EDUCAÇÃO CONTINUADA NO ENSINO DE CIRURGIA. Prof. Dr. Ney Luis Pippi

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EDUCAÇÃO CONTINUADA NO ENSINO DE CIRURGIA. Prof. Dr. Ney Luis Pippi"

Transcrição

1 EDUCAÇÃO CONTINUADA NO ENSINO DE CIRURGIA Prof. Dr. Ney Luis Pippi

2 SISTEMA EDUCAÇÃO CONTINUADA APÓS A GRADUAÇÃO 1 CURSOS DE ATUALIZAÇÃO 2 CURSOS DE CAPACITAÇÃO 3 CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO 4 CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO ( PÓS- GRADUAÇÃO LATU SENSU ) 5 RESIDÊNCIA MÉDICA ( PÓS- GRADUAÇÃO LATU SENSU ) 6 MESTRADO PROFISSIONALIZANTE ( PÓS- GRADUAÇÃO STRICTU SENSU ) 7 MESTRADO/ DOUTORADO ACADÊMICO(PÓS- GRADUAÇÃO STRICTU SENSU) 8 PÓS- DOUTURADO

3 CURSOS DE ATUALIZAÇÃO/EXTENSÃO CARGA HORÁRIA VARIÁVEL 8 HS - 15 HS CONTEÚDO APROFUNDAMENTO DE ALGUM TEMA ESPECÍFICO GERALMENTE SOMENTE TEÓRICO EXEMPLOS CIRURGIAS DA TRAQUÉIA CIRURGIAS DA CONJUNTIVA OCULAR CIRURGIAS ANO- RETAIS

4 CURSOS DE ATUALIZAÇÃO/EXTENSÃO FREQUÊNCIA DURANTE UM DIA DURANTE ALGUMAS NOITES MINI CURSOS DURANTE EVENTOS DURANTE FINAL DE SEMANA OPERACIONALIZAÇÃO COBRADO OU COM PATROCINIO

5 CURSOS DE CAPACITAÇÃO CARGA HORÁRIA HORAS CONTEÚDO APROFUNDAMENTEO EM UMA ÁREA ESPECÍFICA OFERECIDO COM 30% DE TEÓRICAS E 70% PRÁTICAS EXEMPLOS CIRURGIA ABDOMINAL CIRURGIA TORÁCICA CIRURGIA ORTOPÉDICA CIRURGIA ONCOLÓGICA

6 CURSOS DE CAPACITAÇÃO FREQUÊNCIA 2 DIAS INTEIROS (DURANTE A SEMANA OU FINAL DE SEMANA) 1 TURNO TEÓRICO 3 TURNOS PRÁTICA CASOS CLÍNICOS SELECIONADOS BLOCO CIRÚRGICO CIRURGIA EM CADÁVERES OPERACIONALIZAÇÃO COBRADO OU COM PATROCINIO

7 CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO CARGA HORÁRIA ATÉ 260 HORAS FREQUÊNCIA MÓDULOS SERIADOS EM VÁRIOS FINAIS DE SEMANA DURANTE ALGUNS DIAS POR SEMANA CRÉDITOS DE CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO INCOMPLETO

8 CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO CONTEÚDO AULAS TEÓRICAS AULAS PRÁTICAS CASOS CLÍNICOS BLOCO CIRÚRGICO CIRURGIA EM CADÁVERES APERFEIÇOAMENTO DE DETERMINADO CONTEÚDO/ÁREA ESPECIFICA EXEMPLOS CIRURGIAS DO SISTEMA URINÁRIO CIRURGIAS DO SISTEMA REPRODUTOR CIRURGIAS DO SISTEMA ESQUELÉTICO OPERACIONALIZAÇÃO SEM REGULAMENTAÇÃO NACIONAL REGULAMENTAÇÃO INTERNA INSTITUCIONAL PODE SER COBRADO

9 CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO PÓS- GRADUAÇÃO LATU SENSU RESOLUÇÃO 12/83 DA CAPES/MEC 360 HORAS AULA, PROFS. GRADUAÇÃO, MESTRES E DOUTORES CURSOS CREDENCIADOS PELA CAPES COORD. ESPECIALIZAÇÃO MONOGRAFIA FINAL RESOLUÇÃO Nº 01/2001 CNE/CES MESMAS EXIGENCIAS AUTONOMIA PARA AS IES OBEDECENDO A RESOLUÇÃO

10 CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO PÓS- GRADUAÇÃO LATU SENSU RESOLUÇÃO Nº 01/2007 CNE/CES DOU 21/05/2007 IES CREDENCIADAS SISTEMA FEDERAL DE ENSINO RES. Nº 05/2008 NORMAS PARA CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES NÃO EDUCACIONAIS PARA OFERTA DE CURSOS ESPECIALIZAÇÃO 50% NO MINIMO MESTRES E DOUTORES UFSM 2/3 DO QUADRO PERMANENTE; EVENTUAL/PERMANENTE CURSOS PRESENCIAIS CURSOS A DISTANCIA (PROVAS E DEFESA PRESENCIAIS) NORMATIZA CERTIFICADOS (DISCIPLINAS, CARGA HORÁRIA, PERIODO, DURAÇÃO TOTAL DO CURSO, TITULO MONOGRAFIA E NOTA) PROIBIDA COBRANÇA NOS ESTABELECIMENTOS FEDERAIS OUTRAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO PODEM COBRAR MANDATO JUDICIAL PROIBIU COBRANÇA MENSALIDADE NAS IFES COBRANÇA CONTESTADA PELO MINISTÉRIO PÚBLICO 2009

11

12 CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO PÓS- GRADUAÇÃO LATU SENSU PEC 395/2014 PROPOSTA DE EMENDA CONSTITUCIONAL ART. 206 INCISO IV, DO DEP. ALEX CANZIANI (PTB/PR) JUNHO 2015 COMISSÃO CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA CAMARA DOS DEPUTADOS APROVA POR UNANIMIDADE A EXCLUSÃO DO TEXTO CONSTITUCIONAL A GRATUIDADE DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO CURSOS DE TREINAMENTO, APERFEIÇOAMENTO E ESPECIALIZAÇÃO TRAMITAÇÃO APROVAÇÃO EM 2 TURNOS PELO PLENÁRIO DA CAMARA - 29/09/2015 INCLUSÃO NA ORDEM DO DIA CAM. DEPUTADOS

