Residência em Patologia Veterinária

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Residência em Patologia Veterinária"

Transcrição

1 Residência em Patologia Veterinária Paulo César Maiorka Departamento de Patologia FMVZ-USP I Seminário Nacional de Residência em Medicina Veterinária CFMV junho São Paulo

2 Na Resolução nº 824, de 31 de março de 2006, o CFMV reconhece e regulamenta a Residência Médico-Veterinária. Através do Artigo 1º reconhece a Residência Médico-Veterinária (RMV) como modalidade diferenciada de ensino de pósgraduação, lato sensu destinada a médicos veterinários, caracterizada por um programa intensivo de treinamento profissional supervisionado, em serviços de assistência médico-veterinária, prestados por Instituições de Ensino Superior (IES) que oferecem Programa de Residência Médico- Veterinária (PRMV).

3 No parágrafo único destaca que: os serviços de assistência médico-veterinária referidos no caput deste artigo, referem-se às atividades inerentes à medicina veterinária, que as IES desenvolvem, para resolução de problemas de sanidade de animais de produção e de companhia, visando contribuir com a qualidade dos produtos de origem animal e com a saúde pública.

4 No artigo 4º da mesma resolução define as áreas de formação, dentre elas destaca a número III, PATOLOGIA VETERINÁRIA.

5 A RMV na área de Patologia Veterinária teve seu desenvolvimento conjuntamente com a implementação das Residências em Clínica, Cirurgia, estando diretamente ligada aos serviços médico-hospitalares das IES estaduais paulistas.

6 Edificação de um projeto continuado de treinamento em serviço e formação de recursos humanos para atuação junto ao diagnóstico anatomopatológico em hospitais veterinários de IES públicas e privadas. Cerca de 70 residentes concluídos.

7 A vasta maioria dos alunos que cursaram a RMV em Patologia Veterinária seguiu carreira acadêmica, sendo que sua grande maioria hoje atua na docência em Patologia Veterinária em IES. Muitos foram para o setor público, sendo que muitos egressos da Residência seguiram carreira nos órgãos públicos ligados a cadeia produtiva da agroindústria e saúde pública. Uma grande parcela partiu para a iniciativa privada e teve papel fundamental na fundação de diversos centros de diagnóstico privados, em todo o país.

8 Hoje este campo é um dos mais promissores e em franco crescimento, isto pode ser observado pelo fato de outros profissionais da área de saúde apresentam interesse em atuar neste segmento. Cabe ressaltar, e apresentar o dispositivo da Lei n.º 5.517, de 23 de Outubro de 1968, publicada no DOU em 25/10/68, que dispõe sobre o exercício da profissão de Médico Veterinário e confere competência exclusiva aos Veterinários tal atividade. Neste sentido, recentemente o CFMV publicou a Resolução N.º 831, de 14 de julho de 2006 (DOU n.128, ) que dispõe sobre o exercício da Responsabilidade Técnica pelos laboratórios, exames laboratoriais e emissão de laudos essenciais ao exercício da Medicina Veterinária.

9 O artigo 2º desta Resolução descreve quais as análises e dentre elas estão a citologia e anatomia patológica veterinária, além das demais essenciais ao diagnóstico e à emissão de laudo médico-veterinário. Isto é um exemplo de atuação eficaz do CFMV na defesa dos interesses da classe e da atuação privativa dos Veterinários no campo de diagnóstico envolvendo animais de produção e, sobretudo, nos animais de companhia, sendo estes os responsáveis pela quase totalidade de exames laboratoriais realizados em instituições privadas de diagnóstico.

10 O artigo 10º da resolução 824 prevê que o Médico Veterinário Residente deve ser orientado por docente médico veterinário ou por médico veterinário portador de no mínimo, certificado de RMV, de maneira que já reconhece o título como formação especializada na área específica de atuação e confere aos seus portadores a competência para orientação nos PRMV. Desta forma selando a vocação natural de indivíduos formados em Residência e, em reconhecimento a sua excelência, a possibilidade de dar continuidade aos programas pelos próprios egressos.

11 A RMV em patologia tem visto uma expansão, novos cursos foram criados nesta última década, destacam-se os cursos na UNB, UFMG, UFG, sendo que desta forma já possuímos RMV em patologia nas regiões Sul (UEL), Centro-Oeste (UNB e UFG), mas a sua grande maioria ainda está centrada na região Sudeste,

12 nesta inclusive com programas em IES privadas, como a UNISA, UNIOSTE, UniMar todas no Estado de São Paulo.

13

14 Os PRMV em Patologia Veterinária são semelhantes, tendo em sua vasta maioria 2 anos de duração e todos estão ligados diretamente aos serviços de diagnóstico de Hospitais Veterinários de IES. No entanto tais programas são criados pelas suas próprias instituições e há necessidade de unificação e uniformização de conteúdos programáticos.

15 Encontros Nacionais de Patologia Veterinária (ENAPAVE), Fórum de RMV em Patologia Veterinária, Associação Brasileira de Patologia Veterinária (ABPV

16 Formação em Patologia A formação sólida em diagnóstico macroscópico e microscópico deve ser o carro chefe na formação do RMV em Patologia. Programa Mínimo

17 Formação em Patologia A atuação conjunta com áreas afins, quer seja: clínica médica, cirurgia, diagnóstico por imagem, zoonoses e saúde pública requer que o programa seja desenvolvido em IES que possua condições mínimas para se realizar, ou seja: ambiente hospitalar, com casuística diversificada, horários de atividades práticas e teóricas, seminários e estudos dirigidos.

18 Formação em Patologia O diagnóstico de afecções em animais, quer seja por meio de citologia, biópsia, necropsia ou análise de carcaças/produtos de origem animal. Patologia Epidemiológica.

