REGISTRO DA 2ª REUNIÃO DE TRABALHO DO CONSELHO COMUNITÁRIO (CC) E DAS COMISSÕES TEMÁTICAS (CTs) Cachoeira Alta - GO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGISTRO DA 2ª REUNIÃO DE TRABALHO DO CONSELHO COMUNITÁRIO (CC) E DAS COMISSÕES TEMÁTICAS (CTs) Cachoeira Alta - GO"

Transcrição

1 REGISTRO DA 2ª REUNIÃO DE TRABALHO DO CONSELHO COMUNITÁRIO (CC) E DAS COMISSÕES TEMÁTICAS (CTs) Cachoeira Alta - GO Data: 0/03 Horário: 1:00hs às 17:00hs Local: Centro de treinamento da ETH Município: Cachoeira Alta - GO Número de participantes: 15 Equipe de Facilitadores: Samuel Protetti, Arpad Spalding e Ademilton Furquim Equipe gestora: Virginia Barros Agenda: 1. Abertura 2. Informes e esclarecimento de dúvidas 3. Leitura da sugestão dos critérios de seleção de projetos;. Diálogo: Quais são os principais problemas do município. 5. Validação dos critérios de seleção de projeto: 6. Encerramento 1- Abertura Antônio Carlos, em nome da ETH, iu a reunião e agradeceu a presença de todos e reforçou a importância da participação nesse evento. 2 - Informes e esclarecimento de dúvidas Samuel Protetti deu boas vindas a todos, falou sobre o boletim informativo e o material das pastas que cada um recebeu na chegada e apresentou a dinâmica e os objetivos do dia. Abriu-se espaço para que os integrantes do CC e das CTs tirassem suas duvidas sobre o Programa. Os participantes trouxeram o problema do grande número de ausências das pessoas do conselho e das comissões nessa reunião e que quem tiver s de duas ausências não justificadas deverá ser substituído. 3 - Leitura da sugestão dos critérios de seleção de projetos, Devido a ausência de representantes em todas as CT e CC, as pessoas foram divididas em três grupos: CT de Atividades produtivas, CT de Saúde, Segurança e Preservação Ambiental e CT de Educação e Cultura OBS: Os participantes do CC trabalharam to as CTs. Solicitou-se aos participantes que lessem a sugestão de critérios para a seleção de projetos para se familiarizarem ainda s com os princípios do Programa. - Diálogo: Pergunta orientadora: Quais são os principais problemas do município relacionados a Educação, Atividades Produtivas, Cultura e Saúde, Segurança e Preservação Ambiental?

2 Após uma rodada de conversação os grupos elencaram os problemas prioritários em cada área, conforme observado abaixo: CT de Saúde, Segurança e Preservação Ambiental: Educação: Cultura: Atividades Produtivas: 5 - Validação dos critérios de seleção de projeto: Samuel retomou as atividades distribuindo uma folha com os critérios para seleção de projeto de cada CT, e convidou os participantes a olhar as prioridades elencadas com a sugestão de critérios. Cada CT fez pequenas alterações e principalmente adicionaram s critérios para a seleção de projetos. Segue abaixo a lista de critérios definidos pelas CTs e CC. Critérios gerais: 1. Projetos que contribuam para a implementação dos objetivos do Programa Energia Social para Sustentabilidade Local e voltados para o fortalecimento de suas áreas temáticas - Educação, Cultura, Atividades Produtivas, Saúde, Segurança e Preservação Ambiental. 2. Projetos que incorporem a utilização de metodologias participativas na gestão e execução das atividades e estejam alinhados aos documentos Carta da Terra, 8 Objetivos do Milênio e na Cultura da Sustentabilidade.

3 3. Projetos já iniciados e que contribuam para o fortalecimento do Desenvolvimento Sustentável Local.. Projetos que apliquem tecnologias sociais já experimentadas nas áreas de produção orgânica, energias alternativas; segurança alimentar, agroindústria, manejo de recursos naturais; bioarquitetura; utilização de materiais recicláveis. 5. Projetos voltados para o fortalecimento das redes comunitárias de cooperação, a fim de consolidar o Desenvolvimento Local Sustentável. 6. Projetos que estimulem o potencial intelectual, artístico, ético e espiritual das comunidades envolvidas e contribuam para o respeito à diversidade étnica e cultural e para a equidade de gênero. 7. Projetos que sejam auto-sustentáveis. 8. Projetos que contribuíam a qualificação da gestão pública e melhoria dos serviços. Educação: Projetos de qualificação do legislativo municipal em políticas públicas na área de sustentabilidade; Projetos de qualificação profissional de jovens; Projetos de reforma e construção de prédios escolares com vistas à sua adequação aos princípios da construção sustentável; Projetos de tecnologias de comunicação; Projetos de educação para sustentabilidade; Projetos que estimulem a formação de mão-de-obra para educação infantil e ensino fundamental; Projetos que contribuam para a melhoria do transporte escolar (zona rural e cidades vizinhas) Cultura: Projetos que apóiem as manifestações culturais tradicionais e atuais das comunidades locais. Projetos que fortaleçam a identidade local. Projetos que promovam a integração intergeracional (crianças, jovens, adultos e idosos); Projetos de apoio as atividades do CUCA. Atividades Produtivas

4 Projetos de geração de empregos e de renda com a qualificação das cadeias produtivas locais; Projetos que visem o comércio justo; Projetos de produção de alimentos e anis, com prioridade para a produção orgânica; Projetos que visam a economia associativa e solidária; Projetos de empreendedorismo relacionado ao fortalecimento das cadeias produtivas locais. As iniciativas econômicas propostas devem observar: contribuição para a conservação dos ecossistemas locais; adequação ao ecossistema local; interação e a complementaridade com outros projetos; tipo de energia que utiliza (renovável ou não-renovável); uso de tecnologias s limpas; geração de empregos; transferência de conhecimentos e práticas; comprometimento dos atores sociais envolvidos. Saúde, Segurança e Preservação Ambiental Projetos que priorizem a conservação ambiental; Projetos de gestão e tratamento de resíduos sólidos; Projetos para recuperação de áreas degradadas; Projetos de gestão integrada de recursos hídricos; Projetos de conservação e recuperação das APPs, Reservas Legais e vegetação nativa; Projetos que contribuam para a melhoria da segurança pública; Projetos que contribuam para a melhoria dos serviços de saúde pública, envolvendo: melhoria e adequação de infraestrutura das unidades de atendimento, melhoria no atendimento (acolhimento), informação e educação das comunidades para a prevenção de doenças. 6- Enceramento Todos se comprometeram a realizar reuniões de cada uma das CTs para reto os projetos pré-selecionados tendo em vista os critérios e os problemas prioritários definidos para o município nessa reunião. Samuel ressaltou que essa atividade é de grande importância para a continuidade da próxima reunião de trabalho.