13 CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO PÓS- GRADUAÇÃO LATU SENSU TEXTO APROVADO É O SUBSTITUTIVO DO RELATOR DEP. CLEBER VERDE (PRB- MA) IFES PODERÃO COBRAR TAXAS E MENSALIDADES DE CURSOS PAGOS DE EXTENSÃO, PÓS- GRADUAÇÃO LATU SENSU E MESTRADOS PROFISSIONALIZANTES 3/10/2015 NOTA DE REPÚDIO DO PARTIDO COMUNISTA BRASILEIRO A PEC 395/2014, QUE FOI APROVADA POR UNANIMIDADE PELA COMISSÃO ESPECIAL DE AVALIAÇÃO EM 24/09 INCENTIVO DE 12,5% NAS IFES ( DOCENTE) INCENTIVO DE 25% NAS IFES (TÉCNICO)

14

15

16 RESIDENCIA MÉDICA PÓS- GRADUAÇÃO LATU SENSU ALGUMAS EXSITENTES DESDE A DÉCADA 90 RES. Nº 729, 10/12/2002 RECONHECE A RESIDENCIA MEDICO- VETERINÁRIA CRIA A CNRMV CAMPOS DE ATUAÇÃO REPRODUÇÃO ANIMAL PATOLOGIA E CLINICA VETERINÁRIA MEDICINA VETERINÁRIA PREVENTIVA SAÚDE PÚBLICA VETERINÁRIA

17

18 RESIDENCIA MÉDICA PÓS- GRADUAÇÃO LATU SENSU 1 OU 2 ANOS 1760 HORAS/ANO 60 HORAS SEMANAIS INCLUIDOS 24 HS/PLANTÃO 24 HS FOLGA SEMANAL - 30 DIAS REPOUSO/ANO ATÉ 20% ATIVIDADES TEÓRICAS R1 PRIMEIRO ANO - CONTEÚDO GERAL R2 SEGUNDO ANO CONTEUDO ESPECÍFICO REGULAMENTADA PELO CFMV RES /03/2006 RECONHCE COMO MODALIDADE DIFERENCIADA DE ENSINO DE PÓS- GRADUAÇÃO LATU SENSU

19 RESIDENCIA MÉDICA PÓS- GRADUAÇÃO LATU SENSU RES /12/2008 DIRETRIZES NACIONAIS REGULADORAS COMISSÃO NACIONAL - AVALIAÇÃO IN LOCO INFRAESTRUTURA, CASUISTICA, PRECEPTORIA RESOLUÇÃO Nº 1076, DE 11/12/2014 DIRETRIZES NACIONAIS PARA ACREDITAÇÃO DOS PROGRAMAS DE RESIDENCIA E APRIMORAMENTO PROFISSIONAL EM MEDICINA VETERINÁRIA ESTABELECE O VALOR DE REFERENCIA PARA BOLSAS DE PROGRAMAS DE APRIMORAMENTO PROFISSIONAL 70% DO VALOR DA BOLSA DE MESTRADO DA CAPES/MEC VALORES DAS BOLSAS DE RESIDENCIA EM MEDICINA VETERINÁRIA ESTABELECIDOS E CONCEDIDOS PELA CNRMS/MEC

20

21 RESIDENCIA MÉDICA PÓS- GRADUAÇÃO LATU SENSU RESOLUÇÃO Nº 2, 13/04/2012 MEC/SESU/CNRMS COMISSÃO NACIONAL DE RESIDENCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE BIOMEDICINA, CIENCIAS BIOLÓGICAS, EDUCAÇÃO FÍSICA, ENFERMAGEM, FARMÁCIA, FISIOTERAPIA, FONOAUDIOLOGIA, MEDICINA VETERINÁRIA, NUTRIÇÃO, ODONTOLOGIA, PSICOLOGIA, SERVIÇO SOCIAL E TERAPIA OCUPACIONAL COREMU COMISSÃO DE RESIDENCIA MULTIPROFISSIONAL JUNHO 2012 MEC APROVOU FINANCIAMENTO DE BOLSAS PARA 42 PROGRAMAS DE RESIDENCIA EM MEDICINA VETERINÁRIA 9 IFES MINAS GERAIS, RIO DE JANEIRO, BAHIA, GOIAS, PARANA E RIO GRANDE DO SUL VALOR DA BOLSA R$ 2.384,82 DURAÇÃO 2 ANOS CARGA HORÁRIA SEMANAL 60 HORAS

22

23 MESTRADO PROFISSIONALIZANTE - MSP PÓS- GRADUAÇÃO STRICTU SENSU PORTARIA NORMATIVA/MEC Nº 17 DE 28/12/2009 DISPÕE SOBRE O MSP NO AMBITO DA CPAES VISA A CAPACITAÇÃO DE PROFISSIONAIS, NAS DIVERSAS ÁREAS DE CONHECIMENTO, MEDIANTE O ESTUDO DE TÉCNICAS, PROCESSOS OU TEMÁTICAS QUE ATENDAM A ALGUMA DEMANDA DO MERCADO DE TRABALHO; APLICAÇÃO ORIENTADA PARA UM CAMPO DE ATUAÇÃO PROFISSIONAL ESPECÍFICO

24 MESTRADO PROFISSIONALIZANTE - MSP PÓS- GRADUAÇÃO STRICTU SENSU AUTORIZAÇÃO, RECONHECIMENTO, ACOMPANHAMENTO E RENOVAÇÃO SÃO CONTROLADOS E APROVADOS PELA CAPES FORMATO PREMANENTE OU DURAÇÃO TEMPORÁRIA TÍTULO DE MESTRE OBTIDO TEM VALIDADE NACIONAL MESMOS DIREITOS QUE OS TÍTULOS OBTIDOS NOS MESTRADOS ACADÊMICOS

25 MESTRADO PROFISSIONALIZANTE - MSP PÓS- GRADUAÇÃO STRICTU SENSU TRABALHO DE CONCLUSÃO DISSERTAÇÃO, REVISÃO DE LITERATURA, ARTIGO, PATENTE, REGISTRO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL, PROJETOS TÉCNICOS, PUBLICAÇÕES TECNOLÓGICAS, APLICATIVOS, MATERIAIS DIDÁTICOS E INSTRUCIONAIS ENTRE OUTROS... AVALIAÇÃO FEITA POR COMISSÕES ESPECÍFICAS INCENTIVO DE 25% NAS IFES (DOCENTE) INCENTIVO DE 50% NAS IFES (TÉCNICO)

