SERVIÇOS DADOS DO COMÉRCIO INTERNACIONAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SERVIÇOS DADOS DO COMÉRCIO INTERNACIONAL"

Transcrição

1 SERVIÇOS DADOS DO COMÉRCIO INTERNACIONAL 2014 e 1º Semestre de 2015 SERVICES DATA OF INTERNATIONAL TRADE 2014 and 1º Semester of 2015

2

3 REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Ministry of Development, Industry and Foreign Trade Secretaria de Comércio e Serviços Secretariat of Commerce and Services Departamento de Políticas de Comércio e Serviços Department of Commerce and Services Policies

4

5 Sumário Apresentação...7 Preface... 7 Principais Serviços Exportados Pelo Brasil - 1º Sem/ MAIN BRAZILIAN EXPORTING SERVICES - 1 st sem/ Principais Serviços IMPORTADOS Pelo Brasil - 1º Sem/ MAIN BRAZILIAN IMPORTING SERVICES - 1 st sem/ EXPORTAÇÕES DO brasil - PRINCIPAIS países ADQUIRENTES - 1º Sem/ BRAZILIAN EXPORTS - MAJOR IMPORTING COUNTRIES - 1 st sem/ IMPORTAÇÕES DO brasil - PRINCIPAIS países VENDEDORES - 1º SEm/ BRAZILIAN IMPORTS - MAJOR EXPORTING COUNTRIES - 1 st Sem/ PRINCIPAIS ESTADOS EXPORTADORES DE SERVIÇOS - NBS* - 1º Sem/ MAIN SERVICES EXPORTER STATES - NBS* - 1st sem/ ESTADOS EXPORTADORES DE SERVIÇOS* (%) - 1º Sem/ SERVICES EXPORTING STATES* (%) - 1st sem/ PRINCIPAIS ESTADOS IMPORTADORES DE SERVIÇOS - NBS* - 1º Sem/ MAIN SERVICES IMPORTER STATES - NBS* - 1 st sem/ ESTADOS IMPORTADORES DE SERVIÇOS* (%) - 1º Sem/ SERVICES IMPORTING STATES* (%) - 1 st sem/

6

7 Apresentação A Secretaria de Comércio e Serviços (SCS) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) é responsável pela publicação de estatísticas do comércio exterior de serviços a partir dos dados registrados no Siscoserv, com vistas a ampliar as fontes de informações sobre esse setor para dar uma maior visibilidade econômica ao setor, auxiliar as negociações internacionais em serviços e a gestão e monitoramento de políticas públicas. Esta publicação apresenta os dados relativos ao primeiro semestre de 2015, extraídos do Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e Outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio Siscoserv. Salienta-se que os dados do Siscoserv apresentam distinções em relação aos obtidos por meio do Balanço de Pagamentos (BP), não sendo diretamente comparáveis, em virtude do BP, em geral, captar o fluxo financeiro internacional, e o Siscoserv registrar o fluxo comercial de serviços e intangíveis com o exterior, identificando os serviços como produtos, e não por setores, como na CNAE. Com o intuito de facilitar o entendimento do público em geral, as vendas e aquisições de serviços registradas no Siscoserv serão apresentadas, respectivamente, como exportações e importações de serviços 1. Preface The Secretariat of Commerce and Services (SCS) of the Brazilian Ministry of Development, Industry and Foreign Trade (in Portuguese, MDIC, which stands for Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior) is responsible for publishing the statistics of International Trade in Services from Siscoserv data. The purpose of this work is to expand the sources of information available on the Brazilian foreign trade in services, giving the sector more economic visibility, besides assisting international negotiations in services and the management and supervision of the public policies. This publication presents the data for the first half of 2015 extracted from the Integrated System of Foreign Trade in Services and Intangibles - SISCOSERV. Please note that the data here presented is different from the data obtained from the Balance of Payments (BoP) and is not directly comparable to it, due to the fact that the BoP usually captures the international financial flow while SISCOSERV concerns itself with the commercial flow of services and intangibles between Brazil and the rest of the world. Furthermore, the services are identified as products in themselves rather than being tallied by their exporters or importers economic activities. In order to facilitate the understanding of the general public, sales and purchases of services recorded in SISCOSERV will appear, respectively, as exports and imports of services. 2 1 A terminologia utilizada no Siscoserv foi definida para permitir o registro dos quatro modos de prestação dispostos no Acordo Geral sobre o Comércio de Serviços (GATS). Tal medida foi necessária para evitar conflito de interpretação com a legislação tributária vigente. Salienta-se que os dados relativos ao modo de prestação 3 (presença comercial no exterior) são registrados em módulo específico do Siscoserv e estão sendo divulgados em arquivos separados. Os intangíveis e outras operações que produzam variação no patrimônio identificados na NBS serão tratados neste documento genericamente como serviços, com o objetivo de facilitar o entendimento dos dados. 2 The terminology used in SISCOSERV was conceived to allow the trade in services in the four modes of supply defined by the General Agreement on Trade in Services (GATS) to be captured. This measure was necessary to avoid conflicts with the interpretation of current Brazilian tax laws. Data related to the Mode 3 (Commercial Presence) is informed in a specific module of SISCOSERV and will be published in separate documents. Intangibles and other operations that produce variation in equity, as defined in the NBS, will be treated herein generically as services, in order to facilitate understanding of the data.

8 8 SERVIÇOS Principais Serviços Exportados Pelo Brasil - 1º Sem/2015 MAIN BRAZILIAN EXPORTING SERVICES - 1 st sem/2015 US$ Milhões / US$ Million NBS* - Posição Valor/ Value Serviços de resseguros e de retrocessão ,9% Serviços gerenciais, de consultoria gerencial, de relações públicas e de comunicação social Outros serviços profissionais, técnicos e gerenciais não classificados em outra posição Serviços auxiliares aos serviços financeiros, exceto os relacionados a seguros e previdência complementar ,5% 920 8,8% 855 8,1% Serviços de transporte aquaviário de cargas 772 7,4% Serviços de manutenção e reparação de produtos metálicos, maquinário e equipamentos 593 5,6% Serviços de apoio para transportes aquaviários 370 3,5% Serviços de manuseio de cargas 366 3,5% Serviços de pesquisa e desenvolvimento em ciências naturais, exatas e engenharia Serviços de propaganda e de alocação de espaço ou tempo para propaganda 321 3,1% 279 2,7% Demais / Others ,0% *De acordo com a Nomenclatura Brasileira de Serviços (NBS) / According to the Brazilian Services Classification Source: SISCOSERV / Elaboration : DECOS/ SCS / MDIC DADOS DO COMÉRCIO INTERNACIONAL DE SERVIÇOS