19 Formação em Patologia A formação em patologia veterinária também tangencia outras fronteiras do conhecimento em Medicina Veterinária: PERÍCIA BIOSSEGURANÇA

20 Para concluir podemos ver que a formação em RMV em Patologia tem um papel fundamental no aprimoramento da atividade profissional médico-veterinária, assim como grande importância na defesa dos interesses profissionais da Classe. Vemos com grande interesse a criação de PRMV, especialmente em Patologia Veterinária em nosso país. Parabenizamos o CFMV pela atuação neste segmento da nossa profissão.

21 PARABENIZAMOS O CFMV Esperamos continuar colaborando com a evolução do PRMV Patologia Veterinária. OBRIGADO!

22 Paulo César Maiorka

23

PLANO DE ATIVIDADES NOS PRMV

PLANO DE ATIVIDADES NOS PRMV II SEMINÁRIO BRASILEIRO DE RESIDÊNCIA EM MEDICINA VETERINÁRIA - CNRMV-CFMV PLANO DE ATIVIDADES NOS PRMV PROF. DR. ANTONIO JOSÉ DE ARAUJO AGUIAR CRMV-SP 4982 NO INÍCIO DOS ANOS 1970 Importância do PRMV

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 824, DE 31 DE MARÇO DE 2006

RESOLUÇÃO Nº 824, DE 31 DE MARÇO DE 2006 RESOLUÇÃO Nº 824, DE 31 DE MARÇO DE 2006 Reconhece e regulamenta a Residência Médico- Veterinária e dá outras providências. O CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA VETERINÁRIA CFMV, no uso da atribuição que lhe

Leia mais

Entidades de Fiscalização do Exercício das Profissões Liberais CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA VETERINÁRIA RESOLUÇÃO Nº 752, DE 17 DE OUTUBRO DE 2003.

Entidades de Fiscalização do Exercício das Profissões Liberais CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA VETERINÁRIA RESOLUÇÃO Nº 752, DE 17 DE OUTUBRO DE 2003. Entidades de Fiscalização do Exercício das Profissões Liberais CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA VETERINÁRIA RESOLUÇÃO Nº 752, DE 17 DE OUTUBRO DE 2003. Reconhece e regulamenta a Residência Médico-Veterinária,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO HOSPITAL VETERINÁRIO DA ESCOLA DE VETERINÁRIA E ZOOTECNIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS

REGIMENTO INTERNO DO HOSPITAL VETERINÁRIO DA ESCOLA DE VETERINÁRIA E ZOOTECNIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIMENTO INTERNO DO HOSPITAL VETERINÁRIO DA ESCOLA DE VETERINÁRIA E ZOOTECNIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS APROVADO PELO CONSELHO DIRETOR EM SESSÃO DE 15/12/2011 TÍTULO I DA POLÍTICA, DOS OBJETIVOS

Leia mais

REGIMENTO DO HOSPITAL VETERINÁRIO DA FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. CAPÍTULO I Dos objetivos

REGIMENTO DO HOSPITAL VETERINÁRIO DA FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. CAPÍTULO I Dos objetivos REGIMENTO DO HOSPITAL VETERINÁRIO DA FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO CAPÍTULO I Dos objetivos Artigo 1º - O Hospital-Escola Veterinário (HOVET) é órgão anexo

Leia mais

PARTE 1 - LEIS PARTE 2 - DECRETOS

PARTE 1 - LEIS PARTE 2 - DECRETOS PARTE 1 - LEIS 5.517, de 23-10-1968 Dispõe sobre o exercício da profissão de médico veterinário e cria os Conselhos Federal e Regionais de Medicina Veterinária 5.550, de 04-12-1968 Dispõe sobre o exercício

Leia mais

CLÍNICA E CIRURGIA DE PEQUENOS ANIMAIS

CLÍNICA E CIRURGIA DE PEQUENOS ANIMAIS Universidade Federal do Rio Grande do Sul Faculdade de Veterinária RESIDÊNCIA EM MEDICINA VETERINÁRIA CLÍNICA E CIRURGIA DE PEQUENOS ANIMAIS Prof. Marcelo Meller Alievi Coordenador do PRMV FACULDADE DE

Leia mais

MANUAL DE PUBLICIDADE

MANUAL DE PUBLICIDADE MANUAL DE PUBLICIDADE DO MÉDICO VETERINÁRIO Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado do Paraná Manual de Publicidade do Médico Veterinário 2015 www.crmv-pr.org.br MANUAL DE PUBLICIDADE DO MÉDICO

Leia mais

UFPI PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL/ 2015-2018

UFPI PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL/ 2015-2018 Hospital de ensino, com funcionamento 24 horas, inaugurado em 09 de setembro de 2003. - Atende ao ensino de graduação em Medicina Veterinária - Pós-graduação - Execução das atividades dos Programas de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1015, DE 9 DE NOVEMBRO DE 2012

RESOLUÇÃO Nº 1015, DE 9 DE NOVEMBRO DE 2012 RESOLUÇÃO Nº 1015, DE 9 DE NOVEMBRO DE 2012 Conceitua e estabelece condições para o funcionamento de estabelecimentos médicos veterinários, e dá outras providências. O CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA VETERINÁRIA

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO - MEDICINA VETERINÁRIA

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO - MEDICINA VETERINÁRIA 1. IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO - MEDICINA Estágio Supervisionado Obrigatório (ESO) é uma disciplina curricular da Faculdade de Medicina Veterinária da Faculdade

Leia mais

Bacharelado em Medicina Veterinária

Bacharelado em Medicina Veterinária Bacharelado em Medicina Veterinária INFORMAÇÕES Duração do Curso: 05 anos (10 semestres) Horário: Manhã Número de Vagas: 100 anuais Coordenador: Profº Dr. Carlos Tadeu Bandeira de Lavor O CURSO O Curso

Leia mais

Situação dos alunos da UVA que concluíram o curso de Licenciatura em Biologia. Profª. Ma. Maria Beatriz M. Padovani