26 MESTRADO ACADÊMICO PÓS- GRADUAÇÃO STRICTU SENSU PROJETOS JULGADOS PELAS COMISSÕES DE ÁREA DE ACORDO COM NORMAS DA CAPES/MEC APROVAÇÃO, CREDENCIAMENTO E RECREDENCIAMENTO PELA CAPES AVALIAÇÃO POR COMISSÃO AVALIADORA SE NECESSÁRIO VISITA CONCEITOS DE 3 (NOTA MÍNIMA PARA APROVAÇÃO) A 7 (NOTA MÁXIMA) EXIGENCIA DE DISSERTAÇÃO COMO TRABALHO DE CONCLUSÃO

27 MESTRADO ACADÊMICO PÓS- GRADUAÇÃO STRICTU SENSU DURAÇÃO MÍNIMA DE 12 MESES E MÁXIMA DE 24 MESES EXIGENCIA DE 18 CRÉDITOS NO MÍNIMO UMA VEZ CREDENCIADO PELA CAPES, ESTÁ APTO A RECEBER AUXILIOS E BOLSAS DE ESTUDO DO CNPq/ MCTI E DA CAPES/MEC INCENTIVO DE TITULAÇÃO DE 25% NAS IFES ( DOCENTE) INCENTIVO DE TITULAÇÃO DE 50% ( TÉCNICOS NIVEL SUPERIOR) NÃO PODE SER COBRADO PELA IFES

28 DOUTORADO ACADÊMICO PÓS- GRADUAÇÃO STRICTU SENSU TAMBÉM REGIDO PELAS NORMAS DA CAPES/MEC NO SISTEMA DE PÓS- GRADUAÇÃO NACIONAL APROVAÇÃO, CREDENCIAMENTO E RECREDENCIAMENTO PELA CAPES AVALIAÇÃO POR COMISSÃO AVALIADORA NOTA MÍNIMA 3 MÁXIMA 7 EXIGENCIA MÍNIMA DE 36 CRÉDITOS EXIGÊNCIA DE TESE COMO TRABALHO DE CONCLUSÃO DURAÇÃO MÍNIMA DE 24 MESES E MÁXIMA DE 48 MESES

29 DOUTORADO ACADÊMICO PÓS- GRADUAÇÃO STRICTU SENSU POSSIBILIDADE DE PASSAGEM DIRETA DO MESTRADO PARA O DOUTORADO, OBEDECENDO CRITÉRIOS ESPECÍFICOS ( OBTENÇÃO PARCIAL DE CRÉDITOS, PROJETO COMPATIVEL COM TESE, INDICAÇÃO DO PROF. ORIENTADOR) POSSIBILIDADE DE DOUTORADO SANDUICHE NO PAÍS OU NO EXTERIOR, COM DURAÇÃO DE 1 ANO, PODENDO SER PRORROGADO MEDIANTE ANÁLISE ESPECÍFICA INCENTIVO DE 50% NAS IFES ( DOCENTE) INCENTIVO DE 70% NAS IFES ( TÉCNICO)

30 PÓS- DOUTORADO REALIZADOS JUNTO A PROGRAMAS DE PÓS- GRADUAÇÃO DURAÇÃO MÍNIMA DE 1 ANO, RENOVÁVEL POR MAIS 1 DESENVOLVIMENTO DE UM TREINAMENTO ESPECÍFICO OU ACOMPANHAMENTO DE PROJETO DE PESQUISA PODE SER REALIZADO NO PAÍS OU NO EXTERIOR PRIORIDADE NA CONCESSÃO DE BOLSAS POR AGÊNCIAS FINANCIADORAS NÃO POSSUI EQUIVALENCIA ACADÊMICA NEM INCENTIVO A TITULAÇÃO

31 OBRIGADO!

Normatização do cadastro de formação profissional e educação continuada em gerontologia

Normatização do cadastro de formação profissional e educação continuada em gerontologia Normatização do cadastro de formação profissional e educação continuada em gerontologia O cadastro de formação profissional e de educação continuada em gerontologia da Sociedade Brasileira de Geriatria

Leia mais

Entidades de Fiscalização do Exercício das Profissões Liberais CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA VETERINÁRIA RESOLUÇÃO Nº 752, DE 17 DE OUTUBRO DE 2003.

Entidades de Fiscalização do Exercício das Profissões Liberais CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA VETERINÁRIA RESOLUÇÃO Nº 752, DE 17 DE OUTUBRO DE 2003. Entidades de Fiscalização do Exercício das Profissões Liberais CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA VETERINÁRIA RESOLUÇÃO Nº 752, DE 17 DE OUTUBRO DE 2003. Reconhece e regulamenta a Residência Médico-Veterinária,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 824, DE 31 DE MARÇO DE 2006

RESOLUÇÃO Nº 824, DE 31 DE MARÇO DE 2006 RESOLUÇÃO Nº 824, DE 31 DE MARÇO DE 2006 Reconhece e regulamenta a Residência Médico- Veterinária e dá outras providências. O CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA VETERINÁRIA CFMV, no uso da atribuição que lhe

Leia mais

I SEMINÁRIO NACIONAL DO PROGRAMA NACIONAL DE REORIENTAÇÃO DA FORMAÇÃO PROFISIONAL EM SAÚDE PRÓ-SAÚDE II

I SEMINÁRIO NACIONAL DO PROGRAMA NACIONAL DE REORIENTAÇÃO DA FORMAÇÃO PROFISIONAL EM SAÚDE PRÓ-SAÚDE II Ministério da Educação Secretaria de Ensino Superior Diretoria de Hospitais Univ ersitários e Residências em Saúde A articulação da Graduação em Saúde, dos Hospitais de Ensino e das Residências em Saúde

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU R E G I M E N T O G E R A L PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Regimento Geral PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Este texto foi elaborado com as contribuições de um colegiado de representantes da Unidades Técnico-científicas,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES. IGC Faixa Contínuo 2007 3 256 2008 3 252 2009 3 200

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES. IGC Faixa Contínuo 2007 3 256 2008 3 252 2009 3 200 PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 11/5/2011, Seção 1, Pág. 20. Portaria n 529, publicada no D.O.U. de 11/5/2012, Seção 1, Pág. 19. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

Fernando Carvalho Silva, D.Sc.

