Antonio Henrique dos Santos 1 Nelson Ribeiro Carvalho 2

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Antonio Henrique dos Santos 1 Nelson Ribeiro Carvalho 2"

Transcrição

1 Frameworks e seus Benefícios no Desenvolvimento de Software Framework and its Beneftis in Software Development Marco y su Beneftis en Desarrollo de Software Antonio Henrique dos Santos 1 Nelson Ribeiro Carvalho 2 Resumo: Este trabalho apresenta as vantagens em relação à utilização de frameworks Open Source, com práticas de reutilização de códigos, possuindo base em programação Orientada a Objetos (OO) e ênfase nas melhores metodologia de desenvolvimento de softwares, em conjunto com os padrões de tecnologias Java Enterprise Edition. Haverá um foco maior no Framework Jaguar, onde uma aplicação será desenvolvida utilizando arquitetura de software. Afim de possuir melhores resultados como custo-benefício e diminuição de erros. Palavras-chave: Frameworks. Java Enterprise Edition. Open Source. Java Server Faces. Hibernate. Jaguar. Abstract: This paper presents the advantages over the use of Open Source frameworks with practical reuse of code, having basic programming in Object Oriented (OO) methodology and emphasis on better software development, together with the patterns of technology Java Enterprise Edition. There will be a greater focus on the Framework Jaguar, where an application will be developed using software architecture. In order to have better results as cost-benefit and minimize errors. Keywords: Frameworks. Java Enterprise Edition. Open Source. Java Server Faces. Hibernate. Jaguar. Resumen: Este artículo presenta las ventajas sobre el uso de marcos de código abierto con la reutilización de código práctico, que tiene la programación orientada a objetos de base en la metodología y el énfasis en un mejor desarrollo de software (OO), junto con los patrones de la tecnología Java Enterprise Edition. Habrá un mayor enfoque en el Jaguar Marco, donde se desarrollará una aplicación que utiliza la arquitectura de software. Con el fin de tener mejores resultados como costo-beneficio y minimizar los errores. Palabras clave: Marcos.Java Enterprise Edition. Open Source. Java Server Faces. Hibernate. Jaguar. 1 INTRODUÇÃO Este artigo tem como tema Framework e seus benefícios para desenvolvimentos de software nas empresas em um cenário das empresas que utilizam a Web. As empresas do mercado de tecnologia da informação investem cada vez mais em inovações tecnológicas porém, a qualificação dos profissionais não acompanha o mesmo ritmo. Nesse sentido Alvim (2010, p.12) afirma: A falta de criatividade e sinergia entre tecnologia e negócios também impede as empresas de alavancarem seus lucros e objetivos. Uma vez que, o trabalho com sistemas tradicionais e a falta de planejamento estratégico e inovador, provoca a estagnação e impede as empresas visualizarem novas oportunidades e tendências de mercado (ALVIM, 2010). 1 Graduando em Sistemas da Informação pela faculdade Inforium de Tecnologia. 2 Especialista em Desenvolvimento de Software e Professor do curso de Graduação em Sistemas da

2 O framework é um conjunto de classes que colaboram entre si proporcionando melhores práticas de desenvolvimento e diminuição à repetição de tarefas. Além disso, evita variações de soluções diferentes para um mesmo tipo de problema. O que facilita a reutilização e customização dos códigos. Porém, os frameworks também podem atrasar o trabalho, pois os desenvolvedores, testers e outros envolvidos no processo de desenvolvimento tem que dominar não apenas a linguagem de programação. Mas também a utilização do framework. Para se trabalhar com um framework específico (ou qualquer tipo de tecnologia) é necessário obter conhecimento técnico, não somente para uso e acesso as informações. Mas também, aplicar as especialidades que o produto em fase de desenvolvimento necessita (PRESSMAN, 2006). Outro fator considerável é que o projeto pode não seguir os padrões do framework, levando a criar adaptações no projeto. Isto pode gerar mais trabalho, que implica em mais tempo e perde qualidade, pois não se enquadra a padrões definidos. Assim, o objetivo geral de artigo é abordar a eficácia dos frameworks Open Source no desenvolvimento de aplicações JEE estabelecendo comparações entre um projeto de software que utiliza framework e outro que não utiliza. Estas comparações serão para verificar o grande benefício que um projeto que utiliza frameworks pode trazer ganhos de qualidade e produtividade.a obtenção de boa estrutura para implementação, os recursos diversos que proporcionam a facilidade para construir um projeto de software e o cumprimento pleno da documentação, ajuda a diminuir custos estabelecidos e aumenta a produtividade dos desenvolvedores em relação à construção do projeto de software. Além disso, o reuso de componentes, aplicação, objetos e funções, possibilitam aos projetistas de software o reaproveitamento do conteúdo utilizado em outros projetos que já foram construídos e evita o trabalho de calcular a maior parte das estimativas relacionadas ao novo projeto. Com base no conhecimento da equipe de desenvolvimento, das tecnologias e quais os recursos que podem ser realmente utilizados. Diante do exposto, a pergunta orientadora do estudo é no sentido de verificar se o uso de framework no desenvolvimento de software contribui para agilizar os processos ágeis e a lucratividades das empresas. Justifica-se esta pesquisa tendo em vista em relação desenvolvimento de Software o framework é uma abstração que une códigos comuns entre vários projetos de software provendo uma funcionalidade genérica.

3 Os frameworks ajudam bastante as comunidades de desenvolvimento de software porque já trazem, prontas e encapsuladas muitas coisas que são muito trabalhosa de implementar do zero e que precisa ser refeita sempre.

4 2 ABORDAGEM TEÓRICA Este trabalho aborda a eficácia dos frameworks Open Source no desenvolvimento de aplicações JEE 33 e procura estabelecer comparações (bibliográficas e em estudo de caso) entre um projeto de software que utiliza framework e outro que não utiliza, e qual o auxilio no trabalho, na economia de tempo e recursos. Estas comparações procuram comprovar o grande benefício que um projeto que utiliza frameworks pode trazer ganhos de qualidade e produtividade (ALVIM, 2010). A obtenção de boa estrutura para implementação, os recursos diversos que proporcionam a facilidade para construir um projeto de software e o cumprimento pleno da documentação, ajuda a diminuir custos estabelecidos e aumenta a produtividade dos desenvolvedores em relação à construção do projeto de software (SOMMERVILLE, 2008). Além disso, o reuso de componentes, aplicação, objetos e funções, possibilitam aos projetistas de software o reaproveitamento do conteúdo utilizado em outros projetos que já foram construídos e evita o trabalho de calcular a maior parte das estimativas relacionadas ao novo projeto. Com base no conhecimento da equipe de desenvolvimento, das tecnologias e quais os recursos que podem ser realmente utilizados. Assim, busca-se apresentar nesta seção as principais características de um processo de desenvolvimento de software, o surgimento das ferramentas Open Source, o conceito de frameworks e quais foram utilizados para a construção do estudo de caso. a) Frameworks Segundo Willemann e Ibarra (2007, p. 41), o framework pode ser definido como: Um framework ou arcabouço é uma estrutura de suporte definida em que outro projeto de software pode ser organizado e desenvolvido, quando se analisa o conceito no âmbito do desenvolvimento de software. Um framework pode incluir programas de suporte, bibliotecas de código, linguagens de script e outros softwares para ajudar a desenvolver e juntar diferentes componentes de um projeto de software. Conforme Willemann e Ibarra (2007.p.84), para que um projeto de software seja considerado um framework, ele deve respeitar algumas características, como: a) Ser reutilizável, para que seja abrangente aos padrões da metodologia de desenvolvimento de aplicações orientada a objetos. 3 Sigla de Java Enterprise Edition Antigo J2EE (Java 2 Plataform Enterprise Edition). Segundo Deitel

