II PRÊMIO CONCILIAR É LEGAL CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA - CNJ. Prática apresentada:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "II PRÊMIO CONCILIAR É LEGAL CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA - CNJ. Prática apresentada:"

Transcrição

1 II PRÊMIO CONCILIAR É LEGAL CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA - CNJ Conciliação com usuários freqüentes (grandes litigantes) e/ ou grandes casos Prática apresentada: Conciliação em execução fiscal na fase de leilão judicial O caso CELSP/ULBRA Guilherme Pinho Machado Juiz Federal

2 I. APRESENTAÇÃO A prática conciliatória que aqui se apresenta foi efetivada no período de abril de 2009 até fevereiro de 2010, com conseqüências em relação às entidades envolvidas - a executada CELSP/ULBRA e a exeqüente Fazenda Nacional-, até o presente momento. Visou-se, no caso que se vai apresentar, não apenas efetivar uma mera conciliação em execução fiscal - o que não tem sido incomum na Justiça Federal, especialmente quando os credores são os conselhos de classe-, mas sim realizar um acordo que permitisse manter em funcionamento uma das maiores entidades de ensino privada do Brasil 1, a Universidade Luterana do Brasil ULBRA-. A entidade esteve envolvida em uma série de escândalos que teriam sido protagonizados por sua anterior direção, resultando no ajuizamento de diversas ações executórias, tendo grande parte de seus bens sido penhorados, e na época da conciliação prontos para serem levados para leilão judicial. Não se tratou apenas de um acordo com a apresentação de uma proposta de pagamento de débito parcelado, ou mesmo com algum desconto o que, aliás, não seria possível ser realizado pela Fazenda Nacional sem lei que amparasse. A CELSP Comunidade Evangélica Luterana São Paulo-, mantenedora da ULBRA, se tornou uma das 5 (cinco) maiores devedoras fiscais federais do Brasil, sem qualquer possibilidade de parcelar sua dívida, atingindo as execuções fiscais que tramitavam à época na 1a Vara Federal do município de Canoas - sede da entidade-, o valor de quase R$ 2 bilhões. A situação acabou por paralisar totalmente o ensino da entidade, e suspendeu as atividades dos 3 (três) hospitais da CELSP (um referência em Canoas e dois situados em Porto Alegre), além de iniciar um greve de professores das universidades e das escolas da 1 A ULBRA chegou a ter em seus campi espalhados pelo Brasil (cento e vinte e seis mil e trezentos e cinqüenta e três alunos), sem contar as redes escolares de ensino médio e fundamental.

3 CELSP, com constantes bloqueios bancários, chegando-se até penhora dos bens da entidade. Desta forma, a única solução que se apresentava pela letra fria da lei seria a designação dos leilões judiciais, o que terminaria com a entidade, e criaria um déficit social enorme, deixando milhares de alunos sem ensino, e mais de (sete mil) professores desempregados, isso sem falar na perda de leitos no âmbito da saúde. A busca conciliatória do magistrado responsável pelo processo acabou se mostrando como uma solução inovadora, nunca antes aplicada no Brasil, não prevista, mas também não vedada em lei, e que possibilitou, ao mesmo tempo, a venda em leilão judicial de milhões de reais em bens da entidade (considerados não essenciais para as atividades de ensino e saúde). Solveu-se, assim, parte da dívida fiscal, e permitiu-se a volta do normal funcionamento da instituição de ensino, paralisada pela greve dos professores que não recebiam seus salários havia 6 (seis) meses. Posteriormente o hospital Universitário de Canoas voltou a funcionar. Verificou-se que nos últimos anos o anterior Reitor da Universidade - hoje indiciado em vários inquéritos policiais pela prática dos mais diversos crimes-, havia amealhado para CELSP um patrimônio de quase R$ 100 milhões, em bens que nenhuma relação tinham com as atividades fins da entidade. Desta feita, ao invés de simplesmente vender estes bens, fazendo com que apenas cerca de 5% da dívida fiscal fosse coberta, propôs o juiz às partes que fosse respeitada a lei de execuções fiscais, com a venda judicial destes móveis e imóveis, mas trabalhando estes valores de forma positiva para as duas litigantes. A proposta foi a de que os valores arrecadados nos leilões voltassem ao fluxo da CELSP/ULBRA, para a utilização da sua nova administração, mas unicamente para as dívidas urgentes trabalhistas e com fornecedores -. Esta se responsabilizaria a, de forma parcelada, devolver as quantias obtidas nos leilões ao credor. Com isso, no momento em que os primeiros leilões foram efetivados, a Ulbra pagou seus professores e demais débitos que impediam o retorno de seus alunos para as aulas, voltando a funcionar e a receber o respectivo pagamento das mensalidades, com incremento

4 de seu fluxo de caixa. Com o tempo as quantias acumuladas permitiram a gradativa volta em funcionamento do hospital da entidade em Canoas. Desta maneira, a Fazenda Nacional não deixou de receber as quantias referentes aos leilões e, ao mesmo tempo, a devedora voltou a prestar seus serviços para a comunidade. A conciliação entre a Fazenda Nacional e a CELSP/ULBRA foi fruto de uma série de audiências, e culminou com um acordo nos moldes que a seguir são apresentados. Este permitiu que a ULBRA não só voltasse a funcionar como esteja hoje em dia com os impostos federais posteriores à conciliação. O restante da dívida foi coberto em grande parte pela adjudicação judicial pela UNIÃO dos dois hospitais que eram de propriedade da CELSP em Porto Alegre 2. Foi levado em conta, assim, o caráter social desta entidade, como tantas outras devedoras que são voltadas a atividades essenciais estatais - assim como as grandes empresas privadas que geram milhares de empregos-. Deixou-se de apenas vender o patrimônio e extinguir a empresa, evitando-se a falência da entidade, considerada patrimônio da região, sem qualquer burla a lei de execuções, aplicando-se, unicamente, as técnicas de conciliação, graças à boa vontade de todas as partes, e o empenho dos servidores da 1a Vara Federal de Canoas 3, onde o juiz Guilherme Pinho jurisdicionava na época. A seguir, pretendemos explicar melhor os termos deste acordo, e como ele pode ser aplicado pela Fazenda Nacional em relação a tantas outras grandes devedoras, cuja mera execução de seus bens ao mesmo tempo em que pode acabar por solver um débito tributário, é capaz de criar uma dívida social muitas vezes com valor ainda maior. 2 Matéria das páginas 36/37, da Revista Via Lega do CJF, n. 10/ Hoje Vara Federal Previdenciária e de Execuções Fiscais

5 1. A CELSP/ULBRA A Comunidade Evangélica Luterana São Paulo é uma instituição religiosa criada no município de São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, há mais de 100 anos. Em 1911 fundou a sua primeira escola. A ascensão da entidade se iniciou em 1971, quando Ruben Eugen Becker assumiu os projetos educacionais da CELSP, criando o Colégio Cristo Redentor em Canoas, na grande Porto Alegre. A partir daí Ruben Becker criou diversas escolas, e a Universidade Canoense, que depois se tornou Universidade Luterana do Brasil, entidade em que foi Reitor desde sua criação em 1988, até a data em que se afastou do cargo em 17 de abril de A CELSP conta hoje com hoje com 18 (dezoito) colégios, espalhados no Rio Grande do Sul, Goiás, Tocantins, Pará, Rondônia e Amazônia, e com a Universidade Luterana do Brasil Ulbra, que possui 15 (quinze) campi nestes mesmos estados da federação. 2. O ENDIVIDAMENTO DA ENTIDADE Nos últimos anos a CELSP começou a expandir as suas atividades. A entidade passou a dirigir 3 (três) hospitais, uma rede de televisão, outra de rádio, passou a competir em alto nível nas mais diversas práticas esportivas, assim como formou um museu com mais de 700 veículos importados. Em que pese o crescente endividamento, as execuções fiscais começaram a se avolumar quando a CELSP perdeu o caráter de entidade filantrópica em Isso ocorreu a partir da deflagração pela Polícia Federal da chamada Operação Fariseu, que investigou a compra de certificados de entidades filantrópicas perante o Conselho Nacional de Assistência Social CNAS 4. 4 Conversas comprometem pró-reitor da Ulbra Relatório reservado da PF sobre a Operação Fariseu indica que pareceres de integrantes do CNAS sobre concessão de título de filantropia podem ter sido vendidos por até R$ 8 mil. Esses certificados podem render milhões em isenções fiscais para determinadas instituições privadas. O documento mostra ainda comprometedoras conversas de conselheiros, advogados e até de religiosas sobre vinhos, viagens e manipulação de resultados.