5 Participantes Conselho Comunitário Segmento Nome Eline Petroni Caiado Fleury P A ço Estelina Barros Jardim A A Setor Privado Antonio Carlos Carvalho P P Setor Privado Luiz Carnielli P A Setor Privado Paulo Sérgio Carvalho P A Adeiris Ferreira Marques A P José Carlos Giroto - Zizi AJ A Comissão Temática de Educação Segmento Nome ço Djenane Moura Vieira A P Ivone Cal da Silva P P Setor Privado Uenton Gleik Alves R P Setor Privado Marina Medeiros A P Gil Alves de Souza A P Paulo Carvalho Luz A P Comissão temática de Atividades Produtivas Segmento Nome ço Kelson de Souza Vilarinho P AJ Setor Privado Alvaro Akira Otsuki P P Setor Privado Giovana Barbosa Zizas P P Fernanda Nunes da Silva A A Francisco de Oliveira Costa Júnior - Tiririca P P Comissão Temática de Saúde, Segurança e Preservação Ambiental Segmento Nome ço

6 Alcides José de Souza Neto A A Laerce Batista de Paula P A Setor Privado Sandra Cago P P Setor Privado Dr. André Franco Ribeiro A P Setor Privado Celio Adriano Zorzan A P Rodrigo Miranda Mendonça A A Rosemeire - Rosinha P P Comissão Temática de Cultura Segmento Nome Aparecida Barbosa Severino P AJ Marianny Rodrigues de Freitas P A Setor Privado Helton de Morin Zonotti A A ço Setor Privado Valdeque Borges A P Jarbas Ancelmo da Silva P A Rogério Ferreira da Silva A P A ausente P presente Aj ausência justificada

REGISTRO DA 3ª REUNIÃO DE TRABALHO DO CONSELHO COMUNITÁRIO (CC) E DAS COMISSÕES TEMÁTICAS (CTs) Cachoeira Alta - GO

REGISTRO DA 3ª REUNIÃO DE TRABALHO DO CONSELHO COMUNITÁRIO (CC) E DAS COMISSÕES TEMÁTICAS (CTs) Cachoeira Alta - GO REGISTRO DA 3ª REUNIÃO DE TRABALHO DO CONSELHO COMUNITÁRIO (CC) E DAS COMISSÕES TEMÁTICAS (CTs) Cachoeira Alta - GO Data: 25/03 Horário: 14:00hs às 17:00hs Local: Centro de treinamento da ETH Município:

Leia mais

REGISTRO DA 1ª REUNIÃO DE TRABALHO DO CONSELHO COMUNITÁRIO (CC) E DAS COMISSÕES TEMÁTICAS (CTs) Cachoeira Alta - Go

REGISTRO DA 1ª REUNIÃO DE TRABALHO DO CONSELHO COMUNITÁRIO (CC) E DAS COMISSÕES TEMÁTICAS (CTs) Cachoeira Alta - Go 1 REGISTRO DA 1ª REUNIÃO DE TRABALHO DO CONSELHO COMUNITÁRIO (CC) E DAS COMISSÕES TEMÁTICAS (CTs) Cachoeira Alta - Go Data: /01 Horário: 14:00hs ao :00hs Local: Centro de Treinamento da ETH Município:

Leia mais

Seminário Sustentabilidade Local 2011. Apresentação dos Projetos de Caçu e Cachoeira Alta - GO

Seminário Sustentabilidade Local 2011. Apresentação dos Projetos de Caçu e Cachoeira Alta - GO Seminário Sustentabilidade Local 2011 Apresentação dos Projetos de Caçu e Cachoeira Alta - GO Projetos de Caçu Caçu COMISSÃO TEMÁTICA DE CULTURA Projeto Ponto de Cultura de Sustentabilidade Projeto Ponto

Leia mais

Registro da Oficina de Avaliação Nova Alvorada do Sul - MS

Registro da Oficina de Avaliação Nova Alvorada do Sul - MS 1 Registro da Oficina de Avaliação Nova Alvorada do Sul - MS Data: 04/12/2012 Horário: 14h00minh às 17h00minh Local:Câmara Municipal Município: Nova Alvorada do Sul Número de participantes: 21 Equipe de

Leia mais

Prefeitura Municipal de Jaboticabal

Prefeitura Municipal de Jaboticabal LEI Nº 4.715, DE 22 DE SETEMBRO DE 2015 Institui a Política Municipal de estímulo à produção e ao consumo sustentáveis. RAUL JOSÉ SILVA GIRIO, Prefeito Municipal de Jaboticabal, Estado de São Paulo, no

Leia mais

Registro da Oficina de Avaliação (CC e CTs) Teodoro Sampaio - SP

Registro da Oficina de Avaliação (CC e CTs) Teodoro Sampaio - SP 1 Registro da Oficina de Avaliação (CC e CTs) Teodoro Sampaio - SP Data: 08/12/2011 Horário: 9:00h às 11:30h Local: Sede do IPÊ Município: Teodoro Sampaio Número de participantes: 15 Equipe de Facilitadores:

Leia mais

Política Estadual de Governança Climática e Gestão da Produção Ecossistêmica

Política Estadual de Governança Climática e Gestão da Produção Ecossistêmica Política Estadual de Governança Climática e Gestão da Produção Ecossistêmica R E A L I Z A Ç Ã O : A P O I O : A Razão Diversos estados e municípios também estão avançando com suas políticas de mudanças

Leia mais

CONVIDADOS ALTO TAQUARI - MT

CONVIDADOS ALTO TAQUARI - MT REGISTRO DA 1ª OFICINA DE CAPACITAÇÃO DE ELABORAÇÃO DE PROJETO I PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL CONSELHO COMUNITÁRIO (CC), COMISSÕES TEMÁTICAS (CTs) E CONVIDADOS ALTO TAQUARI - MT

Leia mais

CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO

CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO 30.1. O comércio e a indústria, inclusive as empresas transnacionais,

Leia mais

Prioridades para o PA 2014 Comunidade Externa. Câmpus Restinga Junho, 2013. Desenvolvimento Institucional