Situação dos alunos da UVA que concluíram o curso de Licenciatura em Biologia. Profª. Ma. Maria Beatriz M. Padovani Situação dos alunos da UVA que concluíram o curso de Licenciatura em Biologia Profª. Ma. Maria Beatriz M. Padovani Todas as situações colocadas nesta reunião não se aplicam aos ex-alunos da UVA que somente

Leia mais

Uma área em expansão. Radiologia

Uma área em expansão. Radiologia Uma área em expansão Conhecimento especializado e treinamento em novas tecnologias abrem caminho para equipes de Enfermagem nos serviços de diagnóstico por imagem e radiologia A atuação da Enfermagem em

Leia mais

CAPÍTULO I DO ÓRGÃO E SUA FINALIDADES

CAPÍTULO I DO ÓRGÃO E SUA FINALIDADES REGIMENTO INTERNO DO HOSPITAL VETERINÁRIO [adaptação à Resolução 11/98 do Conselho Universitário, de 3 de dezembro de 1998] (Aprovado em reunião da Congregação em 15-04-99 e reformulado em 27-10-2000 atendendo

Leia mais

Parecer sobre PL nº 563, de 2014

Parecer sobre PL nº 563, de 2014 Parecer sobre PL nº 563, de 2014 Considerando o compromisso ético dos profissionais médicos-veterinários, conforme resolução nº 722 de 16 de agosto de 2002 do Conselho Federal de Medicina Veterinária,

Leia mais

Onde os Biomédicos atuam?

Onde os Biomédicos atuam? Onde os Biomédicos atuam? Os profissionais Biomédicos estão distribuídos por todas as esferas científicas públicas e privadas das universidades, faculdades, centros universitários, institutos de pesquisas,

Leia mais

A problemática do diagnóstico, monitoramento e vigilância de zoonoses e a implantação do atestado de óbito veterinário

A problemática do diagnóstico, monitoramento e vigilância de zoonoses e a implantação do atestado de óbito veterinário A problemática do diagnóstico, monitoramento e vigilância de zoonoses e a implantação do atestado de óbito veterinário Fernando Hosomi Centro de Controle de Zoonoses de São Paulo 1/15 Gerência do Centro

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA PARECER COREN/SC Nº 013/CT/2013 Assunto: Solicitação de Parecer Técnico acerca de critérios para abertura e funcionamento de Curso de Instrumentação Cirúrgica. I - Do Fato Solicitado Parecer Técnico ao

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ CENTRO DE PESQUISAS GONÇALO MONIZ

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ CENTRO DE PESQUISAS GONÇALO MONIZ SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ CENTRO DE PESQUISAS GONÇALO MONIZ RESOLUÇÃO Nº 08/2008 Institui e regulamenta as normas para o Funcionamento dos Serviços de Diagnóstico

Leia mais

CONSIDERANDO a aprovação em reunião do dia 19/03/2007, pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão;

CONSIDERANDO a aprovação em reunião do dia 19/03/2007, pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão; RESOLUÇÃO CEPE/CA Nº 189/2007 Aprova o Regulamento do Programa de Residência em Medicina Veterinária, da Universidade Estadual de Londrina. contidos no processo nº 13270/2006; CONSIDERANDO os pronunciamentos

Leia mais

Biomedicina. Indicadores das Graduações em Saúde Estação de Trabalho IMS/UERJ do ObservaRH

Biomedicina. Indicadores das Graduações em Saúde Estação de Trabalho IMS/UERJ do ObservaRH Indicadores das Graduações em Saúde Estação de Trabalho IMS/UERJ do ObservaRH Biomedicina O curso de Biomedicina teve seu início na década de 50, como pós-graduação para formação de profissionais para

Leia mais

I REUNIÃO CIENTÍFICA - APAMT

I REUNIÃO CIENTÍFICA - APAMT I REUNIÃO CIENTÍFICA - APAMT A NR-04 e a Obrigatoriedade da Especialidade de Medicina do Trabalho Dia 28 de fevereiro Associação Médica do Paraná, Curitiba/PR João Anastacio Dias Diretor de Título de Especialista

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DAS DENOMINAÇÕES DE ÁREAS E SUBÁREAS DOS PRMV. Carlos Afonso de Castro Beck CNRMV

PADRONIZAÇÃO DAS DENOMINAÇÕES DE ÁREAS E SUBÁREAS DOS PRMV. Carlos Afonso de Castro Beck CNRMV PADRONIZAÇÃO DAS DENOMINAÇÕES DE ÁREAS E SUBÁREAS DOS PRMV Carlos Afonso de Castro Beck CNRMV Dificuldades observadas em relação às denominações de Áreas e/ou Subáreas de PRMV estabelecidas pelas IES Na

Leia mais

Serviço Público Federal Conselho Regional de Farmácia do Estado de Santa Catarina - CRF/SC

Serviço Público Federal Conselho Regional de Farmácia do Estado de Santa Catarina - CRF/SC Serviço Público Federal Conselho Regional de Farmácia do Estado de Santa Catarina - CRF/SC Trav. Olindina Alves Pereira, 35 - Caixa Postal 472-88020-095 Fone/Fax (48) 222-4702 - Florianópolis - SC. url:

Leia mais

Curso de Especialização em GESTÃO E LOGÍSTICA HOSPITALAR

Curso de Especialização em GESTÃO E LOGÍSTICA HOSPITALAR Curso de Especialização em GESTÃO E LOGÍSTICA HOSPITALAR ÁREA DO CONHECIMENTO: Administração e Saúde. NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Gestão e Logística Hospitalar.