5 b) Desenvolvimento de software b) Facilitar o desenvolvimento de sistemas, para que a sua utilização seja benéfica ao desenvolvimento de uma aplicação. c) Possuir boa documentação, pois quem utiliza o framework precisa de formas eficazes e esclarecedoras sobre como utilizá-lo de uma maneira eficiente e correta, para que possa ajudar o desenvolvimento de um determinado sistema. d) Atender com exatidão o que foi proposto em sua documentação e ser eficiente no auxilio a criação de aplicações com a linguagem de programação. O processo de desenvolvimento de um software implica na conversão da especificação em um sistema executável. Através de um projeto que passa por diversas iterações, o software vai adquirindo suas características com base na análise de requisitos em conjunto com o planejamento do sistema. Um projeto de software é a descrição da estrutura de software a ser implementada, dos dados que são parte de um sistema, das interfaces entre os componentes do sistema e, às vezes, dos algoritmos usados ( Sommerville 2008, p. 50). Os frameworks de maneira geral precisam de uma boa estrutura, pois seu principal objetivo é simplificar trabalhos, tanto para usuários quanto desenvolvedores. E uma das principais características dos frameworks que utilizam o paradigma da orientação a objetos, é trabalhar com a reutilização de códigos. Além disso, o trabalho com subsistemas exige que o framework possua controle dos mesmos e também realize a identificação e comunicação dos componentes do sistema. Esta é a denominação para projeto de arquitetura. O projeto de arquitetura é um processo criativo em que se tenta estabelecer uma organização de sistema que satisfaça os requisitos funcionais e não funcionais do sistema. (Segundo Sommerville 2008, p.163). Por trabalhar com as melhores práticas e eliminar trabalhos desnecessários, os frameworks possuem papel importante para o desenvolvimento de software. Alvim (2010) explica que o bom framework interage com o sistema de forma agradável, proporcionando altos índices de produtividade e qualidade para o projeto. c) Hibernate Conforme Bauer e King (2005), o desenvolvimento de software utilizando o paradigma Orientado a Objetos e Banco de Dados Relacionais pode ser complexo e

6 Os custos de desenvolvimento são significativamente altos, devido a uma incompatibilidade entre o paradigma relacional dos dados com sã representação em objetos para ambientes Java. O Hibernate é uma solução Object/Relational Mapping que se refere à técnica de mapeamento de dados entre uma representação do modelo de objeto em uma representação de dados do modelo relacional. Conforme Bauer e King (2005), o Hibernate mede a interação do aplicativo com o banco de dados relacional. Além disso, o Hibernate é um framework não intrusivo. Ou seja, permite que o desenvolvedor faça suas modificações em relação a modelos de negócio e classes persistentes, de acordo com suas necessidades. Pois, o Hibernate integra-se facilmente as adaptações no aplicativo e também pode trabalhar com aplicativos novos. Sem a necessidade de grandes alterações no aplicativo inicial. Conforme Bauer e King (2005), Hibernate pode não ser a melhor solução para aplicações centradas em dados que utilizam apenas os procedimentos armazenados para implementar a lógica de negócios no banco de dados, é mais útil com modelos orientados a objetos de domínio e lógica de negócios no Java baseada em middletier. Entretanto, o Hibernate pode certamente ajudá-lo a remover ou encapsular fornecedor específico código SQL e simplifica a tarefa comum de traduzir conjuntos de resultados de uma representação tabular de um gráfico de objetos. d) Open Source e sua história Na década de 1960, os computadores eram despendidos para serem utilizados individualmente. Somente programadores utilizavam e os mesmos resolviam a maioria dos problemas nos sistemas operacionais (KUMAR, 2006). Por volta de 1970, os fabricantes começaram a desagregação do código do software. Porém, as informações não eram publicadas. Normalmente, os programadores faziam acordos para preservar as informações. O ponto de partida do movimento Open Source foi iniciado através de uma impressora. Richard Stallman, que trabalhava no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), sofria com um problema que ocorria na impressora. Devido tantos acessos p/ impressão de diferentes máquinas, a impressora congestionava. Stallman pretendia alterar o driver da impressora para enviar mensagens para o computador conectado informando o congestionamento da impressora. Porém, a Xerox recusou o fornecimento do código fonte. Porque a pessoa que criou o driver

7 No inicio da década de 1980, Stallman criou o GNU (ou GPL General Public License). Com o objetivo de ser um sistema livre que vem o código fonte em aberto. Oferecendo oportunidade para o usuário (usar, modificar e distribuir) de acordo com suas necessidades. Nesse projeto, Stallmann contou com a ajuda de diversos programadores voluntários. Porém, houve um desentendimento por parte desses usuários. Conforme Kumar (2006), as pessoas confundiram software livre com software sem custos. E isso causou graves consequências ao projeto de Stallmann. O grande diferencial é que um software que obtém licença GPL não é somente o software que ganhou liberdade para uso. Mas sim todos os programas que utilizam software GPL. Outros parceiros que também ajudaram na ideia da utilização foram Linus Torvalds (Criador do Sistema Operacional Linux) e Open Source Initiative (OSI). Nos dias atuais, existem milhares de colaboradores e defensores dessa prática colaborativa para melhorias em códigos fonte (KUMAR, 2006). e) Tecnologia Java Enterprise Edition Os desenvolvedores encontram desafios cada vez maiores. E o JEE é uma opção viável para atender as necessidades dos desenvolvedores. Pois, tem como objetivo oferecer um poderoso conjunto de API s 4. Dessa maneira, o tempo gasto com desenvolvimento é menor, também há diminuição em relação à complexidade da aplicação e o aplicativo possui melhor desempenho. Esta é a razão de utilizar frameworks Java Server Faces, Hibernate e Jaguar. Pelo fato de agregar a tecnologia JEE e facilitar o processo de desenvolvimento de software. Possui um modelo de aplicação que inicia através da linguagem de programação e máquina virtual Java. Além disso, apresenta recursos indispensáveis em relação à qualidade de desenvolvimento do produto. Como confiabilidade, segurança e produtividade. Pois o JEE suporta diversas aplicações. Isto torna a plataforma necessariamente complexa. Em compensação, os usuários que agem diretamente com o JEE ganham maior acessibilidade aos dados a partir da variação de fontes e aplicações. Bodoff (2005) explica que a Plataforma JEE define os padrões para o desenvolvimento de aplicações empresariais com multicamadas e os diversos componentes do aplicativo que compõem a plataforma, são instalados em máquinas

8 diferentes. Simplificando o desenvolvimento, pois é baseando em componentes modulares padronizados, oferecendo um conjunto completo de serviços para esses componentes. A plataforma JEE aproveita muitos recursos do Java Standard Edition (JSE), como "Write Once, Run Anywhere", portabilidade JDBC/API para acesso de banco de dados, tecnologia CORBA para a interação com os recursos existentes na empresa, e um modelo de segurança que protege os dados, mesmo em aplicações de internet. Partindo desta base a plataforma JEE adiciona suporte completo para componentes Enterprise JavaBeans, Java Servlets 5 API, JavaServer Pages (JSP) e tecnologia XML. Segundo Bodoff (2005, p. 13), um componente Enterprise JavaBeans (EJB), É um corpo de código [bloco de construção] que possui campos e métodos para implementar módulos de lógica de negócios. O padrão JEE inclui as especificações completas e testes de conformidade para garantir a portabilidade de aplicações em toda a vasta gama de sistemas empresariais existentes, capazes de suportar a plataforma J2EE. Além disso, a especificação JEE agora garante a interoperabilidade de serviços Web, através do apoio para o perfil de WSI-Basic. Embora a Sun Microsystems tenha criado a linguagem de programação Java e tenha sido a pioneira no uso para serviços corporativos, o padrão J2EE representa uma colaboração entre líderes de toda a área de software corporativo. As parcerias incluem sistema operacional e banco de dados de provedores de gerenciamento de sistemas, fornecedores de middleware e ferramentas, e aplicações de mercado vertical e desenvolvedores de componentes. Medeiros (2009) explica que middleware é um software desenvolvido para disponibilizar aplicações J2EE. Sua execução é feita em servidores para que os clientes (usuários) possam utilizar via conexão de rede. 3 Framework Jaguar O Jaguar é um framework composto por uma quantidade razoável de projetos JEE específicos, plug-ins Eclipse, métodos e padrões, soluções de integração e gerência de configuração extremamente trabalhosa, dentre vários outros suplementos de alto valor agregado, mantidos pela equipe de desenvolvimento dedicada da Powerlogic. O Jaguar é uma solução bastante eficaz para o aprimoramento dos resultados 5 Tecnologia Java que permite a utilização de uma classe servlet específica para HTTP (Protocolo de