Fernando Carvalho Silva, D.Sc. UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Fernando Carvalho Silva, D.Sc. Pró-Reitor de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação da UFMA Ex-Coordenador da Região Norte do FOPROF

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal RESIDÊNCIA PROFISSIONAL EM SAÚDE:

Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal RESIDÊNCIA PROFISSIONAL EM SAÚDE: RESIDÊNCIA PROFISSIONAL EM SAÚDE: RESIDENTE MULTIPROFISSIONAL OU EM ÁREA PROFISSIONAL DA SAÚDE Cód.: PSR Nº: - Versão: 2 Data: 30/12/2014 DEFINIÇÃO A Residência Multiprofissional em Saúde e a Residência

Leia mais

Regulação, supervisão e avaliação do Ensino Superior: Perguntas Frequentes. 1

Regulação, supervisão e avaliação do Ensino Superior: Perguntas Frequentes. 1 Regulação, supervisão e avaliação do Ensino Superior: Perguntas Frequentes. 1 1. Quais são os tipos de instituições de ensino superior? De acordo com sua organização acadêmica, as instituições de ensino

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES NOS PRMV

PLANO DE ATIVIDADES NOS PRMV II SEMINÁRIO BRASILEIRO DE RESIDÊNCIA EM MEDICINA VETERINÁRIA - CNRMV-CFMV PLANO DE ATIVIDADES NOS PRMV PROF. DR. ANTONIO JOSÉ DE ARAUJO AGUIAR CRMV-SP 4982 NO INÍCIO DOS ANOS 1970 Importância do PRMV

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS DE CACOAL DIREÇÃO ACADÊMICA

FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS DE CACOAL DIREÇÃO ACADÊMICA FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS DE CACOAL DIREÇÃO ACADÊMICA REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE PESQUISA CACOAL 2014 Art. 1º - A Faculdade de Ciências Biomédicas de Cacoal Facimed, por compreender que a pesquisa

Leia mais

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA. PROJETO DE LEI N o 1.169, DE 2011 I RELATÓRIO

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA. PROJETO DE LEI N o 1.169, DE 2011 I RELATÓRIO COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA PROJETO DE LEI N o 1.169, DE 2011 Altera a Lei nº 11.129, de 30 de junho de 2005, que Institui o Programa Nacional de Inclusão de Jovens - ProJovem; cria o Conselho Nacional

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Grupo Nobre de Ensino Ltda. UF: BA ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade Nobre de Feira de Santana, a ser instalada

Leia mais

ensino CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO E SUAS IMPLICAÇÕES NA PUBLICIDADE MEDICA Sumaia Boaventura André

ensino CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO E SUAS IMPLICAÇÕES NA PUBLICIDADE MEDICA Sumaia Boaventura André CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO E SUAS IMPLICAÇÕES NA PUBLICIDADE MEDICA Visão da instituição de ensino Sumaia Boaventura André Professora Faculdade de Medicina /UFBA Conselheira CREMEB Agosto de 2012 DEFINIÇÃO

Leia mais

Projeto de Residência Integrada Multiprofissional em Saúde

Projeto de Residência Integrada Multiprofissional em Saúde Projeto de Residência Integrada Multiprofissional em Saúde 1- Identificação do Programa de Residência Multiprofissional 1.1- Instituição Formadora: 1.2- Unidade Responsável/ Instituição Executora: 1.3

Leia mais

CURSO EXCLUSIVO IBECO

CURSO EXCLUSIVO IBECO PÓS-GRADUAÇÃO EM DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR EM ESTÉTICA CURSO EXCLUSIVO IBECO Destinado aos docentes que atuam ou que pretendem atuar no ensino superior e profissionalizante da área estética, o curso

Leia mais

RESOLUÇÃO CFP N 009/2000 DE 20 DE DEZEMBRO DE 2000

RESOLUÇÃO CFP N 009/2000 DE 20 DE DEZEMBRO DE 2000 RESOLUÇÃO CFP N 009/2000 DE 20 DE DEZEMBRO DE 2000 Institui e regulamenta o Manual de Normas Técnicas para a Residência em Psicologia na área de saúde. O CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA, no uso das atribuições

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Fundação de Ensino e Tecnologia de Alfenas (FETA) UF: MG ASSUNTO: Recredenciamento da Universidade José do Rosário

Leia mais

Comunicado ALTERAÇÃO DE VAGAS- PCD ANEXO I QUADRO DEMONSTRATIVO DOS CÓDIGOS, CARGO/ÁREA DE ATUAÇÃO, CARGA HORÁRIA, REQUISITOS E VAGAS: Requisitos

Comunicado ALTERAÇÃO DE VAGAS- PCD ANEXO I QUADRO DEMONSTRATIVO DOS CÓDIGOS, CARGO/ÁREA DE ATUAÇÃO, CARGA HORÁRIA, REQUISITOS E VAGAS: Requisitos Comunicado A Secretaria de Administração e Gestão de Pessoas da Prefeitura do Recife comunica a todos os interessados a reabertura do processo de inscrição no Concurso Público para provimento de cargos

Leia mais

Ensino. Principais realizações

Ensino. Principais realizações Principais realizações Reestruturação dos Programas de ; Início do Projeto de Educação à Distância/EAD do INCA, por meio da parceria com a Escola Nacional de Saúde Pública ENSP/FIOCRUZ; Três novos Programas

Leia mais

GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO PROPe

GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO PROPe REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO PROPe Sumário Título I Dos Cursos de Pós Graduação e suas finalidades...1 Título II Dos Cursos de Pós Graduação em Sentido Lato...1 Título III Dos Cursos de

Leia mais

Adicional de Pós-Graduação. Conceito

Adicional de Pós-Graduação. Conceito Adicional de Pós-Graduação Conceito A concessão do APG está condicionada à realização de curso de pós-graduação nos níveis de Especialização, Mestrado e Doutorado, que se enquadrem nas normas dos Conselhos

Leia mais

Multiprofissional e em Área. Profissional da Saúde

Multiprofissional e em Área. Profissional da Saúde Ministério da Educação Secretaria de Ensino Superior Diretoria de Hospitais Universitários rios e Residências em Saúde Coordenação Geral de Residências em Saúde Residência Multiprofissional e em Área Profissional

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU Direito Médico 2013/2014 APRESENTAÇÃO A Faculdade de Direito de Varginha FADIVA, em busca do aprimoramento profissional, foi em busca de uma parceria para a instalação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO: MESTRADO PROFISSIONAL EM ENSINO EM SAÚDE

Leia mais

PORTARIA Nº, DE FEVEREIRO DE 2013

PORTARIA Nº, DE FEVEREIRO DE 2013 PORTARIA Nº, DE FEVEREIRO DE 2013 Define as diretrizes gerais para o processo de avaliação de desempenho para fins de progressão e de promoção das Carreiras do Magistério Superior e do Ensino Básico, Técnico

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 30/5/2012, Seção 1, Pág. 33. Portaria n 708, publicada no D.O.U. de 30/5/2012, Seção 1, Pág. 32. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO A importância da atuação do fiscal para a qualidade do ensino no Brasil A importância da atuação do fiscal para a qualidade do ensino no Brasil BREVE HISTÓRICO

Leia mais

Texto orientador para a audiência pública sobre o marco regulatório dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu Especialização

Texto orientador para a audiência pública sobre o marco regulatório dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu Especialização CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO Texto orientador para a audiência pública sobre o marco regulatório dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu Especialização Comissão da Câmara de Educação Superior Erasto Fortes

Leia mais

Perguntas Frequentes. Quem é o aluno da UFPI?