Leia mais

Lato Sensu - Especialização

Lato Sensu - Especialização Regulamento Geral do Núcleo de Pós- Graduação Lato Sensu - Especialização CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Os Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu - Especialização da Fundação Educacional de Além

Leia mais

Registro de Empresas nos Conselhos de Medicina - Resolução: 1626 de 23/10/2001

Registro de Empresas nos Conselhos de Medicina - Resolução: 1626 de 23/10/2001 Registro de Empresas nos Conselhos de Medicina - Resolução: 1626 de 23/10/2001 Ementa: Dispõe sobre as instruções para Registro de Empresas nos Conselhos de Medicina. Fonte: CFM O Conselho Federal de Medicina,

Leia mais

FACULDADES UNIDAS DO VALE DO ARAGUAIA

FACULDADES UNIDAS DO VALE DO ARAGUAIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC O Trabalho de Conclusão de Curso está estruturado sob a forma de elaboração de um artigo científico, sendo este resultado de um trabalho integrado entre as disciplinas

Leia mais

REGIMENTO INTERNO HOSPITAL VETERINÁRIO UNIMAR

REGIMENTO INTERNO HOSPITAL VETERINÁRIO UNIMAR REGIMENTO INTERNO HOSPITAL VETERINÁRIO UNIMAR O Coordenador do Curso de Medicina Veterinária da Universidade de Marília UNIMAR, no uso de suas atribuições legais, expede o presente regimento, regulamentando

Leia mais

Especialização: TRANSPARÊNCIA E QUALIDADE

Especialização: TRANSPARÊNCIA E QUALIDADE Especialização: TRANSPARÊNCIA E QUALIDADE Orlando Pilati UFPr e SESu/MEC Foro sobre Especialidades em Medicina Veterinária CFMV - BRASÍLIA 05/08/2008 Cursos de Especialiazação Consolidados na Educação

Leia mais

QUADROS RESUMOS SÃO PAULO

QUADROS RESUMOS SÃO PAULO QUADROS RESUMOS SÃO PAULO Total de profissionais: 453.665 Enfermeiros: 105.438 Auxiliares e Técnicos de Enfermagem: 348.227 QUADRO RESUMO PERFIL SÓCIO ECONOMICO DA EQUIPE DE ENFERMAGEM SÃO PAULO BLOCO

Leia mais

Curso de Especialização em GESTÃO EM SAÚDE MENTAL

Curso de Especialização em GESTÃO EM SAÚDE MENTAL Curso de Especialização em GESTÃO EM SAÚDE MENTAL ÁREA DO CONHECIMENTO: Saúde. NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Gestão em Saúde Mental. PERFIL PROFISSIONAL: Entender

Leia mais

Ensino das matérias pré-profissionalizantes relacionadas as áreas da Medicina Veterinária Preventiva, Saúde Animal e Saúde Pública Veterinária

Ensino das matérias pré-profissionalizantes relacionadas as áreas da Medicina Veterinária Preventiva, Saúde Animal e Saúde Pública Veterinária Comissão de Ensino e Pesquisa Ensino das matérias pré-profissionalizantes relacionadas as áreas da Medicina Veterinária Preventiva, Saúde Animal e Saúde Pública Veterinária Profª. Drª. Elma P. S. Polegato

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1076, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 1076, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014 RESOLUÇÃO Nº 1076, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014 Dispõe sobre as Diretrizes Nacionais para Acreditação dos Programas de Residência e de Aprimoramento Profissional em Medicina Veterinária e dá outras providências.

Leia mais

PRMV AVALIAÇÃO - RESULTADO E REPERCUSSÃO. Prof. Dr. Eduardo Harry Birgel Realização da CNRMV do CFMV São Paulo 16 e 17 de junho de 2008

PRMV AVALIAÇÃO - RESULTADO E REPERCUSSÃO. Prof. Dr. Eduardo Harry Birgel Realização da CNRMV do CFMV São Paulo 16 e 17 de junho de 2008 PRMV AVALIAÇÃO - RESULTADO E REPERCUSSÃO. Prof. Dr. Eduardo Harry Birgel Realização da CNRMV do CFMV São Paulo 16 e 17 de junho de 2008 1 O Sistema de Avaliação dos PRMV COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA

Leia mais

Informações do Questionário. Programa Autoavaliação Institucional - UFSM - 2014. Questionário Segmento Egresso

Informações do Questionário. Programa Autoavaliação Institucional - UFSM - 2014. Questionário Segmento Egresso Informações do Questionário Programa Autoavaliação Institucional - UFSM - 2014 Questionário Segmento Egresso Descrição do Programa A aplicação do instrumento de autoavaliação é fundamental para toda instituição

Leia mais

Formação de Recursos Humanos na área de fármacos e medicamentos

Formação de Recursos Humanos na área de fármacos e medicamentos Formação de Recursos Humanos na área de fármacos e medicamentos A formação em Farmácia Seminário do BNDES 7 de maio de 2003 Por que RH para Fármacos e Medicamentos? Fármacos e Medicamentos como campo estratégico

Leia mais

Regulamento do Núcleo de Pós- Graduação Lato Sensu - Especialização

Regulamento do Núcleo de Pós- Graduação Lato Sensu - Especialização Regulamento do Núcleo de Pós- Graduação Lato Sensu - Especialização Juiz de Fora-MG Regulamento do Núcleo de Pós-Graduação Lato Sensu Especialização CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Os Cursos

Leia mais

Linhagem de Sim 46,6 Enfermagem Fonte: Pesquisa Perfil da Enfermagem no Brasil - 2013. FIOCRUZ/COFEN

Linhagem de Sim 46,6 Enfermagem Fonte: Pesquisa Perfil da Enfermagem no Brasil - 2013. FIOCRUZ/COFEN 1 QUADRO RESUMO PERFIL SÓCIO ECONOMICO DA EQUIPE DE ENFERMAGEM BRASIL BLOCO 1 Descrição (%) Distribuição por região Categoria profissional Sexo Faixa etária Fases de vida profissional Nacionalidade Município