9 quando se trata de desenvolvimento de aplicações de software para Web em escala corporativa. Trata-se de uma suíte de produtos multidimensional conforme figura 1 que trabalha a problemática da produtividade e qualidade por diversos ângulos. Figura 1 Dimensões de atuação de suíte do jcompany. Fonte: ALVIM, 2010, p.7 JCompany IDE 6 : É um ambiente onde as organizações desenvolvem seus sistemas. Conforme Deitel (2005) o IDE possibilita a construção de sistemas de informação duradouros e confiáveis. E também auxiliam os desenvolvedores ao construírem seus projetos de software, por possuir diversas ferramentas como suporte no processo de desenvolvimento. O Jaguar tem em sua suíte de soluções a IDE Eclipse, com a maioria de seus plug-ins. Esta é a ferramenta disponível para codificação, construção e distribuição de códigos executáveis. JCompany Patterns & Methods: Christopher Alexander afirma: cada padrão descreve um problema em nosso ambiente e o cerne da sua solução, de tal forma que você possa usar essa solução mais de um milhão de vezes, sem nunca fazê-lo da mesma maneira [...]. Muito embora Alexander estivesse falando acerca de padrões em construções e cidades, o que ele diz é verdadeiro em relação aos padrões de projeto orientado a objeto. Nossas soluções são expressas em termos de objetos e interfaces em vez de paredes e portas, mas no cerne de ambos os tipos de padrões está à solução para um problema num determinado contexto (GAMMA, 2000). JCompany Patterns & Methods é um conjunto de boas práticas, padrões e passo e passo que auxiliam o desenvolvedor na codificação.

10 No JCompany Test for Developer a garantia de qualidade de software é definida da seguinte maneira: Conformidade a requisitos funcionais e desempenho explicitamente declarado a padrões de desenvolvimento claramente documentados e a características implícitas que são esperadas do software profissional. (Pressman 2007, p. 724). O JCompany Test for Developer atua na área de testes de unidade, procurando garantir a qualidade do processo de desenvolvimento de software, visando que a codificação manual esteja em conformidade (ALVIM, 2010). JCompany Configuration Management: O módulo JCompany Configuration Management procura garantir a integridade dos itens de configuração (códigos, planilhas, CSU,...) e controlar a as iterações destes itens (Controle de versão). Por ser um ambiente de produção, o JCompany Configuration Management necessita de monitoramento contínuo. O trabalho com altas tecnologias propõe uma infraestrutura sólida que evitas quedas de rendimento no desenvolvimento de software. Além disso, a integridade e estabilidade são fatores primordiais ao longo do processo. A figura 2 exibe um diagrama em camadas que representa o esquema básico da Visão de Componentes da Arquitetura de Software Corporativa, conforme sugerida pelo Jaguar. A arquitetura em si é representada pelas camadas marcadas com os números (2), (3) e (4). Conforme Alvim (2010), a figura 2 representa a arquitetura em camadas de uma aplicação JEE, desenvolvida com o framework Jaguar. Figura 2 - Arquitetura em camadas de uma aplicação JEE com o JCompany Full Stack Framework Fonte: ALVIM, 2010, p.10 As camadas de uma aplicação JEE conforme Alvim (2010,p.10) são: Camada 1 - Representa a infraestrutura onde a aplicação será alocada.

11 caso, pode ser qualquer sistema operacional), uma JVM para execução de um programa Java e o servidor de aplicação, onde estará à aplicação JEE. Camada 2 - Esta camada apresenta os frameworks e utilitários Open Source inclusos no Jaguar, estes frameworks são muito utilizados no mercado e divididos no Jaguar cada um em sua camada apropriada (Modelo MVC). Camada 3 - Esta é a camada de software provida pelo framework Jaguar, esta camada se integra com os insumos da camada 2 e as disponibiliza para os níveis mais altos. É chamada de commodity, pois prove boas praticas do mercado (Design Patterns, padrões de formulários, gerência de transações, etc.). Que são comuns em diversos projetos. Camada 4 É nesta camada que a empresa pode generalizar e customizar o projeto onde se aplica o framework Jaguar. Podem ser citados como exemplo, as alterações em layout, segurança corporativa e outros ajustes que o padrão do framework não atenda. Esta é a ultima camada de arquitetura do framework. Camada 5 É a camada de negócio, onde os profissionais que trabalham no ramo podem reutilizar módulos de negócio, ganhando padronização da arquitetura. 4 Discussão sobre o tema abordado Neste estudo de caso, realizaremos um comparativo utilizando desenvolvimento com frameworks e sem o mesmo. Com o objetivo de demonstrar os pontos positivos e negativos, em relação às duas formas de construir o projeto de software. Principalmente, nos quesitos tempo gasto para desenvolvimento, possíveis vulnerabilidades que um framework pode oferecer e suas vantagens e desvantagens. Basicamente, os frameworks Java (JSF, Hibernate e Jaguar) que serão utilizados, possuem projeto e programação orientada a objetos. Com o intuito de implementar os requisitos que o sistema exige e através de classes e objetos, propor soluções que possam resolver determinado tipo de problema (SOMMERVILLE, 2008). Classe em terminologia Java são unidades de programa onde abrigam um ou mais métodos. Métodos são utilizados para realizar tarefas da classe, e também podem retornar um resultado. Já os objetos tem como finalidade armazenar atributos (características) que estão relacionadas diretamente a classe (DEITEL, 2005). Reforçando a idéia de programação e projeto orientado a objetos, é importante lembrar que o reuso de componentes pode facilitar e otimizar sistemas. Uma vez que a complexidade está sempre em evidência na construção de softwares. Assim, é possível dizer que os objetos podem ser reaproveitados. Pois, um objeto pode utilizar as características e relacionamentos de uma classe e atribuí-los em outra classe e também, implementar características específicas na nova classe

12 que foi criada. Isso condiz com a redução de gastos com projeto, programação e validação (DEITEL, 2005; SOMMERVILLE, 2008). Entretanto, se não houver ferramentas disponíveis, manutenção que dê o devido suporte para reuso de componentes e desenvolvedores com experiência e compreensão de quais os recursos podem ser reutilizados, será ineficiente o trabalho. Abaixo seguem tabelas comparativas mostrando as vantagens e desvantagens do reuso de componentes em um software. a) Telas do caso de uso desenvolvidas com e sem frameworks Figura 3 Tela de Pesquisa no caso de uso desenvolvido sem Framework Fonte: Autoria própria Figura 4 Tela de Pesquisa no caso de uso desenvolvido com Framework Jaguar Fonte: Autoria própria As figuras 3 e 4 mostram como o usuário realiza uma pesquisa e como são exibidos os resultados. Sem framework é notável que questões como usabilidade e design não atende os padrões estabelecidos. Já com o uso framework Jaguar, o aproveitamento da interface de usuário, a visualização de campos e comandos, tamanho e separação de labels, torna a visualização do sistema mais fácil e agradável. Figura 5 Cadastro de novo produto efetuado desenvolvido sem Framework

