Módulo de Transmissão e Ativos de Rede Curso Técnico de Informática. Profª Ahyalla Riceli

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Módulo de Transmissão e Ativos de Rede Curso Técnico de Informática. Profª Ahyalla Riceli"

Transcrição

1 Módulo de Transmissão e Ativos de Rede Curso Técnico de Informática Profª Ahyalla Riceli

2 FTIN FORMAÇÃO TÉCNICA EM INFORMÁTICA CABEAMENTO ESTRUTURADO AULA 02

3 Objetivo Compreender e entender como crimpar um cabo de rede com os conectores macho e fêmea. Conhecer as vantagens da integração entre o cabeamento estruturado e a NR- 10

4 Cabos, Crimpagem e NR-10 Os cabos de rede, conectores, ferramentas, crimpagem e utilização com a NR-10

5 Introdução Para que tudo o que vimos na aula anterior funcione, precisamos cuidar primeiramente do cabeamento, ou seja, a parte essencial da nossa rede que será responsável por transportar as informações, através de sinais elétricos.

6 O que será necessário? Cabo UTP-CAT5e 8P8C macho (RJ45 macho) 8P8C fêmea (RJ45 fêmea) Alicate de crimpagem Punch down tool Descascador

7 Outras ferramentas Estilete Testador de cabos Chave de fenda e philips

8 Padrões EIA/TIA-568B e 568A No cabeamento estruturado, seguimos o padrão da EIA/TIA ( Electronics Industries Alliance / Telecommunications Industry Association ), mais especificamente, o padrão EIA-568B (para cabos straight ( retos ou diretos ). Em cabos cross-over para redes 10/100Mb, utilizamos uma combinação do EIA-568B e 568A. Para cabos cross-over de redes gigabit (1000Mb)

9 EIA/TIA-568B cabo straight

10 EIA/TIA-568B cabo straight

11 EIA/TIA-568B + 568A cabo crossover

12 EIA/TIA-568B + 568A cabo crossover

13 Cabo cross-over para redes gigabit

14 Etapas para conectores macho 1. Corte e descasque o cabo, com cuidado para não ferir os fios internos; 2. Destrance os pares e estique os fios; 3. Verifique o padrão a ser usado (EIA-568B, 568A ou cross-over) e coloque os fios na ordem; 4. Faça o acabamento, cortando o excesso; 5. Crimpe o cabo;

15 Crimpagem do conector macho

16 Etapas para conectores fêmea 1. Corte e descasque o cabo, com cuidado para não ferir os fios internos; 2. Destrance os pares e estique os fios; 3. Posicione os fios de acordo com a marcação exibida no conector fêmea; 4. Com a punch down tool, crimpe os cabos; 5. Se for o caso, fixe a fêmea na parede, fazendo o acabamento final.

17 Crimpagem do conector fêmea

18 Dica: mini cabo cross-over Para emergências (e por questões de espaço) podemos fazer um mini cabo cross-over.

19 Dica: cabo de testes loopback Também podemos fazer um cabo de testes loopback para placas de rede: 1- Branco com laranja 2- Laranja 3- Branco com laranja (retornando) 4- nada 5- nada 6- Laranja (retornando) 7- nada 8- nada

20 Por fim, NR-10 e cabeamento estruturado Com acesso a planta, fica mais fácil e viável planejar o cabeamento.

21 Por fim, NR-10 e cabeamento estruturado Podemos fazer o acabamento para o usuário final de várias maneiras, dependendo apenas das nossas possibilidades.

22 Como crimpar um conector fêmea para crossover, um patch panel e como configurar um roteador sem fio

23 Introdução Agora, veremos como crimpar um cabo cross over de emergência e um com conector fêmea, um cabo de loopback (para testar a placa de rede) e um patch panel. Também falaremos das vantagens e desvantagens de utilizar redes sem fio e veremos como configurar um roteador.

24 Atividade Grave 6 vídeos, narrados por você: 1. Crimpando um cabo de rede straight; 2. Crimpando um cabo de rede cross-over; 3. Crimpando um cabo de testes loopback; 4. Demonstrando o que acontece quando você liga o cabo loopback no seu computador. 5. Crimpando um cabo cross over de emergência e aponte as diferenças do cross over padrão 6. Crimpando um cabo cross over gigabit e explique a diferença para o cross over padrão

25 Observações Formem grupos de estudo, tanto para trocar conhecimentos quanto para ajudar a quem não tem como gravar os vídeos; o tamanho do grupo não tem limite, mas cada aluno deve enviar os seus vídeos, individualmente. Postem os vídeos no Youtube ou Vimeo e mandem os links em um arquivo TXT para o AVA; Não copiem! Nem de colegas, nem da internet.