9 SERVICES 9 Principais Serviços IMPORTADOS Pelo Brasil - 1º Sem/2015 MAIN BRAZILIAN IMPORTING SERVICES - 1 st sem/ NBS* - Posição Arrendamento mercantil operacional ou locação de máquinas e equipamentos, sem operador US$ Milhões / US$ Million Valor/ Value ,8% Serviços de transporte aquaviário de cargas ,0% Licenciamento de direitos de autor e direitos conexos ,3% Outros serviços profissionais, técnicos e gerenciais não classificados em outra posição Serviços financeiros, exceto bancos de investimento, serviços de seguros e previdência complementar 792 3,5% 524 2,3% Contratos de transferência de tecnologia 479 2,1% Licenciamento de direitos sobre a propriedade industrial Serviços de planejamento de viagens e de operador de turismo, outros serviços relacionados Serviços gerenciais, de consultoria gerencial, de relações públicas e de comunicação social 464 2,0% 442 1,9% 426 1,9% Serviços de resseguros e de retrocessão 381 1,7% Demais / Others ,5% *De acordo com a Nomenclatura Brasileira de Serviços (NBS) / According to the Brazilian Services Classification Source: SISCOSERV / Elaboration : DECOS/ SCS / MDIC DATA OF INTERNATIONAL TRADE IN SERVICES

10 10 SERVIÇOS EXPORTAÇÕES DO brasil - PRINCIPAIS países ADQUIRENTES - 1º Sem/2015 BRAZILIAN EXPORTS - MAJOR IMPORTING COUNTRIES - 1 st sem/2015 País/Country US$ Milhões / US$ Million Valor/ Value 1. Estados Unidos / United States ,9% 2. Países Baixos / Netherlands 858 8,2% 3. Colômbia / Colombia 825 7,9% 4. México / Mexico 532 5,1% 5. Alemanha / Germany 517 4,9% 6. Reino Unido / United Kingdom 448 4,3% 7. Suíça / Switzerland 436 4,2% 8. França / France 291 2,8% 9. China / China 266 2,5% 10. Japão / Japan 252 2,4% 11. Ilhas Cayman/ Cayman Islands 225 2,1% 12. Ilhas Virgens / Virgin Islands 186 1,8% 13. Argentina / Argentine 184 1,8% 14. Cingapura / Singapore 171 1,6% 15. Dinamarca / Denmark 154 1,5% 16. Irlanda / Ireland 145 1,4% 17. Uruguai / Uruguay 124 1,2% 18. Chile / Chile 120 1,1% 19. Áustria / Austria 113 1,1% 20. Canadá / Canada 107 1,0% Demais / Others ,4% Source: SISCOSERV / Elaboration : DECOS / SCS / MDIC DADOS DO COMÉRCIO INTERNACIONAL DE SERVIÇOS

11 SERVICES 11 IMPORTAÇÕES DO brasil - PRINCIPAIS países VENDEDORES - 1º SEm/2015 BRAZILIAN IMPORTS - MAJOR EXPORTING COUNTRIES - 1 st Sem/2015 País/Country US$ Milhões / US$ Million Valor/ Value 1. Estados Unidos / United States ,0% 2. Países Baixos / Netherlands ,6% 3. Reino Unido / United Kingdom ,5% 4. Alemanha / Germany ,9% 5. Noruega / Norway 868 3,8% 6. França / France 622 2,7% 7. Uruguai / Uruguay 598 2,6% 8. Suíça / Switzerland 555 2,4% 9. Nova Zelândia / New Zealand 466 2,1% 10. Colômbia / Colombia 368 1,6% 11. Espanha / Spain 368 1,6% 12. Japão / JapanI 345 1,5% 13. Áustria / Austria 293 1,3% 14. China / China 270 1,2% 15. Irlanda / Ireland 268 1,2% 16. Itália / Italy 265 1,2% 17. Coréia do Sul / South Korea 254 1,1% 18. Grécia / Greece 242 1,1% 19. Luxemburgo / Luxembourg 228 1,0% 20. Austrãlia / Australia 222 1,0% Demais / Others ,6% Source: SISCOSERV / Elaboration : DECOS / SCS / MDIC DATA OF INTERNATIONAL TRADE IN SERVICES

12 12 SERVIÇOS PRINCIPAIS ESTADOS EXPORTADORES DE SERVIÇOS - NBS* - 1º Sem/2015 MAIN SERVICES EXPORTER STATES - NBS* - 1 st sem/2015 2% 2% 5% 30% 5% 56% SP RJ PR SC RS Demais *De acordo com a Nomenclatura Brasileira de Serviços (NBS) / According to the Brazilian Services Classification Source: SISCOSERV / Elaboration : DECOS / SCS / MDIC ESTADOS EXPORTADORES DE SERVIÇOS* (%) - 1º Sem/2015 SERVICES EXPORTING STATES* (%) - 1 st sem/2015 Estado / State Estado / State 1. São Paulo 56,0% 10. Bahia 0,4% 2. Rio de Janeiro 30,3% 11. Pará 0,4% 3. Paraná 5,1% 12. Maranhão 0,3% 4. Santa Catarina 2,1% 13. Ceará 0,3% 5. Rio Grande do Sul 1,8% 14. Mato Grosso 0,1% 6. Minas Gerais 1,1% 15. Mato Grosso do Sul 0,1% 7. Espírito Santo 0,8% 16. Amazonas 0,1% 8. Distrito Federal 0,6% 17. Goiás 0,1% 9. Pernambuco 0,4% Demais Estados 0,1% Source: SISCOSERV / Elaboration : DECOS / SCS / MDIC DADOS DO COMÉRCIO INTERNACIONAL DE SERVIÇOS