13

14 Figura 6 Cadastro de novo produto efetuado desenvolvido com Framework Jaguar Fonte: Autoria próprio As imagens acima demonstram o resultado do desenvolvimento do caso de uso com a utilização do Framework Jaguar e do mesmo caso de uso sem framework. Em relação às figuras 5 e 6 mostram o mesmo fluxo, mas o framework Jaguar divide em abas caso de uso onde se tem uma agregação de classes. b)tabela comparativa Tabela 3 Aspectos Relacionados a desenvolvimento de software Itens relativos ao Com Framework Sem Framework desenvolvimento de software Tempo de desenvolvimento 2 horas 8 horas Linhas de código digitadas Modelo MVC Sim Não Tecnologias Utilizadas JSF, Hibernate, Jaguar, Jquery, Servlet,HTML CDI, RestEasy, Maven, AJAX Nível de complexidade para o Alta Baixa desenvolvimento Nível de complexidade para Baixa Alta evolução/manutenção Usabilidade Alta Baixa Interoperabilidade Sim Não Compatibilidade com todos Não Sim navegadores Quantidade de Papéis 1 (Desenvolvedor) 3 (Designer, Desenvolvedor e Arquiteto de software) Tempo gasto no processo de 1 hora 2 horas Arquitetura do software Segurança da aplicação Sim Não Internacionalização Sim Não Fonte: Autoria própria c) Desvantagens da utilização de framework

15 Geração de muitos códigos na aplicação Desempenho comprometido, pois a aplicação desenvolvida com framework Jaguar vai ter muitas camadas conforme figura 2. Curva muito alta de aprendizado, pois os profissionais que trabalharem com os frameworks citados nesta monografia terão que antes de aprender a utilizar os mesmos dominarem o paradigma de desenvolvimento OO (Orientado a Objetos) e a linguagem de Programação JAVA mais especificamente a tecnologia Java Enterprise Edition. Nem todo projeto o framework vai trazer bons resultados, exemplo é o Hibernate, pois onde se há um projeto que se utiliza grandes números de Stored Procedure não é recomendado à utilização do Hibernate. 5 CONCLUSÃO Para compreensão do tema deste estudo, framework e seus benefícios no desenvolvimento de softwares, buscou-se inicialmente rever a base conceitual e teórica sobre esta questão. Destacou-se evidenciamos, que utilização de frameworks em projetos de desenvolvimento de softwares se torna uma prática atrativa, pois se constituem uma das mais promissoras correntes tecnológicas para suportar reutilização de software em grande escala, modelando tanto a parte genérica como as partes variáveis de um sistema. Essa boa prática de utilização dos frameworks no desenvolvimento de software deve ser implementada fazendo uso dos padrões de projetos design patterns para melhor documentar a sua arquitetura e proporcionar um melhor vocabulário único entre os desenvolvedores. Desta forma, caracterizou-se os frameworks com um potencial que se impõe, e sua aplicação em projetos impacta em alto ganho de produtividade, possui módulos bastante completos para desenvolvedores de aplicações, e permite ao programador dedicar-se à implementação da regra de negócio deixando que o framework se encarregue do resto do trabalho. Assim, pode-se concluir que os framework reduzem significativamente o tempo de construção de softwares, bem como a manutenção do mesmo.as empresas que usam este recurso como ferramenta de trabalho podem se tornar mais competitivas no mercado, pois reduzem seu custo sem perder em qualidade. Diante do exposto, pode-se afirmar que a pergunta de pesquisa do estudo foi

16 REFERÊNCIAS ALVIM, Paulo. Tirando o Máximo do Java EE 6 Open Source com jcompany Developer Suite. 3. Ed. Belo Horizonte: Powerlogic Publishing, BAUER, Christian; KING, Gavin. Hibernate in Action. Greenwich: Manning Publications, BEZZERRA, Eduardo. Princípios de Análise e Projeto de Sistemas com UML. Rio de Janeiro: Elservier, BODOFF, Stephanie et al. Tutorial do J2EE TM. Rio de Janeiro: Editora Ciência Moderna Ltda., DEITEL, H. M. Java: como programar. 6. Ed. São Paulo: Pearson, FAYAD, M.E.; SCHIMIDT, D.C.; JONHSON, R.E. Building Application Frameworks: Object-Oriented Foundations of Framework Design. New York: J. Miley, GAMMA, et al. Padrões de Projeto: Soluções Reutilizáveis de Software Orientado a Objetos. Porto Alegre: Bookman, KUMAR, Sahaaj et al. Fast Track to Open Source Software. Jasubhai Digital Media. Novembro, p. LARMAN, Craig. Utilizando UML e Padrões: Uma Introdução a Analise e ao Projeto Orientados a Objetos e ao Processo Unificado. 2 ed. Porto Alegre: Bookman, PRESSMAN, Roger. S., Engenharia de Software, 6ª edição McGraw-Hill, 2006 SOMMERVILLE, Ian. Engenharia de Software. 8. Ed. São Paulo: Pearson, Revista Pensar Tecnologia, v. 4, n. 1, jan. 2015

SISTEMA DE GESTÃO DE PRODUÇÃO DE EVENTOS

SISTEMA DE GESTÃO DE PRODUÇÃO DE EVENTOS SISTEMA DE GESTÃO DE PRODUÇÃO DE EVENTOS Rodrigo das Neves Wagner Luiz Gustavo Galves Mählmann Resumo: O presente artigo trata de um projeto de desenvolvimento de uma aplicação para uma produtora de eventos,

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011 CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011 O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma

Leia mais

DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES

DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES Alexandre Egleilton Araújo, Jaime Willian Dias Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil araujo.ale01@gmail.com, jaime@unipar.br Resumo.

Leia mais

Tecnologia Java. Daniel Destro do Carmo Softech Network Informática daniel@danieldestro.com.br

Tecnologia Java. Daniel Destro do Carmo Softech Network Informática daniel@danieldestro.com.br Tecnologia Java Daniel Destro do Carmo Softech Network Informática daniel@danieldestro.com.br Origem da Tecnologia Java Projeto inicial: Oak (liderado por James Gosling) Lançada em 1995 (Java) Tecnologia

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE ARQUITETURA PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE WEB UTILIZANDO NOVAS TECNOLOGIAS

UM ESTUDO SOBRE ARQUITETURA PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE WEB UTILIZANDO NOVAS TECNOLOGIAS UM ESTUDO SOBRE ARQUITETURA PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE WEB UTILIZANDO NOVAS TECNOLOGIAS Edi Carlos Siniciato ¹, William Magalhães¹ ¹ Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil edysiniciato@gmail.com,

Leia mais

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Banco de Dados de Músicas Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Definição Aplicação Web que oferece ao usuário um serviço de busca de músicas e informações relacionadas, como compositor, interprete,

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas Linguagem de Programação JAVA Professora Michelle Nery Nomeclaturas Conteúdo Programático Nomeclaturas JDK JRE JEE JSE JME JVM Toolkits Swing AWT/SWT JDBC EJB JNI JSP Conteúdo Programático Nomenclatures

Leia mais

Powerlogic Agosto / 2011.

Powerlogic Agosto / 2011. Formação de Profissionais para Desenvolvimento Java EE/Web 2.0 Orientações para capacitação de mão de obra especializada para atividades de Especificação, Arquitetura e Implementação de Aplicações Java

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição Intensiva de Férias

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição Intensiva de Férias CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição Intensiva de Férias O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma Orientado a Objetos

Leia mais

DESENVOLVIMENTO WEB UTILIZANDO FRAMEWORK PRIMEFACES E OUTRAS TECNOLOGIAS ATUAIS

DESENVOLVIMENTO WEB UTILIZANDO FRAMEWORK PRIMEFACES E OUTRAS TECNOLOGIAS ATUAIS DESENVOLVIMENTO WEB UTILIZANDO FRAMEWORK PRIMEFACES E OUTRAS TECNOLOGIAS ATUAIS Emanuel M. Godoy 1, Ricardo Ribeiro Rufino 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil godoymanel@gmail.com,

Leia mais

DESENVOLVENDO APLICAÇÕES UTILIZANDO JAVASERVER FACES E MVC

DESENVOLVENDO APLICAÇÕES UTILIZANDO JAVASERVER FACES E MVC DESENVOLVENDO APLICAÇÕES UTILIZANDO JAVASERVER FACES E MVC Felipe Moreira Decol Claro 1, Késsia Rita da Costa Marchi 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil felipe4258@hotmail.com, kessia@unipar.br

Leia mais

Resumo: Perguntas a fazer ao elaborar um projeto arquitetural

Resumo: Perguntas a fazer ao elaborar um projeto arquitetural Resumo: Perguntas a fazer ao elaborar um projeto arquitetural Sobre entidades externas ao sistema Quais sistemas externos devem ser acessados? Como serão acessados? Há integração com o legado a ser feita?