26 Prazo A atividade deve ser postada no AVA até o dia 03/Março/2012, às 23:55.

Módulo de Transmissão e Ativos de Rede Curso Técnico de Informática. Prof. George Silva

Módulo de Transmissão e Ativos de Rede Curso Técnico de Informática. Prof. George Silva Módulo de Transmissão e Ativos de Rede Curso Técnico de Informática Prof. George Silva FTIN FORMAÇÃO TÉCNICA EM INFORMÁTICA CABEAMENTO ESTRUTURADO AULA 02 Objetivo Compreender e entender como crimpar um

Leia mais

Cabeamento Estruturado Módulo de Transmissão e Ativos de Rede. Profª Ahyalla Riceli

Cabeamento Estruturado Módulo de Transmissão e Ativos de Rede. Profª Ahyalla Riceli Cabeamento Estruturado Módulo de Transmissão e Ativos de Rede Profª Ahyalla Riceli Objetivo Saber distinguir os componentes envolvidos na montagem de uma rede de computadores; Conseguir ter uma fundamentação

Leia mais

Montando a rede. Cabeamento estruturado: cabo par trançado. Prof. Eduardo

Montando a rede. Cabeamento estruturado: cabo par trançado. Prof. Eduardo Montando a rede Cabeamento estruturado: cabo par trançado Prof. Eduardo Par trançado Podem ser crimpados rapidamente (no local, ferramentas simples etc). Em redes maiores crimpar o próprio cabo é necessário

Leia mais

Centro de Treinamento Tecnológico Maxwell - CRIMPANDO CABOS UTP. Crimpando cabos UTP

Centro de Treinamento Tecnológico Maxwell - CRIMPANDO CABOS UTP. Crimpando cabos UTP 1 Crimpando cabos UTP A ferramenta básica para crimpar os cabos é o alicate de crimpagem. Ele "esmaga" os contatos do conector, fazendo com que as facas-contato perfurem a cobertura plástica e façam contato

Leia mais

Meios Físicos de Comunicação

Meios Físicos de Comunicação Meios Físicos de Comunicação Aula 2 Padrões de Cabeamento Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 1 Conteúdo Padrões de Crimpagem Montagem e Organização Teste Tomadas e Emendas Recomendações

Leia mais

Capítulo 5 - Sistemas de Cabeamento Estruturado

Capítulo 5 - Sistemas de Cabeamento Estruturado Capítulo 5 - Sistemas de Cabeamento Estruturado Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática 1 de 44 Roteiro Cabeamento Planejamento para o Cabeamento Estruturado Cabeamento Horizontal Cabeamento

Leia mais

Montagem de cabos rede

Montagem de cabos rede Montagem de cabos rede Conteúdo MONTAGEM DE CABOS DE REDE....3 PARTE 1 - FERRAMENTAS...3 CABO PADRÃO CAT 5:...3 CONECTORES RJ-45:...3 ALICATE DE CRIMPAGEM:...3 ALICATE DE CORTE:...4 TESTADOR DE CABO:...

Leia mais

Projeto e Instalação de Servidores Fundamentos de Redes de Computadores Parte 2

Projeto e Instalação de Servidores Fundamentos de Redes de Computadores Parte 2 Projeto e Instalação de Servidores Fundamentos de Redes de Computadores Parte 2 Prof.: Roberto Franciscatto CRIMPANDO CABOS DE REDE Crimpagem de cabos de rede Valor aproximado R$ 50,00 CRIMPANDO CABOS

Leia mais

Redes de Computadores Aula 01

Redes de Computadores Aula 01 No Caderno Responda as Questões abaixo 1 O que significa o termo Rede? 2 Porque utilizar um Ambiente de Rede? 3 Defina LAN. 4 Defina WAN. 5 O que eu preciso para Montar uma Rede? 6 - O que eu posso compartilhar

Leia mais

Patch Panel & Keystone Jack (Cat5e)

Patch Panel & Keystone Jack (Cat5e) Este manual descreve como instalar os Patch Panels (modelos: 51.024) e Keystone Jacks (modelos: 31.090-WH, 31.090-BK e 31.090-IV) Categoria 5e da Gts Telecom. Apresenta como realizar a crimpagem, testes

Leia mais

Confeccionando cabos de rede

Confeccionando cabos de rede Confeccionando cabos de rede FAZENDO SEUS CABOS DE REDE - PARTE 1 Parte 1 - Ferramentas Não importa se você está instalando uma rede local doméstica ou empresarial, em ambas você irá precisar de montar

Leia mais

REDE DE COMPUTADORES TECNOLOGIA ETHERNET CRIMPAGEM

REDE DE COMPUTADORES TECNOLOGIA ETHERNET CRIMPAGEM SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL REDE DE COMPUTADORES TECNOLOGIA ETHERNET CRIMPAGEM Prof. Airton Ribeiro de Sousa E-mail: airton.ribeiros@gmail.com TECNOLOGIA ETHERNET Crimpagem diz respeito

Leia mais

Faculdades NDA Cursos de BSI e Telecomunicações Redes de Computadores - Turma D4, E4, H3 E J3. Como conectorizar um cabo UTP com RJ-45

Faculdades NDA Cursos de BSI e Telecomunicações Redes de Computadores - Turma D4, E4, H3 E J3. Como conectorizar um cabo UTP com RJ-45 Faculdades NDA Cursos de BSI e Telecomunicações Redes de Computadores - Turma D4, E4, H3 E J3 Como conectorizar um cabo UTP com RJ-45 O procedimento de conectorizar o UTP categoria 5 com o conector RJ-45,

Leia mais

Tutorial: Como criar "cabo crossover" e "cabo direto"

Tutorial: Como criar cabo crossover e cabo direto Tutorial: Como criar "cabo crossover" e "cabo direto" Introdução Se você tem dois ou três computadores em casa ou em seu escritório, certamente tem interesse em conectá-los em rede para compartilhar impressoras,

Leia mais

SUMÁRIO 1. AULAS 4 E 5 CONFECÇÃO DE CABOS PARTE 1 E 2:... 2

SUMÁRIO 1. AULAS 4 E 5 CONFECÇÃO DE CABOS PARTE 1 E 2:... 2 SUMÁRIO 1. AULAS 4 E 5 CONFECÇÃO DE CABOS PARTE 1 E 2:... 2 1.1 Introdução... 2 1.2 Norma EIA/TIA 568... 2 1.2.1 568A... 2 1.2.2 568B... 3 1.3 Teste dos cabos... 4 1.4 Categoria de Cabos... 5 1.5 Conectores...