13 SERVICES 13 PRINCIPAIS ESTADOS IMPORTADORES DE SERVIÇOS - NBS* - 1º Sem/2015 MAIN SERVICES IMPORTER STATES - NBS* - 1 st sem/2015 2% 2% 2% 6% RJ SP MG 33% 55% PR RS Demais *De acordo com a Nomenclatura Brasileira de Serviços (NBS) / According to the Brazilian Services Classification Source: SISCOSERV / Elaboration : DECOS / SCS / MDIC ESTADOS IMPORTADORES DE SERVIÇOS* (%) - 1º Sem/2015 SERVICES IMPORTING STATES* (%) - 1 st sem/2015 Estado / State Estado / State 1. Rio de Janeiro 54,9% 10. Distrito Federal 0,4% 2. São Paulo 33,0% 11. Pernambuco 0,3% 3. Minas Gerais 2,3% 12. Pará 0,2% 4. Paraná 2,0% 13. Ceará 0,2% 5. Rio Grande do Sul 1,6% 14. Goiás 0,2% 6. Bahia 1,4% 15. Maranhão 0,2% 7. Santa Catarina 1,3% 16. Mato Grosso do Sul 0,1% 8. Amazonas 1,1% 17. Mato Grosso 0,1% 9. Espírito Santo 0,7% Demais Estados 0,1% Source: SISCOSERV / Elaboration : DECOS / SCS / MDIC DATA OF INTERNATIONAL TRADE IN SERVICES

14

Fórum Permanente de Micro e Pequenas Empresas. Comitê de Comércio Exterior. Brasília Julho de 2011

Fórum Permanente de Micro e Pequenas Empresas. Comitê de Comércio Exterior. Brasília Julho de 2011 Fórum Permanente de Micro e Pequenas Empresas Comitê de Comércio Exterior Brasília Julho de 2011 BALANÇA BRASILEIRA DE COMÉRCIO EXTERIOR DE BENS E SERVIÇOS* US$ Bilhões BRAZILIAN FOREIGN TRADE IN GOODS

Leia mais

Alavancagem do Comércio Exterior de Serviços

Alavancagem do Comércio Exterior de Serviços Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio e Serviços Alavancagem do Comércio Exterior de Serviços Brasília, 08 de abril de 2015 O Setor de Serviços no Brasil O

Leia mais

SERVIÇOS PERFIS DOS NEGÓCIOS BILATERAIS - ALADI

SERVIÇOS PERFIS DOS NEGÓCIOS BILATERAIS - ALADI SERVIÇOS PERFIS DOS NEGÓCIOS BILATERAIS ALADI 2014 Secretaria de Comércio e Serviços Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Vendas do Brasil (US$ mil) 2.172.864 Aquisições pelo Brasil

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2015

Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Volume 42 Ano base 2014 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2013-2014

Leia mais

RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012

RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Atualizado até 30/09/2011 RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012 1 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Autorizações

Leia mais

RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012

RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Atualizado até 30/09/2011 RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012 1 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Autorizações

Leia mais

ENCONTRO NACIONAL DO COMÉRCIO EXTERIOR ENAEX 2013. Painel V: Oportunidades e Mercados Promissores no Comércio Internacional de Serviços

ENCONTRO NACIONAL DO COMÉRCIO EXTERIOR ENAEX 2013. Painel V: Oportunidades e Mercados Promissores no Comércio Internacional de Serviços ENCONTRO NACIONAL DO COMÉRCIO EXTERIOR ENAEX 2013 Painel V: Oportunidades e Mercados Promissores no Comércio Internacional de Serviços EVOLUÇÃO DA EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE SERVIÇOS (US$ bilhões) 36,4

Leia mais

SERVIÇOS PANORAMA DO COMÉRCIO INTERNACIONAL

SERVIÇOS PANORAMA DO COMÉRCIO INTERNACIONAL SERVIÇOS PANORAMA DO COMÉRCIO INTERNACIONAL Dados Consolidados de 2012 I n o v a r p a r a c o m p e t i r. C o m p e t i r p a r a c r e s c e r. 2013 SERVICES OVERVIEW OF INTERNATIONAL TRADE 2012 Consolidated

Leia mais

IV ENAServ - Encontro Nacional de Comércio Exterior de Serviços. São Paulo, 25 de junho de 2013

IV ENAServ - Encontro Nacional de Comércio Exterior de Serviços. São Paulo, 25 de junho de 2013 2013 IV ENAServ - Encontro Nacional de Comércio Exterior de Serviços São Paulo, 25 de junho de 2013 BALANÇA BRASILEIRA DE COMÉRCIO EXTERIOR DE SERVIÇOS* - US$ Bilhões 2011 2012 Δ% 2012/2011 Exportações

Leia mais

IV ENAServ - Encontro Nacional de Comércio Exterior de Serviços. São Paulo, 25 de junho de 2013

IV ENAServ - Encontro Nacional de Comércio Exterior de Serviços. São Paulo, 25 de junho de 2013 2013 IV ENAServ - Encontro Nacional de Comércio Exterior de Serviços São Paulo, 25 de junho de 2013 BALANÇA BRASILEIRA DE COMÉRCIO EXTERIOR DE SERVIÇOS* - US$ Bilhões 2011 2012 Δ% 2012/2011 Exportações

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2012

Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Volume 39 Ano base 2011 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2010-2011

Leia mais

SISCOSERV Comércio Exterior de Serviços do Brasil. FIESP São Paulo, 30 de agosto de 2016

SISCOSERV Comércio Exterior de Serviços do Brasil. FIESP São Paulo, 30 de agosto de 2016 SISCOSERV Comércio Exterior de Serviços do Brasil FIESP São Paulo, 30 de agosto de 2016 1 A importância do setor de comércio e serviços MDIC Participação no valor adicionado ao PIB Agropecu ária 5,2% Emprego

Leia mais

SERVIÇOS PANORAMA DO COMÉRCIO DO BRASIL COM OS PAÍSES DA ASSOCIAÇÃO LATINO- AMERICANA DE INTEGRAÇÃO

SERVIÇOS PANORAMA DO COMÉRCIO DO BRASIL COM OS PAÍSES DA ASSOCIAÇÃO LATINO- AMERICANA DE INTEGRAÇÃO SERVIÇOS PANORAMA DO COMÉRCIO DO BRASIL COM OS PAÍSES DA ASSOCIAÇÃO LATINO- AMERICANA DE INTEGRAÇÃO 2014 2 REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2013

Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Volume 40 Ano base 2012 Guia de leitura Guia de leitura O Guia de Leitura tem o propósito de orientar

Leia mais

I Seminário Nacional dos Fóruns Estaduais das

I Seminário Nacional dos Fóruns Estaduais das BALANÇA BRASILEIRA DE COMÉRCIO EXTERIOR DE SERVIÇOS* - US$ Bilhões BRAZILIAN FOREIGN TRADE IN SERVICES BALANCE* - US$ Billion I Seminário Nacional dos Fóruns Estaduais das Microempresas e Empresas 2010

Leia mais

EDUCAÇÃO. Base para o desenvolvimento

EDUCAÇÃO. Base para o desenvolvimento EDUCAÇÃO Base para o desenvolvimento 1 Por que investir em educação? 2 Por que investir em educação? 1. Acesso à cidadania. 2. Aumento da renda pessoal (prêmio salarial): 10% por um ano a mais de escolaridade.