Prioridades para o PA 2014 Comunidade Externa. Câmpus Restinga Junho, 2013. Desenvolvimento Institucional Prioridades para o PA 2014 Comunidade Externa Câmpus Restinga Junho, 2013 Desenvolvimento Institucional APRESENTAÇÃO O presente relatório deve ser considerado como um Anexo ao Diagnóstico das Prioridades

Leia mais

REGISTRO DA 1a REUNIÂO IPEC SOBRE O PROJETO ESCOLA SUSTENTÁVEL INTEGRADA AO PONTO DE CULTURA DE SUSTENTABILIDADE

REGISTRO DA 1a REUNIÂO IPEC SOBRE O PROJETO ESCOLA SUSTENTÁVEL INTEGRADA AO PONTO DE CULTURA DE SUSTENTABILIDADE REGISTRO D 1a REUNIÂO IPEC SOBRE O PROJETO ESCOL SUSTENTÁVEL INTEGRD O PONTO DE CULTUR DE SUSTENTBILIDDE Data: 28/04/2011 Horário: 09h às 12hs Local: Centro de Treinamento ETH Município: Cachoeira lta-go

Leia mais

Relatório do 3 Encontro de Empreendedores. de Cultura Afrobrasileiros

Relatório do 3 Encontro de Empreendedores. de Cultura Afrobrasileiros Relatório do 3 Encontro de Empreendedores de Cultura Afrobrasileiros São Paulo, 23 de julho de 2011 1 Introdução: Este relatório é produto do 3 Encontro de artistas e empreendedores negros, que discutem

Leia mais

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1.374, DE 08 DE ABRIL DE 2003. Publicado no Diário Oficial nº 1.425. Dispõe sobre a Política Estadual de Educação Ambiental e adota outras providências. O Governador do Estado do Tocantins Faço

Leia mais

Política Ambiental das Empresas Eletrobras

Política Ambiental das Empresas Eletrobras Política Ambiental das Empresas Eletrobras Versão 2.0 16/05/2013 Sumário 1 Objetivo... 3 2 Princípios... 3 3 Diretrizes... 3 3.1 Diretrizes Gerais... 3 3.1.1 Articulação Interna... 3 3.1.2 Articulação

Leia mais

Relatório Final Aprovado ad referendum da Comissão Organizadora Municipal (COM)

Relatório Final Aprovado ad referendum da Comissão Organizadora Municipal (COM) Relatório Final Aprovado ad referendum da Piancó - PB Agosto de 2013 Relatório Final 1ª Conferência Municipal do Meio Ambiente de Piancó Por um futuro melhor, vamos cuidar de Piancó. (José Willame Vitor

Leia mais

O Mercado como instrumento de conservação da Mata Atlântica. Consumo Responsável, Compromisso com a Vida!

O Mercado como instrumento de conservação da Mata Atlântica. Consumo Responsável, Compromisso com a Vida! Mercado Mata Atlântica Reserva da Biosfera da Mata Atlântica O Mercado como instrumento de conservação da Mata Atlântica Consumo Responsável, Compromisso com a Vida! Apresentação O Programa "Mercado Mata

Leia mais

PADRÕES DE CERTIFICAÇÃO LIFE. Versão 3.0 Brasil Português. LIFE-BR-CS-3.0-Português (NOVEMBRO/2014)

PADRÕES DE CERTIFICAÇÃO LIFE. Versão 3.0 Brasil Português. LIFE-BR-CS-3.0-Português (NOVEMBRO/2014) LIFE-BR-CS-3.0-Português Versão 3.0 Brasil Português (NOVEMBRO/2014) Próxima revisão planejada para: 2017 2 OBJETIVO A partir das Premissas LIFE, definir os Princípios, critérios e respectivos indicadores

Leia mais

SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras. Eduarda Ramires Silveira. Evelyn Victória Cardoso Lopes. Mel Suzane Santos Marques. Voluntários

SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras. Eduarda Ramires Silveira. Evelyn Victória Cardoso Lopes. Mel Suzane Santos Marques. Voluntários SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras Eduarda Ramires Silveira Evelyn Victória Cardoso Lopes Mel Suzane Santos Marques Voluntários Joyce Thaís Mendes Alves Sílvia Rocha Pena Rodrigues Luíza Almeida Dias de Carvalho

Leia mais

Pólos da Paz e Praças da Paz SulAmérica

Pólos da Paz e Praças da Paz SulAmérica A iniciativa O projeto Praças é uma iniciativa do Instituto Sou da Paz, em parceria com a SulAmérica, que promove a revitalização de praças públicas da periferia de São Paulo com a participação da comunidade

Leia mais

INSTITUTO LABORIDADE

INSTITUTO LABORIDADE INSTITUTO LABORIDADE ONG - Organização Não Governamental criada em 1999, com foco no envelhecimento, desenvolvendo ações intergeracionais jovens e adultos- para a melhoria da qualidade de vida. Projetos:

Leia mais

Demonstrativo de Funções, Subfunções e Programas por Projetos e Atividades - Anexo VII

Demonstrativo de Funções, Subfunções e Programas por Projetos e Atividades - Anexo VII 01 Legislativa 3.000.000 52.200.000 55.200.000 01031 Ação Legislativa 7.834.000 7.834.000 010310028 ATUAÇÃO LEGISLATIVA DA CÂMARA MUNICIPAL DE 7.834.000 7.834.000 01122 Administração Geral 3.000.000 38.140.000

Leia mais

Estrutura e Metodologia da Oficina 1: Sensibilização de Agentes Multiplicadores

Estrutura e Metodologia da Oficina 1: Sensibilização de Agentes Multiplicadores Estrutura e Metodologia da Oficina 1: Sensibilização de Agentes Multiplicadores Oficina 1: Sensibilização de Agentes Multiplicadores Integração do grupo; Sensibilização para os problemas e potencialidades

Leia mais

Política Ambiental janeiro 2010

Política Ambiental janeiro 2010 janeiro 2010 5 Objetivo Orientar o tratamento das questões ambientais nas empresas Eletrobras em consonância com os princípios da sustentabilidade. A Política Ambiental deve: estar em conformidade com

Leia mais

Assistência Técnica e Extensão Rural

Assistência Técnica e Extensão Rural Assistência Técnica e Extensão Rural A EXTENSÃO RURAL CONTEMPORÂNEA DA CEPLAC Concepção, Estrutura e Projetos Sergio Murilo Correia Menezes Ceplac / Cenex Base - Fundamentos ANATER Agenda Estratégica da