Leia mais

InfraEstrutura de Redes

InfraEstrutura de Redes Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul InfraEstrutura de Redes Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://www.professoreduardoaraujo.com Cabeamento Estruturado

Leia mais

FRC - Redes de Computadores. Agenda. Cabo Crossover Cabo Normal. Preparando o Cabo. Canais de Comunicação Padronização de Projeto

FRC - Redes de Computadores. Agenda. Cabo Crossover Cabo Normal. Preparando o Cabo. Canais de Comunicação Padronização de Projeto Cabo Crossover Cabo Normal Preparando o Cabo Agenda Canais de Comunicação Padronização de Projeto Invertido ou Cross-over: Este tipo de cabo é utilizado em 2 situações básicas: Conectar 2 PCs através da

Leia mais

Cabo de par trançado O cabeamento por par trançado (Twisted pair) é um tipo de cabo que possui pares de fios entrelaçados um ao redor do outro para

Cabo de par trançado O cabeamento por par trançado (Twisted pair) é um tipo de cabo que possui pares de fios entrelaçados um ao redor do outro para Cabo de par trançado O cabeamento por par trançado (Twisted pair) é um tipo de cabo que possui pares de fios entrelaçados um ao redor do outro para cancelar as interferências eletromagnéticas (EMI). Foi

Leia mais

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus: Campo Mourão

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus: Campo Mourão Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus: Campo Mourão Professor Rafael Henrique Dalegrave Zottesso E-mail rafaelzottesso@utfpr.edu.br Site http://www.zottesso.com.br/disciplinas/rc24b0/ Disciplina

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES - I UNI-ANHANGUERA. CURSO DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROF. MARCIO BALIAN

REDES DE COMPUTADORES - I UNI-ANHANGUERA. CURSO DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROF. MARCIO BALIAN 1 REDES DE COMPUTADORES - I UNI-ANHANGUERA. CURSO DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROF. MARCIO BALIAN 2 INTERFACE E CABEAMENTO DE REDES - Parte física da rede - Cabeamento - Placas de rede (interfaces)

Leia mais

Prof. Airton Ribeiro. Meios Físicos para Redes Fundamentos de Cabeamento

Prof. Airton Ribeiro. Meios Físicos para Redes Fundamentos de Cabeamento Prof. Airton Ribeiro Meios Físicos para Redes Fundamentos de Cabeamento Visão Geral Cabos de cobre são usados em quase todas as redes locais. Estão disponíveis diferentes tipos de cabos de cobre, cada

Leia mais

Cabo de par Trançado Micro - HUB

Cabo de par Trançado Micro - HUB Cabo de par Trançado Micro - HUB Além dos cabos sem blindagem conhecidos como UTP (Unshielded Twisted Pair), existem os cabos blindados conhecidos como STP (Shielded Twisted Pair). A única diferença entre

Leia mais

Influência do cabeamento na performance de redes locais de computadores

Influência do cabeamento na performance de redes locais de computadores Influência do cabeamento na performance de redes locais de computadores Fonte: Prof. Ivan Max Freire de Lacerda Bacharel em Ciências da Computação pela UFRN; Professor âncora do SENAC/RN nas áreas de informática

Leia mais

Redes de computadores. Cabeamento Estruturado

Redes de computadores. Cabeamento Estruturado Redes de computadores Cabeamento Estruturado Cabeamento Não-estruturado Dutos super-lotados Cabos dobrados Dificuldade de Manutenção Foto: Rodrigo Cabelo CABEAMENTO NÃO-ESTRUTURADO Mais exemplos... Outros

Leia mais

Tipos de Cabeamento de Rede. Prof. Rafael Gross rafael.gross@fatec.sp.gov.br

Tipos de Cabeamento de Rede. Prof. Rafael Gross rafael.gross@fatec.sp.gov.br Tipos de Cabeamento de Rede Prof. Rafael Gross rafael.gross@fatec.sp.gov.br Tipos de Cabeamento Cabo Coaxial; Cabo Par Trançado; Cabo de Fibra Óptica. Cabo Coaxial Um dos primeiros cabos utilizados em

Leia mais

Curso Técnico Integrado em Manutenção e Suporte em Informática

Curso Técnico Integrado em Manutenção e Suporte em Informática Curso Técnico Integrado em Manutenção e Suporte em Informática Disciplina: Infraestrutura de Redes de Computadores 07. Introdução às práticas de instalação do Prof. Ronaldo Introdução

Leia mais

APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES RESUMO 1º BIMESTRE - 2º SEMESTRE

APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES RESUMO 1º BIMESTRE - 2º SEMESTRE APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES RESUMO 1º BIMESTRE - 2º SEMESTRE 1 1. CABEAMENTO ESTRUTURADO Cabeamento estruturado é a disciplina que estuda a disposição organizada e padronizada de conectores e meios

Leia mais

AULA 04: PRÁTICA DE REDE 1. CABEAMENTO

AULA 04: PRÁTICA DE REDE 1. CABEAMENTO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RN DISCIPLINA DE REDES DE COMPUTADORES PROFESSORA: SORAYA CHRISTIANE SILVA DE SOUSA TÉCNICO NÍVEL MÉDIO EM INFORMÁTCA 1. CABEAMENTO AULA 04: PRÁTICA

