO DE CARGAS TÓXICAS DE DERIVADOS DE PETRÓLEO EM REATORES UASB OPERANDO COM FLUXO INTERMITENTE EM ESCALA PILOTO Verginia Januário Dos Reis Rocha Engenheira Civil pela Universidade Federal

Leia mais

POTENCIALIDADES DO LODO DE ESGOTO COMO SUBSTRATO PARA PRODUÇÃO DE MUDAS

POTENCIALIDADES DO LODO DE ESGOTO COMO SUBSTRATO PARA PRODUÇÃO DE MUDAS Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas POTENCIALIDADES DO LODO DE ESGOTO COMO SUBSTRATO PARA PRODUÇÃO DE MUDAS Vanderley José Pereira (1), Lidiane de Souza Rodrigues (2) & Adriane de Andrade Silva (3)

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE BACTERIOLÓGICA DAS ÁGUAS DE CISTERNAS: ESTUDO DE CASO NO MUNICÍPIO DE PETROLINA-PE.

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE BACTERIOLÓGICA DAS ÁGUAS DE CISTERNAS: ESTUDO DE CASO NO MUNICÍPIO DE PETROLINA-PE. . AVALIAÇÃO DA QUALIDADE BACTERIOLÓGICA DAS ÁGUAS DE CISTERNAS: ESTUDO DE CASO NO MUNICÍPIO DE PETROLINA-PE. Miriam Cleide Cavalcante de Amorim, Eng. Química. Mestre em Eng. Química pela Universidade Federal

Leia mais

VII-001 - QUALIDADE SANITÁRIA DAS AREIAS DE PRAIAS DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO

VII-001 - QUALIDADE SANITÁRIA DAS AREIAS DE PRAIAS DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO VII-001 - QUALIDADE SANITÁRIA DAS AREIAS DE PRAIAS DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO Carlos Augusto M. da Costa e Silva (1) Biólogo pela Faculdade Pedro II (1977). Especialista em Microbiologia e Pós-graduado

Leia mais

ESTUDO DA REMOÇÃO DE ÓLEOS E GRAXAS EM EFLUENTES DE PETRÓLEO UTILIZANDO BAGAÇO DA CANA

ESTUDO DA REMOÇÃO DE ÓLEOS E GRAXAS EM EFLUENTES DE PETRÓLEO UTILIZANDO BAGAÇO DA CANA ESTUDO DA REMOÇÃO DE ÓLEOS E GRAXAS EM EFLUENTES DE PETRÓLEO UTILIZANDO BAGAÇO DA CANA Petrus Ferreira de Souza Orientadora: Elba Gomes dos Santos Resumo A presença de óleos em efluentes, pode se bastante

Leia mais

ENGENHARIA CIVIL INTEGRADA

ENGENHARIA CIVIL INTEGRADA ENGENHARIA CIVIL INTEGRADA ARAÇATUBA 2014 Nome Antônio Paulo da Silva Gama Bruno Roger Hoshino dos Santos Gustavo Chozi Izabela dos Santos Eduardo RA A424BG-5 A546BC-0 A395CC-0 A571BH-6 SISTEMA DE TRATAMENTO

Leia mais