Leia mais

ABORDAGEM DE FRAMEWORKS PARA JSF QUE AUXILIAM O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

ABORDAGEM DE FRAMEWORKS PARA JSF QUE AUXILIAM O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE ABORDAGEM DE FRAMEWORKS PARA JSF QUE AUXILIAM O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Amarildo Aparecido Ferreira Junior 1, Ricardo Ribeiro Rufino 1 ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil aapfjr@gmail.com

Leia mais

SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN

SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN SIGET Fabrício Pereira Santana¹, Jaime William Dias¹, ², Ricardo de Melo Germano¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil fabricioblack@gmail.com germano@unipar.br

Leia mais

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl Roteiro de apresentação Introdução Objetivos Fundamentação Teórica Workflow Processo

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO OS 003/DINFO/2013 16/09/2013

ORDEM DE SERVIÇO OS 003/DINFO/2013 16/09/2013 A DIRETORIA DE INFORMÁTICA DINFO DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO -UERJ, no uso de suas atribuições legais, estabelece: Art. 1º: Para fins de normatização do Desenvolvimento Tecnológico na UERJ

Leia mais

Este livro é dedicado a minha esposa Edna e a todos os desenvolvedores que fizeram do software livre um meio profissional levado a sério.

Este livro é dedicado a minha esposa Edna e a todos os desenvolvedores que fizeram do software livre um meio profissional levado a sério. EDSON GONÇALVES Este livro é dedicado a minha esposa Edna e a todos os desenvolvedores que fizeram do software livre um meio profissional levado a sério. AGRADECIMENTOS Primeiramente gostaria de agradecer

Leia mais

DESENVOLVIMENTO COM JAVA EE E SUAS ESPECIFICAÇÕES

DESENVOLVIMENTO COM JAVA EE E SUAS ESPECIFICAÇÕES DESENVOLVIMENTO COM JAVA EE E SUAS ESPECIFICAÇÕES Hugo Henrique Rodrigues Correa¹, Jaime Willian Dias 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil hugohrcorrea@gmail.com, jaime@unipar.br Resumo.

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 5 Servidores de Aplicação

Leia mais

Dados em Java. Introdução

Dados em Java. Introdução Interface Gráfica e Banco de Dados em Java Introdução Java and all Java-based marks are trademarks or registered trademarks of Sun Microsystems, Inc. in the U.S. and other countries. Licença para uso e

Leia mais

Reuso. Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior

Reuso. Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior Reuso Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior Reutilização de Software Na maioria das áreas de engenharia de software, sistemas são desenvolvidos

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009 CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009 O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma Orientado a Objetos e com o uso

Leia mais

SISTEMA DE AGENDAMENTO E GERENCIAMENTO DE CONSULTAS CLÍNICAS

SISTEMA DE AGENDAMENTO E GERENCIAMENTO DE CONSULTAS CLÍNICAS SISTEMA DE AGENDAMENTO E GERENCIAMENTO DE CONSULTAS CLÍNICAS Pablo dos Santos Alves Alexander Roberto Valdameri - Orientador Roteiro da apresentação Introdução Objetivos Motivação Revisão bibliográfica

Leia mais

TECNOLOGIAS E FRAMEWORKS UTILIZADAS NO DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS GERENCIAIS

TECNOLOGIAS E FRAMEWORKS UTILIZADAS NO DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS GERENCIAIS TECNOLOGIAS E FRAMEWORKS UTILIZADAS NO DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS GERENCIAIS Janderson Fernandes Barros ¹, Igor dos Passos Granado¹, Jaime William Dias ¹, ² ¹ Universidade Paranaense (UNIPAR) Paranavaí

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CURSO DE GRADUAÇÃO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Contribuições do MDA para o desenvolvimento de software

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CURSO DE GRADUAÇÃO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Contribuições do MDA para o desenvolvimento de software UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CURSO DE GRADUAÇÃO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Contribuições do MDA para o desenvolvimento de software Anna Carla Mohr Verner Helder Eugenio dos Santos Puia Florianópolis,

Leia mais

Geração e execução de scripts de teste em aplicações web a partir de casos de uso direcionados por comportamento 64

Geração e execução de scripts de teste em aplicações web a partir de casos de uso direcionados por comportamento 64 direcionados por comportamento 64 5 Estudo de caso Neste capítulo serão apresentadas as aplicações web utilizadas na aplicação da abordagem proposta, bem como a tecnologia em que foram desenvolvidas, o

Leia mais

ANEXO 05 ARQUITETURAS TECNOLÓGICAS PROCERGS

ANEXO 05 ARQUITETURAS TECNOLÓGICAS PROCERGS ANEXO 05 ARQUITETURAS TECNOLÓGICAS PROCERGS Este anexo apresenta uma visão geral das seguintes plataformas: 1. Plataforma Microsoft.NET - VB.NET e C#; 2. Plataforma JAVA; 3. Plataforma Android, ios e Windows

Leia mais

ARQUITETURA DE SISTEMAS. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com)

ARQUITETURA DE SISTEMAS. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) ARQUITETURA DE SISTEMAS Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) Roteiro Definição Documento de arquitetura Modelos de representação da arquitetura Estilos arquiteturais Arquitetura de sistemas web Arquitetura

Leia mais

FEMA Tópicos avançados em programação Prof: Domingos OBJETIVOS / COMPETÊNCIAS

FEMA Tópicos avançados em programação Prof: Domingos OBJETIVOS / COMPETÊNCIAS FEMA Tópicos avançados em programação Prof: Domingos OBJETIVOS / COMPETÊNCIAS 1 - Desenvolver aplicativos para Desktop usando Swing, gerenciamento de Layouts, componentes swing, conectar a um banco de

Leia mais

Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional

Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional Juarez Bachmann Orientador: Alexander Roberto Valdameri Roteiro Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

Uma Abordagem sobre Mapeamento Objeto Relacional com Hibernate

Uma Abordagem sobre Mapeamento Objeto Relacional com Hibernate Uma Abordagem sobre Mapeamento Objeto Relacional com Hibernate Luis Gustavo Zandarim Soares 1, Késsia Rita da Costa Marchi 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paraná PR Brasil luisgustavo@live.co.uk,

Leia mais

PADRÕES DE PROJETO E FRAMEWORK NO DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

PADRÕES DE PROJETO E FRAMEWORK NO DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PADRÕES DE PROJETO E FRAMEWORK NO DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Nelson Ribeiro de Carvalho Júnior 1 RESUMO Atualmente o cenário mundial cuja dependência do software está cada vez mais evidente requer que

Leia mais

PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS

PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS Élysson Mendes Rezende Bacharelando em Sistemas de Informação Bolsista de Iniciação Científica

Leia mais

Fundação Universidade Estadual de Maringá

Fundação Universidade Estadual de Maringá Fundação Universidade Estadual de Maringá PAD/DIRETORIA DE MATERIAL E PATRIMÔNIO AVISO DE LICITAÇÃO EDITAL 485/2007 CONCORRÊNCIA PÚBLICA - PROC.: N 15344/2007 OBJETO: CONTRATAÇÃO DE UMA EMPRESA ESPECIALIZADA