Leia mais

Sistemas de Informação Tópicos Avançados em informática I Cabeamento Lógico Estruturado. 7º Período / Carga Horária: 72 horas

Sistemas de Informação Tópicos Avançados em informática I Cabeamento Lógico Estruturado. 7º Período / Carga Horária: 72 horas Sistemas de Informação Tópicos Avançados em informática I Cabeamento Lógico Estruturado 7º Período / Carga Horária: 72 horas EMENTA: Componentes e equipamentos de um sistema de cabeamento. Normas internacionais

Leia mais

EM 1991 a EIA (Eletronic Industries Association) publicou um padrão para cabeamento de telecomunicações

EM 1991 a EIA (Eletronic Industries Association) publicou um padrão para cabeamento de telecomunicações Laboratório de Redes. Cabeamento Estruturado Pedroso 4 de março de 2009 1 Introdução EM 1991 a EIA (Eletronic Industries Association) publicou um padrão para cabeamento de telecomunicações de edifícios

Leia mais

Tipos de cabos utilizados para Interligar uma rede. Prof. Marciano dos Santos Dionizio

Tipos de cabos utilizados para Interligar uma rede. Prof. Marciano dos Santos Dionizio Tipos de cabos utilizados para Interligar uma rede Prof. Marciano dos Santos Dionizio Visão Geral Cabos de cobre são usados em quase todas as redes locais. Estão disponíveis em diferentes tipos de cabos

Leia mais

Camada Física Camada Física Camada Física Função: A camada Física OSI fornece os requisitos para transportar pelo meio físico de rede os bits que formam o quadro da camada de Enlace de Dados. O objetivo

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Cabeamento Fabricio Breve Um dos primeiros tipos de cabos utilizados em rede Possui dois fios, sendo um uma malha que envolve o cabo em toda a sua extensão Essa malha funciona como

Leia mais

GBC066 Arquitetura de Redes TCP/IP Lab. 01 Crimpagem de Cabos UTP/STP

GBC066 Arquitetura de Redes TCP/IP Lab. 01 Crimpagem de Cabos UTP/STP GBC066 Arquitetura de Redes TCP/IP Lab. 01 Crimpagem de Cabos UTP/STP 01. OBJETIVOS Discrimina-se abaixo os objetivos principais deste laboratório: confeccionar Cabo UTP (corte do cabo; alinhamento dos

Leia mais

SUMÁRIO 1. AULA 3 EQUIPAMENTOS DE HARDWARE E FERRAMENTAS:... 2

SUMÁRIO 1. AULA 3 EQUIPAMENTOS DE HARDWARE E FERRAMENTAS:... 2 SUMÁRIO 1. AULA 3 EQUIPAMENTOS DE HARDWARE E FERRAMENTAS:... 2 1.1 Diferenças entre Hub e Switch... 2 1.1.1 Hub... 2 1.1.2 Switch... 2 1.1.3 Roteador... 3 1.2 Equipamentos fora de uso... 4 1.2.1 Repetidores...

Leia mais

QUANDO TRATAMOS SOBRE MEIOS DE TRANSMISSÃO, DEVEMOS ENFATIZAR A EXISTÊNCIA DE DOIS TIPOS DESSES MEIOS, SENDO:

QUANDO TRATAMOS SOBRE MEIOS DE TRANSMISSÃO, DEVEMOS ENFATIZAR A EXISTÊNCIA DE DOIS TIPOS DESSES MEIOS, SENDO: CABEAMENTO DE REDE QUANDO TRATAMOS SOBRE MEIOS DE TRANSMISSÃO, DEVEMOS ENFATIZAR A EXISTÊNCIA DE DOIS TIPOS DESSES MEIOS, SENDO: MEIO FÍSICO: CABOS COAXIAIS, FIBRA ÓPTICA, PAR TRANÇADO MEIO NÃO-FÍSICO:

Leia mais

Meios Físicos de Comunicação

Meios Físicos de Comunicação Meios Físicos de Comunicação Aula 1 Evolução do Cabeamento Meios Físicos de Comunicação - Evolução do Cabeamento 1 Conteúdo Cabo Coaxial Cabo de Par Trançado Fibra Óptica Meios Físicos de Comunicação -

Leia mais

22/02/2014. Cabeamento estruturado garante: Organização; Flexibilidade; Desempenho; Escalabilidade; Simplificação do uso; Simplificação da manutenção.

22/02/2014. Cabeamento estruturado garante: Organização; Flexibilidade; Desempenho; Escalabilidade; Simplificação do uso; Simplificação da manutenção. Consiste de um conjunto de produtos de conectividade, empregados de acordo com regras específicas de engenharia; Tais produtos garantem conectividade máxima para os dispositivos existentes e preparam a

Leia mais

Rede Wireless ou rede cabeada?

Rede Wireless ou rede cabeada? Rede Wireless ou rede cabeada? Rede Wireless ou rede Cabeada? Página 1 Sumário 1. Introdução... 3 2. Desenvolvimento... 4 2.1. Avaliando seu ambiente... 4 2.2. Custos e necessidades... 5 2.3. Redes mistas...