Leia mais

200 4 Anuário Estatístico

200 4 Anuário Estatístico 2004 Anuário Estatístico REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA Presidente MINISTÉRIO DO TURISMO WALFRIDO SILVINO DOS MARES GUIA Ministro INSTITUTO BRASILEIRO DE TURISMO EMBRATUR EDUARDO

Leia mais

SERVIÇOS PANORAMA DO COMÉRCIO INTERNACIONAL. - Dados Consolidados SERVICES. Consolidated Data OUTLOOK OF INTERNATIONAL TRADE

SERVIÇOS PANORAMA DO COMÉRCIO INTERNACIONAL. - Dados Consolidados SERVICES. Consolidated Data OUTLOOK OF INTERNATIONAL TRADE SERVIÇOS PANORAMA DO COMÉRCIO INTERNACIONAL SERVICES ANO 3 - NÚMERO 1 3 nd YEAR - NUMBER 1 Edição Maio de 2008 May 2008 Edition Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de

Leia mais

17ª TRANSPOSUL FEIRA E CONGRESSO DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA

17ª TRANSPOSUL FEIRA E CONGRESSO DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA 17ª TRANSPOSUL FEIRA E CONGRESSO DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA PALESTRA FALTA DE COMPETITIVIDADE DO BRASIL FRENTE AO MERCADO EXTERNO JOSÉ AUGUSTO DE CASTRO Porto Alegre, 24 de JUNHO de 2015 2 - TEORIAS No

Leia mais

ANEXO I - Planilha para formação de preços ITEM 01 Serviço Telefônico Fixo Comutado STFC na modalidade Local (PABX ANEEL) Com Im

ANEXO I - Planilha para formação de preços ITEM 01 Serviço Telefônico Fixo Comutado STFC na modalidade Local (PABX ANEEL) Com Im ANEXO I Planilha para formação de preços ITEM 01 Serviço Telefônico Fixo Comutado STFC na modalidade Local (PABX ANEEL) Com Im ITEM FIXO (A) Descrição Cobrado uma única vez QTD Preço Unitário Instalação

Leia mais

EDUCAÇÃO. Base do Desenvolvimento Sustentável

EDUCAÇÃO. Base do Desenvolvimento Sustentável EDUCAÇÃO Base do Desenvolvimento Sustentável 1 Por que investir em educação? 2 Por que investir em educação? 1. Acesso à cidadania. 2. Aumento da renda pessoal (prêmio salarial): 10% por um ano a mais

Leia mais

Encontros Técnicos SISCOSERV. Novembro de 2009. Secretaria de Comércio e Serviços

Encontros Técnicos SISCOSERV. Novembro de 2009. Secretaria de Comércio e Serviços Encontros Técnicos SISCOSERV Novembro de 2009 SISTEMA INTEGRADO DE COMÉRCIO EXTERIOR DE SERVIÇOS, INTANGÍVEIS E OUTRAS OPERAÇÕES QUE PRODUZEM VARIAÇÕES NO PATRIMÔNIO DAS ENTIDADES Sistema que possibilitará

Leia mais

DADOS DAS EXPORTAÇÕES DE MEL

DADOS DAS EXPORTAÇÕES DE MEL DADOS DAS EXPORTAÇÕES DE MEL EXPORTAÇÃO BRASILEIRA DE MEL 2009 a 2014 (NCM 04.09.00.00) ANO 2009 2010 2011 2012 2013 2014 Meses US$ KG Valor Kg US$ KG Valor Kg US$ KG Valor Kg US$ KG Valor Kg US$ KG Valor

Leia mais

A Norma Brasileira e o Gerenciamento de Projetos

A Norma Brasileira e o Gerenciamento de Projetos A Norma Brasileira e o Gerenciamento de Projetos Realidade Operacional e Gerencial do Poder Judiciário de Mato Grosso Na estrutura organizacional, existe a COPLAN que apoia administrativamente e oferece

Leia mais

Reunião do Grupo Técnico do Siscoserv com setores de serviços

Reunião do Grupo Técnico do Siscoserv com setores de serviços Reunião do Grupo Técnico do Siscoserv com setores de serviços Cenário do comércio exterior de serviços: Déficits crescentes na conta de serviços do balanço de pagamentos Carência de informações detalhadas

Leia mais

International Trade: Statistics and Top 10 Partners Comércio Internacional: Estatísticas e Top 10 Parceiros. Economic Outlook. Económica.

International Trade: Statistics and Top 10 Partners Comércio Internacional: Estatísticas e Top 10 Parceiros. Economic Outlook. Económica. dossiers Economic Outlook Conjuntura International Trade: Statistics and Top 10 Partners Comércio Internacional: Estatísticas e Top 10 Parceiros Last Update Última Actualização 15-07-2015 Prepared by PE

Leia mais

Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e Outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio (SISCOSERV)

Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e Outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio (SISCOSERV) Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e Outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio (SISCOSERV) Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior O Brasil

Leia mais

PRODUTIVIDADE DO TRABALHO E COMPETITIVIDADE: BRASIL E SEUS CONCORRENTES

PRODUTIVIDADE DO TRABALHO E COMPETITIVIDADE: BRASIL E SEUS CONCORRENTES PRODUTIVIDADE DO TRABALHO E COMPETITIVIDADE: BRASIL E SEUS CONCORRENTES Eduardo Augusto Guimarães Maio 2012 Competitividade Brasil 2010: Comparação com Países Selecionados. Uma chamada para a ação África

Leia mais

DESPESA EM I&D E Nº DE INVESTIGADORES EM 2007 EM PORTUGAL

DESPESA EM I&D E Nº DE INVESTIGADORES EM 2007 EM PORTUGAL DESPESA EM I&D E Nº DE INVESTIGADORES EM 2007 EM PORTUGAL Súmula dos dados provisórios do Inquérito ao Potencial Científico e Tecnológico Nacional, IPCTN, 2007 I DESPESA 1. Despesa em I&D nacional total

Leia mais

Evolução Nacional da Sociedade da Informação e Comparações Internacionais

Evolução Nacional da Sociedade da Informação e Comparações Internacionais Evolução Nacional da Sociedade da Informação e Comparações Internacionais Forum para a Sociedade da Informação Aveiro, 10 Mar 2006 Luis Magalhães Presidente da UMIC Agência para a Sociedade do Conhecimento,

Leia mais

Linha Temática II - Migrações Internas e Internacionais Contemporâneas em São Paulo... 55

Linha Temática II - Migrações Internas e Internacionais Contemporâneas em São Paulo... 55 Linha Temática II - Migrações Internas e Internacionais Contemporâneas em São Paulo...... 55 Distribuição relativa (%) de imigrantes bolivianos no Estado de São Paulo em 20 I O..._... 62 Distribuição relativa

Leia mais

Comércio exterior. Dados gerais e do capítulo 30 da NCM relacionados ao comércio exterior do Brasil e do Estado de São Paulo.