Perguntas Frequentes. Quem é o aluno da UFPI? Perguntas Frequentes Quem é o aluno da UFPI? É o indivíduo que está regularmente matriculado em uma disciplina ou curso ou, ainda, que já ingressou na UFPI, embora não esteja cursando nenhuma disciplina

Leia mais

RESPOSTAS PARA PERGUNTAS FREQUENTES

RESPOSTAS PARA PERGUNTAS FREQUENTES RESPOSTAS PARA PERGUNTAS FREQUENTES sobre Ensino em fonoaudiologia A Comissão de Ensino da SBFa apresenta a seguir respostas para algumas das dúvidas mais frequentes relativas aos diferentes níveis de

Leia mais

1 º Simpósio sobre Educação a Distância.

1 º Simpósio sobre Educação a Distância. Universidade Federal de Santa Catarina PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA E GESTÃO DO CONHECIMENTO 1 º Simpósio sobre Educação a Distância. Fernando Jose Spanhol, Dr spanhol@led.ufsc.br No inicio

Leia mais

DOS CURSOS E SEUS OBJETIVOS

DOS CURSOS E SEUS OBJETIVOS REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DAS FACULDADES INTEGRADAS DE VITÓRIA DOS CURSOS E SEUS OBJETIVOS Disciplina os Cursos de Pós- Graduação Lato Sensu nas modalidades Acadêmica e Profissionalizante

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DIRETORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA COORDENAÇÃO DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA REGULAMENTO DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CACOAL 2010 Considerando as exigências

Leia mais

Livio Amaral Diretor de Avaliação

Livio Amaral Diretor de Avaliação Livio Amaral Diretor de Avaliação 04nov13 Mestrado Profissional -Portaria nº n 80, de 16 de dezembro de 1998- Dispõe sobre o os mestrados profissionais. Apresenta como um de seus principais objetivos promover

Leia mais

TÍTULO I DAS ENTIDADES

TÍTULO I DAS ENTIDADES RESOLUÇÃO Nº 444 DE 27 DE ABRIL DE 2006. 1205 Ementa: Dispõe sobre a regulação de cursos de pós-graduação lato sensu de caráter profissional. O Conselho Federal de Farmácia, no uso das atribuições que

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ZOOTECNIA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ZOOTECNIA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ZOOTECNIA 2012 COLEGIADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ZOOTECNIA ❶ Coordenador Prof. Márcio Machado Ladeira ❷ Coordenador Adjunto

Leia mais

PRÓ-DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - PROPESP POLÍTICA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU

PRÓ-DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - PROPESP POLÍTICA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU PRÓ-DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - PROPESP POLÍTICA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU A Pesquisa e a Pós-Graduação Stricto Sensu são atividades coordenadas por uma mesma

Leia mais

2. Cursos de Extensão

2. Cursos de Extensão 2. Cursos de Extensão Instituto Internacional de Cromatografia (IIC) APRESENTAÇÃO DOS CURSOS DE EXTENSÃO DO IIC O Instituto Internacional de Cromatografia (IIC) oferecerá no ano de 2011 as seguintes atividades

Leia mais

PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 09/07/2007

PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 09/07/2007 PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 09/07/2007 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Rede Brasileira de Ensino à Distância

Leia mais

SISU/UFMG 2ª EDIÇÃO DE 2015 Máximos e Mínimos por Curso/Modalidade

SISU/UFMG 2ª EDIÇÃO DE 2015 Máximos e Mínimos por Curso/Modalidade UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Registro Discente Departamento de Registro e Controle Acadêmico SISU/UFMG 2ª EDIÇÃO DE 2015 Máximos e Mínimos por Curso/Modalidade 1ª Chamada Regular Informações geradas

Leia mais

REGULAMENTO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS ESUDA. Capítulo I Das Disposições Preliminares

REGULAMENTO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS ESUDA. Capítulo I Das Disposições Preliminares Capítulo I Das Disposições Preliminares Art. 1º Os cursos de Pós-Graduação Lato Sensu da Faculdade de Ciências Humanas ESUDA orientam-se pelas normas especificadas neste Regulamento e estão sujeitos ao

Leia mais

Planos de Classificação de Documentos Atividades - Fim Atividades

Planos de Classificação de Documentos Atividades - Fim Atividades Anexo II Planos de Classificação de Documentos Atividades - Fim Atividades 100 GRADUAÇÃO 110 Políticas e Planejamento de Cursos REUNI 111 Fomentação e Implementação de Política de Ensino política de implementação

Leia mais

Texto orientador para a audiência pública sobre o marco regulatório dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu Especialização

Texto orientador para a audiência pública sobre o marco regulatório dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu Especialização CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO Texto orientador para a audiência pública sobre o marco regulatório dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu Especialização Comissão da Câmara de Educação Superior Erasto Fortes

Leia mais

CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO-CONSEPE

CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO-CONSEPE CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO-CONSEPE RESOLUÇÃO Nº 14/2008, DE 25 DE JULHO DE 2008 Regulamenta o planejamento, acompanhamento e registro das Atividades Complementares, necessárias à integralização

Leia mais

Políticas de Educação a Distância

Políticas de Educação a Distância Políticas de Educação a Distância Prof. Fernando Jose Spanhol Prof. Fernando Jose Spanhol LED/UFSC/ABED- Avaliador SESU-INEP-CEE/SC A Evolução da Legislação 1930 - Criação do Ministério dos Negócios e

Leia mais

QUADROS RESUMOS SÃO PAULO

QUADROS RESUMOS SÃO PAULO QUADROS RESUMOS SÃO PAULO Total de profissionais: 453.665 Enfermeiros: 105.438 Auxiliares e Técnicos de Enfermagem: 348.227 QUADRO RESUMO PERFIL SÓCIO ECONOMICO DA EQUIPE DE ENFERMAGEM SÃO PAULO BLOCO