Leia mais

MULTILAN CAT. 5E UTP 24 AWG 4PARES - CM

MULTILAN CAT. 5E UTP 24 AWG 4PARES - CM MULTILAN CAT. 5E UTP 24 AWG 4PARES - CM Características Gerais Descritivo: - Modelo TK 1002B - Condutor de cobre nu, coberto por polietileno. - Os condutores são trançados em pares, 04 pares 24 AWG. -

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Redes de Computadores. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Redes de Computadores Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com 2/16 Nível Físico Tem a função de transmitir uma seqüência de bits através de um canal e comunicação. Este nível trabalha basicamente

Leia mais

Governador Cid Ferreira Gomes. Vice Governador Domingos Gomes de Aguiar Filho. Secretária da Educação Maria Izolda Cela de Arruda Coelho

Governador Cid Ferreira Gomes. Vice Governador Domingos Gomes de Aguiar Filho. Secretária da Educação Maria Izolda Cela de Arruda Coelho Governador Cid Ferreira Gomes Vice Governador Domingos Gomes de Aguiar Filho Secretária da Educação Maria Izolda Cela de Arruda Coelho Secretário Adjunto Maurício Holanda Maia Secretário Executivo Antônio

Leia mais

Disciplina: Cabeamento de Redes Profª Érica Barcelos

Disciplina: Cabeamento de Redes Profª Érica Barcelos Disciplina: Cabeamento de Redes Profª Érica Barcelos CAPÍTULO 3 3. CABEAMENTO ESTRUTURADO-PARTE 1 Os primeiros projetos de cabeamento estruturado foram desenvolvidos para sistemas telefônicos comerciais,

Leia mais

Dispositivos de rede. roteador bridge. switch. switch ATM. transceiver repetidor

Dispositivos de rede. roteador bridge. switch. switch ATM. transceiver repetidor Dispositivos de rede roteador bridge switch switch ATM transceiver repetidor hub 1 Meios físicos Os meios físicos são considerados componentes da camada 1. Tudo de que se encarregam são bits (por exemplo,

Leia mais

1. Descrição Física. O tampo deverá ser vazado para passagem dos cabos, para cada computador.

1. Descrição Física. O tampo deverá ser vazado para passagem dos cabos, para cada computador. LABORATÓRIO DE REDES DE COMPUTADORES (REDE FÍSICA E REDE LÓGICA) 1. Descrição Física Este laboratório é o ambiente ideal para aulas práticas e teóricas visando capacitar o aluno para o planejamento de

Leia mais

ICORLI. INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO e OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS e INTERNET

ICORLI. INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO e OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS e INTERNET INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO e OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS e INTERNET 2010/2011 1 Tipos de Cabos Cabos eléctricos São cabos, normalmente fabricados em cobre (ou de outro material condutor), que transmitem os

Leia mais

Redes de Dados e Comunicações

Redes de Dados e Comunicações Redes de Dados e Comunicações Prof.: Fernando Ascani Cabo Par Trançado Conector-RJ 45 A norma EIA/TIA padronizou o conector RJ-45 para a conectorização de cabos UTP. Para a conectorização do cabo UTP,

Leia mais

UTP Unshielded Twisted Pair - UTP ou Par Trançado sem Blindagem: é o mais usado atualmente tanto em redes domésticas quanto em grandes redes

UTP Unshielded Twisted Pair - UTP ou Par Trançado sem Blindagem: é o mais usado atualmente tanto em redes domésticas quanto em grandes redes Definição Cabeamento para uso integrado em comunicações de voz, dados e imagem preparado de maneira a atender diversos layouts de instalações, por um longo período de tempo, sem exigir modificações físicas

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Profº Alexsandro M. Carneiro alexsandro@ucdb.br Bacharelado em Sistemas de Informação AULA 06 Bacharelado em Sistemas de Informação UCBD SG - 2005 Tópicos Abordados Camada Física:

Leia mais

Cabeamento Estruturado (Parte 2) Prof. Eduardo

Cabeamento Estruturado (Parte 2) Prof. Eduardo Estruturado (Parte 2) Prof. Eduardo Para debater... O que vimos na aula anterior? Montar uma rede doméstica é diferente de montar uma rede local de uns 100 PCs? Na aula anterior trabalhamos com a combinação

Leia mais

Placas e Ferramentas de Rede. Prof. Alexandre Beletti Ferreira

Placas e Ferramentas de Rede. Prof. Alexandre Beletti Ferreira Placas e Ferramentas de Rede Prof. Alexandre Beletti Ferreira Introdução Dada a necessidade de comunicação entre os computadores em uma mesma rede para troca de arquivos, ou ainda para facilitar em processos

Leia mais

Meios físicos Os meios físicos

Meios físicos Os meios físicos Meios físicos Os meios físicos são considerados componentes da camada 1. Se encarregam daquilo que diz respeito à representação física são bits (por exemplo, voltagem ou pulsos de luz). 1 Representação

Leia mais

Introdução. Placas e Ferramentas de Rede. Exemplos. Surgimento. Estrutura Física - Placas

Introdução. Placas e Ferramentas de Rede. Exemplos. Surgimento. Estrutura Física - Placas Introdução Placas e Ferramentas de Rede Prof. Alexandre Beletti Ferreira Dada a necessidade de comunicação entre os computadores em uma mesma rede para troca de arquivos, ou ainda para facilitar em processos

Leia mais

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. alexandref@ifes.edu.br. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. alexandref@ifes.edu.br. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim Redes TCP/IP alexandref@ifes.edu.br Introdução Em telecomunicações, a largura da banda ou apenas banda usualmente se refere à bitrate de uma rede de transferência de dados, ou seja, a quantidade em bits/s