6 Com isso a Receita Federal passou a apurar os débitos da CELSP no período não atingido pela prescrição, e iniciou-se em Canoas o ajuizamento de execuções fiscais, num valor total de R$ 2 bilhões. Em face da situação, este juiz iniciou o processo de constrição judicial do patrimônio da Ulbra determinando, a pedido da Fazenda Nacional, a penhora de 5% do faturamento mensal da entidade, o que seria controlado pela empresa de Auditoria Junemann Associados. No período, o Reitor da Ulbra Ruben Becker, que também geria a CELSP por meio de procuração, não efetuou o pagamento dos percentuais exigidos, assim como deixou de pagar os salários de professores e demais funcionários. Iniciou-se, de, forma concomitante, uma operação policial tendo como alvo o Sr. Becker, o Vice-Reitor Leandro Becker (filho de Ruben), contadores e uma série de outros gestores da entidade, tudo culminando com a mudança da reitoria no inicio de Entre as conversas estão alguns diálogos entre o pró-reitor da Ulbra (Universidade Luterana do Brasil), Pedro Menegat, e o advogado Luiz Vicente Dutra. Num deles, de 31 de outubro de 2006, Menegat e Dutra acertam pagar entre R$ 5 mil e R$ 8 mil ao conselheiro Misael Barreto por um parecer. - Vê aquele assunto que eu tinha lhe proposto do conselheiro Misael fazer o parecer do desmembramento, aquilo eu acho importante porque ele é a figura lá que trata da parte jurídica, é o único conselheiro que lida com essas questões - diz Dutra. Menegat concorda: - Me dá uma sugestão. Dentro do critério ali, de sempre. - Eu vou ver cinco mil, cinco ou oito mil - diz o advogado. Num diálogo de 18 de outubro de 2006, Menegat e Dutra já tinham conversado sobre a compra do parecer de Barreto. - Evidentemente que, depois, temos que acertar uma remuneração, que pode até ser pago por meu intermédio - afirma Dutra. O pró-reitor da Ulbra negou a compra de parecer: - Nunca, em momento algum, foi proposto isso (pagamento a Misael). Me é estranha totalmente (a conversa com Dutra). Sempre encaminhei qualquer processo via consultor. Nem sei quem é esse tal de Misael. O CNAS também comunicou que a União Brasileira de Cegos substituiu a sua representação no Conselho, fato que, na avaliação da nova presidente, "deveria ser feito pelos demais conselheiros que estão sob investigação, para o bom funcionamento do colegiado". Simone Albuquerque informa que cancelou a reunião plenária mensal que ocorreria na semana que vem. Até a próxima reunião, marcada para abril, ela pretende revisar os processos que foram julgados e deferidos na reunião do mês de fevereiro, cujos certificados não tenham sido assinados. Ela também determinou que a equipe de análise de processos solicite informações junto à Receita Federal para instrução dos processos que serão julgados nos próximos meses. A nova presidente do CNAS disse também que apóia às investigações que estão sendo feitas pela Polícia Federal e que está contribuindo com todas as informações necessárias ao processo. Em ncia_do_conselho_nacional_de_assistencia_social asp. Visitado em

7 3. O INICIO DA FASE CONCILIATÒRIA As nova gestão da CELSP/ ULBRA assumiu em um momento de absoluta crise. As aulas estavam paralisadas e os professores em greve. Iniciou-se, então, um processo de diálogo intermediado pelo juiz Guilherme Pinho Machado, com os novos dirigentes da devedora e a Fazenda Nacional, representada pelo seu procurador Chefe no Rio Grande do Sul, Diogo Cyrilo, e pelo Procurador Chefe de Seção de Grandes Devedores, Christian Obrador Chaves. Neste momento, já havia se verificado que milhões de reais haviam sido gastos pela antiga gestão da CELSP em bens que nenhuma relação tinham com a entidade, como veículos de luxo, apart hotel Brasília, apartamentos no litoral, loteamentos e etc., todos devidamente penhorados e prontos para irem a leilão. 4. A PRÁTICA CONCILIATÓRIA Após diversas reuniões, no dia 22 de maio de 2009, em audiência pública e com presença maciça da imprensa, os representantes da Fazenda Nacional e da devedora aceitaram a proposta de acordo apresentada pela Justiça Federal nos seguintes termos: a) no prazo de 60 (sessenta) dias a CELSP/ULBRA apresentaria a lista de todos os bens que possuía, salvo os campi, colégios e bens essenciais ao funcionamento destes; b) os bens seriam devidamente avaliados pelos Oficias de Justiça em caráter emergencial; c) o juiz federal de Canoas elaboraria um cronograma de venda judicial de todos estes bens - sujeito à aprovação das partes-, seguindo os

8 leilões as regras do CPC e da Lei de Execuções Fiscais, permitindo-se a venda direta de alguns deles, se expressamente aceito pelas partes, quando se mostrasse mais vantajoso; d) os bens não poderiam ser vendidos num segundo leilão com valor inferior a 90% da avaliação; e) os leiloeiros 5 receberiam as suas comissões a partir de tabela escalonada, que elaborada pelos juízes e partes, variando de 10% (dez por cento) para bens vendidos abaixo de R$ 150 mil, até 3% (três por cento) para os bens vendidos acima de R$ 1,5 milhão; f) No momento de cada venda, 90% da quantia arrecadada seria entregue a CELSP/ULBRA, e 10% para a Fazenda Nacional. A cada mês a CELSP pagaria 5% (cinco por cento ) do valor arrecadado no mês anterior de volta a credora, até devolver, no período de 18 (dezoito) meses, o total conquistado com as vendas. g) Todas as vendas, e a utilização das quantias pela devedora, assim como a devolução dos valores, seriam controlados por uma empresa de auditoria independente, e pela equipe técnica da Fazenda Nacional h) Ficaram suspensos os bloqueios nas contas da CELSP. termos: A ata final da audiência de conciliação teve os seguintes 5 11 leiloeiros realizaram as vendas

9 TERMO DE AUDIÊNCIA EXECUÇÃO FISCAL Nº /RS EXEQUENTE - UNIÃO - FAZENDA NACIONAL EXECUTADO -COMUNIDADE EVANGELICA LUTERANA SAO PAULO APENSO(S) e Aos vinte e sete dias do mês de abril do ano de 2009, às 15h, na sala de audiência da Vara Federal Cível da Subseção Judiciária de Canoas, Seção Judiciária do Estado do Rio Grande do Sul, presentes o MM. Juiz Federal, Dr. Guilherme Pinho Machado, e: I - Pela parte executada: a) o Magnífico Reitor da Ulbra, Sr. Marcos Ziemer; b) o Procurador Jonas Osmar Dietrich; c) o Pro-Reitor de Administração, Ricardo Muller. II - Pela parte exeqüente: a) o Procurador Christian Frau Obrador Chaves; b) o Procurador José Diogo Cyrillo da Silva; c) o Procurador Rafael Degani. Aberta a Audiência, o Juiz Federal fez uma explanação dos acontecimentos que envolveram os processos de execução fiscal, e as dificuldades criadas pelos ex-dirigentes da Entidade, criando um clima de falta de credibilidade que impedia o estabelecimento de qualquer tipo de conciliação com a parte credora. Após, afirmou que recebeu recentemente a visita do novo representante da entidade, constatando a possibilidade de realização de acordos relativos a certos pontos, que possam permitir o funcionamento normal da Entidade, sem ferir as garantias judiciais da parte credora. Devidos aos documentos apresentados pela equipe de Auditoria do Juízo, e pelo Juízo da 2ª Vara do Trabalho de Canoas, determinou o Juiz Guilherme Pinho Machado fosse dada abertura a investigação criminal, em relação a Sirlei Dias Gomes, Milton Machado e o Escritório Contábil Dilkin e Penteado

10 (MERCONSULT CONSULTORIA EMPRESARIAL S/C LTDA). Com a palavra, o Proc. da Fazenda disse da necessidade de se buscar soluções, com a CELSP, de curto, médio e longo prazo, mediante uma relação de transparência por parte da CELSP. Dada a palavra ao Reitor da Ulbra, houve concordância com os apontamentos da Fazenda Nacional. Foi apresentada pelo Juízo a proposta concreta para que, em 60 (sessenta) dias, a Universidade apresente a relação de patrimônio envolvendo veículos e bens imóveis dos quais teria interesse em desfazer, para fim de, com o produto da alienação, garantir/pagar os créditos executados pela Fazenda Nacional. Em troca, a CELSP/Ulbra pagaria inicialmente um percentual de 10% do produto da arrecadação à Fazenda Nacional, e 5% mensais do produto da arrecadação da venda, até atingir a integralidade do produto da venda, para fim de recuperação das garantias, até o valor final ser completado. A venda poderá ser feita por meio de leiloeiro, inclusive mediante venda por iniciativa particular, cujo produto da arrematação não poderá ser inferior a 90% (noventa por cento) da avaliação. A proposta foi aceita pelas partes. Ficou estabelecido que, até 60 (sessenta) dias, ficarão suspensos quaisquer bloqueios judiciais das contas da CELSP/ULBRA e FULBRA - Fundação Ulbra, tão somente. Após, a questão voltará a ser analisada pela Fazenda Nacional. A Fazenda Nacional questionou ao Reitor da Ulbra quando seria informado o novo corpo jurídico da CELSP/ULBRA. Em resposta, informou o Reitor da Ulbra que, até o final da semana, seria atendida tal solicitação. Ficou estabelecido que a equipe de Auditoria nomeada pela Juízo permaneceria prestando regularmente as atividades, junto à Ulbra, e assessorando a Universidade, na realização da sua contabilidade. (...)