Leia mais

FACULDADE DA IGREJA MINISTÉRIO FAMA Programa de Integralização de Créditos em Teologia CONVALIDAÇÃO REGULAMENTO DO CURSO DE CONVALIDAÇÃO

FACULDADE DA IGREJA MINISTÉRIO FAMA Programa de Integralização de Créditos em Teologia CONVALIDAÇÃO REGULAMENTO DO CURSO DE CONVALIDAÇÃO FACULDADE DA IGREJA MINISTÉRIO FAMA Programa de Integralização de Créditos em Teologia CONVALIDAÇÃO REGULAMENTO DO CURSO DE CONVALIDAÇÃO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Por muito tempo, a teologia

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO (*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 04/12/2007. (*) Portaria / MEC n 1.151, publicada no Diário Oficial da União de 04/12/2007. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Leia mais

CONSIDERANDO que este Conselho compete normatizar esse procedimento; R E S O L V E:

CONSIDERANDO que este Conselho compete normatizar esse procedimento; R E S O L V E: RESOLUÇÃO N o 03/90, CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Aprova as Normas para elaboração de Projetos de Cursos de Especialização (Pós-Graduação lato sensu ). O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 26/5/2011, Seção 1, Pág. 20. Portaria n 680, publicada no D.O.U. de 26/5/2011, Seção 1, Pág. 19. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

1963 Técnico em fisioterapia, formado em 2 anos, auxiliar médico

1963 Técnico em fisioterapia, formado em 2 anos, auxiliar médico 1963 Técnico em fisioterapia, formado em 2 anos, auxiliar médico 1964 Currículo mínimo para fisioterapia, formação em 3 anos, manutenção ao longo da Ditadura Fundamentos da Fisioterapia, Ética e História

Leia mais

GRUPO 43 - MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DO IDOSO / IMIP GRUPO 44 - MULTIPROFISSIONAL EM CUIDADOS PALIATIVOS / IMIP. 43 e 44 - EDUCAÇÃO FÍSICA

GRUPO 43 - MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DO IDOSO / IMIP GRUPO 44 - MULTIPROFISSIONAL EM CUIDADOS PALIATIVOS / IMIP. 43 e 44 - EDUCAÇÃO FÍSICA 43 e 44 - EDUCAÇÃO FÍSICA 01 D 26 B 02 B 27 A 03 D 28 A 04 D 29 E 05 D 30 C 06 A 31 B 07 A 32 A 08 A 33 E 09 E 34 E 11 B 36 C 12 C 37 A 13 B 38 A 14 E 39 B 15 B 40 B 16 C 41 D 17 A 42 E 18 D 43 E 19 C

Leia mais

Programa de Divulgação da Qualificação dos Prestadores de Serviços RN nº 267/2011

Programa de Divulgação da Qualificação dos Prestadores de Serviços RN nº 267/2011 Programa de Divulgação da Qualificação dos Prestadores de Serviços RN nº 267/2011 Instrução Normativa sobre a divulgação da qualificação Primeira reunião do GT de Divulgação 07/02/2012 Quem divulgar? Todos

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação Antônio Vieira UF: RS ASSUNTO: Recredenciamento da Universidade do Vale do Rio dos Sinos, com sede no

Leia mais

EDITAL PARA O PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO MULTIPROFISSIONAL SEGUNDO SEMESTRE DE 2015.

EDITAL PARA O PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO MULTIPROFISSIONAL SEGUNDO SEMESTRE DE 2015. EDITAL PARA O PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO MULTIPROFISSIONAL SEGUNDO SEMESTRE DE 2015. O torna público o Edital para os cursos de Aperfeiçoamento Multiprofissional, segundo semestre

Leia mais

Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes - ENADE. Coordenadoria de Avaliação Institucional Comissão Própria de Avaliação - CPA ENADE 2011

Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes - ENADE. Coordenadoria de Avaliação Institucional Comissão Própria de Avaliação - CPA ENADE 2011 Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes - ENADE Coordenadoria de Avaliação Institucional Comissão Própria de Avaliação - CPA ENADE 2011 SOBRE O ENADE O Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes -

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL REGULAMENTO DO PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E METAS Art. 1º. O Programa de Capacitação Institucional PCI tem por objetivo promover a melhoria da qualidade das funções

Leia mais

data PROJETO DE LEI N 8035/2010. 1 Supressiva 2. Substitutiva 3. Modificativa 4. Aditiva 5. Substitutivo global

data PROJETO DE LEI N 8035/2010. 1 Supressiva 2. Substitutiva 3. Modificativa 4. Aditiva 5. Substitutivo global Página Artigo: 6º Parágrafo: Único Inciso Alínea EMENDA MODIFICATIVA O parágrafo único do Artigo 6º do PL n 8035 de 2010, passa a ter a seguinte redação: Art. 6º... Parágrafo único. O Fórum Nacional de

Leia mais

Área de Gestão e Negócios

Área de Gestão e Negócios Área de Gestão e Negócios O Complexo Educacional FMU é uma Instituição de ensino superior com uma longa tradição de prestação de relevantes serviços educacionais a sociedade brasileira. Fundado em 1968,

Leia mais

Original assinado Vicente Pereira de Almeida Presidente do CS

Original assinado Vicente Pereira de Almeida Presidente do CS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 037/2013 DE 27

Leia mais

PARTE 1 - LEIS PARTE 2 - DECRETOS

PARTE 1 - LEIS PARTE 2 - DECRETOS PARTE 1 - LEIS 5.517, de 23-10-1968 Dispõe sobre o exercício da profissão de médico veterinário e cria os Conselhos Federal e Regionais de Medicina Veterinária 5.550, de 04-12-1968 Dispõe sobre o exercício

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL GOIÂNIA ESCOLA DE VETERINÁRIA E ZOOTECNIA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL GOIÂNIA ESCOLA DE VETERINÁRIA E ZOOTECNIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL GOIÂNIA ESCOLA DE VETERINÁRIA E ZOOTECNIA Regulamento Específico do Curso de Especialização em Homeopatia Veterinária CAPÍTULO I DAS FINALIDADES

Leia mais

DIRETORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES FARMÁCIA

DIRETORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES FARMÁCIA DIRETORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES FARMÁCIA CACOAL - RO 2011 Considerando as exigências da LEGISLAÇÃO EDUCACIONAL, no atinente às Atividades Complementares

Leia mais

Avaliação de Políticas Públicas (Resolução nº 44, de 2013)