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS ESTADO DO PARÁ

TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS ESTADO DO PARÁ 1. Dados Gerais da Licitação Número do Processo Licitatório 1469450 Status Exercício 2016 Modalidade Registro de Preços Originário de Pregão Eletrônico Tipo Menor Preço Objeto AQUISIÇÃO DE MATERIAIS DE

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE LAGOA SANTA DEPARTAMENTO DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E ALMOXARIFADO

PREFEITURA MUNICIPAL DE LAGOA SANTA DEPARTAMENTO DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E ALMOXARIFADO DESPACHO DE HOMOLOGAÇÃO PROCESSO LICITATÓRIO: 097/2013 PREGÃO PRESENCIAL: 056/2013 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS PARA FORNECIMENTO PARCELADO DE MATERIAL DE INFORMÁTICA PARA A PREFEITURA MUNICIPAL DE LAGOA

Leia mais

NOMES DOS AUTORES JEAN PIERRE AIRES DA SILVA RELATÓRIO FINAL DE PROJETO CABO UTP

NOMES DOS AUTORES JEAN PIERRE AIRES DA SILVA RELATÓRIO FINAL DE PROJETO CABO UTP Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial E.E.P. Senac Pelotas Centro Histórico Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego Curso Técnico em Informática NOMES DOS AUTORES JEAN PIERRE AIRES

Leia mais

Guia de Cabeamento para Portas de Console e AUX

Guia de Cabeamento para Portas de Console e AUX Guia de Cabeamento para Portas de Console e AUX Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Tabela de Roteadores com Portas de Console e AUX Configurações da Porta de

Leia mais

Placas, cabos e hubs

Placas, cabos e hubs PRÁTICA DE IDENTIFICAÇÃO DE MATERIAIS DE REDE Placas, cabos e hubs A maioria das redes de microcomputadores para PCs utilizam cabos e placas tipo Ethernet. Podemos encontrar três tipos de cabos Ethernet:

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS. Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos cpgcarlos@yahoo.com.br www.oficinadapesquisa.com.br

FACULDADE PITÁGORAS. Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos cpgcarlos@yahoo.com.br www.oficinadapesquisa.com.br FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA FUNDAMENTOS DE REDES REDES DE COMPUTADORES Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos cpgcarlos@yahoo.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Material elaborado com base nas apresentações

Leia mais

Existem diversos padrões Ethernet, que são utilizados pela maioria das tecnologias de rede local em uso; das placas mais baratas às redes wireless.

Existem diversos padrões Ethernet, que são utilizados pela maioria das tecnologias de rede local em uso; das placas mais baratas às redes wireless. Padrões de Rede Existem diversos padrões Ethernet, que são utilizados pela maioria das tecnologias de rede local em uso; das placas mais baratas às redes wireless. Estes padrões definem em detalhes a forma

Leia mais

TUTORIAL SOBRE REDE CABOS GRIMPAGEM HUB / SWITCH

TUTORIAL SOBRE REDE CABOS GRIMPAGEM HUB / SWITCH www.baixebr.org 1 / 13 TUTORIAL SOBRE REDE CABOS GRIMPAGEM HUB / SWITCH Frederico Gimenes Leal Silva 5ª Revisão 2 / 13 1 Introdução Antes de iniciarmos este trabalho, é interessante termos em mente a real

Leia mais

Redes de Computadores. Cablagem

Redes de Computadores. Cablagem Redes de Computadores Cablagem Meios físicos de transmissão guiados! Cabos coaxiais! Cabos de pares entrançados! Cabos de fibra óptica 2 Cabo coaxial Malha de cobre Condutor de cobre Revestimento externo

Leia mais

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº1

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº1 Redes de Computadores Curso de Eng. Informática Curso de Eng. Electrotécnica e Computadores Trabalho de Laboratório Nº1 Cablagem estruturada 1 Introdução Vivemos em plena segunda revolução industrial.

Leia mais

Notícias da Assistência Técnica

Notícias da Assistência Técnica Dúvidas dos Colaboradores Este espaço foi criado para responder dúvidas de nossos colaboradores espalhados por todo o Brasil, já que a dúvida de um pode representar a dúvida de muitos! Não perca tempo,

Leia mais

Módulo de Transmissão e Ativos de Rede Curso Técnico de Informática. Prof. George Silva

Módulo de Transmissão e Ativos de Rede Curso Técnico de Informática. Prof. George Silva Módulo de Transmissão e Ativos de Rede Curso Técnico de Informática Prof. George Silva FTIN FORMAÇÃO TÉCNICA EM INFORMÁTICA COMPONENTES ATIVOS DE REDES AULA 04 Objetivo Entender o encapsulamento de dados

Leia mais

Meios de transmissão. Professor Leonardo Larback

Meios de transmissão. Professor Leonardo Larback Meios de transmissão Professor Leonardo Larback Meios de transmissão Na comunicação de dados são usados muitos tipos diferentes de meios de transmissão. A escolha correta dos meios de transmissão no projeto

Leia mais

Normas e Padrões. Prof. Marciano dos Santos Dionizio

Normas e Padrões. Prof. Marciano dos Santos Dionizio Normas e Padrões Prof. Marciano dos Santos Dionizio Devido à falta de padronização para cabeamento de redes, em 1991 a EIA (Electronics Industries Alliance) e a TIA (Telecomunications Industry Association)