Leia mais

I FÓRUM SOCIAL DA UFSB-2015 Universidade e Sociedade em diálogo - Projeto Executivo -

I FÓRUM SOCIAL DA UFSB-2015 Universidade e Sociedade em diálogo - Projeto Executivo - I FÓRUM SOCIAL DA UFSB-2015 Universidade e Sociedade em diálogo - Projeto Executivo - Itabuna - julho de 2015. 1/3 I FÓRUM SOCIAL DA UFSB-2015 Universidade e Sociedade em diálogo Objetivo Geral: Fortalecer

Leia mais

MEMÓRIA DA1ª REUNIÃO DE CC E CTs DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL ALTO TAQUARI - MT

MEMÓRIA DA1ª REUNIÃO DE CC E CTs DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL ALTO TAQUARI - MT MEMÓRIA DA1ª REUNIÃO DE CC E CTs DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL ALTO TAQUARI - MT Data: 16 de junho de 2011 Local: Salão Social da Igreja Batista Número de participantes: 18 pessoas

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT Rede de Disseminação, Informação e Capacitação

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT Rede de Disseminação, Informação e Capacitação PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria da Micro e Pequena Empresa Fórum Permanente de Microempresas e Empresas de Pequeno Porte MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT Rede

Leia mais

Registro da Reunião do Conselho Comunitário e Comissões Temáticas Mirante do Paranapanema - SP

Registro da Reunião do Conselho Comunitário e Comissões Temáticas Mirante do Paranapanema - SP ok Registro da Reunião do Conselho Comunitário e Comissões Temáticas Mirante do Paranapanema - SP Data: 15/06/2012 Horário: 09h00minh às 11h45minh Local: Senar Município: Mirante do Paranapanema Número

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

ESPAÇO TRANSFORMADOR. Institucionalizado para a Comunidade. Transformação Baseada na tomada de consciência, na descoberta e na mudança de atitudes e

ESPAÇO TRANSFORMADOR. Institucionalizado para a Comunidade. Transformação Baseada na tomada de consciência, na descoberta e na mudança de atitudes e ESPAÇO TRANSFORMADOR Transformação Baseada na tomada de consciência, na descoberta e na mudança de atitudes e comportamentos e especialmente na construção e aplicação dos conhecimentos apreendidos. Organização

Leia mais

Política Metropolitana de Proteção da Paisagem e Promoção da Diversidade Cultural

Política Metropolitana de Proteção da Paisagem e Promoção da Diversidade Cultural UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA / CURSO DE TURISMO Política Metropolitana de Proteção da Paisagem e Promoção da Diversidade Cultural Fabiana Bernardes

Leia mais

Política Ambiental do Sistema Eletrobrás

Política Ambiental do Sistema Eletrobrás Política Ambiental do Sistema Eletrobrás POLÍTICA AMBIENTAL DO SISTEMA ELETROBRÁS 5 OBJETIVO Orientar o tratamento das questões ambientais nas empresas do Sistema Eletrobrás em consonância com os princípios

Leia mais

PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR....o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff

PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR....o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR...o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff Julho/2014 0 APRESENTAÇÃO Se fôssemos traduzir o Plano de Governo 2015-2018

Leia mais

MMX - Controladas e Coligadas

MMX - Controladas e Coligadas POLITICA CORPORATIVA PC. 1.16.01 Política de Meio Ambiente Emissão: 02/10/06 1 Objetivo: Estabelecer diretrizes visando proteger os recursos naturais e o meio ambiente em todas das unidades operacionais.

Leia mais

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1.1 APRESENTAÇÃO O Plano de Comunicação e Participação Social subsidiará a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana, criando as bases para

Leia mais

Padrão de Príncipes, Critérios e Indicadores para Florestas Modelo. Rede Ibero-Americana de Florestas Modelo 2012

Padrão de Príncipes, Critérios e Indicadores para Florestas Modelo. Rede Ibero-Americana de Florestas Modelo 2012 Meta superior (RIABM 2011): A Floresta Modelo é um processo em que grupos que representam uma diversidade de atores trabalham juntos para uma visão comum de desenvolvimento sustentável em um território

Leia mais

Diagnóstico de oportunidades de quebra de barreiras para acesso às políticas públicas da Agricultura Familiar em São Félix do Xingu, Pará.

Diagnóstico de oportunidades de quebra de barreiras para acesso às políticas públicas da Agricultura Familiar em São Félix do Xingu, Pará. TERMO DE REFERÊNCIA Diagnóstico de oportunidades de quebra de barreiras para acesso às políticas públicas da Agricultura Familiar em São Félix do Xingu, Pará. 1. Título: Diagnóstico de oportunidades para

Leia mais

RESOLUÇÃO CNAS Nº 11, DE 23 DE SETEMBRO DE 2015.

RESOLUÇÃO CNAS Nº 11, DE 23 DE SETEMBRO DE 2015. RESOLUÇÃO CNAS Nº 11, DE 23 DE SETEMBRO DE 2015. Caracteriza os usuários, seus direitos e sua participação na Política Pública de Assistência Social e no Sistema Único de Assistência Social, e revoga a

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL BAIANO CAMPUS URUÇUCA PLANO DE TRABALHO QUADRIÊNIO 2014-2018 EURO OLIVEIRA DE ARAÚJO

INSTITUTO FEDERAL BAIANO CAMPUS URUÇUCA PLANO DE TRABALHO QUADRIÊNIO 2014-2018 EURO OLIVEIRA DE ARAÚJO INSTITUTO FEDERAL BAIANO CAMPUS URUÇUCA PLANO DE TRABALHO QUADRIÊNIO 2014-2018 EURO OLIVEIRA DE ARAÚJO Euro Oliveira de Araújo, graduado em Licenciatura em Química pela Universidade Estadual da Bahia.