Leia mais

Documento de Projeto de Sistema

Documento de Projeto de Sistema Documento de Projeto de Sistema 1 IFES / Serra Projeto: Gerenciador de Pelada - Oasis Registro de Alterações: Versão Responsável Data Alterações 0.1 Eduardo Rigamonte, Geann Valfré, João Paulo Miranda,

Leia mais

COMPUTAÇÃO EM NUVEM: TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS RELATÓRIO EXECUTIVO DE NEGÓCIOS

COMPUTAÇÃO EM NUVEM: TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS RELATÓRIO EXECUTIVO DE NEGÓCIOS COMPUTAÇÃO EM NUVEM: TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS TM RELATÓRIO EXECUTIVO DE NEGÓCIOS A visão da computação em nuvem por Aad van Schetsen, vicepresidente da Compuware Uniface, que mostra por que

Leia mais

Test-Module: uma ferramenta para gerenciamento de testes de software integrada ao FireScrum

Test-Module: uma ferramenta para gerenciamento de testes de software integrada ao FireScrum Test-Module: uma ferramenta para gerenciamento de testes de software integrada ao FireScrum Audrey B. Vasconcelos, Iuri Santos Souza, Ivonei F. da Silva, Keldjan Alves Centro de Informática Universidade

Leia mais

Eduardo Bezerra. Editora Campus/Elsevier

Eduardo Bezerra. Editora Campus/Elsevier Princípios de Análise e Projeto de Sistemas com UML 2ª edição Eduardo Bezerra Editora Campus/Elsevier Capítulo 11 Arquitetura do sistema Nada que é visto, é visto de uma vez e por completo. --EUCLIDES

Leia mais

WebApps em Java com uso de Frameworks

WebApps em Java com uso de Frameworks WebApps em Java com uso de Frameworks Fred Lopes Índice O que são frameworks? Arquitetura em camadas Arquitetura de sistemas WEB (WebApps) Listagem resumida de frameworks Java Hibernate O que são frameworks?

Leia mais

Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina

Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Programação para Internet Rica 1 Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Objetivo: Identificar as principais características de uma Aplicação Internet Rica.

Leia mais

Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração O livro

Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração O livro Desenvolvimento em PHP usando Frameworks Elton Luís Minetto Agenda Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração O livro Ambiente Web É o ambiente

Leia mais

J2ME PLATAFORMA DE DESENVOLVIMENTO JAVA PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS

J2ME PLATAFORMA DE DESENVOLVIMENTO JAVA PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS J2ME PLATAFORMA DE DESENVOLVIMENTO JAVA PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS Ana Paula Carrion 1, Késsia Rita da Costa Marchi 1, Jaime Willian Dias 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil anapaulacarrion@hotmail.com,

Leia mais

Documentação de um Produto de Software

Documentação de um Produto de Software Documentação de um Produto de Software Versão 3.0 Autora: Profª Ana Paula Gonçalves Serra Revisor: Prof. Fernando Giorno 2005 ÍNDICE DETALHADO PREFÁCIO... 4 1. INTRODUÇÃO AO DOCUMENTO... 6 1.1. TEMA...

Leia mais

PRD Tecnologia de Gestão Ltda. Julho/2008

PRD Tecnologia de Gestão Ltda. Julho/2008 O Processo de Desenvolvimento Telescope Julho/2008 Página 1 Sumário Introdução...3 O desenvolvimento de software tradicional...3 O problema da produtividade...3 O problema da portabilidade...6 O problema

Leia mais

MAGREGISTER 1.0: GERADOR DE INTERFACES DE COLETAS DE DADOS PARA PDA S. Acadêmico: Gilson Chequeto Orientador: Adilson Vahldick

MAGREGISTER 1.0: GERADOR DE INTERFACES DE COLETAS DE DADOS PARA PDA S. Acadêmico: Gilson Chequeto Orientador: Adilson Vahldick MAGREGISTER 1.0: GERADOR DE INTERFACES DE COLETAS DE DADOS PARA PDA S Acadêmico: Gilson Chequeto Orientador: Adilson Vahldick Roteiro Introdução Objetivos do trabalho Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

J2EE TM Java 2 Plataform, Enterprise Edition

J2EE TM Java 2 Plataform, Enterprise Edition CURSO DE GRADUAÇÃO J2EE TM Java 2 Plataform, Enterprise Edition Antonio Benedito Coimbra Sampaio Junior abc@unama.br OBJETIVOS DO CURSO Capacitar os alunos no desenvolvimento de aplicações para a WEB com

Leia mais

Padrões de Projeto WEB e o MVC

Padrões de Projeto WEB e o MVC Padrões de Projeto WEB e o MVC Padrões de Projeto WEB e o MVC O que são padrões? "Cada padrão descreve um problema que ocorre freqüentemente em seu ambiente, e então descreve o cerne da solução para aquele

Leia mais

Fábrica de Software 29/04/2015

Fábrica de Software 29/04/2015 Fábrica de Software 29/04/2015 Crise do Software Fábrica de Software Analogias costumam ser usadas para tentar entender melhor algo ou alguma coisa. A idéia é simples: compara-se o conceito que não se

Leia mais

ENTERPRISE JAVABEANS 3. Msc. Daniele Carvalho Oliveira

ENTERPRISE JAVABEANS 3. Msc. Daniele Carvalho Oliveira ENTERPRISE JAVABEANS 3 Msc. Daniele Carvalho Oliveira Apostila Servlets e JSP www.argonavis.com.br/cursos/java/j550/index.html INTRODUÇÃO Introdução Enterprise JavaBeans é um padrão de modelo de componentes

Leia mais

Abordagem de Frameworks e Design Patterns para desenvolvimento de Aplicações Approach Frameworks and Design Patterns for Application Development

Abordagem de Frameworks e Design Patterns para desenvolvimento de Aplicações Approach Frameworks and Design Patterns for Application Development Abordagem de Frameworks e Design Patterns para desenvolvimento de Aplicações Approach Frameworks and Design Patterns for Application Development Demetrio da Silva Passos 1 Augusto Nogueira Zadra 2 Resumo:

Leia mais

Programação Orientada a Objetos

Programação Orientada a Objetos Programação Orientada a Objetos Universidade Católica de Pernambuco Ciência da Computação Prof. Márcio Bueno poonoite@marciobueno.com Fonte: Material da Profª Karina Oliveira Introdução ao Paradigma OO

Leia mais

Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração

Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração Desenvolvimento em PHP usando Frameworks Elton Luís Minetto Agenda Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração Ambiente Web É o ambiente formado

Leia mais

Framework para jogos de cartas

Framework para jogos de cartas Framework para jogos de cartas por André Luís Knabben e Thiago Robert Professor Doutor Ricardo Pereira e Silva Orientador Resumo Projetar artefatos de software visando a reusabilidade é uma tarefa complexa.