Leia mais

Meios Físicos de Comunicação

Meios Físicos de Comunicação Meios Físicos de Comunicação Aula 4 Cabeamento Estruturado Meios Físicos de Comunicação - Cabeamento Estruturado 1 Conteúdo Cabeamento Não Estruturado Normas Meios Físicos de Comunicação - Cabeamento Estruturado

Leia mais

Laboratório 4.2.9e Fluke LinkRunner Testes de Cabos e de Placa de Rede

Laboratório 4.2.9e Fluke LinkRunner Testes de Cabos e de Placa de Rede Laboratório 4.2.9e Fluke LinkRunner Testes de Cabos e de Placa de Rede Objetivo Familiarizar-se com as capacidades do Fluke LinkRunner Verificar o comprimento e a integridade dos cabos Determina onde um

Leia mais

Instalações Lógicas. Autor: Sidney de Sales Leão

Instalações Lógicas. Autor: Sidney de Sales Leão 0 Instalações Lógicas Autor: Sidney de Sales Leão 1 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS CURSO TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA INSTALAÇÕES LÓGICAS Sidney de Sales Leão BELO HORIZONTE 2008 2

Leia mais

Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com

Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com Fundamentos em Sistemas de Computação Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com Camada Física Primeira cada do modelo OSI (Camada 1) Função? Processar fluxo de dados da camada 2 (frames) em sinais

Leia mais

Técnico de Manutenção e Suporte em Informática Cabeamento Estruturado Unidade 3 NORMA ANSI EIA/TIA 568

Técnico de Manutenção e Suporte em Informática Cabeamento Estruturado Unidade 3 NORMA ANSI EIA/TIA 568 Técnico de Manutenção e Suporte em Informática Cabeamento Estruturado Unidade 3 NORMA ANSI EIA/TIA 568 Prof. Leandro Cavalcanti de Almeida leandro.almeida@ifpb.edu.br @leandrocalmeida Já imaginou a bagunça...

Leia mais

REDES COMPONENTES DE UMA REDE

REDES COMPONENTES DE UMA REDE REDES TIPOS DE REDE LAN (local area network) é uma rede que une os micros de um escritório, prédio, ou mesmo um conjunto de prédios próximos, usando cabos ou ondas de rádio. WAN (wide area network) interliga

Leia mais

-568B.3 Padronização de componentes de fibra ótica cabeamento estruturado

-568B.3 Padronização de componentes de fibra ótica cabeamento estruturado - Norma EIA/TIA 568A e 568B Padrões T 568A e T 568B -568B.1 Requisitos gerais - EIA/TIA 568B (julho/2001) -568B.2 Cabeamento de par trançado de 100 ohms -568B.3 Padronização de componentes de fibra ótica

Leia mais

Introdução aos sistemas de cabeamento estruturado

Introdução aos sistemas de cabeamento estruturado Introdução aos sistemas de cabeamento estruturado Prof. José Maurício S. Pinheiro 2010 1 Histórico No início da década de 80 os sistemas Mainframe dominavam o mercado. Surgem os conceitos de "Networking"

Leia mais

Meios Físicos de Transmissão

Meios Físicos de Transmissão Meios Físicos de Transmissão O meios de transmissão diferem com relação à banda passante, potencial para conexão ponto a ponto ou multiponto, limitação geográfica devido à atenuação característica do meio,

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

Infra-Estrutura de Redes

Infra-Estrutura de Redes Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul Infra-Estrutura de Redes Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://www.professoreduardoaraujo.com Ementa 1 Apresentação

Leia mais

27/02/2010 REDES DE COMPUTADORES

27/02/2010 REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Profa. Delfa M. Huatuco Zuasnábar 2010 Camada mais baixa da hierarquia do modelo de referência híbrido Define: Interfaces mecânicas Interfaces elétricas Interfaces de sincronização

Leia mais

Redes de Computadores. Cabeamento Estruturado

Redes de Computadores. Cabeamento Estruturado Redes de Computadores Ano 2002 Profª. Vívian Bastos Dias Aula 4 Propriedades desejadas de um sistema de cabeamento estruturado: Máxima independência na tecnologia de acessos a redes. Maior adequação à

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso Tecnológico de Redes de Computadores Disciplina: Infraestrutura de Redes de Computadores - 1º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 01 Conceitos

Leia mais

Vejamos, então, os vários tipos de cabos utilizados em redes de computadores:

Vejamos, então, os vários tipos de cabos utilizados em redes de computadores: Classificação quanto ao meio de transmissão Os meios físicos de transmissão são os cabos e as ondas (luz, infravermelhos, microondas) que transportam os sinais que, por sua vez, transportam a informação

Leia mais

Mídias Físicas Utilizadas Cabo Coaxial e Par Trançado. Prof. Alexandre Beletti Ferreira

Mídias Físicas Utilizadas Cabo Coaxial e Par Trançado. Prof. Alexandre Beletti Ferreira Mídias Físicas Utilizadas Cabo Coaxial e Par Trançado Prof. Alexandre Beletti Ferreira Cabo Coaxial COMPOSTO POR: Fio de cobre rígido que forma o núcleo Envolto por um material isolante, O isolante, por

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 6

REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 6 REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 6 Índice 1. MEIOS FÍSICOS DE TRANSMISSÃO (PAR TRANÇADO)...3 1.1 Cabo coaxial... 3 2 1. MEIOS FÍSICOS DE TRANSMISSÃO (PAR TRANÇADO) Em um projeto de redes,

Leia mais

Capítulo. Hardware de redes

Capítulo. Hardware de redes Capítulo 2 Hardware de redes Uma rede é formada por componentes de hardware e de software. Entre os componentes de hardware estão os computadores e seus periféricos, os cabos, as placas de interface, os

Leia mais

Cabeamento residencial não estruturado

Cabeamento residencial não estruturado 58 Capítulo II Cabeamento residencial para dados, voz e imagem Por José Roberto Muratori e Paulo Henrique Dal Bó* Atualmente, as aplicações encontradas nas residências demandam diferentes tipos de cabos.