11 Nada mais havendo a ser registrado pelo MM. Juiz Federal, foi determinado o encerramento do presente termo, lavrado por mim, Felipe Rippel Braga, Analista Judiciário. Canoas, 27 de abril de Juiz Federal GGuilherme Pinho Machado Criado por [FRB] Versao [6] por FRB Em: 27/04/2009 4:34:00 PM [ ] Verificado em 16:26:48 14/10/11 5. DOS BENS VENDIDOS EM ACORDO E OS VALORES ARRECADADOS A seguir apresentamos a seqüência de leilões realizados: Julho de 2009: -TERRENO NA RUA PERU, EM CANOAS, MATRÍCULAS , 1.044,45.861,33.334, TERRENO NA AVENIDA VICTOR BARRETO CANOAS, MATRÍCULA VEÍCULOS IMPORTADOS ARRECADADOS R$ 8,7 milhões Agosto de TERRENO NA RUA BOQUEIRÃO, EM CANOAS, MATRÍCULA , , UNIDADE 2 EM IMBÉ Morada do Sol, MATRÍCULA UNIDADE 1 EM IMBÉ Morada do Sol, MATRÍCULA TERRENOS NO LOTEAMENTO MONT SERRAT -14 VEICULOS IMPORTADOS

12 ARRECADADOS R$ 680 mil Setembro de TERRENO NA RUA PERU, EM CANOAS, MATRÍCULAS , 1.044,45.861,33.334, CENTRO EXPERIMENTAL ULBRA, CEULBRA, MONTENEGRO, MATRÍCULA 8.705, , BASA FARMA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA, CAXIAS DO SUL -13 VEICULOS IMPORTADOS -43 TERRENOS NO LOTEAMENTO MONT SERRAT ARRECADADOS R$ 26 millhões Outubro de CASA NA RUA DOMINGOS MARTINS EM CANOAS, MATRÍCULA LOJAS CONTIGUAS NO CENTRO COMERCIAL CANOAS, MATRÍCULA 4.982, 4.983, SUÍTE 1007 NO BONAPARTE HOTEL RESIDENCE, BRASÍLIA/DF - HOSPITAL IPIRANGA/CASA DO ESTUDANTE, PORTO ALEGRE, MATRÍCULA , , , TERRENOS NO LOTEAMENTO MONT SERRAT ARRECADADOS R$ 6,1 millhões Novembro de TERRENO NO LOTEAMENTO PALMAS, PALMAS/TO, MATRÍCULA TERRENO NO LOTEAMENTO PALMAS, PALMAS/TO, MATRÍCULA TERRENO COM CONSTRUÇÃO NO LOTEAMENTO PALMAS, PALMAS/TO, MATRÍCULA TERRENO COM CONSTRUÇÃO NO LOTEAMENTO PALMAS, PALMAS/TO, MATRÍCULA CLUBE PALMAS 24,2705HA, PALMAS/TO, SEM MATRÍCULA AVALIAÇÃO: R$ ,00

13 78 TERRENOS NO LOTEAMENTO MONT SERRAT ARRECADADOS R$ 2,4 millhões Dezembro TERRENO NA RUA BOQUEIRÃO, EM CANOAS, MATRÍCULA TERRENO NO LOTEAMENTO PALMAS, PALMAS/TO, MATRÍCULA TERRENO NO LOTEAMENTO PALMAS, PALMAS/TO, MATRÍCULA AREA RURAL NO LOTEAMENTO FAZENDA SANTA CRUZ DO TOCANTINS II, PALMAS/TO, MATRÍCULA TERRENOS NO LOTEAMENTO MONT SERRAT TERRENO NA RUA BOQUEIRÃO, EM CANOAS ARRECADADOS R$ 22,9 millhões 6. DAS VANTAGENS ALCANÇADAS COM A CONCILIAÇÃO A iniciativa conciliatória aproximou e criou uma relação de confiança entre as partes - A Fazenda Nacional e a nova gestão das CELSP/ULBBRA -. Isso possibilitou que a devedora apresentasse a Justiça Federal de Canoas uma série de bens que haviam sido adquiridos na gestão anterior da CELSP, muitos, inclusive, desconhecidos dos processos judiciais. Assim, a totalidade destes acabou sendo vendida, com a devedora, no período de 6 (seis) meses, arrecadado cerca de R$ 66,7 milhões. A soma destas quantias foi totalmente devolvida à Fazenda Nacional até julho de 2011, propiciando que a entidade funcionasse normalmente desde abril de , realizando uma série de ajustes de gestão que se mostraram necessários. 6 Com a noticia do acordo, os professores aceitaram retornar as aulas, mesmo sem o recebimento integral de seus salários

14 Assim, com a volta das aulas a entidade passou a ter novamente fluxo de caixa necessário ao seu normal funcionamento, inclusive com pagamento de novos tributos. Deste modo, a cidade não perdeu seu maior patrimônio, que gera uma renda paralela para milhares de pessoas, permitindo-se que quantias - mesmo que ainda bem inferiores à dívida totalacabassem por permitir o incremento de valores para as atividades da Administração Pública. II. CONCLUSÂO Em entrevista coletiva após a audiência de conciliação afirmou o Procurador Chefe da Fazenda Nacional no RGS Diogo Cyrilo: É um ponto de partida, algo assim talvez inédito na história da justiça brasileira, fruto de um acordo firmado em abril, que deflagra todo um processo de recuperação (...) 7 No caso, tratou-se de uma ação moderna, com a aplicação da legislação de forma a beneficiar a sociedade, o que não se alcançaria nem com extinção da CELSP, nem com o perdão do débito judicial. As partes foram aproximadas com diversas reuniões realizadas em audiências públicas, tendo uma enorme repercussão em todo o estado do Rio Grande do Sul. com divulgação nos mais diversos meios de comunicação 8. A iniciativa serve como exemplo, até porque se mostrou eficiente. Passados mais de dois anos do início dos trabalhos, a entidade que antes quase fechara as suas portas, está hoje em pleno funcionamento, garantido empregos de professores e demais funcionários e a satisfação de toda uma comunidade Conforme anexo

15 ANEXO REPERCUSSÃO SOCIAL DA PRÁTICA

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28 II PRÊMIO CONCILIAR É LEGAL CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA - CNJ Conciliação com usuários freqüentes (grandes litigantes) e/ ou grandes casos CATEGORIA JUSTIÇA FEDERAL INSCRITO JUIZ FEDERAL GUI LHERME PINHO MACHADO LOTAÇÃO ATUAL 5º JEF PREVIDENCIÁRIO DE PORTO ALEGRE TRIBUNAL FEDERAL REGIONAL DA 4ª REGIÃO JUSTIÇA FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Dados do inscrito: Guilherme Pinho Machado Brasileiro, divorciado, nascido em , RG , CPF , endereço profissional na Av. Otávio Francisco Caruso da Rocha n. 600, 5º andar, fone

Tribunal Regional do Trabalho 15.ª Região (Campinas/SP) Direito Previdenciário (AJAJ e OJAF)

Tribunal Regional do Trabalho 15.ª Região (Campinas/SP) Direito Previdenciário (AJAJ e OJAF) Tribunal Regional do Trabalho 15.ª Região (Campinas/SP) Direito Previdenciário (AJAJ e OJAF) XX. (Analista Judiciário Área Judiciária/TRT-15/FCC/2013): 57. Quanto à relação entre empresas estatais e as

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL CIRCUNSCRIÇÃO JUDICIÁRIA DE CANOAS PRIMEIRA VARA FEDERAL PORTARIA 002/08

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL CIRCUNSCRIÇÃO JUDICIÁRIA DE CANOAS PRIMEIRA VARA FEDERAL PORTARIA 002/08 PORTARIA 002/08 Os Doutores GUILHERME PINHO MACHADO, Juiz Federal da Vara Federal Cível da Subseção Judiciária de Canoas, e DANIEL LUERSEN, Juiz Federal Substituto, no uso de suas atribuições legais, e

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA. Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PORTARIA PGFN Nº 79, DE 03 FEVEREIRO DE 2014

MINISTÉRIO DA FAZENDA. Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PORTARIA PGFN Nº 79, DE 03 FEVEREIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA FAZENDA PUBLICADO NO DOU DE 06/02 SEÇÃO 1, PÁG. 53 Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PORTARIA PGFN Nº 79, DE 03 FEVEREIRO DE 2014 Disciplina o parcelamento do valor correspondente à

Leia mais

HASTAS PÚBLICAS UNIFICADAS DA JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU EM SÃO PAULO REGRAS PARA PARTICIPAÇÃO

HASTAS PÚBLICAS UNIFICADAS DA JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU EM SÃO PAULO REGRAS PARA PARTICIPAÇÃO HASTAS PÚBLICAS UNIFICADAS DA JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU EM SÃO PAULO REGRAS PARA PARTICIPAÇÃO As Hastas Públicas Unificadas serão realizadas em dois leilões, sendo: 1º leilão: os lotes de bens oferecidos

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA FORO CENTRAL 1 a VARA DE FALÊNCIAS E RECUPERAÇÕES JUDICIAIS

PODER JUDICIÁRIO COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA FORO CENTRAL 1 a VARA DE FALÊNCIAS E RECUPERAÇÕES JUDICIAIS FORO CENTRAL 1 a VARA DE FALÊNCIAS E RECUPERAÇÕES Pedido de Recuperação Judicial nº 0000379-30.2012.8.16.0185 proposto por PIERGO INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE AÇO LTDA. Retifique-se o valor da causa. 1. Acolho