Comércio exterior. Dados gerais e do capítulo 30 da NCM relacionados ao comércio exterior do Brasil e do Estado de São Paulo. Comércio exterior Dados gerais e do capítulo 30 da NCM relacionados ao comércio exterior do Brasil e do Estado de São Paulo. Janeiro 2015 Sindusfarma Gerência de Regulação de Mercados Índice Brasil...

Leia mais

Encontro Nacional de Comércio Exterior de Serviços - ENAServ. Dinâmica 1: Siscoserv e NBS Dúvidas e Propostas. São Paulo, 25 de junho de 2013

Encontro Nacional de Comércio Exterior de Serviços - ENAServ. Dinâmica 1: Siscoserv e NBS Dúvidas e Propostas. São Paulo, 25 de junho de 2013 Encontro Nacional de Comércio Exterior de Serviços - ENAServ Dinâmica 1: Siscoserv e NBS Dúvidas e Propostas São Paulo, 25 de junho de 2013 SISTEMA INTEGRADO DE COMÉRCIO EXTERIOR DE SERVIÇOS, INTANGÍVEIS

Leia mais

Economia Social Pós. Ações governamentais com impacto sobre rendimento e emprego: Ações governamentais com impacto sobre rendimento e emprego:

Economia Social Pós. Ações governamentais com impacto sobre rendimento e emprego: Ações governamentais com impacto sobre rendimento e emprego: Economia Social Pós Parte III: Mercado de Trabalho Ênfase na parte de políticas Profa. Danielle Carusi Prof. Fábio Waltenberg Aula 5 (parte III) setembro de 2010 Economia UFF 1. Políticas macroeconômicas,

Leia mais

A Governança da Internet no Brasil e os padrões para Web

A Governança da Internet no Brasil e os padrões para Web A Governança da Internet no Brasil e os padrões para Web ALGUNS EVENTOS E DADOS IMPORTANTES DA INTERNET NO BRASIL E NO MUNDO NO BRASIL Primeira conexão à redes (Bitnet) => Outubro 88 Domínio.br foi registrado

Leia mais

26ª Reunião do Conselho Nacional de Turismo SISCOSERV. Brasília, 24 de setembro de 2009.

26ª Reunião do Conselho Nacional de Turismo SISCOSERV. Brasília, 24 de setembro de 2009. 26ª Reunião do Conselho Nacional de Turismo SISCOSERV Brasília, 24 de setembro de 2009. 1 SISTEMA INTEGRADO DE COMÉRCIO EXTERIOR DE SERVIÇOS, INTANGÍVEIS E OUTRAS OPERAÇÕES QUE PRODUZEM VARIAÇÕES NO PATRIMÔNIO

Leia mais

Informações sobre salários e escolaridade dos professores e comparativo com não-professores

Informações sobre salários e escolaridade dos professores e comparativo com não-professores Informações sobre salários e escolaridade dos professores e comparativo com não-professores Total de profissionais, independentemente da escolaridade 2003 2007 2008 Professores da Ed Básica (públicas não

Leia mais

III.4.1 - Indicadores do comércio internacional por NUTS II, 2004. III.4.1 - Indicators of international trading by NUTS II, 2004

III.4.1 - Indicadores do comércio internacional por NUTS II, 2004. III.4.1 - Indicators of international trading by NUTS II, 2004 III.4.1 - Indicadores do comércio internacional por NUTS II, 2004 III.4.1 - Indicators of international trading by NUTS II, 2004 Unidade: % Unit:% Taxa de cobertura das pelas para os 4 principais mercados

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais SET/14

Ranking Mundial de Juros Reais SET/14 Ranking Mundial de Juros Reais SET/14 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS

Leia mais

RANKING NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009)

RANKING NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009) NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009) População Ocupada 5 a 17 anos 2008 Taxa de Ocupação 2008 Posição no Ranking 2008 População Ocupada 5 a 17

Leia mais

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA)

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA) Domínio de tópicos atuais e relevantes de diversas áreas, tais como política, economia, sociedade, educação, tecnologia, energia, ecologia, relações internacionais, desenvolvimento sustentável e segurança

Leia mais

Saldo da conta de serviços do Balanço de Pagamentos (US$): Exportações Importações Saldo 73,0 77,8 83,3 36,4 38,1 37,5 40,7

Saldo da conta de serviços do Balanço de Pagamentos (US$): Exportações Importações Saldo 73,0 77,8 83,3 36,4 38,1 37,5 40,7 o o o Relevância do Comércio Exterior de Serviços O comércio exterior de serviços do Brasil representa 5,59% do PIB, bem abaixo da realidade mundial, que alcança o patamar de 12,1% do PIB mundial (Banco

Leia mais

Observações sobre o Reequilíbrio Fiscal no Brasil

Observações sobre o Reequilíbrio Fiscal no Brasil Observações sobre o Reequilíbrio Fiscal no Brasil Nelson Barbosa Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão 1º de junho de 2015 Cenário Macroeconômico e Reequilíbrio Fiscal O governo está elevando

Leia mais

Universidade Nova de Lisboa Ano Lectivo 2006/2007. João Amador Seminário de Economia Europeia. Economia Portuguesa e Europeia. Exame de 1 a época

Universidade Nova de Lisboa Ano Lectivo 2006/2007. João Amador Seminário de Economia Europeia. Economia Portuguesa e Europeia. Exame de 1 a época Universidade Nova de Lisboa Ano Lectivo 2006/2007 FaculdadedeEconomia João Salgueiro João Amador Seminário de Economia Europeia Economia Portuguesa e Europeia Exame de 1 a época 5 de Janeiro de 2007 Atenção:

Leia mais

ED 2068/09. 16 junho 2009 Original: inglês. Obstáculos ao consumo

ED 2068/09. 16 junho 2009 Original: inglês. Obstáculos ao consumo ED 2068/09 16 junho 2009 Original: inglês P Obstáculos ao consumo 1. Cumprimentando os Membros, o Diretor-Executivo recorda-lhes que, de acordo com o Artigo 33 do Convênio Internacional do Café de 2001

Leia mais

Primeiro trimestre registra US$ 12,1 bi em IED*

Primeiro trimestre registra US$ 12,1 bi em IED* São Paulo, 29 de abril de 2015 Março de 2015 Primeiro trimestre registra US$ 12,1 bi em IED* No primeiro trimestre de 2015, os fluxos de investimento estrangeiro direto (IED) no Brasil registraram um total

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais Jan/14

Ranking Mundial de Juros Reais Jan/14 Ranking Mundial de Juros Reais Jan/14 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DE, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA -

Leia mais

SERVIÇOS PANORAMA DO COMÉRCIO INTERNACIONAL SERVICES. Dados de OVERVIEW OF INTERNATIONAL TRADE 2015 Data

SERVIÇOS PANORAMA DO COMÉRCIO INTERNACIONAL SERVICES. Dados de OVERVIEW OF INTERNATIONAL TRADE 2015 Data SERVIÇOS 2015 PANORAMA DO COMÉRCIO INTERNACIONAL Dados de 2015 SERVICES OVERVIEW OF INTERNATIONAL TRADE 2015 Data SERVIÇOS 2015 PANORAMA DO COMÉRCIO INTERNACIONAL Dados de 2015 SERVICES OVERVIEW OF INTERNATIONAL

Leia mais

mídiakit www.tvgazeta.com.br

mídiakit www.tvgazeta.com.br mídiakit www.tvgazeta.com.br JUNHO / 2015 #HISTÓRIA Fundada no aniversário da cidade de São Paulo, a TV Gazeta fala com uma metrópole globalizada com a intimidade de quem esteve presente na vida e no coração

Leia mais

Workshop Reforma tributária: reflexos sobre empresas e regiões

Workshop Reforma tributária: reflexos sobre empresas e regiões Departamento Jurídico - DEJUR Workshop Reforma tributária: reflexos sobre empresas e regiões Painel - Reforma Tributária à luz do desenvolvimento regional Helcio Honda O que a Sociedade espera de uma Reforma

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais Mar/13

Ranking Mundial de Juros Reais Mar/13 Ranking Mundial de Juros Reais Mar/13 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios

Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios João Ricardo Albanez Superintendente de Política e Economia Agrícola, Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES DOS SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES DOS SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES DOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

Leia mais

IV Reunião das Administradoras de ZPE. Brasília, 15 de abril de 2015

IV Reunião das Administradoras de ZPE. Brasília, 15 de abril de 2015 IV Reunião das Administradoras de ZPE Brasília, 15 de abril de 2015 I. Atuação da RENAI Roteiro: II. Possibilidades de parceria RENAI - ZPEs Parte I RENAI O que é a RENAI? Rede Nacional de Informações

Leia mais

Continua a valer a pena investir em Olival em Portugal?

Continua a valer a pena investir em Olival em Portugal? Continua a valer a pena investir em Olival em Portugal? 10 Outubro 2012 Manuela Nina Jorge Índice 02 1. Enquadramento do sector do azeite e evolução mundial 2. Evolução do sector em Portugal nos últimos

Leia mais

Perspectivas do consumo mundial de café

Perspectivas do consumo mundial de café Perspectivas do consumo mundial de café 19º Seminário Internacional de Café de Santos 9 e 10 de maio de 2012 Praia de Pernambuco, Guarujá SP Robério Oliveira Silva Diretor Executivo Resumo Produção mundial

Leia mais

Interpretação da norma NBR ISO/IEC 27001:2006

Interpretação da norma NBR ISO/IEC 27001:2006 Curso e Learning Sistema de Gestão de Segurança da Informação Interpretação da norma NBR ISO/IEC 2700:2006 Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste

Leia mais

Tabela 4 - Participação das atividades econômicas no valor adicionado bruto a preços básicos, por Unidades da Federação - 2012

Tabela 4 - Participação das atividades econômicas no valor adicionado bruto a preços básicos, por Unidades da Federação - 2012 Contas Regionais do Brasil 2012 (continua) Brasil Agropecuária 5,3 Indústria 26,0 Indústria extrativa 4,3 Indústria de transformação 13,0 Construção civil 5,7 Produção e distribuição de eletricidade e

Leia mais

A importância e desafios da agricultura na economia regional. Assessoria Econômica

A importância e desafios da agricultura na economia regional. Assessoria Econômica A importância e desafios da agricultura na economia regional Assessoria Econômica A Agricultura é importante para o crescimento e desenvolvimento econômico ou é apenas fornecedora de alimentos? Taxa Média

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio Exterior. Balança Comercial Brasileira 2005

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio Exterior. Balança Comercial Brasileira 2005 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio Exterior Balança Comercial Brasileira 2005 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA 2005 / 2004 US$ MILHÕES 2005 2004 % 2005/2004

Leia mais

19ª. Plenária do Fórum Permanente. Comitê Comércio Exterior. 21 de julho de 2011

19ª. Plenária do Fórum Permanente. Comitê Comércio Exterior. 21 de julho de 2011 19ª. Plenária do Fórum Permanente Comitê Comércio Exterior 21 de julho de 2011 1. Atualização do Questionário de Gargalos à Exportação 2. Atualização das Estatísticas do Comércio Exterior de Bens e Serviços

Leia mais

FLUXO TRANSPORTE AQUAVIÁRIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO TRANSPORTE AQUAVIÁRIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Estados Norte 0 0,00 0 0 0 0,00 Rondônia

Leia mais

NÚMERO DE ACIDENTES POR DIA DA SEMANA

NÚMERO DE ACIDENTES POR DIA DA SEMANA RODOVIÁRIAS Quadro 13 - UF: ACRE Ano de 211 82 5 6 8 9 5 3 14 4 11 9 4 4 63 2 4 7 6 6 9 4 8 4 4 3 6 68 4 2 8 3 1 8 4 9 2 6 7 5 63 3 6 3 2 13 9 8 7 5 1 5 1 67 4 2 9 6 8 5 5 7 6 6 4 5 85 3 7 1 1 4 7 9 6