Leia mais

CEETEPS CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA. Tópicos para a disciplina IDR Instalação de Dispositivos de Rede

CEETEPS CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA. Tópicos para a disciplina IDR Instalação de Dispositivos de Rede CEETEPS CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA Tópicos para a disciplina IDR Instalação de Dispositivos de Rede Monte Alto Fevereiro/2011 CEETEPS CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA

Leia mais

Componentes Físicos. Jun.08. Luis Garcia

Componentes Físicos. Jun.08. Luis Garcia Componentes Físicos Jun.08 Luis Garcia 1 INTRODUÇÃO 1(2) Para montar uma rede informática são necessários vários dispositivos, que ligados entre si permitem tirar partido de todas as potencialidades das

Leia mais

PROJETO DE REDE LOCAL E BACKBONE

PROJETO DE REDE LOCAL E BACKBONE São Paulo, 21 de maio de 2010 PROJETO DE REDE LOCAL E BACKBONE 1 Informações e recomendações importantes O projeto foi solicitado pela Unidade para a implantação de rede local para o prédio MAC- IBIRAPUERA

Leia mais

APOSTILA DE REDES I. Cabos

APOSTILA DE REDES I. Cabos APOSTILA DE REDES I Cabos O projeto de cabeamento de uma rede, que faz parte do meio físico usado para interligar computadores, é um fator de extrema importância para o bom desempenho de uma rede. Esse

Leia mais

PROJETO PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO ESTADO DO PIAUÍ LEVANTAMENTO DA INFRA-ESTRUTURA DE REDES LOCAIS

PROJETO PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO ESTADO DO PIAUÍ LEVANTAMENTO DA INFRA-ESTRUTURA DE REDES LOCAIS PROJETO PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO ESTADO DO PIAUÍ LEVANTAMENTO DA INFRA-ESTRUTURA DE REDES LOCAIS Este relatório se baseia nos registros fotográficos e na aplicação dos formulários do

Leia mais

MANUAL PARA INSTALAÇÃO DAS CÂMERAS VEÍCULARES.

MANUAL PARA INSTALAÇÃO DAS CÂMERAS VEÍCULARES. MANUAL PARA INSTALAÇÃO DAS CÂMERAS VEÍCULARES. 1- Objetivo deste guia. 2- Materiais necessários. a. Ferramentas b. Cabos c. Conectores d. Equipamentos 3- Preparo dos Materiais. a. Chicote b. Conectores

Leia mais

EIXO TECNOLÓGICO: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO. Relação de Títulos Informação e Comunicação. Aprendizagem

EIXO TECNOLÓGICO: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO. Relação de Títulos Informação e Comunicação. Aprendizagem EIXO TECNOLÓGICO: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Relação de s Informação e Comunicação Aprendizagem Código Capacitação 252 Administrador de Banco de Dados 253 Administrador de Redes 1195 Cadista 1291 Desenhista

Leia mais

Instalações Lógicas. Autor: Sidney de Sales Leão

Instalações Lógicas. Autor: Sidney de Sales Leão Instalações Lógicas Autor: Sidney de Sales Leão 1 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS CURSO TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA INSTALAÇÕES LÓGICAS Sidney de Sales Leão BELO HORIZONTE 2008 2 Sumário

Leia mais

Redes Locais: Topologias e Periféricos. Introdução. Topologias

Redes Locais: Topologias e Periféricos. Introdução. Topologias Redes Locais: Topologias e Periféricos Introdução Na aula sobre placas e cabos você conheceu os principais tipos de cabos existentes. Nesta aula você aprenderá como os cabos podem ser conectados para formar

Leia mais

Faculdade Escritor Osman da Costa Lins

Faculdade Escritor Osman da Costa Lins Faculdade Escritor Osman da Costa Lins Sistemas de Informação Projeto Redes de Computadores Professor: Hugo Souza 6º Período Alunos: Gleybson Farias Valmir Santos Sumário Sumário Introdução... 3 Lista

Leia mais

Assunto: Redes Com Menos Gastos

Assunto: Redes Com Menos Gastos Assunto: Redes Com Menos Gastos Christian Luiz Galafassi 09132064 Resumo: Novos modos de Redes estão sendo implantadas e em testes. No artigo vou falar sobre duas delas que são Power of Ethernet (PoE),

Leia mais

Disciplina: Cabeamento de Redes Profª Érica Barcelos

Disciplina: Cabeamento de Redes Profª Érica Barcelos Disciplina: Cabeamento de Redes Profª Érica Barcelos CAPÍTULO 4 4. CABEAMENTO ESTRUTURADO- PARTE II Cada nível do subsistema estudado no capítulo anterior foi regulamentado por normas que visam padronizar

Leia mais

UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO)

UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO) Par Trançado UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO) O cabo UTP é composto por pares de fios, sendo que cada par é isolado um do outro e todos são trançados juntos dentro de uma cobertura externa, que não possui

Leia mais