Leia mais

AVALIAÇÃO DO POTENCIAL DOS EMPREGOS VERDES. Alcir Vilela Junior

AVALIAÇÃO DO POTENCIAL DOS EMPREGOS VERDES. Alcir Vilela Junior AVALIAÇÃO DO POTENCIAL DOS EMPREGOS VERDES Alcir Vilela Junior ROTEIRO DA CONVERSA Nossa perspectiva ao abordar o tema Como se configura este mercado O perfil profissional e o design instrucional Os resultados

Leia mais

Seminario: Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Papel dos atores regionais Secretaria Permanente da Organização do Tratado de Cooperação Amazônica Junho de 2010 TCA 1978/1980 Soberanía Navegação Educação

Leia mais

Rede de Produção de Plantas Medicinais, Aromáticas e Fitoterápicos

Rede de Produção de Plantas Medicinais, Aromáticas e Fitoterápicos Rede de Produção de Plantas Medicinais, Aromáticas e Fitoterápicos Atores envolvidos Movimentos Sociais Agricultura Familiar Governos Universidades Comunidade Científica em Geral Parceiros Internacionais,

Leia mais

São Paulo, 17 de julho, de 2011. Prezados,

São Paulo, 17 de julho, de 2011. Prezados, São Paulo, 17 de julho, de 2011. Prezados, Em resposta ao processo administrativo 02/2011, recebido no dia 27/06/2011, tendo como proponente o Grupo de Trabalho da Amazônia, a Suzano Papel e Celulose vem,

Leia mais

SÍNTESE BARRA DO GARÇAS RP IV

SÍNTESE BARRA DO GARÇAS RP IV SÍNTESE BARRA DO GARÇAS RP IV Realizar projetos para destinação de resíduos sólidos * Meio Ambiente Desenvolver programas de educação ambiental Apresentar pequenos e médios projetos de recuperação (seqüestro

Leia mais

Regulamento para a participação do Seminário Nordestino de Educação Popular e Economia Solidária

Regulamento para a participação do Seminário Nordestino de Educação Popular e Economia Solidária Regulamento para a participação do Seminário Nordestino de Educação Popular e Economia Solidária 1. Evento 1.2. Temática, data e local 2. Programação 2.1. Programação artístico-cultural e de lazer à noite

Leia mais

ANEXO B Hierarquização dos projetos através da metodologia Delphi

ANEXO B Hierarquização dos projetos através da metodologia Delphi ANEXO B Hierarquização dos projetos através da metodologia Delphi Discriminação AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO s CUSTO PREVISTO DA AÇÃO (R$) - 500.000,00 1.000.000,00 2.850.000,00 170.000,00 30.000,00 1.120.000,00

Leia mais

1ª Retificação do Edital Nº 024/2015

1ª Retificação do Edital Nº 024/2015 1ª Retificação do Edital Nº 024/2015 O Diretor Geral do Câmpus Juiz de Fora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais (IF Sudeste MG), no uso de suas atribuições

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Síntese O Compromisso ALIANSCE para a Sustentabilidade demonstra o nosso pacto com a ética nos negócios, o desenvolvimento das comunidades do entorno de nossos empreendimentos,

Leia mais

PROJETO DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DO ESTADO DA BAHIA. Banco Mundial

PROJETO DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DO ESTADO DA BAHIA. Banco Mundial PROJETO DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DO ESTADO DA BAHIA POR QUE O PROJETO Decisão Estratégica do Governo do Estado da Bahia Necessidade de avançar na erradicação da pobreza rural Existência de

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Grupos de trabalho: formação Objetivo: elaborar atividades e

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS EMPRESAS ELETROBRAS. Política de Responsabilidade Social das Empresas Eletrobras

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS EMPRESAS ELETROBRAS. Política de Responsabilidade Social das Empresas Eletrobras Política de Responsabilidade Social das Empresas Eletrobras Versão 1.0 18/08/2014 1 Sumário 1. Objetivo... 3 2. Conceitos... 3 3. Diretrizes... 3 3.1. Diretrizes Gerais... 3 3.2. Diretrizes Específicas...

Leia mais

ACORDO-QUADRO SOBRE MEIO AMBIENTE DO MERCOSUL

ACORDO-QUADRO SOBRE MEIO AMBIENTE DO MERCOSUL MERCOSUL/CMC/DEC. N o 02/01 ACORDO-QUADRO SOBRE MEIO AMBIENTE DO MERCOSUL TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto, a Resolução N o 38/95 do Grupo Mercado Comum e a Recomendação

Leia mais

REGISTRO DA OFICINA DE CAPACITAÇÃO PARA CAPTAÇÃO DE RECURSOS DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL DE ALTO TAQUARI - MT

REGISTRO DA OFICINA DE CAPACITAÇÃO PARA CAPTAÇÃO DE RECURSOS DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL DE ALTO TAQUARI - MT REGISTRO DA OFICINA DE CAPACITAÇÃO PARA CAPTAÇÃO DE RECURSOS DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL DE ALTO TAQUARI - MT Data: 6/12/2012 Horário: 7h30 às 12h00 Local: CECOI Município: Alto

Leia mais

POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE

POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE Av. Barbacena, 472 8º andar Barro Preto CEP: 30190-130 Belo Horizonte/MG Tel.: 3253.4917 E-mail: renata.gontijo@cemigsaude.org.br Portal Corporativo: www.cemigsaude.org.br

Leia mais

CONFERÊNCIA: O futuro dos territórios rurais. - Desenvolvimento Local de Base Comunitária. Painel 1: Coesão e Sustentabilidade Territorial

CONFERÊNCIA: O futuro dos territórios rurais. - Desenvolvimento Local de Base Comunitária. Painel 1: Coesão e Sustentabilidade Territorial Painel 1: Coesão e Sustentabilidade Territorial 5 Augusto Ferreira Departamento Técnico - CONFAGRI MINHA TERRA - Federação Portuguesa de Associações de Desenvolvimento Local 20.Set.2013 Hotel da Estrela

Leia mais

A ESTRUTURA DE SUSTENTABILIDADE International Finance Corporation (IFC) Gladis Ribeiro

A ESTRUTURA DE SUSTENTABILIDADE International Finance Corporation (IFC) Gladis Ribeiro A ESTRUTURA DE SUSTENTABILIDADE International Finance Corporation (IFC) Gladis Ribeiro INTERNATIONAL FINANCE CORPORATION (IFC), QUEM SOMOS? A IFC, membro do Grupo Banco Mundial, é uma instituição de desenvolvimento

Leia mais

Perfil dos Participantes Compilação das Respostas dos Questionários

Perfil dos Participantes Compilação das Respostas dos Questionários Perfil dos Participantes Compilação das Respostas dos Questionários Outubro/2011 Temas de Interesse Meio Ambiente Ações Sociais / Projetos Sociais / Programas Sociais Sustentabilidade / Desenvolvimento