Leia mais

Classificação dos Países

Classificação dos Países Indicadores Sociais: Os indicadores sociais são meios utilizados para designar os países como sendo: Ricos (desenvolvidos), Em Desenvolvimento (economia emergente) ou Pobres (subdesenvolvidos). Com isso,

Leia mais

Global leader in hospitality consulting. Global Hotel Market Sentiment Survey 1 Semestre 2014 BRASIL

Global leader in hospitality consulting. Global Hotel Market Sentiment Survey 1 Semestre 2014 BRASIL Global leader in hospitality consulting Global Hotel Market Sentiment Survey 1 Semestre 2014 BRASIL % DE RESPOSTAS POR REGIÃO INTRODUÇÃO Américas 19% Ásia 31% A pesquisa global de opinião sobre o mercado

Leia mais

O Pacto Nacional da Indústria Química: Avanços. Henri Slezynger Presidente do Conselho Diretor da ABIQUIM

O Pacto Nacional da Indústria Química: Avanços. Henri Slezynger Presidente do Conselho Diretor da ABIQUIM O Pacto Nacional da Indústria Química: Avanços Henri Slezynger Presidente do Conselho Diretor da ABIQUIM Balança comercial de produtos químicos 1991 a 2011* US$ bilhões Déficit cresceu de forma explosiva:

Leia mais

FACULDADE DE ECONOMIA, UNIVERSIDADE DO PORTO - ANO LECTIVO 2010/2011 1G203: ECONOMIA INTERNACIONAL

FACULDADE DE ECONOMIA, UNIVERSIDADE DO PORTO - ANO LECTIVO 2010/2011 1G203: ECONOMIA INTERNACIONAL FACULDADE DE ECONOMIA, UNIVERSIDADE DO PORTO - ANO LECTIVO 2010/2011 1 1G203: ECONOMIA INTERNACIONAL 1.2 -A evolução da economia mundial: globalização dos mercados e globalização da produção comércio internacional

Leia mais

Tabela 1 - Conta de produção por operações e saldos, segundo as Grandes Regiões e as Unidades da Federação - 2004-2008

Tabela 1 - Conta de produção por operações e saldos, segundo as Grandes Regiões e as Unidades da Federação - 2004-2008 (continua) Produção 5 308 622 4 624 012 4 122 416 3 786 683 3 432 735 1 766 477 1 944 430 2 087 995 2 336 154 2 728 512 Consumo intermediário produtos 451 754 373 487 335 063 304 986 275 240 1 941 498

Leia mais

Foad Shaikhzadeh Presidente Furukawa Industrial SA

Foad Shaikhzadeh Presidente Furukawa Industrial SA Para ajudar a proteger sua privacidade, o PowerPoint impediu o download automático desta imagem externa. Para baixar e exibir esta imagem, clique em Opções na Barra de Mensagens e clique em Habilitar conteúdo

Leia mais

WORLD CUP BRAZIL 2014

WORLD CUP BRAZIL 2014 WORLD CUP BRAZIL 2014 Match Date Match Stadium City Cat 1 Cat 2 Cat 3/4 VIP 1 12 jun Brazil vs. Croatia Arena De São Paulo Sao Paulo $2,900 $2,500 $1,800 2 13 jun Mexico vs. Cameroon Estadio Das Dunas

Leia mais

2009, 68,5% 70% 45% 8,8%) 12,9%). O 22,7%). 0,7 %, 2009 2008, 11,9 %). A

2009, 68,5% 70% 45% 8,8%) 12,9%). O 22,7%). 0,7 %, 2009 2008, 11,9 %). A Introdução Cresce a cada ano a participação do setor terciário na economia brasileira. No ano de 2009, o setor respondeu por 68,5% do PIB e por mais de 70% dos empregos formais. Ademais, o setor recebeu

Leia mais

Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional. Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB

Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional. Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB O NÚCLEO DE ECONOMIA EMPRESARIAL ESPM-SUL PESQUISA E APOIO 1. Despesas em

Leia mais

José Alexandre Scheinkman

José Alexandre Scheinkman José Alexandre Scheinkman Edwin W. Rickert Professor of Economics Columbia University Brasil: O Desafio da Produtividade Brasil: Problemas O Brasil tem problemas econômicos prementes de curto prazo. Déficit

Leia mais

Desafios Institucionais do Brasil: A Qualidade da Educação

Desafios Institucionais do Brasil: A Qualidade da Educação Desafios Institucionais do Brasil: A Qualidade da Educação André Portela Souza EESP/FGV Rio de Janeiro 13 de maio de 2011 Estrutura da Apresentação 1. Porque Educação? Educação e Crescimento 2. Educação

Leia mais

MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO

MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO Ambiente de Inovação em Saúde EVENTO BRITCHAM LUIZ ARNALDO SZUTAN Diretor do Curso de Medicina Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo SOCIEDADES CONHECIMENTO

Leia mais

FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO

Leia mais

PÚBLICO ALVO: Promotores de viagens; agentes de viagens; consultores de viagens; operadores de emissivo e receptivo; atendentes.

PÚBLICO ALVO: Promotores de viagens; agentes de viagens; consultores de viagens; operadores de emissivo e receptivo; atendentes. 3. Geografia Turística 3.1 Geografia Turística: Brasil de Ponta a Ponta Proporcionar ao participante melhor compreensão geográfica do país; Apresentar as principais especificidades existentes nos continentes

Leia mais

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES 05/07/11 02/08/11 30/08/11 27/09/11 25/10/11 22/11/11 20/12/11 17/01/12 14/02/12 13/03/12 10/04/12 08/05/12 05/06/12 03/07/12 31/07/12 28/08/12 25/09/12

Leia mais

Desigualdade e pobreza no Brasil 1995-2009. Pedro H. G. Ferreira de Souza

Desigualdade e pobreza no Brasil 1995-2009. Pedro H. G. Ferreira de Souza Desigualdade e pobreza no Brasil 1995-2009 Pedro H. G. Ferreira de Souza Renda domiciliar per capita (R$ setembro/2009) 700 600 500 400 521 1995 2003: 1% a.a. 2003 2009: +4.8% a.a 637 300 200 100 0 1995

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECEX SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTERIOR Grupo de Harmonização Estatística Brasil x China Em 2006 foi assinada em Beijing a criação do GHE Brasil x China, com o início do intercâmbio de dados. MINISTÉRIO

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TURISMO E HOTELARIA SETEMBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TURISMO E HOTELARIA SETEMBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TURISMO E HOTELARIA SETEMBRO DE 2015 1 2 PRODUTOS De acordo com a Organização Mundial do Turismo (OMT) o turismo compreende as atividades realizadas