Leia mais

EDITAL DE HASTAS PÚBLICAS PARA CONHECIMENTO DE INTERESSADOS E INTIMAÇÃO DOS EXECUTADOS

EDITAL DE HASTAS PÚBLICAS PARA CONHECIMENTO DE INTERESSADOS E INTIMAÇÃO DOS EXECUTADOS PODER JUDICIÁRIO DE SÃO PAULO Fórum de São José do Rio Preto 5º Vara Cível Rua Abdo Muanis,nº 991, Nova Redentora- CEP 15090-140 Telefone (17) 3227-7065 riopreto5cv@tjsp.jus.br EDITAL DE HASTAS PÚBLICAS

Leia mais

LEGISLAÇÃO COMPLEMENTAR

LEGISLAÇÃO COMPLEMENTAR ATUALIZAÇÃO 9 De 1.11.2014 a 30.11.2014 VADE MECUM LEGISLAÇÃO 2014 CÓDIGO CIVIL PÁGINA LEGISLAÇÃO ARTIGO CONTEÚDO 215 Lei 10.406/2002 Arts. 1.367 e 1.368-B Art. 1.367. A propriedade fiduciária em garantia

Leia mais

PARCELAMENTO DE TRIBUTOS FEDERAIS REFIS DA COPA

PARCELAMENTO DE TRIBUTOS FEDERAIS REFIS DA COPA PARCELAMENTO DE TRIBUTOS FEDERAIS REFIS DA COPA INTRODUÇÃO Após a mobilização de vários setores da economia juntamente com as proposições formuladas pelo Congresso Nacional, foi publicada a Lei 12.996/2014,

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL SEÇÃO JUDICIÁRIA DO RIO DE JANEIRO

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL SEÇÃO JUDICIÁRIA DO RIO DE JANEIRO EDITAL Nº JFRJ-EDT-2015/00168 EDITAL DE SELEÇÃO DE ENTIDADES, PÚBLICAS OU PRIVADAS, INTERESSADAS EM ACOLHER, GRATUITAMENTE, BENEFICIÁRIOS DE SANÇÃO ALTERNATIVA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS, E DE SELEÇÃO DE

Leia mais

A indevida contribuição de 10% sobre o FGTS

A indevida contribuição de 10% sobre o FGTS Informe Jurídico - nº I - 2014 A indevida contribuição de 10% sobre o FGTS De acordo com o artigo 1º da Lei Complementar nº 110, de 29 de junho de 2001, em caso de demissão de empregado sem justa causa,

Leia mais

1 Requerimento devidamente preenchido, fornecido pelo Conselho Municipal de Assistência Social, assinado pelo representante legal da Entidade;

1 Requerimento devidamente preenchido, fornecido pelo Conselho Municipal de Assistência Social, assinado pelo representante legal da Entidade; VI- Promover o atendimento e o assessoramento aos beneficiários da Lei Orgânica da Assistência Social e a defesa e garantia dos seus direitos. Em se tratando de entidade da área de saúde, a entidade deve

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 014 /2009

NOTA TÉCNICA Nº 014 /2009 NOTA TÉCNICA Nº 014 /2009 Brasília, 03 de dezembro de 2009. ÁREA: Jurídico TÍTULO: Proposta de alterações nas regras para pagamento de precatórios. REFERÊNCIA(S): art. 100 da Constituição Federal de 1988;

Leia mais

EDITAL N.º 8120695 EDITAL DE LEILÃO

EDITAL N.º 8120695 EDITAL DE LEILÃO EXECUÇÃO FISCAL Nº 2006.70.02.006579-0/PR EXEQUENTE : UNIÃO - FAZENDA NACIONAL ADVOGADO : FABRIZIO CANDIA DOS SANTOS EXECUTADO : ENACEX EMPRESA NACIONAL EXPORTADORA DE ARMARINHOS LTDA ADVOGADO : JISLAINE

Leia mais

PARECER Nº, DE 2011. RELATOR: Senador LUIZ HENRIQUE

PARECER Nº, DE 2011. RELATOR: Senador LUIZ HENRIQUE PARECER Nº, DE 2011 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS ECONÔMICOS, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 244, de 2011, do Senador Armando Monteiro, que acrescenta os arts. 15-A, 15-B e 15-C à Lei nº 6.830, de 22 de

Leia mais

PARCELAMENTO ORDINÁRIO PORTO ALEGRE

PARCELAMENTO ORDINÁRIO PORTO ALEGRE PARCELAMENTO ORDINÁRIO PORTO ALEGRE 1 A - PARCELAMENTO ORDINÁRIO DE TRIBUTOS MUNICIPAIS 1 Em regra, os créditos tributários junto à Fazenda Municipal de Porto Alegre podem ser pagos em até 24 (vinte e

Leia mais

TERMO DE ADESÃO A ANTECIPAÇÃO DE PREMIAÇÃO PARA INVESTIMENTO EM MÍDIA

TERMO DE ADESÃO A ANTECIPAÇÃO DE PREMIAÇÃO PARA INVESTIMENTO EM MÍDIA TERMO DE ADESÃO A ANTECIPAÇÃO DE PREMIAÇÃO PARA INVESTIMENTO EM MÍDIA A FAEL E O POLO (NOME FANTASIA) CELEBRAM O PRESENTE TERMO VISANDO A ANTECIPAÇÃO DE VALORES, PARA UTILIZAÇÃO EXCLUSIVA EM MÍDIA, COMO

Leia mais

CONCURSO DE PRÁTICAS EXITOSAS IPTU: OLHO NO PRAZO DA PRESCRIÇÃO!

CONCURSO DE PRÁTICAS EXITOSAS IPTU: OLHO NO PRAZO DA PRESCRIÇÃO! CONCURSO DE PRÁTICAS EXITOSAS IPTU: OLHO NO PRAZO DA PRESCRIÇÃO! Agosto/2011 CONCURSO DE PRÁTICAS EXITOSAS IPTU: OLHO NO PRAZO DA PRESCRIÇÃO! Projeto Piloto: Município de Novo Hamburgo - RS ENIR MADRUGA

Leia mais

DECRETO Nº 36.777 DE 15 DE FEVEREIRO DE 2013 (D.O. RIO DE 18/02/2013) O Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro, no uso de suas atribuições legais,

DECRETO Nº 36.777 DE 15 DE FEVEREIRO DE 2013 (D.O. RIO DE 18/02/2013) O Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro, no uso de suas atribuições legais, DECRETO Nº 36.777 DE 15 DE FEVEREIRO DE 2013 (D.O. RIO DE 18/02/2013) Regulamenta os arts. 5º a 9º e 23, da Lei nº 5.546, de 27 de dezembro de 2012, que instituem remissão, anistia e parcelamento estendido,

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL SEÇÃO JUDICIÁRIA DO RIO DE JANEIRO

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL SEÇÃO JUDICIÁRIA DO RIO DE JANEIRO EDITAL Nº JFRJ-EDT-2015/00176 EDITAL DE EDITAL PÚBLICO DE CADASTRAMENTO E SELEÇÃO DE ENTIDADES (PRAZO DE PRAZO PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS: ATÉ 01 DE DEZEMBRO DE 2015) O DOUTOR FÁBIO DE SOUZA SILVA,

Leia mais

RESOLUÇÃO N 177, DE 10 DE AGOSTO DE 2000 DOU 24/08/2000 SEÇÃO I

RESOLUÇÃO N 177, DE 10 DE AGOSTO DE 2000 DOU 24/08/2000 SEÇÃO I RESOLUÇÃO N 177, DE 10 DE AGOSTO DE 2000 DOU 24/08/2000 SEÇÃO I Alterada pela Resolução CNAS nº 3, de 13 de fevereiro de 2001 Regras e critérios para a concessão ou renovação do Certificado de Entidade

Leia mais

DO PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO JUDICIAL E EXTRAJUDICIAL DE CRÉDITOS FISCAIS DOS CONSELHOS FEDERAL E REGIONAIS DE FARMÁCIA PRF/CFF-CRF

DO PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO JUDICIAL E EXTRAJUDICIAL DE CRÉDITOS FISCAIS DOS CONSELHOS FEDERAL E REGIONAIS DE FARMÁCIA PRF/CFF-CRF PORTARIA Nº 1907 Ementa: Regulamenta no âmbito do CRF/SC o Programa de Recuperação Judicial e Extrajudicial de Créditos Fiscais dos Conselhos Federal e Regionais de Farmácia PRF/CFF-CRF. A Presidente do

Leia mais

DECISÃO INTERLOCUTÓRIA HOMOLOGAÇÃO DO PLANO DE RECUPERAÇÃO JUDICIAL ANÁLISE APÓS ÚLTIMO DESPACHO NO MOV. 2304

DECISÃO INTERLOCUTÓRIA HOMOLOGAÇÃO DO PLANO DE RECUPERAÇÃO JUDICIAL ANÁLISE APÓS ÚLTIMO DESPACHO NO MOV. 2304 DECISÃO INTERLOCUTÓRIA HOMOLOGAÇÃO DO PLANO DE RECUPERAÇÃO JUDICIAL 2379] ANÁLISE APÓS ÚLTIMO DESPACHO NO MOV. 2304 1. PETIÇÃO DA CREDORA AUNDE BRASIL S/A. [mov. Considerando que não há previsão legal