Leia mais

DECLARAÇÃO DE BRASÍLIA

DECLARAÇÃO DE BRASÍLIA DECLARAÇÃO DE BRASÍLIA Os Governadores e Governadoras, Intendentas e Intendentes, Prefeitas e Prefeitos do MERCOSUL reunidos no dia 16 de julho de 2015, na cidade de Brasília DF, por meio do Foro Consultivo

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

Termo de Referência nº 2014.0918.00040-2. 1. Antecedentes

Termo de Referência nº 2014.0918.00040-2. 1. Antecedentes Termo de Referência nº 2014.0918.00040-2 Ref: Contratação de consultoria pessoa física para realização de um plano de sustentabilidade financeira para o Jardim Botânico do Rio de Janeiro, no âmbito da

Leia mais

RELATORIA OFICINA DE CELEBRAÇÃO DOS 10 ANOS DO GT DE PROMOÇÃO DA SAÚDE DA ABRASCO: E AGORA JOSÉ? A FESTA ACABOU OU SÓ TÁ COMEÇANDO?

RELATORIA OFICINA DE CELEBRAÇÃO DOS 10 ANOS DO GT DE PROMOÇÃO DA SAÚDE DA ABRASCO: E AGORA JOSÉ? A FESTA ACABOU OU SÓ TÁ COMEÇANDO? RELATORIA OFICINA DE CELEBRAÇÃO DOS 10 ANOS DO GT DE PROMOÇÃO DA SAÚDE DA ABRASCO: E AGORA JOSÉ? A FESTA ACABOU OU SÓ TÁ COMEÇANDO? 10º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva 14-18 de novembro de 2012

Leia mais

MEMÓRIA DO 4º DIÁLOGO COMUNITÁRIO DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL ALTO TAQUARI MT AGENDA DO 4º DIÁLOGO COMUNITÁRIO

MEMÓRIA DO 4º DIÁLOGO COMUNITÁRIO DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL ALTO TAQUARI MT AGENDA DO 4º DIÁLOGO COMUNITÁRIO MEMÓRIA DO 4º DIÁLOGO COMUNITÁRIO DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL ALTO TAQUARI MT Data: 15 de setembro de 2011 Tema: A FLOR DA CULTURA DA SUSTENTABILIDADE Local: Salão Social da

Leia mais

REGISTRO 3ª REUNIÃO DE VALIDAÇÃO DE PROJETOS DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL COMISSÕES TEMÁTICAS

REGISTRO 3ª REUNIÃO DE VALIDAÇÃO DE PROJETOS DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL COMISSÕES TEMÁTICAS 1 REGISTRO 3ª REUNIÃO DE VALIDAÇÃO DE PROJETOS DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL COMISSÕES TEMÁTICAS (CTs) E CONSELHO COMUNITÁRIO (CC) Perolândia GO Data: 11/04 Local: Câmara Municipal

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO - REDES DA MARÉ Nº 01/2012

EDITAL DE SELEÇÃO - REDES DA MARÉ Nº 01/2012 EDITAL DE SELEÇÃO - REDES DA MARÉ Nº 01/2012 A Redes da Maré seleciona tecedores para o Programa Criança Petrobras (PCP) na Maré. Antes de se candidatar, conheça bem os valores e atuação da instituição.

Leia mais

DESAFIO PORTUGAL 2020

DESAFIO PORTUGAL 2020 DESAFIO PORTUGAL 2020 Estratégia Europa 2020: oportunidades para os sectores da economia portuguesa Olinda Sequeira 1. Estratégia Europa 2020 2. Portugal 2020 3. Oportunidades e desafios para a economia

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL: a solidariedade humana para o desenvolvimento local

RESPONSABILIDADE SOCIAL: a solidariedade humana para o desenvolvimento local RESPONSABILIDADE SOCIAL: a solidariedade humana para o desenvolvimento local 1 Por: Evandro Prestes Guerreiro 1 A questão da Responsabilidade Social se tornou o ponto de partida para o estabelecimento

Leia mais

Gisele Garcia Alarcon, Marta Tresinari Wallauer & Cláudio Henschel de Matos

Gisele Garcia Alarcon, Marta Tresinari Wallauer & Cláudio Henschel de Matos MOBILIZAÇÃO COMUNITÁRIA E EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PARQUE ESTADUAL DA SERRA DO TABULEIRO: DESAFIOS PARA O ENVOLVIMENTO DE PROFESSORES DA REDE PÚBLICA DE ENSINO NA IMPLEMENTAÇÃO DO PARQUE Gisele Garcia Alarcon,

Leia mais

RELATÓRIO DA 3ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE

RELATÓRIO DA 3ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE RELATÓRIO DA 3ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE I. REALIZAÇÃO Data: 26/11/2013 e 27/11/2013 Local: Centro Universitário de Araras Dr. Edmundo Ulson UNAR Número de participantes:

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Prefeitura Municipal de Cachoeiro de Itapemirim - ES PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Introdução O Programa Municipal de Educação Ambiental estabelece diretrizes, objetivos, potenciais participantes, linhas

Leia mais

Projeto Rede Cidadania e Qualidade de Vida FIOCRUZ/MinC. Relatório Devolutivo 22 a 23/09/2014 Jacundá - PA

Projeto Rede Cidadania e Qualidade de Vida FIOCRUZ/MinC. Relatório Devolutivo 22 a 23/09/2014 Jacundá - PA Projeto Rede Cidadania e Qualidade de Vida FIOCRUZ/MinC Relatório Devolutivo 22 a 23/09/2014 Jacundá - PA Programa CEU - Centro de Artes e Esportes Unificados Projeto Rede Cidadania e Qualidade de Vida

Leia mais

Congresso Mundial da Natureza/IUCN Barcelona 2008. Coordenação. Marta de Azevedo Irving. Apoio:

Congresso Mundial da Natureza/IUCN Barcelona 2008. Coordenação. Marta de Azevedo Irving. Apoio: Congresso Mundial da Natureza/IUCN Barcelona 2008 Coordenação Marta de Azevedo Irving Apoio: Objetivo Promover a discussão sobre o turismo em áreas protegidas como alternativa potencial para a conservação

Leia mais

Perfil dos Participantes Compilação das Respostas dos Questionários

Perfil dos Participantes Compilação das Respostas dos Questionários Perfil dos Participantes Compilação das Respostas dos Questionários Dezembro/2011 Instrumentos da Política SocioAmbiental Linhas de Instituições Financiamento participantes da pesquisa Participação de

Leia mais

4. Trata-se de uma estratégia complementar à cooperação Norte-Sul e que não tem o objetivo de substituí-la.

4. Trata-se de uma estratégia complementar à cooperação Norte-Sul e que não tem o objetivo de substituí-la. VI REUNIÃO PARDEV 17/5/2012 Fala abertura Laís Abramo 1. A Cooperação Sul Sul é um importante e estratégico instrumento de parceria (partnership) para o desenvolvimento, capaz de contribuir para o crescimento

Leia mais

Valores Pessoas; Trabalho em Equipe; Conduta Ética; Orientação ao Cliente; Orientação a Resultados; Inovação; e Comunidade e Meio Ambiente.