Leia mais

DECISÃO Nº 085/2015 D E C I D E. aprovar o Regimento Interno da Faculdade de Veterinária da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, como segue:

DECISÃO Nº 085/2015 D E C I D E. aprovar o Regimento Interno da Faculdade de Veterinária da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, como segue: CONSUN Conselho Universitário DECISÃO Nº 085/2015 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO, em sessão de 27/02/2015, tendo em vista o constante no processo nº 23078.034121/2014-61, de acordo com o Parecer nº 006/2015

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM DIAGNÓSTICO POR IMAGEM DO TÓRAX

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM DIAGNÓSTICO POR IMAGEM DO TÓRAX PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM DIAGNÓSTICO POR IMAGEM DO TÓRAX 1. Nome do Curso e Área de Conhecimento: Curso de Especialização em Diagnóstico por Imagem do Tórax 4.01.00.00-6

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE SÃO GOTARDO ltda. Avenida Francisco Resende Filho, 35 - São Gotardo/MG CEP 38800-000

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE SÃO GOTARDO ltda. Avenida Francisco Resende Filho, 35 - São Gotardo/MG CEP 38800-000 PORTARIA Nº 21, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2005 Dispõe sobre a regulamentação dos Programas de Pósgraduação Lato Sensu no âmbito do Centro de Ensino Superior de São Gotardo CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Leia mais

Coordenação de Pós-Graduação e Extensão. Legislação sobre cursos de Pós-graduação Lato Sensu e Credenciamento da FACEC

Coordenação de Pós-Graduação e Extensão. Legislação sobre cursos de Pós-graduação Lato Sensu e Credenciamento da FACEC Coordenação de Pós-Graduação e Extensão Legislação sobre cursos de Pós-graduação Lato Sensu e Credenciamento da FACEC Os cursos de especialização em nível de pós-graduação lato sensu presenciais (nos quais

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU R E G I M E N T O G E R A L PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Regimento Geral PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Este texto foi elaborado com as contribuições de um colegiado de representantes da Unidades Técnico-científicas,

Leia mais

EDUCAÇÃO CONTINUADA NO ENSINO DE CIRURGIA. Prof. Dr. Ney Luis Pippi

EDUCAÇÃO CONTINUADA NO ENSINO DE CIRURGIA. Prof. Dr. Ney Luis Pippi EDUCAÇÃO CONTINUADA NO ENSINO DE CIRURGIA Prof. Dr. Ney Luis Pippi SISTEMA EDUCAÇÃO CONTINUADA APÓS A GRADUAÇÃO 1 CURSOS DE ATUALIZAÇÃO 2 CURSOS DE CAPACITAÇÃO 3 CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO 4 CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO

Leia mais

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS INTRODUÇÃO Com base no Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais - REHUF, destinado à reestruturação e revitalização dos hospitais das universidades federais, integrados

Leia mais

INCA - Relatório Anual 2003 - Ensino

INCA - Relatório Anual 2003 - Ensino 54 55 Ensino Principais realizações Início da primeira etapa do Projeto de Diagnóstico de Recursos Humanos em Oncologia no país. Implementação da inscrição informatizada. Início do Projeto de Educação

Leia mais

Conselho Federal de Medicina Veterinária

Conselho Federal de Medicina Veterinária RESOLUÇÃO Nº 1071, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2014 Dispõe sobre a normatização de documentos emitidos pelos serviços veterinários de clínica e cirurgia destinados aos animais de companhia, com relação a declarações,

Leia mais

DECRETO nº 53.464 de 21-01-1964

DECRETO nº 53.464 de 21-01-1964 DECRETO nº 53.464 de 21-01-1964 Regulamenta a Lei nº 4.119, de agosto de 1962, que dispõe sobre a Profissão de Psicólogo. O Presidente da República, usando das atribuições que lhe confere o art.87, item

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE CORRENTE, ESTADO DO PIAUÍ, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo art. 55, 2º, I, da Lei Orgânica do Município,

O PREFEITO MUNICIPAL DE CORRENTE, ESTADO DO PIAUÍ, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo art. 55, 2º, I, da Lei Orgânica do Município, LEI ORDINÁRIA Nº 564/2014, DE 13 DE MARÇO DE 2014 Amplia o quadro de pessoal efetivo da Prefeitura, define atribuições e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE CORRENTE, ESTADO DO PIAUÍ, no uso

Leia mais

COMO FORMAR MÉDICOS NO BRASIL FRENTE AOS ATUAIS DESAFIOS DA SAÚDE?

COMO FORMAR MÉDICOS NO BRASIL FRENTE AOS ATUAIS DESAFIOS DA SAÚDE? COMO FORMAR MÉDICOS NO BRASIL FRENTE AOS ATUAIS DESAFIOS DA SAÚDE? Vinícius Ximenes M. da Rocha Médico Sanitarista Diretor de Desenvolvimento da Educação em Saúde SESu/MEC Dificuldades para Implementação

Leia mais

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no 2º semestre letivo de 2001 para os alunos matriculados no 4º semestre.