Leia mais

:: Portal da Justiça Federal da 3ª Região::

:: Portal da Justiça Federal da 3ª Região:: Página 1 de 5 DIÁRIO ELETRÔNICO DA JUSTIÇA FEDERAL DA 3ª REGIÃO Edição nº43/0 -São Paulo, quinta-feira, 05 de março de 2015 SEÇÃO JUDICIÁRIA DO ESTADO DE SÃO PAULO PUBLICAÇÕES ADMINISTRATIVAS NUCLEO DE

Leia mais

SUBSEÇÃO III DA HABILITAÇÃO E DA TRANSFERÊNCIA DE CRÉDITOS ACUMULADOS

SUBSEÇÃO III DA HABILITAÇÃO E DA TRANSFERÊNCIA DE CRÉDITOS ACUMULADOS SUBSEÇÃO III DA HABILITAÇÃO E DA TRANSFERÊNCIA DE CRÉDITOS ACUMULADOS Art. 41. Será passível de transferência, desde que previamente habilitado, o crédito acumulado em conta-gráfica oriundo de ICMS cobrado

Leia mais

POLÍTICA DE CRÉDITO DA COOPERATIVA DE CRÉDITO MÚTUO DOS SERVIDORES DA SEGURANÇA PÚBLICA DE SÃO PAULO - CREDIAFAM

POLÍTICA DE CRÉDITO DA COOPERATIVA DE CRÉDITO MÚTUO DOS SERVIDORES DA SEGURANÇA PÚBLICA DE SÃO PAULO - CREDIAFAM POLÍTICA DE CRÉDITO DA COOPERATIVA DE CRÉDITO MÚTUO DOS SERVIDORES DA SEGURANÇA DAS DEFINIÇÕES 1. A política de crédito da Cooperativa de Crédito Mútuo dos Servidores da Segurança Pública de São Paulo

Leia mais

EDITAL DE LEILÃO E INTIMAÇÃO ELI. 0033.000001-9/2016

EDITAL DE LEILÃO E INTIMAÇÃO ELI. 0033.000001-9/2016 EDITAL DE LEILÃO E INTIMAÇÃO ELI. 0033.000001-9/2016 A MM. Juíza Federal, ROBERTA WALMSLEY SOARES C. PORTO DE BARROS, da 33ª Vara Federal, Privativa de Execuções Fiscais, da Seção Judiciária do Estado

Leia mais

EDITAL DE LEILÃO. Importante: Os horários previstos neste Edital tomam por base o horário oficial de Brasília/DF

EDITAL DE LEILÃO. Importante: Os horários previstos neste Edital tomam por base o horário oficial de Brasília/DF fls. 155 EDITAL DE LEILÃO Importante: Os horários previstos neste Edital tomam por base o horário oficial de Brasília/DF 2ª Vara Cível da Comarca de Cassilândia MS EDITAL de 1ª e 2ª PRAÇA de BEM IMÓVEL

Leia mais

GERENCIAMENTO TRIBUTÁRIO

GERENCIAMENTO TRIBUTÁRIO Dr. Erlanderson de O. Teixeira Planejamento Tributário Teses tributárias Gerenciamento de Passivos Parcelamento www.erlandeson.com.br GERENCIAMENTO TRIBUTÁRIO Carga Tributária Brasileira Porque pagar os

Leia mais

EDITAL DE LEILÃO. fls. 61

EDITAL DE LEILÃO. fls. 61 fls. 61 EDITAL DE LEILÃO Importante: Os horários previstos neste Edital tomam por base o horário oficial de Brasília/DF 7ª Vara Cível da Comarca de Dourados-MS. EDITAL de 1ª e 2ª PRAÇA de BEM IMÓVEL e

Leia mais

Reforma da Execução Fiscal Modelo Misto: judicial e Administrativa

Reforma da Execução Fiscal Modelo Misto: judicial e Administrativa Reforma da Execução Fiscal Modelo Misto: judicial e Administrativa Heleno Taveira Torres Professor Titular de Direito Financeiro Faculdade de Direito - USP PROBLEMA DO FISCO Passivo tributário federal:

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CODÓ ESTADO DO MARANHÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CODÓ ESTADO DO MARANHÃO LEI Nº 1552, DE 18 DE AGOSTO DE 2011. Disciplina a dação em pagamento de obras, serviços e bem móvel como forma de extinção da obrigação tributária no Município de Codó, prevista no inciso XI do artigo

Leia mais

Portaria PGFN nº 164, de 27.02.2014 - DOU de 05.03.2014

Portaria PGFN nº 164, de 27.02.2014 - DOU de 05.03.2014 Portaria PGFN nº 164, de 27.02.2014 - DOU de 05.03.2014 Regulamenta o oferecimento e a aceitação do seguro garantia judicial para execução fiscal e seguro garantia parcelamento administrativo fiscal para

Leia mais

TERRAS COELHO ADVOGADOS é uma sociedade de

TERRAS COELHO ADVOGADOS é uma sociedade de TERRAS COELHO ADVOGADOS é uma sociedade de advogados voltada para os mais variados ramos do direito, com atuação preventiva e contenciosa em todo o território nacional. Sociedade nascida da união de profissionais

Leia mais

Análise Panorâmica. Sumário 1. Introdução... 2

Análise Panorâmica. Sumário 1. Introdução... 2 Análise Panorâmica Análise Panorâmica Sumário 1. Introdução... 2 2. Indicadores de desempenho... 3 2.1 Carga Tributária da Empresa - Composição Anual... 3 2.2 Grau de Endividamento Tributário... 4 2.3

Leia mais

VALDECI APARECIDO LOURENÇO, Prefeito do Município Conchal, Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais,

VALDECI APARECIDO LOURENÇO, Prefeito do Município Conchal, Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais, LEI COMPLEMENTAR N 338, DE 10 DE MAIO DE 2013. DISPÕE SOBRE A CONCESSÃO DE BENEFÍCIO PARA O PAGAMENTO DA DÍVIDA ATIVA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. VALDECI APARECIDO LOURENÇO, Prefeito do Município Conchal,

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ENTIDADES PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ENTIDADES PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL DE 1ª INSTÂNCIA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO ESTADO DE RONDÔNIA 3ª VARA - CRIMINAL E EXECUÇÃO PENAL EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ENTIDADES PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS O DR.

Leia mais

ÍNDICE GENERALIDADES 01 01/02 NORMAS GERAIS 02 01/02 PROCESSO ADMINISTRATIVO PARA ALIENAÇÃO DE BENS

ÍNDICE GENERALIDADES 01 01/02 NORMAS GERAIS 02 01/02 PROCESSO ADMINISTRATIVO PARA ALIENAÇÃO DE BENS ÍNDICE 00 FOLHA 01 ASSUNTO FOLHA GENERALIDADES 01 01/02 NORMAS GERAIS 02 01/02 PROCESSO ADMINISTRATIVO PARA ALIENAÇÃO DE BENS 03 01/03 ALIENAÇÃO POR VENDA 04 01/04 ALIENAÇÃO POR PERMUTA 05 01/01 ALIENAÇÃO

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO - JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Estado de Sergipe 7ª Vara Federal FLUXOGRAMA 28 - AÇÃO MONITÓRIA

PODER JUDICIÁRIO - JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Estado de Sergipe 7ª Vara Federal FLUXOGRAMA 28 - AÇÃO MONITÓRIA PODER JUDICIÁRIO - JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Estado de Sergipe 7ª Vara Federal FLUXOGRAMA 28 - AÇÃO MONITÓRIA INÍCIO análise inicial Verificar a existência de demonstrativo de débito e contrato

Leia mais

ESTADO DO TOCANTINS PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO NACIONAL PROCURADORIA GERAL DO MUNICÍPIO

ESTADO DO TOCANTINS PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO NACIONAL PROCURADORIA GERAL DO MUNICÍPIO LEI N.º 2.178, DE 02 DE JUNHO DE 2.014. *VERSÃO IMPRESSA ASSINADA Dispõe sobre o Programa de Recuperação e Estímulo à Quitação de Débitos Fiscais REFIS PORTO 2014 e dá outras providências. Eu, PREFEITO

Leia mais

D.E. Publicado em 19/03/2012. Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 02A VF DE MARINGÁ

D.E. Publicado em 19/03/2012. Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 02A VF DE MARINGÁ D.E. EXECUÇÃO DE TÍTULO EXTRAJUDICIAL Nº 2007.70.03.005004-0/PR EXEQUENTE : CAIXA ECONOMICA FEDERAL - CEF ADVOGADO : PATRICIA FRANCIOLI SUZI SERINO DA SILVA EXECUTADO : CONSTRUTIL CONSTRUCOES E EMPREENDIMENTOS