Valores Pessoas; Trabalho em Equipe; Conduta Ética; Orientação ao Cliente; Orientação a Resultados; Inovação; e Comunidade e Meio Ambiente. CÓDIGO DE ÉTICA EMPRESARIAL 1 INTRODUÇÃO O Código de Ética Empresarial da COELCE, apresenta os princípios direcionadores das políticas adotadas pela empresa e que norteiam as ações e relações com suas

Leia mais

PROPOSTA REFERENTE AO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE ANÁLISE SANITÁRIA

PROPOSTA REFERENTE AO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE ANÁLISE SANITÁRIA PROPOSTA REFERENTE AO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE ANÁLISE SANITÁRIA 1- DO CURSO O Curso de Especialização em Gestão em Análise Sanitária destina-se a profissionais com curso superior em áreas correlatas

Leia mais

1. APRESENTAÇÃO 2. OBJETIVO E FOCO TEMÁTICO INSCRIÇÕES 14º DIA DO VOLUNTARIADO 2015.

1. APRESENTAÇÃO 2. OBJETIVO E FOCO TEMÁTICO INSCRIÇÕES 14º DIA DO VOLUNTARIADO 2015. REV.: 03 Pág.: 1 de 6 A Manaus Ambiental torna público que estão abertas as inscrições para a seleção de Instituições e Projetos Sociais para o 14º Dia do Voluntariado. A empresa realizará o processo de

Leia mais

P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O

P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O V o l u m e V R E L A T Ó R I O D O S P R O G R A M A S, P R O J E T O S E A Ç Õ E S P A R A O A L C A N C E D O C E N Á R I O R E F E R

Leia mais

Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental

Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental A Nestlé, na qualidade de Companhia líder em Nutrição, Saúde e Bem-Estar, assume o seu objectivo

Leia mais

Discriminação AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO 79 80 81 82 83 84. Restauração, Intervenção da Praça General Tibúrcio - Fortaleza Histórica

Discriminação AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO 79 80 81 82 83 84. Restauração, Intervenção da Praça General Tibúrcio - Fortaleza Histórica CUSTO PREVISTO DA AÇÃO (R$) - 200.000,00 45.000,00 194.960,00 400.000,00 80.000,00 550.000,00 1. CONDIÇÕES DE ACEITAÇÃO 1.1 Atende aos componentes dos Termos de Referência? 1.2 Escala da ação é compatível

Leia mais

PESQUISA APLICADA EM COOPERAÇÃO universidades e escolas institucionais de Ministério Público

PESQUISA APLICADA EM COOPERAÇÃO universidades e escolas institucionais de Ministério Público PESQUISA APLICADA EM COOPERAÇÃO universidades e escolas institucionais de Ministério Público José Roberto Porto de Andrade Júnior joserobertopajr@hotmail.com joseporto@mpsp.mp.br Assessor da Diretoria

Leia mais

RELATÓRIO DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COE INSTITUTO BRASILEIRO DE PESQUISA E GESTÃO DE CARBONO CO2 ZERO

RELATÓRIO DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COE INSTITUTO BRASILEIRO DE PESQUISA E GESTÃO DE CARBONO CO2 ZERO RELATÓRIO DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COE INSTITUTO BRASILEIRO DE PESQUISA E GESTÃO DE CARBONO CO2 ZERO DECLARAÇÃO DE APOIO CONTÍNUO DO DIRETOR PRESIDENTE Brasília-DF, 29 de outubro de 2015 Para as partes

Leia mais

oficina de formação em vivências com a natureza 16 a 20 julho 2014 parque estadual da serra do mar núcleo santa virgínia. sp

oficina de formação em vivências com a natureza 16 a 20 julho 2014 parque estadual da serra do mar núcleo santa virgínia. sp oficina de formação em vivências com a natureza 16 a 20 julho 2014 parque estadual da serra do mar núcleo santa virgínia. sp O Instituto Romã www.institutoroma.com.br é uma iniciativa voltada para o desenvolvimento

Leia mais

a Resolução CONAMA nº 422/2010 de 23 de março de 2010, que estabelece diretrizes para as campanhas, ações e projetos de educação ambiental;

a Resolução CONAMA nº 422/2010 de 23 de março de 2010, que estabelece diretrizes para as campanhas, ações e projetos de educação ambiental; Portaria Normativa FF/DE N 156/2011 Assunto: Estabelece roteiros para elaboração de Plano Emergencial de Educação Ambiental e de Plano de Ação de Educação Ambiental para as Unidades de Conservação de Proteção

Leia mais

Edital de Seleção. Curso de Formação Inicial Continuada em Manejo Florestal Comunitário. (Turma 2015)

Edital de Seleção. Curso de Formação Inicial Continuada em Manejo Florestal Comunitário. (Turma 2015) Edital de Seleção Curso de Formação Inicial Continuada em Manejo Florestal Comunitário (Turma 2015) Belém Pará Novembro de 2014 Realização Página 2 de 9 Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 4 3.