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no 2º semestre letivo de 2001 para os alunos matriculados no 4º semestre. RESOLUÇÃO CONSEPE 38/2001 ALTERA O CURRÍCULO DO CURSO DE ENFERMAGEM, REGIME SERIADO SEMESTRAL, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Os Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu da UNINOVA destinam-se a portadores de diploma de nível superior,

Leia mais

FINALIDADES E OBJETIVOS DO CURSO

FINALIDADES E OBJETIVOS DO CURSO 1.Identificação e situação legal - Identificação do curso, ato de criação, início do curso e ato de reconhecimento. CURSO: SITUAÇÃO LEGAL: Medicina Veterinária Dados de Criação/Autorização: Documento:

Leia mais

EDITAL Nº 01/COREMU/UFRA/2016 ANEXO III ROTEIRO DA PROVA PRÁTICA ESPECÍFICA POR ÁREA

EDITAL Nº 01/COREMU/UFRA/2016 ANEXO III ROTEIRO DA PROVA PRÁTICA ESPECÍFICA POR ÁREA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM ÁREA PROFISSIONAL DE SAÚDE EM MEDICINA VETERINÁRIA EDITAL Nº 01/COREMU/UFRA/2016

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 670, DE 10 DE AGOSTO DE 2000

RESOLUÇÃO Nº 670, DE 10 DE AGOSTO DE 2000 RESOLUÇÃO Nº 670, DE 10 DE AGOSTO DE 2000 Conceitua e estabelece condições para o funcionamento de estabelecimentos médicos veterinários, e dá outras providências. O CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA VETERINÁRIA

Leia mais

VERIFICAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE OFERTA PARA FINS DE RECONHECIMENTO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA

VERIFICAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE OFERTA PARA FINS DE RECONHECIMENTO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR - SESu COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS EM ENSINO EM MEDICINA VETERINÁRIA VERIFICAÇÃO

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO. Pesquisa e Pós-Graduação

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO. Pesquisa e Pós-Graduação GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ - UESPI PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO - PROP PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO Pesquisa e Pós-Graduação A Universidade Estadual

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE BIOMEDICINA I. INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE BIOMEDICINA I. INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE BIOMEDICINA I. INTRODUÇÃO Este documento regulamenta os estágios obrigatórios e não obrigatórios do Curso de Bacharelado em Biomedicina visando à formação integral do

Leia mais

LEVANTAMENTO DOS DADOS DOS ATENDIMENTOS ULTRASSONOGRÁFICOS DO SERVIÇO DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM DO HV/EVZ/UFG

LEVANTAMENTO DOS DADOS DOS ATENDIMENTOS ULTRASSONOGRÁFICOS DO SERVIÇO DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM DO HV/EVZ/UFG LEVANTAMENTO DOS DADOS DOS ATENDIMENTOS ULTRASSONOGRÁFICOS DO SERVIÇO DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM DO HV/EVZ/UFG BRAGATO, Nathália. 1 ; PÁDUA, Fernanda Maria Ozelim de 1 ; COSTA, Ana Paula Araújo.; SILVA,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO Pelo presente edital, estarão abertas as inscrições, no período de 18 de novembro a 02 de dezembro de 2011, para o processo de seleção do Programa

Leia mais

COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS DO PSICÓLOGO BRASILEIRO. Dra. Iraní Tomiatto de Oliveira

COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS DO PSICÓLOGO BRASILEIRO. Dra. Iraní Tomiatto de Oliveira COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS DO PSICÓLOGO BRASILEIRO Dra. Iraní Tomiatto de Oliveira Sumário Psicologia no Brasil: percurso histórico Psicologia no Brasil nos últimos vinte anos Referências legais e organização

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR APROVADO PELA RESOLUÇÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 844, DE 20 DE SETEMBRO DE 2006

RESOLUÇÃO Nº 844, DE 20 DE SETEMBRO DE 2006 RESOLUÇÃO Nº 844, DE 20 DE SETEMBRO DE 2006 Dispõe sobre atestado de sanidade e óbito de animais, assim como os de vacinação de animais e os de sanidade dos produtos de origem animal e dá outras providências.

Leia mais

DECISÃO Nº 193/2011 D E C I D E

DECISÃO Nº 193/2011 D E C I D E CONSUN Conselho Universitário DECISÃO Nº 193/2011 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO, em sessão de 08/04/2011, tendo em vista o constante no processo nº 23078.032500/10-21, de acordo com o Parecer nº 022/2011 da

Leia mais

REGIMENTO DO CENTRO DE PESQUISA - CEPESq PROF. PASQUALE CASCINO

REGIMENTO DO CENTRO DE PESQUISA - CEPESq PROF. PASQUALE CASCINO REGIMENTO DO CENTRO DE PESQUISA - CEPESq CAPÍTULO I DA SEDE E FORO Artigo 1º - O CENTRO DE ENSINO E PESQUISA CEPESq PROF. PASQUALE CASCINO com sede e foro na cidade de São Paulo, à Avenida João Dias, 2046

Leia mais

PARECER CREMEC Nº 18/2010 10/04/2010

PARECER CREMEC Nº 18/2010 10/04/2010 PARECER CREMEC Nº 18/2010 10/04/2010 PROTOCOLO 5688/09 E 0178/10 INTERESSADO: DR.ROBERTO AMAURI SILVA ASSUNTO: ESPECIALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO PARECERISTA: Dra. Patrícia Maria de Castro Teixeira

Leia mais

ENTENDENDO A CLASSIFICAÇÃO DAS IES NO BRASIL. Vanessa Edy Dagnoni Mondini Programa de Pós-Graduação em Administração/FURB

ENTENDENDO A CLASSIFICAÇÃO DAS IES NO BRASIL. Vanessa Edy Dagnoni Mondini Programa de Pós-Graduação em Administração/FURB ENTENDENDO A CLASSIFICAÇÃO DAS IES NO BRASIL Vanessa Edy Dagnoni Mondini Programa de Pós-Graduação em Administração/FURB Maria José Carvalho de Souza Domingues Programa de Pós-Graduação em Administração/FURB

Leia mais

Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde

Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde REGIMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM VIGILÂNCIA SANITÁRIA DO INSTITUTO NACIONAL DE CONTROLE DE QUALIDADE EM SAÚDE 1. Objetivos e Organização Geral 1.1- Os cursos de pós-graduação lato sensu oferecidos

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PNEUMOLOGIA Ato de Oficialização: ATA de 12.03.1992 Conselho Departamental

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PNEUMOLOGIA Ato de Oficialização: ATA de 12.03.1992 Conselho Departamental PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PNEUMOLOGIA Ato de Oficialização: ATA de 12.03.1992 Conselho Departamental 1. Nome do Curso e Área de Conhecimento: Curso de Especialização em