Avaliação de Políticas Públicas (Resolução nº 44, de 2013) Avaliação de Políticas Públicas (Resolução nº 44, de 2013) Presidente: SENADOR CRISTOVAM BUARQUE Vice-Presidente: SENADOR HÉLIO JOSÉ Relator: SENADOR OMAR AZIZ Proposta de Plano de Trabalho Avaliação de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 20/2012, DE 14 DE AGOSTO DE 2012

RESOLUÇÃO Nº 20/2012, DE 14 DE AGOSTO DE 2012 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MEC - INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO RESOLUÇÃO Nº 20/2012, DE 14 DE AGOSTO DE 2012 Aprova a regulamentação do Programa de Incentivo à Pesquisa,

Leia mais

AEducação Superior. na Legislação Educacional Vigente. Prof a. Rosimar de Fátima Oliveira Departamento de Educação Universidade Federal de Viçosa

AEducação Superior. na Legislação Educacional Vigente. Prof a. Rosimar de Fátima Oliveira Departamento de Educação Universidade Federal de Viçosa AEducação Superior na Legislação Educacional Vigente Prof a. Rosimar de Fátima Oliveira Departamento de Educação Universidade Federal de Viçosa 1. Estrutura Normativa da Educação Superior AUTONOMIA ACESSO

Leia mais

Normas referentes a disciplina FR904 - Atividades Complementares do Curso de Ciências Farmacêuticas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Normas referentes a disciplina FR904 - Atividades Complementares do Curso de Ciências Farmacêuticas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Normas referentes a disciplina FR904 - Atividades Complementares do Curso de Ciências Farmacêuticas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Considerando: A Lei 9.394 de 1996. Lei de Diretrizes

Leia mais

RESOLVE: CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS. Os objetivos gerais da EAD na Universidade Federal do Paraná (UFPR) são:

RESOLVE: CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS. Os objetivos gerais da EAD na Universidade Federal do Paraná (UFPR) são: RESOLUÇÃO Nº 28/08-CEPE Fixa normas básicas de controle e registro da atividade acadêmica dos Cursos de Aperfeiçoamento e Especialização na modalidade de Educação a Distância da Universidade Federal do

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU DIREITO PROCESSUAL GERAL COM ÊNFASE EM DIREITO EMPRESARIAL

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU DIREITO PROCESSUAL GERAL COM ÊNFASE EM DIREITO EMPRESARIAL CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU DIREITO PROCESSUAL GERAL COM ÊNFASE EM DIREITO EMPRESARIAL 2ª Turma 2012/2013 APRESENTAÇÃO A Faculdade de Direito de Varginha FADIVA, em busca do aprimoramento profissional,

Leia mais

APROVAR as normas para concessão de afastamento para pós-graduação aos servidores do IF-SC. CAPÍTULO I DOS TIPOS DE PÓS-GRADUAÇÃO

APROVAR as normas para concessão de afastamento para pós-graduação aos servidores do IF-SC. CAPÍTULO I DOS TIPOS DE PÓS-GRADUAÇÃO RESOLUÇÃO N o 019/2012/CDP Florianópolis, 03 de maio de 2012. A PRESIDENTE DO DO INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pelo Regimento Geral do IF-SC e pelo

Leia mais

NORMAS PARA PROGRAMAS DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE FORMAÇÃO, DE PESQUISA E TECNOLÓGICA - FAPEG-I

NORMAS PARA PROGRAMAS DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE FORMAÇÃO, DE PESQUISA E TECNOLÓGICA - FAPEG-I RESOLUÇÃO N. 001/2007 ANEXO NORMAS PARA PROGRAMAS DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE FORMAÇÃO, DE PESQUISA E TECNOLÓGICA - FAPEG-I 1. Conceituação As normas relativas à concessão de Bolsas de Formação, de Pesquisa

Leia mais

AÇÕES DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL 1. FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA OU QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

AÇÕES DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL 1. FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA OU QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL GLOSSÁRIO EDUCAÇÃO PROFISSIONAL SENAC DIRETORIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL RIO DE JANEIRO NOVEMBRO/2009 AÇÕES DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Ações educativas destinadas ao desenvolvimento de competências necessárias

Leia mais

MERCADO DE TRABALHO. Carlos Marcelo da Silva Figueredo

MERCADO DE TRABALHO. Carlos Marcelo da Silva Figueredo MERCADO DE TRABALHO 1 Carlos Marcelo da Silva Figueredo MERCADO DE TRABALHO Vale a pena abrir o próprio consultório? Vale a pena aceitar convênios de planos odontológicos? Vale a pena investir imediatamente

Leia mais

A TRAJETÓRIA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO NA ÁREA DA SAÚDE

A TRAJETÓRIA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO NA ÁREA DA SAÚDE A TRAJETÓRIA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO NA ÁREA DA SAÚDE Ministro da Saúde José Saraiva Felipe Ministro da Educação Fernando Haddad Objetivo apresentar a Trajetória dos Cursos de Graduação na Área da Saúde;

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA PPGE / UCB REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA.

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA PPGE / UCB REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA. UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA PPGE / UCB REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA Brasília-DF CAPÍTULO I Das Disposições Iniciais Art. 1º. O presente

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação Brasileira de Educação Familiar e Social UF: BA ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade Social da Bahia

Leia mais

RETIFICAÇÃO SERVIÇO SOCIAL AUTÔNOMO HOSPITAL METROPOLITANO DOUTOR CÉLIO DE CASTRO EDITAL Nº 08/2014

RETIFICAÇÃO SERVIÇO SOCIAL AUTÔNOMO HOSPITAL METROPOLITANO DOUTOR CÉLIO DE CASTRO EDITAL Nº 08/2014 RETIFICAÇÃO SERVIÇO SOCIAL AUTÔNOMO HOSPITAL METROPOLITANO DOUTOR CÉLIO DE CASTRO EDITAL Nº 08/2014 O Secretário Municipal Adjunto de Recursos Humanos, no uso de suas atribuições legais, comunica as alterações

Leia mais

Art. 2º Revogar a Portaria nº 112, de 01 de agosto de 2008. Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. JORGE ALMEIDA GUIMARÃES

Art. 2º Revogar a Portaria nº 112, de 01 de agosto de 2008. Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. JORGE ALMEIDA GUIMARÃES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR PORTARIA Nº 140, DE 1º DE JULHO DE 2010 O PRESIDENTE DA COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR -

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: CENECT Centro Integrado de Educação, Ciência e UF: PR Tecnologia S/C Ltda. ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade

Leia mais

Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES

Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES EDUCAÇÃO SUPERIOR BRASILEIRA ALGUNS INDICADORES¹ 2.314 IES 245 públicas (10,6%) e 2.069

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DOCENTE PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CIENTÍFICA (PIBID/FAI) EDITAL N O.