Leia mais

UTILIZANDO ICONIX NO DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES DELPHI

UTILIZANDO ICONIX NO DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES DELPHI UTILIZANDO ICONIX NO DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES DELPHI Dr. George SILVA; Dr. Gilbert SILVA; Gabriel GUIMARÃES; Rodrigo MEDEIROS; Tiago ROSSINI; Centro Federal de Educação Tecnológica do Rio Grande do

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2010

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2010 CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2010 O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma Orientado a Objetos e com o uso

Leia mais

HIBERNATE EM APLICAÇÃO JAVA WEB

HIBERNATE EM APLICAÇÃO JAVA WEB HIBERNATE EM APLICAÇÃO JAVA WEB Raul Victtor Barbosa Claudino¹, Ricardo Ribeiro Rufino¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil victtor.claudino@gmail.com, ricardo@unipar.br Resumo: Este

Leia mais

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel Programação de Computadores - I Profª Beatriz Profº Israel A linguagem JAVA A linguagem Java O inicio: A Sun Microsystems, em 1991, deu inicio ao Green Project chefiado por James Gosling. Projeto que apostava

Leia mais

FERRAMENTA WEB PARA MODELAGEM LÓGICA EM PROJETOS DE BANCOS DE DADOS RELACIONAIS

FERRAMENTA WEB PARA MODELAGEM LÓGICA EM PROJETOS DE BANCOS DE DADOS RELACIONAIS FERRAMENTA WEB PARA MODELAGEM LÓGICA EM PROJETOS DE BANCOS DE DADOS RELACIONAIS PAULO ALBERTO BUGMANN ORIENTADOR: ALEXANDER ROBERTO VALDAMERI Roteiro Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

Curso - Padrões de Projeto Módulo 5: Model-View- Controller

Curso - Padrões de Projeto Módulo 5: Model-View- Controller Curso - Padrões de Projeto Módulo 5: Model-View- Controller Vítor E. Silva Souza vitorsouza@gmail.com http://www.javablogs.com.br/page/engenho http://esjug.dev.java.net Sobre o Instrutor Formação: Java:

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSOS

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSOS 1 de 6 PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSOS BURITREINAMENTOS MANAUS-AM MARÇO / 2015 2 de 6 PACOTES DE TREINAMENTOS BURITECH A Buritech desenvolveu um grupo de pacotes de treinamentos, aqui chamados de BuriPacks,

Leia mais

Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa

Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa Agenda Introdução Aplicações interativas de TV Digital Desafios de layout e usabilidade Laboratório de usabilidade Desafios

Leia mais

Programação para Internet

Programação para Internet flavio@facom.ufu.br 1 Objetivos Fornecer uma visão geral do funcionamento de sistemas na Web e os protocolos envolvidos Introduzir o paradigma da programação para a Internet Conceituar as arquiteturas

Leia mais

TECNOLOCIA JAVA WEB PARA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE LEILÃO

TECNOLOCIA JAVA WEB PARA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE LEILÃO TECNOLOCIA JAVA WEB PARA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE LEILÃO Danilo Alves Verone de Oliveira ¹, Jaime William Dias ¹ ² ¹ Universidade Paranaense (UNIPAR) Paranavaí - PR - Brasil dan.verone@hotmail.com

Leia mais

Correção de cartões de respostas utilizando análise e processamento de imagens digitais

Correção de cartões de respostas utilizando análise e processamento de imagens digitais Correção de cartões de respostas utilizando análise e processamento de imagens digitais Vantuil José de OLIVEIRA NETO¹, Caroline Julliê de Freitas RIBEIRO¹, Samuel Pereira DIAS² ¹ Tecnólogos em Análise

Leia mais

FERRAMENTAS PARA DESENVOLVIMENTO EM C#

FERRAMENTAS PARA DESENVOLVIMENTO EM C# FERRAMENTAS PARA DESENVOLVIMENTO EM C# Camila Sanches Navarro 1,2, Wyllian Fressatti 2 ¹Universidade paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil sanchesnavarro@gmail.com wyllian@unipar.br Resumo. Este artigo

Leia mais

Figura 1 - Arquitetura multi-camadas do SIE

Figura 1 - Arquitetura multi-camadas do SIE Um estudo sobre os aspectos de desenvolvimento e distribuição do SIE Fernando Pires Barbosa¹, Equipe Técnica do SIE¹ ¹Centro de Processamento de Dados, Universidade Federal de Santa Maria fernando.barbosa@cpd.ufsm.br

Leia mais

SCE-557. Técnicas de Programação para WEB. Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br

SCE-557. Técnicas de Programação para WEB. Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br SCE-557 Técnicas de Programação para WEB Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br 1 Cronograma Fundamentos sobre servidores e clientes Linguagens Server e Client side

Leia mais

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa ACESSE Informações corporativas a partir de qualquer ponto de Internet baseado na configuração

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PROJETOS DE SOFTWARE - SGPS

SISTEMA DE GESTÃO DE PROJETOS DE SOFTWARE - SGPS SISTEMA DE GESTÃO DE PROJETOS DE SOFTWARE - SGPS Lilian R. M. Paiva, Luciene C. Oliveira, Mariana D. Justino, Mateus S. Silva, Mylene L. Rodrigues Engenharia de Computação - Universidade de Uberaba (UNIUBE)

Leia mais

Universidade da Beira Interior

Universidade da Beira Interior Universidade da Beira Interior Relatório Apresentação Java Server Pages Adolfo Peixinho nº4067 Nuno Reis nº 3955 Índice O que é uma aplicação Web?... 3 Tecnologia Java EE... 4 Ciclo de Vida de uma Aplicação

Leia mais

Desenvolvimento de aplicação web com framework JavaServer Faces e Hibernate

Desenvolvimento de aplicação web com framework JavaServer Faces e Hibernate Desenvolvimento de aplicação web com framework JavaServer Faces e Hibernate Tiago Peres Souza 1, Jaime Willian Dias 1,2 ¹Universidade paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil tiagop_ti@hotmail.com 2 Universidade

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS AVANÇADO DE ARACATI PROJETO DE PESQUISA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS AVANÇADO DE ARACATI PROJETO DE PESQUISA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS AVANÇADO DE ARACATI PROJETO DE PESQUISA IMPLEMENTAÇÃO DE SOLUÇÃO PARA AUTOMATIZAR O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE UTILIZANDO A LINGUAGEM C#.NET

Leia mais

Conteúdo. Disciplina: INF 02810 Engenharia de Software. Monalessa Perini Barcellos. Centro Tecnológico. Universidade Federal do Espírito Santo

Conteúdo. Disciplina: INF 02810 Engenharia de Software. Monalessa Perini Barcellos. Centro Tecnológico. Universidade Federal do Espírito Santo Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Disciplina: INF 02810 Prof.: (monalessa@inf.ufes.br) Conteúdo 1. Introdução 2. Processo de Software 3. Gerência de

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS EM EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS EM EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS EM EDUCAÇÃO Jader dos Santos Teles Cordeiro Orientador Prof. Paulo Guilhermeti PERSISTÊNCIA EM OBJETOS JAVA: UMA ANÁLISE

Leia mais

Fase 1: Engenharia de Produto

Fase 1: Engenharia de Produto Fase 1: Engenharia de Produto Disciplina: Análise de Requisitos DURAÇÃO: 44 h O objetivo principal da disciplina é realizar uma análise das necessidades e produzir um escopo do produto. Representará os

Leia mais

(UFF) JDBC (I) TEPIS II

(UFF) JDBC (I) TEPIS II Aula 20: JDBC (I) Diego Passos Universidade Federal Fluminense Técnicas de Projeto e Implementação de Sistemas II Diego Passos (UFF) JDBC (I) TEPIS II 1 / 33 JDBC: Introdução Especificação que provê acesso

Leia mais

Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans

Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans Aula 3 Cap. 4 Trabalhando com Banco de Dados Prof.: Marcelo Ferreira Ortega Introdução O trabalho com banco de dados utilizando o NetBeans se desenvolveu ao longo

Leia mais

AUTOR: DAVID DE MIRANDA RODRIGUES CONTATO: davidmr@ifce.edu.br CURSO FIC DE PROGRAMADOR WEB VERSÃO: 1.0

AUTOR: DAVID DE MIRANDA RODRIGUES CONTATO: davidmr@ifce.edu.br CURSO FIC DE PROGRAMADOR WEB VERSÃO: 1.0 AUTOR: DAVID DE MIRANDA RODRIGUES CONTATO: davidmr@ifce.edu.br CURSO FIC DE PROGRAMADOR WEB VERSÃO: 1.0 SUMÁRIO 1 Conceitos Básicos... 3 1.1 O que é Software?... 3 1.2 Situações Críticas no desenvolvimento

Leia mais

Unidade 8: Padrão MVC e DAO Prof. Daniel Caetano

Unidade 8: Padrão MVC e DAO Prof. Daniel Caetano Programação Servidor para Sistemas Web 1 Unidade 8: Padrão MVC e DAO Prof. Daniel Caetano Objetivo: Apresentar a teoria por trás dos padrões na construção de aplicações Web. INTRODUÇÃO Nas aulas anteriores