Leia mais

Taxa de Empréstimo Estatísticas Financeiras Internacionais (FMI - IFS)

Taxa de Empréstimo Estatísticas Financeiras Internacionais (FMI - IFS) Taxa de Empréstimo Estatísticas Financeiras Internacionais (FMI - IFS) África do Sul: Taxa predominante cobrada pelos bancos de contas garantidas prime. Alemanha: Taxa sobre crédito de conta-corrente de

Leia mais

Financiamentos à exportação 2003-2015

Financiamentos à exportação 2003-2015 Financiamentos à exportação 2003-2015 BNDES participa de política de Estado Sistema brasileiro de apoio às exportações Conselho de Ministros Comitê Operacional Seguro de crédito à exportação Financiamento

Leia mais

PLC 116/10. Eduardo Levy

PLC 116/10. Eduardo Levy PLC 116/10 Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania Comissão de Assuntos Econômicos Comissão de Educação, Cultura

Leia mais

CONHEÇA A ADT. A empresa que protege seus bens e sua família.

CONHEÇA A ADT. A empresa que protege seus bens e sua família. CONHEÇA A ADT A empresa que protege seus bens e sua família. NOSSA EMPRESA MAIOR EMPRESA ESPECIALIZADA EM SEGURANÇA E INCÊNDIO A ADT pertence à Tyco, a maior empresa de segurança e incêndio do mundo, com

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E SERVIÇOS COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E SERVIÇOS COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

Leia mais

Grandes Regiões e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos

Grandes Regiões e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos Unidades da Federação 1980 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002

Leia mais

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES 05/11/10 05/12/10 05/01/11 05/02/11 05/03/11 05/04/11 05/05/11 05/06/11 05/07/11 05/08/11 05/09/11 05/10/11 05/11/11 05/12/11 05/01/12 05/02/12 05/03/12

Leia mais

O potencial da carne bovina brasileira nos circuitos não aftósicos

O potencial da carne bovina brasileira nos circuitos não aftósicos O potencial da carne bovina brasileira nos circuitos não aftósicos Professor: Raphael Rocha Formado em Administração, especialista em Marketing, pela UFRJ, com MBA em Gestão de Negócios, Comércio e Operações

Leia mais

Mercado internacional da carne bovina: a visão da indústria

Mercado internacional da carne bovina: a visão da indústria VII Seminário ABMR&A da Cadeia Produtiva de Carne Bovina Feicorte 2007 Mercado internacional da carne bovina: a visão da indústria Médica Veterinária Andréa Veríssimo M. Appl. Sc. Farm Management Lincoln

Leia mais

O PAPEL DAS FEIRAS DE CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO NÃO FORMAL

O PAPEL DAS FEIRAS DE CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO NÃO FORMAL ANAIS DA 67ª REUNIÃO ANUAL DA SBPC - SÃO CARLOS - SP - JULHO/2015 O PAPEL DAS FEIRAS DE CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO NÃO FORMAL Antes de entender qual a diferença entre educação formal e não formal é preciso entender

Leia mais

UNCTAD NOTA À IMPRENSA. RESTRIÇÃO O conteúdo deste Relatório não poderá ser divulgado antes das 17 horas do GMT de 18 de setembro de 2001

UNCTAD NOTA À IMPRENSA. RESTRIÇÃO O conteúdo deste Relatório não poderá ser divulgado antes das 17 horas do GMT de 18 de setembro de 2001 TRADUÇAO NÃO OFICIAL UNCTAD NOTA À IMPRENSA RESTRIÇÃO O conteúdo deste Relatório não poderá ser divulgado antes das 17 horas do GMT de 18 de setembro de 2001 (13 horas de Nova York, 19 horas de Genebra,

Leia mais

Implantação do Programa Visa Waiver. 26.11.2013 Audiência pública: Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado

Implantação do Programa Visa Waiver. 26.11.2013 Audiência pública: Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado Implantação do Programa Visa Waiver 26.11.2013 Audiência pública: Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado Chegadas internacionais Brasil XAmérica Latina Turistas internacionais (milhões)

Leia mais

Mercado em números. Brasil. Designação oficial: República Federativa do Brasil. Guiana Venezuela Suriname Columbia. Capital: Brasília.

Mercado em números. Brasil. Designação oficial: República Federativa do Brasil. Guiana Venezuela Suriname Columbia. Capital: Brasília. Guiana Venezuela Suriname Columbia Guiana Francesa Designação oficial: República Federativa do Capital: Brasília Localização: Leste da América do Sul Peru Fronteiras terrestres: 16.145 km com a Argentina

Leia mais

CARTA DO DIRETOR-EXECUTIVO

CARTA DO DIRETOR-EXECUTIVO International Coffee Organization Organización Internacional del Café Organização Internacional do Café Organisation Internationale du Café P CARTA DO DIRETOR-EXECUTIVO RELATÓRIO SOBRE O MERCADO CAFEEIRO

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 ( t ) ( US$ / t ) 450.000 120.000 400.000 100.000 350.000 80.000 300.000 250.000 60.000 200.000 150.000 40.

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 ( t ) ( US$ / t ) 450.000 120.000 400.000 100.000 350.000 80.000 300.000 250.000 60.000 200.000 150.000 40. BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 (POR PAÍS) PAÍSES ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 269.719,83 387.213,30 406.882,12 310.956,48 318.530,07 375.612,10 414.745,41 233.717,31 309.486,24 320.128,57 267.045,80 205.498,88

Leia mais

useful phone numbers Students Union Associação Académica da Universidade da Beira Interior

useful phone numbers Students Union Associação Académica da Universidade da Beira Interior useful phone numbers Students Union Associação Académica da Universidade da Beira Interior Headquarters: Rua Senhor da Paciência, 39 6200-158 Covilhã Portugal Telephone: +351 275 319 530 Fax: +351 275

Leia mais

BALANÇA BRASILEIRA DE COMÉRCIO EXTERIOR DE SERVIÇOS*

BALANÇA BRASILEIRA DE COMÉRCIO EXTERIOR DE SERVIÇOS* BALANÇA BRASILEIRA DE COMÉRCIO EXTERIOR DE SERVIÇOS* BRAZILIAN FOREIGN TRADE IN SERVICES BALANCE* Janeiro/Dezembro January/December 2009 US$ bilhões / US$ billion 2008 2009 Δ % 2009/2008 Exportações /

Leia mais