EDITAL DE SELEÇÃO DOCENTE PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CIENTÍFICA (PIBID/FAI) EDITAL N O. EDITAL DE SELEÇÃO DOCENTE PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CIENTÍFICA (PIBID/FAI) EDITAL N O. 004/15 1. APRESENTAÇÃO A Direção-Geral das FACULDADES ADAMANTINENSES INTEGRADAS

Leia mais

Audiência Pública no Senado Federal

Audiência Pública no Senado Federal Audiência Pública no Senado Federal Comissão de Educação, Cultura e Esporte Brasília DF, 7 de maio de 2008 1 Audiência Pública Instruir o PLS n o 026 de 2007, que Altera a Lei n o 7.498, de 25 de junho

Leia mais

EDITAL nº 092/2014 VALORES DOS SERVIÇOS EDUCACIONAIS PARA O ANO DE 2015

EDITAL nº 092/2014 VALORES DOS SERVIÇOS EDUCACIONAIS PARA O ANO DE 2015 EDITAL nº 092/2014 VALORES DOS SERVIÇOS EDUCACIONAIS PARA O ANO DE 2015 Por ordem do Prof. Me. João Batista Gomes de Lima, Magnífico Reitor do Centro Universitário São Camilo Campus Ipiranga, inscrito

Leia mais

Modelos de Gestão da Qualidade da Pós-graduação e do Doutorado: Experiências Nacionais: BRASIL

Modelos de Gestão da Qualidade da Pós-graduação e do Doutorado: Experiências Nacionais: BRASIL Modelos de Gestão da Qualidade da Pós-graduação e do Doutorado: Experiências Nacionais: BRASIL Livio Amaral Diretor de Avaliação 17set13 A AVALIAÇÃO DO SISTEMA NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO (SNPG) (SNPG) -FUNDAMENTOS

Leia mais

Política Nacional de Educação na Saúde

Política Nacional de Educação na Saúde III Seminário Nacional de Residência Multiprofissional e em Área Profissional da Saúde Política Nacional de Educação na Saúde 13 a 15 de outubro de 2008 CONTEXTOS DA EDUCAÇÃO NA SAÚDE A Constituição Federal

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Em conformidade com a Resolução CNE/CES n 1, de 08 de Junho de 2007 e o Regimento da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Aprovado pelo Parecer CONSEPE

Leia mais

RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 013 / 2015

RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 013 / 2015 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG Pró-Reitoria de Graduação Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700 - Alfenas/MG - CEP 37130-000 Fone: (35) 3299-1329 Fax: (35) 3299-1078 grad@unifal-mg.edu.br

Leia mais

Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde

Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde REGIMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM VIGILÂNCIA SANITÁRIA DO INSTITUTO NACIONAL DE CONTROLE DE QUALIDADE EM SAÚDE 1. Objetivos e Organização Geral 1.1- Os cursos de pós-graduação lato sensu oferecidos

Leia mais

II TERMO ADITIVO AO EDITAL Nº 037/2015-UEPA

II TERMO ADITIVO AO EDITAL Nº 037/2015-UEPA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA PARASITÁRIA NA AMAZÔNIA II TERMO ADITIVO AO EDITAL

Leia mais

EDITAL PÚBLICO PARA SELEÇÃO DE ALUNOS A PÓS-GRADUAÇÃO LATO-SENSU EM MEDICINA FETAL

EDITAL PÚBLICO PARA SELEÇÃO DE ALUNOS A PÓS-GRADUAÇÃO LATO-SENSU EM MEDICINA FETAL EDITAL PÚBLICO PARA SELEÇÃO DE ALUNOS A PÓS-GRADUAÇÃO LATO-SENSU EM MEDICINA FETAL 2014 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. CARACTERÍSTICAS GERAIS DO CURSO... 3 3. PRÉ-REQUISITOS... 4 4. INSCRIÇÃO... 4 5.

Leia mais

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE. RESOLUÇÃO No- 2, DE 13 DE ABRIL DE 2012

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE. RESOLUÇÃO No- 2, DE 13 DE ABRIL DE 2012 SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE RESOLUÇÃO No- 2, DE 13 DE ABRIL DE 2012 Dispõe sobre Diretrizes Gerais para os Programas de Residência Multiprofissional

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 11/5/2011, Seção 1, Pág. 20. Portaria n 523, publicada no D.O.U. de 11/5/2012, Seção 1, Pág. 19. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 24/6/2003 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 24/6/2003 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 24/6/2003 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: UF Conselho Nacional de Técnicos em Radiologia

Leia mais

Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Abril de 2012 Página 1 de 11 Sumário Introdução 3 Justificativa 5 Objetivos 6 Metodologia 7 Dimensões de

Leia mais

EDITAL. VESTIBULAR AGENDADO Primeiro semestre 2012

EDITAL. VESTIBULAR AGENDADO Primeiro semestre 2012 EDITAL VESTIBULAR AGENDADO Primeiro semestre 2012 A UNIVERSIDADE DE UBERABA UNIUBE declara abertas as inscrições para o Vestibular Agendado - aos portadores de Certificado de Conclusão do Curso do Ensino

Leia mais

CURSOS DE GRADUAÇÃO - SITUAÇÃO LEGAL 19/12/2013. Avaliação in loco 4

CURSOS DE GRADUAÇÃO - SITUAÇÃO LEGAL 19/12/2013. Avaliação in loco 4 Administração s Arquitetura e Urbanismo Artes Cênicas - Licenciatura Ciências Biológicas Ciências Contábeis Ciência da Computação Ciências Econômicas Direito Educação Física Licenciatura Educação Física

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES. IGC Faixas Contínuo 2007 3 215 2008 3 221 2009 3 229

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES. IGC Faixas Contínuo 2007 3 215 2008 3 221 2009 3 229 PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 10//2012, Seção 1, Pág. 1. Portaria n 7, publicada no D.O.U. de 10//2012, Seção 1, Pág. 12. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

Leia mais

64 pontos não remunerada.

64 pontos não remunerada. UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA FACULDADE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL RESOLUÇÃO 001/2015 ESTABELECE PROCEDIMENTOS E PARÂMETROS AVALIATIVOS PARA PROGRESSÃO DE DOCENTES À CLASSE E PROFESSOR TITULAR ANEXO

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Hospital Albert UF:SP Einstein ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade

Leia mais