Leia mais

Ferramentas Web para controle e supervisão: o que está por vir

Ferramentas Web para controle e supervisão: o que está por vir Artigos Técnicos Ferramentas Web para controle e supervisão: o que está por vir Marcelo Salvador, Diretor de Negócios da Elipse Software Ltda. Já faz algum tempo que ouvimos falar do controle e supervisão

Leia mais

Sistema de Memorandos On-Line. (Projeto Arquitetural)

Sistema de Memorandos On-Line. (Projeto Arquitetural) Universidade Federal de Campina Grande Pb Departamento de Sistemas e Computação Disciplina: Projeto em Computação I 2111185 Professora: Francilene Procópio Garcia, P.Sc Alunos: Arnaldo de Sena Santos;

Leia mais

GeCA: Uma Ferramenta de Engenharia Reversa e Geração Automática de Código

GeCA: Uma Ferramenta de Engenharia Reversa e Geração Automática de Código GeCA: Uma Ferramenta de Engenharia Reversa e Geração Automática de Código Igor Steinmacher 1, Éderson Fernando Amorim 1, Flávio Luiz Schiavoni 1, Elisa Hatsue Moriya Huzita 1 1 Departamento de Informática

Leia mais

PORTARIA N Nº Rio de Janeiro, 24 de Outubro de 2013.

PORTARIA N Nº Rio de Janeiro, 24 de Outubro de 2013. PORTARIA N Nº Rio de Janeiro, 24 de Outubro de 2013. ACRESCENTA A ARQUITETURA DE PADRÕES TECNOLÓGICOS DE INTEROPERABILIDADE -, NO SEGMENTO ORGANIZAÇÃO E INTERCÂMBIO DE INFORMAÇÕES, O PADRÃO TECNOLÓGICO

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Ponta Grossa 2012 ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Trabalho elaborado pelo

Leia mais

Algumas propriedades dos objetos:

Algumas propriedades dos objetos: Orientação a Objetos Vivemos num mundo de objetos. Esses objetos existem na natureza, nas entidades feitas pelo homem, nos negócios e nos produtos que usamos. Eles podem ser categorizados, descritos, organizados,

Leia mais

Processos de Desenvolvimento de Software

Processos de Desenvolvimento de Software Processos de Desenvolvimento de Software Gerenciamento de Projetos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência e

Leia mais

A Empresa. Alguns Clientes que já utilizam nossa tecnologia.

A Empresa. Alguns Clientes que já utilizam nossa tecnologia. A Empresa A GDDoc é uma empresa especializada na gestão de documentos digitais e arquivos, auxilia as empresas a administrar através da tecnologia o uso de papel, para alcançar estes objetivos fazemos

Leia mais

APLICATIVO WEB PARA O SETOR DE EXTENSÃO IFC VIDEIRA

APLICATIVO WEB PARA O SETOR DE EXTENSÃO IFC VIDEIRA APLICATIVO WEB PARA O SETOR DE EXTENSÃO IFC VIDEIRA Autores: Claudiléia Gaio BANDT; Tiago HEINECK; Patrick KOCHAN; Leila Lisiane ROSSI; Angela Maria Crotti da ROSA Identificação autores: Aluna do Curso

Leia mais

Especificação de um Sistema Gerenciador de Workflow de Acordo com a Abordagem de Desenvolvimento Baseado em Componentes

Especificação de um Sistema Gerenciador de Workflow de Acordo com a Abordagem de Desenvolvimento Baseado em Componentes Especificação de um Sistema Gerenciador de Workflow de Acordo com a Abordagem de Desenvolvimento Baseado em Componentes Edson Alves de Oliveira Junior 1, Itana Maria de Souza Gimenes 1 1 Departamento de

Leia mais

PROGRAMAÇÃO SERVIDOR PADRÕES MVC E DAO EM SISTEMAS WEB. Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1

PROGRAMAÇÃO SERVIDOR PADRÕES MVC E DAO EM SISTEMAS WEB. Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 PROGRAMAÇÃO SERVIDOR EM SISTEMAS WEB PADRÕES MVC E DAO Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 Objetivos Compreender o conceito de Padrões de Projeto Compreender o Padrão MVC Conhecer o princípio de alguns dos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Informatização de farmácias publicas utilizando software livre.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Informatização de farmácias publicas utilizando software livre. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Informatização de farmácias publicas utilizando software livre. MURILO NUNES ELIAS FLORIANÓPOLIS SC 2007/2 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE

Leia mais

Ferramenta CORIDORA Web Mapping para Mapeamento de Esquemas em Bancos de Dados Heterogêneos

Ferramenta CORIDORA Web Mapping para Mapeamento de Esquemas em Bancos de Dados Heterogêneos Ferramenta CORIDORA Web Mapping para Mapeamento de Esquemas em Bancos de Dados Heterogêneos Fernando Busanello Meneghetti 1, Fabiano Gama Paes 1, Gustavo Zanini Kantorski 1 Curso de Sistemas de Informação

Leia mais

Uma Abordagem usando PU

Uma Abordagem usando PU Uma Abordagem usando PU Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior Referências: Baseada em: Rational Software Corpotation G. Booch, Ivar Jacobson,

Leia mais

Seu dia é mais inteligente

Seu dia é mais inteligente Seu dia é mais inteligente O 2007 Microsoft Office system é uma plataforma de soluções inteligentes para tarefas operacionais, estratégicas e organizacionais. O conjunto de aplicativos e servidores e a

Leia mais

INTRODUÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO PRIMEFACES MOBILE EM APLICAÇÕES JSF

INTRODUÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO PRIMEFACES MOBILE EM APLICAÇÕES JSF INTRODUÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO PRIMEFACES MOBILE EM APLICAÇÕES JSF Guilherme Macedo, Jaime Willian Dias Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil guilhermemacedo28@gmail.com, jaime@unipar.br Resumo.

Leia mais

Padrões de Projeto. Prof. Jefersson Alex dos Santos (jefersson@dcc.ufmg.br) http://www.dcc.ufmg.br/~jefersson

Padrões de Projeto. Prof. Jefersson Alex dos Santos (jefersson@dcc.ufmg.br) http://www.dcc.ufmg.br/~jefersson Padrões de Projeto Prof. Jefersson Alex dos Santos (jefersson@dcc.ufmg.br) http://www.dcc.ufmg.br/~jefersson Apresentação Conceitos Definição Ponto de vista prático História Padrões de Projeto Conhecidos

Leia mais

Palavras-Chaves: engenharia de requisitos, modelagem, UML.

Palavras-Chaves: engenharia de requisitos, modelagem, UML. APLICAÇÃO DA ENGENHARIA DE REQUISITOS PARA COMPREENSÃO DE DOMÍNIO DO PROBLEMA PARA SISTEMA DE CONTROLE COMERCIAL LEONARDO DE PAULA SANCHES Discente da AEMS Faculdades Integradas de Três Lagoas RENAN HENRIQUE

Leia mais

3 Serviços na Web (Web services)

3 Serviços na Web (Web services) 3 Serviços na Web (Web services) 3.1. Visão Geral Com base na definição do Word Wide Web Consortium (W3C), web services são aplicações autocontidas, que possuem interface baseadas em XML e que descrevem

Leia mais

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

INDICE 3.APLICAÇÕES QUE PODEM SER DESENVOLVIDAS COM O USO DO SAXES

INDICE 3.APLICAÇÕES QUE PODEM SER DESENVOLVIDAS COM O USO DO SAXES w w w. i d e a l o g i c. c o m. b r INDICE 1.APRESENTAÇÃO 2.ESPECIFICAÇÃO DOS RECURSOS DO SOFTWARE SAXES 2.1. Funcionalidades comuns a outras ferramentas similares 2.2. Funcionalidades próprias do software

Leia mais