Leia mais

A jurisprudência da Lei de Falências e Recuperação de Empresas e a

A jurisprudência da Lei de Falências e Recuperação de Empresas e a A jurisprudência da Lei de Falências e Recuperação de Empresas e a Lei Complementar 147/14 Impactos para o mercado de crédito. Glauco Alves Martins Objetivo geral: aperfeiçoamento do SIMPLES e modificações

Leia mais

CADASTRO DE CLIENTES

CADASTRO DE CLIENTES 1/5 Aposentadoria Rural CADASTRO DE CLIENTES Aposentadoria por Invalidez Pensão Rural LOAS Salário Maternidade PERGUNTAS: Tempo de Trabalho na Zona Rural, Laudo Médico, INCRA, ITR, Sindicato, Notas Fiscais,

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS OUTUBRO/14

PRESTAÇÃO DE CONTAS OUTUBRO/14 PRESTAÇÃO DE CONTAS OUTUBRO/14 INDICE RELATÓRIO DE ATIVIDADES ATENDIMENTO P.A. PRESTAÇÃO DE CONTAS FINANCEIRO AUDITORIA FINANCEIRO RECEBIMENTOS FINANCEIRO DESPESAS CONSULTORIA ESTUDOS PRÉ ABERTURA DA SANTA

Leia mais

Demonstrações Contábeis em 31 de Dezembro de 2012 Acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Demonstrações Contábeis em 31 de Dezembro de 2012 Acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Demonstrações Contábeis em 31 de Dezembro de 2012 Acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes FUNDAÇÃO DE ENSINO E PESQUISA DE UBERABA - FUNEPU CNPJ 20.054.326/0001-09 BALANÇO PATRIMONIAL PARA

Leia mais

Seguro Garantia Judicial em Execução Fiscal: condições e autorização legal. Íris Vânia Santos Rosa Mestre e Doutora PUC/SP

Seguro Garantia Judicial em Execução Fiscal: condições e autorização legal. Íris Vânia Santos Rosa Mestre e Doutora PUC/SP Seguro Garantia Judicial em Execução Fiscal: condições e autorização legal Íris Vânia Santos Rosa Mestre e Doutora PUC/SP 1. Como podemos incluir o Seguro Garantia Judicial como válida hipótese de Penhora

Leia mais

CORREGEDORIA-GERAL PROVIMENTO Nº 001 DE 13 DE MARÇO DE 2002. CONSIDERANDO as conclusões apresentadas pelo Fórum de Juízes Distribuidores da 2ª Região;

CORREGEDORIA-GERAL PROVIMENTO Nº 001 DE 13 DE MARÇO DE 2002. CONSIDERANDO as conclusões apresentadas pelo Fórum de Juízes Distribuidores da 2ª Região; CORREGEDORIA-GERAL PROVIMENTO Nº 001 DE 13 DE MARÇO DE 2002 A Excelentíssima Doutora MARIA HELENA CISNE CID, Corregedora- Geral da Justiça Federal da 2ª Região, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

Leia mais

EDITAL DE HASTA PÚBLICA

EDITAL DE HASTA PÚBLICA EDITAL DE HASTA PÚBLICA 2ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE MAUÁ/SP. JUIZ TITULAR: DR. THIAGO ELIAS MASSAD GESTOR: VEGAS LEILÕES (www.vegasleiloes.com.br) LEILOEIRO: HUGO ALEXANDRE PEDRO ALEM, JUCESP Nº935. LEGISLAÇÃO:

Leia mais

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA SEBRAE/RJ - Nº 01/2016 - Educação Empreendedora em Instituições de Ensino Superior.

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA SEBRAE/RJ - Nº 01/2016 - Educação Empreendedora em Instituições de Ensino Superior. EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA SEBRAE/RJ - Nº 01/2016 - Educação Empreendedora em Instituições de Ensino Superior. Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Estado do Rio de Janeiro SEBRAE/RJ, entidade

Leia mais

NOTA TÉCNICA 48 2013. Lei nº 12.873 de 24/10/2013: PROSUS Registros de preços

NOTA TÉCNICA 48 2013. Lei nº 12.873 de 24/10/2013: PROSUS Registros de preços NOTA TÉCNICA 48 2013 Lei nº 12.873 de 24/10/2013: PROSUS Registros de preços Brasília, 29 de outubro de 2013 INTRODUÇÃO A Lei 12.873 de 24/10/13 trata de vários assuntos, altera algumas leis e entre os

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE SANTA CATARINA COMARCA DE PORTO UNIÃO 1ª VARA CÍVEL Rua Voluntários da Pátria, nº. 365, CEP 89.400-000 Porto União/SC

PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE SANTA CATARINA COMARCA DE PORTO UNIÃO 1ª VARA CÍVEL Rua Voluntários da Pátria, nº. 365, CEP 89.400-000 Porto União/SC PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE SANTA CATARINA COMARCA DE PORTO UNIÃO 1ª VARA CÍVEL Rua Voluntários da Pátria, nº. 365, CEP 89.400-000 Porto União/SC EDITAL DE LEILÃO Pelo presente, se faz saber a todos o quanto

Leia mais

RESOLUÇÃO CFN N 523/2013

RESOLUÇÃO CFN N 523/2013 Página 1 de 7 RESOLUÇÃO CFN N 523/2013 Institui, no âmbito do Sistema CFN/CRN, o Programa Nacional de Recuperação de Créditos (PNRC), autoriza a redução de encargos sobre dívidas em conciliação judicial

Leia mais

Revista Anoreg/SP. número 6. Cartório HOJE 1

Revista Anoreg/SP. número 6. Cartório HOJE 1 Revista Anoreg/SP número 6 Cartório HOJE 1 12 +Rapidez Para qualquer população atendida por uma empresa de abastecimento de água é essencial receber o precioso líquido em suas torneiras, como estamos aprendendo

Leia mais

Salvador, Bahia Sexta-feira 19 de Julho de 2013 Ano XCVII N o 21.187 EDITAL N.º 074/2013

Salvador, Bahia Sexta-feira 19 de Julho de 2013 Ano XCVII N o 21.187 EDITAL N.º 074/2013 Salvador, Bahia Sexta-feira 19 de Julho de 2013 Ano XCVII N o 21.187 EDITAL N.º 074/2013 O REITOR DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA (UNEB), no uso de suas atribuições legais e regimentais, Torna Público

Leia mais

PARCELAMENTO ORDINÁRIO DE TRIBUTOS FEDERAIS

PARCELAMENTO ORDINÁRIO DE TRIBUTOS FEDERAIS PARCELAMENTO ORDINÁRIO DE TRIBUTOS FEDERAIS PARCELAMENTO ORDINÁRIO DE TRIBUTOS FEDERAIS 1 Os débitos de qualquer natureza para com a Fazenda Nacional podem ser parcelados em até 60 (sessenta) prestações

Leia mais

Estado de Mato Grosso do Sul Poder Judiciário Paranaíba 2ª Vara Cível EDITAL DE LEILÃO

Estado de Mato Grosso do Sul Poder Judiciário Paranaíba 2ª Vara Cível EDITAL DE LEILÃO fls. 71 EDITAL DE LEILÃO Importante: Os horários previstos neste Edital tomam por base o horário oficial de Brasília/DF de - MS. EDITAL de 1º e 2º LEILÃO de BEM MÓVEL e para intimação do executado Sr.

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL PARA OS GESTORES DA COMPANHIA

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL PARA OS GESTORES DA COMPANHIA PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DA CASA CIVIL CDURP COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO URBANO DA REGIÃO DO PORTO DO RIO DE JANEIRO TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO SEGURO DE RESPONSABILIDADE

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO SÃO PAULO AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 614.481-0/4 - Agravante: Finasa Leasing Arrendamento Mercantil S.A. Agravados: Panorama Turismo Ltda. Aparecida Sircelj Parte: Banco Safra S.A. EXECUÇÃO. ARREMATAÇÃO. PENHORA.