Leia mais

Residência Médica. Equivalência da Residência Médica com Curso de Especialização e Título de Especialista

Residência Médica. Equivalência da Residência Médica com Curso de Especialização e Título de Especialista Residência Médica A Residência Médica foi instituída no Brasil pela Lei nº. 6.932 de 07 de julho de 1981 e regulamentada pelo Decreto nº. 80.281, de 05 de setembro de 1977. Equivalência da Residência Médica

Leia mais

no Brasil O mapa da Acreditação A evolução da certificação no país, desafios e diferenças entre as principais

no Brasil O mapa da Acreditação A evolução da certificação no país, desafios e diferenças entre as principais O mapa da Acreditação no Brasil A evolução da certificação no país, desafios e diferenças entre as principais metodologias Thaís Martins shutterstock >> Panorama nacional Pesquisas da ONA (Organização

Leia mais

EDlTAL N.o 002/12 - Lato sensu Modalidade: Residência Medica - Veterinária

EDlTAL N.o 002/12 - Lato sensu Modalidade: Residência Medica - Veterinária MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAuí PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO COORDENADORIA GERAL DE PÓS-GRADUAÇÃO Campos Universitários "Ministro Petrônio Portela" - Bairro Ininga -SG

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI 2014-2018 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011 2020 METAS E ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI 2014-2018 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011 2020 METAS E ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI 2014-2018 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011 2020 METAS E ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO Marcos Neves Comissão Central PDI do IFSC PNE EXIGÊNCIA CONSTITUCIONAL O art.

Leia mais

Faculdade de Ciências Médicas - UNICAMP. 1º Edital Para Chamada de Candidatos a Tutores e Supervisores. Programa Mais Médicos Brasil - PMMB

Faculdade de Ciências Médicas - UNICAMP. 1º Edital Para Chamada de Candidatos a Tutores e Supervisores. Programa Mais Médicos Brasil - PMMB Faculdade de Ciências Médicas - UNICAMP 1º Edital Para Chamada de Candidatos a Tutores e Supervisores I Introdução. Programa Mais Médicos Brasil - PMMB Junho/2015 O Programa Mais Médicos Brasil, criado

Leia mais

Entendendo a organização do sistema acadêmico brasileiro

Entendendo a organização do sistema acadêmico brasileiro Entendendo a organização do sistema acadêmico brasileiro Não é todo estudante que entende bem a organização do sistema educacional brasileiro e seus níveis de ensino. Nem todos sabem, por exemplo, a diferença

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE FONOAUDIOLOGIA

CONSELHO FEDERAL DE FONOAUDIOLOGIA RESOLUÇÃO CFFa nº 467, de 24 de abril de 2015. Dispõe sobre as atribuições e competências relativas ao profissional fonoaudiólogo Especialista em Fonoaudiologia do Trabalho, e dá outras providências. O

Leia mais

FUNDAMENTOS E HISTÓRIA DA NUTRIÇÃO. Profª Omara Machado Araujo de Oliveira

FUNDAMENTOS E HISTÓRIA DA NUTRIÇÃO. Profª Omara Machado Araujo de Oliveira FUNDAMENTOS E HISTÓRIA DA NUTRIÇÃO Profª Omara Machado Araujo de Oliveira Nutricionista (UFF) Mestre em Saúde Coletiva (UFF) Pós-Graduada em Nutrição Clínica ( UFF) ATRIBUIÇÕES LEGAIS E ESPECÍFICAS DO

Leia mais

FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA

FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA 1 FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA O PROFISSIONAL FARMACÊUTICO O Farmacêutico é um profissional da

Leia mais

PROCESSO N. 515/08 PROTOCOLO N.º 5.673.675-1 PARECER N.º 883/08 APROVADO EM 05/12/08 INTERESSADA: SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA E ESPORTES

PROCESSO N. 515/08 PROTOCOLO N.º 5.673.675-1 PARECER N.º 883/08 APROVADO EM 05/12/08 INTERESSADA: SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA E ESPORTES PROCESSO N. 515/08 PROTOCOLO N.º 5.673.675-1 PARECER N.º 883/08 APROVADO EM 05/12/08 CÂMARA DE LEGISLAÇÃO E NORMAS INTERESSADA: SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA E ESPORTES MUNICÍPIO: ITAIPULÂNDIA

Leia mais

PARECER HOMOLOGADO(*)

PARECER HOMOLOGADO(*) PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 24/12/2003 (*) Portaria/MEC nº 4.035, publicada no Diário Oficial da União de 24/12/2003 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 1, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2003. (*)

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 1, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2003. (*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 1, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2003. (*) Institui Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação em Medicina Veterinária.

Leia mais

Horizontes de Conhecimento

Horizontes de Conhecimento Horizontes de Conhecimento Na liderança do conhecimento. RETRATO Para a construção de um futuro melhor. DNA humano: nossos genes armazenam um vasto potencial para o desenvolvimento. A Aesculap Academia

Leia mais

Profa. Gilcinéa de Cássia Santana

Profa. Gilcinéa de Cássia Santana I FORUM BRASILEIRO DOS COORDENADORES DE PROGRAMAS DE RESIDÊNCIA EM MEDICINA VETERINÁRIA/CNRMS/MEC MESA REDONDA AVALIAÇÃO DOS RESIDENTES DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA INTEGRADA DA ESCOLA DE VETERINÁRIA DA UFMG

Leia mais

MBA IBMEC 30 anos. No Ibmec, proporcionamos a nossos alunos uma experiência singular de aprendizado. Aqui você encontra:

MBA IBMEC 30 anos. No Ibmec, proporcionamos a nossos alunos uma experiência singular de aprendizado. Aqui você encontra: MBA Pós - Graduação QUEM SOMOS Para pessoas que têm como objetivo de vida atuar local e globalmente, ser empreendedoras, conectadas e bem posicionadas no mercado, proporcionamos uma formação de excelência,

Leia mais

Curso de Biomedicina - IESPP Ética Biomédica Prof.Dr.Rogério Saad Vaz saadvaz@hotmail.com

Curso de Biomedicina - IESPP Ética Biomédica Prof.Dr.Rogério Saad Vaz saadvaz@hotmail.com Curso de Biomedicina - IESPP Ética Biomédica Prof.Dr.Rogério Saad Vaz saadvaz@hotmail.com O Biomédico e a Biomedicina Atuação do Biomédico como Profissional da área da Saúde Aula(s)- 03 e 04 O que é a

Leia mais

Pós-graduação MBA em Administração e Marketing

Pós-graduação MBA em Administração e Marketing 1 Ascensão Acadêmica Pós-Graduação alavanca sucesso na carreira profissional Pesquisa coordenada pelo Centro de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas (FGV), em 2010, indica que as pessoas que não

Leia mais

Ciências Biológicas. Indicadores das Graduações em Saúde Estação de Trabalho IMS/UERJ do ObservaRH

Ciências Biológicas. Indicadores das Graduações em Saúde Estação de Trabalho IMS/UERJ do ObservaRH Indicadores das Graduações em Saúde Estação de Trabalho IMS/UERJ do ObservaRH Ciências Biológicas Os cursos de Ciências Biológicas remontam aos cursos de Ciências Naturais, História Natural, licenciatura

Leia mais

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA - UNOESTE. Capítulo I. Da Denominação

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA - UNOESTE. Capítulo I. Da Denominação ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA - UNOESTE Capítulo I Da Denominação Artigo 1º A Liga Acadêmica de Medicina da Universidade do Oeste Paulista é uma Associação

Leia mais

RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 742

RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 742 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 742 Aprova o Regulamento Geral dos Cursos de Pós-Graduação LATO SENSU da UFG, revogando-se a Resolução CEPEC Nº 540. O CONSELHO

Leia mais

Estado da Arte e Segurança dos Serviços de Radiodiagnóstico no Brasil - Visão da Física Médica -

Estado da Arte e Segurança dos Serviços de Radiodiagnóstico no Brasil - Visão da Física Médica - Estado da Arte e Segurança dos Serviços de Radiodiagnóstico no Brasil - Visão da Física Médica - Fís. Adriano Oliveira dos Santos Goulart Especialista em Administração Hospitalar e Negócios em Saúde Especialista

Leia mais

Art. 1. As ATIVIDADES COMPLEMENTARES do Curso de Direito da FFB serão regidas por este Regulamento.

Art. 1. As ATIVIDADES COMPLEMENTARES do Curso de Direito da FFB serão regidas por este Regulamento. REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURRÍCULO NOVO DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE FARIAS BRITO Dispõe acerca do regime das Atividades Complementares do Currículo Novo (Grade 03) do Curso de

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR. Patologia Clínica Veterinária

MATRIZ CURRICULAR. Patologia Clínica Veterinária MATRIZ CURRICULAR No Quadro II está apresentada a estrutura curricular do Curso de Medicina Veterinária da FATENE, distribuída de acordo com os conteúdos essenciais profissionais, definidos pelo Parecer

Leia mais

O PERFIL DOS ALUNOS DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DE SÃO PAULO

O PERFIL DOS ALUNOS DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DE SÃO PAULO O PERFIL DOS ALUNOS DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA RIA DO ESTADO DE SÃO PAULO Karina Paes Bürger O ENSINO DE SAÚDE PÚBLICA P VETERINÁRIA RIA NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA RIA DO

Leia mais

Censo da Educação Superior 2011

Censo da Educação Superior 2011 Censo da Educação Superior 2011 Quadro Resumo - Estatísticas Gerais da Educação Superior por Categoria Administrativa Categoria Administrativa Estatísticas Básicas Total Geral Pública Total Federal Estadual

Leia mais

CATÁLOGO DO CURSO DE BIOMEDICINA

CATÁLOGO DO CURSO DE BIOMEDICINA CATÁLOGO DO CURSO DE BIOMEDICINA ATOS LEGAIS DO CURSO: Nome do Curso: Biomedicina Nome da Mantida: Centro Universitário de Rio Preto Endereço de Funcionamento do Curso: Rua Yvette Gabriel Atique, 45 Bairro

Leia mais

Responsabilidade Técnica na Pesquisa com Agrotóxicos. Eng. Agr. Gilberto Guarido Coordenador da Câmara Especializada de Agronomia

Responsabilidade Técnica na Pesquisa com Agrotóxicos. Eng. Agr. Gilberto Guarido Coordenador da Câmara Especializada de Agronomia Responsabilidade Técnica na Pesquisa com Agrotóxicos Eng. Agr. Gilberto Guarido Coordenador da Câmara Especializada de Agronomia CONFEA CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA CREA CONSELHO REGIONAL

Leia mais

Receita médico-veterinária - Aposição de vinhetas

Receita médico-veterinária - Aposição de vinhetas Exmo. Senhor Prof. Doutor Álvaro Pegado Mendonça Direção Geral de Alimentação e Veterinária Campo Grande, nº 50 1700-093 Lisboa Receita médico-veterinária - Aposição de vinhetas Of. Nº 113/CD/2014 2014-10-30

Leia mais

DISCIPLINA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE I MSP 0670/2011. SISTEMAS DE SAÚDE

DISCIPLINA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE I MSP 0670/2011. SISTEMAS DE SAÚDE DISCIPLINA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE I MSP 0670/2011. SISTEMAS DE SAÚDE Paulo Eduardo Elias* Alguns países constroem estruturas de saúde com a finalidade de garantir meios adequados para que as necessidades

Leia mais