Leia mais

Curso Agenda 21. Resumo da Agenda 21. Seção I - DIMENSÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS

Curso Agenda 21. Resumo da Agenda 21. Seção I - DIMENSÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS Resumo da Agenda 21 CAPÍTULO 1 - Preâmbulo Seção I - DIMENSÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS CAPÍTULO 2 - Cooperação internacional para acelerar o desenvolvimento sustentável dos países em desenvolvimento e políticas

Leia mais

Termo de Referência nº 2014.0918.00043-7. 1. Antecedentes

Termo de Referência nº 2014.0918.00043-7. 1. Antecedentes Termo de Referência nº 2014.0918.00043-7 Ref: Contratação de consultoria pessoa física para desenvolver o Plano de Uso Público para a visitação do Jardim Botânico do Rio de Janeiro concentrando na análise

Leia mais

Organização da Aula. Gestão de Política Social. Aula 4. Políticas Públicas. Contextualização. Áreas e Setores das Políticas Públicas

Organização da Aula. Gestão de Política Social. Aula 4. Políticas Públicas. Contextualização. Áreas e Setores das Políticas Públicas Gestão de Política Social Aula 4 Profa. Maria José Soares de Mendonça de Gois Organização da Aula Tópicos que serão abordados na aula Políticas públicas Áreas e setores de políticas públicas Legislação

Leia mais

Discriminação AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO 37 38 39 40 41 42

Discriminação AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO 37 38 39 40 41 42 085/230 - Terezinha - CUSTO PREVISTO DA AÇÃO (R$) - 500.000,00 120.000,00 5.200.000,00 693.000,00 2.790.000,00 8.000.000,00 1. CONDIÇÕES DE ACEITAÇÃO 1.1 Atende aos componentes dos Termos de Referência?

Leia mais

Missão da organização

Missão da organização Nossa História O grupo iniciou suas atividades em 2003 quando seus membros observaram a necessidade de estimular a adoção de práticas sustentáveis na comunidade, principalmente através da educação ambiental.

Leia mais

PROJETO TÉCNICO SAF/ATER 120/2010. PROJETO ATER - DESENVOLVIMENTO Rural Inclusivo e Sustentável Região da Grande Dourados, MS

PROJETO TÉCNICO SAF/ATER 120/2010. PROJETO ATER - DESENVOLVIMENTO Rural Inclusivo e Sustentável Região da Grande Dourados, MS PROJETO TÉCNICO SAF/ATER 120/2010 PROJETO ATER - DESENVOLVIMENTO Rural Inclusivo e Sustentável Região da Grande Dourados, MS Propósito da Coopaer Identificar problemas oriundos da Cadeia produtiva leite;

Leia mais

Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade FGR: Gustavo:

Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade FGR: Gustavo: Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade Entrevista cedida à FGR em Revista por Gustavo de Faria Dias Corrêa, Secretário de Estado de Esportes e da Juventude de Minas Gerais. FGR: A Secretaria

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE RESENDE AGÊNCIA DO MEIO AMBIENTE DO MUNICÍPIO DE RESENDE

PREFEITURA MUNICIPAL DE RESENDE AGÊNCIA DO MEIO AMBIENTE DO MUNICÍPIO DE RESENDE PREFEITURA MUNICIPAL DE RESENDE AGÊNCIA DO MEIO AMBIENTE DO MUNICÍPIO DE RESENDE CONVÊNIO PUC - NIMA/ PETROBRAS / PMR PROJETO EDUCAÇÃO AMBIENTAL Formação de Valores Ético-Ambientais para o exercício da

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO PROGRAMAÇÃO DO EVENTO Dia 08/08 // 09h00 12h00 PLENÁRIA Nova economia: includente, verde e responsável Nesta plenária faremos uma ampla abordagem dos temas que serão discutidos ao longo de toda a conferência.

Leia mais

PRODUTOR ORGÂNICO: PARCEIRO DA NATUREZA NA PROMOÇÃO DA VIDA

PRODUTOR ORGÂNICO: PARCEIRO DA NATUREZA NA PROMOÇÃO DA VIDA PRODUTOR ORGÂNICO: PARCEIRO DA NATUREZA NA PROMOÇÃO DA VIDA A natureza trabalha o tempo todo para promover a Vida. Podemos notar isso facilmente observando o que se passa à nossa volta, com plantas nascendo

Leia mais

VIII Jornada de Estágio de Serviço Social. A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NA ASSOCIAÇÃO MINISTÉRIO MELHOR VIVER- AMMV

VIII Jornada de Estágio de Serviço Social. A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NA ASSOCIAÇÃO MINISTÉRIO MELHOR VIVER- AMMV A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NA ASSOCIAÇÃO MINISTÉRIO MELHOR VIVER- AMMV SILVA, D. Pollyane¹ MORO, M. Silvana ² SOUSA, G. Cristiane³ Resumo Este trabalho tem o intuito de descrever a Prática Profissional

Leia mais

GOVERNADOR DO ESTADO DE PERNAMBUCO Eduardo Henrique de Accioly Campos. VICE-GOVERNADOR DO ESTADO DE PERNAMBUCO João Soares Lyra Neto

GOVERNADOR DO ESTADO DE PERNAMBUCO Eduardo Henrique de Accioly Campos. VICE-GOVERNADOR DO ESTADO DE PERNAMBUCO João Soares Lyra Neto GOVERNADOR DO ESTADO DE PERNAMBUCO Eduardo Henrique de Accioly Campos VICE-GOVERNADOR DO ESTADO DE PERNAMBUCO João Soares Lyra Neto SECRETÁRIA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E MEIO AMBIENTE Luciana Barbosa de

Leia mais

A1ützrrcro.,ç. f.otfr 7'. ,* torr6*'rgà #,',ffi lffik*ffir. \o \Qa. dsêdgfíer. "Carta para a sustentabilidade. urbana de Ovar" ODA. v.l.2.

A1ützrrcro.,ç. f.otfr 7'. ,* torr6*'rgà #,',ffi lffik*ffir. \o \Qa. dsêdgfíer. Carta para a sustentabilidade. urbana de Ovar ODA. v.l.2. A1ützrrcro.,ç dsêdgfíer "Carta para a sustentabilidade urbana de Ovar" v.l.2 é\ f.otfr a \o \Qa. [cél-tl oé OVAR ( É ODA 7'. ",* torr6*'rgà #,',ffi lffik*ffir,,.üvà& Preâmbulo A Carta de Sustentabilidade

Leia mais

Conjunto de pessoas que formam a força de trabalho das empresas.

Conjunto de pessoas que formam a força de trabalho das empresas. 1. OBJETIVOS Estabelecer diretrizes que norteiem as ações das Empresas Eletrobras quanto à promoção do desenvolvimento sustentável, buscando equilibrar oportunidades de negócio com responsabilidade social,

Leia mais

O passo a passo da participação popular Metodologia e diretrizes

O passo a passo da participação popular Metodologia e diretrizes O passo a passo da participação popular Metodologia e diretrizes Com o objetivo de garantir a presença da população na construção e no planejamento de políticas públicas, o Governo de Minas Gerais instituiu

Leia mais