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL (LRF) Atualizado até 13/10/2015 LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL A Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) tem como base alguns princípios,

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUÇÃO CFC N.º 1.360/11 Dispõe sobre o Regime de Parcelamento de Débitos de Anuidades e Multas (Redam II) para o Sistema CFC/CRCs O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições

Leia mais

Incentivos do Poder Público à atuação de entidades civis sem fins lucrativos, na área social. (1) renúncia fiscal

Incentivos do Poder Público à atuação de entidades civis sem fins lucrativos, na área social. (1) renúncia fiscal Incentivos do Poder Público à atuação de entidades civis sem fins lucrativos, na área social Associação Fundação Privada Associação Sindical Partidos Políticos (1) renúncia fiscal Subvencionada 1 Entidades

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 19/2014 ANO XI (07 de julho de 2014)

BOLETIM INFORMATIVO Nº 19/2014 ANO XI (07 de julho de 2014) BOLETIM INFORMATIVO Nº 19/2014 ANO XI (07 de julho de 2014) 01. PIS E COFINS OPERADORAS DE PLANOS DE SAÚDE 23/06/2014 - Operadora de planos de saúde não deve contribuição sobre faturamento total dos planos

Leia mais

SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ

SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ MISSÃO: Garantir prestação jurisdicional rápida, acessível e efetiva no âmbito da sua competência. DESCRIÇÃO DA MISSÃO: A Justiça Federal no Paraná existe para garantir direitos

Leia mais

KROTON EDUCACIONAL S/A. Fundo de Financiamento ao Estudante de Ensino Superior - FIES

KROTON EDUCACIONAL S/A. Fundo de Financiamento ao Estudante de Ensino Superior - FIES KROTON EDUCACIONAL S/A Fundo de Financiamento ao Estudante de Ensino Superior - FIES Í N D I C E SOBRE O FIES O que é o FIES? 1 Qual o marco legal do FIES? 1 Condições de financiamento 2 Quem pode se candidatar

Leia mais

EDITAL DE LEILÃO. Importante: Os horários previstos neste Edital tomam por base o horário oficial de Brasília/DF

EDITAL DE LEILÃO. Importante: Os horários previstos neste Edital tomam por base o horário oficial de Brasília/DF fls. 106 EDITAL DE LEILÃO Importante: Os horários previstos neste Edital tomam por base o horário oficial de Brasília/DF Vara Única da Comarca de Anastácio-MS. EDITAL de 1ª e 2ª PRAÇA de BEM IMÓVEL e para

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) DOUTOR(A) JUIZ(A) DE DIREITO DA 12ª VARA CÍVEL DA CIRCUNSCRIÇÃO JUDICIÁRIA DE BRASÍLIA/DF

EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) DOUTOR(A) JUIZ(A) DE DIREITO DA 12ª VARA CÍVEL DA CIRCUNSCRIÇÃO JUDICIÁRIA DE BRASÍLIA/DF EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) DOUTOR(A) JUIZ(A) DE DIREITO DA 12ª VARA CÍVEL DA CIRCUNSCRIÇÃO JUDICIÁRIA DE BRASÍLIA/DF REF. AO PROCESSO NUMERAÇÃO ÚNICA: 0079759-29.2009.8.07.0001 NUMERAÇÃO ANTERIOR: 2009.01.1.172560-8

Leia mais

LEILÃO DE IMÓVEIS. Apartamento - Terrenos - Lojas Presencial e Online. Data do Leilão 29/07/15 (4ª-feira) Local do Leilão. www.leiloes.com.

LEILÃO DE IMÓVEIS. Apartamento - Terrenos - Lojas Presencial e Online. Data do Leilão 29/07/15 (4ª-feira) Local do Leilão. www.leiloes.com. LEILÃO DE IMÓVEIS Apartamento - Terrenos - Lojas Presencial e Online RS - Porto Alegre RS - Tramandaí SC - São José DF - Brasília Data do Leilão 29/07/5 (4ª-feira) HORÁRIO 4h Local do Leilão Hotel Deville

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO PRFN 3ª REGIÃO Nº 004 de 16 de dezembro de 2009.

ORDEM DE SERVIÇO PRFN 3ª REGIÃO Nº 004 de 16 de dezembro de 2009. ORDEM DE SERVIÇO PRFN 3ª REGIÃO Nº 004 de 16 de dezembro de 2009. Dispõe sobre o procedimento a ser adotado para a formalização e controle dos processos de parcelamentos de arrematação ocorrida nas hastas

Leia mais

EDITAL nº EDT.0012.000048-5/2015

EDITAL nº EDT.0012.000048-5/2015 EDITAL PÚBLICO PARA CADASTRAMENTO DE ENTIDADES PÚBLICAS OU PRIVADAS, INTERESSADAS EM ACOLHER PRESTADORES DE SERVIÇOS GRATUITOS E SEREM BENEFICIÁRIAS DE RECURSOS ORIUNDOS DAS PENAS DE PRESTAÇÃO PECUNIÁRIA

Leia mais

Construção Civil - DISO- ART ARO - Regularização de Obras - Alterações na IN RFB 971 09

Construção Civil - DISO- ART ARO - Regularização de Obras - Alterações na IN RFB 971 09 Construção Civil - DISO- ART ARO - Regularização de Obras - Alterações na IN RFB 971 09 Instrução Normativa RFB nº 1.477/2014 - DOU: 04.07.2014 Altera a Instrução Normativa RFB nº 971, de 13 de novembro

Leia mais

Dispõe sobre a concessão ou renovação do registro e certificado de entidades de fins filantrópicos.

Dispõe sobre a concessão ou renovação do registro e certificado de entidades de fins filantrópicos. Resolução CNAS n.º 32, de 24 de fevereiro de 1999 Dispõe sobre a concessão ou renovação do registro e certificado de entidades de fins filantrópicos. O Plenário do Conselho Nacional de Assistência Social

Leia mais

ANOTAÇÕES SOBRE COMO OS HONORÁRIOS SUCUMBENCIAIS SÃO REGISTRADOS E QUANTIFICADOS NO ÂMBITO DAS ATIVIDADES FINANCEIRAS DA UNIÃO

ANOTAÇÕES SOBRE COMO OS HONORÁRIOS SUCUMBENCIAIS SÃO REGISTRADOS E QUANTIFICADOS NO ÂMBITO DAS ATIVIDADES FINANCEIRAS DA UNIÃO ANOTAÇÕES SOBRE COMO OS HONORÁRIOS SUCUMBENCIAIS SÃO REGISTRADOS E QUANTIFICADOS NO ÂMBITO DAS ATIVIDADES FINANCEIRAS DA UNIÃO Aldemario Araujo Castro Mestre em Direito Procurador da Fazenda Nacional Professor

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA TCE-TO Nº 003, DE 23 DE SETEMBRO DE 2009. Consolidada pela IN nº 03/2012 de 02/05/2012.

INSTRUÇÃO NORMATIVA TCE-TO Nº 003, DE 23 DE SETEMBRO DE 2009. Consolidada pela IN nº 03/2012 de 02/05/2012. INSTRUÇÃO NORMATIVA TCE-TO Nº 003, DE 23 DE SETEMBRO DE 2009. Consolidada pela IN nº 03/2012 de 02/05/2012. Acresce o 7 ao artigo 9º da Instrução Normativa nº 003, de 23 de setembro de 2009, que estabelece

Leia mais

COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO CODESP AUTORIDADE PORTUÁRIA CONSELHO FISCAL ATA DA 452ª REUNIÃO (ORDINÁRIA)

COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO CODESP AUTORIDADE PORTUÁRIA CONSELHO FISCAL ATA DA 452ª REUNIÃO (ORDINÁRIA) 1 COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO CODESP AUTORIDADE PORTUÁRIA CONSELHO FISCAL ATA DA 452ª REUNIÃO (ORDINÁRIA) Às 09 horas do dia 23 de janeiro do ano de 2015, na Sala de Reunião na Sede do Conselho

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUIZO DE DIREITO DA SERVENTIA CÍVEL E ANEXOS COMARCA DE MATINHOS-PR

PODER JUDICIÁRIO JUIZO DE DIREITO DA SERVENTIA CÍVEL E ANEXOS COMARCA DE MATINHOS-PR A Doutora DANIELLE GUIMARÃES DA COSTA, Juíza de Direito nesta Serventia Cível e anexos de Matinhos PR. FAZ SABER a todos quantos o presente edital virem ou dele tomarem conhecimento, que ficam designadas

Leia mais

BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 020 DE 12 a 16/05/14

BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 020 DE 12 a 16/05/14 Leia-se:...Art. 1º DELEGAR COMPETÊNCIA e as responsabilidades decorrentes ao Superintendente Regional do DNIT nos estados de Goiás e Distrito Federal para Lavrar o Termo Aditivo de Prorrogação de prazo,

Leia mais

MUNICÍPIO DE CAUCAIA

MUNICÍPIO DE CAUCAIA LEI N 1765, DE 25 DE AGOSTO 2006. Institui o Programa de Recuperação Fiscal - REFIS no Município de Caucaia, e dá outras providências. A PREFEITA MUNICIPAL DE CAUCAIA, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

DE LÉO, PAULINO E MACHADO ADVOGADOS

DE LÉO, PAULINO E MACHADO ADVOGADOS 01 02 Apresentação DE LÉO, PAULINO E MACHADO ADVOGADOS é um escritório que foi constituído para atuar nas mais diversas áreas do Direito Empresarial, tendo como principal objetivo a prestação de serviços

Leia mais

CLÁUSULA SEGUNDA DO VALOR, FORMA DE PAGAMENTO E REAJUSTAMENTO

CLÁUSULA SEGUNDA DO VALOR, FORMA DE PAGAMENTO E REAJUSTAMENTO CONTRATO N 102/2009 N NO SIAP CONTRATO QUE ENTRE SI FAZEM, PARA O FIM QUE NELE SE DECLARA, DE UM LADO, O ESTADO DO CEARÁ, POR MEIO DA SECRETARIA DA FAZENDA E, DO OUTRO, A EMPRESA ABAIXO QUALIFICADA. O

Leia mais

DÚVIDAS E ESCLARECIMENTOS. Quais as formas de que disponho para quitar meu débito?

DÚVIDAS E ESCLARECIMENTOS. Quais as formas de que disponho para quitar meu débito? DÚVIDAS E ESCLARECIMENTOS Quais as formas de que disponho para quitar meu débito? À vista: Emitir DAE (Documento de Arrecadação Estadual) para pagamento à vista na sede da Procuradoria Geral do Estado,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 924, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2009

RESOLUÇÃO Nº 924, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2009 RESOLUÇÃO Nº 924, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2009 Institui o Programa de Parcelamento de Débitos Fiscais no âmbito do Sistema CFMV/ CRMVs, destinado à regularização de débitos de anuidades, multas, taxas, emolumentos

Leia mais

IRPF 2015 Imposto de Renda Pessoa Física

IRPF 2015 Imposto de Renda Pessoa Física CIRCULAR Nº 13/2015 São Paulo, 23 de Fevereiro de 2015. IRPF 2015 Imposto de Renda Pessoa Física Ano-Base 2014 Prezado cliente, No dia 03 de fevereiro de 2015 a Receita Federal publicou a Instrução Normativa

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ DECRETO N. 4.489

GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ DECRETO N. 4.489 Publicado no Diário Oficial Nº 8708 de 08/05/2012 O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, inciso V, da Constituição Estadual, e considerando o disposto na Lei

Leia mais

D E C R E T A CAPÍTULO I DO RESPONSÁVEL E DA ABRANGÊNCIA

D E C R E T A CAPÍTULO I DO RESPONSÁVEL E DA ABRANGÊNCIA Imprimir "Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial do Estado." DECRETO Nº 13.869 DE 02 DE ABRIL DE 2012 Estabelece procedimentos a serem adotados pelos órgãos e entidades da Administração

Leia mais

Exposição. 1. Município de Londrina ajuizou execução fiscal em face de Alessandro

Exposição. 1. Município de Londrina ajuizou execução fiscal em face de Alessandro APELAÇÃO CÍVEL N. 638896-9, DA COMARCA DE LONDRINA 2.ª VARA CÍVEL RELATOR : DESEMBARGADOR Francisco Pinto RABELLO FILHO APELANTE : MUNICÍPIO DE LONDRINA APELADO : ALESSANDRO VICTORELLI Execução fiscal

Leia mais

C O N V Ê N I O Nº 015/2015

C O N V Ê N I O Nº 015/2015 C O N V Ê N I O Nº 015/2015 Que entre si celebram de um lado o MUNICÍPIO DE ITABIRITO, pessoa jurídica de direito público interno, inscrição no CNPJ sob o nº 18.307.835/0001-54, com endereço a Avenida

Leia mais

- RECUPERAÇÃO JUDICIAL - Preservação da atividade e função social da empresa. É um contrato judicial, sendo este apenas homologado pelo juiz.

- RECUPERAÇÃO JUDICIAL - Preservação da atividade e função social da empresa. É um contrato judicial, sendo este apenas homologado pelo juiz. Turma e Ano: Flex B (2013) Matéria / Aula: Direito Empresarial / Aula 09 Professor: Thiago Carapetcov Conteúdo: Recuperação Judicial. - RECUPERAÇÃO JUDICIAL - Fundamento: Preservação da atividade e função

Leia mais

Centro Universitário de Brusque - UNIFEBE

Centro Universitário de Brusque - UNIFEBE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO DA UNIFEBE Aprovado pela Resolução CONSUNI nº 36/14, de 10/12/14. CAPÍTULO I DISPOSIÇÃO

Leia mais

Finanças dos clubes de futebol do Brasil em 2011

Finanças dos clubes de futebol do Brasil em 2011 Finanças dos clubes de futebol do Brasil em 2011 Maio 2012 A BDO é a quinta maior empresa de auditoria e consultoria do Brasil, e realiza estudos e análises sobre a Indústria do Esporte, por meio de sua

Leia mais

Ponto 1. Ponto 2. Ponto 3

Ponto 1. Ponto 2. Ponto 3 DIREITO TRIBUTÁRIO PEÇA PROFISSIONAL Ponto 1 Em Agosto de 2008, o município de São Paulo promoveu, contra o Partido do Triunfo Nacional (PTN), regularmente registrado no Tribunal Superior Eleitoral, execução

Leia mais

Custo das empresas para litigar judicialmente

Custo das empresas para litigar judicialmente Fevereiro 2014 Custo das empresas para litigar judicialmente COORDENAÇÃO Gilberto Luiz do Amaral Letícia Mary Fernandes do Amaral Cristiano Lisboa Yazbek ESTUDO: CUSTO DAS EMPRESAS PARA LITIGAR JUDICIALMENTE

Leia mais

CONVÊNIO DE COLABORAÇÃO QUE ENTRE SI CELEBRAM O MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO E O INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO DE PASSO FUNDO - SOLIDARIEDADE - IDPF

CONVÊNIO DE COLABORAÇÃO QUE ENTRE SI CELEBRAM O MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO E O INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO DE PASSO FUNDO - SOLIDARIEDADE - IDPF CONVÊNIO DE COLABORAÇÃO QUE ENTRE SI CELEBRAM O MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO E O INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO DE PASSO FUNDO - SOLIDARIEDADE - IDPF 032/2014 - PGM O MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO, pessoa jurídica

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUÇÃO CFC N.º 1.406/12 Dispõe sobre o Regime de Parcelamento de Débitos de Anuidades e Multas (Redam III) para o Sistema CFC/CRCs. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições

Leia mais

FRAGILIDADE FISCAL DE PARTE DAS EMPRESAS LISTADAS NA BOVESPA

FRAGILIDADE FISCAL DE PARTE DAS EMPRESAS LISTADAS NA BOVESPA OBSERVATÓRIO DE GOVERNANÇA TRIBUTÁRIA: FRAGILIDADE FISCAL DE PARTE DAS EMPRESAS LISTADAS NA BOVESPA Gilberto Luiz do Amaral João Eloi Olenike Letícia Mary Fernandes do Amaral Fernando Steinbruch 15 de

Leia mais

Contatos RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS. Conectando Oportunidades em Fusões & Aquisições LEI DE RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS (LEI Nº 11.101, DE 09/02/2005).

Contatos RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS. Conectando Oportunidades em Fusões & Aquisições LEI DE RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS (LEI Nº 11.101, DE 09/02/2005). A nova legislação brasileira destinada às empresas em dificuldades econômico-financeiras. Lei de Recuperação de Empresas disciplina a recuperação judicial, a recuperação extrajudicial. Aspectos legais.

Leia mais

BERJ PUBLICA BALANÇO DE 2007 AUDITADO (25/08/2008)

BERJ PUBLICA BALANÇO DE 2007 AUDITADO (25/08/2008) BERJ PUBLICA BALANÇO DE 2007 AUDITADO (25/08/2008) As Demonstrações Financeiras de 2007 do Berj foram publicadas no dia 22 de agosto de 2008, após serem auditadas PricewatershouseCoopers Auditores Independentes.

Leia mais

Relatório Controle Interno 2º. Quadrimestre 2015

Relatório Controle Interno 2º. Quadrimestre 2015 Relatório Controle Interno 2º. Quadrimestre 2015 1. APRESENTAÇÃO Nos termos do artigo 74 da Constituição Federal, artigo 59 da Lei Complementar nº. 59, artigos 63 a 66 da Lei Complementar nº. 33, de 28

Leia mais

Nova Lei de Filantropia

Nova Lei de Filantropia Nova Lei de Filantropia A nova Lei da Filantropia e seus aspectos preponderantes para a Assistência Social e o Conselho Municipal de Assistência Social Títulos Públicos Existentes (Federal) TÍTULOS Nº

Leia mais

A execução fiscal só será extinta se quitados também os encargos da sucumbência, que se constituem de honorários advocatícios e custas processuais.

A execução fiscal só será extinta se quitados também os encargos da sucumbência, que se constituem de honorários advocatícios e custas processuais. Dúvidas e Esclarecimentos Quais as formas de que disponho para quitar meu débito? À vista: Emitir DAE (Documento de Arrecadação Estadual) para pagamento à vista na sede da Procuradoria Geral do Estado,

Leia mais

Cristiane da Costa Nery Procuradora-Geral do Município de Porto Alegre

Cristiane da Costa Nery Procuradora-Geral do Município de Porto Alegre Cristiane da Costa Nery Procuradora-Geral do Município de Porto Alegre PROCURADORIA-GERAL ADJUNTA DE ASSUNTOS FISCAIS PGA-AF PROCURADORIA DA DÍVIDA ATIVA - PDA PROCURADORIA TRIBUTÁRIA - PTR GERÊNCIA DE

Leia mais

Processo nº 0448.1511/15-9 DEVOLVER ESTE PROTOCOLO ASSINADO PROTOCOLO DE ENTREGA PROCESSO DE LICITAÇÃO CONVITE Nº 066A/2015

Processo nº 0448.1511/15-9 DEVOLVER ESTE PROTOCOLO ASSINADO PROTOCOLO DE ENTREGA PROCESSO DE LICITAÇÃO CONVITE Nº 066A/2015 Processo nº 0448.1511/15-9 DEVOLVER ESTE PROTOCOLO ASSINADO PROTOCOLO DE ENTREGA PROCESSO DE LICITAÇÃO CONVITE Nº 066A/2015 DATA DA ABERTURA: 13/11/2015 HORA DA ABERTURA: 09:00 Horas NOME DA EMPRESA: ORIGINAL

Leia mais